Relatrio de Gesto - 2011

  • Published on
    21-Mar-2016

  • View
    257

  • Download
    37

DESCRIPTION

Relatrio de Gesto - 2011

Transcript

  • A ONU Organizao das naes Unidas - decretou o ano de 2012 como o Ano Internacional das Cooperativas.

    Isso porque as cooperativas ao redor de todo o mundo vm se destacando para o desenvolvimento socioeconmico e

    reconhecendo seu trabalho para a reduo da pobreza, gerao de emprego e integrao social, onde oferecem um

    modelo de negcio que contribui para o desenvolvimento socioeconmico dos cooperados e comunidades onde atuam.

    Para termos uma ideia de sua grandeza, atualmente o cooperativismo est presente em mais de 100 pases e soma mais

    de 800 milhes de cooperados em todo o mundo, sendo responsvel por cerca de 100 milhes de postos de trabalho em

    todo o mundo.

    Somente no Esprito Santo existem 150 cooperativas registradas, com aproximadamente 196 mil cooperados e mais de 20

    mil empregos diretos e indiretos. Essas cooperativas esto distribudas em nove ramos: agropecurio, crdito, consumo,

    educacional, habitacional, produo, sade, trabalho e transporte.

    Pense nisso e venha crescer com a gente!

    COOPERATIVAS CONSTROEM UM MUNDO MELHOR

    ANO INTERNACIONAL DAS 2012 COOPERATIVASG

    EC

    OM

    www.ocbes.coop.br(27) 2125-3200

  • MENSAGEM DO PRESIDENTE

    Antes de dar incio minha mensagem, gostaria de enfatizar o que ser um cooperado. Ser cooperado , ser dono do seu prprio negcio, participar ativamente da vida social e econmica de sua cooperativa, poder decidir os direcionamentos da instituio e ter os lucros divididos entre os cooperados ou reinvestidos na prpria cooperativa. O cooperativismo trabalha em prol do desenvolvimento scio econmico e da igualdade entre os cooperados. Reexo disso o reconhecimento da populao, que migra cada vez mais para o Sistema Cooperativista.

    Ao longo dos anos o cooperativismo capixaba vem avanando muito, mas preciso investir ainda mais na prossionalizao da gesto de nossas cooperativas e com a mesma intensidade nos nossos cooperados, empregados, dirigentes e familiares, para que o cooperativismo ocupe um espao ainda maior no mercado e o cooperado cuide cada vez mais do que seu: a sua cooperativa.

    O objetivo do Sistema OCB-SESCOOP/ES representar, defender, assessorar, capacitar, promover e fortalecer as cooperativas, e assim construir um cooperativismo cada vez mais includente e plural participando ativamente no desenvolvimento do Esprito Santo.

    Para isso estruturamos nossas gerncias e assessorias, que esto capacitadas para atender as cooperativas do Esprito Santo com prossionalismo, dedicao, transparncia e comprometimento. Ns prestamos diversos tipos de servios, que so realizados por nossas assessorias e gerncias e esto distribudas da seguinte forma: Assessoria Contbil, Jurdica e Parlamentar; Gerncia Administrativa, que orienta as cooperativas no que diz respeito a processos licitatrios e realizao de processos seletivos; Gerncia de Capacitao, que cuida de aes como treinamentos e eventos para as cooperativas capixabas; Gerncia de Comunicao, que ca responsvel pela orientao e at mesmo execuo de inmeros trabalhos ligados comunicao das cooperativas; Gerncias Financeiras da OCB/ES e do SESCOOP/ES, que cuidam de toda a parte nanceira do Sistema; Gerncia Tcnica, responsvel pela certicao de regularidade tcnica, por monitorar e orientar as cooperativas, e tambm assessora grupos interessados em constituir cooperativas; e Gerncia de Tecnologia, que presta toda assessoria quanto infra-estrutura de rede e orientao para aquisio e instalao de softwares pelas cooperativas.

    O trabalho coletivo de extrema importncia em toda e qualquer esfera da sociedade, e no cooperativismo principalmente o resultado claro, j que de acordo com os ltimos dados levantados pela nossa Gerncia Tcnica, conseguimos, nos ltimos trs anos, triplicar nossa participao no PIB Capixaba. Hoje o cooperativismo representa 3% da economia capixaba; ainda assim competindo com um grande e eciente parque industrial, comercial e de prestao de servios. Acreditamos que ainda ocupamos pouco espao, pois quando falamos de Brasil, o cooperativismo responsvel por 6% do PIB Nacional. Mas temos convico de que, em breve, no s atingiremos como ultrapassaremos este patamar.

    Quem tambm acredita em nosso Sistema Cooperativista Capixaba o presidente da OCB (nacional), Mrcio Lopes de Freitas, que disse que mesmo pequeno em nmero de organizaes, com 150 cooperativas, o Esprito Santo se mostra uma fortaleza cooperativista. uma unidade regional organizada sistemicamente, que cultiva no Estado o capital social, aquele que o maior capital para o cooperativismo. Hoje, existem cerca de 196 mil associados e mais de 20 mil empregos diretos e indiretos ligados ao Sistema, e, se considerarmos seus familiares, chegaremos ao universo de praticamente 500 mil pessoas. No podemos deixar de falar tambm do empenho dos cooperativistas capixabas para oferecer produtos e servios com qualidade, marcados pela prossionalizao na gesto dos negcios. Isso fruto de uma administrao bem conduzida pelo Sindicato e Organizao das Cooperativas Brasileiras do Estado do Esprito Santo, a OCB-ES.

    E nalizo minha mensagem, armando que o cooperativismo, por ser uma sociedade de pessoas, oportuniza possibilidades a diversos segmentos da sociedade, promovendo a incluso social econmica com desenvolvimento sustentvel. Agrega valor produo, permite ganhos em escala, socializa conhecimento, gera novas oportunidades e divide as sobras, proporcional ao movimento de cada cooperado em sua cooperativa. O mais importante no cooperativismo a igualdade de deveres e direitos para qualquer cooperado, independente de seu capital social e do tamanho de sua cooperativa.

    2011 foi um ano de conquistas e aprendizado. Em 2012, queremos mais! Esse o nosso ano. J que a Organizao das Naes Unidas ONU decretou 2012 - Ano Internacional das Cooperativas e tambm comemoraremos os 40 anos da OCB/ES. Este ano ser marcado na histria do cooperativismo capixaba.

    Quero agradecer primeiro Deus por ter nos concedido sade, fora e serenidade. Agradecer tambm a minha esposa Jlia, aos meus lhos e a minha neta Soa. Agradecer especialmente aos presidentes, conselheiros, cooperados e colaboradores das cooperativas capixabas registradas no Sistema. Agradecer de forma especial aos conselheiros da OCB/ES e do SESCOOP/ES. Tambm agradecer ao Governo do Estado, SEAG/ES, IDAF, INCAPER, SEFAZ/ES, SEDES, SESA, SEDU/ES, ADERES, aos parlamentares da Frencoop Federal, das Estaduais e Municipais; aos que compem a Comisso de Agricultura da ALES, ao Sebrae/ES, ao Bandes, SFA/ES, Detran/ES, Gerncia de DRS e Fundao BB, FAES-SENAR/ES, JUCEES, MAPA/Denacoop e o MDA. No poderamos tambm deixar de agradecer Unidade Nacional do Sistema OCB-SESCOOP, na pessoa do nosso presidente, Marcio Lopes de Freitas, os conselheiros e toda sua equipe de colaboradores que muito tem apoiado nosso trabalho, principalmente de projetos com recursos do FUNDECOOP ESPECIAL. Finalizando os agradecimentos com um abrao e muito obrigado ao companheiro de Diretoria Executiva, Carlos Andr (Carlo), que caminhou comigo durante o ano, compartilhou sonhos e conquistas e vai continuar sempre apoiando o Sistema em sintonia com nossos projetos e aes. O meu extensivo agradecimento brava e aguerrida equipe de colaboradores do Sistema OCB-SESCOOP/ES.

    As Cooperativas sero sempre o Orgulho dos Capixabas, e os Cooperativistas Capixabas o Orgulho do Brasil!Saudaes Cooperativistas!

    Esthrio Sebastio ColnagoPresidente do Sistema OCB-SESCOOP/ES

    RELA

    TRI

    O DE

    GES

    TO

    OCB-

    SESC

    OOP/

    ES -

    2011

    3

  • SUMRIO

    OCB/ES...........................................................................................................SESCOOP/ES....................................................................................................MISSO / VISO / VALORES................................................................................

    CONSELHOS OCB/ES .........................................................................................Conselho de Administrao.....................................................................................................................Conselho de tica...................................................................................................................................Conselho Fiscal.......................................................................................................................................

    CONSELHOS SESCOOP/ES...................................................................................Conselho Administrativo Estadual...........................................................................................................Conselho Fiscal Estadual.........................................................................................................................

    ESTRUTURA ORGANIZACIONAL DO SISTEMA OCB-SESCOOP/ES.................................

    ASCONT..........................................................................................................Assessoria Contbil..................................................................................................................................

    ASJUR............................................................................................................Assessoria Jurdica...................................................................................................................................

    GEADM...........................................................................................................Gerncia Administrativa.........................................................................................................................

    GECAP............................................................................................................Gerncia de Capacitao.........................................................................................................................

    GECOM...........................................................................................................Gerncia de Comunicao.......................................................................................................................

    GEFIN - OCB/ES................................................................................................Gerncia de Finanas e Contabilidade......................................................................................................

    GEFIN - SESCOOP/ES.........................................................................................Gerncia de Finanas e Contabilidade......................................................................................................

    GETEC............................................................................................................Gerncia Tcnica.....................................................................................................................................

    GETI..............................................................................................................Gerncia de Tecnologia da Informao....................................................................................................

    050505

    06060606

    070707

    08

    0910

    1112

    1516

    1920

    2526

    3132

    4142

    4950

    5354

    RELA

    TRI

    O DE

    GES

    TO

    OCB-

    SESC

    OOP/

    ES -

    2011

    4

  • SISTEMA OCB-SESCOOP/ES

    A OCB/ES o rgo de defesa e representao do Sistema Cooperativista em mbito estadual. A instituio incentiva, assessora e orienta as cooperativas capixabas registradas e os grupos em processo de constituio, alm de promover, acompanhar e fazer cumprir a autogesto. Atravs do Registro e da Certicao de Regularidade Tcnica, a OCB/ES busca atingir plenamente um cooperativismo tico e comprometido, respaldado na Lei Federal 5764/71, na Lei Estadual 8257/06 de 17/01/06 e no Decreto Estadual R-1931 de 01/10/07, que regulamenta a Lei Estadual, com Registro Sindical no MTE - N 46000001306/94.

    O SESCOOP/ES responsvel por organizar, administrar e executar o ensino de formao prossional e promoo social dos dirigentes e colaboradores das cooperativas, assim como cooperados e seus familiares, cabendo ainda a funo de realizar o monitoramento das cooperativas no Estado do Esprito Santo. Alm disso, assiste s sociedades cooperativas na elaborao e execuo de programas de treinamentos especcos e na realizao de aprendizagem contnua.

    OCB/ESSindicato e Organizao das Cooperativas Brasileiras do Estado do Esprito Santo

    SESCOOP/ESServio Nacional de Aprendizagem do Cooperativismo no Estado do Esprito Santo

    Viso de Futuro 2020

    Misso

    Valores

    Ser reconhecido por sua excelncia em formao prossional cooperativista, preservando e disseminando os princpios e valores universais do cooperativismo, promovendo a sustentabilidade e a autogesto das cooperativas capixabas, proporcionando qualidade de vida e bem-estar social de cooperados, empregados e familiares.

    Promover o desenvolvimento do cooperativismo de forma integrada e sustentvel, por meio da formao prossional, da promoo social e do monitoramento das cooperativas, respeitando sua diversidade, contribuindo para sua competitividade e melhorando a qualidade de vida dos cooperados, empregados e familiares.

    tica, transparncia, prossionalismo, comprometimento, solidariedade, conana, cooperao e responsabilidade social.

