Resenha espirita on line 95

  • Published on
    24-May-2015

  • View
    436

  • Download
    3

DESCRIPTION

Notcias de Divaldo Franco e Raul Teixeira e o trabalho de divulgao de Espiritismo em todo o mundo.

Transcript

1. 1 Resenha Esprita on line a informao na medida certa n 95Ano 53 de outubro de 2013 2. 2 3 FD AGENDA outubro 2013 ivaldo ranco Brasil 2 - Feira de Santana (BA) 4 e 5 - Gramado (RS) 10 a 13 - Salvador (BA) Argentina 6 e 7 - Buenos Aires Portugal 17 - Amadora 18 - Leiria 19 - Aveiro 20 - Viseu 21 - lhavo 22 - Coimbra 23 - Santarm 24 - vora 25 - Quarteira 26 - So Brs de Alportel 27 - Amadora Salvador - 10 a 13/10/13Gramado- 4 e 5/10/13Feira de Santana - 2/10/13 3. 4 5 Buenos Aires Nos dias 6 e 7 deste ms de outubro de 2013, atendendo convite da Federao Esprita Argentica, Divaldo Franco estar em Buenos Aires, Argentina, proferindo palestras. O 7 Congresso Esprita do Rio Grande do Sul ser realizado no Serra Park Centro de Eventos e Feiras em Gramado, situado na Viao Frrea, 100 Trs Pinheiros, Gramado, RS. Sob o patrocnio da Federao Esprita do Rio Grande do Sul, acontecer entre os dias 4 a 6 de outubro de 2013. Divaldo Franco, Andr Trigueiro, Haroldo Dutra, Sandra Borba, Srgio Lopes e Alberto Almeida, so os conferencistas convidados. s 20h30 do dia 4, Divaldo far a conferncia de abertura do evento, com o tema: Evangelho no Mundo e nos Coraes. No dia 5, s 13h30, Divaldo voltar tribuna para abordar o tema: Tragdias do cotidiano. Jesus e atualidade. O Congresso Esprita Portugus2013 ter lugar em Leiria, nas instalaes da Associao Esprita de Leiria, nos dias 16 e 17 de novembro , cujo temal geral : Mediunidade, uma viso de futuro. Divaldo Franco ministrar o seminrio. Contatos: www.feportuguesa.pt. As inscries devem ser feitas atravs do e-mail: congressoespiritaportu- gues.2013@gmail.com. DIVALDO EM araras, sp Dia 24 de novembro de 2013, os espritas de Araras, SP, e regio, se movimentaro para re- ceber Divaldo Franco, quando da realizao do Seminrio Bebeficiente em prol da Manso do Caminho. O tema ser: Mediunidade: desafios e bnos. A atividade comear s 9h e acontecer no Salo Social do Sayo Futebol Clube, Av Otto Barreto, 250 Jd. Sobradinho. o encontro com a felicidade Dia 27 de dezembro de 2013, em Fortaleza, CE, Divaldo Franco apresentar o seminrio: O econtro com a felicidade, a partir das 19h, no auditrio do SEBRAE. As inscries podem ser feitas na Livraria Si- nal Verde - Rua Princesa Isabel, 255 - Centro - Fortaleza, CE. Maiores informaes podem ser colhidas atravs dos telefones (85) 3212.1092 - 3212.4268. 4. 6 7 Divaldo Franco estar em portugal No perodo de 17 a 27 de outubro de 2013, Divaldo Franco estar em Por- tugal, visitando diversas cidades, em promao doutrinria, ali divulgando a mensagem esprita, a convite da Federao Esprita Portuguesa, organizadora do evento. Amadora - 17 e 27/10/13 Leiria - 18/10/13 Aveiro - 19/10/13 Viseu - 20/10/13 lhavo - 21/10/13 Coimbra - 22/10/13 Santarm - 23/10/13 Evora - 24/10/13 Quarteira - 25/10/13 So Brs de Alportel - 26/10/13 O Encontro Fraterno de 2013 ser de 10 a 13 de outubro, no Hotel Iberostar Bahia, em Praia do Forte, o mesmo hotel de 2012. As inscries esto abertas e podem ser feitas atravs da internet: http://www.en- controfraterno.com.br 5. 