Procedimento operacional manuteno mecnica_rev.00

  • Published on
    25-Jul-2015

  • View
    314

  • Download
    11

Transcript

1. PCO - PROCEDIMENTO OPERACIONAL PCO - 002 Rev.: 00 Folha: 1 / 27 MANUTENO MECNICA Elaborao em: Abril/2015 Rev 00 26/04/2015 2. PCO - PROCEDIMENTO OPERACIONAL MANUTENO MECNICA PCO - 002 Rev.: 00 Folha: 2 / 27 NDICE 1. OBJETIVO 2. TERMOS E DEFINIES 3. DOCUMENTOS DE REFERNCIA 4. RESPONSABILIDADES 5. FATORES DE RISCO 6. REQUISITOS E CONDIES OPERACIONAIS 7. FERRAMENTAS, MQUINAS E EQUIPAMENTOS DE TRABALHO 8. RECOMENDAES OPERACIONAIS 9. DISTRIBUIO 10. ANEXOS 3. PCO - PROCEDIMENTO OPERACIONAL MANUTENO MECNICA PCO - 002 Rev.: 00 Folha: 3 / 27 1 OBJETIVO Este procedimento visa estabelecer critrios e padres para manuteno mecnica em veculos, mquinas e equipamentos da .......................................................... e de suas subcontratadas, bem como o acompanhamento e implementao das aes de preveno acidentes de trnsito. 2 TERMOS E DEFINIES APR Anlise Preliminar de Riscos; EPI Equipamento de Proteo Individual; FISPQ Ficha de Informaes de Segurana de Produto Qumico; Check list Lista de verificao de determinado procedimento. 3 DOCUMENTOS DE REFERNCIA Norma OHSAS 18001:2007 Sistema de Gesto de Segurana e Sade no Trabalho Especificao; Norma Regulamentadora 12 Segurana do Trabalho em mquinas e equipamentos da Portaria n 3214/78 do MTE; Norma Regulamentadora 18 Condies do Meio Ambiente de Trabalho na Industria da Construo da Portaria n 3214/78 do MTE; Manual Michelin www.michelin.com.br 4 RESPONSABILIDADES 4.1 Da Gerncia Fornecer os recursos necessrios e adequados para realizao das atividades; Garantir o cumprimento deste procedimento; Oferecer o suporte administrativo necessrio ao atendimento deste procedimento; Garantir a aplicao de medidas administrativas quando do descumprimento das recomendaes contidas neste procedimento; Disponibilizar este procedimento para as pessoas envolvidas nas atividades. 4.2 Dos Encarregados e Supervisores de Manuteno 4. PCO - PROCEDIMENTO OPERACIONAL MANUTENO MECNICA PCO - 002 Rev.: 00 Folha: 4 / 27 Solicitar os recursos necessrios e adequados para que a realizao das atividades para que sejam realizadas conforme padres de segurana e qualidade requeridos; Registrar e comunicar a gerncia as no conformidades encontradas durante as atividades; Acompanhar as atividades e garantir que somente sero utilizados mquinas e ferramentas inspecionados e em condies para uso, conforme legislao vigente; Participar na inspeo bimestral nos veculos, mquinas e equipamentos em geral; Solicitar o encaminhamento dos veculos para manuteno preventiva ou corretiva de acordo com requisitos do fabricante; Realizar Dilogo de Segurana sempre no incio das atividades enfocando os aspectos de segurana e meio ambiente inerente aos servios a serem executados no dia; Corrigir imediatamente as irregularidades encontradas durante as atividades. 4.3 Dos mecnicos e auxiliares, soldadores, torneiro mecnicos Realizar inspees nas ferramentas, mquinas equipamentos sob sua responsabilidade, comunicando aos seus superiores quaisquer alteraes e irregularidades; No realizar situao que possa por em risco a integridade de pessoas ou ao patrimnio; No omitir situaes de risco; Atender a todos os requisitos deste procedimento e medidas de controle descritas na APR; Comunicar situaes anormais ao encarregado ou superior imediato. 5. PCO - PROCEDIMENTO OPERACIONAL MANUTENO MECNICA PCO - 002 Rev.: 00 Folha: 5 / 27 5 FATORES DE RISCO Durante os servios de manuteno mecnica, muitos fatores de riscos que podem surgir, tais como: 5.1 Fatores de riscos organizacionais: a) Local de realizao da atividade rea interna (oficina) e rea externa (campo / estradas vicinais e rodovias); b) Ferramentas inadequadas aos servios; c) Mquinas e ferramentas ruidosas; d) Falta de Protees coletivas; e) Arranjo fsico inadequado; f) Uso de ferramentas e mquinas eltricas; g) Uso de equipamentos com mistura de gases (oxiacetileno); h) Produtos inflamveis; i) Condies climticas. 