Tabela de Honorarios Iab-sc

  • Published on
    07-Jun-2015

  • View
    13.632

  • Download
    12

DESCRIPTION

TABELA DE HONORARIOS IAB-SC

Transcript

Instituto de Arquitetos do BrasilDepartamento de Santa Catarina

TABELA DE HONORRIOS

Instituto de Arquitetos do BrasilDepartamento de Santa Catarina

PROJETO ARQUITETNICO

2

Instituto de Arquitetos do BrasilDepartamento de Santa Catarina

TABELA DE HONORRIOS MNIMOSPARTE I -ROTEIRO P/ DESENVOLVIMENTO DO PROJETO DE ARQUITETURA 1 - OBJETIVOS O presente documento tem por objetivos: * Normalizar os procedimentos para a elaborao do Projeto de Arquitetura de uma edificao. * Estabelecer parmetros - para a fixao dos Honorrios Mnimos Profissionais. * Sugerir a discriminao dos servios nos contratos que tenham por objetivo o Projeto de Arquitetura da Edificao. * Definir e caracterizar os principais elementos tcnicos relacionados aos projetos, em especial, as fases que o compem e as informaes necessrias ao seu desenvolvimento. 2- DEFINIES GERAIS OBRA: Espao e/ou objeto a ser construdo, fabricado ou montado. PROJETO: Conjunto de desenhos e documentos tcnicos necessrios construo, fabricao ou montagem. EXECUO: Conjunto de aes tcnicas, estabelecidas no projeto, necessrias construo, fabricao ou montagem. ARQUITETO: Profissional contratado, responsvel pelo projeto e/ou execuo da obra e respectiva coordenao. CLIENTE: Pessoa fsica ou jurdica contratante dos servios do Arquiteto. PROGRAMA DE NECESSIDADES: Documento que exprime as necessidades e exigncias dos clientes e dos futuros usurios da obra e/ou objeto. Descreve sua funo, atividades que ir abrigar, dimensionamentos e padres de qualidade. A elaborao desse programa deve, necessariamente, proceder ao incio do projeto, podendo ser complementado ao longo de seu desenvolvimento. ESTUDO DE VIABILIDADE TCNICO-FINANCEIRO: Este trabalho tem por finalidade fazer um levantamento de todos os condicionantes de uma determinada atividade, para que se possa montar um prognstico. Indo-se mais alm, a partir dos dados tcnicos pode-se a chegar a uma viabilidade financeira.

PR DIMENSIONAMENTO: Atividade que se faz necessria para servir de Base ao Arquiteto e cliente. Ao profissional serve como base para estabelecer a cobrana de Honorrios. J para o cliente tem papel importante tambm, pois o situa claramente, permitindo que tome decises acertadas. 3

Instituto de Arquitetos do BrasilDepartamento de Santa CatarinaDIREITO DE VISTORIA: Ao autor do projeto periodicamente a obra, dirimindo eventuais dvidas. caber o direito de vistoriar

CRONOGRAMA: O Cronograma pode ser fsico e financeiro onde especifica prazos e recursos disponveis para a execuo. Pode tambm representar o espao fsico necessrio para cada etapa dos projetos e/ou execues. HORA TCNICA: o tempo dedicado a um cliente, para esclarecimentos tcnicos, sobre um projeto e/ou execuo. usada para determinar honorrios quando estes no esto includos num prvio acordo. 3 - FASES DE PROJETO ESTUDO PRELIMINAR: Constitui a configurao inicial da soluo Arquitetnica proposta para a obra (partido geral), considerando as principais exigncias do programa de necessidades, deve receber aprovao preliminar do cliente. ANTEPROJETO: Constitui a configurao final de soluo Arquitetnica para a obra, considerando todas as exigncias do programa de necessidades e do estudo preliminar aprovado pelo cliente devidamente adequado ao cdigo de obras local. Deve receber aprovao do cliente. PROJETO: Constitui a configurao tcnico-juridico da soluo Arquitetnica proposta para a obra, considerando o anteprojeto, aprovado pelo cliente, e as normas tcnicas de apresentao e representao grfica exigidas por rgos pblicos (Prefeituras, concessionrias de servios pblicos e Corpo de Bombeiros). PROJETO EXECUTIVO: Este tem por finalidade orientar e esclarecer execuo, alm do projeto (etapa anterior) possui todos os detalhamentos necessrios para uma perfeita compreenso. COORDENAO DE PROJETOS COMPLEMENTARES: Constituem a coordenao de todos os projetos que se faam necessrios complementao do projeto arquitetnico. imprescindvel que esta coordenao seja feita pelo profissional de arquitetura, pois s assim poder se discutir adequaes que no alterem o projeto arquitetnico. FORMA DE PAGAMENTO DOS PROJETOS: A forma e o parcelamento da remunerao devero ser estipulados de comum acordo entre o contratante da obra e o arquiteto, em etapas, atravs de porcentagem do valor global do projeto, assim distribudo: a - estudo preliminar - 30% (trinta por cento) b - anteprojeto - 30% (trinta por cento) c - projeto - 40% (quarenta por cento)

