Red Guar Magazinne 02

  • Published on
    04-Dec-2015

  • View
    2

  • Download
    0

DESCRIPTION

Red Guar

Transcript

  • RedGM n2 - ano 1 - Abril 2007

    Revista digitalRed Guar MagazinneRed Guar MagazinneRed Guar MagazinneRed Guar Magazinne

    Distribuio gratuita100% TUPINIQUIM com muito orgulho.100% TUPINIQUIM com muito orgulho.100% TUPINIQUIM com muito orgulho.

    Computadores no WoD

    Computadores no WoD

    Atualizado para voc!

    SignosSignosAuxlio na criao de personagens

    Veja ainda:A Sociedade dos MagosIntroduo cincia TecnocrticaQuadrinhosE muito mais!

    Veja ainda:A Sociedade dos MagosIntroduo cincia TecnocrticaQuadrinhosE muito mais!

    Capa: Ladyroll - Corel Bryce4

  • Red Guar Magazinneproduzida com o apoio de:

    www.projetorpg.com www.rosaamarga.clic3.net

    Todas as imagens contidas nesta revista possuem o domnio de seus respectivos

    autores e foram encontradas em pesquisas realizadas no buscador Google, sendo

    nosso interesse apenas utiliza-las com um carater meramente ilustrativo, sem nus

    para qualquer parte.

    www.devir.com.br

    www.white-wolf.com

    Red Guar Magazinne uma marca registrada da Red Guar Produes. Todos os direitos reservados.Revista Online de distribuio gratuita feita por fs e que no pretende de forma alguma competir

    com a White Wolf Games ou com a Devir, que detm os direitos de publicao brasileiros, auxiliando assim na divulgao do WOD 1.0. Todos os textos aqu contidos, bem como as ilustraes

    so de responsabilidade de seus devidos autores. Nem a Red Guar Magazine, nem a White Wolf ou a Devir tm quaisquer responsabilidades sobre as mesmas.

  • 1EditorialEditorialDiretorRed - Mascote OficialEditorEquipe Red Guar ProduesProduo GrficaPrpriaColaboradoresPs-vida, Ladyroll Baskerville, Platini, Rafael UNO, Angellis, Lucifer.asp, Demiel Cruz, Thales Alves, Ricardo Franco e todos os que deram sua ajuda ao projeto.

    Todas as imagens, textos e opinies so de seus

    respectivos autores, ficando a Red Guar Magazinne e a Devir

    isentas de qualquer responsabilidade.

    DistribuioRed Guar Developed Games@: redguara@gmail.comSite: http://www.redguara.v10.com.brOrkut: http://www.orkut.com/Community.aspx?cmm=5003943

    T o d o s o s j o g o s s o T r a d e m a r k s d e s e u s respectivos autores, usados aqu com o propsito de resenha.

    O RPG uma forma de diverso que no faz apologia a uso ou comercializao de e n t o r p e c e n t e s , a r m a s , a taques te r ro r is tas ou conspiraes. Quem o utiliza desta maneira doente mental sendo necessrio o seu afastamento da atividade e t r a t a m e n t o m d i c o especializado.

    Problemas. Durante vrios dias seguidos essa foi a palavra mais dita pela redao da Red Guar Magazinne.

    Atrasos, erros de arquivo, problemas com a diagramao. Problemas, enfim. Mas o tempo se encarregou de consertar tudo de sua maneira e os conhecidos problemas foram se transformando at se tornarem, finalmente, soluo.

    Essa foi uma edio batalhada, sofrida talvez. Uma edio onde amigos auxiliaram no que puderam e que, mais uma vez, temos o orgulho de dizer que 100% brasileira e 100% feita por fs do Velho Mundo das Trevas.

    Damos boas vindas ao mais novos colaboradores da Red: Deicide e Andrew. Agradecemos a todos os colaboradores que enviaram seu apoio para que essa edio acontecesse. Somos uma equipe, nosso trabalho no tem melhores, no tem piores, tm iguais e isso que faz da Red Guar uma revista diferente: colaborao, no competio.

    Esperamos mais uma vez que gostem. E aguardamos suas crticas e sugestes em nosso e-mail: redguara@gmail.com

    Sucesso. A todos ns. Hoje e sempre!

    Red - Mascote da Red Guar Magazinne

    World of Darkness parte 3.............................2

    Signos no WoD...................................................8

    Introduo Cincia Tecnocrtica..............11

    Computadores no WoD................................19

    O Humano .................................................. 25

    Quadrinhos .................................................. 32

    Teia Digital ................................................... 37

    ndicendice

  • Seo:SALES DO ARCANO

    2

    Seo:SALES DO ARCANO

    A SOCIEDADE DOS MAGOSEnquanto inmeros monstros se escondem nas fronteiras da humanidade, as verdadeiras estrelassempre foram os magos - aqueles poucos que tm a inclinao, a sabedoria e a imaginao para agarrar o invisvel, buscar o desconhecido e iluminar a escurido. Esses guardies do conhecimento travam sua prpria guerra oculta, na qual eles determinam o futuro da humanidade (eles esperam) e lutam pelo direito de manter suas crenas diante das ondas do conformismo estril. Durante todo o tempo, eles tm que equilibrar as exigncias da magia com a maravilhosa e terrvel panplia de um mundo enlouquecido e decadente. Eles podem ser a ltima esperana contra os dentes afiados da histria, contanto que sobrevivam ao seu prprio Despertar em uma noite fria e mgica.

    Os magos curvam os fios do universo conforme sua vontade e seu conflito aflige o corao da sociedade humana. Com tantas vises diferentes buscando o favor do homem e moldando o mundo, a discrdia inevitvel. Conforme os magos modelam o mundo de acordo com suas vises, o prprio planeta se torna um instrumento na guerra. As vidas de pessoas e naes so destruidas enquanto a ideologia e as necessidades pragmticas do conflito deformam a realidade.

    Certamente h fora - e segurana - em grandes nmeros. Inversamente, existem muito poucos magos na terra, especialmente com as recentes mudanas que predizem novos perigos no mundo espiritual. Mestres habilidosos de todas as faces foram forados a abandonar a Terra, pois a magia deles muito perigosa para a nossa ignorante sociedade. Os magos mais jovens tm que se unir a fim de sobreviver e mesmo aqueles que no tomam partido acabam percebendo que sua singularidade os distingue da multido.Uma vez que eles so to diferentes dos humanos comuns que os rodeiam, os magos naturalmente

    Se polarizam de acordo com os seus prprios padres. Os magos analisam uns aos outros pela destreza de seus feitos mgicos, fora de seus destinos e ideais aos quais aderem. Msticos que levam adiante as crenas de sociedades antigas ou teorias rejeitadas caem na categoria das Tradies,enquanto os filsofos cientistas da razo progressista caem na hierarquia da Conveno da Unio Tecnocrtica. Alm dessa fronteira esto magos envolvidos de maneira excessivamente insana com suas prprias crenas para serem capazes de interagir com o mundo (os Desauridos) e aqueles que vendem sua esperana de iluminao em troca do poder para trazer a desagregao da realidade (os Nefandi). Por ltimo, alguns raros magos se apegam a sistemas de crenas culturais ou mesmo a suas prprias formas de praticar magia. Esses Ofcios e rfos so os mais raros e talvez os que mais correm perigo.

    AS NOVE TRADIESEm inmeras tradies mgicas, o nove considerado um nmero de sorte. O nove tambm o cume do poder e da experincia num ciclo de nove fases; ele representa a perfeio da mente e do esprito Foi baseada em tal smbolo de superstio que a Ordem de Hermes, um grupo antigo de magos influenciados pela magia do Egito, Salomo, de Tteme e outros preceitos de estrutura similar, reuniu as Tradies msticas a fim de formar uma gloriosa unio. O Conselho das Nove Tradies tentou consolidar esse destino. Infelizmente, durante toda a histria, ele foi incapaz de preencher todas as nove cadeiras de liderana durante um perodo significativo de tempo. Oito cadeiras - representando o mundano e suas armadilhas - tem sido o habitual a maior parte do tempo. Durante algum tempo, houve esperana. Recentemente, com a adio dos Adeptos da Virtualidade, todas as nove cadeiras

    World of Darkness Parte: III

  • foram ocupadas. O Conselho foi revigorado por esse equilbrio no pndulo e seus membros realmente acreditaram que conseguiriam derrotar seus inimigos por meio da conjectura numerolgica, embora fossem em menor nmero e no tivessem tantas armas.O Conselho dos Nove serve como uma proteo mtua contra ameaas externas e como um campo neutro onde magos de diferentes Tradies podem trocar idias ou trabalhar juntos em busca de um mesmo objetivo. O Conselho edificou o que deveria ser uma formidvel aliana de Tradies msticas que buscam criar um mundo onde cada pessoa livre para escolher seu prprio caminho.

    3

    Da humanidade poder escolher seu prprio caminho. Faz muito tempo que o principal objetivo do Conselho restaurar a magia ao mundo e trazer de volta a antiga era mstica. A maioria dos magos do Conselho, contudo, entende que esse objetivo , literalmente, uma impossibilidade. O mundo est to envolvido pela cincia que no pode mais aceitar a magia.

    Ascenso

    As tradies acreditam basicamente no equilbrio da interao entre a Ascenso pessoal e o desenvolvimento coletivo da humanidade (tanto espiritual, como material). Os magos deveriam ser um modelo perfeito de suas filosofias, a fim de servir como exemplo aos Adormecidos. Se seus

    Seo:SALES DO ARCANOSeo:SALES DO ARCANO

    valores forem verdadeiros, os Adormecidos iro perceber. O Conselho acred i ta que nenhum mago tem o direito de forar a humanidade a se acomodar sob um paradigma. Quando a humanidade alcanar a perfeio - no seu prprio ritmo - a realidade ir avanar ao seu prximo estgio.

    Postos e Ttulos

    D u r a n t e a G r a n d e Convocao no qual o Conselho foi formado, as Tradies concordaram com um sistema de postos e

    Tempos Conturbados

    O Conselho perdeu grande parte de seus lderes mais experientes d u r a n t e u m a i n v a s o devastadora, seus reinos mais d i s t a n t e s p e r d e r a m a comunicao com a Terra e a Pelcula entre os mundos espiritual e material est muito inconstante para ser atravessada d e s p r e o c u p a d a m e n t e . O consenso global se posicionou contra a magia mstica, forando os magos das Tradies a recorrer a aplicaes mais sutis de suas artes.Ainda pior, no se tem notcias dos Membros antigos e dos Arquimagos desde o ltimo Comunicado oficial de Horizonte. Muitos dos que estavam na Terra simplesmente sumiram. Alguns foram encontrados, mas tiveram que fugir da Terra, onde sua prpria existncia mgica incitava conseqncias desastrosas. Os magos que permaneceram, a maioria recentemente iniciados, foram deixados sua prpria sorte.

    Laos de Lealdade

    O Conselho nunca constituiu um pilar de fora unificado. Em vez disso, ele composto por nove colunas distantes que sustentam um todo maior. Cada coluna possui uma arquitetura diferente, mas todas compartilham elementos comuns, tais como a crena na Ascenso pessoal e no direito

    Ttulos que deveria ser usado em sua hierarquia. Os postos classificam a iluminao relativa de um mago e sua habilidade com determinadas esferas. Adicionalmente, podem ser concedidos ttulos por grandes obras, feitos mgicos, idade respetavel ou mesmo como um capricho. Contudo, um mago que no seja capaz de corresponder ao seu ttulo ir perd-lo rapidamente. A forma mais comum de receber um ttulo por meio da aptido em uma ou mais Esferas. Um mago inexperiente nos caminhos da magia normalmente considerado um Aprendiz ou Iniciante, independentemente dele receber ou no instruo. Quando ele demonstra um controle maior sobre uma Esfera, ele pode ser elevado ao posto de Discpulo. Com ainda mais domnio, vem o ttulo de Iniciado. O

  • 4Exaltado posto de Mestre concedido queles magos que atingem os maiores graus de controle sobre uma Esfera. Magos que alcanam um refinamento lendrio de controle sobre a magia recebem o cobiado e raro ttulo de Arquimago.Um mago idoso pode ser reconhecido como um Mestre de vrias Esferas, mas a maioria destes magos poderosos deixou a Terra depois do engrossamento da Pelcula, fugindo da priso imposta pelo mundo material. Esses ttulos valorizam o poder acima da compreenso e alguns at mesmo dizem que essa hierarquia encoraja a hubris. Um mago pode ansiar pelo domnio de uma Esfera simplesmente em busca de poder, sem se preocupar com a sabedoria que deveria acompanh-lo.

    para construir. Quando outras faces se misturam com as Massas, a Unio tem muito a perder. Por essa razo, os Tecnocratas reagem comrapidez e eficincia para oprimir quaisquer ameaas ao seu domnio.

    Os Dias Modernos

    O ritmo frentico dos dias modernos mantm a Tecnocracia ocupada com a inveno de novas teorias e equipamentos, a proteo do povo contra descobertas perigosas e a expanso da esfera do conhecimento humano. Ao mesmo tempo, contudo, as Tradies msticas desafiam a cinciaconvencional, enquanto a sociedade estagnada das Massas reprime toda forma de criatividade e desvio comportamental e a cincia e tecnologia fracassam sob o peso de sua prpria complexidade quando manejadas por falveis mortais. Os agentes da Tecnocracia respondem a essa presso com aes enrgicas, seja caando os msticos a quem no compreendem, buscando formas de reconstruir a tecnologia falha ou mesmo lutando contra os excessos de outras idiossincracias Tecnocratas.Com as coisas caminhando assim, quem se importa se alguns feiticeiros conservadores so esmagados no processo?

