de Observao/Avaliao Motora - Ficha para ...

  • Published on
    09-Jan-2017

  • View
    226

  • Download
    9

Transcript

  • Motricidade

    ISSN: 1646-107X

    motricidade.hmf@gmail.com

    Desafio Singular - Unipessoal, Lda

    Portugal

    Gonalves, Francisco; Mouro, Paulo; Aranha, gata

    Ficha de Observao/Avaliao Motora - Ficha para verificao da qualidade de jogo dos alunos do 3

    ciclo do Ensino Bsico, nos Jogos Desportivos Colectivos

    Motricidade, vol. 4, nm. 4, 2008, pp. 82-90

    Desafio Singular - Unipessoal, Lda

    Vila Real, Portugal

    Disponvel em: http://www.redalyc.org/articulo.oa?id=273020553010

    Como citar este artigo

    Nmero completo

    Mais artigos

    Home da revista no Redalyc

    Sistema de Informao Cientfica

    Rede de Revistas Cientficas da Amrica Latina, Caribe , Espanha e Portugal

    Projeto acadmico sem fins lucrativos desenvolvido no mbito da iniciativa Acesso Aberto

    http://www.redalyc.org/revista.oa?id=2730http://www.redalyc.org/articulo.oa?id=273020553010http://www.redalyc.org/comocitar.oa?id=273020553010http://www.redalyc.org/fasciculo.oa?id=2730&numero=20553http://www.redalyc.org/articulo.oa?id=273020553010http://www.redalyc.org/revista.oa?id=2730http://www.redalyc.org

  • tcnico

    FICHA DDE OOBSERVAO//AVALIAO MMOTORA -- FFIICCHHAA PPAARRAA VVEERRIIFFIICCAAOO DDAA QQUUAALLIIDDAADDEE DDEE JJOOGGOO DDOOSS AALLUUNNOOSS DDOO 33 CCIICCLLOO DDOO EENNSSIINNOO BBSSIICCOO,,

    NNOOSS JJOOGGOOSS DDEESSPPOORRTTIIVVOOSS CCOOLLEECCTTIIVVOOSS

    RESUMOO presente trabalho consiste naconstruo de uma ficha de obser-vao motora, que tambm podeser usada como ficha de avaliaomotora. Para a construo destaficha utilizmos as caractersticascomuns aos Jogos Desportivos Co-lectivos, para a distino dos doisnveis finais (bom ou fraco). Utiliz-mos ainda todos os pressupostostericos bsicos de construo dostestes motores, assim como os con-tedos programticos para a disci-plina de Educao Fsica propostospelo Ministrio da Educao para oano lectivo de 2004/2005.

    A ficha de observao apresentadaparece-nos pertinente, pois h faltade instrumentos de observao parao domnio motor ao nvel dos JogosDesportivos Colectivos de invaso//territrio. Tentmos, ento cons-truir uma ficha, o mais vlida, objec-tiva e fivel possvel para aplicaraos alunos do 3 ciclo do ensinobsico, independentemente do seuescalo etrio e do gnero, pois oscritrios de xito esto adaptadoss competncias que se pretendeque os alunos possuam neste ciclo.

    Antes da utilizao desta ficha devehaver a preparao das condiesde aplicao, assim como a explica-o aos alunos do protocolo de apli-cao. Acompanhada do auxlio dovdeo, esta ficha de observaotorna-se um instrumento extraor-dinariamente simples e rpido deusar, sendo tambm bastante abran-gente, pois pode ser usado paravrias modalidades colectivas.

    ABSTRACTThe present work consisted on thedesign of a motor performanceobservational sheet that could alsobe used for motor evaluation. Forthis purpose, we analyzed the com-mon characteristics of group sports,with the intention of obtaining adistinction between the two finallevels (good or weak). We also usedall the basic theoretical assump-tions inherent to the construction ofmotor performance tests, as wellas the programme for Physical Edu-cation proposed by the EducationMinistry for the school year of2004/2005.

    This work has emerging relevancemainly due to the lack of obser-vational instruments on the motorperformance, domain of groupsports with territorial invasion. Wetherefore, attempted to create anobservational sheet as valid, objec-tive and reliable as possible, in orderto evaluate students of the thirdgrade of basic education. This asses-sment was made independently ofstudent age or gender so that thesuccess criterion could be adaptedto the abilities that are expected to be present in these students.

    Prior to the use of this observationalsheet, the proper application condi-tions should be present, as well asits application protocol should be ofthe subjects knowledge. When usedalong with video aid this sheetbecomes an extraordinarily simpleand fast instrument to work with,being also wide enough to includeseveral types of group sports.

