• 1. Abordagem humanística da administração e decorrências da teoria das relações humanas Componentes: Eder Carlos Elder Vale Jair Silva Maria Emilia Tiago Garcia Natal, abril de 2007
  • 2. Características  Ênfase nas pessoas  Preocupação com o homem e seu grupo social (dos aspectos técnicos e formais para os aspectos psicológicos e sociológicos)  Psicologia do trabalho: análise do trabalho e adaptação do trabalhador ao trabalho; e ,ainda, a adaptação do trabalho ao trabalhador.
  • 3. Origens da Teoria das Relações Humanas  A necessidade de se humanizar e democratizar a Administração  O desenvolvimento das ciências humanas  As idéias da filosofia pragmática de Jonh Dewey  As conclusões da experiência de Hawthorme
  • 4. A experiência de Hawthorne  Primeira Fase  Estudados dois grupos de trabalho  Segunda Fase  Terceira Fase
  • 5. A experiência de Hawthorne  Conclusões  O nível de produção é resultante da integração social  Comportamento social dos empregados  Recompensas e sanções sociais  Grupos informais  Relações humanas  Importância do conteúdo do cargo  Ênfase nos aspectos emocionais
  • 6. A Civilização Industrializada e o Homem  O trabalho é uma atividade tipicamente grupal  O Operário não reage como individuo isolado, mas como membro de um grupo social  A tarefa básica da Administração é formar uma elite capaz de compreender e de comunicar
  • 7. A Civilização Industrializada e o Homem  Passamos de uma sociedade estável para uma sociedade adaptável  O ser humano é motivado pela necessidade de “estar junto”, de “ser reconhecido”  A civilização industrializada traz como conseqüência a desintegração dos grupos
  • 8. A Teoria das Relações Humanas trouxe uma nova linguagem para a Administração  Motivação  Liderança  Comunicação  Organização Informal  Dinâmica de Grupo
  • 9. Influência da Motivação Humana  Teoria de Lewin  Baseia-se em duas suposições fundamentais:  O comportamento humano é derivado da totalidade de fatos coexistentes  Esses fatos coexistentes constituem um campo dinâmico, no qual cada parte do campo depende de uma inter-relação com as demais outras partes
  • 10. Influência da Motivação Humana  Teoria de Lewin  C = f(P,M) onde: C- comportamento f- resultado da interação entre pessoa (P) e o meio ambiente (M) a sua Volta.
  • 11. Influência da Motivação Humana  Necessidades humanas básicas  Três níveis de motivação  Necessidades Fisiológicas  Necessidades primárias,vitais ou vegetativas  São inatas e instintivas  As necessidades são: alimentação,sono,satisfação sexual  Necessidades Auto-Realização  Necessidades mais elevadas  Impulso de realizar o próprio potencial e estar em contínuo autodesenvolvimento
  • 12. Influência da Motivação Humana  Necessidades humanas básicas  Necessidades Psicológicas  Secundárias e exclusivas do homem  Adquiridas no decorrer da vida  Principais Necessidades Psicológicas: Segurança íntima, participação,autoconfiança
  • 13. Influência da Motivação Humana  Ciclo Motivacional
  • 14. Influência da Motivação Humana  Frustração e Compensação
  • 15. Influência da Motivação Humana  Moral e Clima Organizacional
  • 16. Liderança  Liderança como um fenômeno de influencia interpessoal.  Liderança como um processo de redução da incerteza de grupo.  Liderança como uma relação funcional entre líder e subordinados.  Liderança como um processo em função do líder, dos seguidores e de variáveis da situação.
  • 17. Liderança  Teorias sobre liderança  Teoria de Traços de Personalidade  Traços físicos:  Traços intelectuais.  Traços sociais  Traços relacionados a tarefas
  • 18. Liderança  Teorias sobre liderança  Teoria sobre Estilos de Liderança  Liderança Autocrática  Liderança Liberal  Liderança Democrática  Teoria Situações de Liderança
  • 19. Comunicação  Troca de informações entre pessoas  Os humanistas mostraram que as comunicações dentro das organizações são terrivelmente falhas e alertaram os administradores a:  Assegurarem a participação das pessoas na solução dos problemas.  Incentivarem franqueza e confiança entre indivíduos e grupos nas empresas.
  • 20. Comunicação  A comunicação é uma atividade admistrativa que tem dois propósitos principais.  Proporcionar informação e compreensão necessárias para que as pessoas possam se conduzir em suas tarefas.  Proporcionar atitudes que provam motivação, cooperação e satisfação nos cargos.  Esses dois propósitos promovem um ambiente que conduz a um espírito de equipe e a um melhor desempenho nas tarefas.
  • 21. Organização Informal  Relação de coesão ou de antagonismo  Status  Colaboração espontânea  A possibilidade da oposição à organização informal
  • 22. Organização Informal  Padrões de relações e atitudes  Mudanças de níveis e alterações dos grupos informais  A organização informal transcende a organização formal  Padrões de desempenho nos grupos informais
  • 23. Organização Informal  Origens da organização informal  São 4 fatores que condicionam os grupos informais:  interesses comuns  A interação provocada pela própria organização formal  A flutuação do pessoa na empresa  Períodos de lazer
  • 24. Dinâmica de Grupo  Idéia criada por Kurt Lewin.  Introduziu o conceito de equilíbrio ”quase-estacionário” : o campo de forças existentes dentro dos grupos conduzem a processos de auto- regulação e manutenção do equilíbrio.
  • 25. Dinâmica de Grupo  O que é um grupo?  Não é apenas um conjunto de pessoas, mas a interação dinâmica entre pessoas que se percebem psicologicamente como membros do grupo  Outras Características: Um objetivo comum, uma estrutura dinâmica de comunicações e uma coesão interna
  • 26. Dinâmica de Grupo  Portanto, “Dinâmica de grupo é a soma dos interesses do componentes do grupo e que pode ser ativada por meio de estímulos e motivações no intuito de maior harmonia e melhor relacionamento humano.”
  • 27. Apreciação Critica da Teoria das Relações Humanas  Oposição cerrada à Teria Clássica  Inadequada visualização dos problemas das relações industriais  Concepção ingênua e romântica do operário  Limitação do campo experimental  Parcialidade das conclusões  Ênfase nos grupos informais  Enfoque manipulativo das relações humanas
  • 28. Conclusão  A Escola das Relações humanas abriu nos horizontes à teoria administrativa em duas orientações:  Equação Humana  Novo Papel do Administrador
  • 29. Referências  CHIAVENATO, Idalberto. Introdução à Teoria Geral da Administração. São Paulo – Campus, 2004.
Please download to view
All materials on our website are shared by users. If you have any questions about copyright issues, please report us to resolve them. We are always happy to assist you.
...

