Prof. Dr. Renato M.E. Sabbatini Instituto da comunidade cientfica ... Como identificar se um trabalho cientfico bom ... a concluso geral

  • Published on
    06-Feb-2018

  • View
    216

  • Download
    2

Transcript

Telefonia Mvel e SadeTelefonia Mvel e SadeProf. Dr. Renato M.E. SabbatiniProf. Dr. Renato M.E. SabbatiniInstituto EdumedInstituto EdumedE os cientistas, o que dizem?E os cientistas, o que dizem?Cada poca tem seu alvo...Cada poca tem seu alvo... Anos 60Anos 60 Dizia-se que a TV Dizia-se que a TV em cores emitia raios X e, em cores emitia raios X e, assim, causava cncer. assim, causava cncer. Anos 70Anos 70 As torres de alta-As torres de alta-tenso foram acusadas de tenso foram acusadas de provocar leucemia em provocar leucemia em crianas. crianas. Anos 80Anos 80 Achava-se que as Achava-se que as telas dos computadores telas dos computadores pessoais causavam aborto pessoais causavam aborto espontneo e deformao no espontneo e deformao no feto.feto. Anos 90Anos 90 Telefones celulares Telefones celulares e torres rdio-base so e torres rdio-base so suspeitos de causar vrios suspeitos de causar vrios tipos de doena, inclusive tipos de doena, inclusive cncer.cncer.A pergunta do jornalista:A pergunta do jornalista:Mas afinal, telefone celular causa Mas afinal, telefone celular causa problemas de sade ou no?problemas de sade ou no?FEM e Sade:FEM e Sade:Porque a controvrsia?Porque a controvrsia? Os campos electromagnticos Os campos electromagnticos no so visiveis no so visiveis ou sensiveisou sensiveis, gerando preocupao, gerando preocupao Informaces tcnicas sobre Informaces tcnicas sobre radiaoradiao ionizante ionizante (como a radioatividade) so equivocadamente (como a radioatividade) so equivocadamente aplicadas s radiofrequncia (aplicadas s radiofrequncia (no-ionizanteno-ionizante) dos ) dos telefones mveistelefones mveis H uma diferena entre o que H uma diferena entre o que efeito biolgico efeito biolgico verificvelverificvel e e dano real sadedano real sade do organismo do organismo humano.humano.FEM e Sade:FEM e Sade:Porque a controvrsia?Porque a controvrsia? comum que a natureza, os procedimentos comum que a natureza, os procedimentos e os e os resultados cientficosresultados cientficos no sejam no sejam perfeitamente comprendidos pelo pblicoperfeitamente comprendidos pelo pblico Frequentemente, efeitos negativos reportados Frequentemente, efeitos negativos reportados no so replicveisno so replicveis, mas permanece para o , mas permanece para o pblico a informao original no comprovada pblico a informao original no comprovada cientficamentecientficamente Comentrios de auto-denominados Comentrios de auto-denominados especialistas podem no representar uma especialistas podem no representar uma verdade cientficaverdade cientficaFEM e Sade:FEM e Sade:Porque a controvrsia?Porque a controvrsia? Investigaes isoladasInvestigaes isoladas no podem ser a base no podem ser a base para responder definitivamente a uma pergunta para responder definitivamente a uma pergunta cientfica...cientfica... Mas as concluses devem estar baseadas em Mas as concluses devem estar baseadas em consensosconsensos cientficos e na acumulao de cientficos e na acumulao de evidnciasevidncias Poucos trabalhos cientficos so aprovados pela totalidade da comunidade cientfica internacional. Como criterio prevalece a opinio da maioria.Uma posio cientfica confivelUma posio cientfica confivel Organizao Mundial da Saude:Organizao Mundial da Saude: Nenhuma da recentes revises concluiu que a Nenhuma da recentes revises concluiu que a exposio a campos de RF devidos a telefones