sticos de enfermagem em clnica cirrgica

  • Published on
    08-Jan-2017

  • View
    216

  • Download
    1

Transcript

  • Acta Paulista de Enfermagem

    ISSN: 0103-2100

    ape@unifesp.br

    Escola Paulista de Enfermagem

    Brasil

    Soares Novaes, Elisiane; Morbin Torres, Maricy; Vilcinski Oliva, Ana Paula

    Diagnsticos de enfermagem em clnica cirrgica

    Acta Paulista de Enfermagem, vol. 28, nm. 1, 2015, pp. 26-31

    Escola Paulista de Enfermagem

    So Paulo, Brasil

    Disponvel em: http://www.redalyc.org/articulo.oa?id=307035336006

    Como citar este artigo

    Nmero completo

    Mais artigos

    Home da revista no Redalyc

    Sistema de Informao Cientfica

    Rede de Revistas Cientficas da Amrica Latina, Caribe , Espanha e Portugal

    Projeto acadmico sem fins lucrativos desenvolvido no mbito da iniciativa Acesso Aberto

    http://www.redalyc.org/revista.oa?id=3070http://www.redalyc.org/revista.oa?id=3070http://www.redalyc.org/articulo.oa?id=307035336006http://www.redalyc.org/comocitar.oa?id=307035336006http://www.redalyc.org/fasciculo.oa?id=3070&numero=35336http://www.redalyc.org/articulo.oa?id=307035336006http://www.redalyc.org/revista.oa?id=3070http://www.redalyc.org

  • 26 Acta Paul Enferm. 2015; 28(1):26-31.

    Artigo Original

    Diagnsticos de enfermagem em clnica cirrgicaNursing diagnoses in surgical clinicElisiane Soares Novaes1

    Maricy Morbin Torres1

    Ana Paula Vilcinski Oliva1

    Autor correspondenteElisiane Soares NovaesAv. Colombo, 5790, Maring, PR, Brasil. CEP: 87020-900elisianenovaes@hotmail.com

    DOIhttp://dx.doi.org/10.1590/1982-0194201500006

    1Universidade Estadual de Maring, Maring, PR, Brasil.Conflitos de interesse: no h conflitos de interesse a declarar.

    ResumoObjetivo: Identificar a frequncia dos diagnsticos de enfermagem em pacientes de clnica cirrgica.Mtodos: Estudo transversal, descritivo e exploratrio, de abordagem quantitativa, com dados referentes a 28 pacientes. O instrumento de coleta de dados foi desenvolvido pelos pesquisadores, com base em padres funcionais de sade.Resultados: Foram encontrados 301 diagnsticos de enfermagem, com mdia de 12 por paciente. Somente quatro diagnsticos apresentaram frequncia acima de 50%. Os mais frequentes foram: risco de infeco, integridade da pele/tissular prejudicada, disposio para bem-estar espiritual, disfuno sexual e padro do sono perturbado. Diagnsticos que se enquadram no domnio 13 (Crescimento/Desenvolvimento) no foram documentados nesta amostra.Concluso: Os achados demostraram ampla variedade de diagnsticos na populao estudada, reflexo da diversidade de cuidados a serem prestados. A identificao das necessidades de cuidados favorece a implantao de intervenes especficas, contribuindo para a qualidade da assistncia de enfermagem.

    AbstractObjective: To identify the frequency of nursing diagnosis in patients in surgical clinic.Methods: A transverse, descriptive and exploratory study of quantitative approach, with data referring to 28 patients. The data collection instrument was developed by the researchers based on health functional patterns.Results: In total, 301 nursing diagnosis were found, with an average of 12 per patient. Only four diagnoses showed frequency above 50 percent. The most frequent were risk for infection, impaired skin/tissue integrity, readiness for enhanced spiritual well-being, sexual dysfunction and disturbed sleep pattern. The diagnoses that fit in domain 13 (Growth/Development) were not documented in this sample.Conclusion: The findings demonstrated a wide variety of diagnoses in the study population, a reflex of the diversity of care provided. Identifying the care needs favors the implantation of specific interventions, contributing to the quality of nursing assistance.