5.2 Fatores de riscos pessoais a) Condies fisiolgicas; b) Efeitos de substncias psicoativas, lcool e outras drogas; c) Fadiga, cansao; d) Presses psicolgicas; e) Motivao incorreta; f) Exigncia de posturas inadequadas; g) Falta de qualificao. 6 REQUISITOS E CONDIES OPERACIONAIS A rea da oficina deve possuir iluminao adequada, suficiente para o ambiente, sistema de ventilao natural ou artificial, inclusive exaustora; Nas atividades realizadas no veculo com os pneus apoiados no cho devem ser utilizados calos de metal ou madeira, no formato triangular (cunha) garantindo segurana contra deslizamento, de modo a impedir o deslocamento dos pneus; 6. PCO - PROCEDIMENTO OPERACIONAL MANUTENO MECNICA PCO - 002 Rev.: 00 Folha: 6 / 27 Para a realizao de qualquer atividade onde haja necessidade de elevao do veculo, devem ser utilizados cavaletes de ferro ou ao (preguias) e macacos hidrulicos, com base de sustentao em quatro pontos e cantoneiras de encaixe que impeam o deslizamento do veculo; Para a preveno de quedas nas atividades nas laterais e no teto dos veculos, recomenda-se a utilizao de bancadas e/ou escadas dotadas de guarda-corpo e rodap. Alm disso, nos trabalhos realizados no teto dos veculos e acima de 2,00 (dois) metros, deve ser utilizado cinto de segurana tipo para-quedista com trava quedas retrtil preso em trilhos ou cabos de ao fixos ao teto do galpo; As valetas devem ter dimenses mnimas de 1,10 a 1,40 metro de profundidade e 0,80 a 1,10 metro de largura, paredes laterais revestidas de material impermevel, piso de chapa de metal vazado com drenagem adequada, iluminao artificial nas paredes laterais e acesso atravs de escadas ou rampas; As valetas devem possuir guia para pneus instalada junto s paredes verticais, de modo a se evitar o acidente. Quando no estiverem sendo utilizadas, as valetas devem permanecer isoladas atravs de correntes, faixas, grades, cones ou outros dispositivos de isolamento e/ou sinalizao, de modo a se evitar os acidentes do tipo queda; Nos locais de trabalho onde realizam-se atividades de borracharia, os pneus devem permanecer dispostos de modo a manter o local em boas condies de arrumao e limpeza, sendo que os compressores de ar devem ser instalados em local isolado e afastado dos trabalhadores; No levantamento de veculos recomendvel a utilizao de macacos do tipo jacar e a utilizao de desparafusadeira de rodas dotada de dispositivo silenciador assim como de mquinas de desmonte de pneus; Medidas adicionais de segurana, quando for realizada manuteno, inspeo e reparos de veculos, equipamentos ou mquinas sustentadas somente por sistemas hidrulicos e pneumticos; Sistemas de reteno com trava mecnica, para evitar o movimento de retorno acidental de partes basculadas ou articuladas abertas dos veculos, mquinas e equipamentos; 7. PCO - PROCEDIMENTO OPERACIONAL MANUTENO MECNICA PCO - 002 Rev.: 00 Folha: 7 / 27 Todas as mquinas devem possuir proteo de partes mveis e botoeira de emergncia; Nas atividades de enchimento de pneus obrigatria a utilizao de dispositivo de proteo do tipo gaiola, de modo a afastar o borracheiro das proximidades da operao de enchimento; Todas as mquinas devem atender aos requisitos da NR 12 e as instalaes eltricas devem atender as normas vigentes, inclusive a NR 10; A gua utilizada para teste de vazamento de cmara deve ser substituda no mnimo semanalmente; No permitido o armazenamento de lquidos inflamveis acima de 200 (duzentos) litros; O local de armazenamento de lquidos inflamveis deve possuir bacia de conteno em material no combustvel, com restrio de acesso, longe de fontes de calor, com ventilao natural, sinalizado com placas de indicao de risco de