VIGILNCIA EPIDEMIOLGICA NA FORMAO EM ENFERMAGEM

  • Published on
    07-Jan-2017

  • View
    228

  • Download
    7

Transcript

  • - 1 -

    Revista Cientfica Vozes dos Vales UFVJM MG Brasil N 08 Ano IV 10/2015 Reg.: 120.2.0952011 UFVJM QUALIS/CAPES LATINDEX ISSN: 2238-6424 www.ufvjm.edu.br/vozes

    Ministrio da Educao Brasil

    Universidade Federal dos Vales do Jequitinhonha e Mucuri UFVJM Minas Gerais Brasil

    Revista Vozes dos Vales: Publicaes Acadmicas Reg.: 120.2.095 2011 UFVJM

    ISSN: 2238-6424 QUALIS/CAPES LATINDEX

    N. 08 Ano IV 10/2015 http://www.ufvjm.edu.br/vozes

    VIGILNCIA EPIDEMIOLGICA NA FORMAO EM ENFERMAGEM

    Petrina Macedo Figueiredo

    Enfermeira. Mestre em Ensino em Sade pela Universidade Federal dos Vales do Jequitinhonha e Mucuri UFVJM

    http://lattes.cnpq.br/4721367057858837 E-mail: petrina_macedo@yahoo.com.br

    Prof. Dr. Geraldo Cunha Cury

    Professor titular da Faculdade de Medicina da Universidade Federal de Minas Gerais UFMG

    http://lattes.cnpq.br/8549042401745999 E-mail: geraldocunhacury@gmail.com

    Prof. Dr. Liliane da Consolao Campos Ribeiro Enfermeira. Doutora e Mestre em Cincias da Sade.

    Docente do Mestrado Ensino em Sade e do Departamento de Enfermagem da Universidade Federal dos Vales do Jequitinhonha e Mucuri UFVJM

    http://lattes.cnpq.br/4721367057858836 E-mail: liliane.consolacao@ufvjm.edu.br

    Resumo: Foi realizada uma reviso integrativa no intuito de identificar, na literatura,

    a importncia da Vigilncia Epidemiolgica VE na formao acadmica em Enfermagem. A pesquisa envolveu publicaes nacionais e internacionais disponveis na Biblioteca Virtual em Sade. Os resultados detectam: escassez de estudos sobre a temtica, nfase na importncia da VE na graduao em enfermagem. Espera-se com este estudo, promover uma reflexo sobre a formao profissional em enfermagem, o apontamento das vulnerabilidades nessa formao, indicao das questes a serem esmeradas no servio de sade, bem como a disponibilizao de subsdio das aes para melhorias no Plano Pedaggico de Enfermagem.

    http://www.ufvjm.edu.br/vozeshttp://lattes.cnpq.br/4721367057858837mailto:petrina_macedo@yahoo.com.brhttp://lattes.cnpq.br/8549042401745999mailto:geraldocunhacury@gmail.comhttp://lattes.cnpq.br/4721367057858836mailto:liliane.consolacao@ufvjm.edu.br

  • - 2 -

    Revista Cientfica Vozes dos Vales UFVJM MG Brasil N 08 Ano IV 10/2015 Reg.: 120.2.0952011 UFVJM QUALIS/CAPES LATINDEX ISSN: 2238-6424 www.ufvjm.edu.br/vozes

    Palavras - chave: educao em enfermagem, vigilncia epidemiolgica,

    enfermagem.

    Introduo

    A educao em sade, enquanto rea de atuao da Enfermagem,

    reconhecida como prtica constante e indispensvel na atuao profissional,

    principalmente para aqueles profissionais vinculados Sade Pblica, pois trata-se

    de uma estratgia promissora no enfrentamento dos mltiplos problemas de sade

    que afetam as populaes e seus contextos sociais (SOUSA et al., 2010;

    CARVALHO, CLEMENTINO e PINHO, 2008).

    No campo das aes de sade, Colom e Oliveira (2008) afirmam que,

    embora existam mltiplos modelos de educao em sade, estes podem ser

    agrupados em duas abordagens principais, dados os seus pontos em comum: o

    modelo tradicional ou preventivo e o modelo radical.

    O modelo tradicional refere-se ao modelo biomdico, centrado no sujeito

    individual e na doena, pautado em medidas preventivas e curativas, com nfase no

    conhecimento tcnico-cientfico para diagnstico e teraputica de doenas

    (PEREIRA e FRACOLLI, 2011; LIMA, 2010).

