Noticirio 17 10 15

  • Published on
    23-Jul-2016

  • View
    219

  • Download
    0

DESCRIPTION

 

Transcript

  • O DEBATEDIRIO DE MACA

    www.odebateon.com.br

    Maca (RJ), sbado17 de outubro de 2015Ano XL, N 8840Fundador/Diretor: Oscar Pires

    facebook/odebate

    twiter/odebate

    issuu/odebateon

    R$ 1,00

    Aps reunio com os 45 candidatos que disputaram as eleies para a nova formao do Conselho Tutelar de Maca, o Conselho Municipal de Defe-sa dos Direitos das Crianas e dos Adolescentes (CMDDCA) divulgou a relao final da apu-rao dos votos computados no pleito realizado no ltimo dia 4. Aps duas semanas de discusses sobre o imbrglio

    que envolveu indcios de frau-de nos votos registrados em trs urnas, o nome dos 15 melhores colocados na disputa foram ofi-cialmente apresentados. Eles tero a responsabilidade de atuar em prol das crianas e dos adolescentes da cidade durante mandato de quatro anos (2016-2019) e, para isso, recebero a remunerao de pouco mais de R$ 4,1 mil. PG. 5

    KAN MANHES

    Casa do Caminho celebra 26 anos

    EDUCAO

    A Casa do Caminho comple-ta neste sbado, dia 17 de outu-bro, 26 anos de atendimento e assistncia no municpio. So mais de duas dcadas fazendo a diferena na vida de crianas, jovens e adultos que buscam um amanh melhor, e oferecendo a eles, em especial adolescentes entre oito e treze anos, aulas de violino, violo, percusso e flauta doce, alm do tradicional incentivo educao ambiental. Para comemorar a data diversas atividades sero realizadas nes-te sbado e domingo. De acordo com o presidente da Casa, Pier-re Maciel, hoje as atividades te-ro incio s 9h. A programao inclui entrega de kits educativos para as crianas. PG. 7

    Com base no questionamen-to apresentado pelo vereador Marcel Silvano (PT), durante Audincia Pblica realizada na ltima quarta-feira (14) pela Cmara, o governo municipal apontou que no h previso para cortes nos pagamentos do auxlio-alimentao e vale-re-feio de servidores do quadro fixo da administrao.O tema foi levantado por Marcel dian-te de informaes repassadas pelas redes sociais. PG. 3

    Pierre conduz projetos sociais

    POLTICA

    Governo nega corte de vales

    GAOP RECEBE TREINAMENTOPOLCIA

    Preparao de agentes especiais da Guarda Municipal passa a ser referncia na regio

    Cada vez mais os guardas municipais atuam junto segurana pblica do municpio. O Grupo de Apoio Operacional (GAOP) atua em conjunto com as Polcias Federal, Civil e Mili-tar. Para isso, esses agentes precisam passar por um curso de formao, que realizado anualmente em Maca. Nesta sexta-feira (16), cerca de 38 guardas municipais terminaram o curso de formao, que foi realizado durante quatro dias, na Pesagro, no Horto. Alm da parte prtica do curso, os alunos tambm recebem noes de Legislao e apren-dem sobre a histria da Guarda Municipal. A parte prtica voltada para treinamentos fsicos e tti-cos em combates urbanos. Os alunos receberam ensinamentos sobre patrulhamento de alto risco, utilizao de ces e primeiros socorros. PG. 5

    WANDERLEY GIL

    Guardas municipais de 14 municpios, e de uma cidade do Esprito Santo, participaram do curso

    ESPORTE ECONOMIAWANDERLEY GIL

    Encontro foi realizado no Mercado de Peixes

    Maca encara hoje o Paysandu pela Srie B

    Pescadores recebem apoio tcnico

    Alvianil viaja para Belm em busca de recuperao no Brasileiro PG. 9

    Iniciativa visa qualificar atividade de produo pesqueira na cidade PG. 5

    TIAGO FERREIRA/ASSESSORIA

    Time busca apoio divino para recuperar posies na tabela da Srie B

    NDICETEMPO

    COTAO DO DLAR

    EDITORIAL 4

    PAINEL 4

    GUIA DO LEITOR 4

    ESPAO ABERTO 4

    CRUZADINHA C2

    HORSCOPO C2

    CINEMA C2

    AGENDA C2

    Mxima 35 CMnima 22 C

    Compra R$ 3,8728Venda R$ 3,8735 Anuncie: (22) 2106-6060 (215)

    POLCIA EDUCAO POLTICA CADERNO DOIS

    Agentes apresentam programas sociais

    Apae promove semana de atividades

    Poltica Social em debate no Legislativo

    Joo e Maria enfeitam o sbado da crianada

    Maca pioneira ao criar as Guardas Snior e Mirim PG. 6

    Programao inclui contao de histria para crianas PG. 7

    Maxwell Vaz cobra apoio a moradores de rua PG. 3

    Teatro do Sesi/Maca recebe espetculo infantil CAPA

    WANDERLEY GIL WANDERLEY GIL

    HORRIO DE VERO COMEA NESTE DOMINGO

    GREVE DOS BANCRIOS CHEGA AO 11 DIA

    INDSTRIA GANHA NOVO MODELO DE APOIO

    CIDADE, PG.2 ECONOMIA, PG.6 POLTICA, PG.3

    CIDADE

    Resultado de disputa por vagas para conselheiros divulgadoDuas semanas aps a realizao do pleito, Conselho Municipal computa votos e apresenta nome dos eleitos para assumir postos a partir de 2016. Pedido de impugnao ser avaliado

    Pecado recebe ao em apoio ao MPFAo alcanar apenas na cida-de um total de 1.356 assinaturas em apoio s 10 medidas de com-bate corrupo, a Procuradoria da Repblica em Maca realiza neste final de semana mais uma ao de incentivo adeso da sociedade macaense, ao movi-mento criado pelo Ministrio

    Pblico Federal. Tambm nes-ta semana, a Procuradoria da Repblica registrou a iniciativa voluntria da organizao no governamental SOS Praia do Pecado, responsvel por realizar em Maca aes em defesa da preservao do meio ambiente, atravs do esporte. PG. 3

    POLTICA

  • O DEBATE DIRIO DE MACA2 Maca, sbado, 17 de outubro de 2015

    CidadeNOTA

    1 Festival Holstico Ecoyoga de Maca. Evento aberto populao e demais interessados ser realizado no domingo (18).

    WANDERLEY GIL

    Com dias mais longos, a populao pode aproveitar mais a luz natural e evitar desperdcios

    MEIA-NOITE

    Comea neste domingo o Horrio de VeroRelgios devem ser adiantados em uma hora. Medida pode resultar em economia de R$ 7 bilhesMarianna Fontesmarifontes@odebateon.com.br

    Apartir da 0h deste do-mingo (18), comea ofi-cialmente o Horrio de Vero 2015/2016 no Brasil. Com isso, a populao deve adiantar em uma hora os seus relgios. Segundo o Governo Federal, a mudana vai vigorar at a meia-noite do dia 21 de fevereiro. De acordo com uma nota

    divulgada pelo Ministrio de Minas e Energia, a medida de-ve gerar uma economia de R$ 7 bilhes para o pas. Segundo ele, essa estimativa leva em considerao a quantidade de megawatts que deixaro de ser consumidos nesse perodo de quatro meses, que deve chegar a 2.610 MW. Com isso, novos investimentos sero evitados. O horrio de vero ir aten-

    der aos seguintes estados: Rio de Janeiro, So Paulo, Esprito Santo, Minas Gerais, Paran, Santa Catarina, Rio Grande do

    Sul, Mato Grosso do Sul, Mato Grosso e Gois, alm do Distrito Federal. Dados do ministrio mos-

    tram que, na ltima dcada, a medida tem possibilitado uma reduo mdia de 4,5% na de-manda por energia durante o horrio de maior consumo (en-tre 18 e 21 horas). Alm disso, tambm h uma economia ab-soluta de 0,5%, o que equivale, aproximadamente, ao consumo mensal de uma cidade com mais 2,8 milhes de habitantes. De acordo com o Decreto

    N 6.558, de 8 de setembro de 2008, o horrio brasileiro de vero tem incio no terceiro domingo de outubro de ca-da ano e termina no terceiro domingo de fevereiro do ano subsequente, exceto quando o trmino coincide com o Car-naval, quando ento poster-gado para o domingo seguinte. O objetivo do horrio de ve-

    ro aproveitar os dias mais longos, com mais tempo de

    iluminao solar, para dimi-nuir o consumo de energia eltrica no horrio de pico. Entre os meses de outubro e fevereiro, os dias tm maior durao em algumas regies por causa da posio da Terra em relao ao sol. Consequentemente, h au-

    mento da segurana do sistema eltrico e maior flexibilidade operacional para a realizao de manutenes, alm de re-duo da presso sobre o meio ambiente e nas tarifas cobradas pelo servio.Independente do horrio de

    vero, a populao pode ado-tar pequenos hbitos no dia a dia para reduzir o consumo. Entre as dicas esto: evitar deixar os aparelhos no modo de espera. O modo descan-so consome de 15% a 30% da energia; ao abrir a geladeira, retirar todos os ingredientes que for usar de uma s vez; o ar-condicionado, que um dos grandes responsveis pe-

    la conta de energia elevada, consome em mdia 162Kwh mensalmente, quando utili-zado durante 30 dias por ms, 8 horas por dia. Diante disso, deve-se buscar alternativas mais econmicas, como os

    ventiladores. O chuveiro el-trico, por exemplo, consome em mdia 70 Kwh por ms se utilizado por 40 minutos/dia, durante 30 dias no ms. Fechar a torneira enquanto se ensaboa ajuda a economizar energia e

    tambm gua, um dos recursos naturais mais importantes na Terra. Tome banhos rpidos e, se possvel, com a chave de tem-peratura na posio vero. Assim, seu consumo pode ser reduzido em at 30%.

    DILOGO

    FAMMA diz que quer agendar uma nova reunio com o prefeito e os secretrios

    Desde que a primeira, e ni-ca, reunio entre a prefeitura e as associaes de moradores foi realizada, a prxima, que deveria acontecer no final de setembro, j foi adiada duas vezes. Diante disso, a Federa-o das Associaes de Mora-dores do Municpio de Maca (FAMMA) espera uma res-posta do prefeito, Dr. Aluzio, para que ela seja remarcada o quanto antes.Os presidentes e vices das

    associaes de moradores querem, com urgncia, que esse encontro seja feito ainda no ms de outubro. Quere-mos resolver, de uma vez por todas tudo o que foi falado na nica reunio que tivemos at o momento, que j aconteceu h mais de um ms. Uma das nossas exigncias de que esse prximo encontro acontea na sede da FAMMA e com os se-cretrios escolhidos pelos re-presentantes dos bairros. Para ns esse ser considerado, ofi-cialmente, o primeiro dilogo com o poder pblico, expli-ca o presidente da FAMMA, Celso Henrique da Silva, que tambm est frente da Asso-ciao de Moradores e Amigos do Bairro Aroeira (AMABA).Celso ressalta, ainda, a im-

    portncia de um apoio maior do poder pblico. Os presi-dentes no concordam com a falta de apoio da prefeitura. Hoje em dia apenas os admi-nistradores de bairros rece-bem esse suporte. Por que no

    Federao espera que encontro com o poder pblico acontea ainda neste ms

    resolvemos essa situao logo para ficar bom para todo mun-do?, ressalta. O presidente da FAMMA

    tambm aproveita para divul-gar a prxima eleio de bair-ro, que ser realizada no dia 25 de outubro, nos loteamentos Santo Amaro e Itaparica. A votao acontecer, das 9h s 14h, na Rua 4, n 185 - Itapa-rica.Esto concorrendo duas

    chapas: a Um, representada por Rose, e a Dois, represen-tada por Cristiano. Para votar preciso ser maior de 16 anos e apresentar no dia a carteira de identidade e o comprovante de residncia.

    As prximas eleies, ainda com datas a serem marcadas, sero nas seguintes localida-des: Virgem Santa, Engenho da Praia, So Jos do Barre-to, Mirante da Lagoa, entre outras. Vale ressaltar que as eleies de associaes s se-ro feitas at o final deste ano, retornando apenas em 2017. As associaes que ainda

    no fizeram as suas devem procurar a FAMMA o quanto antes na sua sede, situada na Rua Alcides Mouro, n 892 - Aroeira. O atendimento aos presidentes e vices tambm feito de segunda a sexta-feira, das 9h s 14h, na sede da pre-feitura, no 4 andar.

