Revista GAU vol. 03 jan 2014

  • Published on
    09-Mar-2016

  • View
    214

  • Download
    1

DESCRIPTION

Terceiro volume da Revista GAU editada pela Galeria de Arte Urbana em abril 2013.

Transcript

  • GALERIA DE ARTE URBANAVHILS UNDERDOGS

    OS LUSADAS REVISITADOSROSTOS DO MURO AZUL

    VOL. 201403|

  • VOL.03|2014

    GALERIA DE ARTE URBANAGAU |

    NAS PAREDES

    De algum modo, os deuses reuniram-se em conclio e ajudaram a que todas as condies se propiciassem: estamos junto ao rio Tejo, de onde se partira para a gesta nacional dos Descobrimentos, num muro que mais parece uma onda a avanar sobre o terreno da Avenida da ndia, esse pas para o qual encontrmos o caminho martimo. Depois a dupla artstica ARM Collective mostrou-se disponvel para realizar a sua interpretao plstica da obra maior da poesia pica por-tuguesa. Os Lusadas surgiram, desta forma, revisitados pelo engenho e pela arte de RAM e MAR em composies que se espraiam pela velha parede. Mas no s sobre o reboco se fez a valerosa obra, estas figuras ilustram tambm a edio em papel dos 10 cantos, to-dos acompanhados por um conto evocativo de Jos Lus Peixoto. Numa colaborao entre a Viso e a Galeria de Arte Urbana, comemo-ra-se assim o 20 aniversrio da revista, e no Olimpo, os deuses sorriem perante o desen-rolar de to gloriosos acontecimentos.

    OS LUSADAS REVISITADOS

    Av. da ndia | 384148 N 91145 W

  • GAU |GALERIA DE ARTE URBANA

    3|

    As ruas percorrem-se sempre entre a palavra e o silncio. Na Rua de S. Bento, numa iniciativa de arte urbana integra-da na programao do Festival Todos, que contou com o apoio da GAU e da EDP Distribuio, inscrevem-se instantes fei-tos de letras numa paisagem que no se quer indiferente. Da autoria de Corleone e Im from Lisboa, a obra evoca a origem caligrfica do graffiti, em que o writer traava o seu tag, e traduz visualmente alguns dos idiomas que convivem nesta zona da cidade crioulo, croata, hindi, portugus. E nesta edio, os armrios tcnicos compem sequencialmente as palavras - Festival Todos 2013 -, sendo pois, dentro deste patrimnio e ritual da ca-ligrafia, que se descreveu uma caminha-da de culturas.

    Na sequncia de um concurso lanado em parceria pela GAU e Junta de Freguesia da Penha de Frana, foi realizada no muro da Calada do Poo dos Mouros, a pea O Lagarto da Penha de Frana dedicada lenda associada histria deste local. Da autoria de Leonor Brilha, o mural revela a riqueza do discurso plstico da autora e proporciona diversas leituras, desta-cando-se o cuidado com que a pea foi integrada no contexto paisagstico e pat-rimonial. Posteriormente, foram organi-zados workshops sobre arte urbana na Biblioteca Municipal da Penha de Frana, para alunos de escolas bsicas desta zona. Lagarto, lagarto, lagarto! foi o mote para o conjunto de atividades que geraram sor-risos e despertaram o olhar para a arte urbana destes pequenos muncipes.

    ENTRE A PALAVRA E O SILNCIO

    O LAGARTO DA PENHA

    Rua de So Bento | 38435 N 9920 W

    Calada do Poo dos Mouros | 384348 N 9751 W

  • VOL.03|2014

    GAU |GALERIA DE ARTE URBANA

    NAS PAREDES

    Os rostos do muro azul continuam a surgir, nesta interveno promovida pela GAU, em parceria com o Centro Hospitalar Psiquitrico de Lisboa, que conta j com seis edies. Divulgamos ima-gens das peas produzidas nas ltimas trs fases da iniciativa. Do lado poente do muro, 13 traba-lhos realizados em junho passado, seguidos em agosto por um Hall of Fame, produzido em cola-borao com writers nacionais e internacionais. Por ltimo, durante o ms de novembro, lanou--se nova fase deste projeto, no lado nascente do muro da Rua das Murtas, com a execuo de nove obras por artistas do universo feminino, porque afinal o azul no s para os meninos!