8 9 raul teixeira em vitria da conquista Raul Teixeira, ladeado por Alberto Almeida e Maurcio dos Santos e dirigentes do evento O Movimento Esprita de Vitria da Conquista, Bahia, na sua 60 Semana Esprita -1 a 8/9/2013 homenageou Raul Teixeira, retribuindo-lhe o cari- nho do amigo sempre devotado, presente em todas as Semanas Espritas ao longo das ltimas trs dcadas, e por sua valorosa contribuio na dis- seminao da Doutrina Esprita pelo interior daquele estado. O evento abordou o tema Reencarnao e Imortalidade e contou com a participao de Divaldo Franco, Jorge Alberto Elarrat Canto, Eliseo Mota Jnior, Andr Luiz Peixinho, Sandra Della Polla, Ruth Brasil Mesquita, Dcio Iandoli Jnior, Alberto Almeida e de integrantes do Projeto Manoel Philome- no de Miranda. A emoo contagiou a todos quando, da tribuna, Raul dirigiu aos presentes algumas palavras, agradecido por sua vibrao carinhosa. (Texto de Maurcio dos Santos) Assista ao vdeo, seguindo o link: https://docs.google.com/file/ d/0ByceD_mze55vZFJKUXJNMURWSWs/edit?usp=drive_web Aconteceu DIVALDO FOI AO CANAD Divaldo Franco atendeu programao dou- trinria em Quebc (22/09/13), Montral (24/09/13) e Toronto (26/09/13, no Canad. Foto de Divaldo com confrades de Toronto. MENSAGEM DE bEZERRA DE mENEZES No dia 29 de setembro de 2013, Di- valdo Franco esteve em Santo Andr, SP, participando do XXVII Encontro Fraternal, onde ministrou seminrio e proferiu palestra. Quando do encerramento, o Vene- rando Benfeitor espiritual, Bezerra de Menezes, deixou mensagem por psi- cofonia, atravs de Divaldo. Veja o vdeo com a mensa- gem, seguindo o link: http:// www.youtube.com/watch?v=_ XYvWmw18bw&feature=youtu.be 6. 10 11 dez nos ensinos de escol. Enviam batedores, achanadores, preparadores. As notcias chegam a todos, como rastilho incendiado. A vila de Mr. Hyde explode fenomnica e torna-se bero da Nova Era. As me- sas contam, cantam, movimentam- -se, deixando estupefatos os observa- dores, quanto embalam os frvolos de todos os tempos A Amrica treme, a Europa se agita Atuam, diligentes, as Hostes do Consolador. Do gabinete excelente, entre estudos profundos, vo buscar a personalidade gigantesca, protago- nista da epopia futura A Falange da Verdade prepara-se para admoestar a vacuidade e estabe- lecer um imprio novo, agora sobre as conscincias, dinamizando o amor e burilando a cultura; dando razo f e iluminando o conhecimento. Inaugurando novo perodo para o pensamento humano, com a fora do ideal e o apoio de insupervel gran- deza, surge como um Astro, pintando de luz a escuridade da noite terrena, a figura apostolar de Lon Rivail. No mais se discutem as afirma- tivas revoltosas de Chaumette, ten- tando substituir, pela Razo converti- da em nova divindade atesta, que ele fazia representada por jovem figura do meretrcio parisiense, a fora ide- olgica dos representantes da Notre Dame. J no se levantam questes em redor de Danton, de Marat, de Robes- pierre, nos seus ideais revolucion- rios. Bruxuleavam as chamas inquisi- doras, nos seus ltimos estertores. A letra morta, que Lutero tivera a cora- gem de retirar da escurido da cripta para a claridade do dia, j no alimen- tava, devidamente, as almas carecen- tes, tornando-se necessrio ajuntar o esprito vivificante que motiva vida. Agora uma nova luta que se trava na Terra. Os Imortais lanam-se das imen- Nos programas de Deus, nos proje- tos da Vida, so poucas as vezes em que o crebro humano consegue penetrar, com o necessrio aprofun- damento. A Terra jazia sob nvoa escura, no aodar de foras desconexas. Mu- tilados os sentimentos; acirrados os temperamentos rebeldes; ensombra- da a Cincia, em face de absurdo ma- terialismo; niilismo na Filosofia e treda vaidade nas