Recursos Materiais e Patrimoniais de produtos auxiliares, produtos que servem para a ... Arranjo fsico do estoque 5. Classificao de criticidade . ANLISE ABC

  • Published on
    07-Feb-2018

  • View
    214

  • Download
    1

Transcript

  • B1

    Recursos Materiais e Patrimoniais

    Prof. Fernando Leonel

  • CONTEDO DAS AULAS

    1. Planejamento e controle de estoques.

    2. A importncia dos estoques.

    3. Demanda na formao dos estoques.

    4. Mtodos de previso de demanda.

    5. Grficos dos estoques.

    6. Giro de estoques e rotatividade.

  • O QUE LOGSTICA?

    A logstica a rea da administrao responsvel por:

    Transporte

    Armazenagem (estoques)

    Compras

    Distribuio

    Planeja, implementa, controla fluxos de forma correta tudo o que diz respeito aos produtos.

  • PLANEJAMENTO E CONTROLE DE

    ESTOQUES

    Ser competitivo questo de sobrevivncia para as empresas.

    Com essa percepo, a insero de servios diferenciados para encantar o cliente passou a ser mais comum entre as organizaes.

    Para ser competitivo necessrio administrar corretamente os recursos da empresa:

    Recursos materiais, humanos, tecnolgicos e logsticos.

  • PLANEJAMENTO E CONTROLE DE

    ESTOQUES

    Os tipos existentes de estoques:

    Estoques de matrias-primas: materiais e componentes adquiridos de fornecedores que passaro por manufatura. Exemplo minrio de ferro, trigo, soja, etc...

    Estoques de materiais em processo: materiais que esto passando ainda pelo processo de transformao. Exemplo veculo na linha de montagem.

  • PLANEJAMENTO E CONTROLE DE

    ESTOQUES

    Os tipos existentes de estoques:

    Estoque de produtos auxiliares,

    produtos que servem para a

    manuteno do local de trabalho e

    suporte operao, que no esteja

    ligado diretamente a produo.

    Exemplo leo lubrificante para

    mquinas, materiais de limpeza,

    escritrio, etc...

  • PLANEJAMENTO E CONTROLE DE

    ESTOQUES

    Outras denominaes para tipo de estoques:

    Materiais diretos: so aqueles que se agregam ao produto final. Gozam de direitos de crdito de IPI, ICMS, PIS e COFINS.

    Materiais indiretos: aqueles que no agregam ao produto final, necessrios para a manuteno da empresa. No gozam de crditos de impostos.

  • PLANEJAMENTO E CONTROLE DE

    ESTOQUES

    Os tipos existentes de estoques:

    Estoque de produtos acabados: produtos prontos que esto aguardando serem vendidos ou entregues pelo fabricante.

    Mais tipos de estoques

    Estoque em consignao: produtos que esto no ponto de venda mas ainda pertencem ao fabricante

  • A IMPORTNCIA DOS ESTOQUES

    Estoque em trnsito: quando o produto j foi despachado pelo fabricante, mas ainda no chegou ao seu destino final.

    A formao de estoques estratgica para o atendimento s necessidades da empresa.

    Influenciam

    Diminuio ou aumento do preo do item

    Ampliar ou diminuir o prazo de entrega aos clientes

  • A IMPORTNCIA DOS ESTOQUES

    Rpida ou lenta adaptao s

    necessidades de mercado.

    Para Martins (2005) os estoques so

    mantidos para melhorar os servios

    ao clientes e dar suporte rea de

    marketing, que ao criar a demanda,

    necessita do produto disponvel no

    momento que o cliente deseja.

  • A IMPORTNCIA DOS ESTOQUES

    Economia de escala: quando o produto fabricado continuamente e em quantidades constantes, o processo produtivo deve buscar um equilbrio entre custos e atendimento ao mercado.

    Quando se produz uma quantidade maior, o custo de produo diminui, pois h um rateio de despesas fixas.

    Mas importante lembrar que mesmo tendo ganho de produo, haver aumento de custos para manter os estoques.

  • A IMPORTNCIA DOS ESTOQUES

    Para produtos que tem uma variao de preos considervel, pode ser interessante a estocagem alta para minimizar o impacto do aumento de preos pelos fornecedores.

    Essa prtica vivel quando os preos so estveis, quando h uma queda de preos, manter estoques pode ser perigoso.