    Seo:SALES DO ARCANOSeo:SALES DO ARCANO

    A UNIO TECNOCRATANo incio deste milnio, o mundo e seus habitantes esto dominados pela Tecnocracia de corpo, mente e alma. Os programas feitos para destruir e banalizar focos isolados de resistncia surtiram frutos e as Tradies esto arruinadas - agora, este monolito comea a pensar na finalizao do seu trabalho. Os cientistas da Unio se vem como os arquitetos de um novo mundo, uma realidade que eles levaram seis sculos e meio

  • 5Procedimento Cientfico

    A cincia o alicerce de tudo pelo que a Tecnocracia luta. Ela defende princpios demonstrveis e constantes, uma tecnologia segura e acessvel a qualquer ser humano e uma classificao das leis naturais e cientficas. A cincia no governada por uma crena, mas sim demonstrada por procedimentos experimentais rigorosos.Assim tambm, os Tecnocratas no aceitam os ornamentos que envolvem as crenas mgicas. Eles no aceitam os ornamentos que envolvem as crenas mgicas. Eles no aceitam a existncia de Avatares, mas reconhecem o Gnio. Para um tecnocrata, nenhum trabalho cientfico est relacionado magia.Os cientistas da Tecnocracia se vem como as mentes mais iluminadas da humanidade, capazes de entender cincias muito mais esotricas do que as Massas seriam capazes de compreender ou utilizar. A Unio uma organizao vasta e obscura, com ramificaes que atingem praticamente todas as atividades humanas. A maioria dos magos nunca encontra mais do que um ou dois de seus irmos. Embora se pense o contrrio, a Tecnocracia no uma entidade to onisciente quanto acreditam os magos das Tradies.

    Viso

    Agora que a guerra da Ascenso est oficialmente encerrada e as Tradies esto dispersas, a Unio dispe de mais pessoal e tempo para devotar realizao de seus objetivos. Primeiramente, a Unio pretende tornar habitvel a maior parte da Terra. A superlotao gera superstio, educao falha, poucas expectativas, baixas mdias de vida e pobreza. Com espao para que todos vivam confortavelmente - ou pelo menos com alguma privacidade - a Tecnocracia espera encorajar as Massas a se aperfeioar.Uma vez que a Terra esteja segura, a Unio pretende mover a humanidade para as estrelas, primeiramente colonizando a Lua e depois outros planetas do sistema solar. Antes disso, os Engenheiros do Vcuo tm que se assegurar de que seguro deixar a Terra - de que os Nefandi, criaturas aliengenas, Desauridos e outras ameaas estejam vencidos. Por ltimo - e mais importante - a Tecnocracia busca iniciar sua viso

    de uma Capacitao global.Eles desejam ampliar a inteligncia via mquina ou atravs do melhoramento do prprio ser humano, tornando possvel ainda outros avanos. O resultado final de cada um desses cursos de ao que a magia no ser apenas esquecida, mas tambm ser obsoleta. Tudo o que os magos esperam alcanar ser obtido mais facilmente com a tecnologia, que estar disponvel para todos.Sem a necessidade da magia, a presena dos magos deve simplesmente definhar.Com a Ascenso da humanidade, at mesmo a Tecnocracia se tornar irrelevante - um desfecho de que muitos Tecnocratas admitem no gostar. Outros cientistas acreditam que isso ir simplesmente trazer o restante da humanidade para a Unio. De qualquer forma, o sobrenatural deixar de ser uma ameaa. Observaes mais agourentas apontam que a individualidade tambm ser um artefato do passado. Talvez as criaes da Tecnocracia desenvolvam sua prpria inteligncia e substituam a humanidade. Para muitos, esse um pensamento inquietante.

    Seo:SALES DO ARCANOSeo:SALES DO ARCANO

  • 6DESAURIDOS

    Alguns magos simplesmente ficam loucos em seguida ao Despertar ou em algum outro momento logo depois disso. O ponto de vista desses desafortunados muda para sempre e eles percebem que o mundo em que vivem no o mesmo mundo em que vivem todos os outros. Aparte de seus mundinhos privados, nos quais eles encapsulam suas vises de uma realidade diferente da exterior, poucas coisas diferenciam um Desaurido dos demais magos. Contudo, tendo seus Avatares distorcidos por suas iluses, os Desauridos mudam o mundo de uma forma consistente com suas prprias realidades e raramente sofrem os efeitos colaterais de tais mudanas. Um Desaurido pode atrair o Paradoxo e quanto mais so e estvel ele , mais provavelmente isso ir acontecer, embora muitas vezes este Paradoxo simplesmente "enfraquea o desaurido" sem mais efeitos - isso quando ele aparece.Felizmente, os Desauridos so bastante raros na era moderna. Aqueles com as vises mais loucas e incapazes de lidar com o mundo ao seu redor, percebem que a Terra difcil de ser tocada. Essesmanacos vivem nas profundezas do mundo espiritual e h muito tempo deixaram para trs os laos com a Terra pelos quais lutam os outros magos. Os Desauridos que permanecem na Terra certamente so perturbados e perigosos, mas esto em maior contato com o mundo exterior (como ele ) do que seus primos selvagens e extravagantes do passado.

    NEFANDI

    Poucas palavras so capazes de afetar um mago com tanta intensidade e rapidez quanto o termo Nefandus. Os Decados so os servos do Limbo, dos pesadelos e do caos primordial do qual o universo foi cuspido durante a Criao. Individualmente, cada Nefandus serve um lorde ou conceito dessa decadncia. Coletivamente, os Nefandi no desejam nada alm da completa destruio de toda a realidade. Eles no tm vises de Ascenso, mas de Decadncia.Os Nefandi so odiados, caados e temidos no apenas por seus desejos malignos, mas tambm porque eles so o inverso de tudo aquilo que os magos acreditam. Um Nefandus tem um Avatar literalmente s avessas, revertendo para sempre o seu destino e transformando-o em um agente de destruio em vez de criao. Ainda pior, qualquer mago est sujeito a Decair e os Nefandi esto sempre famintos por novos recrutas. Os traidores das Tradies e da Tecnocracia so chamados de barabi e ambos os grupos caam estes magos com uma ferocidade ingualvel, s vezes colocando de lado suas hostilidades para lutar contra os Decados. Talvez ainda mais aterrorizante o fato de que depois da Queda, o Avatar de um Nefandus est para sempre corrompido. Apenas os Orculos poderiam saber se uma alma to horrorosamente deformada podera ser salva.

    Seo:SALES DO ARCANOSeo:SALES DO ARCANO

  • 7OS ORCULOSOs poderes, objetivos e at mesmo a existncia destes magos divinos so frequentemente contestados. Alguns alegam que os Orculos se ascenderam a um plano mais elevado da existncia, enquanto outros insistem que eles so apenas mitos. Alguns seres poderosos que dominam reinos distantes alegam ser Orculos, mas talvez sejam apenas espritos poderosos ou Arquimagos.Contudo a maioria concorda que os Orculos realmente existem. Sabe-se que muitos Arquimagos e Mestres partiram para regies profundas da Umbra para encontrar o seu lugar entre os Orculos.Nenhum deles nunca retornou, portanto seus paradeiros so desconhecidos. Alguns rumores sugerem que h um nmero limitado de Orculos e que preciso um deles Ascender ou morrer antes que algum outro possa se unir a eles.

    CABALA

    Unidos por uma experincia em comum e afastados do restante da humanidade devido a suas percepes sobrenaturais, os magos tendem a se reunir em pequenos grupos denominados cabalas.Historicamente, aqueles magos que no se isolavam costumavam se unir a outros de mesma mentalidade, s vezes para compartilhar conhecimentos, outras em busca de proteo mtua.Obviamente, tais grupos abriam espao para disputas internas, presuno e conflitos ideolgicos.Ainda assim, algumas das maiores vitrias (e fracassos) s foram possveis devido a esses agrupamentos de magos - como demonstram a Unio Tecnocrata, a Ordem de Hermes e at mesmo o Conselho das Tradies.Na era moderna, as cabalas so muito menos abaladas por disputas internas, simplesmente porque h muito poucos magos restantes e os sobreviventes devem se contentar com o que tm.Uma cabala formada por inmeras razes. obvio que os magos podem se relacionar com as pessoas com mais facilidade quando estas conseguem entender a perspectiva que eles tm da vida, mas as coisas no so to simples. como se, depois da apresentao ao mundo mgico, este mundo sasse do seu curso para lanar o mago em uma vida interessante. Quando vrios magos se encontram em situaes, em circunstncias enigmticas e incomuns, apenas natural que eles compart i lhem o seu conhecimento a fim de escaparem vivos. A companhia de pessoas que entendem o que realmente est acontecendo extremamente confortante para os magos novatos.As cabalas - a mais importante unidade social entre os magos - tm quase tantos objetivos quanto o seu prprio nmero.Tambm existem os constructos, que funcionam exatamente como as cabalas mas, so compostos pelas convenes tecnocratas ao invs das tradies.

    Por: Rafael Uno

    Seo:SALES DO ARCANOSeo:SALES DO ARCANO

  • 8Novamente abordaremos mais uma faceta do processo de criao de personagens para seus jogos de RPG.Certo dia estava com vontade de mestrar Mago: a ascenso e, sinceramente, estvamos cansados de fazer preldios. Porm a vontade de jogar era grande e eu olhei a minha estante. L estava.Um velho almanaque de... signos. Bingo!L dentro encontrei todas as informaes que eu precisava para montar um preldio e conseqentemente viria a ficha.Primeiro tenha em mente ao menos parte do que voc quer interpretar: um guerrilheiro, um mdico, um paladino, um vagabundo, etc. Saiba ao menos o conceito do tipo de personagem que voc deseja. Depois voc procura nas descries dos signos qual se encaixa melhor com o tipo de personagem que voc imaginou. Ou, arrisque-se e pegue aleatoriamente e desafie-se a interpretar algo totalmente novo!Alguns anurios, inclusive, citam quais as profisses que melhor se encaixam de acordo com o perfil do signo.

    Aqui vo algumas caractersticas bsicas dos 12 signos e os arqutipos que mais se encaixam com os mesmos, s para facilitar.

    RIES Determinados por natureza, os arianos no gostam de receber no como resposta. So lderes natos e podem se tornar autoritrios. Eles do grande valor a segurana material e so cuidadosos ao l idar com negociaes, mas se cansam facilmente das situaes que os cercam. Arqutipos mais indicados: Autocrata, Diretor e Fantico.

    TOURO Batalhadora, a pessoa deste signo adora superar obstculos e no mede esforos para atingir seus objetivos. Muito carente, gosta de demonstrao de afeto o tempo todo. Pesa muito os prs e contras antes de iniciar um projeto. Arqutipos mais indicados: Competidor, Criana, Juiz.

    GEMEOS Amante da vida, adora se relacionar com pessoas, mas seu temperamento pode prejudica-lo, pois muda o tempo todo. Detesta ser controlado e odeia presso no trabalho o que o faz perder boas oportunidades. Arqutipos mais indicados: Rebelde, Excntrico e Celebrante.

    CANCER Gosta de ajudar e est sempre disposto a resolver os problemas dos outros, esquecendo at de si mesmo, mas se sentir que est sendo usado magoa-se profundamente. Gosta de receber na mesma medida em que oferece. No sabe se expressar direito sentimentalmente e pode acabar sozinho. No gosta de correr riscos financeiros, assim sabe administrar bem as finanas. incapaz de prejudicar algum para se dar bem. Arqutipos mais indicados: Samaritano, Mrtir e Filantropo.

    LEO Adora ser paparicado e tem um grande magnetismo pessoal, por isso s vezes gosta de se impor aos outros, o que lhe d problemas, pois no so todos que gostam de receber ordens. Cheio de energia, adora aventuras e colecionador de casos romnticos. Busca trabalhos que lhe dem conforto material e luxo. Arqutipos mais indicados: Galante, Bon Vivant, Esperto.

    VIRGEM Perfeio. Virgem deseja isso e s vezes se torna crtico e exigente, podendo criar inimizades, mesmo assim solidrio com os outros. Reservado e tmido demora a firmar laos, mas quando o faz duram para sempre. Disciplinado, valoriza o dinheiro ganho e pode se mostrar po-duro. Arqutipos mais indicados: Perfeccionista, Ranzinza, e Sobrevivente.

    Signos no WodSignos no WodPraias DistantesSeo:

  • 9LIBRA O libriano quer um mundo harmnico para todos. Acredita em justia e igualdade entre as pessoas e se desilude quando percebe que os outros no pensam como ele. Gosta de sair e prefere pessoas refinadas que a p r e c i a m c u l t u r a e s e j a m interessantes. Adora luxo e como habilidoso com as pessoas certamente ser bem sucedido. Mesmo sendo prtico e habilidoso adora gastar por impulso e isso pode ser um problema. Arqut ipos mais ind icados: Arquiteto, Visionrio e Bon Vivant.

    ESCORPIO No gosta de palpites alheios e reage mal quando entram em seu caminho. to determinado em seus sonhos que pode se tornar teimoso. possessivo com quem gosta e no perdoa deslizes. No abre mo de conforto e usa seu talento nos negcios para sempre se sentir dessa forma. Arqutipos mais indicados: Fantico, Perfeccionista e Monstro.

    SAGITRIO Sua sede por aventura o faz sempre buscar novidades no seu dia a dia. Age por impulso, podendo magoar as pessoas, mas sabe reconhecer seus erros e sempre procura se desculpar. Gosta de liberdade, mas se torna leal e dedicado quando encontra um companheiro que valha a pena. No tem medo de se arriscar em novos negcios, tem sorte pra ganhar dinheiro, mas pode gastar demais tendo prejuzos. Arqutipos mais indicados: Caador de Emoes, Penitente e Valento.

    CAPRICRNIO Racional e srio, o capricorniano preocupa-se com todos, mas no gosta que se preocupem com ele. Costuma ser solitrio, pois no gosta de se envolver demais em assuntos que no so seus. Gosta de relacionamentos duradouros e que ajudou a construir. Gosta de tudo metdico e convencional, s se abrindo com o tempo, quando percebe que pode confiar no outro. Planeja cada detalhe e espera o momento certo de agir nos negcios. D valor ao conforto que o dinheiro traz, mas, ao mesmo tempo, econmico e sensato e pode passar por cima de algum para atingir sua meta. Arqutipos mais indicados: Arquiteto, Pedagogo e Tradicionalista.