    AUTORESFrancisco Gonalves1

    Paulo Mouro2

    gata Aranha3

    1 Licenciado em Educao Fsica pelo ISMAI e Mestre em Cincias do Desporto pelaUniversidade de Trs-os-Montes e Alto Douro

    2 Licenciado e Doutorando em Educao Fsicae Desporto pela Universidade de Trs-os--Montes e Alto Douro

    3 Professora Associada do Departamento de Desporto, da Universidade de Trs-os--Montes e Alto Douro

    FICHA DDE OOBSERVAO/AVALIAOMOTORA -- FFIICCHHAA PPAARRAA VVEERRIIFFIICCAAOO DDAA QQUUAALLIIDDAADDEE DDEE JJOOGGOO DDOOSS AALLUUNNOOSS

    DDOO 33 CCIICCLLOO DDOO EENNSSIINNOO BBSSIICCOO,, NNOOSSJJOOGGOOSS DDEESSPPOORRTTIIVVOOSS CCOOLLEECCTTIIVVOOSS4(4): 881-89

    PPAALLAAVVRRAASS--CCHHAAVVEEficha; observao; avaliao;domnio motor; alunos do 3 ciclo;desportos colectivos.

    KKEEYYWWOORRDDSSobservational sheet; evaluation;motor domain; third gradestudents; group sports.

    data de submissoAAbbrriill 22000077

    data de aceitaoJJuunnhhoo 22000077

  • 82|83|

    INTRODUO

    Sabendo da manifesta falta detempo que qualquer professor deEducao Fsica tem para dar oscontedos, pretendemos, atravsdesta ficha tornar esta tarefa maisfcil. Avaliar todos os contedosprogramticos difcil, assim, esabendo que h caractersticassemelhantes a todos os Jogos Des-portivos Colectivos de invaso//territrio, propomos um instru-mento de observao/avaliaopara que de uma maneira simplese objectiva o professor fique comuma ideia clara e fivel do realvalor motor dos seus alunos.

    Para a elaborao desta ficha us-mos os indicadores de jogo propos-tos por Garganta (1998b4), Aranha(20041) e o Programa de Educa-o Fsica do 3 ciclo do EnsinoBsico do Ministrio da Educaopara o ano de 2004/2005. Nohavendo muitas fichas que se preo-cupem com o domnio motor, en-tendemos que esta poder ajudarqualquer professor de EducaoFsica que se preocupe com o de-sempenho motor, mais especial-mente com a vertente tctica emsituao de jogo. A preocupao deobservar e avaliar os alunos emsituao e jogo muita, pois nesse momento que eles estoenvolvidos na prtica desportiva,no dando sequer conta que estoa ser observados, diminuindo subs-tancialmente o stress inerente situao.

    A construo desta ficha de obser-vao do comportamento motordeve ser utilizada nas aulas, logo importantssimo que seja curta eque cada critrio de avaliao sejabastante explcito, afim de nohaver dvidas em relao a cadacomportamento observado. Tent-mos, ento construir uma ficha

    objectiva, sinttica, fivel e ao mes-mo tempo manusevel para serutilizada no terreno.

    O nosso trabalho vai, ento assentarna seguinte estrutura: introduo,delimitao do problema, enquadra-mento terico, metodologia e porfim, apresentaremos o produto finalque consiste na ficha de observa-o motora para verificao daqualidade de jogo dos praticantesem jogos desportivos colectivos de invaso/territrio.

    DELIMITAO DO PROBLEMA

    Os objectivos deste trabalho seroos de construir uma ficha de obser-vao/avaliao motora que pre-tendemos que seja o mais vlida,objectiva e fivel possvel para quepossa ser aplicada amostra quese prope. Para tal tivemos comobase de sustentao Garganta(1998b4), Aranha (20041) e oPrograma de Educao Fsica do3 ciclo do Ensino Bsico do Mi-nistrio da Educao para o ano de2004/2005.

    Porqu?

    Este objectivo parece-nos pertinen-te devido manifesta falta deinstrumentos de observao/ava-liao ao nvel do domnio motor,nos jogos desportivos colectivosexistentes na rea da EducaoFsica e Desporto. Assim, preocupa-mo-nos em centrar a nossa aten-o nos aspectos tcticos, poiscom base nos principais autoresconsultados o desempenho tctico,analisado de forma directa ouindirecta, importantssimo parase compreenderem os comporta-mentos dos praticantes face aoscolegas e adversrios. Esta fichasurge do princpio de que qualquerpedagogo na rea da EducaoFsica e Desporto, como agente deensino tem, na sua interveno

    uma parte de subjectividade surgeesta ficha. A sua pertinncia muita, porque atravs dela, pos-svel reduzir o grau de subjectivi-dade implcita ao processo ensino- -aprendizagem.

