Revista Stand | Edio 16

  • Published on
    13-Mar-2016

  • View
    217

  • Download
    4

DESCRIPTION

Uma publicao do Creci-RJ 1 Regio

Transcript

  • Stand 2

  • Stand 3

    Palavra do Presidente

    Chegamos ao final de mais um ano de trabalho e no h como negar: o momento ideal para fazermos uma reflexo e um balano do trabalho realizado, bus-cando aprender com os acertos e os erros ao longo de mais uma jornada, alm de definir o planejamento para o prximo ano.

    Para ns, da direo do Creci-RJ, motivo de imensa satisfao constatar que conclumos todas as propostas contidas no Plano de Gesto para o tri-nio 2010/2012, faltando ainda mais de um ano para o trmino do mandato.

    Com o lanamento dos Classificados on-line, con-clumos todas as aes programadas para nossa gesto. Escolhemos os Classificados, inclusive, como a matria de capa desta edio da Revista Stand, a ltima de 2011, onde mostramos cada etapa de implantao desse im-portante projeto, ouvindo tambm a opinio dos corre-tores de imveis que j utilizam essa moderna ferramen-ta, uma antiga reivindicao da categoria no estado do Rio, que agora transformamos em realidade.

    Certamente, 2012 ser um ano muito especial para os corretores de imveis de todo o Brasil. Afinal, sero comemorados os 50 anos de regulamentao de nossa profisso, o Jubileu de Ouro, uma data his-

    trica para todos os profissionais da intermediao imobiliria em nosso pas.

    Ano que vem, vamos dar continuidade a todos nos-sos projetos e implantar novas aes, proporcionar no-vas conquistas para os corretores de imveis do estado. Vamos celebrar, no Cinquentenrio da Profisso, o cres-cimento, o fortalecimento e o amadurecimento de nossa categoria. Conclamamos todos os (as) companheiros (as) para participarem dos eventos comemorativos essa data histrica.

    A categoria tem obtido muitas conquistas nos l-timos anos. Vamos nos unir ainda mais em 2012, por um Creci forte e uma categoria forte.

    Sempre com o objetivo maior de valorizar os cor-retores de imveis e defender a sociedade.

    Que a luz divina ilumine a todos. Um Natal de Amor e Paz e um Ano Novo repleto de realizaes e alegrias para todos.

    Abrao fraterno!

    Casimiro Vale da silVaPresidente Creci-RJ

    ClassifiCados on-line: o sonho se

    torna realidade

  • Stand 4

    exPedienteCONSELHO REGIONAL DE CORRETORES DE IMVEIS

    CRECI 1 REGIO-RJ - (GESTO 2010-2012)

    DIRETORIAPresidente: Casimiro Vale da Silva; 1 vice-presidente: Edecio Nogueira Cordeiro; 2 vice-presidente: Gilberto Cordeiro; Diretora 1 secretria: Marly da Silveira Ferreira; Diretora 2 secretria: Fatima Santoro; Diretor 1 tesoureiro: Camilo Abicalil; Diretor 2 tesoureiro: Sergio Eduardo Mendes

    CONSELHO FISCALEfetivos - Damio Vaz, Fernando Manhes e Ulisses das Neves MoreiraSuplentes - Lucia Peres, Rubem Vasconcelos e Jos Fernando Werneck Schuster (in memoriam)

    REpRESENTANTES JuNTO AO COFECI Efetivos - Casimiro Vale e Edecio Nogueira CordeiroSuplentes - Egydio Andrezza dos Santos e Marlei Feliciano

    CONSELHEIROS EFETIVOSAna Luiza Gomes Anderson; Bruno Cardoso de Serpa Pinto; Camilo Eduardo Abicalil; Casimiro Vale da Silva; Damio Vaz; Darlan Cezar Simes Pinheiro; Delair Dumbrosck Mello; Edecio Nogueira Cordeiro; Egydio Andreza dos Santos; Fatima C. Santoro Gerstenberger; Fernando Manhes Soares; Gilberto Cordeiro; Jonas de Carvalho; Jorge Murillo de Oliveira; Jos Joaquim Tomas Pereira; Lucia Maria Peres; Manoel Teixeira Silva Filho; Marlei Feliciano; Marly da Silveira Ferreira; Roberto Guedes de Souza; Rubem Vasconcelos; Sergio Eduardo Ferreira Mendes; Silvestre Francisco de Sousa; Ulisses das Neves Moreira; Waldyr Candido da Silva; Zaldo Natzuka Junior

    CONSELHEIROS SupLENTESAnderson Martins; Andr Felipe Monteiro Pires do Couto; Antonio Baptista Correia Moreira; Aristhotelis Ribeiro da Silva; Eduardo Silverio; Elzimar Vieira Dias; Fernando Fernandes; Francisco Borges Espindola Junior; Frederico Frana Morgado Ferreira Mendes; Isabel Cristina da Silva Teixeira; Isnard Neves Neto; Jabes de Abreu Fossati; Joo Carlos de Miranda Pinto; Laudimiro de Souza Cavalcanti; Luiz Alberto Queiroz Conceio; Luiz Carlos Chaves Lavor; Luiz Guimares de Azevedo; Luiz Robert do Carmo; Mounir

    Issa Nehme; Otto Guilherme Gerstenberger Junior; Paulo Liberman; Ricardo Ferro Pedretti; Rogerio Ferreira Calainho; Telma Sueli Jos Teixeira; Vera Lcia Coelho Rosas; Vilma Magdalena Reis Marques

    DIRETORES DE ApOIO (ADJuNTOS)Diretor de Avulsos: Anderson Martins; Diretor de Assuntos Sindicais: Antonio Baptista Correia Moreira; Diretor de Lanamentos: Ariovaldo da Silva Rocha Filho; Diretor de Patrimnio: Aristhoteles Ribeiro da Silva; Diretor de Locao: Carlos Samuel de Oliveira Freitas; Diretor Integrao das Del. Regionais: Frederico Frana M. F. Mendes; Diretora de Convnios: Isabel Cristina da Silva Teixeira; Diretor Institucional: Jonas de Carvalho; Diretor de Desenv. Estratgico: Jorge Teixeira de Oliveira; Diretor de Esportes: Luiz Carlos Chaves Lavor; Diretora Cultural: Telma Sueli Jos Teixeira; Diretora Social: Vilma Magdalena Reis Marques; Diretor de Condomnio: Wilson Ferreira; e Diretor Socioambiental: Pedro Joaquim da Veiga.

    StandVECuLO OFICIAL DO CRECI 1 REGIO/RJ

    Av. Presidente Vargas, 417-20 andar - Centro, Rio de Janeiro-RJCep: 20.071-003 - Telefax: (21) 3514-1800

    E-mail: imprensa@creci-rj.gov.br / Portal: www.creci-rj.gov.br

    EDITOR: AGOSTINhO DE CARVALhO MOREIRA REG. PROF. MTb/RJ 15.346ASSESSOR DE MARKETING: ALVARO RAMOS OUVIDORA / RELAES PBLICAS: MRCIA CRISTINA - ABO 2247 / Conrerp 3477REPRTERES: CAIO CASCARDO - REG. PROF. MTb/RJ 32.122 E DIEGO NOGUEIRA SETOR GRFICO: RONAN CONDE - CARLOS OBERDAN - GABRIELA REBELOSECRETARIA DE REDAO: RICARDO FERRAZ - EVERALDO JUNIOR - ALINE FREITAS - MICHELLE ARRUDA (Estagiria)CONTATO COMERCIAL: LUZIA CSSIA ILuSTRAES: hEROTURKO.COM | SXC.hU | GFXTRA.COM TIRAGEM: 38.000 EXEMPLARES | DISTRIBUIO GRATUITA

    sumrio

    3 - PALAVRA DO PRESIDENTEClassificados on-line: o sonho se torna realidade

    5-7 - MERCADOContratos imobilirios

    8-9 - POR DENTRO DO CRECI-RJNovos profissionais

    10-11 - ACONTECEUDia do Corretor em Nova FriburgoPalestras de Aperfeioamento ProfissionalProjeto Mesa Redonda

    12-14 - LOCAOVero, a estao da locao por temporada

    15 - ATUALIDADESNota de esclarecimento Veja Rio16-18 -CAPAClassificados on-line19 - ESPAO COFECIConselho Federal recbe premiao nos EUA20-21 - CORRETAGEM NA PRTICADivulgao dos imveis22 - ATUALIDADESAnuidade 2012 Frias coletivas23 - SERVIOSTabagismo: motivao e esforo pessoal para tratamento

    24 - POR DENTRO DA LEGISLAOProjeto de Lei 5593/09

    Projeto de Lei 670/11Lei Municipal 5324/11

    25 - INFORMESCreci-RJ debate fechamento das varandas

    26 - ONDA VERDE Energia Solar: fonte de energia limpa e renovvel

    27 - ATUALIDADESEvento Paraty Posse no Per

    28 - FISCALIZAOVisitas dos fiscais

    29 - CONVNIOS / OUVIDORIA

    30 - PERGUNTE AOCRECI-RJ

    Stand 4

  • Stand 5

    merCado

    Promessa de Compra e Venda, Escritura de Compra e Venda, Locao e Prestao de Servios com Exclusividade

    Contratos

    Na intermediao imobiliria, para realizar uma boa negociao, tanto corretores de imveis quanto clientes precisam tomar algumas medidas preven-tivas. Entre elas, talvez a mais importante, est a assinatura de contratos que visem o cumprimento das obrigaes de todas as partes envolvidas.

    Os contratos mais presentes no cotidiano de trabalho dos corretores de imveis so promessa de compra e venda, escritura de compra e venda, prestao de servios com exclusividade e locao de imveis. Todos eles so fundamentais para as diversas tarefas da corretagem, pois do segurana e credibilidade no momento das operaes imobi-lirias.

    Segundo Carlos Bastos, professor universitrio e especialista em direito imobilirio, os contratos fazem parte da profisso do corretor de imveis e devem ser observados pelo profissional na assessoria ao cliente:

    - Com o desenvolvimento do mercado imobili-rio, a sociedade tem visto que imprescindvel a

    assessoria do corretor de imveis. Quando envol-vem contratos especficos, este profissional tem o conhecimento necessrio para dar respaldo ao cliente.

