Procedimento Limpeza CONDOMINIOS HOSPITALAR NOS FAZEMOS(11)98950 3543

  • Published on
    18-Dec-2014

  • View
    1.034

  • Download
    7

DESCRIPTION

Este protocolo uma elaborao de nossa empresa onde atravez de vrios anos na rea de limpeza conseguimos junto com nossos colaboradores e que so nossos funcionrios tambm poder de alguma forma elaborar uma cartilha para as prximas pessoas que contempladas forem tiverem o privilegio de estar em nosso quadro de funcionrios: Este manual dedicado ao Sr. Ernesto Pesce pela vocao de ajuda ao prximo.

Transcript

  • 1. Manual de Limpeza HOSPITAISEste protocolo uma elaborao de nossa empresa onde atravez de vrios anos na rea de limpeza conseguimos junto com nossos colaboradores e que so nossos funcionrios tambm poder de alguma forma elaborar uma cartilha para as prximas pessoas que contempladas forem tiverem o privilegio de estar em nosso quadro de funcionrios: Este manual dedicado ao Sr. Ernesto Pesce pela vocao de ajuda ao prximo. 1. INTRODUO 2. NOES BSICAS DE HIGIENIZAO E DEFINIES DE NECESSIDADES 3. DEFINIES E CONCEITOS 4. NOES DE INFECO HOSPITALAR CLASSIFICAO DE REAS HOSPITALARES SUPERFCIES HOSPITALARES TIPOS DE LIMPEZA
  • 2. SOLUES DESINFETANTES UTILIZADAS NA LIMPEZA HOSPITALAR TCNICAS DE LIMPEZA HOSPITALAR 5. USO DE EPIs APRESENTAO UTILIZAO NO DIA A DIA PRECAUES NO SEU TRABALHO 1. INTRODUO A higiene e a ordem so elementos que concorrem decisivamente para a sensao de bem-estar, segurana e conforto dos profissionais, pacientes e familiares. O servio de limpeza Hospitalar tem particular importncia no Controle das Infeces, por garantir a limpeza e desinfeco de reas hospitalares. O aparecimento de infeces no ambiente hospitalar pode estar relacionado ao uso de tcnicas de limpezas inadequadas, descontaminao de superfcies e de artigos hospitalares incorretos e manuseio do lixo hospitalar sem proteo adequada. Devido ao uso incorreto das prticas e rotinas de trabalho se faz necessrio estabelecer o aperfeioamento de tcnicas eficazes de controle e preveno as infeces hospitalares que vo gerar garantias de proteo ao trabalhador durante a execuo de suas tarefas. Baseados nestes princpios criamos para voc dentro do Treinamento em Bios-segurana aulas de manipulao de material biolgico com as quais ter oportunidade de adquirir novos conhecimentos e tirar dvidas sobre a conduo e repercusso do seu trabalho no ambiente hospitalar. Este manual tem por objetivo orientar quanto aos tipos de limpeza e desinfeco nesta Instituio. II - SERVIO DE LIMPEZA HOSPITALAR a- Os funcionrios de limpeza hospitalar devem:
  • 3. - manter perfeita higiene pessoal (banho dirio, cabelos limpos, penteados e presos, unhas limpas e aparadas); - usar uniforme limpo; - usar equipamento de proteo individual (EPI) quando recomendado; - lavar as mos com gua e sabo aps o uso do sanitrio, antes da alimentao, ao iniciar e terminar as atividades. a-1- Lavagem das mos A lavagem das mos sempre foi o ponto chave do controle de infeces. A lavagem simples das mos o procedimento individual mais importante na preveno das infeces hospitalares, 80% das infeces hospitalares podem ser evitadas atravs da correta lavagem das mos. Deve ser realizada aps os procedimentos de limpeza. Tcnica de Lavagem Correta das Mos: Abrir a torneira. Molhar as mos e aplicar o sabo de preferncia lquido. Friccionar as mos com sabo durante 15 segundos. Enxaguar as mos. Enxugar as mos compapel toalha. Fechar a torneira como papel toalha utilizado no item 5. Amostra da Tcnica de Lavagemde Mos - retirar anis, pulseiras e relgios. - lavar todas as superfcies, o dorso, a regio palmar, entre os dedos e ao redor das unhas. Para completar: lavar os antebraos. - secar com papel toalha. b- rea Fsica O servio de limpeza necessita de local especfico e prprio para guarda de material e equipamento, este local dever possuir um tanque e ser localizado em rea de fcil acesso e com boa ventilao. A dimenso desta rea depende da necessidade do prprio hospital. c- Equipamento e Material de Consumo O servio de limpeza deve dispor dos seguintes equipamentos e materiais : - escovas (preferir as com base de plstico);
