Senge 38 edio fevereiro 2014 site

  • Published on
    14-Mar-2016

  • View
    212

  • Download
    0

DESCRIPTION

 

Transcript

  • No deixe de anotar o nome do SENGE-GO na Anotao de Responsabilidade Tcnica (ART), no campo Entidade de Classe. uma contribui-o indispensvel para o combate do exerccio ilegal da profisso e uma importante receita para a nossa entidade manter todos os servios pres-tados aos associados. Portanto no esquea de preench-la, lembrando que os profissionais no sindicalizados tambm devem fazer a anotao.

    ART!

    EnTidAdEs sE REuniRAm com o cREA pARA REgulARizAR luTA dA sAnEAgo

    sERvio juRdico sER REAlizAdo Em bEnEfcio dE Todos os filiAdos

    Senge e ASES apresentam proposta ao Conselho para preservar a nomenclatura e cargo de engenheiro que es-tava sendo violado diante das suas atividades e atribuies.

    O Senge est disponibili-zando um novo servio jur-dico onde o trabalhador ter a possibilidade de ver os sal-dos do FGTS corrigidos em at 88%.

    infoRmATivo #Sindicato doS EngEnhEiroS no EStado dE goiS #fEvErEiro 2014acesse: www.senge-go.org.br

    Senge prestigia novo superintendente da CPRM e discute condies de trabalho e benefcios para a categoria

    Senge prestigia novo superintendente da CPRM e discute condies de trabalho e benefcios para a categoriana rEunio, o Sindicato informou aoS colaboradorES da companhia SobrE oS bEnEfcioS da filiao, lutaS trabalhiStaS E colocou-SE diSpoSio dE todoS. pg. 05

    pg. 03 pg. 03

  • Senge em NotciasF

    eve

    reir

    o 2

    01

    4

    #

    ww

    w.s

    en

    ge

    -go

    .org

    .br

    palavra do prESidEntE

    02

    PresidenteGerson tertulianoEng. EletricistaPrimeiro vice-PresidenteJoo Batista tibiriEng. CivilseGundo vice-PresidenteAntnio Augusto soares FrascaGelogoPrimeiro secretriocludio Henrique B. AzevedoEng. EletricistaseGundo secretrioedson melo FilizzolaEng. CivilPrimeiro tesoureiro

    trinio 2013/2016

    rgo de divulgao do Sindicato doS engenheiroS de goiSexpediente

    Circulao gratuita entre os associadosendereo: Av. Portugal n 482Setor Oeste, Goinia-GOtelefones: 3251-8181 / 3251-8967email: senge-go@uol.com.brsite: www.senge-go.org.br

    Todos os artigos e citaes aqui divulgadas so de responsabilidade da Diretoria. As ma-trias assinadas so de responsabilidades dos autores e no correspondem necessariamen-te opinio do Jornal.

    Jos Augusto Lopes dos santosEng. EletricistaseGundo tesoureirocaio Antnio de GusmoEng. CivilsuPLente diretoriAWanderlino t. de carvalhoGelogoJoo dib FilhoEng. EletricistaAna maria de deusEng. Eletricistacarla silva senaEng. Eletricistacato maranho FilhoEng. Civil

    Jos Luiz Barbosa ArajoEng. AgrnomoLuiz carlos carneiro de oliveiraEng. EletricistaconseLHo FiscALeduardo James de moraes/efetivo - Eng. CivilAlexandre vieira moura/efetivoEng. Civileduardo Joaquim de sousa/efetivo - Eng. Civilmarcelo emilio monteiro/suplente - Eng. AgrnomoHarlan Brockes tayer/suplenteEng. Qumicomarcos rogrio nunes/

    suplente - Eng. AgrnomorePresentAntes Junto FneAnnibal Lacerda margon/efetivo - Eng. AgrnomoJoo soares safatle/efetivoEng. Agrnomomarcelo Pontes Pereira/suplente - Eng. CivilAntnio Henrique capuzzo martins/suplente - Eng. CivilProduocaroline santanaJornalista responsvelvincius AlvesProjeto Grfico e DiagramaoGrfica markaImpresso

    gERson TERTuliAnoEngenheiro Eletricista e de Segurana do trabalho e presidente do Senge-go

    No mundo atual, o sis-tema sindical cada vez ganha mais importn-cia na soluo negociada das questes trabalhistas, os mto-dos utilizados para negociao das demandas esto retornan-do a aquilo que era praticado at bem pouco tempo, ou seja, a confrontao de foras at que uma das partes cedesse, e no raras vezes a corda estou-rava sobre os trabalhadores e sindicatos.

