NR-26 SINALIZAO DE SEGURANA Portaria n. 3.214 de 8 de Junho de 1978 CURSO DE CAPACITAO EM SINALIZAO DE SEGURANA NORMA REGULAMENTADORA - NR 26 Sinalizao. slide 0

NR-26 SINALIZAO DE SEGURANA Portaria n. 3.214 de 8 de Junho de 1978 CURSO DE CAPACITAO EM SINALIZAO DE SEGURANA NORMA REGULAMENTADORA - NR 26 Sinalizao.

  • Published on
    22-Apr-2015

  • View
    108

  • Download
    5

Transcript

  • Slide 1
  • NR-26 SINALIZAO DE SEGURANA Portaria n. 3.214 de 8 de Junho de 1978 CURSO DE CAPACITAO EM SINALIZAO DE SEGURANA NORMA REGULAMENTADORA - NR 26 Sinalizao de Segurana
  • Slide 2
  • NR-26 SINALIZAO DE SEGURANA Portaria n. 3.214 de 8 de Junho de 1978 CURSO DE CAPACITAO EM SINALIZAO DE SEGURANA SINALIZAO INDUSTRIAL NO AMBIENTE DE TRABALHO
  • Slide 3
  • NR-26 SINALIZAO DE SEGURANA Portaria n. 3.214 de 8 de Junho de 1978 CURSO DE CAPACITAO EM SINALIZAO DE SEGURANA O seguinte estudo procurou esclarecer de maneira mais clara possvel, a importncia de se ter a Sinalizao Industrial no ambiente de trabalho. O estudo mostra os tipos de sinalizaes, o que deve constar em cada uma delas, suas cores, o ambiente em que cada uma delas deve ser implantada, os tipos de imagens a serem colocadas nas sinalizaes
  • Slide 4
  • NR-26 SINALIZAO DE SEGURANA Portaria n. 3.214 de 8 de Junho de 1978 CURSO DE CAPACITAO EM SINALIZAO DE SEGURANA O sistema de sinalizao responsvel pelo deslocamento do indivduo no espao possibilitando a tomada de deciso, de tal modo que, durante a ocorrncia de uma emergncia, o conduza para uma rota de fuga ou rea segura. Alm disso, as sinalizaes devem prover o indivduo com informaes suficientes para minimizar o tempo gasto na tomada de deciso
  • Slide 5
  • NR-26 SINALIZAO DE SEGURANA Portaria n. 3.214 de 8 de Junho de 1978 CURSO DE CAPACITAO EM SINALIZAO DE SEGURANA Portaria GM n. 3.214, de 08 de junho de 1978 DOU - 06/07/78 26.1 Cor na segurana do trabalho. 26.1.1 Esta Norma Regulamentadora - NR tem por objetivo fixar as cores que devem ser usadas nos locais de trabalho para preveno de acidentes, identificando os equipamentos de segurana, delimitando reas, identificando as canalizaes empregadas nas indstrias para a conduo de lquidos e gases e advertindo contra riscos. 26.1.2 Devero ser adotadas cores para segurana em estabelecimentos ou locais de trabalho, a fim de indicar e advertir acerca dos riscos existentes. (126.001-4 / I2) 26.1.3 A utilizao de cores no dispensa o emprego de outras formas de preveno de acidentes. 26.1.4 O uso de cores dever ser o mais reduzido possvel, a fim de no ocasionar distrao, confuso e fadiga ao trabalhador.
  • Slide 6
  • NR-26 SINALIZAO DE SEGURANA Portaria n. 3.214 de 8 de Junho de 1978 CURSO DE CAPACITAO EM SINALIZAO DE SEGURANA 26.1.5 As cores aqui adotadas sero as seguintes: - vermelho; - amarelo; - branco; - preto; - azul; - verde; - laranja; - prpura; - lils; - cinza; - alumnio; - marrom.
  • Slide 7
  • NR-26 SINALIZAO DE SEGURANA Portaria n. 3.214 de 8 de Junho de 1978 CURSO DE CAPACITAO EM SINALIZAO DE SEGURANA 26.1.5.1 A indicao em cor, sempre que necessria, especialmente quando em rea de trnsito para pessoas estranhas ao trabalho, ser acompanhada dos sinais convencionais ou da identificao por palavras. (126.002-2/I2) 26.1.5.2 Vermelho. O vermelho dever ser usado para distinguir e indicar equipamentos e aparelhos de proteo e combate a incndio. No dever ser usado na indstria para assinalar perigo, por ser de pouca visibilidade em comparao com o amarelo (de alta visibilidade) e o alaranjado (que significa Alerta).
  • Slide 8
  • NR-26 SINALIZAO DE SEGURANA Portaria n. 3.214 de 8 de Junho de 1978 CURSO DE CAPACITAO EM SINALIZAO DE SEGURANA empregado para identificar: - caixa de alarme de incndio; - hidrantes; - bombas de incndio; - sirenes de alarme de incndio; - caixas com cobertores para abafar chamas; - extintores e sua localizao; - indicaes de extintores (visvel a distncia, dentro da rea de uso do extintor); - localizao de mangueiras de incndio (a cor deve ser usada no carretel, suporte, moldura da caixa ou nicho); - baldes de areia ou gua, para extino de incndio; - tubulaes, vlvulas e hastes do sistema de asperso de gua; - transporte com equipamentos de combate a incndio; - portas de sadas de emergncia;
  • Slide 9
  • NR-26 SINALIZAO DE SEGURANA Portaria n. 3.214 de 8 de Junho de 1978 CURSO DE CAPACITAO EM SINALIZAO DE SEGURANA - rede de gua para incndio (sprinklers); - mangueira de acetileno (solda oxiacetilnica). A cor vermelha ser usada excepcionalmente com sentido de advertncia de perigo: - nas luzes a serem colocadas em barricadas, tapumes de construes e quaisquer outras obstrues temporrias; - em botes interruptores de circuitos eltricos para paradas de emergncia.
