Projeto de Ao Pedaggica e Informtica

  • Published on
    14-Jan-2016

  • View
    24

  • Download
    0

DESCRIPTION

Projeto de Ao Pedaggica e Informtica. Rosemary dos Santos, Flora de Jesus e Arlete Rios. Apresentao. - PowerPoint PPT Presentation

Transcript

  • Projeto de Ao Pedaggica e InformticaRosemary dos Santos, Flora de Jesus e Arlete Rios

  • ApresentaoO trabalho apresenta o desenvolvimento e os resultados de um Projeto de Aprendizagem Colaborativa na Escola Municipal Professora Olga Teixeira de Oliveira, Ensino Fundamental da Rede Municipal de Educao de Duque de Caxias, no Rio de Janeiro.Os alunos correspondentes ao sexto e stimo ano do ensino fundamental diurno, entre 12 e 15 anos de idadeda respectiva escola e alguns professores de diferentes disciplinas.

  • Objetivos Gerais

    1. Favorecer a aprendizagem significativa a partir do uso das novas tecnologias de informao e comunicao de alunos e professores da escola pblica. 2. Levar alunos e professores a refletirem sobre a aprendizagem colaborativa na resoluo de problemas comuns da comunidade escolar.

  • Objetivos Especficos:

    1.Desenvolver com os alunos do Ensino Fundamental atividades significativas de aprendizagem.

    2. Pesquisar na internet assuntos de sua escolha e interesse.

    3. Criar umblog cujos tema e registroso referentes aoobjeto de sua pesquisa.

    4. Tecer consideraes no blogsobre os resultados de sua pesquisa.

  • 5. Interagir com os blogscriados pelos colegas com suas respectivas pesquisas.

    6. Discutir possibilidades da pesquisa colaborativa, como oportunidade de aprendizagem significativa para alunos e professores.

    7. Investigar o impacto do uso das ferramentas de busca e registro no processo ensino/aprendizagem.8. Identificar as vantagens e as dificuldades, no espao da escola, ao utilizar as tecnologias computacionais e o uso das interfaces comunicacionais da Internet.

  • Sujeitos do Projeto A Escola Municipal Professora Olga Teixeira de Oliveira uma das 145 escolas de Ensino Fundamental da Rede Municipal de Educao de Duque de Caxias, no Rio de Janeiro. Composta por uma variedade de elementos que a coloca de forma singular em relao s demais escolas da rede possui um corpo discente formado por alunos residentes em vrias regies que margeiam a escola, inclusive de outros municpios vizinhos. Enquanto seu quadro de professores conta com o grupo que mora prximo a escola e outro fora do Municpio. Professores e alunos, neste contexto, no usavam computadores em suas prticas do cotidiano e a grande maioria no tinha acesso a Internet.

  • Problemas sociaismarcantesContando com problemas sociais bem marcantes, alunos que moram em favelas, com situaes financeiras precrias e que vivem em condies subumanas (moram em barracos, beira de vales, em quitinetes, etc..) onde pais e familiares saem pela manh para o trabalho em outros municpios prximos e s voltam noite para dormir, a escola acaba tornando-se o nico espao de interao, lazer e aprendncia desses jovens. (Projeto Poltico Pedaggico/2002).

  • Trabalho com a Internet e suas interfaces

    O trabalho com a Internet e suas interfaces comunicacionais atravs da Pesquisa Colaborativa iniciou-se no primeiro semestre de 2002. Ele fez o grupo refletir que no bastava colocar computadores conectados nas escolas, que isso no era suficiente para que transformaes acontecessem nas prticas pedaggicas. A escola se constitui emum espao produtor de conhecimentos, cultura e informaes. A articulao destas tecnologias com outros fatores que criaria um ambiente verdadeiro de aprendizagem, onde as caractersticas dos jovens da baixada fluminense, as proposies dos professores, o uso das diferentes linguagens e as interfaces de comunicao ofereceriam espaos para emergir, provocar, incluir e produzir conhecimento.

