Slides Equalizao - Contabilidade 2014A

  • Published on
    14-Dec-2014

  • View
    427

  • Download
    1

DESCRIPTION

 

Transcript

  • 1. Cursos de Ps-Graduao Lato Sensu e MBA Programa de Equalizao em Contabilidade Prof. Salanek Filho Maro de 2014 Prof. Pedro Salanek Filho Programa de Equalizao em Contabilidade
  • 2. sustentare 3026 4950 CONTABILIDADE Prof. Pedro Salanek Filho Administrador de Empresas Ps-Graduado em Finanas MBA em Gesto Executiva Mestre em Sustentabilidade Socioeconmica Educador e Diretor Executivo da Revista GERAO SUSTENTVEL
  • 3. sustentare A educao se divide em duas partes: educao das habilidades e educao das sensibilidades... Sem a educao das sensibilidades, todas as habilidades so tolas e sem sentido. Rubem Alves
  • 4. sustentare Ensino X Aprendizagem METODOLOGIA:
  • 5. sustentare Algumas Coisas que o adulto pensa na hora da aprendizagem: Porque esse cara est me ensinando isso? Qual problema vou resolver com isso que estou aprendendo? Estou aprendendo teorias ou ganhando ferramentas? Queria que fosse mais prtico, pois sou independente! Necessito contextualizar... Viu! Isso a vai cair na avaliao? METODOLOGIA: ENSINO X APRENDIZAGEM
  • 6. sustentare Introduo contabilidade. Conceitos Bsicos de Balano. A Estrutura Patrimonial. Ativos, Passivos, Patrimnio Lquido e DRE. Viso prtica de balano. Diferena entre balancete e balano. Simulao e desenvolvimento de uma estrutura de razonetes. Noes de fontes e aplicaes de recursos. Regime de caixa e Regime de competncia. Balano na pessoa fsica (contextualizao). Lanamentos contbeis. Dbito e crdito. Plano de contas. Viso sistmica (lanamentos, fechamento e os indicadores). CONTEDO PROGRAMTICO 12/13 de maro
  • 7. sustentare O que viso cartesiana e viso sistmica tm a ver com a CONTABILIDADE? VISO CARTESIANA E VISO SISTMICA
  • 8. sustentare Fonte: Ana Laura (ABS) VISO CARTESIANA E VISO SISTMICA
  • 9. sustentare Contabilidade... Indicadores... Lucros... Podem ser observados na tica cartesiana? O modelo cartesiano, criado por Ren Descartes, visto como um modelo linear e limitado. uma forma nica de pensar, ou seja, uma forma mecanicista. VISO CARTESIANA
  • 10. sustentare E = m.c2 Viso Cartesiana
  • 11. sustentare Este modelo consiste na avaliao separada de cada organismo de um sistema. O modelo cartesiano composto por 4 tarefas bsicas: Verificar se existem evidncias reais; Analisar, ou seja, dividir ao mximo as coisas, em suas unidades de composio; Sintetizar, ou seja, agrupar novamente as unidades estudadas em um todo verdadeiro; Enumerar todas as concluses e princpios utilizados, a fim de manter a ordem do pensamento. Este modelo representado, no dia a dia, pela frase: Vamos por partes! Rene Descartes VISO CARTESIANA
  • 12. sustentare Viso cartesiana: Explica da parte para o todo Viso sistmica: Explica do todo para a parte VISO CARTESIANA E VISO SISTMICA
  • 13. sustentare Conceito de Balano e Gesto por indicadores CONTABILIDADE
  • 14. sustentare Frana Islndia Itlia Inglaterra FRICA Espanha Oceano Atlntico EUROPA Viso Panormica
  • 15. sustentare Bens Direitos Obrigaes Patrimnio Lquido (+) (-) (=) Equao Patrimonial CONTABILIDADE
  • 16. sustentare Os ativos da empresa (o que ela possui) e o passivo (as suas fontes de financiamento), que podem ser dvidas (obrigaes) ou patrimnio lquido (o que foi fornecido pelos proprietrios). GITMAN (1997 pg. 72) CONTABILIDADE
  • 17. sustentare Destinao dos Recursos (ATIVOS) Bens (+) Direitos Obrigaes (recursos ou capital de terceiros) Patrimnio Lquido (recursos ou capital prprio) CONTABILIDADE (FONTES E APLICAES) Fontes dos Recursos (PASSIVOS)
  • 18. sustentare Destinao dos Recursos (ATIVOS) ATIVO CIRCULANTE (AC) CONTABILIDADE (FONTES E APLICAES) Fontes dos Recursos (PASSIVOS) ATIVO DE LONGO PRAZO (AC) IMOBILIZADO/PERMANENTE (AC) PASSIVO CIRCULANTE (PC) PASSIVO DE LONGO PRAZO (PC) PATRIMNIO LQUIDO