  • Slide 10
  • NR-26 SINALIZAO DE SEGURANA Portaria n. 3.214 de 8 de Junho de 1978 CURSO DE CAPACITAO EM SINALIZAO DE SEGURANA 26.1.5.3 Amarelo. (126.004-9 / I2) Em canalizaes, deve-se utilizar o amarelo para identificar gases no liquefeitos. O amarelo dever ser empregado para indicar "Cuidado!", assinalando: - partes baixas de escadas portteis; - corrimes, parapeitos, pisos e partes inferiores de escadas que apresentem risco; - espelhos de degraus de escadas; - bordas desguarnecidos de aberturas no solo (poos, entradas subterrneas, etc.) e de plataformas que no possam ter corrimes; - bordas horizontais de portas de elevadores que se fecham verticalmente; - faixas no piso da entrada de elevadores e plataformas de carregamento; - meios-fios, onde haja necessidade de chamar ateno; - paredes de fundo de corredores sem sada;
  • Slide 11
  • NR-26 SINALIZAO DE SEGURANA Portaria n. 3.214 de 8 de Junho de 1978 CURSO DE CAPACITAO EM SINALIZAO DE SEGURANA - vigas colocadas a baixa altura; - cabines, caambas e gatos-de-pontes-rolantes, guindastes, escavadeiras, etc.; - equipamentos de transporte e manipulao de material, tais como empilhadeiras, tratores industriais, pontesrolantes, vagonetes, reboques, etc.; - fundos de letreiros e avisos de advertncia; - pilastras, vigas, postes, colunas e partes salientes de estruturas e equipamentos em que se possa esbarrar; - cavaletes, porteiras e lanas de cancelas; - bandeiras como sinal de advertncia (combinado ao preto); - comandos e equipamentos suspensos que ofeream risco; - pra-choques para veculos de transporte pesados, com listras pretas.Listras (verticais ou inclinadas) e quadrados pretos sero usados sobre o amarelo quando houver necessidade de melhorar a visibilidade da sinalizao.
  • Slide 12
  • NR-26 SINALIZAO DE SEGURANA Portaria n. 3.214 de 8 de Junho de 1978 CURSO DE CAPACITAO EM SINALIZAO DE SEGURANA 26.1.5.4 Branco. (126.005-7 / I2) O branco ser empregado em: - passarelas e corredores de circulao, por meio de faixas (localizao e largura); - direo e circulao, por meio de sinais; - localizao e coletores de resduos; - localizao de bebedouros; - reas em torno dos equipamentos de socorro de urgncia, de combate a incndio ou outros equipamentos de emergncia; - reas destinadas armazenagem; - zonas de segurana.
  • Slide 13
  • NR-26 SINALIZAO DE SEGURANA Portaria n. 3.214 de 8 de Junho de 1978 CURSO DE CAPACITAO EM SINALIZAO DE SEGURANA 26.1.5.5 Preto. (126.006-5 / I2) O preto ser empregado para indicar as canalizaes de inflamveis e combustveis de alta viscosidade (ex: leo lubrificante, asfalto, leo combustvel, alcatro, piche, etc.). O preto poder ser usado em substituio ao branco, ou combinado a este, quando condies especiais o exigirem
  • Slide 14
  • NR-26 SINALIZAO DE SEGURANA Portaria n. 3.214 de 8 de Junho de 1978 CURSO DE CAPACITAO EM SINALIZAO DE SEGURANA 26.1.5.6 Azul. (126.007-3 / I2) O azul ser utilizado para indicar "Cuidado!", ficando o seu emprego limitado a avisos contra uso e movimentao de equipamentos, que devero permanecer fora de servio. - empregado em barreiras e bandeirolas de advertncia a serem localizadas nos pontos de comando, de partida, ou fontes de energia dos equipamentos. Ser tambm empregado em: - canalizaes de ar comprimido; - preveno contra movimento acidental de qualquer equipamento em manuteno; - avisos colocados no ponto de arranque ou fontes de potncia.
  • Slide 15
  • NR-26 SINALIZAO DE SEGURANA Portaria n. 3.214 de 8 de Junho de 1978 CURSO DE CAPACITAO EM SINALIZAO DE SEGURANA 26.1.5.7 Verde. (126.008-1 / I2) O verde a cor que caracteriza "segurana". Dever ser empregado para identificar: - - canalizaes de gua; - - caixas de equipamento de socorro de urgncia; - - caixas contendo mscaras contra gases; - - chuveiros de segurana; - - macas; - - fontes lavadoras de olhos; - - quadros para exposio de cartazes, boletins, avisos de segurana, etc.; - - porta de entrada de salas de curativos de urgncia; - - localizao de EPI; caixas contendo EPI; - - emblemas de segurana; - - dispositivos de segurana; - - mangueiras de oxignio (solda oxiacetilnica).
  • Slide 16
  • NR-26 SINALIZAO DE SEGURANA Portaria n. 3.214 de 8 de Junho de 1978 CURSO DE CAPACITAO EM SINALIZAO DE SEGURANA 26.1.5.8 Laranja. (126.009-0 / I2) O laranja dever ser empregado para identificar: - canalizaes contendo cidos; - partes mveis de mquinas e equipamentos; - partes internas das guardas de mquinas que possam ser removidas ou abertas; - faces internas de caixas protetoras de dispositivos eltricos; - faces externas de polias e engrenagens; - botes de arranque de segurana; - dispositivos de corte, borda de serras, prensas.