    O modelo radical, surge como um movimento por uma nova concepo de

    sade, cujo principal objetivo o bem-estar e qualidade de vida, na qual as aes

    deixam de ser exclusivamente intervencionistas, assumindo um carter preventivo e

    promotor da sade, tornando-se cada vez mais efetivo (SHIRATORIet al., 2004).

    Ao apoiar-se em documentos da Organizao Mundial da Sade, Mainardi

    (2010) afirma que, de forma geral, a educao em sade objetiva encorajar as

    pessoas a adotar e manter padres de vida sadios; usar os servios de sade

    disponveis de maneira adequada, e; melhorar suas condies de sade e as

    condies do meio ambiente, ao tomar suas prprias decises relativas sua sade

    individual e coletiva.

    Assim, considerando-se que a educao em sade est relacionada

    aprendizagem, Acioli (2008) e Oliveira e Gonalves (2004) nos chama a ateno

    para a necessidade de se respeitar as diferena dos diversos sujeitos envolvidos no

  • - 3 -

    Revista Cientfica Vozes dos Vales UFVJM MG Brasil N 08 Ano IV 10/2015 Reg.: 120.2.0952011 UFVJM QUALIS/CAPES LATINDEX ISSN: 2238-6424 www.ufvjm.edu.br/vozes

    processo, adequando as aes sua rea de atuao, criando oportunidade da

    pessoa pensar e repensar a sua cultura, e ele prprio transformar a sua realidade.

    E, de acordo com Almeida e Soares (2010), formar trabalhadores de sade

    capacitados a compreender e responder s necessidades de sade dos diferentes

    grupos sociais um dos maiores desafios atuais enfrentados pelo setor educacional

    comprometido com os direitos humanos.

    Neste sentido, o currculo do curso de graduao em Enfermagem,

    profissional diretamente ligado educao em sade, vem sendo organizado de

    diversos modos, contempladas as Diretrizes Curriculares Nacionais, segundo as

    peculiaridades, histria, vocao, insero regional e a experincia institucional

    acumulada de forma a aproximar a formao do enfermeiro s necessidades locais

    de sade (KAISER e SERBIM, 2009; FERNANDES et al., 2005)

    Almeida (2009) julga que a prpria sociedade, vem expressando os seus

    interesses por uma educao diferente, que capacite o profissional de forma efetiva

    para lidar com a complexidade e diversidade dos problemas nela existentes e, desta

    forma, implicando na reformulao do currculo do curso de graduao.

    Em um estudo realizado na Universidade Estadual de Santa Cruz, em Ilhus -

    Bahia, Pinto e Pepe (2007), concluram que os docentes tm uma ideia de prtica

    pedaggica muito prxima da concepo tradicional, revelada por aes tcnico-

    mecanicistas, em detrimento de abordagem e aes humanistas, estando esses

    dados confirmados pela opinio dos alunos.

    Outro estudo, cujo objetivo era refletir como um curso de graduao em

    enfermagem vem abordando a educao em sade junto a seus alunos, Rosa et al.

    (2006) constataram que o tema educao em sade tratado de forma insipiente e

    que os alunos tm pouco ou nenhum contato com a reflexo terica e a discusso

    que h em torno dos modelos de educao em sade.

    No estudo de Caldonazo (2010) ficou evidenciado, ainda, que o processo

    educacional para a formao do enfermeiro ainda hoje contemplado na grande

    maioria das faculdades pelo modelo biomdico, apesar de todas as tentativas de

    mudana para modelos mais condizentes com as necessidades da populao

    brasileira. Resultados semelhantes foram encontrados no estudo de Lima (2010).

    Faz-se necessrio, acrescentar que a Vigilncia Epidemiolgica (VE) surge

    como um importante instrumento para o planejamento, organizao e

  • - 4 -

    Revista Cientfica Vozes dos Vales UFVJM MG Brasil N 08 Ano IV 10/2015 Reg.: 120.2.0952011 UFVJM QUALIS/CAPES LATINDEX ISSN: 2238-6424 www.ufvjm.edu.br/vozes

    operacionalizao dos servios de sade, incluindo a educao em sade, sendo

    assim definida: conjunto de aes que proporcionam a deteco ou preveno de

    qualquer mudana nos fatores determinantes e condicionantes de sade individual

    ou coletiva, com a finalidade de recomendar e adotar medidas de preveno e

    controle das doenas ou agravos (BRASIL, 2009).