    ROSTOS DO MURO AZUL

    Maio, Hugo Lucas e Sphiza

  • GAU |GALERIA DE ARTE URBANA

    5|

    Drawings Jesus, Nicolate Negura, Jaime Ferraz, Ivan Carvalho, Uivo e Joo Varela

    Adnate, Morta e Pariz | Rua das Murtas | 384538 N 9853 W

    Maio, Hugo Lucas e Sphiza

    Edis One, Tinta Crua, Ephy.23, Ricardo Bu e Opeo

  • VOL.03|2014

    GAU |GALERIA DE ARTE URBANA

    NAS PAREDES

    O projeto de interveno artstica da APAURB-Associao Portuguesa de Arte Urbana, na Passagem Pedonal Subter-rnea de Alcntara, conta com a parti-cipao ativa de um vasto conjunto de writers nacionais e internacionais, cria-dores do universo do graffiti e da street art e diversos voluntrios que desde agosto tm vindo a deixar o seu contri-buto para a requalificao deste espao.

    PASSAGEM PEDONAL SUBTERRNEA DE ALCNTARA

    GlamMaria ImaginrioVanessa Teodoro

    Sushi Moa Leonor Brilha Tamara Alves

    Wasted Rita

    APAURB

    APAURB | Alcntara | 384210 N 91028 WKatJos Carvalho

    Mariana Dias Coutinho

    Ephy.23

    ROSTOS DO MURO AZUL

  • MAISMENOS | Largo Vitorino Damsio | 384228 N 9913 W

    Cyrcle | Travessa dos Brunos | 384216 N 9100 W

    MAISMENOS | Avenida das Foras Armadas | 384443 N 9943 W

    Interesni Kazki | Praa Olegrio Mariano | 384352 N 9759 W | Underdogs (www.under-dogs.net) por cortesia dos artistas

  • Pixel Pancho & Vhils | Jardim do Tabaco | 384236 N 9741 W

  • Pixelpancho | Rua Conselheiro Mariano de Carvalho| 38467 N 964 W

    How and Nosm | Av.da ndia | 38426 N 91036 W

    How and Nosm | Rua Incio Pardelhas Sanchez | 38440 N 91013 W How and Nosm | Av.da ndia | 38426 N 91036 W (pormenor)

    Cyrcle | Rua Conselheiro Mariano de Carvalho | 38467 N 967 W

  • GAU |GALERIA DE ARTE URBANA

    11|

    VHILS

    ENTREVISTA COM

    - Queres recriar o momento de h um ano atrs e apresentar--nos o projeto UNDERDOGS 2013 como se fosse a primeira vez?A ideia de relanar o projecto Underdogs, depois do trabalho realizado em 2010 e 2011, surgiu h algum tempo, entre mim e a Pauline Foessel. Propus a ideia e, com bom feedback vosso, decidimos avanar para a aventura que foi o projecto em 2013. A ideia original consistia em criar um projecto que fosse sustentvel por si s, de murais, edies e expo-sies em Lisboa. No queramos que fosse apenas uma galeria no sen-tido tradicional, mas sim uma plataforma que para alm de exposies poderia dar tambm cidade novas intervenes artsticas no terreno capazes de enobrecer o seu espao pblico, lanando tambm edies serigrficas dos artistas com quem trabalhamos que fossem acessveis aos seus seguidores e outros interessados, o que tambm ajudaria a tornar o projecto sustentvel. Outra das nossas apostas consiste em promover junto dos artistas estrangeiros convidados a cultura visual de Lisboa, da calada portuguesa azulejaria tradicional e demais ele-mentos e indstrias que contribuem para tornar esta cidade nica. Aos artistas portugueses, a aposta consiste em dar-lhes espao para desen-volver e maturar os seus projectos, no s em Portugal mas tambm contribuindo para promover a sua internacionalizao.Sem o vosso apoio teria sido impossvel concretizar este projecto e, por este motivo, devemos um profundo agradecimento equipa incansvel do Departamento de Patrimnio Cultural da CML que tem reconhe-cido e apoiado o trabalho que tem sido feito por todos os artistas que querem uma cidade mais humana e aprazvel, investindo neste novo patrimnio cultural de Lisboa.