incndio e dotado de equipamentos de combate a incndio (extintor tipo ABC); 8. PCO - PROCEDIMENTO OPERACIONAL MANUTENO MECNICA PCO - 002 Rev.: 00 Folha: 8 / 27 A iluminao no local de armazenamento de lquidos inflamveis, deve ser anti exploso, conforme exigncia da legislao vigente; Todos os produtos qumicos devem ser acondicionados em embalagens de boa qualidade, construdas e fechadas de forma a evitar que, por falta de estanqueidade, venham a permitir qualquer vazamento provocado por variaes de temperatura, umidade ou presso (resultantes de variaes climticas ou geogrficas), em condies normais de armazenamento. Devem possuir rtulo de identificao contendo Diamante de Hommel; Deve possuir na oficina, em fcil acesso, as FISPQ de todos os produtos e os funcionrios devem possuir treinamento nas mesmas; A oficina dever possuir sinalizao dos locais de risco, uso de EPIs e proibio de entrada. 7 FERRAMENTAS, MQUINAS E EQUIPAMENTOS DE TRABALHO 7.1 Ferramentas manuais / eltricas e pneumticas 9. PCO - PROCEDIMENTO OPERACIONAL MANUTENO MECNICA PCO - 002 Rev.: 00 Folha: 9 / 27 Todas as ferramentas (chaves de fenda, Philips, chaves de boca, martelos, parafusadeiras, furadeiras, etc) devem passar por inspeo visual diariamente e inspeo registrada em formulrio prprio (Anexo 1), mensalmente, no sendo permitida a utilizao das mesmas com defeito; As ferramentas pneumticas devem possuir corrente de proteo no engate da mangueira com a ferramenta. Utilizar abraadeiras com parafusos com porca sextavados. 7.2 Mquinas e Equipamentos 7.2.1 Esmeril O esmeril deve ser dotado de proteo mecnica de 180 graus na parte superior do rebolo; Deve possuir chave de acionamento (liga/desliga) em local visvel e de fcil acesso, com identificao e dispositivo para bloqueio em caso de manuteno; Deve possuir botoeira de emergncia de fcil acesso, fora do corpo da mquina, com identificao. 7.2.2 Compressor O equipamento deve ser utilizado apenas por pessoal qualificado; Certificar-se de que as revises peridicas obrigatrias foram realizadas; Dispor de dispositivos limitadores de presso e de vlvulas de segurana; Corrente de proteo nos engates entre a mangueira e a vlvula de sada do ar; Existncia de ligao terra das massas metlicas, associada a interruptores diferenciais no circuito de fornecimento; Existncia de dispositivo de controle e regulao da temperatura do ar na sada da cmara de combusto; Verificar a existncia de dispositivo de controle e regulao da temperatura do leo de arrefecimento; 10. PCO - PROCEDIMENTO OPERACIONAL MANUTENO MECNICA PCO - 002 Rev.: 00 Folha: 10 / 27 O equipamento deve ser desligado no caso de paragem da bomba de leo; Sinalizar adequadamente a localizao do equipamento e garantir a iluminao adequada; Deve ser instalado em local isolado e fora do acesso constante de pessoas, fixando-o corretamente e respeitando as distncias a paredes e colunas; Proteo das partes sob tenso e partes mveis; O vaso de presso deve conter certificado de teste hidrosttico dentro do prazo de validade. 7.2.3 Mquina de solda eltrica Instalar e operar uma mquina de soldar ou cortar de acordo com as orientaes contidas no Manual de Instrues. Alm da proteo ao pessoal de operao e manuteno, o aterramento constitui uma proteo fundamental dos equipamentos; Utilizar a mquina de solda estritamente dentro das caractersticas anunciadas pelo fabricante. Nunca sobrecarreg-los; Instalar o equipamento de soldar afastado de fontes externas de calor excessivo; Manter todas as protees necessrias; 7.2.4 Equipamento Conjunto Oxiacetileno Os cilindros devem estar instalados em carrinhos de transporte com dispositivo contra quedas (correntes); Os cilindros devem possuir vlvulas com manmetros em condies de uso e vlvulas corta chama na sada da vlvula e na entrada da caneta do maarico; O conjunto oxiacetileno deve ser inspecionado diariamente, avaliando as