Noticirio 17 01 14

  • Published on
    19-Mar-2016

  • View
    225

  • Download
    12

DESCRIPTION

 

Transcript

  • Audincia Pblica refora a construo do porto de Maca

    Prefeitura d incio a servio de manuteno em buraco

    Paulo Antunes solicita identificao de ruas

    Vazamento de gs registrado no Centro

    Estdio de Maca receber clubes do Rio

    Queima de lixo gera transtornos na cidade

    Motoristas testam novas pistas na BR 101a autopista fluminense, com apoio da Polcia Rodoviria Federal, fez ontem testes em tre-cho duplicado da rodovia. pg. 5

    Corpo de Bombeiros foi acionado para conter o problema pg.5

    com capacidade para 16 mil pessoas, o Estdio Cludio Mo-acyr hoje uma das principais praas esportivas do Estado do Rio de Janeiro. Equipes como o Vasco da Gama, Botafogo e o Fluminense jogaro na cidade, durante o Carioca 2014. pg. 8

    o problema do lixo uma das questes mais emblemti-cas na atualidade. Em Maca, mesmo com a coleta regular e com o servio de Cata Bagu-lho, ainda possvel flagrar situaes preocupantes por toda cidade. pg. 2

    SERVIO

    SEGURANAPOLTICA

    Prevista para outubro do ano passado, liberao de acesso a novas pistas sofreu atraso em funo de pedido de passarela

    Mquina utilizada no recapeamento do asfalto situado no trecho de acostamento da Estrada da Virgem Santa, usada diariamente por vrios motoristas

    Equipe evitou prejuzos

    Rotativo registra 184 mil carros estacionados

    Pipas presas em fios evidenciam problemas

    Nmeros so referentes a um ms do sistema. pg. 6

    Responsveis devem ficar atentos a riscos pg. 2

    Aps denncia de usurios sobre o problema localizado em uma curva fechada na Estrada da Virgem Santa, prximo ao HPM, equipe da secretaria de Obras realiza manuteno de via pg. 2

    KAN MANHES

    Ao conquistar em 2013 uma campanha com 100% de apro-veitamento, garantindo o lugar mais alto do pdio em todas as competies regionais e nacio-nais que participou, o lutador macaense Thiago Gaia se pre-para para disputar seletiva e garantir vaga no Campeonato Mundial Profissional de Jiu-Jtsu, em Abu Dhabi. pg. 8

    Thiago Gaia disputa seletivas

    POLTICA

    WWW.ODEBATEON.COM.BR MACA (RJ), SEXTA-FEIRA, 17 DE JANEIRO DE 2014 ANO XXXVIII N 8297 FUNDADOR/DIRETOR: OSCAR PIRES O JORNAL DE MAIOR CIRCULAO DO MUNICPIO R$ 1,00

    Projeto refora parcerias sociaisCriao de Instituto Porto Cidado garantir formao de mo de obra local pg. 3

    WANDERLEY GIL

    Reunio promovida pela Comisso Estadual de Controle Ambiental (CECA) faz parte do processo de licenciamento do Terminal Porturio de Maca (Terpor) que deve entrar em operao em 2017 pg.3

    WANDERLEY GIL

    Vereador cobrou servio

    Parlamentar cobrou tambm atualizao de CEPs na cidade pg.3

    DIVULGAO

    KAN MANHES

    WANDERLEY GIL

    KAN MANHES

    COTAODlar C. R$ 2,3630Dlar V. R$ 1,3640

    Mxima. 33 CMnima. 23 C

    TEMPO

  • 2 MACA, SEXTA-FEIRA, 17 DE JANEIRO DE 2014

    CidadeNOTA

    PREVENO

    Soltar pipa prximo rede eltrica pode tornar a brincadeira perigosaSegundo a Ampla, durante o perodo de frias que os casos de acidentes aumentamMarianna Fontesmarifontes@odebateon.com.br

    Considerada uma das brincadeiras mais an-tigas em todo planeta, soltar pipa uma das ativida-des preferidas entre crianas e adultos, principalmente durante o perodo de frias. Mas, quando utilizada de maneira incorreta, pode deixar de ser uma diverso e se tornar algo perigoso. A orientao sempre para

    que a populao evite soltar pi-pa prximo rede eltrica. De acordo com a Ampla, empresa que distribui energia em Maca, nesse perodo de frias que o nmero de incidentes aumenta. Tirar uma pipa da rede eltri-

    ca pode causar acidentes e at a morte. Soltar pipas perto da rede eltrica muito perigoso, elas podem ficar presas nos fios e isso pode ocasionar uma des-carga eltrica. Materiais met-licos no devem ser utilizados na fabricao deste brinquedo, pois conduzem eletricidade, aumentando a chance de um acidente, como, por exemplo, queimaduras e choques fatais, alm da interrupo do forne-cimento de luz.Essa semana, a equipe de re-

    portagem do jornal O DEBATE fez um flagrante de uma criana soltando pipa prximo a uma

    rede de fiao na Aroeira. No momento do flagrante, no foi identificado nenhum adulto por perto para orientar o menor. Casos desse tipo podem ser

    presenciados por toda cida-de. No final do ms passado, a equipe flagrou um grupo de adolescentes soltando pipa na linha do trem, prximo ao Ter-minal Central. Os pais devem orientar os

    filhos a no encostar em qual-quer objeto que esteja pendu-rado rede eltrica, como fios, pipas, entre outros. O cidado no deve mexer em qualquer componente da rede eltrica. Somente tcnicos da distribui-dora, treinados para este tra-balho e com equipamentos de segurana, tm a permisso de manusear a rede. Deve-se evitar soltar pipas

    em locais de grande movimen-to, como avenidas e estradas, para no correr o risco de sofrer atropelamentos. No caso de la-jes e telhados, a pessoa pode se distrair e cair, com risco de fra-turas. A distribuidora destaca que os pais devem aconselhar os seus filhos a empinarem pipas em terrenos planos, sem muitos obstculos.Outro problema so as pipas

    com cerol (p de vidro com cola utilizado para cortar a linha das outras pipas). Segundo a Ampla,

    ele corta a camada de borracha que reveste os fios de alumnio ou de cobre. Sem contar que o cerol pode causar acidentes com motociclistas. Alm de perigoso tambm

    crime, como prev o artigo 132 do Cdigo Penal Brasileiro. Se pego em flagrante, o cidado pode ser preso e autuado, por, de forma consciente, expor terceiros ao perigo. A pena de trs meses a um ano de deten-o. No caso de o infrator ser menor de idade, os pais ou res-ponsveis respondero pelo ato.Conforme a Lei n 3.673 de

    16 de outubro de 2001, Fica proibido a industrializao e comercializao do cerol em todo estado do Rio de Janeiro. Quando oferecido pelo comr-cio estabelecido ou informal, o material dever ser apreendi-do e encaminhado autorida-de policial, para que as devidas providncias sejam tomadas. O desrespeito da lei implica em multa, que varia de acordo com a gravidade.Por diversas vezes, a falta de

    orientao e educao tanto dos pais, como dos filhos, transfor-mou essa brincadeira inocente em tragdias que resultaram em vtimas de homicdio e leso corporal. Os casos mais comuns de acidentes causados por ma-trias cortantes utilizados nas

    linhas das pipas so com ciclis-tas e motociclistas.Os animais tambm cor-

    rem riscos como os urubus, gavies e corujas. Aves de mdio porte, como pombas e

    passarinhos, quando sofrem esse tipo de leso, raramente conseguem sobreviver.

    KAN MANHES

    Criana foi flagrada essa semana pela equipe do jornal soltando pipa prximo rede eltrica no bairro da Aroeira

    Prefeitura d incio a servio de manuteno em buraco

    ESTRADA DA VIRGEM SANTA

    no incio dessa semana, mo-radores da Virgem Santa procu-raram a equipe de reportagem para relatar sobre o perigo de um buraco na via principal do bairro. O problema est loca-lizado em uma curva fechada na Estrada da Virgem Santa, a poucos metros do Hospital P-blico de Maca (HPM). Na ma-nh desta quinta-feira (16), uma equipe da secretaria de Manu-teno j dava incio ao servio de tapa buraco no trecho. Esse trecho j perigoso por

    si s, j que muitos motoristas abusam dos limites de veloci-dade e ainda tem o agravante que so os carros que cortam a pista, na altura da curva, para entrar no terreno de terra, que, pelo que d entender atravs da placa, seria uma via pbli-ca. Essa semana mesmo, uma senhora de moto se acidentou ao colidir com um motorista em alta velocidade aqui, por pouco no foi algo mais grave. Com o buraco fica mais perigoso por-

    Problema est em uma curva fechada, o que aumenta riscos de acidentes

    que a pessoa precisa desviar pe-la pista contrria e nessa hora que pode vir um veculo na ou-tra mo e pegar de frente. Agora imagine se os dois estiverem em alta velocidade. Aqui circulam caminhes e nibus. O conser-to desse buraco no vai acabar com os riscos de acidentes, mas vai ajudar a reduzir bastante. noite mesmo voc no conse-gue ver o problema de cara. Eu j ca nesse buraco umas duas vezes, relata Tiago Veiga. Segundo a prefeitura, ainda

    no tem previso de quanto o trabalho ser concludo. Ela res-salta que o servio de tapa bu-raco seguir at ser finalizado. De acordo com a populao, os

    buracos so comuns na via, que recebeu milhes para investi-mento em obras de pavimen-tao e urbanizao no final de 2012. Recentemente, a prefeitu-ra chegou a fazer a manuteno de alguns deles, atravs de uma operao tapa buracos, porm os motoristas dizem que esse ser-vio apenas emergencial, mas no resolve de vez o problema.Apesar de essa regio ain-

    da manter os aspectos rurais, nos ltimos anos ela passou a sofrer um forte crescimento

    imobilirio. As obras de re-cuperao e pavimentao na Estrada da Virgem Santa, que tambm inclua a Estrada do Imburo, foram oradas em R$ 11.399.765,60. Esperamos que o poder p-

    blico conclua o servio, com qualidade, e aproveito para pe-dir ao nosso prefeito que ele d uma ateno para o bairro num todo, que est crescendo e care-ce ainda de alguns servios de infraestrutura, frisa Gisele Dias. A manuteno das vias est

    prevista dentro do Cdigo de Trnsito Brasileiro (CTB), que garante que dever das auto-ridades promover um trnsi-to seguro e de qualidade. De acordo com o Art. 1, o trnsi-to, em condies seguras, um direito de todos e dever dos r-gos e entidades componentes do Sistema Nacional de Trn-sito, a estes cabendo, no mbito das respectivas competncias, adotar as medidas destinadas a assegurar esse direito. A lei tambm ressalta que a veloci-dade mxima permitida para a via ser indicada por meio de sinalizao, obedecidas suas caractersticas tcnicas e as condies de trnsito.