    - Podes falar-nos do processo de curadoria do projeto? Como conheceste estes artistas? O que te levou a escolh-los para esta edio?O processo de curadoria foi desenvolvido em parceria com a Pauli-ne Foessel. Em conjunto decidimos apostar em artistas estrangeiros que julgamos j terem uma obra reconhecida no plano internacional e que pudessem enriquecer a vida cultural da cidade com o seu tra-balho, assim como em artistas portugueses que julgamos terem obra que justifique um apoio alargado de forma a promover o seu traba-lho, tanto c como no estrangeiro. Apesar de terem sido todos selec-cionados pela validade do seu trabalho alguns destes artistas j eram

    nossos conhecidos ou amigos; outros ficmos a conhecer apenas aps o convite para visitarem esta nossa linda cidade, e passaram a ser amigos tanto do projecto como de Lisboa e do pas.

    - Qual a tua opinio sobre as diversas peas de arte urbana realizadas e a sua relao com o espao da cidade?Numa altura em que o espao pblico das cidades parece perder a importncia que j teve na vida social e comunal dos seus habitantes, em que a socializao parece desenvolver-se ou em espaos de natu-reza comercial ou nas redes sociais e demais espaos virtuais, parece--nos imensamente importante contribuir para revitalizar a sua rela-o com os cidados, ajudando a fomentar a participao destes na sua gesto, manuteno e embelezamento. Julgamos ser importante que o espao pblico tenha cada vez mais actividades de e para os cidados, e que o espao visual da cidade tenha mais participao dos habitantes que nela vivem. Cremos que este espao eminentemente social no deve s ser usado para sinaltica e publicidade, mas sim ser optimizado de forma a torn-lo mais humanizado com o trabalho de artistas e outros que possam dar um contributo vlido nesse sen-tido. A nossa ideia aqui a de aproveitar e capitalizar uma energia criativa que j existe nestes espaos de forma espontnea, mas dan-do-lhes um apoio e enquadramento que permita um melhor aprovei-tamento das suas capacidades. Acreditamos que o trabalho efectuado neste ano de 2013 em Lisboa apresenta um resultado muito positivo, tanto para a cidade e os seus habitantes como para os artistas. Temos sentido isso nas imensas reaces que recebemos ao longo do ano, tanto por parte da imprensa nacional e estrangeira, como de especia-listas, interessados, curiosos e outros. Mais uma vez, sem a postura visionria mas ao mesmo tempo pragmtica deste departamento da CML que tem sabido abraar, aproveitar e fomentar esta nova ener-gia criativa, o ganho no teria tido esta dimenso. Um projecto desta natureza s faz sentido com esta interaco, e acreditamos que parte do retorno tambm se v no modo como a cidade tem sido promovida no s no resto do pas como no estrangeiro.

    - O que ests a planear para 2014?Vrias surpresas, inclusive algumas para Lisboa, mas se as divulgasse agora no seria surpresa...

    H muito que acompanhamos e apoiamos o trabalho de Alexandre Farto, aka Vhils. Vimo-lo amadurecer o seu discurso visual, os seus princpios de criao, transgredir limiares dentro da prpria street art, ultrapassar muitas fronteiras, expandindo mundialmente a sua obra, atingir pncaros de notoriedade, mas sempre, sempre com uma ateno ao outro, com uma conscincia social, com uma preocupao relativamente ao espao pblico que tem pautado no s a sua obra, mas tambm os projectos que desenvolve com e para outros artistas. Tal o caso do Underdogs. Num regresso a Lisboa que Vhils longamente prometera, surgiram nas ruas da cidade, durante o ano de 2013, peas da dupla Interesni Kazki (UC), Cyrcle (US) a segunda dupla, Pixel Pancho (IT) em dupla com Vhils, maismenos (PT) a solo e How and Nosm (ES), a dupla derradeira. O cartaz deste III volume da revista GAU -lhes inteiramente dedicado e fica clara a diversidade, a riqueza e a consistncia destas manifestaes, num inegvel contributo para a revitalizao artstica da vivncia urbana. Vhils, que venha um novo ano, com muitas outras iniciativas, pois c estaremos para as apoiar.