    RELA

    TRI

    O DE

    GES

    TO

    OCB-

    SESC

    OOP/

    ES -

    2011

    5

    OCB/ESS i n d i c a t o e O r g a n i z a o d a s C o o p e r a t i v a s

    B r a s i l e i r a s d o E s t a d o d o E s p r i t o S a n t o

    SESCOOP/ESS e r v i o N a c i o n a l d e A p r e n d i z a g e m d o

    C o o p e r a t i v i s m o n o E s t a d o d o E s p r i t o S a n t o

  • CONSELHOS OCB/ES

    Conselho de Administrao

    Conselho de tica

    O Conselho de Administrao da OCB/ES se rene ordinariamente a cada 02 (dois) meses e, extraordinariamente, quantas vezes forem necessrias, com a presena da maioria de seus membros. Suas prerrogativas esto contidas no Estatuto Social.

    No ano de 2011 o Conselho de Administrao da OCB/ES realizou 06 (seis) reunies ordinrias e 01 (um) reunio extraordinria.

    Conselheiros

    Diretoria Executiva

    Esthrio Sebastio Colnago - Presidente Carlos Andr Santos de Oliveira - Superintendente

    Presidente

    O Conselho de tica da OCB/ES se rene ordinariamente a cada 04 (quatro) meses e, extraordinariamente, quantas vezes forem necessrias, com a presena da maioria de seus membros. Suas prerrogativas esto contidas no Estatuto Social.

    Esthrio Sebastio Colnago

    Argo Joo Uliana Joo Marcarini Filho Jocimar Pessi Galter

    Orly Campos Osmar Hernandes Muniz

    Conselheiros

    Conselheiros

    Esthrio Sebastio Colnago (Presidente Executivo) Wellington Carvalho BrancoSaldanha (Vice-presidente) Adriano Bastos Barbosa Denilson Potratz Fbio Felisberto Fiorot

    Jos Carnieli Lusmar Ferreira Silva Maria Jane Pereira Odmar Pricles Nascimento Ricardo Machado Perrone

    Conselho FiscalO Conselho Fiscal da OCB/ES se rene ordinariamente a cada 02 (dois) meses e, extraordinariamente, quantas vezes forem necessrias, com a presena da maioria de seus membros. Suas prerrogativas esto contidas no Estatuto Social.

    No ano de 2011 o Conselho Fiscal da OCB/ES realizou 06 (seis) reunies ordinrias.

    Efetivos Suplentes

    Francisco de Assis Pimassoni Mrio Milton Soares Rolmar Botechia

    Ana Lcia Meneli Lozer Marin Aparecida Ferreira Roberto Silveira

    RELA

    TRI

    O DE

    GES

    TO

    OCB-

    SESC

    OOP/

    ES -

    2011

    6

  • CONSELHOS SESCOOP/ES

    Conselho Administrativo Estadual

    Conselho Fiscal Estadual

    O Conselho Administrativo Estadual do SESCOOP/ES se rene ordinariamente a cada 02 (dois) meses e, extraordinariamente, quantas vezes forem necessrias, com a presena da maioria de seus membros. Suas prerrogativas esto contidas no Regimento Interno.

    No ano de 2011 o Conselho Administrativo Estadual do SESCOOP/ES realizou 06 (seis) reunies ordinrias.

    Diretoria Executiva

    Esthrio Sebastio Colnago - Presidente Carlos Andr Santos de Oliveira - Superintendente

    Presidente

    Esthrio Sebastio Colnago

    ConselheirosEfetivos Suplentes

    Antnio Joaquim de Souza Neto Cleto Venturim Roberto Ferreira da Silva Pinto Washington Jos Miranda Dorigheto

    Jos Adilson Pereira Lorena Samora Borgo Pedro Carnielli Renato Nbile

    ConselheirosEfetivos Suplentes

    Argo Joo Uliana Carlos Alberto Vieira Roberta Cristina Bispo de Carvalho

    Ady Vieira Brunini Gomes Adriana Potratz Pereira ureo Cola dos Santos

    O Conselho Fiscal do SESCOOP/ES se rene ordinariamente a cada 02 (dois) meses e, extraordinariamente, quantas vezes forem necessrias, com a presena da maioria de seus membros. Suas prerrogativas esto contidas no Regimento Interno.

    No ano de 2011 o Conselho Fiscal do SESCOOP/ES realizou 06 (seis) reunies ordinrias.

    RELA

    TRI

    O DE

    GES

    TO

    OCB-

    SESC

    OOP/

    ES -

    2011

    7

  • NMEROS DO COOPERATIVISMO CAPIXABA

    RELA

    TRI

    O DE

    GES

    TO

    OCB-

    SESC

    OOP/

    ES -

    2011

    8

    * Dados referentes a 31 de Dezembro de 2009

    RAMOSAgropecurioCrditoConsumoEducacionalHabitacionalProduoSadeTrabalhoTransporteTotal

    TOTAL DE COOPERADOS16.802

    111.8701.8153.0643.794

    2654.439

    9992.915

    145.963

    DADOS DE 2009TOTAL DE EMPREGADOS

    1.613904

    13272132

    02.613

    1975

    5.641

    N DE COOPERATIVAS3430

    112

    98

    209

    20143

    * Dados referentes a 31 de Dezembro de 2010

    RAMOSAgropecurioCrditoConsumoEducacionalHabitacionalProduoSadeTrabalhoTransporteTotal

    TOTAL DE COOPERADOS20.600

    110.2921.7583.2805.608

    1884.4811.2373.136

    150.580

    DADOS DE 2010TOTAL DE EMPREGADOS

    1.621900

    12248171

    02.815

    3578

    5.880

    N DE COOPERATIVAS3229

    112

    97

    201021

    141

    * Dados referentes a 31 de Dezembro de 2011

    RAMOSAgropecurioCrditoConsumoEducacionalHabitacionalProduoSadeTrabalhoTransporteTotal

    TOTAL DE COOPERADOS27.007

    148.5481.7583.2805.641

    1964.7331.3223.729

    196.214

    DADOS DE 2011TOTAL DE EMPREGADOS

    2.0001.013

    11277152

    02.950

    47141

    6.591

    N DE COOPERATIVAS3828

    112

    97

    211123

    150

  • ASCO

    NT -

    ASSE

    SSOR

    IA CO

    NTB

    IL

  • ASCONT - ASSESSORIA CONTBIL

    A ASCONT uma consultoria (PJ) oferecida pelo Sistema OCB-SESCOOP/ES s cooperativas capixabas registradas e adimplentes. Ela feita pelo experiente e conceituado contador e auditor Dorly Dickel, que elabora Boletins Informativos peridicos de acordo com alteraes constantes na legislao Contbil, Fiscal, Tributria e Previdenciria. ASCONT tambm emite Pareceres formais em respostas s consultas formuladas pelas cooperativas adimplentes ao Sistema, por meio de Correio Eletrnico encaminhado Superintendncia.

    Assessoria e consultoria contbil, tributria, fiscal e financeira;

    Emisso de pareceres formais, bem como estudos de "cases".

    GRFICOS DEMONSTRATIVOS

    Pareceres

    Boletins Eletrnicos

    2001 2002 2003 2004 20052006

    20072008

    20092010

    2011

    - 0 - - 0 - 6 12 26 35 4361

    4874

    44

    2001 2002 2003 2004 20052006

    20072008

    20092010

    2011

    - 0 - - 0 - 0 026 36

    51 49 5249 48

    Atividades

    Atividades da ASCONT

    RELA

    TRI

    O DE

    GES

    TO

    OCB-

    SESC

    OOP/

    ES -

    2011

    10

  • ASJU

    R - A

    SSES

    SORI

    A JU

    RDI

    CA

  • ASJUR - ASSESSORIA JURDICA

    A Assessoria Jurdica do Sistema OCB-SESCOOP/ES terceirizada e coordenada pelo advogado Dr. Haynner Batista Capettini, scio do escritrio de advocacia Sinhorelo & Capettini Advogados Associados. Desde 15 de maro de 2011, a ASJUR conta com o reforo da advogada Dra. Janine Silva Bezerra como analista jurdica, com dedicao integral, 40h/semanais na qualidade de empregada celetista e com o apoio tcnico e administrativo da estagiria e bacharelanda de Direito Aline Longo de Souza.

    Representao do Sistema OCB-SESCOOP/ES em eventos, solenidades e reunies tcnicas de trabalho;

    Acompanhamento da vigncia ou revogao de normas jurdicas (Leis, Decretos, Instrues Normativas, Portarias, etc.);

    Manuteno de arquivos de processos, legislao e documentos;

    Participao e apoio em eventos e cursos de interesse do Sistema OCB-SESCOOP/ES sobre matria jurdica;

    Divulgao de decises judiciais.

    Elaborao de pareceres e estudos para a presidncia, superintendncia, gerncias, cooperativas e demais entidades pblicas,

    paraestatais e privadas em assuntos correlatos ao Direito Cooperativo e aos servios sociais autnomos (Sistema S);

    Anlise de atas, estatutos e regimentos internos das cooperativas, no ato de suas constituies ou por oportunidade de suas alteraes

    (reformas), e ainda, emisso de pareceres sobre assuntos diretamente relacionados ao cooperativismo.

    Redao/reviso de instrumentos de contratos, convnios e parcerias;

    Redao/reviso tcnica de atos normativos ou seus projetos de Lei, Decretos, etc.;

    Avaliao dos instrumentos em procedimentos licitatrios e processo seletivo de contratao pessoal do SESCOOP/ES;

    Assessoramento aos Conselhos do Sistema OCB-SESCOOP/ES, apoio tcnico em reunies, bem como elaborao e reviso de atas, resolues e portarias;

    Acompanhamento das negociaes coletivas de trabalho (Convenes Coletivas e em Acordos Coletivos de Trabalho), juntamente com os sindicatos das categorias prossionais.

    Atuao em processos judiciais e/ou administrativos do Sistema OCB-SESCOOP/ES;

    Realizao ou acompanhamento de diligncias (notificaes, consultas e etc).

    Atividades de Consultoria

    Atividades de Assessoria

    Atividades Advocatcias

    Atividades Complementares

    Atividades da ASJUR

    RELA

    TRI

    O DE

    GES

    TO

    OCB-

    SESC

    OOP/

    ES -

    2011

    12

  • 2001 2002 2003 20042005

    20062007

    20082009

    20102011

    16 16 17 32 44 50 80137

    193 219 239

    2001 2002 2003 20042005

    20062007

    20082009

    20102011

    19 28 46 82 141 166 190 194 196 227

    319

    2001 2002 2003 2004 2005 20062007

    20082009

    20102011

    18 23 38 51 62 68 71 85 87 100 109

    2001 2002 2003 2004 2005 20062007

    20082009

    20102011

    8 12 19 32 35 53 92 9682 122

    165

    2001 2002 2003 20042005

    20062007

    20082009

    20102011

    15 28 42 71 92 114

    312 331 345438 531

    GRFICOS DEMONSTRATIVOS

    Visitas e Reunies

    Pareceres

    Contratos e Convnios

    Atendimento Via E-mail

    Atendimento Via Telefone

    RELA

    TRI

    O DE

    GES

    TO

    OCB-

    SESC

    OOP/

    ES -

    2011

    13

  • 2001 2002 2003 20042005

    20062007

    20082009

    20102011

    1 13 3

    2 3

    6 6 6 7

    5

    Contecioso Adm./Judicial

    Boletim Sindical Eletrnico

    2001 2002 20032004

    20052006

    20072008

    20092010

    2011

    - 0 - - 0 -

    2 23

    5 5 5 56 6

    2006200

    Responsveis pelo 2 Seminrio Capixaba de Direito Cooperativo, realizado pelo Sistema OCB-SESCOOP/ES.

    Participao em reunio sindical entre a OCB/ES e Diretores e Delegados do SINTRACOOP/ES.

    Participao na I Conferncia Estadual de Emprego e Trabalho Decente representando as Cooperativas Capixabas.

    Lanamento do Livro Sustentabilidade e Cooperativismo.

    FOTOS

    RELA

    TRI

    O DE

    GES

    TO

    OCB-

    SESC

    OOP/

    ES -

    2011

    14

  • GEAD

    M -

    GER

    NCIA

    ADM

    INIS

    TRAT

    IVA

  • GEADM - GERNCIA ADMINISTRATIVA

    A GEADM tem como responsvel direta a gerente administrativa Silvana Luiza de Almeida, que coordena e supervisiona as atividades desenvolvidas pelos colaboradores: Enilide Faroni da Silva (assistente administrativo II), Marcos Vincius Martins dos Passos (apoio administrativo estagirio at fevereiro/2012), Leonardo Correira Podovan Soprani (apoio administrativo estagirio), Aliny Rosa de Sousa (assistente administrativo I atendimento/secretaria), Clia Regina Endlich da Silva (assistente administrativo I atendimento/secretaria), Soraia Mota de Souza (auxiliar de servios), Maristela Lima da Costa (auxiliar de servios, at janeiro/2012) e Raulyson Hudson Alves da Silva (motorista).