    KAN MANHES

    Prefeitura diz que no tem prazo para finalizar o servio, mas garante que ele seguir at ser concludo

    WANDERLEY GIL

    Alguns resduos, quando queimados, liberam substncias txicas, nocivas sade da populao

    Populao continua queimando lixo de maneira irregular

    JARDIM VITRIA II

    o problema do lixo uma das questes mais emblem-ticas na atualidade. Cuidar dessa situao com cautela fundamental para promover a qualidade de vida da popula-o. Em Maca, mesmo com a coleta regular e com o ser-vio de Cata Bagulho, ainda possvel flagrar situaes preocupantes por toda cidade.Uma delas o descarte ir-

    regular. Caladas e terrenos baldios so os locais pre-feridos para o desrespeito. Outro problema a queima desses resduos. As queima-das geram diversos danos ao meio ambiente, prejudican-do espcies da fauna e da flo-ra. Mas no s na natureza que isso pode causar proble-mas. O perigo tambm pode estar prximo a sua casa. Es-sa semana o flagrante foi fei-to no Jardim Vitria II, rea nobre da cidade. Essa regio j sofre com a existncia de um lixo a cu aberto.

    Situao pode provocar incndios graves e prejudica a qualidade do ar

    O bairro cresce a cada dia e parece que a sujeira tambm tem acompanhado esse cresci-mento. A maioria das pessoas que jogam de tudo nesses ter-renos no so os proprietrios. Para piorar, ainda tacam fogo, formando uma fuligem que in-vade as nossas casas. Fica tudo sujo, fora a dificuldade de res-pirar, j que sufocante. Essas pessoas queimam de tudo, des-de plstico, madeira, restos de mveis, latas, entre outros itens que so totalmente prejudiciais para gente, reclama Marcos Jos Teixeira. A maioria dos resduos que

    podemos encontrar no lixo do-mstico no foi projetada para ser queimada. Quando expostas a uma determinada temperatu-ra elevada, podem liberar subs-tncias txicas perigosas. Alm da degradao ambiental, j que essa medida pode contribuir para problemas como o aque-cimento global, isso acaba pio-rando a qualidade de vida nas cidades, gerando problemas de sade pblica. Essa fumaa txica polui o ar,

    que inalado pelos humanos. A situao ainda pior quando a umidade est baixa. Essa fumaa

    prejudica a sade da populao, principalmente de crianas e pessoas que sofrem de doenas respiratrias, como asma, bron-quite, e rinite alrgica. De acordo com especialistas, as substncias qumicas podem causar nuseas, tonturas, dores de cabea, entre outros sintomas. Vale ressaltar que provocar

    incndio considerado crime, previsto na Lei n 9.605/98. De acordo com o Art. 41, provocar incndio em mata ou floresta pode levar o infrator pena de recluso de dois a quatro anos e multa. O mesmo artigo ressalta que se o crime culposo, a pe-na de deteno de seis meses a um ano, e multa. Para o servio Cata Bagulho,

    que recolhe mveis antigos, entulhos, eletrodomsticos, entre outros objetos, os pr-prios moradores podem en-trar em contato atravs do nmero (22) 2762-4667, que funciona de segunda a sexta-feira, das 7h s 17h. Para ter acesso ao servio, basta ligar para a secretaria de Limpeza Pblica e agendar. A prefeitu-ra ressalta que os entulhos s sero recolhidos pela equipe se estiverem ensacados.

    Os pais ou responsveis devem ficar atentos ao prazo da matrcula na rede municipal de ensino que dever ser feita na escola onde o aluno ir estudar at esta sexta-feira (17)

  • MACA, SEXTA-FEIRA, 17 DE JANEIRO DE 2014 3

    Poltica Audincia Pblica contou com a participao de representantes de vrias instituies que atuam na cidadeNOTA

    Mrcio Siqueiramarcio@odebateon.com.br

    A construo do Ter-minal Porturio de Ma-ca (Terpor), em rea de 400 mil metros quadrados no So Jos do Barreto, projeto que vem sendo elaborado desde 2009, teve na noite de quarta-feira (15), praticamente a ltima etapa realizada para, consen-sualmente, a obra ser realizada ainda neste ano, aps a emisso da ltima licena a ser deferida pelo Instituto Estadual do Am-biente (Inea), aguardada com grande expectativa por todas as partes envolvidas.Diante de um espao lotado,

    no ptio do Ciep Leonel Brizo-la, na Barra de Maca, os im-pactos previstos na implanta-o do novo porto, um investi-mento privado de R$ 1,5 bilho, foram esclarecidos, atravs de apresentaes, feitas ao p-blico formado pela sociedade civil, como os moradores das reas que sero influenciadas pela operao do terminal, re-presentantes do segmento em-presarial, lideranas polticas e ambientalistas, que tiveram a oportunidade de manifestar suas opinies sobre o projeto, cuja operao est prevista pa-ra comear em 2017.A audincia foi conduzida

    por Maurcio Couto, designa-do pela Comisso Estadual de Controle Ambiental (CECA)

    para presidir a reunio, que contou tambm com a parti-cipao dos representantes do grupo designado pelo Inea pa-ra acompanhar o processo de solicitao de licenciamento do porto: Paulo Roberto e Ali-ne Peixoto."O objetivo da audincia re-

    colher sugestes, informaes e posicionamentos referentes

    WANDERLEY GIL

    Audincia contou com a participao de membros da sociedade civil organizada de Maca

    ao projeto. Essa a fase preli-minar. Aps a anlise do grupo do Inea, do parecer da audi-ncia que ser encaminhado procuradoria do instituto, o CECA dar o posicionamento final sobre o projeto", explicou Maurcio Couto.A mesa diretora da audincia

    foi composta tambm pelo se-cretrio municipal do Ambien-

    te, Guilherme Sardemberg, re-presentantes do grupo empre-endedor do porto, Robson vila e Jos Roberto, da Masterplan (empresa que fez o estudo de impacto do porto), Raquel de Paula, alm de membros dos Ministrios Pblicos Federal (MPF) e Estadual (MPE). A reunio durou aproximada-mente quatro horas.

    DESENVOLVIMENTO

    Audincia Pblica refora a construo do porto de MacaProjeto foi discutido pelo Inea, empresrios e a sociedade civil, durante reunio que ajudou a consolidar investimentos

    Projeto refora proposta de parcerias sociais

    COMPENSAES

    a expertise adquirida por Maca ao longo dos ltimos 37 anos, com a explorao e a produo do petrleo, que de-sencadeou a expanso da cons-truo civil, alm dos efeitos sociais registrados tambm na cidade durante as quase quatro dcadas, servem de parmetros para a elaborao do projeto do Terminal Porturio de Maca, questes que foram enfatizadas na apresentao da parte tc-nica do empreendimento, feita na noite da quarta-feira (15) no ptio lotado do Ciep Leonel Bri-zola, na Barra de Maca.Ao apontar como principal

    foco o atendimento demanda logstica, atual e futura, registra-da pela indstria do petrleo, posicionamento reforado por instituies que representam o setor empresarial local, o proje-to leva tambm em considera-o os efeitos sociais, acompa-nhados tambm pela prefeitura, parceira na proposta de criao do Instituto Porto Cidado, que promover a capacitao da mo de obra local com ob-jetivo de atuar, tanto na fase de construo do terminal, quanto na operao do porto, prevista para acontecer a partir de 2017.Atravs do instituto, o gru-

    po empreendedor, junto com a Comisso Municipal da Fir-jan, o Sesi e o Sebrae, promo-ver a capacitao da mo de obra local, que corresponder a mais de 70% de todas as con-trataes que sero promovi-das pelo projeto.Com previso de contratar

    mais de 800, podendo che-gar a 1,5 mil profissionais para a construo, tanto da parte

    Criao de Instituto Porto Cidado abre perspectivas para mo de obra da cidade

    onshore, identificada como re-trorea, alm da parte offshore, como a ponte e a base para a implantao dos pontos de an-coragem, o instituto promover a qualificao de toda a massa trabalhadora.Alm disso, segundo o pro-

    jeto apresentado durante a Audincia Pblica, os cerca de 600 profissionais que se-ro contratados para atuar na operao do terminal, tambm sero preparados pelo Institu-to Porto Cidado, garantindo

    assim a perspectiva de opor-tunidades para a prpria po-pulao macaense.O projeto prev, como garan-

    tia, a atuao por 20 anos do instituto, que oferecer no fu-turo cursos de aperfeioamento, capacitao e formao tcnica de profissionais para atuar no mercado offshore macaense, na construo civil, ou em qualquer rea definida pela prefeitura, de acordo com a parceria firmada junto aposta na consolidao do Terminal Porturio.

    WANDERLEY GIL

    Parte tcnica do projeto foi apresentada durante a audincia

    WANDERLEY GIL

    Paulo Antunes solicitar aos Correios informaes atualizadas sobre os CEP's em Maca

    SERVIO

    Paulo Antunes solicita identificao de ruas

    ao conduzir, na legislatura passada, um dos maiores pro-cessos da histria de Maca, de oficializao de nomes de ruas da cidade, o vereador Paulo Antunes (PMDB) re-forou nesta semana o pedi-do encaminhado ao governo para que a identificao dos novos logradouros pblicos da cidade seja implantada ao longo de 2014.Ao destacar tambm a ne-

    cessidade de acompanha-mento do poder Legislativo, ao analisar as ruas de bairros recm-criados na cidade, que ainda no possuem nomes oficiais, Paulo Antunes co-brou tambm dos Correios a atualizao dos CEP's da cida-

    Vereador reforou proposta do governo em oficializar nomes de logradouros pblicos

    de, o que facilitar o acesso da populao ao servio de entrega domiciliar de objetos postais."Pode parecer simples, mas

    essa uma situao que ainda incomoda muitas pessoas na cidade. Eu identifiquei diver-sas denncias de pessoas que tiveram dificuldades de receber produtos comprados pela inter-net, para o Natal, devido a pro-blemas com o nome de ruas e o CEP. Como parlamentar, vou acompanhar a oficializao das reas que ainda no possuem logradouros registrados e atu-ar junto ao governo para que a identificao seja atualizada", destacou Paulo Antunes.O vereador tambm acompa-

    nhou, na legislatura passada, o trabalho desenvolvido pela prefeitura, atravs do reorde-namento territorial da cidade, atividade que apontou as regi-es que precisavam obter a ofi-cializao dos nomes das ruas, o

    que motivou a Cmara a elabo-rar uma srie de projetos de lei ."Na legislatura passada de-

    mos como prioridade o traba-lho de levantamento de ruas que ainda no possuam nomes oficiais e elaboramos uma srie de projetos de lei. Porm, no houve tempo para que a iden-tificao das ruas fosse implan-tada. Esse trabalho foi solicitar e acompanhar junto ao novo governo", garantiu o vereador.Paulo Antunes afirmou que

    pretende encaminhar ofcio direo estadual dos Correios para fazer um levantamento sobre a situao real dos CEP's de Maca, sua abrangncia e o reconhecimento das ruas exis-tentes na cidade.A proposta visa contribuir

    com a ampliao do acesso da populao ao servio da estatal."Os moradores de Maca tm

    direito de ter acesso ao servio", defendeu o vereador.

