Revista InterBuss - Edio 78 - 22/01/2012

  • Published on
    25-Jul-2016

  • View
    220

  • Download
    5

DESCRIPTION

 

Transcript

  • Corretoras acreditam queencarroadora caxiense leva vantagem na concorrncia

    REVISTAINTERBUSSINTERBUSSREVISTA

    ANO 2 N 78 22 de Janeiro de 2012

    GACHAS LIDERAMPRODUO DE NIBUS

    Estado liderou em 2011 a produo decarrocerias de nibus no Brasil. Marcopolo foi uma das grandes responsveis pelos nmeros

    A GALERIA DE IMAGENS DOPORTAL INTERBUSS EST DE VOLTA!

    GACHAS LIDERAMPRODUO DE NIBUS

    210 FOTOS NA 1 ATUALIZAO!VEJA NESTA EDIO COMO COLABORAR E COMO VER AS FOTOS NO PORTAL INTERBUSS, TODAS AS SEMANAS

    HOJE TEM COLUNA SOBRE MECNICAHOJE TEM COLUNA SOBRE MECNICAConhea o funcionamento do Retarder Scania

    e como a bomba injetora dos motores dieselConhea o funcionamento do Retarder Scania

    e como a bomba injetora dos motores diesel

  • VOC PEDIU,NS ATENDEMOS!

    A GALERIA DE IMAGENS DOPORTAL INTERBUSS EST DE VOLTA!A 1 ATUALIZAO J EST NO AR! www.portalinterbuss.com.br/galeriadeimagens

    ENVIE SUA FOTO PARAfotos2012@portalinterbuss.com.br

    TODA SEMANA, NOVAS FOTOS! A CLSSICA GALERIA DE IMAGENS DO PORTAL INTERBUSS, AGORA VOC TEM ALTERNATIVA!

    Ateno: as fotos enviadas anteriormente a 01/01/12 sero descartadas e no valem para esta nova Galeria, porm podem ser reenviadas ao e-mail.

  • PORTAL INTERBUSS Junto com voc, sempre!

    VOC PEDIU,NS ATENDEMOS!

    A GALERIA DE IMAGENS DOPORTAL INTERBUSS EST DE VOLTA!A 1 ATUALIZAO J EST NO AR! www.portalinterbuss.com.br/galeriadeimagens

    ENVIE SUA FOTO PARAfotos2012@portalinterbuss.com.br

    TODA SEMANA, NOVAS FOTOS! A CLSSICA GALERIA DE IMAGENS DO PORTAL INTERBUSS, AGORA VOC TEM ALTERNATIVA!

  • | As Fotos da Semana

    B E M - V I N D O S R E V I S T A I N T E R B U S SNESTA EDIO: 28 PGINAS

    | A Semana Revista

    So Paulo recebe mais dez nibus movidos a etanol, trazidos pela TupiCapital paulista agora conta com sessenta nibus movidos com o combustvel menos poluente;Operao deve comear logo 11

    Confira tambm as melhores fotos da semana em outros sitesespecializados em fotografias de nibus! 24

    | A Semana Revista

    Sete capitais j reajustaram tarifa do transportepblico em 2012Algumas cidades fizeram reajuste no final do ano passado; Valor ficoualto, segundo usurios 07

    Primeira atualizao da Galeria de Imagens do Portal InterBuss destaque entre as fotos semanais

    Estado foi o maior fabricante de nibusem 2011

    Rio Grande do Sul,a capital do nibus

    Pgina 7

  • ANO 2 N 78 DOMINGO, 22 DE JANEIRO DE 2012 1 EDIO - 23h54

    COLUNISTAS Jos Euvilsio Sales Bezerra melhor andar a p 20

    A SEMANA REVISTAAs notcias da semana no setor de transportes 7

    EDITORIALA estranheza na frota paulistana 6

    SEU MURALA seo especial do leitor 18

    COLUNISTAS Fbio Takahashi TanniguchiAndroid - Semana 7 22

    COLUNISTAS Marisa Vanessa N. CruzMudanas nas linhas da Zona Oeste de SP 19

    COLUNISTAS William GimenesRio Preto e Ribeiro em 2010 13

    AS FOTOS DA SEMANAAs fotos que foram destaque na semana 24

    DIRIO DE BORDO Fbio TanniguchiTransporte em Paris - Parte 2 21

    | Colunistas

    A corrida pelos sistemasoperacionais pela TV digitalFbio Takahashi Tanniguchicomenta sobre a corrida dasempresas que fazem sistemas operacionais para telefones 22

    DEU NA IMPRENSAAs notcias da imprensa especializada 16

    Obs: No percam a segunda atualizao da nova Galeria deImagens do Portal InterBuss, que ser no prximo sbado, dia 28.Envie sua foto para fotos2012@portalinterbuss.com.br

    | Deu na Imprensa

    Para onde vai o dinheiro que pagamos nos pedgios?Parte do dinheiro vai para o ISSQN, imposto revertidopara os municpios 16

    PSTERMascarello Gran Midi 14

    Gustavo Bayde

    Estado foi o maior fabricante de nibusem 2011

    COLUNISTAS Adamo BazaniEmpresas de Pernambuco fazem aquisies 26

    Rio Grande do Sul,a capital do nibus

    Pgina 7

    TIRA-DVIDAS Mecnica de PesadosRetarder e Bomba Injetora 12

  • Uma publicao da InterBuss Comunicao Ltda.

    DIRETOR-PRESIDENTE / EDITOR-CHEFELuciano de Angelo Roncolato

    JORNALISTA RESPONSVELAnderson Rogrio Botan (MTB)

    EQUIPE DE REPORTAGEMFelipe de Souza Pereira, Tiago de Grande, Luciano de Angelo Roncolato, Chailander de Souza Borges, Ander-son Rogrio Botan, Guilherme Rafael

    EQUIPE FIXA DE COLUNISTASMarisa Vanessa Norberto da Cruz, Jos Euvilsio Sales Bezerra, William Gimenes, Adamo Bazani, Thiago Bo-nome, Luciano de Angelo Roncolato e Fbio Takahashi Tanniguchi

    REVISOFelipe Pereira eLuciano de Angelo Roncolato

    ARTE E DIAGRAMAOLuciano de Angelo Roncolato

    AGRADECIMENTOS DESTA EDIOAgradecemos a Mateus Barbosa pelo envio do pster e a Fbio Tanniguchi pelo Dirio de Bordo acerca do transporte em Paris.

    SOBRE A REVISTA INTERBUSSA Revista InterBuss uma publicao semanal do site Portal InterBuss com distribuio on-line livre para todo o mundo.Seu pblico-alvo so frotistas, empresrios do setor

    de transportes, gerenciadores de trnsito e sistemas de transporte, poder pblico em geral e admiradores e entusiastas de nibus de todo o Brasil e outros pases.

    Todo o contedo da Revista InterBuss provenientes de fontes terceiras tem seu crdito dado sempre ao fi-nal de cada material. O material produzido pela nossa equipe protegido pela lei de direitos autorais e sua reproduo autorizada aps um pedido feito por es-crito, e enviado para o e-mail revista@portalinterbuss.com.br. As fotos que ilustram todo o material da revista so de autoria prpria e a reproduo tambm autor-izada apenas aps um pedido formal via e-mail. As ima-gens de autoria terceira tm seu crdito disponibilizado na lateral da mesma e sua autorizao de reproduo deve ser solicitada diretamente ao autor da foto, sem interferncia da Revista InterBuss. A impresso da re-vista para fins particulares previamente autorizada, sem necessidade de pedido.

    PARA ANUNCIAREnvie um e-mail para contato@portalinterbuss.com.br ou ligue para (19) 9483-2186 e converse com nosso setor de publicidade. Voc poder anunciar na Revista InterBuss, ou em qualquer um dos sites parceiros do grupo InterBuss, ou at em nosso site principal. Temos diversos planos e com certeza um deles se encaixa em seu oramento. Consulte-nos!

    PARA ASSINARPor enquanto, a Revista InterBuss est sendo disponibi-lizada livremente apenas pela internet, atravs do site www.portalinterbuss.com.br/revista. Por esse motivo, no possvel fazer uma assinatura da mesma. Porm, voc pode se inscrever para receber um alerta assim que a prxima edio sair. Basta enviar uma mensagem

    para revista@portalinterbuss.com.br e faremos o ca-dastro de seu e-mail ou telefone e voc ser avisado.

    CONTATOA Revista InterBuss um espao democrtico onde todos tm voz ativa. Voc pode enviar sua sugesto de pauta, ou at uma matria completa, pode enviar tambm sua crtica, elogio, ou simplesmente conver-sar com qualquer pessoa de nossa equipe de colunistas ou de reprteres. Envie seu e-mail para revista@por-talinterbuss.com.br ou contato@portalinterbuss.com.br. Procuramos atender a todos o mais rpido possvel.

    A EQUIPE INTERBUSSA equipe do Portal InterBuss existe h nove anos, desde quando o primeiro site foi ao ar. De l pra c, tivemos grandes conquistas e conseguimos contatos com os mais importantes setores do transporte nacional, sem-pre para trazer tudo para voc em primeira mo com responsabilidade e qualidade. Por conta disso, algumas pessoas usam de m f, tentando ter acesso a pessoas e lugares utilizando o nome do Portal InterBuss, falando que de nossa equipe.Por conta disso, instrumos a todos que os integrantes oficiais do Portal e Revista InterBuss so devidamente identificados com um crach oficial, que informa o nome completo do integrante, mais o seu cargo den-tro do site e da revista. Qualquer pessoa que disser ser da nossa equipe e no estiver devidamente identifi-cada, no tem autorizao para falar em nosso nome, e no nos responsabilizamos por informaes passa-das ou autorizao de entradas dadas a essas pessoas. Qualquer dvida, por favor entre em contato pelo e-mail contato@portalinterbuss.com.br ou pelo telefone (19) 9483.2186, sete dias por semana, vinte e quatro horas por dia.