    Proteo contra contingncias, greve de transportes, falta de matria-prima, atrasos de liberao alfandegria.

  • A IMPORTNCIA DOS ESTOQUES

    Estoques = necessidade

    A questo equilibr-lo na quantidade adequada para cada situao.

    Just in time = no tempo da necessidade.

    Para reduzir o custo final do produto, necessrio procurar a melhor alternativa de produo, estocagem e entregas menores e mais frequentes, com prazos cada vez menores.

  • DEMANDA NA FORMAO DOS

    ESTOQUES

    Vimos que o estoque formado a partir das compras realizadas pela empresa.

    E so feitas de acordo com algum parmetro, forma de previso do que vai ocorrer no mercado ou necessidades de produo.

    Previso de demanda. Como descobrir o quanto ser consumido pelo mercado.

    Cada produto e cada poca influenciam na construo desta informao.

  • DEMANDA NA FORMAO DOS

    ESTOQUES

    Como o prprio nome diz, uma

    previso, no uma certeza, quanto

    mais prximo esse nmero for da

    realidade, o gestor ter mais base

    para planejar o nvel de estoque, e

    quanto dever comprar ou fabricar

    para poder atender s necessidades

    de seus clientes internos e externos.

  • DEMANDA NA FORMAO DOS

    ESTOQUES

    Variveis que podem interferir na avaliao da previso de demanda.

    Padres bsicos de comportamentos ao longo do tempo, que podem ser estimados por mtodos de previses.

    Variveis aleatrias, cujas causas so to variadas que se torna virtualmente impossvel prev-las.

    Lanamento de um produto inovador

  • DEMANDA NA FORMAO DOS

    ESTOQUES

    Formas de estimar a demanda:

    Mtodo qualitativo: baseado em opinies e estimativas de diretores, gerentes, vendedores e consultores especializados. Sentimento das pessoas envolvidas no relacionamento com o mercado consumidor.

    Mtodo quantitativo: baseado em ferramentas estatsticas e de programao da produo. a utilizao de clculos matemticos, para encontrar mdias e desvios por perodo.

  • DEMANDA NA FORMAO DOS

    ESTOQUES

    Exemplo de mtodo quantitativo, Vendas Existem vrias maneiras de utilizar os dados

    desta tabela, a mdia do semestre pode ser um indicador para a compra do ms seguinte, porm necessrio analisar as variaes da demanda.

  • DEMANDA NA FORMAO DOS

    ESTOQUES

    Pode-se utilizar a mdia dos ltimos dois meses para diminuir as distores, mas tambm no garantido.

    Ou tambm utilizar o histrico do ano

    anterior, analisando o mesmo perodo. Mas no podemos esquecer que esta forma utiliza apenas matemtica e no pode ser a nica forma de anlise das previses.

    Um complemento seria a anlise

    qualitativa, das pessoas envolvidas no processo, anlise da economia, mercado, concorrncia, ou regra governamental que possa influenciar na distoro da demanda.

  • DEMANDA NA FORMAO DOS

    ESTOQUES

    Tipos de demanda:

    Independente: est relacionada com as condies de mercado, e, portanto, fora do controle da empresa. Produtos acabados e peas de reposio.

    Dependente: depende da demanda conhecida, esto sob o controle da empresa, componentes necessrios para a produo de bens com quantidades definidas.

  • DEMANDA NA FORMAO DOS

    ESTOQUES

    Exemplo: confeco que fabrica e revende camisas, possui em seu estoque:

    Tecido

    Linha

    Etiquetas

    Botes

    Camisas (prontas)

    Neste caso os tecidos, linhas, etiquetas e botes so de demanda dependentes, e as camisas prontas so produzidas de acordo com as necessidades do mercado.

  • DEMANDA NA FORMAO DOS

    ESTOQUES

    Uma forma de calcular a demanda

    dependente o sistema MRP,

    Planejamento das necessidades de

    materiais.

    Coloca o produto em exploso ou

    em rvore de produto.

    Camisa

    Manga 2

    Frente 1

    Costas 1

    Gola 1

    Boto 2

    Entretela

    1 Bolso

    1 Boto

    8 Punho

    2 Boto

    2

  • DEMANDA NA FORMAO DOS

    ESTOQUES

    Para formar uma camisa, teria que produzir:

    E teria ainda que comprar oito botes para a frente e dois para a gola, total dez unidades.

