GLOSSRIO - ? 858 Glossrio Glossrio Antgeno T-independente: antgeno que estimula a produo

  • Published on
    09-Jun-2018

  • View
    213

  • Download
    0

Transcript

Glossrio GLOSSRIO Abscesso: acmulo localizado de pus.Abuso de temperatura: estocagem imprpria de alimentos em temperaturas que permitem o crescimento bacteriano.Ao oligodinmica: habilidade de determinados compostos de metais pesados de exercer atividade antimicrobiana.Aceptor de eltrons: on que recebe eltrons perdidos por outro tomo.cido: uma substncia que se dissocia em um ou mais ons hidrognio (H+) e em um ou mais ons negativos.cido Desoxirribonucleico (DNA): cido nucleico do material gentico de todas as clulas e alguns vrus.cido miclico: longas cadeias de cidos graxos ramificados, caractersticas de membros do gnero Mycobacterium.cido nucleico: macromolcula composta por nucleotdeos; DNA e RNA so ci-dos nucleicos.cido ribonucleico (RNA): classe de cidos nucleicos que inclui o RNA mensagei-ro, o RNA ribossomal e o RNA transportador.cido teicoico: polissacardeo encontrado na parede de bactrias gram-negativas.Acidfila: uma bactria que cresce em condies de pH abaixo de 4,0.Adenossarcoma: cncer de tecido epitelial glandular.Aderncia: fixao de um micrbio ou fagcito membrana plasmtica ou a outra superfcie.Adesina: protena que se liga especificamente a carboidratos e que se projeta de c-lulas procariticas; usada para aderncia, tambm chamada de ligante.Adjuvante: substncia adicionada a vacinas com o propsito de aumentar sua efi-cincia.Aerbico obrigatrio (estrito): organismo que requer oxignio molecular (O2) para viver.Aerbico: organismo que requer oxignio molecular (O2) para seu crescimento.Aflatoxina: toxina carcinognica produzida por Aspergillus flavus.gar: polissacardeo complexo derivado de uma alga marinha e usado como agente solidificante em meios de cultura.gar nutriente: caldo nutriente contendo gar.Agente ativo de superfcie: qualquer composto que diminui a tenso entre molcu-las dispostas na superfcie de um lquido; tambm chamado de surfactante.Agente descolorante: soluo utilizada no processo de remoo de um corante.Agente trplex: fragmento curto de DNA que se liga a uma rea-alvo da fita dupla de DNA, impedindo a transcrio.Aglutinao: agrupamento ou aglomerao de clulas.Agranulcito: leuccito sem a presena de grnulos visveis no citoplasma; inclui moncitos e linfcitos.Alarmnio: sinal qumico que promove uma resposta celular ao estresse ambiental.lcool: uma molcula orgnica que possui um grupo funcional OH.Aldedo: uma molcula inorgnica que contm o grupo funcional OHCAlrgeno: antgeno que evoca uma resposta de hipersensibilidade.Alergia: veja hipersensibilidade.Alga: eucarioto fotossinttico; pode ser unicelular, filamentoso ou multicelular, po-rm no possui os tecidos encontrados nas plantas.Algina: sal sdico de cido manurnico (C6H8O6); encontrado em algas marrons.Alilamina: agente antifngico que interfere na sntese de esteroides.Amanitina: toxina polipeptdica produzida por Amanita spp.; inibe a RNA-poli-merase.Aminao: adio de um grupo amina.Aminocido: cido orgnico contendo um grupo amina e um grupo carboxlico. Em -aminocidos, os grupos amina e carboxlico esto ligados a um mesmo tomo de carbono, denominado carbono .Aminoglicosdeo: antibitico que consiste em acares aminados e um anel amino-ciclitol; por exemplo, estreptomicina.Amonificao: liberao de amnia de compostos orgnicos contendo nitrognio por ao de micro-organismos.AMP cclico (cAMP): molcula derivada do ATP na qual o grupo fosfato apresenta estrutura cclica; age como mensageiro celular.Amplitude de hospedeiro: espectro de espcies, cepas ou tipos celulares que um patgeno pode infectar.Anabolismo: todas as reaes de sntese em um organismo vivo; construo de mo-lculas orgnicas complexas a partir de outras mais simples.Anaerbico: um organismo que no requer oxignio molecular (O2) para seu cres-cimento.Anaerbico aerotolerante: organismo que no usa o oxignio molecular (O2), mas no afetado por sua presena.Anaerbico facultativo: organismo que pode crescer na presena ou na ausncia de oxignio molcula (O2).Anaerbico obrigatrio (estrito): organismo que no usa oxignio molecular (O2) e no sobrevive na presena de O2.Anafilaxia: uma reao de hipersensibilidade envolvendo anticorpos IgE, mastci-tos e basfilos.Anafilaxia localizada: reao de hipersensibilidade imediata restrita a uma rea li-mitada da pele ou membrana mucosa; por exemplo, febre do feno, uma erupo da pele, ou asma; veja tambm anafilaxia.Anafilaxia sistmica: reao de hipersensibilidade que causa vasodilatao e resulta em choque; tambm chamada de choque anafiltico.Anlise de Perigos e Pontos Crticos de Controle (APPCC): sistema de preveno de perigos para a segurana de alimentos.Anlogo de nucleotdeo: composto qumico que estruturalmente similar aos nu-cleosdeos normais dos cidos nucleicos, mas que apresenta propriedades de parea-mento de bases alteradas.Anamorfos: fungos ascomicetos que perderam a habilidade de se reproduzir sexua-damente; estgio assexuado de um fungo.Anel -lactmico: estrutura central da penicilina.Anfitrqueo: apresenta flagelos nas duas extremidades da clula.ngstron (): unidade de medida igual a 1010 m, ou 0,1 nm.Animal sentinela: organismo no qual mudanas podem ser medidas com o objetivo de se avaliar a extenso de uma contaminao ambiental e sua implicao para a sade humana.Animalia: reino composto de eucariotos multicelulares que no contm parede ce-lular.nion: on de carga negativa.nion perxido: nion de oxignio consistindo de dois tomos de oxignio (O22).Anoxignico: que no produz oxignio molecular; tpico de fotofosforilao c-clica.Antagonismo: oposio ativa; (1) quando duas drogas so menos eficientes que qualquer uma delas individualmente, (2) competio entre micrbios.Antibiograma: teste de suscetibilidade de uma bactria a antibiticos.Antibitico: agente antimicrobiano, normalmente produzido por uma bactria ou um fungo.Antibitico de amplo espectro: antibitico eficiente contra uma ampla variedade de bactrias gram-positivas e gram-negativas.Anticdon: sequncia de trs nucleotdeos pela qual um tRNA reconhece um cdon no mRNA.Anticorpo: protena produzida pelo organismo em resposta a um antgeno; e capaz de se ligar especificamente quele antgeno.Anticorpo humanizado: anticorpos monoclonais que so protenas parcial ou to-talmente humanas.Anticorpo monoclonal (Mab): anticorpo especfico, produzido in vitro, por um clone de clulas B hibridado com clulas cancerosas.Anticorpo monoclonal conjugado: veja imunotoxina.Anticorpo monoclonal quimrico: anticorpo geneticamente alterado constitudo de regies constantes humanas e regies variveis murinas.Antgeno: qualquer substncia capaz de induzir a gerao de anticorpos; tambm chamado de imungeno.Antgeno de histocompatibilidade: antgeno na superfcie de clulas humanas.Antgeno de transplante tumor-especfico (TSTA): antgeno viral na superfcie de uma clula transformada.Antgeno O: antgeno polissacardico presente na membrana externa de bactrias gram-negativas e identificado por testes sorolgicos.Antgeno T-dependente: antgeno que estimula a produo de anticorpos apenas com a assistncia de clulas T auxiliares; veja tambm antgeno T-independente.Tortora_Glossrio.indd 857Tortora_Glossrio.indd 857 27/06/11 14:5227/06/11 14:52858 GlossrioGlossrioAntgeno T-independente: antgeno que estimula a produo de anticorpos sem a assistncia de clulas T auxiliares; veja tambm antgeno T-dependente.Antgeno T: antgeno no ncleo de uma clula tumoral.Antgenos H: antgenos flagelares de bactrias entricas, identificados por testes sorolgicos.Antimetablito: inibidor competitivo.Antissepsia: mtodo qumico de desinfeco da pele ou da membrana mucosa; o agente qumico chamado de antissptico.Antissoro: fluido derivado do sangue e que contm anticorpos.Antitoxina: anticorpo especfico produzido pelo organismo em resposta a uma exo-toxina bacteriana ou seu toxoide.Apoenzima: poro proteica de uma enzima que requer ativao por uma coenzi-ma.Apoptose: morte natural programada de uma clula; os fragmentos residuais so eliminados pelos fagcitos.Apressrio: base ramificada do talo de algas.Aquecimento global: reteno de calor solar por gases na atmosfera.Arbsculo: miclio fngico presente nas razes de plantas.Archaea: domnio cujas clulas procariticas no possuem peptideoglicanos; um dos trs domnios.Arranjo 9 + 2: arranjo dos microtbulos em flagelos e clios; 9 pares de microtbu-los mais 2 microtbulos.Artrocondio: esporo fngico assexuado formado pela fragmentao de hifas sep-tadas.Asco: estrutura em forma de saco contendo ascsporos, encontrada nos ascomice-tos.Ascsporo: esporo fngico sexuado produzido em um asco formado por um asco-miceto.Assepsia: ausncia de contaminao por organismos indesejveis.tomo: a menor unidade de matria a entrar em uma reao qumica.Atrquia: bactria que no possui flagelos.Autoclave: equipamento para esterilizao por vapor sob presso, normalmente operado a 15 psi e 121oC.Autotrfico: organismo que utiliza o dixido de carbono (CO2) como sua principal fonte de carbono. Quimioautotrfico, fotoautotrfico.Auxotrfico: micro-organismo mutante que apresenta requerimentos nutricionais ausentes nos progenitores.Azis: agentes antifngicos que interferem na sntese de esterol.Bacilo: (1) qualquer bactria em forma de bastonete; (2) quando relacionado ao gnero bacteriano (Bacillus) se refere bactria em forma de bastonete, formadora de endosporo, anaerbica facultativa e gram-positiva.Bacteremia: condio na qual bactrias so encontradas no sangue.Bacteria: domnio de organismos procariotos, caracterizados por apresentarem pa-redes celulares contendo peptideoglicanos.Bactria gram-negativa: bactria que perde a cor do cristal violeta aps descolora-o por lcool; ela se cora de vermelho aps tratamento com safranina.Bactria gram-positiva: bactria que retm a cor do cristal violeta aps descolora-o por lcool; ela se cora de prpura-escuro.Bactrias prpuras no sulfurosas: Alfaproteobactrias; fototrficas e anaerbicas estritas; crescem em extrato de levedura no escuro; utilizam compostos sulfricos reduzidos como doadores de eltrons para fixao do CO2.Bactrias verdes no sulfurosas: bactrias gram-negativas no pertencentes ao filo Proteobacteria; anaerbicas estritas e fototrficas; utilizam compostos orgnicos como doadores de eltrons para a fixao de CO2.Bactericida: substncia capaz de matar bactrias.Bacteriocinas: peptdeo antimicrobiano produzido por uma bactria e capaz de ma-tar outra bactria.Bacterioclorofila: pigmento fotossinttico que transfere eltrons para a fotofosfori-lao, encontrado em bactrias anaerbicas fotossintticas.Bacterifago (fago): vrus que infecta clulas bacterianas.Bacteriologia: estudo cientfico dos procariotos, incluindo bactrias e arquibactrias.Bacteriostase: tratamento capaz de inibir o crescimento bacteriano.Barreira hematoenceflica: membranas celulares que permitem a passagem de cer-tas substncias do sangue para o crebro enquanto bloqueiam a passagem de outras.Base: substncia que se dissocia em um ou mais ons hidrxido (OH) e um ou mais ons positivos.Basdio: pednculo que produz basidisporos; encontrado em basidiomicetos.Basidisporo: esporo fngico sexuado produzido em um basdio, caracterstico de basidiomicetos.Basfilo: granulcito (leuccito) que absorve rapidamente corantes bsicos e no fagoctico; apresenta receptores para a poro Fc de IgE.Beta-oxidao: remoo de duas unidades de carbono de um cido graxo formando acetil-CoA.Biblioteca genmica: coleo de fragmentos de DNA clonados, criada pela insero de fragmentos de restrio em uma bactria, levedura ou fago.Bifosfato de adenosina (ADP): substncia formada quando o ATP hidrolisado e energia liberada.Bioaumento: uso de micrbios adaptados poluio ou geneticamente modificados para fins de biorremediao.Biocida: substncia capaz de matar micro-organismos.Bioconverso: mudanas em materiais orgnicos causadas pelo crescimento de micro-organismos.Biodisco rotativo: mtodo de tratamento secundrio de esgoto no qual grandes dis-cos so girados enquanto parcialmente submersos em um tanque, expondo o esgoto a micro-organismos e condies aerbicas.Bioestimuladores: nutrientes, como os nitratos e os fosfatos, que promovem o cres-cimento microbiano.Biofilme: comunidade microbiana que normalmente forma uma camada limosa em uma superfcie.Biognese: teoria na qual clulas vivas se originam apenas de clulas preexistentes.Bioinformtica: cincia que determina a funo de genes por anlises assistidas por computador.Biologia molecular: cincia que lida com o DNA e a sntese proteica em organismos vivos.Bioluminescncia: emisso de luz pela cadeia transportadora de eltrons; requer a enzima luciferase.Biomassa: matria orgnica produzida por um organismo e medida pelo seu peso.Biorreator: recipiente para fermentao no qual as condies ambientais so con-troladas, como temperatura e pH.Biorremediao: uso de micrbios para remover um poluente ambiental.Biossinttico: veja anabolismo.Biotecnologia: aplicao industrial de micro-organismos, clulas ou componentes celulares para gerar um produto til.Biotipo: veja biovar.Biovar: subgrupo de um sorovar cuja determinao tem como base propriedades bioqumicas ou fisiolgicas; tambm chamado de bitipo.Blastocondio: esporo fngico assexuado produzido pelo brotamento a partir de uma clula parental.Bolhas: vesculas grandes e cheias de soro que se formam na pele.Brotamento: (1) reproduo assexuada que inicia com a formao de uma protu-berncia na superfcie de uma clula parental e que cresce, se tornando uma clula--filha; (2) liberao de um vrus envelopado atravs da membrana citoplasmtica de uma clula animal.Bubo: linfonodo aumentado em virtude de uma inflamao.Bursa de Fabrcio: rgo das galinhas que responsvel pela maturao do sistema imune.Cadeia transportadora de eltrons, sistema transportador de eltrons: srie de compostos que transportam eltrons de um composto para outro, gerando ATP por fosforilao oxidativa.Caldo nutriente: meio complexo feito de extrato de carne e peptona.Camada eletrnica: regio de um tomo onde eltrons orbitam ao redor do ncleo; corresponde ao nvel de energia.Camada limosa: glicoclice desorganizado e frouxamente ligado parede celular.Cmara hiperbrica: aparato que mantm materiais em presses superiores a uma atmosfera.Cancro: ndulo de aspecto slido cujo centro se ulcera.Capnfilo: micro-organismo que cresce melhor em concentraes de CO2 relati-vamente altas.Capsdeo: invlucro proteico de um vrus que circunda seu cido nucleico.Capsmero: subunidade proteica de um capsdeo viral.Cpsula: cobertura externa e viscosa de algumas bactrias, composta de polissaca-rdeos e polipeptdeos.Carbapenemos: antibiticos que contm um antibitico -lactmico e cilastatina.Carboidrato: composto orgnico constitudo de carbono, hidrognio e oxignio, com hidrognio e oxignio presentes na proporo 2:1; carboidratos incluem amido, acares e celulose.Carboxissomo: incluso procaritica que contm ribulose-1,5-difosfato-carboxilase.Carcinognico: qualquer substncia capaz de causar cncer.Cariogamia: fuso dos ncleos de duas clulas; ocorre no estgio sexuado do ciclo vital de fungos.Carreadores: organismos (normalmente se refere a seres humanos) que abrigam patgenos e os transmitem a outros.Tortora_Glossrio.indd 858Tortora_Glossrio.indd 858 27/06/11 14:5227/06/11 14:52Glossrio 859GlossrioCasena: protena do leite.Catabolismo: todas as reaes de decomposio em um organismo vivo; quebra de compostos orgnicos complexos em molculas mais simples.Catalase: enzima que quebra o perxido de hidrognio: 2H2O22 H2O + O2.Catalista: substncia que aumenta a velocidade de uma reao qumica permane-cendo inalterada durante o processo.Ction: on positivamente carregado.CD (de cluster of determination): nmero atribudo a um eptopo de um nico antgeno, como a protena CD4, encontrada na superfcie de clulas T auxiliares.cDNA (DNA complementar): DNA sintetizado in vitro a partir de um molde de mRNA.Clula apresentadora de antgeno (APC): macrfago, clula dendrtica ou clula B que engolfa um antgeno e apresenta fragmentos dele para clulas T.Clula assassina natural (natural killer NK): clula linfoide que destri clulas tumorais e clulas infectadas por vrus.Clula B: tipo de linfcito; se diferencia em plasmcitos, produtores de anticorpos, e em clulas de memria.Clula dendrtica: tipo de clula apresentadora caracterizada por conter longas pro-jees em forma de dedos; encontrada em tecidos linfticos e na pele.Clula diploide: clula que possui dois grupos de cromossomos; diploide o estado normal de clulas eucariticas.Clula doadora: clula que doa DNA a uma clula recipiente durante a recombi-nao gnica.Clula haploide: clula eucaritica ou organismo que contm um de cada tipo de cromossomo.Clula Hfr: clula bacteriana na qual o fator F se tornou integrado ao cromossomo; Hfr significa alta frequncia de recombinao (de high frequency of recombination).Clula M (M de microfold): clula intestinal que absorve e transfere antgenos para os linfcitos.Clula recipiente: clula que recebe DNA de uma clula doadora durante a recom-binao gentica.Clula T: tipo de linfcito que se desenvolve a partir de uma clula-tronco proces-sada no timo e que responsvel pela imunidade mediada por clulas; veja tambm clulas T citotxicas, clulas T auxiliares, clulas T reguladoras.Clula T auxiliar (TH): clula T especializada que frequentemente interage com um antgeno antes que clulas B interajam com ele.Clula-alvo: clula infectada qual clulas defensivas do sistema imune se ligam.Clula-tronco: clula indiferenciada que origina uma variedade de clulas especia-lizadas.Clula-tronco embrionria: clula de um embrio que tem o potencial de se dife-renciar em uma variedade de tipos celulares especializados.Clulas de memria: clulas B ou T de vida longa responsveis pela resposta de memria ou secundria.Clulas T citotxicas (TC): clulas T especializadas que destroem clulas infectadas apresentando antgenos.Clulas T reguladoras (Treg): linfcitos que surgem para suprimir outras clulas T.Clulas-chave: clulas vaginais descamadas recobertas por Gardnerella vaginallis.Centrolo: estrutura composta por nove trincas de microtbulos, encontrada em clulas eucariticas.Centros de Controle e Preveno de Doenas (Centers for Disease Control and Prevention CDC): ramo do Servio de Sade Pblica dos Estados Unidos que funciona como fonte central de informaes em epidemiologia.Centrossomo: regio de uma clula eucariticas que consiste em uma rea peri-centriolar (fibras proteicas) e um par de centrolos; envolvido na formao do fuso mittico.Cepa: clulas geneticamente diferentes dentro de um clone; veja sorovar.Cercria: larva livre-natante de trematodos.Cerveja: bebida alcolica gerada pela fermentao de cevada.Cetoldeo: antibitico macroldico semissinttico; eficiente contra bactrias resis-tentes aos macroldeos.Chave dicotmica: esquema de identificao com base em perguntas pareadas su-cessivas; a resposta a uma questo leva a outro par de questes at a identificao do organismo.Chip de DNA: plataforma slica que contm sondas de DNA; utilizado para reco-nhecer DNA em amostras sendo testadas.Choque: qualquer queda na presso sangunea que coloque a vida em risco; veja tambm choque sptico.Choque endotxico (choque endotoxmico): veja sepse gram-negativa.Choque sptico: queda sbita da presso sangunea induzida pela presena de to-xinas bacterianas.Cianobactria: procariotos autotrficos produtores de oxignio.Ciclo biogeoqumico: reciclagem de elementos qumicos por micro-organismos para uso posterior por outros organismos.Ciclo de Calvin-Benson: fixao de CO2 em compostos orgnicos reduzidos; usado pelos auttrofos.Ciclo de Krebs: via que converte um composto de dois carbonos em CO2 com a transferncia de eltrons para molculas de NAD+ ou outros carreadores; tambm chamado de ciclo do cido tricarboxlico ou ciclo do cido ctrico.Ciclo do carbono: srie de processos naturais que convertem o CO2 em compostos orgnicos e estes novamente em CO2.Ciclo do enxofre: os vrios estgios de oxidao e reduo do enxofre no meio am-biente; principalmente por ao de micro-organismos.Ciclo do fsforo: os vrios estgios de solubilidade do fsforo no meio ambiente.Ciclo do nitrognio: srie de processos, na natureza, que converte nitrognio (N2) em substncias orgnicas e de volta a nitrognio.Ciclo lisognico: estgios do desenvolvimento viral que resultam na incorporao do DNA viral ao DNA do hospedeiro.Ciclo ltico: mecanismo de multiplicao bacteriofgica que resulta na lise da clula hospedeira.Clio: projeo celular relativamente curta de algumas clulas eucariticas, compos-tas por nove pares mais dois microtbulos; veja flagelo.Cinase: (1) enzima que remove um de um ATP e o liga a outra molcula. (2) Enzima bacteriana que quebra a fibrina (cogulos sanguneos).Cinina: substncia liberada por clulas teciduais e que causa vasodilatao.Cirurgia assptica: tcnicas usadas em cirurgias para prevenir a contaminao mi-crobiana do paciente.Cis: tomos de hidrognio localizados no mesmo lado em uma ligao dupla de cidos graxos; veja trans.Cisterna: estrutura sacular achatada e membranosa presente no retculo endoplas-mtico e no complexo de Golgi.Cisticerco: cisto contendo larva da tnia ou solitria.Cisto: saco de parede distinta contendo fluido ou outro material; cpsula protetora de alguns protozorios.Citocina: pequena protena, liberada por clulas humanas, que regula a resposta imune; de forma direta ou indireta, pode induzir febre, dor ou proliferao de c-lulas T.Citocromo: protena que funciona como um carreador de eltrons durante a respi-rao celular fotossntese.Citocromo c-oxidase: enzima que oxida o citocromo c.Citoesqueleto: microfilamentos, filamentos intermedirios e microtbulos que pro-vm suporte e movimento para o citoplasma eucaritico.Citlise: destruio celular, resultante do dano membrana citoplasmtica, que cau-sa o extravasamento do contedo intracelular.Citometria de fluxo: mtodo de contagem de clulas usando um citmetro de fluxo, capaz de detectar clulas pela presena de partculas fluorescentes em sua superfcie.Citoplasma: em uma clula procaritica, corresponde a todo contedo dentro da membrana citoplasmtica; em uma clula eucaritica, corresponde a todo contedo dentro da membrana citoplasmtica e externo ao ncleo.Citosol: parte fluida do citoplasma.Citstomo: abertura em forma de boca de alguns protozorios.Citotoxicidade celular dependente de anticorpos (ADCC): destruio de clulas opsonizadas por anticorpos por ao de clulas natural killer ou leuccitos.Citotoxina: toxina bacteriana que mata clulas hospedeiras ou altera sua funo.Clado: grupo de organismos que compartilham um determinado ancestral comum; ramo de um cladograma.Cladograma: rvore filogentica dicotmica que se ramifica repetidamente suge-rindo a classificao de organismos com base em uma sequncia temporal na qual os ramos evolutivos surgiram.Clamidocondio: esporo fngico sexuado formado dentro de uma hifa.Classe: grupo taxonmico localizado entre filo e ordem.Clone: populao de clulas oriundas de uma nica clula parental.Clorofila a: pigmento fotossinttico que transfere eltrons para a fotofosforilao; encontrada em plantas, algas e cianobactrias.Cloroplasto: organela que realiza a fotossntese em eucariotos fotoautotrficos.Clorossomo: dobramentos da membrana citoplasmtica de bactrias verdes sulfu-rosas que contm bacterioclorofila.Coagulase: enzima bacteriana que induz a coagulao do plasma sanguneo.Coalhada: parte slida do leite que se separa da parte lquida (soro) durante, por exemplo, a produo de queijo.Cocobacilos: bactrias em formato de bacilo ovalado.Cocos: bactrias de formato esfrico ou ovalado.Cdigo gentico: os cdons nos mRNAs e os aminocidos que eles codificam.Tortora_Glossrio.indd 859Tortora_Glossrio.indd 859 27/06/11 14:5227/06/11 14:52860 GlossrioGlossrioCdon: sequncia de trs nucleotdeos em um mRNA que especifica a insero de um aminocido em um polipeptdeo.Cdon ativo: cdon que codifica para um aminocido.Cdon sem sentido: cdon que no codifica aminocidos.Coenzima: substncia no constituda por uma protena e que se associa a uma enzima, ativando-a.Coenzima A (CoA): coenzima que funciona durante a descarboxilao.Coenzima Q: veja ubiquinona.Cofator: (1) substncia no proteica componente de uma enzima; (2) um micro--organismo ou molcula que age em conjunto com outras, intensificando sinergisti-camente ou causando uma doena.Colagenase: enzima que hidrolisa o colgeno.Coliformes: bactrias aerbicas ou anaerbicas facultativas, gram-negativas, inca-pazes de formar endosporos, em formato de bacilo e que fermentam a lactose com produo de cido e gs em 48 horas a 35oC.Colnia: massa visvel de clulas microbianas que se formam a partir de uma nica clula ou um grupo de clulas do mesmo micrbio.Colorao: processo de se corar uma amostra com um corante para visualiz-la ao microscpio ou para se visualizar estruturas especficas.Colorao cido-resistente: colorao diferencial usada para identificar bactrias que no so descoloridas por cido-lcool.Colorao de Gram: colorao diferencial que classifica as bactrias em dois gru-pos, gram-positivas e gram-negativas.Colorao diferencial: mtodo de colorao que distingue objetos de acordo com reaes com o procedimento de colorao.Colorao negativa: procedimento que resulta em uma bactria incolor contrapos-ta a um fundo corado.Colorao simples: mtodo de colorao de micro-organismos com um nico co-rante simples.Comensalismo: relao simbitica na qual dois organismos convivem em associa-o e um beneficiado enquanto o outro no apresenta prejuzo ou benefcio.Competncia: estado fisiolgico no qual uma clula receptora pode absorver e in-corporar pores grandes de DNA doador.Complemento: grupo de protenas sricas envolvidas na fagocitose e na lise de bac-trias.Complexo antgeno-anticorpo: combinao de um antgeno com um anticorpo es-pecfico ao primeiro; base da proteo imune e de muitos testes diagnsticos.Complexo de ataque membrana (MAC): protenas C5-C9 do complemento que, juntamente, causam leses na membrana citoplasmtica e levam morte celular.Complexo de Golgi: organela envolvida na secreo de certas protenas.Complexo do antgeno leucocitrio humano (human leukocyte antigen HLA): antgeno da superfcie celular humana. Veja tambm complexo principal de histo-compatibilidade.Complexo enzima-susbtrato: unio temporria entre uma enzima e seu substrato.Complexo principal de histocompatibilidade (major histocompatibility complex MHC): genes que codificam antgenos de histocompatibilidade; tambm conheci-do como complexo do antgeno leucocitrio humano (HLA).Composio de bases do DNA: percentual molar de guaninas e citosinas no DNA de um organismo.Compostagem: mtodo de tratamento de lixo slido, normalmente material de ori-gem vegetal, por sua decomposio por micrbios.Composto: substncia composta por dois ou mais elementos qumicos diferentes.Composto de amnio quaternrio (quat): detergente catinico que possui quatro gru-pos orgnicos conectados a um tomo de nitrognio central; usado como desinfetante.Composto inorgnico: pequena molcula que no contm carbono ou hidrognio.Composto orgnico: molcula que contm carbono e hidrognio.Concentrao bactericida mnima (CBM): a menor concentrao de um agente quimioterpico capaz de matar um micro-organismo-teste.Concentrao inibitria mnima (CIM): a menor concentrao de um agente qui-mioterpico capaz de inibir o crescimento de um micro-organismo-teste.Condensador: sistema de lentes localizado abaixo da platina e que direciona os raios de luz atravs do espcime.Configurao eletrnica: arranjo de eltrons em camadas ou nveis de energia em um tomo.Congelamento profundo: preservao de culturas bacterianas em temperaturas de 50 a 90oC.Congelamento-dessecao: veja liofilizao.Congnito: referente a uma condio existente ao nascimento, podendo ser herdada ou adquirida no tero.Condio: esporo assexuado produzido em cadeia a partir do conidiforo.Conidiforo: hifa area que contm os conidisporos.Conidisporo: veja condio.Conjugao: transferncia de material gentico de uma clula para outra pelo con-tato entre elas.Contagem de placa: mtodo de determinao do nmero de clulas bacterianas em uma amostra pela contagem do nmero de unidades formadoras de colnia em um meio de cultura slido.Contagem diferencial de glbulos brancos: nmero de cada tipo de leuccito em uma amostra contendo 100 leuccitos.Contagem microscpica direta: enumerao de clulas pela observao em um microscpio.Contracolorao: um segundo corante aplicado a um esfregao e que permite con-traste ao primeiro corante.Converso fgica: mudana gentica na clula hospedeira que resulta da infeco por um bacterifago.Converso lisognica: aquisio de novas propriedades por uma clula hospedeira infectada por um bacterifago.Corante acdico: um sal no qual a pigmentao est no on negativo; usado para colorao negativa.Corante bsico: sal no qual a cor gerada pelo on positivo; usado para a colorao bacteriana.Corpsculo de incluso: grnulo ou partcula viral no citoplasma ou ncleo de al-gumas clulas infectadas; importante na identificao de vrus que causam infeco.Corpsculo elementar: forma infecciosa da clamdia.Corpsculo reticulado: estgio de crescimento intracelular de clamdias.Corrente citoplasmtica (ciclose): movimento do citoplasma em uma clula eu-caritica.Correpressor: molcula que se liga a um repressor proteico permitindo que este se ligue a um operador.Crtex: cobertura fngica protetora de um lquen.Crise: fase febril caracterizada por vasodilatao e sudorese.Crista: dobramento da membrana interna de uma mitocndria.Cromatina: filamento de DNA no condensado presente em uma clula eucaritica interfsica.Cromatforo: invaginao da membrana plasmtica de bactrias fotoautotrficas onde a bacterioclorofila se localiza; tambm conhecido como tilacoide.Cromossomo: estrutura que carrega a informao hereditria; cromossomos con-tm genes.Crossing over (entrecruzamento)*: processo pelo qual uma poro de um cromos-somo trocada por uma poro de outro cromossomo.CTL (linfcito T citotxico): clula TC ativada; elimina clulas que apresentam an-tgenos endgenos.Cultura: micro-organismo que cresce e se multiplica em um recipiente contendo meio de cultura.Cultura celular: clulas eucariticas cultivadas em meio de cultura; tambm cha-mada de cultura de tecidos.Curva de crescimento bacteriano: grfico que indica o crescimento de uma popu-lao bacteriana em funo do tempo.Cutcula: cobertura externa dos helmintos.D-ismero: arranjo de quatro diferentes tomos ou grupos ao redor de um tomo de carbono; veja L-ismero.Debridamento: remoo cirrgica de tecido necrtico.Defensinas: pequenos peptdeos antibiticos produzidos por clulas humanas.Degenerao: redundncia do cdigo gentico; significa que a maioria dos amino-cidos codificada por diversos cdons.Degerminao: remoo de micro-organismos em uma rea.Degradao anaerbica termoflica: degradao de alimentos acondicionados em embalagens devido ao crescimento de bactrias termoflicas.Degranulao: liberao do contedo de grnulos secretores de mastcitos ou ba-sfilos durante a anafilaxia.Demanda bioqumica de oxignio (DBO): medida da quantidade de matria org-nica biodegradvel na gua.Dermatfito: fungo que causa micose cutnea.Dermatomicose: infeco fngica da pele, tambm chamada de tnea.Derme: poro interna da pele.Desaminao: remoo de um grupo amino de um aminocido para formar am-nia; veja tambm amonificao.Descarboxilao: remoo de um CO2 de um aminocido.