    Acompanhar os contratos firmados pelas instituies; Participar efetivamente dos processos de tomadas de preos dos bens e servios adquiridos pelo Sistema OCB-SESCOOP/ES, visando a reduo de custos, mediante negociao junto aos fornecedores, sem perda da qualidade;

    Conduzir o ambiente organizacional interno, promovendo a harmonia entre as demais gerncias, assessorias e coordenadorias;

    Responder perante as auditorias sobre os procedimentos realizados pelo SESCOOP/ES;

    Controlar o estoque de materiais;

    Desenvolver e executar os processos de recrutamento e seleo de pessoal;

    Identificar a necessidade da aplicao de T&D (treinamento e desenvolvimento) para o quadro funcional;

    Controlar e conservar os bens patrimoniais; Participar dos processos licitatrios como membro da Comisso Permanente de Licitao CPL; Zelar pelas condies do ambiente de trabalho e da sade dos trabalhadores, tendo por base programas de segurana do trabalho (PPRA Programa de Preveno de Riscos Ambientais) e de Medicina Ocupacional (PCMSO Programa de Controle Mdico de Sade Ocupacional), alm do acompanhamento de exames admissionais, peridicos e demissionais dos colaboradores celetistas do Sistema.

    Twitter

    Atividades

    Atividades da GEADM

    RELA

    TRI

    O DE

    GES

    TO

    OCB-

    SESC

    OOP/

    ES -

    2011

    16

  • 2001 2002 2003 20042005

    20062007

    20082009

    20102011

    2 23 3 3

    4

    3 3 3 34

    2001 2002 2003 2004 20052006

    20072008

    20092010

    2011

    5 5 6 7 8 10 9 11 12 12 13

    2001 2002 2003 2004 2005 20062007

    20082009

    20102011

    1 12

    3 32 2

    3

    2

    11

    GRFICOS DEMONSTRATIVOS

    Relao de Colaboradores OCB/ES

    Empregados Celetistas

    Estagirios

    Prestadores de Servios PJ REL

    ATR

    IO D

    E GES

    TO

    OCB-

    SESC

    OOP/

    ES -

    2011

    17

  • 2001 2002 20032004

    20052006

    20072008

    20092010

    2011

    4 5 6 7 810 10 11 11 12 13

    2001 20022003

    20042005

    20062007

    20082009

    20102011

    12 2

    3 34

    6

    4

    3 33

    2001 20022003

    20042005

    20062007

    20082009

    20102011

    2 23 3 3

    4

    6

    4

    3 33

    GRFICOS DEMONSTRATIVOS

    Empregados Celetistas

    Estagirios

    Prestadores de Servios PJ

    Relao de Colaboradores SESCOOP/ES

    Twitter

    RELA

    TRI

    O DE

    GES

    TO

    OCB-

    SESC

    OOP/

    ES -

    2011

    18

  • GECA

    P - G

    ERN

    CIA

    DE C

    APAC

    ITA

    O

  • Curso de Cooperativismo

    Atividades

    Curso de Formao para Conselheiros Adm. e Dir. Exec. de Cooperativistas

    GECAP - GERNCIA DE CAPACITAO

    Atividades da GECAP

    A Gerncia de Capacitao do Sistema OCB-SESCOOP/ES formada pelo gerente, Leoney Jos Soares Miranda; pelo assessor tcnico, Jamilson Palmeira Machado e conta ainda com o reforo dos assistentes tcnicos Rayner da Silva Santos, Tiago Klein Potratz e da assistente tcnica Josiani Correia Mariano.

    Planejamento, organizao e execuo de palestras, cursos, treinamentos, seminrios, workshops, feiras, encontros e fruns, que so elaborados de acordo com o levantamento de demandas realizado junto s cooperativas;

    Elaborao e execuo de projetos nas reas de formao/qualificao profissional e promoo social em parceria com cooperativas e outras instituies;

    Elaborao, coordenao e execuo de atividades desenvolvidas no Programa de Formao de Jovens Lideranas Cooperativistas (FOJOLICO), Formao dos Agentes de Desenvolvimento Humano (ADHs) e o Programa COOPERJOVEM.

    Com o objetivo de habilitar os participantes quanto filosofia, doutrina, estrutura organizacional, gesto e legislao cooperativista, a cada ano a GECAP realiza uma mdia de 35 Cursos de Cooperativismo. At hoje, mais de 7.300 pessoas j participaram dessa capacitao, dentre elas presidentes, cooperados e colaboradores de cooperativas.

    Os conselheiros administrativos e a diretoria executiva das cooperativas capixabas, participam de curso especfico voltado atual funo desempenhada por eles dentro da instituio sobre cooperativismo. Doutrinas, histrias, princpios e legislao cooperativista, modelos de gesto e administrao so alguns dos temas abordados neste curso.

    Este curso tem contribudo bastante com a profissionalizao dos gestores e consequentemente com melhores resultados conquistados pelas cooperativas capixabas.

    Principais Capacitaes e Eventos Realizados

    RELA

    TRI

    O DE

    GES

    TO

    OCB-

    SESC

    OOP/

    ES -

    2011

    20

  • Cursos para Conselheiros Fiscais

    Encontros com os Agentes de Desenvolvimento Humano (ADHs)

    Formacoop

    A GECAP tem organizado encontros com os ADHs com o objetivo de conduzir os Agentes das cooperativas capixabas para um processo de reexo sobre o contexto e seu papel como transformador, visando uma atuao que culmine em um processo de desenvolvimento gil e sustentvel, entre o Sistema e a Cooperativa onde o agente atua diretamente, atravs da identificao das necessidades levantadas. De maneira a promover maior interao e troca de experincias entre esse pblico, estes encontros so realizados desde 2008.

    Existem hoje aproximadamente 55 ADHs no Estado.

    O Formacoop um programa realizado pelo Sistema e que oferece conhecimentos sobre Gesto Empresarial com foco nas Instituies Cooperativistas e exercita atitudes, habilidades e comportamentos estratgicos, tcnicos e humanos, necessrios conduo competente da organizao. No ano passado, a concluso do curso foi feita atravs de um intercmbio no Paran, realizado entre os dias 04 e 08 de dezembro. Dentre os participantes estavam Presidentes, Diretores Executivos, Conselheiros e Colaboradores (empregados celetistas diretos que exercem funo de Superintendncia, Gerncia, Superviso ou Assessoria Tcnica similar), alm de empregados do prprio Sistema. O objetivo da viagem foi conhecer novas prticas de gesto, tcnicas que podero colaborar no desenvolvimento e aprimoramento das atividades das cooperativas capixabas, assim como, associar aos ensinamentos explanados no decorrer do Programa.

    Anualmente, conselheiros fiscais de cooperativas capixabas recebem conhecimentos tcnicos, informaes gerais sobre o cooperativismo, alm de instrumentos de anlise e controle que lhes permitem aplicar tcnicas de fiscalizao para medir eficincia e eficcia da gesto da sociedade cooperativa. So realizados em mdia 07 cursos por ano.

    Ao todo, mais de 1.800 conselheiros j foram capacitados.

    RELA

    TRI

    O DE

    GES

    TO

    OCB-

    SESC

    OOP/

    ES -

    2011

    21

  • Encontro Estadual de Mulheres Cooperativistas

    Frum de Presidentes e Executivos das Cooperativas Capixabas

    Programa de Formao Jovens Lideranas Cooperativistas - FOJOLICO

    Com o objetivo de conscientizar as mulheres de sua importncia e atuao na cooperativa e no cooperativismo, especialmente em cargos de deciso, alm de estimular a participao das esposas e filhas de cooperados para o desenvolvimento da cooperativa e da comunidade local, o Sistema OCB-SESCOOP/ES promove o Encontro Estadual de Mulheres Cooperativistas.

    Alm do Encontro Estadual de Mulheres, foram realizadas outras atividades com os ncleos femininos do Estado, como o 2 Encontro de Casais da Cooabriel, 2 Frum de Mulheres Cooperativistas da Veneza e palestras para os ncleos femininos. Estas atividades promoveram a integrao de 479 mulheres, despertando a participao dentro da cooperativa, somando fora para o desenvolvimento do cooperativismo.

    Em 2011, foi realizado o 3 Encontro Estadual de Mulheres Cooperativistas, que teve durao de dois dias. Palestras e atividades em grupo marcaram o evento, que contou com a participao de 280 mulheres cooperadas, filhas de cooperados, esposas de cooperados e colaboradoras das cooperativas capixabas.

    Desde 2006, o Sistema OCB-SESCOOP/ES realiza o FRUM DE PRESIDENTES E EXECUTIVOS DAS COOPERATIVAS CAPIXABAS. Durante dois dias, centenas de lderes cooperativistas de todo Estado se renem e participam de palestras e atividades relacionadas a temas como cooperativismo, liderana, tendncias de mercado etc. At hoje, o evento j contou com mais de 1.200 participantes.

    O Programa de Formao Jovens Lideranas Cooperativistas tem por objetivo despertar nos jovens o interesse pelo negcio cooperativo e capacit-los para gerir de forma competitiva, exercendo papel de liderana, alm de desenvolver habilidades e competncias que os levem a se organizar por meio do cooperativismo.

    At hoje, so mais de 170 jovens envolvidos no programa em diversas regies do Estado. Para formar as turmas, o Sistema OCB-SESCOOP/ES conta sempre com a importante parceria de cooperativas da regio, na qual a turma ser criada.

    RELA

    TRI

    O DE

    GES

    TO

    OCB-

    SESC

    OOP/

    ES -

    2011

    22

  • 2001 2002 2003 2004 2005 20062007

    20082009

    20102011

    21 33 34 5120

    1277 111 101

    153 157

    2001 2002 2003 2004 20052006

    20072008

    20092010

    2011

    6 9 2 3 74 78 83 91 113 117 121

    Eventos Centralizados

    Eventos Descentralizados

    As aes realizadas pelo Sistema OCB-SESCOOP/ES so desenvolvidas de duas maneiras, a saber:

    So planejados, coordenados e realizados diretamente pela equipe do SESCOOP/ES, com autorizao prvia do Conselho Administrativo da Unidade Estadual, bem como do SESCOOP Nacional. Em 2011 foram realizadas 157 aes centralizadas de formao profissional e promoo social, conforme mostra o quadro a seguir:

    So planejados e coordenados pelas cooperativas atravs dos Agentes de Desenvolvimento Humano (ADHs), que so colaboradores designados pelas cooperativas registradas e devidamente capacitados pelo SESCOOP/ES, para serem os responsveis diretos pela elaborao, planejamento, execuo e prestao de contas dos projetos de formao profissional e promoo social, que foram aprovados no Plano de Trabalho do SESCOOP/ES para serem realizados em parceria com as cooperativas e a Unidade Estadual, com a devida autorizao prvia do Conselho Administrativo do SESCOOP/ES e do SESCOOP Nacional. Em 2011 foram realizadas 121 aes descentralizadas, conforme mostra o quadro abaixo:

    Atividades Centralizadas

    Atividades Descentralizadas

    RELA

    TRI

    O DE

    GES

    TO

    OCB-

    SESC

    OOP/

    ES -

    2011

    23

    COMPARATIVO DE CAPACITAES REALIZADAS PELO SESCOOP/ES COM O APOIO DA OCB/ES

  • 2001 2002 2003 20042005

    20062007

    20082009

    20102011

    856 1.118 1.249 2.018 862 1.229 2.378 2.8372.783 4.703

    4.279

    1.150 1.512 1.690 2.730 1.166 1.662 3.217 3.838

    4.6436.398

    6.155

    237 344 344 556 238 340 657 784

    8661.145

    975

    276 314 390 630 289 383 741 8851.718 1.611

    2.714

    2001 2002 2003 2004 20052006

    20072008

    20092010

    2011

    29 77 86 130 94 90160 202 214

    270 278

    2001 2002 20032004

    20052006

    20072008

    20092010

    2011

    2519 3288 36735934

    2535 36146993 8344

    10010

    13857 14123

    2001 2002 20032004

    20052006

    20072008

    20092010

    2011

    874 1140 1274 15502044

    1019 1487

    24072270

    28912719

    Os grficos abaixo apresentam de forma resumida o comparativo das atividades realizadas de formao profissional e promoo social compreendidos entre o perodo de 2001 a 2011:

    Os grficos abaixo apresentam de forma resumida o comparativo das atividades realizadas de formao profissional e promoo social compreendidos entre o perodo de 2001 a 2011:

    Encontros Cooperativos

    Aes Realizadas

    Carga Horria Realizada

    N de Participantes Beneficiados

    CooperadoColaboradorCooperadoCooperadoColaboradorColaborador

    DirigentesOutrosDirigentesDirigentesOutrosOutros

    RELA

    TRI

    O DE

    GES

    TO

    OCB-

    SESC

    OOP/

    ES -

    2011

    24

  • GECO

    M -

    GER

    NCIA

    DE C

    OMUN

    ICA

    O

  • 4GECOM - GERNCIA DE COMUNICAO

    A Assessoria de Comunicao (ASCOM) foi criada em 2001, com o objetivo de organizar, planejar e executar toda a comunicao do Sistema, bem como orientar e desenvolver trabalhos para as cooperativas capixabas. No ano de 2010, a ASCOM se transformou em Gerncia de Comunicao (GECOM). Atualmente a GECOM formada pelo gerente de comunicao Vitor Rangel Cardoso (publicitrio), pela analista de comunicao Mariana Tavares Garcia (Jornalista) e pela assistente tcnica Jessica Hiluey Leo ( publicitria).