mveis exposio a campos de RF devidos a telefones mveis ou as estaces radio-base dos mesmos tenham algum ou as estaces radio-base dos mesmos tenham algum tipo de conseqncia adversa sobre a sade humana.tipo de conseqncia adversa sobre a sade humana. Os padres internacionais foram desenvolvidos para Os padres internacionais foram desenvolvidos para proteger a todos: usurios de telefonia mvel, pessoas proteger a todos: usurios de telefonia mvel, pessoas que trabalham ou vivem prximo a estaes rdio-base que trabalham ou vivem prximo a estaes rdio-base e tambm a pessoas que no fazem uso deste tipo de e tambm a pessoas que no fazem uso deste tipo de comunicao.comunicao.Um consenso cientfico confivelUm consenso cientfico confivel Consenso de organizaces internacionaisConsenso de organizaces internacionais: no h evidncia : no h evidncia cientfica de efeitos na saude quando os nveis de radiao no cientfica de efeitos na saude quando os nveis de radiao no ionizante respeitam os padres internacionais (ICNIRPionizante respeitam os padres internacionais (ICNIRP).). Organizao Mundial da Saude - OMSOrganizao Mundial da Saude - OMS Comisso Internacional para a Proteo Radiao No Ionizante (ICNIRP).Comisso Internacional para a Proteo Radiao No Ionizante (ICNIRP). Grupo de Especialistas da Comisso Europia, CSTEEGrupo de Especialistas da Comisso Europia, CSTEE Junta Nacional de Proteo Radiolgica do Reino Unido Junta Nacional de Proteo Radiolgica do Reino Unido Grupo de Especialistas da Sociedad Real do CanadGrupo de Especialistas da Sociedad Real do Canad Grupo Independente de Especialistas em Telefones Mveis do Reino UnidoGrupo Independente de Especialistas em Telefones Mveis do Reino Unido Relatrio de Especialistas do Senado da FranaRelatrio de Especialistas do Senado da Frana Conselho Alemo da SaudeConselho Alemo da Saude Conselho de Sade da HolandaConselho de Sade da Holanda Food and Drug Administration, dos Estados UnidosFood and Drug Administration, dos Estados Unidos American Cancer Society, dos Estados Unidos American Cancer Society, dos Estados Unidos Autoridade das Cincias da Sade de CingapuraAutoridade das Cincias da Sade de Cingapura Departamento de Sade de Hong-KongDepartamento de Sade de Hong-Kong Ministrio da Sade da Sucia, Espanha, Austrlia, Nova Zelndia e JapoMinistrio da Sade da Sucia, Espanha, Austrlia, Nova Zelndia e JapoOs dilemas ticos e profissionais do Os dilemas ticos e profissionais do jornalistajornalista Como produzir matrias sobre um campo do Como produzir matrias sobre um campo do saber em que no especializado?saber em que no especializado? Como separar o joio do trigo: em que cientistas Como separar o joio do trigo: em que cientistas confiar?confiar? Como identificar se um trabalho cientfico bom Como identificar se um trabalho cientfico bom ou ruim?ou ruim? Como evitar o vis e a polmica, ou seja, como Como evitar o vis e a polmica, ou seja, como fazer uma reportagem neutra e equilibrada?fazer uma reportagem neutra e equilibrada? Como evitar conseqncias indesejadas ou Como evitar conseqncias indesejadas ou nocivas no pbliconocivas no pblicoExemplo:Exemplo:Estudo Epidemiolgico de NetanyaEstudo Epidemiolgico de Netanya Comparao da incidncia de cncer entre dois Comparao da incidncia de cncer entre dois grupos: um de 622 pessoas vivendo a menos de grupos: um de 622 pessoas vivendo a menos de 350 metros ao redor de uma antena rdio-base, 350 metros ao redor de uma antena rdio-base, e outra de 1.222 indivduos atendidos em uma e outra de 1.222 indivduos atendidos em uma clnica das proximidades clnica das proximidades A densidade de potncia