PLANO de AULA NR 17 Ergonomia - Maria Genilza

  • Published on
    05-Jul-2015

  • View
    762

  • Download
    0

Transcript

NR-17 ERGONOMIA

NR-17 - ErgonomiaEsta Norma Regulamentadora visa a estabelecer parmetros que permitam a adaptao das condies de trabalho s caractersticas psicofisiolgicas dos trabalhadores, de modo a proporcionar um mximo de conforto, segurana e desempenho eficiente. As condies de trabalho incluem aspectos relacionados ao levantamento, transporte e descarga de materiais, ao mobilirio, aos equipamentos e s condies ambientais do posto de trabalho e prpria organizao do trabalho.

O que ergonomia?A palavra Ergonomia deriva do grego Ergon [trabalho] e nomos [normas, regras, leis]. Trata-se de uma disciplina orientada para uma abordagem sistmica de todos os aspectos da atividade humana. Para darem conta da amplitude dessa dimenso e poderem intervir nas atividades do trabalho preciso que os ergonomistas tenham uma abordagem holstica de todo o campo de ao da disciplina, tanto em seus aspectos fsicos e cognitivos, como sociais, organizacionais, ambientais, etc.Abordagem sistmica uma metodologia que busca conjugar conceitos de diversas cincias a respeito de determinado objeto de pesquisa. baseada na idia de que um determinado objeto de estudo possui diversas dimenses e facetas que podem ser estudadas e entendidas por diversas cincias e que conceitos e princpios emanados de diferentes cincias podem ser empregados no estudo e compreenso de determinado fenmeno por determinada cincia. Holstica: V o mundo como um todo integrado, como um organismo.

A ergonomia objetiva modificar os sistemasde trabalho para adequar a atividade nele existentes s caractersticas, habilidade e limitaes das pessoas com vistas ao desempenho eficiente, confortvel e seguro. (ABERGO, 2000.)

ABERGO(Associao Brasileira de Ergonomia).

DefinioEsta definio que coloca finalidades, propsitos e critrios, necessita ser complementada por uma outra, essa tecnologia a tecnologia de realizao de interfaces entre as pessoas e os sistemas.

Finalidades: modificar os sistemas de trabalho. Propsitos: adequar a atividade s caractersticas, habilidades e limitaes das pessoas. Critrios: eficincia, conforto e segurana)

Em sua atividade de trabalho o ser humano interage com os diversos componentes do sistema de trabalho: com os equipamentos, instrumentos e mobilirios, formando interfaces sensoriais, energticas e posturais, com a organizao e o ambiente formando interfaces ambientais, cognitivas e organizacionais. O ser humano, com seu organismo, sua mente e sua psiqu realiza essas interaes de forma sistmica, cabendo Ergonomia modelar essas interaes e buscar formas de adequao para o desemprenho confortvel, eficiente e seguro face s capacidades, limitaes e demais caractersticas da pessoa em atividade.

AplicabilidadeTodos os conhecimentos citados podem ser aplicados ao

planejamento de processos e mquinas, a disposio especial dos locais de trabalho, aos mtodos de trabalho, e ao controle do ambiente fsico para se alcanar maior eficincia tanto dos homens como das mquinas. Para isso necessrio conhecer o sistema nervoso, o funcionamento e a capacidade do mecanismo central, a estrutura do corpo, dos ossos, das juntas, e os msculos que fornecem energia motivacional. No binmio homem-mquina, o problema no apenas o ajustamento de um ao outro, mas sim a adaptao conjunta dos dois. A aplicao ideal da ergonomia considera o homem como parte integrante de um sistema, no qual o estgio inicial do projeto, as caractersticas do operador humano so levados em conta juntamente com os componentes mecnicos. O homem melhor para determinados fins como na tomada de decises e a mquina para outros como aplicao de fora.

Domnios da Ergonomia

Ergonomia fsica: que lida com as respostas do corpo humano carga fsica e psicolgica. Tpicos relevantes incluem manuseio de materiais, arranjo fsico de estaes de trabalho, demandas do trabalho e fatores tais como repetio, vibrao, fora e postura esttica, relacionada com desordens msculo-esquelticas). Ergonomia cognitiva: tambm conhecida engenharia psicolgica, refere-se aos processos mentais, tais como percepo, ateno, cognio, controle motor e armazenamento e recuperao de memria, como eles afetam as interaes entre seres humanos e outros elementos de um sistema. Tpicos relevantes incluem carga mental de trabalho, vigilncia, tomada de deciso, desempenho de habilidades, erro humano, interao ser humano-computador e treinamento. Ergonomia organizacional ou macroergonomia: relacionada com a otimizao dos sistemas socio-tcnicos, incluindo sua estrutura organizacional, polticas e processos. Tpicos relevantes incluem trabalho em turnos, programao de trabalho, satisfao no trabalho, teoria motivacional, superviso, trabalho em equipe, trabalho distncia e tica.

