Gesto do conhecimento: teoria e prtica slide 0

Gesto do conhecimento: teoria e prtica

  • Published on
    02-Nov-2014

  • View
    246

  • Download
    4

DESCRIPTION

Apresentao ao Instituto de Engenharia Nuclear sobre conceitos de Gesto e Engenharia do Conhecimento e sua aplicao em projetos prticos.

Transcript

1. GESTO DO CONHECIMENTO: TEORIA E PRTICA Roberto C. S. Pacheco pacheco@egc.ufsc.br Instituto de Engenharia Nuclear Rio de Janeiro, 18 de julho de 2013 2. DEFINIES Conhecimento Gesto do conhecimento Engenharia do conhecimento 3. John Locke 1689 Conhecimento a percepo da concordncia ou discordncia de duas idias Conhecimento intuitivo demonstrativo sensitivo Fritz Machlup 1962 Conhecimento como commodity Conhecimento prtico intelectual passado espiritual/religioso indesejvel Michael Polany 1964 Conhecimento tcito (sabemos mais do que podemos expressar) Conhecimento tcito no pode ser reproduzi-lo ou armazen-lo em uma base. Marshal McLuhan 1964 e 1988 A mdia a mensagem Surgimento de uma nova sociedade caracterizada por sua conectividade e pelas redes. Peter Drucker 1964 e 1988 Trabalhador do conhecimento Conhecimento central, recurso fundamental que no conhece geografia. Sociedade do conhecimento De objeto percebido a fator de transformao em nossa sociedade Fonte: Adaptado de Neri dos Santos Trajetria do conhecimento Objeto percebido,transformadore ubquo na sociedade:fator de produo 4. Daniel Bell 1973 Sociedade ps- industrial Sociedade da informao Alvin Toffler 1980 A terceira onda e a nova cultura baseada em informao Theodor Nelson 1963 e 1965 Hypertexto como texto no sequencial e interativo Hypermidia John Naisbitt 1982 Megatrends O que nos levaria da sociedade industrial para a sociedade da informao Das mudanas nas tendncias tecnolgicas Percepo e evoluo dos elementos transformadores da sociedade Fonte: Adaptado de Neri dos Santos Trajetria do conhecimento Objeto percebido,transformadore ubquo na sociedade:fator de produo 1. Desenvolvimento ambiental, econmico e social sustentveis 2. Mudanas demogrficas 3. Globalizao da economia 4. Desenvolvimento tecnolgico: TIC 5. O novo papel do Estado; 6. O fenmeno sia (China, ndia & Cia.) 7. Customizao da produo 8. Gesto empresarial 9. Conhecimento 5. O que o Conhecimento? Vises de mundo sobre o conhecimento individual Venzin, M.; Krogh, G. and Roos, J. Future Research into Knowledge Manegement, In Knowing in Firms, org. Von Krogh and Dirk Kleine, 1998. Cognitivistas A identificao, a coleo e a disseminao de informao so principais atividades de desenvolvimento de conhecimento. Herbert Simon Noam Chomsky Marvin Minsky 6. O que o Conhecimento? Vises de mundo sobre o conhecimento individual Venzin, M.; Krogh, G. and Roos, J. Future Research into Knowledge Manegement, In Knowing in Firms, org. Von Krogh and Dirk Kleine, 1998. Conexionistas Conhecimento est nas conexes e, portanto, deve-se dar nfase s auto-organizao de fluxo disperso de informao Bruce Kogut Udo Zander 7. O que o Conhecimento? Vises de mundo sobre o conhecimento individual Venzin, M.; Krogh, G. and Roos, J. Future Research into Knowledge Manegement, In Knowing in Firms, org. Von Krogh and Dirk Kleine, 1998. Autopoticos A maior responsabilidade est na interpretao e no nos processos de coletar informao. Maturana e Varela Nonaka e Takeuchi 8. O que o Conhecimento? Diferentes aparncias do conhecimento explcito implcito tcito Know how Habilidades Experincias Explicitvel Documentvel know-what Identificvel Armazenvel (Polanyi, 1958) (Brown & Duguid, 1998), (Nonaka, 1994). Brown & Duguid, 1998). (Wellman 2009) 9. O conhecimento focado enquanto elemento componente de processos de gerao de valor, tanto com lcus na mente humana quanto incorporado a um artefato capaz de atuar nesses processos. O que o Conhecimento? Para nossa viso de Engenharia do Conhecimento... 