de RF (TDMA 850 MHz) A densidade de potncia de RF (TDMA 850 MHz) era muito abaixo dos limites de seguranaera muito abaixo dos limites de segurana Avaliados casos de cncer em at um ano aps Avaliados casos de cncer em at um ano aps a instalao a instalao ResultadosResultados 8 casos de cncer (sendo 7 em mulheres) foram 8 casos de cncer (sendo 7 em mulheres) foram observados em um ano no grupo exposto, observados em um ano no grupo exposto, versus 2 casos no grupo controleversus 2 casos no grupo controle Incidncia de 12.9 por 100 mil, versus 1.6 por Incidncia de 12.9 por 100 mil, versus 1.6 por 100.000 (populao total 3.1)100.000 (populao total 3.1) Pessoas vivendo prximo antena tinham 4.15 Pessoas vivendo prximo antena tinham 4.15 vezes mais chance de desenvolver cncer do vezes mais chance de desenvolver cncer do que o grupo controle (pQuais so as falhas desse estudo?Quais so as falhas desse estudo?Ele realmente comprova que a Ele realmente comprova que a radiao da torre causou cncer?radiao da torre causou cncer? Nmero muito pequeno de doentes, teste Nmero muito pequeno de doentes, teste estatstico no confivelestatstico no confivel Tempo extremamente curto de exposio e Tempo extremamente curto de exposio e seguimento, impossvel desenvolver cncer seguimento, impossvel desenvolver cncer nesse perodo, com um agente to fraconesse perodo, com um agente to fraco Taxa relativa de risco muito pequenaTaxa relativa de risco muito pequena Apenas uma rea exposta, pode ser devido a Apenas uma rea exposta, pode ser devido a outro fator ambiental no detectadooutro fator ambiental no detectado Associao no implica causa-efeitoAssociao no implica causa-efeitoEstudo Dinamarqus (Dez 2006)Estudo Dinamarqus (Dez 2006) Estudo longitudinal em 420.095 adultos, seguidos por 21 anos Incio de uso entre 21 e 10 anos antes 14.249 tiveram cncer (4%) Nmero esperado: 15.001 NO existe risco aumentado de cncer ou leucemia entre usurios de celulares, mesmo entre os de uso prolongado Cncer cerebral: usurios com mais de 10 anos de uso de celulares tiveram MENOR risco do que os no usuriosQual o nosso grau real de Qual o nosso grau real de exposio aos campos exposio aos campos eletromagnticos utilizados em eletromagnticos utilizados em radiocomunicao?radiocomunicao?08:0708:07 1919Fontes naturais de ondas de Fontes naturais de ondas de rdiordioO sol e as estrelasOs planetasA atmosferaQualquer corpoaquecido08:0708:07 2020Fontes artificiais de ondas de Fontes artificiais de ondas de rdiordioMotores e geradoreseltricosFiao eltricaCircuitos eletrnicose computadoresTransformadoresCelulares, telefone sem fioEletrodomsticoshttp://images.google.com.br/imgres?imgurl=http://www.angrypaintball.com/images/anb2006.jpg&imgrefurl=http://www.angrypaintball.com/angry-halo-circuit-board-p-22.html&h=1046&w=949&sz=865&hl=pt-BR&start=18&sig2=7Vj1DbmD1p85k_14wmG25A&um=1&tbnid=0cXbJ-yb2aA82M:&tbnh=150&tbnw=136&ei=1pWSRsexMpy8eIjt3cAL&prev=/images%3Fq%3Dcircuit%2Bboard%26svnum%3D10%26um%3D1%26hl%3Dpt-BR%26rlz%3D1T4GFRC_pt-BRBR218BR219Campos magnticos tpicosCampos magnticos tpicosDISTNCIA30 cm 1 m 1,5 mForno de micro-ondas 200 30 20Aspirador 200 50 10Liquidificador 100 10 1Secador de cabelos 70 10 1Ventilador de teto 50 6 1Copiadora 40 13 4Luz fluorescente 30 8 4Lavadora 30 6 0Refrigerador 20 10 10Ar condicionado 20 6 4TV a cores 20 8 4Monitor de vdeo 6 3 0Ferro de passar 3 0 0Aparelho de fax 2 0 0MAGNETISMO TERRA 500 500 500EmMiligaussExposio humana total s Exposio humana total s diferentes bandas de RFdiferentes bandas de RF012345678910% RefernciaRdioFMAF PMR TV GSM0,9GSM1,8RadarExposio humana diria Exposio