  • Slide 17
  • NR-26 SINALIZAO DE SEGURANA Portaria n. 3.214 de 8 de Junho de 1978 CURSO DE CAPACITAO EM SINALIZAO DE SEGURANA 26.1.5.9 Prpura. (126.010-3 / I2) A prpura dever ser usada para indicar os perigos provenientes das radiaes eletromagnticas penetrantes de partculas nucleares. Dever ser empregada a prpura em: - portas e aberturas que do acesso a locais onde se manipulam ou armazenam materiais radioativos ou materiais contaminados pela radioatividade; - locais onde tenham sido enterrados materiais e equipamentos contaminados; - recipientes de materiais radioativos ou de refugos de materiais e equipamentos contaminados; - sinais luminosos para indicar equipamentos produtores de radiaes eletromagnticas penetrantes e partculas nucleares.
  • Slide 18
  • NR-26 SINALIZAO DE SEGURANA Portaria n. 3.214 de 8 de Junho de 1978 CURSO DE CAPACITAO EM SINALIZAO DE SEGURANA 26.1.5.10 Lils. (126.011-1 / I2) O lils dever ser usado para indicar canalizaes que contenham lcalis. As refinarias de petrleo podero utilizar o lils para a identificao de lubrificantes.
  • Slide 19
  • NR-26 SINALIZAO DE SEGURANA Portaria n. 3.214 de 8 de Junho de 1978 CURSO DE CAPACITAO EM SINALIZAO DE SEGURANA 26.1.5.11 Cinza. (126.012-0 / I2) a) Cinza claro - dever ser usado para identificar canalizaes em vcuo; b) Cinza escuro - dever ser usado para identificar eletrodutos.
  • Slide 20
  • NR-26 SINALIZAO DE SEGURANA Portaria n. 3.214 de 8 de Junho de 1978 CURSO DE CAPACITAO EM SINALIZAO DE SEGURANA 26.1.5.12 Alumnio. (126.013-8 / I2) O alumnio ser utilizado em canalizaes contendo gases liquefeitos, inflamveis e combustveis de baixa viscosidade (ex. leo diesel, gasolina, querosene, leo lubrificante, etc.).
  • Slide 21
  • NR-26 SINALIZAO DE SEGURANA Portaria n. 3.214 de 8 de Junho de 1978 CURSO DE CAPACITAO EM SINALIZAO DE SEGURANA 26.1.5.13 Marrom. (126.014-6 / I2) O marrom pode ser adotado, a critrio da empresa, para identificar qualquer fludo no identificvel pelas demais cores.
  • Slide 22
  • NR-26 SINALIZAO DE SEGURANA Portaria n. 3.214 de 8 de Junho de 1978 CURSO DE CAPACITAO EM SINALIZAO DE SEGURANA 26.2 O corpo das mquinas dever ser pintado em branco, preto ou verde. (126.015-4 / I2) 26.3 As canalizaes industriais, para conduo de lquidos e gases, devero receber a aplicao de cores, em toda sua extenso, a fim de facilitar a identificao do produto e evitar acidentes. (126.016-2 / I2) 26.3.1 Obrigatoriamente, a canalizao de gua potvel dever ser diferenciada das demais. (126.017-0 / I2) 26.3.2 Quando houver a necessidade de uma identificao mais detalhada (concentrao, temperatura, presses, pureza, etc.), a diferenciao far-se- atravs de faixas de cores diferentes, aplicadas sobre a cor bsica. (126.018-9 / I2) 26.3.3 A identificao por meio de faixas dever ser feita de modo que possibilite facilmente a sua visualizao em qualquer parte da canalizao. (126.019-7 / I2) 26.3.4 Todos os acessrios das tubulaes sero pintados nas cores bsicas de acordo com a natureza do produto a ser transportado. (126.020-0 / I2)
  • Slide 23
  • NR-26 SINALIZAO DE SEGURANA Portaria n. 3.214 de 8 de Junho de 1978 CURSO DE CAPACITAO EM SINALIZAO DE SEGURANA a) Para fins do disposto no item anterior, considera-se substncia perigosa todo material que seja, isoladamente ou no, corrosivo, txico, radioativo, oxidante, e que, durante o seu manejo, armazenamento, processamento, embalagem, transporte, possa conduzir efeitos prejudiciais sobre trabalhadores, equipamentos, ambiente de trabalho. 26.5 Smbolos para identificao dos recipientes na movimentao de materiais. 26.5.1 Na movimentao de materiais no transporte terrestre, martimo, areo e intermodal, devero ser seguidas as normas tcnicas sobre simbologia vigentes no Pas. (126.024-3 / I3)
  • Slide 24
  • NR-26 SINALIZAO DE SEGURANA Portaria n. 3.214 de 8 de Junho de 1978 CURSO DE CAPACITAO EM SINALIZAO DE SEGURANA 26.6 Rotulagem preventiva. 26.6.1 A rotulagem dos produtos perigosos ou nocivos sade dever ser feita segundo as normas constantes deste item. (126.025-1 / I3) 26.6.2 Todas as instrues dos rtulos devero ser breves, precisas, redigidas em termos simples e de fcil compreenso. (126.026-0 / I3) 26.6.3 A linguagem dever ser prtica, no se baseando somente nas propriedades inerentes a um produto, mas dirigida de modo a evitar os riscos resultantes do uso, manipulao e armazenagem do produto. (126.027-8 / I3) 26.6.4 Onde possa ocorrer misturas de 2 (duas) ou mais substncias qumicas, com propriedades que variem em tipo ou grau daquelas dos componentes considerados isoladamente, o rtulo dever destacar as propriedades perigosas do produto final. (126.028-6 / I3)
  • Slide 25
  • NR-26 SINALIZAO DE SEGURANA Portaria n. 3.214 de 8 de Junho de 1978 CURSO DE CAPACITAO EM SINALIZAO DE SEGURANA 26.6.5 Do rtulo devero constar os seguintes tpicos: (126.029-4 / I3) - nome tcnico do produto; - palavra de advertncia, designando o grau de risco; - indicaes de risco; - medidas preventivas, abrangendo aquelas a serem tomadas; - primeiros socorros; - informaes para mdicos, em casos de acidentes; e - instrues especiais em caso de fogo, derrame ou vazamento, quando for o caso. 26.6.6 No cumprimento do disposto no item anterior, dever- se- adotar o seguinte procedimento: (126.030-8 / I3) - nome tcnico completo, o rtulo especificando a natureza do produto qumico. Exemplo: "cido Corrosivo", "Composto de Chumbo", etc. Em qualquer situao, a identificao dever ser adequada, para permitir a escolha do tratamento mdico correto, no caso de acidente.