10. O que o Conhecimento? Vises de mundo sobre o conhecimento individual Conhecimento criado apenas por indivduos X Conhecimento existe para alm da mente humana 11. O QUE GESTO DO CONHECIMENTO 12. PrticaTeoria Processo Contedo EASTERBY-SMITH, Mark; LYLES, Marjorie. Introduction: Watersheds of organizational learning and knowledge management. In: EASTERBY-SMITH; LYLES, Marjorie (eds). Handbook of Organizational Learning and Knowledge Management. Malden: Blackwell, p.1-15, 2005. Como uma organizao aprende? Como uma organizao deve aprender? STEIL, A. 2007 Como o conhecimento nas organizaes? Como disseminar e incrementar o conhecimento nas organizaes? 1960s 1988 1998...1995 Aprendizagem organizacional Organizaes de aprendizagem Conhecimento organizacional Gesto do conhecimento O que GC 13. O que GC O foco est em como as informaes so selecionadas e usadas nas aes organizacionais. Choo (1998) o conjunto de processos que busca a mudana dos padres atuais de processamento de conhecimento da organizao para melhorar tanto esse processamento quanto os resultados de conhecimento. Firestone e McElroy (2004) Processo que governa a criao, disseminao e utilizao de conhecimento por meio de tecnologia, estrutura organizacional e pessoas para criar aprendizagem efetiva, resoluo de problemas e tomada de deciso na organizao. Ubon e Kimble (2002) CONTEDO: GC est relacionada gesto estratgica da informao CONTEXTO: GC depende da estrutura da organizao 14. O que GC GC fazer a organizao agir de forma mais inteligente pela facilitao da criao, acumulao, desenvolvimento e uso de conhecimento de qualidade. Wiig (1993) O foco criao de conhecimento. O conhecimento individual traduzido em conhecimento organizacional por meio do fluxo do conhecimento tcito para explcito. Nonaka e Takeushi (1995) GC a coleo de processos que objetivam governar a criao, disseminao e uso do conhecimento para atingir os objetivos organizacionais. Davenport e Prusak (1998) PROCESSOS: GC governar processos de conhecimentos individuais para melhorar performance na organizao 15. Organizao Competncias Organizacionais Competncias Essenciais Grupo Conhecimentos Processos de Conhecimento Indivduo Conhecimentos Habilidades Atitudes O sistema de aprendizagem organizacional composto pelo conhecimento em processo contnuo de evoluo armazenado nas pessoas, grupos e na organizao e se constitui na infraestrutura fundamental que apia a formulao e a implementao de estratgias de uma organizao (Vera & Crossan, 2005, p. 123). Steil, 2009 Onde est o Conhecimento? Nveis de lcus do conhecimento organizacional 16. Inter e multidisciplinaridade da GC Disciplinascontribuemparaacompreensodoconhecimento Pas/Regio Cluster Organizao Rede Equipe Indivduo 17. Fonte: Dalkir, K. Knowledge Management in Theory and Practice. Elsevier. 2005; pg. 14 1969................ 1985 1988 1991 1994 1997 2000+ ArpaNet Proliferao de TIC Aprendizagem Organizacional SLOAN/MIT HBR Criao do Conhecimento na Empresa NONAKA & TAKEUCHI Medida Ativos Intangveis SKANDIA Emergncia das Organizaes Virtuais Comunidades de Prtica WENGER Capital Intelectual STEWART Padres de Certificao de Conhecimento & Inovao Quinta Disciplina PETER SENGE Primeiro CKO EDVINSSON Fundamentos da GC WIIG Balanced Scorecard NORTON & KAPLAN Benchmarking LBS/APQC Primeiros Programas de GC nas Universidades Cronologia da GC 18. 