    DescritoresDiagnstico de enfermagem; Avaliao em enfermagem; Classificao; Enfermagem perioperatria; Cuidados de enfermagem

    KeywordsNursing diagnosis; Nursing assessment; Classification; Perioperative nurse; Nursing care

    Submetido22 de Setembro de 2014

    Aceito22 de Outubro de 2014

  • 27Acta Paul Enferm. 2015; 28(1):26-31.

    Novaes ES, Torres MM, Oliva AP

    Introduo

    O movimento para uniformizar a linguagem uti-lizada pelas enfermeiras trouxe mudanas signi-ficativas no processo de cuidar. Podemos citar a habilidade em formular diagnsticos, a escolha de intervenes mais adequadas para cada situao e a descrio dos resultados da implementao dessas intervenes.

    O diagnstico de enfermagem tem merecido destaque. Alm de guia para planejamento, seleo e implementao dos cuidados, ele tambm im-portante fonte para o conhecimento especfico da profisso, facilitando o ensino, a pesquisa e a eman-cipao do cliente no plano teraputico.(1,2)

    Nesse cenrio, o levantamento dos diagnsticos de enfermagem em populaes especficas possibili-ta o conhecimento das respostas humanas alteradas, contribuindo para o alcance de uma assistncia in-dividualizada e holstica.(3)

    Vrios autores tem se preocupado em identificar os diagnsticos de enfermagem em grupos especfi-cos, como, por exemplo, idosos com insuficincia cardaca, pacientes de clnica cirrgica, de clnica oncolgica, idosos, pacientes transplantados, etc.(4-8)

    Este estudo teve por objetivo identificar a fre-quncia dos principais diagnsticos de enfermagem em pacientes hospitalizados em clnica cirrgica. Justifica-se essa identificao para o subsdio de in-tervenes eficazes e adequadas s necessidades in-dividuais de cada paciente, bem como da previso e proviso da carga de trabalho da equipe de enferma-gem, alm de contribuir para a educao continua-da na qualidade do cuidado.

    Mtodos

    Trata-se de um estudo descritivo e exploratrio, de corte transversal, com abordagem quantitativa. A coleta dos dados aconteceu na unidade de interna-o clnico-cirrgica de um hospital-escola no pe-rodo de abril a agosto de 2012. Fizeram parte da amostra 28 pacientes. Os critrios adotados para a incluso no grupo foram: no estar no primeiro dia de ps-operatrio independente de sexo e faixa et-

    ria. Neste estudo, o paciente no foi avaliado nas primeiras 24 horas aps a cirurgia, por se tratar de um momento crtico, em que os aspectos hemodi-nmicos esto alterados pela anestesia, modificando as necessidades do cuidado.

    Para coleta dos dados, foram realizadas visitas em dias alternados na unidade. Todos que se en-quadravam nos requisitos e aceitaram participar da pesquisa foram includos. O instrumento da coleta de dados foi desenvolvido pelas pesquisa-doras e continha variveis sociodemogrficos e clnicas que foram avaliadas segundo os padres funcionais de sade, propostos por Gordon, pre-sentes na Taxonomia II da North American Nur-sing Diagnosis Association (NANDA). Atualmen-te, h muitos instrumentos de coletas de dados todos so baseados em abordagens tericas ou conceituais da enfermagem, mas nenhum uni-versalmente aceito.(9,10)

    Os diagnsticos de enfermagem levantados foram interpretados a partir de caractersticas de-finidoras, fatores relacionados e de risco, e situa-es iminentes de risco, identificadas nos clientes por meio de entrevista, exame fsico e consulta em pronturio.

    Na anlise dos dados foram utilizados elementos da estatstica descritiva, tais como, frequncia abso-luta e relativa. O desenvolvimento do estudo aten-deu as normas nacionais e internacionais de tica em pesquisa envolvendo seres humanos.