    Para qu?

    Tentaremos, ento aprofundar estatemtica para satisfazer a lacunarelativa instrumentao de obser-vao/avaliao ao nvel do dom-nio motor dos jogos desportivoscolectivos, nomeadamente as suasquestes tcticas. Esta ficha pre-tende, atravs de parmetros ecritrios bem definidos, ajudar odocente na rdua tarefa de colocarno papel, o valor dos seus alunos.Para que haja uma diminuio da subjectividade no momento deobservar/avaliar um aluno, estaficha serve de meio para atingir umfim. Ou seja, serve de instrumentode observao/avaliao (meio),para aquilatar o valor do aluno eassim permitir o seu desenvolvi-mento motor (fim).

    ENQUADRAMENTO TERICO

    O estudo do jogo a partir da obser-vao do comportamento dos pra-ticantes e das equipas tem vindo aconstruir um forte argumento pa-ra a organizao e avaliao dosprocessos de ensino e treino nosjogos desportivos colectivos. Tendocomo base este pressuposto deGarganta (1998a3), a observaodos praticantes e das equipas, temconstitudo um importante meio de conhecimento do jogo praticadoe no caso do nosso trabalho deavaliao da qualidade de jogo pra-ticado pelos seus intervenientes.

    Nos desportos individuais a obser-vao incide, preferencialmente so-bre aspectos tcnicos. No entanto,a nossa motivao prende-se coma anlise e avaliao dos pratican-

    investigao tcnico original opinio reviso estudo de caso ensaio

  • t

    tes nos jogos desportivos colectivos.Assim, e partindo do princpio quenos jogos desportivos colectivos asaces dos jogadores esto de-pendentes da oposio, do meioem que esto inseridos, entende-mos que seria oportuno focalizar o nosso interesse em aspectos daprestao dos jogadores em situa-o de jogo. Hoje em dia o desem-penho tctico, analisado de formadirecta ou indirecta (neste casocom recurso a vdeo), importan-tssimo para se compreenderemos comportamentos dos pratican-tes face aos colegas e adversrios.(Garganta, 1998b4).

    Entendemos que os jogos despor-tivos colectivos so de extremaimportncia nas aulas de EducaoFsica, pois proporcionam a todosos alunos da turma, independente-mente das suas capacidades, sufi-cientes oportunidades de participa-o e progresso (Coelho, 19982).Na nossa ficha de observaotentmos verificar se os pratican-tes demonstram possuir os con-tedos tcnico-tcticos desenvol-vidos ou no, atravs das suasaces em situao de jogo. Tent-mos ainda dar alguma importncia autonomia e responsabilidadeque devero ter durante o jogo,no focando somente a nossaateno sobre aspectos tcnico--tcticos, mas tambm sobre a coo-perao com os companheiros e aaceitao das decises do rbitro.

    INSTRUMENTOS DE AVALIAO NA EDUCAO FSICA

    Em Educao Fsica, no nosso casono 3 ciclo, o ensino dos jogos des-portivos colectivos ganha especialimportncia, pois importante fo-mentar cooperao e o saber estarem equipa dos alunos. Por vezes difcil, para os professores ficarem

    com uma ideia da aprendizagemmotora que os alunos vo tendo.Para tal importante que hajafichas de observao motora quevisem o recolher de informaes de uma maneira clara, simples,objectiva e vlida de acordo com osobjectivos delineados e de acordocom o programa que os profes-sores tm que seguir. Rosado eColao (200210), mostram-nos al-guns aspectos que so importantesna construo dos instrumentos de avaliao. Assim, dada muitaimportncia s qualidades do ins-trumento de avaliao: validade, fia-bilidade, objectividade, Em relaoa estes aspectos os autores docomo exemplo a utilizao do ndicede Bellack para a validao dosresultados provenientes dos ins-trumentos de avaliao. Esta utili-zao dos acordos e desacordosserve para verificar o nvel de corre-lao entre os diversos observa-dores. No entanto, na nossa fichade observao, como h a utilizaodo vdeo, o observador (professor)pode observar os praticantes vriasvezes e verificar a consistncia//fiabilidade atravs da comparaodas suas observaes. Quanto me-nor for a quantidade de erro da suaobservao, mais fiveis sero osresultados dela proveniente.