    Na ltima sexta-feira a prefeitura de So Paulo, juntamente com a Tupi Trans-portes Coletivos, apresentou mais dez novos nibus movidos a etanol. Agora so 60 vecu-los desse tipo na capital paulista. Esse um enorme avano na luta contra a emisso de poluentes, porm uma gota no oceano. Na cidade cuja frota de nibus urbano ultrapassa 12 mil veculos, esse nmero representa ap-enas cerca de 0,5% de toda a frota municipal. Enquanto as empresas menores (no caso a Tupi e a Metropolitana, donas desses vecu-los) esto investindo pesado nessas novas tecnologias, grandes grupos continuam en-contrando artifcios para economizar e ver seu lucro crescer. H empresas que usam o chama-do diesel de cana, por ser mais barato e por facilitar a revenda do veculo mais adiante. Outros usam uma porcentagem mnima de biodiesel. Tais combustveis so to poluentes quanto o diesel normal, com apenas uma pequena reduo no n-

    dice de emisso de partculas. Lembrando que tudo isso feito com a conivncia da prefeitura local. necessria a mudana de men-talidade de alguns empresrios para que a qualidade no transporte cresa. A economia na compra de diversos chassis e carrocerias, j pensando na revenda dos mesmos depois do cumprimento de sua vida til prejudica a populao, pois todos ns sabemos que os veculos mais confortveis e modernos so justamente os com motorizao traseira, suspenso a ar, piso rebaixado e agora tam-bm com um combustvel menos poluente. Tudo isso favorece a qualidade de vida do usurio. Porm, h uma justificativa dada pelo empresariado que plausvel: faltam subsdios. Na Europa e em outros pases mais desenvolvidos, os sistemas de trans-porte so quase todos subsidiados: cobra-se uma tarifa mdica do passageiro e o resto complementado pelo poder pblico, in-

    Nem os susbdios em S. Paulomelhoram algumas frotas

    A N O S S A O P I N I O| Editorial

    cluindo alguns adicionais para incentivar a aquisio de veculos mais modernos, so-mado investimentos pblicos em virios e equipamentos. Mas em So Paulo h os subsdios, at em larga escala, mesmo com uma cara tarifa de 3 reais. O que acontece ento? Parte dos empresrios investem na quali-dade e a outra parte fazem o que com o din-heiro? Ser que os custos do sistema so diferenciados por empresa? E a Cmara de Compensao Tarifria? Tem qual funo ento? Tudo isso poderia ser visto com melhores olhos pela prefeitura de So Paulo, mas pelo que a prpria populao nota, h uma conivncia do poder pblico com o desmando de algumas empresas na cidade. A diferena entre reas operacio-nais na capital paulista muito grande. Os investimentos nas reas operacionais 1 e 6, por exemplo, so discrepantes. A rea 4 continua indo por gua abaixo com a co-operativa disfarada de empresa de nibus fazendo baixos investimentos geralmente com a compra de veculos inferiores aos das outras reas. A populao precisa cobrar isso.

    REVISTAINTERBUSS Expediente

  • Jornal do Comrciocontato@j.com.br Com a montagem de 16.319 car-roarias de nibus, o Rio Grande do Sul man-teve a liderana nacional com 46% dos vol-umes totais de 2011. Mas o crescimento de 6,6% sobre a produo de 2010 ficou abaixo da nacional, que chegou a 9%, num total de 35,5 mil unidades. Maior fabricante de ni-bus do Brasil, Caxias do Sul perdeu partici-pao: caiu de 37% para 34% em 2011. As duas empresas localizadas na ci-dade, Marcopolo e Neobus, montaram 12,2 mil unidades, apenas 1% de crescimento na comparao com o ano de 2010. J a Comil, de Erechim, atingiu a marca de 4,1 mil vecu-los, crescimento de 36%, o maior dentre as encarroadoras nacionais. Em funo do re-sultado elevou de 10% para 11,5% sua par-ticipao no bolo total. Segundo dados da Associao Na-cional dos Fabricantes de nibus (Fabus), a Marcopolo montou, em Caxias do Sul, 8.338 carroarias, crescimento de 2,5% sobre 2010. A Neobus, por sua vez, apresentou queda de 1,5%, somando 3.863 unidades. Nestes volumes no est includa a produo do Volare, modelo da Marcopolo, considerado pela Fabus como veculo pronto, e que entra nas estatsticas da Associao Nacional dos Fabricantes de Veculos (Anfavea). A Fabus computa somente as carroarias vendidas. No caso do Volare, a Marcopolo faz a venda in-

    Divulgao

    Mercado

    tegrada da carroaria ao chassi. Por modelos, o Rio Grande do Sul responde por 81% da produo nacional de rodovirios, com total de 6 mil nibus, dos quais 75% tm a marca Marcopolo. Tambm lder absoluto no segmento de micro-ni-bus, com 3.845 veculos, equivalente a 77% da produo. A liderana da Neobus, com 41% dos volumes nacionais. Nos modelos in-termunicipais a participao de 86%, com 2,4 mil unidades, das quais 1,7 mil montadas pela Marcopolo. J em urbanos a representa-

    tividade cai para 20%, com 4.056 unidades, cabendo 1,6 mil para a Comil, representando 8% do volume nacional. A produo brasileira de nibus considerada pela Fabus se d ainda em duas empresas, Caio/Induscar e Irizar, na cidade de Botucatu, interior de So Paulo, que respon-dem por 29% do total. Em Duque de Caxias, no Rio de Janeiro, est a Ciferal, controlada da Marcopolo, com participao de 18%. H, ainda, a Mascarello, em Cascavel, no Paran, com 7%.

    FBRICA Ptio da Neobus com vrios chassis aguardando encarroamento

    A S E M A N A R E V I S T ADE 16 A 22 DE JANEIRO DE 2012

    REVISTAINTERBUSS 22/01/12 07

    Grandes fbricas decarrocerias estolocalizadas em municpios do Rio Grande do Sul

    Rio Grande do Sul lidera produo nacional de nibus

    Angra dos Reis

    Acidente com Colitur mata segurana A Voz da Cidadecontato@j.com.br O segurana Willian de Lima Teix-eira, 27 anos, morreu em acidente ocorrido semana passada, no km 486 da Rodovia Rio-Santos, prximo ao bairro Gamboa. Polici-ais rodovirios federais foram chamados para comparecer ao local do acidente onde

    Willian j estava morto. O motorista do nibus da Viao Colitur, de placa KXZ-0541, Samuel Pin-heiro, de 23 anos, disse que seguia em di-reo ao Rio de Janeiro quando o segurana, que vinha em sentido contrrio e pilotava uma motocicleta Honda CG 150 Titan preta,

    placa LTP-3038, invadiu a pista, batendo de frente no nibus. Peritos e bombeiros estiveram no lo-cal. Segundo informaes da polcia, nenhum passageiro do nibus ficou ferido. O corpo de Willian foi removido pelo rabeco e levado para o Instituto Mdico Legal (IML).

  • Dirio de Petrpolis terra@terra.com.br

    22/01/12 REVISTAINTERBUSS08

    A S E M A N A R E V I S T A

    Petrpolis/RJ mais umacidade a proibir o som alto no transporte coletivo A Lei 6.919 que probe os usurios de nibus ouvir msica e similares dentro dos veculos no modo alto-falante foi sancionada pelo Executivo Municipal em dezembro de 2010 e comeou a valer a partir de hoje, 20 de janeiro, em todo o municpio de Petrpolis. A lei no se aplica aos casos em que o passage-iro usar fones de ouvido. Segundo a Lei, empresas de trans-porte coletivo, por meio de seus funcionrios, devero coibir a infrao, pedindo aos infra-tores o desligamento dos aparelhos. Caso o passageiro no obedea, os funcionrios da empresa podero pedir ajuda da fora poli-

    Mais uma cidade

    cial. Todas as empresas devero afixar o aviso de proibio nos nibus e em caso de desobedincia, ser feita uma advertncia ao passageiro e no caso de repetio do delito, uma multa ser emitida. Para o vereador Silmar Fortes (PMDB), autor do projeto que virou lei, a reproduo de msica em volume alto por parte de alguns usurios representa, muitas vezes, um grande incmodo para os demais passageiros. Esse quadro se agrava, quando se leva em conta os altos nveis de poluio sonora naturalmente enfrentados, tendo em vista o barulho do motor do coletivo e do prprio trnsito.

    Acidente

    nibus da N. Horizonte bate e mata um Band terra@terra.com.br Um nibus da empresa Novo Hori-zonte sofreu um acidente na madrugada desta sexta-feira na BR 040, em Esmeraldas, regio metropolitana de Belo Horizonte. O nibus vinha de Ibipitanga, na Ba-hia, e seguia sentido So Paulo quando o mo-torista perdeu o controle da direo e bateu na traseira de um caminho. O motorista do nibus morreu na hora e outras 21 pessoas ficaram feridas. To-das foram levadas ao Hospital Joo 23. As causas do acidente ainda sero investigadas.

    APREENSO Veculos foram arrestados por no pagamento de uma dvida de R$ 1,2 mi

    nibus apreendidos da V. Floresta so devolvidos

    Rio Branco

    O Rio Branco terra@terra.com.br fiel depositria do lote apreendido. Os carros haviam sido rebocados

    para um determinado terreno por determina-o do juiz Geordane Dourado. Em desfavor da empresa existe ainda uma precatria de busca e apreenso de 51 nibus, que esto na cidade paulista de So Jos dos Campos. Em Rio Branco, a empresa comu-nicou no dia das apreenses, que a populao no seria em nenhum momento prejudicada com a ausncia dos nibus, que seria repos-tos.

    J foram devolvidos ao ptio da em-presa Floresta, anexo empresa Real Norte, os 16 nibus retidos pela justia em razo do no pagamento de uma dvida de R$ 1,2 mil-hes de um financiamento. Na tarde de quinta-feira (19), o ad-vogado da empresa Joo Augusto Freitas Gonalves conseguiu na justia a liberao dos veculos. Segundo o advogado, ele pediu justia a liberao dos nibus com a garan-tia de que a Real Norte passa a figurar como

    Div

    ulga

    o

    Grande Vitria

    Todo dia, 7 mil pulam catraca no Transcol G1 terra@terra.com.br Todos os dias, cerca de sete mil passageiros pulam a roleta dos nibus na Grande Vitria, segundo informaes do Sindicato das Empresas de Transporte Met-ropolitano da Grande Vitria. Com o obje-tivo de diminuir os prejuzos, as empresas estudam a possibilidade de instalar novas catracas nas linhas de nibus onde h maior incidncia de pessoas que no pagam pas-sagem. Se a Companhia de Transportes Urbanos da Grande Vitria (Cetrub) apr-ovar, em quatro meses as novas roletas sero instaladas.Hoje, o prejuzo das empresas corresponde a R$ 17 mil por dia, um valor que pode chegar a R$ 500 mil por ms em decorrncia do pulo de roleta. Para as em-presas, isso representa um prejuzo imediato e para os usurios ser um prejuzo a longo prazo, porque isso vai impactar no valor da tarifa, afirma Elias Baltazar , do Sindicato das Empresas de nibus. As pessoas que pagam passagem acham errado esse tipo de situao. Eu acho um erro, porque a gente paga a passa-gem normal e a pessoas chega e pula a roleta sem mais nem menos e o cobrador ainda no pode fazer nada, desabafou o tcnico em eletricidade Sinval de Castro.