    DIVULGAO

    Presidentes de bairros esperam conseguir maior dilogo com o governo municipal

    O abastecimento de gua um problema que afeta Ma-ca h dcadas. Em algumas comunidades, que ainda no contam com rede da Nova Ce-dae, o servio prestado pela prefeitura atravs de caixas d'guas comunitrias e cami-nhes-pipas. O problema que muitos cidados ainda sofrem com a falta dela na cidade.Diante disso, a FAMMA

    vem atuando para acabar com a discriminao no que se refere diviso dos carros-pipas dentro das comunida-des. Ns no vamos aceitar que algumas pessoas sejam privilegiadas, e outras no. Na quinta-feira (15), eu con-segui dois caminhes para abastecer o Rio Novo. Logo depois, junto a um secret-

    rio municipal, a gente che-gou a um acordo no sentido de que, a partir de agora, no ir faltar gua nessas reas carentes. As divises deve-ro ser feitas igualmente, de acordo com a demanda de ca-da localidade. importante ressaltar que essa medida no tem como objetivo be-neficiar candidatos, mas sim a populao que sofre com esse problema h anos em Maca, frisa Celso. O presidente da FAMMA

    tambm faz outro pedido prefeitura. Ns queremos que a gua seja colocada nas caixas comunitrias, e no nas casas diretamente. Infelizmente isso necessrio porque evi-ta que aconteam privilgios para alguns, frisa.

    Abastecimento de gua nas comunidades

  • O DEBATE DIRIO DE MACA Maca, sbado, 17 de outubro de 2015 3

    PolticaOPORTUNIDE

    Maca constri novo modelo de apoio e fomento indstriaSecretarias se empenham em elaborar propostas atrativas para novas operaes empresariais

    Mrcio Siqueiramarcio@odebateon.com.br

    AA mxima 'crise s se vence com trabalho' passa a ganhar uma no-va concretizao em Maca medida que a relao institu-cional criada entre a indstria do petrleo e a administrao pblica amplia novos horizon-tes e oportunidades de negcios que podem resultar em um dos principais ganhos econmicos e sociais para o municpio: a re-cuperao de oportunidades de trabalho.Ao trabalhar com metas de

    curto e mdio prazo, o gover-no constri um novo modelo de apoio e fomento indstria, oferecendo o que h de diferen-cial na Capital Nacional do Pe-trleo diante dos demais muni-cpios do pas: a infraestrutura, conhecimento e mo de obra qualificada.Mesmo com o abalo gerado

    pelo impacto da crise do pe-trleo, cujo maior efeito o de-sinvestimento anunciado pela Petrobras no setor de leo e gs, o governo aposta na continuida-de do processo de produo de petrleo na Bacia de Campos, e na expertise adquirida pelo prprio municpio, ao longo de 40 anos de operaes oshore, como principais atrativos que possam consolidar o que co-nhecido como diversificao econmica."Maca um campo aberto de

    oportunidades criadas por um potencial reconhecido pelas grandes empresas de petrleo aqui instaladas. Juntos, a inds-

    WANDERLEY GIL

    Dr. Aluzio Jnior e Vandr Guimares marcam novo dilogo com a indstria, baseado em atrativos para novos investimentos

    tria e o municpio cresceram e agora, cada vez mais prximos, vo alcanar um novo patamar econmico e social", apontou o prefeito Dr. Aluzio Jnior (PMDB).Para consolidar esse novo

    olhar, as secretarias municipais de Fazenda e de Desenvolvi-mento Econmico, Tecnolgico e Turismo j trabalham de for-ma conjunta para potencializar o termo que ganha evidncia

    medida que o desempenho da economia nacional ainda segue instvel: incentivos."Maca concentra grandes

    atrativos como nenhuma ou-tra cidade do pas. Isso devido consolidao de uma infra-estrutura e de vrios setores voltados cadeia produtiva do petrleo. Incentivar a diversi-ficao uma aposta para que possamos superar este atual cenrio", explicou Vandr Gui-

    mares, secretrio municipal de Desenvolvimento Econmico.Inicialmente, a construo

    deste novo modelo segue, como primeiro passo, a apresentao das propostas j levantadas pela prefeitura junto s grandes em-presas do petrleo instaladas no municpio.A partir desse primeiro con-

    tato, as empresas iro promo-ver um levantamento interno, apontando setores que podem

    APOIO

    Poltica Social em debate no LegislativoO aumento da populao em situao de rua na cidade voltou a ser tema de trabalhos legisla-tivos registrados, nesta semana, em plenrio da Cmara de Ve-readores.Atravs da votao do reque-

    rimento 558/2015, o vereador Maxwell Vaz (SD) voltou a co-brar do Executivo a realizao de polticas sociais, com obje-tivo de promover o resgate da cidadania e da dignidade de pessoas que ocupam espaos pblicos na cidade.Para o vereador, devido ao

    nmero crescente de pessoas nessas condies, as aes no devem ser realizadas apenas pela secretaria municipal de Desenvolvimento Social."Hoje esto nas ruas pessoas

    que perderam as esperanas da vida, seja por problemas fa-miliares, ou pelo vcio. O poder pblico precisa promover o resgate da dignidade desses ci-dados, atravs de um trabalho srio que envolva vrios setores da administrao", defendeu o parlamentar.

    Vale-VanSegue em fase de elaborao no governo o projeto de lei que vai instituir o Vale-Van, benefcio que ser concedido a alunos da rede municipal de ensino. A proposta, que segue anlise do Tribunal de Contas do Estado (TCE), deve reduzir pela metade o custo de R$ 47 milhes com o transporte escolar.

    ResultadosImune s crticas polticas, o secretrio municipal de Educao, Guto Garcia, prev resultados importantes na avaliao da qualidade do ensino municipal. Com aes implementadas neste ano, o secretrio espera ampliar o desempenho da educao de Maca em 2016.

    OposioLideranas polticas da cidade trilham o mesmo caminho rumo s eleies municipais em 2016: a oposio. Seguindo firme juntos, esses figures da poltica local tero que tomar deciso crucial em junho do prximo ano, afinal, apenas um pode ser o 'cabea de chapa'.

    CURTAS

    WANDERLEY GIL

    DIVULGAO

    Procurador recebeu adeso de membros da SOS Praia do Pecado

    MOBILIZAO

    Pecado recebe ao em apoio ao MPF

    Ao alcanar apenas na ci-dade um total de 1.356 assina-turas em apoio s 10 medidas de combate corrupo, a Procu-radoria da Repblica em Maca realiza neste final de semana mais uma ao de incentivo adeso da sociedade macaense, ao movimento criado pelo Mi-nistrio Pblico Federal (MPF), como desdobramento da Ope-rao Lava-Jato.Em apenas uma semana, 489

    assinaturas foram contabiliza-das pela Procuradoria atravs da iniciativa de voluntrios que apoiam a proposta de elabora-o de um projeto de iniciativa popular, para ser enviado ao Congresso, com objetivo de tornar mais duros e cleres os processos de condenao por crimes como formao de qua-drilha, lavagem de dinheiro e

    Procuradoria da Repblica recolher assinaturas em apoio proposta nacional

    desvio de verbas pblicas.Tambm nesta semana, a

    Procuradoria da Repblica re-gistrou a iniciativa voluntria da organizao no social SOS Praia do Pecado, responsvel por realizar em Maca aes em defesa da preservao do meio ambiente, atravs do esporte."Vamos realizar coleta de as-

    sinaturas neste final de semana na Praia do Pecado, aproveitan-do a programao da Ong, for-talecendo o apoio voluntrio iniciativa do Ministrio Pblico Federal", informou o Procura-dor da Repblica em Maca, Flvio de Carvalho Reis.O objetivo do Ministrio P-

    blico Federal recolher 20 mil assinaturas em Maca, Casimi-ro de Abreu, Carapebus, Rio das Ostras e Conceio de Macabu, rea de atuao da Procuradoria Geral instalada na cidade.A mobilizao acontece at 9

    de dezembro, quando celebra-do o Dia Mundial de Combate Corrupo.

    AJUSTES

    Governo nega novo corte de benefcios a servidore

    Com base no questionamen-to apresentado pelo vereador Marcel Silvano (PT), durante Audincia Pblica realizada na ltima quarta-feira (14) pela Cmara, o governo municipal apontou que no h previso para cortes nos pagamentos do auxlio-alimentao e vale-re-feio de servidores do quadro fixo da administrao.O tema foi levantado por

    Marcel diante de informaes repassadas pelas redes sociais, que geraram preocupao ao funcionalismo pblico local."Existe algum decreto para

    ser publicado pelo governo que retire dos servidores os auxlios de alimentao e refeio? Essa a informao que circula en-tre os profissionais e ns preci-samos saber se, de fato, haver alguma nova alterao desses benefcios que, para ns, repre-senta uma grande conquista da categoria", perguntou Marcel.Em resposta, o Controlador

    Geral do Municpio, Luiz Car-los da Silva Cunha, explicou que medidas administrativas adotadas pelo governo, nas l-timas semanas, so voltadas a garantir o equilbrio do custo da folha de pagamento, em relao aos ndices previstos pela Lei de Responsabilidade Fiscal.De acordo com ele, os benef-

    cios concedidos aos servidores

    J o futuro das incorporaes ser definido por deciso judicial

    atravs desses dois auxlios, no so caracterizados como custeio de pessoal."O auxlio alimentao e re-

    feio no impacta na folha de pagamento. O benefcio gera um custo mensal de R$ 6,5 mi-lhes, mas no est estimado dentro das despesas com pes-soal", explicou o Controlador.

    IMPASSE DASINCORPORAES

    Durante a Audincia, o de-bate sobre a suspenso das incorporaes, atravs do de-creto 175/2015 publicado pelo governo no final do ms passa-do, voltou a ser levantado por parlamentares."O que significa em reduo

    de custos o decreto de suspen-

    so das incorporaes? H al-guma proposta do governo, de enviar para esta Casa, a mudan-a na legislao que rege esse processo?", questionou Marcel.Em resposta, o Controlador

    do Municpio apontou que a suspenso das incorporaes gera uma reduo de R$ 3,5 milhes com o custeio da folha.Luiz Carlos explicou ainda

    que o governo aguarda a deciso do Supremo Tribunal Federal (STF) sobre a Ao Direta de Inconstitucionalidade (ADIN) para propor a alterao da legis-lao municipal."Desde 1998 esta prtica foi

    banida da legislao federal e estadual. Existem vrias deci-ses judiciais que apontam a inconstitucionalidade do ato", esclareceu o Controlador.

    WANDERLEY GIL

    Segundo governo, auxlios no so integrados folha de pessoal

    WANDERLEY GIL

    Maxwell Vaz (SD)

    O vereador Luciano Diniz (PT) visitou nesta semana a superintendncia do Aeroporto de Maca

    NOTA

    ser estimulados atravs de in-centivos do municpio."O petrleo a nossa principal

    vocao e, atravs da sua fora, vamos buscar maneiras de am-pliar o potencial de Maca em atrair investimentos, gerando ne-gcios. Esperamos que essa nova proposta j traga resultados para a cidade em 2016, um ano que ain-da ser de incertezas para os mu-nicpios da regio e para a prpria indstria", disse o prefeito.

  • O DEBATE DIRIO DE MACA4 Maca, sbado, 17 de outubro de 2015

    Opinio

    ESPAO ABERTO

    EDITORIAL FOTO LEGENDA

    Mais do que nunca, a cadeia produtiva do petrleo se apresenta como o ponto de equilbrio para a economia e a sade financeira da administrao municipal, uma con-tribuio que ser capaz de promover transformaes no sistema tributrio da Capital Nacional do Petrleo.

    A queda do muro de Berlim considerada por mui-tos historiadores como resultado das articulaes do Papa Joo Paulo II. A aproximao de Cuba e os Esta-dos Unidos uma ao direta do Papa Francisco que convenceu o presidente Obama a acabar com mais de meio sculo de embargo.

    Ponto de equilbrio

    O Papa escreve a histria

    Ao longo dos ltimos anos, a dependncia oramentria do municpio pelos volumes sempre excedentes de recur-sos gerados pelos repasses das parcelas dos royalties e cotas da Participao Especial do petrleo, reduziu medida que a contribuio da indstria assumiu o papel de destaque dentro do sistema de arreca-dao dos cofres pblicos.Em pouco menos de 10 anos,

    Maca viu cair de 50% para 25% o tamanho da participa-o das receitas do petrleo na composio do oramento que extrapolou em 2014 o pa-tamar de R$ 2,5 bilhes, repre-sentando uma poca em que a pujana norteava, no apenas o desempenho da economia local, mas garantia seguridade administrao pblica para manter elevados custeios com a folha de pagamento, supe-rando tambm as metas cons-titucionais de investimentos em Sade e Educao.Essa transformao foi

    obtida atravs da evoluo do sistema tributrio muni-cipal, que soube estimular o potencial de receitas pr-prias, em especial o Imposto Sobre Servios (ISS), visan-do garantir ao municpio

    mais flego oramentrio.O resultado desse empenho

    garante em 2015, o ano da cri-se, um melhor equilbrio nas contas pblicas, diante do ce-nrio de reduo nos repasses das receitas oriundas do pro-cesso produtivo do petrleo, na Bacia de Campos.Porm, por mais que o ISS

    acumule receitas acima da expectativa planejada pelo governo para este ano, o volu-me de recursos que no foram arrecadados com o petrleo, dentro da estimativa da pre-feitura para 2015, ainda supe-rior, o que vai provocar em Ma-ca, pela primeira vez dentro da sua histria com a dinmica oshore, um cenrio de dficit que deve se propagar tambm pelos prximos dois anos.A receita para melhorar este

    quadro est, mais uma vez, no estmulo indstria, um mo-vimento que nasce medida que a prpria administrao municipal busca meios para driblar a retrao de investi-mentos no segmento de leo gs, apresentando um olhar de diversificao econmica, colocando Maca em destaque como polo de atrao de novos negcios, no apenas voltados ao petrleo.