    Este instrumento de observao,pode ser, naturalmente usadocomo instrumento de avaliao,pois permite verificar (a quem oaplicar), quais as competnciasadquiridas pelos alunos, em relaoaos jogos desportivos colectivos deinvaso/territrio, de acordo comos critrios definidos pelo Minis-trio da Educao para o ano lec-tivo de 2004/2005.

    A ficha de observao elaboradapara este trabalho uma ficha deobservao referente a critrios

    referentes s aptides que os indi-vduos devem possuir. As compe-tncias esto claramente definidas,logo no momento da observao, o intuito o de comparar oscomportamentos delineados comos observados. Quanto menor foressa diferena, maior o sucesso do praticante. Esta ficha de obser-vao no visa a comparao dosresultados de indivduos, mas sim aavaliao do desempenho de cadaindivduo, comparando-o com umconjunto de critrios previamentedefinidos. (Ribeiro e Ribeiro, 19908;Aranha, 20041).

    Esta ficha de observao referentea critrios tem por finalidade aavaliao de programas de ensinoou de segmentos desses progra-mas, permitindo identificar aprendi-zagens ou as causas de insucesso,reformulando os aspectos que serevelam inadequados. Para tal,deve-se utilizar o auxlio do vdeo. A ficha , ento, simples e rpidade usar, sendo tambm bastanteabrangente, pois pode ser usadapara vrias modalidades colectivas.

    Ribeiro (19999), entende que osprofessores devem investir na ava-liao sistemtica dos resultadosda aprendizagem. Como tal estaficha de observao apresentadatem toda a pertinncia, pois per-mite recolher informaes claras e organizadas com vista plani-ficao e orientao do ensino quetem em vista o sucesso dos alunos.Assim, possvel identificar erros e dificuldades que permitem amelhoria do processo ensino-aprendizagem.

    nossa inteno que o instru-mento de observao/avaliaoconstrudo fornea informao aoprofessor sobre cada aluno. Estaestratgia adoptada permite reco-lher dados em situao de jogo,que o momento em que os alunos

    RReevviissttaa ddee DDeessppoorrttoo ee SSaaddee

    da Fundao Tcnica e Cientfica do Desporto

  • 84|85|

    esto realmente envolvidos na pr-tica desportiva. Assim, embora sejamais complicado aquilatar da quali-dade do aluno em situao de jogodo que em exerccio analtico, pen-samos que mais justo e correcto.Se o que nos interessa que osalunos aprendam a jogar, devemser observados e avaliados emfuno de jogo, por isso usarmosindicadores dos jogos desportivoscolectivos e os confrontarmos comos critrios de xito que preten-demos que os alunos alcancem.

    O elevado nmero de alunos porturma constitui, por vezes, umasria dificuldade observao sis-temtica dos mesmos. Como tal,entendemos que a ficha de obser-vao apresentada neste trabalhoconstitui por si s um instrumentode avaliao que vem simplificar atarefa do professor na verificaodos comportamentos dos seusalunos. (Lemos et al., 19986).

    METODOLOGIA

    Na elaborao da nossa ficha deobservao/avaliao utilizmosuma lista de verificao. SegundoLemos (19985) e Aranha (20041),as listas de verificao no seusam para verificar as frequnciasdos comportamentos, mas simpara verificar a ocorrncia dosmesmos. Assim, queremos apenasverificar, atravs de uma ficha deobservao, se h presena ouausncia de determinado comporta-mento previamente definido. Partin-do destes pressupostos, tentmosque a nossa lista de verificaopossusse algumas caractersticas:

    1- Ser curta;

    2- Ter cada item explcito de formaclara e objectiva;

    3- Ter uma caracterstica relacio-nada a cada comportamento;

    4- Ser constituda pelos compor-tamentos mais importantes queos alunos devem executar;

    5- Ser facilmente manusevel.

    De acordo com Aranha (20041),todo o processo ensino-aprendi-zagem tem de ser visto como umprocesso dinmico, com vriasinteraces complementares entreo professor e o aluno. Para tal, vital que as 5 questes da didcticaestejam sempre presentes:

    A quem?

    - Objecto de avaliao.

    O qu?

    - Parmetros de avaliao.

    Como?

    - Critrios de avaliao.

    Porqu?

    - Validade da avaliao.

    Que resultados?

    - (In)sucesso conseguido.