condies de segurana citadas nesse procedimento; O maarico deve ser mantido em condies de uso e mantido em compartimento de uso restrito; 11. PCO - PROCEDIMENTO OPERACIONAL MANUTENO MECNICA PCO - 002 Rev.: 00 Folha: 11 / 27 As mangueiras devem ser inspecionadas diariamente e mantidas fora do raio de projeo de fagulhas e somente usar um regulador de presso especfico para o gs usado e de capacidade apropriada aplicao. Nunca usar adaptadores de rosca entre um cilindro e o regulador de presso; Os cilindros devem ser armazenados em p, em local isolado com identificao do risco, separados por disposio (cheios / vazios), com proteo contra quedas (correntes ou cancela) e mantido sempre com capacete de proteo; 7.2.5 Talha de corrente manual Deve ser instalada em local apropriado levando em considerao a capacidade de carga dos mesmos e estrutura da edificao; Deve possuir identificao da carga mxima de trabalho; Passar por manuteno peridica, com registro em formulrio especfico; Deve possuir trava de proteo no gancho; A rea de uso da talha deve possuir sinalizao de proibio da passagem e permanncia sob carga suspensa. 7.2.6 Macaco hidrulico Armazenados em local adequado, longe de fontes de calor e intempries; Deve possuir identificao da carga mxima. 12. PCO - PROCEDIMENTO OPERACIONAL MANUTENO MECNICA PCO - 002 Rev.: 00 Folha: 12 / 27 8 RECOMENDAES OPERACIONAIS 8.1 Montagem / desmontagem de peas e motores em geral Antes de iniciar as atividades, realizar bloqueio de fontes de energia do veculo/mquina, utilizando cadeados de bloqueio e placas de sinalizao; No use ferramentas deformadas, empenadas ou espanadas no seu ponto de encaixe; No force as ferramentas acima da sua capacidade para que no haja deformao ou quebra; Sempre usar ferramenta com a bitola correta para cada uso; No altere o formato original das ferramentas, passando por esmeril ou procedimento semelhante; No use prolongadores para aumentar o torque, pois a rea de encaixe no vai suportar o esforo excessivo; Sempre que possvel prenda a pea que vai ser trabalhada em uma morsa; No transporte ferramentas nos bolsos; No permitida a improvisao de ferramentas; No utilize ferramentas de impacto, como talhadeiras, com formato de cabea de cogumelo, rebarbas que podem se soltar e serem projetadas. Faa a devida manuteno, retirando as rebarbas; 13. PCO - PROCEDIMENTO OPERACIONAL MANUTENO MECNICA PCO - 002 Rev.: 00 Folha: 13 / 27 Obrigatria a utilizao de proteo para utilizao de talhadeira ou outras ferramentas que sofram impacto; Inspecione as ferramentas eltricas periodicamente, mantendo suas caractersticas originais; No utilize ferramentas eltricas em locais midos ou com extenses passando sobre piso molhado; Ao realizar troca de brocas desligar a ferramenta da tomada, religando somente aps a finalizao do aperto necessrio; As ferramentas eltricas devem possuir duplo isolamento e os circuitos eltricos aterrados; No permitido improvisar ferramentas eltricas para atender a um servio especfico ou quaisquer outros; No se posicione abaixo de peas que esto sendo desmontadas e retiradas; Em caso de peas e motores de peso elevado, utilize talha manual para apoio e iamento; Utilize carrinhos para transporte de peas / motores; Sempre que possvel utilize banquetas para realizao de servio sentado; No utilizar o ar comprimido para limpeza da pele e/ou uniforme; Utilize os EPIs necessrios s atividades, conforme especificado na APR e Procedimento de EPI: a) culos de Segurana - Diariamente durante a jornada de trabalho, em atividades com projeo de partculas; b) Capacete de segurana Atividades em campo (rea externa); 14. PCO - PROCEDIMENTO OPERACIONAL MANUTENO MECNICA PCO - 002 Rev.: 00 Folha: 14 / 27 c) Protetor auricular tipo plug Atividades com ferramentas eltricas ou pneumticas; d) Creme de proteo Diariamente na manipulao de peas com leo e graxa; e) Luva pigmentada Atividades com manuseio de ferramentas; f) Luva nitrlica Atividades com peas sujas de leo e/ou graxa; g) Calado de segurana Diariamente durante a jornada de trabalho; h) Uniforme (camisa manga longa e cala) - diariamente durante a jornada de trabalho. 