academias, quanto nos sales culturais A cegueira da f que se debatia por entre paredes frias, sob as naves vazias dos templos mortios. Aprego- ava-se o nome do Senhor, mantendo- -O, todavia, distncia das prticas religiosas Em meio a essa hecatombe, nos arraiais da cultura francesa, o raciona- lismo penetrava de modo insopitvel. Bonaparte, o Corso, que fizera-se im- perador, belicoso, vociferando loucu- ras, aps abaladas as bases dos seus compromissos mais nobilitantes para com a existncia, armava-se contra a Igreja, liderada por Pio VII Eram dias atrozes, em que no parecia haver soluo para os enig- mas do pensamento, para o questio- namento da f ou para as concluses filosficas que, amadurecidas, condu- zissem a mentalidade humana para as reflexes acuradas O povo continuava relegado e a misria grassava, desafiadora, en- quanto os intelectuais vaidosos se de- batiam entre discusses intrminas, que a lugar nenhum logravam condu- zir. nesse momento que os cora- es sofredores do orbe lanam aos Espaos Infinitos a sua litania que atinge os Ouvidos Divinos. Nesse pe- rodo histrico, os ais da Humanidade rompem as distncias mentais para comoverem os Cus. A programtica celeste, des- de muito, preparava o instante ideal, para o advento da Luz. Abrindo-se os Cus, lanam-se as Coortes dos Espritos Nobres, em alamedas de estrelas, espargindo luci- Allan Kadec Ave, 7. 12 13 so, destruindo os seus adversrios, para consumi-los, aterradoramente Com Kardec, na formidvel Codi- ficao, os filhos de Deus so imortais por essncia. Indestrutveis, devero retornar ao plano das lutas, sempre que necessrio, at coroarem-se com a fulgurao evolutiva. Em passos lentos, se vai despe- gando a criatura do pavor e das su- persties, elucidada quanto reali- dade do Esprito, galgando os roteiros da f refletida, raciocinada, de modo a poder viv-la, senti-la, sofr-la, se preciso. Jesus Cristo volve aos caminhos das ovelhas perdidas da Casa de Is- rael. Convoca os Espritos corajosos a seguirem-No. Deixa que falem ao mundo, aqueles que se supunham mortos ou eram tidos como tais. A mediunidade ponte levadia, unindo a Terra aos Esturios Divinos, aten- dendo aos sofredores em quaisquer condies e coletando as messes lu- minosas do Mais Alto. A interpretao das lies do Nazareno faz-se clara. O entendimen- to das verdades do Evangelho, com o Espiritismo, palpvel. A mensagem consola e orienta, prope que se amem as criaturas e que, ao mesmo tempo, desenvolvam- -se, instruam-se. E a vida se faz lgi- ca, compreensvel. Com Allan Kardec, a Doutrina Esprita avana. Ao decado, estende a mo que socorre e o arrimo que o apruma, em nome da caridade. Aos que esto de p, fala-lhes de sua mis- so no mundo, sem que se percam na inutilidade vaidosa ou nos labirin- sides e aportam o orbe. O Mission- rio escolhido identifica-se com a Mis- so. Concebe sua pujana e olvida os prprios interesses, adotando o crip- tnimo que lhe correspondia ao antigo nome, quando cantara a fraternidade, sob carvalhos seculares, nas florestas gaulesas, na condio de grave sacer- dote, Allan Kardec. Impondo-se portentoso trabalho, Kardec organiza os ditos dos Espritos do Senhor. A Codificao do Espiritis- mo fulgura para o mundo. No mais deuses de pedra insi- nuando-se como verdadeiros, para as conscincias atreladas ignorncia O Senhor dos Mundos, expulso, antes, do territrio francs, retorna, convertido na Inteligncia Suprema, causadora de tudo quanto existe, nas Vozes gloriosas dos Cus Nunca mais os numes