    Resultados

    Fizeram parte da casustica 14 (50%) pacientes do sexo feminino e 14 (50%) do masculino, com idade mdia de 49,5 anos, sendo que 50% de-les encontram-se entre os 40 e 59 anos de idade. A maior parte dos indivduos era de cor branca (67,8%), possua apenas o Ensino Fundamental incompleto (57,1%) e residia na cidade de Ma-ring (64,2%).

    A cirurgia mais prevalente foi a apendicectomia (21,4%), seguida de laparotomia exploradora e vi-deocolecistectomia (17,8%). Os demais procedi-mentos cirrgicos esto descritos na tabela 1.

  • 28 Acta Paul Enferm. 2015; 28(1):26-31.

    Diagnsticos de enfermagem em clnica cirrgica

    A tabela 2 exibe o perodo do tratamento cirr-gico, em que os pacientes se encontravam quando foram submetidos ao exame fsico, durante a coleta de dados.

    No total, 301 diagnsticos de enfermagem fo-ram documentados para os 28 pacientes. Em m-dia encontraram-se 12 diagnsticos por paciente. Dentre os 201 ttulos descritos pela NANDA, 55 (27,4%) foram identificados.

    Os diagnsticos de enfermagem mais prevalen-tes foram: risco de infeco (100%), integridade da pele/tissular prejudicada (92,8%), disposio para bem-estar espiritual aumentada (75%), dis-funo sexual (53,5%), padro do sono pertur-bado (42,8%), disposio para enfrentamento aumentada (39,3%), deambulao prejudicada, dficit no auto-cuidado para banho/higiene, dis-posio para sono melhorado, dor aguda e risco de constipao (32,1%), recuperao cirrgica re-

    Tabela 1. Procedimentos cirrgicos, segundo frequncia absoluta e porcentagem, em adultos internados na clnica cirrgicaProcedimentos cirrgicos n(%)

    Apendicectomia 6(21,4)

    Laparotomia exploradora 5(17,8)

    Videocolecistectomia 5(17,8)

    Cirurgias da face (bucomaxilo) 3(10,7)

    Hernioplastia 2(7,1)

    Amputao MID 1(3,6)

    Cirurgia Ortopdica 1(3,6)

    Desbridamento em MSD 1(3,6)

    Cauterizao de condiloma perianal 1(3,6)

    Cistostomia 1(3,6)

    Exerese de tumor de face 1(3,6)

    Tireoidectomia 1(3,6)

    Total 28(100)

    MID membro inferior direito; MSD membro superior direito

    Tabela 2. Perodo do tratamento cirrgico, segundo frequncia absoluta e porcentagem, dos pacientes internados na clnica cirrgicaPerodo cirrgico n(%)

    Pr-operatrio 5(17,8)

    2 Ps-operatrio 12(42,8)

    3 Ps-operatrio 2(7,1)

    4 Ps-operatrio 1(3,6)

    9 Ps-operatrio 1(3,6)

    10 Ps-operatrio 2(7,1)

    11 Ps-operatrio 2(7,1)

    12 Ps-operatrio 1(3,6)

    13 Ps-operatrio 1(3,6)

    15 Ps-operatrio 1(3,6)

    Total 28(100)

    tardada (28,5%), dficit no autocuidado para ves-tir-se/arrumar-se e manuteno ineficaz da sade (25%) e risco de integridade da pele prejudicada (21,4%). Os demais diagnsticos podem ser obser-vados na tabela 3.

    Tabela 3. Frequncia dos diagnsticos de enfermagem, segundo os domnios da Taxonomia II da NANDA (2009-2011), identificados em indivduos adultos internados na clnica cirrgicaDomnio Categorias diagnsticas n(%)

    Promoo da sade Manuteno ineficaz da sadeComportamento de busca de sadeControle ineficaz do regime teraputico

    7(25,0)2(7,1)2(7,1)

    Nutrio Nutrio desequilibrada: > do que as necessidades corporaisRisco de funo heptica prejudicadaRisco de desequilbrio no volume de lquidosRisco de volume de lquidos deficienteVolume de lquidos deficientes

    4(14,2)4(14,2)4(14,2)1(3,5)2(7,1)

