Resenha espirita on line 93

  • Published on
    07-Jul-2015

  • View
    198

  • Download
    0

DESCRIPTION

Notcias do trabalho mundial de divulgao do Espiritismo, por Divaldo Franco e Raul Teixeira

Transcript

  • 1. 1 Resenha Esprita on line a informao na medida certa n 93Ano 531 de agosto de 2013

2. 2 3 FDAGENDA setembro 2013 ivaldo ranco Brasil 1 - Maragogipe (BA) 5 a 7 - Vitria da Conquista (BA) 11 - Foz do Iguau (PR) 12 - Cascavel (PR) 29 - Santo Andr (SP) Paraguai 13 a 15 - Assuno Canad 21 22 - Quebec 23 e 24 - Montreal 25 e 26 - Toronto Maragogipe - 1/9/13 Foz do Iguau - 11/9/13 Toronto - 25 e 26/9/13 Vitria da Conquista - 5 a 7 /9/13 Assuno - 13 a 15/9/13 3. 4 5 Jornada coroada de xito, na cidade do Rio de Janeiro Entre os dias 18 e 15 de agosto de 2013, Divaldo Franco se fixou na cida- de do Rio de Janeiro, para ali participar de intensa programao doutrinria, a qual encerrou coroada de sucesso, ten- do ele levado a mensagem esprita para milhares de pessoas. Veja fotos de al- guns eventos: Em Niteri No dia 26 de agosto de 2013, Divaldo Franco esteve em Niteri, RJ, atendendo con- vite da SEF - Sociedade Esprita Fraternidade, que neste ano completa 33 anos de fundao, tendo sido Raul Teixeira um de seus idealizadores e fundador. O evento foi no Clube Portugus, reunindo pblico que lotou o local da palestra. Na foto abaixo, Divaldo, ladeado de Raul Teixeira, autografando seus livros e aten- dendo o pblico presente. FOTOS: 1 e 2: IV Congresso SEJA (18/08/13) 3: Sociedade Hebraica (19/8/13) 4: Museu do Exrcito Conde de Linha- res (20/8/13) 5: Concha Acstica (23/8/13) 6 e 7: 23 Feiro Pr-Manso do Ca- minho (25/8/13) 12 3 4 5 6 7 4. 6 7 Portugal se prepara para receber Divaldo Franco, em outubro A Federao Esprita Portuguesa, organizadora do evento, tem planejado, at o momento, o seguinte roteiro de palestras e seminrios de Divaldo Franco, naque- le pas: Nos dias 13, 14 e 15 de setembro de 2013, sob o patrocnio da Federao Esprita Paraguaia, dever acontecer o 2 Congresso Esprita Sulamericano, na cidade de Assuno, Paraguai. Amadora - 17 e 27/10/13 Leiria - 18/10/13 Aveiro - 19/10/13 Viseu - 20/10/13 lhavo - 21/10/13 Coimbra - 22/10/13 Santarm - 23/10/13 Evora - 24/10/13 Quarteira - 25/10/13 So Brs de Alportel - 26/10/13 5. 8 9 O Encontro Fraterno de 2013 ser de 10 a 13 de outubro, no Hotel Iberostar Bahia, em Praia do Forte, o mesmo hotel de 2012. As inscries esto abertas e podem ser feitas atravs da internet: http://www.en- controfraterno.com.br Evento prestigiado Aconteu a terceira edio do espetcu- lo musical Faa com que o bem seja natural, no Teatro Municipal de Niteri, RJ, no dia 14 de agosto de 2013. Ini- ciativa em favor das obras sociais do Remanso Fraterno, com direo artsti- ca de Ftima Regina e grande prestigia- mento da sociedade local, lotando as dependncias do Teatro. Na foto: Raul Teixeira, Alex e Maurcio) Buenos Aires Nos dias 6 e 7 de outubro de 2013, a convite da Federao Esprita Argentica, Divaldo Franco retornar Buenos Aires, levando, mais uma vez, a mensagem esprita aos portenhos. 6. 