    Impactos sero mitigadosa audincia foi iniciada com a apresentao feita por Aline Peixoto, que integra o grupo criado pelo Inea para acom-panhar o processo de licencia-mento do Terminal Porturio de Maca (Terpor).Na apresentao, ela escla-

    receu todo o processo legal de anlise do projeto, desde o re-gistro e do Estudo de Impacto Ambiental (EIA) e do Relatrio de Impacto Ambiental (RIMA), ambos aceitos pelo Inea em ou-tubro do ano passado, encami-nhados prefeitura e Cma-ra de Maca, aos Ministrios Pblicos Estadual e Federal, Comisso Estadual de Contro-le Ambiental (CECA), Assem-bleia Legislativa do Estado do Rio de Janeiro (Alerj), ao Ins-tituto de Patrimnio Histrico e Artstico Nacional (IPHAN), ao Ibama e ao Instituto Chico Mendes de Conservao da Biodiversidade (ICMBio).Segundo Aline, aps a aprova-

    o inicial dos estudos, foi pos-svel o agendamento da audin-cia, um passo importante para a liberao do licenciamento do projeto do porto.Em seguida, foi a vez da

    apresentao tcnica do pro-jeto, feita pela equipe da Quei-roz Galvo. O mesmo projeto foi aprovado pela Comisso Municipal da Firjan e pela Co-

    misso Permanente de Meio Ambiente e Saneamento da Cmara de Vereadores.Pontos como a tecnologia

    que ser empregada no pro-jeto, evitando procedimentos como "bota-fora" de materiais, alm da preocupao ambien-tal e social, foram ponderados durante a apresentao.Na sequncia, Raquel de

    Paula, representante da Mas-terplan, fez a apresentao de todos os pontos relativos aos impactos ambientais e sociais do projeto, assim como todas as medidas compensatrias e mitigatrias previstas e garan-tidas pelo grupo empreendedor.Aps um breve intervalo, a

    audincia foi reiniciada atravs da parte que garantiu a partici-pao do pblico.A reunio registrou cerca de

    60 perguntas escritas e a inscri-o de 21 pessoas que decidiram participar do encontro.Entre os posicionamentos

    apresentados esteve o de re-presentantes de instituies empresariais que apontaram a necessidade real de im-plantao do porto para as demandas logsticas da in-dstria do petrleo.A audincia contou tambm

    com o posicionamento de mem-bros de grupos em defesa do meio ambiente.

  • 4 MACA, SEXTA-FEIRA, 17 DE JANEIRO DE 2014

    OpinioEDITORIAL

    ESPAO ABERTO

    FOTO LEGENDA

    PAINEL

    EXPEDIENTE

    Ao registrar a circulao diria de mais de 60 mil vecu-los, que transportam, em mdia, cerca de 100 mil pes-soas que chegam a Maca para atuar nas mais de 3,5 mil empresas que participam do arranjo produtivo do petrleo, a Rodovia Amaral Peixoto (RJ 106) hoje um dos gargalos tambm que impedem o desenvolvimento.

    Desde o surgimento da primeira mdia social, em 1995, com a criao do site ClassMates.com, seguido do AOL Messenger, de 1997, o mundo assistiu uma verdadeira revoluo na comunicao humana e no volume de informaes.

    Parceria na duplicao

    A sociedade ps mdias sociais

    Com medo dos efeitos da chamada guerra fiscal lideranas polticas, que atuaram frente de Maca e de Rio das Ostras, no conseguiam chegar a um acordo definitivo para garantir a duplicao da rodovia. O projeto poderia fa-cilitar a migrao das empresas instaladas nas zonas industriais das duas cidades, que perde-riam com a arrecadao do Imposto Sobre Servios (ISS).Porm, deixando as picuinhas

    polticas de lado, as novas lideran-as das duas cidades ensaiaram nos ltimos dias um acordo para a reali-zao da duplicao da ponte sobre o Rio Imboassica, situado bem na divisa entre as duas cidades. Apesar de no produzir um efeito espec-fico para melhoria na mobilidade entre as duas cidades, a proposta pode ser o incio da realizao do to esperado projeto de duplicao.Meta da articulao poltica

    buscada por Maca, junto a Rio das Ostras e ao governo do Esta-do, as melhorias efetivas das con-dies da estrada tornou-se fun-damental desde que a intensidade do crescimento do processo de explorao e produo de petr-leo forou a expanso imobiliria e o crescimento econmico das duas cidades que atuam como ba-se logstica para o setor offshore.Ao registrar o maior crescimento

    populacional do pas, dobrando o nmero de moradores fixos em 10

    anos, de acordo com os dados do Censo Demogrfico do Instituto Brasileiro de Geografia e Estatstica (IBGE), Rio das Ostras passou por esse processo devido expanso das atividades econmicas registradas em Maca. Em busca de mais qua-lidade de vida, os profissionais que chegaram regio para atuar nos polos industriais da Capital Nacional do Petrleo, acabaram preferindo Rio das Ostras como local para viver.Por conta disso, o fluxo de ve-

    culos entre as duas cidades cres-ceu de forma impressionante, au-mentando o fluxo de carros que passaram a trafegar pela Rodovia Amaral Peixoto, dividindo espa-o com os coletivos que atuam no transporte intermunicipal de passageiros, ligando Maca aos municpios da Regio dos Lagos.Devido ao cenrio do petrleo,

    hoje milhares de pessoas acabam enfrentando diariamente os con-gestionamentos registrados na ro-dovia. A situao exige que, cada vez mais cedo, os motoristas pre-cisam enfrentar a estrada, evitan-do assim os horrios de rush.Devido dependncia de Ma-

    ca e Rio das Ostras da mobilida-de da rodovia, a duplicao da RJ 106 se faz necessria, no apenas para atender demanda atual da indstria produtiva do petrleo, mas tambm do crescimento fu-turo, estipulado a partir do pro-cesso de produo e explorao do petrleo na Bacia de Campos.

    Com a exploso do Face-book a partir de 2010, as mdias sociais deixaram de ser apenas modismo e um lugar para amigos e famlia se encontrarem. Mais do que qualquer escola, as redes tm ensinado uma nova linguagem de vendas para a mdia conven-cional de massa e proporciona-do uma maior democracia en-tre as marcas. Aqui, vale mais o bom relacionamento do que uma arte muito bem elaborada.Vivemos numa comunidade

    cada vez mais conectada. Em 2014 teremos mais celulares do que pessoas no mundo, e j consumimos mais smar-tphones do que celulares que "apenas falam". Isso equivale a dizer que estamos todos dis-ponveis online, a um toque de distncia, dia e noite, em qualquer lugar. Dessa forma, fcil concordar com o vice-presidente de marketing de produto do Facebook, Brian Boland, quando ele diz que o termo mdia social ser usado cada vez menos. A expresso ficar obsoleta na medida em que o mercado publicitrio (e as marcas) entenderem que plataformas digitais j so veculos de massa. A internet est evoluindo para ser um dos meios com maior impac-to quando o assunto engaja-mento em escala, e capaz de atender aos objetivos de neg-cio dos anunciantes.Uma pesquisa da Forrest,

    divulgada pela AdAge, revela que os brasileiros passam trs vezes mais tempo na internet do que assistindo televiso. So 23,8 horas por semana plugados contra as 6,2 horas

    diante da TV. Cerca de 89% dos entrevistados pela For-rest afirmam visitar as redes sociais regularmente. Segun-do o IBGE, apenas 42 minu-tos semanais so destinados leitura de livros e 61% dos brasileiros fazem atividades simultneas.Portanto, sem a segmenta-

    o de horrio nobre como a TV, a internet tem pblico ati-vo 24 horas por dia. Pessoas e marcas esto "misturadas" no ambiente online e h liberda-de de interferncia de um e de outro no cotidiano virtual, o que tem trazido mais respon-sabilidade s empresas no to-cante, principalmente, s m-dias sociais. Sendo assim, uma maior coerncia e um servio de atendimento em tempo real tem se mostrado uma necessi-dade sine qua non ao mercado. Empoderamento do consumi-dor, resultado fruto das mdias sociais, e produtos e servios melhores so apenas algumas das razes pelas quais as redes sociais vieram para ficar. A globalizao, iniciada na

    era das descobertas e viagens ao Novo Mundo pelos europeus e popularizada na dcada de 1990 - cuja caracterstica principal a presena macia de marcas mundiais, ganha com o avano das mdias sociais mais demo-cracia e liberdade: de qualquer tamanho e expresso, qualquer marca pode aparecer e crescer com os baixos custos que as re-des ainda oferecem. O negcio aproveitar.

    Accia Lima jornalista e CEO da YellowA, agn-cia especializada em mdias sociais.

    EJORAN - Editora de Jornais, Revistas e agncias de Notcias.cnpj: 29699.626/0001-10 - Registrado na forma de lei.diretor responsvel: Oscar Pires.sede prpria: Rua Benedito Peixoto, 90 - Centro - Maca - RJ.Confeccionado pelo Sistema de Editorao AICS e CTP (Computer to Plate).Impresso pelo Sistema Offset.circulao: Maca, Quissam, Conceio de Macabu, Carapebus, Rio das Ostras, Campos dos Goytacazes e Casimiro de Abreu.

    A direo do O DEBATE no se responsabiliza e nem endossa os conceitos emitidos por seus colaboradores em aes ou artigos assinados, sendo de total responsabilidade do autor.

    Filiado ADJORI-RJ - Associao dos Diretores de Jornais do Estado do Rio de Janeiro e ABRAJORI - Associao Brasileira de Jornais do Interior. ANJ - Agncia Nacional de Jornais. ADI Brasil - Associao dos Jornais Dirios do Interior.

    Representante: ESSI PUBLICIDADE E COMUNICAO S/C LTDA.so paulo: R. Ablio Soares, 227/8 andar - Conjunto 81 - CEP: 04005-000 Telefone: (11) 3057-2547 e Fax: (11) 3887-0071 rio de janeiro: Av. Princesa Isabel, 323 - sala 608 - CEP: 22011-901 - Telefone: (21) 2275-4141 braslia: SCS Ed. Maristela, sala 610 / DF - CEP: 70308-900 - Telefone: (61) 3034-1745(61) 3036-8293.