belicosos, nem o senhor dos exrcitos, capricho- (Litogravura de Theodor Josef Hubert Hoffbauer) Galerie dOrlans, 13 - Palais Royal, Paris, Frana. Local onde foi lanado o Livro dos Espritos, em 18 de abril de 1857. Originalmente localizada na Galerie de Bois, do Palais Royal, a livraria dirigida por M. Dentu era um local famoso para reunies literrias e debates no final do sculo XVIII. A livraria foi, mais tarde, herdada pelos familiares das geraes futuras, e ficou sendo uma das boutiques mais antigas da Galerie dOrlans. Galerie dOrlans - Palais Royal, Paris, Frana. 8. 14 15 Sabemos que toda a esperana da Hu- manidade repousa no corao e na alma infantis, e que todo o investimento de dedicao e lutas, de tempo e de ener- gias, ser importante e necessrio, urgen- te mesmo, para que alcancemos o desi- derato feliz. Por conseguinte, em nome do Evangelho do Reino, conclamamos as criaturas todas, estejam nas funes de pais, educadores, irmos, amigos e fami- liares, em geral, para que cerremos fileiras em redor do bem que podemos fazer aos pequeninos, a fim de que no os impea- mos, conscientemente, de chegar ao Se- nhor, pelos ensinos e pela exemplificao que lhes pudermos oferecer, plasmando os dias de alevantamento moral para o mundo. Bastaro um pouco de boa von- tade, para romper a concha do egosmo nefasto, e muito esforo para mudar es- truturas de acomodao e negligncia, j consagradas. Essa a hora de lhes apresentar- mos o verdadeiro caminho, o roteiro segu- ro, sem empeos de qualquer ordem, que conduzir a eles e a ns das pelejas da Terra Luz do Criador. Camilo (Livro: Cintilao das estrelas. Camilo, Cap. 8. Raul Teixeira) Antes de aderires ao entusiasmo rei- nante para a limitao da prole, re- parte com o outro cnjuge as tuas pre- ocupaes, discute o problema luz da reencarnao. Evita engajar-te na moda, s por- que as opinies gerais so favorveis medida. No o faas, simplesmente, con- siderando os fatores econmicos, os da superpopulao. O Senhor dispe de recursos inima- ginveis. Confia a Ele as tuas dificuldades e entrega-te consciente, devotadamente. Seja qual for a opo que escolhas ter mais ou menos filhos , os que se encontram na pauta das tuas necessida- des chegar-te-o, hoje ou mais tarde. Sendo possvel, acolhe-os da me- lhor maneira, porquanto, conforme os re- ceberes, ser-te-o amigos generosos ou rudes adversrios dos quais no te liber- tars facilmente. Joanna de ngelis (Livro: Leis morais da vida. Joanna de nge- lis, Cap. 14. Divaldo Franco) Vida em famlia tos da impiedade. A ningum prome- te salvao, embora faculte paz pelos compromissos devidamente atendi- dos. Ningum vai ameaado com os terrores infernais, entretanto, todos tomam posse das noes de respon- sabilidade frente dos prprios atos. Allan Kardec. Pseudnimo de Hippolyte Lon Denizard Rivail, nascido em 03/10/1804, na cidade de Lyom, Frana, e desencarnado em 31/03/1869, em Paris, Frana. E, quando o Bandeirante da Ver- dade tomba, rompendo as cadeias que o detinham no cho terrestre, prossegue alm, vencidas as pelejas humanas, atendendo aos servios de Jesus, cuidando das almas sofridas e em processo de brunimento, que ain- da se acham vinculadas aos proces- sos planetrios. Legtimo Benfeitor da Humani- dade, na vibrao que a tua memria enseja, dizemos: - Ave, Allan Kardec! Teus disc- pulos novos e singelos, saudamos-te, nos umbrais da Era Nova, que impul- sionaste com tua luta. Camilo Psicografia de J. Raul Teixeira, em 05.07.2010, Niteri, RJ Lyon, Frana, cidade onde nasceu Hippolyte Lon Denizard Rivail, em 03/10/1804. 