* N. de T. Embora o termo entrecruzamento exista, a palavra inglesa crossing over consensual-mente utilizada sem traduo pela literatura tcnico-cientfica na lngua portuguesa.Tortora_Glossrio.indd 860Tortora_Glossrio.indd 860 27/06/11 14:5227/06/11 14:52Glossrio 861GlossrioDesidrogenao: perda de tomos de hidrognio em um substrato.Desinfeco: qualquer tratamento usado em um objeto inanimado para matar ou inibir o crescimento de micro-organismos; a substncia qumica utilizado chama-da de desinfetante.Desnaturao: mudana na estrutura molecular de uma protena, normalmente deixando-a sem funo.Desnitrificao: reduo do nitrognio em nitrato para nitrito ou para gs nitro-gnio.Desnudamento: separao do cido nucleico viral de seu invlucro proteico.Desoxirribose: acar de cinco carbonos contido em molculas de DNA.Dessecao: remoo de gua.Dessensibilizao: preveno da resposta inflamatria alrgica.Deteriorao por acidez plana: deteriorao termoflica de produtos enlatados no acompanhada de produo de gs.Determinante antignico: regio especfica na superfcie de um antgeno contra a qual anticorpos so formados; tambm chamado de eptopo.Determinantes R: grupo de genes que codificam para resistncia a antibiticos car-reados em fatores R.DI50: nmero de micro-organismos necessrios para produzir uma infeco de-monstrvel em 50% da populao experimental de hospedeiros.Diapedese: processo pelo qual leuccitos se movem para fora dos vasos sanguneos.Difuso: movimento global de molculas ou ons de uma rea de maior concentra-o para uma rea de menor concentrao.Difuso facilitada: movimento de uma substncia de uma rea de maior concen-trao para uma rea de menor concentrao, atravs da membrana citoplasmtica, mediado por protenas transportadoras.Digestor de lodo anaerbico: digesto anaerbica usada em tratamentos secund-rios de esgoto.Diluio seriada: processo de diluio sucessiva de uma amostra.Dimorfismo sexual: aparncia distinta entre organismos adultos machos e fmeas.Dimorfismo: propriedade de apresentar duas formas de crescimento; veja tambm dimorfismo sexual.Diocio: referente a organismos nos quais rgos dos diferentes sexos esto locali-zados em indivduos diferentes.Diplobacilos: bastonetes que se dividem e permanecem ligados, formando pares.Diplococos: cocos que se dividem e permanecem ligados, formando pares.Disenteria: doena caracterizada por diarreia aquosa e frequente, contendo sangue e muco.Dissacardeo: acar composto por dois acares mais simples ou monossacardeos.Dissimilao: processo metablico no qual nutrientes no so assimilados, mas ex-cretados como amnia, sulfeto de hidrognio, etc.Dissociao: separao de um composto em ons positivos e negativos em uma so-luo.DL50: dose letal para 50% dos hospedeiros experimentalmente inoculados dentro de um determinado perodo.DNA antissenso: sequncia de DNA complementar ao DNA codificador de uma protena; o transcrito mRNA antissenso se pareia com o mRNA codificador da pro-tena e inibe a sntese proteica.DNA complementar (cDNA): DNA produzido in vitro a partir de um molde de mRNA.DNA recombinante (rDNA): molcula de DNA produzida pela combinao de DNA proveniente de duas fontes diferentes.DNA-girase: veja topoisomerase.DNA-ligase: enzima que liga covalentemente um tomo de carbono de um nucleo-tdeo ao fosfato de outro nucleotdeo.DNA-polimerase: enzima que sintetiza DNA a partir da cpia de um DNA-molde.Doador de eltrons: on que doa eltrons para outro tomo.Doena: estado anormal no qual parte ou todo o organismo no est propriamente ajustado ou incapaz de exercer suas funes normais; qualquer mudana a partir de uma condio de sade.Doena aguda: uma doena na qual os sintomas se desenvolvem rapidamente, po-rm duram apenas pouco tempo.Doena autoimune: dano aos prprios tecidos por ao do sistema imune.Doena comunicante: qualquer doena que pode se espalhar de um hospedeiro a outro.Doena contagiosa: doena transmitida facilmente de uma pessoa outra.Doena do enxerto contra o hospedeiro (graft-versus-host GVH): condio na qual um tecido transplantado apresenta uma resposta imune contra o tecido reci-piente.Doena endmica: doena constantemente presente em uma determinada popu-lao.Doena epidmica: doena adquirida por muitos hospedeiros em uma determina-da rea e em um curto perodo.Doena espordica: doena que ocorre ocasionalmente em uma populao.Doena infecciosa emergente (DIE): doena nova ou modificada que apresenta aumento de sua incidncia ou aumento potencial de incidncia.Doena infecciosa notificvel: doena que deve ser relatada pelos mdicos ao ser-vio de sade pblica norte-americano*; tambm conhecida como doena relatvel.Doena infecciosa: doena na qual patgenos invadem um hospedeiro suscetvel e passam pelo menos parte de seu ciclo vital dentro deste hospedeiro.Doena latente: doena caracterizada por um perodo de ausncia de sintomas e patgeno inativo.Doena no comunicante: doena que no transmitida de uma pessoa a outra.Doena pandmica: epidemia de ocorrncia mundial.Doena subaguda: doena com sintomas intermedirios entre uma doena aguda e uma doena crnica.Domnio: classificao taxonmica com base em sequncias de rRNA; acima do nvel de Reino.Droga sinttica: agente quimioterpico preparado a partir de substncias qumicas em um laboratrio.Ecologia: estudo das inter-relaes entre organismos e seu ambiente.Edema: acmulo anormal de lquido intersticial em partes do corpo ou tecidos, cau-sando inchao.Efeito citoptico (ECP): efeito visvel em uma clula hospedeira, causado por um vrus, que pode resultar em dano clula ou sua morte.Elemento qumico: substncia fundamental composta de tomos que apresentam o mesmo nmero atmico e se comportam quimicamente da mesma forma.Elemento-trao: elemento qumico necessrio em pequenas quantidades para o crescimento.Eletroforese em gel: separao de substncias (como protenas sricas ou DNA) com base na sua taxa de movimentao atravs de um campo eltrico.Eltron: partcula negativamente carregada que se move ao redor do ncleo de um tomo.Eletroporao: tcnica em que DNA inserido dentro de uma clula usando uma corrente eltrica.Elevador ciliar: clulas mucosas ciliares do trato respiratrio inferior que transpor-tam partculas inaladas para longe dos pulmes.ELISA (enzyme-linked immunosorbent assay ensaio imunoadsorvente ligado enzima): grupo de testes sorolgicos que usam reaes enzimticas como indica-dores.Embolhamento (blebbing)**: gerao de bolhas e ondulaes da membrana plasm-tica durante a morte celular.Enantema: erupes em membranas mucosas; veja tambm exantema.Encefalite: infeco cerebral.Encistamento: formao de um cisto.Endocardite: infeco na camada tecidual que envolve o corao (endocrdio).Endocitose: processo pelo qual material transportado para dentro de uma clula eucaritica.Endoflagelo: veja filamento axial.Endgeno: (1) infeco causada por um patgeno oportunista oriundo da micro-biota do prprio indivduo; (2) antgenos gerados dentro de uma clula e degrada-dos em fragmentos, normalmente de origem viral.Endolito: organismo que vive dentro de rochas.Endosporo: estrutura dormente que se forma dentro de algumas bactrias.Endotoxina: parte da poro externa da parede celular (lipdeo A) da maioria das bactrias gram-negativas; liberada aps destruio da clula.Energia de ativao: energia de coliso mnima necessria para que uma reao qumica ocorra.Energia qumica: energia de uma reao qumica.Engenharia gentica: veja tecnologia do DNA recombinante.Ensaio do lisado de amebcitos do Limulus (LAL): teste para deteco da presena de endotoxinas bacterianas.Ensaio imunoadsorvente ligado enzima: veja ELISA.* N. de T. No Brasil existem situaes semelhantes, onde determinadas infeces so de notifi-cao obrigatria pelos mdicos ou veterinrios, seja junto a autoridades de sade pblica (tais como secretarias estaduais ou ministrio da sade) ou junto a autoridades de controle agrope-curio.** N. de T. A palavra da lngua inglesa blebbing no tem um sinnimo em portugus. A traduo mais adequada seria formao de bolhas, entretanto o neologismo embolhamento tem sido usado em algumas referncias bibliogrficas na lngua portuguesa.Tortora_Glossrio.indd 861Tortora_Glossrio.indd 861 27/06/11 14:5227/06/11 14:52862 GlossrioGlossrioEntrica: nome comum dado a uma bactria pertencente famlia Enterobacteria-ceae.Enterotoxinas: exotoxinas que causam gastrenterites, como aquelas produzidas por Staphylococcus, Vibrio e Escherichia.Envasamento assptico: preservao de alimentos comerciais em que embalagens estreis so preenchidas com alimentos estreis.Envelope: camada externa que envolve o capsdeo de alguns vrus.Envelope nuclear: membrana dupla que separa o ncleo do citoplasma em uma clula eucaritica.Enzima: molcula que catalisa reaes bioqumicas em um organismo vivo, sendo normalmente uma protena; veja tambm ribozima.Enzima constitutiva: enzima que produzida continuamente.Enzima de reparo luminoso: veja fotoliase.Enzima de restrio: enzima que cliva DNA de fita dupla em stios especficos entre nucleotdeos.Eosinfilo: granulcito cujos grnulos absorvem o corante eosina.Epidemiologia: cincia que estuda quando e onde doenas ocorrem e como elas so transmitidas.Epidemiologia analtica: comparao entre um grupo doente e um grupo saudvel para a determinao da causa de uma doena.Epidemiologia descritiva: coleo e anlise de todos os dados relativos ocorrncia de uma doena com o objetivo de determinar a sua causa.Epidemiologia experimental: estudo de uma doena por experimentos controlados.Epiderme: poro mais externa da pele.Epteto especfico: o segundo nome ou nome especfico em uma nomenclatura bi-nomial; veja tambm espcie.Eptopo: veja determinante antignico.Equilbrio: ponto de distribuio igualitria.Esclertio: massa compacta de miclio endurecido do fungo Claviceps purpurea que preenche flores de centeio infectadas; responsvel pela produo da toxina ergot.Esclex: cabea da solitria, contendo ventosas e possivelmente ganchos.Esferoplasto: bactria gram-negativa tratada para que sua parede celular seja dani-ficada, resultando em uma clula esfrica.Esfregao: tnue filme de material contendo micro-organismos espalhados na su-perfcie de uma lmina.Espcie: nvel mais especfico na hierarquia taxonmica; veja tambm espcie bacte-riana, espcie eucaritica, espcie viral.Espcie eucaritica: grupo de organismos estreitamente relacionados que podem se reproduzir.Espcie procaritica: populao de clulas que apresentam certas sequncias de rRNA em comum; em testes bioqumicos convencionais, se refere a uma populao de clulas com caractersticas similares.Espcie viral: grupo de vrus que apresentam a mesma informao gentica e nicho ecolgico.Especificidade: percentual de resultados falso-positivos em um teste diagnstico.Espectro de atividade microbiana: amplitude de tipos de micro-organismos dife-rentes afetados por uma droga antimicrobiana; uma larga amplitude se refere um amplo espectro de atividade.Espcula HA (hemaglutinina): projees antignicas da bicamada lipdica externa do vrus Influenza.Espcula: glicoprotena que se projeta da superfcie de certos vrus.Espcula: uma dentre duas estruturas externas de um verme redondo macho utili-zado para guiar o esperma.Espculas NA (neuraminidase): projees antignicas da bicamada lipdica externa do vrus Influenza.Espiral: veja espirilo ou espiroqueta.Espirilo: (1) bactria helicoidal ou em forma de rosca; (2) quando escrito como gnero (Spirillum), se refere bactria helicoidal, aerbica, que apresenta grupos de flagelos polares.Espiroquetas: bactria em forma de rosca que apresenta filamentos axiais.Esporngio: estrutura sacular que contm um ou mais esporos.Esporangiforo: hifa area que suporta o esporngio.Esporangisporo: esporo fngico assexuado que se forma dentro do esporngio.Esporo: estrutura reprodutiva formada por fungos e actinomicetos. Veja tambm endosporo.Esporo assexuado: clula reprodutiva gerada por mitose e diviso celular (eucario-tos) ou por fisso binria (actinomicetos).Esporo sexual: esporo formado pela reproduo sexuada.Esporognese: veja esporulao.Esporozoto: trofozoto de Plasmodium encontrado em mosquitos; infeccioso para seres humanos.Esporulao: processo de formao de esporos e endosporos; tambm chamada de esporognese.Esqueleto de carbono: cadeia ou anel de tomos de carbono em uma molcula; por exemplo, Esquizogonia: processo de fisso mltipla pelo qual um organismo se divide para produzir muitas clulas-filhas.Estafilococos: cocos agrupados em massas semelhantes a cachos de uva ou folhas amplas.Estgio de anel: trofozoto jovem de Plasmodium que se assemelha a um anel dentro de um eritrcito.Estereoismeros: duas molculas constitudas pelos mesmos tomos, arranjados da mesma maneira, mas diferindo em suas posies relativas; imagens espelhadas, tambm chamadas de D-ismeros e L-ismeros.Estril: livre de micro-organismos.Esterilizao: remoo de todos os micro-organismos, incluindo endosporos.Esterilizao comercial: processo de tratamento de produtos enlatados com o obje-tivo de eliminar endosporos do Clostridium botulinum.Esterilizao por ar quente: esterilizao pelo uso de um forno com aquecimento a 170oC por cerca de duas horas.Esteroide: grupo especfico de lipdeos que inclui colesterol e hormnios.Estreptobacilo: bastonetes que permanecem conectados em cadeia aps sua diviso.Estreptocinase: enzima que dissolve cogulos sanguneos, produzida por estrepto-cocos -hemolticos.Estreptococo: (1) cocos que permanecem conectados em cadeia aps sua diviso; (2) quando escrito como gnero (Streptococcus), se refere a bactrias gram-positivas e catalase-negativas.Estreptolisina: enzima hemoltica produzida por estreptococos.Etambutol: agente antimicrobiano sinttico que interfere na sntese de RNA.Etanol: Etiologia: estudo da causa de uma doena.Eucarioto: clula contendo DNA dentro de um ncleo envolto por membrana distinta.Eukarya: todos os eucariotos (animais, plantas, fungos e protistas); membros do domnio Eukarya.Eutroficao (eutrofizao): adio de matria orgnica e subsequente remoo de oxignio em um corpo de gua.Exantema: erupes na pele; veja tambm enantema.Excluso competitiva: crescimento de determinados micrbios impedindo o cres-cimento de outros.xon: regio do cromossomo eucaritico que codifica uma protena.Exotoxina: toxina proteica liberada por clulas bacterianas vivas, normalmente gram-positivas.Extremfilo: micro-organismo que vive em ambientes de temperatura, acidez, alca-linidade, salinidade ou presso extrema.Extremozimas: enzimas produzidas por extremfilos.FAD (flavina adenina dinucleotdeo): coenzima que funciona na remoo e na transferncia de ons hidrognio (H+) e eltrons a partir de substratos.Fago: veja bacterifago.Fago temperado: fago capaz de causar lisogenia.Fagcito: clula capaz de engolfar e digerir partculas que so perigosas para o or-ganismo.Fagocitose: ingesto de partculas slidas por uma clula eucaritica.Fagolisossomo: vacolo digestivo.Fagossomo: vacolo alimentar de um fagcito; tambm chamado de vescula fa-goctica.Fagotipagem: mtodo de identificao bacteriana que usa cepas especficas de bac-terifagos.Faloidina: toxina peptdica produzida pela Amanita phalloides; afeta a funo da membrana plasmtica.FAME (metil ster de cido graxo): identificao de micrbios pela presena de cidos graxos especficos.Famlia: grupo taxonmico entre ordem e gnero.Fascola: verme pertencente classe Trematoda.Fase de crescimento exponencial: veja fase log.Fase de declnio logartmico: veja fase de morte.CCCHHHHC OHCHTortora_Glossrio.indd 862Tortora_Glossrio.indd 862 27/06/11 14:5227/06/11 14:52Glossrio 863GlossrioFase de morte: perodo de decrscimo logartmico em uma populao bacteriana; tambm chamada de fase de decrscimo logartmico.Fase estacionria: perodo da curva de crescimento bacteriano quando o nmero de clulas em diviso igual ao nmero de clulas morrendo.Fase lag: intervalo de tempo em uma curva de crescimento bacteriano durante a qual no h crescimento.Fase log: perodo de crescimento bacteriano ou aumento exponencial do nmero de clulas; tambm chamada de fase exponencial.Fator de crescimento orgnico: composto orgnico essencial que um organismo incapaz de sintetizar.Fator de necrose tumoral (TNF): polipeptdeo liberado por fagcitos em resposta a endotoxinas bacterianas.Fator de predisposio: qualquer coisa que torne o organismo mais