1969 1989 1991 1995 2004 Criao do PPG em Eng. Prod. UFSC reas de IA, Gesto Qualidade, Ergonomia Doutorado em Eng. Produo Doutorado em Eng. Produo 1985 Planejamento Estratgico EaD e Conceito CAPES Criao do EGC Viso da engenharia de produo associada engenharia industrial Viso da Eng. de produo com cognio e da Inteligncia Aplicada, educao e sistema de produo, qualidade, gesto ambiental, empreendedorismo, inovao. Viso do conhecimento como fator central de agregao de valores organizacionais e posicionamento da GC, EC e MC como interdisciplinas Sociedade industrial Sociedade da informao Sociedade do conhecimento 2010 Conceito 5 (CAPES) Quem somos Histrico da EGC/UFSC Como evoluiu nossa viso sobre GC e EC na cronologia da EC 2008 APPs-UE 19. Quem somos EGC/UFSC Principais temticas de pesquisa do programa GC Corporate Governance Public governance Organizational Learning Organizational Memory KM & Leadership KM & Innovation KM & Entrepreneurship S&T Parks Urban Observatories Sustainability EC KE Methodologies and methods Knowledge systems Ontology Engineering Semantic Web Semantic e-Government Linked data KDD, Data mining & BI Grid computing Remote experimentation Smart cities MC Distance education Visual knowledge Design thinking Cognitive science Usability and design Social innovation Social media Digital inclusion Corporate communication 20. COMO FAZER GC SGC Engenharia do conhecimento 21. Estratgia Organizacional Sistemas, mtodos e diretrizes da GC devem apoiar, de forma sistmica, a estratgia da organizao. Dimenses estruturantes da GC Projetos de GC devem estar alinhados com a estratgia da organizao Fontes: Santos e Pacheco 22. Pessoas Lcus de referncia ao conhecimento organizacional. Agentes responsveis pelas atividades intensivas em conhecimento, atuantes nos processos de gerao de valor da organizao. Pessoas Dimenses estruturantes da GC Indivduos, equipes, grupos e redes de indivduos so agentes de conhecimento organizacional Fontes: Santos e Pacheco 23. Processos Definem as funes e a dinmica de gerao de valor da organizao. So lcus das competncias organizacionais. Dimenses estruturantes da GC Atividades intensivas em conhecimento so identificadas nos processos organizacionais Fontes: Santos e Pacheco 24. Tecnologia Sistemas, mtodos e diretrizes da GC devem apoiar, de forma sistmica, a estratgia da organizao. Pessoas Dimenses estruturantes da GC Projetos de GC devem estar alinhados com a estratgia da organizao Fontes: Santos e Pacheco 25. Pessoas Dimenses estruturantes da GC Conhecimento como parte da estratgia Fontes: Santos e Pacheco Diretrizes Organizacionais A GC apoia diretrizes organizacionais, tais como: Inovao Comunicao Aprendizagem Memria Competncias Comunicao Fatores de impacto GC Conhecimentos tticos, implcitos e explcitos Cultura organizacional Poltica de planejamento Gesto da tecnologia Infraestrutura 26. Sistemas de Gesto do Conhecimento so sistemas tcnico-sociais projetados para apoiar o fluxo de explicitao, disseminao e gesto do conhecimento organizacional. Produto da GC: SGCs Sistemas de Gesto do Conhecimento so o principal produto da GC http://www.prescientdigital.com/images/article-images/KM.jpg http://www.trainmor-knowmore.eu/img/1.3.8.jpg 27. EXEMPLOS Governo eletrnico 28. Caso 1: ANVISA Acesso a conhecimento estratgico interno e externo Que sistemas de conhecimento podem ser previstos no apoio s aes estratgicas da ANVISA? Misso abrangente a Todos atores de sade Todos setores da sociedade Todo territrio nacional 29. Caso 1: ANVISA Acesso a conhecimento estratgico interno e externo Mapa estratgico da ANVISA Que sistemas de conhecimento podem ser previstos no apoio ao alcance das aes estratgicas da ANVISA? PLANEJAMENTO ESTRATGICO DA ANVISA Quais so as competncias em VISA no Pas? Quais so as competncias dentro da ANVISA? Como promover conhecimento coletivo entre essas competncias? Que fontes de competncias podem ser integradas? 