    Presenciamos no ltimo ano vrias paralizaes de ca-tegorias de trabalhadores com greves e at ocupao de espa-os pblicos tentando assim forar a negociao com a clas-se poltica e patronal, mas que no lograram xito, pois gover-nos e patres usaram cada vez mais a inflexibilidade e impu-seram suas vontades.

    Os sindicatos tm de buscar novas prticas e mtodos que

    Maio: ms de acordo coletivoconsigam criar as condies para prosperar as relaes do trabalho. Os trabalhadores e os sindicatos no podem ficar pa-rados com o esgotamento deste ciclo, temos que criar condies para continuarmos tendo fer-ramentas para garantir nossas conquistas e uma soluo apa-rentemente simples a organi-zao nos sindicatos e somado a isto, comearmos a ganhar es-paos no mundo das decises.

    Podemos cada vez mais participar da poltica partid-ria, colocando nas instncias le-gislativas, indivduos que sejam nossos parceiros e que nos re-presentem nas questes legais. Nas empresas podemos ocu-par cargos de gerncia at pela questo legal de que cargo de gerncia de engenharia tem de ser ocupados por engenheiros, e atuarmos de maneira proativa em busca de desenvolver am-biente onde cresam nas mes-mas propores, os desejos dos acionistas e dos trabalhadores.

    No ms de maio de cada ano, os trabalhadores e empre-gadores buscam atravs da ne-gociao coletiva acertar aquilo que de interesse de ambas as partes de sorte a assinarem o acordo coletivo da categoria,

    portanto, o sindicato conclama a todas as entidades de enge-nheiros das empresas, Celg, Saneago, da Companhia de Pesquisa e Recursos Minerais (CPRM), da Agncia Goiana da Habitao (AGEHAB), do Con-selho Regional de Engenharia e Agronomia (CREA-GO), das empresas da construo civil, enfim todos para que se re-nam, formalizem sua pauta de reinvindicaes e tragam para nosso SENGE-GO para que de forma unida, a categoria possa encaminhar as propostas e re-alizar as negociaes que pro-porcionem ganhos s partes.

    Para tal o Sindicato dos Engenheiros coloca dispo-sio dos interessados, suas instalaes, seu departamento jurdico e sua estrutura para realizao das assembleias que se fizerem necessrias. Sin-dicato forte aquele no qual seus filiados pensam grande, participam e fazem acontecer, portanto fica nosso convite e nosso apelo pela participao de todos os profissionais de engenharia no sentido de cada vez mais valorizarmos nossa profisso como o exemplo de amizade e organizao dos En-genheiros da Saneago.

  • Senge em Notcias Senge em Notcias

    Fe

    vere

    iro

    20

    14

    #

    w

    ww

    .se

    ng

    e-g

    o.o

    rg.b

    r

    corrEo fgtS

    rEunio crEa-go

    03

    novidadE ir bEnEficiar a todoS oS filiadoS na buSca da rEviSo

    Senge oferece novo servio jurdico para correo de FGTS

    O Sindicato dos Enge-nheiros no Estado de Gois (Senge-Go) est disponibilizando a todos os (as) filiados (as) um novo ser-vio jurdico que ser realizado sob a coordenao do advoga-do do sindicato, Isonel Bruno da Silveira Neto.

    Este novo servio consiste na propositura de aes visando a reviso da correo do saldo do Fundo de Garantia do Tem-po de Servio (FGTS), que por lei, so corrigidos pela Taxa Re-ferencial (TR) mais 3% ao ano, e

    esta taxa, por no ser um indi-cador econmico, no acompa-nhou os ndices de inflao, de-fasando esses saldos fundirios, o que fere a prpria lei do FGTS.