suscetvel a uma doena ou altere o curso da mesma.Fator de resistncia (R): plasmdeo bacteriano que carreia genes determinantes de resistncia a antibiticos.Fator de transferncia de resistncia (FTR): grupo de genes que codificam para replicao e conjugao dos fatores R.Fator estimulador de colnia (CSF): substncia que induz a proliferao ou a dife-renciao de determinadas clulas.Fator F (fator de fertilidade): plasmdeo encontrado na clula doadora durante a conjugao bacteriana.Fator Rh: antgeno de eritrcitos de macacos Rhesus e da maioria dos humanos; sua presena faz com que a clula seja Rh+.Fator V: NAD+ ou NADP+.Fator X: substncias da frao heme de hemoglobinas sanguneas.Febre: temperatura corporal anormalmente alta.Fenol: tambm chamado de cido carblico.Fenlico: derivado sinttico do fenol utilizado como desinfetante.Fentipo: manifestao externa do gentipo ou constituio gentica de um orga-nismo.Fermentao alcolica: processo catablico, iniciado pela gliclise, que produz l-cool etlico para reoxidar NADH.Fermentao ltica: processo catablico que inicia com a gliclise e que produz cido ltico para reoxidar o NADH.Fermentao maloltica: converso do cido mlico em cido ltico pela ao de bactrias lticas.Fermentao: degradao enzimtica de carboidratos na qual o aceptor final de el-trons uma molcula orgnica, ATP sintetizado a partir da fosforilao ao nvel do substrato e O2 no requerido.Fibrinolisina: cinase produzida por estreptococos.Filamento axial: estrutura para mobilidade encontrada em espiroquetas, tambm chamada de endoflagelo.Filo: classificao taxonmica entre reino e classe.Filogenia: histria evolutiva de um grupo de organismos; as relaes filogenticas so relaes evolutivas.Filtrao: passagem de um lquido ou gs atravs de um material seletivo; um filtro com poros de 0,45 m capaz de remover a maioria das bactrias.Filtro biolgico: mtodo de tratamento secundrio de esgoto no qual este asper-gido atravs de braos rotativos em uma superfcie rochosa ou de material similar, expondo o esgoto a condies altamente aerbicas e a micro-organismos.Filtro de ar particulado de alta eficincia (filtro HEPA): material semelhante a uma malha que remove partculas maiores que 0,3 m do ar.Fmbria: apndice de clulas bacterianas utilizado para aderncia.FISH (hibridizao fluorescente in situ, de fluorescent in situ hybridization): utili-zao de sondas de rRNA para identificar micrbios sem a necessidade de cultiv-los.Fisso binria: reproduo de clulas procariticas pela diviso em duas clulas--filhas.Fita antissenso (fita): RNA viral que no pode funcionar como um mRNA.Fita atrasada: fita-filha sintetizada descontinuamente durante a replicao do DNA.Fita senso (fita +): RNA viral que funciona como mRNA.Fita-lder: fita-filha sintetizada continuamente durante a replicao do DNA.Fitoplncton: fotoauttrofos flutuantes.Fixao: (1) no caso de preparao de lminas, consiste no processo de adeso de um espcime lmina; (2) com relao a elementos qumicos, consiste na combina-o de elementos, de modo que um elemento crtico possa entrar na cadeia alimen-tar. Veja tambm ciclo de Calvin-Benson; fixao de nitrognio.Fixao do carbono: sntese de acares pela utilizao do carbono presente em molculas de CO2; veja tambm ciclo de Calvin-Benson.Fixao do complemento: processo pelo qual protenas do complemento se combi-nam com o complexo antgeno-anticorpo.Fixao do nitrognio: converso do nitrognio (N2) em amnia.Flagelo: apndice delgado localizado na superfcie de uma clula; usado para loco-moo celular; composto de flagelina em clulas procariticas; composto de 9 + 2 microtbulos em clulas eucariticas.Flagelo polar: flagelo presente em uma ou ambas as extremidades celulares.Flambagem: processo de esterilizao de uma ala de platina em que esta mantida em uma chama.Flavoprotena: protena que contm a coenzima flavina; funciona como carreadora de eltrons em uma cadeia transportadora de eltrons.Floculao: remoo de material coloidal durante a purificao da gua pela adio de qumicos que causam a coalescncia de partculas coloidais.Fluorescncia: propriedade de uma substncia de gerar luz de uma determinada cor quando exposta luz de outra cor.Flutuao antignica: pequena variao na estrutura antignica do vrus Influenza que ocorre sazonalmente.Fluxo contnuo: processo de fermentao industrial no qual clulas so multiplica-das indefinidamente pela adio contnua de nutrientes e pela remoo de produtos e dejetos.FMN (flavina mononucleotdeo): coenzima que funciona na transferncia de el-trons em uma cadeia transportadora de eltrons.Foliculite: infeco de folculos pilosos; frequentemente se manifesta como espi-nhas.Fmite: objeto inanimado que pode transmitir uma infeco.Foresporo: estrutura que consiste em cromossomo, citoplasma e membrana do en-dosporo, dentro de uma clula bacteriana.Forma L: clulas procariticas que no possuem parede celular; eventualmente po-dem voltar a possuir parede celular.Forquilha de replicao: ponto onde as fitas do DNA se separam e novas fitas so sintetizadas.Fosfolipdeo: lipdeo complexo composto de glicerol, dois cidos graxos e um grupo fosfato.Fosforilao: adio de um grupo fosfato a uma molcula orgnica.Fosforilao ao nvel do substrato: sntese de ATP pela transferncia direta de um grupo fosfato de alta energia de um composto metablico intermedirio para um ADP.Fosforilao oxidativa: sntese de ATP acoplada ao transporte de eltrons.Foto-heterotrfico: organismo que utiliza a luz como fonte de energia e uma fonte de carbono orgnica.Fotoautotrfico: organismo que utiliza a luz como fonte de energia e o dixido de carbono (CO2) como fonte de carbono.Fotofosforilao: produo de ATP em uma srie de reaes redox; eltrons da clo-rofila iniciam as reaes.Fotofosforilao acclica: movimento de um eltron da clorofila para NAD+; foto-fosforilao de plantas e cianobactrias.Fotofosforilao cclica: movimento de um eltron da clorofila atravs de uma srie de aceptores de eltrons e de volta clorofila; anoxignica; fotofosforilao de bac-trias prpuras e verdes.Fotoliase: enzima que quebra dmeros de timina na presena de luz visvel.Fotossntese: converso da energia da luz solar em energia qumica; sntese de car-boidratos a partir de dixido de carbono (CO2) dependente de luz.Fototaxia: movimento em resposta presena de luz.Fototrfico: organismo que utiliza a luz como fonte primria de energia.Fulminante: uma condio que se desenvolve e se agrava rapidamente.Fungo: organismo que pertence ao Reino Fungi; eucarioto quimio-heterotrfico absortivo.Furnculo: infeco de um folculo piloso.Fuso de protoplastos: mtodo de fuso de duas clulas primeiramente pela remo-o de sua parede celular; usada em engenharia gentica.Fuso: fuso da membrana plasmtica de duas clulas diferentes resultando na for-mao de uma clula contendo citoplasma de ambas as clulas originais.Gamaglobulina*: frao srica contendo imunoglobulinas (anticorpos); tambm chamada de globulina srica imune.* N. de T. O termo composto gama globulina tambm encontrado, com mesmo significado, na lngua portuguesa.OHTortora_Glossrio.indd 863Tortora_Glossrio.indd 863 27/06/11 14:5227/06/11 14:52864 GlossrioGlossrioGameta: clula reprodutiva de um macho ou uma fmea.Gametcito: clula de protozorio com caractersticas de macho ou fmea.Gastrenterite: inflamao do estmago e do intestino.Gene estrutural: gene que determina a sequncia de aminocidos de uma protena.Gene: segmento de DNA (uma sequncia de nucleotdeos no DNA) que codifica um produto funcional.Gnero: primeiro nome da nomenclatura cientfica (binomial); txon entre famlia e espcie.Gentica: cincia da hereditariedade e da funo de genes.Gentica reversa: anlise gentica que inicia com um fragmento de DNA e prosse-gue com a determinao de sua funo.Genoma: uma cpia completa da informao gentica de uma clula.Genmica: estudo dos genes e de suas funes.Gentipo: organizao gentica de um organismo.Gerao espontnea: a ideia de que a vida poderia surgir espontaneamente de ma-terial inerte.Germicida: veja biocida.Germinao: processo de iniciao do crescimento a partir de um esporo ou en-dosporo.Glicoclice: polmero gelatinoso que circunda uma clula.Gliclise: via principal para a oxidao da glicose a cido pirvico; tambm chama-da de via de Embden-Meyerhof.Globulina srica imune: veja gamaglobulina.Globulina: classe de protenas globulares que inclui os anticorpos. Veja tambm imunoglobulinas.Goma: massa tecidual com aspecto emborrachado caracterstico de sfilis terciria.Grnulo de enxofre: veja incluso.Grnulo metacromtico: grnulo que armazena fosfato inorgnico e se cora de ver-melho ps o uso de certos corantes azuis; caracterstico de Corynebacterium diphthe-riae; coletivamente conhecido como volutina.Granulcito: leuccito que apresenta grnulos no citoplasma; inclui neutrfilos, basfilos e eosinfilos.Granzimas: proteases que induzem a apoptose.Grupo acetil: Grupo amina: NH2.Grupo carboxlico: Grupo fosfato: poro de uma molcula de cido fosfrico ligada a alguma outra molcula, . Grupo funcional: arranjo de tomos em uma molcula orgnica, o qual respons-vel pela maioria das propriedades qumicas da molcula.Grupo sulfidril SH.Halfilo facultativo: organismo capaz de crescer em meios contendo 1 a 2% de sal, embora este no seja um requisito para seu crescimento.Halfilo obrigatrio (estrito): organismo que requer altas presses osmticas, como aquelas de altas concentraes de NaCl.Halfilo: organismo que requer uma alta concentrao de sal para seu crescimento.Halgeno: um dos seguintes elementos: fluorina, clorina, bromina, iodina ou astatina.Hapteno: substncia de baixo peso molecular que no induz a formao de anticor-pos por si s, mas o faz quando combinada a uma molcula carreadora.Helmintos: vermes parasticos semelhantes a lombrigas e planrias.Hemaglutinao viral: habilidade de determinados vrus de causar a formao de grumos de eritrcitos in vitro.Hemaglutinao: agregao de eritrcitos.Hemoflagelado: flagelado parastico encontrado no sistema circulatrio do hospedeiro.Hemolisina: enzima que lisa eritrcitos.Hermafrodita: que apresenta ambas as capacidades reprodutivas, masculina e fe-minina.Heterocisto: clula grande presente em certas cianobactrias; stio de fixao do nitrognio.Heteroltico: descrio de um organismo que produz cido ltico e outros cidos ou alcois como produtos finais da fermentao; p. ex., Escherichia.Heterotrfico: organismo que requer uma fonte orgnica de carbono; tambm cha-mado de organotrfico.Hialuronidase: enzima, secretada por certas bactrias, que hidrolisa cido hialur-nico e auxilia na propagao do micro-organismo para alm do stio inicial de in-feco.Hibridizao de cidos nucleicos: processo de combinao entre fitas simples de DNA complementares.Hibridizao de colnia: identificao de uma colnia contendo um determinado gene pelo uso de uma sonda de DNA que complementar quele gene.Hibridoma: clula formada pela fuso de uma clula B produtora de anticorpos e uma clula cancerosa.Hidrlise: reao de decomposio na qual substncias qumicas reagem com H+ ou OH de uma molcula de gua.Hidrxido: OH, o nion que forma uma base.Hidroxila: OH, covalentemente ligado a uma molcula que forma um lcool.Hifa: filamento longo de clulas em fungos ou actinomicetos.Hifa cenoctica: filamento fngico que no se divide em unidades uninucleadas ce-lulares, pois no contm septos.Hifa septada: hifa formada por unidades nucleadas semelhantes a clulas.Hipersensibilidade: reao imune alterada ou intensificada que leva a mudanas patolgicas; tambm chamada de alergia.Hipersensibilidade tardia: hipersensibilidade mediada por clulas.Hipertermfilo: organismo cuja temperatura tima de crescimento de pelo menos 80oC; tambm chamado de termfilo extremo.Histamina: substncia liberada por tecidos ou clulas que causa vasodilatao, au-mento da permeabilidade capilar e contrao de msculos lisos.Histona: protena associada ao DNA dos cromossomos eucariotos.Holoenzima: enzima que consiste em uma apoenzima e um cofator.Homoltico: descrio de um organismo que produz apenas cido ltico como pro-duto final da fermentao; p. ex., Streptococcus.Hospedeiro: organismo infectado por um patgeno. Veja tambm hospedeiro inter-medirio e hospedeiro definitivo.Hospedeiro comprometido: hospedeiro cuja resistncia s infeces ineficiente.Hospedeiro definitivo: organismo que hospeda a forma adulta, sexualmente ma-dura, de um parasita.Hospedeiro intermedirio: organismo que abriga a fase larval ou assexuada de um helminto ou protozorio.Identificao numrica: esquemas de identificao bacteriana que atribuem nme-ros aos valores dos testes.Idiofase: perodo na curva de produo de uma populao celular industrial no qual metablitos so produzidos; perodo de crescimento estacionrio que se segue a uma fase de crescimento rpido. Veja tambm trofofase.IgA: classe de anticorpos encontrados em secrees.IgD: classe de anticorpos encontrados em clulas B.IgE: classe de anticorpos envolvidos na hipersensibilidade.IgG: classe de anticorpos mais abundantes no soro.IgM: primeira classe de anticorpos a surgir aps a exposio a um antgeno.Impresses digitais do DNA (DNA fingerprinting): anlise do DNA pela separao eletrofortica de seus fragmentos de restrio enzimtica.Imunidade: veja imunidade adaptativa; imunidade inata.Imunidade adaptativa: capacidade, adquirida durante a vida de um indivduo, de produzir anticorpos e clulas T especficas.Imunidade ativa adquirida artificialmente: produo de anticorpos pelo organis-mo em resposta vacinao.Imunidade ativa adquirida naturalmente: produo de anticorpos em resposta a uma doena infecciosa.Imunidade celular: resposta imune envolvendo clulas T que se ligam a antgenos apresentados por clulas apresentadoras de antgeno. Essas clulas T ento se dife-renciam em diversos tipos de clulas T efetoras.Imunidade de grupo (imunidade coletiva): presena de imunidade na maioria da populao.Imunidade humoral: imunidade produzida por anticorpos dissolvidos em fluidos corporais, mediada por clulas B; tambm chamada de imunidade mediada por an-ticorpos.Imunidade inata: defesas do hospedeiro que conferem proteo a qualquer tipo de patgeno; veja tambm imunidade adaptativa.Imunidade passiva adquirida artificialmente: transferncia de anticorpos humo-rais produzidos por um indivduo para outro indivduo suscetvel pela injeo de antissoro.Imunidade passiva adquirida naturalmente: transferncia natural de anticorpos humorais atravs da placenta, por exemplo.OH3C COOHCOPO43, OOO PTortora_Glossrio.indd 864Tortora_Glossrio.indd 864 27/06/11 14:5227/06/11 14:52Glossrio 865GlossrioImunizao: veja vacinao.Imunocomplexo: agregado antgeno-anticorpo circulante capaz de fixar o comple-mento.Imunodeficincia: ausncia de uma resposta imune adequada; pode ser congnita ou adquirida.Imunodeficincia adquirida: incapacidade, adquirida durante a vida de um indi-vduo, de produzir anticorpos ou clulas T especficas em decorrncia da presena de drogas ou doenas.Imunodeficincia congnita: inabilidade de um indivduo de produzir anticorpos ou clulas T especficas em razo de seu gentipo.Imunoeletroforese: identificao de protenas por separao eletrofortica seguida de teste sorolgico.Imunofluorescncia: veja tcnica do anticorpo fluorescente.Imungeno: veja antgeno.Imunoglobulina (Ig): protena (anticorpo) formada em resposta a um antgeno e que pode reagir com este antgeno; veja tambm globulina.Imunoglobulina srica anti-humana (anti-HISG): anticorpos que reagem especi-ficamente com anticorpos humanos.Imunologia: estudo das defesas do hospedeiro contra um patgeno.Imunossupresso: inibio da resposta imune.Imunoterapia: utilizao do sistema imune para atacar clulas tumorais pela inten-sificao da resposta imune normal ou pela utilizao de anticorpos especficos que carreiam toxinas; veja tambm imunotoxina.Imunotoxina: agente imunoteraputico que consiste em um elemento txico ligado a um anticorpo monoclonal.Incidncia: frao da populao que contrai uma doena durante um perodo em particular.Incluso: material mantido dentro de uma clula frequentemente consistindo de depsitos de reserva.Incluso lipdica: veja incluso.ndice de refrao: velocidade relativa com a qual a luz atravessa uma substncia.Induo: processo que ativa a transcrio de um gene.Indutor: estmulo qumico ou ambiental que leva transcrio de genes espec-ficos.Infeco: crescimento de micro-organismos no corpo.Infeco crnica: doena que se desenvolve lentamente e pode persistir ou recorrer por longos perodos.Infeco focal: infeco sistmica que inicia como uma infeco local em um de-terminado ponto.Infeco inaparente: veja infeco subclnica.Infeco latente: condio na qual o patgeno permanece no hospedeiro por longos perodos sem o surgimento de doena.Infeco leveduriforme: doena causada pelo crescimento de certas leveduras em hospedeiros suscetveis.Infeco local: infeco em que os patgenos esto limitados a uma pequena rea do corpo.Infeco nosocomial: uma infeco que se desenvolve durante o curso da hospi-talizao de um paciente e que no estava presente no momento de sua admisso.Infeco primria: doena aguda que causa a enfermidade inicial.Infeco secundria: infeco causada por um micrbio oportunista depois que uma infeco primria enfraqueceu as defesas do hospedeiro.Infeco sistmica (generalizada): infeco espalhada por todo o corpo.Infeco subclnica: infeco que no causa doena detectvel; tambm chamada de infeco inaparente.Infeco viral persistente: processo patognico que ocorre gradualmente durante um longo perodo.Inflamao: resposta do hospedeiro ao dano tecidual; caracterizada por rubor, dor, calor, inchao e eventualmente perda de funo.Inibio alostrica: processo pelo qual a atividade de uma enzima alterada em razo da ligao de um substrato ao stio alostrico.Inibio por contato: parada do movimento e crescimento de clulas animais resul-tante do contato entre clulas.Inibio por produto final: veja inibio por retroalimentao.Inibio por retroalimentao: inibio de uma enzima em uma determinada via metablica pelo acmulo do produto final da via; tambm conhecida como inibio por produto final.Inibidor competitivo: substncia qumica que compete com o substrato normal de uma enzima por seu stio ativo; veja tambm inibidor no competitivo.Inibidor no competitivo: substncia qumica inibidora que no compete com o substrato pelo stio ativo de uma enzima; veja tambm inibio alostrica e inibidor competitivo.Inibidor no nucleosdeo da transcriptase reversa: droga que se liga e inibe a ao da enzima transcriptase reversa do HIV.Inibidor nucleosdeo da transcriptase reversa: droga antirretroviral com base em um anlogo de nucleosdeo.Iniciador de RNA: pequena fita de RNA usada para iniciar a sntese da fita atrasada do DNA; tambm usado para iniciar a reao em cadeia da polimerase.Inculo: meio de cultura no qual micro-organismos so implantados.Insaturado: cido graxo contendo uma ou mais ligaes duplas.Integrase: enzima produzida pelo HIV e que permite a integrao do seu DNA no DNA da clula hospedeira.Interferon (IFN): grupo de citocinas especficas. IFNs e so protenas antivirais produzidas por certas clulas animais em resposta a uma infeco viral. IFN esti-mula a atividade de macrfagos.Interleucina (IL): composto qumico que causa proliferao de clulas T; veja tam-bm citocina.Intoxicao: condio resultante da ingesto de uma toxina produzida por um mi-crbio.ntron: regio de um gene eucaritico que no codifica uma protena ou um mRNA.Intubao: colocao de um tubo dentro do corpo; intubao traqueal prov acesso de ar aos pulmes.Intumescimento: condio que surge quando o lodo flutua em vez de sedimentar em tratamentos secundrios de esgotos.Invasina: protena de superfcie, produzida por Salmonella typhimurium e Escheri-chia coli, que causa o rearranjo de filamentos de actina proximais no citoesqueleto de uma clula do hospedeiro.Iodforo: complexo formado por iodo e um detergente.on: tomo ou grupo de tomos positiva ou negativamente carregados.Ionizao: separao (dissociao) de uma molcula em ons.Ismero L: arranjo de quatro diferentes tomos ou grupos ao redor de um tomo de carbono; veja D-ismero.Ismero: uma ou duas molculas com a mesma frmula qumica, mas diferentes estruturas.Istopo: forma de um elemento qumico na qual o nmero de nutrons em seu ncleo diferente das outras formas do mesmo elemento.Isquemia: decrscimo localizado do fluxo sanguneo.Kelp (alga Kombu): alga marrom multicelular.Koji: fermentao microbiana no arroz, normalmente por Aspergillus oryzae, usado na produo de amilase.Lagoa de oxidao:* mtodo de tratamento secundrio de esgotos pela ao micro-biana em pequenas lagoas de gua rasa e parada.Lmina: estrutura plana, em forma de folha, presente em algas multicelulares.Larva: fase sexualmente imatura de um helminto ou artrpode.Lecitina: protena celular que se liga a carboidratos.Lentes objetivas: em um microscpio ptico composto, constituem as lentes mais prximas do espcime.Lentes oculares: em um microscpio ptico composto, constituem as lentes mais prximas do observador; tambm chamadas de pea ptica.Leucocidinas: substncias produzidas por algumas bactrias que podem destruir neutrfilos e macrfagos.Leuccito polimorfonuclear (PMN): veja neutrfilo.Leuccito: clula branca do sangue.Leucotrieno: substncia produzida por mastcitos e basfilos que causa o aumento da permeabilidade de vasos sanguneos e auxilia fagcitos a se ligarem a patgenos.Levedura: fungo unicelular no filamentoso.Levedura de fisso: em seguida mitose, uma levedura que se divide igualmente para formar duas novas clulas.Leveduras brotantes: leveduras que, aps a mitose, se dividem de forma assimtrica produzindo uma pequena clula (broto) a partir da clula parental.Ligao covalente: ligao qumica na qual os eltrons de um tomo so divididos com outro tomo.Ligao de dissulfeto (ponte dissulfeto): ligao covalente que mantm unidos dois tomos de enxofre.Ligao de hidrognio: ligao entre dois tomos de hidrognio covalentemente ligados a um oxignio ou nitrognio.Ligao ster: ligao entre cidos graxos e glicerol em fosfolipdeos de bactrias e eucariotos. * N. de T. No Brasil, as lagoas de oxidao so mais conhecidas como lagoas de estabilizao.OCOCTortora_Glossrio.indd 865Tortora_Glossrio.indd 865 27/06/11 14:5227/06/11 14:52866 GlossrioGlossrioLigao ter: ligao entre cidos graxos e glicerol em fosfolipdeos de arquibac-tria.Ligao inica: ligao qumica formada quando tomos ganham ou perdem el-trons de seus nveis de energia mais externos.Ligao peptdica: ligao que une o grupo amina de um aminocido ao grupo carboxila de um segundo aminocido com a perda de uma molcula de gua.Ligao qumica: fora atrativa entre tomos que formam uma molcula.Ligante: veja adesina.Linfangite: inflamao de vasos linfticos.Linfcito: leuccito envolvido em respostas imunes especficas.Linhagem celular contnua: clulas animais que podem ser mantidas in vitro por um nmero indefinido de geraes.Linhagem celular diploide: clulas eucariticas cultivadas in vitro.Linhagem celular primria: tecido humano que cresce in vitro apenas por algumas geraes.Liofilizao: congelamento de uma substncia seguido pela sublimao do gelo a vcuo; tambm chamada de secagem por congelamento a vcuo.Lipase: enzima que quebra triglicerdeos em glicerol e cidos graxos.Lipdeo: molcula orgnica insolvel em gua e que inclui triglicerdeos, fosfolip-deos e esteris.Lipdeo A: componente da parede externa de bactrias gram-negativas; endotoxina.Lipopolissacardeo (LPS): molcula que consiste em um lipdeo e um polissacar-deo, formando a membrana externa da parede celular de bactrias gram-negativas.Lquen: relao mutualstica entre um fungo e uma alga ou cianobactria.Lise osmtica: ruptura da membrana plasmtica resultante do movimento de gua para o interior da clula.Lise: (1) destruio de uma clula pela ruptura de sua membrana citoplasmtica. (2) Na doena, um perodo gradual de declnio.Lisogenia: estgio no qual o DNA bacteriofgico incorporado clula hospedeira sem que ocorra lise.Lisossomo: organela que contm enzimas digestivas.Lisozima: enzima capaz de hidrolisar paredes celulares bacterianas.Litotrfico: veja autotrfico.Lodo: material slido obtido do esgoto.Lofotrquio: que possui dois ou mais flagelos em uma das extremidades da clula.Luciferase: enzima que recebe eltrons de flavoprotenas e emite um fton luminoso na bioluminescncia.Macrfago: clula fagoctica; moncito maduro; veja macrfago fixo e macrfago migratrio.Macrfago ativado: um macrfago com capacidade fagoctica e outras funes melhoradas aps exposio a mediadores liberados por clulas T estimuladas por antgenos.Macrfago fixo: um macrfago que se localiza em um determinado rgo ou tecido (p. ex., fgado, pulmes, bao ou linfonodos); tambm chamado de histicito.Macrfago migratrio: macrfago que deixa o sangue e migra para tecidos infec-tados.Macroldeo: antibitico que inibe a sntese proteica; por exemplo, eritromicina.Macromolcula: molcula orgnica grande.Mcula: leso plana e avermelhada na pele.Maculopapular: erupo com mculas e ppulas.Magnetossomo: incluso de xido frrico, produzido por certas bactrias gram--negativas e que age como um im.Magnificao total: ampliao de um espcime microscpico, determinada pela multiplicao da magnificao da lente ocular pela magnificao da lente objetiva.Maltagem: germinao de gros de cevada resultando na produo de maltose e glicose.Malte: gros germinados de cevada contendo maltose, glicose e amilase.Manual de Bergey: Manual de Bergey de Bacteriologia Sistemtica (Bergeys Manual of Systematic Bacteriology), referncia taxonmica padro para bactrias; tambm se refere ao Manual de Bergey de Bacteriologia Determinista (Bergeys Manual of Determinative Bacteriology), referncia de laboratrio padro para a identificao de bactrias.Mapeamento gentico: tcnica que determina quais genes esto presentes no geno-ma de uma clula.Mar vermelha: exploso populacional de dinoflagelados planctnicos.Marginao: processo pelo qual fagcitos se aderem ao revestimento dos vasos san-guneos.Massa atmica: nmero total de prtons e nutrons no ncleo de um tomo.Mastcito: tipo de clula encontrada em todo o corpo e que contm histamina e outras substncias que estimulam a vasodilatao.Matriz: fluido mitocondrial.Medula: corpo de um lquen consistindo de alga (ou cianobactria) e fungo.Meio complexo: meio de cultura cuja composio qumica exata no conhecida.Meio de cultura: material nutriente preparado para permitir o crescimento de mi-cro-organismos em laboratrio.Meio de enriquecimento: meio de cultura usado para isolamento preliminar e que favorece o crescimento de um determinado micro-organismo.Meio definido quimicamente: meio de cultura cuja composio qumica exata conhecida.Meio diferencial: meio de cultura slido que facilita a distino de colnias de um determinado organismo.Meio redutor: meio de cultura contendo ingredientes que removem o oxignio dis-solvido no meio, permitindo o crescimento de anaerbicos.Meio seletivo: meio de cultura que objetiva a supresso do crescimento de micro--organismos indesejveis e favorece o crescimento de micro-organismos desejveis.Meiose: processo de replicao de clulas eucariticas que resulta em clulas con-tendo metade do nmero de cromossomos da clula original.Membrana filtrante: material semelhante a uma malha e que possui poros peque-nos o bastante para reter micro-organismos; um filtro de 0,45 m retm a maioria das bactrias.Membrana ondulante: flagelo altamente modificado de alguns protozorios.Membrana plasmtica (citoplasmtica): membrana seletivamente permevel que circunda o citoplasma de uma clula; a camada mais externa de clulas animais, interna parede celular de outros organismos.Membranas mucosas: membranas que delimitam as aberturas corporais, inclusive o trato intestinal; tambm chamadas simplesmente de mucosa.Meningite: inflamao das meninges, as trs camadas que recobrem o crebro e a medula espinal.Merozoto: trofozoto de Plasmodium encontrado no interior de eritrcitos ou c-lulas hepticas.Mesfilo: organismo que cresce em temperaturas entre 10 e 50oC; micrbio que pre-fere temperaturas moderadas.Mesossomo: dobramento irregular da membrana plasmtica de uma clula proca-ritica essencial para a preparao para microscopia.Metabolismo: soma de todas as reaes qumicas que ocorrem em uma clula viva.Metablito primrio: produto de uma populao celular industrial gerado durante perodo de rpido crescimento logartmico; veja tambm metablito secundrio.Metablito secundrio: produto de uma populao celular industrial gerado depois que o micro-organismo j completou seu perodo de crescimento rpido e se encon-tra na fase estacionria do ciclo de crescimento; veja tambm metablito primrio.Metacercria: estgio cstico da fascola em seu hospedeiro intermedirio final.Metano: hidrocarbono CH4, um gs inflamvel formado pela decomposio micro-biana de matria orgnica; gs natural.Metilao: adio de grupos metil (CH3) a uma molcula; a citosina metilada protegida da digesto por enzimas de restrio.Mtodo de disco-difuso: teste de difuso em gar para determinar a suscetibili-dade microbiana a um agente quimioterpico; tambm chamdo de mtodo de Kir-by-Bauer.Mtodo de espalhamento em placa: mtodo de contagem em placa no qual o in-culo espalhado na superfcie de um meio de cultura slido.Mtodo de estriamento em placa: mtodo de isolamento de uma cultura pelo espa-lhamento de um micro-organismo sobre a superfcie de um meio de cultura slido.Mtodo do nmero mais provvel (NMP): determinao estatstica do nmero de coliformes por 100 mL de gua ou 100 g de alimento.Mtodo pour plate: mtodo de inoculao em um meio nutritivo slido pela mis-tura de bactrias com meio derretido, a qual vertida em uma placa de Petri para solidificar.Miclio: massa de longos filamentos de clulas que se ramificam e emaranham; tipi-camente encontrado em mofos.Micologia: estudo cientfico dos fungos.Micorriza: fungo que cresce em simbiose com razes de plantas.Micose: infeco fngica.Micose cutnea: infeco fngica da pele, dos pelos ou das unhas.Micose sistmica: infeco fngica em tecidos profundos.Micose subcutnea: infeco fngica do tecido abaixo da pele.Micose superficial: infeco fngica localizada na superfcie de clulas epidrmicas e em folculos pilosos.Micotoxina: toxina produzida por um fungo.Micro-organismo: organismo vivo muito pequeno para ser vivo a olho nu; inclui bactrias, fungos, protozorios e algas microscpicas; tambm inclui vrus.Micro-ondas: radiao eletromagntica com comprimento de onda entre 101 e 103 m.Tortora_Glossrio.indd 866Tortora_Glossrio.indd 866 27/06/11 14:5227/06/11 14:52Glossrio 867GlossrioMicroaerfilo: micro-organismo que cresce melhor em ambientes contendo menos oxignio molecular (O2) do que normalmente encontrado no ar.Microbiologia aqutica: estudo de micro-organismos e suas atividades em guas naturais.Microbiota normal: micro-organismo que coloniza um hospedeiro sem causar doenas; tambm chamada de flora normal.Microbiota transiente: micro-organismos que esto presentes em um animal por um curto perodo, sem causar doena.Micrmetro (m): unidade de medida igual a 106 m.Microscopia de fora atmica: veja microscopia de varredura por sonda.Microscopia de varredura por sonda: tcnica de microscopia utilizada para se ob-ter imagens de formas moleculares, caracterizar propriedades qumicas e determi-nar variaes de temperatura dentro de um espcime.Microscopia de varredura por tunelamento (microscopia de tunelamento): veja microscopia de varredura por sonda.Microscpio acstico de varredura (SAM): microscpio que usa ultrassons de alta frequncia para penetrar superfcies.Microscpio confocal: microscpio ptico que utiliza substncias fluorescentes e laser para gerar imagens em duas ou trs dimenses.Microscpio de campo claro: microscpio que usa a luz visvel para iluminao; espcimes so visualizados contra um campo branco.Microscpio de campo escuro: microscpio que contm um artefato para dispersar a luz, de forma que o espcime aparece