    Assessoria de imprensa; Assessoria na criao de informativos; Criao de materiais publicitrios, flderes, logomarcas, entre outros; Construo de planos de comunicao.

    Com o objetivo de capacitar os prossionais da rea de comunicao das cooperativas capixabas sobre a importncia de trabalhar a comunicao de forma integrada, a ASCOM/GECOM realiza, desde 2008, o Encontro dos Prossionais de Comunicao das Cooperativas Capixabas. At hoje j foram realizados trs Encontros. Todos contaram com renomados palestrantes relacionados comunicao e ao cooperativismo.

    Desde 2006, o Sistema OCB-SESCOOP/ES fomenta junto a um veculo de comunicao de grande circulao a construo de um caderno especial exclusivo para o tema cooperativismo.

    Distribudo sempre no primeiro sbado de julho em comemorao ao Dia Internacional do Cooperativismo, o caderno traz reportagens especiais sobre cooperativas, entrevistas exclusivas com lideranas do cooperativismo, artigos e fotos.

    Em 2007, o Sistema OCB-SESCOOP/ES criou o Prmio de Jornalismo Cooperativista. A ao tem contribudo bastante para a Educao Cooperativista e divulgao dos projetos, aes econmicas e sociais realizadas pelas cooperativas capixabas.

    O incentivo oferecido aos prossionais de comunicao, com atuao no Estado, tem cooperado para que a populao capixaba passe a contar com mais informaes sobre o que e como funciona o cooperativismo.

    A iniciativa tem por objetivo a veiculao na mdia capixaba de matrias espontneas sobre o cooperativismo, fazendo com que as informaes passadas tenham a marca da credibilidade e imparcialidade, caractersticas da imprensa.

    Twitter

    Atividades

    Atividades da GECOM

    Encontro dos Prossionais de Comunicao das Cooperativas Capixabas

    Caderno Especial referente ao Dia Internacional do Cooperativismo

    Prmio de Jornalismo Cooperativista

    RELA

    TRI

    O DE

    GES

    TO

    OCB-

    SESC

    OOP/

    ES -

    2011

    26

  • Criado em 14 de novembro de 2003, o Boletim Eletrnico Integrao Cooperativista tem como objetivo divulgar as aes das cooperativas capixabas e do prprio Sistema OCB-SESCOOP/ES. Desde a primeira edio, o Boletim sempre foi elaborado pela Assessoria/Gerncia de Comunicao do Sistema OCB-SESCOOP/ES. Hoje o Integrao Cooperativista enviado semanalmente, sempre s quartas-feiras, para as cooperativas capixabas e para toda a rede de contatos do Sistema OCB-SESCOOP/ES, que engloba OCBs de todo Brasil, lideranas polticas, empreendedores, formadores de opinio, veculos de comunicao de todos os segmentos, grandes empresas, entre outros. Assim como o OCB/ES em Foco possui novo formato, alinhado com a proposta descrita acima.

    Criado em 15 de outubro de 2010, o Boletim Eletrnico OCB/ES em Foco tem como objetivo divulgar as aes das cooperativas capixabas e do prprio Sistema OCB-SESCOOP/ES. Desde a primeira edio, o Boletim sempre foi elaborado pela Assessoria/Gerncia de Comunicao do Sistema OCB-SESCOOP/ES. Hoje o OCB/ES em Foco possui um novo formato que proporciona uma interao e facilidade de leitura, sendo enviado quinzenalmente, sempre s sextas-feiras, s cooperativas capixabas e rede de contatos do Sistema OCB-SESCOOP/ES, que engloba OCBs de todo Brasil, lideranas polticas, empreendedores, formadores de opinio, veculos de comunicao de todos os segmentos, grandes empresas, etc.

    Em 2005 o site do Sistema OCB-SESCOOP/ES foi reestruturado, com o intuito de oferecer uma gama maior de informaes sobre o Cooperativismo Capixaba. Na pgina, os internautas encontram as principais novidades do segmento, com notcias atualizadas praticamente todos os dias. O quadro de colaboradores do Sistema tambm est sempre atualizado, com cargos e contatos de todos. O site ainda conta com um menu exclusivo para as cooperativas, onde possvel acessar informaes como nome e contatos de todas as cooperativas capixabas, alm de outras ferramentas, como banco de imagens, banners educativos, etc.

    Ao longo dos ltimos anos, o Sistema OCB-SESCOOP/ES vem ampliando o mix de servios prestados junto s cooperativas capixabas. Hoje, so sete gerncias que esto diretamente ligadas a todas cooperativas registradas e adimplentes. E essa equipe no para. No intuito de divulgar ainda mais estes servios prestados, no primeiro ms de 2011 o Sistema lanou uma pgina na internet com todos os detalhes sobre as atividades desenvolvidas pela equipe. Na pgina, os colaboradores das cooperativas capixabas podem conferir todas as informaes e contatos das gerncias.

    Ao longo dos ltimos anos, o Sistema OCB-SESCOOP/ES vem ampliando o mix de servios prestados junto s cooperativas capixabas. Hoje, so sete gerncias que esto diretamente ligadas a todas cooperativas registradas e adimplentes. E essa equipe no para. No intuito de divulgar ainda mais estes servios prestados, no primeiro ms de 2011 o Sistema lanou uma pgina na internet com todos os detalhes sobre as atividades desenvolvidas pela equipe. Na pgina, os colaboradores das cooperativas capixabas podem conferir todas as informaes e contatos das gerncias.

    Em 2005 o site do Sistema OCB-SESCOOP/ES foi reestruturado, com o intuito de oferecer uma gama maior de informaes sobre o Cooperativismo Capixaba. Na pgina, os internautas encontram as principais novidades do segmento, com notcias atualizadas praticamente todos os dias. O quadro de colaboradores do Sistema tambm est sempre atualizado, com cargos e contatos de todos. O site ainda conta com um menu exclusivo para as cooperativas, onde possvel acessar informaes como nome e contatos de todas as cooperativas capixabas, alm de outras ferramentas, como banco de imagens, banners

    Criado em 14 de novembro de 2003, o Boletim Eletrnico Integrao Cooperativista tem como objetivo divulgar as aes das cooperativas capixabas e do prprio Sistema OCB-SESCOOP/ES. Desde a primeira edio, o Boletim sempre foi elaborado pela Assessoria/Gerncia de Comunicao do Sistema OCB-SESCOOP/ES. Hoje o Integrao Cooperativista enviado semanalmente, sempre s quartas-feiras, para as cooperativas capixabas e para toda a rede de contatos do Sistema OCB-SESCOOP/ES, que engloba OCBs de todo Brasil, lideranas polticas, empreendedores, formadores de opinio, veculos de comunicao de todos os segmentos, grandes empresas, entre outros. Assim como o OCB/ES em Foco possui novo formato, alinhado com a proposta descrita acima.

    Criado em 14 de novembro de 2003, o Boletim Eletrnico Integrao Cooperativista tem como objetivo divulgar as aes das cooperativas capixabas e do prprio Sistema OCB-SESCOOP/ES. Desde a primeira edio, o Boletim sempre foi elaborado pela Assessoria/Gerncia de Comunicao do Sistema OCB-SESCOOP/ES. Hoje o Integrao Cooperativista enviado semanalmente, sempre s quartas-feiras, para as cooperativas capixabas e para toda a rede de contatos do Sistema OCB-SESCOOP/ES, que engloba OCBs de todo Brasil, lideranas polticas, empreendedores, formadores de opinio, veculos de comunicao de todos os segmentos, grandes empresas, entre outros. Assim como o OCB/ES em Foco possui novo formato, alinhado com a proposta descrita acima.

    Criado em 14 de novembro de 2003, o Boletim Eletrnico Integrao Cooperativista tem como objetivo divulgar as aes das cooperativas capixabas e do prprio Sistema OCB-SESCOOP/ES. Desde a primeira edio, o Boletim sempre foi elaborado pela Assessoria/Gerncia de Comunicao do Sistema OCB-SESCOOP/ES. Hoje o Integrao Cooperativista enviado semanalmente, sempre s quartas-feiras, para as cooperativas capixabas e para toda a rede de contatos do Sistema OCB-SESCOOP/ES, que engloba OCBs de todo Brasil, lideranas polticas, empreendedores, formadores de opinio, veculos de comunicao de todos os segmentos, grandes empresas, entre outros. Assim como o OCB/ES em Foco possui novo formato, alinhado com a proposta

    OCB/ES em Foco

    Integrao Cooperativista

    Site do Sistema OCB-SESCOOP/ES

    Hot Site - Servioes Prestados

    RELA

    TRI

    O DE

    GES

    TO

    OCB-

    SESC

    OOP/

    ES -

    2011

    27

  • Desde 2009, as principais novidades relacionadas s cooperativas capixabas e ao Sistema OCB-SESCOOP/ES podem ser acompanhadas tambm pelo Twitter. O microblog permite uma aproximao ainda maior do Sistema com seus pblicos - interno e externo. So centenas de seguidores que recebem diariamente notcias, fotos, informaes sobre eventos, etc.

    Para saber mais, basta o internauta acessar www.twitter.com/ocb_es, seguir o Sistema e car por dentro de tudo que acontece no Cooperativismo Capixaba.

    Desde que foi criada, em 2001, a Assessoria/Gerncia de Comunicao do Sistema OCB-SESCOOP/ES vem desenvolvendo campanhas e materiais que divulgam a sua evoluo. At hoje, j foram publicados dezenas de anncios nos principais jornais impressos do Estado, inseres em rdios da Grande Vitria e do interior. A GECOM tambm responsvel pela criao de banners impressos e eletrnicos, flderes, calendrios e demais brindes, quadros institucionais, alm do desenvolvimento da identidade visual de todos os eventos realizados pelo Sistema e de malas-diretas eletrnicas para a divulgao via e-mail dos cursos, capacitaes, eventos etc.

    Twitter

    Elaborao de Materiais Institucionais do Sistema

    RELA

    TRI

    O DE

    GES

    TO

    OCB-

    SESC

    OOP/

    ES -

    2011

    28

  • A cada ano, as demandas das cooperativas capixabas pelo trabalho da GECOM, aumentam consideravelmente. As cooperativas solicitam desde a criao de logomarcas, flderes, banners, assessoria de impressa, assinaturas de e-mail, at consultoria na elaborao de planos de comunicao, projetos para web e construo de roteiros para vdeos institucionais. tarefa da GECOM buscar a excelncia nas aes de comunicao desenvolvidas pelas cooperativas capixabas.