    NOTA

    KAN MANHES

    tel/fax: (22) 2106-6060, acesse: http://www.odebateon.com.br/, e-mail: odebate@odebateon.com.br, comercial: Ligue (22) 2106-6060 - Ramal: 215, e-mail: comercial@odebateon.com.br, classificados: E-mail: classificados@odebateon.com.br

    GUIA DO LEITORTELEFONES TEIS:POLCIA MILITAR: 190

    POLCIA RODOVIRIA FEDERAL: 191

    SAMU - SERV. AS. MED. URGNCIA: 192

    CORPO DE BOMBEIROS: 193

    DEFESA CIVIL: 199

    POLCIA CIVIL - 123 DP: 2791-4019

    DISQUE-DENNCIA (POLCIA MILITAR): 2791-5379

    DELEGACIA DE POLCIA FEDERAL (24 HORAS): 2796-8330

    DEL. DE POL. FEDERAL (DISQUE DENNCIA): 2796-8326

    DEL. DE POL. FEDERAL (PASSAPORTE/VISTO): 2796-8320

    DISQUE-DENNCIA (CMARA DE MACA): 2772-7262

    HOSPITAL PBLICO MUNICIPAL: 2773-0061

    AMPLA: 0800-28-00-120

    CEDAE: 2772-5090

    PREFEITURA MUNICIPAL: 2791-9008

    DELEGACIA DA MULHER: 2772-0620

    GUARDA MUNICIPAL: 2765-2963

    ILUMINAO PBLICA: 0800-72-77-173

    AEROPORTO DE MACA: 2772-0950

    CARTRIO ELEITORAL 109 ZONA: 2772-9214

    CARTRIO ELEITORAL 254 ZONA: 2772-2256

    CORREIOS - SEDE: 2759-2405

    AG CORREIOS CENTRO: 2762-7527

    TELEGRAMA FONADO: 0800-5700100

    SEDEX: 2762-6438

    CEG RIO: 0800-28-20-205

    RADIO TAXI MACA 27726058

    CONSELHO TUTELAR I 2762-0405 / 2796-1108 planto: 8837-4314

    CONSELHO TUTELAR II 2762-9971 / 2762-9179 planto: 8837-3294

    CONSELHO TUTELAR III 2793-4050 / 2793-4044 planto: 8837-4441

    VazamentoH pelos menos uma semana registrado um vazamento de gua tratada no incio da rua Bariloche, na Praia dos Cavaleiros. Por dia, milhares de litros de gua tratada e limpa so derramados na rua, e escoados para as areias da orla atravs das galerias de guas pluviais. A cena lamentvel diante dos problemas registrados na cidade com o abastecimento, principalmente em reas perifricas maca-enses. A manuteno do vazamento precisa ser feita de forma urgente.

    ExpansoFalando em abastecimento, foi iniciada h cerca de 15 dias a tarefa de assentamento dos canos, adquiridos atravs de investimentos na ordem de R$ 15 milhes pelo governo do Estado, que se-ro utilizados na ampliao da captao de gua, bem como na expanso na rede de distribuio. A tarefa, que conta com apoio da prefeitura, que disponibiliza mquinas para o trabalho, visa levar gua para as torneiras dos moradores do Lago-mar e da Ajuda at o fim deste ano.

    ReordenamentoH cerca de dois anos, a equipe da Cmara Permanente de Gesto (CPG) da prefeitura elaborou o chamado reordenamento territorial da cidade, definindo os novos setores adminis-trativos de Maca, reconhecendo novos bairros. O trabalho seria o pontap para um procedi-mento que contou com o apoio da Cmara de Vereadores, e que deveria ser continuado ao longo desses anos: o oficializao de logradou-ros pblicos, alm da definio de novos CEP's.

    LogradourosQuem acompanhou o trabalho da legislatura passada do parlamento municipal, viu que cer-ca de duas mil novas ruas da cidade receberam nomes de macaenses ilustres, personalidades nacionais, espcies de flores e at de peixes. Porm, de l pra c, nenhum outro procedi-mento, com objetivo de garantir a identificao adequada das ruas, beneficiando os morado-res com o acesso ao servio dos Correios, foi feito. Isso pode mudar este ano, atravs da previso oramentria.

    PavimentaoAs melhorias na pavimentao das principais ruas e avenidas da cidade precisam ser um tra-balho constante em Maca. Todos os dias novos buracos e avarias no asfalto e no calamento de ruas surgem, o que gera riscos aos motoristas. Em alguns casos a populao chama a ateno do poder pblico atravs de protestos, como a colocao de placas, a sinalizao dos defeitos. Essa situao pode ser identificada principal-mente na regio central de Maca.

    Audincia IExaustiva, porm produtiva, a Audincia Pblica sobre os impactos da instalao do Terminal Porturio de Maca (Terpor) reuniu represen-tantes de vrias instituies pblicas e privadas envolvidas nesse processo de transformao da realidade econmica de Maca. No faltaram tambm os defensores do meio ambiente, que promoveram protestos pacficos, reconhecidos pelo poder pblico e pelas empresas envolvidas na construo do porto de R$ 1,5 bilho.

    Audincia IIPorm, posicionamentos parte, a sensa-o entre todas as pessoas que acompa-nharam a audincia, realizada na noite da ltima quarta-feira (15) no ptio do Ciep Leonel Brizola, na Barra de Maca, que ainda neste ano Maca acompanhar o in-cio das obras de instalao do projeto que prev a contratao de mil profissionais, na fase de construo, e cerca de 600 em sua operao. A expectativa que o porto inicie suas atividades em 2017.

    BR 101Ao sofrer a presso do setor empresarial de Ma-ca, e da classe poltica, a Autopista Fluminense ainda registra o revs gerado pela deciso da Va-ral Cvel da justia de Campos dos Goytacazes que suspendeu a cobrana do pedgio na praa de Serrinha. A deciso se aplica ainda ao posto situado em Guandu, regio campista, e define multa diria de R$ 300 mil, caso a concessio-nria descumpra a ordem da justia. A situao respeita os direitos dos usurios.

    DoaoO HPM realizou no ltimo final de semana a primeira captao de rgos de 2014. Foram retirados os dois rins de um doador com morte enceflica comprovada. O trabalho contou com a parceria da Central de Transplantes do Rio. A equipe se deslocou at Maca em aeronave onde tambm foram encaminhados os rgos para os hospitais credenciados em transplante. O doador era um homem de 39 anos que teve traumatismo craniano devido a um acidente de moto.

    Mesmo com os esforos da equipe da Limpeza Pblica, dos apelos do governo, da Cmara de Vereadores e at da prpria populao, Maca ainda no conseguiu acabar com a cultura negativa de registrar, em suas esquinas, o descarte irregular de lixos, entulhos e restos de mveis. Sofs, peas de guarda-roupas, eletrodomsticos danificados e at carcaas de carros so abandonados em pleno espao pblico, uma situao que ainda mancha a imagem da Capital Nacional do Petrleo.

    Hospital passa por reformulaes e ganhar nova estrutura de atendimento de urgncia e emergncia

  • MACA, SEXTA-FEIRA, 17 DE JANEIRO DE 2014 5

    PolciaNOTA

    Um ciclista ficou ferido depois de se chocar contra um veculo Gol verde, placas 0842, de Bom Jesus do Itapaboana. O acidente aconteceu na tarde de ontem (16), por volta das 13h, na Barra.

    Uma coliso envolvendo um veculo Fiat Punto branco, com placas LLY-3506, do Rio Janeiro, e uma motocicleta preta, placa KZM-4195, de Maca, deixou uma pessoa levemente ferida

    na tarde de ontem (16). Uma ambulncia e Unidade de Res-gate do Corpo de Bombeiros foram acionados ao local. A co-liso aconteceu no cruzamento da rua So Joo com a rua da

    Igualdade. A vtima que ficou levemente ferida, que no quis se identificar, recebeu atendi-mentos mdicos no local e foi liberada. Os condutores do car-ro nada sofreram.

    ColisoFuncionrios de empresas

    terceirizadas prestadoras de servios Petrobras executam obras de melhorias na pavi-mentao asfltica no trevo de acesso Praia Campista.

    Segundo motoristas que trafe-gam pelo local diariamente, a obra era necessria h algum tempo e a reivindicao de melhoria no asfalto antiga. A reportagem do Jornal O DE-

    BATE contatou a assessoria de comunicao da Petrobras, mas at o fechamento dessa edio, nenhuma informao sobre in-cio e concluso das obras, foi passada.

    Obras

    ESTRADA

    Trfego na BR 101 entre Maca e Carapebus liberadoA Autopista Fluminense informou, por meio da assessoria de imprensa, que est estudando se o trfego no trecho ser liberado por tempo indeterminado

    Daniela Bairrosdanielabairros@odebateon.com.br

    O trfego de vecu-los do trecho na al-tura dos quilmetros 132 e 143 da rodovia BR 101, entre Carapebus e Maca, foi liberado ontem (16) por volta do meio-dia. Policiais rodo-virios federais, em comboio, orientavam usurios a trafe-garem nos dois sentidos da pista. No incio da tarde de ontem,

    a Autopista Fluminense, con-cessionria que administra a BR 101, informou que est estudando a liberao total do trfego no referido trecho ou at um determinado ho-rrio, j que ontem, por volta do meio-dia, a reportagem do Jornal O DEBATE esteve no limite dos municpios de Carapebus e Maca, e rece-beu a informao de que a

    liberao do trfego seguiria, diariamente, at as 14h. At o fechamento dessa edio, a assessoria de imprensa da Autopista Fluminense no confirmou essa informao. A assessoria da concessio-

    nria apenas informou que logo que concluir os estudos, enviar nota com todas as in-formaes. O anncio da liberao foi

    feito por Edmundo Rgis Bit-tencourt, Diretor de Opera-es da Autopista Fluminense, durante apresentao de um estudo elaborado pela FIRJAN (Federao das Indstrias do Estado do Rio de Janeiro) em evento realizado na tarde da ltima tera-feira (14) no Au-ditrio do Senai, sobre as obras de duplicao da rodovia.A deciso de liberar o tr-

    fego no local foi tomada de-pois de uma reunio com representantes da concessio-

    nria Autopista Fluminense, ANTT (Agncia Nacional de

    Transportes Terrestres) e Po-lcia Rodoviria Federal. No

    trecho, no h acostamento, apenas faixa de segurana.

    Em mdia, 30 mil veculos trafegam pela rea diariamente.

    KAN MANHES

    Trfego na BR 101 entre Carapebus e Maca foi liberado ontem, mas concessionria estuda liberao total ou at um determinado horrio

    durante a liberao do tre-cho entre Carapebus e Maca ontem, integrantes do Assen-tamento Celso Daniel se reuni-ram s margens da rodovia BR 101. A Polcia Rodoviria Fede-ral esteve no local para conter qualquer incio de tumulto. No houve manifestaes.Segundo Paulo Jorge da

    Costa Borcnio, presidente da Associao dos Moradores e Produtores do Assentamen-to Celso Daniel, localizado s margens da rodovia, entre Carapebus e Maca, explicou que h pelos menos trs anos, reivindica a construo de du-as passarelas entre os quil-

    metros 142 e 143. J que eles resolveram abrir a pista hoje, precisamos urgente de uma so-luo, pois pessoas morreram atropeladas e, diariamente, idosos e crianas arriscam a vida atravessando a pista.Quanto construo das

    passarelas, Paulo Jorge in-formou que vrios pedidos j foram feitos e protocolados, inclusive no Ministrio P-blico do Rio de Janeiro. At agora no obtivemos nenhu-ma resposta. O pedido foi pa-rar na Cmara Municipal de Carapebus, foi lido em ata du-rante sesso, mas recebemos informaes que o documen-

    to desapareceu. O pedido no MP (Ministrio Pblico) est em tramitao h trs meses e at agora nada.Ele declarou ainda que o pe-

    dido da construo das duas passarelas foi feito em 2011, quando foi feito o anncio da duplicao da BR 101. De l para c, pessoas morreram atro-peladas e se arriscam quando atravessam a rodovia. o caso de Maristela Silva

    dos Santos, 31 anos, que mora no assentamento. Me de seis filhos, ela contou que diaria-mente precisa ir s margens da rodovia, pois os filhos estudam em Maca. um perigo. E

    KAN MANHES

    Assentados em um dos acessos da BR 101 entre Carapebus e Maca

    Construo de passarelas solicitadaquando chegam, param na pista sentido Carapebus, descem do nibus e atravessam a rodovia. O mesmo acontece com Mar-celo Medeiros, 34 anos, pai de dois filhos e todos os dias pre-cisa atravess-los pela rodovia quando chegam da escola.Segundo os assentados, se o

    trfego continuar liberado no trecho e se nenhuma explicao quanto construo da passa-rela for dada aos assentados, uma manifestao na rodovia est para acontecer nos prxi-mos dias. A assessoria da concession-

    ria Autopista Fluminense no comentou o assunto.