  • 4. - rodos; - baldes; - escadas (anti-derrapantes); - panos; - esponjas; - enceradeiras; - toalhas de papel; - dispositivos para pendurar vassouras e rodos; - sabo lquido; - desinfetantes (de acordo com a padronizao da CCIH do Hospital); - sacos plsticos (10, 20, 60, 100 L) cor branco e cor preta: - estante com prateleira; - armrios com chave, para guarda de produtos e ou substncias perigosas (cidos, venenos, etc..) devidamente rotuladas e tampadas; - carrinho para transporte do material de limpeza; - carrinho para transporte do lixo; 2. DEFINIES E CONCEITOS LIMPEZA: a remoo de todo material estranho ( sujeira, matria orgnica ) de objetos ou superfcies. DESINFECO: Processo que elimina microrganismos patognicos em objetos inanimados com a exceo de esporos bacterianos. DESCONTAMINAO: o processo que remove microrganismos patgenicos dos objetos, tornando o seguro para o manuseio. DESINFETANTE: um agente que destri microorganismos, particularmente organismos patgenicos. INFECO: o resultado da penetrao e multiplicao de um agente infeccioso especfico no organismo. AGENTE INFECCIOSO: So seres microscpios que no so visveis a olho nu ( bactrias, vrus, fungos, etc ). HOSPEDEIRO:
  • 5. Homem ou animal que oferea, em condies naturais, condies para alojar um agente infeccioso. CONTAMINAO: Transferncia do agente infeccioso para um organismo, objeto ou substncia. CONTGIO: Transmisso do agente infeccioso de um doente ou portador para outro indivduo. MATRIA ORGNICA: So secrees ou excrees do organismo ( pus, sangue, vmito, fezes, urina, etc ). 3. NOES DE INFECO HOSPITALAR Infeco hospitalar e qualquer infeco adquirida aps a admisso do paciente no hospital e que se manifesta durante a internao ou aps a alta, quando relacionada com a internao. Uma infeco hospitalar acrescenta, em mdia cinco a dez dias ao perodo de internao. Eleva os custos e se constitui em importante causa de morte durante a hospitalizao. A preveno das infeces hospitalares deve constituir o objetivo de todos os profissionais. Para que ocorra a infeco hospitalar necessrio que exista : CLASSIFICAO DE REAS HOSPITALARES As reas hospitalares podem ser classificadas em trs categorias de acordo com o seu potencial de contaminao, facilitando desta forma os procedimentos de limpeza destas reas. a)REAS CRTICAS So aquelas que oferecem maior risco de infeco pelas atividades de risco desenvolvidas e pela presena de pacientes graves. Exemplos : .Centros Cirrgicos .Central de Material e Esterilizao .CTI .Lactrio .Laboratrio .Banco de Sangue b)REAS SEMI- CRTICAS
  • 6. So aquelas que oferecem menor risco de contaminao. Exemplos : .Enfermarias .Farmcia .Ambulatrios .Copa e Cozinha .Corredores dos ambulatrios .Elevadores .Radiologia c)REAS NO CRTICAS So aquelas que, teoricamente, no apresentam risco de contaminao. Exemplos : .reas Administrativas .Biblioteca .Depsitos em geral .Almoxarifado .Vestirios .Anfiteatros .Arquivo Mdico. SUPERFCIES HOSPITALARES As superfcies hospitalares fixas ( pisos, paredes, tetos, portas, mobilirios e equipamentos ) no representam risco significa Ativo de transmisso de infeco na rea hospitalar, tornando-se desnecessrio a desinfeco ambiental de rotina, a menos que haja respingo ou deposio de matria orgnica, quando recomendada a desinfeco localizada. Nas superfcies hospitalares fixas, a limpeza deve ser realizada sempre que apresentar sujidade utilizando gua e Sabo. Na presena de Matria Orgnica ( sangue, vmitos, escarro, etc ) na pia proceder a retirada com papel toalha da mesma, lavar com gua e sabo e secar e aps aplicar o desinfetante (hipoclorito de sdio), remover, limpar com