    Pixelpancho | Jardim do Tabaco | 384236 N 9741 W

  • VOL.03|2014

    GALERIA DE ARTE URBANAGAU |

    No mbito da programao do Assalto a Lisboa, iniciativa organizada pelas BLX - Bibliotecas Municipais de Lisboa, o writer MOSAIK realizou uma obra de arte urbana num dos muros do jardim do Museu da Cidade, intitulada A Barca e evocativa da lenda de S. Vicente, padroeiro de Lisboa. O artista orientou ainda o workshop de arte urbana A Parede tua! Queres pint- -la?!, ao som de DJ Set da dupla Beats & News, desafiando as crianas e os jovens participantes a conhecer e experienciar o universo do graffiti e da street art.

    Se passarmos pela Rua do Olival, nada pa-rece ter acontecido. No entanto, ao obser-varmos mais atentamente, surge camuflada num muro, a interveno de Mariana Dias Coutinho. Num respeito total pelo suporte, a autora apropriou-se da natureza e estado de conservao do prprio muro: primei-ro, uma nuvem, depois, a espuma de uma onda, a seguir um p, algumas mos, vrios corpos e diversos rostos. A obra contou com o apoio da GAU e foi executada no contexto da exposio Insolitus patente na galeria do espao ME108, promovida pela APAURB Associao Portuguesa de Arte Urbana.

    A BARCA

    INSOLITUS

    MURAL CPLP

    Museu da Cidade, Campo Grande | 384531 N 9926 W

    Rua do Olival | 384221 N 9940 W

    Rua Professor Fernando Fonseca | 384542 N 9955 W

    MAIS NAS PAREDES

    A 2 Conferncia sobre o Futuro da Lngua Portuguesa no Sistema Mundial decorreu em Lisboa, no ano passado, e integrou uma singular compo-nente de arte urbana no mbito do seu vasto programa. com satisfa-o que a cidade acolhe agora uma pea que celebra a importncia e o papel do futuro da lngua portuguesa. Em resposta ao desafio lanado

    GAU pela CPLP - Comunidade dos Pases de Lngua Portuguesa e pelo Instituto Cames, foram convidados NARK, NOMEN e YOUTH ONE, writers com origem e ligao aos pases desta comunidade lingusti-ca, que produziram um mural localizado em Telheiras. Organizou-se ainda uma visita guiada ao local com os participantes da conferncia.

  • GAU |GALERIA DE ARTE URBANA

    IV Congresso de Turismo Cenrios com Futuro Organizado pelos alunos e professores do 11 ano do Curso Pro-fissional Tcnico de Turismo da Escola Secundria de Carcavelos, Centro Cultural de Cascais, abril 2013.

    Seminrio Cultura e Criatividade como fatores de Desenvolvimento Organizado pelo AUDAX - Centro de Empreendedorismo do ISCTE no mbito do seu Programa de Formao Avanada em Empre-endedorismo Cultural e Indstrias Criativas ADN Criativo, abril 2013.

    Colquio Arte no espao pblico Regenerao urbana atravs da interveno artstica Projeto Entre Margens, organizado pela Associao Cultural Procur.arte e promovido pela Fundao Museus do Douro, Vila Real, maio 2013.

    Seminrio Bairro Alto: 500 anos de quotidiano Organizado pela Seco de Estudos do Patrimnio da Sociedade de Geografia de Lisboa, nas suas instalaes, maio 2013.