    Partindo destes pressupostos, oobjecto do nosso trabalho destina--se aos alunos do 3ciclo do EnsinoBsico das escolas Nacionais abran-gidas pelo Programa de EducaoFsica do Ministrio da Educao.Para tal, seleccionmos do Progra-ma, os parmetros referentes s questes tcticas comuns aosjogos desportivos colectivos de in-vaso/territrio. Com vista a umapossvel validao que deve tercomo referncia o sucesso dosalunos, seleccionmos os critriosde xito mais oportunos para osucesso da aco. Esta ficha deveser usada nas aulas de EducaoFsica, durante o processo ensino--aprendizagem, ao longo de toda aUnidade de Ensino dos vrios jogosdesportivos colectivos de invaso//territrio. Para a utilizao da ficha,

    deve haver um planeamento do quese vai observar e comunicado aosalunos. Durante a aula, h registoatravs da filmagem e posterioranlise observacional, no mbito da avaliao sistemtica da apren-dizagem.

    Para ser mais fcil compreenderas fases de construo de umaficha de avaliao com a estruturaque estamos a apresentar, mostra-mos de seguida as diversas fasesde elaborao do nosso trabalho,desde o seu planeamento at aspossveis aplicaes experimentaisque possa vir a sofrer:

    1. PLANEAMENTO:

    a) Definio dos objectivos;

    b) Definio da populao alvo;

    c) Reviso bibliogrfica, paracomparao com outros testesde caractersticas semelhantes.

    2. ELABORAO DOS ITENS E MONTAGEM DO PROTTIPO:

    a) Seleco dos itens que voser observados/avaliados;

    b) Definio do nmero de itensque vo constituir cada par-metro de observao/avaliao;

    c) Seleco do tipo de itens maispertinentes observao//avaliao;

    d) Protocolo da ficha;

    e) Contedo (escolha criteriosados contedos a observar).

    3. EM RELAO CADA PARMETRO:

    a) Objectivos mnimos (pr-requisitos);

    b) Critrios de xito paradesempenho cada parmetro;

    c) Vrios critrios por parmetro;

    d) Ponderao e cotaes decada parmetro na nota final;

    e) Ponderao e cotaes de cada critrio em relao ao parmetro.

    investigao tcnico original opinio reviso estudo de caso ensaio

  • t

    4. APLICAES EXPERIMENTAIS:

    a) Reviso crtica dos autores;

    b) Aplicao a uma amostra;

    c) Obteno de dados;

    d) Anlise de dados;

    e) Repetio do processo;

    f) Validade;

    g) Fiabilidade;

    h) Objectividade.

    Esta ficha, no seu processo deelaborao teve como objectivo apretenso de ser um instrumentode apoio no processo ensino-apren-dizagem, e servir para que qualqueragente de ensino tenha uma nooexacta do valor de cada aluno anvel psicomotor e scio-afectivo.Sabendo que, partida no hmuitas fichas semelhantes, pelomenos no que diz respeito a par-metros tcticos e baseados nopretendido pelo Ministrio da Edu-cao, temos a noo de que podeter falhas metodolgicas na suaestrutura. Assim, entendemos queesta ficha pode eventualmente servalidada numa futura fase, o quepode denotar algumas limitaesestruturais.

    Como natural, esta ficha pode (edeve) ser utilizada em qualqueraula referente leccionao deJogos Desportos Colectivos de in-vaso/territrio. Pode ainda servirde elemento de avaliao, podendoidentificar eventuais evolues nos alunos.

    Com a utilizao desta ficha, a ava-liao do tipo criterial, pois h averificao do nvel dos alunosatravs de critrios previamentedefinidos. No h, pois uma avalia-o normativa, pois no h compa-rao do desempenho dos alunosentre si.

    Esta ficha de observao/avaliao,parece possuir os fundamentos ne-cessrios para ser considerada

    vlida, pois mede aquilo a que sepropem medir, ou seja, foi pro-posto medir o desempenho motordos alunos em situao de jogoformal e a partir da verificar o seudesempenho. Atravs desta anlise possvel enquadrar cada alunonum nvel e at possvel verificaro nvel final de jogo dos alunos. Os parmetros de observao/ava-liao foram definidos pelos auto-res deste trabalho, mas baseadosnos fundamentos tcticos de abor-dagem ao jogo e nos programascurriculares em vigor actualmente.Os dados provenientes da utilizaodesta ficha parecem fiveis, umavez que existe consistncia dasmedidas realizadas. Para que aidentificao e anlise da fonte deerro seja reduzida ao mximo, ento necessrio que o teste possaser aplicado por qualquer indivduo,em qualquer lugar, seguindo o pro-tocolo indicado e havendo consis-tncia na performance. Entende-mos que se a ficha apresentada vlida, ter que ser fivel. Naanlise da objectividade do estudo,podemos verificar que os resulta-dos, devido ao instrumento utiliza-do, diminuem a interferncia deatitude ou de apreciao pessoal.