    O contrato de prestao de servios com ex-clusividade pode ser considerado como um instru-mento importante na transao imobiliria, pois um documento em que se estabelece a relao entre corretor de imveis e proprietrio. Alm de garantir a remunerao do corretor em caso de compra, venda ou permuta, o contrato protege o proprietrio com profissionais habilitados e uma correta avaliao do imvel (Ver quadro 1).

    - A prestao de servios com exclusividade essencial no desenvolvimento da negociao imo-biliria. extremamente necessrio que o corretor de imveis coloque nesse contrato a remunerao que deve receber, pois assim ter garantia real, em caso de sucesso na transao, do pagamento des-taca Bastos.

    A escritura de compra e venda, por sua im-

    imoBilirios

  • Stand 6

    portncia econmica, um dos contratos mais frequentes e de maior mrito social. nela que o vendedor transfere determinada propriedade, re-cebendo em contrapartida certa soma de dinheiro. Para a realizao do contrato, trs elementos so essenciais: o objeto da venda, o preo e o consenso das partes quanto ao negcio a ser realizado. No caso de o objeto ser um imvel, necessrio que o contrato seja feito por escritura pblica registrada em cartrio (Veja quadro 2).

    Para Ari Travassos, corretor de imveis, escritor e ps-graduado em direito imobilirio, indispen-svel que num contrato de compra e venda estejam descritas clusulas que transfiram a propriedade.

    - Na escritura de compra e venda deve cons-tar que o vendedor transmite para o comprador o domnio (propriedade), o direito (direito de defender que dono), a ao (possibilidade de acionar na Justia, em defesa de seus interesses) e a posse defende Ari.

    J no contrato de promessa de compra e venda existem condies a serem cumpridas (geralmente, prestaes a serem quitadas), obrigando propriet-rio e comprador a celebrarem a escritura definitiva

    de compra e venda no momento em que todas as condies do negcio forem cumpridas.

    Outro contrato que de suma importncia para o corretor de imveis o de locao. Este um documen-to onde o locatrio e o locador estabelecem condies para o uso de certo imvel mediante o pagamento de aluguel. necessrio ter ateno, pois neste contrato preciso incluir: a identificao do locador, locatrio e do fiador, se houver; descrio do imvel; valor do aluguel; ndice de reajuste; vencimento do contrato; forma de pagamento; multas por atraso; garantias dadas pelo lo-catrio e um auto de vistoria descrevendo as condies do imvel, para que ele seja entregue da mesma forma.

    - Um contrato de locao bem redigido, bem feito, transmite proteo a ambas as partes, ficando protegidas em seus direitos e obrigaes. Isso faz com que os corretores que intermedeiam aquela locao, tenham a sua prestao de servio segura e garantida finaliza Travassos.

    Assim, estabelecendo as clusulas necessrias em cada contrato e observando caso a caso, corretores de imveis podem garantir o sucesso de uma ne-gociao, que satisfar tanto o prprio profissional como seu cliente.

    - Identificao das partes contratantes: importante deixar claro quem o contratante e quem o corretor de imveis contratado. Colocar os dados das partes, como RG, CPF, nmero do Creci, estado civil e endereo.

    - Objeto do contrato: o corretor deve explicitar qual o objeto do contrato, nesse caso, a prestao de servios de corretagem imobiliria com exclusividade.

    - Imvel: a situao do imvel em que o corretor ir trabalhar (se possui ou no nus e dvidas que possam inviabilizar a transao).

    - Dever do contratante: o contratante se compromete a no vender o imvel enquanto a responsa-bilidade da venda estiver com o corretor contratado. E, se porventura, a venda ocorrer, o corretor de imveis ter direito ao pagamento da comisso contratada.

    - Prestao de servio: o corretor se compromete a realizar o trabalho de forma criteriosa e com a m-xima honestidade, garantindo esforo na promoo da venda do imvel.

    - Comisso: convenciona-se nessa clusula a comisso que incidir sobre a venda e como ocorrer o pagamento da mesma, se no recebimento do sinal ou no ato do pagamento vista.

    - Valor: refere-se ao valor cobrado pelo imvel e as formas de pagamento, se vista ou parcelado, e em quais condies.

    Quadro 1 Contrato de Prestao de servios com exclusividadePrincipais itens que devem constar de um contrato de prestao de servio com exclusividade:

    MERCADO

  • Stand 7

    - Qualificao das partes: identifica quem so o comprador e o vendedor, com dados como nome, na-cionalidade, estado civil, profisso, RG, CPF ou CNPJ e endereo. Se, porventura, forem casados, colocar os dados dos respectivos cnjuges.

    - Finalidade do contrato: deixa claro o objetivo do contrato, a comercializao de imvel que est em posse do vendedor. Colocar os dados do imvel, como endereo e matrcula no cartrio de registro de imveis.

    - Preo e forma de pagamento: estabelece o preo certo e ajustado da venda, declarando o vendedor ter recebido o valor de sinal e princpio de pagamento ou o valor total vista. Alm disso, institui a forma de pagamento que se seguir.

    - Posse do imvel: o vendedor transmite ao comprador a posse do imvel, representada pela entrega das chaves.

    Quadro 2 escritura de Compra e venda Principais itens que devem constar de uma escritura de compra e venda:

    O contrato deve ser datado e assinado e, caso o vendedor seja casado em comunho de bens, seu cn-juge deve assin-lo tambm. Uma cpia entregue ao comprador, que deve registr-la no cartrio de im-veis da regio.

    As despesas com a transferncia da propriedade fi-cam em torno de 5% do valor do imvel, entre elas des-tacam-se lavratura da escritura feita pelo tabelio de no-tas, imposto sobre transmisso de bens imveis (ITBI) e emolumentos do cartrio de registro de imveis.

    MERCADO

  • Stand 8

    A cada ano, o mercado imobilirio tem registrado um au-mento significativo no nmero de novos profissionais corretores de imveis. Isso porque, com os investimentos do governo fede-ral em programas de desenvolvimento habitacional e a facilidade do crdito para financiamento, o setor tem experimentado alta valorizao e forte aquecimento. Somente em 2011, at o ms de novembro, houve o ingresso de mais de 4.500 novos corretores de imveis e 242 empresas imobilirias no mercado.

    Com a forte procura, o Creci-RJ tem a preocupao de, nas solenidades de entregas de carteiras, informar a respeito das di-versas aes do Conselho, alm de orientar sobre requerimentos administrativos que os profissionais podem solicitar instituio.

    Corretora atuante no cotidiano do Creci-RJ, a diretora secre-tria da instituio, Marly Ferreira, mostra o quanto importante para os novos corretores receberem esse tipo de orientao logo na chegada profisso:

    - fundamental que o novo profissional tenha essas informa-es assim que recebe sua carteira. certo que l na frente ele vai precisar. E o Creci-RJ dando essa direo para quem chega, se faz presente ao lado do corretor.

    Abaixo, o Creci-RJ destaca as principais informaes que so dirigidas aos novos profissionais.

    Carto Anual de Regularidade ProfissionalO Carto Anual de Regularidade Profissional (Carp) um

    documento emitido anualmente pelo Creci-RJ, vlido somente para o ano vigente, que, alm de mostrar que o profissional est devidamente inscrito, identifica que ele est regular com suas obrigaes junto ao Conselho. Aps o pagamento da anuidade,

    POR DENTRO DO CRECI-RJ

    informaes valiosaspara os novos profissionaisCreci-RJ orienta corretores de imveisnas cerimnias de entrega de carteiras

    o corretor de imveis est habilitado a receber seu carto, que ser encaminhado pelo Creci-RJ no seu endereo de correspon-dncia.

    Segundo Marly Ferreira, o Carp um instrumento de segu-rana para a sociedade:

    - Se a pessoa est comprando um imvel e quer saber se aque-le profissional inscrito no Conselho e est em dia com suas obri-gaes, basta pedir a apresentao do Carp.

    Inscrio provisriaA inscrio provisria quando o requerente d entrada em

    sua inscrio no Creci, apresentando a certido de concluso do curso de TTI ou de Gesto de Negcios Imobilirios. O reque-rente pode receber sua carteira profissional e seu Carp, porm a cdula de identidade s lhe ser concedida aps a apresentao do diploma e da publicao no Dirio Oficial, com 180 dias para esses procedimentos, prorrogveis pelo mesmo perodo, caso haja necessidade. Aps esse prazo, no apresentando o diploma e a publicao no D.O, ele ser considerado irregular e poder ter sua inscrio cancelada.

    TransfernciaA transferncia o processo onde o corretor de imveis

    transfere sua inscrio do Creci-RJ para o Creci do estado onde ele ir se estabelecer. Nesse caso, o profissional seria contribuinte somente no Conselho para onde pediu a transferncia. O corre-tor de imveis deve se dirigir ao Conselho, preencher requeri-mento, cumprir o expediente e aguardar a tramitao do proces-so. importante ressaltar que o corretor de imveis s desvincula do Creci de origem aps a transferncia concluda.

    Inscrio secundriaRequerendo uma inscrio secundria, o corretor ficar

    com sua inscrio no Creci-RJ ativa e uma outra inscrio no Creci do estado desejado. Ressaltando que este corretor ser contribuinte nos dois Conselhos. O profissional deve preen-cher requerimento no Conselho de origem e cumprir o expe-diente. O prazo para que esse processo seja efetivado gira em torno de 30 dias.

    Exerccio eventualO corretor inscrito no Creci-RJ, que pretende conhecer o

    mercado ou efetivar uma negociao imobiliria em outro estado, dever dirigir-se ao Conselho e comunicar que exercer a ativida-de citada, em carter temporrio. Para solicitar o exerccio even-tual, que poder ter durao de at quatro meses, o profissional deve se dirigir ao Creci de origem, preencher requerimento e cumprir o expediente.

    Diretora 1 secretria do Creci-RJ,

    Marly Ferreira

  • Stand 9

    Pedido de BaixaPara o profissional que no desejar mais atuar como corretor

    de imveis, a orientao que faa o pedido de baixa, atravs do qual sua inscrio ser desativada. Nesse procedimento, o corre-tor de imveis deve se dirigir ao Conselho, preencher requeri-mento, cumprir o expediente e devolver todos os documentos, como carteira profissional, cdula de identidade e o Carp.

