Resenha espirita on line 110

  • Published on
    06-Jul-2015

  • View
    164

  • Download
    0

DESCRIPTION

Notcias de Divaldo Franco e Raul Teixeira e o trabalho de divulgao de Espiritismo em todo o mundo

Transcript

1. 1 no 110 Ano 530 de junho de 2014 RESENHA espritaon line a informao na medida certa 2. 2 3 FDAGENDA ivaldo ranco2014 julho RESENHARESENHA Brasil 20/7/14 - Itabuna (BA) 22/7/14 - Dourados (MS) 23/7/14 - Corumb (MS) 24/7/14 - Campo Grande (MS) 25/7/14 - Lucas do Rio Verde (MT) 26 e 27/7/14 - Cuiab (MT) Encontro Fraterno com Divaldo Franco 14 a 17 de agosto de 2014 INSCRIES encontrofraterno@mansaodocaminho.com.br (71) 3409-8320 (71)9191-2884 / (71) 9976-7983 saiba mais: www.mansaodocaminho.com.br SALVADOR - BA Campo Grande (MS) Lucas do Rio Verde (MT) 3. 4 5RESENHARESENHA jornada EUROPEIA2014 Fotos: 1: Paris - 3 e 4/6/14 2: Orly - 5/6/14 3 a 6: Zurick - 6 a 9/6/14 1 2 3 4 5 6 Na etapa final de sua jornada pela Europa, que teve incio no dia 8 de maio de 2014, sendo concluda no dia 9 de junho, Divaldo Franco esteve na Frana (Paris e Orly), e na Sua (Zurick e Wintenthur). (Fotos de Jorge Moehlecke). Divaldo Franco RiO 2014 Final de agosto e incio de setembro de 2014, Divaldo Franco retornar cidade de Rio de Janeiro, RJ, para participar de uma srie de eventos doutrinrios, que acontecero em diversos locais da cidade e arredores: 24/8/14 - City Bank Hall 25/8/14 - Sociedade Hebraica 2/9/14 - Mariano Hall 3/9/14 - Casa da Espanha 4/9/14 - Grupo Esprita Andr Luiz 5/9/14 - UERJ - Concha Acstica 6/9/14 - Federao Esprita Brasileira 7 e 8/9/14 - Museu Militar Conde de Linhares 9/9/14 - Ginsio do Tamoyo Esporte Clube de Cabo Frio 10/9/14 - Clube Portugus de Niteri Divaldo Franco em Pases da Amrica do Sul Divaldo Franco fechar o ms de junho de 2014, visitando os pases: Colmbia - 24/6/14 Peru - 25 e 26/6/14 Bolvia - 27 a 29/6/14 Em Santa Cruz de la Sierra, Bolvia, acontecer o 8 Encontro Esprita Boliviano, que tambm contar com a presena de Alberto Almeida, Simini Privato e Jorge Berrio. Santa Cruz de la Sierra (Bolvia) 4. 6 7RESENHARESENHA Raul Teixeira e Divaldo Franco, juntos em setembro No dia 10 de setembro de 2014, em Niteri, RJ, Divaldo Franco ser recepcio- nado por Raul Teixeira e integrantes da Sociedade Esprita Fraternidade - SEF, por ocasio de palestra de Divaldo que acontecer s 20h30, no Clube Portu- gus de Niteri. Entrada franca. Maiores informapes: www.sef.org.br Divaldo vai Sergipe, em agosto de 2014 PROGRAMAO: 29/8/14 - Itabaiana 30/8/14 - Estncia 31/8/14 - Itabaianinha 31/8/14 ( tarde) - Aracaju Aracaju, SE (Brasil) Visite o site da obra de servio social do Remanso Fraterno, departamento da Sociedade Esprita Fraternidade. Conhea, visite, participe e auxilie. www.remansofraterno.org.br 5. 8 9RESENHARESENHA Nada obstante, embora a boa inteno, levavam-se a si prprios, as suas necessidades e conflitos que os alucinavam na solido e, no raro, os vinculavam mais fortemente aos inimigos desencarnados com os quais mantinham conbios muito perturbadores. A viso de Jesus sobre a existncia terrena , no entanto, otimista e rica de sabedoria, adornada pela beleza, ao propor viver-se no mundo, embora no dependendo das suas constries ou excessivas liberaes. compreensvel a ocorrncia, porque todos somos servidores a A mulher e o homem contemporneos, que vivem no mundo, ataviam- se em exagero, a fim de frurem at a exausto as concesses enganosas e agradveis do trnsito carnal. Fixados s sensaes buscam, em contnuos esforos, s vezes, sacrificiais, os favores prazenteiros do momento, sem outros quaisquer compromissos, exceto, os para conseguirem recursos que lhes facultem a continuidade do gozo. Vivem em funo do imediato, celebrando o culto do corpo, sem a preocupao mnima com a essncia que o mantm, excepcionalmente quando se instalam distrbios psicolgicos, alguns deles frutos da insensatez, no uso dos eventos de vida. Desgastam-se com facilidade e, por mais se utilizem dos meios e tcnicas de rejuvenescimento, dos recursos valiosos das cirurgias plsticas, sofrem os transtornos que se derivam da opo de comportamento a que se entregam, na incessante correria para ganhar o tempo. No passado, as religies preconizavam a fuga do mundo e das suas maquiavlicas manipulaes para o isolamento monacal ou as cavernas desrticas para refgio em rude ascetismo. soldo dos nossos amos. Existem aqueles que, dependentes dos instintos primrios, servem aos senhores