10 11 passou a sofrer o assdio do ego para permanecer nas posturas cmodas do prazer, sem a indispensvel renovao espiritual que faculta a sua diluio no self. A atrao da felicidade promove o esforo do ser para vencer os impulsos ancestrais que se insculpiram no cerne da vida, oferecendo os valores morais para consegui-lo. Acepo do que correto e per- nicioso proporciona a opo por tudo aquilo que favorece com harmonia, abrindo um imenso elenco de trabalho com as ferramentas do amor, que pas- sa a inspirar o comportamento. Adquirida a conscincia de que somente as aes corretas promovem o Esprito, mesmo quando pratica o erro, sente a nusea da permissividade que se permitiu e aspira pela correo ime- diata, fortalecendo e favorecendo os propsitos de elevao que se assina- la com outras marcas, que expressam dignidade e evoluo. Oser humano, ao comprometer-se perante as leis divinas, fica assina- lado por marcas que se lhe fixam, di- fceis de ser removidas, mesmo quan- do superados os equvocos e integrado no conceito harmnico da sociedade, como permanente advertncia para no mais incidir nos mesmos equvocos. So esses sinais psicolgicos que facultaram ao nobre neurologista suo Jung os estabelecimentos dos arqu- tipos (marcas antigas), com os quais construiu a sua doutrina libertadora de muitos conflitos e de valiosas outras contribuies para o equilbrio do Espi- ritismo na sua aljube carnal. O erro, o vcio, o ato criminoso encontram-se carregados de emoes que levam a sua vtima a situaes em- baraosas durante muito tempo. Ansiedade, culpa, medo so algu- mas das emoes que se manifestam aps o comprometimento, assinalando no inconsciente a necessidade da libe- rao da mcula, mediante a sua dilui- o que se torna exequvel pelas reali- zaes iluminativas que se encontram ao alcance de todo aquele que deseja harmonia e sade. Desde o momento que ocorreu a fisso da psique, esquematizando as foras do Bem e do Mal e de todos os fenmenos antpodas, o discernimento MAR CAS morais 7. 12 13 de. Felizmente, alguns deles conse- guiram novas marcas defluentes dos esforos de renovao que se transfor- maram em herosmo e abnegao. De igual maneira, qualquer perso- nagem que se tornou clebre ou no no cenrio terrestre, permanece assinalada pelo ferrete da alucinao que se permi- tiu ou pelo sinal de enobrecimento que lhe tipificou a existncia. Essas marcas exteriores tambm se encontram no psiquismo do indiv- duo, muitas vezes, atormentando-o, embora inconscientemente, em espe- cial, quando gera culpa e, por consequ- ncia, necessidade de reparao. De igual maneira, aquelas da ele- vao moral transformam-se em est- mulos, valiosos para o prosseguimento no esforo de autoiluminao. O ser humano um conjunto de experincias que lhe formam o car- ter, a personalidade, impulsionando-o ao avano, quando so nobres essas realizaes, ou fazendo-o momentane- amente estacionar no sofrimento, na repetio da atividade at liberar-se do conflito culposo. Essencialmente, o Esprito que armazena os valores de ordem psquica necessrios ao crescimento interior e a conquista do espao das oportunidades de bem servir. Nisso, residem-lhe as conquistas inalienveis que se transferem de uma existncia para outra, favorecendo-o com o enriquecimento interno. Todos os conflitos, portanto, que afetam ao ser humano, resultam das suas marcas morais que, negativas, aguardam a diluio pelo antdoto dos comportamentos relevantes que man- tm, e quando positivas, auxiliando-o na ascenso interior... * * * Tem em mente que os teus atos possuem a fora de assinalar-te psico- logicamente, refletindo na emoo a qualidade das aes perpretadas. O idealista que supera as condi- es negativas em que se encontra, obstaculizando-lhe a realizao dos ane- los que se faz portador, traz as marcas dos tentames anteriores que se concre- tizaram ou no, mas que lhe constituem motivo bsico para a existncia. Os interesses