    Assim, o seu propsito

    fornecer orientao tcnica permanente para profissionais de sade, que

    tm a responsabilidade de decidir sobre a execuo de aes de controle

    de doenas e agravos, tornando disponveis, para esse fim, informaes

    atualizadas sobre a ocorrncia dessas doenas e agravos, bem como dos

    fatores que a condicionam, numa rea geogrfica ou populao definida

    (BRASIL, 2009).

    Este trabalho justifica-se pela necessidade de levantar a formao dos

    acadmicos em relao s atividades de VE realizadas e sua consequncia na

    assistncia prestada; j que as polticas de ateno sade, atualmente, tem

    exigido cada vez mais dos egressos da rea da sade o perfil profissional

    diferenciado engajado na promoo da sade.

    Assim, este trabalho tem por objetivo, promover uma reflexo sobre a

    Vigilncia Epidemiolgica na formao em Enfermagem.

    Mtodos

    Este estudo se caracteriza como uma de reviso sistemtica de literatura

    cientfica, na modalidade denominada reviso integrativa.

    Essa modalidade de reviso, segundo Cooper (1989, apud TOLEDO, 2008)

    definida com um mtodo que agrupa os resultados obtidos de pesquisas primrias

    sobre o mesmo assunto, com o objetivo de sintetizar e analisar esses dados para

    desenvolver uma explicao mais abrangente de um fenmeno especfico. Dessa

    forma, a pesquisa bibliogrfica no mera repetio do que j foi dito ou escrito

    sobre certo assunto, mas propicia o exame de um tema sob novo enfoque ou

    abordagem, chegando a concluses prprias (MARCONI & LAKATOS, 1996).

    Em relao sua importncia, estudiosos enumeram algumas vantagens

    como a cobertura de uma gama de fenmenos muito mais ampla do que aquela que

    se poderia pesquisar diretamente, permite explicar inconsistncias e conflitos dos

  • - 5 -

    Revista Cientfica Vozes dos Vales UFVJM MG Brasil N 08 Ano IV 10/2015 Reg.: 120.2.0952011 UFVJM QUALIS/CAPES LATINDEX ISSN: 2238-6424 www.ufvjm.edu.br/vozes

    dados observados em diferentes estudos; facilita a tomada de decises na rea de

    sade e contribui, a partir das concluses, para o desenvolvimento de novas

    pesquisas, das quais a comunidade cientfica pode estar carente em relao a um

    tema especfico de interesse (RUIZ, 1982; SILVA, 2008).

    Contudo, vale lembrar que, para se ter uma reviso de literatura bem

    sucedida, os autores acima relatam a importncia de um problema bem estruturado,

    a sistematizao nas buscas bibliogrficas e a anlise criteriosa dos resultados.

    Nesse sentido, esse estudo se basear nas em cinco etapas fundamentais,

    proposta por Cooper (1989, apud TOLEDO, 2008) para realizao de uma reviso

    de literatura: formulao da questo norteadora, coleta dos dados, avaliao dos

    dados coletados, anlise e interpretao dos dados e apresentao dos resultados.

    Questo norteadora

    Para orientao da pesquisa a seguinte questo foi formulada: Os

    acadmicos de enfermagem esto preparados para a prtica profissional no que

    tange s aes de Vigilncia Epidemiolgica?

    Coleta de Dados

    Os dados foram coletados atravs do levantamento das produes

    cientficas disponveis pela Biblioteca Virtual em Sade (BVS), no sendo

    estabelecidos limites quanto ao ano de publicao.

    Pela BVS possvel consultar simultaneamente as seguintes bases de dados:

    Lilacs (Literatura Latino Americana e do Caribe em Cincias da Sade); Medline

    (Literatura Internacional em Sade); Adolec (Sade na Adolescncia); Adsade

    (Administrao nos servios de sade); BBO (Biblioteca Brasileira de Odontologia);

    BDENF (Base de Dados de Enfermagem); HISA (Histria da Sade Publica na

    Amrica Latina e Caribe); Homeoindex (Homeopatia); LEYS (Legislao Bsica de

    Sade da Amrica Latina e Caribe); Med Caribe (Literatura do Caribe em Cincias

    da Sade); Repidisca (Literatura em Engenharia Sanitria e Cincias do Ambiente);

    OPAS (Acervo da Biblioteca da Organizao Pan-Americana de Sade); Wholis

    (Sistema de Informao da Biblioteca da Organizao Mundial de Sade) e;

    Desastres (Acervo do Centro de Documentao de Desastres).