    Seguindo a mesma diretriz, Camilo Abicalil, diretor tesou-reiro do Creci-RJ, faz alertas a respeito das obrigaes adquiridas pelos novos corretores junto ao Conselho:

    - muito importante que eles entendam como funciona a re-lao do profissional com o Creci-RJ. Assuntos como o pagamen-to de anuidades, o voto nas eleies e as atividades da fiscalizao so fundamentais para o conhecimento do Conselho.

    O Creci-RJ trabalha com campanhas institucionais perante a sociedade, valorizando a profisso e mostrando a importncia do corretor de imveis, porm, segundo Abicalil, esse trabalho s ter frutos se toda a categoria pautar seus negcios com tica, profissionalismo e responsabilidade.

    - O zelo pela tica nas transaes imobilirias fundamental para que a categoria continue a ganhar mais espao e respeito pe-rante a sociedade. A profisso tem alcanado grande destaque no mercado e se tornado uma opo de carreira profissional. Alm disso, o Creci-RJ tem feito forte investimento em qualificao e aperfeioamento atravs de cursos, palestras e treinamentos para os corretores de imveis analisa Camilo Abicalil.

    Durante as solenidades de entrega de carteiras, a diretoria do Creci-RJ

    transmite informaes essenciais para quem inicia na profisso

    Foto

    : Cre

    ci-R

    J

    Nmero do CreciO corretor de imveis no deve, em momento algum,

    emprestar ou permitir que o nmero do seu Creci seja usado por outrem, pois o mesmo pessoal e intransfervel. Caso isso venha a ocorrer, o profissional deve acionar a fiscaliza-o do Creci-RJ.

    Anuidade e eleioO pagamento da anuidade ao Conselho Regional cons-

    titui condio para o exerccio da profisso de corretor de imveis e seu vencimento sempre ser o ltimo dia til do primeiro trimestre de cada ano. Aps esse prazo, o corre-tor ser considerado devedor e se sujeitar multa fixada pelo Conselho Federal de Corretores de Imveis (Cofeci). importante que o profissional fique atento aos prazos, pois h descontos para quem realiza o pagamento antes do vencimento.

    As eleies no Creci-RJ ocorrem a cada trinio e o voto obrigatrio para todos os corretores de imveis inscritos e ativos. Para votar, o corretor deve estar em dia com suas obrigaes junto ao Conselho. O corretor que no votar, sem a devida justificativa, estar sujeito multa. Todo o pro-cesso eleitoral normatizado por resoluo do Cofeci.

    FiscalizaoNa rea da fiscalizao destaca-se o convnio entre o

    Creci-RJ e o Ministrio Pblico, que contribuiu para coibir o exerccio ilegal da profisso. Essa parceira respalda as ativi-dades da fiscalizao, pois a ltima instncia o MP, que gera um processo criminal contra o infrator.

    Segundo Abicalil, esse convnio uma atitude firme do Conselho em defesa da sociedade e da categoria. Para ele, o Creci-RJ tem trabalhado com afinco e determina-o contra o exerccio ilegal, o que vem valorizar ainda mais a profisso.

    Para os novos profissionais, dada a orientao que, se forem autuados, apresentem a defesa e acompanhem o pro-cesso at o final da deciso. Alm disso, que no contribuam com o exerccio ilegal. Camilo Abicalil faz alertas sobre as atitudes a serem tomadas nesse caso:

    - O corretor de imveis no deve em momento algum colaborar com o exerccio ilegal, como no favorecimento a porteiros, sndicos, captadores ou na colocao de prepostos para visitas de imveis. fundamental que os profissionais colaborem com o Conselho, fazendo denncias onde haja a prtica ilegal da profisso.

    Diretor 1 tesoureiro do Creci-RJ,

    Camilo Abicalil

  • Stand 10

    aConteCeu

    Stand 10

    emoo marCa evento dodia do Corretor de imveis em

    nova friBurgo

    Em clima festivo e comovente, a delegacia do Conselho Regional de Corretores de Imveis (Creci-RJ) em Nova Friburgo promoveu no dia 1 de novembro jantar de confraternizao para celebrar o 49 Aniversrio de Regulamentao Profissional. O encontro, que reuniu cerca de 150 pessoas, foi realizado na Commemori Buffet e Festas.

    Estiveram presentes no encontro o presidente do Creci-RJ, Casimi-ro Vale, o vice-presidente, Edecio Cordeiro, o diretor 1 tesoureiro e ide-alizador do evento, Camilo Abicalil, diretoras secretrias Marly Ferreira e Fatima Santoro, diretor 2 tesoureiro Sergio Mendes, representantes do Creci-RJ no municpio, Simone Serra Vieira, Semio Pecly, Luciana Ruiz e Ricardo Pedretti, autoridades municipais, cartrios, agncias da Caixa Econmica Federal, entre outros parceiros dos corretores de imveis.

    Na abertura, foi exibido vdeo com uma apresentao de Camilo Abicalil, em que relata as principais aes do Creci-RJ na atual gesto e a atuao do Conselho em Nova Friburgo no processo de reconstruo do municpio aps a tragdia no comeo do ano: Unio, solidariedade e responsabilidade profissional no faltaram aos corretores de imveis nesse momento. Depois, o diretor tesoureiro abriu oficialmente o evento, dando as boas vindas e agradecendo a todos pela presena.

    Em seguida, o editor da Revista Suma Econmica, Alexis Cavec-chini, apresentou a palestra Perspectivas da Regio Serrana, em que destacou a posio estratgica de Nova Friburgo e o crescimento do mercado imobilirio brasileiro.

    Ao final da palestra, Camilo destacou as aes do Creci-RJ nos setores de Comunicao e Marketing, como o portal, os Classificados on-line, a TV Creci-RJ e a Revista Stand, alm da instalao da Biblio-teca Central e das minibibliotecas nas delegacias regionais:

    - notrio o crescimento da profisso, um amadurecimento, um vencer de desafios. Quero destacar o foco dessa gesto, que o corretor de imveis. O Conselho est atuante e inserido na rea digital.

    um trabalho de todo o grupo em prol de melhorias para a categoria.Em seu pronunciamento, Casimiro Vale destacou a superao da

    cidade pelo difcil momento vivido no incio do ano:- Quero cumprimentar a todos e dizer a satisfao em estar mais

    uma vez na cidade de Nova Friburgo. Quero parabenizar a atuao da representao do Conselho nos momentos difceis vividos pelo municpio. Temos certeza que Friburgo ser sempre uma cidade de destaque do Rio de Janeiro, pela posio estratgica do municpio. um dos melhores lugares para se viver.

    Na sequncia da programao, foram conduzidas homenagens surpresas ao presidente do Creci-RJ, Casimiro Vale, e ao diretor tesou-reiro, Camilo Abicalil, pelos relevantes servios prestados categoria. No momento mais emocionante da confraternizao, foram entregues duas belas placas aos homenageados.

    O evento contou com msica ao vivo, que animou ainda mais os participantes.

    Na tarde que antecedeu o evento tambm foram realizadas uma reunio de diretoria e uma sesso plenria, que contou com a parti-cipao dos conselheiros do Creci-RJ.

    Comemoraes em outras delegaciasEm continuidade s confraternizaes do Dia Nacional do Cor-

    retor de Imveis, o Conselho realizou outros eventos nas delegacias regionais.

    Abaixo, as datas e os locais dos encontros:5/10 Araruama14/10 Rio das Ostras28/10 Maric14/11 Terespolis19/11 - Valena

    Momento da homenagem a Casimiro ValeCamilo Abicalil recebe homenagem da diretoria do Creci-RJ

    Foto

    s: Cr

    eci-R

    J

  • Stand 11

    Em prosseguimento ao programa de educao continu-ada, o Conselho Regional de Corretores de Imveis (Creci--RJ) promoveu, no ltimo trimestre, mais 10 edies do projeto Creci Cultural, duas edies dos Cursos de Aprimo-ramento Profissional e uma do Treinamento para Corretores de Imveis. Os encontros reuniram, ao todo, cerca de 900 profissionais da intermediao imobiliria.

    Nos encontros foram abordados temas relevantes para a categoria: Lanamentos e Empreendimentos Imobilirios, Avaliao de Imveis, Corretagem Preventiva, tica Profis-sional e Redes Sociais, entre outros.

    Acompanhe abaixo as datas e os locais dos encontros:

    Creci Cultural5/10 Araruama14/10 Rio das Ostras

    1/11 Nova Friburgo4/11 Cabo Frio7/11 Maca18/11 Paraty21/11 Nova Iguau23/11 Campo Grande28/11 Itaperuna14/12 So Gonalo

    Cursos de Aprimoramento Profissional25/10, 29/11 Sede do Creci-RJ

    Treinamento para Corretores de Imveis9/12 - Niteri

    Palestras de aPerfeioamento Profissional

    O Conselho Regional de Corretores de Imveis (Creci-RJ) desen-volveu o projeto Mesa Redonda com o objetivo de proporcionar uma aproximao maior entre os profissionais da intermediao imobiliria e a entidade. Com isso, o Conselho busca identificar quais as principais demandas da categoria em cada regio, ouvindo as reivindicaes e su-gestes dos profissionais.

    As sete primeiras edies foram realizadas nas delegacias regionais do Conselho na Barra da Tijuca, Recreio dos Bandeirantes, Paraty, Mi-guel Pereira, Belford Roxo, Bangu e Campo Grande e contaram com a participao dos profissionais locais.

    Nos primeiros encontros, atuaram como mediadores da Mesa o conselheiro do Creci-RJ, Egydio Andreza, a assessora jurdica do Con-selho, Vera Senra, o assessor executivo, Luiz Duarte, o coordenador da fiscalizao, Willian Jacintho, o coordenador do projeto Despachante Imobilirio, Edemar de Barros, e o coordenador das mdias digitais, Carlos Oberdan. Os delegados do Creci-RJ em suas respectivas regies tambm estiveram presentes.

    Foram abordados temas como convnio do Creci-RJ com o Mi-nistrio Pblico, direito imobilirio, atuao da fiscalizao, documen-tao, entre outros assuntos que contriburam para que os corretores de imveis pudessem conhecer melhor o Conselho e se atualizar nos principais assuntos referentes ao mercado imobilirio.