humana diria telefonia celular telefonia celular Quando Saber se Faz Mal Quando Saber se Faz Mal ?? Quanto Quanto menormenor o comprimento de onda, o comprimento de onda, maior o potencial de lesar as clulas do maior o potencial de lesar as clulas do nosso corponosso corpo Quanto Quanto maiormaior a intensidade e a durao a intensidade e a durao da exposio, maior ser o potencial de da exposio, maior ser o potencial de lesar as clulas do nosso corpolesar as clulas do nosso corpo A A energia totalenergia total do raio precisa ser tal, do raio precisa ser tal, que ele que ele penetrepenetre at uma certa at uma certa profundidade no corpoprofundidade no corpo08:0708:07 2525Radiao ionizanteRadiao ionizante Energia eletromagntica que tem Energia eletromagntica que tem energia suficiente para arrancar eltrons energia suficiente para arrancar eltrons das rbitas atmicas, formando ons das rbitas atmicas, formando ons Radiao no ionizanteRadiao no ionizante Qualquer tipo de radiao do espectro Qualquer tipo de radiao do espectro eletromagntico que no tem energia eletromagntico que no tem energia suficiente para provocar a ionizao de suficiente para provocar a ionizao de tomostomos Interao com a matria pode ser de Interao com a matria pode ser de dois tipos:dois tipos: Aquecimento dieltrico, por vibraoAquecimento dieltrico, por vibrao Induo de correntes eltricasInduo de correntes eltricas08:0708:07 2727Classificao por efeito de Classificao por efeito de ionizao da matriaionizao da matriaIONIZANTE NO-IONIZANTEAquecimento dieltricoAquecimento dieltrico A radiao eletromagntica provoca A radiao eletromagntica provoca rotao em molculas polares, levando rotao em molculas polares, levando elevao da temperatura por atrito elevao da temperatura por atritoAquecimento superficialAquecimento superficialAntes de usar Aps 15 min usoAs Microondas Penetram no As Microondas Penetram no Corpo?Corpo? No. Nos nveis emitidos por telefones ou No. Nos nveis emitidos por telefones ou antenas rdio-base, a penetrao antenas rdio-base, a penetrao muito superficial (poucos milmetros)muito superficial (poucos milmetros) A energia dos ftons de micro-ondas A energia dos ftons de micro-ondas milhes de vezes mais fraca que os da milhes de vezes mais fraca que os da luz visivel (que tambm no penetra no luz visivel (que tambm no penetra no corpo)corpo)08:0708:07 3131Freqncia x energia do fton em Freqncia x energia do fton em relao luz amarelarelao luz amarela Raios gamaRaios gama 1.000.000 x1.000.000 x Raios XRaios X 10.000 x10.000 x Ultravioleta CUltravioleta C 100 x100 x Luz amarelaLuz amarela 1 x1 x Rdio FMRdio FM 0.0001 x0.0001 x Telefone celularTelefone celular 0.00001 x0.00001 x Satlite banda KuSatlite banda Ku 0.000001 x0.000001 xEnergia de um fton da luz amarela = 2.07 eVEnergia de um fton da luz amarela = 2.07 eV1 eV = 1.6 x 101 eV = 1.6 x 10-19-19 Joules Joules08:0708:07 3232Energia e penetrao na matriaEnergia e penetrao na matria10 eV10.000 eVPenetrao na pele: Penetrao na pele: ultravioleta e luz visvelultravioleta e luz visvelTransiluminao de hidroceleUltravioleta na pele08:0708:07 3434A potncia de uma onda diminui com o A potncia de uma onda diminui com o quadrado da distncia da fontequadrado da distncia da fonte12 = 122 = 432 = 908:0708:07 3535Exemplo de antena de rdioExemplo de antena de rdio24 m10 W10 m26.0m2.35 mW20 m31.2m1.63 mW30 m38.4m1.07 mW40 m46.6m0.73 mWPorqu No H Efeito Danoso?Porqu No H Efeito Danoso? Os campos eletromagnticos utilizados em Os campos eletromagnticos utilizados em telefonia celular no tm capacidade de telefonia celular no tm capacidade de ionizao