  • DEMANDA NA FORMAO DOS

    ESTOQUES

    Precisamos tambm conhecer o comportamento da demanda.

    Constante: no tem variao significativa de consumo ao longo do tempo se no houver grandes mudanas no cenrio. Exemplo sal e combustveis.

    Varivel: existe variao significativa no consumo no decorrer do tempo, de acordo com as necessidades dos clientes.

  • DEMANDA NA FORMAO DOS

    ESTOQUES

    Tendncia: mostra a direo bsica do consumo, pode aumentar, diminuir ou estabilizar.

    Sazonalidade: mostra o comportamento das alteraes do consumo, que se repete em um intervalo curto de tempo. Natal, Pscoa, Carnaval, etc...

    Ciclicidade: mostra o comportamento das alteraes do consumo, num perodo longo de tempo. Normalmente dcadas.

  • MTODOS DE PREVISO DE DEMANDA

    Mtodo da mdia mvel

    uma anlise quantitativa, exige dados histricos sobre as ocorrncias na empresa.

    Deve levar em conta alguns aspectos:

    Dados histricos: em volume que seja significativo;

    Assumir a hiptese de que o cenrio no mudar;

  • MTODOS DE PREVISO DE DEMANDA

    Considerar que dados antigos teriam

    o mesmo peso na previso de

    perodos futuros;

    Picos de demanda peridicos

    interferem nas mdias, por causa do

    comportamento do consumidor.

  • MTODOS DE PREVISO DE DEMANDA

    Mdia 1266 unidades.

    Ms maio, vendas altas (dia das mes).

    Ms fevereiro (vendas fracas).

    Pode ser feito a anlise de um trimestre, ou semestre.

  • MTODOS DE PREVISO DE DEMANDA

    Mtodo da mdia mvel ponderada.

    Pretende-se calcular a demanda para o ms de maro ano Y.

    Maior peso do clculo est no mesmo perodo do ano anterior.

  • MTODOS DE PREVISO DE DEMANDA

    Fazer uma anlise de demanda com

    preciso fundamental, pois essa

    anlise permite formar os estoques

    que podem resultar em excesso ou

    falta de mercadorias.

    Interferindo diretamente em custos e

    no nvel de atendimento aos clientes.

  • GRFICO DE ESTOQUES

    Variao do estoque em funo do

    tempo.

  • GRFICO DENTE DE SERRA

  • GIRO DE ESTOQUES E ROTATIVIDADE

    Pode-se calcular o giro de estoque de algumas maneiras:

    Custos de vendas anuais / estoques

    Informaes que podem ser obtidas na DRE e balano patrimonial.

    O giro de estoques mede quantas vezes esse ativo se renovou na empresa.

    GE = Valor consumido no perodo Valor do estoque mdio no perodo

  • GIRO DE ESTOQUES E ROTATIVIDADE

    Movimentao em reais da empresa Stock Rpido no semestre.

    Observem que os meses comeam e terminam com valores de estoques diferentes. Ento utilizaremos a frmula (estoque inicial + estoque final) / 2 em cada um dos meses.

  • GIRO DE ESTOQUES E ROTATIVIDADE

    Podemos calcular os estoques mdios de janeiro a junho, dividindo o total mdio do semestre por seis.

    EM= 576.597,20 = 96.099,53

    6

    GE = Valor consumido no perodo

    Valor do estoque mdio no perodo

    Ms (EI+EF)/2 Estoque Mdio

    Janeiro (124.237,35+79,466,02)/2 101.851,70

    Fevereiro (79.466,05+162.914,28)/2 121.190,17

    Maro (162.914,28+73.804,40)/2 118.359,34

    Abril (73.804,40+81.358,90)/2 77.581,65

    Maio (81.358,90+45.369,78)/2 63.364,34

    Junho (45.369,78+143.130,22)/2 94.250,00

    Total 576.597,20

  • GIRO DE ESTOQUES E ROTATIVIDADE

    GE= 1.667.037,59 = 17,34 vezes

    96.099,53

    Isso significa que o estoque girou quase dezoito vezes durante o semestre, como regra, esse ndice quanto maior melhor.

    Com esses dados, tambm possvel analisar o tempo de cobertura de estoques.