    AQURIO Amante da originalidade e das nov idades, e les no tem preconceitos a nada. Sempre frente, pode chocar as pessoas com sua extravagncia e costuma ser visto como rebelde. Quando quer algo ou algum direto e ataca, podendo assustar os mais conservadores. Para se sentir vontade precisa confiar plenamente no outro. Graas sua criatividade descobre formas diferentes de ganhar dinheiro, de preferncia fazendo o que gosta e sempre poupando para o futuro. A r q u t i p o s m a i s i n d i c a d o s : Excntrico, Rebelde e Visionrio.

    PEIXES solidrio e tem uma grande compaixo, auxiliando a todos que pode. Tem grande intuio e se guia muito por ela. Pode se deixar influenciar por opinies alheias vindo a sofrer. No gosta de solido, mas sensato e quando decide por alguma companhia estuda todos os prs e contras do outro antes de se relacionar com a pessoa. Sabe defender seus interesses, ambicioso e luta pelo que quer, porm no gosta de competies e valoriza os amigos no ligando de gastar seu dinheiro quando preciso. Arqutipos mais indicados: Conformista, Mrtir e Visionrio.

    Praias DistantesSeo:

  • Claro, voc no deve se limitar a esses arqutipos. E Existem infinitos outros nos mdulos bsicos e guias dos jogadores para voc utilizar e que ainda vem com breves explicaes. Voc deve ter em mente que para um personagem devemos fazer uma mescla entre a natureza e o comportamento que o que dar os toques finais na criao do personagem.

    Voc ainda pode ir mais longe e estipular porque no uma data de aniversrio para o seu PC. Use um site que faa mapas astrais gratuitos, como o cigano.net em: http://www.cigano.net/astrologia/mapa_astral.asp para d a r m a i s n f a s e e profundidade sua criao.

    10

    Algo que tambm pode ser usado o horscopo chins que lida com os pontos positivos e negativos de cada animal para estipular a personalidade de uma pessoa. Voc consegue diversas informaes com uma simples busca no google caso se interesse por esse tipo de horscopo para auxiliar na criao do seu personagem.H ainda outros tipos: Horscopo das Flores, Horscopo Cigano, Horscopo Egpcio, Horscopo Xamanico, Horscopo dos Astecas, dos Anjos e uma infinidade de outros que voc pode melhor adequar ao momento da criao.Por: Patrcia Ladyroll

    Praias DistantesSeo:

  • 11

    MGICA NO EXISTEMgica? Sobrenatural? Foras ocultas? Apenas tolices de pessoas supersticiosas, que preferem viver na ignorncia e no medo do que desbravar as verdades deste grande universo, de conhecer os segredos e leis fundamentais do mundo e de usa-las para o bem de toda a humanidade.Cada pessoa que acredita em mgica um desafio a mais para a evoluo da humanidade. Se ficarmos presos a supersties, no iremos mais desbravar, buscar os segredos. No existe mgica. H apenas uma fora suprema neste mundo, e esta fora governada por leis que podem ser conhecidas e usadas. H apenas cincia.No acredite no que aqueles supersticiosos auto-denominados tradicionalistas dizem a voc. Seus clamores apenas fortalecem grupos como os Nefandi, que usam de falsas ameaas sobrenaturais para intimidar e atacar. Misticismo uma grande tolice, que apenas limita o ser humano.Nada no universo mgica. Nada surgiu simplesmente porque Deus quis ou por um passe de mgica. Tudo pode ser explicado, catalogado, controlado. Tudo pode ser desbravado para mais tarde ser usado em benef c io da humanidade. O que os supersticiosos fazem no mgica. Eles apenas tentam engana-lo.Tudo neste mundo governado pela cincia.

    NS FAZEMOS CINCIAA Unio das Convenes Tecnocrticas, ou Tecnocracia, no aquilo que as Tradies clamam. Ela no uma fora opressora, no um grupo de caadores de bruxas, no tenta esconder a verdade das massas. Muito pelo contrrio, a Tecnocracia a defensora da humanidade, e busca ensinar a nica verdade: que progresso e melhoras s viro atravs do conhecimento e da cincia.Tecnocratas no so magos que usam tecnologia para disfarar seus efeitos. Nada disso. Eles so cientistas, o que fazem cincia, pura e simples.

    Ao contrrio dos cientistas mundanos, porm, eles praticam a chamada Cincia Iluminada. Em algum momento de suas vidas, eles despertaram e suas mentes passaram a compreender melhor os fundamentos cientficos do mundo. A partir desta compreenso mais elevada, sua cincia se desenvolve muito mais rapidamente.Para a Tecnocracia, magia no existe. Magos e seres sobrenaturais so apenas supersticiosos e aberraes, cujas habilidades so ou truques bem montados, ou ento podem ser explicadas pela cincia. S porque no se encontrou explicao ainda no quer dizer que no haja uma explicao para tais criaturas: lembrem-se que a cincia s se desenvolve atravs das pesquisas em relao quilo que desconhecido. Um dia, as explicaes sero conseguidas, e a Tecnocracia provar mesmo aos maiores supersticiosos que tudo tem uma explicao cientfica.

    INTRODUO

    CINCIA TECNOCRTICAINTRODUO

    CINCIA TECNOCRTICA

    Quebrando ParadigmasSeo:

  • 12

    CINCIA ILUMINADATudo o que se pratica na Tecnocracia cincia, seja fsica, qumica, biologia, computao, economia, filosofia, sociologia, psicologia ou qualquer outro campo nas reas de cincias exatas, biolgicas ou humanas. Suas pesquisas, seus avanos, tudo se deve unio de mentes brilhantes pesquisando novas metodologias, tecnologias e teorias, em benefcio da humanidade.Os cientistas tecnocratas no so apenas cientistas comuns. Eles se auto-proclamam cientistas iluminados, pois em algum momento de suas vidas eles compreenderam os fundamentos do mundo e da cincia, e a partir dessa compreenso seus talentos se tornaram muito maiores e intuitivos.A Tecnocracia possui uma tecnologia muito mais avanada do que aquela disponvel para as Massas. Ao contrr io do que cer tos supersticiosos Tradicionalistas dizem, porm, esta tecnologia no esconde magia. Isso no existe. Os cientistas Tecnocratas, tendo habilidades to intuitivas e apoio de uma organizao to vasta e com tantos recursos so capazes de desenvolver grandes avanos tecnolgicos, bem como de criar e aplicar novas teorias. No h nada de mstico nisso: um trabalho duro e complexo, que envolve teorizao, experimentos e aplicao, e no um passe de mgica tolo. PRECEITOS CIENTFICOSMesmo os mais agentes de campo da Tecnocracia

    so bem treinados em teorias e preceitos cientficos. Esses preceitos so usados para criar os efeitos que os tradicionalistas chamariam de sobrenaturais. No h nada sobrenatural nisso, porm, apenas uma aplicao bem feita de cincia.Todas as cincias so igualmente importantes para a Tecnocracia. Embora possa parecer que qumica, fsica e biologia sejam preferidas, a verdade que mesmo cincias humanas tm importncia. Sociologia, Histria, economia, psicologia e outras so importantes para manipular pessoas, naes ou mesmo os rumos dos eventos. Assim como uma bruxa usa seus malefcios para controlar uma mente, um Tecnocrata pode usar de psicologia para manipular uma pessoa, com uma vantagem: a bruxa s uma supersticiosa tola que depende de sorte. O psiclogo, porm, com certeza conseguir o que quer.

    NO CONFUNDANo confunda regras com cenrio. S porque magos e tecnocratas seguem as mesmas regras, no quer dizer que no jogo os tecnocratas sejam magos que usam tecnologia. Nada disso! De fato, Tecnocratas Despertam, possuem Avatares, usam Quintessncia e tm Arete e Esferas. Porm, isso no os torna magos... Na verdade, os nicos que poderiam ser magos no termo original da palavra seriam os Hermticos, visto que as outras tradies tm cada uma explicaes diferentes para a origem e o funcionamento de seus poderes. Com a Tecnocracia no diferente.Um Tecnocrata no se v como um mago. Seu paradigma o de que cincia, e apenas cincia, governa suas habilidades. Ele no pode disparar bolas de fogo, mas pode tentar construir algo, usando preceitos cientficos, para conseguir tal feito. Isso significa que Tecnocratas PRECISAM usar cincia para conseguir maravilhas. Um deles no poderia pegar uma pistola de brinquedo e faze-la disparar raios, simplesmente porque ele sabe que s um brinquedo. Da mesma forma, as tecnologias tecnocratas no so disfarces para magia, e sim tecnologias que f o ram pesqu i sadas e t es tadas continuamente.

    Quebrando ParadigmasSeo:

  • 13

    PESQUISA

    Nada que um cientista iluminado coincidncia ou magia. Tudo baseado em pesquisas, experimentos, tcnicas e teorias. Isso significa que um cientista est sempre preso a seu conhecimento, mas no que ele no possa inovar ou improvisar novos efeitos. Basta usar os conhecimentos corretos para se criar algo novo, mesmo com falta de materiais.Por exemplo, um agente Homem de Preto com certeza se sentir mais seguro usando suas pistolas especiais com tasers (um efeito de Foras 3/Primrdio 2), claro. Porm, caso perca sua arma, ele ter os conhecimentos e prticas adquiridas ao seu lado. Ele poderia usar uma propriedade que conhea de algum utenslios comuns (como detergentes e outros) para improvisar venenos ou bombas, por exemplo. Basta ele ter os conhecimentos necessrios.

    o agente tecnocrata no pensa uma fora mstica impediu que minha arma falhou, mas sim que havia uma falha ou imperfeio no seu equipamento, ou ento alguma falha na teoria aplicada para a construo do equipamento. No h nada de sobrenatural nisso: experimentos falham por falhas no cientista, e no por caprichos da natureza.Alis, este exatamente o motivo da Tecnocracia manter tecnologias avanadas demais escondidas das Massas. Ora, a tecnologia mundana aquela que j foi testada e aprovada (e mesmo ela tem suas falhas). A ultra-tecnologia tecnocrata, porm, ainda experimental e tem muitas chances de falhar, e por isso mesmo deve-se evitar usa-la abertamente. Uma arma que exploda de repente devido a uma falha em suas construo um perigo, especialmente se houver inocentes por perto! Por isso, tal equipamento experimental deve ser usado s quando realmente necessrio.E isso tambm mostra porque o suposto misticismo das Tradies muito mais afetado pelo Paradoxo do que as tecnologias tecnocratas... Afinal, em se tratando de truques tolos, quase sempre baseados em crendices e pseudo-cincias, os truques tradicionalistas tendem a falhar ou dar errado com muito mais facilidade. Mais um motivo para a Tecnocracia no tolerar tais supersticiosos, pois esses truques fora de controle representam perigo para os inocentes prximos e para os prprios tolos que os usam.

    MAGIA OU REALIDADE?Os efeitos conseguidos pelos Tecnocratas so

    magia ou realidade? Afinal, uma arma ultra-avanada um efeito mgico ou algo perfeitamente real? Segundo os Tecnocratas, algo real, pois magia no existe. Porque um cidado comum no pode usa-la? Simplesmente porque no tem os conhecimentos necessrios! Ele no compreende os usos mais complexos da arma, sendo incapaz de usa-la com toda a eficincia possvel.

    PARADOXO

    Os supersticiosos tradicionalistas s vezes falam de uma fora interferindo em suas mgicas, impedindo-as de funcionar ou causando efeitos colaterais quase sempre daninhos. Paradoxo algo que preocupa os Tecnocratas tambm, mas eles possuem explicaes bem mais claras do que seria Paradoxo...E o que seria Paradoxo? Simples, meu caro: um elemento aleatrio ou desconhecido que acaba interferindo num processo, impedindo-o de prosseguir de forma adequada. O que isso significa? Que Paradoxos so falhas nas teorias cientficas, nas tecnologias pesquisadas ou nos experimentos sendo realizados. Eles no so falhas na cincia, porm, so simplesmente elementos imprevistos que acabaram sendo ignorados pelo cientista.Quando um experimento ou tecnologia d errado,

    Quebrando ParadigmasSeo:

  • 14

    LABORATRIOSPara melhor desenvolver suas tecnologias e testar suas teorias, a Tecnocracia e suas Convenes mantm laboratrios de pesquisas. Como os Santurios dos magos, laboratrios so locais seguros em que a Tecnocracia pode testar novos conhecimentos e tcnicas sem medo de intervenes de foras aleatrias. Ou seja, o Efeito Paradoxo reduzido.Como se explica que o Paradoxo reduzido nestes locais? Simples: ao contrrio de testes de campo, em laboratrios as condies, os e lementos e as s i tuaes so todos predeterminados. Literalmente, est-se num ambiente controlado e monitorado. Em testes de campo, at mesmo impurezas no ar poderiam interferir no equipamento sensvel usado pelos cientistas tecnocratas.Usando-se de laboratrios, a Tecnocracia pode assim melhorar suas tecnologias sem correr o risco de eventos externos atrapalhando as pesquisas.

    CONSTRUCTOS

    Assim como Tradicionalistas possuem suas Capelas, a Tecnocracia mantm Constructos. Constructos so locais em que as Convenes se renem e planejam. Muitos laboratrios esto localizados em Constructos, mas os Constructos tambm servem como academia de treinamento de agentes, escola para novos Cientistas, local para apresentao e discusso de teorias e base de operaes.A aparncia de um Constructo pode variar, desde um prdio de uma universidade a complexas bases submarinas, passando por prdios administrativos do Sindicato, bioesferas controladas e estaes orbitais.