Abordagem humanística da administração e decorrências da teoria das relações humanas

by eder-nogueira

on

Report

Download: 0

Comment: 0

1,477

views

Comments

Description

Um resumo sobre a Teoria das Relações Humanas e a Experiência de Hawthorne.
Download Abordagem humanística da administração e decorrências da teoria das relações humanas

Transcript

  • 1. Abordagem humanística da administração e decorrências da teoria das relações humanas Componentes: Eder Carlos Elder Vale Jair Silva Maria Emilia Tiago Garcia Natal, abril de 2007
  • 2. Características  Ênfase nas pessoas  Preocupação com o homem e seu grupo social (dos aspectos técnicos e formais para os aspectos psicológicos e sociológicos)  Psicologia do trabalho: análise do trabalho e adaptação do trabalhador ao trabalho; e ,ainda, a adaptação do trabalho ao trabalhador.
  • 3. Origens da Teoria das Relações Humanas  A necessidade de se humanizar e democratizar a Administração  O desenvolvimento das ciências humanas  As idéias da filosofia pragmática de Jonh Dewey  As conclusões da experiência de Hawthorme
  • 4. A experiência de Hawthorne  Primeira Fase  Estudados dois grupos de trabalho  Segunda Fase  Terceira Fase
  • 5. A experiência de Hawthorne  Conclusões  O nível de produção é resultante da integração social  Comportamento social dos empregados  Recompensas e sanções sociais  Grupos informais  Relações humanas  Importância do conteúdo do cargo  Ênfase nos aspectos emocionais
  • 6. A Civilização Industrializada e o Homem  O trabalho é uma atividade tipicamente grupal  O Operário não reage como individuo isolado, mas como membro de um grupo social  A tarefa básica da Administração é formar uma elite capaz de compreender e de comunicar
  • 7. A Civilização Industrializada e o Homem  Passamos de uma sociedade estável para uma sociedade adaptável  O ser humano é motivado pela necessidade de “estar junto”, de “ser reconhecido”  A civilização industrializada traz como conseqüência a desintegração dos grupos
  • 8. A Teoria das Relações Humanas trouxe uma nova linguagem para a Administração  Motivação  Liderança  Comunicação  Organização Informal  Dinâmica de Grupo
  • 9. Influência da Motivação Humana  Teoria de Lewin  Baseia-se em duas suposições fundamentais:  O comportamento humano é derivado da totalidade de fatos coexistentes  Esses fatos coexistentes constituem um campo dinâmico, no qual cada parte do campo depende de uma inter-relação com as demais outras partes
  • 10. Influência da Motivação Humana  Teoria de Lewin  C = f(P,M) onde: C- comportamento f- resultado da interação entre pessoa (P) e o meio ambiente (M) a sua Volta.
  • 11. Influência da Motivação Humana  Necessidades humanas básicas  Três níveis de motivação  Necessidades Fisiológicas  Necessidades primárias,vitais ou vegetativas  São inatas e instintivas  As necessidades são: alimentação,sono,satisfação sexual  Necessidades Auto-Realização  Necessidades mais elevadas  Impulso de realizar o próprio potencial e estar em contínuo autodesenvolvimento
  • 12. Influência da Motivação Humana  Necessidades humanas básicas  Necessidades Psicológicas  Secundárias e exclusivas do homem  Adquiridas no decorrer da vida  Principais Necessidades Psicológicas: Segurança íntima, participação,autoconfiança
  • 13. Influência da Motivação Humana  Ciclo Motivacional
  • 14. Influência da Motivação Humana  Frustração e Compensação