    Esta viagem para Cuba e, em seguida, aos Estados Unidos criou um marco. Se Joo Paulo II obteve a permisso para se comemorar o Natal, que os catlicos pudessem ser funcionrios pblicos e que a igreja tivesse autonomia, a nica organizao de Cuba, Francisco consegue trazer a paz regio. Consonante com sua declarao: Farei o possvel para construir pontes, ou desbloquear, para que a comunicao d lugar amizade.E ainda no aeroporto, Francis-

    co pediu a Ral Castro, que man-tenha o esforo diplomtico, o mundo precisa de reconciliao em meio a esta Terceira Guerra Mundial em etapas que estamos vivendo. Em seguida, Francisco percorreu em carro aberto o ca-minho at a embaixada da Santa S em Havana, sendo recebido por mais de cem mil cubanos, algo ini-maginvel h pouco tempo. O Papa ainda declarou que

    pediria Virgem da Caridade do Cobre: que abenoe a populao cubana para que ela transite pelo caminho de justia, paz, liberdade e reconciliao, uma aluso aos dissidentes, certamente. J nos Estados Unidos, o Papa

    lembrou sua condio de filho de imigrantes italianos na Argentina para pedir aos bispos dos Estados Unidos que acolham os imigran-tes latinos. E, mais uma vez, utili-zou um carro mdio para se deslo-car, desta vez um Fiat 500 L, uma minivan. Repetiu o gesto feito no Brasil. Alis, o Idea usado aqui ir para o museu da Fiat.O Papa canonizou o primeiro

    santo norte-americano, o padre franciscano Junpero Serra, na Baslica do Santurio Nacional da Imaculada Conceio, em Wa-

    shington. Em 1769, Serra deixou a Espanha, onde nascera, para evangelizar a populao da costa da Califrnia. Por acaso eu visitei em Los Angeles uma igreja dedi-cada a ele e seus companheiros. Assim como o nosso Anchieta, h muitos crticos ao santo... Mas ele foi fundamental para proteger as mulheres indgenas dos soldados espanhis e evitou a execuo de homens acusados de terem mata-do missionrios. Entre as misses fundadas por

    Serra esto as de Los Angeles, So Francisco e San Diego. Na Califr-nia, ele estudado nas escolas. E h at uma esttua dele no Capi-tlio, em Washington.O Papa ainda foi no Congresso,

    pela primeira vez na histria, re-cebido com aplausos calorosos e gritos entusiasmados pelos con-gressistas, falou em ingls por 50 minutos pedindo o fim da pena de morte, condenou o fundamenta-lismo religioso e voltou a defen-der os imigrantes: "Toda vida sagrada, toda pessoa humana dotada de dignidade inalienvel, e a sociedade s pode se beneficiar da reabilitao daqueles condena-dos por crimes.Finalmente, em Nova York,

    Francisco falou na ONU, cri-ticando a destruio do meio-ambiente, a cultura do descarte e defendeu a reforma do Conselho de Segurana. O af egosta e de-senfreado por poder e bem-estar material priva os seres humanos do conhecimento e de recursos.

    Mario Eugenio Saturno - Tec-nologista Snior do Instituto Nacional de Pesquisas Espaciais (INPE) e congregado mariano.

    WA

    ND

    ER

    LE

    Y G

    IL

    PAINEL

    EXPEDIENTE GUIA DO LEITOR Telefones teisEJORAN - Editora de Jornais, Revistas e agncias de Notcias

    CNPJ: 29699.626/0001-10 - Registradona forma de lei.DIRETOR RESPONSVEL: Oscar Pires.SEDE PRPRIA: Rua Benedito Peixoto, 90 - Centro - Maca - RJ.Confeccionado pelo Sistema de Editorao AICS e CTP (Computer to Plate).Impresso pelo Sistema Offset.

    CIRCULAO: Maca, Quissam, Conceio de Macabu, Carapebus, Rio das Ostras, Campos dos Goytacazes e Casimiro de Abreu.

    A direo do O DEBATE no se responsabiliza e nem endossa os conceitos emitidos por seus colaboradores em aes ou artigos assinados, sendo de total responsabilidade do autor.

    Filiado ADJORI-RJ - Associao dos Diretores de Jornais do Estado do Rio de Janeiro e ABRAJORI - Associao Brasileira de Jornais do Interior. ANJ - Agncia Nacional de Jornais. ADI Brasil - Associao dos Jornais Dirios do Interior.

    REPRESENTANTE: ESSI PUBLICIDADE E COMUNICAO S/C LTDA.

    SO PAULO: R. Ablio Soares, 227/8 andar - Conjunto 81 - CEP: 04005-000 Telefone: (11) 3057-2547 e Fax: (11) 3887-0071 RIO DE JANEIRO: Av. Princesa Isabel, 323 - sala 608 - CEP: 22011-901 - Telefone: (21) 2275-4141 BRASLIA: SCS Ed. Maristela, sala 610 / DF - CEP: 70308-900 - Telefone: (61) 3034-1745(61) 3036-8293.TEL/FAX: (22) 2106-6060, acesse: http://www.odebateon.com.br/, E-MAIL: odebate@odebateon.com.br, COMERCIAL: Ligue (22) 2106-6060 - Ramal: 215, E-MAIL: comercial@odebateon.com.br, classificados: E-mail: classificados@odebateon.com.br

    POLCIA MILITAR 190

    POLCIA RODOVIRIA FEDERAL 191

    SAMU 192

    CORPO DE BOMBEIROS 193

    DEFESA CIVIL 199

    POLCIA CIVIL 123 DP 2791-4019

    DISQUE-DENNCIA (POLCIA MILITAR) 2791-5379

    DELEGACIA DE POLCIA FEDERAL (24 HORAS) 2796-8330

    DELEGACIA DE POLCIA FEDERAL (OPERAES) 2796-8320

    DELEGACIA DE POLCIA FEDERAL (PASSAPORTE/VISTO) 2796-8320

    CMARA DE MACA 2772-2288

    HPM 2773-0061

    CEDAE: 2772-5090

    AMPLA 0800-28-00-120

    PREFEITURA MUNICIPAL 2791-9008

    DELEGACIA DA MULHER 2772-0620

    GUARDA MUNICIPAL 2773-0440

    AEROPORTO DE MACA 2763-5700

    CARTRIO ELEITORAL 109 ZONA 2772-3520

    CARTRIO ELEITORAL 254 ZONA 2772-2256

    CORREIOS (SEDE) 2759-3390

    CORREIOS CENTRO 2762-7527

    CEG RIO 0800-28-20-205

    RDIO TAXI MACA 2772-6058

    CONSELHO TUTELAR I 2762-0405/ 2796-1108 PLANTO: 8837-4314

    CONSELHO TUTELAR II 2762-9971/ 2762-9179 PLANTO: 8837-3294

    CONSELHO TUTELAR III (SERRA) 2793-4050/2793-4044 PLANTO: 8837-4441

    Novos lixes surgem em reas nobres. Prefeitura diz que vai apurar as denncias de descarte irregular para tomar as providncias.

    NOTA

    IndstriaAo longo dos ltimos dias, o prefeito Dr. Aluzio Jnior (PMDB) e o secretrio municipal de Desenvolvimento Econ-mico, Tecnolgico e Turismo, Vandr Guimares, visitaram grandes empresas offshore instaladas na cidade. As reuni-es contaram tambm com a participa-o do secretrio municipal de Fazenda, Ramirez Cndido. O objetivo do governo discutir formas de incentivar novas ativi-dades das companhias em Maca.

    ComitCom a aprovao do pedido de urgncia, a Cmara de Vereadores deve incluir na pauta de votao, na prxima semana, o projeto de lei 011/2014 do Executivo, que prev a regu-lamentao do Comit de Investimentos do Macaeprev. Com substitutivo, a proposta j deve ter o parecer favorvel da Comisso de Constituio e Justia que ajudou na elabora-o do novo texto, defendendo a paridade na formao do grupo que d suporte ao Con-selho Previdencirio do Instituto.

    CorrupoNeste final de semana, a Procuradoria da Repblica em Maca vai realizar uma nova ao de coleta de assinaturas em apoio s 10 medidas de combate corrupo. A mo-bilizao acontecer na Praia do Pecado, local que sediar campeonatos regionais de surfe. O objetivo envolver e conscientizar a galera jovem sobre as discusses relativas ao combate a crimes de malversao do errio federal. A meta recolher 5 mil assinaturas em Maca at dezembro.

    PortoA Comisso Permanente de Meio Ambiente do Legislativo cobra do governo do Estado resposta sobre o abaixo-assinado que regis-trou a participao de mais de 10 mil maca-enses, que deram respaldo cobrana de apoio da administrao estadual liberao do licenciamento prvio do Terminal Porturio de Maca (Tepor). Presidente da Comisso, o vereador Maxwell Vaz (SD) no descartou a realizao de um novo ato para chamar a ateno do governo sobre o projeto.

    DvidaUma das principais orientaes do Tribu-nal de Contas do Estado (TCE) aos mu-nicpios que enfrentam efeitos da crise do petrleo buscar o resgate da dvida ativa. Em Maca, cerca de 10% dos R$ 300 milhes acumulados em dvidas de contribuintes foram recuperados em 2014, atravs do Programa de Refinan-ciamento. Em virtude do atual cenrio or-amentrio, o governo no descarta am-pliar prazos para negociao de dbitos.

    PagamentoEm nota, a prefeitura comunicou ontem que depositar em juzo recursos destinados ao pagamento de funcionrios das Unidades de Pronto Atendimento (UPAs) contratados ain-da na gesto da Organizao Social Espao Produzir. O municpio informou que entrar com ao judicial, na prxima semana, para garantir a liberao direta dos recursos para quitar a dvida com os profissionais, cuja maioria passou a atuar no regime de munici-palizao da gesto das unidades.

    Reduo De acordo com as contas da Controladoria Geral do Municpio, o quadro de servidores do municpio caiu de 16.271 para 15.205, uma reduo de 7%. Para a secretaria mu-nicipal de Fazenda, a medida representa um alvio de R$ 5 milhes ano para o go-verno, no custeio da folha de pagamento. Trocando em midos, a prefeitura cortou 1.066 cargos comissionados, gratificaes e contratos, desde a reforma administrativa, at o incio de outubro.

    EleiesA ampliao do prazo para a definio das composies partidrias, em vista s elei-es de 2016, no esfriou as articulaes polticas que ocorrem nos bastidores da cidade. At junho do prximo ano, lideran-as locais devero definir qual legenda inte-graro, uma deciso que est diretamente ligada futura composio do plenrio da Cmara de Vereadores que, ao que tudo indica, ser formado por 21 cadeiras. Mas. at l, muita coisa pode mudar.

    Conselho Ainda se arrasta o imbrglio sobre a elei-o do Conselho Tutelar. Mesmo duas semanas aps as eleies, o resultado final dos 15 novos conselheiros ainda de-pende de anlises referentes a trs urnas cuja apurao indica indcios de fraude. A 15 subseo da Ordem dos Advogados do Brasil (OAB) mantm deciso de re-gistrar pedido de impugnao do pleito, o que ainda vai ser analisado. Enquanto isso, a posse dos eleitos segue indefinida.

    Sem conservao, parte da mureta de proteo da antiga ponte sobre o Rio Maca, no trecho de acesso ao centro, desmoronou. A situao reflete a necessidade de manuteno preventiva de toda a estrutura da Ponte Ivan Mundin, por onde circulam milhares de veculos que cruzam os dois extremos da cidade, sendo uma das mais importantes rotas de deslocamento entre as duas principais bases de operaes da Petrobras na cidade, o Terminal Cabinas e o Parque dos Tubos.

  • O DEBATE DIRIO DE MACA Maca, sbado, 17 de outubro de 2015 5

    Economia NOTAMaca sediar "Clnica de Tecnologia e Inovao". Promovido pelo Sebrae, evento acontece entre os prximos dias 19 e 22.