    Logomarcas

    Manual de Identidade Visual

    Malas Eletrnicas

    Frotas

    Uniformes

    COOPERATIVA DOS CAFEICULTORES DO SUL DO ESTADO DO ESPRITO SANTO

    COOPERATIVA AGRCOLA DOS FORNECEDORES DE CANA LTDA

    COAFOCANACOOAPRUCOL

    Atendimento s demandas das cooperativas

    RELA

    TRI

    O DE

    GES

    TO

    OCB-

    SESC

    OOP/

    ES -

    2011

    29

  • 2001 2002 2003 20042005

    20062007

    20082009

    20102011

    - 0 - 2 2 3 5 12

    47

    79 8369 82

    2001 2002 20032004

    20052006

    20072008

    20092010

    2011

    - 0 - - 0 - - 0 - - 0 - 11 1852 70 72 78

    102

    2001 2002 20032004

    20052006

    20072008

    20092010

    2011

    - 0 - - 0 -52 49 54 58 60

    156136 159

    251

    2001 2002 20032004

    20052006

    20072008

    20092010

    2011

    - 0 - - 0 - - 0 - - 0 - 2 4 7 18 28 39

    183

    2001 2002 20032004

    20052006

    20072008

    20092010

    2011

    - 0 - - 0 - 2 3 5 5 7 18 2843

    92

    Atendimentos Diretos s Cooperativas

    Boletins Informativos Eletrnicos

    Criao de Peas Publicitrias

    Criao de Malas Eletrnicas

    Criao de Matrias

    GRFICOS DEMONSTRATIVOS

    RELA

    TRI

    O DE

    GES

    TO

    OCB-

    SESC

    OOP/

    ES -

    2011

    30

  • GEFI

    N OC

    B/ES

    - GE

    RNC

    IA D

    E FIN

    ANA

    S

  • 2001 2002 2003 2004 20052006

    20072008

    20092010

    2011

    151 149

    130 130 135130 136 142 143 141

    150

    44,97%55,40%

    39,23%32,31%

    22,22%

    9,23%5,15%

    3,52% 4,90%3,55% 3,33%

    Twitter

    GEFIN OCB/ES - GERNCIA DE FINANAS E CONTABILIDADE DA OCB/ESA GEFIN da OCB/ES responsvel pela rea Oramentria, Financeira e o Departamento de Pessoal/FOPAG. Atualmente a GEFIN da OCB/ES Gerenciada por Maria Rosilene Favalessa (Rose), que tambm contadora da OCB/ES, com apoio administrativo da Assistente de Oramento e Finanas Jaqueline Siqueira at fevereiro/2012, e Jenifer Borges, a mais nova colaboradora ingressante em maro/2012 .

    O acompanhamento da adimplncia/inadimplncia realizado de forma diria, com fechamento mensal para a Diretoria Executiva e para as reunies dos Conselhos de Administrao, Fiscal e tica, ordinariamente, uma vez a cada 02 (dois) meses, com apresentao dos relatrios das cooperativas inadimplentes.

    No grco 1, apresentamos a inadimplncia nanceira das Contribuies Estatutrias (contribuio Sindical Patronal, Contribuio Cooperativista e Taxa de Manuteno Mensal).

    No grco 2, podemos analisar com mais clareza a importncia dessas contribuies Estatutria para o Sistema OCB/ES. Dentro do total das Receitas Estatutrias apresentadas conforme Demonstrativo de Supervit, a Taxa de Manuteno Mensal representa um percentual de 53,42%, a Contribuio Cooperativista representa um percentual de 33,54% e a Contribuio Sindical Patronal representa um percentual de 13,07%.

    Indicador de Desempenho da Meta Inadimplncia Financeira

    Total de CooperativasInadimplncia

    Perodo% meta% meta atingidaN Cooperativas

    20079%

    5,15%136

    20088%

    3,52%142

    20096%

    4,90%143

    20104%

    3,55%141

    20113%

    3,33%150

    Indicador de Desempenho: % de Inadimplncia

    Objetivo Estartgico: Reduzir a Inadimplmcia

    Total de CooperativasInadimplnciaInadimplnciaTotal de Cooperativas

    RELA

    TRI

    O DE

    GES

    TO

    OCB-

    SESC

    OOP/

    ES -

    2011

    32

    Evoluo das Receitas - 2006/2007/2008/2009/2010/2011 (% com anos anteriores)TMM

    53,42%51,89%53,67%59,37%62,84%

    CC

    33,54%35,76%33,34%28,46%25,97%

    2011 - R$ 1.381.872,40

    CSP

    13,07%12,34%12,99%12,17%11,19%

    20112010200920082007

    100%100%100%100%100%

    0,00

    100.000,00

    200.000,00

    300.000,00

    400.000,00

    500.000,00

    600.000,00

    700.000,00

    800.000,00

    TMM

    CC

    CSP

    407.

    029,

    85

    164.

    310,

    21

    82.6

    41,9

    4

    489.

    142

    202.

    162,

    48

    87.0

    89,8

    1

    535.

    881,

    60 -

    256.

    854,

    03

    109.

    804,

    22

    564.

    858,

    00

    -

    350.

    873,

    00

    136.

    673,

    00

    643.

    130,

    33

    -

    443.

    259,

    35

    153.

    001,

    35

    -738

    .275

    ,00

    463.

    748,

    91

    180.

    769,

    49

    2006 2007 2008 2009 2010 2011

    (Grco 1)

    (Grco 2)

  • AgropecurioR$ 82.046,09

    17,69%ConsumoR$ 276,00

    0,06%

    EducacionalR$ 1.495,78

    0,32%

    CrditoR$ 284.915,36

    61,44%

    HabitacionalR$ 1.738,80

    0,37%

    TransporteR$ 6.036,33

    1,30%

    SadeR$ 85.203,15

    18,37%

    ProduoR$ 778,32

    0,17%

    TrabalhoR$ 1.259,08

    0,27%

    Demonstrativo da Receita da ContribuioCooperativista 2011 por Ramos

    Contribuio Cooperativista 2011 (Base 2010)

    A OCB/ES mantida atravs das contribuies estaturias pagas pelas cooperativas registradas. So elas:

    A Contribuio Cooperativista foi instituda pela lei federal 5764/71 (art.108 e seus pargrafos) e tambm consta no Estatuto Social da OCB/ES. A arrecadao da mesma feita pela OCB/ES, porm 40% (quarenta por cento) do montante pertence OCB/Nacional. Ela se constitui da importncia de 0,2% (dois dcimos por cento) sobre a soma dos valores do capital integralizado corrigido e quaisquer fundos e reservas, inclusive os resultantes de correo monetria. A Reserva de Reavaliao do Ativo Permanente no estar sujeita a Contribuio Cooperativista.

    Em 2011, a tabela vigente teve como valor mnimo (contribuio mnima obrigatria) R$ 460,00 (quatrocentos e sessenta reais) e o teto R$ 98.000,00 (noventa e oito mil reais). O recolhimento da Contribuio Cooperativista feito anualmente at 31/Maio.

    CONTRIBUIES ESTATUTRIAS

    Contribuio Sindical Patronal 2011 (Base 2010)

    Demonstrativo da Receita da Contribuio Sindical Patronal 2011 por Ramos

    A Contribuio Sindical Patronal tem carter tributrio e obrigatria, conforme denido nos Arts. 588 e 589 da CLT. O pagamento feito anualmente no ms de janeiro, e o valor pago distribudo como segue:

    I 5 % para a confederao CNCOOP;II - 15% para a federao (FECOOP/SULENE);III - 60% para o sindicato respectivo (OCB/ES);IV - 20% para a Conta Especial Emprego e Salrio (FAT).

    Ramo AgropecurioCoopeaviSelitaCooabrielColaguaVeneza

    14,90%4,04%3,23%1,34%1,26%0,60%

    Ramo SadeUnimed/ESEspecialidades MdicasUniodonto/ES

    23,71%22,85%

    0,59%0,27%

    Ramo CrditoSicoob/ESCecoopesCoops. no Fil. CentralCoopmetroCoopjudCredestiva

    58,03%44,28%

    1,23%12,52%

    2,16%1,59%1,37%

    Ramo TransporteCoope-serranaCoopersulesCoopercapCootrara

    2,33%0,57%0,39%0,19%0,17%

    Ramo AgropecurioSelitaCoopeaviCooabrielColaguaVeneza

    17,69%5,92%5,46%1,68%1,32%1,24%

    Ramo SadeUnimed/ESEspecialidades MdicasUniodonto/ES

    18,37%17,76%

    0,50%0,11%

    Ramo CrditoSicoob/ESCecoopesCoops. no Fil. CentralCoopmetroCoopjudUnicred Vitria

    61,44%50,95%

    1,53%8,96%1,98%1,28%1,20%

    Ramo TransporteCoope-serranaCoopersulesTransvipesCooproves

    1,30%0,34%0,11%0,11%0,08%

    RELA

    TRI

    O DE

    GES

    TO

    OCB-

    SESC

    OOP/

    ES -

    2011

    33

    R$ 463.748,91

    R$ 180.769,49

    AgropecurioR$ 26.931,18

    14,90%ConsumoR$ 95,51

    0,05%

    EducacionalR$ 986,44

    0,55%

    CrditoR$ 104.891,77

    58,03%

    HabitacionalR$ 297,19

    0,16%

    TransporteR$ 4.216,30

    2,33%

    SadeR$ 42.868,74

    23,71%

    ProduoR$ 175,24

    0,10%

    TrabalhoR$ 307,12

    0,17%

  • AgropecurioR$ 185.333,00

    25,13%Consumo

    R$ 4.355,000,64%

    EducacionalR$ 16.309,00

    2,21%CrditoR$ 285.884,00

    38,77%

    HabitacionalR$ 20.331,00

    2,76%

    TransporteR$ 12.886,00

    1,75%

    SadeR$ 162.271,00

    22,01%

    ProduoR$ 1.617,00

    0,22%

    TrabalhoR$ 48.035,00

    6,51%

    Taxa de Manuteno Mensal 2011A Taxa de Manuteno Mensal denida no art. 52, no inciso III do novo Estatuto Social da OCB/ES. O valor mnimo a ser pago R$ 108,00 (cento e oito reais) e as cooperativas recm registradas cam isentas durante os seis (6) primeiros meses aps o registro. 100% do montante da Taxa de Manuteno Mensal pertencente OCB/ES.

    Conforme Estatuto Social da OCB/ES aprovado na AGE de 03/09/2009, no art. 52 - Pargrafo nico, nos meses de outubro, o pagamento da Taxa de Manuteno Mensal ser efetuado em dobro e o reajuste anual automtico nos meses de maio pelo ndice discutido e deliberado anualmente na AGO. Porm, sempre ter uma correo/atualizao mnima de acordo com a variao do ndice do INPC/IBGE.

    Ramo AgropecurioSelitaVenezaCoopeaviCooabriel

    25,13%3,93%3,93%3,58%2,70%

    Ramo SadeUnimed/ESEspecialidades MdicasUniodonto/ES

    22,01%15,94%

    5,68%0,39%

    Ramo CrditoSicoob/ESCecoopesCoops. no Fil. CentralCoopjudCoopmetroUnicred VitriaCoopsco

    38,77%23,09%

    2,2313,45%

    2,09%1,92%1,42%1,25%

    Ramo TransporteCoope-serranaCoopprest/esCoopgranisCoopercap

    6,51%1,19%1,01%0,95%0,59%

    RELA

    TRI

    O DE

    GES

    TO

    OCB-

    SESC

    OOP/

    ES -

    2011

    34

    CONTABILIDADENo ano de 2011 a OCB/ES, passou a ter a contabilidade realizada de forma interna pela Gerente e Contadora Maria Rosilene Favalessa (Rose).