Ergonomia para a sadeA ergonomia se preocupa com as condies gerais de trabalho, tais como, a iluminao, os rudos e a temperatura, que geralmente so conhecidas como agentes causadores de males na rea de sade fsica e mental mas que o estudo procura traar os caminhos para a correo. O seu objetivo aumentar a eficincia humana atravs de dados que permitam que se tomem decises lgicas. O custo individual minimizado atravs da ergonomia que remove aspectos do trabalho, que em longo prazo, possam provocar ineficincias ou os mais variados tipos de incapacidades fsicas. Nas condies em que a atividade do indivduo envolve a operao de uma pea de equipamento, na maioria das vezes, ele passa a constituir, com este equipamento, um sistema fechado. Este visa apresentar muitas das caractersticas de auto-regulamentao (feedback). Como dentro de tal sistema o indivduo quem usualmente decide, torna-se necessrio que ele seja includo no estudo da eficincia do sistema. Para que a eficincia seja mxima preciso que o sistema seja projetado como um todo com o homem completando a mquina e esta completando o homem.

A falta de ergonomia e suas consequnciasUma das causas da baixa produtividade pode ser o desconforto que entre as suas vrias causas est diretamente ligada adequao do corpo frente a um determinado equipamento. A questo da iluminao, que alm de poder causar danos a viso, contribui significativamente na baixa pessoal da capacidade de produo de uma pessoa. Alm disso, os rudos e mudanas de temperatura tambm influem negativamente neste processo. Com relao aos problemas de coluna, o ideal ainda a preveno, portanto buscar no ambiente de trabalho, a adequao de cadeiras e mesas seria o ideal para proteg-la. Atualmente vrias empresas j buscam a melhoria da qualidade do trabalho dos empregados e j estabelecem uma srie de programas como forma de incentivar a sade do trabalhador.

Quando usamos o microcomputador por diversas horas durante o dia, podemos perceber mal-estar e dores em algumas partes de nosso corpo. Estes problemas osteomusculares podem variar de pequenas dores musculares que duram poucas horas a problemas em tendes que durem por vrios anos.So as chamadas doenas ocupacionais, j classificadas como Leses por Esforos Repetitivos (LER) e, mais modernamente, como Distrbios Osteomusculares Relacionados ao Trabalho (DORT). As reas do corpo que mais se ressentem so as mos, os pulsos, os cotovelos, os ombros, as costas e o pescoo. Os sintomas podem ser sentidos quando usamos o teclado e o mouse ou, em outros momentos, quando no estamos mais utilizando o computador (especialmente noite, quando podemos ser acordados pelo incmodo ou dor).

Torne seu ambiente de trabalho confortvel voc

Posies prejudiciais que devem ser evitadas1) Curvar a coluna e levantar bruscamente; 2) Deslocar ou carregar objetos torcendo a coluna; 3) Levantar pesos mantendo-os afastados do seu corpo; 4) Levantar pesos arqueando a coluna para trs. 5) Manter-se por muito tempo em posies fixas, seja sentado ou em p.

prejudiciais comprometida aceitveis

Correto posicionamento:

Regras bsicas para preveno de dores nas costas:1) Evitar levantar e/ou apoiar objetos no cho ou acima do nvel da cabea; 2) Recomendvel mover os objetos numa faixa entre a altura dos ombros e a altura da articulao dos dedos da mo; 3) Procurar sempre nivelar os planos de onde se retiram e ou colocam os objetos numa altura de 70-90 cm do solo; 4) Caso perceba que o objeto a ser levantado do cho seja impossvel de ser erguido somente por voc, pea ajuda outra pessoa; 5) Evitar a rotao da coluna sempre que possvel; 6) No transporte de objetos, evitar carregar pesos com uma nica mo. Em qualquer trabalho ou atividade lembrar sempre de mudar de posio o mais frequentemente possvel.

Nveis de rudoOs nveis de rudo devem ser entendidos aqui no somente como aqueles passveis de provocar leses no aparelho auditivo, tal como a perda auditiva, mas como a perturbao passvel de prejuzo ao bom desempenho da tarefa. Os critrios de medio da exposio ao rudo devem ser bem detalhados. A estratgia de medio composta basicamente de quatro passos: caracterizao do ambiente de trabalho e das atividades dos trabalhadores; avaliao qualitativa da exposio; realizao de medies detalhadas, onde necessrio; avaliao quantitativa dos resultados e estimativa do nvel de exposio pessoal dirio.

A NR-17, como todas as normas, no aponta solues para todas as situaes precisas encontradas na prtica. A soluo dos problemas s possvel pelo esforo conjunto de todos os interessados. imprescindvel tambm o acompanhamento das pesquisas que tm sido feitas mais recentemente e a consulta a manuais especializados e normas de outros pases.

Recommended

View more >