  • Slide 26
  • NR-26 SINALIZAO DE SEGURANA Portaria n. 3.214 de 8 de Junho de 1978 CURSO DE CAPACITAO EM SINALIZAO DE SEGURANA - Palavra de Advertncia - as palavras de advertncia que devem ser usadas so: - "PERIGO", para indicar substncias que apresentem alto risco; - "CUIDADO", para substncias que apresentem risco mdio; - "ATENO", para substncias que apresentem risco leve. - Indicaes de Risco - As indicaes devero informar sobre os riscos relacionados ao manuseio de uso habitual ou razoavelmente previsvel do produto. Exemplos: "EXTREMAMENTE INFLAMVEIS", "NOCIVO SE ABSORVIDO ATRAVS DA PELE", etc. - Medidas Preventivas - Tm por finalidade estabelecer outras medidas a serem tomadas para evitar leses ou danos decorrentes dos riscos indicados. Exemplos: "MANTENHA AFASTADO DO CALOR, FASCAS E CHAMAS ABERTAS" "EVITE INALAR A POEIRA". - Primeiros Socorros - medidas especficas que podem ser tomadas antes da chegada do mdico
  • Slide 27
  • NR-26 SINALIZAO DE SEGURANA Portaria n. 3.214 de 8 de Junho de 1978 CURSO DE CAPACITAO EM SINALIZAO DE SEGURANA Resultado e anlise O prprio layout da planta contribuiu para que as sinalizaes de segurana fiquem fixadas nas mquinas e nos produtos qumicos que representam perigo, em posies que permitam a sua visualizao. A Lei n. 12.111/93, a qual diz que as sinalizaes das rotas de sada devem ser localizadas de modo que a distncia de percurso de qualquer ponto da rota de sada at a sinalizao seja de, no mximo, 15 metros, a sinalizao de orientao das rotas de sada deve ser instalada de forma que na direo de sada de qualquer ponto seja possvel visualizar o ponto seguinte,
  • Slide 28
  • NR-26 SINALIZAO DE SEGURANA Portaria n. 3.214 de 8 de Junho de 1978 CURSO DE CAPACITAO EM SINALIZAO DE SEGURANA
  • Slide 29
  • NR-26 SINALIZAO DE SEGURANA Portaria n. 3.214 de 8 de Junho de 1978 CURSO DE CAPACITAO EM SINALIZAO DE SEGURANA FORMAS DA SINALIZAO Circular Utilizada para implantar smbolos de proibio e ao de comando. Triangular Utilizada para implantar smbolos de alerta. Quadrada e retangular Utilizadas para implantar smbolos de orientao, socorro, emergncia, identificao de equipamentos utilizados no combate a incndio, alarme e mensagens escritas.
  • Slide 30
  • NR-26 SINALIZAO DE SEGURANA Portaria n. 3.214 de 8 de Junho de 1978 CURSO DE CAPACITAO EM SINALIZAO DE SEGURANA SINALIZA O DE ORIENTA O A sinaliza o de orienta o facilita a movimenta o do usu rio em um determinado espa o f sico. So as sinaliza es de rota de fuga e o mapa de riscos. Dentre as sinaliza es de orienta o destaca-se, pela sua relevncia, o mapa de risco, o qual deve existir obrigatoriamente em qualquer ind stria, segundo ao disposto na Norma Regulamentadora NR-05 (figura 1). Assim, visando mostrar como esses tipos de informa es so importantes numa situa o de emergncia.
  • Slide 31
  • NR-26 SINALIZAO DE SEGURANA Portaria n. 3.214 de 8 de Junho de 1978 CURSO DE CAPACITAO EM SINALIZAO DE SEGURANA
  • Slide 32
  • NR-26 SINALIZAO DE SEGURANA Portaria n. 3.214 de 8 de Junho de 1978 CURSO DE CAPACITAO EM SINALIZAO DE SEGURANA SINALIZA O DE ROTA DE FUGA Visa indicar o trajeto completo das rotas de fuga at uma sa da de emergncia (indica o continuada) (figura 2). Figura 2 - Rota de fuga
  • Slide 33
  • NR-26 SINALIZAO DE SEGURANA Portaria n. 3.214 de 8 de Junho de 1978 CURSO DE CAPACITAO EM SINALIZAO DE SEGURANA O uso de rota de fuga se d pela ocorrncia de um sinistro que podem ser de trs tipos: a) Emisso de gases b) Exploso c) Incndio Ocorrendo um destes tipos de sinistro, o tempo de evacua o da rea deve ser suficiente para que a retirada de todos seja segura. Um dos tipos de informa o comumente utilizado em ind strias a advertncia que tem trs prop sitos: a) comunicar informa o relacionada seguran a a um p blico espec fico; b) promover um comportamento seguro, reduzindo o risco; c) reduzir ou prevenir problemas de sa de, ferimentos e danos propriedade.