    CONSELHO MUNICIPAL DE DEFESA DOS DIREITOSDA CRIANA E DO ADOLESCENTE DE MACA/RJTravessa Ari Shueller Pimentel, n 25, centro - Maca/RJTel.: (022) 2796-1300 e 2796-1546E-mail: cmddcademacae@gmail.com

    EDITAL 040/2015ELEIES PARA A COMPOSIO DO CONSELHO

    TUTELAR 2016-2019

    Pelo presente, o Conselho Municipal de Defesa dos Direitos da Criana edo Adolescente (CMDDCA), sediado na Travessa Ari de Schueler Pimen-tel, n 25, Centro, Maca/RJ, criado pela Lei Municipal n. 1.365/92 esubstituda pelas Leis n. 2.471/04 e 3558/2011, atravs da ComissoEspecial Eleitoral para Eleio dos Conselheiros Tutelares presidida peloSr. Antonio Carlos Agum, no uso de suas atribuies legais, em consonn-cia com o Edital 008/2015 e seus anexos e alteraes, vem divulgar oresultado das eleies para a funo de Conselheiro Tutelar:

    Classificao Nmero Nome Votos1 17 Liomar Queiroz dos Santos 7772 1 Tatiana de Oliveira Pires 6653 47 Sandra de Nazar Maia da Silva 5584 6 Gleciane de Jesus Santiago 5285 11 Vanderleia Alves Sardinha Faturine 3996 51 Ingrid Pereira da Silva Aprigio Fernandes 3797 13 Andresa Ribeiro Osrio da Conceio 3558 60 Rejiane Silva de Oliveira Valado 3499 69 Alessandra Dantas dos Santos Pessanha 33910 22 Fernando Jos da Silva Oliveira 29211 20 Stenio Cardim Barcelos 28312 15 Nathalia Monteiro Andraus 25713 59 Sabrina Vitria de S Azeredo Oliveira 24914 24 Victor Guedes Braga 23815 30 Franciele Vale Aguiar 230

    SUPLENTES16 33 Alexandro Lima de Oliveira 22017 41 Renata Funke Leme 21018 19 Cintia Carla da Silva Rasma 20619 26 Edla Bichara Benjamin 19820 65 Tain Gouvea Alves 18521 52 Adilson de Souza Porto 17522 46 Zuita Carvalho da Silva Gomes 17523 10 Raquel Gouveia Pinheiro dos Santos 17524 14 Leandro Junio Lima da Silva 16525 40 Vanessa de Souza Nunes 14126 32 Dominick Werneck de Praguer 12827 25 Heracliton Lemos de Almeida 12528 45 Fabiano Moura Fontoura 11729 71 Marcos Ferreira Lopes 10830 37 Pedro Roberto Souza Costa 101

    Antonio Carlos AgumPresidente da Comisso Especial para Seleo Pblica

    dos Conselheiros Tutelares CMDDCA/Maca

    EXTRATO DE CONTRATO DE LOCAO

    Contrato de Locao n 067/2014Processo Administrativo n 200108/2015Contratante: Fundao de Esporte de Maca - FESPORTEContratado: Flamengo Futebol Clube, CNPJ n 29.696.127/0001-79Valor: R$ 6.000,00 (seis mil reais) mensaisEmpenho n. 000194/2015Programa de Trabalho: 27.122.0053.2.168Elemento de Despesa: 3.3.90.39.00Prazo: 12 meses (01/10/2015 a 30/09/2016)Objeto: 1 Termo Aditivo de locao de parte do imvel situado na RuaGetlio Vargas, n 426, Miramar, Maca - RJ

    Maca, 02 de outubro de 2015.

    Ricardo Muylaert Salgado NetoPresidente

    Fundao de Esporte de Maca

    ESTADO DO RIO DE JANEIROPREFEITURA MUNICIPAL DE MACAFUNDAO DE ESPORTE DE MACA

    CNPJ: 07.498.182/0001-11

    Greve dos bancrios chega a 11 diasSERVIO

    atingindo todas as agn-cias bancrias instaladas no municpio - com exceo das que ficam localizadas dentro da sede operacional da Petro-bras, em Imbetiba -, a greve dos bancrios completa 11 dias ho-je, acarretando muitas filas na

    Segundo sindicato, ainda no existe previso de negociao

    corrida pelos caixas eletrnicos. Contudo, de acordo com o

    Sindicato dos Bancrios de Ma-ca e Regio (Seeb MR) ainda no existe sequer uma previso de negociao com a Federao Nacional dos Bancos (Fenaban).A Fenaban segue no silncio,

    e a greve tomando vulto. A con-traproposta de reajuste original, que acabou deflagrando o incio da greve no ltimo dia 06, foi simplesmente uma das piores

    PESCA

    Desenvolvimento econmico organiza nova qualicaoCurso de rdio-operador para pescadores pode ganhar aulas prticasGuilherme Magalhesguilherme@odebateon.com.br

    Embora Maca seja uma cidade com um trfego martimo intenso, no s por conta das atividades osho-re, mas tambm da pesca, atu-almente, segundo o presidente da Colnia de Pescadores Z3, Marcelo Pereira, estima-se que quase 400 embarcaes de pes-cadores do municpio estejam em atividade. importante res-saltar que, na maioria dos casos, ainda falta qualificao tcnica para os pescadores. Baseados nesta lgica, um grupo forma-do por representantes da subse-cretaria de Pesca e profissionais rdio-operadores discutem a implementao de um curso es-pecfico na rea para a categoria. Apoiada pela secretaria de

    Desenvolvimento Econmi-co, Tecnolgico e Turismo, a ideia tem como fundamento principal montar turmas para a realizao de aulas prticas e tericas sobre como manusear

    os equipamentos de rdio-fre-quncia no mar. De acordo com um dos idealizadores do proje-to, Carlos Alberto de Melo, Ca-pito aposentado do Exrcito e rdio telegrafista h mais de 34 anos, a demanda real.O rdio a salvaguarda do

    homem no mar, por isso to importante saber manusear os sistemas de transmisso da maneira correta. Nesses anos de experincia, j ouvi casos de homens que tinham um timo equipamento, e no consegui-ram us-lo em uma situao de sinistro no mar. Tambm j vi casos inversos, em que o proto-colo de emergncia foi usado, mas com um rdio pouca potncia. E esse nosso objetivo: instruir os homens do mar e fazer com que eles entendam a importncia e a seriedade na utilizao desse instrumento, capaz de resolver desde as situaes mais simples e at mesmo evitando grandes tragdias, disse.O profissional tambm res-

    saltou as consequncias do mau

    WANDERLEY GIL

    Encontro para discutir capacitao aconteceu no Mercado Municipal de Peixes

    uso dos equipamentos em uma rea de ondas de rdio mlti-plas, como acontece em Maca.Toda essa questo da percia

    na hora de operar um rdio se amplifica, quando levamos em considerao que o pescador macaense trabalha numa zona especial, cercada por forte ati-vidade de embarcaes maiores do setor oshore, e sob intenso trfego areo por conta da pro-ximidade do aeroporto munici-pal. As pessoas podem pensar que difcil se comunicar com um helicptero ou um avio a muitos ps de altura, mas, na realidade, isso muito simples e pode interferir, criticamente, na comunicao das aeronaves, causando consequncias drsti-cas, acrescentou o especialista.Entendendo a preocupao

    de Carlos Alberto, um dos cinco rdio-telegrafistas da Estao de Rdio Costeira de Maca, Goberto Gomes, exemplificou algumas situaes que j viveu no exerccio da profisso em contato com pescadores em alto-mar. Pescador fala muita besteira

    no rdio. Alguns no entendem

    que isso no brincadeira e fa-zem piada. Por outro lado, nem sequer sabem a diferena entre o pedido de mayday e scurit, contou Goberto.Na primeira reunio para dis-

    cutir o projeto, tambm estive-ram presentes a subsecretria de Pesca, Rizete Ribeiro, assim como a gerente de qualidade do Mercado Municipal de Pei-

    xes, Mariana Previtali, que sa-lientaram a organizao de um agendamento para o projeto de capacitao."Acredito que isso impor-

    tante, e esperamos muito con-tar com a adeso dos pescado-res, j que a iniciativa tem um crater voluntrio", observou Rizete.J Mariana Petrivali colocou

    o espao de capacitaes do Mercado Municipal de Peixes inteiramente disposio para o projeto de capacitao."Acredito que no existe lugar

    mais conveniente para realizar-mos algo assim. Os pescadores e os prprios vendedores vm para este local com frequncia e tambm estamos ao lado do cais", pontuou.

    dos ltimos anos para a cam-panha salarial da categoria, resumiu Nayana Passos, repre-sentante do Seeb MR.Ainda segundo a sindicalista,

    at agora 32 agncias j aderi-ram greve na regio que en-globa Carapebus, Conceio de Macabu e Quissam. Em esca-la nacional, as estimativas do conta que a greve dos bancrios j foi responsvel pela paralisa-o de 24 mil trabalhadores e a suspenso das atividades em 856 locais de trabalho.

    HISTRICO DOS LTIMOS ANOSEm 2013, a categoria s vol-

    tou ao trabalho aps 23 dias.

    Na ocasio, a paralisao foi encerrada aps trabalhadores e empresas concordarem em um reajuste mdio de 8%. J em 2014, a greve durou ape-nas sete dias e os trabalhado-res conseguiram reajuste de 8,5%, sendo 2,2% de ganho real acima da inflao. Este ano, a categoria pede reajuste salarial de 16%, vale-refeio, vale-alimentao no valor de um salrio mnimo (R$ 788) e manuteno do emprego. Em contrapartida, a Fede-rao Nacional dos Bancos (Fenaban) prope reajuste de 5,5% - projeo de inflao calculada pela entidade para os prximos 12 meses

  • O DEBATE DIRIO DE MACA6 Maca, sbado, 17 de outubro de 2015

    Polcia NOTASegurana confirma transferncia de policiais militares. Mais de 60 agentes sero remanejados para batalhes do interior.

    DIVULGAO

    Os guardas municipais Rodrigues e Tlio apresentam projetos da Guarda Snior e Mirim em Linhares, no Esprito Santo

    ELEIO

    CMDDCA divulga nome dos eleitos para o Conselho Tutelar

    na manh de sexta-feira (16), o Conselho Municipal de Defe-sa dos Direitos da Criana e do Adolescente (CMDDCA) reu-nido em plenrio com os candi-datos ao cargo de conselheiros tutelares e representantes do Ministrio Pblico chegaram concluso sobre as eleies e apurao das duas urnas que apresentavam divergncias em seus dados.Por Nota Oficial, a Comisso

    Especial Eleitoral informou que aps a anlise de todas as atas de eleio e listas anexas constan-tes nas salas eleitorais verificou a existncia de cinco duplicida-des de votos, sendo que tal irre-gularidade representa 0,055% dos votos vlidos. A partir de tal princpio jur-

    dico, a Comisso Especial Elei-toral entendeu pela homologa-o da eleio de Conselheiro

    Reunio Extraordinria decidiu sobre as urnas que tiveram divergncia em seus dados

    Tutelar no Municpio de Maca, j que o percentual de irregula-ridades acima referido no teve o condo de alterar o resultado final.Ainda por meio de Nota, a

    Comisso ressaltou que no compactua com a prtica de tais atos, sendo incompatvel com a funo almejada, ape-sar de tal fato possuir uma importncia moral que deve ser reprimida e tais eleitores e candidatos responsabiliza-dos. J no cunho jurdico, a anlise foi feita sob a tica de que a nulidade somente existe se houver prejuzo.O Presidente do CMDDCA,

    Marcelo Santos, frisou que du-rante a reunio extraordinria foi unnime a deciso de man-ter os votos que apresentaram duplicidades. Por fim, a Comisso Especial

    Eleitoral, solicita aos cidados macaenses que, possuindo pro-vas de compra e venda de votos e transporte de eleitores, que apresentem suas denncias junto ao CMDDCA e/ou ao Mi-nistrio Pblico.

    CLASSIFICAO NOME TOTAL 1 Liomar Queiroz dos Santos 777 2 Tatiana de Oliveira Pires 665 3 Sandra de Nazar Maia da Silva 558 4 Gleciane de Jesus Santiago 528 5 Vanderleia Alves Sardinha Faturine 399 6 Ingrid Pereira da Silva Aprigio Fernandes 379 7 Andresa Ribeiro Osrio da Conceio 355 8 Rejiane Silva de Oliveira Valado 349 9 Alessandra Dantas dos Santos Pessanha 339 10 Fernando Jos da Silva Oliveira 292 11 Stenio Cardim Barcelos 283 12 Nathalia Monteiro Andraus 257 13 Sabrina Vitria de S Azeredo Oliveira 249 14 Victor Guedes Braga 238 15 Franciele Vale Aguiar 230

    Confira o Resultado Final:

    Agentes apresentam programas sociais durante Congresso

    GUARDA MUNICIPAL

    Nos dias 15 (quinta-feira) e 16 (sexta-feira) aconteceu o Pri-meiro Congresso Estadual das Guardas Municipais, na cidade de Linhares, no Esprito Santo. Dois guardas municipais de Maca foram convidados para apresentar o Programa social da Guarda Snior e Mirim do municpio.A Guarda Municipal de Ma-

    ca mostra mais uma vez a pre-ocupao com a qualificao de seus agentes e se fez presente em mais um evento de suma importncia. Desta vez, o coor-denador geral dos Programas Sociais, Antnio Carlos Ribeiro Rodrigues, e o guarda e tambm coordenador, Tlio Gomes da Costa Filho, foram os represen-tantes de Maca, no Congresso.Foram dois dias de ricos

    ensinamentos, e com certeza ficar na nossa memria, pois ouvimos o secretrio Estadual de Segurana Pblica do Esp-rito Santo e o Prefeito da cida-de de Vila Velha, tambm do mesmo Estado, afirmando que as guardas so o futuro da se-gurana pblica, pois estamos mais prximos da populao e fazemos um papel comunitrio ao cidado. O Prefeito, Rodney Miranda, destacou que seguiu o texto constitucional em seu Artigo 144, da Lei 10.826 do Es-tatuto do Desarmamento, ao armar os guardas da cidade. Ele afirmou ter acertado na escolha e defendeu o armamento das Guardas, sentindo-se orgulho-

    Maca reconhecida como pioneira do projeto da Guarda Snior e Mirim em mbito nacional

    so, pois a medida baixou os n-dices de violncia no municpio. J o secretrio de Segurana Es-tadual, Andr de Albuquerque Garcia, disse que necessrio o ciclo completo das polcias, incluindo as Guardas no papel preventivo, ressaltou o coorde-nador Pereira.Durante o evento, Rodrigues

    e Tlio disseminaram o Projeto da Guarda Snior e Mirim para as Guardas do Esprito Santo. Atravs da apresentao dos agentes, o projeto da Guarda Mirim de Linhares que estava extinto voltar a ser reativado.Somos reconhecidos nacio-

    nalmente por sermos os pio-neiros do projeto, finalizou Pereira.