claro em um fundo escuro.Microscpio de contraste de fase: microscpio ptico composto que permite o exa-me de estruturas intracelulares pelo uso de condensadores especiais.Microscpio de contraste por interferncia diferencial (CID): instrumento que proporciona a gerao de imagem aumentada e tridimensional.Microscpio de fluorescncia: microscpio que utiliza uma fonte de luz ultravioleta para iluminar espcimes que iro fluorescer.Microscpio de fluorescncia por absoro de dois ftons: microscpio luminoso que utiliza corantes fluorescentes e luz de comprimento de onda longo.Microscpio eletrnico: microscpio que usa eltrons em vez de luz para gerar uma imagem.Microscpio eletrnico de transmisso (MET): microscpio eletrnico que apre-senta alto poder de magnificao (10.000 a 100.000 ) em seces finas de espci-mes.Microscpio eletrnico de varredura (MEV): microscpio eletrnico que gera imagens tridimensionais de espcimes ampliadas de 1.000 a 10.000 vezes.Microscpio ptico composto (MOC): instrumento com dois grupos de lentes que usa a luz visvel como fonte de iluminao.Microtbulo: tubo oco constitudo pela protena tubulina; a unidade estrutural de centrolos e flagelos eucariticos.Miracdio: larva ciliada e livre-natante de um verme que eclode de um ovo.Mitocndria: organela que contm as enzimas do ciclo de Krebs e a cadeia trans-portadora de eltrons.Mitose: processo de replicao da clula eucaritica no qual os cromossomos so duplicados; normalmente seguida da diviso do citoplasma da clula.Mitossomo: organela eucaritica derivada de mitocndrias degeneradas; encontra-do em Giardia e Trichomonas.MMWR (Morbidity and Mortality Weekly Report Relatrio Semanal de Mor-bidade e Mortalidade): publicao do Centro de Preveno e Controle de Doenas norte-americano (CDC) contendo dados relativos a doenas notificveis e tpicos de especial interesse.Modelo do mosaico fluido: forma de se descrever o arranjo dinmico de fosfolpi-deos e protenas que compem a membrana plasmtica.Mol: quantidade de uma substncia qumica que seja igual ao peso atmico de todos os tomos em uma molcula desta substncia.Molcula: combinao de tomos que formam um composto qumico especfico.Molcula polar: molcula que apresenta distribuio de carga desigual.Moncito: leuccito precursor do macrfago.Monocio: que apresenta ambas as capacidades reprodutivas, masculina e feminina.Monmero: molcula pequena que se combina coletivamente para formar polme-ros.Monossacardeo: acar simples que consiste em 3 a 7 tomos de carbono.Monotrquio: que possui apenas um flagelo.Morbidade: (1) a incidncia de uma doena especfica; (2) a condio de estar doente.Mordante: substncia adicionada a uma soluo corante que a faz corar com mais intensidade.Mortalidade: nmero de mortes causadas por uma doena notificvel especfica.Motilidade: habilidade de um micro-organismo de se locomover por si prprio.Mudana antignica: grande variao gnica no vrus Influenza gerando alteraes nos antgenos H e N.Mutao: qualquer mudana na sequncia de bases nitrogenadas do DNA.Mutao de fase de leitura: mutao causada pela adio ou remoo de uma ou mais bases no DNA.Mutao de ponto: veja substituio de base.Mutao espontnea: mutao que ocorre na ausncia de um agente mutgeno.Mutao pontual: mutao que resulta na substituio de um aminocido em uma protena.Mutao sem sentido: substituio de base no DNA que resulta em um cdon sem sentido.Mutagnese stio-dirigida: tcnicas utilizadas para modificar um gene em um local definido e produzir um polipeptdeo desejado.Mutgeno: agente presente no ambiente que induz mutaes.Mutualismo: tipo de simbiose onde ambos os organismos ou populaes se bene-ficiam.NAD+: coenzima que funciona na remoo e na transferncia de ons hidrognio (H+) e eltrons de molculas de substrato.NADP+: coenzima similar a NAD+.Nanobactria: bactria de tamanho bem menor que o geralmente aceito como limi-te diametral mnimo para bactrias (cerca de 200 nm).Nanmetro (nm): unidade de medida igual a 109 m, 103 m.Necrose: morte tecidual.Neurotoxina: exotoxina que interfere na conduo normal do impulso nervoso.Neutralizao: reao antgeno-anticorpo especfica que resulta na inativao de uma exotoxina bacteriana ou um vrus.Neutrfilo: granulcito altamente fagoctico; tambm chamado de leuccito poli-morfonuclear (PMN) ou simplesmente polimorfo.Nutron: partcula sem carga presente no ncleo de um tomo.Nitrificao: oxidao no nitrognio em amnia para produzir nitrato.Nitrosamina: agente carcinognico formado pela combinao de nitrito e amino-cidos.Nvel de Biossegurana (BSL): instrues de segurana para se trabalhar com mi-cro-organismos em um laboratrio; existem quatro nveis denominados de NB-1 at NB-4.Nvel de energia: energia potencial de um eltron em um tomo; veja tambm ca-mada eletrnica.Ndulo da raiz: crescimento semelhante a um tumor na raiz de certas plantas que abrigam bactrias simbiticas fixadoras de nitrognio.Nomenclatura binomial: sistemtica com base em dois nomes (gnero e nome especfico) para representar cada organismo; tambm chamada de nomenclatura cientfica.Nomenclatura cientfica: veja nomenclatura binomial.Ncleo: (1) parte do tomo que consiste em prtons e nutrons; (2) parte da clula eucaritica que contm o material gentico.Nucleoide: regio da clula bacteriana que contm o cromossomo.Nuclolo: regio no ncleo de uma clula eucaritica onde os RNAs ribossomais (rRNAs) so sintetizados.Nucleosdeo: composto que consiste em uma base purnica ou pirimidnica e uma pentose.Nucleotdeo: composto que consiste em uma base purnica ou pirimidnica, um acar de 5 carbonos e um fosfato.Nmero atmico: nmero de prtons no ncleo de um tomo.Nmero de renovao (nmero de turnover): nmero de molculas de substrato afetadas por uma molcula enzimtica por segundo.Oligossacardeo: um carboidrato que possui entre 2 e 20 monossacardeos.Oncogene: um gene que pode originar ou induzir uma transformao maligna.Oocisto: zigoto cstico de um protozorio apicomplexo que se divide para formar o prximo estgio infeccioso.Opa: protena da membrana externa de uma bactria; clulas que possuem Opa for-mam colnias opacas.Operador: regies do DNA adjacentes a genes estruturais e que controlam a sua transcrio.Operon: stios formados por operador, promotor e genes estruturais que os primei-ros controlam.Opsonizao: intensificao da fagocitose pela ligao de determinadas protenas sricas (opsoninas) superfcie de micro-organismos; tambm chamada de imu-noaderncia.Ordem: classificao taxonmica entre classe e famlia.Organela: estrutura envolvida por membrana localizada no interior de uma clula eucaritica.Tortora_Glossrio.indd 867Tortora_Glossrio.indd 867 27/06/11 14:5227/06/11 14:52868 GlossrioGlossrioOrganismo indicador: micro-organismo, como um coliforme, cuja presena indica uma determinada condio como contaminao fecal na gua ou nos alimentos.Organotrfico: veja heterotrfico.Osmose: movimento global de molculas solventes, atravs de uma membrana sele-tivamente permevel, de uma rea de maior concentrao para uma rea de menor concentrao de soluto.Oxidao: remoo de eltrons de uma molcula.Oxignico: que produz oxignio, como na fotossntese de plantas e cianobactrias.Oxignio singlete: molcula de oxignio altamente reativa (O2).Oznio: O3.PAMP (pathogen-associated molecular patterns padres moleculares associa-dos ao patgeno): molculas presentes em patgenos e no prprias ao organismo.Ppula: pequena elevao slida na pele.Paralisia flcida: perda do movimento e do tnus muscular.Parasita: organismo que obtm nutrientes a partir de um hospedeiro vivo.Parasitismo: relao simbitica na qual um organismo (parasita) explora o outro (hospedeiro) sem gerar benefcio em retorno.Parasitologia: estudo cientfico de protozorios e vermes parasitas.Parede celular: camada externa da maioria das clulas bacterianas, fngicas, de al-gas e plantas; nas bactrias constituda de peptideoglicanos.Pares de base: arranjo de bases nitrogenadas em um cido nucleico por ligaes de hidrognio; no DNA, os pares de base so A-T e G-C; no RNA, os pares de base so A-U e G-C.Pasteurizao a temperaturas elevadas e curtos intervalos de tempo (high-tempe-rature short-time HTST): pasteurizao a 72oC por 15 segundos.Pasteurizao: processo de aquecimento brando que visa eliminar determinados micro-organismos que degradam o objeto da pasteurizao e os patgenos.Patognese: a maneira como uma doena se desenvolve.Patogenicidade: habilidade de um micro-organismo de causar doena sobrepujan-do as defesas do organismo.Patgeno: organismo que causa doena.Patgeno oportunista: micro-organismo que ordinariamente no causa doena, mas pode se tornar patognico em determinadas circunstncias.Patologia: estudo cientfico de doenas.Pelcula: (1) cobertura flexvel de alguns protozorios; (2) espuma na superfcie de meios lquidos.Penicilinas: grupo de antibiticos produzidos pelo Penicillium (penicilina natural) ou pela adio de cadeias laterais ao anel -lactmico (penicilina semissinttica).Peptdeo antimicrobiano: antibitico bactericida que possui amplo espectro de ao; veja bacteriocina.Peptideoglicano: molcula estrutural da parede celular bacteriana; consiste em mo-lculas de N-acetilglicosamina, cido N-acetilmurmico, cadeias laterais tetrapept-dicas e cadeias laterais peptdicas.Perforina: protena liberada por linfcitos T citotxicos que produz poros em uma membrana celular alvo.Pericardite: inflamao do pericrdio, o saco membranoso que envolve o corao.Perodo de convalescncia: perodo de recuperao, quando o corpo retorno ao estado anterior doena.Perodo de eclipse: perodo durante a multiplicao viral quando vrions completos e infecciosos no esto presentes.Perodo de incubao: intervalo de tempo entre a infeco propriamente dita e o surgimento de quaisquer sinais ou sintomas da doena.Perodo prodrmico: tempo seguinte ao perodo de incubao, quando os primei-ros sintomas da doena aparecem.Periplasma: regio da parede celular de bactrias gram-negativas entre a membrana externa e a membrana citoplasmtica.Peritrquio: que possui flagelos distribudos por toda a superfcie celular.Permeabilidade seletiva: propriedade da membrana plasmtica que permite a pas-sagem de certos ons e molculas atravs da membrana e restringe a passagem de outros.Peroxidase: enzima que destri o perxido de hidrognio (H2O2 + 2H+ 2H2O).Peroxignio: classe de desinfetantes esterilizantes que agem por oxidao.Peroxissomo: organela que oxida aminocidos, cidos graxos e lcool.Peso molecular: soma do peso atmico de todos os tomos que compem uma mo-lcula.pH: smbolo da concentrao do on hidrognio (H+); medida da acidez ou da alca-linidade relativas de uma soluo.Pilo: apndice de uma clula bacteriana usado para conjugao e movimentao.Pinocitose: engolfamento de fluido atravs da invaginao da membrana plasmtica de eucariotos.Piocianina: pigmento verde-azulado produzido por Pseudomonas aeruginosa.Pirimidinas: classe de bases de cidos nucleicos que inclui uracila, timina e citosina.Placa: falha na monocamada de clulas bacterianas resultante de sua lise por fagos; veja tambm placa dentria.Placa dentria: combinao de clulas bacterianas, dextran e detritos que se aderem ao dente.Planria: animal pertencente ao filo Platyhelminthes.Plncton: organismos aquticos flutuantes.Plantae: reino composto por eucariotos multicelulares que possuem parede celular celulsica.Plasma: (1) poro lquida do sangue na qual os elementos formados esto suspen-sos; (2) gases excitados utilizados para esterilizao.Plasmdeo: pequeno DNA circular que se replica independentemente do cromossomo.Plasmdeo conjugativo: plasmdeo procaritico que codifica genes para a formao do pili sexual e a transferncia do plasmdeo para outra clula.Plasmdeo de dissimilao: plasmdeo contendo genes que codificam enzimas res-ponsveis pela ativao do catabolismo de determinados acares e carboidratos incomuns.Plasmdeo T: plasmdeo de Agrobacterium que carreia genes indutores de tumores em plantas.Plasmcito: clula formada pela diferenciao de clulas B ativadas; plasmcitos produzem anticorpos especficos.Plasmdio (Plasmodium): (1) massa protoplasmtica multinucleada, como nos fungos plasmodiais; (2) quando escrito como gnero, se refere ao agente causador da malria.Plasmogamia: fuso do citoplasma de duas clulas; ocorre no estgio sexuado do ciclo vital fngico.Plasmlise: perda de gua de uma clula em ambiente hipertnico.Pleomrfico: que pode assumir muitas formas; caracterstica de determinadas bac-trias.Pluripotente: clula que pode se diferenciar em muitos tipos diferentes de clulas teciduais.Pneumonia: inflamao nos pulmes.Polmero: molcula que consiste em uma sequncia de molculas similares ou mo-nmeros.Polipeptdeo: (1) cadeia de aminocidos; (2) grupo de antibiticos.Polissacardeo: carboidrato que consiste em 8 ou mais monossacardeos unidos atravs de sntese por desidratao.Ponto de morte trmica (PMT): temperatura necessria para matar todas as bact-rias em um meio lquido em 10 minutos.Porinas: tipo de protena, existente na membrana externa da parede celular de bac-trias gram-negativas, que permite a passagem de pequenas molculas.Poro anal: stio presente em certos protozorios para eliminao de dejetos.Poro nuclear: abertura no envelope nuclear atravs da qual materiais podem entrar ou sair do ncleo.Porta de entrada: via pela qual um patgeno ganha acesso ao corpo.Porta de sada: via pela qual um patgeno deixa o corpo.Postulados de Koch: critrios utilizados para determinar o agente etiolgico de uma doena infecciosa.Prebiticos: substncias qumicas que promovem o crescimento de bactrias ben-ficas para o organismo.Presso osmtica: fora com a qual o solvente se move de uma rea de maior con-centrao para uma rea de menor concentrao de soluto.Prevalncia: frao da populao que apresenta uma determinada doena em um dado perodo.Pron: agente infeccioso que consiste em uma protena autorreplicativa, sem a pre-sena detectvel de cidos nucleicos.Probiticos: micrbios inoculados em um hospedeiro para ocupao de um nicho e preveno contra o crescimento de patgenos.Procarioto: clula cujo material gentico no est circundado por um envelope nu-clear.Produo de lote: processo industrial no qual clulas so cultivadas por um perodo e em seguida o produto coletado.Produtor primrio: organismo auttrofo, quimiotrfico ou fototrfico que converte dixido de carbono em compostos orgnicos.Prfago: DNA fgico inserido no DNA da clula hospedeira.Profiltico: qualquer coisa usada para prevenir uma doena.Progltide: segmento corporal de um verme cestoide (como a solitria) que contm ambos os rgos sexuais, masculino e feminino.Proliferao lgica: crescimento abundante de algas microscpicas.Promotor: stio de iniciao da transcrio de RNA, pela RNA-polimerase, em uma fita de DNA.Tortora_Glossrio.indd 868Tortora_Glossrio.indd 868 27/06/11 14:5227/06/11 14:52Glossrio 869GlossrioPrprio: tecido do hospedeiro.Prostaglandina: substncia semelhante a um hormnio liberada por clulas danifi-cadas; intensifica a inflamao.Prosteca: talo ou brotamento saliente em uma clula procaritica.Protease: enzima que digere protenas (enzima proteoltica).Protena: molcula grande que contm carbono, hidrognio, oxignio e nitrognio (e enxofre); algumas protenas apresentam estrutura helicoidal e outras so folhas planas.Protena antiviral (AVP): protena produzida em resposta ao interferon e que blo-queia a multiplicao viral.Protena M: protena da parede e das fibrilas estreptoccicas, resistente ao cido e ao calor.Protena transportadora: protena carreadora da membrana plasmtica.Protena-cinase: enzima que ativa outra protena pela adio de um proveniente do ATP.Protenas de fase aguda: protenas sricas cujas concentraes se alteram em pelo menos 25% durante o processo inflamatrio.Proteobactria: bactria gram-negativa, quimio-heterotrfica, que possui uma as-sinatura de rRNA tpica.Protemica: cincia que determina todas as protenas expressas em uma clula.Protista: termo usado para eucariotos unicelulares ou multicelulares