COMPARAO DA NR-15 (anexo 1 e 2 Ruido) e NHO-1(RUIDO)

  • Published on
    21-Mar-2017

  • View
    14

  • Download
    0

Transcript

Template-Pitagoras-2014

Higiene OcupacionalNCLEO DE PS-GRADUAOESTUDO COMPARATIVO: NR 15 x NHO 01 Professora: Tatiane Oliveira

Andreza RodriguesFlvia LuzFernanda LopesGelcine ngela Lydiane CristinaLucas AlvarengaRafaelli Camila

INTRODUO:Nos dias atuais estamos constantemente expostos a nveis elevados de rudo, seja em casa, na rua, no lazer ou no ambiente de trabalho. Tratando-se de ambiente ocupacional, a exposio a nveis altos de rudos, pode levar o trabalhador a danos auditivos e at mesmo perdas irreparveis de audio.O agente rudo, de modo geral, se constitui em um dos maiores riscos potenciais para sade do trabalhador em sua atividade laboral. Ele pode variar na sua composio, no que se refere frequncia, intensidade e durao.

OBJETIVOSGeral:Realizar um estudo comparativo entre a NR 15 (Anexos I e II) e a NHO 01.

Especficos:Listar as diferenas e semelhanas entre as normas;Conhecer em que situao so aplicadas as normas;Aplicar a norma no processo produtivo de armador de construo civil.

RUDOSegundo os autores Brevigliero, Possebom e Spinelli (2009), o rudo : O fenmeno fsico vibratrio com caractersticas indefinidas de variaes de presso ( no caso, ar) em funo da frequncia, isto , para uma dada frequncia podem existir, em forma aleatria atravs do tempo, variaes de diferentes presses. Essa uma situao real e frequente, por isso utilizamos a palavra rudo, mas no nos referindo necessariamente sensao objetiva do barulho.

RUDOO rudo pode ser classificado em (BRAGA, 2002):Contnuo: Som que se mantm no tempoIntermitente: som no contnuo, em que nos intervalos h dissipao de pressoImpulsivo: som proveniente de certas mquinas, como prensa grfica, por exemplo A medida do nvel do rudo feita pelo decibelmetro/dosmetro e a unidade de medida do som o decibel.

NR 15 ATIVIDADES E OPERAES INSALUBRES

De acordo com o Art. 189 da CLT Consolidao das Leis de Trabalho:Sero consideradas atividades ou operaes insalubres, aquelas que, por sua natureza, condies ou mtodos de trabalho, exponham os empregados a agentes nocivos sade, acima dos limites de tolerncia fixados em razo da natureza e da intensidade do agente e do tempo de exposio aos seus efeitos.

NR 15 ATIVIDADES E OPERAES INSALUBRES

Pela norma entende-se que limite de tolerncia : a concentrao ou intensidade mxima ou mnima, relacionada com a natureza e o tempo de exposio ao agente, que no causar dano sade do trabalhador, durante a sua vida laboral. O que de grande importncia para a determinao da insalubridade so os riscos ambientais (agentes fsicos, qumicos e biolgicos). Estes tipos de riscos so ocupacionais e promovem quando ultrapassados o limite de tolerncia a insalubridade.

NR 15 ATIVIDADES E OPERAES INSALUBRES

Anexo 01 - Limites de tolerncia para rudo contnuo ou intermitenteEntende-se por Rudo Contnuo ou Intermitente, para os fins de aplicao de Limites de Tolerncia, o rudo que no seja rudo de impacto. Os tempos de exposio aos nveis de rudo no devem exceder os limites de tolerncia para rudo continuo ou intermitente de acordo o quadro anexo.

NR 15 ATIVIDADES E OPERAES INSALUBRES

ANEXO-01 NR 15Limite de tolerncia para Rudo Continuo ou Intermitente

NR 15 ATIVIDADES E OPERAES INSALUBRES

Para os valores encontrados de nvel de rudo intermedirio ser considerada a mxima exposio diria permissvel relativa ao nvel imediatamente mais elevado. As atividades ou operaes que exponham os trabalhadores a nveis de rudo, contnuo ou intermitente, superiores a 115 dB(A), sem proteo adequada, oferecero risco grave e iminente.

NR 15 ATIVIDADES E OPERAES INSALUBRES

Anexo 02 - Limites de tolerncia para rudos de impactoEntende-se por rudo de impacto aquele que apresenta picos de energia acstica de durao inferior a 1 (um) segundo, a intervalos superiores a 1 (um) segundo. O limite de tolerncia para rudo de impacto ser de 130 dB (linear). Nos intervalos entre os picos, o rudo existente dever ser avaliado como rudo contnuo.