    GUARDA MIRIMO Programa Guarda Mirim

    realizado pela Guarda Muni-cipal, e tem como objetivo for-mar jovens para o mercado de trabalho. Antes de comearem a atuar, os guardas mirins pas-sam por curso de trs meses de durao, em horrio alternativo ao da escola, com as atividades de cunho social, educativo e es-portivo, abrangendo aspectos de patriotismo, civismo, cida-dania, meio ambiente e trnsito, alm de campanhas educativas feitas pela corporao.O Programa voltado para jo-

    vens de 14 a 17 anos incomple-tos. Os integrantes atuam em vrios setores da administra-o municipal e recebem uma remunerao de meio salrio mnimo por ms durante o pe-rodo de participao.Para fazer parte da Guarda

    Mirim, os jovens devem estar matriculados na rede pblica e serem devidamente aprovados nas unidades de ensino. Quem

    quiser fazer inscrio para par-ticipar deve procurar a sede da Guarda Municipal, que fica localizada na Avenida Gasto Henrique Schuller, s/n, Bota-fogo, das 8h s 17h, portando os seguintes documentos: RG, CPF, declarao escolar e com-provante de residncia. Aps a inscrio, eles passam pela ava-liao da Assistncia Social.

    GUARDA SNIORO programa conta com 100

    idosos e foi implantado com apoio do Ncleo de Proteo ao Idoso, cumprindo, no m-bito municipal, a poltica do Estatuto do Idoso. Os guardas cumprem escala de seis horas dirias e recebem um salrio mnimo, atuando como orien-tadores da populao em locais

    como praas e no Calado da Avenida Rui Barbosa, assim como nas escolas municipais.O pr-requisito bsico do pro-

    grama ter boa sade e vontade de manter uma qualidade de vi-da ativa. Antes de ir para as ruas, os aprovados no Programa pas-saram por curso de treinamen-to, com aulas de Relacionamen-to Interpessoal, Direito, Ordem Unida e Atividade Fsica.O principal objetivo do proje-

    to fazer com que o idoso volte a se sentir til, elevando a sua autoestima. Alm do trabalho, aulas, palestras, bingo, festival de piadas, festival danante, festa junina, festival de poesias, olimpadas, atendimento mdi-co e bucal e viagens fazem parte do dia a dia dos agentes da Guar-da Snior.

    WANDERLEY GIL

    Guardas municipais de 14 municpios, e de uma cidade do Esprito Santo, participaram do curso

    CAPACITAO

    Treinamento do GAOP referncia no EstadoRepresentantes das Guardas de diferentes municpios iro transmitir o conhecimento adquirido durante o curso de formaoLudmila Fernandesludmila@odebateon.com.br

    Cada vez mais os guardas municipais atuam junto segurana pblica do municpio. O Grupo de Apoio Operacional (GAOP) atua em conjunto com as Polcias Fede-ral, Civil e Militar. Para isso, es-ses agentes precisam passar por um curso de formao, que re-alizado anualmente em Maca.Nesta sexta-feira (16), cerca

    de 38 guardas municipais ter-minaram o curso de formao, que foi realizado durante quatro dias, na Pesagro, no Horto. Alm da parte prtica do curso, os alu-nos tambm recebem noes de Legislao e aprendem sobre a histria da Guarda Municipal.A parte prtica voltada para

    treinamentos fsicos e tticos em combates urbanos. Os alu-nos receberam ensinamentos sobre patrulhamento de alto risco, utilizao de ces em pa-trulhamento urbano, primeiros socorros em ocorrncias coti-dianas, resgate e transporte de

    feridos, defesa pessoal e prote-o de autoridades.O objetivo formar os melho-

    res combatentes, alm de levar os alunos ao nvel mais prximo de situaes cotidianas de rua, nas quais testada sua capa-cidade de suportar o estresse fsico e mental. Neste ano, as inscries para

    o curso tiveram um grande n-mero de interessados. De acor-do com o coordenador do GAOP e instrutor do curso, o guarda municipal Joo Henrique dos Santos Pereira, o treinamento da equipe j se tornou refern-cia em todo o Estado. Devido a isso, a demonstrao de grande interesse dos municpios vizi-nhos no aperfeioamento do treinamento ttico e fsico dos seus agentes.Na oportunidade, recebe-

    mos 60 inscries. Estamos com 38 guardas at o momento, nmero este que pode mudar, j que todo o processo elimina-trio e os prprios agentes po-dem pedir para sair a qualquer momento do curso. O trabalho

    do GAOP tem seu diferencial, j que realizamos um curso de qualidade, na qual desenvolve-mos tcnicas rgidas e discipli-nares, para que o aluno saia da-qui preparado para as situaes extremas do dia a dia, explicou Pereira.O secretrio de Ordem P-

    blica, Andr Luiz Monteiro, ressaltou o destaque que o cur-so tem no cenrio estadual e a importncia da realizao do policiamento ostensivo j rea-lizado pela Guarda.Vrios municpios nos pro-

    curaram, visando o curso de qualificao. Tal procura nos mostra o quanto nos tornamos destaques no cenrio estadual. So 14 municpios com seus re-presentantes e uma cidade do Estado do Esprito Santo. Ten-do em vista a aplicao da Lei 13.022, que estabelece novas rotinas e atribuies aos Guar-das Municipais, qualificando a Guarda para um policiamento ostensivo, o treinamento do GAOP j est dentro dessa pers-pectiva, frisou Luiz.

    O guarda municipal, Jander Leal, da cidade de Maratazes, no Esprito Santo, afirmou que o objetivo dele e dos quatro agentes do seu municpio que esto participando do curso, aprender e levar o modelo pa-ra a Guarda Municipal de sua cidade. Ao final deste curso, vamos

    apresentar este modelo do Grupo de Apoio Operacional ao nosso secretrio, a fim de conseguirmos implementar a mesma ideia, dentro da realida-de do nosso municpio, disse o Guarda Municipal.

    LEI 13.022A lei d poderes de tirar o

    agente pblico municipal de

    dentro dos prdios dos muni-cpios para irem s ruas. Em seu Artigo 3 diz: So

    princpios mnimos de atua-o das guardas municipais: proteo dos direitos humanos fundamentais, do exerccio da cidadania e das liberdades p-blicas; preservao da vida, re-duo do sofrimento e diminui-o das perdas; patrulhamento preventivo; compromisso com a evoluo social da comunida-de; e uso progressivo da fora. J o Artigo 5 estabelece que:

    so competncias especficas das guardas municipais: zelar pelos bens, equipamentos e prdios pblicos do municpio; prevenir e inibir, pela presena e vigilncia, bem como coibir

    infraes penais ou adminis-trativas e atos infracionais que atentem contra os bens, servi-os e instalaes municipais.Tambm est determinado

    que as guardas devem atuar - preventiva e permanentemen-te -, no territrio do municpio, para a proteo sistmica da po-pulao que utiliza os bens, ser-vios e instalaes municipais; colaborar, de forma integrada com os rgos de segurana p-blica, em aes conjuntas que contribuam com a paz social; colaborar com a pacificao de conflitos que seus integrantes presenciarem, atentando para o respeito aos direitos funda-mentais das pessoas, entre ou-tras normas.

  • O DEBATE DIRIO DE MACA Maca, sbado, 17 de outubro de 2015 7

    Geral NOTANovo indicativo aumenta previso de demanda por petrleo. Em relatrio oficial, OPEP revisou crescimento de produo do insumo para 2016.EVENTO

    Apae promove atividades e lana projeto nanciado pelo FMDDCAA programao contou com contao de histria, passeios ao Shopping Plaza, piquenique e outras aes

    Juliane Reis Juliane@odebateon.com.br

    Nesta semana a Associa-o de Pais e Amigos de Excepcionais (APAE) de Maca realizou uma srie de atividades com assistidos da instituio, entre elas o lana-mento do Projeto Senta que l vem histria - Ver, Ouvir e Ler" realizado por meio de uma par-ceria com Fundo Municipal de Defesa dos Direitos da Criana e Adolescente (FMDDCA). A iniciativa tem como objetivo o incentivo a diversos tipos de leitura. E visando oferecer cada vez

    mais ateno e carinho aos as-sistidos, desde o inicio do ms foram realizadas outras aes. As atividades comearam no dia 5/10 com a culinria, sob o tema "Alimentao saudvel". A ideia foi dar mais significado ao que vinha sendo trabalhado na instituio.J no dia 8/10 foi realizado um

    passeio Casa do Livro afim de fazer uma contao de histria e entrar no clima do evento prin-cipal. No dia 9/10 foi feita uma atividade recreativa na AABB.O lanamento do projeto

    "Senta que l vem histria - Ver, Ouvir e Ler" aconteceu na quarta-feira (14) e ter durao de trs meses. Na quinta-feira os assistidos

    tiveram a oportunidade de vi-sitar o Shopping Plaza Maca. A ideia foi sairmos da rotina e apresentar-lhes outros espaos de convivncia", lembra os pro-fissionais.E para encerrar as aes, on-

    tem foi feito um piquenique na praia da Imbetiba. O Presidente do FMDDCA,

    Rafael Amorim destaca a im-portncia da Associao para o municpio. A Apae realiza um trabalho muito importante com as crianas e adolescentes de nossa cidade e o FMDDCA cumpre seu papel em financiar o projeto "Senta que l vem histria - Ver, Ouvir e Ler", apresentado pela instituio e que foi selecionado pelo pbli-co promovido pelo CMDDCA, disse. O Senta que l vem histria

    - Ver, Ouvir e Ler" foi elabora-do com o intuito de incentivar os mais variados tipos de leitura partindo do princpio que o p-blico assistido pela instituio tem pouco contato com esse

    KAN MANHES

    Na quarta-feira foi feito o lanamento do Projeto Senta que l vem histria - Ver, Ouvir e Ler",

    universo. Pensando neles, a ideia foi incorporar a questo da linguagem no dia a dia, por isso as diferentes ferramentas. Por exemplo, temos entre nossas crianas, muitas que no alfa-betizadas, por isso exploramos o contato de histria, a orali-dade e associao de um vdeo com um fato cotidiano e por a vai. Nossa ideia tambm en-volver os pais para que em casa eles continuem recebendo esses estmulos, disse uma das pro-fessoras envolvidas no projeto. A Associao de Pais e Amigos

    dos Excepcionais (Apae) con-siderada uma sociedade civil, sem fins lucrativos, que ofere-ce atendimento especializado e gratuito a pessoas com Defi-cincia Intelectual e Mltipla e suas famlias em diversas reas em todo Brasil.Na cidade, atualmente, a

    unidade conta com a parce-ria da Federao Nacional e Estadual das APAEs, com a Prefeitura Municipal de Ma-ca (Secretaria de Educao, Transporte e Sade), com a Empresa AMPLA/SOLLO, CEDAE, entidades afins e outras, como a AABB-Maca, Tnis Clube de Maca, que

    acreditam na incluso e/ou acessibilidade do indivduo na sociedade, visando exercer sua cidadania com autonomia.

    Os interessados em fazer par-te dessa parceria, contribuindo com a histria de sucesso da instituio e dos seus assisti-

    dos, s procurar a unidade, que agora funciona na Rua Francisco Portela (em frente Cultura Inglesa).

