Emoes

  • Published on
    21-Dec-2014

  • View
    827

  • Download
    4

DESCRIPTION

 

Transcript

  • 1. EMOES

2. O QUE EMOO? A primeira teoria formulada afirmava que processos emocionais estavam ligados profundamente a manifestaes fisiolgicas (Ex.:No choramos porque ficamos triste mas ficamos tristes porque choramos); Logo depois psiclogos formularam uma nova teoria. Segundo ela, nossas emoes guiam-se pelo contedo de nosso pensamentos. (Ex.: Situao da fila); Sendo assim, os pensamentos desenvolvem um importante papel no surgimento das emoes. 3. O QUE EMOO? No entanto, as emoes podem surgir independentes de nossos pensamentos; Sentimos medo de algo independente do que pensamos. Estmulos de medo so processados de forma extremamente rpida atravs de um caminho cerebral percorrido pelo estmulo; As duas teorias so parciais e no explicam as emoes corretamente. Atualmente, as emoes constituem um modelo com vrios componentes. 4. O QUE EMOO? Caractersticas: 1. Tpicas alteraes fisiolgicas (Corao acelerado, suor); 2. Comportamentos especficos (mmica corporal); 3. A vivncia de perceber como estar em um determinado estado emocional; 4. Pensamentos associados a essa experincia; 5. CLASSIFICAO PR- EMOES Bem-estar Desconforto EMOES BSICAS Felicidade Medo Raiva Tristeza EMOES COGNITIVAS PRIMRIAS (EXEMPLOS) Contentamento Satisfao Ameaa Ansiedade Irritao Frustrao Decepo Prostrao EMOES COGNITIVAS SECUNDRIAS (EXEMPLOS) Amor Alegria Vergonha Cime Inveja Fria Desprezo Luto 6. IMPORTNCIA 1. Possibilita avaliarmos os estmulos do ambiente de maneira muito rpida; 2. Nos prepara e motiva para aes (quando sentimos medo mais fcil fugir); 3. So formas de expresso tpicas que indicam aos outros as prprias intenes; 4. Ajuda no controle das relaes sociais. 7. MMORIA EMOCIONAL Memria emocional a lembrana de algo baseado principalmente em uma emoo sentida no passado. Incluindo tanto as memrias boas quanto as ruins (as ruins deixa as mais fortes marcas no crebro); Por meio dessa memria, todas as experincias de um indivduo so assinaladas afetivamente. Assim quando uma pessoa precisa decidir, faz uma rpida avaliao inconsciente da situao; Essa memria situa-se no crtex pr-frontal. Se for lesionado a pessoa no consegue resgatar marcas anteriores, sendo obrigadas a reavaliar toda a situao desde o incio. 8. EMOES E O SISTEMA NERVOSO O Sistema Nervoso Central desperta, regula e integra respostas emocionais; O Crtex Cerebral est envolvido na identificao, avaliao e tomada de decises com base em dados sensoriais; A Formao Reticular, uma rede de clulas neurais alerta o crtex para informaes sensoriais. Os dados a respeito de eventos despertadores de emoo so filtrados por esse sistema. A Formao Reticular desperta a ateno do crtex. 9. EMOES E O SISTEMA NERVOSO O Sistema Lmbico, um grupo de circuitos inter- relacionados desempenha papel regulatrio nas emoes e motivaes; A informao sensorial passa pelo Sistema Lmbico em sua trajetria para o crtex. Esse emite mensagens para outras reas cerebrais; O Hipotlamo, uma estrutura lmbica responsvel pela ativao do Sistema Nervoso Simptico durante emergncias est envolvido em situaes de medo, raiva, fome, sede e atrao sexual. 