    AGENTES DE CAMPO

    Testes de campo so raros. Embora os agentes costumem carregar tecnologias especiais, eles so indicados a usa-las apenas em condies extremas. Como toda tecnologia experimental, esses equipamentos apresentam risco aos seus usurios (Paradoxo). Por isso, os agentes so instrudos a utilizarem equipamento convencional (s vezes com pequenas e quase imperceptveis melhorias graas cincia iluminada) e, caso tudo o mais falhem, devem usar seu treinamento e conhecimentos para se virarem.Ao contrrio do que muitos pensam, agentes de campo no existem apenas para eliminar magos. Eles normalmente so enviados para coletar evidencias, fazer investigaes, realizar pesquisas de campo, eliminar ou capturar aberraes da realidade (monstros sobrenaturais) ou proteger cientistas iluminados fora dos Constructos. Eles tambm so muito utilizados para capturar tradicionalistas, e no mata-los. A Tecnocracia prefere trazer tais pessoas para seu lado do que elimina-los, a menos que provem ser perigosos demais. Melhor doutrinar os supostos magos nas caminhos da cincia do que mata-los!

    COINCIDNCIASMuita gente acha que (em termos de jogo), as magias coincidentes da Tecnocracia se resumem ao uso de tecnologia, o que torna os efeitos criados aceitveis realidade conhecida pelos mortais. Porm, a cincia Tecnocrata tambm ajuda em outros tipos de coincidncias...Por exemplo... Ao enfrentar um Golem (obviamente uma aberrao feita com pseudo-cincia cujos tolos que o construram no compreendem plenamente como o fizeram), um Homem de Preto se v sem suas armas e aparatos! Indefeso, ele busca esquivar-se dos potentes socos do Golem... Como escapar disso?De repente, o agente nota que o teto e uma das p a r e d e s t m r a c h a d u r a s e e s t o enfraquecidos... Ele corre at a parede e atrai o Golem, desviando-se de seu golpe. O Golem atinge a parede, conforme o Tecnocrata desejava. Contando com a sorte, o Tecnocrata sabe que esse soco pode fazer o teto colapsar sobre seu oponente! Um belo efeito coincidente, no?

    Quebrando ParadigmasSeo:

  • verdade, a idia de Esferas surgiu da precursora da Tecnocracia, a Ordem da Razo, e foi copiada pelos magos hermticos.A Tecnocracia v as Esferas como reas de especialidade dentro da cincia. Um qumico com especializao em Foras saber como manipular, gerar ou absorver energia usando experimentos qumicos, enquanto um fsico com Vida compreender como as energias afetam seres vivos quando expostos a determinadas condies.As noves Esferas reconhecidas pela Tecnocracia so:

    15

    ENERGIA PRIMORDIAL

    Como os tecnocratas vem a chamada Quintessncia, que seria um elemento mstico? Simples, no como um elemento mstico, mas como energia primordial. Como a fsica mostra, tomos so formados por energia. A teoria do Big Bang acredita que tudo veio de energia acumulada no incio dos tempos. E a Tecnocracia imagina que essa a energia primordial, a mais pura forma de energia conhecida.

    O GNIOOs supersticiosos das Tradies s vezes falam no Avatar, a fonte de suas magias. A Tecnocracia, porm, compreende que o tal Avatar na verdade o Gnio de um cientista. No uma entidade exterior que conversa com o Iluminado, mas sim a criatividade e a compreenso interiores, uma parte fundamental da psique de um cientista. A diferena entre cientistas iluminados e convencionais que o Gnio de um iluminado maior, permitindo-lhe uma compreenso mais fcil da cincia e do mundo.O Gnio no fala com o cientista... Isso apenas uma iluso ou alucinao comum a esses grupos supersticiosos que acreditam em magia. O Gnio inspira apenas, mas uma parte do cientista, no uma voz externa.Alguns supersticiosos comentam a respeito do Gnio liberando Energia Primordial para dar poder s magias que les realizam. Isso crendice. De fato, nossos corpos so cheios de energia, como mostra a biologia, a qumica e a fsica, mas tolice imaginar que essa energia pode tornar os Aparatos e tcnicas mais eficientes. O que realmente ocorre que o Gnio s vezes inspira o cientista, e num instante particularmente inspirado ele pode realizar feitos incrveis com sua cincia. Isso tanto verdade que mais comum ocorrer aps o cientista meditar ou pesquisar muito (algo que os tradicionalistas insistem que favorece o acmulo de Quintessncia pelo Avatar... quanta besteira!)AS ESFERAS

    A Tecnocracia reconhece a existncia de nove Esferas, mas no pense que isso significa que ele admite o mesmo misticismo das Tradies. Na

    Quebrando ParadigmasSeo:

  • 16

    C o r r e s p o n d n c i a : C o r r e s p o n d n c i a tecnocrtica no se baseia num ponto mstico de correspondncia em que todos os espaos so um s, mas sim em pura geometr ia tr idimensional, estudos matemticos e manipulao de espaos. Cientistas tecnocrticos acreditam que distncias podem ser manipuladas, e energia e matria podem ser deslocadas pelo espao conhecido. Desde tecnologias simples como comunicadores (que usam ondas eletromagnticas para transmitir a voz a grandes distncias) a aberturas no espao/tempo (para transporte instantneo) fazem uso de conhecimentos em Correspondncia.

    Cincia Dimensional: Uma cincia rara e m vista entre os Tecnocratas a Cincia Dimensional, que lida com aberturas entre dimenses e explorao e pesquisa de realidades paralelas (os Tradicionalistas por algum motivo insistem em chamar tal Esfera de Esprito, e outras dimenses de reinos espirituais! Quanta besteira!).Realidades paralelas so perigosas, visto que nem sempre as leis cientficas conhecidas se aplicam a elas, e em muitas delas as tecnologias conhecidas tendem a falhar. Alm disso, os habitantes de outras dimenses nem sempre so fsicos, sendo compostos por anti-matria ou energia (da o motivo dos supersticiosos considerarem eles espritos).Cincia Dimensional praticada em larga escala apenas pelos Engenheiros do Vcuo. A maioria das Convenes Tecnocrticas evita esta Esfera, embora um cientista ou outro s vezes a utilize em seus experimentos. Uma Conveno, a Iterao X, probe seus membros de aprenderem Cincia Dimensional.

    Entropia: Entropia, para a Tecnocracia, no nenhuma baboseira sobre destino ou corrupo e destruio. Entropia estudada de duas formas pela Tecnocracia. A primeira na forma de probabilidades e estatsticas. Atravs desses estudos, um cientista iluminado pode prever as chances de algo acontecer e ento manipular os eventos para que o fato desejado ocorra ( o que um Tradicionalista chamaria de manipular o destino, dar sorte ou causar azar).

    A segunda o estudo da Entropia em si. A teoria da Entropia diz que nada duradouro, e que cedo ou tarde entropia se acumula, arruinando as

    coisas. por isso que no possvel criar uma fonte infinita de energia, visto que em algum momento a Entropia lentamente destri qualquer fonte de energia. Da mesma forma, uma construo, se no reformada e bem mantida, cedo ou tarde rui, visto que a entropia lentamente vai corroendo-a e destruindo-a (e sim, entropia algo cientificamente real...) Pelo estudo das foras entrpicas (no foras sobrenaturais entrpicas, e sim foras entrpicas), o tecnocrata pode tentar preservar algo contra a Entropia ou acelera-la, seja para tornar algo duradouro ou destrui-lo rapidamente.

    Foras: Foras o conhecimento e domnio sobre energia, bem como sobre a ausncia de energias, em suas mais diferentes formas: trmica, cintica, dinmica, latente, etc. Conhecedores de Foras costumam ser incrivelmente talentosos com teoria de fsica e em parte com qumica. Eles estudam teorias de como controlar foras, gera-las, transforma-las ou interagir fora com matria.

    Vida: Apenas aqueles que compreendem profundamente as cincias biolgicas realmente podem avanar nesta Esfera. Pesquisando gentica, estudando clulas e processos vitais, o cientista compreende como as formas de vida se comportam.

    Matria: Conhecimento em Matria se baseia muito em qumica e no conhecimento das propriedades dos elementos. Atravs de experimentos qumicos, possvel transmutar ou criar novos materiais, e tcnicas especficas podem ser criadas para moldar um material.

    Mente: Mente se baseia muito em psicologia, sociologia, psiquiatria e outros estudos comportamentais. Tecnocratas controlam mentes atravs dos estmulos corretos, e no de magias e maldies. Eles sabem como a mente humana costuma reagir a determinados estmulos e usam estes estmulos para conseguirem os efeitos desejados.

    Primrdio: As teorias de Primrdio se baseiam sempre no estudo da Energia Primordial que faces mais msticas costumam chamar tolamente de Quintessncia. Cientistas iluminados utilizam esta Esfera em suas teorias e

    Quebrando ParadigmasSeo:

  • 17

    equipamentos para deteco, extrao e uso de Energia Primordial.

    Tempo: Cientistas especializados em Tempo estudam todos os tipos de cincias, desde Histria e clculos probabilsticos a fsica e teoria de espao/tempo. Eles usam estudos histricos para vislumbrar o passado, clculos probabilsticos para prever o futuro, e fsica para alterar e manipulao a progresso do tempo. Alguns usam teorias ainda mais estranhas para manipulao temporal.

    Dcima Esfera? A Tecnocracia acredita na existncia da chamada Teoria da Grande Unificao da Fsica. No uma Esfera real, mas uma teoria de que um cientista pode evoluir a ponto de ter conhecimentos plenos sobre as bases do universo, um sonho tecnocrata alcanar tal faanha...

    APARATOSAssim como os supersticiosos possuem focos

    para suas magias, cincia no nada sem os Aparatos corretos. bvio que cientista algum pode manipular a realidade sem o equipamento correto, e tentativas de improvisar material quase sempre resultam em falha ou efeitos colaterais graves. Aparatos so os equipamentos, tcnicas e teorias que os cientistas e agentes tecnocratas utilizam para que sua cincia seja efetiva... Afinal, como um qumico pode transmutar uma material sem seu equipamento?

    Aparatos exigem profundo conhecimento cientfico para serem utilizados. por isso que um cidado comum incapaz de usar um canho de plasma tecnocrtico. No porque uma magia, claro que no! porque ele desconhece como realmente realizar o procedimento para ativar o canho.

    Aparatos podem ser coisas to simples como uma pistola ou to complexas quanto um gerador de partculas num Constructo subterrneo.

    MECANISMOS

    Uma Maravilha da cincia, Mecanismos so, para a Tecnocracia, o que so os supostos Talisms das Tradies. So itens construdos para realizarem tarefas incrveis, mas sem a necessidade de um cientista especializado controlar o processo. Basta um mnimo de

    conhecimento em cincia iluminada, ou mesmo um pouco de treinamento bsico, para que qualquer um utilize um Mecanismo.

    Mecanismos, como Talisms, possuem baterias de energia primordial que vo gastando-se com o uso. Alm disso, eles correm o risco de falhar devido ao Efeito Paradoxo, visto que mesmo sendo de uso mais fcil ainda utilizam tecnologias experimentais perigosas.

    Quebrando ParadigmasSeo:

    ASSOCIADOS E CIDADOS EXEMPLARESNem todos os membros da Tecnocracia so cientistas iluminados ou agentes despertos. Assim como as Tradies possuem feiticeiros em suas hierarquias, a Tecnocracia emprega C i d a d o s E x e m p l a r e s , p e s s o a s q u e compreendem teorias avanadas de cincia ou possuem talentos intuitivos em cincias, mas que no so Cientistas Iluminados. Cidados Exemplares tambm costumam criar aparatos bastante avanados, embora no consigam se desenvolver tanto quanto cientistas iluminados experientes.Associados, por sua vez, so pessoas comuns que de uma forma ou outra trabalham para a Tecnocracia. Eles so assistentes, agentes de campo de nvel mais baixo treinados para usar Mecanismos, burocratas, secretrios ou mesmo cientistas reais, cujas pesquisas e teorias interessem Tecnocracia.

  • 18

    CONCLUSOEspero que este tratado de cincia seja satisfatrio a todos os jovens que adentram a Grande Unio Tecnocrtica. Em breve, vocs sero introduzidos s Convenes e sabero um pouco mais sobre elas. Por enquanto, prossigam em suas pesquisas e tirem de suas mentes as mentiras e farsas msticas desses grupos que se recusam a ver que a cincia o nico caminho para a verdade, e que a humanidade s estar segura se abraar o conhecimento cientfico.

    At breve.

    Tiago Jos Deicide Galvo Moreira

    E, quem quiser mais informaes, procurem por a os Convention Books e o Guia da Tecnocracia,

    a Edio Mago 2 . possui bastante informao tambm. Outra boa leitura Book of Mirrors, que traz muito da estrutura tecnocrata

    Quebrando ParadigmasSeo:

    LEXICONAdministrador: Um tecnocrata de alto postoAgente: Especialista em aes de campo,

    treinado no uso de armas e da cincia iluminada para objetivos ofensivos.

    Aparato: FocoAssociado/Simpatizante: Um aliado comum.C i d a d o E x e m p l a r : U m c i e n t i s t a

    extremamente avanado e talentoso, mas no Iluminado.

    Crculo Interno: O conselho principal da Tecnocracia

    Constructo: Uma base de operaes ou centro de pesquisas.

    Conveno: Um dos grupos maiores que compem a Tecnocracia. Existem 5 cinco

    Convenes: Iterao X, Nova Ordem Mundial, Progenitores, Sindicato e Engenheiros do Vcuo.

    Depsito: Uma fonte natural de Energia Primordial (Nodo)

    D e s v i o d a R e a l i d a d e / E l e m e n t o Aleatrio/Aberrao da Realidade: Um ser sobrenatural

    E l e m e n t o / E n e r g i a P r i m o r d i a l : Quintessncia

    Gnio: O Avatar, a inspirao de um cientista.

    Iluminao: AreteIluminado: DespertoMassas: A populao mortalMetodologia: Um subgrupo dentro de uma

    Conveno que trabalha com tcnicas, teorias, filosofia ou objetivos especficos.

    Tcnico: Uma pessoa, Iluminada ou no, que trabalhe num laboratrio de pesquisas.