    Todo trabalhador que pos-sua ou tenha possudo saldo de FGTS de 1999 em diante poder entrar na Justia, com possibilidade de ver seu saldo corrigido em at 88%.

    Trata-se de discusso ju-rdica nova, no havendo, pois, nenhuma posio jurdica defi-nitiva por parte dos Tribunais Superiores. Contudo, conside-

    rando que o Supremo Tribunal Federal, em julgado recente, mencionou que a Taxa Refe-rencial no serve como ndice de correo monetria, a pos-sibilidade de xito mostra-se concreta, o que j levou milha-res de trabalhadores a pleitear esses direitos, afirma Isonel.

    Para mais informaes, basta entrar em contato com Aline M. Vieira do Departa-mento Jurdico pelo telefone (62) 3251-8181, das 13h s 17h, ou atravs do e-mail: juridico@senge-go.org.br.

    Extrato (Analtico) da Caixa Econmica Federal a partir de 1999;

    Cpia do RG e CPF; Cpia do comprovante de

    endereo com CEP; Procurao e Contrato

    (que devero ser assinados na sede do Senge-Go);

    Termo de Renncia (que dever ser assinado na sede do Senge-Go).

    os documEnTos nEcEssRios pARA o incio dAs AEs so:

    Senge e ASES se renem com o Presidente do CREA-GOrEprESEntantES daS duaS EntidadES dEmonStraram dEScontEntamEnto quanto ao novo plano dE cargoS, carrEira E rEmunErao da SanEago

    O Senge em conjunto com a Associao dos Engenheiros da Sa-neago (ASES) se reuniram no ltimo dia 29 de janeiro, com o Presidente do Conselho Regio-nal de Engenharia e Agronomia de Gois (CREA-GO), Gerson Taguatinga para resolverem sobre o novo Plano de Car-gos, Carreira e Remunerao (PCCR) da empresa Saneago cuja mudana da denominao do cargo de Engenheiro para Analista de Engenharia viola a Lei N 5.194/66 e Resoluo N 218/73 do CONFEA.

    O Presidente do Senge, Ger-son Tertuliano que acompanha a luta dos servidores na Saneago disse que eles so mais partici-pativos e esto se sentindo pre-judicados por tal ao. Na reu-nio, o vice-presidente da ASES,

    Alberto Adriano Sjobom Jnior explicou toda a situao para Taguatinga que ouviu a mani-festao convocando as presen-as do advogado Divino Tereno Xavier e do Coordenador de Ga-binete, engenheiro civil Cludio Nery Mello para o auxiliarem quanto ao ofcio que foi encami-nhado ao diretor de administra-o da Saneago, Mauro Henri-que Nogueira Barbosa.

    Ns, da ASES temos um espao pequeno e o CREA pode reverter essa situao porque esta medidda abre espao para outros profissionais exercerem a nossa atividade de engenha-ria, relatou Sjobom.

    Tertuliano ainda argumen-tou em defesa dos profissionais que o intuito ali era mostrar o quanto a nomenclatura fere os direitos trabalhistas. Se tira a

    palavra engenheiro, a vai contra a lei. Porque a pessoa se enge-nheira tem que exercer a ativi-dade por tica, argumenta ele.

    Taguatinga se props a en-carar a luta colocando em desta-que o salrio mnimo profissio-nal. Essa medida ir afetar at os concursos pblicos. A Resolu-o N 218/1973 do Confea a que vale respeitando as atribui-es constantes. Na contratao

    tem que receber o salrio min-mo profissional, destacou ele.

