sistematizao da assistncia de enfermagem a uma paciente ...

  • Published on
    10-Jan-2017

  • View
    218

  • Download
    2

Transcript

  • 244 | P g i n a

    SISTEMATIZAO DA ASSISTNCIA DE ENFERMAGEM A UMA

    PACIENTE PORTADORA DE ESCLEROSE MLTIPLA

    Mrian da Silva Maia18

    ; Isys Fialho Nascimento19

    ; Natlia Ribeiro Mandarino20

    ; Isaura

    Letcia Tavares Palmeira Rolim21

    Introduo: A esclerose mltipla uma doena desmielinizante progressiva do SNC,

    manifestando-se tipicamente em adultos jovens entre 20 e 40 anos e com maior

    freqncia em mulheres. Suas manifestaes so diversas, dependendo dos nervos

    afetados. As reas mais afetadas so os nervos pticos, encfalo, tronco cerebral,

    cerebelo e medula espinhal, e os danos irreversveis. As estratgias de tratamento tm

    como alvo sintomas motores e sensoriais e os efeitos da imobilidade que podem ocorrer.

    Objetivos: Descrever a Sistematizao da Assistncia de Enfermagem a uma paciente

    acometida por esclerose mltipla, utilizando os Diagnsticos de Enfermagem da

    Taxonomia II da NANDA, as Intervenes de Enfermagem da NIC e os Resultados de

    Enfermagem da NOC. Metodologia: Estudo do tipo descritivo desenvolvido junto a

    uma paciente diagnosticada com esclerose mltipla internada na Ala B da Clnica

    Mdica do Hospital Universitrio Unidade Presidente Dutra, em So Lus, Maranho,

    durante o perodo de 16 de novembro a 12 de dezembro de 2010. Etapas: Coleta de

    Dados; Diagnsticos de Enfermagem; Planejamento de Enfermagem; Implementao e

    Evoluo de Enfermagem. A partir dos dados coletados foram estabelecidos

    diagnsticos de enfermagem de acordo com a taxonomia II da NANDA;

    posteriormente, o planejamento e a implementao de enfermagem, baseados nas

    intervenes da Nursing Interventions Classification (NIC) que pudessem levar a

    resultados da Nursing Outcomes Classification (NOC) durante sua evoluo.

    Resultados: Entre os diagnsticos de enfermagem identificados incluram-se deambulao prejudicada, risco de quedas, percepo sensorial ttil prejudicada,

    18

    Acadmica. Graduanda do 8 perodo do curso de Enfermagem da Universidade Federal do Maranho

    (UFMA). Endereo de e-mail: mirianamadadopai@hotmail.com 19

    Acadmica. Graduanda do 8 perodo do curso de Enfermagem da Universidade Federal do Maranho

    (UFMA). 20

    Enfermeira. Professora Mestra da Faculdade de Enfermagem da Universidade Federal do Maranho

    (UFMA). 21

    Enfermeira. Professora Doutora da Faculdade de Enfermagem da Universidade Federal do Maranho

    (UFMA).

    mailto:mirianamadadopai@hotmail.com

  • 245 | P g i n a

    interao social prejudicada, controle familiar ineficaz do regime teraputico e

    conhecimento deficiente. Durante a entrevista de enfermagem, a revelao da prtica da

    automedicao aliada indicao indevida de medicamentos em estabelecimentos de

    venda de frmacos contribuiu para o estado de agravo em que a usuria se encontrava

    ao ser internada no hospital universitrio. Concluso: As aes do enfermeiro aliadas a

    um instrumento cientificamente respaldado voltado para a assistncia permitem a

    elaborao de um processo de enfermagem capaz de elevar a qualidade dos servios de

    enfermagem.

    Palavras-chave: Sistematizao, Esclerose Mltipla, Enfermagem.