    Triunvirato: O conselho que comanda um Constructo

    Unio: Abreviao de Unio Tecnocrtica (Tecnocracia)

  • 19

    Seo: OblivioOblivioOblivioOblivio

    Computadores no WoDEm suplementos como Lobisomem Guia dos Jogadores 1Ed, Livro das Sombras e Digital WEB 1Ed havia regras para o uso de computadores para serem utilizados em campanhas.Esses equipamentos evoluram, se modificaram e modernizaram e os escritores da 3Ed se esqueceram de atualizar o contedo nos novos livros.Essa matria tem como objetivo fazer essa adaptao para a atualidade. Afinal, ningum obrigado a entender de computadores e tecnologia para jogar uma partida de RPG.Computadores

    No Wod os computadores possuem uma presena to marcante quanto no nosso mundo. Talvez at mais, j que num mundo em que mistrio, violncia exacerbada, sociedades secretas e a mgika existem, os computadores se tornam um meio muito mais importante para troca e armazenamento de informaes, transaes comerciais, negociaes, viagem na rede e, o mais importante para quem joga com magos: realidade virtual, coisa que ainda no to difundida em nosso mundo, mas muito presente no Wod.

    Vamos ento, atualizar...

    No Lobisomem Guia dos Jogadores e no Digital Web ambos da 1Ed - temos algumas informaes como:-existncia de trs principais tipos de computador: compatveis com IBM e MSDOS os mais populares; os Apple e Macintosh mais usado por designers grficos e no 2 lugar em popularidade e finalmente o Comodore Amiga, favorito dos produtores de vdeo e Hackers. Atualmente apenas os dois primeiros tm seu lugar no mercado, o Amiga foi despopularizado e no mais fabricado, se limitando aos que restaram espalhados por a, ou mesmo atravs de

    emuladores, que simulam o ambiente de aplicativos.Hoje em dia, mais do que modelos de computadores, a diferena principal se d pelos tipos e a capacidade dos processadores usados na fabricao dessas mquinas.Quanto ao armazenamento de informaes e dados hoje existem espaos maiores do que os obsoletos disquetes. Cartes de Memria, Pen-drives, Cds, DVDs, HD-DvD e Blue-ray inundam o mercado com opes mais seguras, maiores e fceis de ser transportadas.

    Substituindo as empresas reais

    O Wod no o nosso mundo, embora seja muito semelhante tem alguns aspectos bem fantasiosos se compararmos ambos. Para fazer essa matria mais descontrada e sem precisar me apropriar indevidamente de nomes alheios, vou fazer como nos livro Subsidirias: Guia para a Pentex e Book of Wyrm, que descrevem a Pentex por meio de empresas baseadas nas reais. Gradualmente, a 2Ed foi substituindo as empresas reais por fictcias, o que tornou o contedo da 1Ed invivel da forma que foi originalmente escrito, afinal ou as novas edies continuavam com um texto similar ou atualizavam logo tudo para no haver confuso na cabea dos jogadores. Porm, isso no foi feito em sua totalidade. Seguiremos a linha inovada pela 2Ed e substituiremos os nomes das empresas principais do ramo tecnolgico tanto por motivos de atualizao de contedo como para a diverso dos jogadores.

  • Processadores:

    O processador a parte mais fundamental para o f u n c i o n a m e n t o d e u m c o m p u t a d o r . Processadores so circuitos digitais que realizam operaes como: cpia de dados, acesso a memrias e operaes lgicas e matemticas.

    Fonte: Wikipedia

    Atualmente os Processadores so mais importantes que os tipos de computador como dito anteriormente. E uma mquina pode variar significativamente graas ao processador que utilizado. E existem em praticamente todos os aparelhos com tecnologia digital na atualidade.

    a aNa 1 e 2 edies existiam dois tipos bsicos de processadores os Binrios e os ternrios (para dividir entre os computadores comuns e os

    amagikos) j na 3 edio incluram o quntico, mas este tem que ser atualizado, pois at pouco tempo atrs no existiam computadores qunticos na realidade, at a sua criao pelo grupo canadense D-Wave em 2007. Outro Tipo de computador que podemos classificar por sua descoberta recente so os Computadores Moleculares com seus Processadores de DNA, que usam aminocidos e clulas de Dna para simular o funcionamento Binrio de um computador convencional bem aplicado para a Interao X e sua biotecnologia.

    Computadores Tradicionais e Magikos.

    Atualmente no WoD, o desenvolvimento da tecnologia digital foi quase totalmente estruturada por meio de cdigos binrios, tornando este o principal sistema computacional. No mercado existem vrias empresas de processadores, cada uma com sua prpria tecnologia, softwares e perifricos prprios. Entre as principais empresas do setor destacam-se:

    Seo: OblivioOblivioOblivioOblivio

    ECN - Empresarial Computers Network: Pioneira do mercado, ela desenvolveu o primeiro computador de grande porte e o difundiu para as massas. Atualmente desenvolve processadores para videogames, por serem mais lucrativos para ela do que os computadores. Ela desenvolveu os processadores do box (megaBox) videogame produzido pela BiteSoft - e do Gamestation 3 - da Lone - com o processador Hell o mais potente processador j criado no mercado.AI-CELL - Artificial Intelligence Cell: - A principal empresa em vendas, consumo e distribuio, esta empresa t e m c o m p u t a d o r e s d e m a i o r du rab i l i dade e d i s t r i bu i seus processadores na maioria das mquinas existentes no mercado. Mas sua tecnologia ainda ultrapassada se comparada com os computadores da DNA, o motivo que, j que possuem a preferncia do consumidor fazem uma tecnologia aqum e a vendem enquanto for lucrativa, quando as vendas diminuem lanam uma tecnologia um pouco mais avanada para manter o consumidor comprando os seus produtos. Por ser extremamente lucrativa a empresa possui membros do $indicato sendo estes seus principais investidores ou administradores. A empresa es t desenvo l vendo computadores moleculares por meio da alta tecnologia de processamento por meio das molculas de DNA (ver quadro pg.23) e esses so os principais computadores usados pela interao X em seus laboratrios e tambm na programao dos Hit-Marks.

    20

  • 21

    DNA Data Numerical Aplication: Empresa que entrou como concorrente principal da AI-cell atravs dos seus p reos ma is acess ve i s com computadores mais voltados para edio de vdeos e para rodar jogos. Ela atualmente esta comprando empresas desenvolvedoras de placas grficas para tornar estas tecnologias de Grficos e processamentos 100% compatveis. Ela foi a primeira empresa a lanar processadores de 64 bits no mercado

    D-Ware Uma empresa sustentada por Hackers que atualmente desenvolveu, baseada na tecnologia ternria, e na t e o r i a q u n t i c a , u m n o v o e revolucionrio tipo de computador, conhecido como Computador Quntico (ver quadro Pg.23). Essa tecnologia j era conhecida por tecnomagos que tentavam desenvolve-los no conforto de seus lares e que acabou se tornando realidade por meio dessa empresa..

    Alfa Computao: Uma das trs desenvolvedoras de processadores ternr ios. Seus computadores possuem preos altos, mas uma qualidade esplendida, sendo os favoritos dos Adeptos por serem portteis e resistentes.

    Elite Computao: Tambm no ramo de processadores ternrios, est em 2 lugar em popularidade depois da Alfa por no serem to resistentes quanto seu concorrente.

    Grandmaster: Menos populares, esses ternrios de mesa que podem ser dobrados em uma enorme espcie de mala no facilmente transportveis se encontram em terceiro lugar na preferncia dos adeptos. Eles ainda podem ser encontrados, mas, no so to fabricados quanto antes. Talvez um deles possa ser encomendado diretamente na fbrica se voc for dos mais saudosistas!

    Empresas de Softwares e Acessrios para as MassasA Bitesoft: Empresa criada por Billy Jails durante a faculdade. Ele enganou outras produtoras de computadores e softwares como a ECN e a ORANGE, criando seu sistema operacional de interface amigvel que praticamente dominou o mercado. Seu Sistema Operacional, o famoso BS-Dos revolucionou o tipo de programao e est praticamente em 80% dos computadores existentes no mercado. Fazendo um sistema grfico mais atraente surgiu o mais notrio dos sistemas operacionais da atualidade o BS-DOORS, que abre vrias portas para os programas que o usurio escolher.A ORANGE que tem como logo uma Laranja partida ao meio com cada gomo com uma cor - Iniciou como uma empresa de computadores com o mesmo nome, que foram substitudos p o r u m a t e c n o l o g i a g r f i c a revolucionria e bastante cara, conhecido como Techintosh, o seu sistema operacional compatvel apenas com os computadores Techintosh o TECH-Os. Os processadores da Techintosh eram, a princpio feitos pela ECN, at abandonar o mercado de Pcs e partir para o de videogames. A tua lmente os Processadores ORANGE so feitos pela AI-cell. Stephen Works o dono da ORANGE e j trabalhou ao lado de Billy Jails que roubou a interface grfica do TECH-Os, dando origem ao sistema operacional DOORS.FREENUX Sistema Operacional grtis, programado e aperfeioado pelos seus prprios usurios, o FREENUX, um sistema aberto e o principal concorrente do DOORS e do TECH-Os no mercado. Sendo programvel existem inmeras verses dele o que os possibilita funcionar em qualquer computador independente de seu processador ou equipamento, basta programa-lo para a maquina. Tem como mascote uma

    Seo: OblivioOblivioOblivioOblivioa

    rea

    reDD The

    Qu

    an

    tic Co

    mpu

    ter

    Corp

    ora

    tion

  • 22

    Simptica foca e o sistema operacional preferido dos Hackers por ser gratuito e totalmente editvel.

    Sunburst A subsidiria da Pentex em equipamentos de Informtica. ela quem desenvolve os computadores e softwares da empresa, os videogames da Tellus e os brinquedos tecnolgicos da Avalon. Dizem que um Filho do ter corrompido desenvolve tecnologias para a empresa; ele no um Nefandus, mas tambm no faz parte das tradies. Eles tambm usam algumas tecnologias ultrapassadas da Tecnocracia em seus projetos, como a de Hit-Marks utrapassados, A empresa usa os processadores da AI-CELL em seus produtos e no produzem processadores prprios.

    Garous e Computadores

    Para efeitos de crossover, os dons tecnolgicos de Lobisomens, por sua ligao com a Weaver, interferem nesses computadores, mas cabe ao mestre decidir o que aconteceria se um esprito de um computador quntico fosse desperto por um ritual de despertar espritos feito por um Garou desavisado do poder dessa mquina. Ou mesmo, o que aconteceria com um computador molecular j que ele possui clulas vivas em sua composio caso o mesmo ritual fosse usado?

    Mgika e Computadores

    No Livro das Sombras encontramos na pgina 152, que, computadores convencionais no podem armazenar rotinas maiores que o nvel 2 de uma esfera para serem realizadas na forma de programas. Ainda segundo o livro os nicos computadores capazes de armazenar rotinas

    Seo: OblivioOblivioOblivioOblivioacima de nv2 so os ternrios. Usando essa lgica, os computadores Qunticos e de DNA poderiam, por seu poder de processamento, servir para esse mesmo fim, ampliando assim as possibilidades de nossos tecnocratas e adeptos para utilizao de alta tecnologia no Mundo das Trevas. Como focos eles funcionam normalmente, mas os programas precisam ser desenvolvidos na hora para serem realizados, diferentes das rotinas pr-programadas que podem ser ativadas com um simples teclar do ENTER. Da mesma forma podemos citar os palms e celulares de alta tecnologia que, se forem projetados para o fim correto, tambm podem armazenar tais rotinas, afinal possuem processadores e acessam a rede como os computadores da atualidade.O que um computador pode fazer... e o que ele no pode.1.Computadores no podem pensar De certo modo. A tecnologia evoluiu a tal ponto que a Inteligncia Artificial capaz de gerar probabilidades que beiram o pensamento humano, porm, uma mquina sempre tomar a deciso friamente, nunca como um verdadeiro humano. Isso claro que pode ser ignorado se o computador for magiko ou imbuido por um esprito (assim como o Computador de Autoctonia).2.Um computador no pode fazer nada sem Software Correto. No existem computadores que funcionem sem alguma interface respectiva. Personagens com nvel 3 ou mais na habilidade Computador podem criar seus prprios softwares. Softwares mais complexos requerem tambm outras percias.3.Um computador no pode fornecer in formaes sem dados adequados disponiveis Computadores usam Lgica ou comparaes, nunca adivinhaes. Deve-se haver dados referentes pesquisa para que eles sejam capazes de analisar-los. Ex: para se descobrir se uma pessoa esta no 3 andar de um prdio, o computador tem de ter algum dispositivo que localize a pessoa, seja uma cmera de vdeo no andar ligada a rede de computadores, sensor infravermelho, etc. E mesmo assim um computador no guarda rostos ou identifica nomes se no tiver um programa que compare a descrio de quem est sendo procurando com o alvo. As concluses se ele o procurado ou no, tem de ser do usurio, no do computador.

  • 23

    Computador Quntico

    O computador quntico, ou CQ, que poder mudar radicalmente a tecnologia atual, no mais uma miragem no horizonte cientfico. Enquanto a computao binria clssica opera com chaveamentos excludentes, tipo de sim ou no, ou um ou zero, a quntica usa agentes que podem estar nos dois estados ao mesmo tempo, uma das mais intrigantes propriedades da fsica quntica. como se voc estivesse tentando sair de um labirinto e surgisse uma bifurcao frente. No computador binrio voc s poderia entrar em uma porta de cada vez, diz Tulio Duarte Christofoletti, cientista de computao pela Universidade Federal de Santa Catarina. Chegando a um fim sem sada, teria de voltar ao comeo e repetir a operao, escolhendo as outras opes, uma de cada vez.No CQ, o agente poderia entrar nos dois ramos sucessivos das bifurcaes ao mesmo tempo, como se o original se dividisse em dois, e depois fizesse isso de novo nas bifurcaes sucessivas. Obviamente em apenas uma tentativa, um dos fantasmas do agente original acabaria chegando sada. E todos os caminhos teriam sido percorridos. Os laboratrios trabalham para aumentar o tempo de coerncia entre os agentes, criando alternativas de hardware o mais isoladas possvel dos rudos e interferncias do meio ambiente.