  • REVISTAINTERBUSS 22/01/12 09

    Sete capitais brasileiras j reajustaram tarifa em 2012

    Tarifas mais caras

    Sete capitais brasileiras tiveram au-mento de tarifas de nibus municipais desde dezembro de 2011. O custo da passagem do transporte pblico ficou mais alto em Belo Hori-zonte (8%), Cuiab (8%), Vitria (6,8%), Joo Pessoa (4,7%), Teresina (10,5%) e Rio de Ja-neiro (10%). Nesta sexta-feira (20), tambm foi aprovado o reajuste de 6,5% no preo da passa-gem de nibus no Recife, que vai valer a partir do domingo (22). O total de cidades que tiveram reajuste foi menor do que as que registraram aumento na virada de 2010 para 2011, quando 11 capitais passaram a ter tarifas mais caras. Mesmo assim, os reajustes mais recentes geraram ondas de pro-testos em diferentes cidades do pas. Em Vitria e em Teresina, onde houve manifestaes mais exaltadas, a polcia chegou a reprimir os protes-tos e a prender manifestantes. No Recife, ltima cidade a oficializar o aumento, estudantes e representantes de movi-mentos populares realizaram, na manh desta sexta, um protesto contra o aumento. O Batalho de Choque tentou impedir a passagem dos mani-festantes. Tiros de bala de borracha e spray de pimenta foram usados pela polcia para conter as pessoas. Outras trs capitais devem ter aumento de tarifa ainda no primeiro semestre deste ano. Em Palmas, a tarifa deve chegar a R$ 2,50 em maro, um reajuste de 13,6%. A prefeitura de Macap est aguardando deciso judicial da 4 Vara Cvel e da Fazenda Pblica para autorizar reajuste para R$ 2,57 (11,7%). E Florianpolis, onde a tarifa teve reduo de 1,6% em 2011, deve haver aumento ainda no primeiro semestre.

    Baixa qualidade Alm de reclamarem da alta nos preos, os protestos tambm tm como alvo o prprio funcionamento dos sistemas de trans-porte pblico, exigindo maior eficincia e integ-rao entre as linhas de nibus. Um estudo divulgado pelo Instituto de Pesquisa Econmica Aplicada (Ipea) nesta quin-ta-feira (19) revelou que para 41% da popula-o dos municpios acima de 100 mil habitantes o transporte pblico ruim ou muito ruim. Para apenas 30% da populao nas grandes ci-dades, o transporte pblico muito bom ou bom. Nas capitais e outras cidades com mais

    G1 terra@terra.com.br

    de 100 mil habitantes, o resultado foi ainda pior para o transporte coletivo. Quase metade da pop-ulao -- 48% -- avalia que o transporte pblico no permite que as pessoas se desloquem com facilidade por toda a cidade.

    Reajustes e protestos A capital do Piau registrou o maior au-mento percentual das tarifas de nibus no incio deste ano. A passagem, que custava R$ 1,90, pas-sou a custar R$ 2,10. A prefeitura de Teresina, entretanto, defende que foi inaugurado neste ano um sistema de integrao entre os nibus, que garantiria uma economia de 25% nas despe-sas com o transporte para trabalhadores e estu-dantes, segundo um comunicado divulgado no incio do ano. O reajuste fez com que um movimen-to liderado por estudantes realizasse protestos dirios por mais de duas semanas desde que o aumento passou a ser cobrado. Alm de reclama-rem do aumento, os estudantes alegavam que a integrao entre os nibus estava incompleta. Nosso protesto pela reestruturao do sistema de transportes de Teresina. Houve au-mento das passagens e implantao de um siste-ma de integrao incompleto, que ainda contem-pla pouco a populao de Teresina, disse Cssio Borges, do Diretrio Central dos Estudantes da Universidade Federal do Piau. Aps os confrontos, pelo menos 17 estudantes foram presos. A prefeitura manteve o aumento, mas prometeu acelerar a integrao do transporte coletivo e diminuir tarifas sobre o 2 trechos percorrido dentro desse sistema.

    nibus queimado Os protestos contra aumento das passa-gens em Vitria tambm acabaram em confron-to, e um estudante de fsica chegou a ser detido temporariamente aps confessar a participao no incndio a um nibus durante uma mani-festao. As tarifas de nibus da cidade foram elevadas a R$ 2,35 no dia 8 de janeiro. Na noite de quinta-feira (19), manifes-tantes do Movimento Contra o Aumento (MCA) tomaram as ruas de Vitria em mais um protesto. Segundo a Polcia Militar, cerca de 50 jovens participavam do ato. O trnsito na Terceira Ponte chegou a ser interditado nos dois sentidos, o que gerou um grande engarrafamento nas vias de acesso.

    Protestos sem confronto

    No Rio de Janeiro, onde a passagem subiu de R$ 2,50 para R$ 2,75 no primeiro dia til de 2012, uma manifestao interditou a pista lateral da Avenida Presidente Vargas, no Centro do Rio de Janeiro, na noite de quarta-feira (18). A tarifa de nibus de Joo Pessoa foi reajustada em 4,76%, passando de R$ 2,10 para R$ 2,20 em 9 de janeiro. Aps o reajuste, grupos de estudantes promoveram alguns protestos em frente prefeitura, mas sem grande repercusso. Em Belo Horizonte, as alteraes nas tarifas do servio pblico municipal de transporte coletivo passaram a valer no final de 2011. O n-dice mdio de reajuste de 7,61%. Apenas os preos das linhas de vilas e favelas no tiveram mudanas, mantendo o valor de R$ 0,60. Com o reajuste, as passagens com valor de R$ 2,45 passaram para R$ 2,65. J os nibus que cobram R$ 1,75, passaram a exigir a tarifa de R$ 1,85. As linhas do Sistema de Transporte Suplementar tambm mudaram. A tarifa de R$ 1,75 passou para R$ 1,85; a de R$ 2,00 para R$ 2,15 e a de R$ 2,45 para R$ 2,65. O aumento da tarifa em Cuiab ocor-reu no incio de dezembro de 2011, passando de R$ 2,50 para R$2,70. De acordo com a Agncia de Regulao dos Servios Pblicos Delegados de Mato Grosso (Ager-MT), o novo valor ten-tou seguir a inflao do ano e a previso de gasto com a manuteno dos veculos. Para decidir o novo preo, conforme a Ager, foram levados em considerao os insumos como combustvel, mo-de-obra e quantidade de passageiros.

    Braslia Em Braslia, as tarifas variam de R$ 1,50 a R$ 3. O menor valor diz respeito apenas ao coletivo que circula dentro do Plano Piloto e dentro das cidades satlites. J o valor maior diz respeito linha metropolitana que faz a ligao entre as satlites e o Plano Piloto. Na capital, no h previso de au-mento. Em junho do ano passado, os rodovirios anunciaram greve pedindo reajuste de salrio. As empresas alegaram que o aumento s seria pos-svel com aumento da tarifa, mas o Governo do Distrito Federal (GDF) interveio e ofereceu uma srie de subsdios aos empresrios do setor de transportes. Uma das vantagens combinadas foi o pagamento de dois teros do passe estudantil por parte do GDF. Segundo informaes do governo, o valor do subsdio relativo ao passe livre pode chegar a R$ 12 milhes por ms.

  • 22/01/12 REVISTAINTERBUSS10

    A S E M A N A R E V I S T APrecariedade

    Apenas 15% das paradas de nibus de Araraquara/SP tm cobertura Apenas 15% das 1.070 paradas de nibus em Araraquara possuem cobertura es-pecial, segundo informaes da Companhia Trleibus de Araraquara (CTA), responsvel pela administrao do transporte coletivo da cidade. A falta da estrutura tem sido alvo de reclamaes de moradores, principalmente nos dias de chuva. A vendedora Vnia Camargo de Oliveira, de 22 anos, usa os nibus todas as tardes para ir ao trabalho. Grvida, ela en-contra dificuldade para esperar o circular que passa em um ponto sem cobertura, localizado prximo a sua casa, no Jardim Selmi Dei. Em dias chuvosos, a alternativa acaba sendo o guarda-chuva. Ajuda, mas as pernas acabam ficando molhadas. Mas o problema maior o sol, mesmo. J cheguei a voltar para casa porque comecei a passar mal e fiquei sem tra-balhar, afirma. O mesmo problema enfrentado pela analista Naira Coelho, de 24 anos, que toma nibus em um dos pontos da Via Ex-pressa, principal avenida da cidade, que con-ta com apenas alguns locais com proteo e cobertura. Quando chove me escondo em-baixo de uma cobertura prxima, mas muitas vezes o motorista no v e j aconteceu de eu perder o nibus algumas vezes, diz. De acordo com a CTA, atualmente, existem 42 solicitaes para novos pontos cobertos, em Araraquara. Do total de para-das, 351 utilizam postes de iluminao como

    EPTV Central terra@terra.com.br

    PARADA Maioria dos pontos de nibus da cidade so indicados por simples pontaletesreferncia para os motoristas e outros 355 usam postes sinalizados de concreto. Para atender as novas solicitaes, a companhia precisaria de pelo menos R$ 50 mil para a instalao de novas coberturas. Visando a reduo de custos, a administrao estuda criar um setor com profissionais ex-clusivos para este servio. Ter a mo de obra da empresa importante e financeiramente melhor porque essa demanda crescente na cidade, afirma Leonel Peixe, presidente da

    CTA. Com isso, o valor de investimento na instalao de novos pontos cairia para R$ 15 mil. Segundo a CTA, a estimativa que essas coberturas comecem a ser insta-ladas at fevereiro deste ano. A capacidade de produo deve girar entorno de duas por semana e a atual demanda poder ser zerada at o ms de julho. A companhia informou ai-nda que dois pontos de parada sero cobertos na prxima semana um na Rua Humait e

    Manaus

    Cooperativas do transporte executivo reclamam da suspenso de licitao Os membros das Cooperativas que trabalham no transporte executivo de Manaus no aceitam a mera suspenso da licitao de concesso de linhas para o servio. Na manh desta sexta-feira(20), o presidente da Federao das Cooperativas de Transporte do Estado do Amazonas (Fe-cotram), Equias Subrinho, entrou com uma nova representao no Ministrio Pblico Estadual (MPE) solicitando o cancelamento

    A Crtica terra@terra.com.br

    EPTV Central

    total do edital. Os cooperados exigem que seja feito um novo edital. Nessa quinta-feira (19), o juz da 1 Vara de Fazenda Pblica, Mrcio R Tor-res suspendeu a licitao para concesso de linhas de transporte executivo marcada para o dia 14 de fevereiro. Na deciso, o juz tam-bm determina que a Prefeitura de Manaus retifique o edital de concorrncia, excluin-do da clusula contratual a exigncia para a compra de nibus da marca Marcopolo/Volare pelas empresas interessadas na con-

    corrncia. O juiz entendeu que a clusula de garantia contratual que estabelece depsito R$ 1 milho pelas empresas uma golpe competitividade e determinou que a Super-intendncia de Transportes Urbanos faa constar do edital numerrio que viabilize a competio. A Prefeitura de Manaus, por meio da Superintendncia Municipal de Trans-portes Urbanos (SMTU) vai se pronunciar sobre o assunto por meio de nota oficial.