    Eliminao e troca Risco de constipaoEliminao urinria prejudicadaDesobstruo ineficaz das vias areasTroca de gases prejudicada

    9(32,1)5(17,8)2(7,1)2(7,1)

    Atividade/repouso Padro do sono prejudicadoDficit no autocuidado para banho/higieneDeambulao prejudicadaDisposio para sono melhoradoRecuperao cirrgica retardadaPerfuso tissular perifrica ineficazDficit no autocuidado para vestir-se/arrumar-seMobilidade fsica prejudicadaMobilidade no leito prejudicadaRisco de intolerncia atividadeResposta disfuncional ao ventilatrioIntolerncia atividadePadro respiratrio ineficazPrivao do sono

    12(42,8)9(32,1)9(32,1)9(32,1)8(28,5)8(28,5)7(25,0)7(25,0)4(14,2)3(10,7)1(3,5)1(3,5)1(3,5)1(3,5)

    Percepo/cognio Processos do pensamento perturbadoPercepo sensorial perturbada (auditiva)Confuso crnicaComunicao verbal prejudicada

    1(3,5)1(3,5)1(3,5)4(14,2)

    Autopercepo Risco de solido 5(17,8)

    Papis e relacionamentos

    Interao social prejudicadaProcessos familiares interrompidosDesempenho de papel ineficaz

    8(28,5)4(14,2)1(3,5)

    Sexualidade Disfuno sexualPadres de sexualidade ineficazes

    15(53,5)3(10,7)

    Enfrentamento/tolerncia ao estresse

    Disposio para enfrentamento aumentadaAnsiedadeMedoTristeza crnicaEnfrentamento ineficazSndrome do estresse por mudanaResilincia individual prejudicada

    11(39,2)4(14,2)5(17,8)1(3,5)1(3,5)1(3,5)1(3,5)

    Princpio de vida Disposio para bem-estar espiritual aumentadaRisco para angstia espiritualRisco de religiosidade prejudicadaReligiosidade prejudicada

    21(75,0)5(17,8)4(14,2)2(7,1)

    Segurana/proteo Risco de infecoIntegridade da pele/tissular prejudicadaRisco de integridade da pele/tissular prejudicadaRisco de queda

    28(100)26(92,8)6(21,4)3(10,7)

    Conforto Dor agudaNuseaConforto prejudicadoIsolamento social

    9(32,1)3(10,7)2(7,1)1(3,6)

  • 29Acta Paul Enferm. 2015; 28(1):26-31.

    Novaes ES, Torres MM, Oliva AP

    Discusso

    As limitaes deste estudo consistem no fato de a avaliao clnica ser um processo subjetivo, diante disso, o processo diagnstico esta sujeito a incertezas. Entretanto os resultados deste estudo favoreceram a identificao das necessidades de cuidados de doentes internados em clnica cirr-gica, contribuindo para o levantamento de inter-venes especficas de enfermagem. A diversida-de de diagnsticos de enfermagem apresentados por essa clientela especfica denota a variedade de cuidados a serem prestados pelos profissionais de enfermagem. O levantamento de diagnsti-cos to variados confere maior poder clnico ao profissional enfermeiro. Tambm proporcionou base para o ensino do diagnstico de enferma-gem, tanto aos enfermeiros do setor em questo como para alunos de graduao que fizeram par-te do estudo.

    Os resultados obtidos so muito similares aos encontrados por pesquisas realizadas em clnica mdica, cirrgica e ortopdica. Estudos como este podem ser aplicados em diversas reas de conheci-mento e com populaes mais numerosas, para va-lidao dos resultados, e devem ajudar a expandir o conhecimento de enfermagem mediante a vincula-o entre os diagnsticos, intervenes e resultados de enfermagem. A partir da caracterizao do cui-dado demandado por clientes de unidade mdico-cirrgica, encontrou-se 10,6 diagnsticos em mdia por paciente, corroborando a necessidade de conhe-cimento cientfico e especfico do enfermeiro, para planejar o cuidado dos pacientes assistidos.(5)