    Os profissionais da intermediao imobiliria presentes participa-

    ram intensamente dos debates durante os eventos. - Buscamos ouvir os corretores de imveis e detectamos uma par-

    ticularidade: cada lugar tem problemas, dvidas e sugestes diferentes. Procuramos traz-las para o Conselho na tentativa de atender os pro-fissionais explicou o assessor executivo do Creci-RJ, Luiz Duarte.

    Em 2012, o Creci-RJ estender o projeto para outras delegacias regionais.

    CRECI-RJ lANAProjeto mesa redonda

    O diretor de lanamentos do Creci-RJ, Ariovaldo Filho, durante palestra na sede do Conselho

    Projeto Mesa Redonda no Recreio do Bandeirantes

    Foto

    s: Cr

    eci-R

    J

  • Stand 12

    loCao

    Vem chegando o vero e, com ele, o clima festivo das comemoraes de final de ano e das frias escola-res. o momento mais propcio para reunir a famlia e os amigos e realizar aquela viagem to planejada du-rante o ano. Por tudo isso, as locaes por temporada aumentam substancialmente em algumas regies do estado do Rio de Janeiro, que nessa poca recebem uma enxurrada de turistas vindos de todas as partes do Brasil e exterior. Dentre os destinos mais procurados, destacam-se as cidades das Regies dos Lagos, Serrana e Costa Verde e, no municpio do Rio, a Zona Sul e a Barra da Tijuca.

    Segundo a RioTur, s no vero de 2009/2010, a cidade carioca teve a visita de quase 2,5 milhes de turistas. A expectativa para 2010/2011 de que esse nmero chegue aos trs milhes, dos quais 30% so estrangeiros. Alm da beleza natural e do clima agra-dvel caracterstico do estado fluminense, o rveillon e o carnaval sempre badalados so os principais atrativos para quem busca descontrao e diverso.

    A Barra da Tijuca, por exemplo, recebe turistas de todos os cantos do Brasil e do mundo, e apesar de no ter forte tradio em locao por temporada, tem no-tado um aumento na demanda para esse tipo de alu-guel. Para o delegado do Creci-RJ na Barra da Tijuca, Laudimiro Cavalcanti, aps o Rock in Rio e a forte divulgao do bairro por causa dos Jogos Olmpicos,

    a procura pelo local tem crescido. Ele destaca que so pessoas interessadas nas praias, no clima quente e, principalmente, na atmosfera serena da regio.

    - No Rock in Rio, 15 dias antes do evento, j no havia mais imveis disposio para locao. As Olim-padas tm colocado o bairro em destaque, visto que a maioria dos jogos se dar aqui. Os clientes tm pro-curado apartamentos pequenos de dois quartos, apart--hotis e, at mesmo, hotis residncias. Os itens que mais se destacam nessa procura so proximidade com as praias, segurana e opes de lazer.

    Na Zonal Sul, os bairros mais procurados so Co-pacabana, Leblon e Ipanema. Turistas vindos da Bahia, Rio Grande do Sul e Santa Catatina so a maioria e um grande nmero de europeus e americanos tambm marca presena. Rodeada de praias, shoppings centers e casas noturnas, a procura por imveis na regio cres-ce tanto que a demanda para locao supera a oferta de imveis disponveis. O tempo de estadia tem variado de sete a quinze dias e apartamentos de sala e quarto so os mais solicitados.

    Regio dos Lagos no topo da lista

    Apesar da badalao na capital, muitos turistas pre-ferem viajar pelo litoral e apreciar praias mais calmas. Sempre entre as preferidas est a Regio dos Lagos,

    VERO,

    Auge do segmento no ano, vero aquece negcios para os corretores

    Estao da locao por temporada

  • Stand 13

    onde se localizam as cidades de Cabo Frio, Rio das Ostras e Bzios. Quem opta por es-ses destinos so famlias que saem, principal-mente, de estados como Minas Gerais e So Paulo, e de outros municpios do Rio, mais precisamente da Baixada Fluminense.

    Em Cabo frio, h uma vantagem para o recebi-mento de turistas. As condies de acesso foram am-pliadas, com o aeroporto da cidade fazendo voos de passageiros para outras cidades, como Belo Horizon-te e So Paulo. As Praias do Forte e do Per so as mais procuradas. Os imveis mais buscados so casas e apartamentos, com trs quartos ou mais. Alm disso, o tempo de estadia tem sido maior do que nos ltimos anos, cerca de 15 a 30 dias.

    Em Rio das Ostras, a procura pelo artesanato da regio tambm grande. Muitos vm de fora para comprar as obras feitas pelas mos dos artesos da cidade. Segundo o delegado do Creci-RJ em Rio das Ostras, Marcelo Teles, a regio tem conseguido man-ter a tradio de aliar diverso e cultura:

    - As praias da Costa Azul e do Centro so grandes chamarizes, mas tambm h a questo cultural, como a feira de artesanato que sempre abre nos fins de se-mana. O tempo de estadia na cidade tem variado de sete a dez dias, e os turistas de outros estados so, na maioria, de Braslia, Minas Gerais e So Paulo, mas a maior fatia vem mesmo do turismo domstico, que so moradores do prprio estado do Rio.

    Vila de pescadores que, na dcada de 60, encan-tou a atriz Brigitte Bardot e transformou-se em um sofisticado balnerio, Bzios uma das cidades mais procuradas na Regio dos Lagos por turistas de classe mdia alta da Zona Sul do Rio e Barra da Tijuca, alm de mineiros e paulistas. Os imveis mais buscados so os de frente para praia, com trs ou mais quartos.

    Belssimas praias, como Gerib, Ferradura e Joo Fernandes, e a atividade gastronmica na Rua das Pe-dras e no Porto da Barra so itens que se destacam na agenda do visitante em Bzios. O tempo de estadia fica em torno de uma semana e a demanda tem sido

    suficiente para manter, pelo menos, 90% dos imveis locados no vero.

    Costa Verde outra opo

    Mas h quem prefira tomar um outro rumo e ir em direo s praias do litoral sul fluminense, na Costa Verde. Lugar de belezas mpares, a regio composta por cidades paradisacas, como Angra dos Reis e Para-ty. Bastante procuradas durante o ano, no vero que o nmero de visitantes cresce exponencialmente.

    Para Pricles Jnior, delegado do Creci-RJ em An-gra dos Reis, a presena macia de turistas vindos da Baixada Fluminense destaque nos ltimos anos:

    - Angra dos Reis sempre recebe gente de diversas partes do Brasil o ano inteiro, mas nos ltimos veres, com a ascenso social que a Baixada Fluminense tem experimentado, municpios como Nova Iguau e Du-que de Caxias marcam presena com um grande n-mero de famlias.

    Ainda segundo Pricles, os imveis mais procura-dos em Angra so apartamentos de dois e trs quartos dentro de condomnios fechados. Itens como lazer e segurana esto em destaque na lista de preferncia dos turistas. O tempo de estadia fica em torno de cin-co a dez dias e as ofertas de imveis tm sido equiva-lentes procura.

    J em Paraty, h uma predominncia paulista. Cer-ca de 50% dos turistas que visitam o municpio so de cidades do estado vizinho. Alm disso, muitos es-trangeiros tm visto na cidade um local de repouso e entretenimento. Para Luiz Ribeiro, delegado do Cre-ci-RJ em Paraty, as atraes que a cidade oferece vo alm das praias:

    - Quem vem a Paraty, com certeza vem em

    Muito procurada por turistas de classe mdia alta, Bzios uma excelente

    opo na Regio dos Lagos

  • Stand 14

    loCao

    busca de sol e praia, mas quando chega na cida-de encontra um plo gastronmico de qualidade e um centro arquitetnico que remonta ao perodo colonial. Na verdade, o conjunto que torna Pa-raty inesquecvel.

    Segundo Ribeiro, os imveis mais procurados so casas de dois quartos, a mdia de estadia na cidade de uma semana e a disponibilidade de imveis para loca-o tem sido suficiente para a demanda no vero.

    Regio Serrana: sossego como atrativo

    Na Regio Serrana, entre os destinos mais pro-curados esto Terespolis e Petrpolis. Geralmente oriundos da capital do Rio, Baixada Fluminense e at de outros estados do pas, os turistas procuram as ci-dades serranas principalmente pela sensao de paz e tranquilidade que elas proporcionam.

    Em Terespolis, de acordo com o delegado do Cre-ci-RJ no municpio, Ceil de Feitas, 60% dos turis-tas que buscam o munic-pio vm da cidade do Rio de Janeiro, mas tambm

    existe uma grande procura de clien-tes da Regio dos Lagos:

    - Recebemos uma intensa de-manda da Regio dos Lagos que, nessa poca do ano, tem o interesse por uma cidade mais tranquila para passar o final do ano e as frias.

    Ainda segundo Ceil, os im-veis mais procurados so os localizados em condo-mnios, com trs ou quatro quartos, com tempo mdio de estadia de 7 a 30 dias. A procura por unidades de temporada grande no vero e a ofer-ta bastante ampla.

    J em Petrpolis, os turistas vm da capital e de outros estados, principalmente para visitao da cida-de imperial. No entanto, o delegado do Creci-RJ no municpio, Eduardo Silvrio, destaca outros tipos de turismo existentes na Regio Serrana:

    - Alm do turismo histrico, com interessados em visitar os museus e a catedral, temos o turismo co-mercial da Rua Teresa e o turismo ecolgico, com as trilhas e os passeios nas serras da cidade.

    Em Petrpolis, o tempo de estadia varia entre 15 e 30 dias e os imveis mais procurados so de dois ou trs quartos. A procura pelos imveis por temporada no municpio maior que a oferta de unidades.

    Alm de belas praias, Paraty se destaca pelo patrimnio histrico

    e gastronomia de qualidade

    Petrpolis tem atraes diversas: roteiro histrico, plo txtil

    e turismo ecolgico

  • Stand 15

    Como rgo fiscalizador da profisso, o Conselho Regional de Corretores de Imveis (Creci-RJ) vem, por meio desta, trazer esclarecimentos importantes a respeito da matria Agenda que vale ouro, publicada na pgina 17 da Revista Veja Rio, edio do dia 9 de novembro. O texto afirma que a Sra. Joana Lowndes Furtado corretora de imveis, que atua no seg-mento de casas e apartamentos de alto luxo na cidade.

    Ao saber da notcia, a presidncia do Creci-RJ de-terminou a verificao do registro profissional da Sra. Joana junto a este conselho, que confirmou a NO EXISTNCIA da referida inscrio em nosso cadastro.