  • 7. gua e sabo o restante da rea e secar as superfcies. Passos seqenciais: Superfcie com presena de matria orgnica, Retirar matria orgnica com pano ou papel desprezando em lixeira de resduo infectante. Lavar com gua e sabo e secar Aplicar o desinfetante (hipoclorito de sdio) Aps tempo de ao remover desinfetante da rea (tempo de ao 10minutos) Limpar com gua e sabo o restante da rea TIPOS DE LIMPEZA No hospital sero realizadas limpezas e desinfeces de acordo comas necessidades das reas especficas. ATENO!! Recolher o lixo, antes de qualquer tipo de limpeza. As latas de lixo devero ser esvaziadas ao atingir 2/3 de sua capacidade. Lavar as latas e tampas de lixo sempre que necessrio. a- Limpeza diria aquela realizada diariamente utilizando gua, sabo e frico mecnica, aps a retirada do lixo. b- Limpeza concorrente aquela realizada nas dependncias, durante a ocupao dos pacientes. Deve-se: - retirar o lixo e resduos em saco plstico, recolher jornais e revistas; - recolher a roupa suja em saco plstico e encaminh-la para lavanderia; - retirar o p dos mveis com pano mido. Secar com pano seco e limpo; - passar pano mido com gua e sabo no cho, aps, secar com pano limpo e seco; - limpar o banheiro; - organizar a unidade. c- Limpeza terminal
  • 8. aquela realizada aps alta do paciente, transferncia, bito .Utiliza-se gua, sabo e desinfetante. Compreende a limpeza de superfcies horizontais, verticais e a desinfeco do mobilirio. O uso de solues desinfetantes restrito ao mobilirio, mesas auxiliares, colches,macas, focos, bancadas, etc..., o seu uso desnecessrio em pisos, paredes e tetos. DESINFETANTES UTILIZADOS NA LIMPEZA HOSPITALAR So agentes qumicos capazes de destruir bactrias, fungos e vrus em um intervalo de tempo operacional, isto no mximo de 30 minutos. Tipos de solues desinfetantes : a) lcool 70% : O lcool etlico tem maior atividade germicida, menor custo e menor toxicidade. Desinfeco de nvel intermedirio ou mdio de artigos e superfcies, com tempo de exposio de 10 minutos. As aplicaes devem ser feitas da seguinte forma : friccionar lcool 70%, esperar secar e repetir trs vezes a aplicao. contra indicado o uso em acrlico, enrijece borracha e tubos plsticos. Indicao de uso : Superfcies externas de equipamentos metlicos; Partes metlicas de aparelhos; Macas, camas, colches e mesas de exames; Bancadas. b) Hipoclorito de Sdio : Desinfeco de mdio nvel de artigos e superfcies. Desinfeco de qualquer superfcie contaminada = 10 minutos, com 1% de cloro ativo. Seu uso limitado pela presena de matria orgnica. As solues devem ser estocadas em frascos fechados e escuros ( opacos ). No utilizar em metais devido a corrocividade. TCNICAS DE LIMPEZA
  • 9. Todo o procedimento dever ser realizado acompanhado do Equipamento de Proteo Individual (EPI ) especfico em relao natureza do risco ao qual o profissional est exposto. Limpeza: realizada atravs de frico mecnica, utilizando gua e Sabo,auxiliada por esponja, pano, escova com a finalidade de remover a sujidade. Deve preceder a desinfeco. Desinfeco: realizada utilizando-se Agentes Qumicos e Fsicos, e tem a finalidade de eliminar microrganismos. Operaes de Limpeza 1) Varrer ou Aspirar uma operao de higiene que visa remover a sujidade do cho. Em ambiente hospitalar, esta operao s deve ser feita com aspirador, onde houver tapete, isto , em locais de administrao. O uso de vassouras em qualquer outra rea hospitalar contra indicado, pois, ao se usar vassoura levantam-se microrganismos