    No ofcio feito pelo CREA--GO, Taguatinga cobra ao Di-retor da Saneago uma ateno especial ao caso e que ele seja atendido conforme a proposta solicitada. At o fechamento do Informativo, o Senge foi in-formado da vitria para todos os profissionais cuja funo de engenheiro foi mantida.

    reunio amplia a discusso quanto ao cargo de engenheiro

  • Senge em NotciasF

    eve

    reir

    o 2

    01

    4

    #

    ww

    w.s

    en

    ge

    -go

    .org

    .br

    convnio inbEc

    04

    Senge realiza convnio com INBEC

    O Sindicato dos Enge-nheiros no Estado de Gois (Senge) realizou convnio com o Instituto Bra-sileiro de Educao Continua-da (INBEC) no dia 21 de janei-ro (tera-feira) para descontos nos cursos voltados para o programa de treinamento e desenvolvimento profissional. O objetivo oferecer a todos os filiados graduados ou de for-mao tcnica do sindicato ex-perincias tecnolgicas e par-ticipativas com qualificao, especializao profissional e aperfeioamento.

    Os descontos sero para

    os cursos de especializao e MBA com 25% no valor total de cada curso e para curso de Extenso, Aprimoramento ou Aperfeioamento Profissio-nal ministrados pela entidade com desconto de 15% no valor do curso, com pagamento das mensalidades at o vencimen-to. Atualmente, o INBEC est com as seguintes especializa-es e cursos de extenso: (ta-bela ao lado)

    Mais informaes pelo te-lefone: (62) 4141-1900, atra-vs do e-mail: goiania@inbec.com.br ou pelos nossos canais de comunicao.

    Oramento e Licitaes de Obras de Engenharia - 140 horas - Turma II

    Formao Profissional em Gerenciamento de Projetos - MS Project e Primavera P6 - 80 horas

    Aperfeioamento Profissional em Ar-Condicionado e Ventilao Mecnica - 120 horas

    Aperfeioamento Profissional em Pontes de Concreto (Coordenador: Dr. Roberto Chust) - 120 horas

    EspEciAlizAEs

    ESpao crEa-go advogado do SEngE/cprm

    Senge visita nova rea de convivncia do CREA-GOapS rEforma, colaboradorES ganharam ambiEntE propcio para o bEm-EStar profiSSional

    Em reunio com o Presi-dente do Conselho Re-gional de Engenharia e Agronomia de Gois (CREA--GO), Gerson Taguatinga, no dia 29 de janeiro, o Senge conheceu a nova rea de convivncia para os colaboradores da autarquia que foi inaugurada em dezem-bro do ano passado.

    Esta era uma reivindicao dos colaboradores e atendemos com o objetivo de proporcio-nar conforto e bem-estar a to-dos. Inauguramos na ocasio

    tambm a entrada da sede pelo estacionamento oferecendo co-modidade para quem acessa o Conselho por este lado, princi-palmente em perodos de chu-va, afirmou Taguatinga.

    O Presidente do Senge, Ger-son Tertuliano visitou a rea ob-servando e experimentando os quatro ambientes como a sala de estar, de TV, para refeies com mesas, cadeiras, cozinha con-fortvel e prpria sendo todos climatizados com os seis novos aparelhos de ar condicionado.

    Advogado do Senge orienta colaboradores da CPRMviSita SErviu para tirar aS dvidaS dE quEm far a corrEo do fgtS

    No dia 24 de janeiro (sexta-feira), o ad-vogado trabalhista do Senge, Isonel Bruno da Silveira Neto reuniu-se com engenheiros e gelogos da Companhia de Pesquisa e Recursos Minerais (CPRM) na sala de reunio para ex-plicar sobre o novo servio jurdico oferecido pelo sin-dicato que faz a reviso do Fundo de Garantia do Tem-po de Servio (FGTS).

    As aes do FGTS esto comeando agora e todo tra-balhador que possua ou te-nha possudo saldo de 1999 at os dias atuais poder ver seu saldo corrigido. E o sindicato oferece condies especiais com honorrios de 10% para os associados,

    ressalta Isonel.Aps explicao sobre a

    Taxa Referencial (TR), assis-tncia, homologao, reajuste do imposto, clculo inicial e documentao necessria, os colaboradores seguiram para as perguntas, dvidas e escla-recimentos.