8.2 Lubrificao e limpeza de peas Utilize bacia de conteno sob a pea ser lubrificada para se evitar o derramamento no piso; Aps a realizao do servio, armazene o lubrificante no local adequado, isolado; No permitir que o lubrificante entre em contato com a pele ou uniforme; Na limpeza de peas, utilize bacia de conteno para recolhimento da gua contaminada. 8.3 Manuteno e troca de rodas e pneus O conjunto roda/pneu deve ser retirado do veculo/mquina utilizando macaco hidrulico; No passe/permanea ou posicione membros (mos, braos e pernas) sobre veculo/mquina quando estiverem suspensos por macaco hidrulico; Na atividade com macaco hidrulico no campo, avalie o local de instalao do mesmo, evitando possveis afundamentos devido ao sedimento do solo; Utilize somente ferramenta adequada ao servio (chave de roda ou parafusadeira pneumtica) para retirada ou instalao de conjunto roda/pneu; Ao manusear o conjunto roda/pneu mantenha em posio adequada para movimentao gradativa para se evitar o seu tombamento; 8.3.1 Montagem/Desmontagem de conjunto aro/pneu 01. Utilize as ferramentas adequadas a atividade. Na desmontagem do conjunto aro/pneu, utilizar alavancas na retirada do pneu. No utilizar marreta metlica na retirada/colocao do conjunto; 02. No realize frizamento de pneus com desgaste; 15. PCO - PROCEDIMENTO OPERACIONAL MANUTENO MECNICA PCO - 002 Rev.: 00 Folha: 15 / 27 03. No utilizar o ar comprimido para limpeza da pele e/ou uniforme; 04. No realize calibragem com pneu fora da gaiola de segurana, conforme item 5, deste procedimento. No permanece que outras pessoas permaneam na rea de calibragem. Utilize sempre todos os EPIs recomendados para este servio; 05. Mantenha o local / piso de trabalho sempre desobstrudo. 8.3.2 Montagem de cmara de ar e protetor 1 - Colocar o pneu no plano horizontal, sobre cho limpo ou mesa de montagem. Conferir a limpeza interior. 2 - Passar talco na cmara de ar. Apenas uma fina camada em toda sua superfcie. 3 - Aps dobrar a cmara, coloc-la no interior do pneu conforme a foto. 4 - Encher (sem a pea interna da vlvula) a cmara de ar, at o afastamento dos tales. 5 - Passar a mo entre a cmara de ar e o pneu para liberar o ar retido, continuando a encher, at que os tales estejam suficientemente afastados, permitindo a colocao do protetor. 6 - Parafusar a tampa protetora da vlvula. 7 - Antes de colocar o protetor deve-se lubrificar suas abas com pasta prpria; 8 - Colocar o protetor, comeando pela vlvula. 16. PCO - PROCEDIMENTO OPERACIONAL MANUTENO MECNICA PCO - 002 Rev.: 00 Folha: 16 / 27 9 - Estando o protetor corretamente orientado, posicionar a vlvula em seu orifcio, pressionando a sua base para facilitar a colocao no pneu. 10 - Colocar o protetor no lugar e verificar que no esteja dobrado, especialmente nas extremidades das abas. 11 - Colocar o aro ou roda sobre a cruz de montagem, em local limpo e seco. 12 - Lubrificar com pasta adequada, as partes seguintes: Parte cnica da roda; Os tales externamente; Anis de fixao: parte cnica em contato com a base do talo. 8. 3. 