juntamente com a poeira,pode-se aspir-los, ou ainda contaminar artigos e equipamentos presentes nesta rea. 2) Lavar a operao de higiene que visa a remoo de detritos mediante o uso de gua e sabo neutro. Inclui a remoo de detritos soltos, lavagem, enxague e secagem. Como proceder : Preparar dois baldes, um com gua e sabo lquido e o outro com gua limpa; Levar o material at a rea a ser limpa; Retirar os detritos soltos com um pano mido e limpo colocado em volta de um rodo; Molhar o local a ser lavado com a soluo de gua e sabo; Passar a mquina de lavar no cho, com movimentos circulares e movimentando para frente e para trs. Na falta de tal mquina, usar rodo ou vassoura envolvido em pano para frico mecnica; Remover a soluo suja com o rodo; Repetir a operao se necessrio;
  • 10. Passar o rodo com pano mido embebido em gua limpa para enxaguar o cho; Repetir o processo at que o cho fique bem limpo; Passar o pano seco enrolado no rodo para secar bem o cho; Limpar e guardar o equipamento. OBS : Mudar a gua sempre que necessrio. 3) Passar Pano a operao de limpeza que visa esfregar ou limpar uma rea do cho ou mveis, com pano mido. Como proceder : Tcnica dos dois baldes Preparar dois baldes, os dois com a mesma soluo detergente ou desinfetante ; Levar o material para o local a ser limpo ou desinfetado; Molhar o pano na soluo preparada e pass-lo em movimentos retos para frente e paratrs ( da primeira vez, juntar o lixo que esteja no cho ); Mergulhar sempre que necessrio, o pano no balde nmero 1, que o que tem a soluo mais suja, torcer e mergulhar no balde nmero 2, que tem soluo mais limpa e torcer. Se for usada soluo desinfetante basta usar esta soluo, pois seu uso j implica em limpeza prvia com gua e sabo, no deve passar pano com gua depois disso; porm, se a soluo for feita com sabo lquido, deve-se enxaguar o cho com gua limpa; lavar os baldes, enxagua-los em local prprio, encaminhar os panos para lavanderia. OBS : Trocar a gua com o sabo lquido ou desinfetante sempre que estiver suja. 4) Encerar uma operao de limpeza que visa aplicar uma camada de cra sobre uma rea. Ela visa diminuir o desgaste e a penetrao de sujeira e melhorar a aparncia. Como proceder : Levar o material at a rea a ser encerada; O cho deve estar limpo e seco; Reunir os mveis para deixar a rea livre; Colocar a cra necessria num balde;
  • 11. Molhar o pano e aplicar uma camada fina com movimentos longos e restos numa s direo; Deixar secar durante meia hora; Dar brilho com a enceradeira; Guardar o equipamanto. PERIODICIDADE DA LIMPEZA (REGRA GERAL) -Diariamente a- Recolher o lixo dentro dos critrios de coleta seletiva b- Limpar o p dos mveis e acessrios c- Limpar os banheiros (incluindo os seus acessrios) d- Limpar o piso e paredes e- Repor papel higinico, papel toalha e sabo lquido f- Limpar aparelhos telefnicos de FAX e orelhes -Semanalmente a- Lavar as lixeiras e secar b- Lustrar mveis de madeira c- Limpar os aparelhos de ar condicionado d- Limpar as paredes azulejadas e- Limpar as portas f- Limpar as geladeiras -Quinzenalmente a- Polimento dos acessrios de metais b- Limpeza dos vidros, janelas, peitoris e basculhantes c- Limpeza de esquadrias d- Limpar persianas -Mensalmente a- Limpeza geral das paredes, colunas e tetos b- Limpeza dos aparelhos de iluminao c- Limpeza de telhados e calhas Tcnica para limpeza e desinfeco 1) Tcnica de limpeza de piso Recolher todos os resduos encontrados em saco plstico branco, cuidadosamente, com a menor agitao possvel. Retirar o lixo devidamente ensacado. Lavar as cestas de lixo e substituir os sacos plsticos. Molhar o local a ser lavado com gua e sabo. Passar a mquina de lavar cho com movimento os circulares e movimentando para frente e para trs. Remover a soluo suja do rodo.