    ANIVERSRIO

    Casa do Caminho celebra 26 anos de atividades

    A Casa do Caminho comple-ta neste sbado, dia 17 de outu-bro, 26 anos de atendimento e assistncia no municpio. So mais de duas dcadas fazendo a diferena na vida de crianas, jovens e adultos que buscam um amanh melhor, e oferecendo a eles, em especial adolescentes entre oito e treze anos, aulas de violino, violo, percusso e flauta doce, alm do tradicional incentivo educao ambiental. Para comemorar a data di-

    versas atividades sero reali-zadas neste sbado e domingo. De acordo com o presidente da Casa, Pierre Maciel, hoje as atividades tero inicio s 9h. A programao inclui entrega de kits educativos para as crianas (os kits foram doados pelos fun-cionrios do Banco Santander, agncia Cavaleiros), apresenta-o do grupo musical "Girassis do Caminho", palestra come-morativa para as mes assis-

    So mais de duas dcadas de assistncia, prestao de servios e contribuindo com um mundo melhor

    tidas, distribuio de lanches, alm da inaugurao do novo espao da horta e espao para a recreao das crianas. J no domingo, as atividades

    sero voltadas aos voluntrios. A programao vai acontecer tarde com ambientao, apre-sentao do Coral da Fundao Maca de Cultura, regente Ma-estro Wilson dos Santos, pales-tra com a presidente Regina Clia sobre o tema "Cuidar de quem Cuida", inaugurao de sala de auxlio fraterno. Ao falar dos 26 anos de insti-

    tuio, Pierre destaca que a Casa do Caminho ainda est em fase de implantao. Os propsitos so elevados e s tempo far que eles sejam todos consolidados. Temos vrias metas futuras,

    dentre elas o funcionamento integral do "Hospital sem Pa-redes" com atividades dirias de atendimento aos pacientes com distrbios psicossociais; a implantao de Academia Social; produo de mudas e aperfeioamento da qualidade das atividades de apoio social que desenvolvemos. Tudo isso s ser possvel com a nossa maior fora que so os volunt-rios e o grande apoio da socie-

    dade macaense, que sempre nos deu credibilidade, disse.Na oportunidade, Pierre

    agradece o apoio do governo municipal em todos esses anos. Atualmente, atravs de aes mtuas funciona em nossa rea um ambulatrio odontolgico, a Creche Amcorin (fundada pela Casa do Caminho), o Pr- Esco-lar Laura Bacelar, a Escola Re-nato Martins e o Anexo Muni-cipal Renato Martins, destaca. O fundador da Ong disse ain-

    da que, recentemente, foi re-cebido pelo Prefeito de Maca, Dr. Aluizio, em seu gabinete, e contamos com seu apoio para a criao do Parque Recreativo Ecolgico da Ajuda. Essa inicia-tiva vem ao encontro de nossos esforos na rea ambiental. Ele tambm agradece ao Jornal O DEBATE, atravs do jornalista Oscar Pires, que sempre apoiou todas as atividades da institui-o. No entanto, lembra que no

    recebem subveno orament-ria municipal, em face dos alu-guis de dois imveis escolares. No entanto, orgulham-se de se manterem com os prprios es-foros e a colaborao dos vo-luntrios.

    KAN MANHES

    O fundador da Ong, Pierre Maciel, fala de metas e desafios futuros em prol da assistncia aos muncipes

    BELEZA

    Cetep promove aes neste sbado no Lagomar

    O Centro de Educao Tec-nolgica e Profissional (CETEP) de Maca, por meio do curso de beleza oferecido na instituio desde o inicio deste ms, est re-alizando aes em vrios pontos da cidade. Em quinze dias j fo-ram feitos mais de 300 atendi-mentos e a meta chegar a dois mil at final de dezembro. Neste sbado, a ao vai acontecer no Logomar - prximo Unidade de Pronto Atendimento (UPA). Entre os servios a serem ofe-recidos esto corte de cabelo, sobrancelha, manicure e ma-quiagem. O atendimento ser das 8h s 15h. Alm das aes de embeleza-

    A previso de que at dezembro dois mil atendimentos sejam realizados em vrios pontos da cidade

    mento haver um trabalho de orientao sobre tratamento e preveno contra a Sfilis - promovida pela secretaria de Sade. De acordo com o coordena-

    dor Geral do Cetep, Jovenito Tavares, a inicitiva tem como objetivo mostrar aos alunos a realidade do mundo da beleza e levar aos menos favorecidos esses atendimentos. Ao lon-go desses trs meses (outubro, novembro e dezembro) vamos percorrer diversos bairros e instituies como Casa do Ido-so, Centro Pop, Lar dos Idosos, Pousada da Cidadania, entre outras ONGs. uma forma de levarmos no s um dia de beleza, mas tambm carinho e afeto s pessoas abrigadas nessas instituies, disse. Jovenito destaca que esse

    tipo de ao j era realizada pelo Cetep, mas dessa vez est

    sendo feita com maior ampli-tude. Ele ressalta que, alm do atendimento externo, a insti-tuio continua com o aten-dimento interno na sede do Cetep (Rua Alfredo Backer). O atendimento gratuito e aberto a qualquer interessado. A instituio oferece desde

    cursos de qualificao profis-sional, com foco nas deman-das de mercado da cidade e re-gio, at cursos em que o parti-cipante pode fazer sua prpria renda e, aos poucos, abrir seu negcio. Entre as opes es-to: corte e costura, maquia-gem, croch e tric, pintor industrial, cuidador de idoso, cuidador infantil, pintura em tecido, almoxarife, auxiliar administrativo, departamento pessoal e recursos humanos, logstica e administrao de materiais, almoxarifado, entre muitos outros.

    KAN MANHES

    Diversas atividades gratuitas sero oferecidas populao, entre elas designer de sobrancelha

  • O DEBATE DIRIO DE MACA8 Maca, sbado, 17 de outubro de 2015

    PORTARIA n 142/2015

    O DIRETOR PRESIDENTE da FUNDAO MUNICIPAL HOSPITA-LAR DE MACA - FMHM, no uso de suas atribuies legais, e tendo emvista o que consta no processo 171711/2015, protocolado nesta Fundao,

    RESOLVE conceder Licena Sem Remunerao, por perodo de 24 (qua-tro) meses, a (o) Servidor(a) Priscilla Costa de Araujo Pereira, Rec.Unidade Sade Plantonista, matricula 1441, de acordo com Art. 83 da LeiComplementar 011/1998 alterada pela L.C. 031/03, a contar de 01 deNovembro de 2015.

    Diretor Presidente, em 14 de Outubro de 2015.

    LEANDRO MATOS SOARESDiretor Presidente

    Estado do Rio de JaneiroPREFEITURA MUNICIPAL DE MACAFUNDAO MUNICIPAL HOSPITALAR DE MACA

    PORTARIA n 143/2015

    O DIRETOR PRESIDENTE da FUNDAO MUNICIPAL HOSPITA-LAR DE MACA - FMHM, no uso de suas atribuies legais;

    RESOLVE, Cessar os efeitos da portaria 117/2013, a contar de 21 deSetembro de 2015.

    Diretor Presidente da FMHM, em 14 de Outubro de 2015.

    LEANDRO MATOS SOARESDiretor Presidente FMHM

    Estado do Rio de JaneiroPREFEITURA MUNICIPAL DE MACAFUNDAO MUNICIPAL HOSPITALAR DE MACA

    PORTARIA n 144/2015

    O DIRETOR PRESIDENTE DA FUNDAO MUNICIPAL HOSPI-TALAR DE MACA - FMHM, no uso de suas atribuies legais,

    CONSIDERANDO que a Fundao Municipal Hospitalar de Maca -FMHM gere o Hospital Pblico Municipal denominado HPM e o HospitalPblico Municipal da Serra Hospital Evangelina Flores da Silva;

    CONSIDERANDO a relevncia dos servios prestados e o funcionamen-to do Hospital Pblico Municipal denominado HPM e o Hospital PblicoMunicipal da Serra Hospital Evangelina Flores da Silva para a sociedade locale para as cidades circunvizinhas;

    CONSIDERANDO a essencialidade dos servios prestados pelas unidadeshospitalares aos nossos muncipes, bem como aos cidados das regiescircunvizinhas, no pairam dvidas quanto necessidade de profissionais desade, visando continuidade dos atendimentos e tratamentos dos pacientesno HPM/HPMS, vez que no h como conceber um servio de sade prestadodentro dos padres de excelncia perseguidos sem que existam as condiesmnimas para o desenvolvimento hospitalar e, portanto, havendo necessida-des temporrias de pessoal, essas devem ser satisfeitas para que no sejaparalisada uma atividade governamental, em respeito ao princpio da conti-nuidade do servio pblico, segundo o qual as funes essenciais ou necess-rias coletividade so ininterruptas.

    CONSIDERANDO que nessas situaes, no importa se a atividade a serdesempenhada permanente ou temporria, basta que a demanda a sersuprida se caracterize pela transitoriedade, pelo excepcional interesse pbli-co e que no possa ser suprida pelos recursos humanos j pertencentes Administrao Pblica.

    CONSIDERANDO que tanto a necessidade quanto a atividade a serexercida eventual e temporria, pois se destinam ao atendimento de umademanda gerada por uma situao anormal e acima da capacidade de respostado poder pblico nesse momento, configurando um incremento sazonal dademanda pelo respectivo servio pblico, cuja exposio dos motivos soargumentos evidenciais para contratao temporria, inclusive servindo defundamentao ftica e jurdica para tal incremento.

    CONSIDERANDO que se efetivada a contratao imediata cessar osriscos de danos irreparveis passiveis de comprometer a sade e o bem estardas pessoas que dependem de tratamento no HPM/HPMS.

    CONSIDERANDO a excepcionalidade, essencialidade, a continuidade dosservios, visando o atendimento da situao emergencial, que poder ocasi-onar prejuzo e/ou comprometer a segurana, a sade e o bem estar daspessoas que necessitam de atendimento mdico/hospitalar;

    CONSIDERANDO o disposto na Lei Municipal n 2951/2007 a que nomunicpio regulamenta no ente pblico a contrao temporria e o artigo37, inciso IX da Constituio Federal de 1988 autoriza a AdministraoPblica Municipal a efetuar contratos de trabalho temporrio, para atenderexcepcional interesse pblico.

    CONSIDERANDO a existncia de lei no mbito municipal que estabeleceos casos de contratao temporria de excepcional interesse pblico, noperdendo de vista que a autorizao contratao temporria no deveimplicar em vulnerao do princpio da obrigatoriedade do concurso pblico,devendo pautar-se nos princpios da razoabilidade e moralidade, prevendocasos que realmente justifiquem a contratao direta.

    CONSIDERANDO o firme propsito da administrao pblica de que acontratao deve se dar por prazo determinado, conforme limites definidosna lei autorizativa da contratao temporria.

    RESOLVE, Contratar temporariamente at 31/12/2015, os cidados acontar da data abaixo:

    *Omitida Publicao em 27/08/2015.

    Diretor Presidente, em 26 de Agosto de 2015.

    LEANDRO MATOS SOARESDIRETOR PRESIDENTE FMHM

    Estado do Rio de JaneiroPREFEITURA MUNICIPAL DE MACAFUNDAO MUNICIPAL HOSPITALAR DE MACA

    NOME

    ALEXANDRE LEITE E SANTOS PEIXOTO ANA CAROLINA GAUDARD E SILVA DE PAULA BRUNO CARDOZO LIMA JESSICA OLIVEIRA BARCELOS JOAO GUILHERME CARVALHAL DE SOUZA LARISSA MACHADO RIBEIRO OSRIO RICARDO DUTRA DE SOUZA

    CARGO DATA MDICO PLANTONISTA 01/08/2015 MDICO PLANTONISTA 01/08/2015 MDICO PLANTONISTA 01/08/2015 MDICO PLANTONISTA 01/08/2015 MEDICO PLANTONISTA 01/08/2015 MDICO PLANTONISTA 01/08/2015 ASSIST. ADM. E LOGSTICA 20/08/2015

    PORTARIA n 146/2015

    O DIRETOR PRESIDENTE da FUNDAO MUNICIPAL HOSPITA-LAR DE MACA - FMHM, no uso de suas atribuies legais, e tendo emvista o que consta no processo 171739/2015, protocolado nesta Fundao,

    RESOLVE conceder Licena Sem Remunerao, por perodo de 12 (doze)meses, a (o) Servidor(a) Carlos Pereira da Silva Filho, Mdico PlantonistaIntensivista Adulto, matricula 1773, de acordo com Art. 83 da Lei Com-plementar 011/1998 alterada pela L.C. 031/03, a contar de 19 de Outubrode 2015.

    Diretor Presidente, em 16 de Outubro de 2015.

    LEANDRO MATOS SOARESDiretor Presidente

    Estado do Rio de JaneiroPREFEITURA MUNICIPAL DE MACAFUNDAO MUNICIPAL HOSPITALAR DE MACA EXTRATO DE CONTRATO DE LOCAO

    Contrato de Locao n 067/2014Processo Administrativo n 200108/2015Contratante: Fundao de Esporte de Maca - FESPORTEContratado: Flamengo Futebol Clube, CNPJ n 29.696.127/0001-79Valor: R$ 6.000,00 (seis mil reais) mensaisEmpenho n. 000194/2015Programa de Trabalho: 27.122.0053.2.168Elemento de Despesa: 3.3.90.39.00Prazo: 12 meses (01/10/2015 a 30/09/2016)Objeto: 1 Termo Aditivo de locao de parte do imvel situado na RuaGetlio Vargas, n 426, Miramar, Maca - RJ

    Maca, 02 de outubro de 2015.