  • Slide 34
  • NR-26 SINALIZAO DE SEGURANA Portaria n. 3.214 de 8 de Junho de 1978 CURSO DE CAPACITAO EM SINALIZAO DE SEGURANA Obst culos Visa indicar a existncia de obst culos nas rotas de fuga, tais como: pilares, arestas de paredes e vigas, desn veis de piso, fechamento de vos com vidros ou outros materiais transl cidos e transparentes, etc. Mensagens escritas Visa informar o p blico sobre: a) uma sinaliza o b sica, quando for necess ria a complementa o da mensagem dada pelo s mbolo; b) as medidas de prote o contra incndios existentes na edifica o ou reas de risco; c) as circunstncias espec ficas de uma edifica o e reas de risco; d) a lotao admitida em recintos destinados reunio de pblico.
  • Slide 35
  • NR-26 SINALIZAO DE SEGURANA Portaria n. 3.214 de 8 de Junho de 1978 CURSO DE CAPACITAO EM SINALIZAO DE SEGURANA Demarca es de reas Visa definir um layout no piso, que garanta acesso do p blico s rotas de sa da e aos equipamentos de combate a incndio e alarme, em reas utilizadas para dep sito de materiais, instala es de m quinas ou equipamentos industriais e em locais destinados a estacionamento de ve culos. Identifica o de sistemas de combate a incndio Visa identificar, atrav s de pintura diferenciada, as tubula es e acess rios utilizados para sistemas de hidrantes e chuveiros autom ticos quando aparentes.
  • Slide 36
  • NR-26 SINALIZAO DE SEGURANA Portaria n. 3.214 de 8 de Junho de 1978 CURSO DE CAPACITAO EM SINALIZAO DE SEGURANA SINALIZA O DE SEGURAN A A Sinaliza o de Seguran a adverte o usu rio sobre situa es de perigo; sobre a es proibidas em determinado ambiente; indica condi es seguras e instrui sobre equipamentos de prote o para evitar acidentes. A sinaliza o de seguran a classifica-se em: a) mensagens reguladoras - informam as regras vigentes no sistema. b) mensagens de indica o de condi o segura - transmitem informa es em que o usu rio poder encontrar seguran a numa emergncia. c) mensagens de a o mandat ria - ordenam que o usu rio obede a s normas de seguran a. d) mensagens de proibi o - informam s a es que no so permitidas. e) mensagem de advertncia ao risco - adverte os usu rios sobre os riscos. f) mensagens de identifica o de perigo - isolam as reas perigosas.
  • Slide 37
  • NR-26 SINALIZAO DE SEGURANA Portaria n. 3.214 de 8 de Junho de 1978 CURSO DE CAPACITAO EM SINALIZAO DE SEGURANA Sinaliza o de emergncia Fixa as condi es exig veis que devem satisfazer o sistema de sinaliza o de emergncia em edifica es e reas de risco, atendendo ao previsto no Regulamento de Seguran a Contra Incndio e Pnico.
  • Slide 38
  • NR-26 SINALIZAO DE SEGURANA Portaria n. 3.214 de 8 de Junho de 1978 CURSO DE CAPACITAO EM SINALIZAO DE SEGURANA Aplica o Esta Instru o T cnica se aplica a todas as edifica es e reas de risco, exceto residncias unifamiliares. Procedimentos gerais A sinaliza o de emergncia tem como finalidade reduzir o risco de ocorrncia de incndio, alertando para os riscos existentes e garantir que sejam adotadas a es adequadas situa o de risco, que orientem as a es de combate e facilitem a localiza o dos equipamentos e das rotas de sa da para abandono seguro da edifica o em caso de incndio. Caracter sticas da sinaliza o de emergncia A sinaliza o de emergncia faz uso de s mbolos, mensagens e cores, que devem ser alocados convenientemente no interior da edifica o e reas de risco. Tipos de sinaliza o de Emergncia A sinaliza o de emergncia divide-se em: Sinaliza o b sica Sinaliza o complementar
  • Slide 39
  • NR-26 SINALIZAO DE SEGURANA Portaria n. 3.214 de 8 de Junho de 1978 CURSO DE CAPACITAO EM SINALIZAO DE SEGURANA SINALIZA O B SICA A sinaliza o b sica o conjunto m nimo de sinaliza o que uma edifica o deve apresentar, constitu do por quatro categorias, de acordo com sua fun o: Proibi o Visa proibir e coibir a es capazes de conduzir ao in cio do incndio ou ao seu agravamento. Alerta Visa alertar para reas e materiais com potencial de risco de incndio, exploso, choques el tricos e contamina o por produtos perigosos. Orienta o e Salvamento Visa indicar as rotas de sa da e as a es necess rias para o seu acesso e uso. Equipamentos Visa indicar a localiza o e os tipos de equipamentos de combate a incndios e alarme dispon veis no local. Os diversos tipos de sinaliza o de emergncia devem ser implantados em fun o de caracter sticas espec ficas de uso e dos riscos, bem como em fun o de necessidades b sicas para a garantia da seguran a contra incndio na edifica o.