    Computador Molecular

    Molculas de DNA so ideais para a elaborao de um computador molecular. So eficientes e muito compactas. Para efeitos de comparao, uma fita de DNA contm todas as informaes para que uma clula se mantenha viva e, no entanto, a fita constitui apenas 0,3% do volume do ncleo da clula. O DNA acumula 100 trilhes de vezes a informao armazenada nos mais sofisticados sistemas de computao atual. Num computador de DNA, um nmero estratosfrico de molculas (algo em torno de 10 elevado a 10) podem trabalhar simultaneamente para efetuar um clculo.Os computadores de silcio tradicionais so muito mais rpidos, mas calculam sempre um nmero por vez, alm de gerar um gasto energtico considervel. O computador de DNA, por outro lado, embora lento, pode realizar clculos com simultaneidade de bilhares de molculas, alm de serem muito mais eficientes do ponto de vista energtico. Um Computador Convencional recebe cdigos em seqncia binria, 0101110011, e executa quatro operaes distintas para processar uma resposta: Transformar 1 em 0, 0 em 1, mover para frente ou mover para trs na seqncia de informaes. Todo computador digital, por mais rpido que seja ou por mais complexo que se organize, se reduz a isso. Da mesma forma, a molcula de DNA organizada por uma srie de cidos nuclicos organizados e dispostos seqencialmente. possvel, portanto, converter os cdigos binrios em cdigos de DNA. Poderamos estabelecer, por exemplo, que ATACG = 1 e TACCG = 0. E ento, atravs de processos qumicos, usando enzimas de restrio e reaes em cadeia polimerase para produzir seqncias de DNA, possvel reproduzir todas as operaes de um computador digital. Desenvolvida a tecnologia, estima-se que meio quilo de molculas de DNA (suspensas em mil litros de liquido, que ocuparia cerca de um metro cbico) poderia armazenar mais memria que todos os computadores j fabricados.Teria cem trilhes de vezes a capacidade do crebro humano. Alm disso, meros 28 gramas de DNA poderiam ser cem mil vezes mais rpidos que o supercomputador mais rpido dos Estados Unidos

    .

    Fontes: Wikipedia e Info on-line

    Computadores Ternarios

    No livro Adeptos da Virtualidade 1Ed pg 63 encontramos uma descrio satisfatria sobre o funcionamento dos computadores ternrios que diz o seguinte:Os computadores contam com sistema binrio 0 e 1, o computador ternrio usa trs estados: 1, 0 e -1 ou ligado(1), desligado(0) e ligado negativo(-1) para transmitir a informao, dessa forma os adeptos da virtualidade conseguem muito mais poder de processamento e possuem mquinas quase inteligentes. Enquanto os PCs comuns do respostas SIM ou NO, os ternrios aceitam um TALVEZ.Atravs dessa viso, a computao quntica segue um caminho similar dos ternrios, porm de forma muito mais rpida e compacta. Por poder usar 1, 0 e os dois ao mesmo tempo. como se, num labirinto, o processador fosse capaz de se dividir em dois pontos para seguir dois caminhos e a cada bifurcao cada um desses clones se dividiria novamente, isso o possibilitaria chegar ao fim do labirinto rapidamente. Imagine quantas possibilidades um laboratrio tecnocrata poderia analisar ao mesmo tempo usando uma ferramenta dessas...

    Seo: OblivioOblivioOblivioOblivioTipos de Computador

  • 24

    4.Um computador no pode exercer controle sobre nenhum dispositivo ou mquina ao qual ele no estiver devidamente conectado Fazer isso s se for por meio de mgika, por meios convencionais sugerimos usar conectores USB ou mesmo Wi-Fi ou BlueTooth ou alguma gambiarra Hacker. No pense que basta invadir o sistema de um prdio para desativar os alarmes, se os mesmos no esto ligados ao computador central ou internet ser perda de tempo.

    5.Organizando Dados Se voc entrar com todos os dados corretos, por exemplo, os horrios e turnos de trabalho dos vigias de um prdio, com o uso do software certo ele poder te dizer qual a melhor hora para uma invaso do local. O computador tambm envia e recebe informaes por linha telefnica ou outros sistemas de internet e por ele tem acesso a impressoras, secretrias eletrnicas, mquinas de validao de cartes de crdito, arquivos pessoais, contas de banco, etc.

    6.Falsificao Retoque de imagens, edio de vdeos e criao de documentos falsos so um leque infinito de opes, o sucesso depender da habilidade do usurio num teste especfico de inteligncia+computador.Para mais idia pesquise nos livros Digital Web e Lobisomem Guia dos Jogadores 1Ed, mesmo desatualizados eles possuem informaes no encontradas nos livros revisados e do muitas idias do que fazer em campanhas que envolvam alta tecnologia. Como ataques Hacker e invases de sistemas.

    Por Alexandre Ps-vida

    Fontes: Digital Web, Digital Web 2.0, Lobisomem: ao Guia dos Jogadores 1 ed, O Livro das Sombras,

    Livro da tradio: Adeptos da Virtualidade, Tradition book: Virtual Adepts revised, Convention book: Iteration X 1 ed e revised, Subsidiaries: A Guide to Pentex, Wikypedia e Info online.

    Seo: OblivioOblivioOblivioOblivio

  • 25

    "Vampiro sm. 1.Entidade lendria que, segundo superstio, sai das sepulturas, noite, para sugar o sangue dos vivos. 2. Aquele que enriqueceu custa alheia e/ou ilicitamente. 3.Bras.Morcego hematfago."

    Isso o que constam em especificaes tcnicas sobre a minha raa, de uma perspectiva de caa, realmente eles por serem inferiores esto certos... "Lendria..." essa uma palavra que define crendices populares, ou tambm seres que ha muito no se mostram, seres que fizeram feitos maravilhosos e inimaginveis ... esses seres foram dados nomes de "heris" e criada uma verdadeira expectativa de "super-humanos" afinal na sua pouca capacidade de viso, eles no poderiam ou no queriam enxergar o que certoe o que errado, a verdade verdadeira, seres mitolgicos como "medusas, minotauros" ou mesmo seres que povoam suas religies como "Moiss e Cia" eram na verdade vampiros muito antigos... que podiam fazer verdadeiras proezas, ou carregavam enormes marcas da negra saga que carregamos, no incomum entre nosso meio, irmos que so caricaturas de humanos, carregam rabos ou chifres.. que tem dons especiais como controlar o fogo, a terra o ar, a agua e tantos outros elementos quantos foram criados e descobertos.... Somos criaturas que sozinhas somos capazes de destruir vilarejos inteiros ou sermos destrudos por apenas pequenas fagulhas de fogo... mas no se enganem, vocs que lerem esse legado que deixo.... no existiram messias, profetas ou heris mitolgicos e aberraes antigas, todos sem exceo eram ou tinham forte ligao com a nossa raa ou nossos inimigos, todos foram usados em algum propsito, a favor ou contra vocs prprios....

    Alguns mesmo tendo feito verdadeiras devastaes so hoje considerados bons... e outros tendo feito tanto bem so considerados tiranos... pois tambm quem lhes supre a mente com informaes "confiveis" somos ns....

    Mas esse relato no pra falar sobre o passado, e sim pra que seja registrado que o humano de minha linhagem foi escolhido, ele que ser no um deus, no um salvador, no um ponto de referncia, mas sim apenas o que vai carregar o meu conhecimento, a minha saga, a minha chaga...

    Venho seguindo a linhagem da minha familia desde os tempos antigos, depois o velho mundo, j criei e destru inmeras crias, pois acreditava que seria fcil conseguir um que fosse o ideal, mas veja, no procuro o belo, no procuro o forte, no procuro o gnio, procuro aquele que tenha a viso necessria pra entender o que acontece e como isso acontece, procuro por aquele que seja to suscetvel ao conhecimento como eu fui e saiba separar o joio do trigo...

    Depois de minha transformao fui separado da comunidade onde vivia e durante anos fiquei preso ao estudo severo, pra que tivesse a capacidade de dicernimento. Quando ganhei minha liberdade j tinham se passado mais de 100 anos, voltei ao meu vilarejo e estudando nos registros da cidade descobri a minha linhagem , e a segui durante esses anos todos, j obtive provas de sangue que so meus descendentes, e acredito que apenas eles tero a capacidade de continuar a minha sina...

    O HumanoConto escrito por Andrew Facki

    Baseado em Vampiro: a Mscara

    Canes dos FiannaCanes dos FiannaCanes dos FiannaSeo: ContosContos

  • 26

    Depois de mais de 400 anos procurando, achei um jovem, desde sua adolescncia mostrava que tinha tato pra coisa e tambm teve a sorte que outros no tiveram , pois o sculo vinte foi crivado de terror e violncia, jogos infantis foram deturpados, desde as coisas mais inocentes como brincadeiras de rua at os to famigerados vdeo games, mquinas de uma certa realidade virtual, (que avana rapidamente pra um futuro incerto) jogos mostrando cada vez mais o bem contra o mal, e lado bom e o lado ruim.... outra vantagem que ele teve em relao aos outros foi a sua no capacidade de "decorar" aquelas idias deturpadas sobre o passado, aqueles plgios de histrias.

    Apegado a nmeros e de boa capacidade de raciocnio, no era o CDF da classe, mas tambm nunca usou o chapu de burro... passou pela sua poca sem deixar marcas, nenhum grande feito, e tambm nenhuma grande "cagada" ... estando pronto pra ser aquele homem medocre que a maioria dos homens e mulheres so nos dias de hoje, outro ponto forte e que acho at decisivo pra que ele tivesse sucesso na minha "empreitada" foi a sua verdadeira paixo por um jogo chamado RPG, diga-se de passagem que este jogo foi projetado por alguns dos nossos ancies a fim de realmente mostrar-nos homens e mulheres que tinham dons pra servir-nos da forma que melhor nos convinhe-se....

    Depois de sua maioridade resolvi que ele seria posto a prova e se ele mostra-se o seu real valor seria ento "abraado" (como dizem no jogo) caso contrrio sofreria um assalto seguido de morte, e sua vida seria ceifada, como tantas outras nessa terrvel selva em que transformou-se a vida urbana.

    Numa noite em que chegaria mais tarde em casa, propus um jogo a ele (sem que soube-se) contratei um garoto pra que fosse assalta-lo, a nica regra era que deveria aproximar-se sem que ele percebe-se, e no fim, deveria mata-lo... entreguei uma arma calibre 38 pro meliante e fiquei a espreita olhando... Ele desceu do nibus, estava com um daqueles radio-fone, caminhava tranqilamente, cabea baixa, parecia desligado do mundo, aquilo muito me chateou, afinal ele nunca conseguiria escutar algum chegando rapidamente, numa bicicleta, e pelas costas... quando dobrou a esquina dei o sinal, apontei para a "vtima" que comeou a subir uma leve lomba que daria acesso a sua casa.... quando ele passou por mim, ainda consegui escutar a msica que ele escutava...

    Hold on to me love

    you know i can't stay long

    All i wanted to say was i love you and i'm not afraid

    can you hear me?

    can you feel me in your arms?

    Holding my last breath

    safe inside myself

    are all my thoughts of you

    sweet raptured light it ends here tonight

    Letra da Musica My Last Breath - Evanescence

    Esperar para me amar

    Voc sabe, eu no posso esperar muito

    Tudo que eu procurei dizer foi que eu amo voc e eu no estou arrependido

    Voc pode me escutar?

    Voc pode me sentir em seus braos?

    Segurando meu ltimo suspiro

    Seguro dentro de mim

    Esto todas as lembranas de voc

    Doce luz extasiada que termina aqui esta noite "

    ContosContosCanes dos FiannaCanes dos FiannaCanes dos FiannaSeo:

  • 27

    ... num som alto, achei naquele instante que o destino poderia estar pregando uma pequena pea, afinal "doce luz extasiada que termina aqui esta noite", esse verso afinal tinha um sentido...

    Mas entrando nos seus ouvidos naquele volume infelizmente teria o sentido ruim da coisa pois ele no escutaria nem se algum grita-se com ele, quanto mais algum sorrateiro.... era o fim, mais um que se perderia , mais anos at que um prximo pude-se chegar.... j ia embora pra no precisar presenciar a cena toda, quando o homem na bicicleta comeou a segu-lo, mas decidi ficar mais um segundo pra me deliciar com aquilo, afinal o mundo dos fortes, se no era capaz de defender-se deveria morrer realmente, sem pena, sem mgoa, afinal se no fosse agora seria daqui a pouco, percebi apenas o bem que estava fazendo a ele, afinal pouparia alguns anos de umavida medocre na companhia de outras pessoas medocres...

    vi quando o homem da bicicleta no momento da abordagem foi surpreendido pela minha futura cria, ele simplesmente virou-se e mirou o homem da bicicleta com os olhos; naquele momento eu acreditei que aquele rapaz tinha o dom e apenas precisava ser treinado, o homem na bicicleta fez como se estive-se pedalando com dificuldade e deu a volta, ento meu garoto seguiu seu caminho, desatento novamente.... mais alguns metros e desta vez foi surpreendido, pois o homem voltou, no parecia vontade por ter perdido a primeira investida, naquele instante eu j me considerava satisfeito com relao as aes,mas resolvi deixar os acontecimentos rolarem por mais alguns instantes...