  • 12. Repetir a operao se necessrio. Passar o rodo com pano mido embebido em gua limpa, para enxaguar o cho. Passar pano seco envolvido num rodo para secar bem o cho. Limpar e guardar o equipamento. OBS : Na falta da mquina, proceder limpeza dos pisos com pano e rodo. 2) Limpeza de paredes e teto No precisam ser lavados diariamente e sim conforme planejamento de limpeza geral do setor. Limpar primeiro o teto e depois a parede com movimentos de cima para baixo. Afastar sempre os mveis do local a ser limpo para no danific-los; retorn-los para o lugar ao final da limpeza. 3) Limpeza de pias Levar o material de limpeza para junto das pias. Retirar detritos da abertura do esgoto, usando um gancho. Molhar um pano e torcer. Espalhar desinfetante (hipoclorito de sdio) sobre a superfcie e esfregar. Lavando a pia por dentro e por fora. Lavar as torneiras e encanamento sob o lavatrio. Enxaguar a superfcie e secar com um pano seco. Lustrar o metal com pano seco Recolher, limpar e guardar o material usado. 4) Limpeza dos vasos sanitrios Preparar o equipamento necessrio: pano, escovas de plstico, baldes, sabo, desinfetantes, luvas de borracha. Encher um balde com gua limpa e outro com soluo de gua e sabo. Levantar o assento. Dar a descarga. Lavar o exterior do vaso, o assento de ambos os lados, dobradias e partes prximas do cho. Esfregar o interior do vaso com a escova, inclusive a rea sobre a borda.
  • 13. Enxaguar com gua limpa, secar com pano limpo o exterior do vaso, assento e dobradia. Dar nova descarga. Passar pano com soluo de hipoclorito de sdio sobre o assento e a tampa do vaso. Recolher, limpar e guardar o material. 5) Limpeza dos quartos comuns e de isolamento Notificar os pacientes e ou acompanhantes sobre a limpeza. Abrir as janelas. Recolher o lixo, resduos e roupas sujas em saco plstico. Limpar mesa de cabeceira, suporte se soro, escadinha, com pano mido em gua e sabo. Secar com pano limpo e seco. Limpar cama do paciente ( colcho e partes metlicas ), com gua, sabo e frico mecnica. Aplicar lcool 70% no colcho e nas partes metlicas. Limpar o piso de acordo com a tcnica nmero 2. Lavar cestas de lixo e substituir sacos plsticos. Limpar e desinfetar mesas e bancadas de acordo com a tcnica nmero 7. OBS : Seguir a seguinte ordem para limpeza mesa de alimentao, mesa de cabeceira,cadeira e cama. 6) Limpeza dos postos de enfermagem Recolher objetos dispersos pelo balco e entreg-los a enfermagem. Recolher lixo e resduos em sacos plsticos. Remover o p dos armrios, balces, mesas, cadeiras, bancadas com pano mido em gua e sabo. Enxugar com pano seco e friccionar as bancadas de medicao com pano embebido em lcool 70%. Limpar o piso com gua e sabo ( tcnica de limpeza de piso nmero 2 ) Colocar sacos plsticos nos baldes de lixo. Prover material em lavabos e sanitrios ( sabo, papel toalha, etc ). 7) Limpeza de mesas e bancadas de preparo de medicao Passar pano mido com gua e sabo. Passar pano embebido em gua para enxaguar.