    Em termos de validade interna, conveniente que as condies deaplicao (protocolo) sejam unifor-mes e se mantenham iguais emtodas as avaliaes, para que osresultados obtidos nada tenham aver com a alterao das condiesde aplicao, tentando cumprir oprotocolo definido. Em termos devalidade externa, os dados recolhi-dos desta amostra podem, eventual-mente, ser generalizados popu-lao. Como os critrios utilizadosna construo dos itens de obser-vao tm como base os progra-mas do Ministrio da Educao

    para a Educao Fsica do 3 ciclo, ento possvel generalizar osresultados populao escolar. Asrespostas dadas pelos indivduosanalisados podem, ento, ser simi-lares s respostas dadas pelosoutros, pois no dependem daamostra escolhida, das condiesde aplicao ou do perodo detempo dos testes.

    Esta ficha permite analisar aspec-tos psicomotores e scio-afectivos,mas como normal no permiteaquilatar se os desempenhos de-monstrados se ficam a dever aestes factores ou a outros nocontrolveis em campo, como osaspectos neurais que s podemser analisados em laboratrio. Desalientar que em cincias humanasa aleatoriedade quase impossvelde conseguir, s geneticamenteisso poderia ter sido possvel.

    CARACTERSTICAS DESTA FICHA DE OBSERVAO MOTORA

    Ficha de observao/avaliaoreferente a critrios;

    O objectivo do teste o de ve-rificar, com base na observaoefectuada, em que nvel se situacada jogador com base em cadaitem de observao;

    A escala permite uma nota mni-ma de 0% e mxima de 100%;

    Anlise quantitativa dos resul-tados, atravs do nmero deocorrncias;

    Anlise qualitativa dos resultadosatravs dos dados provenientesda anlise quantitativa;

    Se, relativamente a cada par-metro de avaliao o jogador con-seguir atingir uma mdia final doscritrios de 50%, ou mais con-siderado como indicador de jogode bom nvel nesse parmetro;

    RReevviissttaa ddee DDeessppoorrttoo ee SSaaddee

    da Fundao Tcnica e Cientfica do Desporto

  • 86|87|

    Se, relativamente a cada par-metro de avaliao o jogador noconseguir atingir uma mdia finaldos critrios de 50% consi-derado como indicador de jogo defraco nvel nesse parmetro;

    Se a mdia final de todos os (5)parmetros for superior a 50%considera-se que o indivduo apre-senta um nvel geral de jogo bom;

    Aplicvel a amostras de qual-quer Jogo Desportivo Colectivode invaso/territrio;

    Individual para cada jogador,assinalando todas as observa-es efectuadas desse jogadorna mesma ficha;

    A observao no feita porintervalos de tempo, mas sim porocorrncias;

    Todos os jogadores devem serobservados nas mesmas condi-es, ou seja no mesmo nmerode parmetros (cada um em 5ocorrncias), havendo assim anecessidade de recorrer ao au-xlio de gravaes em vdeo paraverificar as aces dos jogadores;

    A colocao da cmara deve sernum plano superior e abrangente,de modo a apanhar as aces

    tcticas de todos os jogadores da equipa;

    A anlise feita atravs de ima-gem corrida e no frame a frame;

    A populao alvo considerada de-ve focar os alunos do 3 ciclo,independentemente do seu esca-lo etrio e do gnero, pois oscritrios de xito esto adap-tados s competncias que sepretende que os alunos possuamneste ciclo;

    A validade aparente desta ficha deobservao est relacionada comos aspectos observados, poisestes permitem-nos verificar emque nvel cada aluno se en-contra,medindo assim o que se pretendemedir;

    No h hierarquia entre catego-rias observacionais, pois todaselas tm o mesmo valor e umano pr-requisito da outra;

    Deve ser usado um bom ndice de correlao entre os critriosobservados, atravs de uma an-lise intra-observador. Para issopoder-se- proceder ao treino dos utilizadores, experimentandoa utilizao da ficha a uma amos-tra pequena, afim de verificar

    possveis falhas da ficha ou naobservao;

    Deve-se explicar amostra todasas condies de aplicao, proto-colo e finalidade da ficha;

    No h cotaes para cada itemobservado, assim todos valem omesmo;

