NOVO SLIDE DE HISTOLOGIA - Cpia

  • Published on
    11-Jul-2015

  • View
    231

  • Download
    0

Transcript

Embriologia do sistema cardiovascular

Componentes:

Aline Sousa

Cristiane Mesquita

Edivone Soares

Hanna Almeida Jobervnia Leite

O primeiro sistema a funcionar no embrio o sistema cardiovascular; Isso se deve ao rpido crescimento do mesmo, nas primeiras semanas; Esse sistema advm do fluido angioblstico com origem no

Introduo

5/3/12

Morfognese Vascular

Vasculognese coalescncia de progenitores migrantes ou livres dos endotlios vasculares = angioblastos Angiognese inicia num vaso preexistente Ambos processos clulas endoteliais migram, proliferam e se organizam formando tubos para conter o sangue

5/3/12

5/3/12

5/3/12

Sistema circulatrio primitivo

3 pares de veias chegam ao corao tubular do embrio: Veias vitelinas sangue com pouco O2 do saco vitelino Veias umbilicais sangue com muito O2 das vilosidades corinicas da placenta Veias cardinais comuns sangue com pouco O2 do corpo do embrio

5/3/12

Veias Vitelinas

5/3/12

Veias vitelinas ou onfalomesentricas vem do saco vitelino seguem pelo pedculo vitelino, chegam no embrio, formam plexo em torno do intestino, passam pelo septo transverso e chegam ao plo venoso do corao => seio venoso Fgado cresce para dentro do septo transverso cordes hepticos crescem, se anastomosam em torno de espaos revestidos por endotlio espaos = primrdios dos sinusides

Veias Umbilicais

Veias umbilicais levam sangue bem oxigenado da placenta para o seio venoso.

Passam pelos 2 lados do fgado, e quando este se desenvolve, perdem contato com o corao e desguam no fgado. Veia umbilical direita desaparece veia umbilical esquerda = nico vaso que leva sangue c/ muito O2 da placenta p/ o embrio. Forma-se grde. shunt venoso no fgado = ducto venoso liga veia umbilical com canal hepatocardaco da veia cava inferior.

Ducto venoso = passagem semi-direta da5/3/12

5/3/12

Veias Cardinais Veias cardinais anterior e posterior = principal drenagem venosa do embrio. Juntam-se e formam veias cardinais comuns seio venoso da 5 a 7 semana formam-se veias subcardinais drenam principalmente os rins veias sacrocardinais drenam extremidades inferiores veias supracardinais drenam parede corporal assumindo as funes das veias cardinais posteriores 8 semana veias cardinais anteriores unidas por anastomose ser a veia braquioceflica esquerda

Veias Cardinais

veia cardinal anterior direita + veia cardinal comum veia cava superior

veias cardinais posteriores5/3/12

Veias subcardinais, supracardinais e sacrocardinais

veias subcardinais se anastomosam tronco da veia renal esquerda e veias adrenais,

esquerda desaparece permanece s poro distal veia gonadal esquerda direita segmento renal da veia cava inferior

veias supracardinais - ltimo par de vasos a se formar

cefalicamente aos rins que unidas por anastomose que igual a veias zigos e hemizigos. caudalmente aos rins: esquerda degenera; direita parte inferior da veia cava inferior.

5/3/12

Veia Cava Inferior

Composta por quatro (4) segmentos: segmento heptico da veia heptica (parte proximal da veia vitelina direita) e sinusides hepticos segmento pr-renal da veia subcardinal direita segmento renal da anastomose subcardinal-supracardinal segmento ps-renal da veia5/3/12

Desenvolvimento da veia cava inferior, da veia zigo e da veia cava superior 5/3/12q

Sistema Arterial

Artrias VitelinasSo ramos ventrais mpares da aorta dorsal suprem saco vitelino, alantide e crion. Mais tarde se fundem e suprem mesentrio e o intestino primitivo que se forma do saco vitelino. 3 artrias vitelinas permanecem:

5/3/12

Artrias UmbilicaisSo ramos ventrais pareados da aorta dorsal, levam sangue com pouco O2 para placenta: passam pelo pedculo de fixao (cordo umbilical), vasos do crion. durante 4 semana cada artria forma 5/3/12 conexo secundria com ramo dorsal

Arcos Articos e seus derivadosArcos farngeos ao se formarem (4 semana), recebem cada um seu nervo craniano e sua artria = arcos articos que surgem do saco artico e terminam nas aortas dorsais

5/3/12

5/3/12

Derivados do 1 par de arcos articos

grande parte desaparece o que sobra forma: artrias maxilaresorelhas, dentes, msculos do olho e face

Derivados do 2 par de arcos articos

partes dorsais troncos das artrias estapdicas (pequenos vasos que no embrio passam pelo anel do estribo) e artrias hiides

5/3/12

Derivados articos

do

4

par

de

arcos

esquerdo parte da croa da aorta, entre artrias cartida comum esquerda e subclvia esquerda. (parte proximal do arco se forma do saco artico e parte distal deriva da aorta dorsal esquerda) direito parte proximal da artria subclvia direita

Derivados articos

do

5

par

de

arcos

50% dos embries esses pares so rudimentares e logo degeneram 50% dos embries esses pares nem se formam.

5/3/12

Derivados

do

6

par

de

arcos

Os arcos articos, que se extendem do saco artico aorta dorsal pareada, se desenvolvem e regridem assimtricamente. O 4 par 5/3/12

3 estruturas mais importantes para a circulao de transio:

Circulao Fetal e Neonatal

ducto venoso (liga veia umbilical veia cava inferior, passa dentro do fgado) => ducto venoso forma ligamento venoso

formen oval (liga trio direito ao esquerdo) => Aumento da presso do trio esquerdo, e diminuio no trio direito.

ducto arterioso (liga tronco pulmonar artria aorta descendente)=> quase imediatamente aps o nascimento 5/3/12

As cores Clique indicam a no cone para adicionar uma imagem saturao de O2 do sangue e as setas mostram a corrente5/3/12

As cores Clique no cone para indicam a adicionar uma imagem saturao de O2 do sangue e as setas o trajeto do sangue da placenta 5/3/12

Clique no cone para adicionar uma imagem

OBRIGADO !!5/3/12