    Aula aberta No Programa de Seminrios do Projeto Final do Mestrado em Arquite-tura do ISCTE, organizado por Pedro Costa, ISCTE, setembro 2013.

    Conferncia Do Graffiti: Passado e Presente de uma Expresso de Risco Na Faculdade de Belas Artes da Universidade de Lisboa, organiza-da pelo Professor Jos Quaresma, setembro 2013.

    Conferncia sobre arte urbana Na Universidade Lusada de Lisboa, no mbito do projeto de investigao Os materiais da Arquitetura, moderada pelo Professor Doutor Rodrigo Ollero, outubro 2013.

    Seminrio sobre arte urbana,No mbito do Curso de Mestrado em Cultura e Comunicao da Faculdade de Letras da Universidade de Lisboa, organizado pela Professora Doutora Teresa Malafaia, Lisboa, outubro 2013.

    Encontro de Tcnicos da Cmara Municipal de Lisboa Apresentao Galeria de Arte Urbana Cinco Anos Depois, organizado pelo Departamento de Formao e Desenvolvimento da CML, F-rum Lisboa, outubro 2013.

    Workshop de construo de Modelos de Negcio no Setor Cultural e CriativoOrganizado pelo AUDAX - Centro de Empreendedorismo do ISCTE-IUL, decorrido no mbito do Festival IN, Pavilho 1 da Feira Internacional de Lisboa, novembro 2013.

    Seminrio Arte Urbana: Continentes e Fronteiras No Instituto de Cincias Sociais, organizado pela Coordenao da Rede de Pesquisa Luso-Brasileira em Artes e Intervenes Urba-nas, novembro 2013.

    Galeria de Arte Urbana na Fte de lEurope em ParisNeste evento ocorrido em maio, a representao portuguesa no universo da street art, foi assegurada pela GAU, com a presena do writer nacional Smile, que realizou uma pea de arte urbana em conjunto com o writer francs DaCruz. A obra conjunta evoca os 15 anos do tratado de amizade entre as cidades de Lisboa e Paris.

    GAU na Conferncia sobre Graffiti em Toulouse: A la rencontre du Graffiti... Lisbonne, Saragosse, BologneEsta conferncia reuniu em maio passado, especialistas prove-nientes de Lisboa, Bolonha e Saragoa. A equipa da GAU apresen-tou o projeto desenvolvido pela CML para a valorizao destas ex-presses urbanas. O encontro contou tambm com uma visita de arte urbana, na qual foi possvel percorrer alguns dos locais mais emblemticos do graffiti realizado nesta cidade.

    Lisbons Study VisitNo mbito da visita a Lisboa pelo membro da Rede Europeias das Cidades Interculturais do Conselho da Europa, Robin Wilson, pe-rito na rea de desenvolvimento de estratgias interculturais das cidades, foi realizada uma visita s peas mais emblemticas de arte urbana da cidade em julho de 2013.

    GAU @Livraria MunicipalA montra temtica da Livraria Municipal para este vero foi de-dicada ao graffiti e street art, exibindo duas peas da autoria de MAR, os materiais e instrumentos especficos na prtica deste tipo de expresses, bem como os dois volumes desta revista, o livro co-memorativo dos trs anos de trabalho da Galeria, acompanhados pela obra do Ricardo Campos - Porque pintamos a cidade?.

    Participao em JriAo lado dos prestigiados writers KLIT e NOMEN, a GAU foi nova-mente convidada a integrar o Jri do Concurso de Graffiti de Alma-da, organizado pela Diviso de Juventude deste Municpio. Nesta 4 edio, o vencedor na categoria individual foi o artista Mojojojo e os vencedores na categoria crew foram os Alpinistas Descalos (Argo-las e Mangas).

    Foi realizada uma visita guiada de arte urbana na zona do Bair-ro Alto, organizada pela APAF - Associao Portuguesa de Arte Fotogrfica com o apoio da GAU.

