Informe Rural ETENE N22

  • Published on
    21-Jun-2015

  • View
    693

  • Download
    3

DESCRIPTION

Censo indica mudana no perfil do produtor de feijo no Nordeste. Pesquisa feita pelo BNB-ETENE mostra que 80% da produo nordestina de feijo, retendo boa parte dela para o seu prprio consumo. No entanto, o perfil do produtor de feijo no Nordeste mudou um pouco no intervalo entre os censos agropecurios de 2006 e 1996, com a entrada de produtores de maior porte na atividade.

Transcript

  • 1. INFORME RURAL ETENE Escritrio Tcnico de Estudos Econmicos do Nordeste - ETENEAno IV Dezembro de 2010Ambiente de Estudos, Pesquisas e Avaliao - AEPA N 22PRODUO, REA COLHIDA E VENDA DE FEIJO NO NORDESTEJos Vladimir Cardoso SenaINTRODUO Valendo-se das informaes divulgadas pelo IBGE nos Censos Agropecurios de 1995-96 e 2006, este Informe tem como objetivo realizar um comparativo entre a quantidadeproduzida, vendida e a rea colhida de feijo no Brasil e no Nordeste. O presente Informecontinua o trabalho de comparao1 entre os dois censos e procura identificar as mudanasocorridas pelos diferentes fatores relacionados atividade agropecuria nos dez anosdecorridos entre um censo e outro. Devido ao seu alto valor protico e energtico o feijo de fundamental importnciapara a segurana alimentar da populao de menor renda. Alm de ser indispensvel para aproduo de inmeros pratos regionais, principalmente nordestinos. O plantio do feijoeiro uma atividade predominantemente familiar e em muitas vezes carente de investimentos eassistncia tcnica o que, em tais casos, compromete a rentabilidade da atividade. Segundo levantamento da Conab (2010), a produo brasileira de feijo na safra2009/2010 foi de 3,3 milhes de toneladas, o que manteve o Pas como o maior produtormundial do gro. No que concerne ao Nordeste, o Acompanhamento de Safra da Conab, desetembro de 2010, mostra que a Regio apesar de ter a maior rea plantada do Pas, com2.183 mil ha, possui apenas a terceira maior produo, cerca de 640 mil toneladas, fato esseexplicado pela baixa produtividade, quando comparada com a de outras regies, 1.914kg/ha foi a mdia de produtividade da regio Centro Oeste, contra 354 kg/ha no Nordeste(Tabela 1). Entre os estados nordestinos, a Bahia tem a maior produo, estimada em 333 miltoneladas, seguido dos estados de Pernambuco e Cear com 88,5 mil toneladas e 84,5 miltoneladas respectivamente. No Nordeste, a reduo da safra 2009/10 em relao 2008/09foi de 28,9% na produo. Isso devido estiagem que a regio sofreu. Situaes menos1 A primeira verso deste trabalho foi contratada junto Associao Cientfica de Estudos Agrrios (ACEG) e elaborada peloprofessor Raimundo Eduardo Silveira Fontenele, com a colaborao de Beatriz Nascimento Ko Fontenele. O presenteInforme est baseado em seo 3.24.6 Produo e rea Colhida de Feijo, constante do estudo da ACEG.Escritrio Tcnico de Estudos Econmicos do Nordeste ETENE / Superintendente: Jos NarcisoSobrinho / Gerente do Ambiente de Estudos, Pesquisas e Avaliao: Jnia Maria Pinho Sousa /Gerente da Clula de Estudos Rurais e Agroindustriais - COERG: Wendell Mrcio Arajo Carneiro /Autor: Jos Vladimir Cardoso Sena/ Reviso Vernacular: Hermano Jos Pinho