NR 15 ATIVIDADES E OPERAES INSALUBRES

As atividades ou operaes que exponham os trabalhadores, sem proteo adequada, a nveis de rudo de impacto superiores a 140 dB (LINEAR), medidos no circuito de resposta para impacto, ou superiores a 130 dB(C), medidos no circuito de resposta rpida (FAST), oferecero risco grave e iminente. ( NR 15).

Objetivo e aplicao da NHO-01

O objetivo da NHO-01 estabelecer critrios e procedimentos para a avaliao da exposio ocupacional ao rudo, que implica no risco potencial de surdez ocupacional.Sua aplicao na exposio ocupacional a rudo continuo ou intermitente e rudo de impactos, em quaisquer situaes de trabalho, contudo no voltada para caracterstica das condies de conforto acstico.

Procedimento de Avaliao de acordo com NHO-01 A avaliao de rudo dever ser feita de forma a caracterizar a exposio de todos os trabalhadores considerados no estudo. Identificando-se grupos de trabalhadores que apresentem iguais caractersticas de exposio - grupos homogneos - no precisaro ser avaliados todos os trabalhadores. Devero ser obtidas informaes administrativas, a serem ratificadas por observaes de campo, necessrias na caracterizao da exposio dos trabalhadores, com base no critrio utilizado.

Procedimento de Avaliao de acordo com NHO-01 Equipamentos de medio Especificaes mnimas

Medidores integradores de uso pessoal;Medidores integradores portados pelo avaliador;Medidores de leitura instantnea; Calibradores acsticos; Interferentes ambientais no desempenho dos equipamentos; Aferio e certificao dos equipamentos.

Procedimento de Avaliao de acordo com NHO-01 Procedimentos especficos de medio de rudo contnuo ou intermitente

Utilizando medidor integrador de uso pessoal Utilizando medidor integrador portado pelo avaliador Utilizando medidor de leitura instantnea

Procedimento de Avaliao de acordo com NHO-01 Procedimentos especficos de medio de rudo de impacto Realize os ajustes preliminares no equipamento e sua calibrao, com base nas instrues do manual de operao; Mantenha o microfone do medidor dentro da zona auditiva do trabalhador; Acompanhamento do funcionrio para uma correta avaliaoEfetue medies em nmero suficiente para determinar os nveis de impacto a que fica submetido o trabalhador avaliado;Determine o nmero de impactos por dia a que fica exposto o trabalhador avaliado;O nmero de impactos e os nveis medidos em um perodo menor que a jornada diria de trabalho podero ser extrapolados para toda a jornada, desde que o perodo avaliado seja representativo de toda a exposio do trabalhador.

Procedimento de Avaliao de acordo com NHO-01 Interpretao dos resultados Rudo contnuo ou intermitente Dose diria Nvel de exposio normalizado Critrio de julgamento e tomada de deciso

Dose diria (%) NEN dB(A) Considerao tcnica Atuao recomendada 0 a 50 at 82 aceitvel no mnimo manuteno da condio existente 50 a 80 82 a 84 acima do nvel de ao adoo de medidas preventivas 80 a 100 84 a 85 regio de incerteza adoo de medidas preventivas e corretivas visando a reduo da dose diria Acima de 100 > 85 acima do limite de exposio adoo imediata de medidas corretivas

Procedimento de Avaliao de acordo com NHO-01 Interpretao dos resultados

Rudo de impacto

Rudo contnuo ou intermitente simultneo com rudo de impacto

ANEXO I x NHO 01NR-15 ANEXO 01NHO-01COMPARAO1. Entende-se por Rudo Contnuo ou Intermitente, para os fins de aplicao de Limites de Tolerncia, o rudo que no seja rudo de impacto.Rudo Contnuo ou Intermitente: todo e qualquer rudo que no est classificado como rudo de impacto ou impulsivo.Semelhante2. Os nveis de rudo contnuo ou intermitente devem ser medidos em decibis (dB) com instrumento de nvel de presso sonora operando no circuito de compensao "A" e circuito de resposta lenta (SLOW). circuito de ponderao = "A"circuito de resposta = lenta (slow) ou rpida (fast), quando especificado pelo fabricantecritrio de referncia =85 dB(A), que corresponde a dose de 100% para uma exposio de 8 horasnvel limiar de integrao = 80 dB(A)faixa de medio mnima = 80 a 115 dB(A)incremento de duplicao de dose = 3 (q = 3)indicao da ocorrncia de nveis superiores a 115 dB(A)Semelhante