    Esclarecemos que o artigo 3 da Lei 6.530/1978, que regulamenta a profisso de corretor de imveis em nosso pas, torna obrigatrio o registro do profissional no conselho regional de seu respectivo estado e que compete somente ao corretor de imveis exercer a in-termediao na compra, venda, permuta e locao de imveis.

    Portanto, a personagem citada na matria est pra-ticando o exerccio ilegal da profisso. O Creci-RJ re-comenda Sra. Joana Lowndes Furtado que regularize o quanto antes sua situao profissional junto ao Con-selho para que possa, efetivamente, exercer as ativida-des da intermediao imobiliria.

    Acreditamos que a revista tenha sido induzida ao erro. Com o objetivo de evitar casos semelhantes no futuro, sugerimos que, em todas as matrias que en-volvam supostos corretores de imveis, seja conferida junto ao Creci-RJ a informao da inscrio profissio-nal, antes da publicao das mesmas.

    Por fim, de acordo com os termos da Lei de Impren-sa n 5.250, de 09/02/67 (Captulo IV Do Direito de Resposta - Artigos 29 e 30), solicitamos a publica-o na Revista Veja Rio de uma nota de esclarecimento populao, destacando as seguintes informaes:

    Joana Lowndes Furtado no corretora de im-veis no Estado do Rio de Janeiro. O Creci-RJ combate o exerccio ilegal da profisso atravs de aes per-manentes de fiscalizao, buscando sempre a tica e a seriedade na atividade profissional de corretor de imveis.

    Agradecemos, desde j, a ateno desse importante veculo de comunicao nossa solicitao.

    Atenciosamente,

    CASIMIRO VALE DA SILVAPRESIDENTE CRECI-RJ

    nota de esClareCimento

    REVISTA VEJA RIO

    Nota de esclarecimento do Creci-RJ veiculada

    na Veja Rio

    Nota da Redao: O Creci-RJ aproveita a oportu-nidade para agradecer Revista Veja Rio, na pessoa do diretor de redao, Maurcio Lima, pela veiculao da nota de esclarecimento do Conselho na edio do dia 14/12/11. O Creci-RJ est sempre atento e firme nas atitudes a cada caso de exerccio ilegal da profisso. O Conselho j est tomando as medidas cabveis quanto situao relatada na Veja Rio.

  • Stand 16

    CaPa

    Stand 16

    Em um ms, Classificados on-line recebem grande nmero de acessos

    Anncios grtis e em quantidade ilimitada para os corretores de imveis

    No ar oficialmente desde o dia 1 de novembro, os Classificados on-line do Conselho Regional de Cor-retores de Imveis (Creci-RJ) representam uma po-derosa ferramenta de divulgao para os profissionais da intermediao imobiliria e de gerenciamento de suas carteiras de imveis.

    O portal imobilirio do Conselho proporciona fcil localizao dos anncios, ampla carteira de im-veis, sistema de tratamento de fotos e moderna ferra-menta de atendimento, entre outros recursos.

    Para o presidente do Creci-RJ, Casimiro Vale, os Classificados on-line so de grande valia para os cor-retores de imveis:

    - uma imensa conquista para a categoria. Os corretores podem anunciar num portal de extrema credibilidade, sem nenhum custo.

    A implantao do portal imobilirio foi iniciada em abril com a assinatura do convnio com a em-

    presa Microsistec, desenvolvedora do novo servio. Estiveram presentes na assinatura do contrato o pre-sidente do Creci-RJ, Casimiro Vale, o vice-presidente do Conselho, Edecio Cordeiro e o representante da conveniada, Johan Klauss Morais.

    Aps o desenvolvimento da pgina, no ms de agosto ocorreu o pr-lanamento do portal imobili-rio durante a confraternizao do Dia Nacional do Corretor de Imveis, com a apresentao da estrutu-ra e dos servios dos Classificados on-line aos profis-sionais presentes no evento.

    Em setembro e outubro, ocorreu a fase de tes-tes, com os ajustes necessrios para disponibilizao completa dos servios do portal imobilirio para os corretores de imveis e a sociedade.

    Ainda no perodo de testes, foram realizados dois treinamentos na sede do Creci-RJ. O primei-ro, para conselheiros e delegados do Creci-RJ, e o

    2.500visitas

  • Stand 17

    CaPa

    segundo, para assessores, funcionrios e agentes de fiscalizao do Conselho. Os encontros, que conta-ram com a apresentao de Johan Klauss, tiveram como objetivo mostrar o funcionamento da nova iniciativa do Creci-RJ.

    O gerente de projetos da Microsistec, Marlon Ruiz, comenta as vantagens do novo servio tanto para os corretores de imveis quanto para a sociedade:

    - O profissional pode, dentro do painel do cor-retor, visualizar a quantidade de visitas que recebeu em seus imveis, o nmero de visualizaes de seus contatos e tambm o nmero de mensagens enviadas. Do outro lado, a sociedade encontrar em um nico lugar uma grande variedade de imveis ofertados. Opes de busca por regies, filtros mltiplos por cidades e bairros deixam a pesquisa fcil e intuitiva.

    Para 2012, com a consolidao do portal imobili-rio, o Creci-RJ desenvolver campanhas promocio-nais para ampla divulgao do servio sociedade, em todos os tipos de mdia.

    Tambm no ano que vem, sero desenvolvidos treinamentos para os profissionais da intermediao imobiliria nas delegacias regionais do Conselho, para que sejam esclarecidas quaisquer dvidas so-bre o funcionamento do portal. Outra medida a ser adotada o atendimento on-line para os corretores de imveis.

    Os Classificados on-line do Creci-RJ esto dispo-nveis na pgina www.crecimoveisrj.com.br.

    Com a implantao do novo servio, a Adminis-trao 2010-2012 cumpre uma de suas principais metas de campanha.

    Resultados significativos

    Apesar do pouco tempo no ar, os Classificados on--line do Creci-RJ j atingem resultados expressivos. At o incio de dezembro, o portal imobilirio j ha-via recebido mais de 2.500 visitas. Ao todo, mais de 660 imveis esto cadastrados no sistema e mais de 300 corretores de imveis j so usurios do novo servio do Creci-RJ.

    Para Casimiro Vale, os nmeros alcanados de-monstram a importncia do projeto:

    - Mesmo com o pouco tempo disponvel, o portal imobilirio do Conselho j acumula timos resulta-dos. Com a ampla divulgao que ser realizada, te-mos a certeza que mais profissionais iro aderir. Ser o portal mais visitado do mercado.

    Luiz Alberto Figueira, 22 anos, at o comeo de dezembro, era o corretor com o maior nmero de imveis publicados no portal imobilirio, com 19 unidades cadastradas. Ele aprovou a ao do Conselho:

    Johan Klauss, Casimiro Vale e Edecio Cordeiro na assinatura do contrato para implantao

    dos Classificados on-line

    Foto: Creci-RJ

  • Stand 18

    - A iniciativa do Creci-RJ foi excelente. Hoje, no mercado de vendas, a divulgao on-line a que traz mais resultados. Est mais do que aprovado o novo projeto do Conselho.

    Wadir Farah, 68 anos, um dos primeiros corre-tores de imveis a se cadastrar e um dos profissio-nais que mais anunciaram nos Classificados on-line, compartilha da mesma opinio. Para o profissional, o lanamento do portal imobilirio uma iniciativa indita que vem agregar credibilidade ao trabalho do corretor de imveis e trazer categoria uma impor-tante ferramenta de trabalho:

    - Os profissionais devem fazer deste veculo o mais usado na divulgao de imveis. uma ferramenta absolutamente valiosssima e que todos ns, correto-res, devemos prestigiar ao mximo e trabalhar na sua propagao. O portal imobilirio do Creci-RJ deve ser considerado o instrumento oficial de trabalho do corretor de imveis.

    Ainda segundo Farah, a fase inicial fundamental para que detalhes sejam acertados e que mais servi-os sejam reunidos no portal:

    - Os Classificados on-line do Conselho tm po-tencial para se tornar um dos mais acessados do Bra-sil. Com os corretores de imveis contribuindo com sugestes, as arestas so aparadas e mais servios so colocados disposio da categoria.

    Tambm um dos primeiros a se cadastrar, o cor-retor de imveis Silvio Mota parabenizou o Creci-RJ pela deciso de criar uma ferramenta de grande utili-dade para a categoria. Segundo ele, o grande benef-cio dos Classificados on-line o fato de ser gratuito:

    - A ideia de disponibilizar um portal imobilirio para os corretores maravilhosa. Atravs dele, um canal oficial com a chancela do Creci-RJ ser mais fcil para que os profissionais trabalhem com a ex-clusividade. Ns, corretores de imveis, ganhamos mais confiana da sociedade. Alm disso, o fato de ser gratuito importante, principalmente em com-parao com os altos custos de publicidade gastos na divulgao de imveis.

    Com uma ferramenta prtica como os Classificados on-line, corretores de imveis e sociedade podero re-alizar negcios com segurana e credibilidade.

    esquerda, pgina inicial dos Classificados on-line. Abaixo, pgina de cadastramento

    dos imveis no portal

  • Stand 19

    esPao CofeCi

    O Sistema Cofeci-Creci (Conselho Federal e Con-selhos Regionais de Corretores de Imveis) recebeu o maior prmio concedido ao mercado imobilirio mundial nos Estados Unidos. A entidade foi agraciada com o Global Outreach Award (ou Prmio Global de Divulgao), em reconhecimento aos esforos que vem empreendendo para a internacionalizao das re-laes imobilirias no Brasil. O rgo disputou a pre-miao com outros 80 pases.

    - Acreditamos que, neste processo de ascenso eco-nmica do Brasil, o momento de abrirmos as portas internacionais para o corretor de imveis brasileiro - declarou o presidente do Cofeci, Joo Teodoro da Silva, ao saber da premiao. Ele foi representado, nos Estados Unidos, pelo diretor da entidade e presidente do Creci-SE, Srgio Sobral.