    O diagnstico Risco para infeco definido como um estado no qual o indivduo corre risco aumentado para ser invadido por organismos pa-tognicos comumente identificado em pacien-tes submetidos a procedimentos cirrgicos. Esteve presente em 100% da amostra, relacionando-se aos procedimentos invasivos do pr, trans e ps- operatrio. Estudos similares tambm destacam alta frequncia nesse diagnstico e apontam para os procedimentos invasivos decorrentes da hos-pitalizao como uma das principais causas dessa ocorrncia.(7,11)

    No obstante, outros fatores tambm podem estar associados este diagnstico como, por exem-plo, a obesidade. Quatro pacientes (14,3%) eram obesas e, portanto, apresentaram Nutrio altera-da: maior do que as necessidades corporais. Estu-dos apontam que a espessura do tecido gorduroso tem influncia direta e proporcional nas taxas de in-feco. As razes para essa suscetibilidade esto rela-cionadas irrigao local do tecido adiposo, pouco vascularizado, e maior durao dos procedimentos cirrgicos.(4)

    Observa-se ainda que 26 pacientes (92,8%) desta amostra possuam Integridade da pele/tis-sular prejudicada. Todos os pacientes foram sub-metidos a procedimentos invasivos, como: cirurgia (82,1%), administrao de medicamentos, coleta de material biolgico para exames e puno ve-nosa. Entretanto, a patologia, a imobilizao no leito, a diminuio de atividade motora, a falta de adequada perfuso perifrica tambm foram res-ponsveis pela leso tissular. Trs pesquisas simila-res identificaram frequncias acima de 60% neste diagnstico.(7,12)

    A Disposio para bem-estar espiritual au-mentada, ou seja, o aumento da capacidade de experimentar e integrar significado vida por meio de uma conexo consigo mesmo, com ou-tros, ou com um ser maior, foi encontrada em 75% da amostra. A maioria dos clientes demons-trou crena em um ser superior, verbalizou f, esperana e coragem em resposta crena espiri-tual. Pacientes com esse diagnstico tm recur-sos potenciais para se valer quando se deparam com uma enfermidade ou uma ameaa ao seu bem-estar. Se o paciente no souber empenhar recursos para enfrentar problemas de sade, o enfermeiro deve oferecer apoio para explorar as diversas opes.(13)

    Este diagnstico no foi relatado em outros estudos. Autores argumentam que a dificuldade de constatar as alteraes nos padres de cren-a, valores e convices religiosas decorrente do pouco tempo de interao com os pacientes. Entretanto, as caractersticas definidoras desses diagnsticos se expressam nos vnculos do rela-cionamento teraputico, e o prprio diagnstico

  • 30 Acta Paul Enferm. 2015; 28(1):26-31.

    Diagnsticos de enfermagem em clnica cirrgica

    pode ser confirmado pelo auto-relato do pacien-te, cabendo ao enfermeiro apenas realizar uma escuta qualificada.(13-15)

    Percebe-se que pouco tem sido realizado em ter-mos das necessidades espirituais. H, portanto, uma lacuna na assistncia, contrapondo-se teoria de Wanda Horta, que aponta a espiritualidade como uma necessidade bsica do ser humano a ser obser-vada e cuidada pelo enfermeiro em seu planejamen-to de assistncia. Compreende-se que, na atuao profissional, ainda h escassez da viso holstica, ou seja, da necessidade de enxergar o ser humano como um ser bio-psico-social-espiritual, que transcende o aspecto fsico.(10,14)

    A Disposio para enfrentamento aumentada (39,3%) no foi identificada em outros estudos. Isso deve ocorrer pelo fato de estar associada Dispo-sio de bem-estar espiritual aumentada, embora a NANDA no o relacione diretamente.(9)

    O Padro de sono prejudicado, ou seja, as interrupes da quantidade e da qualidade do sono, limitadas pelo tempo, decorrentes de fato-res externos,(9) ocorreu em 42,8% dos sujeitos. Considerado uma necessidade humana bsica, o sono torna-se um dos fatores que influenciam a qualidade de vida do ser humano. O envelheci-mento, o sedentarismo, o estresse, as doenas, os medicamentos, a depresso e os hbitos pessoais afetam a qualidade de sono ou o nvel de reparti-o dos vrios estgios do sono.(7,9)

    No presente estudo, as causas mais relatadas pelos pacientes relacionadas ao padro de sono prejudicado foram a manipulao excessiva pe-los profissionais de sade noite, o excesso de iluminao, o barulho e a falta de adaptao hospitalizao.