ANEXO I x NHO 01NR-15 ANEXO 01NHO-01COMPARAOAs leituras devem ser feitas prximas ao ouvido do trabalhador.A avaliao deve ser realizada utilizando-se medidores integradores de uso pessoal, fixados no trabalhadorSemelhante3. Os tempos de exposio aos nveis de rudo no devem exceder os limites de tolerncia para rudo continuo ou intermitente e de 85 dB(A) para mxima exposio diria permissvel de 8 horasCritrio de referencia que embasa os limites de exposio diria adotados para rudo continuo ou intermitente a uma dose de 100% para exposio de 8 horas aos nvel de 85dB(A)SemelhanteIntepretao no guardo de exposio ao rudo Critrio de avaliao considera, alm do critrio de referencia, o incremento de duplicao de duplicao de dose (q) igual a 3 e o nvel limiar de integrao igual a 80 dB(A)Semelhante

ANEXO I x NHO 01NR-15 ANEXO 01NHO-01COMPARAO4. Para os valores encontrados de nvel de rudo intermedirio ser considerada a mxima exposio diria permissvel relativa ao nvel imediatamente mais elevado.Para os valores encontrados de nvel de rudo intermedirio ser considerada a mxima exposio diria permissvel relativa ao nvel imediatamente mais elevado.Igual5. No permitida exposio a nveis de rudo acima de 115 dB(A) para indivduos que no estejam adequadamente protegidos.O limite de exposio valor teto para o rudo contnuo ou intermitente 115 dB(A).Semelhante7. As atividades ou operaes que exponham os trabalhadores a nveis de rudo, contnuo ou intermitente, superiores a 115 dB(A), sem proteo adequada, oferecero risco grave e iminente.No e permitida, em nenhum momento da jornada de trabalho, exposio a nveis de rudo continuo ou intermitente acima de 115 dB(A),para indivduos que no estejam adequadamente protegidos, independentemente dos valores obtidos para dose diria ou para o nvel de exposio.Semelhante

ANEXO I x NHO 01NR-15 ANEXO 01NHO-01COMPARAO6. Se durante a jornada de trabalho ocorrerem dois ou mais perodos de exposio a rudo de diferentes nveis, devem ser considerados os seus efeitos combinados, de forma que, se a soma das seguintes fraes:

exceder a unidade, a exposio estar acima do limite de tolerncia.Na equao acima, Cn indica o tempo total que o trabalhador fica exposto a um nvel de rudo especfico, e Tn indica a mxima exposio diria permissvel a este nvel, segundo o Quadro deste Anexo.Na impossibilidade da utilizao de medidores integradores de uso pessoal, podero ser utilizados medidores portados pelo avaliador. Neste caso a dose diria pode ser determinada por meio da seguinte expresso.Semelhante

ANEXO I x NHO 01NR-15 ANEXO 01NHO-01COMPARAONo citaNa indisponibilidade destes equipamentos, a Norma oferece procedimentos alternativos para outros tipos de medidores integradores ou medidores de leitura instantnea, no fixados no trabalhador, que podero ser utilizados na avaliao de determinadas situaes de exposio ocupacional. DiferenteNo citaNo entanto, as condies de trabalho que apresentem dinmica operacional complexa, como, por exemplo, a conduo de empilhadeiras, atividades de manuteno, entre outras, ou que envolvam movimentao constante do trabalhador, no devero ser avaliadas por esses mtodos alternativos.DiferenteNo citaExposies a nveis inferiores a 80 dB(A) no sero consideradas no calculo da dose.Diferente

ANEXO I x NHO 01NR-15 ANEXO 01NHO-01COMPARAONo cita A avaliao da exposio pelo nvel de exposio deve ser realizada, preferencialmente, utilizando-se o medidor integradores de uso pessoal. Na indisponibilidade deste equipamento, podero ser utilizados outros tipos de medidores integradores ou medidores de leitura instantnea, portados pelo avaliador.

O NE = nvel mdio representativo da exposio diria do trabalhador avaliado.

Nesse critrio o limite de exposio ocupacional diria ao rudo corresponde a NEN=85 dB(A), e o limite de exposio valor teto para rudo continuo ou intermitente e de 115 dB(A).

Para este critrio considera-se como nvel de ao o valor NEN igual a 82 dB(A).Diferente

ANEXO I x NHO 01NR-15 ANEXO 01NHO-01COMPARAONo citaTabela1 - Tempo mximo dirio de exposio permissvel em funo do nvel de rudo.Diferente

ANEXO 2 x NHO 01NR-15 ANEXO 02NHO-01COMPARAO1. Entende-se por rudo de impacto aquele que apresenta picos de energia acstica de durao inferior a 1 (um) segundo, a intervalos superiores a 1 (um) segundo. Rudo de Impacto ou Impulsivo: rudo que apresenta picos de energia acstica de durao inferior a 1 (um) segundo, a intervalos superiores a 1 (um) segundo).Igual2. Os nveis de impacto devero ser avaliados em decibis (dB), com medidor de nvel de presso sonora operando no circuito linear e circuito de resposta para impacto. A determinao da exposio ao rudo de impacto ou impulsivo deve ser feita por meio de medidor de nvel de presso sonora operando em (Linear) e circuito de resposta para medio de nvel de pico.