    O Homem da bicicleta desta vez no teve a hombridade de chegar muito prximo, deitou a bicicleta a alguns metros e foi correndo com a arma na mo em direo ao rapaz... este , desta vez surpreendido, levou as mos vagarosamente at a cabea, tirou o fone dos ouvidos e meio aturdido entendeu do que se tratava, seus olhos temeram, senti que o medo tomou conta dele, afinal, ter uma arma apontada em sua direo no era algo costumeiro em sua vida, mas ele agiu lenta e vagarosamente, o suficiente pra que aos poucos conseguisse dominar seus sentimentos e suas aes; o assaltante sem perceber comeou a ser dominado pelo assaltado, que lhe entregou carteira, pertences e ademais coisas sem nenhumproblema maior, como se quisesse realmente resolver a contenta da melhor maneira possvel, mas, num momento, o algoz deixou mostrar vtima que o seu futuro era incerto, num pequeno gesto, quase passado desapercebidamente, mas foi o suficiente, meu garoto notando que mesmo no tendo reagido e fazendo tudo que o meliante sugeria, no teria sua vida poupada, trocou de ttica e num gesto de rapidez e destreza, pegou o revolver da mo insana de seu agressor, no deixando a este nem o momento de reao esperado, foi algo muito bonito pra se ver... pois num segundo a caa virou o caador, e ento seus olhos brilharam de um jeito diferente, senti que o medo tinha sido extinguido, aquele rapaz mesmo sem nunca ter pego numa arma de fogo qualquer, passava uma segurana tremenda naquela situao... o assaltante tentou dissuadi-lo dizendoque iria embora e no levaria nada, mas o destino estava traado, o rapaz pegou a arma, aproximou-a da cabea do assaltante e sem dizer uma palavra, puxou o gatilho...

    Voltei-me cena novamente, o rapaz da bicicleta estava a cerca de dois metros dele, e preparava-se pra sacar o revolver e abord-lo, sentia seu corao batendo mais rpido, podia quase sentir ocheiro da adrenalina correndo em suas veias, quando eu o contratei escolhi algum que no fosse um profissional, mas que j tivesse tirado a vida de algum, afinal queria um jogo e no uma chacina, um mnimo de chances o meu garoto teria de ter, pra que no tivesse depois raiva de mim...

    Depois de me posicionar melhor, indo em forma de nvoa, at as proximidades do acontecimento,

    ContosContosCanes dos FiannaCanes dos FiannaCanes dos FiannaSeo:

  • 28

    O Corpo voou durante dois eternos segundos, o sangue me atingiu a metros de distncia... olhei novamente nos olhos do meu escolhido, eles estavam firmes e decididos, no sei se ainda no tinha se apercebido do que tinha feito, ou simplesmente no se importava com aquele desgraado moribundo, que afinal iria tirar-lhe a vida.... a arma apontada pro alto , com seu cano fumegante, no deixava escolha... Ele tomou a deciso correta mais uma vez, simplesmente escondeu-a e apressando o passo entrou em sua casa, que estava a alguns metros do acontecido, as luzes comearam a se acender, as pessoas comearam a sair rua... mas no tiveram chances de ver absolutamente nada, uma nvoa muito forte tomou conta do local e no deixou que corpo ou sangue, ou bicicleta fossem encontrados... tudo sendo carregado pra longe dali, afinal o que menos queria era chamar a ateno... meu pupilo tinha passado no teste e com louvor, amanh ele me conheceria finalmente....

    Na noite seguinte quando fui v-lo j estava em casa, mas eu no queria ser interrompido por ningum e aquele local no seria o adequado... ento eu entrei em sua casa e num momento em que ele estava s , levei-o dali, ele no teve nem chances de reao, foi dominado e levado at um local mais seguro... meu refgio...

    Comeamos a conversar, num primeiro instante eu queria ter certeza de que o fato da noiteanterior no tinha danificado sua psicologia, em nada ele foi afetado, as reaes dele foram as mais adversas, ria, em momentos tremia e temia, noutros parecia incrdulo, dizendo que aquilo no poderia estar acontecendo, afinal vampiros no existiam... foi uma longa conversa e no fim, como uma prova da veracidade dos fatos eu disse:

    -Meu rapaz, se voc nega a minha existncia lhe dou como prova final a minha sina, deseja carrega-la? Deseja ser portador deste terrvel Presente das Trevas?

    Ele olhando-me no fundo dos olhos respondeu:

    - Se voc um vampiro realmente, saiba que o que chama de Terrvel eu chamo de Adorado, o que chama de Sina eu chamo de Futuro Promissor e saiba tambm que durante os ltimos anos eu esperava que isso acontecesse quase todos os dias, pois sinto que nasci pra ser um vampiro.... mas tambm saiba que se voc no um vampiro ir tomar a maior surra de toda sua vida...(Em sua voz a firmeza de um general que comanda suas tropas...) .

    ContosContosCanes dos FiannaCanes dos FiannaCanes dos FiannaSeo:

  • 29

    Sem mais delongas tomei-o em meus braos e suguei-lhe o pescoo, no inicio rpido, mas depois mais lento, adorava sentir o gosto daquele liquido quente descendo por minha garganta, ainda mais sabendo que isso me renderia um grande companheiro e provavelmente aquele que tomaria meu posto como a tempos eu sonhava.... deixei-lhe apenas uma nica gota de sangue, gota essa que queimou na batida do seu corao... Ele agonizou e quando estava quase perdendo os sentidos ento cortei meu antebrao e permiti que ele sugasse o sangue que vertia de meu corpo , agora aquecido.... ele tomou do liquido sem pestanejar, mesmo naquele estado conservava em sua face o mesmo olhar de esperana... o processo foi doloroso e demorado como sempre o ... algum tempo se passou at que ele pde novamente voltar a me olhar; quando parecia estar terminado, notei que alguns problemas no momento de sua criao aconteceram, pois ainda podia escutar a batida do seu corao, ela era mais tnue do que nos mortais normais, mas existiam com certeza; sua pele no tinha ficado fria como costume nos de nossa espcie, e era rosada, como a de um beb recm nascido.... aquilo no traria nenhum problema " priori" mas deviam ser sinais importantes que no poderiam deixar e ser registrados...

    Passamos alguns anos estudando, ele aprende rapidamente os dons das trevas e com a ajuda do meu sangue ele consegue aprender mais rpido ainda, minha historia e motivaes foram incutidas em sua mente de uma maneira muito forte, at que num determinado momento ele descobriu o que eu desejava fazer... nessa noite ele chorou lgrimas de sangue, mas em silncio deglutiu o que tinha descoberto. Na noite seguinte ele levantou-se cedo e veio at mim...

    Caminhando languidamente me olhou nos olhos , notei mais uma vez aquele medo , aquela sensao de calafrio tomar conta de seu corpo, mas ele apenas me perguntou:

    - Pai, por que far isso??

    Eu sentado na mesa de nosso refugio, lendo alguns escritos antigos, e sem conseguir encar-lo respondi:

    - Meu caro... voc, quando e se conseguir chegar onde eu cheguei, ver que num determinado ponto no se quer, deseja ou sente mais nada nessa longa existncia... apenas o descanso eterno.... eu fiquei feliz deencontr-lo e de ensinar a voc tudo o que sabe... e logo voc saber mais e ser mais forte do que j , pois vou entregar-me a voc, como meu mestre se entregou a mim, e tenho aqui nestes escritos as explicaes de tudo que poder ou no acontecer aps essa integrao ... claro minha alma finalmente descansar, mas meus poderes sero incorporados aos seus, dando-lhe assim capacidade de discernimento, raciocnio ejulgamento muito acima do que voc imagina... por que acha que lhe ensinei sobre todas essas coisas mesmo sem que voc as conhecesse? Eu j tinha em minha mente fazer esse processo a anos, dcadas , sculos, apenas esperava encontrar algum adequado... e agora que encontrei finalmente voc me dar o descano merecido...

    Quando terminei de falar, tinha eu em meus olhos lgrimas de sangue tambm.

    - Mas pai, antes que se v, gostaria de um ultimo conselho, gostaria de saber se voc acha prudente que eu tenha uma companhia, pra que consiga suportar a sua perda, afinal voc o mundo que eu conheo e no sei se aguentarei sozinho...

    ContosContosCanes dos FiannaCanes dos FiannaCanes dos FiannaSeo:

  • 30

    Eu sabendo a resposta, mas no querendo revelar a ele o futuro que o esperava, apenas aconselhei...

    - Filho, voc saber o momento certo de conseguir algum e saber tambm quem conseguir, apenas quero que tome as decises depois da sua transformao e quando j estiver forte o suficiente pra discernir as coisas, certo? E como meu ultimo desejo quero que voc deixe de usar seu nome, e passe a usar o meu, assim sei que sempre se lembrar de mim... volte aqui amanh, neste mesmo horrio, j terei terminado os meus escritos, e sem palavra alguma liberte aquele que realizou a sua vida da maneira que voc merecia e ainda merecer por sculos....

    O silncio tomou conta de nossas mentes , vi quando ele saiu sem dizer nada, deixando-me sozinho ....

    Senti que sua alma finalmente descansaria como ele desejava, no final abri meus olhos pra finalizar a imagem que guardaria dele..... v em seus olhos fechados uma gota de sangue que escorreu pela ltima vez o seu belo rosto.... quando a vida se extinguiu por completo larguei o brao ao lado do corpo, que vagarosamente comeou a tornar-se p....

    "Do p ao p pensei enquanto fechava a tampa do caixo, lacrando-a..... aquela noite foi a noite mais triste de toda minha curta existncia... coloquei-o dentro da caminhonete e levei o caixo at o pico do morro alto que existia na cidade onde moravmos, l abri uma cova com mais de 20 metros e larguei meu mestre l dentro, soterrando-o logo aps, e despistando qualquer rastro de minha estada no local...

    - Como pediu meu senhor, eu Andrew, agora deixo que seus restos mortais descansem neste solo que a muito tempo a sua morada...

    Na noite seguinte fui at ele, estava deitado em seu atade, vestia uma roupa muito antiga, cheia de ornamentos que remetiam a um tempo remoto, esquecido a muitos anos.... estava de olhos fechados, sabia que ele estava acordado, mas como ele tinha me solicitado no falei nada, apenas consumei o ato....

    Mas no no pescoo, pois no me senti capacitado a essa "malcriao" peguei levemente seu pulso glido e comecei a suga-lo, meu corpo abasteceu-se de sangue , um sangue viscoso, fortificante, mais do que qualquer outro que j tive-se sentido, lembrei-me do dia da minha criao, quando tive aquele sangue pela primeira vez em meus lbios, lembrei-me tambm durante os anos e anos em que eu tomava pequenas doses pra que pudesse compartilhar de seus poderes.... mas agora a quantidade era alta pra mim e mortal pra ele, senti a vida ou a morte se esvaindo do corpo dele e passando pra mim..

    ContosContosCanes dos FiannaCanes dos FiannaCanes dos FiannaSeo:

  • 31

    Fui embora do local , voltando ao nosso refugio, e nele vivo at os presentes dias, hoje tenho conhecimentos e habilidades muito maiores do que imaginei um dia ter... e tomei a deciso, quero trazer uma companheira pra dividir comigo a eternidade.... j li e re-li todos os escritos de meu pai e sigo como agora deixando tudo registrado pra que um dia sirva como fonte de inspirao, de conselho e quem sabe dicernimento pra meu predecessor... o fato que a deciso esta tomada e a algum tempo j escolhi minha amada, ela no sabe de minha condio, ou melhor, ela sabe, mas assim como eu ela no acredita que vampiros possam existir, acho que mais alguns erros aconteceram na minha criao e no s aqueles que meu pai escreveu, visto que sinto o que os humanos chamam de amor, por esta mulher, mesmo sem nunca t-la visto em todo este tempo.... meus dias e minhas noites vem sendo tomados por pensamentos nela, tenho apenas uma sada, abandona-la ou traze-la pra perto de mim.... sei o que quero mas ainda no decidi se esse o julgamento correto sobre o que ela quer.

    difcil prever as reaes do que ela far quando descobrir, eu tento em todos os momentos mostrar a verdade a ela, mas assim como eu no estava, ela no esta preparada...

    " Em meus ouvidos um velho CD toca:

    " you don't remember me but i remember you

    i lie awake and try so hard not to think of you

    but who can decide what they dream?

    and dream i do...

    i believe in you

    i'll give up everything just to find you

    Voc no lembra de mim, mas eu lembro de voc

    Eu acordava e tentava duramente no pensar em voc

    Mas quem pode decidir o que sonha?

    E eu sonho

    Eu acredito em voc

    Daria tudo para encontrar voc

    I have to be with you to live to breathe

    you're taking over me

    have you forgotten all i know

    and all we had?

    you saw me mourning my love for you

    and touched my hand

    i knew you loved me then

    i believe in you

    i'll give up everything just to find you

    i have to be with you to live to breathe

    you're taking over me

    i look in the mirror and see your face

    if i look deep enough

    so many things inside that are just like you are taking over

    Letra da Musica Taking Over Me Evanescence.

    Eu tenho de estar com voc para viver, para respirar

    assumir o controle de mim

    Voc esqueceu tudo que eu sei?

    E tudo que ns tivemos?

    Voc me viu lamentar meu amor por voc

    E tocou em minha mo

    Eu soube ento que voc me amou

    Eu acredito em voc

    ,Daria tudo para encontrar voc

    Eu tenho de estar com voc para viver, para respirar

    Assumir o controle de mim

    Eu olho no espelho e vejo seu rosto

    Se eu olho fundo o bastante

    H tanta coisa dentro como voc assumindo o controle de mim

    ContosContosCanes dos FiannaCanes dos FiannaCanes dos FiannaSeo:

    FimFim

  • QuadrinhosQuadrinhosQuadrinhos

    32

    QuadrinhosQuadrinhosQuadrinhos

    32

    A polmica HQ Black Market of Darkness surgiu de uma conversa na internet sobre o WoD.

    Fruto da mente da Ladyroll, com o auxlio do Ps-vida a inteno da HQ esteriotipar os personagens principais do mundo das trevas, como o mago sabe-tudo, o lobisomem macho e brigo, a vampira milenar convencida, o tecnocrata maluco, a bruxa m, entre outros.

    Mas, porque polmica? Porque algumas pessoas acabaram acreditando realmente que os desenhos eram sobre elas e suas prprias vidas pessoais. Bom, talvez alguns aspectos possam realmente ter sido inspirados em alguns jogadores que perambulam pelas mesas dos dois.