2. INFORME RURAL ETENEcrticas para os produtores de feijo nordestinos s foram encontradas na Bahia e Sergipe,neste ultimo inclusive, h variao positiva em relao safra passada, de 35%. Tabela 1 - Feijo Total. Comparativo de rea, Produtividade e Produo. Safras 2008/2009 e 2009/2010 REA (Em mil ha)PRODUTIVIDADE (Em kg/ha) PRODUO (Em mil t) REGIO/UF Safra 08/09 Safra 09/10Var% Safra 08/09 Safra 09/10 Var% Safra 08/09 Safra 09/10 Var% NORTE 167,2143,0 -14,5 844 573-32,1141,181,9 -42,0 NORDESTE 2.183,91.811,7-17,0 413 354-14,3901,3 640,7 -28,9 MA 96,8 85,0 -12,2 458 329-28,0 44,3 28,0-36,8 PI246,5213,8 -13,3 256 159-37,6 63,0 34,1-45,9 CE589,1458,2 -22,2 270 184-31,8159,3 84,5-47,0 RN 59,2 31,8 -46,3 390 252-35,5 23,18,0-65,4 PB205,573,0-64,5 390 51 -87,0 80,13,7-95,4 PE316,7264,6 -16,5 432 334-22,5136,7 88,5-35,3 AL 83,5 62,6 -25,0 460 540 17,4 38,433,8 -12,0 SE 35,8 42,619,0 559 634 13,5 20,027,035,0 BA550,8580,1 5,3 611 574 -6,0336,4 333,0-1,0 CENTRO OESTE285,6257,7-9,81.658 1.91415,5473,4 493,2 4,2 SUDESTE 634,6626,5-1,31.493 1.552 3,9947,7 972,1 2,6 SUL 876,5738,0 -15,81.172 1.46024,6 1.027,1 1.077,24,9 BRASIL 4.147,83.576,9-13,8 842 9138,5 3.490,6 3.265,1 -6,5Fonte: Conab Levantamento de setembro/ 2010. REA COLHIDA, QUANTIDADE VENDIDA E PRODUZIDA DE FEIJO NO NORDESTEA comparao entre os Censos realizados em 1995/96 e 20062 evidencia a importnciado Nordeste na produo brasileira de feijo e o crescimento da atividade na Regio.Em 1995/96, o Nordeste participava em 55,4% da rea colhida do gro no Pas, o querepresentava mais de 2,26 milhes de ha, com uma produo de mais de 746 mil toneladas,36,2% da produo nacional. No Censo de 2006, observou-se significativo crescimento daparticipao do Nordeste na produo de feijo no Brasil, passando para 49,7% (Grfico 1), oque representou mais de 1,5 milho de toneladas do gro. Os Estados da Bahia e Cearmantiveram suas posies de destaque na produo regional, e foram os que maiscontriburam para esse resultado (Tabela 2).Este comportamento provavelmente foi ocasionado pelo surgimento de inmerasvariedades de feijo, mais produtivas e resistentes, no perodo entre 1995/96 e 2006. Almdisso, o maior uso de irrigao na lavoura e a assistncia tcnica, que apesar de aindainsuficiente, passaram a ser mais presentes no meio rural. Esses fatores contriburam para oaumento da produtividade do gro no Pas e no Nordeste. Segundo o Censo 1995/96, aprodutividade mdia de feijo no Brasil era em torno de 505 kg/ha, e na Regio Nordesteaproximadamente 330 kg/ha. No Censo 2006, a produtividade brasileira passou para cercade 708 kg/ha, enquanto a nordestina ficou prxima dos 530 kg/ha. A nvel regional, a Bahiateve o maior rendimento, sendo inclusive superior mdia nacional, cerca 779 kg/ha.2 Cabe ressaltar que os valores absolutos de rea colhida e produo da Pesquisa Agrcola Municipal, para 1996 e 2006, destoam dosregistrados nos Censos Agropecurios 1995/1996 e 2006. Escritrio Tcnico de Estudos Econmicos do Nordeste ETENE Ambiente de Estudos, Pesquisas e Avaliao AEPA Coordenadoria de Estudos Rurais e Agroindustriais - COERG 3. INFORME RURAL ETENE15,17 Bahia 12,870,75Sergipe0,95 4,55Alagoas3,165,52Pernam buco 5,67 3,27 Paraba2,59 2,41 Rio Grande do Norte 1,5113,69Cear 5,912,95 Piau2,55 1,26 Maranho0,96 49,57 Nordeste 36,18 - 5 1015 20 25 30 3540 45501995-96 (%)2006 (%) RegioGrfico 1 Evoluo da Participao Percentual do Nordeste e Estados da Regio naQuantidade Produzida de Feijo do Brasil.Fonte: IBGE, Censo Agropecurio 