[c7s] Desvendando doenas genticas

  • Published on
    24-Jul-2015

  • View
    1.407

  • Download
    6

Transcript

  • Edio contendo Sndrome duplo Y e Doena de Wilson

  • Capitulo 1-Distrbio cromossmico1 Cromossomos afetados (tipo de aneuploidia)

    2--Representao do caritipo

    3--Exame para diagnstico

    4--Sinais clnicos aparentes da sndrome

    5--Sinais clnicos no-aparentes

    6--Limitao fsicas e psquicas dos portadores da Sndrome

    7--Tempo mdio de sobrevivncia dos portadores

    8--Relato de um caso realArtigo.

  • Asndrome XYY umaaneuploidiadoscromossomas sexuais, onde um humano dosexo masculinorecebe umcromossomaY extra em cadaclula, ficando assim com umcaritipo47,XYY. A sndrome XYY tambm designada comotrissomiaXYY,aneuploidia 47,XYYou sndrome do super-macho.A maioria dos Homens com XYY so fenotipicamente normaisCrescimento ligeiramente acelerado na InfnciaHomens com estatura muito elevadaantigamente associada a comportamento anti-social, porm so relatados problemas comportamentais como distrao, hiperatividade e crises de fria na infncia e incio da adolescncia, sendo que o comportamento agressivo usualmente no problema e eles aprendem a controlar a raiva medida que crescem.Ocorrncia 1/1.000 nascimentos do sexo masculino

  • O nico diagnstico mdico possvel o que pode ser feito atravs da anlise do caritipo. Como a Sndrome de poli Y no apresenta anomalia fsica grave, muito difcil de ser diagnosticada, tanto na fase pr como ps-natal. As excees ocorrem nos seguintes casos: estudos realizados em servios de gentica e pesquisa, idade materna avanada, casos de constituio cromossmica anormal na famlia e quando ocorrem as anomalias nas genitlias.

  • Diagnstico pr-natal

    Achado ocasionalIdade materna avanada, pesquisa de fertilidade

    Amniocentese, coleta de vilosidades corinicas (CAVC), cordocentese

  • Aconselhamento pr-natal

    Aps o diagnstico pr-natal de XYY:- continuar a gravidez- interromp-la Deciso tomada aps serem dadas as informaes por aconselhadores bem instrudos que expliquem os prs e contras do desenvolvimento da criana e do aborto.

  • Aconselhamento pr-natalHistrico:

    1970 a 1980: ndice de aborto 100%1985 a 1987: ndice de aborto 57%causa: conhecimento de melhores e mais realsticas informaes sobre portadores dessa sndrome.

  • Estatura- No evidenciada at 5-6 anosAcne cstica nodular- Maior incidncia e intensidade- Lactente Constituio muscular - Bem desenvolvida- Coordenao

  • Desenvolvimento fsico- Aumento do tamanho dos dentes- Maiores dimenses faciais (glabela proeminente, assimtrica)

  • ResumoApresentam altura mdia de 1,80m;falta de vontade de sexo;Grande nmero deacnefacial durante a adolescncia;Anomalias nas genitlias;Distrbios motores e na fala;Taxa detestosteronaaumentada, o que pode ser um fator contribuinte para a inclinao anti-social e aumento deagressividade;Imaturidade no desenvolvimento emocional e menor intelignciaverbal, fatos que podem dificultar seu relacionamento interpessoal;Crescimento ligeiramente acelerado nainfncia;QIligeiramente abaixo do normal;Problemas no aprendizado e na leitura;Volumecerebralreduzido;Dentesgrandes;Glabelasaliente;Mosepsmais compridos.Psicopatologia

  • Desenvolvimento psicossocial

    - Dficit de ateno e inteligncia, hiperatividade, comportamento anti-social, impulsividade, baixo controle emocional e podendo desenvolver Esquizofrenia

  • LimitaesFsicas parte 1

    Alta taxa de Testosterona: o fator que poderia contribuir para explicar a inclinao para um comportamento anti-social e agressividade.

    Distrbios Motores: fora muscular menos resistente, falhas na coordenao para os movimentos delicados, tremor intencional fino, e atraso na linguagem.

    Dentio: dentes grandes

    Face: Abaulamento da regio da glabela

    Esqueleto: Aumento do comprimento em relao largura, principalmente no crnio, nas mos e nos ps.

    Pele: Nmero elevado de acne facial durante a adolescncia.

  • Limitaes Fsicas parte 2

    Sistema sseo: Sinosteose de rdio e cbito, uma ossificao da cartilagem entre os dois ossos.

