SISTEMATIZAO DA ASSISTNCIA DE ENFERMAGEM ? sistematizao da assistncia de enfermagem aplicada

  • Published on
    19-Oct-2018

  • View
    212

  • Download
    0

Transcript

  • SISTEMATIZAO DA ASSISTNCIA DE ENFERMAGEM APLICADA

    UM LACTENTE COM MENINGITE BACTERIANA: UM RELATO DE

    EXPERINCIA

    Ruth Nobre de Brito1, Gislaiane Loiola Saraiva de Freitas1, Sarandia Caeira Serafim1,

    Kelle de Lima Rodrigues1, Gleyciane Leandro Silveira1, Naidhia Alves Soares Ferreira2.

    Correspondncia para: huthxwp@hotmail.com

    Palavras-chave: Enfermagem. Sistematizao. Assistncia. Meningite. Lactente.

    1 INTRODUO

    Meningite expressa uma ocorrncia de um processo de toda ou qualquer

    inflamao grave das meninges e membranas que envolvem e protegem o crebro e a

    medula espinhal, podendo ocorrer a partir da corrente sangunea ou secundria a outras

    infeces, com acometimento em especial nas crianas (SILVA et al,. 2011;

    SMELTZER e BARE, 2006). Apesar da ocorrncia de suas consequncias negativas

    serem fortemente reduzidas, atravs das estratgias de vacinao na rede bsica de

    sade, a terapia com antibiticos e os cuidados hospitalares adequados, a meningite

    bacteriana a principal responsvel por morbimortalidade substancial, seja em pas

    desenvolvido ou em desenvolvimento (THEODORIDOU et al., 2007).

    A meningite faz parte da Lista Nacional de Doenas de Notificao

    Compulsria, segundo a Portaria GM no 2.325, de 8 de dezembro de 2003. de

    responsabilidade dos profissionais de sade e do servio de sade notificar todo caso

    clnico suspeito s autoridades municipais de sade, que devero responsabilizar-se de

    forma imediata, o curso da investigao epidemiolgica e da avaliao, da necessidade

    1 Discentes da Faculdade de Juazeiro do Norte (FJN)

    2 Docente da Faculdade de Juazeiro do Norte (FJN)

  • de adoo de medidas de controle pertinentes ao caso em questo (BRASIL, 2005).

    De acordo com o autor acima a meningite pode ser causada por diversos agentes,

    como bactrias, vrus e fungos, dentre outros, e agentes nao-infecciosos, como o

    traumatismo. As meningites de origem infecciosa, principalmente as causadas por

    bactrias e vrus, so as mais importantes para sade publica, pelo potencial de produzir

    surtos.

    As bactrias que causam a meningite bacteriana esto presentes no meio

    ambiente e instaladas no nariz e no sistema respiratrio, sem, entretanto, causar

    qualquer dano. Mas, por razes desconhecidas, em algum momento atingem o sistema

    circulatrio e, ento, as meninges (SMELTZER e BARE, 2006). A meningite parece

    ocorrer como uma extenso de diversas infeces bacterianas, provavelmente como

    resultado da falta de resistncia adquirida aos vrios micro-organismos causadores

    (HOCKENBERRY e WILSON, 2011).

    O presente manuscrito tem por objetivo Sistematizar a Assistncia de

    Enfermagem, a um lactente com diagnstico de Meningite Bacteriana, no Hospital

    Maria Amlia Bezerra do Municpio de Juazeiro do Norte CE.

    2 MATERIAIS E MTODOS

    Trata-se de um relato de experincia de acadmicos de enfermagem, realizado

    durante a disciplina de Sade da Criana, do curso de Enfermagem da Faculdade de

    Juazeiro do Norte (FJN). O cenrio do estudo compreendeu uma Instituio Hospitalar

    de assistncia sade da Criana Hospital Maria Amlia Bezerra, do municpio de

    Juazeiro do Norte-CE. O Plano de cuidados de enfermagem foi elaborado para um

    lactente com diagnstico mdico de Meningite Bacteriana. O perodo de realizao do

    estudo estendeu-se de agosto a dezembro de 2013. Para anlise dos dados foram

    empregados a taxonomia II NANDA de 2012 a 2014 (North American Nursing

    Diagnosis Association) e NIC (Nursing Interventions Classification). A coleta de dados

    foi atravs da entrevista, pronturio, anamnese e exame fsico. As acadmicas coletaram

    os dados do pronturio como tambm executaram o exame fsico para uma melhor

  • analise do caso em questo. Posteriormente, foi traado um Plano de Cuidados, para trs

    diagnsticos de enfermagem encontrados aps anlise reflexiva do estudo em questo. E

    durante o perodo da realizao da pesquisa foram respeitadas as exigncias da

    Resoluo 466/12, do Conselho Nacional de Sade, que trata da realizao de pesquisas

    envolvendo seres humanos.

    3 RESULTADOS E DISCUSSO

    J. V. S., quatro meses, pardo, sexo masculino, peso: 5.860 kg, natural do

    Municpio de Juazeiro do NorteCE. Foi admitido no Hospital Maria Amlia Bezerra

    no servio de Urgncia em Clnica Peditrica no dia 30/10/2013 s 17h30min, com HD

    de Dengue, proveniente de sua residncia com quadro de febre h dois dias, irritado,

    com tosse seca, dispneico, diarreico com presena de muco, aparentemente sem

    sugestes hemorrgicas. Foi submetido no mesmo dia 30 de Outubro de 2013, a um

    procedimento de puno lombar, pois suspeitavam de Meningite Bacteriana, onde foi

    confirmada em associao a sintomatologia. Ao exame fsico geral apresenta-se:

    Avaliao cardiovascular: Ritmo Cardaco Regular em 2 Tempos, Bulhas

    normofonticas, Sem Sopro; Avaliao Respiratria: Murmrio Vesicular presente sem

    Rudos Adventcios; Avaliao Abdominal: globoso, indolor a palpao, Rudos

    Hidroareos presente, pele rosada e higiene satisfatria; Avaliao Neurolgica:

    irritado, agitado, consciente, orientado. SSVV: Presso Arterial = 85x65 mmHg,

    Temperatura axilar = 36,7 C, Frequncia Respiratria = 40 irpm, Frequncia Cardaca

    = 120 bpm, Segue sob os cuidados de Enfermagem da Enfermaria Peditrica.