    A Deambulao prejudicada (32,1%) apre-sentou-se frequente nesta e em outras pesquisas.(4,8) importante observar que ela constitui-se em um dos principais fatores relacionados a ou-tros diagnsticos de enfermagem, como Dficit no autocuidado para banho e higiene (32,1%), Dficit no autocuidado para vestir-se e arru-mar-se (25%) e Risco para integridade da pele prejudicada (21,4%). A associao entre diag-nsticos deve ser mais profundamente estudada,

    pois, talvez, seja possvel identificar um perfil diagnstico nos pacientes de clnica mdica, ci-rrgica e ortopdica.

    Estudo realizado com 250 pacientes em uma unidade cirrgica identificou 2973 diagnsticos dentro mais de 50 enunciados diferentes. Os mais frequentes foram: Risco para temperatu-ra corporal alterada (66%), Risco de infeco (51%), e Dor (50%). O resultados asseme-lham-se com os do presente estudo, entretanto, no foi identificado entre os mais frequentes o diagnstico Integridade tissular prejudicada (risco ou atual), pertencente ao domnio Leso Fsica, o que comum esperar no perfil de pa-cientes de uma clnica mdico cirrgica.(9) No entanto, a prevalncia de diagnsticos de enfer-magem depende do cenrio perioperatrio e do tipo de clientela que o configuraram.(8,9)

    O diagnstico de Dor aguda (32,1%) apre-sentou frequncia menor do que em estudos simi-lares, entretanto sempre encontrado entre os mais prevalentes, confirmando que esse sintoma deve ser foco contnuo da ateno do enfermeiro.(8,11) A ca-pacitao profissional para o alvio da dor impor-tante, a fim de aumentar a qualidade da assistncia ministrada.(11)

    A disfuno sexual foi encontrada em 32,1% dos pacientes. A formulao desse diagnstico fundamentou-se nas limitaes reais impostas pela doena e/ou pela teraputica e alterao no relacio-namento com a pessoa significativa. Trata-se de um diagnstico bastante encontrado nos diversos gru-pos pesquisados.(7)

    Diferentemente de outras pesquisas, que iden-tificaram o diagnstico Constipao como o mais prevalente no domnio III - Eliminao e Troca, o presente estudo encontrou o Risco de constipa-o (32,1%) como o mais frequente dessa classe. A falta de deambulao, as patologias e o processo teraputico so alguns dos diversos motivos que tornam os pacientes de clnica cirrgica e ortopdi-ca mais propensos a apresentar distrbios na moti-lidade intestinal.(4,7)

    Por meio desses resultados, percebeu-se a ne-cessidade de intervenes com o intuito de pre-venir riscos durante a internao, a fim de dimi-

  • 31Acta Paul Enferm. 2015; 28(1):26-31.

    Novaes ES, Torres MM, Oliva AP

    nuir os agravos na sade. Estudos similares podem ser aplicados em diversas reas de conhecimento e com populaes mais numerosas, para validao dos resultados, e devem ajudar a expandir o co-nhecimento de enfermagem mediante a vincula-o entre os diagnsticos, intervenes e resultados de enfermagem.

    Concluso

    Os principais diagnsticos de enfermagem encon-trados foram: risco de infeco, integridade da pele/tissular prejudicada, disposio para bem-es-tar espiritual aumentada, disfuno sexual, pa-dro do sono perturbado, disposio para enfren-tamento aumentada, deambulao prejudicada, dfice no autocuidado para banho/higiene, dis-posio para sono melhorado, dor aguda e risco de constipao, recuperao cirrgica retardada, dfice no autocuidado para vestir-se/arrumar-se, manuteno ineficaz da sade e risco de integri-dade da pele prejudicada.