  • - 6 -

    Revista Cientfica Vozes dos Vales UFVJM MG Brasil N 08 Ano IV 10/2015 Reg.: 120.2.0952011 UFVJM QUALIS/CAPES LATINDEX ISSN: 2238-6424 www.ufvjm.edu.br/vozes

    A busca bibliogrfica foi realizada utilizando-se como descritores as palavras

    Educao em Sade AND Vigilncia Epidemiolgica AND Enfermagem;

    abrangendo ttulo, resumo e assunto e, com posterior refino da pesquisa

    estabelecendo como assunto principal: Educao em Enfermagem.

    Critrios de Incluso

    Estudos que retratem a formao acadmica em enfermagem no que tange

    Vigilncia Epidemiolgica; ou,

    Estudos sobre a importncia da Vigilncia Epidemiolgica na formao

    acadmica em enfermagem; ou,

    Estudos que avaliem a formao acadmica em enfermagem em relao s

    aes de VE; ou

    Estudos com assunto principal de Educao em Enfermagem; e

    Disponibilidade de resumos para identificao e artigos gratuitos na ntegra

    para a fase de anlise propriamente dita.

    Critrios de excluso:

    Trabalhos que, aps leitura, no abordassem a importncia da Vigilncia

    Epidemiolgica na formao acadmica em enfermagem;

    Trabalhos que, aps leitura, no avaliassem a formao acadmica no que

    tange s aes da VE;

    Avaliao dos dados coletados

    Para a seleo das publicaes realizou-se leitura criteriosa dos ttulos e

    resumos de todos os estudos localizados pela estratgia de busca, de forma a

    verificar a adequao pergunta norteadora, s palavras-chave, bem como os

    objetivos almejados e os critrios de incluso e excluso estabelecidos. Nos casos

    em que o ttulo e o resumo no foram suficientes para definir sua primeira seleo,

    buscou-se a publicao na ntegra.

    Para identificao dos trabalhos selecionados para a reviso, foi utilizado um

    instrumento, adaptado de Ribeiro (2013). Cada estudo selecionado recebeu um

    cdigo com sequncia alfa-numrica, de acordo com a ordem alfabtica do nome do

    primeiro autor, a fim de facilitar a identificao dos artigos.

    Os seguintes itens foram registrados:

  • - 7 -

    Revista Cientfica Vozes dos Vales UFVJM MG Brasil N 08 Ano IV 10/2015 Reg.: 120.2.0952011 UFVJM QUALIS/CAPES LATINDEX ISSN: 2238-6424 www.ufvjm.edu.br/vozes

    Identificao do artigo original (ttulo do artigo, do peridico, autores,

    formao acadmica dos autores, idioma e pas de realizao do estudo e

    local onde foi realizado o estudo, quando aplicvel);

    Caractersticas metodolgicas do estudo (tipo de publicao, objetivo,

    populao, amostra, tipo do desenho do estudo, citao da aprovao pelo

    Comit de tica em Pesquisa, termo de consentimento livre e esclarecido,

    ano de coleta dos dados, ano de publicao, a seleo e a composio da

    amostra e resultados obtidos);

    Base de dados

    Anlise e interpretao dos dados

    Os dados extrados por meio do instrumento foram sumarizados, contendo

    informaes gerais sobre os estudos e os elementos sobre a importncia da VE para

    a Enfermagem e/ ou a formao acadmica em Enfermagem no que tange s aes

    de Vigilncia Epidemiolgica, conforme a ficha de coleta de dados.

    Resultados e Discusso

    Caracterizao Dos Estudos Selecionados

    Os dados foram coletados entre Novembro/2012 e Maio/2013. Entre as 12

    publicaes selecionadas, trsencontravam-se no banco de dados da LILACS e se

    repetiam na BDENF. Aps leitura, decidiu-se pela excluso de seis estudos, uma

    vez que destes dois no atendiam os critrios de incluso e quatro se repetiam nos

    bancos de dados LILACS, BDENF e REPIDISCA.