3 Montagem do pneu sobre aro ou roda 01. A tampa da vlvula deve estar rosqueada para no danificar a rosca durante a montagem; 17. PCO - PROCEDIMENTO OPERACIONAL MANUTENO MECNICA PCO - 002 Rev.: 00 Folha: 17 / 27 02. Colocar o pneu na vertical, levantando-o prximo do aro ou roda, assegurando-se que a vlvula permanea situada no eixo da janela do aro; 03. Inclinar o pneu sobre a roda e introduzir a vlvula dentro da janela do aro, em sua posio definitiva; 04. Fazer deslizar o pneu sobre o aro erguendo-o pelo lado da vlvula; 05. A abertura do anel dever ser posicionada do lado oposto da vlvula; 06. Montar o anel lateral mvel e o anel de fixao com o auxlio das alavancas; 07. O entalhe do anel de fixao, dever situar-se a 180 da vlvula. Ateno: no aconselhvel o emprego da marreta, utilizar, somente se necessrio, um martelo de madeira ou de borracha dura. 8.3.5 Preenchimento do pneu 1. Colocar o pneu horizontalmente na gaiola de segurana conforme item 5, deste procedimento. Inflar at, no mximo, 40 PSI, assegurando-se do bom posicionamento dos elementos da roda ou aro; 2. Atravs do cordo de centragem podem observar se houve um bom assentamento dos tales. 3. Se for observada a m centragem do pneu, desinfl-lo para posicionar corretamente, corrigindo-os se for necessrio, com o auxlio de um martelo de madeira ou de borracha dura. Verificando se a superfcie das bordas da roda est limpa e isenta de oxidao, e se a lubrificao est correta. 8.3.6 Enchimento do pneu 1. Pneu colocado verticalmente, numa gaiola de segurana, conforme item 5, deste procedimento e com anis voltados contra a parede; 2. Inflar o pneu at atingir a presso recomendada; 3. Nunca abandonar um pneu que est sendo inflado automaticamente; Ateno: nunca se situar ou permitir que pessoas estejam na trajetria eventual de qualquer parte da roda ou aro em qualquer operao de enchimento. 18. PCO - PROCEDIMENTO OPERACIONAL MANUTENO MECNICA PCO - 002 Rev.: 00 Folha: 18 / 27 8.4 Servios de corte, soldagem e esmerilhamento de peas Nos locais de soldagem e corte no devem conter lquidos inflamveis (gasolina, tintas, solventes, etc), slidos combustveis (papel, materiais de embalagem, madeira, etc) ou gases inflamveis (oxignio, acetileno, hidrognio, etc); Instalar biombos metlicos ou protees no inflamveis ou combustveis para evitar que o calor, as fagulhas, os respingos ou as escrias possam atingir materiais inflamveis ou pessoas; Manter extintor de incndio prximo ao local da atividade; Nunca usar uma mquina de soldar com parte do seu gabinete removida ou mesmo aberta. Alm de tal situao ser potencialmente perigosa para o soldador, a falta de refrigerao pode resultar em danos a componentes internos da mquina; Os equipamentos de soldagem eltrica devem ser aterrados eletricamente, conforme normas vigentes; Os fios condutores dos equipamentos, as pinas ou os alicates de soldagem devem ser mantidos longe de locais com leo, graxa ou umidade, e devem ser deixados em descanso sobre superfcies isolantes; O dispositivo usado para manusear eletrodos deve ter isolamento adequado corrente usada, a fim de se evitar a formao de arco eltrico ou choques no operador; No soldar ou cortar recipientes fechados ou que no tenham sido devidamente esvaziados e limpos internamente. Eles podem explodir se tiverem contido algum material combustvel ou criar um ambiente asfixiante ou txico conforme o material que foi armazenado neles; Proibido realizar atividade em espaos confinados (tanques e similares); Nunca soldar, cortar ou realizar qualquer operao a quente numa pea que no tenha sido adequadamente limpa. Substncias depositadas na superfcie das peas podem decompor-se sob a ao do calor e produzir vapores inflamveis ou txicos; 19. PCO - PROCEDIMENTO OPERACIONAL MANUTENO MECNICA PCO - 002 Rev.: 00 Folha: 19 / 27 No soldar ou cortar peas sujas ou contaminadas por alguma substncia desconhecida. Remover toda e qualquer pintura ou revestimento de zinco de uma pea antes de sold-la ou cort-la; Proceder inspeo da rea de trabalho aps ter-se completado a soldagem ou o corte. Apagar ou remover fagulhas ou pedaos de metal quente que, mais tarde, possam provocar algum incndio; O soldador ou operador deve sempre manter a cabea fora da rea de ocorrncia dos fumos ou vapores gerados por um arco eltrico de forma a no respir-los - O tipo e a quantidade de fumos e gases dependem do processo, do equipamento e dos consumveis