    A identificao dos diagnsticos relevantes em clnica cirrgica, como em outras populaes especficas, permitir o cuidado baseado em evi-dncias, e contribuir para o avano da pesquisa em enfermagem.

    ColaboraesNovaes ES contribuiu com a concepo do pro-jeto, execuo da pesquisa e redao do artigo reviso crtica relevante do contedo intelectual e aprovao final da verso a ser publicada. Tor-res MM colaborou com a reviso crtica relevan-te do contedo intelectual e aprovao final da verso a ser publicada. Oliva APV cooperou com a concepo do projeto, execuo da pesquisa e redao do artigo, reviso crtica relevante do contedo intelectual e aprovao final da verso a ser publicada.

    Referncias

    1. Bruylands M, Paans W, Hediger H, Mller-Staub M. Effects on the quality of the nursing care process through an educational program and the use of electronic nursing documentation. Int J Nurs Knowl. 2013; 24(3):163-70.

    2. Paans W, Nieweg RMB, Schans CP, Sermeus W. What factors influence the prevalence and accuracy of nursing diagnoses documentation in clinical practice? A systematic literature review. J Clin Nurs. 2011; 20(1):2386-403.

    3. Tastan S, Linch GCF, Keenan GM, Stifter J, McKinney D, Fahey L, et al. Evidence for the existing American Nurses Association-recognized standardized nursing: terminologies: A systematic review. Intern J Nurs Stud. 2014; 51(8):1160-70.

    4. Scherb CA, Head BJ, Maas ML, Swanson EA, Moorhead S, Reed D, et al. Most frequent nursing diagnoses, nursing interventions, and nursing-sensitive patient outcomes of hospitalized older adults with heart failure: Part 1. Intern J Nurs Term Clas. 2011; 22(1):13-22.

    5. Noh HK, Lee E. Relationships among NANDA-I diagnoses, nursing outcomes classification, and nursing interventions classification by nursing students for patients in medical surgical units in Korea. Int J Nurs Knowl. 2014; 25(1):1-9.

    6. Guler EK, Eser I, Khorshid L, Yucel SC. Nursing diagnoses in elderly residents of a nursing home: A case in Turkey. Nurs Outlook. 2012; 60(1):21-8.

    7. Speksnijder HT, Mank AP, Achterberg T. Nursing diagnoses (NANDA-I) in Hematology-Oncology: A Delphi-Study. Intern J Nurs Term Clas. 2011; 22(2):77-91.

    8. Ferreira SAL, Echer IC, Lucena AF. Nursing diagnoses among kidney transplant recipients: evidence from clinical practice. Int J Nurs Knowl. 2014; 25(1):49-58.

    9. Junttila K, Hupli M, Salanter S. The use of nursing diagnoses in perioperative documentation. Intern J Nurs Term Clas. 2010; 21(2):57-68.

    10. Muller-Staub M. Evaluation of the implementation of nursing diagnoses, interventions, and outcomes. Intern J Nurs Term Clas. 2009; 20(1):9-15.

    11. Olaogun A, Oginni M, Oyedeji TA, Nnahiwe B, Olatubi I. Assessing the Use of the NANDA - International Nursing Diagnoses at the Obafemi Awolowo University Teaching Hospitals Complex, Ile Ife, Nigeria. Intern J Nurs Term Clas. 2011; 22(4):157-61.

    12. Paganin A, Rabelo ER. Clinical validation of the nursing diagnoses of impaired tissue integrity and impaired skin integrity in patients subjected to cardiac catheterization. J Adv Nursing. 2013; 69(6):1338-45.

    13. Caldeira S, Carvalho EC, Vieira M. Spiritual distress - proposing a new definition and defining characteristics. Int J Nurs Knowl. 2013; 24(2):77-84.

    14. Carr T. Facing Existential Realities: Exploring barriers and challenges to spiritual nursing care. Qual Health Res. 2010; 20:1379-82.

    15. Roecklein N. Using standardized nursing languages in end-of-life care plans. Int J Nurs Knowl. 2012; 23(3):183-5.