    ANTNIO OLIVEIRA DA SILVA, 64 anos, casado, morador do Par-que Aeroporto. O sepultamento ocorreu s 17h de ontem (16) no Cemitrio Mirante Memorial da Igualdade.

    OBITURIO

    TRFICO

    PM apreende 15 cpsulas de cocana

    em patrulhamento pela rua Aroldo Ribeiro Elias, no bairro Nova Esperana, em Rio das Ostras, policiais mili-tares abordaram um homem em atitudes suspeitas.Pablo Pereira dos Santos, 18

    anos, portava, em uma sacola plstica, 15 cpsulas de coca-

    Segundo a polcia, foram encontradas tambm sete trouxinhas de maconha. Um homem foi preso em flagrante

    na e sete trouxinhas de ma-conha. Santos foi autuado em flagrante por trfico de drogas e conduzido 128 Delegacia de Polcia. Posteriormente, foi transferido Casa de Custdia em Campos dos Goytacazes.

    Vazamento de gs assusta comerciantes do Centro

    INCIDENTE

    um vazamento de gs em uma lanchonete localizada na rua Manoel Braga, no Centro, assustou comerciantes e pedes-tres que passavam pelo local na tarde de ontem (16), por volta das 14h.

    Corpo de Bombeiros foi acionado ao local na tarde de ontem (16) para conter vazamento

    A equipe do 9 Grupamento de Bombeiro Militar de Maca foi acionada ao local para con-ter o vazamento. No houve riscos de explo-

    ses. No havia clientes no estabelecimento comercial no momento do acidente. Segundo explicaes do

    Corpo de Bombeiros, os peri-gos de um vazamento de gs vo desde exploso at into-xicao nas pessoas.

    Entre os procedimentos que devem ser adotados, est a reti-rada do cilindro do lugar fecha-do e coloc-lo em local aberto e o corte de energia eltrica do estabelecimento. Para verificar se h vazamento

    de gs, importante passar uma esponja com gua e sabo sobre a conexo vlvula/regulador de pres-so de gs. Se houver vazamento, aparecero bolhas. Vazamentos no devem ser eliminados de maneira

    improvisada e nem verificados uti-lizando fsforo, isqueiro ou vela.

  • 6 MACA, SEXTA-FEIRA, 17 DE JANEIRO DE 2014

    EconomiaNOTA

    RESULTADO DOS JULGAMENTOS DEZEMBRO/2013, REALIZADOS PELAJARIT (JUNTA ADMINISTRATIVA DE RECURSOS DE INFRAES DE TRANSPOR-TES) ATRAVS DA NOTIFICAO DE AUTUAO APRESENTADAS NAS ATAS089/2013DP (02/12/2013), 090/2013DP (06/12/2013), 091/2013DP (09/12/2013), 092/2013DP (13/12/2013), 093/2013DP (16/12/2013), 094/2013DP (20/12/2013), 095/2013DP (23/12/2013), 096/2013DP (27/12/2013).

    PROCESSOS INDEFERIDOS2444/13 2445/13 2446/13 2447/13 2448/13 2449/13 2450/13 2451/13 2452/13 2453/13 2454/13 2455/13 2456/13 2457/13 2458/13 2459/13 2460/13 2461/13 2462/13 2463/13 2464/13 2465/13 2466/13 2467/13 2468/13 2469/13 2470/13 2471/13 2472/13 2473/13 2474/13 2475/13 2476/13 2477/13 2478/13 2479/13 2480/13 2481/13 2482/13 2483/13 2484/13 2485/13 2486/13 2487/13 2488/13 2489/13 2490/13 2491/13 2492/13 2493/13 2494/13 2495/13 2496/13 2497/13 2498/13 2499/13 2500/13 2501/13 2502/13 2503/13 2504/13 2505/13 2506/13 2507/13 2508/13 2509/13 2510/13 2511/13 2512/13 2513/13 2514/13 2515/13 2516/13 2517/13 2518/13 2519/13 2520/13 2521/13 2522/13 2523/13 2524/13 2525/13 2526/13 2527/13 2528/13 2529/13 2530/13 2531/13 2532/13 2533/13 2534/13 2535/13 2536/13 2537/13 2538/13 2539/13 2540/13 2541/13 2542/13 2543/13 2544/13 2545/13 2546/13 2547/13 2548/13 2549/13 2550/13 2551/13 2552/13 2553/13 2554/13 2555/13 2556/13 2557/13 2558/13 2559/13 2560/13 2561/13 2562/13 2563/13 2564/13 2565/13 2566/13 2567/13 2568/13 2569/13 2570/13 2571/13 2572/13 2573/13 2574/13 2575/13 2576/13 2577/13 2578/13 2579/13 2580/13 2581/13 2582/13 2583/13 2584/13 2585/13 2586/13 2587/13 2588/13 2589/13 2590/13 2591/13 2592/13 2593/13 2594/13 2595/13 2596/13 2597/13 2598/13 2599/13 2600/13 2601/13 2602/13 2603/13 2604/13 2605/13 2606/13 2607/13 2608/13 2609/13 2610/13 2611/13 2612/13 2613/13 2614/13 2615/13 2616/13 2617/13 2618/13 2619/13 2620/13 2621/13 2622/13 2623/13 2624/13 2625/13 2626/13 2627/13 2628/13 2629/13 2630/13 2631/13 2632/13 2633/13 2634/13 2635/13 2636/13 2637/13 2638/13 2639/13 2640/13 2641/13 2642/13 2643/13 2644/13 2645/13 2646/13 2647/13 2648/13 2649/13 2650/13 2651/13 2652/13 2653/13 2654/13 2655/13 2656/13 2657/13 2658/13 2659/13 2660/13 2661/13 2662/13 2663/13 2664/13 2665/13 2666/13 2667/13 2668/13 2669/13 2670/13 2671/13 2672/13 2673/13 2674/13 2675/13 2676/13 2677/13 2678/13 2679/13 2680/13 2681/13 2682/13 2683/13 3076/13

    RESULTADO DOS JULGAMENTOS REALIZADOS PELA JARIT - JUNTA ADMI-NISTRATIVA DE RECURSOS DE INFRAES DE TRANSPORTES ATRAVS DANOTIFICAO DE AUTUAO APRESENTADAS NAS ATAS: 002/2009DP (09/01/09), 003/2009DP (14/01/09), 004/2009DP (19/01/09), 005/2009DP (21/01/09), 006/2009DP (23/01/09), 007/2009DP (27/01/09), 008/2009DP (30/01/09):

    PROCESSOS ARQUIVADOS: 6936/2008 6937/2008 6938/2008 7010/2008 7011/2008 7012/2008 7013/2008 7014/2008 7015/2008 7073/2008 PROCESSOS DEFERIDOS: 6861/2008 6862/2008 6863/2008 6864/2008 6865/2008 6866/2008 6867/2008 6868/2008 6907/2008 6912/2008 6913/2008 6914/2008 6953/2008 6954/2008 6996/2008 7036/2008 7037/2008 7038/2008 7039/2008 7040/2008 7041/2008 7042/2008 7043/2008 7046/2008 7084/2008 7151/2008 7152/2008 7153/2008 7157/2008 PROCESSOS INDEFERIDOS: 6856/2008 6857/2008 6858/2008 6859/2008 6860/2008 6869/2008 6870/2008 6871/2008 6872/2008 6873/2008 6874/2008 6875/2008 6876/2008 6877/2008 6878/2008 6879/2008 6880/2008 6881/2008 6882/2008 6883/2008 6884/2008 6885/2008 6886/2008 6887/2008 6888/2008 6889/2008 6890/2008 6891/2008 6892/2008 6893/2008 6894/2008 6895/2008 6896/2008 6897/2008 6898/2008 6899/2008 6900/2008 6901/2008 6902/2008 6903/2008 6904/2008 6905/2008 6906/2008 6908/2008 6909/2008 6910/2008 6911/2008 6915/2008 6916/2008 6917/2008 6918/2008 6919/2008 6920/2008 6921/2008 6922/2008 6923/2008 6924/2008 6925/2008 6926/2008 6927/2008 6928/2008 6929/2008 6930/2008 6931/2008 6932/2008 6933/2008 6934/2008 6935/2008 6939/2008 6940/2008 6941/2008 6942/2008 6943/2008 6944/2008 6945/2008 6946/2008 6947/2008 6948/2008 6949/2008 6950/2008 6951/2008 6952/2008 6955/2008 6956/2008 6957/2008 6958/2008 6959/2008 6960/2008 6961/2008 6962/2008 6963/2008 6964/2008 6965/2008 6966/2008 6967/2008 6968/2008 6969/2008 6970/2008 6971/2008 6972/2008 6973/2008 6974/2008 6975/2008 6976/2008 6977/2008 6978/2008 6979/2008 6980/2008 6981/2008 6982/2008 6983/2008 6984/2008 6985/2008 6986/2008 6987/2008 6988/2008 6989/2008 6990/2008 6991/2008 6992/2008 6993/2008 6994/2008 6995/2008 6997/2008 6998/2008 6999/2008 7000/2008 7001/2008 7002/2008 7003/2008 7004/2008 7005/2008 7006/2008 7007/2008 7008/2008 7009/2008 7016/2008 7017/2008 7018/2008 7019/2008 7020/2008 7021/2008 7022/2008 7023/2008 7024/2008 7025/2008 7026/2008 7027/2008 7028/2008 7029/2008 7030/2008 7031/2008 7032/2008 7033/2008 7034/2008 7035/2008 7044/2008 7045/2008 7047/2008 7048/2008 7049/2008 7050/2008 7051/2008 7052/2008 7053/2008 7054/2008 7055/2008 7056/2008 7057/2008 7058/2008 7059/2008 7060/2008 7061/2008 7062/2008 7063/2008 7064/2008 7065/2008 7066/2008 7067/2008 7068/2008 7069/2008 7070/2008 7071/2008 7072/2008 7074/2008 7075/2008 7076/2008 7077/2008 7078/2008 7079/2008 7080/2008 7081/2008 7082/2008 7083/2008 7085/2008 7086/2008 7087/2008 7088/2008 7089/2008 7090/2008 7091/2008 7092/2008 7093/2008 7094/2008 7095/2008 7096/2008 7097/2008 7098/2008 7099/2008 7100/2008 7101/2008 7102/2008 7103/2008 7104/2008 7105/2008 7106/2008 7107/2008 7108/2008 7109/2008 7110/2008 7111/2008 7112/2008 7113/2008 7114/2008 7115/2008 7116/2008 7117/2008 7118/2008 7119/2008 7120/2008 7121/2008 7122/2008 7123/2008 7124/2008 7125/2008 7126/2008 7127/2008 7128/2008 7129/2008 7130/2008 7131/2008 7132/2008 7154/2008 7155/2008 7156/2008 7158/2008 7159/2008 7160/2008 7161/2008 7162/2008 7163/2008 7164/2008 7165/2008 7166/2008 7167/2008 7168/2008 7169/2008 7170/2008 7171/2008 7172/2008 7173/2008 7174/2008 7175/2008 7176/2008 7177/2008 7178/2008 7179/2008 7180/2008 7181/2008 7182/2008 7183/2008 7184/2008 7185/2008 7186/2008 7187/2008 7188/2008