1995-1996 e 2006.Tabela 2 Comparativo entre a Quantidade Produzida e a rea Colhida no Nordeste e seusEstados, segundo os Censos 1995/96 e 2006.Nordeste e seus Quantidade Produzida (T)***rea Colhida (ha)Estados 1995/96*2006** Variao%1995/96 2006 Variao%Nordeste746.717 1.541.196106,402.261.745 2.907.346 28,54Maranho 19.81839.230 97,95 63.29287.087 37,60Piau52.66291.785 74,29184.345 228.215 23,80Cear 121.956 425.575248,96378.784 744.979 96,68Rio Grande do Norte31.19874.840139,89124.896 169.930 36,06Paraba53.428 101.733 90,41211.189 250.461 18,60Pernambuco117.096 171.725 46,65345.902 375.1498,46Alagoas65.220 141.325116,69144.826 404.849179,54Sergipe19.68723.341 18,56 48.99938.213(22,01)Bahia 265.652 471.642 77,54759.511 605.575(20,27)Fonte: IBGE, Censo Agropecurio 1995/96 e 2006. Tabela elaborada pelo autor.*Primeira, segunda e terceira safras. Obs.: O Censo 1995/96 refere-se quantidade produzida como quantidadecolhida.**Feijo de cor, feijo-preto e feijo de corda.***Comparao feita entre () e (), possvel com os microdados do IBGE. Apesar de () referir-se a safra e ()referir-se a grupo e classe, representam os mesmos produtos. Economicamente, o novo Censo identificou que o complexo produtor de feijonordestino, no qual a agricultura familiar responsvel por mais de 80% da produo, tevesua safra vendida por R$ 1.222.334 mil. Escritrio Tcnico de Estudos Econmicos do Nordeste ETENE Ambiente de Estudos, Pesquisas e Avaliao AEPA Coordenadoria de Estudos Rurais e Agroindustriais - COERG 4. INFORME RURAL ETENEOutro aspecto que vale ressaltar que no Nordeste o percentual da produocomercializado inferior ao observado no Brasil. Isso mostra que na Regio o feijo produzido em grande medida por pequenos agricultores que destinam grande parte daproduo para seu prprio consumo. Porm, entre os censos ocorreu reduo do percentualda produo vendida no Brasil, Nordeste e em todos os estados nordestinos, com destaquepara o Piau, Cear, Rio Grande do Norte e Paraba (Grfico 2). Um dos fatores que pode tercontribudo para este fato foi o preo do feijo ao produtor que em 2006 foi bem inferior aode 1996. 58,04Bahia 68,9461,25 Sergipe57,31 45,61 Alagoas66,3243,94 Pernam buco 57,9426,59Paraba 43,22 26,21Rio Grande do Norte 38,08 28,84 Cear 40,45 29,27Piau 45,9740,24Maranho 45,0641,5356,64Nordeste61,64 Brasil 73,21-1020 30 4050 6070801995-96 (%) 2006 (%)Grfico 2 Percentual da Produo de Feijo Comercializada no Brasil, Nordeste e Estados Nordestinos.Fonte: IBGE, Censo Agropecurio 1995/96 e 2006.O feijo nordestino continua sendo produzido por agricultores familiares, no entanto, oCenso 2006 permitiu identificar algumas mudanas importantes no perfil dos produtores dogro. No Censo 1995/96, 1,24 milhes de estabelecimentos colheram menos de 10 ha defeijo no Nordeste. Em 2006, cerca de 1,02 milhes de estabelecimentos colheram menos de10 ha, reduo de mais de 17 %. Em contrapartida, aumentaram o nmero de propriedadesque colheram mais de 10 ha de feijo (Tabela 3), o que indica a entrada de produtores demaior porte na atividade.No geral, o Nordeste teve reduo no nmero de estabelecimentos produtores de feijona ordem de 15% entre 1995/96 e 2006, resultado da reduo do nmero deestabelecimentos que colheram menos de 10ha de feijo. Os demais grupos de reaapresentaram crescimento da rea colhida com destaque para as superiores