  • O papel do professorSeu papel passa a ser o de orientador, construindo junto, para que o aluno aprenda mais, ampliando seu potencial. O professor, ento, deixa de transmitir informaes para instrumentalizar o aluno criando situaes de aprendizagem que possibilitem a troca. Levy ressalta que "A principal funo do professor no pode mais ser um difusor dos conhecimentos, que agora feita de forma mais eficaz por outros meios. Sua competncia deve deslocar-se no sentido de incentivar a aprendizagem e o pensamento".

  • Professores e alunos

    Professores e alunos, tomando para si os recursos que a Internet disponibiliza, assumem o papel de centrar suas atividades no acompanhamento da aprendizagem, problematizando e desafiando, promovendo a curiosidade e proporcionando a autonomia no processo da aquisio de novos saberes e principalmente dialogando estes saberes com seus pares nas diferentes reas.

  • FundamentaoO Brasil est muito aqum de outros pases em termos de formao de jovens pesquisadores. Fatores vrios contribuem para essa situao. Hillebrand, em seu artigo "Pesquisa Escolar, uma Motivao ao Ensino de Qualidade" (Educere, 2004, disponvel em http://revistas.unipar.br/educere/article/viewFile/180/154aponta que a falta do hbito da escrita umadas principaisorigensem que resulta na dificuldade por parte dos alunosem elaborar uma pesquisa escolar.Tambm, continua a autora, a dificuldade em expressar-se oralmente, ambas so consequncias de anos escolares, onde o contedo dado de forma passiva com respostas prontas.

  • Desse modo, nose constri conhecimento, apenas acumula-se saberes sem compreenso e reflexo dos mesmos.Segundo Vygotsky (1984), construir conhecimentos implica numa ao partilhada, j que atravs dos outros que as relaes entre sujeito e objeto so estabelecidas. Demo considera (1997) que o desafio de educar pela pesquisa tem em vista o perfil do cidado e do profissional moderno, de quem se espera competncia questionadora reconstrutiva, no a simples reproduo de saberes e fazeres.Defensor da educao reconstrutiva, Demo(2000), sustenta ainda que o "nvel educacional se atinge quando aparece um sujeito capaz de propor, de questionar". Para despertar esse esprito na criana, ele receita muita pesquisa e incentivo elaborao prpria de cada aluno. Nesse cenrio, a aula tem papel coadjuvante. Indispensvel mesmo s a orientao e o acompanhamento atento do professor.Ele no acredita, porm, ser preciso insurgir-se contra a aula ou o modelo instrucionista.

  • Aoutilizar a internet e a interface de comunicao do blog,propomos uma educao/aprendizado onde o uso de computadores conectados sejam facilitadores de aprendizagem. Segundo Maia (2003), este tipo de educao/aprendizado transforma a relao tradicional na sala de aula. O conceito de autoridade do professor e seu domnio sobre o processo de ensino transformam-se em compartilhamento do aprendizado. Surge uma nova relao entre alunos e professores, mediada pelas tecnologias computacionais, como a Internet. Neste novo modelo de educao, os professores desempenham mais o papel de facilitadores do que de especialistas, pois na pesquisa colaborativa alunos e professores aprendem juntos.

  • Por que Projeto Aprendizagem Colaborativa? Primeiro, porque pensamos na escola como um todo: Em um projeto que aos poucos fosse envolvendo professores, alunos e demais membros da comunidade escolar.Segundo, porque traamosobjetivos a partirde problemticasque afligemboa parte do professorado e consistem no 'calcanhar de Aquiles' dos alunos atravs de toda trajetria escolar:

    A pesquisa escolar e o seu registro

  • Metodologia O mtodo aplicado para dar incio efetivo ao projeto partiu de perguntas que foram introduzidasaos alunos da seguinte forma: "O quevocs gostariam muito saber?" "O que gostariam de pesquisar?""Qual a pergunta que se fariam sobre algo que gostariam muito saber?"Dessas perguntas, resultaram inmeras respostas

  • A partir de suas perguntas, o aluno foi orientadoaesboar umesquema de pesquisa por um professor que ficou responsvel por um grupo de 8 alunos para execuoda pesquisa.Estrutura:a- Pergunta de pesquisa.b- Justificativas para a perguntac-Perguntas secundrias (opcional).d-Indicao dasfontes de pesquisa.e- Avaliao da pesquisa feita, tanto por parte do professor orientador como por parte do aluno pesquisador.f- Comentrios por parte do professorsugerindo,elogiando,...g- comentrios nos blogs dos colegas por parte dos alunos.