perversos, que so os desejos infrenes neles dominantes. Por essa razo, a Mitologia oferece um panteo de deuses, tantos quantos os nveis de conscincia e de evoluo dos seus adoradores, que se lhes vinculam atravs da similitude de hbitos e de aspiraes. Outros, so servidores da ira e do dio, do ressentimento e da inveja, vivendo encarcerados em tormentos inimaginveis. Igualmente, missionrios da luz e da imortalidade renasceram no mundo para oferecer as inestimveis contribuies que proporcionam a harmonia ntima, a superao das paixes primrias neles em primazia. Superando, porm, a todos os construtores da f religiosa e das filosofias idealistas encontra- se Jesus, que alterou a tica do comportamento, demonstrando a transitoriedade da organizao fsica e a perenidade da vida. Depois dEle, a cultura e a civilizao encontraram a diretriz para dar sentido psicolgico profundo existncia terrena. Serves? a quem 6. 10 11 No padece dvida que a Sua a doutrina da mansido, da paz, da pura alegria. Servi-lO, passou a ser o objetivo fundamental da jornada humana. As atraes e divertimentos, no entanto, necessrios para proporcionar bem-estar, trabalhadas pelas mentes viciadas, passaram a constituir-se essenciais, superando os deveres e a dedicao ao fundamental, a vida espiritual! * Face ao tumulto que toma conta irrefreada de quase toda a sociedade, indispensvel que faas uma reflexo cuidadosa e, durante a mesma, uma interrogao: A quem sirvo? Se abraas a doutrina da compaixo e da caridade, no te permitas os desvios de rota, buscando os prazeres e as futilidades que distraem, mas no preenchem o imenso vazio interior. Todo aquele que procura a embriaguez dos sentidos consome-se no fogo das ansiosas mudanas de jogos, tentando renovao e preservao das satisfaes sensoriais, vivendo sedentos de contnuos gozos. Os servidores de Jesus so alegres e joviais, mas suas metas so significativas e gratas, duradouras, porque avanam alm do portal de cinzas do tmulo. No cansam, nem debilitam o organismo, pelo contrrio, fortalecem-no e mantm-no saudvel, mesmo quando frgil ou delicado. Observa os ases campees do mundo, no seu envelhecimento precoce, no desgaste imposto pelos hbitos doentios, como o lcool, o tabaco, as drogas aditivas, o sexo irresponsvel... ...E de quando em quando, os suicdios espetaculares pelos excessos das substncias destrutivas ou mesmo pela falta de motivao para viver, aps alcanarem o topo da fama, na carreira a que se dedicaram, a admirao e a paixo das massas, que os no preencheram de alegria real, mantendo-os em tremenda solido... O servio com Jesus, porm, no te impedir o sofrimento, as vicissitudes que fazem parte do processo iluminativo, mas que contribuem com o conforto moral e o conhecimento da sua causalidade e da sua significao para o alcance da plenitude. Como a existncia na Terra tem por finalidade a depurao moral e a conquista da harmonia plena, ningum transita sem a dor nem permanece, indefinidamente, sem a vivncia da reflexo em torno RESENHARESENHA do prprio sofrimento. O servidor do mundo, por desconhecer esse mecanismo superior da evoluo, quando chamado ao processo inevitvel, desanima ou reage com violncia, desespera-se ou recalcitra, tomba ou enlouquece... O servidor de Jesus, porm, comporta-se de forma tranquila, porque sabe que tambm a aflio transitria. * A quem serves? Se elegeste Jesus, no te envergonhem a cruz dos testemunhos, nem as problemticas que te auxiliam no crescimento espiritual. Cristo sem cruz apenas simpatizante do ideal que Ele ensinou e viveu. Conduz, desse modo, a problemtica afligente que te crucifica interiormente, mantm a alegria e torna-a fcil de superar, porque o Seu fardo leve e o Seu jugo suave. A quem serves? Joanna de ngelis Psicografia de Divaldo Pereira Franco, na sesso da noite de 31 de maro de 2014, no Centro Esprita Caminho da Redeno, em Salvador, Bahia. 7. 