da atualidade, de igual maneira, iro deixar os sinais cor- respondentes que lhe programaro os comportamentos do futuro. Assim sendo, permite-te assina- lar pelas marcas do Cristo, que so a bondade e o amor, a mansuetude e a caridade, enriquecendo-te de bnos de harmonia e de felicidade ainda nesta existncia corporal. Joanna de ngelis Pgina psicografada pelo mdium Di- valdo Pereira Franco, na tarde de 26 de maio de 2009, em Berlim, Alemanha. O longo perodo do primarismo condiciona o ser profundo repetio das velhas frmulas, que j no lhes satisfazem, porque havendo conhecido o lado superior do comportamento rico de emoes sem tormentos, no mais se tranquiliza nas atitudes antigas. De tal forma se expressam esses sentimentos, que eles prprios pos- suem as foras necessrias para as mudanas, s vezes, assinaladas pelo sacrifcio e pela renncia. A converso do sentimento, por- tanto, ocorre na esfera ntima do ser humano, que passa a descondicionar- -se dos hbitos perniciosos, gerando outros, que no so enobrecidos. Felizes daqueles que podem assi- nalar-se por marcas que mudam de sig- nificado no transcurso da mesma exis- tncia. Quando se pronuncia o nome Ju- das Iscariotes, logo a marca da traio a marca mais visvel da sua perso- nalidade atormentada, embora muitas aes honestas e saudveis que foram praticadas antes e depois do ato ign- bil. Referindo-se a Simo Pedro, o apstolo Galileu, a marca do negador acionada rapidamente, apesar da sua posterior entrega total a Jesus at a sua morte estrnua na cruz de cabea para baixo... Evocando-se o nome de Maria de Madalena, a sombra da conduta irrefle- tida e insensata envolve-a, nada obs- tante a renovao moral que se imps de tal maneira elevada, que lhe facultou ser a primeira testemunha da ressurrei- o. Qualquer referncia a Joo Evan- gelista e ei-lo identificado como o disc- pulo amado, em razo da sua afetivida- 8. 14 15 Quando a amor verdadeiro adentra o lar, ilumina a famlia e torna-se pos- svel a materializao da boa vontade, do esprito de cooperao, do entusias- mo com a vitria do outro, da participa- o das lutas comuns. O amor, entronizado no corao dos que amam, no padece de interesses mesquinhos, renuncia quando sabe que, assim, poder melhor auxiliar. O amor superior, no seio domsti- co, sabe calar para apaziguar infrutfe- ras querelas ou consegue falar para es- clarecer e enlevar, construir e abenoar. S no amor, como o apresentou Jesus, os rebentos recebero dos pais a orientao para a via, com segurana e fidelidade ao vero bem. E, com esse mesmo amor, na pauta familiar, os fi- lhos se apercebero que seus genitores so importantes vigilantes do Criador, cuidando dos prprios irmos, converti- dos, temporariamente, em filhos da car- ne, a fim de que todos sejam alinhados nas hostes renovadoras por todos dese- jadas. Thereza de Brito (Livro: Vereda Familiar. Thereza de Brito, Cap. 1. Raul Teixeira) Indispensvel que para o xito matri- monial sejam exercitadas singelas di- retrizes de comportamento amoroso. H alguns sinais de alarme que podem informar a situao de dificulda- de antes de agravar a Unio conjugal: Silncios injustificveis quando os esposos esto juntos; Tdio inexplicvel ante a presen- a do companheiro ou da companheira; Ira disfarada quando o Consorte ou a consorte emite uma opinio; Saturao dos temas habituais, versados em casa, fugindo para intr- minas leituras de jornais ou inacabveis novelas de televiso; Irritabilidade contumaz sempre que se avizinha do lar; Desinteresse