    Ricardo Muylaert Salgado NetoPresidente

    Fundao de Esporte de Maca

    ESTADO DO RIO DE JANEIROPREFEITURA MUNICIPAL DE MACAFUNDAO DE ESPORTE DE MACA

    CNPJ: 07.498.182/0001-11

    PORTARIA n 145/2015

    O DIRETOR PRESIDENTE DA FUNDAO MUNICIPAL HOSPI-TALAR DE MACA - FMHM, no uso de suas atribuies legais,

    CONSIDERANDO que a Fundao Municipal Hospitalar de Maca -FMHM gere o Hospital Pblico Municipal denominado HPM e o HospitalPblico Municipal da Serra Hospital Evangelina Flores da Silva;

    CONSIDERANDO a relevncia dos servios prestados e o funcionamen-to do Hospital Pblico Municipal denominado HPM e o Hospital PblicoMunicipal da Serra Hospital Evangelina Flores da Silva para a sociedadelocal e para as cidades circunvizinhas;

    CONSIDERANDO a essencialidade dos servios prestados pelas unidadeshospitalares aos nossos muncipes, bem como aos cidados das regiescircunvizinhas, no pairam dvidas quanto necessidade de profissionais desade, visando continuidade dos atendimentos e tratamentos dos pacien-tes no HPM/HPMS, vez que no h como conceber um servio de sadeprestado dentro dos padres de excelncia perseguidos sem que existam ascondies mnimas para o desenvolvimento hospitalar e, portanto, haven-do necessidades temporrias de pessoal, essas devem ser satisfeitas para queno seja paralisada uma atividade governamental, em respeito ao princpioda continuidade do servio pblico, segundo o qual as funes essenciais ounecessrias coletividade so ininterruptas.

    CONSIDERANDO que nessas situaes, no importa se a atividade a serdesempenhada permanente ou temporria, basta que a demanda a sersuprida se caracterize pela transitoriedade, pelo excepcional interessepblico e que no possa ser suprida pelos recursos humanos j pertencentes Administrao Pblica.

    CONSIDERANDO que tanto a necessidade quanto a atividade a serexercida eventual e temporria, pois se destinam ao atendimento de umademanda gerada por uma situao anormal e acima da capacidade deresposta do poder pblico nesse momento, configurando um incrementosazonal da demanda pelo respectivo servio pblico, cuja exposio dosmotivos so argumentos evidenciais para contratao temporria, inclu-sive servindo de fundamentao ftica e jurdica para tal incremento.

    CONSIDERANDO que se efetivada a contratao imediata cessar osriscos de danos irreparveis passiveis de comprometer a sade e o bem estardas pessoas que dependem de tratamento no HPM/HPMS.

    CONSIDERANDO a excepcionalidade, essencialidade, a continuidadedos servios, visando o atendimento da situao emergencial, que poderocasionar prejuzo e/ou comprometer a segurana, a sade e o bem estar daspessoas que necessitam de atendimento mdico/hospitalar;

    CONSIDERANDO o disposto na Lei Municipal n 2951/2007 a que nomunicpio regulamenta no ente pblico a contrao temporria e o artigo37, inciso IX da Constituio Federal de 1988 autoriza a AdministraoPblica Municipal a efetuar contratos de trabalho temporrio, para atenderexcepcional interesse pblico.

    CONSIDERANDO a existncia de lei no mbito municipal que estabele-ce os casos de contratao temporria de excepcional interesse pblico,no perdendo de vista que a autorizao contratao temporria no deveimplicar em vulnerao do princpio da obrigatoriedade do concurso pbli-co, devendo pautar-se nos princpios da razoabilidade e moralidade, pre-vendo casos que realmente justifiquem a contratao direta.

    CONSIDERANDO o firme propsito da administrao pblica de que acontratao deve se dar por prazo determinado, conforme limites defini-dos na lei autorizativa da contratao temporria.

    RESOLVE, Contratar temporariamente at 31/12/2015, os cidados acontar da data abaixo:

    *Omitida Publicao em 29/09/2015.

    Diretor Presidente, em 28 Setembro de 2015.

    LEANDRO MATOS SOARESDIRETOR PRESIDENTE FMHM

    Estado do Rio de JaneiroPREFEITURA MUNICIPAL DE MACAFUNDAO MUNICIPAL HOSPITALAR DE MACA

    NOME CARGO DATA ALESSANDRA DA SILVA LOURENO TCNICO DE RADIOLOGIA 01/09/2015 GILSON FERREIRA GUIMARES ASSIST. ADM. E LOGISTICA 01/09/2015 JOSE MARCONDES TEIXEIRA DE ABREU FILHO MDICO PLANTONISTA 01/09/2015 MAYARA DE SOUZA MACHADO REZENDE TEBALDI MDICO PLANTONISTA 01/09/2015 RACHEL LOUREIRO DE MARINS MEDICO PLANTONISTA 01/09/2015

    CARGO DATA TCNICO DE RADIOLOGIA 01/09/2015 ASSIST. ADM. E LOGISTICA 01/09/2015 MDICO PLANTONISTA 01/09/2015 MDICO PLANTONISTA 01/09/2015 MEDICO PLANTONISTA 01/09/2015

    RESULTADO DOS JULGAMENTOS DE SETEMBRO DE 2015, REA-LIZADOS PELA JARI (1 JUNTA ADMINISTRATIVA DE RECURSOSDE INFRAES) ATRAVS DAS NOTIFICAES DE PENALIDA-DES APRESENTADAS NAS ATAS 73/2015PI(01/09/2015), 74/2015PI(03/09/2015), 75/2015PI(08/09/2015), 76/2015PI(09/09/2015),77/2015PI(10/09/2015), 78/2015PI(11/09/2015), 79/2015PI(14/09/2015), 80/2015PI(15/09/2015), 81/2015PI(14/09/2015), 82/2015(16/09/2015), 83/2015PI(17/09/2015), 84/2015PI(18/09/2015), 85/2015PI(21/09/2015), 86/2015PI(23/09/2015), 87/2015PI(24/09/2015),88/2015PI(30/09/2015).

    PROCESSOS DEFERIDOS

    004544/15 004599/15 003321/15A 004643/15 004668/15 004669/15 004837/15 004906/15 005034/15

    PROCESSOS INDEFERIDOS

    002140/15A 002190/15A 004380/15 004406/15 004407/15 004410/15 004416/15 004426/15 004429/15 004445/15 004452/15 004475/15 004479/15 004480/15 002710/15A 002711/15A 002712/15A 004494/15 004515/15 004529/15 004535/15 004537/15 004547/15 004549/15 004552/15 004571/15 004590/15 004597/15 004605/15 004608/15 004617/15 004621/15 00430/15A 002582/15A 002773/15A 003273/15 004627/15 004639/15 004647/15 004648/15 004650/15 004652/15 004658/15 004662/15 004667/15 002562/15A 003161/15A 004670/15 004671/15 004672/15 004673/15 004675/15 004690/15 004697/15 004706/15 003078/15A 004721/15 004728/15 004740/15 004751/15 003268/15A 004424/15 004761/15 004770/15 004775/15 004779/15 003269/15A 003441/15A 003684/15A 003700/15A 004799/15 004804/15 004811/15 004815/15 004819/15 004849/15 004852/15 004878/15 004901/15 004905/15 004911/15 004919/15 004925/15 004926/15 004937/15 004938/15 004943/15 004968/15 005025/15 005050/15 004836/15 004860/15

    PORTARIA n 147/2015

    O DIRETOR PRESIDENTE DA FUNDAO MUNICIPAL HOSPITA-LAR DE MACA - FMHM, no uso de suas atribuies legais,

    CONSIDERANDO que a Fundao Municipal Hospitalar de Maca -FMHM gere o Hospital Pblico Municipal denominado HPM e o HospitalPblico Municipal da Serra Hospital Evangelina Flores da Silva;

    CONSIDERANDO a relevncia dos servios prestados e o funciona-mento do Hospital Pblico Municipal denominado HPM e o HospitalPblico Municipal da Serra Hospital Evangelina Flores da Silva para asociedade local e para as cidades circunvizinhas;

    CONSIDERANDO a essencialidade dos servios prestados pelas unida-des hospitalares aos nossos muncipes, bem como aos cidados das regiescircunvizinhas, no pairam dvidas quanto necessidade de profissionais desade, visando continuidade dos atendimentos e tratamentos dos pacien-tes no HPM/HPMS, vez que no h como conceber um servio de sadeprestado dentro dos padres de excelncia perseguidos sem que existam ascondies mnimas para o desenvolvimento hospitalar e, portanto, haven-do necessidades temporrias de pessoal, essas devem ser satisfeitas para queno seja paralisada uma atividade governamental, em respeito ao princpioda continuidade do servio pblico, segundo o qual as funes essenciais ounecessrias coletividade so ininterruptas.

    CONSIDERANDO que nessas situaes, no importa se a atividade a serdesempenhada permanente ou temporria, basta que a demanda a sersuprida se caracterize pela transitoriedade, pelo excepcional interessepblico e que no possa ser suprida pelos recursos humanos j pertencentes Administrao Pblica.

    CONSIDERANDO que tanto a necessidade quanto a atividade a serexercida eventual e temporria, pois se destinam ao atendimento de umademanda gerada por uma situao anormal e acima da capacidade deresposta do poder pblico nesse momento, configurando um incrementosazonal da demanda pelo respectivo servio pblico, cuja exposio dosmotivos so argumentos evidenciais para contratao temporria, inclu-sive servindo de fundamentao ftica e jurdica para tal incremento.

    CONSIDERANDO que se efetivada a contratao imediata cessar osriscos de danos irreparveis passiveis de comprometer a sade e o bem estardas pessoas que dependem de tratamento no HPM/HPMS.

    CONSIDERANDO a excepcionalidade, essencialidade, a continuidadedos servios, visando o atendimento da situao emergencial, que poderocasionar prejuzo e/ou comprometer a segurana, a sade e o bem estar daspessoas que necessitam de atendimento mdico/hospitalar;

    CONSIDERANDO o disposto na Lei Municipal n 2951/2007 a queno municpio regulamenta no ente pblico a contrao temporria e oartigo 37, inciso IX da Constituio Federal de 1988 autoriza a Administra-o Pblica Municipal a efetuar contratos de trabalho temporrio, paraatender excepcional interesse pblico.

    CONSIDERANDO a existncia de lei no mbito municipal que estabe-lece os casos de contratao temporria de excepcional interesse pblico,no perdendo de vista que a autorizao contratao temporria no deveimplicar em vulnerao do princpio da obrigatoriedade do concurso pbli-co, devendo pautar-se nos princpios da razoabilidade e moralidade, pre-vendo casos que realmente justifiquem a contratao direta.

    CONSIDERANDO o firme propsito da administrao pblica de que acontratao deve se dar por prazo determinado, conforme limites defini-dos na lei autorizativa da contratao temporria.

    RESOLVE, Renovar pelo perodo de 01/10/2015 31/12/2015 asportarias 123/2015, 124/2015, 144/2015 e 145/2015, exceto os cidadosabaixo:

    Ademilso Luiz RangelAdriana Miranda de OliveiraAlessandra de Assis MonteiroAlexandre Luiz CardosoAlexandre dos Santos GomesAlexandro de Macedo MunizAmanda de Assis AdolphoAna C. De Souza TarouquelaAna Maria AssuncaoAna Meire AssuncaoAndressa Ullman da SilvaBassel El MasriBruno Passos Leite dos SantosCarla Carvalho da CostaCarla Rosa de Souza FigueiredoCarlos Antonio dos SantosCarminda de Fatima VieiraClaudia Aparecida Pinto PaivaClaudia da Silva Assis CardosoClaudia M. De Souza BarcelosClaudia Marcia da Silva SouzaCleuza S. Gavinho GuimaraesClovis Dias de OliveiraDaniele MesquitaDeibson Cabral MartinsDiogo Marinho GrativolEdmo Figueira da SilvaEliane A. Franco RezendeEliane Carvalho de SouzaElisangela R. De C. PosesElisangela Silva MartinsEveraldo Sabino dos SantosFernanda Gomes da SilvaFlavianni B. De Sousa AbreuFranci A. N. De OliveiraFrancisca C. De OliveiraFrancisco Boher KaboukGabriel Paula da SilvaGabriela B. De Oliveira RochaGilson Ferreira GuimaraesGislana Lucia Santos da SilvaHandly E. Caetano XavierIgor de Matos Henrique AssisIona Drumond de SouzaIris Paganotti FrancoIvana Carla do NascimentoIzaias Lima CoutinhoJesu Melo de AlmeidaJobis Dias de OliveiraJoel da SilvaJoelma Assis de FreitasJose Carlos da Silva PinheiroKarina Maia de Lacerda FrancaLaziany L. De Paulo PoubelLeandro M. De Andrade CostaLidiane Florencio BrandaoLuana Schumacker MarquesLuciclea da Silva NunesLucyana Luna SilvaMagna V. Dos Santos PereiraMarcos Aurelio DiasMarcos dos Santos PereiraMarcos Valerio da AnunciacaoMaria Darlin Souza BarretoMaria Jussara AlvesMikitaro Freiman MoreiraMilena Silva MeloMirlucia Soares AzeredoNeide Aguiar da Silveira MeloNeiva Azevedo de OliveiraNilton Barcelos de BritoNilton de Oliveira SilvaNilva Gomes Valenca BerabaNilza A. De Oliveira PachecoPaulo Cesa GrativolPaulo Cesar GuimaraesPaulo Henrique GonalvesPedro Paulo Freire de SouzaPriscila Ferreira AlexandrePriscila Silva Melo LemosRachel Alves de Souza SantosRaquel de Jesus ViannaRayane Barreto PovoaRicardo Dutra de SouzaRoberta Klem MachadoRosevane Ribeiro CorreaRossana L. Garrido MachadoRousedarle Oliveira NascimentoSara Drumond Pires MassonSoraya Tanus NascifVagner Luiz de Almeida VitorValeria da CostaVanessa da Silva MesquitaVania Lucia Rezende MachadoVania Pontes AlvesVera Gilda Moreira AlvesVera Lucia Silva PaulaVictor Eddye Ferreira

    Diretor Presidente, em de Outubro de 2015.