    Em termos de protocolo da ficha,j tudo foi referenciado, faltasomente salientar a importnciade antes de se proceder suaaplicao, ser importanteexplicar as condies de prticaao objec-to da avaliao. aindaimpor-tante deixar que os alunosexperi-mentem essas condiesde prti-ca (que j foramreferenciadas), submetendoalguns alunos ficha, de modo ahaver uma adaptao da ficha acaractersticas espe-cficas dapopulao em causa;

    A relevncia deste teste de obser-vao prende-se com a necessi-dade de rpida e facilmente iden-tificarmos se o nvel de um joga-dor bom ou mau atravs do seudesempenho motor em situaode jogo, para ns a mais impor-tante, havendo assim uma verifi-cao do perfil do jogador.

    investigao tcnico original opinio reviso estudo de caso ensaio

  • tRReevviissttaa ddee DDeessppoorrttoo ee SSaaddeeda Fundao Tcnica e Cientfica do Desporto

    FICHA DE OBSERVAO MOTORA PARA VERIFICAO DA QUALIDADE DE JOGO DOS PRATICANTES EM JOGOS DESPORTIVOS COLECTIVOS

    Relativamente a cada parmetro rreeggiissttee com X cada ocorrncia positiva, relativamente aoscritrios apresentados. Verificar-se-o 55 ooccoorrrrnncciiaass referentes a cada parmetro, nas quaisse pretende constatar se a aco ocorreu ou no (se o critrio foi cumprido ou no).

    a) Admite as indicaes que lhe so dadas.

    11 22 33 44 55 %%

    MDIA DA %

    1. COOPERAO COM OS COMPANHEIROS:

    b) Aceita as opes e falhas dos seus colegas.

    a) Respeita os sinais do rbitro.

    11 22 33 44 55 %%

    MDIA DA %

    2. ACEITA AS DECISES DA ARBITRAGEM:

    b) Evita aces que ponham em risco a sua integridade fsica.

    MDIA DA %

    a) Oferecendo linhas de passe.

    11 22 33 44 55 %%

    MDIA DA %

    4. ENQUADRADO OFENSIVAMENTE, SEM BOLA, DESMARCA-SE:

    b) Procurando situaes de superioridade numrica.

    a) Penetra, fintando ou driblando para finalizar.

    11 22 33 44 55 %%

    MDIA DA %

    3. ENQUADRADO OFENSIVAMENTE, COM BOLA:

    b) Finaliza.

    c) Passa a um companheiro em desmarcao para o alvo.

    d) Passa a um companheiro em desmarcao em apoio.

    e) Passa e desmarca-se em direco ao alvo.

    MDIA DA %

    a) Pressiona o jogador adversrio em posse de bola.

    11 22 33 44 55 %%

    MDIA DA %

    5. ENQUADRADO DEFENSIVAMENTE:

    b) Cria situaes de superioridade numrica defensiva.

    c) Fecha as linhas de passe.

    d) Realiza dobras quando os companheiros so ultrapassados pelos adversrios.

    e) Realiza compensaes, ocupando as posies dos seus companheiros.

    INDICADOR DO NVEL DE JOGO DE CADA PARMETRO

    (BOM ou FRACO):

    1. ;

    INDICADOR DO NVEL GERAL DE JOGO

    (BOM ou FRACO):

    2. ;

    3. ;

    4. ;

    5. ;

    NOME DO ALUNO

    MODALIDADE

    DATA

  • 88|89|

    PREENCHIMENTO DA FICHA

    Escala dicotmica, com base nosucesso de cada critrio de xito,sinalizando com uma cruz quandose verifica a ocorrncia;

    As condies de aplicao cor-respondem s 5 primeiras vezesque cada parmetro se verificar;

    - Cooperao com os companheiros;

    - Aceitao das decises de arbitragem;

    - Enquadramento ofensivo com bola;

    - Enquadramento ofensivo sem bola;

    - Enquadramento defensivo.

    A observao feita em situaode jogo formal.

    No preenchimento da ficha de-vem-se verificar as 5 ocorrnciasde cada parmetro. Seguidamen-te marca-se (caso ocorra) cadacritrio de xito relativo a cadaum dos 5 parmetros. De segui-da faz-se a percentagem de cadacritrio de xito em funo do100% (ou seja as 5 ocorrncias).Por fim verifica-se a mdia finalde todos os critrios de xito decada parmetro, se for superiora 50% isso corresponde a umindicador de jogo de bom nvel ese for inferior corresponde a umindicador de jogo de fraco nvel.Poder-se- ainda definir um nvelfinal do jogador, ou seja se obti-ver mais de 3 parmetros deavaliao de bom nvel, pode serconsiderado como um jogador debom nvel.