    Este ndice mostra, quanto tempo os estoques permaneceram na empresa.

  • GIRO DE ESTOQUES E ROTATIVIDADE

    Cobertura em dias = Nmero de dias do perodo em estudo

    Giro Nmero de dias = 6 meses x 30 = 180 dias Ento: Tempo de cobertura = 180 = 10,38 17,34 Isso significa que os estoques duraro 10

    dias. Essa percepo essencial para atender a

    demanda sem risco de interrupo, pois cada tipo de produto tem um lead time diferente do outro.

  • CONTEDO DAS AULAS

    1. Anlise ABC

    2. Quais relatrios so possveis com a

    anlise ABC.

    3. Unitizao de estoques

    4. Arranjo fsico do estoque

    5. Classificao de criticidade

  • ANLISE ABC

    A necessidade do consumidor atual, exige das empresas um mix de produtos, amplo e competitivo.

    O ciclo de vida dos produtos so cada vez mais curtos e acabam sendo um desafio para os gestores de logstica das organizaes.

    Estoques de grandes armazns chegam a ter mais de 100.000 itens.

    Como administr-los de maneira eficaz?

  • ANLISE ABC

    Uma forma muito utilizada pelas empresas separ-los e fazer uma anlise ABC.

    Para entendermos de maneira simples, classificar e separar os itens do estoque por importncia em relao quantidade movimentada x custos.

    Itens da classe A produtos que so mais importantes em movimentao x custo.

    Itens da classe B - produtos que tem uma importncia intermediria em movimentao x custo.

  • ANLISE ABC

    Itens da classe C - produtos que tem menor importncia intermediria em movimentao x custo.

    Segundo Martins (2005) no existe forma totalmente aceita de qual o percentual do total de itens que pertencem classe A, B ou C.

    A grande maioria das empresas acreditam que 20% dos itens representam 80% da movimentao geral da empresa.

  • ANLISE ABC

    Enquanto 50% dos outros itens

    representam a classe C, e os 30%

    intermedirios so chamados de

    classe B.

    Para construir a curva ABC do estoque

    sabendo-se que, so necessrios

    alguns dados de movimentao e

    custo da empresa.

  • PASSO A PASSO CURVA ABC

    Relao de itens de estoque da

    empresa Condor

  • PASSO A PASSO CURVA ABC

    1 passo multiplicar movimentao

    por custo.

  • PASSO A PASSO CURVA ABC

    2 passo classificar os itens em forma

    decrescente.

  • PASSO A PASSO CURVA ABC

    3 passo somar todas as sadas.

  • PASSO A PASSO CURVA ABC

    Aqui j possvel perceber os valores

    consumidos por item.

  • PASSO A PASSO CURVA ABC

    O 4 passo localizar a participao do

    item em relao ao total movimentado

  • PASSO A PASSO CURVA ABC

    5 passo somar os percentuais e

    definir a classificao

  • PASSO A PASSO CURVA ABC

    Agora, sim atribuir o nome da

    classificao

  • GRFICO CURVA ABC

    Classe

    A

    Classe B

    Classe C

  • ANLISE DA CURVA ABC

    Com esta classificao possvel analisar os seguintes pontos:

    Classe A 3 itens que representam 20% e 60,00% dos gastos.

    Classe B 5 itens que representam quase 30% dos gastos.

    Classe C que representam 7 itens que somados resultam em 11,64 % dos gastos.

  • ANLISE DA CURVA ABC

    Agora novamente com os estoques

  • ANLISE DA CURVA ABC

    Um clculo da necessidade de

    compra

  • ANLISE DA CURVA ABC

    Frmula para definio de compra.

    Se o consumo dirio x o lead time +

    estoque de segurana for maior que o

    estoque do dia, ele ir informar se h

    necessidade de compra ou no.

    Esta verificao deve ser diria.

  • ANLISE DA CURVA ABC

    No dia seguinte:

  • ANLISE DA CURVA ABC

    Essa ferramenta de anlise por classificao proporciona a possibilidade de gerenciar cada item como ele merece ser tratado, e priorizado aquilo que possa trazer a diferena para a empresa.

    Imagine perder tempo negociando algum desconto para o item 3010, que representa 0,09% do total.

    Sendo que o item 2035, representa sozinho, quase 30% dos gastos da empresa.