    LEANDRO MATOS SOARESDIRETOR PRESIDENTE FMHM

    Estado do Rio de JaneiroPREFEITURA MUNICIPAL DE MACAFUNDAO MUNICIPAL HOSPITALAR DE MACA

    EXTRATO DE CONTRATO DE LOCAO

    Contrato de Locao n 067/2014Processo Administrativo n 200108/2015Contratante: Fundao de Esporte de Maca - FESPORTEContratado: Flamengo Futebol Clube, CNPJ n 29.696.127/0001-79Valor: R$ 6.000,00 (seis mil reais) mensaisEmpenho n. 000194/2015Programa de Trabalho: 27.122.0053.2.168Elemento de Despesa: 3.3.90.39.00Prazo: 12 meses (01/10/2015 a 30/09/2016)Objeto: 1 Termo Aditivo de locao de parte do imvel situado na RuaGetlio Vargas, n 426, Miramar, Maca - RJ

    Maca, 02 de outubro de 2015.

    Ricardo Muylaert Salgado NetoPresidente

    Fundao de Esporte de Maca

    ESTADO DO RIO DE JANEIROPREFEITURA MUNICIPAL DE MACAFUNDAO DE ESPORTE DE MACA

    CNPJ: 07.498.182/0001-11

    PORTARIA n 145/2015

    O DIRETOR PRESIDENTE DA FUNDAO MUNICIPAL HOSPI-TALAR DE MACA - FMHM, no uso de suas atribuies legais,

    CONSIDERANDO que a Fundao Municipal Hospitalar de Maca -FMHM gere o Hospital Pblico Municipal denominado HPM e o HospitalPblico Municipal da Serra Hospital Evangelina Flores da Silva;

    CONSIDERANDO a relevncia dos servios prestados e o funcionamen-to do Hospital Pblico Municipal denominado HPM e o Hospital PblicoMunicipal da Serra Hospital Evangelina Flores da Silva para a sociedadelocal e para as cidades circunvizinhas;

    CONSIDERANDO a essencialidade dos servios prestados pelas unidadeshospitalares aos nossos muncipes, bem como aos cidados das regiescircunvizinhas, no pairam dvidas quanto necessidade de profissionais desade, visando continuidade dos atendimentos e tratamentos dos pacien-tes no HPM/HPMS, vez que no h como conceber um servio de sadeprestado dentro dos padres de excelncia perseguidos sem que existam ascondies mnimas para o desenvolvimento hospitalar e, portanto, haven-do necessidades temporrias de pessoal, essas devem ser satisfeitas para queno seja paralisada uma atividade governamental, em respeito ao princpioda continuidade do servio pblico, segundo o qual as funes essenciais ounecessrias coletividade so ininterruptas.

    CONSIDERANDO que nessas situaes, no importa se a atividade a serdesempenhada permanente ou temporria, basta que a demanda a sersuprida se caracterize pela transitoriedade, pelo excepcional interessepblico e que no possa ser suprida pelos recursos humanos j pertencentes Administrao Pblica.

    CONSIDERANDO que tanto a necessidade quanto a atividade a serexercida eventual e temporria, pois se destinam ao atendimento de umademanda gerada por uma situao anormal e acima da capacidade deresposta do poder pblico nesse momento, configurando um incrementosazonal da demanda pelo respectivo servio pblico, cuja exposio dosmotivos so argumentos evidenciais para contratao temporria, inclu-sive servindo de fundamentao ftica e jurdica para tal incremento.

    CONSIDERANDO que se efetivada a contratao imediata cessar osriscos de danos irreparveis passiveis de comprometer a sade e o bem estardas pessoas que dependem de tratamento no HPM/HPMS.

    CONSIDERANDO a excepcionalidade, essencialidade, a continuidadedos servios, visando o atendimento da situao emergencial, que poderocasionar prejuzo e/ou comprometer a segurana, a sade e o bem estar daspessoas que necessitam de atendimento mdico/hospitalar;

    CONSIDERANDO o disposto na Lei Municipal n 2951/2007 a que nomunicpio regulamenta no ente pblico a contrao temporria e o artigo37, inciso IX da Constituio Federal de 1988 autoriza a AdministraoPblica Municipal a efetuar contratos de trabalho temporrio, para atenderexcepcional interesse pblico.

    CONSIDERANDO a existncia de lei no mbito municipal que estabele-ce os casos de contratao temporria de excepcional interesse pblico,no perdendo de vista que a autorizao contratao temporria no deveimplicar em vulnerao do princpio da obrigatoriedade do concurso pbli-co, devendo pautar-se nos princpios da razoabilidade e moralidade, pre-vendo casos que realmente justifiquem a contratao direta.

    CONSIDERANDO o firme propsito da administrao pblica de que acontratao deve se dar por prazo determinado, conforme limites defini-dos na lei autorizativa da contratao temporria.

    RESOLVE, Contratar temporariamente at 31/12/2015, os cidados acontar da data abaixo:

    *Omitida Publicao em 29/09/2015.

    Diretor Presidente, em 28 Setembro de 2015.

    LEANDRO MATOS SOARESDIRETOR PRESIDENTE FMHM

    Estado do Rio de JaneiroPREFEITURA MUNICIPAL DE MACAFUNDAO MUNICIPAL HOSPITALAR DE MACA

    NOME CARGO DATA ALESSANDRA DA SILVA LOURENO TCNICO DE RADIOLOGIA 01/09/2015 GILSON FERREIRA GUIMARES ASSIST. ADM. E LOGISTICA 01/09/2015 JOSE MARCONDES TEIXEIRA DE ABREU FILHO MDICO PLANTONISTA 01/09/2015 MAYARA DE SOUZA MACHADO REZENDE TEBALDI MDICO PLANTONISTA 01/09/2015 RACHEL LOUREIRO DE MARINS MEDICO PLANTONISTA 01/09/2015

    CARGO DATA TCNICO DE RADIOLOGIA 01/09/2015 ASSIST. ADM. E LOGISTICA 01/09/2015 MDICO PLANTONISTA 01/09/2015 MDICO PLANTONISTA 01/09/2015 MEDICO PLANTONISTA 01/09/2015

    RESULTADO DOS JULGAMENTOS DE SETEMBRO DE 2015, REA-LIZADOS PELA JARI (1 JUNTA ADMINISTRATIVA DE RECURSOSDE INFRAES) ATRAVS DAS NOTIFICAES DE PENALIDA-DES APRESENTADAS NAS ATAS 73/2015PI(01/09/2015), 74/2015PI(03/09/2015), 75/2015PI(08/09/2015), 76/2015PI(09/09/2015),77/2015PI(10/09/2015), 78/2015PI(11/09/2015), 79/2015PI(14/09/2015), 80/2015PI(15/09/2015), 81/2015PI(14/09/2015), 82/2015(16/09/2015), 83/2015PI(17/09/2015), 84/2015PI(18/09/2015), 85/2015PI(21/09/2015), 86/2015PI(23/09/2015), 87/2015PI(24/09/2015),88/2015PI(30/09/2015).

    PROCESSOS DEFERIDOS

    004544/15 004599/15 003321/15A 004643/15 004668/15 004669/15 004837/15 004906/15 005034/15

    PROCESSOS INDEFERIDOS

    002140/15A 002190/15A 004380/15 004406/15 004407/15 004410/15 004416/15 004426/15 004429/15 004445/15 004452/15 004475/15 004479/15 004480/15 002710/15A 002711/15A 002712/15A 004494/15 004515/15 004529/15 004535/15 004537/15 004547/15 004549/15 004552/15 004571/15 004590/15 004597/15 004605/15 004608/15 004617/15 004621/15 00430/15A 002582/15A 002773/15A 003273/15 004627/15 004639/15 004647/15 004648/15 004650/15 004652/15 004658/15 004662/15 004667/15 002562/15A 003161/15A 004670/15 004671/15 004672/15 004673/15 004675/15 004690/15 004697/15 004706/15 003078/15A 004721/15 004728/15 004740/15 004751/15 003268/15A 004424/15 004761/15 004770/15 004775/15 004779/15 003269/15A 003441/15A 003684/15A 003700/15A 004799/15 004804/15 004811/15 004815/15 004819/15 004849/15 004852/15 004878/15 004901/15 004905/15 004911/15 004919/15 004925/15 004926/15 004937/15 004938/15 004943/15 004968/15 005025/15 005050/15 004836/15 004860/15

  • O DEBATE DIRIO DE MACA Maca, sbado, 17 de outubro de 2015 Esporte 9

    ESPORTE

    Maca encara hoje o Paysandu pela Srie B

    Aps 10 dias de descanso dos jogos da Srie B do Campeona-to Brasileiro, o Maca Esporte entra em campo hoje contra o Paysandu, em partida vlida pela 31 rodada da competi-o. A diferena expressiva do desempenho das duas equipes

    Alvianil Praiano viaja para Belm do Par em busca de recuperao no Brasileiro

    pode ser o prenncio do resul-tado que ser registrado aps s 21h, quando a bola vai comear a rolar.Em uma sequncia de em-

    pates e derrotas na competi-o, o Maca Esporte segue na 16 posio da tabela da Srie B, na linha tnue prxi-ma zona de rebaixamento. O que segura o Alvianil Praiano de entrar no grupo vermelho so os oito pontos de diferen-a em relao ao Cear, time

    que ocupa a indesejvel 17 colocao na tabela.J o Paysandu venceu a lti-

    ma partida na Srie B, manten-do-se na 5 colocao da tabela. Hoje, a equipe soma 48 pontos marcados em 14 vitrias, seis empates e 10 derrotas.O Maca acumula atualmente

    36 pontos, marcados em oito vi-trias, 10 empates e 12 derrotas.A partida deste sbado acon-

    tece no Estdio Mangueiro, em Belm do Par.

    CHAPU

    Atleta mirim de Maca ouro no Ju-Jtsu

    Maca j conta com mais uma promessa no esporte. O atleta mi-rim Eduardo Cancela Cruz, de 6 anos, conquistou a medalha de ouro no Campeonato World Cup realizado no ltimo sbado, dia 10.Eduardo encarou atletas de vrias

    partes do pas, que tambm partici-param da competio, realizada em Niteri pela Confederao Brasileira de Jiu-Jitsu Olimpico (Cbjjo).Membro da equipe Gracie Hu-

    mait Maca, Eduardo registra ti-mo desempenho no esporte neste ano, ao colecionar medalhas de ouro conquistadas no Campeonato Bra-sileiro de X-Combat, realizado em Vitria, no Esprito Santo, assim co-mo no Panamericano de Ju-Jstu, tambm promovido pela CBJJO, no Rio de Janeiro.O atleta mirim dedica as vitrias ao

    treinamento ministrado pelos pro-fessores Csar Maillet e Marvel Mail-let da equipe Gracie Humait Maca.

    Eduardo Cancela Cruz foi destaque no World Cup realizado pela CBJJO

    DIVULGAO

    Eduardo Cancela Cruz coleciona medalhas de ouro no Ju-Jstu

  • O DEBATE DIRIO DE MACA10 Maca, sbado, 17 de outubro de 2015

    Jornal 17-10-2015 (01)Jornal 17-10-2015 (02)Jornal 17-10-2015 (03)Jornal 17-10-2015 (04)Jornal 17-10-2015 (05)Jornal 17-10-2015 (06)Jornal 17-10-2015 (07)Jornal 17-10-2015 (08)Jornal 17-10-2015 (09)Jornal 17-10-2015 (10)