HONORRIOS DOS TRABALHOS COMPLEMENTARES: Os honorrios dos projetos arquitetnicos no incluem os chamados projetos e/ou trabalhos complementares, isto , clculo estrutural, projetos hidro-sanitrio, eltrico, telefnico, bem como anlise do solo, preveno incndio e execuo da obra. Sero pagos ainda, separadamente ao arquiteto, mediante ajuste prvio ou tabelas prprias: 4

Instituto de Arquitetos do BrasilDepartamento de Santa Catarinaa - Reunies de trabalhos; b - Trabalhos de pesquisas e orientao para elaborao do programa em casos especiais; c - Os estudos e variantes de um mesmo projeto; d - Os estudos de novos projetos para a mesma obra; e - oramentos; f - assessoria, consultas e estadias; g - despesas de viagens e estadias; h - trabalhos de arquitetura; i - trabalhos de projetos de desenho industrial; j - trabalhos de comunicao visual; k - painis e outros elementos artsticos; l - desenho de plantas de obra; m - quaisquer outros trabalhos no especificados nesta tabela.

CONDIES GERAIS (OBJETO DE CONTRATO): 1 - Uma vez iniciado o trabalho de cada uma das etapas do projeto, haver assegurado ao arquiteto o direito de termin-lo e receber integralmente a remunerao correspondente. 2 - Se o objeto do contrato se limitar ao estudo preliminar e ao anteprojeto e estes forem utilizados para a execuo da obra, tal utilizao ser suscetvel da aplicao das disposies legais relativas ao mau uso do projeto, alm da obrigatoriedade do pagamento de uma indenizao correspondente a 50% (cinqenta por cento) do valor acordado para as peas em questo; 3 - Se houver supresso de parte dos trabalhos contratados, o arquiteto ter direito a uma indenizao na parte suprimida, correspondente a 50% (cinqenta por cento) do valor da remunerao respectiva; 4 - Sero fornecidos pelos contratantes todos os dados requeridos pelo arquiteto necessrios concepo do projeto, tais como levantamento planialtimtrico, sondagens geolgicas, anlises do solo, dados climticos, etc.; 5 - O contratante somente poder se utilizar do projeto para o fim e o 5 local indicados nos documentos e desenhos apresentados;

Instituto de Arquitetos do BrasilDepartamento de Santa Catarina6 - O arquiteto fornecer ao contratante uma cpia de cada original do projeto. Quaisquer outras cpias sero pagas em separado pelo contratante; 7 - Outras condies ou acertos decorrentes de projetos especiais ou julgados necessrios devero ser objeto de contrato. 4 - ROTEIRO BSICO * ESTUDO PRELIMINAR A) INFORMAES: A CARGO DO CLIENTE - Programa de necessidades, especificando: * Objetivos do cliente e finalidade da obra. * Prazos e recursos disponveis para o projeto e a execuo. * Caractersticas funcionais da obra: atividade que ir abrigar, compartimentao e dimensionamento preliminares, escala de proximidades e espaciais, populao fixa e varivel, fluxos (de pessoas, veculos, materiais), mobilirio, instalaes e equipamentos bsicos, padres de construo e acabamento, recursos tcnicos disponveis para a execuo(material, mo-de-obra), sistemas construtivos), modalidade de contratao da execuo e porte do construtor /montador /fabricante. * Sobre o terreno e seu entorno espacial: Escrituras, levantamento topogrfico, planialtimtrico, em escala adequada, indicando os limites (dimenses lineares e angulares), construes vizinhas e internas ao terreno, arruamento e as caladas limtrofes, acidentes naturais (rochas, gua, etc.), locao e especificao de rvore e massas arbustivas, e o Norte verdadeiro. * Sondagem geolgica e dados sobre drenagem, visando subsidiar a concepo estrutural e o projeto de fundaes da obra. A CARGO DO ARQUITETO: * Programa de Necessidades: Reviso e complementao. * Informaes sobre o terreno entorno, em especial: documentos cadastrais, fotos do terreno e entorno, dados geo-climticos e ambientais locais (temperaturas, pluviosidades, insolao, regime de ventos e mars), e nveis de poluio (sonora, do ar, do solo e das guas). Dados urbansticos de entorno ao terreno, uso e ocupao do solo, padres arquitetnicos e urbansticos, infra-estrutura disponvel, tendncia de desenvolvimento, condies de trfego e estacionamento. * Legislao arquitetnica e urbanstica pertinente a: restries de uso, taxas de ocupao e coeficiente de aproveitamento, gabaritos, alinhamentos, recuos e afastamentos, nmero de vagas de garagem, exigncias tcnico-arquitetnicas de todos os rgos pblicos (Municipais, Estaduais e Federais). 5 - PRODUTOS FINAIS/SERVIOS BSICOS - MEMORIAL - Descreve e justifica a soluo arquitetnica a proposta relacionando-a ao programa de necessidades, s caractersticas do terreno e seu entorno, 6