    Quadro 1 Nmero de estudos encontrados, selecionados, excludos e includos, segundo as bases de dados eletrnicas.

    Base de dados Excludos Includos Total

    LILACS 1 3 4

    BDENF 5 0 5

    MEDLINE 1 0 1

    REPIDISCA 1 0 1

    WHOLIS 1 0 1

    Total 6 3 12

  • - 8 -

    Revista Cientfica Vozes dos Vales UFVJM MG Brasil N 08 Ano IV 10/2015 Reg.: 120.2.0952011 UFVJM QUALIS/CAPES LATINDEX ISSN: 2238-6424 www.ufvjm.edu.br/vozes

    Os estudos selecionados, em sua maioria, foram escritos no idioma

    portugus e o perodo de publicao compreendido entre 1994 e 2003.

    Dos artigos selecionados, todos abordam a importncia da VE e noes de

    Epidemiologia para a formao profissional dos enfermeiros; destes, um artigo

    prope como recurso didtico a informtica para atuao em campo como estratgia

    de possibilidade de viso crtica e reflexiva dos alunos de enfermagem.

    Dentre os estudos, somente um deles envolvia pesquisa com seres humanos

    em Cuba - enfermeiros e mdicos em campo de trabalho, o mesmo no consta de

    aprovao em Comit de tica e do Termo de Consentimento Livre e Esclarecido; o

    que denota fragilidades em uma pesquisa com potencial contributivo. Os demais

    caracterizam-se por estudos descritivos, sendo um deles um relato de experincia.

    66,6% dos artigos foram escritos por dois ou mais autores e, somente um

    deles o primeiro autor possua a titulao de Mestrado/Doutorado.

    Somente um estudo estava vinculado uma Instituio de Ensino Superior

    IES.

    Os estudos, em sua totalidade, destacam a importncia da Vigilncia

    Epidemiolgica e noes de Epidemiologia para a atuao do enfermeiro no cenrio

    de sade atual, com viso crtica e reflexiva.

    QUADRO 1 - Caractersticas dos 03 estudos sobre a importncia da

    Vigilncia Epidemiolgica na formao acadmica em enfermagem a partir da

    Biblioteca Virtual em Sade (BVS).

    N* Ttulo Ano Base de

    dados

    Peridicos

    1 A Epidemiologia para o Enfermeiro 1994 LILACS

    BDENF

    Revista Latino

    Americana de

    Enfermagem

    2 Relato de uma experincia de ensino de enfermagem em sade coletiva: a informtica no ensino de vigilncia epidemiolgica

    2003 LILACS

    BDENF

    Revista da

    Escola de

    Enfermagem -

    USP

    3 Necesidades sentidas de informacinenEpidemiologa, de mdicos y enfermeras de lafamilia

    2002 LILACS Revista Cubana

    Salud Pblica

  • - 9 -

    Revista Cientfica Vozes dos Vales UFVJM MG Brasil N 08 Ano IV 10/2015 Reg.: 120.2.0952011 UFVJM QUALIS/CAPES LATINDEX ISSN: 2238-6424 www.ufvjm.edu.br/vozes

    Consideraes finais

    Conclui-se, a partir dessa reviso, que h uma escassez de estudos

    relacionados graduao em enfermagem no que diz respeito VE. Alm disso,

    nota-se um despreparo profissional junto realidade da situao de sade.

    H a necessidade de estudar a nvel nacional, o preparo dos referidos

    acadmicos na atuao em campo de estgio de sade coletiva, a fim de obter

    resultados que definam as medidas de interveno, seja no Plano Pedaggico, seja

    nos recursos didticos e na abordagem da VE na graduao em enfermagem.

    Tendo em vista a descentralizao no Sistema nico de Sade, a

    responsabilizao pela situao de sade cada vez mais ntima da prtica

    profissional do enfermeiro da Ateno Primria Sade. Em razo disso, pretende-

    se um egresso transformador da realidade, capaz de enfrentar os quadros

    patolgicos de maneira humanizada, com destaque na promoo sade e

    preveno de doenas a nvel individual e coletivo, resguardando a autonomia do

    cidado e sustentando a cidadania.

  • - 10 -

    Revista Cientfica Vozes dos Vales UFVJM MG Brasil N 08 Ano IV 10/2015 Reg.: 120.2.0952011 UFVJM QUALIS/CAPES LATINDEX ISSN: 2238-6424 www.ufvjm.edu.br/vozes

    REFERNCIAS

    ACIOLI, S. A prtica educativa como expresso do cuidado em Sade Pblica.