    Anomalias nas genitlias: Criptorquidia, pnis pequeno, hipospadia. Problemas renais: agenesia renal ou displasia renal.

    Leucemias, linfomas e sndrome mielodisplsica: Casos ocorreram em crianas e adultos portadores da sndrome, relatados em espectro de neoplasias hematolgicas primrias.

  • Limitaes psquicas Fator emocional: Desenvolvimento emocional imaturo e inteligncia verbal menos desenvolvida, complicando as relaes interpessoais. verbal menos desenvolvida, complicando as relaes interpessoais.

    Vida escolar: Podem afetar o desenvolvimento escolar problemas como hiperatividade, atraso na linguagem, dificuldades na leitura, e distrao.

    Desempenho intelectual: Volume cerebral reduzido, o quociente intelectual situa-se em mdia 10 a 15 pontos abaixo do normal. Provvel embotamento mental, comportamento explosivo e anti-social.

  • Um psiclogo, neste caso poderia auxiliar os pacientes portadores de 47, XYY em seus problemas de comportamento, no desenvolvimento emocional imaturo, nas relaes interpessoais, e principalmente no diagnstico. Caractersticas como infantilidade, pouco controle emocional, aumento da impulsividade, e fraco conceito sobre si prprio so revelados em perfis traados por psiclogos. Se no houver manifestaes clnicas perceptveis, as alteraes comportamentais permitem neste caso, a interveno de um psiclogo como o primeiro agente de sade que pode indicar o diagnstico preciso, feito pela anlise do caritipo.

  • Assim estima-se que as alteraes cromossmicas afetem 0,7% dos nascidos vivos, 2% das gestaes em mulheres com mais de 35 anos de idade, e 50% dos abortos espontneos no primeiro trimestre. O aborto espontneo atua como um agente seletivo, eliminando asmutaes cromossmicas mais graves.

  • Estudo de Arthur Shawcross Em 1972, Arthur Shawcross, de 26 anos, assassinou duas crianas, um menino e uma menina, em Watertown, Nova Iorque. Em virtude de os resultados dos exames menina, que fora violada, serem bastante insistentes e dos restos do menino apenas terem sido descobertos seis meses depois, havia a possibilidade de no se poder fazer um julgamento de homicdio. Porm, chegou-se a uma soluo de compromisso, sendo a acusao reduzida para homicdio involuntrio em troca de uma confisso e Shawcross condenado a 25 anos de priso. Foi libertado sob cauo em 1987, catorze anos depois, e estabeleceu-se em Rochester, Nova Iorque. Corpulento e de cabelo grisalho, em virtude do tempo passado na priso, parecia j no constituir ameaa para ningum.

  • Todavia, entre Maro de 1988 e Janeiro de 1990, molestou sexualmente, assassinou e mutilou brutalmente pelo menos 11 prostitutas locais. Seria apenas quando um helicptero da polcia o localizou, ao voltar do local do seu ltimo assassnio, que Shawcross foi preso e acabou por confessar.O psiquiatra Richard Kraus fez um estudo pormenorizado do caso. Verificara-se que Shawcross era portador do cromossoma XYY, uma anormalidade hereditria que se liga a um comportamento violento. A urina revelou um metablito qumico denominado criptopirrole que normalmente no existe nos seres humanos. Richard Kraus teorizou que a combinao destes dois fatores tornou Shawcross numa bomba ambulante e incapaz de controlar as suas emoes em situaes violentas.Um bilhete escrito por Shawcross na priso em que comentava o cromossoma XYY, uma confuso de contradies grafolgicas. A diferena entre o texto e a assinatura surpreendente e indica uma personalidade reprimida e desviada.

  • O bilhete escrito praticamente em maisculas, embora com as excees consistentes do b, g e i. isto demonstra que Shawcross queria ter a certeza de que o compreendiam, receando que a sua caligrafia fosse insuficientemente legvel. Neste caso, igualmente um sinal de imaturidade emocional e de instruo insuficiente, se bem que, ao mesmo tempo, ele d mostras de possuir um vocabulrio sofisticado, bastante bem escrito, e de ser um leitor razovel. As palavras alongadas e o espacejamento entre as letras simbolizam a quantidade de espao pessoal exigido pelo individual, revelando que Shawcross no era propenso a manter relaes sociais ntimas.Sheila Lowe referira que a rigidez era um aspecto importante da caligrafia de Shawcross. Isto caracterstico de muitos criminosos encarcerados, pois so forados a manter os seus impulsos violentos sob controlo. A maneira como certas cartas so escritas, bruscamente, com letras grandes ou saltando da linha, refere ela, sugere um comportamento anti-social impulsivo. A prpria inclinao das letras para a frente, que muitas vezes interpretada como um sinal de raiva interior, inconsciente e constitui mais um sinal de uma personalidade transtornada e insegura.