  • Slide 40
  • NR-26 SINALIZAO DE SEGURANA Portaria n. 3.214 de 8 de Junho de 1978 CURSO DE CAPACITAO EM SINALIZAO DE SEGURANA Sinaliza o de Proibi o A sinaliza o de proibi o pr pria de seguran a contra incndio e pnico deve ser instalada em local vis vel e a uma altura de 1,80 m medida do piso acabado base da sinaliza o, distribu da em mais de um ponto dentro da rea de risco, de modo que pelo menos uma delas possa ser claramente vis vel de qualquer posi o dentro da rea, distanciadas em no m ximo 15 m entre si. Sinaliza o de Alerta A sinaliza o de alerta pr pria de seguran a contra incndio e pnico deve ser instalada em local vis vel e a uma altura de 1,80 m medida do piso acabado base da sinaliza o, pr xima ao risco isolado ou distribu da ao longo da rea de risco generalizadas, distanciadas entre si em no m ximo, 15 m.
  • Slide 41
  • NR-26 SINALIZAO DE SEGURANA Portaria n. 3.214 de 8 de Junho de 1978 CURSO DE CAPACITAO EM SINALIZAO DE SEGURANA Indica o de Obst culos A sinaliza o complementar de indica o de obst culos e riscos na circula o de rotas de sa da deve ser instalada de acordo com os seguintes crit rios: Faixa zebrada - devem ser aplicadas, verticalmente, a uma altura de 0,50 m do piso acabado, com comprimento m nimo de 1,0m; - devem ser aplicadas, horizontalmente, por toda a extenso dos obst culos, em todas as faces, com largura m nima de 0,10m em cada face; - devem ser aplicadas tarjas, em cor contrastante com o ambiente, com largura m nima de 50 mm, aplicada horizontalmente em toda sua extenso, na altura constante compreendida entre 1,00 m e 1,40 m do piso acabado. As mensagens escritas espec ficas que acompanham a sinaliza o b sica devem se situar imediatamente adjacente sinaliza o complementar, e devem ser escritas na l ngua portuguesa. Quando houver necessidade de mensagens em um ou mais idiomas, essas podem ser adicionadas sem, no entanto, substituir a mensagem na l ngua portuguesa.
  • Slide 42
  • NR-26 SINALIZAO DE SEGURANA Portaria n. 3.214 de 8 de Junho de 1978 CURSO DE CAPACITAO EM SINALIZAO DE SEGURANA No acesso principal da rea de risco, informando o p blico sobre: a) o sistema de prote o contra incndio instalado na rea de risco; b) os produtos l quidos combust veis armazenados, indicando a quantidade total de recipientes transport veis ou tanques, bem como a capacidade m xima individual de cada tipo, em litros ou metros c bicos; c) os gases combust veis armazenados em tanques fixos, indicando a quantidade total de tanques, bem como a capacidade m xima individual dos tanques, em litros ou metros c bicos e em quilogramas; d) os gases combust veis armazenados em recipientes transport veis, indicando a quantidade total de recipientes de acordo com a capacidade m xima individual de cada tipo, em quilogramas; e) outros produtos perigosos que esto armazenados. Indicando o tipo, a quantidade e o perigo que oferecem s pessoas e meio-ambiente.
  • Slide 43
  • NR-26 SINALIZAO DE SEGURANA Portaria n. 3.214 de 8 de Junho de 1978 CURSO DE CAPACITAO EM SINALIZAO DE SEGURANA Sinaliza o de reas As sinaliza es complementares destinadas demarca o de reas devem ser implantadas no piso acabado, atrav s de faixas cont nuas com largura entre 0,05 m e 0,20 m, nas seguintes situa es: a) na cor branca ou amarela, em todo o per metro das reas destinadas a dep sito de mercadorias, m quinas e equipamentos industriais, etc., a fim de indicar uma separa o entre os locais desses materiais e os corredores de circula o de pessoas e ve culos; b) na cor branca ou amarela, para indicar as vagas de estacionamento de ve culos em garagens ou locais de carga e descarga; c) na cor branca, paralelas entre si e com o espa amento variando entre uma e duas vezes a largura da faixa adotada, dispostas perpendicularmente ao sentido de fluxo de pedestres (faixa de pedestres), com comprimento m nimo de 1,20m, formando um retngulo ou quadrado, sem bordas laterais, nos acessos s sa das de emergncia, a fim de identificar o corredor de acesso para pedestres.
  • Slide 44
  • NR-26 SINALIZAO DE SEGURANA Portaria n. 3.214 de 8 de Junho de 1978 CURSO DE CAPACITAO EM SINALIZAO DE SEGURANA Sinais Utilizados com Freq ncia As imagens presentes nas advertncias podem ser de trs tipos, dependendo do teor e da mensagem transmitida: Descritiva - quando a imagem identifica uma fonte de perigo. Prescritiva - quando a imagem prescreve alguma a o a ser tomada. Proscritiva - quando quer impedir a tomada de determinada a o.