  • REVISTAINTERBUSS 22/01/12 11

    So Paulo

    Mais 10 nibus movidos a Etanol A Prefeitura de So Paulo entregou na manh desta sexta-feira (20) mais dez ni-bus movidos a etanol para a frota de trans-porte pblico da cidade. Com eles, chega a 60 o nmero de veculos movidos pelo com-bustvel, que emite menos poluio. Os novos nibus tambm so maiores, com 15 metros de comprimento, tm cmbio automtico e possuem todos os equipamentos de seguran-a. De acordo com a Prefeitura, os ni-bus movidos a etanol emitem at 90% menos material particulado na atmosfera em relao aos movidos a diesel, alm de reduzirem em 80% a emisso de gases que influenciam no aquecimento global e no liberarem enxofre, que causa a chuva cida. Os nibus sero operados pela Via-o Tupi, que faz o transporte de passageiros na Zona Sul de So Paulo. Atualmente, a capital paulista tambm tem 1,2 mil veculos movidos com 20% de biodiesel e 160 abaste-cidos com de diesel de cana-de-acar.

    G1terra@terra.com.br

    So mais nibus que vm ao en-contro da nossa poltica pblica de sustent-abilidade na cidade de So Paulo, direcionada principalmente na renovao dos nibus, que possam circular com energia alternativa, que

    no seja poluidora, afirmou o prefeito Gil-berto Kassab. Essa circulao mais cara, mas a cidade ganha com isso. Portanto, um acrscimo irrisrio diante dos ganhos da ci-dade de So Paulo.

    MAIS NIBUS Capital paulista agora conta com 60 nibus movidos a etanol

    Divulgao

    Mais reajuste

    Intermunicipais sobem 14,9% em PE Depois do aumento de 6,5% nas tarifas dos nibus de linhas municipais, novo reajuste foi anunciado na tarde desta sexta-feira (20), dessa vez para as linhas inter-municipais. As passagens do Sistema Inter-municipal de Transporte de Passageiros de Pernambuco sero reajustadas, a partir deste sbado (21), em 14,9%. O percentual, j ho-mologado pela Agncia Reguladora de Per-nambuco (ARPE), corresponde ao ndice de Preo ao Consumidor Amplo (IPCA). Aps reunies entre o rgo ges-tor e o Sindicato das Empresas de Transportes Rodovirios de Passageiros do Estado de Per-nambuco (Serpe), ficou definida a aplicao do reajuste, dando sequncia a prtica do Governo do Estado de aplicar este ndice nos reajustes do setor (intermunicipal e metropolitano). O pedido de reajuste apresentado pelas empresas foi de 18,22%. Com o au-mento, as tarifas mximas permitidas no transporte intermunicipal variam de R$ 1,10 (equivalente trecho entre os municpios de Carpina e Lagoa do Carro) a R$ 233,61 (equivalente a linha Recife/Petrolina, no ser-vio leito-cama). Diferentemente do que acontece

    NE 10terra@terra.com.br

    com o transporte metropolitano, no trans-porte intermunicipal, a homologao feita para uma tarifa mxima, que poder ou no ser praticada. No caso do sistema intermu-nicipal, as tarifas obedecem a uma classifi-cao baseada em coeficientes. Isso acontece porque o servio operado por veculos que possuem caractersticas diferentes - ban-heiros, servios executivos - em funo das linhas em que operam. NOVA LINHA A Empresa Per-nambucana de Transporte Intermunicipal criou nova linha para atender a demanda de usurios que residem no municpio de Escada e entorno e que trabalham ou buscam trabalho

    nos empreendimentos localizados no Porto de Suape e adjacncias. O deslocamento era feito atravs da linha Cabo/Escada, que opera com tarifa de R$ 3,80 e leva os usurios at o giradouro prximo Refinaria Abreu e Lima. Com a nova linha, que ir operar em carter experimental, com uma tarifa de R$ 3,00, o itinerrio foi ampliado em dois quilmetros, passando de 45 km para 47 km, possibilitando a chegada at a Termopernam-buco. Com isso, a linha Cabo/Escada passar a operar com itinerrio novo, beneficiando a populao que precisa se deslocar entre os dois municpios sem necessariamentepassar pelo plo industrial.

    a) Servios regulares de caractersticas rodoviriasK1 = R$ 0,146955 / passageiro x quilmetro, para estradas pavimentadas;K2 = R$ 0,176346 / passageiro x quilmetro, para estradas no pavimentadas.O menor preo da passagem referente a estes servios fica fixado em R$ R$ 2,15 (dois reais e quinze centavos).

    b) Servios regulares de caractersticas rodovirias dotados de sanitriosK3 = R$ 0,155772 / passageiro x quilmetro, para estradas pavimentadas;K4 = R$ 0,186927 / passageiro x quilmetro, para estradas no pavimentadas;

    c) Servios complementares de caractersticas rodoviriasK5 = R$ 0,183694 / passageiro x quilmetro, para o servio executivo;K6 = R$ 0,308605 / passageiro x quilmetro, para o servio tipo leito;K7 = R$ 0,432047 / passageiro x quilmetro, para o servio tipo leito-cama.

    d) Servios regulares de caractersticas urbanasK8 = R$ 0,123442 / passageiro x quilmetro, para estradas pavimentadas;K9 = R$ 0,148131 / passageiro x quilmetro, para estradas no pavimentadas.O menor preo da passagem referente a estes servios fica fixado em R$ 1,30 (um real e trinta centavos).

    LISTA DE COEFICIENTES APLICADOS DE ACORDO COM AS LINHAS E VECULOS QUE NELAS OPERAM

  • 22/01/12 REVISTAINTERBUSS12

    O Retarder Scania e bomba injetora Queria saber o que e como funcionao sistema Retarder da Scania e a bombainjetora dos motores a diesel.

    Felipe AbilacJaguarina/SP

    O RETARDER SCANIA O Retarder Scania um moderno sistema hidrulico de freio auxiliar integrado caixa de marchas. Ele funciona em conjunto com o freio motor e os freios de servio, ofer-ecendo uma potncia de frenagem que atinge at 300 kW (3.000 Nm de torque) e continu-amente at 650 kW ou 872 cv (4.600 Nm de torque) com o freio motor. Isto significa fre-nagem mais eficiente, melhor desempenho dos freios e, conseqentemente, maior segurana.

    Conforto e facilidade de operao O sistema pode ser igualmente ati-vado de duas maneiras, uma mais fcil que a outra e ambas muito confortveis para o mo-torista. Uma delas pelo pedal de freio de servio (nos veculos equipados com Freios ABS). Acionado por um leve toque no pedal de freio, o Retarder ajuda a controlar a velo-cidade sem ser necessrio usar os freios de servio e, com isso, diminuindo ao mximo o desgaste desnecessrio dos freios. A outra maneira por meio de uma alavanca de fcil alcance, localizada atrs do volante. A alavanca possui uma posio neu-tra e cinco posies que permitem aumentar a potncia do freio, sendo que a quinta posio tambm aciona o freio motor, produzindo fre-nagem com fora mxima, embora utilizando o Retarder o motorista raramente tenha neces-sidade de usar a fora mxima de frenagem, a no ser em circunstncias excepcionais. Caso o veculo esteja equipado com Opticruise Scania, o controle de mudana de marchas fica instalado na mesma alavanca do Retarder. Isso facilita ao motorista alcanar o controle com um pequeno movimento da mo, otimizando ainda mais a ergonomia, o confor-to e a segurana. Rapidez na seleo de comando - O projeto do sistema garante que o efeito da fre-nagem com o Retarder seja interrompido in-stantaneamente se o sistema ABS for ativado. E volta a ser reativado to logo seja permitido pelo sistema ABS. Facilidade no controle de tempera-tura - Utilizando o mesmo sistema de arre-fecimento do motor, o Retarder Scania pode ser utilizado para aquecer mais rapidamente o motor e permitir o aquecimento da cabina em regies de frio intenso ou durante um inverno forte. Assim que a temperatura desejada for obtida, o processo de aquecimento interrom-

    TIRA-DVIDAS Mecnica de Pesadosrevista@portalinterbuss.com.br

    O RETARDERSCANIApido automaticamente.

    Facilidade na manuteno Uma luz de advertncia no painel de instrumentos indica a ocorrncia de eventuais falhas no sistema de freios. E a sua manuten-o independente da manuteno da caixa de mudanas, utilizando por volta de cinco litros de leo para cada intervalo de 60 a 120 mil quilmetros. Alm de eficiente, econmico e con-fivel, o Retarder Scania dispe de peas de reposio prontamente fornecidas pela rede de concessionrias Scania porque produzido e instalado pela prpria montadora.

    Economia de manuteno dos freios O Retarder Scania reduz bastante o desgaste normal das lonas e dos tambores, aju-dando a diminuir os custos com manuteno dos freios. Outras vantagens decorrentes do uso do Retarder Scania so a manuteno da ve-locidade em descidas longas ou ngremes e a diminuio do risco da perda de eficincia de frenagem pela temperatura excessiva, causada pelo uso constante dos freios de servio em longos declives. O Retarder pode ser usado em torno de 90% das situaes de frenagem.

    Maior rendimento e economia nas estradas Graas ao do Retarder, o motoris-ta pode manter uma velocidade mais uniforme, mais controlada e segura em trechos de des-cidas longas, possibilitando melhor aproveita-mento da velocidade tambm nas subidas. Isso ajuda a diminuir o tempo da viagem, econo-miza o consumo de combustvel e preserva as condies ideais de uso do veculo.

    A BOMBA INJETORADOS MOTORES DIESEL A bomba injetora um dos compo-nentes mais importantes do sistema de alimen-

    tao dos veculos diesel. Ela responsvel por injetar o combustvel no motor para que ocorra a combusto. Esse trabalho realizado em conjunto com o regulador de rotao, que controla todas as faixas de rotao de acordo com a carga aplicada ao motor e o seu func-ionamento, dosando a quantidade de diesel injetado e o inicio de injeo correto para a melhor combusto. Nos motores eletrnicos esse pro-cesso gerenciado pelas unidades eletrnicas de comando. Mas, nos modelos mecnicos, a bomba regulada manualmente por profis-sionais especializados (bombistas) e com o auxlio de ferramentas especficas, alm de diversos testes realizados em um equipamento apropriado. Quando a bomba est regulada e o motor em bom estado, o funcionamento per-feito e respeita as leis de emisso de poluentes, proporcionando desempenho e consumo esta-belecidos pela montadora. O caminho do diesel O combustvel aspirado do tanque at a bomba injetora pela ao positiva de uma bomba de transferncia (pr-alimentadora). Em seguida, passa por um pr-filtro para re-mover as partculas contaminantes. A bomba de transferncia, ento, fornece injetora o combustvel em baixa presso. O diesel passa pelo filtro de combustvel antes de chegar bomba. Ela comprime o combustvel at os injetores, onde atingem altas presses, ne-cessrias para a atomizao e queima nas c-maras de combusto, enviando-o por linhas individuais, para cada injetor. Ao alcanar o injetor, o combustvel comprimido provoca o acionamento da agulha que veda os orifcios do injetor com a cmara de combusto, ven-cendo a carga de uma mola e calos que deter-minam sua presso de abertura e possibilita a entrada do diesel de forma otimizada. A fuga de combustvel ao redor da agulha para refrig-erao recolhida pelo coletor de retorno, que o envia por uma conexo e pela tubulao de retorno ao tanque.