    13|

    REDE INTERNACIONAL

    EVENTOS | EXPOSIES

    PALESTRAS

    MEGAFONE

    PROGRAMA EDUCATIVO

  • VOL.03|2014

    GAU |GALERIA DE ARTE URBANA

    ALM PAREDES

    A 6 edio do projeto Reciclar o Olhar (julho de 2013) contemplou a realizao de 13 intervenes artsticas em vidres. J em outubro, decorreu a mais recente fase desta iniciativa, que resultou de um desafio lanado pelo Departamento de Higiene Urbana da CML, na sequncia da instalao de 30 novos vidres no Parque das Naes. Contou com o apoio da Graff Beast e adquiriu a forma de um concurso alusivo ao tema Os Oceanos. Numa primeira fase foram selecionadas as propostas de seis artistas, cujas obras foram submetidas a votao na pg. do facebook da GAU, da qual saiu vencedor o trabalho de Fbio Colao.

    RECICLAR O OLHAR

    William Hawckey | Por cortesia do artistaNicolae Negura | Por cortesia do artista

    RAMMiguem BrumTinta Crua

    Vitor SantosHugo LucasFbio Colao

  • GAU |GALERIA DE ARTE URBANA

    15|

    Entretanto caiu um contentor no Terreiro das Missas, em Belm! No se assustem porque a ideia foi de Alexandre Farto, aka Vhils, no contexto da 5 edio do projeto Contentores Lisboa que contou novamente com o apoio da Cmara Municipal de Lisboa. Acompanhado por outros autores notveis da produo artstica nacional, como Pedro Cabrita Reis e Jorge Molder, Vhils decidiu apropriar-se de um contentor como elemento plstico, cortando-o e depositando-o sobre o solo, gesto que acabou por dot-lo de um cariz escultrico e nico no seio da exposio.

    Para assinalar a abertura do troo de ciclovia que liga a zona de Santa Apolnia ao Parque das Naes, foi convidado o criador nacional Miguel Ayako a inscrever no pavimento, uma pea de arte urbana alusiva a esta temtica. Nas palavras do autor, a obra, que contou com o apoio da FPCUB - Federao Portuguesa de Cicloturismo e Utilizadores de Bicicleta, pretende valorizar e evocar o prazer de sentir o vento, a liberdade que se sente quando se circula de bicicleta, sensaes nicas, sensaes essas que melhoram quando o ambiente que nos rodeia agradvel ().

    Ttulo: Graffiti and Street ArtAutor: Anna WacawekIn this incisive and accessible survey, Anna Wacawek traces the origins an evolution of graffiti and street art, and explores the motivations and practices of the leading exponents. () The picture that emerges is a rich celebration of graffiti and street art as the defining art movement of the twenty-first century.

    Ttulo: Abstract GraffitiAutor: Cedar LewisohnIn recent years, graffiti has embraced a fresh, abstract ap-proach to art on the street, transforming the urban landscape. Featuring over 160 photographs of new work in cities worldwide, as well as interviews with those involved in all aspects of the art form, Abstract Graffiti provides a fascinating overview of the trends and styles at the outer limits of global street art.

    Ttulo: Beyond the Street The 100 Leading Figures in Urban ArtEditores: Patrick Nguyen e Stuart MackenzieThere is no such thing as urban art or street art only art itself. And art is generally defined by what is shown in museums. In this sense, the work presented in this book is caught in limbo, halfway between its long-overdue public recognition as art and its equally essential street credibility. After all, the streets were the original show-place in which this art was born and where it continues to work so well.

    CONTENTORES LISBOA COME RIDE WITH US

    PUBLICAES

    Avenida Infante Dom Henrique | 384254 N 9715 W

    Terreiro das Missas | 384143 N 9120 W

  • EDITORAL CONTINUA ...

    FICHA TCNICA

    Um pouco de perfume sempre fica nas mos de quem oferece flores.

    Provrbio chins

    Nos ltimos meses, a cidade de Lisboa conti-nuou a acolher um vasto conjunto de proje-tos dedicados arte urbana, quer s envol-vendo autores portugueses, quer alguns dos mais reconhecidos criadores a nvel interna-cional, como fica bem patente neste terceiro volume da revista GAU.