    MBA em Planej. e Controle de Obras - 420 horas

    MBA em Engenharia Metroferroviria - 420 horas

    Especializao em Engenharia de Minerao - 400 horas

    Especializao em Infra. de Transportes - Rodovias - 480 horas - Turma III

    Especializao em Engenharia Diagnstica (Patologia e Percias na Construo Civil - 440 horas - Turma II)

    Especializao em Estruturas Metlicas (Projeto e Detalhes Construtivos - 480 horas - ltimas Vagas)

    mbA/EspEciAlizAEs

  • Senge em Notcias Senge em Notcias

    Fe

    vere

    iro

    20

    14

    #

    w

    ww

    .se

    ng

    e-g

    o.o

    rg.b

    r

    contribuio Sindical

    05

    Engenheiro(a), seja protagonista da sua histria!

    a contribuio Sindical aSSumE um importantE papEl diantE da valorizao doS profiSSionaiS E atividadES dE EngEnharia

    O ano de 2014 um mo-mento onde a Enge-nharia desenvolve seu papel principal diante de even-tos que marcam a histria do seu povo, sustentabilidade e de maneira que todos os profis-sionais sejam valorizados pelas atividades exercidas em prol do crescimento do pas. Para isso importante salientar sobre a contribuio sindical que garan-te melhores condies de vida, de trabalho situando a luta e de-fesa dos engenheiros num pata-mar forte e independente.

    O Senge como entidade re-presentativa da classe dos en-

    genheiros informa que o prazo para pagar a contribuio sindi-cal at o dia 28 de fevereiro no valor de R$203, 40. O pagamen-to deve ser efetuado por todos os (as) engenheiros (as) que execu-tam atividade profissional lem-brando que este valor equivale a um dia de trabalho tomando por base o Salrio Mnimo Pro-fissional (SMP), determinado pela Assembleia Geral Extraor-

    dinria realizada no dia 06 de novembro do ano passado.

    A contribuio sindical obrigatria e deve ser recolhi-da pela entidade sindical que representa sua categoria pro-fissional de acordo com o artigo 578 da Consolidao das Leis do Trabalho (CLT) e a princi-pal fonte de receita do sindica-to. Esses recursos associados a outras receitas que financiam

    os benefcios oferecidos pelas entidades classistas.

    A Guia de Recolhimento da Contribuio Sindical (GRCS) foi enviada pelo Correio para os pro-fissionais cadastrados no Senge--Go, mas ela tambm poder ser impressa via online atravs do endereo eletrnico: http://www.senge-go.org.br/servicos/guia--online/. Por isso, no deixe de atuar em defesa da sua profisso!

    cprm

    Senge prestigianovo superintendente da CPRMSindicato colocou-SE diSpoSio da companhia E dE todoS oS colaboradorES diantE daS miSSES do novo ano

    O presidente do Senge, Gerson Tertuliano juntamente com dois membros da diretoria do sin-dicato, o vice, Joo Batista Ti-biri e o suplente Wanderlino Teixeira de Carvalho reuniram--se no dia 28 de janeiro, com o Superintendente Regional de Goinia da Companhia de Pesquisa de Recursos Minerais (CPRM), Luiz Fernando Maga-lhes para felicit-lo pela nova posio assumida.

    O pessoal ficou muito sa-tisfeito com a sua colocao e diante de qualquer demanda,

    o sindicato fica disposio de todos os colaboradores. Obri-gado pela recepo fantstica, destacou Tertuliano.

    No encontro foram dis-cutidos assuntos como os be-nefcios que o Senge oferece, relacionamento com as enge-nharias minoritrias, estreita-mento de relaes e unio da categoria em defesa dos inte-resses dos engenheiros.

    Magalhes agradeceu a presena e apoio de todos dan-do destaque ao trabalho desen-volvido. Queremos assumir nesta reunio o compromisso

    de visitar o sindicato como ponto de negociao e fortale-cimento da categoria. O Senge muito importante na discusso da CPRM, afirmou ele.