    AGRADECIMENTOSAo Portal Mundo Truck (Retarder Scania) e ao site O Mecnico (Bomba Injetora) pelos esclarecimentos

    Envie sua dvida para nossa coluna sobre mecnica. Ela publicada a cada quinze dias e responde dvidas sobre mecnica de nibus. Envie suas perguntas para o e-mail revista@portalinterbuss.com.br. A sua dvida ser esclarecida na edio seguinte.

    ENVIE SUA DVIDA

  • REVISTAINTERBUSS 22/01/12 13

    Rio Preto e Ribeiro, 2010 Na coluna desta semana vou falar sobre dois roteiros que fiz na virada de 2009 para 2010, em duas cidades importantes do interior paulista. Certa vez, olhando pela Wikipedia, notei que das 10 maiores cidades do estado de So Paulo, apenas no conhecia Ribeiro Preto e So Jos do Rio Preto. Sendo assim, planejei ir s duas cidades em um roteiro s. Devido a questo logstica, que me obrig-aria passar mais de 24h fora de casa, resolvi desmembr-lo em dois. Ribeiro Preto foi marcado para 26 de dezembro de 2009 e Rio Preto para a semana seguinte (2 de janeiro de 2010). Sa daqui do Tiet s 6h da manh no Estrelo para Ribeiro Preto, carro que ia para Franca (34 lugares). Aps uma parada no Graal do km 143 da Via Anhanguera (Limei-ra), chegamos a Ribeiro s 10h02. Dei uma volta pelo Centro (o qual possui um calado muito variado de comrcio, alm da Pinguim e do Theatro Pedro II), pelo CPC (o camel-dromo) e pelo variado mercado municipal. Mais tarde peguei um urbano para o Ribeiro Shopping, voltando ao Centro tarde. So trs empresas no transporte ur-bano: Turb, Transcorp e Rpido D`Oeste. It-amarati, So Bento, Ribe e Ramazini fazem as linhas urbanas intermunicipais. A So Ben-to possua poca alguns veculos antigos, como Torinos G4 (LN). No querendo arris-car com a Rpido Ribeiro, voltei no Estrelo das 17h00, chegando em So Paulo s 21h14. Tanto na ida como na volta, meia lotao no carro, e eu fui na poltrona 3. Na semana seguinte era a hora de ir para So Jos do Rio Preto. Resolvi ir de So Raphael, pagando um pouco mais caro, no horrio das 8h. Achando que ia de DD, com-prei a poltrona 1. Veio um G7, com 3 dias de uso... fui na poltrona atrs do motorista, sem viso alguma da estrada. Depois de uma para-da no Graal Barreirense, chegamos em Rio Preto s 12h52. O nibus voou na estrada... A So Raphael no pode parar na Rodoviria da cidade. Param uma sala VIP, a 1700m da Rodoviria. Peguei um nibus da Itamarati at ela, achando que era mais longe. Se soubesse da proximidade, iria a p, fotografando a cidade. A Rodoviria de Rio Preto antiga, tem um cameldromo junto. O entorno mal-frequentado, principalmente noite. O Terminal Urbano, do lado, tem estru-tura melhor. Dei uma volta pelo Centro, onde es-tranhei um fato: o comrcio de rua da cidade fecha s 14h no sbado. Havia me desacos-tumado com tal fato, que foi descontinuado na Capital nos anos 80. Mas, mesmo fechado,

    COLUNISTAS William Gimeneswilliamcptm@gmail.com

    Luciano Roncolato

    DIFERENAS No topo, calado de Ribeiro Preto, cheio. Abaixo, o de Rio Preto, tudo fechado s 14h45pude notar que um comrcio to bom quan-to o de Ribeiro Preto. Voltei para o Terminal e peguei um nibus da Santa Luzia at o Rio Preto Shopping, onde fiquei at noite. Rio Preto tinha a Santa Luzia como operadora municipal, com um Terminal In-tegrado no Centro. Urbanos intermunicipais eram feitos por Itamarati, Pev-Tur, Clico e So Raphael, se no esqueci de alguma. Fiquei pouco na Rodoviria, no senti segu-

    rana no lugar. Na volta, resolvi pegar o horrio parador da Cometa, que passa em cidades como Ariranha e Santa Adlia. O carro saiu somente comigo de Rio Preto, mas lotou nas demais cidades. Sa de Rio Preto s 22h15 e cheguei em So Paulo s 6h10. H tambm uma parada em Jundia. Ainda iria a Bauru, na semana seguinte.

  • REVISTAINTERBUSSG U S T A V O B A Y D ER I O D E J A N E I R O / R J A L F A T O U R

  • 22/01/12 REVISTAINTERBUSS16

    Para onde vai o nosso dinheiro que deixamos nos pedgios? O nome no nada sonoro - Im-posto Sobre Servio de Qualquer Natureza (ISSQN), mas o montante que destinado para as quase 100 cidades que esto nas rotas das rodovias federais pedagiadas e controla-das pelo Grupo OHL Brasil bem expres-sivo. As cidades de So Paulo, Minas Gerais, Rio de Janeiro, Paran e Santa Catarina onde atuam as concessionrias Autopista Rgis Bittencourt, Autopista Ferno Dias, Auto-pista Fluminense, Autopista Planalto Sul e Autopista Litoral Sul vo repartir o bolo de R$ 43 milhes referente ao faturamento nos trs primeiros trimestres de 2011. Detalhe: o volume representa apenas de 2% a 5% do to-tal da tarifa arrecada no pedgio. Para vai o dinheiro - Desde agosto de 2008 at setembro de 2011, foram repas-sados mais de R$ 134 milhes a cerca de 100 cidades: Curitiba, Fazenda Rio Grande, Mandirituba, Quitandinha, Campo do Te-nente, Rio Negro, Mafra, Itaipolis, Papan-duva, Monte Castelo, Santa Ceclia, Ponte Alta do Norte, So Cristvo do Sul, Ponte Alta, Correia Pinto, Lages, Capo Alto, Join-ville, Tijucas, Quatro Barras, Garuva, Guara-tuba, Piraquara, So Jos, Biguau, Itaja,

    D E U N A I M P R E N S ATranspo Online

    Do Site da Transpo Onlinejsalto@portalcopa2014.com.br

    Reproduo

    Navegantes, Balnerio Cambori, Cambori, Itapema, Porto Belo, Tijucas do Sul, So Jos dos Pinhais, Penha, Araquari, Barra Velha, Palhoa, Piarras, Governador Celso Ramos, Contagem, Betim, So Joaquim de Bicas, Igarap, Brumadinho, Rio Manso, Itatiaiuu, Itaguara, Carmpolis de Minas, Oliveira, Santo Antnio do Amparo, Perdes, Ribeiro Vermelho, Lavras, Nepomuceno, Carmo da Cachoeira, Trs Coraes, Campanha, So Gonalo do Sapuca, Carea, So Sebastio da Bela Vista, Pouso Alegre, Estiva, Cambu,

    Camanducaia, Itapeva, Extrema, Vargem, Bragana Paulista, Atibaia, Mairipor, Gua-rulhos, So Paulo, Taboo da Serra, Embu das Artes, Itapecerica da Serra, So Lou-reno, Juquitiba, Miracatu, Juqui, Registro, Pariquera-au, Jacupiranga, Cajati, Barra do Turvo, Campina Grande do Sul, Antonina, Colombo, Campos dos Goytacazes, Con-ceio de Macabu, Quissam, Carapebus, Maca, Rio das Ostras, Casimiro de Abreu, Silva Jardim, Rio Bonito, Tangu, Itabora, So Gonalo e Niteri.

    ANTT anuncia audincia pblica do edital do TAV para fevereiro

    Transpo Online

    Do site da Transpo Onlinejsalto@portalcopa2014.com.br O diretor geral da Agncia Nacional dos Transportes Terrestres (ANTT), Bernar-do Figueiredo, afirmou semana passada que o edital do trem de alta velocidade (TAV), que ligar Campinas a So Paulo e Rio, de-ver ser colocado em audincia pblica no incio de fevereiro. Segundo ele, o ministro dos Transportes, Paulo Passos, deve se reunir com outros rgos do governo esta semana ou na prxima para definir os ltimos pontos do edital. A proposta de edital do TAV estava prevista para ser publicada na semana pas-sada no Dirio Oficial da Unio, o que no ocorreu.

    O leilo do Trem de Alta Velocidade (TAV) j foi adiado por duas vezes e, quando foi realizado, em julho do ano passado, no houve interessados. Por isso, o governo de-cidiu alterar o modelo de licitao, dividindo-o

    em duas partes. A primeira trata da tecnologia que ser empregada nos trens. Somente aps a definio do consrcio operador - responsvel tambm pelo projeto executivo da linha - que sero licitados trechos de obras civis.

  • REVISTAINTERBUSS 22/01/12 17

    RESUMO DAS PRINCIPAIS NOTCIAS DA IMPRENSA ESPECIALIZADA

    Companhias derrubam preos e lota aeronaves para o carnaval Com a queda nos preos das passa-gens areas, boa parte dos viajantes ocasionais movidos pela grande festa popular brasileira, o Carnaval, esto trocando o transporte terrestre pelo areo. Para se ter uma ideia, s a com-panhia Azul Linhas Areas ter 56 voos extras para a cidade de Cabo Frio. As partidas, com incio em 10 de fevereiro, sero de Confins, Minas Gerais, e de Viracopos, em Campinas. Mas os voos ainda dependem de aprovao pela Anac. Estes voos fazem parte dos 300 voos extras que a companhia aguarda autorizao para o perodo de folia do brasileiro. Histori-camente a Regio do Lagos, no Rio de Janeiro, um dos destinos mais procurados nas frias e no Carnaval pelos brasileiro. Se aprovados, os voos tero incio no dia 10 de fevereiro e trmino em 27 de fevereiro de 2012. As opera-es esto previstas para serem realizadas com os turbolices ATR 72-200

    Transpo Online

    Do Site da Transpo Onlinejsalto@portalcopa2014.com.br

    Transpo Online

    BR-116 e BR-040 sero leiloadas Do site da Transpo Onlinejsalto@portalcopa2014.com.br Os editais dos leiles das rodovias BR-116 e da BR-040 devero ser divulgados entre os meses de abril e maio, afirmou hoje o diretor geral da Agncia Nacional dos Transportes Ter-restres (ANTT), Bernardo Figueiredo.De acordo com ele, os estudos tcnicos devero

    ser finalizados at o fim de janeiro pela agncia e depois sero enviados ao TCU at o final de fevereiro. A expectativa que em maro o TCU libere, disse. Assim, segundo Figueiredo, o edi-tal poder sair no ms seguinte. A projeo da ANTT que os leiles tambm ocorram entre os meses de abril e maio.