10. DOPAMINA Neurotransmissor responsvel por fazer ponte das emoes relacionadas felicidade, entre a regio cerebral onde as emoes so recebidas, e o local onde elas so decodificadas. Responsvel pela alegria e pelos sentimentos positivos; liberada no organismo quando planejamos, agimos e ou alcanamos as metas desejadas; 11. NO REPRIMA SUAS EMOES! Guardar mgoas e sofrimentos faz mal para a sade e para o corao; A dor emocional se torna fsica quando a intensidade que damos ao fato que nos magoa chega a interferir na atividade cerebral de modo a dificultar o envio de estmulos nervosos responsveis pela execuo de algumas funes de nosso organismo; A dor emocional bloqueia alguma funo fsica que j propensa a ter problemas ou intensifica os sintomas de alguma doena j existente; 12. TRANSTORNOS EMOCIONAIS Depresso Doena que produz uma alterao do humor caracterizada por uma tristeza profunda, sem fim, associada a sentimentos de dor e amargura; H uma srie de evidncias que mostram alteraes qumicas no crebro do indivduo deprimido, principalmente com relao a diminuio do neurotransmissor serotonina (e alteraes na quantidade de noradrenalina e dopamina;) Outros processos que ocorrem dentro das clulas nervosas tambm esto envolvidos; 13. TRANSTORNOS EMOCIONAIS Pode ser causada por uma predisposio gentica; Antidepressivos: So remdios que corrigem o metabolismo dos Neurotransmissores; Fatores psicolgicos e sociais muitas vezes so consequncia e no causa da depresso. provvel, segundo a OMS, que em 2020 a Depresso seja a segunda doena que mais acomete a populao mundial perdendo somente para doenas do corao; 14. TRANSTORNOS EMOCIONAIS Psicopatia Psicopata, designa toda pessoa que sofre de doena mental ou tem personalidade psicoptica; Diferentes estudos comprovam que a psicopatia no se insere na categoria de doena mental mas sim num transtorno emocional; Assassinos e criminosos muito violentos em geral apresentam anormalidades no lobo frontal; 15. TRANSTORNOS EMOCIONAIS A psicopatia parece estar relacionada a algumas disfunes cerebrais; S nico fator no totalmente esclarecedor para causar o distrbio; resultado de uma juno de fatores; O transtorno parece estar associado mistura de trs principais fatores: disfunes cerebrais ou traumas neurolgicos, predisposio gentica e traumas sociopsicolgicos na infncia (ex, abuso emocional, sexual, fsico, negligncia, violncia, conflitos e separao dos pais etc.); Entretanto, nem toda pessoa que sofreu algum tipo de abuso ou perda na infncia ir tornar-se uma psicopata sem ter uma certa influncia gentica ou distrbio cerebral; 16. CURIOSIDADES Casais sentem o cheiro das emoes um do outro Casais muito ligados conseguem sentir o cheiro de felicidade, medo e at excitao sexual no suor um do outro. Foram escolhidos 20 casais que viviam juntos por entre um e sete anos. Enquanto os voluntrios assistiam a vdeos que induziam diferentes emoes, almofadinhas estrategicamente colocadas embaixo de seus braos coletavam o suor que eles produziam. Coletado todo o suor, os participantes tiveram que cheirar quatro recipientes. Na primeira fase, por exemplo, um deles continha o suor do parceiro no momento em que ele estava feliz; A vinha a pergunta: Qual desses o suor feliz?. E assim foi tambm com as outras emoes. 17. NEURNIO SOLIDRIO Quando vemos algum passando por um situao embaraosa temos a tendncia de nos colocar no lugar dessa pessoa e sentimos vergonha alheia; Os responsveis por isso so os neurnios-espelho. Essas clulas so especialistas em copiar: simulam em nosso crebro o que esta acontecendo com outra pessoa; Quando maior a empatia com a pessoa maior a Vergonha Alheia 18. EXPRESSES FACIAIS 19. REFERNCIAS BILIOGRFICAS http://revistaescola.abril.com.br/ensino- medio/biologia-emocoes-600145.shtml http://galileu.globo.com/edic/128/rdossie3.htm http://www.hcnet.usp.br/ipq/revista/vol35/n2/55.ht m http://super.abril.com.br/ciencia/emocao-moleculas- 444937.shtml http://saudeverdelimao.blogspot.com.br/2010/08/an atomia-das-emocoes-o-sistema-nervoso.html