    Aps o encontro, o presiden-te do Senge reuniu-se com os

    colaboradores para falar sobre o sindicato convidando a todos para conhecer a sede, reforan-do que ele de todos para que lutem pelas suas reivindicaes.

    leia mais sobre a reunio no nosso site: http://www.senge-go.org.br/

    reunio amplia a discusso quanto ao cargo de engenheiro

  • Senge em NotciasF

    eve

    reir

    o 2

    01

    4

    #

    ww

    w.s

    en

    ge

    -go

    .org

    .br

    artigo

    06

    Podemos afirmar que nos ltimos oito anos, os profissionais das Enge-nharias tiveram uma valoriza-o no mercado de trabalho. O cenrio favorvel em decor-rncia do crescimento de 85% na oferta de vagas. Acredita-mos que o Brasil no corre ris-co de um apago de mo de obra de engenharia, conside-rando o crescimento do PIB em 3% e o nmero de vagas oferta-das para os prximos anos.

    O que nos preocupa a fal-ta de interesse dos profissionais capacitados em ocupar cargos tcnicos no servio pblico, principalmente nas prefeituras levando em considerao que os salrios esto bastante aviltados.

    A presena deste profissio-nal na administrao pblica significa o desenvolvimento de tecnologias visando a otimi-zao dos projetos e servios a serem oferecidos popula-o. Salientamos tambm que a maioria dos projetos e obras executadas pelas prefeituras so terceirizados, fazendo-se necessrio que o acompanha-mento e a fiscalizao dessas atividades sejam feitas por um

    profissional habilitado do Sis-tema Confea/Crea.

    Sempre acompanhamos nos jornais, aes dos Tribunais de Contas imputando dbitos a gestores e paralisando obras su-perfaturadas, reflexo da falta de acompanhamento dessas obras por profissionais habilitados.

    Portanto, faz-se necess-rio maior conscientizao dos nossos administradores muni-cipais, uma vez que a contra-tao de um engenheiro com a remunerao do piso salarial, em torno de R$ 6.000,00, no significa uma despesa a mais, e sim mais segurana, qualidade e economia.

    O trabalho das engenha-rias representa hoje em torno de 80% do PIB, sendo assim, condio sine qua non a pre-sena destes profissionais nos municpios, para que possamos promover o desenvolvimento sustentvel, com maior riqueza e melhor distribuio de renda.

    Sou a favor que o gover-no lance um programa Brasil Mais Engenheiro, mas no im-portando profissionais, e sim, oferecendo recursos para que as prefeituras possam contra-

    tar profissionais com salrios iguais aos dos mdicos.

    O profissional da en-genharia precisa ter um novo perfil para atender esta demanda. A forma-o tecnolgica dever vir acompanhada com a de pessoas, produtivi-dade e ambiental. O merca-do de trabalho est aquecido para este tipo de profissional, havendo, porm, escassez em determinadas reas.

    Neste cenrio, a Caixa de Assistncia dos Profissionais do CREA-GO MTUA-GO, possui linha de crdito com ju-ros subsidiados para financiar a ps-graduao e, para 2014, vamos fazer parceria com o Sindicato dos Engenheiros, no sentido de oferecer aos seus associados seminrios e cur-sos subsidiados de atualizao profissional.

    A MTUA-GO possui no seu quadro de associados 1.245 profissionais como scios con-tribuintes, que pagam uma anuidade de R$ 130,00 e tm direito aos emprstimos e aos benefcios sociais (seguro de morte e auxlio funerrio).

    A Valorizao da Engenharia

    fRAncisco AlmEidAdirEtor gEral da caixa dE aSSiStncia doS profiSSionaiS do crEa-go - mtua

    Podero ser associados, tambm, todos os filiados do sindicato que quiserem ter acesso aos outros benefcios (Previdncia) e convnios (cinemas, posto de gasolina, restaurantes, hotis e outros) fazendo seu cadastro pelo site da Mtua, como scio institu-cional, totalmente sem nus.

    A parceria da MTUA e o Senge contribuem para a valo-rizao profissional, no sentido da conscientizao da impor-tncia da ART, que o instru-mento que garante a participa-o do profissional em obras e servios da engenharia e agro-nomia, oferecendo assim segu-rana, qualidade e economia na execuo dos mesmos.