usados. Uma posio de soldagem pode reduzir a exposio do soldador aos fumos; Nunca soldar perto de desengraxadores a vapor ou de peas que acabem de ser desengraxadas. A decomposio dos hidrocarbonetos clorados usados neste tipo de desengraxador pelo calor ou a irradiao do arco eltrico pode gerar fosgnio, um gs altamente txico, ou outros gases nocivos; Alguma irritao nos olhos, no nariz ou na garganta durante a soldagem ou o corte pode ser indcio de uma contaminao do local de trabalho e de uma ventilao inadequada. O trabalho deve ser interrompido, as condies do ambiente devem ser analisadas e as providncias necessrias para melhorar a ventilao do local devem ser tomadas; Mquinas de soldar no devem ser utilizados em locais alagados ou poas de gua ou nas intempries; Depois de usar um equipamento de soldar, sempre deslig-lo e isol-lo da sua linha de alimentao eltrica; Nunca utilizar equipamento defeituoso. Conserv-lo em perfeito estado de funcionamento, procedendo manuteno preventiva peridica recomendada pelo fabricante e manuteno corretiva sempre que necessrio. Todos os dispositivos de segurana incorporados devem ser mantidos em boas condies de trabalho; Somente empregado qualificado e habilitado pode operar esmerilhadeira; 20. PCO - PROCEDIMENTO OPERACIONAL MANUTENO MECNICA PCO - 002 Rev.: 00 Folha: 20 / 27 No permitida a retirada das protees da esmerilhadeira, como empunhadeira e proteo do risco; Sempre manter cilindros de gs distantes de chamas e de fontes de fascas ou de calor (fornos,etc); Ao abrir a vlvula do cilindro, manter o rosto afastado do regulador de presso/vazo; No lubrificar vlvulas e peas do conjunto oxiacetileno; Manter leos e graxa longe do conjunto oxiacetileno; Os cilindros dos gases usados em soldagem ou corte devem ser movimentados de forma segura e com o capacete de proteo, pois em caso de queda, podem provocar a danificao ou ruptura da vlvula de fechamento e a liberao repentina e violenta do gs que contm com riscos de ferimento ou morte; No armazene ou transporte cilindros (cheios ou vazios) deitados; Sempre conservar as mangueiras e conexes de gs em boas condies de trabalho. Utilize borrifador, com soluo de gua com detergente, antes de iniciar a atividade, para se verificar se estar isento de vazamentos; Quando no estiverem em uso, cilindros de gs devem permanecer com sua vlvula fechada, mesmo que estejam vazios. Para as atividades citadas nesse item, utilize os EPIs, conforme a ART especfica. Ateno: leo e graxa em contato com o oxignio gera reao qumica violenta, podendo causar incndio ou exploso. 8.5 Servios em altura a partir de 2,00 metros Em caso de atividade com elevao do piso, utilizar plataforma ou escada adequadas ao servio. Nas atividades acima de 2,00m deve-se utilizar cinto de segurana tipo paraquedista com talabarte duplo atracado acima da altura da cintura. Para atividade em altura, realizar treinamento de acordo com a NR 35. 8.6 Carregamento de baterias 21. PCO - PROCEDIMENTO OPERACIONAL MANUTENO MECNICA PCO - 002 Rev.: 00 Folha: 21 / 27 No utilizar carregador de baterias em proximidade com produtos inflamveis. Verificar periodicamente as condies da fiao, chaves de acionamento e aterramento eltrico do carregador. 8.7 Utilizao de equipamentos manuais de iar Trabalhar sempre com a carga alinhada na vertical. No suspender a carga com inclinao excessiva. Antes do iamento da carga, verificar se o gancho est fixado e centralizado com segurana, evitar colocar a carga na ponta do gancho para evitar sua deformao; Os ganchos fixados carga, aparecem da forma a sofrerem cargas laterais podendo muitas vezes ser bem acima da capacidade prevista para o trabalho, a carga estar toda concentrada na ponta do gancho. So nessas circunstncias que acontecem acidentes causados por rupturas ou abertura do gancho; 22. PCO - PROCEDIMENTO OPERACIONAL MANUTENO