SemelhanteNo cita essa formulaNeste critrio o limite de exposio diria ao rudo de impacto determinado pela expresso a seguir:Diferente

ANEXO 2 x NHO 01NR-15 ANEXO 02NHO-01COMPARAONo citaA tabela 2, obtida com base na expresso anterior, apresenta a correlao entre os nveis de pico mximo admissveis e o nmero de impactos ocorridos durante a jornada diria de trabalho, extrada a partir da expresso de determinao do limite de exposio diria ao rudo de impacto.

Quando o numero de impacto ou de impulso dirio exceder 10.000(n >10.000), o rudo devera ser considerado como continuo ou intermitente.O Limite de tolerncia valor teto para rudo de impacto corresponde ao valor nvel de pico 140 dB(lin).O nvel de ao para a exposio ocupacional ao rudo de impacto corresponde ao valor Np na expresso acima, subtrado de 3 decibis (Np 3) dB.Diferente

ANEXO 2 x NHO 01NR-15 ANEXO 02NHO-01COMPARAOO limite de tolerncia para rudo de impacto ser de 130 dB (linear). O limite de tolerncia valor teto para rudo de impacto corresponde ao valor de nvel de pico 140 dB (linear). Diferente3. Em caso de no se dispor de medidor do nvel de presso sonora com circuito de resposta para impacto, ser vlida a leitura feita no circuito de resposta rpida (FAST) e circuito de compensao "C". Neste caso, o limite de tolerncia serde 120 DbNo cita Diferente

ANEXO 2 x NHO 01NR-15 ANEXO 02NHO-01COMPARAO4. As atividades ou operaes que exponham os trabalhadores, sem proteo adequada, a nveis de rudo de impacto superiores a 140 dB(LINEAR), medidos no circuito de resposta para impacto, ou superiores a 130 dB(C), medidos no circuito de resposta rpida (FAST), oferecero risco grave e iminente. No e permitido exposio a rudos de impactos ou impulsivos com nveis de pico superiores a 140 dB para indivduos que no estejam adequadamente protegidos.Semelhante

Foi escolhido o processo da construo civil da atividade do armador.Na atividade de um armador de construo civil, parte do processo produtivo, no caso o corte do material com a ferramenta Policorte, produz rudo. Um trabalhador deste ramo poder estar exposto a uma condio de insalubridade.O Policorte uma ferramenta eltrica porttil utilizada para trabalhos onde necessrio esmerilar, aparar rebarbas e cortar metais e materiais de construo. composta por um motor eltrico que aciona um disco e desbasta o objeto em trabalho de abraso. O nvel de rudo desse equipamento de 100 dB.

APLICAO DO PROCESSO

APLICAO DO PROCESSOA exposio de um armador ao elevado nvel de rudo de um policorte vai variar de acordo com a demanda de produo. Esse tempo de exposio pode ser gerenciado, executando uma quantidade maior de cortes por um perodo e desligando o equipamento para realizar as dobras das armaes, diminuindo assim o tempo de exposio. Alm disso, o empregador deve fornecer e garantir a utilizao de EPI especfico (Protetor auricular tipo plug com atenuao de 16 dB.) para neutralizao do possvel adicional de insalubridade e preservao da sade ocupacional do trabalhador.

APLICAO DO PROCESSO

Utilizao da policorte para os corte da ferragem

APLICAO DO PROCESSOAtividade de dobra da ferragem

CONCLUSOConclumos que entre a NR15 e a NHO - 01, existem algumas diferenas entre o rudo continuo, intermitente e de impacto. A NR 15 deduz os limites de tolerncia entre os rudos continuo, intermitente e de impacto, exposio entre 8 horas trabalhadas e limite mximo de sua exposio. J a NHO - 01 trabalhou mais tecnicamente, pegando informaes na NR 15, anexo 1 e 2, criou metodologias de trabalho para avaliaes de rudo, tcnicas , estatsticas, formulas de dados, quantificao na avaliao e medidas de controle.Acredita-se que a inteno da Fundacentro ajudar nessa questo de avaliao de rudo para melhoria do trabalhador sem conhecimento de informaes no explicitas na NR 15.

OBRIGADO!