  • Um bilhete escrito por Shawcross na priso em que comentava o cromossoma XYY, uma confuso de contradies grafolgicas. A diferena entre o texto e a assinatura surpreendente e indica uma personalidade reprimida e desviada.O bilhete escrito praticamente em maisculas, embora com as excees consistentes do b, g e i. isto demonstra que Shawcross queria ter a certeza de que o compreendiam, receando que a sua caligrafia fosse insuficientemente legvel. Neste caso, igualmente um sinal de imaturidade emocional e de instruo insuficiente, se bem que, ao mesmo tempo, ele d mostras de possuir um vocabulrio sofisticado, bastante bem escrito, e de ser um leitor razovel. As palavras alongadas e o espacejamento entre as letras simbolizam a quantidade de espao pessoal exigido pelo individual, revelando que Shawcross no era propenso a manter relaes sociais ntimas.Sheila Lowe referira que a rigidez era um aspecto importante da caligrafia de Shawcross. Isto caracterstico de muitos criminosos encarcerados, pois so forados a manter os seus impulsos violentos sob controlo. A maneira como certas cartas so escritas, bruscamente, com letras grandes ou saltando da linha, refere ela, sugere um comportamento anti-social impulsivo. A prpria inclinao das letras para a frente, que muitas vezes interpretada como um sinal de raiva interior, inconsciente e constitui mais um sinal de uma personalidade transtornada e insegura.

  • Capitulo 2-Distrbio gentico1--Representao do cromossomo afetado

    2--Exame diagnstico

    3--Sintomas

    4--Limitaes fsicas e psquicas dos portadores

    5--Tratamento convencional

    6--Terapias alternativos

    7--A biotecnologia nos novos tratamentos

    8--Relato de um caso real

  • O diagnstico da Doena de Wilson feito de maneira relativamente simples.Os exames de laboratrio so, principalmente:nvel de cobre na urina de 24 horas (maior do que 100 microgramas/24hs),cobre no sangue,contagem de ceruloplasmina no sangue;verificao da existncia do anel de Kaiser-Fleischernos olhos (nem sempre presente).Esse anel, quando presente, sinal decisivo da doena de Wilson; pode ser invisvel a olho nu, por isso necessrio o exame com lmpada de fenda por um oftalmologista. Estes exames so os principais, e muitos vezes bastam para o diagnstico.

  • Se muito necessrio, faz-se umabipsia do fgado(que revelaria mais que 250mg/grama de tecido heptico seco no caso de existir a doena). Freqentemente, anormalidades no crebro podem ser diagnosticadas pelo exame deressonncia magntica: os gnglios da base e o putmen so os mais comumente lesados; cerebelo, crtex cerebral e substncia branca podem tambm estar envolvidos.Existem tambm alteraes noPET scanenvolvendo uma diminuio do consumo de glicose. Existem tambm alteraes microscpicas caractersticas (presena de glicognio nuclear, esteatose macro e microgoticular e fibrose).Quando h uma hepatite fulminante na doena de Wilson, esto presentes Corpsculos de Mallory e necrose heptica submxima.

  • Os testes podem diagnosticar a doena tanto em pacientes com sintomas, como naqueles que no apresentam nenhum sinal da doena. muito importante fazer o diagnstico da Doena de Wilson o mais cedo possvel, para evitar srios danos no fgado mesmo antes de quaisquer sinais da doena se manifestarem. Pessoas com a Doena de Wilson podem falsamente aparentar excelente sade. Para os parentes no afetados (assintomticos), um exame de urina deve ser feito aos cinco e outro aos quinze anos de idade.A averiguao para um baixo nvel de ceruloplasmina e de um funcionamento anormal do fgado pode ser feita aos dois anos de idade. 20% dos heterozigotos (portadores), tambm tm baixo nvel de ceruloplasmina no sangue, como os doentes de Wilson.

  • Nos doentes de Wilson, o cobre comea a se acumular logo aps o nascimento.Seu excesso ataca o fgado e o crebro, provocando hepatite e sintomas neurolgicos e psiquitricos.