  • 14. Secar com pano limpo e seco. Friccionar com lcool 70%, em trs aplicaes. 8) Limpeza de salas de exames (procedimentos) Recolher o lixo e resduos em sacos plsticos. Limpar mesas, balces, armrios, cadeiras com pano mido em gua e sabo. Enxaguar com pano embebido em gua limpa. Secar com pano limpo e seco. Friccionar com pano embebido em lcool 70%, em 3 aplicaes. Limpar o piso de acordo com a tcnica nmero 2. 9) Limpeza e desinfeco de cozinha Recolher o lixo e resduos em sacos plsticos Limpar mesas, bancadas, armrios, prateleiras, cadeiras, com pano mido em gua e sabo. Enxaguar com pano embebido em gua limpa. Secar com pano limpo e seco. Friccionar com pano embebido em lcool 70% , em 3 aplicaes. Lavar e desinfetar a geladeira com gua e sabo ( semanalmente ) Limpar piso de acordo com a tcnica nmero 2. 10) Refeitrio Limpeza com gua e sabo do piso, mesas e cadeiras, aps cada turno de alimentao. Limpeza de paredes e tetos e janelas uma vez por ms. 11) Limpeza de ar condicionado Retirar os filtros Lavar os filtros com gua e sabo Enxaguar em gua corrente Retirar o excesso de gua e colocar para secar Limpar com pano mido o aparelho Recolocar os filtros SECOS no aparelho 12) Limpeza de aparelhos telefnicos, FAX e orelhes Limpar com pano mido Friccionar lcool a 70% em toda a superfcie incluindo os cabos 13) Limpeza de persianas Abaixar a persiana Colocar as lminas em posio horizontal
  • 15. Com pano mido, tirar o p das lminas da persiana, da moldura da janela, parapeito e rea em volta da persiana As fitas no devem ser molhadas 14) Limpeza de Luminrias Desligar a corrente eltrica Remover a poeira da lmpada e da luminria com pano mido Secar bem a luminria e a lmpada Periodicidade e Tipos de Limpeza e Desinfeco de acordo com os setores e unidades -A- Unidades de Internao quartos comuns - Limpeza concorrente diria - limpeza terminal - B- Quartos de Isolamento de Contato (MRSA) e UTI - Limpeza terminal - Passar pano mido com gua, sabo e hipoclorito no piso diariamente - Passar pano mido com gua, sabo e hipoclorito na parede encostada ao leito diariamente - Desinfeco diria com lcool 70% no mobilirio - Esta rea dever possuir material prprio para sua limpeza (balde e panos -C- Corredores - Limpeza diria e sempre que necessria no piso - Limpeza mensal e sempre que necessria de parede, teto - Limpeza quinzenal e sempre que necessria de janelas, peitoris e basculhantes - Os corredores bem como as escadas devero ser divididos em dois lados direito e esquerdo e sinalizados com placas de CUIDADO CHO MOLHADO para evitar acidentes -D-Limpeza de Elevadores - Limpeza diria e sempre que necessria - Recolher em saco plstico todos os resduos encontrados, sempre que necessrio - Passar pano mido com gua e sabo nas paredes e piso do elevador, diariamente e sempre que necessrio - Secar com pano seco -E- Sala de procedimentos Sempre que necessrio, aps consulta ou exame mdico: - Recolher o lixo e resduos em saco plstico - Desinfeco de mesas e bancada