30. Diretrio de Conhecimentos sobre Vigilncia Sanitria O que ? Portal Institucional para identificao e localizao das competncias em Vigilncia Sanitria do Pas e apresentao de indicadores para aprendizagem organizacional na ANVISA (ex: hiato de competncias x programao de capacitao) Caso 1: ANVISA Acesso a conhecimento estratgico interno e externo http://dcvisa.anvisa.gov.br 2005: Acordo institucional com CNPq, para obter currculos Lattes do Pas e encontrar especialistas em VISA. Domnio: Alm dos contedos mapeados na Plataforma Lattes, foi permitido mapear contedos do SNVISA e do regimento ANVISA. 31. Caso 1: ANVISA Expertise Location Perguntas estratgicas 1. Quem so as competncias no Pas em VISA? 2. Onde esto? 3. Qual a sua titulao? 4. Que experincias em VISA possuem? 5. Com quem j trabalharam? Para encontrar as competncias, o projeto teve que estabelecer domnio especfico para VISA e estender o contedo original do CVLattes (tanto em subdomnios como em novas fontes de informao ex. documentos e CoP em VISA). Tambm estabeleceu sistemas de conhecimento para indexar e buscar segundo os critrios de expertise em VISA. 32. Caso 1: ANVISA Anlise de relacionamentos em VISA Anlise de relacionamentos Com os atores mapeados, possvel apresentar relacionamentos interpessoais, interinstitucionais ou mesmo entre pessoas e organizaes do SNVISA. So informaes valiosas ao planejamento do SNVISA 33. Caso 2: Ita Mapeamento de eventos associados integridade e aos valores dos colaboradores Que sistemas de conhecimento podem ajudar uma organizao na gesto da integridade dos valores exercidos por seus funcionrios? Gesto estratgica de tica e valores 1. Que valores a organizao preconiza? 2. Que condutas espera de seus funcionrios? 3. Que mecanismos utiliza para acompanhar o cumprimento desses valores? 4. Que fluxo de informaes adota nesta gesto? 5. Como avaliar o grau de integridade e de alinhamento em nossa organizao? 6. Estamos praticando os nossos valores? 7. Como levar as normas, diretrizes e polticas ao cotidiano nas diversas agncias e unidades da organizao? 34. O que ? Plataforma de gesto estratgica de informao sobre integridade e valores sobre os colaboradores da organizao. Considera dados encaminhados de forma desestruturada, utiliza ontologia da organizao para descobrir conhecimentos relevantes e apresenta mapa estratgico de indicadores para acompanhamento da organizao. Caso 2: Ita Gesto de integridade e valores 35. Caso 2: Ita Gesto de integridade e valores Permite que a organizao gerencie ativos intangveis (normas e regulamentos) e conecte-os s aes dirias de seus funcionrios (mesmo diante de dados desestruturados). Revela fatos e conhecimentos estratgicos que influenciam as polticas organizacionais de educao corporativa e de avaliao de colaboradores. 36. Resultado de uma busca por assdio em todas as bases de dados e documentos geridos pelas diversas equipes que registram as manifestaes e as medidas disciplinares Caso 2: Ita Buca semntica Depois de indexar as informaes sobre denncias encaminhadas ao ombudsman, o sistema utiliza busca semntica para relacion-las com o cdigo de tica e condutas da organizao. 37. Temas sem interesse reas de interesse da MERCK Caso 3: Merck Gesto estratgica de expertises em processo de inovao aberta Como saber se um pas tem competncias em reas de interesse estratgico de nossa organizao? Gesto estratgica de expertises externas organizao 1. Quem tem expertises que nos interessa? 