    Ecorodovias vence leilo da BR-101 entre Esprito Santo e Bahia

    Transpo Online

    Do Site da Transpo Onlinejsalto@portalcopa2014.com.br A Ecorodovias venceu o leilo da BR-101 entre o Esprito Santo e a Bahia apre-sentando proposta com valor de R$ 0,03391/km para o leilo da BR-101 entre o Esprito Santo e a Bahia. A proposta representa desgio de 45,63% sobre a tarifa-teto de R$ 0,06237 por quilmetro estabelecida pelo governo. A segunda posio foi ocupada pela proposta da Rodovia Capixaba de R$0,03612/KM, com desgio de 42,08%. A Triunfo entregou proposta com valor de R$ 0,03949/km, lance que represen-tou um desgio de 36,68% sobre a tarifa-teto. J a Isolux-Engevix ofereceu R$ 0,04239/km, desgio de 32,03%. A Invepar-Otp props o valor de R$ 0,04484/km, desgio de 28,10%. A CCR entregou proposta com valor de 0,05157/KM, desgio de 17,31%. A OHL props valor de R$ 0,05250/km, com desgio de 15,82% e o consrcio Itana ofereceu R$ 0,05598/km, desgio de 10,24%.

  • 22/01/12 REVISTAINTERBUSS18

    S E U M U R A LFOTOS, EVENTOS, OPINIO E CARTAS

    EM SUMAR/SPOs colecionadores Jorge Ciqueira e Giovani Alencar prximos da Rodoviria de Sumar em sesso de fotos no dia de ontem.

    Pesquisa da Semana

    A PARTIR DE HOJE, CONTINUE VOTANDO NA MESMA ENQUETE:

    Qual montadora de chassis para nibus voc gosta mais? VISITE:www.portalinterbuss.com.brE VOTE!

    AT ONTEMESTAVA NO AR A SEGUINTE ENQUETE:

    Qual montadora de chassis para nibus voc gosta mais?

    28,4% Volvo 41,98% Scania

    21 de Janeiro de2012

    O FIM DA AVA

    A operao da AVA - Auto Viao Americana, tradicional empresa da regio de Campinas, chegou ao fim no dia de ontem. Todas as suas linhas foram repassadas ao Grupo Belarmino, que j est operando.

    19,34% M. Benz 7,0% MAN/Volks 2,06% Agrale1,23% Outras

  • REVISTAINTERBUSS 22/01/12 19

    Alteraes de grande impactonas linhas de nibus da Zona Oeste de SP

    Dias atrs, entusiastas locais troux-eram uma novidade: o seccionamento de vrias linhas na rea 8 de So Paulo - aquela de cor laranja e que fica na zona oeste, s que esse informativo apareceu somente em algu-mas paradas de nibus e em coletivos. Com essa novidade, muitas pessoas tentaram pes-quisar no site da SPTrans essa mudana, mas no havia nenhuma informao. Na ltima sexta-feira, dia 20, apare-ceu uma reportagem no Bom Dia So Paulo da TV Globo, referindo sobre as mudanas de linhas de nibus nas regies de Butant e Pin-heiros. Somente s 16h56 desta ltima sex-ta-feira foi publicada oficialmente no site da SPTrans as alteraes das linhas de nibus na rea 8. Em primeiro lugar, a SPTrans deveria divulgar, com antecedncia, todas as mudan-as significativas com a possibilidade de cau-sar impacto aos seus passageiros. Sempre que uma linha de metr do tipo centro-bairro chega a um distrito, co-mum redues de itinerrios de linhas de ni-bus. Quando foi inaugurado a primeira linha do metr em 1974, uma grande quantidade de linhas teve seu trajeto reduzido at a esta-o de metr mais prxima. E isso aconteceu tambm na inaugurao do Metr Tatuap em 1981 e Metr Itaquera em 1988. Antigamente, nesses seccionamen-tos, haviam terminais de nibus cobertos, pri-orizando segurana e conforto aos passage-iros para no se molharem, e cerca de 90% dos nibus que faziam suas linhas bairro-metr paravam dentro desses terminais. Isso se repetia quando algum terminal de nibus urbano da prefeitura inaugurado, permitin-do mais troncalizaes e seccionamentos. Mas como eu vejo que Butant e Pinheiros no h nenhum terminal construdo (fora o do Metr Butant que parece que est saturado e ocupado pela maioria de linhas intermunicipais da EMTU), a transferncia (ou baldeao) desses veculos realizado no meio de simples paradas de nibus (constru-das especialmente para esse fim). Algumas linhas no permitem descer nessas paradas de transferncia, fazendo o passageiro descer no meio da Rodovia Raposo Tavares, Av. Francisco Morato e Av. Corifeu de Azevedo Marques. Lembramos que com a chegada da Linha 4 - Amarela do Metr (da ViaQuatro), muitos passageiros para ir ao centro ou regio da Paulista de nibus migraram para o metr, diminuindo ainda mais o nmero de

    passageiros nos nibus. E para o cidado re-alizar essa transferncia, no esquea de ter o seu bilhete nico, indispensvel para o nosso cotidiano. Ok, esperei 00h10 do dia 21 de ja-neiro, e consultando o site da SPTrans, uma surpresa!! Praticamente todas as linhas (con-fesso que no consultei todas, mas a maio-ria), em vez de ter suas extines de linhas

    VIAGENS & MEMRIA Marisa Vanessa N. Cruzideiaselembrancas@gmail.com

    Luciano Roncolato

    no dia 21, colocaram no sistema que a data de suas extines seria no prximo dia 28, e ne-nhuma das linhas que teoricamente deveriam ser criadas no dia 21 apareceram no banco de dados da SPTrans informando suas partidas e itinerrios. Agora vamos ver como ser a prx-ima segunda-feira dia 23 (ou dia 30) com as mudanas j realizadas.

    EM PINHEIROS nibus da rea 8 em operao na regio da Estao Pinheiros do Metr

  • 22/01/12 REVISTAINTERBUSS20

    CIRCULANDO Jos Euvilsio Sales Bezerraje.sales@revista.portalinterbuss.com.br

    LINHA 576M/10 VILA CLARA - PINHEIROS Falta de investimento na priorizao do transporte coletivo faz esta linha fazer um trecho que poderia ser feito em 20 minutos em at 1 hora

    A p mais rpido... Andar de nibus em So Paulo du-reza... Muitas vezes chegamos mais rpido a p a nossos destinos do que de nibus. Tudo pela pssima estrutura de transporte que a Prefeitura da cidade oferece para a circulao de nibus pela cidade. Exemplos eu tenho, e muitos... Em 2007 eu ainda morava em Itape-cerica da Serra. Pegava um nibus no Jardim das Oliveiras, da linha 395TRO Metr So Judas, e seguia at a regio de Moema. Em um desses dias, o nibus chegou, depois de hora e meia de viagem, entrada da Avenida Ibirapuera. Nesse dia o corredor de nibus, com faixa esquerda, estava congestionado. Como so dezenas de linhas e todas elas pram em todos os pontos, os congestion-amentos eram e ainda so inevitveis. Na calada, do lado direito, vi um colega de trabalho. Ele vinha de nibus do Brooklin, mas o nibus onde ele estava tam-bm parou no congestionamento do corredor. Sem pacincia, ele desceu um ponto antes do ponto na entrada da Avenida Ibirapuera e seguiu a p at o nosso servio. Ele a p na calada e eu no nibus no corredor. O nibus andava praticamente no ritmo das passadas do colega. No final, eu e meu colega chega-mos juntos no trabalho.

    ***

    Hoje, morando mais perto do ser-vio, uso a linha 576M/10 Pinheiros. Essa linha d uma volta danada pra sair do Jardim Aeroporto e chegar em Moema. Passa em fr-ente ao Aeroporto, faz um retorno embaixo do Viaduto Joo Julio da Costa Aguiar (at aqui, com o transito, j foram 20 minutos), passa de novo em frente ao Aeroporto, s que na via oposta, corta o bairro do Campo Belo adentro e cruza a Avenida dos Bandeirantes isso aps, pelo menos, dez minutos na fila do farol que cruza a Avenida, que abre por 20 se-gundos a cada 3minutos... Um aventura que, muitas vezes, levava mais de uma hora por causa do transito e, especialmente, por causa do retorno, que faz o trajeto da linha aumen-tar em mais de 1km. Sem trnsito, o mesmo trajeto pode ser feito em 20 minutos. De tanto chegar atrasado, resolvi mudar de estratgia: passei a utilizar a linha 175T Metr Santana. Ela no passa em Mo-ema mas descendo no ponto do clube Srio e caminhando por uns 15 minutos, chego ao bairro de Moema no horrio. Enquanto isso, o nibus da 576M est preso na travessia da Avenida dos Bandeirantes. Alm de chegar no horrio, ainda incorporei a caminhada a minha atividade fsica h males que vm

    para bem.

    ***

    Outra da 576M. Uma vez, quando o nibus parou no nico ponto da linha na Av. Olavo Tarqunio de Souza, no Campo Belo, um rapaz, magrelo e cabeludo, vinha correndo para embarcar. No entanto, o motorista no o viu e acabou deixando o ponto. O rapaz no se fez de rogado e comeou a correr atrs do nibus. O nibus foi seguindo pela Olavo Tarquno s que, a medida que ia se aproxi-mando da Rua Conde de Porto Alegre, que cruza Avenida dos Bandeirantes, o trnsito foi ficando mais lento. Enquanto isso, o rapaz

    vinha no pique e logo ultrapassou o nibus. No momento da ultrapassagem, o nibus fi-cou parado no transito na converso da Olavo Tarquino para a Rua Conde de Porto Alegre. Logo no primeiro ponto da Rua Conde de Porto Alegre, nosso amigo corredor faz sinal para o nibus e segue viagem at Pinheiros...

    ***

    As histrias acima so alguns rela-tos de alguns percalos que eu e outras pes-soas passamos diariamente nos nibus de So Paulo. Infelizmente, aqui ainda o transporte coletivo prioridade apenas na fala das auto-ridades municipais.

