primeira prova de biofisica

  • Published on
    29-Jun-2015

  • View
    774

  • Download
    0

Transcript

2/98 - Primeira Prova de Bioqumica e Biofsica Nome: Nmero: 1. Explique qualitativamente em termos de variao de entalpia ( ) e energia livre de Gibbs ( ) e lembrando que ), entropia (

: (a) a ebulio da gua a uma temperatura suficientemente alta. (b) a baixa solubilidade de molculas apolares em gua. (c) a formao espontnea de micelas ou bicamadas lipdicas por molculas anfipticas em gua. 2. Responda sucintamente as seguintes questes relacionadas estrutura das protenas: (a) O que so a estrura primria, secundria, terciria e quaternria de uma protena? Todas as protenas possuem estes quatro nveis de estrutura? Exemplifique. (b) O que grupo prosttico? (c) Quais os principais tipos de estrutura secundria? O que estrutura supersecundria? (d) Qual a diferena que se deve encontrar entre os resduos externos e os internos de uma protena globular solvel em gua? Por que? (e) Esta ltima regra seria tambm vlida para uma protena integral de uma membrana? Por que? 3. A cadeia lateral do aminocido lisina (Lys) possui um grupo amino ( ) em sua extremidade enquanto que a cadeia lateral do cido glutmico (Glu) possui uma carboxila (-COOH). Polipeptdeos formados apenas por lisina (poliLys) ou apenas por cido glutmico (poli-Glu) no apresentam estrutura secundria em pH neutro, mas a poli-Lys adota a estrutura de -hlice em pH suficientemente bsico. Explique porque. Voc esperaria o mesmo comportamento do poli-Glu? Por que? 4. Copie do quadro a estrutura da D-gliose na forma de projeo de Fischer. (a) Trata-se de uma aldose ou cetose? Por que? (b) O que significa a letra D ? (c) Quais so os carbonos assimtricos?

(d) Qual a configarao absoluta na notao RS do carbono 2 ? (e) Desenhe a estrutura da L-glicose, do epmero da L-glicose no carbon 3 e do epmero da L-glicose no carbono 4, classificando as molculas resultantes como D-hexoses ou L-hexoses. (f) Desenhe as formas cclicas 5. Explique resumidamente: (a) As vantagens dos triacilglicerois sobre o glicognio como reserva de energia de longo prazo. (b) As diferenas e semelhanas estruturais entre amilose e a celulose e a relao com suas funes. (c) O fato de que leos vegetais so geralmente lquidos a temperatura ambiente e gorduras animais tendem a ser slidas, apesar de ambos serem formados essencialmente por triacilglicerois. (d) Como que a margarina, slida, produzida a partir de leo vegetal, lquido. 6. Explique resumidamente a diferena entre DNA e RNA a nvel de composio qumica, estrutura e funo. 7. Para uma reao da forma -D-glicopranose e -D-glicofuranose.

ondeA e B reagem para formar C e D, temos que a variao de energia livre, , dada por

onde a variao de energia livre padro para a reao, T a temperatura absoluta, R a constante dos gases e [X] significa concentrao molar de X. (a) Qual o valor de quando o sistema est em equilbrio? (b) Qual o valor de para uma reao espontnea, ou seja, que ocorre da esquerda para a direita? (c) Como possvel que reaes no espontneas termodinamicamente ocorram nos sistemas biolgicos? (d)

Mostre que equilbrio da reao. (e)

, onde

a constante de

Se a ( ), qual ser a direo da reao (da direita para a esquerda ou vice versa) se todos os reagentes e produtos estiverem a uma concentrao de 1 M a ? E se mantivermos a temperatura em e as concentraes de A e B em 1 M mas subirmos as de C e D para 10 M ? E para 100 M ? 8. Considerando uma reao bioqumica arbitrria, descreva sucintamente a relao entre direo da reao, velocidade da reao, variao de energia livre ( ), energia livre de ativao ( ), e catlise enzimtica. 9. Considere a seguinte tabela contendo valores de alguns compostos fosforilados: Reao de hidrlise fosfoenelpiruvato + H2 O ATP + H2 O glicose-6-fosfato + H2 O piruvato + Pi ADP + Pi glicose + Pi para a hidrlise de (kcal/mol) -14,8 -7,3 -3,3

Calcule o valor de e indique a direo de cada uma das seguintes reaes quando os reagentes e produtos se encontram inicialmente em concentraes equimolares. (a) ATP + piruvato (b) ATP + glicose 10. Compare a regulao da atividade enzimtica por efetores alostricos com a regulao por modificao covalente em termos de mecanismo, facilidade de controle e velocidade de resposta a uma mudana no ambiente celular. fosfoenolpiruvato + ADP

glicose-6-fosfato + ADP