Instituto de Arquitetos do BrasilDepartamento de Santa Catarinalegislao arquitetnica e urbansticas pertinentes e/ou outros fatores determinantes na definio do partido adotado. - PLANTA DE SITUAO - Representa a implantao da obra no terreno, locando e dimensionando em especial, a(s) edificao(es), acessos, reas livres, estacionamentos, piscinas, quadras esportivas, recuos, afastamentos, cotas e nveis principais e quadro geral de reas(totais, por setor, pavimento e/ou bloco, teis e/ou construdas). - PLANTAS BAIXAS - Definem, no plano horizontal, a compartimentao interna da obra indicando a designao, localizao, inter-relacionamento e dimensionamento finais(cotas, nveis, acabamentos e reas) de todos os pisos, ambientes, circulaes e acessos. Representam a estrutura, alvenaria, tetos rebaixados, revestimentos, esquadrias com sistemas de aberturas), conjuntos sanitrios e equipamentos fixos. - PLANTAS DE COBERTURA - Definem sua configurao arquitetnica indicando a localizao e dimensionamento finais(cotas e nveis acabados) de todo os seus elementos. Representa(m), conforme o caso, telhados, lajes, terraos, lanternins, domus, calhas dgua e equipamentos fixos. - CORTES GERAIS - Definem, no plano vertical, a compartimentao interna da obra e a configurao arquitetnica da cobertura indicando a designao, localizao, interrelacionamento e dimensionamento finais(alturas e nveis acabados) de pavimentos, ambientes, circulaes e elementos arquitetnicos significativos. Representam a estrutura, alvenaria, tetos rebaixados, revestimentos, esquadrias(com sistema de abertura) e, conforme e caso, muros, grades, telhados, marquises, toldos, letreiros e outros componentes arquitetnicos significativos. - FACHADAS - Representam a configurao externa da obra, indicando seus principais elementos, em especial esquadrias. - ESPECIFICAES - Definem os principais materiais e acabamentos, em especial, revestimentos de fachadas e pisos, paredes e tetos de todos os compartimentos, podem ser apresentadas: - Grafadas nos prprios desenhos (plantas, cortes, fachadas); - Em um quadro geral de materiais e acabamentos; - Sob forma de texto (memorial de especificaes). - COORDENAO DE PROJETOS COMPLEMENTARES SERVIOS OPCIONAIS. - MAQUETES - Representam a configurao espacial global da obra, sua implantao no terreno e eventualmente, o relacionamento com entorno construdo. - PERSPECTIVA - Tem a mesma finalidade da Maquete. - DESENHOS PROMOCIONAIS - Perspectivas adicionais(internas e/ou externas), plantas e/ou cortes humanizados(com mobilirio e equipamentos bsicos), entre outros. - PROJETOS COMPLEMENTARES - DE ESTRUTURA, INSTALAES, PAISAGISMO E/OU ARQUITETURA DE INTERIORES. 7

Instituto de Arquitetos do BrasilDepartamento de Santa Catarina- ORAMENTO ESTIMATIVO - Baseados nos anteprojetos de arquitetura e custos de materiais e servios(mo-de-obra) necessrios realizao da obra.

- DETALHAMENTO - So todos os projetos que detalham a execuo de: -Esquadrias -Detalhes Construtivos -Paginao de Pisos -Todos os detalhamentos que se faam necessrios uma boa execuo. - Programao de projeto em CAD e/ou 3D - Maquete eletrnica - Perspectiva eletrnica.