    Presidente do Fumdec inicia plano de capacitao para pequenos e microempreendedores em Maca, atravs de parceria com diversas empresas da categoria

    Rek Parking divulga balano de rotatividadeCENTRO

    aps um ms desde que o sis-tema de estacionamento rota-tivo na cidade foi implantado, a empresa Rek Parking, que administra os parqumetros da cidade, divulgou o levan-tamento do nmero de con-dutores que vm utilizando o sistema. Foram mais de 184 mil carros estacionados. No entan-to, condutores ainda reclamam da falta de vagas. Ao todo, 184.122 condutores

    utilizaram os parqumetros instalados no municpio. De acordo com a empresa, deste nmero, 117.966 utilizaram o servio no perodo de meia hora (tempo mnimo). So mais de 9 mil veculos usan-do o servio por dia, conside-rando o perodo de segunda a sexta-feira.Isso sinal de boa rotatividade, afirma o Diretor de Operaes, Ivan Costa, in-formando ainda que a empresa administra 1200 vagas no Cen-tro da cidade, distribudas en-tre pagas, para idosos, portado-res de necessidades especiais, veculos oficiais e motos.

    Mais de 184 mil veculos usaram o estacionamento rotativo at hoje

    Algumas pessoas solicitam ainda a cobrana de perodos menores que 30 minutos, tem-po mnimo atualmente. Quan-do venho ao Centro, fico por 15 minutos s vezes e tenho que pagar por meia hora, questio-na Poliana Gonalves, represen-tante comercial.Isso demonstra que os mo-

    toristas esto mais preocupados com o tempo em que deixam os carros nas ruas, j que anterior-mente o carro ficava durante horas estacionado sem real ne-cessidade, declara Ivan. A professora Maria Clara,

    por exemplo, pediu para o fi-lho deix-la de carro no Cen-tro da cidade enquanto faz compras no Hortifruti. Vir sem carro bem mais rpido e barato. Antigamente deixava o carro estacionado aqui na rua, mas hoje vejo que no tem ne-cessidade, comenta.No entanto, Ramon Macha-

    do, estudante, raramente en-contra vaga nas ruas do Centro e obrigado a pagar um valor mais alto em estacionamentos particulares. Meu carro fica por um perodo de 3 a 4 horas por dia nessa garagem e pago cerca de R$ 12 a R$ 16 pela per-manncia, se encontrasse vaga nas ruas, pagaria somente R$

    6, comenta Ramon.No s Ramon, mas diversas

    pessoas reclamam da falta de vagas, mesmo aps a implanta-o do rotativo. No entanto, os benefcios do novo sistema so comprovados atravs da dimi-nuio do movimento de car-ros nos estacionamentos par-ticulares. Janeiro geralmente

    um ms fraco, mas possvel afirmar que o movimento, aps o rotativo, diminuiu bastante aqui, declara o responsvel por um dos estacionamentos parti-culares do Centro de Maca. Atualmente, existem cerca de 7 estacionamentos particulares na rea central que recebem to-dos os dias, aproximadamente,

    400 veculos.Maca a primeira cidade

    do Estado do Rio de Janeiro a oferecer esse tipo de servi-o. Municpios vizinhos tm nos procurado para conhecer o sistema implantado aqui. O maior beneficiado realmente

    o comrcio. O comerciante tem o interesse nesse sistema, pois quanto mais vagas, mais oportunidade de compras, frisou o Diretor de Operaes, acrescentando que ao todo, a rea central conta hoje com 56 parqumetros.

    Fumdec abre inscries para cursos e palestras

    NEGCIOS

    Treinamentos sero realizados na Casa do Empreendedor a partir dessa segunda-feira (20)Paty Mendespatriciamendes@odebateon.com.br

    As atividades j come-aram desde ontem (16), quando foi ministrada uma palestra abordando o tema Nunca foi to fcil legalizar seu negcio. A proposta do pales-trante Jorge Augusto, creden-ciado pelo Sebrae, foi orientar o empresrio quanto formali-zao do microempreendedor individual (MEI). Cerca de 20 pessoas se inscreveram gra-tuitamente e compareceram sala de treinamento da Casa do Empreendedor, no Centro da cidade. A partir da semana que vem, mais cursos sero ofere-cidos pelo Fundo Municipal de Desenvolvimento Econmico

    (Fumdec) com o objetivo de orientar, capacitar e fortalecer o empreendedor local, alm de simplificar o atendimento de quem pretende abrir um ne-gcio.No prximo dia 20 de janei-

    ro, segunda-feira, comeam as "Oficinas SEI" que se referem aos termos Sei Planejar, Sei comprar, Sei vender e Sei controlar meu dinheiro, ou seja, ajuda o empreendedor a planejar, comprar, vender e con-trolar o dinheiro do seu negcio prprio. Sero 4 dias de curso, com durao de 3 horas cada.No primeiro, o contedo ir

    abordar toda a estrutura de como fazer o planejamento, identificando o momento certo e as ferramentas a serem usa-

    das para isso. No segundo dia, ser abordada a importncia dos elementos que envolvem o processo de compra, como mercado, cliente, fornecedores, preo, concorrentes, alm de planejamento, prazo, produto e negociao. J no penltimo dia de curso da Oficina Sei, os palestrantes iro ensinar quais so as opes do marketing que podem ser usadas para ampliar a venda do pequeno empreen-dedor. Finalmente, no ltimo dia, que ser em 23 de janeiro, o empreendedor poder apren-der a controlar o caixa no coti-diano empresarial.Quem no participou da pa-

    lestra sobre legalizao de em-presa realizada ontem, tem uma nova oportunidade no prximo

    dia 22. Como Formalizar Sua Empresa o tema da palestra que ser ministrada pelo pa-lestrante Luiz Carlos Duarte, Julgador e Responsvel da 12 Delegacia Regional da Jucerja. A atividade ser realizada s 18 horas, tambm na Casa do Em-preendedor. O objetivo escla-recer ao empreendedor qual a natureza jurdica indicada ao seu negcio.Os cursos iro acontecer no

    decorrer do ano e atendem a cerca de 25 pessoas por dia. A

    KAN MANHES

    Atividades tiveram incio nessa quinta-feira (16) com palestra sobre legalizao

    casa do empreendedor j pos-sui um plano de capacitao para empresrios baseado em cursos, workshops, palestras e consultas em parceria com diversas outras empresas que contribuem para o desenvolvi-mento econmico e social, de-clara o presidente do Fumdec, Vandr Guimares.As inscries podem ser

    feitas gratuitamente atravs dos telefones (22) 2796-1697/ 2772-2902/ 2772-1779/ 2762-2858 e tambm pela internet

    no portal da Prefeitura de Maca (www.macae.rj.gov.br ) ou no site do Fumdec (www.fumdecmacae.rj.gov.br). A Casa do Empreende-

    dor, que tem como slogan O sucesso do seu negcio comea aqui, est prevista na Lei Geral Municipal das Micro e Pequenas Empresas (3.915/2012), regulamentao com tratamento diferenciado a essa categoria. O espao est localizado na Avenida Agenor Caldas, n 261, Imbetiba.

    WANDERLEY GIL

    Alternativa de quem no acha vaga nas ruas pagar estacionamentos particulares mais caros

  • MACA, SEXTA-FEIRA, 17 DE JANEIRO DE 2014 7

    EDITAL DE CASAMENTORCPN - 2 Distrito de Maca - RJ. Habilitaram-se para casar:

    AFONSO MANUEL PEREZ ARAUJO, e MILENA DUTRA MEDEIROS.WELTON DE FIGUEIREDO ORNELAS DA SILVA, e GABRIELA PACHECO DA SILVA MAIA.WILKERSON SANTOS SOUZA, e MIRIAN DAMASCENO DE JESUS.FABIANO CARLOS BOAVENTURA, e QUELEN DO NASCIMENTO MENDONA.THIAGO ODAIR DA SILVA GOMES, e RUTIELLY DE ALMEIDA BATISTA BISPO.RENATO MAGALHES DA SILVA, e LIA MARCIA GONALVES BRAGANA.MARCOS AURELIO GUAPO, e PATRCIA PAULO DE CARVALHORODRIGO ROBERTO DE AVELLAR, e JAKELINE SILVA DO NASCIMENTO.WELLINGTON DA SILVA SANTOS, e JOSIMAGNA AZEREDO MOTA.

    Quem souber de impedimento acuse-o. Barra de Maca, 16 de janeiro de 2014.Ruth Bastos de Azevedo Pimentel - oficial.

    ESTADO DO RIO DE JANEIROPrefeitura Municipal de MacaEmpresa Pblica Municipal de Saneamento

    PORTARIA ESANE N /2014, de 16 de Janeiro de 2014.

    CONSTITUI COMISSO ESPECIAL PARA PROMOVER AREALIZAO DO INVENTRIO FSICO E FINANCEIRO DOS BENSMOVEIS OU EM OUTRAS UNIDADES SIMILARES EXISTENTES NAESANE.

    O DIRETOR-PRESIDENTE DA EMPRESA PBLICA MUNICIPALDE SANEAMENTO - ESANE, no uso de suas atribuies legais, que lheconfere a Lei Complementar Municipal n. 113/2009 e considerando odisposto no art. 4 do Decreto Municipal n 014/2013, resolve:

    Art. 1. CONSTITUIR COMISSO ESPECIAL para realizao dosinventrios fsicos e financeiros dos bens moveis, em uso, estocados,cedidos e ou recebidos em cesso, tendo como base para inicio darealizao do inventrio 17 de Janeiro de 2014.

    Pargrafo nico - A comisso caber, ainda, avaliar os itens dopatrimnio, realizando, inclusive, verificao quanto ao estado fsico dosmesmos. As diferenas porventura apuradas devero ser objeto de medidasadministrativas a serem adotadas para sua regularizao, bem como denotas explicativas a serem anexadas ao processo de contas anual.

    Art. 2. NOMEAR para compor a referida Comisso Especial os seguintesservidores:

    - Paula Azevedo Cavalcante Fernandes, ocupante do cargo AssessorAdjunto, lotada na Diretoria Administrativa Financeira que fica nomeadaneste ato como Presidente da Comisso Especial;- Patrcia Medeiros Farias, ocupante do cargo Assessor AdministrativoFinanceiro, lotada na Diretoria Administrativa Financeira ;- Carlos Eduardo DAvila Garcias Iisaias, ocupante do cargo Assessor deInformtica, lotada na Diretoria Administrativa Financeira;

    Art. 3. DETERMINAR a todos os titulares das Diretorias e unidadesdesta Empresa que sejam oferecidas Comisso Especial os meios,recursos e colaborao indispensveis para o fiel cumprimento de suasatribuies.