  • 1- Introduziruma pergunta em que se deseja obter respostas:

    O que quero muito saber para perguntar?

    Quais so as minhas questes?Que pergunta desejo responder?

    2-Discusso em Mural interativo sobre que questes eu tenho e ondeobter asrespostas;

    Que fontes so confiveis? Como pesquis-la? Por que quero pesquisar tal assunto?Que outras perguntas fundamentam a minha perguntam?

  • 3 Utilizar os sites de busca para as primeiras pesquisas de sua questo/pergunta 4 Fazer blog, utilizando diversos provedores para ser espao de registro das descobertas 5- Analisar a resposta obtida:

    confivel? Foi satisfatria?

  • 6- Registrar no blog e tecer comentrios: O que depreendi sobre minha pesquisa? O que mais posso saber sobre ela? Professor comentar nosblogs dos alunos e sugere, critica, analisa e orienta a pesquisa 7- Interagir com outros conhecimentos: Qual foi a pesquisa de meu colega? H relaes com aminha? Em qu? 8- Intermediar com o professor orientador:Minhas dvidas so...?Comentar nos blogs dos professores

  • Culminncia A culminncia do projeto d-se de forma intermitente, pois a cada nova construo de um blog de pesquisa dos alunos, soma-se ao blog matriz da escola Municipal Olga Teixeira, bem como os blogs dos professores e da Sala de Leitura. Compartilha-se, assim as produes da comunidade escolar e informativos sobre as atividades da escola.

  • Segue o link do blog matriz:

    http://escola-olga.spaces.live.com

  • AvaliaoAcreditamos que uma avaliao que se proponha a ser uma oportunidade de aprendizagem, deve ter como foco o desenvolvimento de competncias, deve servir para ajudar esse desenvolvimento, partindo de aes do professor como: observao, questionamento, registro e feedback, tendo alguns indicadores como parmetro para todo o processo.

    Observar Intervir e questionar Registrar Dar feedback Indicadores que podero auxiliar o educador no processo de avaliao da aprendizagem do aluno no desenvolvimento dos projetos de aprendizagem:

    Competncias Pessoais Competncias Cognitivas Competncias Produtivas

  • Negar que nossa realidade de sala de aula exige mudanas, que a maneira de ser, em todos os aspectos, de nossos alunos, nos obriga a mudar as estratgias e, no ver como aliados, os recursos tecnolgicos que invadem as nossas aulas, tapar o sol com a peneira. Da, entendemos a afirmao de Andra Ramal( Ptio, ano XII, n 44/ Nov. 2007/jan. 2008. p.24 ) da necessidade, hoje, mais do que nunca, de transpor as fronteiras do quadro-negro. O projeto aqui analisado, tendo como aliadas os recursos tecnolgicos, pretendeu dar esse passo alm das fronteiras do quadro-negro, apesar dos inmeros percalos que se apresentam durante o processo.Pretendeu-se ir alm, pelo fato de o Projeto Aprendizagem Colaborativa ter como meta principal, levar alunos e professores a refletirem sobre a aprendizagem colaborativa na resoluo de problemas comuns da comunidade escolar. Entre inmeros problemas comuns, tem-se o da pesquisa escolar que se perpetua por anos, na prtica das atividades escolares.Consideraes Finais