pelos problemas do outro; Falta de intercmbio de opinies; Atritos contnuos que ateiam fa- gulhas de irascibilidade, capazes de provocar incndios em forma de agres- so desta ou daquela maneira... E muitos outros mais. Joanna de ngelis (Livro: S.O.S. Famlia. Diversos, Cap. Res- ponsabilidade no matrimnio. Divaldo Franco) Em atendimento aos convites Raul Teixeira esteve em Fortaleza, CE, dia 16/08/13, participando do Seminrio: Sade Integral, o que e como alcan-la, coordenado por Divaldo Franco, que reuniu mais de 4 mil pesoas. No dia 17, Raul participou de um encontro com companheiros da Federao Esprita daquele Estado e, aps palestra proferida Luciano Klein Filho, teve ensejo de auto- grafar seus livros, bem como con- viver com amigos que no revia h um bom tempo. Vida em famlia Raul recepcionou Divaldo A convite da Sociedade Esprita Fraternidade - SEF, Divaldo Franco esteve em Niteri, RJ, no dia 26 de agosto de 2013, proferindo palestra, ocasio em que foi recepcionado por Raul Teixeira, presente no Clube Portugus, local do evento. Alex Vieira Raul Teixeira 9. 16 17 Quando a criatura compreen- de que se encontra na Terra em trnsito, realizando um pro- grama que se estender alm do corpo, na vida espiritual, realiza o autoencontro, e, mesmo quan- do experimenta o fenmeno da morte, defronta a vida sem so- frer qualquer perturbao ou sur- presa, mergulhando na Amorosa Conscincia Csmica. Certamente, pensando em tal realidade, props Jesus: - Busca primeiro o Reino de Deus e Sua Justia, e tudo mais te ser acrescentado. Despertar para a vida im- perativo de urgncia, que no podes desconsiderar. Joanna de ngelis (Livro: Momentos enriquecedores. Joanna de ngelis, Cap.: 14. Divaldo Franco) Apacincia nos dias de teste- munhos rduos, sempre de- ver ser virtude ativa, atuante, fazendo-te realizar o melhor ao teu alcance, no sentido de mo- dificares horrores, fazendo bele- zas. Se as Leis dos Cus te per- mitem sofrer, para um pouco. No te agites, inecessariamente no te revoltes, nem te faas vio- lento ou avinagrado. Levanta-te com disposio, toma a poo medicamentosa da f e avana com Jesus, decidido e confian- te, para que, seguindo ao encon- tro Dele, Ele te possa envolver e amparar, para que atinjas as perenes vitrias, fazendo de tua vida um esplendente dia de sol. Camilo (Livro:Vozes do infinito. Diversos, Cap. 11. Raul Teixeira) justia e amor: No rolar do tempo, nos cenrios variados do planeta, no so poucos os que, todos os dias, so colhidos nas malhas da lei da causalidade, que determina que cada indivduo d conta das suas construes, r e c e b e n d o da vida de conformidade com ela. (pelo esprito Camilo). Em homenagem ao livro de Allan Kardec O Cu e o Inferno, o autor trata da Justia Divina em suas mais variadas expresses, levando-nos a meditar acerca dos porqus que nos mantm atados s inevitveis lutas do mundo compromissos iluminativos: Nessa iluminada Obra, o Esprito Be- zerra de Menezes, atravs da mediu- nidade de Divaldo Franco, transmite mensagens que orientam, esclare- cem e confortam, tendo por fonte de inspirao o Evangelho de Jesus, visan- do edificao moral do ho- mem e conso- lidao do amor fraternal entre as criaturas. um convite reflexo e iluminao in- terior, cons- cientizando-nos, a todos ns, da ne- cessidade de renovao das nossas atitudes diante do imenso compro- misso que temos para com o maior de todos os mandamentos de Jesus: Amai-vos uns aos outros como eu vos tenho amado. Raul TEIXEIRA Divaldo franco