    A premiao foi concedida pela NAR (National Association of Realtors), a entidade profissional dos corretores de imveis nos Estados Unidos, duran-te o maior encontro imobilirio do mundo, a Con-

    CofeCi reCeBe Prmio NOS ESTADOS UNIDOS

    veno Anual da NAR. A edio 2011 aconteceu em Anaheim, na Califrnia, entre 11 e 14 de novembro, com a presena de 19 mil participantes, entre norte--americanos e estrangeiros. Havia 46 delegaes es-trangeiras. A brasileira foi formada pelas entidades do Sistema Cofeci-Creci, Secovi-SP (Sindicato da Habi-tao), Fenaci (Federao Nacional dos Corretores de Imveis), e Creci-RJ, que foi representado pelo con-selheiro Zaldo Natzuka.

    Parcerias internacionais

    Nos ltimos anos, o Sistema Cofeci-Creci vem se dedicando a formalizar parcerias internacionais com entidades imobilirias representativas de pases e blo-cos econmicos. Alm de difundir a legislao bra-sileira, atuando preventivamente na fiscalizao da regularidade da profisso, essas parcerias tm aberto portas para que o profissional e as empresas brasileiras tenham interlocutores em diversos pases, para a rea-lizao de parcerias comerciais.

    - Hoje, o corretor de imveis brasilei-ro tem anfitries oficiais em diversos pa-ses. Alm de apresentar nossos produtos l fora, pode levar clientes daqui para, em parceria, realizar negcios no exterior - explica o presidente do Cofeci.

    Entre as instituies com as quais o Cofeci tem parceria esto a NAR, Ci-mlop (pases de lngua portuguesa), Icrea (bloco que representa diversos pa-ses), Apemip (Portugal), Cimech (Mer-cosul), entre outras.

    Parte da Comitiva do Cofeci na cerimnia realizada nos Estados Unidos

    Foto: Divulgao Cofeci

  • Stand 20

    Em continuidade seo Corretagem na Prtica, nesta edio sero abordados os canais de divulga-o do imvel e sua importncia para o objetivo fi-nal que a concretizao do negcio imobilirio. Se o profissional deseja negociar um imvel no menor tempo possvel, necessrio buscar as diferentes formas de divulgao da unidade, que, se usadas de maneira correta, podem representar benefcios no curto prazo. Como destaca o diretor de Marketing da Redimob, Leonardo Stuepp:

    - muito importante o corretor buscar a mxi-ma exposio de seus anncios. Aes isoladas no apresentam o mesmo efeito que aes integradas de divulgao. Esta mxima exposio facilita o acesso a quem procura o imvel e amplia as possibilidades de negcios para quem anuncia.

    O assessor de marketing do Creci-RJ, lvaro Ramos, comenta a importncia de uma boa divul-gao do imvel:

    - Assim como em outros mercados de produtos e servios, o mercado imobilirio tambm constitu-

    do por pessoas, e pessoas querem ter felicidade, ale-grias e vantagens. Sendo assim, todos os clientes pre-tendem satisfazer seus interesses em relao a uma ou vrias necessidades. Cabe ao corretor definir, na sua argumentao e nos textos dos seus anncios, in-dependente da mdia utilizada, quais so os pontos fortes que iro interferir no processo de escolha e dar cores mais suaves nos pontos menos relevantes.

    Abaixo, as principais ferramentas de divulgao do imvel:

    - Mdia on-line

    Recente pesquisa realizada pelo Google mos-tra que a Internet a principal fonte de busca por quem est interessado em adquirir um imvel. A web oferece excelentes alternativas de divulgao do imvel para os profissionais da intermediao imobiliria:.

    . Use as Redes Sociais, como Facebook, Twitter

    ImPORTANTES FERRAmENTAS DE DIVUlGAO

    do imvel

  • Stand 21

    CORRETAGEm NA PRTICA

    e Orkut, para difundir a negociao do imvel e para aumentar o nmero de visitantes do seu ann-cio. Cada vez maior o nmero de pessoas que uti-lizam as redes para procurar unidades.

    . Crie um site com a descrio dos seus servios, os tipos de imveis e a regio onde atua. No deixe de detalhar as caractersticas do imvel. Faa tam-bm uma ampla divulgao do portal para que os interessados possam acess-lo.

    . Envie sua rede de contatos ou interessados em adquirir imveis um e-mail marketing contendo as principais informaes sobre o imvel em negociao.

    Leonardo Stuepp comenta o que no pode faltar numa boa divulgao do imvel na Internet:

    - Dentro do anncio em si fundamental apre-sentar imagens de qualidade, que retratem o imvel de forma adequada e informaes completas sobre o mesmo, a fim de servir de fator decisrio a quem consulta. Informaes sobre localizao, aspectos da regio e vantagens do investimento tambm so pontos importantes para quem consulta.

    - Classificados jornais impressos

    Ao anunciar nos Classificados de jornais impres-sos, o profissional deve descrever com objetividade as caractersticas do imvel para atrair a ateno do possvel cliente, devido ao pouco espao disponvel para publicao. Essa alternativa traz custo ao profis-sional, mas possui grande alcance. sempre impres-cindvel a citao do nmero do Creci-RJ do profis-sional no anncio, para transmitir credibilidade.

    - Placas

    As placas colocadas nos imveis ainda repre-sentam uma importante ferramenta de divulgao pelo constante deslocamento de pessoas no local da unidade, que, ao se interessarem pelo imvel, po-dem entrar em contato direto com o profissional da intermediao imobiliria. Mas necessrio que o corretor de imveis fique atento para no cometer irregularidades.

    Em 2007, o Conselho Federal de Corretores de Imveis publicou a Resoluo 1.065, que padroniza

    as propagandas em nvel nacional. Entre as normas institudas, o veto do uso pblico de nome de fan-tasia pela pessoa fsica. Para conhecer o contedo da Resoluo na ntegra, acesse a pgina www.co-feci.gov.br/portal/arquivos/legislacao/2007/resolu-cao1065_2007.pdf.

    lvaro Ramos lista ainda os princpios bsicos para formulao de anncios:

    . Ao consumidor, no importa porque o anunciante quer vender o imvel, interessa-lhe apenas os benefcios que ele ter.

    . No pense nos consumidores como massa, pense no consumidor tpico que ser atrado e usar sua mercadoria.

    . Use de empatia, coloque-se no lugar do consumidor.

    . A funo do anncio persuadir o consu-midor atravs da demonstrao dos benefcios do produto.

    . O ttulo, ou a chamada, deve selecionar as pessoas a quem interessar, ele deve sintetizar a mensagem do anncio.

  • Stand 22

    Visando proporcionar amplas condies de pagamen-to das anuidades, o Conselho Regional de Corretores de Imveis (Creci-RJ) manteve o percentual mximo de des-contos, para pagamentos efetuados de maneira antecipada, permitido pelo Conselho Federal de Corretores de Imveis (Cofeci). Para 2012, o valor da anuidade do Conselho para pessoa fsica de R$ 446.

    A data de vencimento para pagamento integral da anui-dade 2012 31 de maro. A partir de abril, a anuidade tem os valores alterados por correo monetria.

    Comunicamos que o Conselho Regional de Corretores de Imveis (Creci-RJ) no funcionar do dia 19 de dezembro de 2011 a 8 de janeiro de 2012 devido a frias coletivas para seu quadro de pessoal. A deciso vlida para todas as dependncias da instituio no Estado do Rio de Janeiro (sede e delegacias regionais). O Conselho retomar suas atividades na segunda-feira, 9 de janeiro.

    A direo do Creci-RJ esclarece que a medida no prejudicar os atendimentos anteriores ao perodo acima e todos os prazos administrativos sero respeitados. Para os casos mais urgentes, a direo sugere que as pessoas interessadas antecipem o contato com o Conselho antes do incio das frias coletivas.

    Lembramos que o atendimento na sede do Creci-RJ e nas delegacias regionais feito de segunda a sexta--feira, das 9h s 18h, para formalizao de acordos, pedidos de inscrio, denncias e demais servios.

    O Creci-RJ coloca o seu quadro de funcionrios inteira disposio dos corretores de imveis e do p-blico em geral para quaisquer esclarecimentos. Mais informaes pelo portal www.creci-rj.gov.br.

    Contamos, desde j, com a colaborao e compreenso de todos.

    Atenciosamente,CASIMIRO VALE DA SILVA

    PRESIDENTE CRECI-RJ

    CreCi-rj mANTm DESCONTOS PARA PAGAmENTO DA

    A Lei Federal 10.795, promulgada em 5 de dezembro de 2003, regulamenta os valores de contribuio dos cor-retores de imveis. Portanto, a nova Lei 12.514, publicada em 2011, que trata das contribuies devidas aos conselhos profissionais e limita o valor da anuidade, no se aplica ao Creci-RJ.

    condio essencial para exercer a profisso estar em dia com as obrigaes junto ao Conselho.

    COmUNICADO CRECI-RJ

    frias Coletivas

    anuidade 2012

    atualidades

    Descontos para pessoas fsicas

    Parcelamento para pessoas fsicas e jurdicas

    10%

    6%

    3%

    5 parcelas

    4 parcelas

    3 parcelas

    pagamentos at o dia 15 de janeiro

    pagamentos at o dia 15 de fevereiro

    pagamentos at o dia 15 de maro

    primeiro pagamento realizado em janeiro

    primeiro pagamento realizado em fevereiro

    primeiro pagamento realizado em maro

  • Stand 23

    e domina o ser humano por completo. A luta foi grande. O estmulo para que os fumantes deixem o cigarro

    vem de todas as partes: estado, mdia, ONGs, amigos e na prpria famlia.

    - muito importante que todos estejam juntos nesse objetivo. Quando o fumante est sozinho na briga, fica muito mais complicado. Os amigos e a famlia tm um papel fundamental na recuperao destaca Oberdan.

    O tabagismo classificado como dependncia qumica, por isso, no h cura, apenas tratamento baseado em esforo pessoal e, algumas vezes, com auxlio de medicamentos. Para o pneumologista Srgio Ricardo dos Santos, a melhor forma para que o tratamento seja bem sucedido com o paciente motivado:

    - No existe uma forma de algum tentar parar de fumar se no estiver motivado a mudar o comportamento. E todos que esto volta devem participar de atividades motivado-ras, orientando, promovendo e educando todos aqueles que desejam deixar de fumar.