    Jos Euvilsio Sales Bezerra

  • REVISTAINTERBUSS 22/01/12 21

    RER a sigla de Rseau Express Rgional, ou Rede Expressa Regional, em portugus. So trens que ligam Paris s ci-dades da aglomerao urbana. Cinco linhas (A, B, C, D e E) cobrem uma malha de 587 quilmetros (76,5 deles em trechos subterr-neos, dentro do permetro parisiense), aten-dendo a 257 estaes. Das cinco linhas, todas so operadas pela SNCF, mas as linhas A e B so divididas com a RATP (parte do trajeto feito pela RATP e a outra da SNCF). Todas as linhas so bastante dife-rentes umas das outras, especialmente em demanda. A nica semelhana entre elas o atendimento a bairros de periferia da aglome-rao. por isso que, especialmente a SNCF, trabalha com modelos diferentes para cada linha. Outra curiosidade que todas as linhas possuem pelo menos uma ramificao e, por isso, cada atendimento recebe um apelido, que vem em letras garrafais no itinerrio ele-trnico dos vages. A linha C, por exemplo, possui 35 itinerrios diferentes, portanto, 35 apelidos (o nico itinerrio que atende es-tao Versailles/Rive Gauche, a mais prx-ima do Chateau de Versailles, por exemplo, recebe o apelido VICK). A linha A, no trecho parisiense, segue por um trajeto prximo da linha 1 do metr. Assim como a linha 1 a mais movi-mentada do metr, a linha A a mais movi-mentada do sistema de RER da aglomerao

    parisiense. Seu trajeto corta a aglomerao de leste a oeste, e passa pela regio de La De-fense, atual centro financeiro de Paris, pelo Arco do Triunfo (estao Charles de Gaulle/Etoile), pelo gigante complexo Chatelet/Les Halles, e uma de suas ramificaes chega at a Disneyland (estao Marne-la-Valle/Chessy). Sim, porque Paris tem sua Disney-lndia, e ela no poderia deixar de ser aten-dida pelo transporte pblico. Se a linha A atende a Disneylndia, o perfil da linha B tem como foco, atual-mente, o atendimento dos aeroportos. Cru-zando a aglomerao parisiense de norte a sul, a linha passa pelos aeroportos de Orly (atravs da estao Antony, que conecta o RER ao monotrilho automatizado Orlyval) e Charles de Gaulle, e ainda passando pela Gare du Nord, de onde saem servios de alta velocidade (o francs TGV e os interna-cionais Eurostar e Thalys) e pelo complexo Chatelet/Les Halles. A linha C passa por grandes pon-tos tursticos: Notre Dame, Muse dOrsay, Tour Eiffel e Chateau de Versailles. Mas o ltimo que atrai mais passageiros, por ser o meio mais rpido de chegar l. A estao Versailles/Rive Gauche est a poucos metros da entrada do palcio e, durante a alta tem-porada, os trens de dois andares vo lotados, com gente de todo o mundo. Se, de um lado da linha, h o Chateau de Versailles, do outro h atendimento ao Aeroporto de Orly (atravs de conexo gratuita com nibus da Aroports de Paris, concessionria do aeroporto, na es-

    D I R I O D E B O R D ODICAS DE VIAGEM TURISMO NACIONAL GASTRONOMIA TRECHOS E ROTAS

    Mais um pouco de ParisEuropa - Parte 2

    Fbio Tanniguchifabiott@revista.portalinterbuss.com.br

    Wikipedia

    R.E.R.

    tao Pont de Rungis/Aroport dOrly). J as linhas D e E possuem um aten-dimento quase exclusivamente voltado ao deslocamento de cidados da aglomerao de e para regies bem perifricas. O RER E o mais novo do sistema, inaugurado em 1999. O uso do RER bastante semel-hante ao do metr. A nica diferena est na validao dos tickets na entrada e na sada, para verificar se o passageiro est desembar-cando dentro da rea que tem direito a cir-cular (o valor da passagem varia de acordo com a distncia). H menos estaes com acessibilidade completa, mas ainda assim maioria. O que tambm unanimidade no RER, assim como no metr, so as catra-cas especiais tipo barreira para cadeirantes, gestantes e passageiros com malas grandes. Isso grande importncia, especialmente no RER B, que atende aos dois aeroportos de aviao comercial de Paris. Por levar diariamente pessoas das periferias para Paris, o RER sofre de super-lotao nos horrios mais crticos. At para selecionar o pblico, alguns itinerrios que atendem a aeroportos no passam pelas es-taes da periferia. uma forma de jogar para baixo do tapete esse problema e es-conder a prpria desigualdade social (a qual os franceses costumam culpar os imigrantes, em sua maioria, africanos), j que o turis-ta no ir ver uma multido de pessoas de baixa renda, em sua maioria negros, andan-do em vages lotados, alguns at pichados internamente.

  • 22/01/12 REVISTAINTERBUSS22

    Jos Euvilsio Sales Bezerra

    Usando Android Semana 07 Trazendo novamente bons aplicati-vos para Android. Aplicativos que vo alm do que todos j conhecem que so aqueles que integram e fazem funcionar servios do Google no Android. Vale lembrar que todos os aplicati-vos so encontrados na Android Market, loja de aplicativos para Android. Ao contrrio dos usurios de produtos da Apple, quem opta pelo Android tem uma gama muito boa de aplicativos gratuitos. Afinal, exatamente a filosofia do Google de facilitar o desenvolvi-mento de aplicativos que encoraja programa-dores a desenvolverem aplicativos gratuitos. Ter um Galaxy SII pode ser mais vantajoso que ter um iPhone, at mesmo na ponta do lpis. Portanto, vamos aos aplicativos de-sta semana:

    PreoNaMo Quer pegar seu celular no meio do supermercado e pesquisar o preo na concor-rncia apenas lendo o cdigo de barras? Essa a proposta do aplicativo PreoNaMo. Com um boto na tela, o aplicativo liga a cmera do celular e procura um cdigo de barras. Ao ach-lo, a foto tirada. O apli-cativo mostra o cdigo decodificado e tenta procurar esse cdigo dentre as lojas que se cadastram para inserir preos. O grande problema ainda a pequena quantidade de lojas. Boa parte de-las fica em capitais, e h pouca variedade de lugares. Ainda assim, possvel usar o apli-cativo para decodificar um cdigo de barras qualquer. E tambm possvel fazer a pes-quisa de preos manualmente, sem a neces-sidade de tirar foto de um cdigo de barras. Assim, o aplicativo at que fica um pouco til.

    X Construction Mais um jogo simples e divertido, mas com uma ideia diferente: usar barras para construir uma ponte por onde passar um trem. O nmero de barras vai ficando mais limitado com o passar de fases, caando cria-tividade e um toque de engenheiro no joga-dor. possvel escolher um nvel de dificuldade. Conforme ele aumenta, o trem fica maior e mais pesado, fazendo cair pontes com gambiarras infelizes que funcionavam com trens mais leves. Ou seja, uma tima opo para se divertir.

    Zoner Antivirus Free Atualmente, os smartphones e tab-lets tem sido cada vez mais alvo de pessoas

    maliciosas, que buscam brechas para invadir esses equipamentos e pegar dados impor-tantes. Por isso, tem crescido na Android Market as vendas de antivrus pagos. Alguns deles so inclusive bem pesados, segundo avaliaes de especialistas. Porm, nem to-dos esto dispostos a pagar por um antivrus para o seu aparelho mvel. E, para quem mais cuidadoso, no se faz necessria uma proteo muito maior que acaba pesando no processamento e na bateria. O Zoner Antivirus Free um anti-vrus pago para aparelhos Android, muito bem avaliado pela Revista INFO Exame. Alm de antivrus, permite o controle de per-misses dos aplicativos, um gerenciador de tarefas, bloqueia chamadas de nmeros que o usurio pode inserir e permite rastrear e con-trolar aparelho perdido. Vale a pena usar.

    Qual Operadora? Quem nunca quis saber a operadora de um nmero para prever se poder usar os bnus? Pois , o Qual Operadora? permite pesquisar a operadora de um nmero digitado e tambm visualizar a operadora de todos os nmeros da lista de contatos. O grande problema que no recon-hece a portabilidade. Sempre aparecer a op-eradora original do nmero. Uma opo alternativa seria o apli-cativo Discador MeuChip. Porm, to-talmente inconveniente e chato, na medida

    em que se integra ao Facebook convidando amigos e escrevendo mensagens automatica-mente. Fica a crtica para os campineiros da Movile (que nem se assume no Market como dona do aplicativo, aparecendo um tal de Alouw Dev Team) que fizeram o aplicativo. por essa inconvenincia que o aplicativo vi-rou motivo de piada no Facebook, juntamente com o MeuCalendrio e companhia limitada. A sorte do colunista que escreve aqui que ele soube do quo invasivo era o aplicativo antes de pensar em instal-lo, em uma conversa com dois estagirios da Mov-ile, que disseram que o aplicativo da empresa era timo e convidava automaticamente ami-gos do Facebook a us-lo caso o usurio qui-sesse usar todas as funcionalidades, como se fosse uma maravilhosa e brilhante ideia. Portanto, baixem o Qual Opera-dora? caso no queiram ser mais um incon-veniente que usa o Meu Chip e importuna os amigos com solicitaes de aplicativo. E vamos espalhar essa ideia para que mais pes-soas no caiam na armadilha e na falta de bom senso do Meu Chip.

    Piano Perfect Pode parecer tedioso, mas , no mnimo, curioso ter um piano no smartphone ou tablet. O Piano Perfect um aplicativo que, ao ser iniciado, enche a tela com as teclas de piano. Conforme o usurio vai tocando as teclas, a msica vai saindo, como se estivesse tocando um piano de verdade.