simples; nor-malmente protozorios e algas.Prton: partcula positivamente carregada no ncleo de um tomo.Protoplasto: clula de uma bactria gram-positiva ou uma planta da qual foi remo-vida a parede celular.Protozorios: organismos unicelulares eucariticos; normalmente quimio-hetero-trficos.Provrus: DNA viral que se encontra integrado dentro do DNA da clula hospe-deira.Pseudo-hifa: cadeia curta de clulas fngicas que resulta da falta de separao das clulas-filhas aps o brotamento.Pseudpodo: extenso da clula eucaritica que auxilia a locomoo e a alimenta-o.Psicrfilo: organismo que cresce melhor a cerca de 15oC e no cresce em tempera-turas acima de 20C; micrbio que aprecia o frio.Psicrotrfico: organismo capaz de crescer em temperaturas entre 0 e 30oC.Purinas: classe de bases de cidos nucleicos que inclui adenina e guanina.Pus: acmulo de fagcitos mortos, clulas bacterianas mortas e fluido.Pstula: pequena elevao na pele preenchida por pus.Queratina: protena encontrada na epiderme, nos pelos e nas unhas.Qumica: cincia que estuda a interao entre tomos e molculas.Quimio-heterotrfico: organismo que usa molculas orgnicas como fonte de energia e carbono.Quimioautotrfico: organismo que usa um elemento ou composto qumico inorg-nico como fonte de energia e CO2 como fonte de carbono.Quimiocina: citocina que induz, pela quimiotaxia, a atrao de leuccitos para uma rea infectada.Quimiosmose: mecanismo que usa um gradiente de prtons atravs de uma mem-brana citoplasmtica para gerar ATP.Quimiotaxia: movimento que ocorre em resposta presena de uma substncia qumica.Quimioterapia: tratamento de doenas pelo uso de substncias qumicas.Quimiotrfico: organismo que usa reaes de oxidao e reduo como fonte pri-mria de energia.R: usado para representar grupos no funcionais de uma molcula; veja tambm fator de resistncia.Radiao ionizante: radiao de alta energia que apresenta comprimento de onda menor que 1 nm; causa ionizao. Raios X e gama so exemplos.Radiao no ionizante: radiao de comprimento de onda curto que no causa ionizao; a radiao ultravioleta (UV) um exemplo.Radical hidroxil: uma forma txica do oxignio (OH) gerada no citoplasma por ao de radiaes ionizantes e respirao aerbica.Radical livre: composto com um eltron no pareado. Veja superxido.Radical superxido: nion txico (O2) com um eltron no pareado.RE liso: retculo endoplasmtico que no contm ribossomos.Reao de Arthus: inflamao e necrose que ocorrem no stio de inoculao de soro exgeno devido formao de imunocomplexos.Reao de condensao: reao qumica na qual uma molcula de gua liberada; tambm chamada de sntese por desidratao.Reao de decomposio: reao qumica na qual ligaes so quebradas com a produo de partes menores a partir de uma molcula grande.Reao de oxirreduo: reao acoplada na qual uma substncia oxidada enquan-to a outra reduzida; tambm chamada de reao redox.Reao de precipitao: reaes entre antgenos solveis e anticorpos multivalentes com a formao de agregados visveis.Reao de sntese: reao qumica na qual dois ou mais tomos se combinam para formar uma molcula nova e maior.Reao de troca: reao qumica com componentes de sntese e decomposio.Reao dependente de luz: processo pelo qual a energia luminosa usada para con-verter ADP e fosfato em ATP; veja tambm fotofosforilao.Reao em cadeia da polimerase (PCR): tcnica que utiliza a DNA-polimerase para fazer mltiplas cpias de um DNA-molde in vitro; veja tambm cDNA.Reao endergnica: reao qumica que requer energia.Reao exergnica: reao qumica que libera energia.Reao independente de luz: processo pelo qual eltrons e energia de um ATP so usados para reduzir CO2 a acar; veja tambm ciclo de Calvin-Benson.Reao qumica: processo de gerao e quebra de ligaes qumicas entre tomos.Reao redox: veja reao de oxirreduo.Reao reversvel: reao qumica na qual os produtos finais podem prontamente reverter s molculas originais.RecA: catalisa a ligao de fitas de DNA; facilita a recombinao do DNA.Receptor: molcula de ligao a um patgeno em uma clula hospedeira.Recombinao gnica: processo que consiste na ligao de pedaos de DNA de di-ferentes fontes.Rdia: estgio larval de um trematodo que se reproduz assexuadamente para gerar cercrias.Reduo: adio de eltrons a uma molcula.Reino: classificao taxonmica entre domnio e filo.Rejeio hiperaguda: rejeio bastante rpida de um transplante tecidual; normal-mente em caso de uso de tecidos no humanos.Remoo clonal: eliminao de clulas B e T autorreativas.Renina: enzima que forma coalhos como parte de qualquer produto oriundo da fer-mentao de laticnios; originalmente obtida do estmago de bezerros, porm agora produzida por bactrias e fungos.Reparo por exciso de nucleotdeo: processo de reparo do DNA que envolve a exci-so de nucleotdeos defectivos e a substituio por nucleotdeos funcionais.Replicao em placa: mtodo de inoculao de vrios meios mnimos de cultura slidos, a partir de uma placa original, para reproduzir o mesmo padro de colnias em cada placa.Replicao semiconservativa: processo de replicao do DNA no qual cada mol-cula de fita dupla contm uma fita original e uma fita nova.Represso: processo pelo qual uma protena repressora pode parar a sntese de outra protena.Represso catablica: inibio do metabolismo de fontes alternativas de carbono pela glicose.Repressor: protena que se liga ao stio operador e previne a transcrio.Reservatrio de infeco: fonte contnua de infeco.Resistncia: habilidade de evitar doenas pelas imunidades inata e adaptativa.Resoluo: habilidade de distinguir detalhes finos pelo uso de instrumentos de magnificao; tambm chamada de poder de resoluo.Respirao: srie de reaes de oxirreduo que ocorrem em uma membrana com a gerao de ATP; o aceptor final de eltrons normalmente uma molcula inor-gnica.Respirao aerbica: respirao na qual o aceptor final de eltrons na cadeia trans-portadora de eltrons o oxignio molecular (O2).Respirao anaerbica: respirao na qual o aceptor final de eltrons na cadeia transportadora de eltrons uma molcula inorgnica diferente do oxignio mole-cular (O2); por exemplo, um on nitrato ou CO2.Respirao celular: veja respirao.Resposta anamnsica: veja resposta de memria.Resposta de memria: ampliao rpida do ttulo de um anticorpo aps exposio a um antgeno, depois da resposta primria a este antgeno; tambm chamada de resposta anamnsica ou secundria.Resposta primria: produo de anticorpos em resposta ao primeiro contato com um antgeno; veja tambm resposta de memria.Resposta secundria: veja resposta de memria.Retculo endoplasmtico (RE): rede membranosa de clulas eucariticas que co-necta a membrana plasmtica membrana nuclear.Retculo endoplasmtico rugoso (RER): retculo endoplasmtico com ribossomos em sua superfcie.Retort (abreviao de retortable pouch embalagem flexvel esterilizvel): meca-nismo para esterilizao de alimentos processados (enlatados) pelo uso de vapor sob Tortora_Glossrio.indd 869Tortora_Glossrio.indd 869 27/06/11 14:5227/06/11 14:52870 GlossrioGlossriopresso; o aparelho para esse tipo de esterilizao funciona pelo mesmo princpio de uma autoclave, sendo, entretanto, muito maior.RFLP (restriction fragment length polymorphism polimorfismo de tamanho do fragmento de restrio): fragmentos resultantes da digesto do DNA por enzimas de restrio.Ribose: acar de cinco carbonos que faz parte de molculas ribonucleotdicas e RNA.Ribossomo: stio de sntese proteica em uma clula, composto de RNA e protena.Ribozima: enzima que consiste em molcula de RNA e que age nas fitas dos RNAs nascentes removendo ntrons e unindo xons remanescentes.Risco relativo: comparao do risco de uma doena em dois grupos.Rizina: hifa semelhante a uma raiz que ancora o fungo a uma superfcie.RNA mensageiro (mRNA): tipo de molcula de RNA que direciona a incorporao de aminocidos em protenas.RNA ribossomal (rRNA): tipo de molcula de RNA que forma os ribossomos.RNA transportador (tRNA): tipo de molcula de RNA que carreia aminocidos at os stios ribossomais onde eles sero incorporados em protenas.RNAi: RNA de interferncia; silenciamento da expresso de genes ao nvel da trans-crio pelo uso de pequenos RNAs de interferncia que formam RNAs de fita dupla.S (unidade Svedberg): denota a taxa de sedimentao relativa durante centrifuga-es ultrarrpidas.Sal: substncia que se dissolve na gua formando ctions e nions, os quais no so H+ ou OH.Sanitarizao: remoo de micrbios de utenslios usados para alimentao e de reas de preparao de alimentos.Saprfita: organismo que obtm nutrientes a partir de matria orgnica morta.Sarcina: (1) grupo de oito bactrias que permanece dentro de um invlucro aps sua diviso; (2) quando escrito como gnero, se refere a cocos anaerbicos gram--positivos.Saturao: (1) condio na qual o stio ativo de uma enzima est ocupado pelo subs-trato ou produto durante todo o tempo; (2) quando relativo a cidos graxos, significa ausncia de ligaes duplas.Saxitoxina: toxina produzida por alguns dinoflagelados.Seleo artificial: escolha de um organismo a partir de uma populao para cresci-mento em busca de caractersticas desejveis.Seleo clonal: desenvolvimento de clulas B e T contra um antgeno especfico.Seleo natural: processo pelo qual um organismo que contm determinadas carac-tersticas hereditrias apresenta maior probabilidade de sobreviver e se reproduzir do que organismos contendo outras caractersticas.Seleo negativa (indireta): processo de identificao de mutaes pela seleo de clulas que no crescem aps a utilizao da metodologia de replicao em placa.Seleo positiva (direta): procedimento de seleo de mutantes por seu crescimento.Sensibilidade: percentual de amostras positivas corretamente diagnosticadas por determinado teste.Sensor de quorum (quorum sensing): habilidade das bactrias de se comunicar e coordenar comportamentos atravs de molculas sinalizadoras.Separador celular ativado por fluorescncia (fluorescence-activated cell sorter FACS): modificao do citmetro de fluxo que permite a contagem e a triagem de clulas marcadas com anticorpos fluorescentes.Sepse por gram-negativa: choque sptico causado por endotoxinas de bactrias gram-negativas.Sepse por gram-positiva: choque sptico causado por bactrias gram-positivas.Sepse: presena de toxina ou organismo patognico no sangue e nos tecidos.Septicemia: proliferao de patgenos no sangue, acompanhada de febre; eventual-mente pode causar danos a rgos.Septo: separaes semelhantes a paredes em hifas fngicas.Sequncia de insero (SI): tipo mais simples de transposon.Sequenciamento de DNA: processo pelo qual a sequncia nucleotdica do DNA determinada.Sequenciamento do RNA ribossomal (rRNA): determinao da ordem das bases nucleotdicas em um rRNA.Sequenciamento por fragmentao randmica (random shotgun sequencing): tcnica para determinao da sequncia nucleotdica do genoma de um organismo.Siderforo: protena bacteriana que se liga ao ferro.Silenciamento gnico: mecanismo que inibe a expresso gnica. Veja RNAi.Simbiose: convivncia entre dois organismos ou populaes diferentes.Sinal: mudana observvel e mensurvel devida a uma doena.Sinccio: clula gigante multinucleada que resulta de determinadas infeces virais.Sndrome: grupo de sinais ou sintomas especficos que acompanham uma doena.Sinergismo: princpio pelo qual a eficincia de duas drogas utilizadas simultanea-mente maior que durante o uso individual de qualquer uma delas.Sntese por desidratao: veja reao de condensao.Sintoma: mudana em uma funo corporal sentida por um paciente como resul-tado de uma doena.siRNA (pequeno RNA interferente): intermedirio do processo de RNAi no qual um longo RNA de fita dupla clivado em pequenos (21 nucleotdeos) RNAs de fita dupla.Sistema ABO de grupo sanguneo: classificao dos glbulos vermelhos com base na presena ou ausncia dos carboidratos antignicos A e B.Sistema de lodo ativado: processo utilizado no tratamento secundrio de esgotos no qual lotes de esgoto so mantidos em tanques altamente aerados; para garantir a presena de micrbios eficientes na degradao do esgoto, cada lote inoculado com pores de lodo de um lote previamente tratado.Sistema fagoctico mononuclear: sistema de macrfagos fixos localizados no bao, no fgado, nos linfonodos e na medula ssea vermelha.Sistema nervoso central (SNC): o crebro e a medula espinal; veja tambm sistema nervoso perifrico.Sistema nervoso perifrico (SNP): nervos que conectam as regies distais do corpo ao sistema nervoso central.Sistemtica: cincia que organiza grupos de organismos dentro de uma hierarquia.Stio (tecido) privilegiado: rea (ou tecido) do corpo onde no gerada uma res-posta imune.Stio alostrico: stio de uma enzima no qual um inibidor no competitivo se liga.Stio ativo: regio de uma enzima que interage com o substrato.Stios de ligao a antgeno: stio de um anticorpo que se liga a um determinante antignico.Solitria: platelminto pertencente classe Cestoda.Soluo hipertnica: soluo que contm uma concentrao maior de solutos do que uma soluo isotnica.Soluo hipotnica: soluo que contm uma concentrao menor de solutos do que uma soluo isotnica.Soluo isotnica: soluo na qual, aps a imerso de uma clula, a presso osmti-ca idntica atravs das membranas celulares.Soluto: substncia dissolvida em outra substncia.Solvente: meio que dissolve outra substncia.Sonda de DNA: fita curta e marcada de DNA ou RNA utilizada para localizar uma fita complementar em uma amostra de DNA.Soro: lquido remanescente aps a coagulao do plasma sanguneo; contm anti-corpos (imunoglobulinas).Soro: parte lquida do leite que se separa da coalhada.Soroconverso: mudana na resposta de um indivduo a um antgeno em um teste sorolgico.Sorologia: ramo da imunologia que estuda o soro sanguneo e as reaes antge-no-anticorpo in vitro.Sorotipo: veja sorovar.Sorovar: variao dentro de uma espcie; tambm chamado de sorotipo.Southern blotting: tcnica que usa sondas de DNA para detectar a presena de um DNA especfico dentre fragmentos de restrio separados por eletroforese.Substncia polimrica extracelular (SPE): glicoclice que permite s bactrias se aderirem a vrias superfcies.Substituio de base: substituio de uma nica base no DNA por outra base geran-do uma mutao; tambm chamada de mutao de ponto.Substrato: qualquer composto com o qual uma enzima reage.Superantgeno: antgeno que ativa muitas clulas T diferentes, induzindo uma res-posta imune intensa.Superinfeco: crescimento de um patgeno que desenvolveu resistncia a uma droga antimicrobiana em uso; crescimento de um patgeno oportunista.Superxido-dismutase (SOD): enzima que destri o superxido (O2 + O2 + 2H+ H2O2 + O2Suscetibilidade: falta de resistncia a uma doena.Talo: estrutura de suporte de algas multicelulares e basidiomicetos semelhante a um caule.Talo: estrutura ou corpo vegetativo inteiro de um fungo, lquen ou alga.Tampo: substncia que tende a estabilizar o pH de uma soluo.Taquizoto: forma de trofozoto de um protozorio que apresenta crescimento r-pido.Taxa: subdivises utilizadas para classificar organismos; p. ex., domnio, reino e filo.Taxa de morbidade: nmero de pessoas afetadas por uma doena em um dado pe-rodo em relao populao total.Taxa de mortalidade: nmero de mortes resultantes de uma doena em um dado perodo em relao populao total.Taxa de mutao: probabilidade de que um gene possa sofrer mutao cada vez que a clula se divide.Tortora_Glossrio.indd 870Tortora_Glossrio.indd 870 27/06/11 14:5227/06/11 14:52Glossrio 871GlossrioTaxia: movimento em resposta a um estmulo ambiental.TCR (receptor de clulas T): molcula de clulas T que reconhece antgenos.Tcnica do anticorpo fluorescente (FA): ferramenta de diagnstico que utiliza an-ticorpos marcados com fluorocromos vistos atravs de um microscpio de fluores-cncia; tambm chamada de imunofluorescncia.Tcnicas asspticas: tcnicas laboratoriais usadas para minimizar contaminaes.Tecnologia do DNA recombinante (rDNA): produo e manipulao de material gentico in vitro; tambm chamada de engenharia gentica.Teleomorfo: estgio sexuado no