PARTE IICONDIES DE CONTRATAO E REMUNERAO DO PROJETO DE ARQUITETURA 1 - TABELA BSICA: Apresentamos a seguir Tabela de percentuais mnimos recomendados. * Os valores devero ser transcritos na ntegra na ART(ANOTAO DE RESPONSABILIDADE TCNICA), pois este um contrato de prestao de servio firmado entre as partes. Tomando como base o CUB(Custo unitrio Bsico), para o clculo dos honorrios profissionais, observando o seguinte: a) Classificao das edificaes, ver item 2. b) projetos com repeties de edificaes, ver item 3. c) Os valores abaixo se referem a obras edificar, para projetos de reforma e/ou acrscimo de edificaes, ver item 4. 2 - CLASSIFICAO DAS EDIFICAES: As edificaes so classificadas (I, II, III, IV) seguindo os seguintes critrios: a) Complexidade das pesquisas prvias (Programa). necessrias sua projetao.

b) Diferenciao funcional, tcnica dos espaos e ambientes a serem projetados. c) complexidade tecnolgica, em especial dos projetos complementares. d) complexidade do desenvolvimento e detalhamento do projeto. 8

Instituto de Arquitetos do BrasilDepartamento de Santa Catarinae) complexidade do terreno, principalmente no que tange a nveis. As edificaes no listadas seguir devero ser enquadradas segundo os critrios anteriores, na classe que mais se aproximar.

2.1 - HABITAO: 2.1.1 PERMANENTE: * Residenciais Unifamiliares-I a IV (dependendo do nvel de complexidade). * Edifcios de apartamentos, conjuntos habitacionais de . * Conjuntos residenciais, condomnios e vilas II. 2.1.2 TEMPORRIA: * Albergues, pousadas II. * Hotis residenciais e motis III. * Hotis de lazer, SPA, Hospitais e clnicas especializadas IV. 2.1.3 COLETIVA: * Alojamentos, asilos, orfanatos, conventos, quartis III. * Presdios e penitencirias IV. 2.2 TRABALHO: 2.2.1 AGROPECURIA: * Galpes para mquinas, armazns, estbulos, avirios e instalaes rurais simples I. * Matadouros, instalaes especializadas II. 2.2.2 INDSTRIA: * Galpes, oficinas e depsitos I. * Fbricas e laboratrios simples II. * Usinas, fbricas e laboratrios especializados III. 2.2.3 COMRCIO: * Armazns e depsitos I. 9 edifcios - categoria III

Instituto de Arquitetos do BrasilDepartamento de Santa Catarina Supermercados, horto mercados, pavilhes para exposies e feiras II. * Lojas de departamentos, centros comerciais e shoppings III. * Lojas, boutiques, stands e show-roons IV.

2.4 SERVIOS: * Edifcios administrativos e de escritrios, creches, escolas II. * Bancos, sedes de empresas, instituies e rgos pblicos, centros de processamento de dados III.

TABELA DE HONORRIOS MNIMOS(PERCENTUAL DO CUB/M2)

rea a Construir menor que 125 m2

125 250 500 1000 2000 4000 8000 16000

m2 m2 m2 m2 m2 m2 m2 m2

maior que 16000m2 HORA TCNICA

I acordo 2,0 a 2,6 1,9 a 2,5 1,8 a 2,4 1,3 a 1,7 1,2 a 1,6 1,0 a 1,3 0,9 a 1,1 0,8 a 0,9 acordo 8,0

CATEGORIA II acordo 2,7 a 3,1 2,6 a 3,0 2,5 a 2,9 1,8 a 2,1 1,7 a 1,9 1,4 a 1,5 1,2 a 1,3 1,0 a 1,1 acordo

III acordo 3,2 a 3,6 3,1 a 3,5 3,0 a 3,4 2,2 a 2,4 2,0 a 2,3 1,6 a 1,8 1,4 a 1,6 1,2 a 1,3 acordo

IV acordo 3,7 a 4,2 3,6 a 4,1 3,5 a 4,0 2,6 a 3,1 2,4 a 2,9 1,9 a 2,4 1,7 a 2,2 1,4 a 1,9 acordo

* Os valores da tabela referem-se a apresentao de um projeto mnimo, para aprovao na prefeitura, no estando includos detalhamentos de nenhuma espcie. * O valor para HT refere-se a consulta no escritrio do profissional. Fora deste haver um acrscimo de 25%, considerando sempre o municpio de domiclio do profissional. 3 - TABELA DE REDUO PARA REPETIES: * Nos projetos de conjuntos com edificaes TIPO repetidas (verticais e/ou horizontais) aplicam-se os percentuais de reduo fixados na tabela a seguir onde: AC: rea de construo total (incluindo apenas/PVTO TIPO) AR: rea total repetida (soma dos pavimentos TIPO). C: Coeficiente da tabela onde C=AC AR Portanto: VF=VAC + VAR onde: VF =Valor Final VAC =Valor total da construo VAR =Valor total das repeties

10

Instituto de Arquitetos do BrasilDepartamento de Santa Catarinaou seja:

TABELA DE REDUO PARA REPETIESC C C C C C CSubsolo Pilotis Pav.Tipo

> > > > > >