    ATIVOCIRCULANTEDISPONVELCaixasBancos Conta MovimentoAplicaes Financeiras

    20111.015.38954.848

    2.147134.222818.453

    2010733.716628.592

    42482.008

    546.160

    NO CIRCULANTEInvestimentosImobilizadoDespesas Pr - Operacionais Nova Sede(-) Depreciao Acumulada

    65.47026.690

    324.66418.927

    - 304.811

    81.2241.620

    321.23247.449

    - 289.077TOTAL 1.080.858 814.940

    CRDITOS A RECEBERCONTRIBUIES E TAXAS ESTATUTRIASContribuies Legais e EstatutriasAdiantamentosOutros Crditos a Receber

    41.67941.67941.329

    0350

    81.73481.73468.099

    3.03210.603

    ALMOXARIFADOMaterial de Consumo

    10.55510.555

    14.41614.416

    DESPESAS ANTECIPADASDespesas Antecipadas

    8.3068.306

    8.9748.974

    OCB/ES - SIND. E ORG. DAS COOPERATIVAS BRAS. DO ESTADO DO ESCNPJ: 27.060.433/0001-99

    BALANO PATRIMONIALEncerrado em 31/12/2011

    ( As notas explicativas integram o conjunto das demonstraes contbeis)

    Esthrio Sebastio ColnagoPresidente ExecutivoCPF: 166.969.306-63

    Carlos Andr Santos OliveiraSuperintendente

    CPF: 751.014.837-53

    Maria Rosilene FavalessaCRC-ES 16120-4

    CPF: 045.979.607-08

    R$ 737.354,00

  • Esthrio Sebastio ColnagoPresidente ExecutivoCPF: 166.969.306-63

    Carlos Andr Santos OliveiraSuperintendente

    CPF: 751.014.837-53

    Maria Rosilene FavalessaCRC-ES 16120-4

    CPF: 045.979.607-08

    PASSIVOCIRCULANTEOBRIGAES A PAGARFornecedoresConsignaes a RecolherObrigaes Sociais a RecolherReceita da Contr. Coop. a RepassarProvises Frias e EncargosReursos a ClassicarFinanciamento - Veculo

    2011142.744142.744

    26.87317.089989.0036.36847.753

    013.672

    201090.02190.02120.628

    5.741335

    31.46030.325

    1.5310

    PATRIMNIO LQUIDOSupervit AcumuladoSupervit do Exerccio

    938.114749.990188.124

    724.919632.110

    92.810TOTAL 1.080.858 814.940

    OCB/ES - SINDICATO E ORGANIZAO DAS COOPERATIVAS BRASILEIRAS DO ESTADO DO ESCNPJ: 27.060.433/0001-99

    DEMONSTRAO DE SUPERVIT DO EXERCCIO Encerrada em 31/12/2011

    ( As notas explicativas integram o conjunto das demonstraes contbeis)

    RECEITASContribuio CooperativitsaContribuio Sindical PatronalTaxa de RegistroTaxa de Manuteno MensalContrato de Gesto Fecoop/SuleneContrato de Gesto Sescoop/ESReceita de SegurosPrmio de JornalismoRepasse da OCB NacionalOutras Receitas

    20101.611.031

    443.259153.001

    357643.130

    49.240274.098

    2.912--

    45.033

    %18,79%

    4,62%18,15%

    158,12%14,65%14,02%18,12%

    - 36,11%--

    51,55%

    20111.913.813

    463.749180.769

    922737.354

    56.142323.774

    1.86056.00025.00068.246

    DESPESASDespesas com o Pessoal (CLT)Despesas com a DirexDespesas com ConselheirosDespesas AdministrativasDespesas InstitucionaisServios Especializ. e ConsultoriasServios de TransportesServios de TerceirosDespesas TributriasDepreciao/Armotizao

    1.542.129542.301169.418

    29.353289.234190.982132.809

    31.34768.740

    9.63978.307

    16,60%20,64%20,23%36,66%13,11%11,17%17,28%14,35%15,06%33,44%

    -1,47

    1.798.199,30654.220203.699

    40.114327.143212.308155.764

    35.84379.09212.86377.153

    RESULTADO FINANCEIRODespesas FinanceirasReceitas FinanceirasTOTAL

    23.908- 6.94330.85192.810

    203,28%15,03%

    160,91%102,70%

    72.507- 7.98780.493

    188.124

    OCB/ES - SINDICATO E ORGANIZAO DAS COOPERATIVAS BRASILEIRAS DO ESTADO DO ESCNPJ: 27.060.433/0001-99

    DEMONSTRAO DE SUPERVIT DO EXERCCIO Encerrada em 31/12/2011

    RELA

    TRI

    O DE

    GES

    TO

    OCB-

    SESC

    OOP/

    ES -

    2011

    35

  • 3. Apresentao Analtica dos Principais Grupos de Contas

    1. Apresentao das Demonstraes Contbeisa) As demonstraes contbeis foram elaboradas de conformidade com a Lei 6.404 de 15/12/76 e demais disposies complementares, aplicveis matria contbil.

    NOTAS EXPLICATIVAS S DEMONSTRAES CONTBEISExerccio Findo em 31 de Dezembro de 2011

    2. Principais Prticas Contbeis

    a) Adotado regime de competncia e caixa para o registro das mutaes patrimoniais ocorridas no exerccio. b) O regime de caixa foi adotado para o registro das Contribuies Sindical Patronal e Contribuio Cooperativista, pois o valor s conhecido no ato do recebimento. c) O Ativo e Passivo Circulante esto compostos por valores realizveis ou exigveis no prazo de 360 dias.d) Para as despesas e demais receitas foram adotadas o regime de competncia.

    2.1 Regime de Escriturao

    O saldo da conta de almoxarifado ref. a compra de material para expediente e material para realizaes de cursos. O registro na conta de despesas, somente ser reconhecido quando ocorrer baixa dos materiais.

    2.2 Almoxarifado

    As depreciaes e amortizaes do Ativo Imobilizado foram calculadas pelo mtodo linear, observando se as taxas estabelecidas em funo do tempo de vida til, fixado por espcie de bens, perfazendo o montante de R$ 44.256,00 (quarenta e quatro mil duzentos e cinqenta e seis reais); contabilizada a dbito da conta de resultado. Foi amortizado R$ 28.523,00 (vinte e oito mil quinhentos e vinte e trs reais) referente a despesas com a mudana para a nova sede.

    2.3 Depreciao

    O saldo de R$ 17.089,00 (Dezessete mil e oitenta e nove reais) refere-se aos 40% da Contribuio Cooperativista provisionadas, que sero repassadas OCB Nacional, conforme Convnio.

    2.4 Contribuies a Repassar

    Os direitos adquiridos a ttulo de frias e seus encargos foram provisionados e totalizam o valor de R$ 47.753,00 (quarenta e sete reais setecentos e cinqenta e trs reais).

    2.5 Proviso de Frias

    A OCB/ES cooperada de duas cooperativas de crdito. O valor acrescido na conta de investimento referente a cota de integralizao e juros pagos sobre capital j integralizados.

    2.6 Investimento

    a) Disponvel

    DESCRIOCaixaBanco Conta MovimentoAplicaes Financeiras

    2010628.592

    42482.008

    546.160

    2011954.848

    2.173134.221818.452

    DESCRIOContribuies Legais e EstatutriasAdiantamentos e Outros Crditos a Receber

    201081.73468.09913.635

    201141.67941.329

    350

    b) Crditos a Receber

    DESCRIOInvestimentos

    20101.6201.620

    201126.69026.690

    c) No Circulante

    RELA

    TRI

    O DE

    GES

    TO

    OCB-

    SESC

    OOP/

    ES -

    2011

    36

    Esthrio Sebastio ColnagoPresidente ExecutivoCPF: 166.969.306-63

    Carlos Andr Santos OliveiraSuperintendente

    CPF: 751.014.837-53

    Maria Rosilene FavalessaCRC-ES 16120-4

    CPF: 045.979.607-08

  • JAN FEV MAR ABR MAI JUN JUL AGO SET OUT NOV DEZ2010 4,01 9,19 8,94 8,55 7,27 7,87 7,32 7,76 8,39 8,90 9,67 8,152011 4,50 10,96 9,27 5,67 6,29 5,68 4,97 5,17 5,22 5,31 5,24 7,11

    4,50

    10,969,27

    5,67 6,29 5,68 4,97 5,17 5,22 5,31 5,24

    7,11

    Liquidez GeralO ndice de liquidez geral tem como principal nalidade, avaliar a capacidade nanceira que a entidade possui para honrar seus compromissos com terceiros. No ano de 2011 a OCB/ES teve uma liquidez geral de R$ 7,11 (sete reais e onze centavos) para liquidar todas as suas obrigaes a curto e longo prazo sem se desfazer do Permanente.

    INDICADORES DE EFICINCIA ECONMICO-FINANCEIRA

    ORAMENTO 2012

    RECEITASRECEITAS DE CONTRIBUIESContribuies CooperativistaContribuio Sindical PatronalTaxa de Manuteno MensalTaxa de RegistroOUTRAS RECEITASConvnio de Gesto FECOO/SULENEContrato de Gesto SESCOOP/ESReceitas FinanceirasOCB Nacional

    1.973.8161.487.816

    486.936189.807810.700

    373486.000

    56.000320.0050.00060.000

    (em R$1,00)

    DESPESAS OPERACIONAISDespesas com Pessoal e EncargosDespesas Administrativas/MarketingDespesas InstitucionaisDespesas com Assessoria/ConsultoriaDespesas TributriasRESULTADO

    1.891.816719.268769.548265.000110.000

    28.00082.000

    RELA

    TRI

    O DE

    GES

    TO

    OCB-

    SESC

    OOP/

    ES -

    2011

    37

    Comparativo do ndice de Liquidez Geral - 2011/2010(em R$ 1,00)

  • PARECER DO CONSELHO FISCAL DA OCB/ES

    Certicado de Regularidade do FGTS - CRF

    RELA

    TRI

    O DE

    GES

    TO

    OCB-

    SESC

    OOP/

    ES -

    2011

    38

    https://www.sifge.caixa.gov.br/...ado=2816495&VARNuSitRegul=98&VARNotaEspecifica=&VARCoNumRegul=2012040413472534495740[19/04/2012 17:00:09]

    Certificado de Regularidade do FGTS - CRF

    Inscrio: 27060433/0001-99Razo Social: OCB ES SIND E ORG DAS COOPERATIVAS BRASILEIRAS EST ESEndereo: AV MARECHAL MASCARENHAS DE MORAES 2501 / BENTO FERREIRA /

    VITORIA / ES / 29050-625

    A Caixa Econmica Federal, no uso da atribuio que lhe confere o Art. 7, da Lei8.036, de 11 de maio de 1990, certifica que, nesta data, a empresa acimaidentificada encontra-se em situao regular perante o Fundo de Garantia doTempo de Servio - FGTS.

    O presente Certificado no servir de prova contra cobrana de quaisquer dbitosreferentes a contribuies e/ou encargos devidos, decorrentes das obrigaes como FGTS.

    Validade: 04/04/2012 a 03/05/2012

    Certificao Nmero: 2012040413472534495740

    Informao obtida em 19/04/2012, s 16:58:16.

    A utilizao deste Certificado para os fins previstos em Lei est condicionada verificao de autenticidade no site da Caixa: www.caixa.gov.br

  • Certido Conjunta Positiva com Efeitos de Negativa de Dbitos Relativos aos Tributos Federais e Dvida Ativa da Unio

    Certido Negativa de Dbito Trabalhista

    RELA

    TRI

    O DE

    GES

    TO

    OCB-

    SESC

    OOP/

    ES -

    2011

    39

    CERTIDO NEGATIVA DE DBITOS TRABALHISTAS

    Nome: OCB/ES-SIND E ORG DAS COOPERATIVAS BRASILEIRAS DO EST DO ES(MATRIZ E FILIAIS)CNPJ: 27.060.433/0001-99Certido n: 2740212/2012Expedio: 19/04/2012, s 17:02:13Validade: 15/10/2012 - 180 (cento e oitenta) dias, contados da datade sua expedio.

    Certifica-se que OCB/ES-SIND E ORG DAS COOPERATIVAS BRASILEIRAS DO ESTDO ES (MATRIZ E FILIAIS), inscrito(a) no CNPJ sob o n27.060.433/0001-99, NO CONSTA do Banco Nacional de DevedoresTrabalhistas.Certido emitida com base no art. 642-A da Consolidao das Leis doTrabalho, acrescentado pela Lei n 12.440, de 7 de julho de 2011, ena Resoluo Administrativa n 1470/2011 do Tribunal Superior doTrabalho, de 24 de agosto de 2011.Os dados constantes desta Certido so de responsabilidade dosTribunais do Trabalho e esto atualizados at 2 (dois) diasanteriores data da sua expedio.No caso de pessoa jurdica, a Certido atesta a empresa em relaoa todos os seus estabelecimentos, agncias ou filiais.A aceitao desta certido condiciona-se verificao de suaautenticidade no portal do Tribunal Superior do Trabalho naInternet (http://www.tst.jus.br).Certido emitida gratuitamente.