a 100 ha.Escritrio Tcnico de Estudos Econmicos do Nordeste ETENEAmbiente de Estudos, Pesquisas e Avaliao AEPACoordenadoria de Estudos Rurais e Agroindustriais - COERG 5. INFORME RURAL ETENETabela 3 Variao Percentual do Nmero de Estabelecimentos e da Quantidade Produzida entre os Censos 1995/96 e 2006.Nmero de estabelecimentosQuantidade produzida (T) Grupos de rea Colhida1995/962006 Variao1995/962006VariaoMenos de 101.241.080 1.027.171 -17,24 573.910 449.760-21,63Menos de 1 ha562.791 511.408-9,13 117.275 84.145 -28,25De 1 a menos de 2 ha 353.731 285.232 -19,36 146.663 96.090 -34,48De 2 a menos de 5 ha 273.005 195.412 -28,42 215.457 148.685-30,99De 5 a menos de 10 ha 51.55335.119 -31,8894.512 120.840 27,8610 a menos de 100 20.51436.06875,82 115.479 729.486531,70De 10 a menos de 20 ha14.80817.53618,4254.912 174.805218,34De 20 a menos de 50 ha 4.84113.752 184,0741.453 319.743671,34De 50 a menos de 100 ha865 4.780 452,6019.113 234.938 1129,21100 a menos de 500 337 2.651 686,6535.657 309.697768,54De 100 a menos de 200 ha 260 1.872 620,0017.071 176.221932,28De 200 a menos de 500 ha77 779 911,6918.585 133.476618,19De 500 ha e mais15 111 640,0020.195 52.254 158,75Total1.261.946 1.066.001 -15,53 745.241 1.541.197106,81Fonte: IBGE, Censo Agropecurio 1995/96 e 2006. Tabela elabora pelo autor.Alm do nmero de propriedades rurais dedicadas produo de feijo ter sofridovariao, a produo dessas propriedades tambm apresentou mudanas. Enquanto em1995/96, as propriedades com menos de 10ha colhidos de feijo respondiam por 77,0% daproduo, em 2006, essa participao recuou para 29,0%. J a participao na produo defeijo dos estabelecimentos que colheram entre 10 a 100 ha passou de 15,0%, em 1995/96,para 48,0%, em 2006 (Grficos 3 e 4).1995/96 5% 3% 15%77% Menos de 1010 a menos de 100 100 a menos de 500 De 500 ha e maisGrfico 3 Participao Percentual da Produo de Feijo por Grupo de reaColhida dos Estabelecimentos Agropecurios do Nordeste, segundo oCenso 1995/96.Fonte: IBGE, Censo Agropecurio 1995/96.Escritrio Tcnico de Estudos Econmicos do Nordeste ETENEAmbiente de Estudos, Pesquisas e Avaliao AEPACoordenadoria de Estudos Rurais e Agroindustriais - COERG 6. INFORME RURAL ETENE 2006 3% 20%29%48%Menos de 10 10 a menos de 100100 a menos de 500De 500 ha e mais Grfico 4 Participao Percentual da Produo de Feijo por Grupo de rea Colhida dos Estabelecimentos Agropecurios do Nordeste, segundo o Censo 2006. Fonte: IBGE, Censo Agropecurio 2006.CONCLUSES O ltimo Censo Agropecurio, de 2006, trouxe algumas informaes novas em relaoao Censo anterior, o que possibilitou a constatao de que dos 1.513 mil estabelecimentosrurais que se dedicam produo de feijo no Brasil, o Nordeste contava com 70% deles.Cerca de 1.066 mil propriedades rurais nordestina produziram feijo em 2006. Essaexpressiva participao da Regio est ligada principalmente tradio alimentar e ao valornutritivo do gro. A comparao entre os censos mostrou que ocorreu aumento daparticipao do Nordeste na produo brasileira de feijo.Outro fator de destaque evidenciado no Censo 2006 foi o aumento do rendimentodesta lavoura no Nordeste. A Bahia, por exemplo, apesar da reduo da rea colhida emrelao 1995/96, teve aumento de produo de 77,44%. O Estado responsvel pela maiorsafra irrigada da Regio. No Cear, a irrigao, aliada as variedades desenvolvidas pelaEmbrapa e