    Atendimento Odontolgico (local: Sede do Sindicato) Adultos atendimento s quintas-feiras, mediante agendamento prvio com idlia pelo telefone: (62) 3251-8181

    crianas e adolescentes de 0 a 17 (preveno odontolgica) atendimento todos os dias, mediante agendamento prvio com idlia pelo telefone: (62) 3251-8181

    Assistncia Jurdica Trabalhista e Previdenciria (local: Sede do Sindicato)

    marcar horrio antecipadamente pelo telefone: (62) 3251-8181 Convnios com desconto Especialidades odontolgicas, mdicos, clnicas, terapia cognitiva comportamental e laboratrios Plano de Sade Unimed oferecemos plano de sade da unimed com condies exclusivas para os sindicalizados e seus dependentes. informe-se: (62) 3251-8181

    os atendimentos sero realizados com tabela prpria

    S e r v i o S o f e r e c i d o S p e l o S e n g e

  • Senge em Notcias Senge em Notcias

    Fe

    vere

    iro

    20

    14

    #

    w

    ww

    .se

    ng

    e-g

    o.o

    rg.b

    r

    07

    a anotao dE rESponSabilidadE tcnica (art) um inStrumEnto dE dEfESa quE dEfinE oS rESponSvEiS lEgaiS E a qualidadE doS SErvioS prEStadoS

    O Senge refora o es-clarecimento do Conselho Regional de Engenharia e Agronomia (CREA-GO) sobre a legalida-de da cobrana da Anotao de Responsabilidade Tcnica (ART) divulgado pela asses-soria jurdica do Conselho. O reforo para o entendimento sobre a cobrana de ART in-formar sobre a importncia da

    atividade atribuda ao Conse-lho conforme estabelece a Lei N 6.496/77, a qual institui a ART na realizao de obras e prestao de servios de enge-nharia e agronomia.

    De acordo com o CREA, cumprir a sua atividade fiscali-zadora como autarquia federal atende-se a uma demanda da populao, garante a seguran-a por meio da fiscalizao e

    a ART serve como instrumen-to de defesa, um carimbo de compromisso do profissional pelas atividades prestadas. E para o profissional, o registro garante os direitos autorais, formalizao do acervo tcni-co, comprova a existncia de um contrato, garante o direito remunerao como compro-vante de prestao de servio e o limite das responsabilidades.

    Todas as informaes deste esclarecimento faz parte de um informativo enviado aos pro-fissionais da rea tecnolgica a respeito da legitimidade da cobrana da ART em relao uma matria publicada num jornal impresso de Goinia com o ttulo Engenheiros isen-tos de taxa esclarecendo assim que a reportagem cita um caso isolado e suposto processo.

    Para conferir, acesse: http://migre.me/hOX4S

    art

    EntrEviSta / thiago donzElli

    AGEA explica sobre segmento de alimentos neste incio de anovicE-prESidEntE da aSSociao convErSou com o SEngE SobrE aSSuntoS ligadoS EngEnharia dE alimEntoS

    Os primeiros meses do ano para o segmen-to de alimentos so pautados por renovaes, im-plantaes, ajustes, inspees e monitoramentos onde alguns documentos so obtidos e re-novados, sendo um deles o al-var sanitrio. Com o objetivo de esclarecer algumas dvidas sobre isso, o Senge conversou com o Vice-Presidente da As-sociao Goiana de Engenhei-ros de Alimentos (AGEA), en-genheiro de alimentos Thiago Donzelli, o qual abordou as-suntos como responsabilidade tcnica na produo de ali-mentos e outros que envolvem a Engenharia de Alimentos.

    Donzelli disse que uma assessoria empresarial de ali-mentos envolve fatores onde

    necessrio um conhecimento profundo do processo industrial, da legislao envolvendo a ma-nufatura, controle de qualidade vigente, questes higinicas e sanitrias, projetos, assuntos re-gulatrios. Para ser responsvel tcnico e assessorar empresas o

    engenheiro de alimentos deve ter toda habilidade e competn-cia para suprir a empresa tecni-camente em diversos quesitos.