MECNICA PCO - 002 Rev.: 00 Folha: 22 / 27 No torcer as correntes, estas devem estar sempre alinhadas, sem dobras, tores ou tranamentos. No dar volta com o moito entre as correntes. No amarrar a carga com corrente da talha. No caso de talhas de alavanca evitar oscilaes para no haja deslizamento da carga; Na utilizao de lingas, observar que o ngulo mximo de trabalho no ultrapasse 2 x 45, abertura entre lingas 90; No sobrecarregar a talha. Antes de qualquer operao, verifique com segurana a carga a ser levantada (peso), para que se escolha o equipamento adequado (capacidade da talha). A carga jamais dever ultrapassar a capacidade nominal da talha; No se deve levantar ou abaixar excessivamente a carga; Manter lubrificao constante. 23. PCO - PROCEDIMENTO OPERACIONAL MANUTENO MECNICA PCO - 002 Rev.: 00 Folha: 23 / 27 8.7 Teste de motores Antes do teste de motor, verificar se j foram realizados todos os servios, e se no h outro empregado realizando atividade no veculo/mquina. Retire o bloqueio individual; Utilize os EPIs recomendados, inclusive o protetor auricular tipo plug. 8.8 Bloqueio de fontes de energia Deve-se realizar bloqueio das fontes de energia (eltrica e mecnica) quando da necessidade de interveno em mquinas, equipamentos e veculos, nos casos de Manuteno, Ajustes Gerais, Novas Instalaes e Outras Situaes. Deve-se antes de iniciar o bloqueio, desligar a chave geral (eltrica) do veculo / mquina. A chave de ignio do veculo / mquina deve permanecer com o empregado que realizar a atividade e bloqueio. Em caso de bloqueio para dois ou mais empregados, a chave de ignio deve ser depositada em caixa de bloqueio, bloqueada tambm, por todos envolvidos. Utilizar dispositivos de bloqueio fsico evitando religamento acidental ou por terceiros, utilizando cadeado com registro do empregado habilitado e que ir realizar o bloqueio. Deve ser acoplado diretamente no equipamento a ser bloqueado (painel, porta) e ou associados a um dispositivo de bloqueio (ex: dispositivo para mltiplos cadeados; cabos de ao; bloqueadores mecnicos, etc.), conforme figura abaixo. 24. PCO - PROCEDIMENTO OPERACIONAL MANUTENO MECNICA PCO - 002 Rev.: 00 Folha: 24 / 27 Junto ao local de bloqueio deve haver carto individual, nominativo, que identifica a energia bloqueada e o responsvel pelo bloqueio; Deve-se analisar todos os riscos existentes e determinar as recomendaes de segurana que devem ser aplicadas para a execuo o servio; Aps cumpridas as etapas de comunicar e analisar, deve-se proceder o bloqueio e etiquetagem da fonte de energia, que so feitos por: Dispositivos especficos (cadeados de segurana, trava mltipla, etc.); Carto de travamento, do responsvel pelo bloqueio; Dispositivo para mltiplos cadeados, quando mais de uma pessoa estiver envolvida no trabalho. Aps bloqueadas as energias, deve-se fazer o teste de ENERGIA ZERO, para garantir a segurana do bloqueio; Aps o termino do servio, realizar inspeo final do veculo/mquina e realizar desbloqueio; Cada empregado envolvido no bloqueio dever fazer o seu prprio bloqueio e desbloqueio. No permitido realizar bloqueio ou desbloqueio para outros envolvidos na atividade. 9 DISTRIBUIO A cpia deste procedimento ser entregue a toda equipe de manuteno e lideranas da ............................................................, aps a participao em treinamento especifico. 25. PCO - PROCEDIMENTO OPERACIONAL MANUTENO MECNICA PCO - 002 Rev.: 00 Folha: 25 / 27 Elaborao: Responsvel pelo cumprimento: 10 ANEXOS Anexo 1 - Check list de Inspeo em Ferramentas Anexo 2 Check list de Inspeo Equipamentos Estacionrios 26. PCO - PROCEDIMENTO OPERACIONAL MANUTENO MECNICA PCO - 002 Rev.: 00 Folha: 26 / 27 ANEXO 1 Check list de Inspeo em Ferramentas 27. PCO - PROCEDIMENTO OPERACIONAL MANUTENO MECNICA PCO - 002 Rev.: 00 Folha: 27 / 27 ANEXO 2 Check list de Inspeo em Equipamentos Estacionrios