das molculas no corpoionizao das molculas no corpo Os nveis de intensidade so centenas ou Os nveis de intensidade so centenas ou milhares de vezes inferiores aos limites de milhares de vezes inferiores aos limites de segurana e no apresentan riscos sadesegurana e no apresentan riscos sade Radiaes no ionizantes no tm efeitos Radiaes no ionizantes no tm efeitos cumulativos sobre as estruturas celulares vivascumulativos sobre as estruturas celulares vivasDefesas NaturaisDefesas Naturais A natureza desenvolveu numerosos A natureza desenvolveu numerosos mecanismos de proteo e defesa dos mecanismos de proteo e defesa dos organismos contra as energias presentes organismos contra as energias presentes no meio ambienteno meio ambiente Pele (epiderme, sudorese)Pele (epiderme, sudorese) OssosOssos Circulao sanguinea, homeotermia Circulao sanguinea, homeotermia Sistema imuneSistema imune Mecanismos bioqumicosMecanismos bioqumicosEstudos CientficosEstudos Cientficos Mais de 25.000 estudos ao longo de 30 Mais de 25.000 estudos ao longo de 30 anos foram realizados sobre o efeito das anos foram realizados sobre o efeito das radiaes eletromagnticas sobre a radiaes eletromagnticas sobre a biologia e a sadebiologia e a sade Embora existam ainda lacunas no Embora existam ainda lacunas no conhecimento cientfico, a concluso geral conhecimento cientfico, a concluso geral que ainda no se documentaram efeitos que ainda no se documentaram efeitos significativos e consistentessignificativos e consistentesreas de Estudoreas de Estudo Induo de neoplasias (cncer e leucemia)Induo de neoplasias (cncer e leucemia) Efeitos sobre morte celular (apoptose)Efeitos sobre morte celular (apoptose) Efeitos sobre o material gentico celularEfeitos sobre o material gentico celular Induo de correntes eltricas no organismoInduo de correntes eltricas no organismo Alteraes do sistema imuneAlteraes do sistema imune Alteraes do comportamento, memria e aprendizadoAlteraes do comportamento, memria e aprendizado Alteraes dos sistemas sensoriaisAlteraes dos sistemas sensoriais Efeitos sobre o desenvolvimento de embries e fetos e Efeitos sobre o desenvolvimento de embries e fetos e a gestaoa gestao CataratasCataratasExemplo:A exposio a campos eletromagnticos no ionizantes causa cncer?Neoplasias Mais ProvveisNeoplasias Mais Provveis Leucemias e linfomas (cncer do sistema Leucemias e linfomas (cncer do sistema hematopoitico): exposio das clulas hematopoitico): exposio das clulas sangneas que passam por vasos sangneas que passam por vasos superficiaissuperficiais Pele (principalmente cabea e pescoo)Pele (principalmente cabea e pescoo) Cncer do sistema nervosoCncer do sistema nervoso Cncer do sistema visualCncer do sistema visual Cncer do sistema auditivoCncer do sistema auditivoTaxas de incidncia de cncer de crebro nos EUATendncias na incidncia de Tendncias na incidncia de cncer do SNC (EUA) cncer do SNC (EUA) O aumento na incidncia de CA do SNC devido ao melhor diagnstico e ao aumento da longevidade; Quando corrigido pela idade, existe um decrscimo de quase 2% por dcada.Meta-anlise: Comparao de Estudos de Risco Meta-anlise: Comparao de Estudos de Risco de Cncer Cerebralde Cncer CerebralAs Dificuldades dos Estudos As Dificuldades dos Estudos EpidemiolgicosEpidemiolgicos Incidncias extremamente raras tornam pouco Incidncias extremamente raras tornam pouco confiveis os resultados de avaliao de riscoconfiveis os resultados de avaliao de risco Exemplos comparativos:Exemplos comparativos: Risco de tumores oculares pelo uso de Risco de tumores oculares pelo uso de telefones celulares 1:2,5telefones celulares 