    Aps anlise dos dados coletados pelos instrumentos utilizados, a anamnese e

    exame fsico, os principais diagnsticos de enfermagem apontados foram: Risco de

    infeco relacionada s defesas secundrias inadequadas pela diminuio da

    hemoglobina e leucopenia; Padro de sono prejudicado relacionada agitao e

    irritabilidade (decorrente do sistema neurolgico) evidenciada por dificuldade para

    dormir e Hipotermia relacionada ao processo infeccioso evidenciado pelo aumento na

    temperatura corporal acima dos parmetros normais.

  • O diagnstico de enfermagem para Risco de infeco relacionada s defesas

    secundrias inadequadas pela diminuio da hemoglobina e dos leuccitos partiu da

    anlise do exame sanguneo, o hemograma completo, uma vez que os resultados

    apresentavam-se abaixo do referncia de normalidade. Tornando, assim, fundamental a

    implementao de uma assistncia mdica e de enfermagem, para a reduo ou at

    eliminao deste risco. As principais intervenes de enfermagem traados para atender

    ao presente caso foram: Monitorar a contagem absoluta de granulcitos, glbulos

    brancos, e os resultados diferenciais; Manter assepsia para paciente de risco; Promover

    ingesta nutricional adequada; Administrar concentrado de hemcias para reposio da

    hemoglobina (NANDA, 2013; BULECHEK, BUTCHER e DOCHTERMAN, 2010).

    De acordo com os mesmos autores para o diagnstico e intervenes de

    enfermagem o Padro de sono prejudicado relacionada agitao e irritabilidade

    (decorrente do sistema neurolgico) evidenciada por dificuldade para dormir foi

    apontado a partir da observao constante deste paciente. A etiologia desta agitao e

    irritabilidade parti-se da presena do micro-organismos nas meninges causando infeco

    que resulta em inchao e inflamao das membranas, acima citada, que revestem o

    crebro e medula espinhal. As intervenes para a correo do diagnostico supracitado

    foram: Oferecer pequenos perodos de sono diurno, se indicado, de modo a atender as

    exigncias de sono; Adaptar ambiente (iluminao, rudos e temperatura) para promover

    o sono; Agrupar as atividades de cuidado de modo a minimizar os momentos de acordar

    o paciente, permitindo assim que os ciclos de sono durem 90 minutos;

    Monitorar/registrar o padro de sono e a quantidade de horas dormidas.

    Por fim, o ltimo diagnstico de enfermagem: Hipertermia relacionada ao

    processo infeccioso evidenciado pelo aumento na temperatura corporal acima dos

    parmetros normais presente com maior intensidade durante o perodo de internao

    no Hospital Maria Amlia Bezerra. As intervenes de enfermagem para a resoluo

    desta manifestao foram: Incentivar a ingesto de lquidos; Verificar a temperatura

    corporal de 4 /4h; Remover o excesso de roupas; Promover conforto; Monitorar a

    ingesto e a eliminao de lquidos; Observar reaes de desorientao/confuso e

    Administrar agentes antitrmicos (NANDA, 2013; BULECHEK, BUTCHER e

  • DOCHTERMAN, 2010).

    4 CONCLUSES

    A Sistematizao da Assistncia de Enfermagem (SAE), na pratica de

    enfermagem mostra-se como um guia que deve ser implementado, pelos profissionais

    enfermeiros para o melhor direcionamento de tomadas de decises que envolva a

    elaborao de diagnstico e a intervenes de enfermagem, no que diz respeito a

    populao infanto-juvenil. Portanto, conclui-se, que a enfermagem atua de maneira

    cientfica e sistemtica ao utilizar os mtodos metodolgicos no processo de

    enfermagem, ao traar diagnsticos, intervenes e resultados esperados, sempre

    focalizando na melhor assistncia e na promoo a sade. A realizao do estudo de

    caso foi de fundamental importncia para as acadmicas do 7 Semestre de

    enfermagem, da disciplina Sade da Criana e do Adolescente, pois enriqueceu sobre os

    conhecimentos prtico-tericos da patologia em questo e sobre a assistncia de

    enfermagem a uma populao de extremo de idade, favorecendo assim para a formao

    do futuro enfermeiro.

    REFERNCIAS

    BULECHEK, G. M.; BUTCHER, H. K.; DOCHTERMAN, J. M.; NIC

    CLASSIFICAO DAS INTERVENES DE ENFERMAGEM 5 ed. Rio de Janeiro:

    Elsevier, 2010.

    BRASIL, MINISTERIO DA SADE. Guia de Vigilncia. Secretaria de Vigilncia em

    Sade. Departamento de Vigilncia Epidemiolgica. 6 ed, Brasilia, 2005.

    HOCKENBERRY, M. J.; WILSON, D.; WONG: Fundamentos de Enfermagem

    Peditrica. 8 Ed. Editora Elsemer, 2011.