    Art. 4. ESTABELECER para a Comisso Especial, consideradas asdisposies legais vigentes, a data limite de 07/02/2014 para a entrega dorelatrio conclusivo contendo os saldos finais. Os saldos devero seratualizados nos Sistema de Controle de Patrimnio e Contabilidade.

    Art. 5. Revogadas as disposies em contrrio, esta Portaria entrar emvigor nesta data.

    Registre-se. Publique-se. Cumpra-se

    Maca, 16 de Janeiro de 2014.

    Marcos Roberto MuffaregDiretor-Presidente da Empresa Pblica Municipal de Saneamento -

    ESANE

    MODALIDADE: Tomada de Preos FMTT n 001/2014PROCESSO N 390625/2013

    HOMOLOGAO / ADJUDICAO

    Face o relatrio apresentado pela Comisso Permanente de Licitao,referente ao Processo Licitatrio n 390625/2013, que ensejou a licitaona modalidade TOMADA DE PREOS FMTT N 001/2014, que tem porobjeto a contratao de empresa de tecnologia, por um perodo de 12(doze) meses, visando o fornecimento se soluo integrada de fiscalizao(PDA) e gerenciamento de transportes concedidos de passageiros noMunicpio de Maca/RJ. HOMOLOGO o aludido procedimento,ADJUDICO o objeto favor da empresa "DECLINK -DESENVOLVIMENTO E CONSULTORIA DE INFORMTICA LTDA",que apresentou a melhor proposta e autorizo a emisso do empenho novalor global de R$421.200,00 (quatrocentos e vinte e um mil e duzentosreais).

    Maca/RJ, 15 de janeiro de2014.

    MAURO FIGUEIREDO DA ROSASecretrio Municipal de Mobilidade Urbana

    PREFEITURA MUNICIPAL DE MACASECRETARIA MUNICIPAL DE SADEFUNDAO MUNICIPAL HOSPITALAR DE MACA

    PORTARIA n 016/2014

    O DIRETOR PRESIDENTE DA FMHM, em exerccio, no uso de suasatribuies legais;

    RESOLVE EXONERAR, a pedido, o (a) servidor (a) GABRIELACATALINA THOM DE PAULA SEPULVEDA, do cargo de MDICAPLANTONISTA PEDIATRA INTENSIVISTA, matrcula 1342 a contarde 01 de Janeiro de 2014.

    Gabinete do Diretor Presidente da FMHM, em 16 de Janeiro de 2014.

    NEWTON JOSDiretor Presidente - FMHM

    PREFEITURA MUNICIPAL DE MACASECRETARIA MUNICIPAL DE SADEFUNDAO MUNICIPAL HOSPITALAR DE MACA

    PORTARIA n 015/2014

    O DIRETOR PRESIDENTE da FUNDAO MUNICIPAL HOSPITALAR DE MACA - FMHM, no uso de suasatribuies legais;

    RESOLVE, autorizar a cesso dos servidores no Anexo nico para a Prefeitura Municipal de Maca / SecretriaMunicipal de Sade, de acordo com inciso l, do Art.85 da Lei Complementar 011/1998, a contar de 01 de Janeiro de2014.

    Gabinete do Diretor Presidente da FMHM, em 15 de Janeiro de 2014.NEWTON JOS

    Diretor Presidente FMHM

    ANEXO NICO DA PORTARIA N 015/2014.

    MAT. NOME CARGO1178 JOS GERALDO SOBRAL LIXA MDICO DIARISTA CIRURGIO GERAL2905 MARIA POMPEYA O. L. DE FIGUEIREDO MDICO PLANT. PEDIATRA INTENS. NEONATAL4504 ROY GREGRIO P. MASCARENHAS MDICO DIARISTA UROLOGISTA

    CONCURSO PBLICO DA CMARA MUNICIPAL DE MACA - 01/201226 EDITAL DE CONVOCAO

    Pelo presente Edital, ficam convocados os candidatos abaixo relacionados,classificados no Concurso Pblico da Cmara Municipal de Maca/RJ, emconformidade com o Edital 01/2012 e a ordem de classificao por cargo,publicada no jornal "O Debate Dirio de Maca", edio de 08 de maio de2012, em observncia a Portaria de Retificao n 035/2012, publicada nodia 02 de junho de 2012, por meio do jornal "O Debate Dirio de Maca",a comparecer no DIA 28 DE JANEIRO DE 2014, S 10H E 30MIN, naCmara Municipal de Maca, situada na Rodovia do Petrleo, RJ 1 68, Km3,5, Virgem Santa, Maca, RJ - Setor de Diretoria de Recursos Humanos, afim de assinar o termo de posse e ato de investidura.

    CMM201 - ASSISTENTE ADMINISTRATIVOPABULLO MARINHO DOS SANTOSINSCRIO: 301413

    CMM301 - MDICOFILIPE DE SOUZA AFFONSOINSCRIO: 100682

    CMM203 - FOTGRAFOIVANA CLAUDIA GRAVINA MARQUESINSCRIO: 201052

    CMM202 - ASSISTENTE TCNICO EM INFORMTICAROMULO ALMEIDA TAVARES RANGELINSCRIO: 304021

    GABINETE DA PRESIDNCIA, em 16 de Janeiro de 2014.

    Eduardo Cardoso Gonalves da SilvaPresidente da Cmara Municipal de Maca

    ESTADO DO RIO DE JANEIROCMARA MUNICIPAL DE MACA

    CONCURSO PBLICO DA CMARA MUNICIPAL DE MACA - 201210 EDITAL DE E XCLUSO

    O Presidente da Cmara Municipal de Maca, em conformidade com oEdital 01/2012 do Concurso Pblico da Cmara Municipal de Maca, nouso de suas atribuies legais; e CONSIDERANDO o disposto no subitem14.10 do supra mencionado edital:

    1 - RESOLVE ELIMINAR do Concurso Pblico realizado pela CmaraMunicipal de Maca, conforme Edital 01/2012, por no se apresentaremno local e prazos estabelecidos pelo 24 Edital de Convocao, publicadono jornal "O Debate Dirio de Maca, edio do dia 14 de Dezembro de2013, e que tem carter eliminatrio, os candidatos abaixo relacionados, acontar da data de publicao do presente:

    CARGO: CMM308 - ASSISTENTE JURDICOALINE DO PRADO BERNABE RANIERIINSCRIO: 301786DEUSIENE TORRES PORTOINSCRIO: 200412

    GABINETE DA PRESIDNCIA, em 16 de Janeiro de 2014.Eduardo Cardoso Gonalves da Silva

    Presidente da Cmara Municipal de Maca

    ESTADO DO RIO DE JANEIROCMARA MUNICIPAL DE MACA

    Estado do Rio de JaneiroPrefeitura Municipal de CarapebusSecretaria Municipal de AdministraoGabinete do Prefeito

    PORTARIA N 3846/14

    O PREFEITO MUNICIPAL DE CARAPEBUS no uso de suasatribuies legais, e

    CONSIDERANDO o processo abaixo relacionado, do requerente.

    RESOLVE:Art. 1 - Fica concedida LICENA MATERNIDADE nos termos do

    Art.109, II da Lei Complementar Municipal 10, de 30/05/03 e LeiMunicipal 464 de 17/08/10, para os servidores abaixo relacionados,conforme processo, matrcula, nome, cargo e perodo, com base no Artigo7, inciso XVIII da Constituio Federativa do Brasil e artigo 71 da LeiFederal 8.213 de 24.07.91.

    Art. 2 - Esta Portaria entra em vigor na data de sua publicao.

    Carapebus, Gabinete do Prefeito, em 16 de janeiro de 2014.

    Amaro Fernandes dos SantosPrefeito Municipal

    PRO MAT. NOME CARGO PERODO7830/13 21202 Janana da Silva

    Maria Assessor 04/12/13 01/06/14

    171/14 203021 Daniela Cardoso de Souza P da Silva

    Aux. de Enfermagem

    02/01/14 01/05/14

    Estado do Rio de JaneiroPrefeitura Municipal de CarapebusSecretaria Municipal de AdministraoGabinete do Prefeito

    PORTARIA N 3847/2014

    O PREFEITO MUNICIPAL DE CARAPEBUS no uso de suasatribuies legais, e

    CONSIDERANDO o Processo do requerente abaixo.

    RESOLVE:Art. 1 - Conceder LICENA MATERNIDADE Complementar de

    60(sessenta dias) nos termos do Art.1 da Lei Municipal 464, de 17/08/10,para os servidores abaixo relacionados, conforme processo, matrcula,nome, cargo e perodo.

    Art. 2 - Esta Portaria entra em vigor na data de sua publicao.

    Carapebus, Gabinete do Prefeito, em 16 de janeiro de 2014.

    Amaro Fernandes dos SantosPrefeito Municipal

    PRO MAT. NOME CARGO PERODO7669/13 21500 Mariela da

    Silva Aladoga Assessor 30/10/13

    29/12/13

    Estado do Rio de JaneiroPrefeitura Municipal de CarapebusSecretaria Municipal de AdministraoGabinete do Prefeito

    PORTARIA N. 3848/14

    O PREFEITO MUNICIPAL DE CARAPEBUS no uso de suasatribuies legais, e

    CONSIDERANDO o Processo abaixo relacionado, do requerente.

    RESOLVE:

    Art. 1 - CONCEDER LICENA, ao servidor abaixo relacionado,conforme processo, matrcula, nome, cargo e perodo, para tratamento desade com base no Pargrafo 3 do Artigo 60 da Lei Federal n 8.213, de24/07/1991, conforme preceitua 1 do Art.109 da Lei ComplementarMunicipal n 10 de 30/05/2003.

    Art. 2 - Esta Portaria entra em vigor na data de sua publicao.

    Carapebus, Gabinete do Prefeito, em 16 de janeiro de 2014.

    Amaro Fernandes dos SantosPrefeito Municipal

    PRO MAT. NOME CARGO PERODO7475/13 203019 Maria Helena

    Rodrigues Aux. de Enfermagem

    14/11/13 28/11/13

    Estado do Rio de JaneiroPrefeitura Municipal de CarapebusSecretaria Municipal de AdministraoGabinete do Prefeito

    PORTARIA N 3849/14

    O PREFEITO MUNICIPAL DE CARAPEBUS no uso de suasatribuies legais, e

    CONSIDERANDO o Processo abaixo relacionado, do requerente.

    RESOLVE:

    Art. 1 -CONCEDER LICENA, por motivo de falecimento de parenteconsanguneo, aos servidores abaixo relacionados, conforme processo,matrcula, nome, cargo e perodo, de acordo com Inciso III do Artigo 122da Lei Complementar n 010/03, pelo perodo de 08 dias.

    Art. 2 - Esta Portaria entra em vigor na data de sua publicao.

    Carapebus, Gabinete do Prefeito, em 16 de janeiro de 2014.