    O ttulo Black Market of Darkness foi um nome redundante, que saiu ao acaso, uma vez que a Ladyroll formada em Marketing e o mundo das trevas tem que ser SEMPRE escuro...

    Os personagens tambm se promovem por suas prprias qualidades. O Mago cheio de hbris e tem orgulho de seus conhecimentos universais. O lobisomem sempre metido a macho, um tipo que tem sangue nas veias. A vampira se acha a dona do saber milenar e mistrios obscuros, a mais bela e poderosa criatura do universo. O tecnocrata frio e calculista com nervos de ao. Entre outros.

    Prefiro acreditar que no passou de coincidncia, afinal, quem nunca teve um mago em sua mesa que fosse um advogado de regras, que vivia com o livro de baixo do brao, corrigindo o narrador o tempo todo?

    Ou o vampiro Ventrue aristocrata almofadinha pop-star que acha que sua dominao e presena se estendem a todos os participantes da mesa, inclusive o mestre? Esse j deve ter existido em todas as mesas, sem mencionar Tremeres overpower, Senhores das Sombras trambiqueiros ou os famosos infernalistas, que fazem pactos at com sua prpria sombra!

    Ou aquele personagem brigador, que batia no cara mesmo antes de comear o jogo? Algo do tipo:P1: -Eu ataco ele.M: -Espera, nem comeou o jogo...P1: -No interessa, eu ataco ele mesmo assim!M: ...

    Por isso, vamos fazer nesta edio apenas a apresentao dos personagens, para, no futuro, colocar os quadrinhos relativos a eles.

    Nas pginas seguintes voc acompanha a estria dos quadrinhos de nosso mascote, o Red.

    QuadrinhosQuadrinhosQuadrinhos

    32

    A polmica HQ Black Market of Darkness surgiu de uma conversa na internet sobre o WoD.

    Fruto da mente da Ladyroll, com o auxlio do Ps-vida a inteno da HQ esteriotipar os personagens principais do mundo das trevas, como o mago sabe-tudo, o lobisomem macho e brigo, a vampira milenar convencida, o tecnocrata maluco, a bruxa m, entre outros.

    Mas, porque polmica? Porque algumas pessoas acabaram acreditando realmente que os desenhos eram sobre elas e suas prprias vidas pessoais. Bom, talvez alguns aspectos possam realmente ter sido inspirados em alguns jogadores que perambulam pelas mesas dos dois.

    O ttulo Black Market of Darkness foi um nome redundante, que saiu ao acaso, uma vez que a Ladyroll formada em Marketing e o mundo das trevas tem que ser SEMPRE escuro...

    Os personagens tambm se promovem por suas prprias qualidades. O Mago cheio de hbris e tem orgulho de seus conhecimentos universais. O lobisomem sempre metido a macho, um tipo que tem sangue nas veias. A vampira se acha a dona do saber milenar e mistrios obscuros, a mais bela e poderosa criatura do universo. O tecnocrata frio e calculista com nervos de ao. Entre outros.

    Prefiro acreditar que no passou de coincidncia, afinal, quem nunca teve um mago em sua mesa que fosse um advogado de regras, que vivia com o livro de baixo do brao, corrigindo o narrador o tempo todo?

    Ou o vampiro Ventrue aristocrata almofadinha pop-star que acha que sua dominao e presena se estendem a todos os participantes da mesa, inclusive o mestre? Esse j deve ter existido em todas as mesas, sem mencionar Tremeres overpower, Senhores das Sombras trambiqueiros ou os famosos infernalistas, que fazem pactos at com sua prpria sombra!

    Ou aquele personagem brigador, que batia no cara mesmo antes de comear o jogo? Algo do tipo:P1: -Eu ataco ele.M: -Espera, nem comeou o jogo...P1: -No interessa, eu ataco ele mesmo assim!M: ...

    Por isso, vamos fazer nesta edio apenas a apresentao dos personagens, para, no futuro, colocar os quadrinhos relativos a eles.

    Nas pginas seguintes voc acompanha a estria dos quadrinhos de nosso mascote, o Red.

    Esse z banana que segue a LadyRODO muito gentil, burro de carga e hospitaleiro. Dizem que sua idade superior a 3100 anos, mas h relatos que insinuam que ele muito, muuuuuito mais velho. Alguns dizem que ele um poderoso necromante que foi aprisionado num brinquedo por punio.

    Wyrm. Qualquer lobisomem conhece isso. Essa fora descomunal que devora tudo o que vivo ao seu redor. A Ladyrodo ainda mais feia...e gorda do que a Wyrm e tem mais tentculos. Ela sempre acusada por todos de ser a culpada, s porque uma bruxa; mesmo que ela nem saiba o que est acontecendo na realidade.

    Homem de preto equipado com um aparato de desmemorizao. Este agente do Grande Irmo um espio infiltrado. Ele possui dois rabos de raposa devido ao acidente acontecido no laboratrio no dia em o cido foi criado. Novos relatos secretos insinuam que o Agente Files , na verdade, um Dampir Desperto abominao Kitsune de posto 2 feito em laboratrio, claro.

    Chokobus um personagem de RPG, pr ser mais sincero de Final Fantasy. Na verdade ele o mestre dos disfarces, podendo se tornar vrias criaturas, sendo que a sua forma verdadeira a do simptico pssarinho ao lado. Chokobus o criador do fantstico CHOCOSLATE e tambm tem seu prprio servio de entregas domiciliares super-duper-ultra-rpidas e ele conhecido como: Chokobus Celeridade da Fasca. Sua entrega nunca chega atrasada! Bip-Bip!

    Rank o tpico lobis-HOMI-CABRAMACHO-SIMSINH, espcie fodnica de lobisomem que bate em todo mundo que atravessa seu caminho e tem pavio curto. Ele vive em um caern urbano alugado, no 3andar, bairro do Salgado na cidade de Caruar. Seus biscoitos preferidos vm em pacotes de 50 e 100Kg conhecido como ''Rao Garou''. Vejam que Slogan sensacional: "Rao Garou: mais fora para seu crinos!'' Ele adora!

    O Mago multi-tradicionalista-super-entendido-em-metafsica-discpulo-do-grande-porthos-ns-te-amamos-cara. Conde Skull nasceu em um sub plano que existe alm do tempo e do espao como o conhecemos. Especula-se que ele na verdade fruto de experimentos de clonagem dos progenitores usando fios de cabelo de Porthos.

    CHARLOTTi vivia numa ilha gaulesa a 3000 anos atrs e foi transformada em vampira por um mega-anti-diluviano Torador e lindo chamado Lestat, que preferiu mais tarde, troc-la por Brad Pitt porque ele era muuuuito mais bonito. CHAT-i, como ela passou a se chamar desde esse acontecimento, saiu em busca de um mundo onde pudesse realizar seu conto de fadas: ser a mais poderosa ditadora vamrica de todos os tempos.

    Um brilhante cientista. Uma cagada no laboratrio. Assim surgia o CIDO. Seu corpo foi consumido por um cido poderosssimo mas que o manteve vivo por causa de suas propriedades radioativas. Atualmente cido o principal conselheiro e cabea do BMoD e bem respeitado por isso. O lquido de seu tubo nunca acaba, bastando inserir alimentos ou outros lquidos em seu interior para o cido o digerir e aumentar o fluxo para sua quantidade normal.

    Ps-morte

    Ladyrodo

    Agente Files

    Rank

    Conde Skull

    CHAT-i

    cido

    Ramo-primaveril

    Chokobus

    K

  • 33

    Canes dos FiannaCanes dos FiannaCanes dos FiannaSeo:

    33

    Canes dos FiannaCanes dos FiannaCanes dos FiannaSeo: QuadrinhosQuadrinhosQuadrinhos

    Por Memei (psicografado por Chico Chavier) - Ilustraes por LadyrollConfia SempreConfia Sempre

    No percas a tua f entre as sombras do mundo...

  • 34

    Canes dos FiannaCanes dos FiannaCanes dos FiannaSeo: QuadrinhosQuadrinhosQuadrinhos

    ...ainda que teus ps estejam sangrando, segue para frente, erguendo-a por luz celeste, acima de ti mesmo.

    Cr e Trabalha. Esfora-te no bem e espera com passincia. Tudo passa e tudo se renova na terra, mas o que vem do cu permanecer.

  • 35

    Canes dos FiannaCanes dos FiannaCanes dos FiannaSeo: QuadrinhosQuadrinhosQuadrinhosDe todos os infelizes, os mais desditosos so osque perderam a confiana em Deus e em si mesmos,porque o maior infortnio sofrer a privao da f e proceguir vivendo.

    Eleva, pis, o teu olhar e caminha. Luta e serve. Aprende e adianta-te. Brilha a alvorada alem danoite.

  • 36

    Canes dos FiannaCanes dos FiannaCanes dos FiannaSeo: QuadrinhosQuadrinhosQuadrinhosHoje possvel que a tempestade te amarfanhe o corao e te atormente o ideal, aguilhoando-tecom aflio ou ameaado-te com a morte...

    No esqueas, porm, de que amanh ser outro dia.

  • 37

    A Teia Digital dessa edio no vai trazer links, como nas edies anteriores.

    Imagine-se com sua famlia, vivendo numa ilha isolada, um local de onde vocs no podem sair, um lugar com comida e gua potvel que p rec isam se r conservados e usados limitadamente ou eles viro a acabar, matando todos os que voc ama de fome e sede. Sua famlia vai aumentando com o passar dos tempos e dezenas se tornam centenas, que se tornam milhares por sua vez e a ilha vai ficando cada vez mais apertada e a comida e a gua cada vez mais escassas.

    Agora olhe mais longe.Moramos mesmo em uma ilha, de onde no

    temos como fugir. O planeta Terra est morrendo e essa ilha espacial que nos abriga precisa de ajuda para sobreviver. Se a Terra morre, bom, ns morremos com ela e todo mundo aqu j bem grande para perceber que esse assunto no mais apenas uma suposio do livro Lobisomem: o Apocalipse; uma verdade, certamente inconveniente para muitos, como mostrado no fantstico documentrio de AlGore: An Inconvenient truth (Uma verdade inconveniente) que mostra claramente como as aes do homem esto levando o planeta sua destruio iminente e consequentemente ns, seus moradores.

    Quando insistimos nesse assunto no queremos ser chatos ou repetitivos. Queremos SOBREVIVER.

    O maior problema que muita gente fica falando que assuntos como aquecimento global ou efeito estufa; aumento de Co2 na atmosfera e acidez nos oceanos; derretimento das calotas polares, extinso de espcies (so 19 que desaparecem para sempre todos os dias) apenas um papo chato de ativistas ecolgicos metidos.

    Gente. Abre os olhos. Nunca se falou tanto de ecologia como atualmente. Nunca se precisou tanto mudar os hbitos em prol da prpria sobrevivncia. Coisas como banhos demorados e quentes, gua aberta enquanto ensaboamos vasilhas na pia, lavar roupas todos os dias, usar e abusar de produtos qumicos sem necessidade, gastar luz eltrica o tempo todo; isso so coisas que devem ser apagadas de nossas vidas se quisermos continuar vivos.

    Quanto mais gastarmos, mais nos ser escasso. Isso uma verdade na vida. Nuca um jogo foi to atual.

    As mega corporaes podem ser grandes poluidoras, porm, ns, populao mundial, que somos a maioria. Somos ns que compramos seus produtos que so fabricados agredindo o meio ambiente. Somos ns que gastamos a maior parte da gua e da energia e que somos tambm grandes poluidores em nosso dia a dia.

    Precisamos partir para a ao.A crise climtica pode ser resolvida. Voc

    pode reduzir suas emisses de carbono. Compre aparelhos eficientes e lmpadas econmicas. No abuse do ar condicionado e saiba que ele rende mais em ambientes que no deixem escapar o ar frio. Recicle. Prefira carros flex ou lcool, que polui menos que a gasolina. Diga a seus pais que parem de poluir o mundo onde voc vive. Se for pai ou me, junte-se a seus filhos una-se a eles para salvar o mundo em que vivero. Passe a usar fontes de energia renovveis ao invs das poluentes. Eleja lderes que prometam resolver essa crise. Escreva ao Congresso. Se eles no ouvirem, concorra a uma cadeira e lute voc mesmo. Plante rvores. Muitas rvores. Chame a ateno da sua comunidade. Ligue para as rdios, para a tv local, escreva para os jornais, d palestras para seus vizinhos. Faa. Una-se aos esforos internacionais para deter o aquecimento global. Reduza sua dependncia ao petrleo incentive o plantio para extrao de lcool e controle o gasto de combustveis. Exija automveis com emisses mais baixas. Se acredita em orao, reze para que voc e as pessoas ao seu redor encontrem foras para mudar suas aes e mude, pois no basta se sentar e rezar sem fazer nada para que sua vontade se torne real. Aprenda o mximo que puder sobre a crise climtica e transforme esse conhecimento em ao. Veja o filme que foi mencionado nesse texto: Uma verdade Inconveniente e fale para todos que conhece para verem esse filme. Independente de seu jogo preferido, a Terra precisa ser salva. Nossa mae est morrendo e ns, da Red Guar temos convico de que podemos mudar isso. Com nossas aes.

    A Red Guar se sente responsvel. Ela 100% digital e isso a torna, em parte, no poluente. Esperamos que outros sigam nosso exemplo e diminuam as derrubadas de rvore pelo papel, ou mesmo que revejam suas polticas e passem a usar em parte, materiais reciclados. A nossa me agradece e voc continua vivo.

    Teia DigitalTeia DigitalApocalipse virtual real

    Faa sua parte. Se for imprimir ssa revista, use papel reciclado.

  • No se esquea.Uma pessoa faz uma pequena mudana.

    Vrias pessoas fazem uma mudana enorme. Faa voc a diferena.

    E, por favor, no tenha vergonha por ser algumque vai ser responsvel por ter contribudo

    para um mundo melhor.

    At a prxima edio. Aguardamos a sua colaborao, como sempre!

    Redguara@gmail.com

    www.climatecrisis.net