    RevBrasEnferm. 61(1): 117-21. 2008.

    ALMEIDA, A. H. Educao em sade: anlise do ensino na graduao em

    enfermagem no Estado de So Paulo. [Tese de Doutorado em Cincias].

    Universidade de So Paulo. So Paulo, SP, 2009.

    ALMEIDA, A. H.; SOARES, C. B. Ensino de educao nos cursos de graduao em

    enfermagem. RevBrasEnferm. 63(1): 111-6. 2010.

    BRASIL. Ministrio da Sade. Fundao Nacional de Sade. Centro Nacional de

    Epidemiologia. Guia de vigilncia epidemiolgica. Braslia, DF, 1998.

    BRASIL. Ministrio da Sade. Resoluo 196/96: Diretrizes e normas

    Regulamentadoras sobre pesquisa envolvendo seres humanos. Braslia, DF, 10 de

    outubro de 1996.

    BRASIL. Ministrio da Sade. Secretaria de Vigilncia em Sade. Secretaria de

    Ateno Sade. Poltica Nacional de Promoo da Sade / Ministrio da Sade,

    Secretaria de Vigilncia em Sade, Secretaria de Ateno Sade. 3. ed. Braslia

    : Ministrio da Sade, 2010.

    BRASIL. Ministrio da Sade. Secretaria de Vigilncia em Sade. Diretoria de Apoio

    Gesto em Vigilncia em Sade. Manual de gesto da vigilncia em sade /

    Ministrio da Sade, Secretaria de Vigilncia em Sade, Diretoria de Apoio Gesto

    em Vigilncia em Sade. Braslia: Ministrio da Sade, 2009.

    BRASIL. Ministrio da Sade. Secretaria de Vigilncia em Sade. Departamento de

    Vigilncia Epidemiolgica. Guia de vigilncia epidemiolgica. 7. ed. Braslia:

    Ministrio da Sade. 816 p. 2009.

  • - 11 -

    Revista Cientfica Vozes dos Vales UFVJM MG Brasil N 08 Ano IV 10/2015 Reg.: 120.2.0952011 UFVJM QUALIS/CAPES LATINDEX ISSN: 2238-6424 www.ufvjm.edu.br/vozes

    CALDONAZO, A. P. K. Prticas curriculares de educao em sade no curso de

    graduao em enfermagem. [Tese de Mestrado em Sade e Gesto do Trabalho].

    Universidade do Vale do Itaja. Itaja, SC, 2010.

    CARVALHO, V. L. S.; CLEMENTINO, V. Q.; PINHO, L. M. O. Educao em sade

    nas pginas da REBEn no perodo de 1995 a 2005. RevBrasEnferm. 61(2): 243-8.

    2008.

    COLOM, J. S.; OLIVEIRA, D. L. L. C. A educao em sade na perspectiva de

    graduandos de enfermagem. Rev Gacha Enferm. 29(3):347-53. 2008.

    CURY, G.C. Epidemiologia Aplicada a Sistema nico de Sade / Programa de

    Sade da Famlia. 2005. COOPMED, 82p.

    FERNANDES, J. D.; XAVIER, I. M.; CERIBELLI, M. E. P. F.; BIANCO, M. H. C.;

    MAEDA, D.; RODRIGUES, M. V. C. Diretrizes curriculares e estratgias para

    implantao de uma nova proposta pedaggica. RevEscEnferm USP. 39(4): 443-9.

    2005.

    KAISER, D. E.; SERBIM, A. K. Diretrizes curriculares nacionais: percepes de

    acadmicos sobre a sua formao em enfermagem. Rev Gacha Enferm. 30(4):

    633-40, 2009.

    LIMA-COSTA, M. F.; BARRETO, S. M. Tipos de estudos epidemiolgicos: conceitos

    bsicos e aplicaes na rea do envelhecimento. Epidemiologia e Servios de

    Sade. 12(4): 189-201. 2003.

    LIMA, M. M. Os processos de capacitao em vigilncia epidemiolgica: um estudo

    de caso. [Tese de Mestrado]. Universidade Federal da Bahia. Salvador, BA, 2010.