  • 19. sustentare Destinao dos Recursos (ATIVOS) ATIVO CIRCULANTE Caixa, banco, aplicaes Valores a receber Estoques CONTABILIDADE (FONTES E APLICAES) Fontes dos Recursos (PASSIVOS) ATIVO DE LONGO PRAZO Repasses Outros Crditos Depsitos Judiciais IMOBILIZADO (PERMANENTE) Investimentos Imobilizado (depreciao) Intangvel PASSIVO CIRCULANTE Financiamentos Fornecedores Salrios, impostos, terceiros PASSIVO DE LONGO PRAZO Financiamentos Obrigaes fiscais Parcelamentos PATRIMNIO LQUIDO Capital Social Reserva Legal Resultados (lucro/prejuzo)
  • 20. sustentare DRE (Demonstrao do Resultado do Exerccio) RECEITAS (-) Custos MARGEM BRUTA (-) Despesas operacionais (vendas, administrativas, etc.) MARGEM ANTES DO RESULTADO FINANCEIRO (-) Despesas financeiras (+) Receitas Financeiras MARGEM OPERACIONAL (-) Impostos (Imposto de Renda e Contribuio Social) MARGEM LQUIDA DO EXERCCIO CONTABILIDADE (DRE)
  • 21. sustentare O balano patrimonial um instantneo feito pelo contador do valor contbil da empresa, numa data especfica, como se a empresa permanecesse esttica por um momento. ROSS (2002, pg.39) CONTABILIDADE
  • 22. sustentare Vamos simular um Balano de Pessoa Fsica? Vamos avaliar a sua situao patrimonial atravs de uma estrutura de Balano? CONTABILIDADE
  • 23. sustentare A funo da rea de Contabilidade desenvolver e prover dados para mensurar a performance da empresa, avaliando sua posio financeira perante os impostos, contabilizando todo seu patrimnio, elaborando suas demonstraes reconhecendo as receitas no momento em que so incorridos os gastos - REGIME DE COMPETNCIA. O que diferencia as atividades financeiras das contbeis que a administrao financeira enfatiza o REGIME DE CAIXA, que demonstrar realmente a situao e capacidade financeira para satisfazer suas obrigaes e adquirir novos ativos (bens ou direitos de curto ou longo prazo) a fim de atingir as metas da empresa Esta a funo do Gestor Financeiro. CONTABILIDADE
  • 24. sustentare O gestor financeiro utiliza as informaes da contabilidade como uma das fontes para a tomada de decises financeiras da empresa. CONTABILIDADE
  • 25. sustentare EXEMPLO: PETROBRAS ATIVO 31/12/2009 31/12/2010 31/12/2011 31/12/2012 31/12/2013 CIRCULANTE 74.374 105.902 121.164 118.102 123.350 DISPONVEL (CX.BCO.APLICAES) 43.220 55.430 52.556 48.944 46.272 CONTAS A RECEBER 19.448 18.069 22.053 22.681 22.652 ESTOQUES 11.705 19.675 28.447 29.736 33.324 OUTROS ATIVOS CIRCULANTE - 12.728 18.108 16.742 21.102 TOTAL REAL. LONGO PRAZO 34.923 37.718 42.134 47.215 43.999 TOTAL PERMANENTE 241.122 373.225 436.799 512.399 585.617 TOTAL ATIVO 350.419 516.846 600.097 677.716 752.967 PASSIVO E PATRIMNIO LQUIDO 31/12/2009 31/12/2010 31/12/2011 31/12/2012 31/12/2013 CIRCULANTE 55.162 55.948 68.212 69.621 82.525 FINANCIAMENTOS 15.556 15.089 18.966 15.320 18.783 CONTAS PAGAR/FORNECEDORES 17.082 16.710 21.418 23.736 26.721 OUTROS PASSIVOS CIRCULANTES 22.525 24.148 27.828 30.565 37.020 TOTAL EXIGVEL L. PRAZO 128.364 151.070 199.661 262.662 321.108 TOTAL PATR. LQUIDO 166.893 309.828 332.224 345.434 349.334 TOTAL PASSIVO 350.419 516.846 600.097 677.716 752.967 BALANO PATRIMONIAL - PETROBRAS (R$ MILHES)
  • 26. sustentare EXEMPLO: PETROBRAS CONTAS DE RESULTADO 31/12/2009 31/12/2010 31/12/2011 31/12/2012 31/12/2013 RECEITAS 182.834 211.842 244.176 281.379 304.890 CUSTO DAS VENDAS (CMV) (108.707) (135.617) (166.939) (210.472) (233.726) MARGEM BRUTA 74.127 76.225 77.237 70.907 71.164 VENDAS (7.374) (8.557) (8.950) (9.604) (10.601) ADMINISTRATIVAS (7.392) (7.802) (8.647) (9.842) (10.751) OUTRAS (14.923) (14.578) (15.411) (19.985) (15.455) MARGEM OPERACIONAL 44.437 45.288 44.229 31.476 34.356 RESULTADO FINANCEIRO (162) 2.621 122 (3.723) (6.202) MARGEM OPERAC. APS FINANCEIRO 44.275 47.909 44.351 27.753 28.154 TRIBUTAO SOBRE LUCRO (10.931) (12.027) (11.241) (6.794) (5.147) LUCRO LIQUIDO DO PERODO 33.344 35.881 33.110 20.959 23.007 DEMONSTRAO DE RESULTADOS (R$ MILHES)
  • 27. sustentare MEUS CONTATOS: PEDRO SALANEK FILHO psalanek@hotmail.com Facebook: Pedro Salanek Filho (41) 9971.5683