12 13 Por tudo o que aprendemos com Je- sus Cristo, o que mais deseja o Se- nhor Supremo que faamos brilhar a prpria luz desenvolvendo os va- lores da inteleco e do sentimento uma vez que aquele que pede recebe, o que busca encontra e o que bate v abertas as portas, seja do que for. Toda nobre vivncia religiosa do indivduo quanto de sua famlia, pois, deve ser capaz de inscrev-los no rol dos trabalhadores sempre ocupados com a prpria converso vivncia da lei de amor, na Terra, e envolvidos com tudo o que seja til e eloquente, situando-os no rumo do inadivel pro- gresso, porquanto o progresso filho do trabalho, visto que este pe em ao as foras da inteligncia. (Evan- gelho segundo o Espiritismo, cap. XXV, item 2) , pois, na busca da boa instru- o e na prtica ampla do amor a Deus e ao semelhante que nos deveremos situar junto com a nossa famlia, pos- to que a estar a nutriente e vigorosa fonte da f religiosa. Camilo (Livro: Minha Famlia, o mundo e eu. Esprito Camilo, cap.: Para uma suave religio fami- liar. Raul Teixeira) Os deveres dos pais em relao aos fi- lhos esto inscritos na conscincia. Evidentemente as tcnicas psicol- gicas e a metodologia da educao tor- nam-se fatores nobres para o xito desse cometimento. Entretanto, o amor que tem escasseado nos processos modernos da educao com lamentveis resultados possui os elementos essenciais para o feliz desiderato. No compromisso do amor, esto evi- dentes o companheirismo, o dilogo fran- co, a solidariedade, a indulgncia e a ener- gia moral de que necessitam os filhos, no longo processo da aquisio dos valores ticos, espirituais, intelectuais e sociais. No lar, em consequncia, prossegue sendo na atualidade de fundamental importncia no complexo mecanismo da educao. Nesse sentido, de essencial re- levncia a lio dos exemplos, a par da assistncia constante de que necessitam os caracteres em formao, argila plstica que deve ser bem modelada. No captulo da liberdade, esse fator basilar, nunca deixar esquecido o dever da responsabilidade. Liberdade de ao e responsabilidade dos atos, ajudando no discernimento desde cedo entre o que se deve, convm e se pode realizar. Joanna de ngelis (Livro: Leis Morais da Vida. Esprito Joanna de ngelis, cap. 16. Divaldo Franco) VIDAEM familia RESENHARESENHA OEvangelho SEGUNDO O ESPIRITISMO 150anos 2014 8. 14 15RESENHARESENHA VIDA FELIZ Duzentas mensagens do Esprito Joanna de ngelis, em estilo curto, bem apropriado para uma leitura rpida em meio ao turbilho da vida moderna, que nos estimulam a viver bem. Abrange todos os tipos de dificuldades do relacionamento humano, leva as pessoas a certificarem- se de que realmente possvel ser feliz, superando quaisquer empecilhos. Psicografia de Divaldo Franco PARA USO DIRIO O Esprito Joanes, com penetrante sentimento de fraternidade e de carinho por todos os que esto pelejando, chamando por Deus, rogando ajuda, sem identificar em si mesmos as condies para enfrentar os variados desafios cotidianos, escreve pginas para o dia- a-dia. Pautou-se pelas evocaes felizes de O evangelho segundo o Espiritismo, por consider-lo como inspirao valiosa para as nossas aes dirias, seja qual for o momento que estejamos vivendo no mundo. Emoes, contratempos, tolerncia, atropelos, agresses, lamentao, remorso, inveja, cansao, sade, passatempo, trabalho, valorizao do dia, prece, alegria so alguns dos temas abordados em seus trinta captulos. Psicografia de Raul Teixeira VISITE OS SITES: Editora Frter: http://editorafrater.com.br Livraria LEAL: http://mansaodocaminho.com.br/livraria-leal/ Temos, assim, formidveis riquezas, talentos variados, com que o Pai da Vida nos floriu a presente vivncia corporal; todavia, alm de todas essas ddivas grandiosas, a maior bno que o Criador enseja Sua criatura, as riquezas mais sublimes, so a presena do Evangelho de Jesus em nossas vidas, orientado-nos os roteiros, e a luz do Consolador que nos engrandece na sade, quanto sustenta na fase doentia; nos conduz ao respeito e atendimento lcido ao cl familiar, sem deixar-nos descorooar na invernia solitria; ensina a tornar-nos teis na prestao de servio, ao tempo que propicia o exerccio da humildade e do empenho salutar, na hora da necessidade material; nos mostra o valor da amizade sem desconsiderarmos a urgncia de tornar adverso em simpatia... Camilo (Livro: Cintilao ds estrelas. Esprito Camilo. Cap. 25. Raul Teixeira) Cada qual recolhe conforme esparze. Tal sementeira qual colheita. A vida, em regime de sociedade, so trocas. Quem prefere instilar veneno ou se referta nas injunes perturbantes, descobre-se inditoso em razo da prpria invigilncia. Assim, se voc deseja alegria, sade, coragem, f, afeies e paz no estimule as tendncias negativas nem as inclinaes ms. Policie a vontade doentia e trate-a com a medicao do Evangelho da Vida, fortalecendo-se sob a custdia do amor que deve doar, a fim de que o amor lhe conceda a felicidade que almeja. Marco Prisco (Livro: Momentos de deciso. Esprito Marco Prisco. Cap. 29. Divaldo Franco)