    Alm de tudo isso, o enge-nheiro de alimentos consul-tor direto do empreendimento realizando a interface com os

    rgos regulamentadores, esta-belecendo e implantando pro-gramas especficos e criando atribuies tcnicas para o bom andamento do negcio, melho-rando continuamente a cadeia de alimentao informa ele.

    Um dos destaques das atri-buies o desenvolvimento do Manual de Boas Prticas de Fabricao (BPF) que de acor-do com a Agncia Nacional de Vigilncia Sanitria (Anvisa) um documento que deve re-tratar a realidade de empresa, com um conjunto de medidas que devem ser adotadas pelas indstrias de alimentos a fim de garantir a qualidade sanit-ria e os regulamentos tcnicos.

    leia a entrevista na ntegra e saiba mais sobre este assunto no nosso site: http://www.senge-go.org.br

    O engenheiro de alimentos consultor

    direto do empreendimento

    Senge contribui com esclarecimento do CREA sobre ART

  • Senge em Notcias

    visiTE o siTE dA fEdERAo

    www.fne.org.br

    maioria da populao, com valorizao do salrio mni-mo, combate rotatividade no emprego e, essencial, uma poltica macroeconmica que incentive a produo, e no o rentismo, e que implique juros mais baixos. Ainda no pacote, o pleito de 10% do Produto In-terno Bruto (PIB) para a edu-cao, 10% do Oramento da Unio para a sade, transporte pblico de qualidade, demo-cratizao dos meios de comu-nicao e aprovao do marco civil da internet.

    Organizada pelas centrais, a mobilizao deve ter o apoio das organizaes sindicais como um todo e tambm dos movimentos sociais, tendo em vista a relevncia da pauta de reivindicaes que ser leva-da s ruas. Neste ano, em que

    Mantendo a unidade de ao dos traba-lhadores conquista-da nos ltimos anos e consa-grada na conferncia nacional realizada no Estdio do Paca-embu em 2010, est previs-ta para 9 de abril a primeira grande manifestao sindical deste ano. No ato, que aconte-cer em So Paulo, o objetivo fortalecer a luta em prol de bandeiras histricas, como re-duo da jornada de trabalho para 40 horas semanais sem diminuio dos salrios, fim do fator previdencirio e con-tra o Projeto de Lei 4.330 que amplia absurdamente as pos-sibilidades de terceirizao, inclusive para atividades-fim.

    A ideia tambm propor uma agenda socioeconmi-ca que seja do interesse da

    muRilo cElso dE cAmpos pinhEiRo

    A necessriamobilizao sindical

    haver a realizao da Copa do Mundo no Brasil e tambm eleies para deputados esta-duais e federais, senadores, governadores e presidente da Repblica, preciso que haja avanos reais que beneficiem a populao.

    A luta pelo crescimento econmico, com distribuio de renda e sustentabilida-de, que garanta condies de vida adequadas a todos, assim como a ampliao de direitos bsicos aos cidados, precisa tornar-se prioridade da socie-dade, de parlamentares e go-vernantes. Houve certamen-te avanos nesse sentido nos ltimos anos, mas a situao ainda deixa muito a desejar, sendo inaceitvel em muitos casos. Moradia, transporte, sade, educao, segurana e

    emprego decente so o mni-mo que precisa ser oferecido ao povo brasileiro. E temos to-dos que lutar por isso.

    A Federao Nacional dos Engenheiros (FNE), juntamen-te com seus sindicatos filiados nas cinco regies do Brasil, apoia as bandeiras do movi-mento sindical e participar ativamente dessa luta. Tam-bm, dando sequncia ao proje-to Cresce Brasil + Engenharia + Desenvolvimento, a entida-de j trabalha na elaborao de propostas a serem entregues aos candidatos que disputam as eleies em 2014. A ideia discutir os problemas do Pas e oferecer solues factveis para melhorar a vida de todos.

    murilo cElSo dE campoS pinhEiropREsidEnTE dA fnE

    fnE