  • ANLISE DA CURVA ABC

    Este produto deve ter seu controle de estoque e sadas muito rigoroso e a conferncia de recebimento deve ser 100%.

    Podemos utilizar a classificao ABC, para definir a localizao dos itens no armazm, por exemplo, os itens classe A, mais prximos da regio das portas e os classe C, mais podero ficar em locais mais distantes.

  • UTILIZAO DOS DADOS CURVA ABC

    Perceba que para uma gesto eficaz de estoques, so necessrios clculos matemticos constantes.

    Um exemplo de aplicao de gesto de estoques.

    Um fabricante produz 3 itens diferentes (X,Y,Z), que possuem embalagens com dimenses diferentes (comprimento x largura x altura), vamos definir o melhor arranjo fsico para cada produto, num palete padro PBR.

  • UNITIZAO DE ESTOQUES

    Dados de armazenagem

    Sempre interessante unitizar os itens para uma melhor gesto do estoque.

    Unitizar reduzir volumes, exemplo, unidades em uma caixa e caixas em um palete.

  • UNITIZAO DE ESTOQUES

    Quantos paletes teremos para cada item?

    Produto X

    Largura 0,476 x 0,397 comprimento = 0,19 m.

    Palete = 1,0 x 1,20 = 1,2 m.

    Ento 1,2 / 0,19 = 6,31 unidades no palete.

  • UNITIZAO DE ESTOQUES

    Quando o resultado no for de nmeros inteiros, deve-se calcular para baixo.

    Produto X = 6 unidades no palete.

    O produto X tem seu empilhamento mximo de 4 unidades, e lastro de 6, total de caixas por palete 24 unidades.

    O peso do palete 11 Kg por caixa x 24 caixas, total de 264 kg. (desconsiderando o peso do palete.

  • UNITIZAO DE ESTOQUES

    Aplicando o mesmo conceito para os produtos Y e Z, temos

    Produto X 24 caixas por palete

    Produto Y 9 caixas por palete

    Produto Z 4 caixas por palete

    Acusamos um recebimento de:

    Produto X 600 caixas / 24 = 25 paletes

    Produto Y 400 caixas / 9 = 45 paletes

    Produto Z 200 caixas / 4 = 50 paletes

    Total 120 paletes para estocar.

  • ARRANJO FSICO DO ESTOQUE

    Uma questo que seria comum: em

    qual local estocar cada um dos

    produtos?

    A aplicao do conceito ABC

    pressupe a necessidade de estocar

    cada item de acordo com seu item.

    Palete

  • ARRANJO FSICO DO ESTOQUE

    Se cada palete tem 1,2 m e no total

    120 paletes para estocar, caso no

    queremos sobrepor nenhum.

    necessrio 1,2 x 120 = 144 m.

    De acordo com o conceito ABC

    Classe A

    Classe B

    Classe C

  • ARRANJO FSICO DO ESTOQUE

    Segundo Martins (2005), a classificao ABC apenas um clculo matemtico, e no deve ser a nica fonte para a tomada de deciso, as vezes 1 parafuso da classe C, pode parar a produo de uma fbrica.

    Uma alternativa amplamente adotada pelo mercado a avaliao por criticidade dos produto, quanto ao impacto que sua falta causar na operao da empresa, na facilidade de substituio do item, e na velocidade de obsolescncia.

  • CLASSIFICAO DE CRITICIDADE

    Classe A: imprescindvel, sua falta interrompe a produo.

    Classe B: importante, sua falta no interrompe a produo no curto prazo.

    Classe C: demais itens, que podem ser facilmente substitudos, pois tem baixa complexidade, geralmente so ofertados por muitos fornecedores.

    interessante uma anlise cruzando o grau de criticidade com o grau de importncia.

  • CLASSIFICAO DE CRITICIDADE

    Anlise cruzada da tabela acima dos graus de criticidade com a anlise ABC (custo x quantidade).

    Temos dois itens na classe A de criticidade, quatro na classe B e nove na classe C.

  • ANLISE CRITICIDADE X ABC

    Enquanto na anlise ABC simples

    (custo x movimentao) temos: classe

    A trs itens, quatro itens na classe B e

    oito itens na classe C. So parmetros

    diferentes que juntos podem chegar

    uma informao muito importante

    para a tomada de deciso.

Recommended

View more >