    INFORMAO IMPORTANTEDo Banco Nacional de Devedores Trabalhistas constam os dadosnecessrios identificao das pessoas naturais e jurdicasinadimplentes perante a Justia do Trabalho quanto s obrigaesestabelecidas em sentena condenatria transitada em julgado ou emacordos judiciais trabalhistas, inclusive no concernente aosrecolhimentos previdencirios, a honorrios, a custas, aemolumentos ou a recolhimentos determinados em lei; ou decorrentesde execuo de acordos firmados perante o Ministrio Pblico doTrabalho ou Comisso de Conciliao Prvia.

    PODER JUDICIRIOJUSTIA DO TRABALHO

    Pgina 1 de 1

    Dvidas e sugestes: cndt@tst.jus.br

  • Certido Negativa de Dbitos Relativos s Contribuies Previdencirias e s de Terceiros

    Certido Negativa de Dbitos

    RELA

    TRI

    O DE

    GES

    TO

    OCB-

    SESC

    OOP/

    ES -

    2011

    40

  • GEFI

    N SE

    SCOO

    P/ES

    - GE

    RNC

    IA D

    E FIN

    ANA

    S

  • Twitter

    Atividades

    GEFIN SESCOOP/ES - GERNCIA DE FINANAS E CONTABILIDADE DA SESCOOP/ES

    ATIVIDADES DA GEFIN SESCOOP/ES

    A GEFIN do SESCOOP/ES responsvel pela rea oramentria, contbil e nanceira (incluindo departamento pessoal/FOPAG) interno do SESCOOP/ES. A GEFIN do SESCOOP/ES gerenciada por Rodylene de Oliveira Duarte, que tambm contadora do SESCOOP/ES, com apoio administrativo da Assistente de Oramento e Finanas, Francielle Nicheti Rodrigues Barroco.

    No ano de 2011 o controle da arrecadao da GFIP e GPS/INSS (cpia dos documentos comprobatrios do correto recolhimento), atingiu o

    percentual de 63% das cooperativas registradas, em 31/12/2011 de guias enviadas ao SESCOOP/ES.

    Para que possamos realizar esse levantamento e automaticamente aumento da arrecadao, necessitamos que as cooperativas

    registradas no Sistema encaminhem cpias da GFIP e GPS/INSS, durante todo o exerccio de 2012, para que o benefcio retorne para as

    prprias cooperativas atravs da realizao de cursos, treinamentos, eventos, assessorias, consultorias, monitoramento, aes de

    marketing institucional e promoo social.

    A principal fonte de recursos do SESCOOP/ES a contribuio social em percentual de 2,5%, incidente sobre as folhas de salrios

    das cooperativas.

    A distribuio oramentria da contribuio social est prevista em regimento interno e obedece a seguinte diretriz:

    3,5% (trs vrgula cinco por cento) da Previdncia Social/Receita Federal do Brasil, referente Taxa de Processamento;

    2% (dois por cento) para a Organizao das Cooperativas OCB/Nacional a ttulo de taxa de administrao, pela utilizao de sua

    estrutura institucional, de representao, de informao e de logstica disponvel no Sistema OCB Nacional/OCBs Estaduais;

    10% (dez por cento) para custeio e aplicao pela Unidade Nacional do SESCOOP/Nacional;

    20% (vinte por cento) para a formao do Fundo Solidrio de Desenvolvimento Cooperativo - FUNDECOOP, administrado pela Unidade

    Nacional conforme resoluo do Conselho Nacional do SESCOOP;

    64,5% (sessenta e quatro vrgula cinco por cento) para aplicao direta pelas Unidades Estaduais do SESCOOP, conforme normas definidas

    pelo Conselho Nacional do SESCOOP ( o percentual que retorna ao SESCOOP/ES).

    RELA

    TRI

    O DE

    GES

    TO

    OCB-

    SESC

    OOP/

    ES -

    2011

    42

  • Agropecurio24

    Crdito21

    Educacional5

    Transporte13

    Consumo1

    Sade13

    Trabalho1

    Agropecurio8

    Crdito5

    Educacional5

    Transporte7

    Habitacional8

    Sade8

    Trabalho5

    GRFICOS DEMONSTRATIVOS

    Demonstrativo de Arrecadao Documental do Sescoop/ESInadimplncia por ramos - 2011- (37% - 46 cooperativas)

    Demonstrativo de Arrecadao Documental do Sescoop/ESAdimplncia por ramos - 2011 - (63% - 78 cooperativas)

    Cooperativas Registradas em 31/12/11:150Cooperativas que declaram no possuir nenhum empregado: 26Cooperativas que arrecadam para o SESCOOP/ES: 124

    Cooperativas Registradas em 31/12/11:150Cooperativas que declaram no possuir nenhum empregado: 26Cooperativas que arrecadam para o SESCOOP/ES: 124

    RELA

    TRI

    O DE

    GES

    TO

    OCB-

    SESC

    OOP/

    ES -

    2011

    43

  • Twitter

    GRFICOS DEMONSTRATIVOS

    Controle de Arrecadao Financeira do SESCOOP/ES - 2010 (em R$ 1,00)

    Controle de Arrecadao Financeira do SESCOOP/ES - 2011(em R$ 1,00)

    Ramo AgropecurioSelitaCoopeaviVenezaCooabriel

    23,22%6,34%4,99%4,19%1,84%

    Ramo SadeUnimed/ESUniodonto/ESEspecialidades Mdicas

    42,65%42,17%

    0,31%0,17%

    Ramo CrditoSicoob/ESCoops. no Fil. CentralCecoopes

    27,75%24,55%

    3,08%0,12%

    Ramo TransporteCoope-serranaCoopgranisCooproves

    0,81%0,41%0,04%0,02%

    Ramo EducacionalCoopesmaCELCoopeducar

    2,64%0,92%0,46%0,46%

    Ramo AgropecurioSelitaCoopeaviVenezaCooabriel

    23,65%6,45%5,10%4,30%1,95%

    Ramo SadeUnimed/ESEspecialidades MdicasUniodonto/ES

    43,04%42,59%

    0,30%0,15%

    Ramo CrditoSicoob/ESCoops. no Fil. CentralCecoopes

    28,05%23,35%

    2,59%0,11%

    Ramo TransporteCoope-serranaCoopgranisCooproves

    0,95%0,65%0,05%0,03%

    TwitterTwitter

    Ramo EducacionalCoopesmaCELCoopeducar

    2,19%0,85%0,42%0,38%

    Total de Arrecadao de Receita Prpria: R$ 1.891.590,00

    Total de Arrecadao de Receita Prpria: R$ 2.291.572,00

    RELA

    TRI

    O DE

    GES

    TO

    OCB-

    SESC

    OOP/

    ES -

    2011

    44

    AgropecurioR$ 439.174,00

    23,22%

    ConsumoR$ 3.281,00

    0,17%

    CrditoR$ 525.094,00

    27,75%

    EducacionalR$ 50.023,00

    2,64%

    HabitacionalR$ 42.638,00

    2,25%

    SadeR$ 806.854,00

    42,65%

    TrabalhoR$ 9.739,00

    0,51%

    Transporte R$14.787,00

    0,81%

    Agropecurio R$ 541.930,00

    23,65%

    ConsumoR$ R$ 3.453,00

    0,15%

    Crdito R$ R$ 642.718,00

    28,05%

    Educacional R$ 50.104,00

    2,19%

    HabitacionalR$ 34.927,00

    1,52%

    SadeR$ R$ 986.310,00

    43,04%

    Trabalho R$ 10.416,00

    0,45%

    TransporteR$ R$ 21.714,00

    0,95%

  • Parecer do Conselho Fiscal do SESCOOP/ES

    RELA

    TRI

    O DE

    GES

    TO

    OCB-

    SESC

    OOP/

    ES -

    2011

    45

  • Certido Negativa de Dbitos

    Emisso: 03/04/2012 - 12:22h

    CNPJ ............: CNPJ 07026766000194

    RAZO SOCIAL/NOME: SERVICO NACIONAL DE APRENDIZAGEM DO COOPERATIVISMO NO ESTADO DO ESPIRITO SANTO

    OBSERVAES

    Documento vlido at o dia 02/06/2012 e abrange apenas a pessoa fsica ou jurdica identificada. Fica ressalvado o direito de a Fazenda Pblica Municipal cobrar dvidas conhecidas e as apuradas aps a emisso deste documento.

    De acordo com a Portaria 19/2001 de 22/09/2001 da Secretaria de Fazenda de Vitria - ES , a emisso deste documento NO PODER SER COBRADA.

    Emitido em 03/04/2012 s 12:20 pelo AGENTE INTERNET

    Para validar este documento, favor acessar o seguinte endereo: http://www.vitoria.es.gov.br, "Servios On Line", opo "Autenticidade certido/ 2via". Entre com a chave: 63267405-ddee-4163-8004-ef69aafa163e Ou realize a busca pela Inscrio Fiscal, CNPJ ou CPF.

    Page 1 of 1Servios on line

    03/04/2012http://sistemas.vitoria.es.gov.br/certnegativa/passo2.cfm

    Certificado de Regularidade do FGTS - CRF

    RELA

    TRI

    O DE

    GES

    TO

    OCB-

    SESC

    OOP/

    ES -

    2011

    46

  • Certido Conjunta Positiva com Efeitos de Negativa de Dbitos Relativos aos Tributos Federais e Dvida Ativa da Unio

    Certido Negativa de Dbitos Trabalhistas

    MINISTRIO DA FAZENDA Procuradoria-Geral da Fazenda Nacional Secretaria da Receita Federal do Brasil

    CERTIDO CONJUNTA POSITIVA COM EFEITOS DE NEGATIVA DE DBITOS RELATIVOS AOS TRIBUTOS FEDERAIS E DVIDA ATIVA DA UNIO

    Nome: SERVICO NACIONAL DE APRENDIZAGEM DO COOPERATIVISMO NO ESTADO DO ESPIRITO SANTO

    CNPJ: 07.026.766/0001-94

    Ressalvado o direito de a Fazenda Nacional cobrar e inscrever quaisquer dvidas de responsabilidade do sujeito passivo acima identificado que vierem a ser apuradas, certificado que:

    1. constam dbitos relativos a tributos administrados pela Secretaria da Receita Federal do Brasil (RFB) com a exigibilidade suspensa, nos termos do art. 151 da Lei no 5.172, de 25 de outubro de 1966 - Cdigo Tributrio Nacional (CTN); e

    2. no constam inscries em Dvida Ativa da Unio na Procuradoria-Geral da Fazenda Nacional (PGFN).

    Conforme disposto nos arts. 205 e 206 do CTN, este documento tem os mesmos efeitos da certido negativa.

    Esta certido, emitida em nome da matriz e vlida para todas as suas filiais, refere-se exclusivamente situao do sujeito passivo no mbito da RFB e da PGFN, no abrangendo as contribuies previdencirias e as contribuies devidas, por lei, a terceiros, inclusive as inscritas em Dvida Ativa do Instituto Nacional do Seguro Social (INSS), objeto de certido especfica.

    A aceitao desta certido est condicionada verificao de sua autenticidade na Internet, nos endereos ou .

    Certido emitida com base na Portaria Conjunta PGFN/RFB no 3, de 02/05/2007.

    Emitida s 19:47:52 do dia 20/12/2011 . Vlida at 17/06/2012. Cdigo de controle da certido: 776B.C8DD.B500.5BB1

    Certido emitida gratuitamente.

    Ateno: qualquer rasura ou emenda invalidar este documento.

    Nova Consulta

    Atualize sua pgina Poltica de Privacidade e Uso Pgina Inicial Unidades de Atendimento Fale Conosco Receitafone - 146 Ouvidoria

    Page 1 of 1Emisso de 2 via de Certido

    06/02/2012http://www.receita.fazenda.gov.br/Aplicacoes/ATSPO/Certidao/CNDConjuntaSegVia...

    RELA

    TRI

    O DE

    GES

    TO

    OCB-

    SESC

    OOP/

    ES -

    2011

    47

    CERTIDO NEGATIVA DE DBITOS TRABALHISTAS

    Nome: SERVICO NACIONAL DE APRENDIZAGEM DO COOPERATIVISMO NO ESTADO

    DO ESPIRITO SANTO (MATRIZ E FILIAIS)

    CNPJ: 07.026.766/0001-94

    Certido n: 2722947/2012

    Expedio: 19/04/2012, s 13:39:59

    Validade: 15/10/2012 - 180 (cento e oitenta) dias, contados da data

    de sua expedio.