    Ainda segundo Srgio, o fumante deve consultar um mdico antes de utilizar qualquer medicamento:

    - Hoje, h diversas substncias que ajudam o fumante a parar de fumar, porm a indicao de algum medicamento deve ser prescrita por um profissional de sade. Isso porque existe um perfil de medicamento adequado para cada tipo de fumante.

    servios

    DICAS BSICAS PARA AJUDAR NO TRATAmENTO:

    1 Decida que deseja parar de fumar e coloque isso como um desafio para voc.

    2 Sempre que der vontade de fumar, beba um copo dgua. Isso ajudar o crebro a esquecer um pouco da nicotina.

    3 Parar de fumar no engorda. Coma em grande quantidade alimentos pouco calricos (pepino, cenoura, couve-flor, etc.).

    4 Evite caf, refrigerante ou bebidas alcolicas.

    5 Pratique exerccios fsicos quando voc acaba de se exercitar, o corpo no quer fumaa, quer gua.

    6 Evite locais em que possa haver pessoas fumando.

    Um dos maiores fatores de risco para o acometimento de doenas cardiovasculares e diversos tipos de cncer, o tabagismo considerado pela Organizao Mundial de Sade (OMS) uma doena. A nicotina que o cigarro contm causa dependncia e provoca alteraes fsicas, emocionais e comportamentais. por esse motivo que o governo brasi-leiro e diversas organizaes no governamentais (ONGs) investem no cerco indstria do tabaco e no incentivo conscientizao da populao dos males causados pelo fumo.

    O total de fumantes no mundo atinge hoje o nmero de 1,1 bilho, dos quais 800 milhes concentram-se em pases em desenvolvimento, como o Brasil. Hoje, 16% da populao brasileira adulta so fumantes. Segundo o Instituto Nacional do Cncer (Inca), o Brasil tem 200 mil mortes anuais causadas pelo tabagismo e cerca de 8% dos gastos com internao e quimioterapia no Sistema nico de Sade (SUS) so atribudos a doenas relacionadas ao fumo.

    Devido a esses nmeros alarmantes, nos ltimos anos foram promulgadas leis proibindo a propaganda de cigarros nos meios de comunicao, o fumo em lugares pblicos e a obrigao de os maos de cigarro estamparem imagens de advertncia sobre os danos sade causados pelo tabagismo.

    Apesar da grande maioria dos fumantes ser conhecedora dessas informaes, todos tm a mesma argumentao: dei-xar de fumar no fcil. Segundo Carlos Oberdan, corretor de imveis e ex-fumante, se ver livre do cigarro demorou algum tempo:

    - Mesmo depois que eu decidi parar de fumar, demorei pelo menos seis meses para que eu tivesse alguma vitria em relao ao cigarro. A nicotina causa muita dependncia

    motivao e esforo pessoal so chaves para o tratamento

    taBagismo

  • Stand 24

    Projeto que autoriza emisso de contas em nome do inquilino aprovado

    No dia 28 de setembro, o projeto de Lei 5593/09, que autoriza o locador a transferir a titularidade das contas de gua, luz e telefone ao locatrio, foi aprovado na Comisso de Defesa do Consumidor, na Cmara Federal. De autoria da deputada Rose de Freitas (PMDB-ES), o projeto foi aprovado na forma de substitutivo da relatora, Ana Arraes (PSB-PE), que garante aos novos locatrios o religamento da prestao de servio feita pelos concessionrios de servios pblicos.

    A emisso de contas em nome do inquilino facilitar a locao do imvel em que esteja interrompida a prestao de servios por falta de pagamento do antigo locatrio, sem prejudicar o locador. No entendimento da relatora, as concessionrias celebram seus contratos com uma pessoa que ser usuria do servio, e no com um imvel.

    A proposta tramita em carter conclusivo, que uma etapa onde no ser necessria aprovao pelo Plenrio. O projeto ser analisado ainda pelas Comisses de Trabalho, de Administrao e Servio Pblico; de Constituio e Justia e de Cidadania.

    Reserva preferencial para portadores de

    deficincia em programas habitacionais tema de projeto de lei na Alerj

    Na hora de adquirir uma moradia, portadores de deficincia encontram grande dificuldade. Primeiro, por questes de acessibilidade, pois encontrar imveis com totais condies de acesso complexo. Depois, muitas vezes, pela reduo da renda familiar mediante a deficincia. Pensando nessa dificuldade, tramita na Assemblia Legislativa do Rio de Janeiro (Alerj) o projeto de lei 670/11, de autoria do deputado tila Nunes, que prev uma reserva preferencial para distribuio ou venda de unidades para portadores de deficincia.

    De acordo com o projeto, todos os programas de construo de habitaes populares, ou distribuio de lotes promovidos pelo Poder Executivo, no Rio de

    Janeiro, devero garantir uma reserva de, pelo menos, 10% do total de unidades disponibilizadas s pessoas portadoras de deficincia. Alm disso, as unidades do andar trreo devero ser destinadas prioritariamente s pessoas portadoras de deficincia.

    Para participar do projeto, o interessado dever comprovar sua condio de portador de deficincia atravs de laudo mdico, ser residente e domiciliado no Estado h pelo menos quatro anos e estar enquadrado no critrios socioeconmicos ao qual o programa se destina.

    O projeto de lei est sendo apreciado pela Comisso de Constituio e Justia e, depois de aprovado, ainda passar por outras trs comisses antes de entrar em vigor.

    Nova lei declara Complexo do Alemo como de especial interesse social para

    fins de urbanizao

    A rea do Complexo do Alemo, situada entre os bairros de Ramos e Penha, ganhou no dia 31 de outubro mais um impulso rumo to sonhada urbanizao. Depois da informao que em breve ocorrer a instalao da Unidade de Polcia Pacificadora (UPP) pelo Governo do Estado, a prefeitura sancionou a lei 5.324/11, que declara essa rea como de especial interesse social para fins de urbanizao e regularizao.

    A lei, que tambm destina a incluso da populao de baixa renda em programas habitacionais, estabelece alguns padres para a urbanizao. Os principais itens abordados so o sistema virio e de circulao, com acesso s moradias, condies satisfatrias de abastecimento de gua, esgoto e iluminao pblica e a garantia da delimitao de reas mnimas para moradias em funo das condies de segurana e higiene.

    A urbanizao tende a elevar os preos dos imveis na rea, que j contavam com forte valorizao desde a pacificao. Para acesso minuta da lei e mais informaes, acesse o portal da Cmara Municipal do Rio de Janeiro www.camara.rj.gov.br.

    Por dentro da

    LEGISLAOacompanhe abaixo as leis e projetos de leis desta edio e fique por dentro da legislao referente ao mercado imobilirio.

  • Stand 25

    CreCi-rj deBate FEChAmENTO DAS VARANDAS

    No dia 1 de dezembro, o delegado do Creci-RJ na Bar-ra da Tijuca, Laudimiro Cavalcanti, participou de audincia pblica na Cmara de Vereadores sobre o projeto de Lei Complementar 10-A/2005, a convite do autor da propos-ta, vereador Carlo Caiado. O projeto fixa as condies que devem ser observadas para o fechamento de varandas nas edificaes residenciais. Da tribuna, Cavalcanti contestou a cobrana abusiva e irregular da Prefeitura do Rio para os proprietrios de imveis que esto fechando as varandas com vidro retrtil. Durante a audincia, o presidente da Cmara, Jorge Felipe, prometeu colocar o projeto na pauta de votao no dia 21 de dezembro.

    Mais informaes no site www.camara.rj.gov.br.

    Laudimiro Cavalcanti na tribuna da Cmara Municipal

  • Stand 26

    onda verde

    Com o desenvolvimento da atividade industrial iniciado no sculo XVIII, a demanda em relao ao abastecimento energtico aumentou significativamente. Na sociedade atual, mais de 98% da energia utilizada vm de combustveis fsseis: carvo, petrleo e gs natural. Porm, esses so recursos no-renovveis e, consequentemente, limitados. So meios que poluem o ar, causando, alm de graves doenas, o aquecimento global. Nesse sentido, crescem a preocupao e a busca por novas possibilidades de energias que sejam renov-veis e limpas, e, entre elas, destaca-se a energia solar.

    O sol a fonte de todas as formas de energia que o homem vem empregando durante sua histria e pode ser a soluo para os diversos problemas crescentes. Da energia que enviada do sol terra, 47% so absorvidos pela atmosfera e, depois, voltam para o espao. Apenas 23% dessa energia passam a ser a fora que move ventos, correntes, ondas e modela o clima terrestre. E somente 0,02% desse total ingressa no sistema biolgico, por fotossntese e outros processos.

    A energia solar tem duas aplicaes: aquecimento de gua e ambiente e a energia fotovoltaica, que a gerao de energia eltrica atravs da energia solar. A primeira j bastante utilizada no Brasil e conta com 1 milho de metros quadrados de coletores solares estendidos pas a fora. Alm disso, sua produo tem aumentado 20% ao ano. A segunda aplicao ainda pouco utilizada, pois os paineis fotovoltaicos, os vidros que retm a energia do sol, so de alto custo e tecnologia complexa.

    Nos empreendimentos imobilirios, a sustentabili-

    uma matriz energtica renovvel e limpa

    energia solar

    dade, tema em voga nas discusses sobre a utilizao consciente de energia e reaproveitamento da gua, tem aberto espao para o uso da energia solar. Segundo es-tudo da consultoria imobiliria Cushman & Wakefield, mais de 40% das salas comerciais lanadas at 2013 no Rio de Janeiro tero o selo verde, ou seja, contaro com a tecnologia para uso da energia solar.

    Segundo Paulo Doneux, diretor executivo da Jovic Engenharia, a opo pela energia solar uma tendncia que existe e vai permanecer:

    - A utilizao da energia solar tem aumentado subs-tancialmente. Existe uma demanda de mercado muito grande, motivada pela necessidade de construir prdios cada vez mais amigos do meio ambiente.

    Na construo de novos edifcios, a grande maioria j est utilizando os aquecedores solares de gua, com instalao de placas coletoras por fora dos prdios para que recebam a luz do sol e aqueam a gua na passagem pelos canos.

    - No aquecimento de gua, em comparao com as energias convencionais, eltrica e gs, os prdios que fazem uso da energia solar tm uma economia mdia de at 80%. E com os atuais custos da eletricidade, um coletor solar se paga em dois anos destaca Doneux.

    importante ressaltar que a energia solar um complemento para as energias convencionais. Esse complemento geralmente significativo. Mas trans-formar essa energia em combustvel para as vrias atividades da sociedade moderna o desafio para a atual gerao.