Universidade Federal do Cear tambm impulsionaram a produo, para uma reacolhida de 774 mil ha, produo de 121 mil toneladas, houve um aumento percentual de248% em relao quantidade produzida registrada no Censo 1995/96. No Nordeste, a atividade continua sendo desenvolvida predominantemente poragricultores familiares, porm houve fortalecimento dos produtores que colhem maioresreas, superiores a 10 hectares. As novas tecnologias de irrigao e manejo, aliadas maiordisponibilidade de assistncia tcnica e facilidade de crdito despertaram o interesse eimpulsionaram a produo de feijo entre os produtores com mais de 10 ha, em 2006. Escritrio Tcnico de Estudos Econmicos do Nordeste ETENE Ambiente de Estudos, Pesquisas e Avaliao AEPA Coordenadoria de Estudos Rurais e Agroindustriais - COERG 7. INFORME RURAL ETENE O percentual da produo vendida no Nordeste inferior ao do Brasil. Entre os censos,houve maior reteno da produo pelo agricultor, provavelmente associado s condies decomercializao.REFERNCIASINSTITUTO BRASILEIRO DE GEOGRAFIA E ESTATSTICVA (IBGE). Censo Agropecurio 1995-1996. Rio de Janeiro, 1998.________. Censo Agropecurio 2006. Disponvel em: http://www.ibge.gov.br. Acesso em: 15abr. 2010.FAO. FAOESTAT 2010. Disponvelem:. Acesso em: 28 out. 2010.COELHO, J. D. Informe Rural ETENE: Agricultura Familiar no Nordeste. Disponvel em:. Acesso em: 08 nov. 2010.CARNEIRO, W. M. A.; SENA J. V. C. O Mercado do Feijo no Nordeste Brasileiro e o Crdito doBNB para a Atividade. In: SOCIEDADE BRASILEIRA DE ECONOMIA, ADMINISTRAO ESOCIOLOGIA RURAL, 48. 2010, Campo Grande, MT. Anais... Campo Grande: UFGD, 2010.Disponvel em: .Acesso em: 14 dez. 2010.Escritrio Tcnico de Estudos Econmicos do Nordeste ETENEAmbiente de Estudos, Pesquisas e Avaliao AEPACoordenadoria de Estudos Rurais e Agroindustriais - COERG 8. INFORME RURAL ETENEOutros nmeros do Informe Rural ETENE:ANO 4 2010 N 1, Jan 2010 Exportaes do Agronegcio do NordesteN 2, Abr 2010 Situao do Setor Produtivo da Lagosta no Nordeste N 3, Mai 2010 Ervas AromticasN 4, Jun 2010 - Identificao de reas Vocacionadas para Recria/Engorda de Bovinosno NordesteN 5, Jun 2010 Agricultura Familiar no NordesteN 6, Jul 2010 Cenrio Agropecurio 2010N 7, Ago 2010 Despesas Realizadas nos Estabelecimentos Agropecurios doNordesteN 8, Set 2010 Receitas Obtidas pelos Estabelecimentos Rurais do NordesteN 9, Set 2010 Utilizao de Mquinas e Implementos Agrcolas nos EstabelecimentosRurais do Nordeste N 10, Set 2010 Produo e Venda dos Produtos da Apicultura no Nordeste N 11, Set 2010 Produo e Venda de Produtos da Aquicultura no Nordeste N 12, Set 2010 Uso de Irrigao nos Estabelecimentos Rurais do Nordeste N 13, Set 2010 Produo e Venda de Leite e Ovos na Regio Nordeste N 14, Out 2010 Produo e Venda de P e de Cera de Carnaba no Nordeste N 15, Out 2010 Efetivos da Pecuria da Regio NordesteN 16, Out 2010 Exportaes do Agronegcio do Nordeste N 17, Out 2010 Produo e rea Colhida de Algodo no NordesteN 18, Out 2010 Produo e Efetivo de Manga no Nordeste N 19, Nov 2010 Produo e rea Colhida de Abacaxi no Nordeste N 20, Nov 2010 Produo e rea Colhida de Cana de Acar no Nordeste N 21, Dez 2010 - Produo e rea Colhida de Tomate no NordesteEscritrio Tcnico de Estudos Econmicos do Nordeste ETENEAmbiente de Estudos, Pesquisas e Avaliao AEPACoordenadoria de Estudos Rurais e Agroindustriais - COERG