Sistema Cardiovascular Resposta Cardiovascular ao Exercicio.

  • Published on
    22-Apr-2015

  • View
    118

  • Download
    8

Transcript

  • Slide 1
  • Sistema Cardiovascular Resposta Cardiovascular ao Exercicio
  • Slide 2
  • Sistema Cardiovascular A FC reflete a quantidade de trabalho que o corao deve realizar para satisfazer as demandas impostas pela atividade fsica. Todas as alteraes cardiovasculares representam um objetivo comum. Permitir que o sistema satisfaa as demandas aumentadas impostas ao organismo com a mxima eficincia.
  • Slide 3
  • Sistema Cardiovascular Frequencia cardiaca de repouso: 60 a 80 bpm. 100 ou + bpm. 28 a 40 bpm. Resposta antecipatria a freqncia cardaca pr-exerccio estimulada pela liberao do neurotransmissor e diminuio do tnus vagal.
  • Slide 4
  • Sistema Cardiovascular Freqncia Cardaca durante o Exerccio: diretamente proporcional a intensidade do exerccio. estimativa da FCmx feita correlacionando com a idade do indivduo, contudo tem influencia relativa. Freqncia cardaca no estado estvel atinge um plat.
  • Slide 5
  • Sistema Cardiovascular Esse plat, significa a FC ideal para suprir as demandas circulatrias de uma determinada taxa de trabalho.
  • Slide 6
  • Sistema Cardiovasclar Volume de ejeo: Em resposta ao exerccio o volume de ejeo se altera para permitir ao corao trabalhar de maneira mais eficiente. Quatro fatores determinam o volume de ejeo:
  • Slide 7
  • Sistema Cardiovascular O volume de sangue venoso que retorna ao corao. A distensibilidade ventricular. A contratilidade ventricular. A presso artica e a arterial pulmonar. Os dois primeiros determinam a capacidade de enchimento do ventrculo e os outros determinam a capacidade de esvaziamento.
  • Slide 8
  • Sistema Cardiovascular Volume de ejeo com o exerccio: Se eleva em resposta ao exerccio somente entre 40 e 60% da capacidade mx. Em posio ortosttica, ocorre aumento de at 100% em comparao ao repouso. Em posio supina o aumento de apenas 20%.
  • Slide 9
  • Sistema Cardiovascular Lei de Frank-Staling faz referncia a magnitude da distenso ventricular. Em resposta a uma maior quantidade de sangue ejetado para o ventrculo durante fase de distole, maior ser a fora de contrao durante a sstole.
  • Slide 10
  • Sistema Cardiovascular Dbito Cardaco (Q). o produto da FC e o VE. (Q= FC x VE). O (Q) aumenta na mesma proporo que a intensidade do exerccio. Tem a funo de suprir a maior demanda de oxignio pelos msculos.
  • Slide 11
  • Sistema Cardiovascular Alteraes Globais das Funo Cardaca: Uma alterao da FC ou VE, ter um impacto sobre outro componente. Pela ao da gravidade o volume de ejeo reduzido. A FC, neste momento dever acelerar para manter o Dbito Cardaco.
  • Slide 12
  • Sistema Cardiovascular FLUXO SANGUINEO: Os padres de fluxo sanguneo mudam acentuadamente na transio do repouso para o exerccio. Em repouso apenas 15 a 20% do Dbito Cardaco vo para os msculos. Em condies de esforo o fluxo sanguneo direcionado em 80% para os msculos.
  • Slide 13
  • Sistema Cardiovascular PRESSO ARTERIAL: Presso arterial normal repouso 120mmhg/80mmhg. Em indivduos treinados a presso sistlica pode chegar a 240mmhg. Esse aumento resultado do aumento do dbito cardaco que acompanha a taxa de trabalho.
  • Slide 14
  • Sistema Cardiovascular Facilita o processo de liberao. Auxilia a impulsionar o sangue rapidamente atravs do sistema circulatrio.
  • Slide 15
  • Sistema Cardiovascular O SANGUE. Contedo de Oxignio varia de 20ml por 100ml de sangue arterial e 14ml de oxignio por 100ml de sangue venoso em repouso. A diferena arteriovenosa de oxignio aumenta em condies de esforo em quase o mximo.