    CONCLUSO

    Ao longo deste trabalho tentmosfocar a importncia da construodeste tipo de instrumentos de ava-liao para as aulas de EducaoFsica. A utilizao deste tipo defichas importante, pois permite aqualquer professor identificar deuma maneira rpida e simples onvel motor dos seus alunos. Sendoeste um dos nossos objectivos pre-viamente definidos, achamos queesta ficha pode ser o instrumento autilizar com vista a aquilatar o nvelmotor dos alunos nos Jogos Des-portivos Colectivos de invaso//territrio.

    Torna-se ento vital haver cada vezmais fichas semelhantes a esta,para outras vertentes motoras, pa-ra outros contedos e para outraspopulaes alvo. S aumentando aquantidade e qualidade dos instru-mentos de avaliao que poss-vel colmatar a falta de fichas deobservao motora em situao dejogo, existentes na nossa rea emrelao aos contedos program-ticos propostos pelo Ministrio daEducao.

    No final deste trabalho, entendemoster construdo uma ficha referen-te aos critrios estabelecidos peloMinistrio da Educao e que per-mite verificar em que nvel se situacada aluno (bom ou fraco). Em cadaparmetro de avaliao podemosverificar as ocorrncias atravs dautilizao do vdeo e assim ter aoportunidade de analisar cuidado-samente cada aco dos alunos,

    sendo mais justo e coerente do quese fosse feita em tempo real, nasaulas. De salientar que impor-tante explicar aos alunos como sevai proceder sua observao epossvel avaliao, explicitando-lhestodo o protocolo e condies deprtica, a que vo ser submetidos.

    Esta ficha de observao referentea critrios referentes s aptidesque os indivduos devem possuir.As competncias esto claramentedefinidas, logo a observao ficafacilitada e mais objectiva. Es-peramos que cada professor deEducao Fsica que utilize estaficha no tenha qualquer tipo dedificuldades na observao e poss-vel avaliao dos alunos, verificandoassim o desempenho de cada alunoe identificando facilmente o seunvel de jogo (bom ou fraco).

    CORRESPONDNCIA

    Francisco Gonalves

    Travessa Comendador Seabra da Silva, n. 226

    3720-297 Oliveira de Azemis

    E-mail: franciscojmg@gmail.comxicoze7@hotmail.com

    Tlms: 917 668 858966 833 562

    Tlf.: 256 285 335

    investigao tcnico original opinio reviso estudo de caso ensaio

  • t

    REFERNCIAS

    1. Aranha (2004). Teoria e Meto-dologia da Medio e Avaliao:Avaliao normativa e criterial;princpios de construo de umteste; requisitos tcnicos de umteste (validade, fiabilidade e objec-tividade). Vila Real: Srie Didctica--Cincias Sociais e Humanas. Uni-versidade de Trs-os-Montes eAlto Douro.

    2. Coelho O (1998). Os jogos des-portivos colectivos na EducaoFsica Curricular. Horizonte - Revis-ta de Educao Fsica e Desporto,vol. XIV, n. 82, pp. 15-18.

    3. Garganta, J. (1998a). Analisar ojogo nos jogos desportivos colec-tivos. Horizonte - Revista de Educa-o Fsica e Desporto, vol. XIV, n. 83, pp. 7-14.

    4. Garganta J (1998b). Para umaTeoria dos Jogos Desportivos Co-lectivos. In Graa A & Oliveira J. O Ensino dos Jogos DesportivosColectivos (pp. 11-25). Centro de

    Estudos dos Jogos DesportivosFaculdade de Cincias do Despor-to e Educao Fsica Universidadedo Porto.

    5. Lemos, V. (1998). O Critrio doSucesso. Lisboa: Texto Editora.

    6. Lemos V, et al. (1998). A NovaAvaliao da Aprendizagem. Lisboa:Texto Editora.

    7. Programa Educao Fsica -Plano de Organizao do Ensino--Aprendizagem. Ensino Bsico - 3ciclo. Departamento de EducaoBsica - Ministrio da Educao.

    8. Ribeiro A, & Ribeiro L (1990).Planificao e Avaliao do Ensino--Aprendizagem. Lisboa: Universida-de Aberta.

    9. Ribeiro L (1999). Avaliao daAprendizagem. Lisboa: Texto Editora.

    10. Rosado A & Colao C (2002).Avaliao das Aprendizagens. Lis-boa: Omniservios.

    11. www.deb.min-edu.pt/curriculo//programas/_vti_cnf/programas_3cicloef.asp

    RReevviissttaa ddee DDeessppoorrttoo ee SSaaddee

    da Fundao Tcnica e Cientfica do Desporto