    Amaro Fernandes dos SantosPrefeito Municipal

    PRO MAT. NOME CARGO PERIODO7549/13 308074/

    412009 rica Maria Peroba

    Professor 22/11/13 29/11/13

    Estado do Rio de JaneiroPrefeitura Municipal de CarapebusSecretaria Municipal de Sade

    EXTRATO DE CONTRATO N 58/2013

    Processo: 35/2013Contratante: FUNDO MUNICIPAL DE SADEContratado: AMRS Industria e Comrcio de Artigos de Vesturio LTDAObjeto: Fornecer materiais de expediente para a Vigilncia Sanitria, P.A.Carlito Gonalves e Unidades de Ateno Bsica (PSF's, Odontologia ePam).Programas de Trabalhos: n 03.301.000 10 304 1014 4.005,n 03.301.00010 302 1004 4.003, n 03.301.000 10 301 1001 4.001 Elemento deDespesa: n3.3.90.30.00 10, n3.3.90.30.00 10, n3.3.90.30.00 10 (fonte215, 207,201)Valor do Contrato: R$ 8.810,13 (Oito mil oitocentos e dez reais e trezecentavos)Vigncia do contrato: 12 (Doze) Meses

    Carapebus, 18 de Dezembro de 2013

    ROSANNA KARLA BICHARA DE SOUZA Secretria Municipal de Sade

    Estado do Rio de JaneiroPrefeitura Municipal de CarapebusSecretaria Municipal de Sade

    EXTRATO DE CONTRATO N 60/2013

    Processo: 51/2013Contratante: FUNDO MUNICIPAL DE SADEContratado: V M Tefilo-MeObjeto: Fornecer material de limpeza para atender as necessidades daVigilncia Sanitria, P.A. Carlito Gonalves e Unidades da Ateno Bsica(PSFs, Odontologia e PAM)Programas de Trabalhos: n 03.301.000 10 301 1001 4.001, n03.301.10302 1004 4.003, n 03.301.000 10 304 1014 4.005, Elemento deDespesa n 3.3.90.30.00 15, n3.3.90.30.00 15, n3.3.90.30.00 15 (Fonte201,207,2015)Valor do Contrato: R$ 237.091,33 (Duzentos e trinta e sete mil noventae um reais e trinta e trs centavos)Vigncia do contrato: 12 (Doze) Meses

    Carapebus,18 de Dezembro de 2013

    ROSANNA KARLA BICHARA DE SOUZA Secretria Municipal de Sade

    Estado do Rio de JaneiroPrefeitura Municipal de CarapebusSecretaria Municipal de Sade

    EXTRATO DE CONTRATO N 61/2013

    Processo: 93/2013Contratante: FUNDO MUNICIPAL DE SADEContratado: VLV Levi Tour Locao e Transportes LTDA-ME.Objeto: Fornecer os servios de empresa especializada na prestao deservio de locao de 01 (um) veculo Tipo Van, com capacidade de 15passageiros incluindo o motorista para atender as necessidades de transportede pacientes que fazem tratamento mdico nas cidades do Rio de Janeiro(capital) Campos dos Goytacazes e Itaperuna.Programas de Trabalhos: n 03.301.000 10 302 1004 4.006, Elemento deDespesa n 3.3.90.39.00 09 (Fonte 004)Valor do Contrato: R$ R$ 356.400,00 (Trezentos e cinquenta seis milquatrocentos reais)Vigncia do contrato: 12 (Doze) Mess

    Carapebus, 20 de dezembro de 2013

    ROSANNA KARLA BICHARA DE SOUZA Secretria Municipal de Sade

  • 8 Geral MACA, SEXTA-FEIRA, 17 DE JANEIRO DE 2014

    Gaia vai disputar seletiva de Mundial ESPORTE

    Lutador macaense tambm se prepara para o Pan-Americano de Jiu-Jtsu que acontecer este ano

    Ao conquistar em 2013 uma campanha com 100% de aproveitamen-to, garantindo o lugar mais alto do pdio em todas as competi-es regionais e nacionais que participou, o lutador macaen-se Thiago Gaia se prepara pa-ra disputar seletiva e garantir mais um passo importante pa-ra a sua trajetria de sucesso: disputar o Campeonato Mun-dial Profissional de Jiu-Jtsu, que acontece em abril em Abu Dhabi, nos Emirados rabes.Para estar entre os melhores

    do mundo, Thiago disputar vaga na primeira seletiva que acontece hoje (17), amanh (18) e domingo (19), em So Paulo. O lutador macaense se prepara para disputar a segunda etapa, que acontece em maro, em Gramado, no Paran.Apesar de chegar s finais

    ARQUIVO

    Campeo em nove competies no ano passado, Gaia se prepara para seletivas

    da seletiva, por duas vezes, o campeo macaense no conse-guiu obter, nos ltimos anos, a oportunidade de participao de uma das maiores competi-es mundiais de jiu-jtsu.Estou animado, pois os

    treinos no tiveram interva-los, no paramos nem para o Natal e nem para o Ano No-vo. Em 2013 consegui um ex-celente desempenho. Quero repetir essa dose neste ano, afirmou o lutador.Em 2013, Gaia venceu as

    nove grandes competies disputadas, garantindo tam-bm sua confirmao no Pan-Americano de Jiu-Jtsu que acontece na Califrnia, assim como o Mundial, que tambm acontece nos Estados Unidos.Espero o retorno, nesse

    ano, do Programa Bolsa Atle-ta, um grande auxlio para que

    ns, atletas, possamos levar o nome de Maca ao ponto mais alto de todos os pdios. Tenho uma mdia de duas competi-es ao ms onde vou compe-tir e levar o nome de Maca, e estou contente com a equipe Gaia Fighter-GFTeam que est com uma excelente estrutura para atletas. Temos o projeto social Gaia, onde atendemos crianas das redes municipal e estadual de ensino com intui-to de diminuir o tempo ocioso dessas crianas tirando-as das ruas e promovendo sade para formao de um futuro cida-do, destacou o lutador.Gaia agradeceu a todos os

    apoios: Ivaney, da Net System, Supermercado Novo Viscon-de, Sansai Suhi Bar, Academia Gaia Fighter, Fundao de Es-porte e Turismo (Fesportur) e Jornal O DEBATE.

    Moacyrzo receber times grandes no CariocaCAMPEONATO CARIOCA

    Maira Abreu

    com capacidade para 16 mil pessoas, o Estdio Cludio Mo-acyr hoje uma das principais praas esportivas do Estado do Rio de Janeiro. Inaugurado no dia 1 de maio de 1982, o campo foi fechado durante dois anos para reformas de melhoria do local. Com a reabertura do es-tdio, partidas de equipes gran-des do Rio tm sido disputadas, e neste ano no ser diferente.Equipes como o Vasco da Gama,

    Botafogo e o Fluminense jogaro

    Dos locais confirmados para os jogos, nove sero em Maca

    na cidade, em confrontos com o Maca Esporte, ou com outros times, pelo Campeonato Carioca.Dos quatro times grandes, o

    tricolor carioca, por enquanto, ser a equipe que mais entrar em campo na cidade de Maca, tendo no total trs jogos, de acordo com a tabela. J Bota-

    fogo e Vasco, tero uma partida no estdio do Maca. Ficando de fora apenas o Flamengo.Das partidas com locais con-

    firmados no Campeonato Ca-rioca, nove jogos esto confir-mados em Maca, no Estdio Cludio Moacyr de Azevedo, o Moacyrzo.

    WANDERLEY GIL

    Moacyrzo ser um dos palcos do Campeonato Carioca de 2014

    2 rodada - Maca x Vasco 3 rodada - Cabofriense x Botafogo 4 rodada - Maca x Volta redonda 6 rodada - Maca x Friburguense / Fluminense x Audax 8 rodada - Maca x Nova Iguau 9 rodada - Maca x Fluminense 11 rodada - Cabofriense x Fluminense 12 rodada - Maca x Boa Vista 14 rodada - Maca x Duque de Caxias

    CONFIRA OS JOGOS AGENDADOS PARA O ESTDIO:

    Rede Petro-BC receber delegao do Canad

    REDE PETRO-BC

    tendo obtido resultados positivos em 2013, a Rede Pe-tro - Bacia de Campos, inicia 2014 j com metas definidas para atingir novos objetivos e proporcionar ainda mais opor-tunidades de negcios a seus associados. Contando com o aumento de 15% em seu qua-dro de scios, a instituio pre-tende fortalecer ainda mais as suas aes, dando continuidade ao que j foi iniciado em 2013.J no incio do ano, no dia 10

    de fevereiro, a Rede Petro-BC recepcionar uma delegao de 10 empresas do Canad, on-de os associados e demais em-presrios participantes, tero a oportunidade de conhecer e se aproximarem das empresas. A vinda do grupo est sendo intermediada pelo consulado canadense, que nos procurou para uma reunio no incio do ms de dezembro, informou Evandro Cunha, um dos coor-denadores da Rede Petro-BC.O objetivo da misso, que

    uma iniciativa da Ocean Te-chnology Alliance Canada (OTAC), estabelecer parce-rias com empresas e institutos brasileiros do setor de Tecnolo-gias Ocenicas. Alm de Maca, a delegao tambm visitar o Rio de Janeiro. A comitiva ser composta por represen-tantes das principais empresas do Canad, lderes no setor de

    Misso tem como objetivo estabelecer parcerias entre empresas

    Tecnologias Ocenicas, o que representar uma grande opor-tunidade para novos contatos aos nossos associados, acres-centou Evandro.Outra meta assinalada pela

    Rede Petro-BC, que teve incio em 2013, dar continuidade aproximao com as grandes empresas, o que ser oportu-nizado atravs da realizao da Rio Oil & Gas, entre os dias 15 e 18 de setembro, no Rio de Janeiro. A Rede Petro-BC pro-cura estar sempre presente nos grandes eventos voltados para a cadeia produtiva de Petrleo, Gs e Energia, pois so uma tima oportunidade para di-vulgao das nossas aes, alm de possibilitar o contato com as grandes empresas. Nosso obje-tivo com essas aproximaes fazer com que elas nos enviem

    periodicamente suas demandas de fornecimento, e informar aos nossos associados, explicou Vitor Silva, tambm coordena-dor da instituio.Em 2014, a Rede Petro-BC

    tambm pretende expandir sua rea de atuao para alm das fronteiras de Maca. Este processo comeou ainda em 2013, atravs da aproximao com a Prefeitura de Rio das Ostras, que ser fortalecida neste ano. J temos um repre-sentante da prefeitura partici-pando das nossas reunies e, a nossa inteno fazer com a Rede Petro-BC atue tambm em outros municpios da Bacia de Campos. No ser um pro-cesso rpido, mas aos poucos vamos conseguindo expandir e atingir outras cidades, afir-mou Vitor.

    ASSESSORIA

    Rede-Petro promove a integrao de negcios entre empresas fornecedoras da Bacia de Campos

    Rede Petro - Bacia de Camposa rede petro-bc uma orga-nizao sem fins lucrativos que tem por objetivo promover, ar-ticular e fomentar a gerao de negcios entre os atores da ca-deia produtiva de petrleo, gs

    e energia da Bacia de Campos. Seu desafio principal aten-der s demandas da principal rea de explorao e produo brasileira, investindo constan-temente em estudos para a via-

    bilizao de projetos em que a promoo de negcios se d atravs da competitividade, ge-rando oportunidades de neg-cios s empresas e instituies envolvidas.