  • 16. - Limpeza e desinfeco semanal da geladeira. Utilizar lcool a 70% (friccionando 3 vezes), exceto nas borrachas Ao trmino de cada dia: - Limpeza terminal -F- Posto de enfermagem - Limpeza diria - Desinfeco de mesas e bancada de preparo de medicao - Limpeza mensal de paredes e tetos M - Limpeza dos Expurgos Sempre que necessrio: - Retirar o lixo devidamente ensacado - Lavar cestas de lixo e substituir sacos plsticos - Lavar tanque com gua e sabo - Limpar com pano mido com gua, sabo e hipoclorito o piso - Lavar panos de cho, rodos, com gua e sabo - Retirar as luvas, lavar com gua e sabo, enxaguar em gua corrente e secar N - Limpeza da Sala de Preparo de Material e Esterilizao (CME) - Limpeza diria - Retirar o lixo devidamente ensacado - Lavar cestas de lixo e substituir sacos plsticos - Desinfeco de mesas e bancada de preparo de material - Passar pano mido com gua, sabo e hipoclorito no piso - Limpeza mensal de paredes e tetos - Esta rea dever possuir material prprio para sua limpeza (balde e panos) O - Limpeza da Sala de Guarda de Material (CME) - Limpeza diria - Retirar o lixo devidamente ensacado - Lavar cestas de lixo e substituir sacos plsticos - Desinfeco de mesas e bancada de preparo de material - Passar pano mido com gua, sabo e hipoclorito no piso - Limpeza mensal de paredes e tetos - Esta rea dever possuir material prprio para sua limpeza (balde e panos) P - Limpeza das Varandas - Limpeza diria - Retirar o lixo devidamente ensacado - Lavar cestas de lixo e substituir sacos plsticos
  • 17. - Limpeza com gua e sabo e desinfeco de mesas, cadeiras e bancos reas administrativas: quarto de repouso dos profissionais de sade, salas das chefias e de prescrio Limpeza diria Cuidados com utenslios de limpeza Escovas Devem ser lavadas com gua e sabo diariamente aps o uso e postas para secar com cerdas para baixo. Baldes Devem ser lavados diariamente ou desinfetados. Guarda-los limpos, secos e embocados. Panos todos os panos, aps uso, devem ser lavados com gua e sabo. Devem ser marcados por unidade e usados em unidades especficas. OBSERVAO : Os materiais usados na higiene de reas crticas, devero ser especficos destas reas e, aps o uso, devero ser desinfetados. 5. USO DE EQUIPAMENTOS DE PROTEO INDIVIDUAL (EPIs) Os trabalhadores do servio de limpeza devem utilizar equipamentos de proteo individual (EPI) uma vez que suas tarefas exigem cuidados especiais. estes equipamentos so: avental, luvas, mscaras, botas e culos de proteo. a-Avental Impermevel usar sempre que houver contato com lquidos e risco de respingo de material orgnico. Executada a limpeza, retirar o avental, puxando pelas mangas, dobrando-as para dentro e enrolando-o pelo avesso. Aps o uso lavar e secar o avental. b-Luvas de borracha cano longo (antiderrapante) usar para limpeza e manipulao de solues. No devem ser usadas indevidamente, como para pegar em maanetas, telefones, mobilirios, etc.. c-Mscara facial usar quando houver risco de respingo em mucosa oral, nasal, durante
  • 18. manipulao de solues desinfetantes e recolhimento de roupa suja. Deve cobrir boca e nariz sendo desprezada quando mida ou danificada. O seu uso tambm est indicado em reas de isolamento respiratrio ou isolamento total. d-Botas usar durante todo o perodo de limpeza de piso e recolhimento de lixo. Devem ser impermeveis e com solado antiderrapante. Durante as outras atividades usar sapatos fechados, impermeveis e resistentes. e-culos usar quando houver risco de respingo de material orgnico e na diluio dos desinfetantes