Nr 17 Ergonomia e Nr 21 Trabalho a Cu Aberto

  • Published on
    15-Aug-2015

  • View
    148

  • Download
    0

Transcript

  1. 1. IFPI - Instituto Federal do Piau Curso: Tcnico em Fruticultura Disciplina: Riscos Laborais na Agricultura Professor: Laerte Amorim Perodo: Tarde Bloco I 1 Semestre 2015.1 NR 17 Ergonomia e NR 21 Trabalho a Cu Aberto Acadmicos: Arla Myres Soares Ferreira Domingos Edson Ferreira Keila Fernanda Moreira da Silva Tainara Borges de Arajo
  2. 2. Ergonomia e Trabalho a Cu Aberto Conceito(Ergonomia) Objetivo Causas Tipos de Ergonomia Conceito(Trabalho a cu aberto) Objetivo Causas Preveno Recomendaes
  3. 3. Ergonomia conjunto de disciplinas que estuda a organizao do trabalho no qual existe interaes entre seres humanos e mquinas. Se aplica qualidade de adaptao de uma mquina ao seu operador, proporcionando um eficaz manuseio e evitando um esforo extremo do trabalhador na execuo do trabalho.
  4. 4. Objetivo desenvolver e aplicar tcnicas de adaptao do homem ao seu trabalho e formas eficientes e seguras de desempenhar visando a otimizao do bem-estar e, consequentemente, aumento da produtividade.
  5. 5. Causas As leses por esforo repetitivo (LER) so um dos problemas fsicos mais comuns que pode causar limitaes ou mesmo incapacidade de trabalhar.
  6. 6. Tipos de Ergonomia Ergonomia Cognitiva: Est relacionada com um conjunto de processos mentais, entre eles a percepo, ateno, cognio, controle motor e armazenamento e recuperao de memria. Principal objetivo: Pretende analisar o impacto que esses processos tm na interao do ser humano e outros elementos dentro de um sistema.
  7. 7. Ex: Carga Mental de Trabalho, Vigilncia, Tomada de Deciso, Desempenho de Habilidades, Erro Humano, Interao Humano-Computador e Treinamento.
  8. 8. Ergonomia Organizacional: a parte do pressuposto que todo o trabalho ocorre no mbito de organizaes. Principal objetivo: Pretende potencializar os sistemas existentes na organizao, incluindo a estrutura, as polticas e processos da organizao.
  9. 9. Ex: Trabalho em Turnos, Programao de Trabalho, Satisfao no Trabalho, Teoria Motivacional, Superviso, Trabalho em Equipe, Trabalho Distncia e tica.
  10. 10. Trabalho a Cu Aberto Tipifica as medidas preventivas relacionadas com a preveno de acidentes nas atividades desenvolvidas a cu aberto, tais como, em minas, ao ar livre e em pedreiras. Corresponde aos trabalhos efetuados em ambientes externos, sem coberturas para proteo do trabalhador.
  11. 11. Sero exigidas medidas especiais que protejam os trabalhadores contra a insolao excessiva, o calor, o frio, a umidade e os ventos inconvenientes. Aos trabalhadores que residirem no local do trabalho, devero ser oferecidos alojamentos que apresentem adequadas condies sanitrias.
  12. 12. Para os trabalhos realizados em regies pantanosas ou alagadias, sero imperativas as medidas de profilaxia de endemias, de acordo com as normas de sade pblica. Os locais de trabalho devero ser mantidos em condies sanitrias compatveis com o gnero de atividade.
  13. 13. Objetivo Analisar o desempenho do esforo fsico que o trabalhador faz durante sua jornada e procedimentos possveis para amenizar os efeitos do calor na produtividade e na vida (sade) do trabalhador. Levantar os fatores de riscos ocupacionais relacionados incidncia de radiaes solares, e influncia da temperatura climtica, sobre os operrios da construo civil no trabalho a cu aberto.
  14. 14. Causas No Brasil, a atividade da construo civil uma das atividades laborais que mais produz doenas ocupacionais. Este estudo est delimitado aos distrbios relacionados realizao de trabalho a cu aberto, dada a inexistncia de qualquer tipo de proteo fsica ao trabalhador, que durante a jornada de trabalho fica submetido exposio integral ao calor e intempries.
  15. 15. Preveno A forma segura de preveno estar bem protegido por roupa e por chapu. Periodicamente, de trs em trs meses, todas as partes do corpo devem ser examinadas e a qualquer sinal de alterao na pele, a pessoa deve procurar o mdico.
  16. 16. Recomendaes importante ao engenheiro de segurana do trabalho contribuir na conscientizao de empregadores e empregados quanto s Normas legais de proteo ao trabalhador e ampliar os procedimentos preventivos sade e vida do trabalhador.
  17. 17. A curto prazo, o engenheiro de segurana do trabalho pode implantar aes paliativas de enfrentamento dessa situao, assegurando a melhora do bem estar do trabalhador em atividades a cu aberto: Perodo intercalado para descanso/repouso; Educao para o consumo necessrio de gua;
  18. 18. Uso de chapu de palha, adaptao de ventil ao ao capacete; Cuidados especiais com vesturio e alimenta o. Implantao de um processo educativo sistem tico atravs de udio-visual, palestras, e superviso permanente.
  19. 19. Obrigado Pela Ateno!

Recommended

View more >