    PARADA DIGITAL Fbio T. Tanniguchifabiott@revista.portalinterbuss.com.br

    PREO NA MO E QUAL OPERADORA timos aplicativos e muito teis

  • REVISTAINTERBUSS 22/01/12 23

    Nos ltimos meses, os jornais e revistas se encheram de anncios sobre as chamadas Smart TVs, as TVs inteligentes. So TVs que acessam o YouTube, o Face-book e so integradas a sistemas de locao de vdeos online. So TVs que possuem at aplicativos, mas sem grande variedade. Cada fabricante, atualmente, tem seu sistema em-barcado e a verdade que a Smart TV nesse padro j empacou, assim como o Symbian empacou e foi abandonado pela Nokia e cada vez mais celulares tero Android. Por que empacou? Porque os fab-ricantes perceberam que sistemas propri-etrios, que funcionam unicamente nos apa-relhos daquele fabricante, acabam ficando limitados em variedade de aplicativos (que desenvolvedor vai fazer um aplicativo para

    Nem smartphone, nem tablet, nem PC:a corrida dos sistemas operacionais pela TV

    funcionar em TVs de apenas um fabricante, ou vai ter a pacincia de tentar desenvolv-lo para todas as TVs?), e, portanto, em fun-cionalidades. Assim, a Smart TV de 2012 precisa comear a ter sistemas operacionais dedi-cados e adaptados a elas, mas preferencial-mente feito por uma outra empresa que o far popular em TVs de todo o mundo. A Canonical j anunciou a nova verso de sua distribuio Linux: a Ubun-tu TV. Logicamente, ser um Ubuntu, com pouca adeso dos fabricantes, mas muitos fs geeks acoplando minicomputadores com o sistema instalado s suas TVs de LCD co-muns. Se o Ubuntu parece s o start, tem quem faa sua primeira aposta. A Lenovo

    lanar uma TV equipada com o Android 4.0 (Ice Cream Sandwich). Ser a TV com suas funcionalidades comuns, mas com a vasta gama de aplicativos gratuitos e interessantes do Android Market. E sero dois controles re-motos: um para as funcionalidades comuns e outro para navegar pelos aplicativos e jogar. Mas, calma, apenas o comeo. O maior projeto da Apple ultimam-ente a sua TV. Um projeto aprovado e con-duzido por Steve Jobs ainda em vida e que dever revolucionar o conceito de aparelho televisor, assim como o iPad lanou um nicho nunca antes explorado com tanto destaque. No que as tentativas da Canonical e da Lenovo acabem sendo jogadas no lixo. a juno de tudo que far a TV do futuro, a TV que um dia voc vai ter na sua casa.

    NOTAS

    Links interessantes:TV da Lenovo com Androidhttp://olhardigital.uol.com.br/produtos/digital_news/noticias/ces-2012-lenovo-traz-primeira-tv-com-ice-cream-sandwich-veja-imagens

    Ubuntu TV ser lanado na CEShttp://olhardigital.uol.com.br/produtos/digital_news/noticias/ubuntu-tv-tera-estreia-na-ces-2012

  • 22/01/12 REVISTAINTERBUSS24

    GUSTAVO BAYDEMarcopolo Paradiso G7 1200 MBB O-500RSD Sampaio

    A S F O T O S D A S E M A N A

    KEVIN WILLIAN MARTINSMascarello Gran Via MBB O-500MA Biguau

    TIAGO DE GRANDEComil Svelto MBB OF-1418 Fnix Ilhabela

    RODRIGO GOMESMarcopolo Paradiso G6 1200 Scania K310 Rio Minho

    ALEX MILJCOVICIrizar PB Scania K380 Expresso Nordeste

    MATHEUS NOVACKINeobus Mega BRS MBB O-500MA Campos Gerais

    Portal InterBuss - Nova Galeria de Imagens www.portalinterbuss.com.br

  • REVISTAINTERBUSS 22/01/12 25

    SELEO DAS MELHORES FOTOS PUBLICADAS EM SITES ESPECIALIZADOS NA SEMANA

    JORGE CIQUEIRABusscar Jum Buss 360 MBB O-400RSE Seven Bus

    FRANCIEL SOUZABusscar Jum Buss 360 Scania K124IB So Geraldo

    DIV. VITOR O. CARMO - ACERVO LUIZ ED. SANTOS-CIA. DE NIBUSMarcopolo Torino GV Scania L113CL Transportes Zona Oeste

    WESLEY ARAUJOBusscar Jum Buss 380 Volvo B12R Itapemirim

    VICTOR HUGO GUEDES PEREIRAMarcopolo Paradiso G6 1550LD MBB O-500RSD Brasil Sul

    WENDER LUIZ DOS SANTOSMarcopolo Paradiso G7 1200 MBB O-500RS VB Transportes

    Comunidade Scania no Facebook www.facebook.com/groups/187227991362257/

    Mercedes-Benz In Photos www.portalinterbuss.com.br/mercedes-benz

    Comunidade Busscar no Facebook www.facebook.com/ groups/269321236464387

    nibus Brasil www.onibusbrasil.com

  • 22/01/12 REVISTAINTERBUSS26

    PERNAMBUCANAS nibus da Viao Metropolitana de So Paulo, de um Grupo dePernambuco que aposta em tecnologias limpas para menor emisso de poluentes. A capitalpaulista uma das cidades que possuem presena marcante de empresas de nibuspernambucanas. As companhias j atuam de maneira significativa em Natal, So Paulo, Diadema e Sorocaba. Tambm esto presentes em mais cidades e esto de olho em novas licitaes e nas conjunturas dos transportes locais.

    Empresas de nibus Pernambucanas pelo Brasil Uma onda pernambucana. isso que o Brasil tem vivido no setor de transport-es urbanos? O termo onda pernambucana pode ser at um exagero, mas o fato que as em-presas do estado nordestino tm expandido seus negcios para outras regies do Pas. O principal grupo do da Metro-politana. A companhia, uma das maiores de Recife, j atua em So Paulo, ao adquirir a grande e tradicional Paratodos, que atendia parte da zona Sul da Capital Paulista. E inova ao aceitar o desafio de operar dezenas de ni-bus movidos a etanol, da marca Scania, que reduzem em at 80% a emisso de gases que contribuem para o efeito e 90% de materiais particulados, alm de zerar a liberao do enxofre, que provoca chuva cida e o pior, cncer. A presena do enxofre s encon-trada no diesel. Em Diadema, na Grande So Paulo, a MobiBrasil assumiu os servios que eram da Imigrantes, responsveis por 60% dos atendimentos populao da cidade do ABC Paulista. Os outros 40% eram operados pela empresa pblica ETCD Empresa de Trans-portes Coletivos de Diadema, que depois de acumular dvidas de R$ 110 milhes, teve seus servios licitados e repassados para a iniciativa privada, a Benfica Transportadora Turstica, de So Caetano do Sul, no ABC Paulista. A MobiBrasil de Pernambuco tam-bm e apesar de no ser a mesma empresa possui ligaes com a Viao Metropolitana, sendo as proprietrias de ambas parentes. Em Natal, no Rio Grande do Norte, as empresas pernambucanas tambm tm au-mentado. A Itamarac Transportes negocia a compra de 70% da empresa Conceio. O mercado j diz que o negcio foi fechado. Menos de dois meses antes, em dezembro, a Empresa Metropolitana, tambm de Pernambuco, comprou 70% da Guanabara Transportes. De acordo com Augusto Maranho, diretor do Sindicato das Empresas de Trans-porte Urbano de Passageiros do Municpio de Natal, Augusto Maranho, disse ao jornal Tri-buna do Norte, a Metropolitana quer comprar outras empresas em Natal. Para ele, a venda da Guanabara, no pontual. O sistema de transporte coletivo vem capengando. Hoje foi a Guanabara. Amanh ser outra disse ao jornal. Em maro de 2010, a Itamarac de Pernambuco comprou 70% da empresa Trampolim da Vitria, tambm de Natal.

    Como as empresas no tm condio de renovar a frota, esto venden-do ou se associando a grupos mais fortes. A tendncia no mercado natalense ser essa, afirmou Augusto Maranho ao jornal, que ai-nda faz um balano das empresas Conceio e Itamarac. Fundada em 1958, a Itamarac Transportes integra o Sistema de Transporte Pblico de Passageiros (STPP) da Regio Metropolitana do Recife, atendendo a oito municpios da zona norte: Recife, Olinda, Paulista, Abreu e Lima, Araoiaba, Igarassu, Itapissuma e Ilha de Itamarac. Atualmente, conta com uma frota de 254 veculos e gera mais de 1,2 mil empregos diretos. Por dia, realiza 2,7 mil viagens e transporta 200 mil passageiros. responsvel por 41 linhas. A empresa, que segundo informaes do site oficial tem investido na renovao da frota, conta com o maior nmero de veculos ar-ticulados e alongados do STPP - Sistema de Transporte Pblico de Passageiros. J a Conceio conta com 13 linhas de nibus urbanos nas quatro zonas da cidade e atua desde 1990 em Natal. A empresa tem trs terminais (Felipe Camaro, Guarapes e Cidade Nova). O terminal de Felipe Ca-maro, com mais de 70 nibus, o maior de Natal em frota. Segundo o Seturn, o RN conta com 21 empresas de nibus, entre munici-pais, metropolitanas e intermunicipais. S em Natal, circulam 750 nibus. Eles transportam

    por dia meio milho de pessoas. Em Sorocaba, no Interior de So Paulo, tambm h a presena pernambucana. A Metropolitana, de Recife, junto com a Jlio Simes (CS Brasil), de Mogi das Cruzes, forma o CS Consrcio Sorocaba, que assumiu o lote que era da TCS Trans-porte Coletivo Sorocaba, que foi descreden-ciado por dvidas e queda de qualidade. Entre a sada da TCS e a entrada do Consrcio So-rocaba, quatro empresas de nibus operaram emergencialmente as linhas: Reunidas Pau-lista, Rosa, Jundi e So Joo. Empresas de Pernambuco atuam ai-nda em outras cidades e esto atentas a mais licitaes e mudanas de sistemas regionais. Os exemplos citados nesta reportagem espe-cial so apenas alguns e levam em conta os locais onde a presena das empresas urbanas de Pernambuco mais representativa. O segredo, de acordo com um ex-ecutivo de uma das empresas pernambucanas que falou reportagem de Adamo Bazani, pensar frente e acompanhar as mais mod-ernas tendncias dos transportes. Ele pediu para no ser identificado para no atrapalhar alguns planos do grupo. Muitas empresas de nibus no tm assimilado que o momento de mudan-as, investir em qualidade, atendimento e tec-nologia no vanguardismo, obrigao. E as empresas de Pernambuco tm aproveitado este momento - disse

    NOSSO TRANSPORTE Adamo Bazaniadamobus@gmail.com

    Viaes compraram companhias de transportes em Natal, So Paulo, Sorocaba e Diadema e expanses continuam

  • INTERBUSSREVISTA

    1 ano informando com qualidadeINTERBUSS

    EST COM DIFICULDADE PARA VER ESTE TEXTO? NO DEIXE

    SEUS PASSAGEIROS PASSAREMPELO MESMO. ANUNCIE NA

    REVISTA INTERBUSS E CRESA!

    ENVIE SEU E-MAIL PARArevista@portalinterbuss.com.br

    E SAIBA COMO ANUNCIAR!

  • ESTE ESPAO ESTRESERVADO PARA VOC E PARA O SEU PRODUTO! ANUNCIE NA REVISTAINTERBUSS E ENTRE NA CASA DE MILHARES DEPESSOAS DIARIAMENTE!

    ENVIE SEU E-MAIL PARArevista@portalinterbuss.com.brE SAIBA COMO ANUNCIAR! RETORNO GARANTIDO!

    INTERBUSSREVISTA

    1 ano informando com qualidadeINTERBUSS