  • Stand 27

    evento do Creci-rjem Paraty rene

    autoridades municipais

    Com a presena de 55 pessoas, a delegacia regional do Creci-RJ em Paraty promoveu no dia 18 de novembro um importante encontro. Realizado no Restaurante Kontiki, o evento contou com a participao das seguintes autoridades: presidente do Creci-RJ, Casimiro Vale, delegados do Conselho em Paraty, Ademir Theodoro e Elison Ribeiro, secretria de Desenvolvimento Urbano e Meio Ambiente do municpio, Maria Brasilcia, secretrio municipal de Planejamento, Hilton Melo Filho, presidente da subseo da OAB em Paraty, Benedita Correa, assessora do Gabinete do Prefeito, Tain Ramiro, assessora da secretaria municipal de Planejamento, Daniele Vargas, e o titular do servio notorial e registral de Paraty, Vanderley de Arajo.

    Na programao, a palestra tica Profissional, ministrada pelo diretor de locao do Creci-RJ, Carlos Samuel, um debate com a secretria Maria Brasilcia e a apresentao das realizaes da gesto 2010-2012 do Conselho, feita pelo assessor de comunicao da instituio, Agostinho Moreira.

    O encontro em Paraty contou com o patrocnio da Bertol Construtora e Incorporadora, Luiz Ribeiro Imveis, Roberto Imveis, Sotto Mayor Imveis, Teixeira Imveis e Valmir Imveis.

    Casimiro Vale entrega os certificados de nomeao a Ademir

    Theodoro e Elison Ribeiro, como delegados do Creci-RJ em Paraty

    Fotos Creci-RJ

    A corretora de imveis Luciene de Oliveira

    Professor foi nomeada delegada do Creci-

    RJ no Per, bairro de Cabo Frio. O ato de posse contou com

    a participao do conselheiro do Creci-RJ,

    Jorge Murillo.

    POSSE NO PER

  • Stand 28

    fisCaliZao

    A fiscalizao do Conselho Regional de Corretores de Imveis (Creci-RJ) atua em todo o estado do Rio de Janeiro com 20 agentes que fazem a ronda fiscal em empresas imobilirias, estandes de vendas, feires e, at mesmo, em casas e condomnios onde h denncias. O combate sistemtico da fiscalizao contra o exerccio ilegal da profisso em todo o estado transmite segurana sociedade de que o Creci-RJ exerce, com firmeza, seu papel de defender a populao contra a atuao dos ilegais.

    No trabalho da fiscalizao existem diversos tipos de visitas. H visitas de rotina, que so o mapa que o setor utiliza, atuando em todos os 92 municpios do estado. H visitas por meio de denncia, onde so enviadas ao Setor de Fiscalizao informaes sobre irregula-ridades no exerccio da profisso. Existem visitas de cumprimento de prazo, que so aquelas de retorno da equipe fiscal ao local anteriormente visitado, onde foram lavrados autos de notificao ou constatao. E, tambm, h visitas para diligncia, que so realizadas aps a apresentao da defesa por parte do autuado e aceitao da mesma pelo Setor Jurdico.

    O sucesso dessas operaes tem sido traduzido em nmeros. No ano de 2010 foram lavrados quase 40 mil

    documentos, e em 2011, at o ms de novembro, so mais de 48 mil. Destes, foram mais de 1.200 autos de infrao por exerccio ilegal da profisso. Para o coor-denador da fiscalizao do Creci-RJ, Wiliam Jacinto, o estabelecimento de algumas medidas foi fundamental para esse resultado:

    - As equipes agora trabalham em locais fixos e seto-rizados. Isso permite que os lugares no sejam visitados mais de uma vez em um pequeno espao de tempo, alm de possibilitar que os prazos sejam cumpridos at o retorno da equipe no local fiscalizado. Esse roteiro pr-estabelecido traz resultados expressivos no combate s irregularidades encontradas.

    Mesmo assim, pode acontecer de locais serem visitados algumas vezes num pequeno perodo. Isso porque, com o aquecimento do mercado imobilirio e o aumento do nmero de profissionais na corretagem, h uma grande movimentao nas empresas.

    - Na profisso de corretor de imveis, h muita mobilidade. Em um dia, podem existir trs corretores trabalhando numa imobiliria. No outro dia, pode haver outros cinco nessa mesma empresa. Ou seja, muitas vezes o fiscal tem de retornar imobiliria por questes de rotatividade finaliza Wiliam.

    Saiba mais sobre o trabalho dos agentes do Creci-RJ

    visitas dos fisCais

    Fiscalizao do Creci-RJ: diferentes

    tipos de visita na rotina do setor

    Foto: Creci-RJ

  • Stand 29

    O Conselho Regional de Corretores de Imveis (Creci-RJ) assinou no trimestre outubro/dezembro quatro novos convnios: Faculdades Integradas Helio Alonso (Facha) e Colgio Hlio Alonso Unidade Mier, Complexo Educacional Damsio de Jesus, Insti-tuto Petropolitano de Consultoria Educacional (IPCE) e Bem Estar Pilates.

    Todas as parcerias firmadas pelo Conselho oferecem descontos expressivos aos corretores de imveis e seus dependentes diretos.

    Para ter direito aos benefcios dos convnios, o pro-fissional da intermediao imobiliria deve apresentar o Carto de Regularidade Profissional (Carp) do ano vi-

    Stand 29

    gente. Os dependentes devem comprovar esta condio.Ateno, o Creci-RJ tambm mantm conv-

    nios com:

    Mais informaes sobre os convnios do Conse-lho no site www.creci-rj.gov.br, link Canal do Corretor/ Utilidades.

    novos Convnios

    1) Como fao para me cadastrar no portal de Classi-ficados do Creci-RJ?Para se cadastrar no portal de classificados necessrio pos-suir uma senha de acesso, que gerada pelo sistema de cadas-tro do Creci-RJ. Caso o corretor no possua senha, dever entrar em contato com o Conselho. Em posse da senha, o corretor dever acessar o portal www.crecimoveis.com.br e en-trar na rea do corretor com seu nmero de Creci e senha.O profissional ser redirecionado para uma tela, que pedir para confirmar o nmero do Creci e a senha e, logo depois, o e-mail cadastrado no Conselho. Aps esse procedimento, o corretor estar apto a cadastrar imveis atravs do Motor Imo-bilirio (MIMO), software que gerencia o portal imobilirio.

    2) A carteira de identidade do Creci vlida como documento oficial?Nos termos de nossa legislao civil n 6.206/75, as cdulas de identidade expedidas pelos Conselhos Regionais tm f pblica em todo o territrio nacional. Desta forma, isso deve ser questionado perante a empresa ou pessoa que no aceite o documento como prova de identidade, mencionando a lei supracitada.

    3) Quais os requisitos para inscrio no Cadastro Nacional de Avaliadores Imobilirios (CNAI)?

    - Preencher o requerimento de inscrio no CNAI na sede do Conselho, ou em uma das delegacias regionais,

    - Entregar duas fotos 3X4;

    - Trazer a original para conferncia e cpia do diploma de curso superior em Gesto Imobiliria, ou certificado de concluso de curso de Avaliao Imobiliria;

    - Efetuar o pagamento de uma taxa e trazer a cpia; trazer a cpia da carteira do Creci-RJ - Estar quite com suas obrigaes perante o Conselho.

    O cadastro s poder ser realizado no Creci-RJ mediante o preenchimento de todos os requisitos, e pagamento do expediente no ato do requerimento.

  • Stand 30

    Fatima SantoroDiretora do Creci-RJ, Corretora de Imveis,

    Advogada e Professora Universitria

    Quais so os registros pblicos conferidos na Lei 6015/73? I - o registro civil de pessoas naturais;II - o registro civil de pessoas jurdicas; III - o registro de ttulos e documentosIV - o registro de imveis.

    O que estabelece a Lei 8.009/90 quanto im-penhorabilidade do bem de famlia? O imvel residencial prprio do casal, ou da en-tidade familiar, impenhorvel e no responde-r por qualquer tipo de dvida civil, comercial, fiscal, previdenciria ou de outra natureza, contrada pelos cnjuges ou pelos pais ou filhos que sejam seus proprietrios e nele resi-dam, salvo nas hipteses previstas na referida lei.

    Qual o artigo da Constituio Federal que prev sobre usuca-pio especial rural?Segundo o artigo 191, aquele que, no sendo proprietrio de imvel rural ou urbano, possua como seu, por cinco anos ininterruptos, sem oposio, rea de terra, em zona ru-ral, no superior a cinqenta hecta-res, tornando-a produtiva por seu trabalho ou de sua famlia, tendo nela sua moradia, adquirir-lhe-- a propriedade.

    O que crdito imobilirio? considerado crdito imobilirio todo o crdito de origem especfica destinado exclusivamente com-pra de imveis.

    Quando foi criado o SFH?O Sistema Financeiro da Habitao (SFH) foi criado

    pela Lei 4.380, de 1964, no contexto das reformas bancrias e de mercado de capitais efetuadas no pe-rodo. De acordo com esta lei, ocorreu a instituio da correo monetria e do Banco Nacional da Ha-bitao (BNH), rgo central que visava orientar e disciplinar a habitao no pas.

    Quem so partes ilegtimas para figurar como vendedor numa compra e venda? O ascendente; o falido; o condmino de coisa indi-visvel e o marido sem outorga uxria, na venda de

    imveis, e a mulher sem autorizao do marido.

    Como conceituar contrato?Contrato o acordo de duas ou mais vontades, na conformidade da ordem jurdica, destinada a estabelecer uma regulamentao de interesses entre as partes, com o escopo de adquirir, mo-dificar ou extinguir relaes jurdicas de natureza patrimonial

    Qual a nova doutrina contratual?O princpio da funo social dos con-tratos, previsto no Cdigo Civil de 2002 no art. 421, integra nova dou-trina contratual, ou o novo direito dos

    contratos, marcando a superao do paradigma libe-ral clssico na teoria geral dos contratos.

    Qual a natureza de um contrato de adeso?O contrato de adeso exclui a possibilidade de qualquer debate e transigncia entre as partes, uma vez que um dos contratantes se limita a aceitar as clusulas e condies previamente redigidas e impressas pelo outro, aderindo a uma situao contratual j definida em todos os seus termos.

  • Stand 31