    Fgado cirrtico

  • Os sintomas geralmente aparecem no fim da adolescncia.Os pacientes podem apresentar doena do fgado ou anomalias na funo heptica. ictercia, inchao do abdome, vmito de sangue ou dor de estmago.Podem apresentar anomalias motoras vrias: tremores ou descoordenao motora (ex: para escrever mo), dificuldade para caminhar, descoordenao no andar, enrijecimento ou rigidez (distonia), reflexos anormais, dificuldade para falar e para engolir, reaes oculares anormais (sintoma incomum). Podem desenvolver alguma doena mental: depresso, agressividade, comportamento anti-social que pode levar at o aprisionamento; a impulsividade pode, inclusive, levar ao suicdio ou ao homicdio. O sintoma pode ser uma anemia hemoltica ou sintomas semelhantes aos do Parkinson ismo.As mulheres podem apresentar irregularidade na menstruao, perodos de ausncia de menstruao, infertilidade ou abortos mltiplos.No importa como a doena comea,ela sempre fatal se no for diagnosticada e tratada. Por outro lado, importante se saber que os sintomaspodem ser revertidos quando a doena tratada.

  • Limitaes psquicasOs fenmenos neuropsiquitricos so demncia, psicose e sinais deasterxis(movimentos anormais, especialmente das mos) e parkinsonismo(tremores mais evidentes em movimentos finos e lentos). O quadro clnico inicial mais comum o do paciente que fala de modo "arrastado" como se estivesse embriagado,e tem marcha de bases alargadas e titubeante, muito embora possa ter domnio perfeito de suas faculdades mentais. Posteriormente, a doena evolui para acometimento da percepo e da cognio (falta de lucidez).

  • Limitaes FsicasComo j foi mencionado os sintomas tremores ou descoordenao motora (ex: para escrever mo), dificuldade para caminhar, descoordenao no andar, enrijecimento ou rigidez (distonia), reflexos anormais, dificuldade para falar e para engolir, reaes oculares anormais (sintoma incomum.Alm de contrair hepatite.

  • A Doena de Wilson facilmente tratvel. Com a terapia adequada, o desenvolvimento da doena pode ser interrompido e muitas vezes os sintomas podem ser revertidos. O tratamento visa remover o excesso de cobre acumulado e prevenir um novo acmulo. importante que o tratamento seja mantido para o resto da vida.Uma vez diagnosticada a doena, deve-se imediatamente iniciar o tratamento: um atraso de apenas alguns dias pode provocar um agravamento irreversvel.

    O tratamento consiste em medicao associada a uma dieta alimentar com o mnimo possvel de ingesto de cobre, pelo menos na fase da retirada do metal acumulado antes do diagnstico (ver adiante a tabela com a quantidade de cobre nos alimentos).

  • Quantidade de cobre (em microgramas) contido em 100 gramas de alimento

    leo de algodo - 5,2Galinha (ovos) - 143,4gua mineral - 9,5Pepino - 160,0Aguardente - 15,2Milho seco - 163,4Mamo - 18,2Batata-doce branca - 183,6Soda Limonada - 18,8Alcachofra - 198,2Manteiga - 19,6Chicria - 199,6Abbora moranga - 21,7Brcolis - 233,0Guaran - 22,7Brcolis - 233,0

  • Apenicilamina(CUPRIMINE) tem sido usada nos ltimos 20 anos; um agente quelante til no tratamento de diversas doenas; na doena de Wilson, destina-se a retirar o cobre depositado em tecidos do organismo: associa-se ao cobre (e outros metais pesados) para formar complexos estveis que so expelidos pela urina. Entretanto, " um medicamento com alta incidncia de efeitos indesejveis, alguns dos quais podem ser graves", conforme sua prpria bula. Sua ingesto deve ser seguida pelo mdico especialista. Costuma-se acompanh-la de vitamina B6, que parece proteger o sistema nervoso dos efeitos colaterais desta medicao.

  • Oacetato de zinco(GALZIN) foi o mais recente medicamento a ser aprovado pela FDA. Ele age bloqueando a absoro de cobre pelo trato intestinal; sua ao remove o cobre acumulado (embora lentamente) e previne um novo acmulo. Sua maior vantagem a ausncia de efeitos colaterais. A eficcia do acetato de zinco tem sido demonstrada h quinze anos, com experincias internacionais; constitui-se em uma alternativa efetiva para a manuteno do tratamento, logo aps a retirada do cobre acumulado anteriormente.Pode ser tomado durante toda a gravidez sem causar anomalias no feto; pode tambm ser usado mesmo por crianas pequenas. O acetato de zinco particularmente interessante para os pacientes que tenham desenvolvido reaes adversas aos agentes quelantes. Ele parece induzir a produo intestinal de metalotionina, uma protena com grande afinidade com o cobre; essa ao bloqueia a absoro de cobre envolvendo-o com entercitos. Isto quer dizer que novas ingestes de cobre no atingem o sistema circulatrio, sendo excretado.