  • RefernciasBATISTA, Lcio Jos Carlos. A constituio do sujeito educador ambiental: um relato de experincias de educadores ambientais do Riacho Fundo Distrito Federal. Braslia, 2004. Dissertao de Mestrado em Educao na Universidade de Braslia.BARTHES, R. Elementos de semiologia. So Paulo: Cultrix, 1964.BECKER, F. Docncia e Conhecimento. Caxias do Sul, UCS, 26 de abril 2000..DEMO, Pedro. Educar pela pesquisa. 3. ed. Campinas: Autores Associados, 1998.DEMO, Pedro. Pesquisa e construo do conhecimento. Rio de Janeiro: Editora Tempo Brasileiro, 2000.FIORENTINI, Dario. Pesquisar prticas colaborativas ou pesquisar colaborativamente? In: MORAES, Marialice de e PAZ-KLAVA, Carolina. Comunidades interativas de aprendizagem. Palhoa: UnisulVirtual, 2004.FREIRE, P. (2001) Pedagogia do Oprimido. 17. ed. Rio de Janeiro: Paz e Terra, 2001.(O mundo, hoje, 21).

  • GOOGLE BRASIL. [online] Disponvel na Internet via WWW. URL: http://www.google.com.br, junho de 2009.MAIA, M. C. O uso da tecnologia de informao para a Educao Distncia no Ensino Superior. 2003. Tese (Doutorado em Administrao de Empresas) Escola de Administrao de Empresas de So Paulo da Fundao Getulio Vargas, So Paulo.MATURANA ROMENSIN, Humberto e VARELA GARCIA, Francisco J. A rvore do conhecimento: as bases biolgicas da compreenso humana. 2 Ed. Traduo Humberto Mariotti e Lia Diskin. So Paulo: Palas Athenas, 2002.MANTOVANI, Ana Marg. Weblogs na Educao: Construindo Novos Espaos de Autoria na Prtica Pedaggica. Disponvel em http://www.tise.cl/archivos/tise2005/02.pdf. Acesso em: 15 jun. 2009.MORO, Eliane; ESTABEL, Lizandra Brasil. Um Novo Paradigma na Sociedade da Informao: A Pesquisa Escolar Propiciando a Integrao dos Atores Aprendizes, Professores e Bibliotecrios Irradiando o Benefcio Coletivo e a Cidadania. RENOTE: Revista Novas Tecnologias na Educao. Disponvel em: http://www.cinted.ufrgs.br/renote/mar2004/index.html . Acesso em: 16 jun. 2009.

  • PRIMO, Alex ; SMANIOTTO, Ana Maria Reczek . A conversao na comunidade de blogs insanus. e-Comps. Braslia, n. 5. Abril. 2006.Disponvel em:http://www.compos.org.br/ecompos/adm/documentos/abril2006_alex_ana.pdfPRIMO, Alex e CASSOL, Mrcio. Explorando o Conceito de interatividade: definies e taxonomias [http://usr.psico.ufrgs.br/~aprimo/pb/pgie.htm] 05/06/00

    PRIMO, Alex. Interao mediada por computador: comunicao, cibercultura, cognio. Porto Alegre: Sulina, 2007.

    SANTAROSA, Lucila Maria Costi. Ambientes de Aprendizagem Virtuais/Digitais para o Desenvolvimento e a Incluso de Pessoas com Necessidades Educativas Especiais. Disponvel: http://libra.niee.ufrgs.br/~proinesp/amb_dig/index.html. Acesso em: 10 jun. 2009.

    SILVA, Marco. Que Interatividade in Boletim Tcnico do Senac. Rio de Janeiro, v.24, n.2 maio/ago, 1998SILVA, Marco. Um convite interatividade e complexidade: novas perspectivas comunicacionais para a sala de aula. In: GONALVES, Maria Alice Rezende (org.). Educao e cultura: pensando em cidadania. Rio de Janeiro : Quartet, 1999. p. 135-167.SOARES, Eliana Maria do Sacramento; ALMEIDA, Cludia Zamboni. Interface grfica e mediao pedaggica em ambientes virtuais: algumas consideraes.Disponvel em http://ccet.ucs.br/pos/especializa/ceie/ambiente/disciplinas/pge0946/material/biblioteca/ sacramento_zamboni_conahpa_2005.pdf. Acesso em: 14 jun. 2009.VYGOTSKY , L. S. Pensamento e Linguagem. So Paulo: Martins Fontes, 1987.

  • Depoimentos