ciclo vital de um fungo; tambm se refere a um fungo que produz esporos assexuados e sexuados.Telmero: regies no codificadoras do DNA localizadas nas extremidades dos cro-mossomos eucariticos.Temperatura mxima de crescimento: a mais alta temperatura na qual uma espcie pode crescer.Temperatura mnima de crescimento: a mais baixa temperatura na qual uma es-pcie pode crescer.Temperatura tima de crescimento: temperatura na qual uma espcie atinge seu melhor nvel de crescimento.Tempestade de citocinas: produo exagerada de citocinas; pode causar dano ao corpo humano.Tempo de gerao: tempo necessrio para que uma clula ou populao dobre seu nmero.Tempo de morte trmica (TMT): perodo necessrio para matar todas as bactrias em um meio lquido em uma determinada temperatura.Tempo de reduo decimal (TRD): tempo (em minutos) necessrio para matar 90% de uma populao bacteriana em uma determinada temperatura; tambm cha-mado de valor D.Teoria celular: todos os organismos vivos so compostos por clulas e se originam de clulas preexistentes.Teoria da coliso: princpio pelo qual reaes qumicas ocorrem pelo ganho de energia gerado pela coliso de partculas.Teoria do germe da doena: princpio de que micro-organismos causam doenas.Teoria endossimbionte: modelo de evoluo dos eucariotos sugerindo que orga-nelas citoplasmticas se originaram de clulas procariticas vivendo dentro de um hospedeiro procarioto.Terapia antirretroviral altamente ativa (highly active antiretroviral therapy HAART): combinao de drogas usadas para o tratamento da infeco por HIV.Terapia gentica: tratamento de uma doena pela substituio de genes anormais.Terminador: stio na fita de DNA que determina onde a transcrio termina.Termodrico: resistente ao calor.Termfilo: organismo cuja temperatura tima de crescimento est entre 50 e 60oC; micrbio que aprecia o calor.Termfilo extremo: veja hipertermfilo.Teste da diluio de uso: mtodo para determinao da eficincia de um desinfe-tante utilizando diluies seriadas.Teste da reagina de plasma rpido (RPR): teste sorolgico para sfilis.Teste da tuberculina drmica (teste tuberculnico): teste drmico usado para de-tectar a presena de anticorpos contra Mycobacterium tuberculosis.Teste de aglutinao em lmina: mtodo de identificao de um antgeno combi-nando-o com um anticorpo especfico em uma lmina.Teste de aglutinao indireta (passiva): teste de aglutinao que utiliza um antge-no solvel ligado a ltex ou outras partculas pequenas.Teste de Ames: procedimento que utiliza bactrias para a identificao de agentes potencialmente carcinognicos.Teste de imunodifuso: teste que consiste em reaes de precipitao ocorrendo em meio contendo gel de gar.Teste de inibio da hemaglutinao viral: teste de neutralizao no qual anticor-pos contra um vrus em particular impedem que ele induza a formao de grumos de eritrcitos in vitro.Teste de Kirby-Bauer: veja mtodo de disco-difuso.Teste direto de aglutinao: uso de anticorpos conhecidos para identificar um ant-geno desconhecido ligado a uma clula.Teste do anel de precipitina: teste de precipitao realizado em um tubo capilar.Teste E: teste de difuso em gar para determinar sensibilidade a um antibitico usando uma tira plstica impregnada com concentraes variadas da droga.Teste FA direto: teste que utiliza um anticorpo conjugado a um elemento fluores-cente para identificar a presena de um antgeno.Teste FA indireto: teste com base em anticorpo fluorescente para detectar a presen-a de anticorpos especficos.Teste fermentativo: mtodo utilizado para determinar se uma bactria ou um fun-go capaz de fermentar um carboidrato especfico; normalmente feito em caldo de peptona contendo o carboidrato, um indicador de pH e um tubo invertido para prender o gs formado.Teste FTA-ABS (teste de absoro de anticorpo treponmico fluorescente): teste indireto com base em anticorpo fluorescente para deteco de sfilis.Teste lepromnico: teste na pele que determina a presena de anticorpos contra Mycobacterium leprae, agente causador da lepra.Teste sorolgico: tcnicas de identificao de um micro-organismo com base em sua reao a anticorpos.Teste VDRL (Laboratrio de Pesquisa em Doenas Venreas): teste de triagem rpido para detectar a presena de anticorpos contra Treponema pallidum.Testes de diluio: mtodo para determinao da concentrao inibitria mnima pela diluio seriada de uma droga antimicrobiana.Ttrade: grupo de quatro cocos.Tilacoide: membrana contendo clorofila em um cloroplasto; um tilacoide bacteria-no tambm conhecido como cromatforo.Timo: rgo de mamferos responsvel pela maturao do sistema imune.Tnea: infeco fngica na pele, nas unhas ou nos pelos.Tintura: soluo em lcool aquoso.Ttulo de anticorpos: quantidade de anticorpos no soro.Ttulo: estimativa da quantidade de anticorpos ou vrus em uma soluo; determi-nado por diluio seriada e expresso como a recproca da diluio.TLRs (receptores do tipo toll): protenas de localizao transmembrana em clu-las imunes que reconhecem patgenos e ativam respostas imunolgicas contra estes patgenos.Topoisomerase: enzima que relaxa o DNA superenrolado adiante da forquilha de replicao; separa crculos de DNA ao final da replicao.Toxemia: presena de toxinas no sangue.Toxicidade seletiva: propriedades de alguns agentes antimicrobianos de serem txi-cos para um micro-organismo e atxicos para o hospedeiro.Toxigenicidade: capacidade de um micro-organismo de produzir toxinas.Toxina A-B: exotoxina bacteriana constituda por dois polipeptdeos.Toxina do esporo do centeio (Ergot):* toxina produzida em esclertios pelo fungo Claviceps purpurea e que causa o ergotismo.Toxina shiga: exotoxina produzida por Shigella dysenteriae e E. coli entero-hemor-rgica.Toxina: qualquer substncia venenosa produzida por um micro-organismo.Toxoide: toxina inativada.Traduo: uso de mRNA como molde para a sntese de protenas.Trans: tomos de hidrognio em lados opostos de uma ligao dupla em cidos gra-xos; veja cis.Transaminao: transferncia de um grupo amina de um aminocido para outro cido orgnico.Transcrio: processo de sntese de RNA a partir de um molde de DNA.Transcriptase reversa: DNA-polimerase RNA-dependente; enzima que sintetiza um DNA complementar a partir de um molde de RNA.Transduo: transferncia de DNA de uma clula a outra atravs de um bacterifa-go; veja tambm transduo generalizada e transduo especializada.Transduo especializada: processo de transferncia de um pedao de DNA adja-cente a um profago para outra clula.Transduo generalizada: transferncia de fragmentos de cromossomos bacteria-nos de uma clula para outra atravs de um bacterifago.Transferncia horizontal de genes: transferncia de genes entre dois organismos na mesma gerao. Veja tambm transferncia vertical de genes.Transferncia vertical de genes: transferncia de genes de um organismo ou clula para sua prognie.Transferrina: protena humana que se liga ao ferro, reduzindo sua disponibilidade a um patgeno.Transformao: (1) processo no qual genes so transferidos de uma bactria a outra na forma de DNAs nus em soluo; (2) mudana de uma clula normal para uma clula cancerosa.Translocao de grupo: tpica de procariotos; constitui transporte ativo no qual a substncia quimicamente modificada durante o transporte atravs da membrana citoplasmtica.Transmisso biolgica: transmisso de um patgeno de um hospedeiro para outro quando o patgeno se reproduz em um vetor.Transmisso mecnica: processo pelo qual artrpodes transmitem uma infeco pelo transporte de patgenos em seus ps ou outras partes do corpo.* N. de T. Embora o termo toxina do esporo do centeio exista, o termo internacional Ergot frequentemente utilizado sem traduo pela literatura tcnico-cientfica na lngua portuguesa.Tortora_Glossrio.indd 871Tortora_Glossrio.indd 871 27/06/11 14:5227/06/11 14:52872 GlossrioGlossrioTransmisso por contato: disseminao de uma doena por contato direto ou in-direto, ou por gotculas.Transmisso por contato direto: modo de transmisso de uma infeco de um hospedeiro para outro por algum tipo de associao prxima entre os hospedeiros.Transmisso por contato indireto: propagao de patgenos por fmites (objetos inanimados).Transmisso por gotculas: transmisso de uma infeco pelo contato com peque-nas gotculas de lquido carreando micro-organismos.Transmisso veicular: transmisso de um patgeno a partir de um reservatrio inanimado.Transplante alognico: transplante de tecido que no oriundo de um doador ge-neticamente idntico (isto , no prprio ou de um gmeo idntico).Transplante autlogo: transplante de tecido oriundo do prprio indivduo.Transplante isognico: transplante de tecido oriundo de um doador geneticamente idntico (isto , de um gmeo idntico).Transporte ativo: movimento global de uma substncia, atravs de uma membrana, contra um gradiente de concentrao; requer gasto de energia pela clula.Transposon: pequeno fragmento de DNA que pode se mover de uma molcula de DNA para outra.Tratamento 12D: processo de esterilizao que resulta em um decrscimo no n-mero de endosporos de Clostridium botulinum da ordem de 12 ciclos logartmicos.Tratamento por temperatura ultra-alta (UHT): mtodo de esterilizao de ali-mentos a altas temperaturas (140-150oC) por perodos bastante curtos, de modo que possam ser estocados a temperatura ambiente.Tratamento primrio de esgoto: remoo de resduos slidos do esgoto, mantido em tanques ou lagos, pela sedimentao dos resduos.Tratamento secundrio de esgotos: degradao biolgica da matria orgnica de esgotos em seguida ao tratamento primrio.Tratamento tercirio de esgoto: mtodo de tratamento de esgotos que se segue ao tratamento secundrio convencional; poluentes no biodegradveis e nutrientes mi-nerais so removidos, normalmente por mtodos fsicos ou qumicos.Tratamentos equivalentes: diferentes mtodos que apresentam o mesmo efeito em relao ao controle do crescimento microbiano.Trifosfato de adenosina (ATP): importante fonte de energia intracelular.Triglicerdeo: lipdeo simples que consiste em glicerol e trs cidos graxos.Trofofase: perodo na curva de produo de uma populao celular industrial no qual metablitos primrios so produzidos; perodo de crescimento rpido, logart-mico. Veja tambm idiofase.Trofozoto: forma vegetativa de um protozorio.Turbidez: opacidade de uma suspenso.Ubiquinona: carreador no proteico, de baixo peso molecular, de uma cadeia trans-portadora de eltrons; tambm chamada de coenzima Q.ufc (unidade formadora de colnias): colnias bacterianas visveis em meio slido.ufp (unidades formadoras de placa): placas virais visveis e contveis.Vacina: preparao contendo micro-organismos mortos, inativados ou atenuados, ou toxoides, para induzir artificialmente imunidade ativa adquirida.Vacina acelular: vacina constituda por partes antignicas de clulas.Vacina BCG: amostra viva e atenuada de Mycobacterium bovis utilizada para gerar imunidade contra a tuberculose.Vacina conjugada: vacina constituda pelo antgeno desejado e por outras protenas.Vacina de DNA: vacina constituda de DNA, normalmente na forma de um plas-mdeo.Vacina de subunidade: vacina composta por um fragmento antignico.Vacina DTaP: vacina combinada, contendo toxoides da difteria e do ttano e frag-mentos celulares de Bordetella pertussis, para gerao de imunidade ativa.Vacina recombinante: vacina produzida por tcnicas envolvendo DNA recombi-nante.Vacina viva atenuada: vacina contendo micro-organismos vivos atenuados (enfra-quecidos).Vacinao: processo de gerao de imunidade pela administrao de uma vacina; tambm chamada de imunizao.Vacolo: incluso intracelular de clulas eucariticas circundada por uma membra-na plasmtica; em clulas procariticas, circundada por uma membrana proteica.Vacolo de gs: incluso procaritica para compensao da flutuabilidade.Valncia: capacidade de um tomo ou molcula de se combinar.Valor D: veja tempo de reduo decimal.Vancomicina: antibitico que inibe a sntese de parede celular.Variao antignica: mudanas nos antgenos de superfcie que ocorrem em uma populao microbiana.Variolao: mtodo antigo de vacinao utilizando material infectado oriundo de um paciente.Vasodilatao: dilatao ou alargamento de vasos sanguneos.Vegetativo: se refere a clulas envolvidas na obteno de alimentos em vez de re-produo.Vermes redondos: animais pertencentes ao filo Nematoda.Vescula: (1) pequena elevao na pele preenchida por soro; (2) corpsculos ovais e lisos formados nas razes de plantas por micorrizas.Vescula de armazenamento: organelas que se formam a partir do complexo de Golgi; contm protenas produzidas no RE e processadas no complexo de Golgi.Vescula de transferncia: vesculas membranosas que movem protenas do com-plexo de Golgi para reas especficas da clula.Vescula de transporte: vesculas membranosas que movem protenas do RE rugoso para o complexo de Golgi.Vescula secretora: vescula envolvida por membrana produzida pelo RE; transpor-ta material sintetizado para o citoplasma.Vetor de transferncia: plasmdeo que pode existir em vrias espcies diferentes; usado em engenharia gentica.Vetor: (1) plasmdeo ou vrus utilizado em engenharia gentica para inserir genes em uma clula; (2) artrpode que carreia micro-organismos causadores de doena de um hospedeiro para outro.Via anfiblica: uma via que tanto anablica quanto catablica.Via das pentoses-fosfato: via metablica que pode ocorrer simultaneamente gli-clise para produzir pentoses e NADH sem a gerao de ATP; tambm chamada de desvio da hexose-monofosfato.Via de Embden-Meyerhof: veja gliclise.Via de Entner-Doudoroff: via alternativa para a oxidao da glicose a cido pir-vico.Via metablica: sequncia de reaes enzimaticamente catalisadas que ocorrem dentro de uma clula.Via parenteral: via de entrada de patgenos no organismo por sua deposio direta em tecidos abaixo da pele e da membrana mucosa.Vibrio: (1) bactria curva ou em forma de vrgula; (2) quando escrito como gnero (Vibrio), se refere a um bastonete curvo, gram-negativo, mvel, anaerbico facul-tativo.Vigilncia imunolgica: resposta imune do organismo ao cncer.Viremia: presena de vrus no sangue.Vrion: partcula viral completa e totalmente desenvolvida.Viroide: RNA infeccioso.Virologia: estudo cientfico dos vrus.Virulncia: grau de patogenicidade de um micro-organismo.Vrus: agente filtrvel, submicroscpico, parastico, que consiste em um cido nu-cleico circundado por um invlucro proteico.Vrus complexo: vrus de estrutura complicada, como o bacterifago.Vrus oncognico: vrus capaz de induzir a formao de tumor; tambm chamado de oncovrus.Volutina: fosfato inorgnico estocado em uma clula procaritica; veja tambm gr-nulo metacromtico.Western blotting: tcnica que usa anticorpos para detectar a presena de protenas especficas separadas por eletroforese.Xenobiticos: substncias qumicas sintticas que no so imediatamente degrada-das por micro-organismos.Xenodiagnstico: mtodo de diagnstico com base na exposio de um hospedeiro normal, livre de parasitas, a um parasita, seguido do exame e da localizao destes parasitas no hospedeiro.Xenotransplante: tecido transplantado de outra espcie.Zigsporo: esporo sexuado fngico, caracterstico de zigomicetos.Zigoto: clula diploide produzida pela fuso de dois gametas haploides.Zona bntica: sedimento encontrado no fundo de um corpo de gua.Zona de inibio: rea onde h ausncia de crescimento bacteriano ao redor de um agente antimicrobiano pelo mtodo de disco-difuso.Zona limntica: zona superficial, distante da margem, de um corpo interno (con-tinental) de gua.Zona litornea: regio ao longo da margem do oceano ou de um grande lago onde h considervel vegetao e a luz penetra at o fundo.Zona profunda: guas profundas, abaixo da zona limntica, em um corpo interno (continental) de gua.Zoonose: doena que ocorre principalmente em animais selvagens e domsticos, mas que pode ser transmitida aos seres humanos.Zosporo: esporo assexuado de algas; possui dois flagelos.Tortora_Glossrio.indd 872Tortora_Glossrio.indd 872 27/06/11 14:5227/06/11 14:52