    Certifica-se que SERVICO NACIONAL DE APRENDIZAGEM DO COOPERATIVISMO NO

    ESTADO DO ESPIRITO SANTO (MATRIZ E FILIAIS), inscrito(a) no CNPJ sob o

    n 07.026.766/0001-94, NO CONSTA do Banco Nacional de Devedores

    Trabalhistas.

    Certido emitida com base no art. 642-A da Consolidao das Leis do

    Trabalho, acrescentado pela Lei n 12.440, de 7 de julho de 2011, e

    na Resoluo Administrativa n 1470/2011 do Tribunal Superior do

    Trabalho, de 24 de agosto de 2011.

    Os dados constantes desta Certido so de responsabilidade dos

    Tribunais do Trabalho e esto atualizados at 2 (dois) dias

    anteriores data da sua expedio.

    No caso de pessoa jurdica, a Certido atesta a empresa em relao

    a todos os seus estabelecimentos, agncias ou filiais.

    A aceitao desta certido condiciona-se verificao de sua

    autenticidade no portal do Tribunal Superior do Trabalho na

    Internet (http://www.tst.jus.br).

    Certido emitida gratuitamente.

    INFORMAO IMPORTANTEDo Banco Nacional de Devedores Trabalhistas constam os dados

    necessrios identificao das pessoas naturais e jurdicas

    inadimplentes perante a Justia do Trabalho quanto s obrigaes

    estabelecidas em sentena condenatria transitada em julgado ou em

    acordos judiciais trabalhistas, inclusive no concernente aos

    recolhimentos previdencirios, a honorrios, a custas, a

    emolumentos ou a recolhimentos determinados em lei; ou decorrentes

    de execuo de acordos firmados perante o Ministrio Pblico do

    Trabalho ou Comisso de Conciliao Prvia.

    PODER JUDICIRIOJUSTIA DO TRABALHO

    Pgina 1 de 1

    Dvidas e sugestes: cndt@tst.jus.br

  • MINISTRIO DA FAZENDA Secretaria da Receita Federal do Brasil

    CERTIDO NEGATIVA DE DBITOS RELATIVOS S CONTRIBUIES PREVIDENCIRIAS

    E S DE TERCEIROS

    N 039302012-07001130 Nome: SERVICO NACIONAL DE APRENDIZAGEM DO COOPERATIVISMO NO E CNPJ: 07.026.766/0001-94

    Ressalvado o direito de a Fazenda Nacional cobrar e inscrever quaisquer dvidas de responsabilidade do sujeito passivo acima identificado que vierem a ser apuradas, certificado que no constam pendncias em seu nome relativas a contribuies administradas pela Secretaria da Receita Federal do Brasil (RFB) e a inscries em Dvida Ativa da Unio (DAU).

    Esta certido, emitida em nome da matriz e vlida para todas as suas filiais, refere-se exclusivamente s contribuies previdencirias e s contribuies devidas, por lei, a terceiros, inclusive s inscritas em DAU, no abrangendo os demais tributos administrados pela RFB e as demais inscries em DAU, administradas pela Procuradoria-Geral da Fazenda Nacional (PGFN), objeto de Certido Conjunta PGFN/RFB.

    Esta certido valida para as finalidades previstas no art. 47 da Lei n8,212 de 24 de julho de 1991, exceto para:

    - averbao de obra de construo civil no Registro de Imveis; - reduo de capital social, transferncia de controle de cotas de sociedade limitada e ciso parcial ou transformao de entidade ou de sociedade sociedade empresria simples; - baixa de firma individual ou de empresrio, conforme definido pelo art.931 da Lei n 10.406, de 10 de Janeiro de 2002 - Cdigo Civil, extino de entidade ou sociedade empresria ou simples.

    A aceitao desta certido est condicionada finalidade para a qual foi emitida e verificao de sua autenticidade na Internet, no endereo .

    Certido emitida com base na Portaria Conjunta PGFN/RFB n 01, de 20 de janeiro de 2010.

    Emitida em 03/02/2012. Vlida at 01/08/2012.

    Certido emitida gratuitamente.

    Ateno:qualquer rasura ou emenda invalidar este documento.

    Page 1 of 1Certidao Negativa de Debito

    03/02/2012http://www010.dataprev.gov.br/CWS/BIN/cws_mv2.asp?COMS_BIN/SIW_Contexto...

    Certido Negativa de Dbitos para com a Previdncia

    RELA

    TRI

    O DE

    GES

    TO

    OCB-

    SESC

    OOP/

    ES -

    2011

    48

  • GETE

    C - G

    ERN

    CIA

    TCN

    ICA

  • GETEC - GERNCIA TCNICAA GETEC formada pelo gerente e analista contbil, Enoque Alves de Souza Pinto; coordenada pela analista tcnica Fernanda Paula Damaceno Seram de Oliveira, pelos analistas tcnicos, Samuel Lopes Fontes e Alex dos Santos Macedo e pela analista tcnica, Theresa Raquel Trancoso, com os assessores tcnicos Welton do Nascimento e Wellington Luiz Pompermayer (prestadores de servios - pessoas jurdicas).

    Assessoria tcnica e contbil s cooperativas e emisso de pareceres tcnicos e contbeis referente s atividades desenvolvidas;

    Elaborao e implementao de projetos de promoo do desenvolvimento do cooperativismo no Esprito Santo (monitoramento);

    Coordenao e acompanhamento execuo da certificao de regularidade tcnica;

    Desenvolvimento do programa de microrregies, que consiste em visitas tcnicas s cooperativas para dar suporte ao desenvolvimento das atividades;

    Orientao para convocao e acompanhamento de Assembleias Gerais (Ordinrias e Extraordinrias);

    Elaborao de planos de aes, estatutos e regimento interno para cooperativas;

    Promoo da integrao dos ramos cooperativistas;

    Assessoria a grupos interessados em constituir cooperativas.

    Objetivo: Prestar atendimento s cooperativas durante as visitas nas mais diversas reas que o Sistema OCB-SESCOOP/ES atua, com assessorias tcnicas, capacitaes, comunicao, jurdica, contbil/tributria, informtica, entre outras,

    N de aes (cooperativas visitadas): 110Na oportunidade foi apresentado o novo sistema de Certificao de Regularidade Tcnica, alm do levantamento de demandas especficas, visando o aprimoramento das atividades das cooperativas e o estreitamento das relaes institucionais.

    Objetivo: Garantir a efetividade legal da realizao das Assembleias das Cooperativas visando principalmente orientar, desde a convocao at os procedimentos prticos em sua realizao.

    Em 2011, a GETEC acompanhou 135 assembleias.

    Objetivo: Assessorar s cooperativas registradas no cumprimento s exigncias legais e normativas dos rgos federais, estaduais e municipais, bem como dos Princpios e Diretrizes do Cooperativismo e do Sistema OCB-SESCOOP/ES.

    No ano de 2011, participaram do processo de Certificao 115 cooperativas, das quais 80 foram Certificadas, 14 no e 21 optaram por no participar. Sendo que, as cooperativas no certificadas recebem acompanhamento e assessorias dos tcnicos do Sistema para adequaes das inconformidades apontadas no relatrio.

    Atividades

    Atividades da GETEC

    Projeto Microrregies

    Certificao de Regularidade Tcnica

    Acompanhamento de Assembleias

    Projetos / Aes

    RELA

    TRI

    O DE

    GES

    TO

    OCB-

    SESC

    OOP/

    ES -

    2011

    50

  • 2001 2002 20032004

    20052006

    20072008

    20092010

    2011

    10 13 18 51 102 117

    371 440553 624 652

    2001 2002 20032004

    20052006

    20072008

    20092010

    2011

    18 20 28 76 271 431570

    817 9401.255 1.372

    GRFICOS DEMONSTRATIVOS

    2001 2002 2003 2004 2005 20062007

    20082009

    20102011

    155149

    130 130 135130 136 142 143

    141 150

    2001 2002 20032004

    20052006

    20072008

    20092010

    2011

    6 92

    3

    40

    33

    24 2736

    27

    18

    Cooperativas Registradas

    Atendimento a Grupos em Processo de Constituio

    Visitas / Assessorias IN - LOCO

    Nmero de Atendimento (e-mail, telefnicos e na Sede do Sistema)

    RELA

    TRI

    O DE

    GES

    TO

    OCB-

    SESC

    OOP/

    ES -

    2011

    51

  • Participao das Cooperativas em AGOs da OCB/ES

    Participao da Direx e Equipe de Colaboradores em Assembleias Gerais

    RELA

    TRI

    O DE

    GES

    TO

    OCB-

    SESC

    OOP/

    ES -

    2011

    52

  • GETI

    - GER

    NCI

    A DE

    TECN

    OLOG

    IA D

    A IN

    FORM

    AO

  • 2001 20022003

    20042005

    20062007

    20082009

    20102011

    0 0 0 0 0 0 00

    0

    5

    15

    2001 2002 20032004

    20052006

    20072008

    20092010

    2011

    0 0 0 0

    7

    32

    6 6

    9 10

    GETI - GERNCIA DE TECNOLOGIA DA INFORMAO

    A gerncia de tecnologia da Informao do Sistema OCB-SESCOOP/ES coordenada por Everaldo Sather de Rezende e conta com o assistente administrativo Robson de Souza Esteves.

    Para que a migrao do servidor e-mail funcionasse em tempo real, foi necessrio a contratao de um servio de link dedicado de 3MB full com 100% de garantia de banda contratada e a disponibilidade do acesso ininterrupto internet 24 (vinte e quatro) horas por dia, 7 (sete) dias por semana.

    Implantao de poltica de segurana, com controle de acesso de arquivos e internet; Instalao de software de antivrus e anti-spam, reduzindo o risco de infeco em arquivos e e-mails; Atualizao do software de correios (MS Exchange), saindo da verso 2003 para verso 2007; Compra de mais duas licenas do Sistema Operacional de Rede Windows 2008 64bits; Virtualizao de servidores, reduzindo o custo com o hardware, assim aproveitando melhor os equipamentos existentes; Implantao de assinaturas de e-mails em cooperativas com o incio do processo de padronizao voluntria.

    AES DESENVOLVIDAS EM 2011

    GRFICOS DEMONSTRATIVOS

    Tivemos um investimento de R$ 28.073,99 (vinte e oito mil e setenta e trs reais e noventa e nove centavos) para aquisio de novos servidores, computadores, licenas, notebookes e projetores.

    Atividades

    Conectividade

    Hardware

    Visitas / Assessorias IN LOCO

    Adoo do Domnio .coop

    Atividades da GETI

    RELA

    TRI

    O DE

    GES

    TO

    OCB-

    SESC

    OOP/

    ES -

    2011

    54

  • GE

    CO

    M

    Alm de ser o Ano Internacional das Cooperativas, decretado pela ONU Organizao das Naes Unidas, tambm estamos comemorando os 40 anos da OCB/ES - Sindicato e Organizao das Cooperativas Brasileiras do Estado do Esprito Santo, que o rgo de defesa e representao do Sistema Cooperativista em mbito estadual, que incentiva, assessora e orienta as cooperativas capixabas registradas e os grupos em processo de constituio, alm de promover, acompanhar e fazer cumprir sua autogesto.

    Por esse motivo convidamos voc a participar dessa grande comemorao que vai acontecer juntamente com o Frum de Presidentes e Executivos das Cooperativas Capixabas, onde tambm sero homenageados todos os presidentes que j passaram pela OCB/ES e ajudaram a construir essa bela histria do Cooperativismo no Esprito Santo.

    26 e 27 de Outubro de 2012 (sexta-feira e sbado)Centro de Convenes de Vitria (Rua Constante Sodr - 157 - Santa Lcia - Vitria - ES)

    Informaes: (27) 2125-3200 - www.ocbes.coop.br

    2012 um ano de GRANDES COMEMORAES para o Cooperativismo Capixaba.

  • anos

    A CASA DO COOPERATIVISMO NO ESPRITO SANTO

    Av. Marechal Mascarenhas de Moraes, 2501Bento Ferreira - Cep. 29050-625 - Vitria - ES

    www.ocbes.coop.br

    1 folhas_iniciais2 ascont3 asjur4 geadm5 gecap6 gecom7 gefin_ocb8 gefin_sescoop9 getec10 geti11 contra_capa