  • Tratamento alternativoTetratiomolibdato de amnioO tetratiomolibdato de amnio foi inicialmente usado terapeuticamente no tratamento datoxicose do cobreem animais. Foi depois apresentado como um tratamento para adoena de Wilson, uma doena hereditria do metabolismo do cobre, em humanos; age competindo com a absoro de cobre nos intestinos e ao aumentar a excreo. Descobriu-se possuir tambm um efeito inibitrio sobre a angiognese, provavelmente por via da inibio do processo de translocalizao da membrana dependente do io Cu envolvendo uma via de secreo no clssica.Tal torna-o um interessante objeto de investigao como tratamento docancro,degenerao macular relacionada com a idade, e outras doenas que apresentem deposio excessiva de vasos sanguneos.

  • A Biotecnologia apresenta vrias definies de acordo com o olhar a ela lanado, mas de uma forma bem simples, um conjunto multidisciplinar de conhecimentos que visa o desenvolvimento de mtodos, tcnicas e meios associados a seres vivos, macro e microscpicos, que originem produtos teis e contribuam para a resoluo de problemas. No devemos pensar, entretanto, que a biotecnologia uma prtica que exija o uso de computadores e seqenciadores de DNA, muito pelo contrrio, a humanidade utiliza seres vivos para vrios processos desde a Antiguidade.Em relao sade humana, a aplicao da biotecnologia utilizada no desenvolvimento de novas vacinas, hormnios, medicamentos e antibiticos. A aplicao da estratgia diettica o da suplementao de zinco na doena de Wilson, j que este metal permite reduzir a absoro de cobre pelo intestino, competindo pela mesma protena transportadora.

  • Relato do caso Paciente do sexo masculino, 42 anos, branco, agricultor, admitido no servio aps vrios internamentos em outros hospitais, com histria de poliria e emagrecimento havia dois meses. Ao exame fsico, paciente se apresenta consciente, lcido, eupnico, afebril, com sinais de depleo do espao extracelular, extremamente desnutrido, com dificuldades de deambular devido diminuio de fora muscular, com ausculta cardiolgica e pulmonar normais, abdome escavado, sem viscero-megalias ou massas palpveis, ausncia de gnglios palpveis, sem edema de membros inferiores. Foi submetido investigao laboratorial (Tabela1) e tratado com hidratao e reposio de potssio por 15 dias sem apresentar melhora do quadro, persistindo perda de peso (aproximadamente 40 kg em dois meses). Na investigao de uma possvel mi opa, foi submetido bipsia de msculo (Figura 1) que mostrou fibra muscular esqueltica em processo de destruio (vacuolizao citoplasmtica) compatvel com rabdomilise. Como apresentou insuficincia renal (creatina =3,5 MG/dL) sem diagnstico etiolgico, o paciente foi submetido biopsia renal percutnea (Figura 2) que mostrou leso tubular com vacolos citoplasmticos mais proeminentes em tbulos proximais, compatvel com necrose tubular aguda e neuropatia hipocalmica. A prova de acidificao urinria no foi realizada devido s ms condies clnicas do paciente.

  • Na investigao de uma possvel tubulopatia de causa no definida, foi solicitada a dosagem da ceru-loplasmina e de cobre sricos (Tabela 2), e realizado exame oftalmolgico que revelou a presena de anis de Kayser-Fleischer (no fotografados), confirmando o diagnstico de doena de Wilson. Foi submetido a tratamento com D-penicilamina, com melhora rpida do quadro, mantendo reposio de potssio por via oral por mais dois meses, quando passou a apresentar volume urinrio normal, estabilizao do potssio plasmtico e ganho de peso de aproximadamente 40 kg. Mantido continuamente com D-penicilamina, apresentou um episdio de reao alrgica cutnea que cedeu com a reduo da dose da droga e a associao temporria de corticide. Quatro anos aps o diagnstico e o tratamento, o paciente se apresentava com funo renal normal, sem evidncias de tubulopatia.

  • Wikipdiahttp://pt.wikipedia.org/wiki/S%C3%ADndrome_XYYhttp://pt.wikipedia.org/wiki/Doen%C3%A7a_de_WilsonAssociao brasileira de doentes de Wilson http://www.doencadewilson.org/ Sabedoria Brasilhttp://www.sabedoria.ebrasil.net/db/biologia/estudos/biologia/biologiag/sindrome_duploy.php.htm Videotecahttp://www.youtube.com/watch?v=CenpCIiKLfMhttp://www.youtube.com/watch?v=nmPSnkvPj0Yhttp://www.youtube.com/watch?v=QNAxwSCo7n4

    *