    MAINARDI, N. Educao em sade: problema ou soluo? [Tese de Doutorado em

    Sade Pblica]. Universidade de So Paulo. So Paulo, SP, 2010.

  • - 12 -

    Revista Cientfica Vozes dos Vales UFVJM MG Brasil N 08 Ano IV 10/2015 Reg.: 120.2.0952011 UFVJM QUALIS/CAPES LATINDEX ISSN: 2238-6424 www.ufvjm.edu.br/vozes

    MARCONI, M. A.; LAKATOS, E. M. Tcnicas de pesquisa. 3. ed. So Paulo: Atlas, 1996.

    OLIVEIRA, H. M.; GONALVES, M. J. F. Educao em sade: uma experincia

    transformadora. RevBrasEnferm. 57(6): 761-3. 2004.

    PEREIRA, J. G.; FRACOLLI, L. A. Articulao ensino-servio e vigilncia da sade: a

    percepo de trabalhadores de sade de um distrito escola. Trab. Educ. Sade.

    9(1): 63-75. 2011.

    PINTO, J. B. T.; PEPE, A. M. A formao do enfermeiro: contradies e desafios

    prtica pedaggica. Rev Latino-Am Enfermagem. 15(1): 120-126. 2007.

    RODRIGUES, V. M.; FRACOLLI, L. A.; OLIVEIRA, M. A. C. Possibilidades e limites

    do trabalho de vigilncia epidemiolgica no nvel local em direo vigilncia

    sade. RevEscEnferm USP. 35(4): 313-9. 2001.

    ROSA, R. B.; MAFFACCIOLLI, R.; NAUDERER, T. M.; PEDRO, E. N. R. A educao

    em sade no currculo de um curso de enfermagem: o aprender para educar. Rev

    Gacha Enferm. 27(2): 185-92, 2006.

    RUIZ, J. A. Metodologia cientfica: guia para eficincia nos estudos. So Paulo: Atlas, 1982.

    SHIRATORI, K.; COSTA, T. L.; FORMOZO, G. A.; SILVA, S. A. Educao em sade

    como estratgia para garantir a dignidade da pessoa humana. RevBrasEnferm.

    57(5): 617-0. 2004.

    SOUSA, L. B.; TORRES, C. A.; COSTA-PINHEIRO, P. N.; BEZERRA-PINHEIRO, A.

    K. Prticas de educao em sade no Brasil: a atuao da enfermagem. RevEnferm.

    18(1): 55-60. 2010.

    TOLEDO, M. M. Vulnerabilidade de adolescentes ao HIV/AIDS: reviso integrativa. Universidade de So Paulo. [Tese de Mestrado em Enfermagem]. So Paulo, 2008.

  • - 13 -

    Revista Cientfica Vozes dos Vales UFVJM MG Brasil N 08 Ano IV 10/2015 Reg.: 120.2.0952011 UFVJM QUALIS/CAPES LATINDEX ISSN: 2238-6424 www.ufvjm.edu.br/vozes

    UFVJM - UNIVERSIDADE FEDERAL DOS VALES DO JEQUITINHONHA E

    MUCURI. DEPARTAMENTO DE CINCIAS BIOLGICAS E DA SADE. CURSO

    DE ENFERMAGEM. Projeto Pedaggico do Curso de Graduao em Enfermagem.

    Diamantina, MG, 2007. Online. Disponvel em: http://prograd.ufvjm.edu.br/projetos-

    pedagogicos.html. Acessado em: 03 de Novembro de 2011.

    Texto cientfico recebido em: 24/09/2015

    Processo de Avaliao por Pares: (Blind Review - Anlise do Texto Annimo)

    Publicado na Revista Vozes dos Vales - www.ufvjm.edu.br/vozes em: 24/11/2015

    Revista Cientfica Vozes dos Vales - UFVJM - Minas Gerais - Brasil

    www.ufvjm.edu.br/vozes

    www.facebook.com/revistavozesdosvales

    UFVJM: 120.2.095-2011 - QUALIS/CAPES - LATINDEX: 22524 - ISSN: 2238-6424

    Peridico Cientfico Eletrnico divulgado nos programas brasileiros Stricto Sensu

    (Mestrados e Doutorados) e em universidades de 38 pases,

    em diversas reas do conhecimento.

    http://www.ufvjm.edu.br/vozeshttp://www.ufvjm.edu.br/vozeshttp://www.facebook.com/revistavozesdosvales