2. Quem tem expertises que no nos interessa? 3. Qual o grau de aderncia entre essas expertises e nossos interesses? 4. Qual a experincia dessas expertises em problemas de nosso interesse? 5. Qual o potencial de interesse dessas expertises em trabalhar conosco? 38. Caso 3: Merck Buscando competncias em uma base nacional para apoio inovao aberta Como buscar informaes estratgicas? O Portal Inovao faz mapeamento de todas as competncias atuais no Pas (incluindo a Plataforma Lattes). Permite busca por termos, com filtros por titulao e regio. Cada termo est estatisticamente relacionado a outros termos, o que permite, no somente localizar competncias geograficamente, como contextualizar seus focos de atuao. www.portalinovacao.mct.gov.br 39. Caso 3: Merck Organizando as informaes sobre as competncias encontradas Como? Cada busca pode ser contextualizada em termos correlacionados e pode, ainda, ter seus resultados classificados por titulao. Com isso, pode-se criar um mapa de anlise das competncias. 40. Caso 3: Merck Mapa de conhecimentos das competncias encontradas no Pas Como? Para cada tema de interesse da empresa, com base nas buscas realizadas, possvel montar um mapa de termos correlacionados e, com isso, ter-se uma viso espacial da densidades e do foco de atuao das competncias no Pas. RESULTADO: os laboratrios MERCK incluram o Brasil na relao de pases para cooperao. Exemplo: mapa de correlaes de antibacterial 41. A empresa desenvolveu um conjunto de SGCs, mas no dispunha de viso integrada de seus servios. Caso 5: Embraer Busca semntica para integrar SGC desenvolvidos independentemente Como utilizar busca semntica para integrar sistemas de gesto do conhecimento desenvolvidos de forma independente em uma organizao? Integrao de sistemas de conhecimento 1. Quantos SGC desenvolvemos? 2. O que eles tm em comum? 3. Como definir um projeto de busca semntica para integrar os SGCs? 4. Quais so os benefcios organizacionais? 5. Como o projeto pode ser incremental e tratar cada SGC da organizao? 42. EC (Busca semnti ca) Technical Standards Technical Reports Artigos Manuais Normas & Regulao CoPs Comunidad es de Prtica Caso 5: Embraer Busca semntica para integrar SGC desenvolvidos independentemente SITUAO ATUAL Demora na localizao da informao. Busca de informao a partir dos colegas. Reinveno da roda. PRINCPIOS DA BUSCA SEMNTICA Variaes morfolgicas Ex., avio => avies Sinnimos Ex. carro => automvel, veculo motor Generalizaes Ex., doena => cncer, gripe, aids Descoberta de conceitos Ex., iPhone => telefone celular 43. Caso 5: Embraer Busca semntica para integrao de SGC BUSCA INTEGRADA NAVEGAO VISUAL Sobre as diferentes bases de conhecimento da empresa DETALHAMENTO Acesso aos contedos das diferentes bases de conhecimento 44. CONCLUINDO... 45. Desafios e oportunidades GC oferece modelos e instrumentos para que tratemos ativos intangveis como valores organizacionais. http://us.123rf.com/400wm/400/400/jesterarts/jesterarts1210/jesterarts121000031/15805928- gold-guy-buy-golden-stack-of-books-illustration-to-show-value-of-knowledge-and-wisdom-and- searching-.jpg 46. Desafios e oportunidades GC multidisciplinar multi-institucional multidimensional multiobjectivo. https://encrypted-tbn0.gstatic.com/images?q=tbn:ANd9GcQ_KaediQcF47mVhTuuebdT7clhkY58dHf6b3y1-uaaHRsNFgAr 47. Desafios e oportunidades Para a academia, GC tanto objeto de pesquisa e formao, como instrumento de melhoria de sua prpria misso. Fonte: Plataforma Stela Experta 48. GESTO DO CONHECIMENTO: TEORIA E PRTICA Roberto C. S. Pacheco pacheco@egc.ufsc.br

Recommended

View more >