  • 15. Influência da Motivação Humana  Moral e Clima Organizacional
  • 16. Liderança  Liderança como um fenômeno de influencia interpessoal.  Liderança como um processo de redução da incerteza de grupo.  Liderança como uma relação funcional entre líder e subordinados.  Liderança como um processo em função do líder, dos seguidores e de variáveis da situação.
  • 17. Liderança  Teorias sobre liderança  Teoria de Traços de Personalidade  Traços físicos:  Traços intelectuais.  Traços sociais  Traços relacionados a tarefas
  • 18. Liderança  Teorias sobre liderança  Teoria sobre Estilos de Liderança  Liderança Autocrática  Liderança Liberal  Liderança Democrática  Teoria Situações de Liderança
  • 19. Comunicação  Troca de informações entre pessoas  Os humanistas mostraram que as comunicações dentro das organizações são terrivelmente falhas e alertaram os administradores a:  Assegurarem a participação das pessoas na solução dos problemas.  Incentivarem franqueza e confiança entre indivíduos e grupos nas empresas.
  • 20. Comunicação  A comunicação é uma atividade admistrativa que tem dois propósitos principais.  Proporcionar informação e compreensão necessárias para que as pessoas possam se conduzir em suas tarefas.  Proporcionar atitudes que provam motivação, cooperação e satisfação nos cargos.  Esses dois propósitos promovem um ambiente que conduz a um espírito de equipe e a um melhor desempenho nas tarefas.
  • 21. Organização Informal  Relação de coesão ou de antagonismo  Status  Colaboração espontânea  A possibilidade da oposição à organização informal
  • 22. Organização Informal  Padrões de relações e atitudes  Mudanças de níveis e alterações dos grupos informais  A organização informal transcende a organização formal  Padrões de desempenho nos grupos informais
  • 23. Organização Informal  Origens da organização informal  São 4 fatores que condicionam os grupos informais:  interesses comuns  A interação provocada pela própria organização formal  A flutuação do pessoa na empresa  Períodos de lazer
  • 24. Dinâmica de Grupo  Idéia criada por Kurt Lewin.  Introduziu o conceito de equilíbrio ”quase-estacionário” : o campo de forças existentes dentro dos grupos conduzem a processos de auto- regulação e manutenção do equilíbrio.
  • 25. Dinâmica de Grupo  O que é um grupo?  Não é apenas um conjunto de pessoas, mas a interação dinâmica entre pessoas que se percebem psicologicamente como membros do grupo  Outras Características: Um objetivo comum, uma estrutura dinâmica de comunicações e uma coesão interna
  • 26. Dinâmica de Grupo  Portanto, “Dinâmica de grupo é a soma dos interesses do componentes do grupo e que pode ser ativada por meio de estímulos e motivações no intuito de maior harmonia e melhor relacionamento humano.”
  • 27. Apreciação Critica da Teoria das Relações Humanas  Oposição cerrada à Teria Clássica  Inadequada visualização dos problemas das relações industriais  Concepção ingênua e romântica do operário  Limitação do campo experimental  Parcialidade das conclusões  Ênfase nos grupos informais  Enfoque manipulativo das relações humanas
  • 28. Conclusão  A Escola das Relações humanas abriu nos horizontes à teoria administrativa em duas orientações:  Equação Humana  Novo Papel do Administrador
  • 29. Referências  CHIAVENATO, Idalberto. Introdução à Teoria Geral da Administração. São Paulo – Campus, 2004.
Fly UP