  • Slide 45
  • NR-26 SINALIZAO DE SEGURANA Portaria n. 3.214 de 8 de Junho de 1978 CURSO DE CAPACITAO EM SINALIZAO DE SEGURANA Parmetros Ergonmicos A ergonomia informacional aborda parmetros ergonmicos que so considerados na linguagem verbal: Legibilidade: indica a facilidade com que as partes podem ser reconhecidas e organizadas num modelo coerente. Visibilidade: qualidade de um caractere ou s mbolo que torna poss vel sua separa o visual do suporte em que apresentado ou em seu entorno. Leiturabilidade: qualidade respons vel pelo reconhecimento da informa o textual quando apresentada em grupamentos significativos como palavras, senten as ou textos cont nuos. Compreensibilidade: qualidade de entendimento correto do significado do s mbolo, como tamb m a compreenso da informa o para tomar ou tornar segura a deciso de um ato. Orientabilidade: define uma sequncia l gica de mensagens para facilitar a locomo o em uma edifica o. Logo, a preocupa o com a ergonomia informacional na ind stria extremamente importante, pois pode auxiliar as pessoas a no alterarem significativamente seus comportamentos.
  • Slide 46
  • NR-26 SINALIZAO DE SEGURANA Portaria n. 3.214 de 8 de Junho de 1978 CURSO DE CAPACITAO EM SINALIZAO DE SEGURANA Metodologia Ergonmica de Sinaliza es A metodologia utilizada no estudo constituiu-se de trs etapas, as quais fazem parte da an lise a) Aprecia o ergonmica: diz respeito ao levantamento das mensagens visuais locais, verificando se existem aspectos que possam interferir na transmisso da informa o; b) Diagnose ergonmica: diz respeito verifica o da padroniza o das sinaliza es, da presen a de elementos simb licos, a compreensibilidade, visibilidade, entre outros c) Recomenda es ergonmicas: esto relacionadas aos dados levantados, propondo algumas sugestes para a melhor compreenso de algumas sinaliza es.
  • Slide 47
  • NR-26 SINALIZAO DE SEGURANA Portaria n. 3.214 de 8 de Junho de 1978 CURSO DE CAPACITAO EM SINALIZAO DE SEGURANA A figura abaixo mostra as sinaliza es de rotas de fuga e a localiza o das reas. As setas vermelhas contendo escrita a mensagem ROTA DE FUGA do orienta o para fora da planta.
  • Slide 48
  • NR-26 SINALIZAO DE SEGURANA Portaria n. 3.214 de 8 de Junho de 1978 CURSO DE CAPACITAO EM SINALIZAO DE SEGURANA As sinaliza es de seguran a apresentadas possuem modos de simboliza o do tipo verbal/num rico-pict rico, tendo em vista a presen a de um elemento simb lico. Indica o de condi o Indica o de condi o Advertncia Advertncia de risco Advertncia de risco Advertncia de risco
  • Slide 49
  • NR-26 SINALIZAO DE SEGURANA Portaria n. 3.214 de 8 de Junho de 1978 CURSO DE CAPACITAO EM SINALIZAO DE SEGURANA A o mandat ria Identifica o de perigo A o mandat ria
  • Slide 50
  • NR-26 SINALIZAO DE SEGURANA Portaria n. 3.214 de 8 de Junho de 1978 CURSO DE CAPACITAO EM SINALIZAO DE SEGURANA Tipos de Sinaliza o sem S mbolos Segundo a NR 26, a cor azul empregada, entre outros, em avisos colocados no ponto de arranque. Esta sinaliza o indicada na sinaliza o de riscos diretos ou indiretos relacionados com a seguran a pessoal ou patrimonial. A mensagem visual AVISO pode se fixada no corredor de uma planta de processos ou em lugar determinado a mensagem (figura 18). Com rela o s sinaliza es de orienta o tm-se os mapas de riscos, os quais costumam ser uma planta baixa do local de trabalho, contendo c rculos coloridos que representam os riscos existentes. Todos eles possuem modo de simboliza o verbal/num rico pict rico, contendo detalhes fi is ao real dispostos em setores como, por exemplo, recep o, refeit rio, cho de f brica, sala de controle, entre outros, e esses mesmos devem ter o mapa de riscos setoriais, para que tanto os visitantes quanto os trabalhadores possam visualiz -los e manterem-se informados. Figura 18 Sinaliza o de Estacionamento de Supermercado
  • Slide 51
  • NR-26 SINALIZAO DE SEGURANA Portaria n. 3.214 de 8 de Junho de 1978 CURSO DE CAPACITAO EM SINALIZAO DE SEGURANA
  • Slide 52
  • NR-26 SINALIZAO DE SEGURANA Portaria n. 3.214 de 8 de Junho de 1978 CURSO DE CAPACITAO EM SINALIZAO DE SEGURANA Sinalizao de proibio: a) forma: circular; b) cor de contraste: branca; c) barra diametral e faixa circular (cor de seguran a): vermelha; d) cor do s mbolo: preta; e) margem (opcional): branca.
  • Slide 53
  • NR-26 SINALIZAO DE SEGURANA Portaria n. 3.214 de 8 de Junho de 1978 CURSO DE CAPACITAO EM SINALIZAO DE SEGURANA Sinalizao de alerta: a) forma: triangular; b) cor do fundo (cor de contraste): amarela; c) moldura: preta; d) cor do s mbolo (cor de seguran a): preta; e) margem (opcional): amarelo.
  • Slide 54
  • NR-26 SINALIZAO DE SEGURANA Portaria n. 3.214 de 8 de Junho de 1978 CURSO DE CAPACITAO EM SINALIZAO DE SEGURANA Sinalizao de orientao e salvamento: a) forma: quadrada ou retangular; b) cor do fundo (cor de seguran a): verde; c) cor do s mbolo (cor de contraste): fotoluminescente; d) margem (opcional): fotoluminescente.
  • Slide 55
  • NR-26 SINALIZAO DE SEGURANA Portaria n. 3.214 de 8 de Junho de 1978 CURSO DE CAPACITAO EM SINALIZAO DE SEGURANA Sinalizao de equipamentos: a) forma: quadrada ou retangular; b) cor de fundo (cor de seguran a): vermelha; c) cor do s mbolo (cor de contraste): fotoluminescente; d) margem (opcional): fotoluminescente.