1:2,5 Risco de tumores pulmonares pelo uso de Risco de tumores pulmonares pelo uso de tabaco 1:90tabaco 1:90 Dificuldade em estabelecer o nexo causalDificuldade em estabelecer o nexo causal Nmero pequeno de casos, pouco tempoNmero pequeno de casos, pouco tempoConcluses da LiteraturaConcluses da LiteraturaCientficaCientfica A maior parte dos estudos in-vitro no pode ser extrapolado para A maior parte dos estudos in-vitro no pode ser extrapolado para efeitos sobre a sade humanaefeitos sobre a sade humana A maior parte dos efeitos ditos no-trmicos so respostas A maior parte dos efeitos ditos no-trmicos so respostas normais das clulas ao choque trmiconormais das clulas ao choque trmico Diversos problemas com as tcnicas de ensaio biolgico Diversos problemas com as tcnicas de ensaio biolgico impediram a replicao de muitos estudos positivosimpediram a replicao de muitos estudos positivos Srios erros e problemas de controle de exposio nos estudos Srios erros e problemas de controle de exposio nos estudos epidemiolgicos invalidam muitos resultados publicadosepidemiolgicos invalidam muitos resultados publicados Achados epidemiolgicos com taxas de risco de at 2:1 Achados epidemiolgicos com taxas de risco de at 2:1 geralmente no tem significado estatsticogeralmente no tem significado estatstico Malignidades sangineas e cncer do crebro so doenas raras Malignidades sangineas e cncer do crebro so doenas raras (4 a 5 casos por 100.000), e rarissimas em adultos jovens (4 a 5 casos por 100.000), e rarissimas em adultos jovens (principais usurios de celulares)(principais usurios de celulares)Concluses da OMSConcluses da OMS As autoridades pblicas no devem aumentar o As autoridades pblicas no devem aumentar o nvel de segurana das antenas em oposio nvel de segurana das antenas em oposio evidncia cientfica disponivelevidncia cientfica disponivel Antenas de rdio e TVs causam nveis de Antenas de rdio e TVs causam nveis de emissao mais altos do que as de antenas emissao mais altos do que as de antenas celulares en uma densidade normalcelulares en uma densidade normal Assim, as emisses de antenas radio-base Assim, as emisses de antenas radio-base representam apenas cerca de1,5% do total representam apenas cerca de1,5% do total abaixo do padro de seguranaabaixo do padro de segurana A proteo mais efetiva para a populao A proteo mais efetiva para a populao respeitar as normas e limites internacionais de respeitar as normas e limites internacionais de segurana (distncia e densidade de potncia)segurana (distncia e densidade de potncia)Concluses da OMSConcluses da OMS As evidncias atuais indicam que no so As evidncias atuais indicam que no so necessrias precaues especiais no uso necessrias precaues especiais no uso de telefones celularesde telefones celulares No h evidncia de que h perigo No h evidncia de que h perigo especial de exposio para crianas e especial de exposio para crianas e idososidosos O nico risco mensurvel sade at O nico risco mensurvel sade at agora o causado pela utilizao de agora o causado pela utilizao de telefones celulares no transito pelos telefones celulares no transito pelos motoristasmotoristas Riscos adicionais podem advir da Riscos adicionais podem advir da utilizao de celulares em hospitais, utilizao de celulares em hospitais, devido a interferencias en alguns devido a interferencias en alguns aparelhos mdicosaparelhos mdicosMitos ou Verdades? Pessoas que moram prximas a torres celulares tm maior grau de exposio a campos eletromagnticos? Deve-se evitar colocar ERBs prximo a hospitais e escolas? Deve-se manter um espaamento mnimo entre