    Entre as iniciativas, no s salientamos a vasta escala que comea a tomar o azul no muro do Centro Hospitalar Psiquitrico de Lisboa, o projeto de interveno artstica da Associao Portuguesa de Arte Urbana, na Passagem Pedonal Subterrnea de Alcnta-ra, mas tambm a parede e os armrios tc-nicos executados no mbito do Festival Todos e ainda um mural ilustrativo de Os Lusadas, to-dos projetos desenvolvidos por parceiros que encaram a arte urbana como uma possibili-dade de revitalizao plstica do seu prprio patrimnio e da cidade ou como uma mani-festao contempornea que pode at evocar uma herana cultural distante.

    Destaque tambm devido ao Underdogs 2013, plataforma desenvolvida por Alexandre Far-to, aka Vhils. Associando uma componente expositiva a uma vertente de produo ar-tstica em espao pblico, envolveu nesta edio um criador nacional e um ncleo de artistas estrangeiros de assinalvel pres-tgio. Entre os espaos intervencionados, sublinhamos a sua diversidade em termos urbanos: a oriente, no Parque das Naes; na zona ribeirinha, junto ao Jardim do Ta-baco; encostado a Monsanto, no Bairro da Serafina; j na rea central da cidade, jun-to Av. Almirante Reis e em espaos mais a ocidente, como a Calada da Pampulha e a Av. da ndia.

    Enfim, Lisboa tem vindo a afirmar-se como uma cidade amiga da arte urbana, que tem a sorte de acolher no seu seio um conjunto de pessoas de uma grande generosidade que constantemente lhe oferecem flores, pelo que desejamos que o seu perfume perdure por muito tempo. OBRIGADO

    Jorge Ramos de Carvalho

    E finalmente iremos completar o trptico Natureza Viva. Depois das intervenes artsticas de Setbal e de Alfragide, ambas em espaos comerciais Alegro, geridos pelo grupo Immochan que promoveu e apoiou este projeto de arte urbana, chegaremos aos dois pilares da Ponte 25 de Abril, junto a Alcntara. Nestes monumentais H de beto, o conjunto dos sete artistas que peregrinou por estas trs localizaes, far crescer uma pequena floresta habitada por animais de fantasia. Tudo a ser divulgado no prximo nmero da revista GAU.Para breve, iremos ainda lanar um concurso para o mural azul no Centro Hospitalar Psiqui-trico de Lisboa. Dando continuidade s anteriores intervenes realizadas, a GAU abrir uma convocatria para propostas individuais ou de crews | grupos (bastam 2 artistas!) interessa-dos em desenvolver a habitual temtica do rosto, do autorretrato e da figurao.

    GAU vol 03 janeiro de 2014 Publicao da Galeria de Arte Urbana Edio da Cmara Municipal de Lisboa Pelouro da Cultura Direo Municipal da Cultura Departamento de Patrimnio CulturalDiretor - Jorge Ramos de CarvalhoDiretora Adjunta - Slvia CmaraRedao - Ins Machado, Miguel Carrelo, Lus Pousinho, Slvia CmaraProjeto Grfico - GAUDesign Tiago Morais | Diviso de Promoo e Comunicao CulturalReviso Sara Simes |DPCCSecretariado - Gracinda RibeiroFotografia da capa - Jos Vicente | DPC

    CML 2013 - Corleone e Im fromLisboa|Festival Todos Fotografias Reciclar o Olhar - Parque das Naes-Miguel Carrelo|DPC|CML 2013 Fotografias restantes - JosVicente|DPC CML|2013 (exceto onde indicado)Impresso - Novagrfica do CartaxoTiragem - 1300 exemplaresFontes - Helvtica|MrsEavesXLSerNar ISSN - 2182 777XDepsito Legal 351671/12Distribuio - GratuitaContactos - Rua do Machadinho, n 20, 1249-150 Lisboa| telef. 21 8171945gau@cm-lisboa.pt

    VOL.03|2014

    Alegro de Alfragide | 384337 N 9134 W