  • Slide 56
  • NR-26 SINALIZAO DE SEGURANA Portaria n. 3.214 de 8 de Junho de 1978 CURSO DE CAPACITAO EM SINALIZAO DE SEGURANA Sinaliza o de porta corta-fogo (vista da escada) Sinaliza o de porta corta-fogo (vista do hall)
  • Slide 57
  • NR-26 SINALIZAO DE SEGURANA Portaria n. 3.214 de 8 de Junho de 1978 CURSO DE CAPACITAO EM SINALIZAO DE SEGURANA Sinaliza o de hidrante Sinaliza o de extintores
  • Slide 58
  • NR-26 SINALIZAO DE SEGURANA Portaria n. 3.214 de 8 de Junho de 1978 CURSO DE CAPACITAO EM SINALIZAO DE SEGURANA Sinaliza o complementar. Exemplo de rodap Sinaliza o complementar. Exemplo de rodap Sinaliza o complementar. Exemplo de rodap
  • Slide 59
  • NR-26 SINALIZAO DE SEGURANA Portaria n. 3.214 de 8 de Junho de 1978 CURSO DE CAPACITAO EM SINALIZAO DE SEGURANA Sinaliza o de sa da sobre verga de portas, sinaliza o complementar de sa das e obst culos
  • Slide 60
  • NR-26 SINALIZAO DE SEGURANA Portaria n. 3.214 de 8 de Junho de 1978 CURSO DE CAPACITAO EM SINALIZAO DE SEGURANA Sinalizao de sada sobre porta corta-fogo
  • Slide 61
  • NR-26 SINALIZAO DE SEGURANA Portaria n. 3.214 de 8 de Junho de 1978 CURSO DE CAPACITAO EM SINALIZAO DE SEGURANA Sinaliza o de sa da em rampa
  • Slide 62
  • NR-26 SINALIZAO DE SEGURANA Portaria n. 3.214 de 8 de Junho de 1978 CURSO DE CAPACITAO EM SINALIZAO DE SEGURANA Sinalizao de canteiro de obras
  • Slide 63
  • NR-26 SINALIZAO DE SEGURANA Portaria n. 3.214 de 8 de Junho de 1978 CURSO DE CAPACITAO EM SINALIZAO DE SEGURANA MAPA DE RISCO
  • Slide 64
  • NR-26 SINALIZAO DE SEGURANA Portaria n. 3.214 de 8 de Junho de 1978 CURSO DE CAPACITAO EM SINALIZAO DE SEGURANA MAPA OPERACIONAL DE TRANSPORTE DE CARGAS
  • Slide 65
  • NR-26 SINALIZAO DE SEGURANA Portaria n. 3.214 de 8 de Junho de 1978 CURSO DE CAPACITAO EM SINALIZAO DE SEGURANA ROTA DE FUGA
  • Slide 66
  • NR-26 SINALIZAO DE SEGURANA Portaria n. 3.214 de 8 de Junho de 1978 CURSO DE CAPACITAO EM SINALIZAO DE SEGURANA PLACAS
  • Slide 67
  • NR-26 SINALIZAO DE SEGURANA Portaria n. 3.214 de 8 de Junho de 1978 CURSO DE CAPACITAO EM SINALIZAO DE SEGURANA COMBATE A INCNDIO
  • Slide 68
  • NR-26 SINALIZAO DE SEGURANA Portaria n. 3.214 de 8 de Junho de 1978 CURSO DE CAPACITAO EM SINALIZAO DE SEGURANA Normas Tcnicas (ABNT ). NBR 7500 Identificao para o transporte terrestre, manuseio, movimentao e armazenamento de produtos. NBR 7501 Transporte de Produtos Perigosos - Terminologia. NBR 7503 Fichas de Emergncia e Envelope para Transporte Terrestre de Produtos Perigosos, Caractersticas, Dimenses e Preenchimento. NBR 9735 Conjunto de Equipamentos para Emergncia no Transporte Terrestre de Produtos Perigosos. NBR 14619 Incompatibilidade Qumica. NBR 15481 Condies Mnimas de Segurana para o Transporte de Produtos Perigosos e Anexo A Lista de Verificao Check List de veculos, carga e documentos antes e depois de carga ou antes da descarga de produtos perigosos. Transportes de produtos perigosos
  • Slide 69
  • NR-26 SINALIZAO DE SEGURANA Portaria n. 3.214 de 8 de Junho de 1978 CURSO DE CAPACITAO EM SINALIZAO DE SEGURANA
  • Slide 70
  • NR-26 SINALIZAO DE SEGURANA Portaria n. 3.214 de 8 de Junho de 1978 CURSO DE CAPACITAO EM SINALIZAO DE SEGURANA
  • Slide 71
  • NR-26 SINALIZAO DE SEGURANA Portaria n. 3.214 de 8 de Junho de 1978 CURSO DE CAPACITAO EM SINALIZAO DE SEGURANA
  • Slide 72
  • NR-26 SINALIZAO DE SEGURANA Portaria n. 3.214 de 8 de Junho de 1978 CURSO DE CAPACITAO EM SINALIZAO DE SEGURANA Formulado por Srgio Amaral Tec. Seg. Trabalho DRT.N.6920/PA Email sergiobio@oi.com.brsergiobio@oi.com.br 91 83419117 88541350 www.petroleo21.jimdo.com www.petroleo21.blogspot.com

Recommended

View more >