ERBs?Mitos!Mitos! Nenhum estudo epidemiolgico bem feito Nenhum estudo epidemiolgico bem feito cientificamente e confivel foi capaz de demonstrar uma cientificamente e confivel foi capaz de demonstrar uma associao entre cncer e outras doenas, e associao entre cncer e outras doenas, e proximidade a antenas radiocelularesproximidade a antenas radiocelulares Como o nvel das radiaces extremamente baixo e Como o nvel das radiaces extremamente baixo e como no h evidncias de riscos mais elevados para como no h evidncias de riscos mais elevados para pacientes e crianas, no existe necessidade de pacientes e crianas, no existe necessidade de nenhuma proteo especial para hospitais e escolasnenhuma proteo especial para hospitais e escolas No existe somatria de campos, portanto no existe No existe somatria de campos, portanto no existe nenhuma base tcnica para espaamentos mnimosnenhuma base tcnica para espaamentos mnimosExiste um Efeito da RF de Baixa Intensidade sobre a Sade Humana?Resposta:Resposta:No existe comprovao at agoraNo existe comprovao at agoraMas....Mas.... Estudos de relao causa-efeito e das bases Estudos de relao causa-efeito e das bases fisico-qumicas e biolgicas da interao energia fisico-qumicas e biolgicas da interao energia eletromagntica-matria permitem indicar que eletromagntica-matria permitem indicar que existem fundamentos cientficos para a prova de existem fundamentos cientficos para a prova de ausnciaausncia Embora mais estudos sejam necessrios, Embora mais estudos sejam necessrios, especialmente os de exposio constante a especialmente os de exposio constante a longo prazo...longo prazo... Por enquanto no existem causas para Por enquanto no existem causas para preocupaopreocupaoE finalmente...E finalmente... Os benefcios diretos sade do uso de Os benefcios diretos sade do uso de celulares so imensamente maiores do que os celulares so imensamente maiores do que os potenciais (ainda tericos e no constatados) potenciais (ainda tericos e no constatados) malefcios:malefcios: Resposta mais rpida a chamados de emergncia e Resposta mais rpida a chamados de emergncia e socorrosocorro Salvamento em situaes em que no h outra forma Salvamento em situaes em que no h outra forma de comunicaode comunicao Monitorao de crianas e idososMonitorao de crianas e idosos Aplicaes na ateno mdica (telemedicina)Aplicaes na ateno mdica (telemedicina) Ganhos de produtividade e de salrio, levando a mais Ganhos de produtividade e de salrio, levando a mais gastos pessoais em cuidados de sadegastos pessoais em cuidados de sade Salvamento Segurana SeguranaUsos Usos diversosdiversosMelanoma de PeleMelanoma de Pele 3000 casos novos por ano Quase 8% da populao sero afetadas ao longo da vida 30% de mortalidadeEnto a questo fundamental Ento a questo fundamental ::Percepo e aceitao do Percepo e aceitao do risco pelo pblico em geralrisco pelo pblico em geralRiscos de Morte de Algumas Riscos de Morte de Algumas Atividades HumanasAtividades Humanas TabagismoTabagismo 1:101:10 MotocicletaMotocicleta 1:2501:250 AutomveisAutomveis 1:50001:5000 Exposio ao solExposio ao sol 1:200.0001:200.000 ElevadoresElevadores 1:2.000.0001:2.000.000 AviesAvies 1:10.000.0001:10.000.000 MeteoritoMeteorito1:100.000.0001:100.000.000 Antenas CelularesAntenas Celulares DesconhecidoDesconhecidoContatoContatoDr. Renato M.E. Sabbatini, PhDDr. Renato M.E. Sabbatini, PhDInstituto Edumed para Educao em Instituto Edumed para Educao em Medicina e SadeMedicina e SadeTel (19) 3579-1230Tel (19) 3579-1230Cel (19) 8101-5337Cel (19) 8101-5337sabbatini@edumed.org.brsabbatini@edumed.org.br

Recommended

View more >