9. 16 17 Esse estado interior de violncia pessoal, que se expressa no somatrio de mil outras, transformando-se em guerras horrendas e per- versas, deve ceder lugar pacificao que cada qual desenvolver mediante o trabalho de cons- truo do bem em si mesmo e da solidariedade em torno dos passos. A violncia das ruas, que alcana as Na- es, tem incio no desconcerto moral do indi- vduo que, tocado pelas blandcias do amor, se modificar, embora a contributo do sofrimento, para que reine a harmonia em toda parte. Se cada um, em particular, cuidar de transformar-se para melhor, envidando esfor- os para que a sua seja a contribuio do gro de trigo na gleba generosa, a violncia bater em retirada, tornando-se figura de museu que as futuras geraes contemplaro, a fim de en- tenderem como era o estgio passado de evo- luo em que se demoraram os seres superinte- lectualizados e pobremente moralizados. Joanna de ngelis (Livro: Lies para a felicidade. Joanna de ngelis, Cap.: 19. Divaldo Franco) Se te achas nos circuitos da vida material na carreira interminvel pela posse da riqueza que sers cons- trangido a deixar no cho terrestre, para um instante e medita sobre os objetivos mais altos da existncia. No ser possvel conceber que todo o acervo de venturas, de lutas, de conquistas, tenha sido colocado pelo Autor da Vida em tua trilha, somente com o endereo da mor- te, Pensa nos dias da primavera pujante e florida, mas no te olvides da invernia que, quem sabe, logo ou mais tarde advir, tomando-te de surpresa?! No sem razo que nos apoiamos na concita- o do Apstolo de Tarso ao jovem Discpulo que lhe seguia os passos, no servio do Cristo. Apressarmo-nos para chegar ao servio do bem, da redeno espiritual, enquanto no surge a nevasca inclemente, antes que cheguem a borrasca gelada e o granizo atormentante, torna-se medida de prudncia, elevando o homem para que se uma a Jesus, nos dias de sol e festa nalma, an- tecipando a hora escura e fria que o inverno representa. Vem, meu irmo, aos campos da f inabalvel, mas no postergues o ensejo. Apressa-te, enquanto vives as quadras dadivosas e descontradas do tempo presente. Camilo (Livro:Cintilzao das estrelas. Camilo, Cap. 9. Raul Teixeira) em servio medinico: No presente trabalho, o nosso companheiro Swigg sintetiza, em suas mensagens psicofnicas, orientaes e sugestes felizes, entregando-as aos nobres servidores da mediunidade com Jesus, e queles que anseiam por refletir sobre suas nuanas, na condio de delicado mimo que cumpre duas funes: a de advertncia e a de incentivo para o prosseguimento da caminhada to exigente quo luminosa. Trata-se de 40 temas e questes ligados ao relacionamento com desencarnados, que o amigo espiritual costuma apresentar, como breve mensagem, na abertura das sesses de exerccio medinico da Sociedade Esprita Fraternidade SEF, na cidade de Niteri-RJ e que aqui foram enfeixados em forma de captulos. luz do espiritismo: Ao ense- jo da passagem do primeiro cen- tenrio da publicao de O cu e o inferno ou A justia divina segundo o Espiritismo, de Allan Kardec, o Esprito Manoel Vianna de Carvalho reuniu aponta- mentos sobre diversos as- suntos sempre de atualidade, examinando- -os luz do E s p i r i t i s m o ou da moral evanglica, consoante a pregou e viveu o Ex- celso Galileu. O objetivo divul- gar o pensamento kardequiano, nesse regime de urgncia que se faz preciso, no perodo de transi- o que vive a Terra. Raul TEIXEIRA Divaldo franco