NBR 7483 - EcivilUFES ? DEFINIES CORDOALHAS DE AO PARA CONCRETO PROTENDIDO REQUISITOS Figura

  • Published on
    04-Aug-2018

  • View
    212

  • Download
    0

Transcript

  • NBR 7483/2005Cordoalhas de ao paraconcreto protendido

    Requisitos

  • OBJETIVO

    Fixar os requisitos para fabricao, encomenda,fornecimento e recebimento de cordoalhas deao de alta resistncia de trs e sete fios,destinadas a armaduras de protenso.

    CORDOALHAS DE AO PARA CONCRETO PROTENDIDO REQUISITOS

  • DEFINIES1. cordoalha de sete fios: Cordoalha constituda de seis fios demesmo dimetro nominal, encordoados juntos, numa formahelicoidal, com um passo uniforme, em torno de um fio central.2. cordoalha de trs fios: Cordoalha constituda de trs fios domesmo dimetro nominal, encordoados juntos, numa formahelicoidal, com um passo uniforme.3. passo da hlice: Comprimento ao longo do eixo de umavolta completa.4. dimetro de cordoalha: Dimetro da circunferncia que acircunscreve.5. valor nominal: Valor numrico que caracteriza certagrandeza do produto. No referncia para aceitao ourejeio do produto.

    CORDOALHAS DE AO PARA CONCRETO PROTENDIDO REQUISITOS

  • DEFINIESCORDOALHAS DE AO PARA CONCRETO PROTENDIDO REQUISITOS

    Figura 1 Cordoalha de ao de sete fios Figura 2 Rolo de cordoalha de ao enrolado em carretel de madeira

  • DEFINIES6. lance: Determinado comprimento contnuo de cordoalha.7. rolo: Certo comprimento de cordoalha apresentado emespiras concntricas formando um volume compacto. Pode sercomposto no mximo por dois lances.8. carretel: Ncleo de madeira ou outro material, no qual enrolado certo comprimento de cordoalha.9. lote: Quantidade de cordoalha acabada, fabricada nasmesmas condies e de comprimento contnuo.

    CORDOALHAS DE AO PARA CONCRETO PROTENDIDO REQUISITOS

  • REQUISITOS GERAIS - CLASSIFICAO1. Conforme o nmero de fios:

    a. cordoalha de sete fios;b. cordoalha de trs fios.

    2. Conforme a resistncia trao:a. categoria CP-190;b. categoria CP-210.

    3. Os nmeros 190 e 210 correspondem ao limite mnimo daresistncia trao na unidade quilograma fora pormilmetro quadrado. Para os efeitos desta Norma, considera-se 1 kgf/mm =10 MPa.

    4. As cordoalhas de trs e sete fios so produzidas sempre nacondio de relaxao baixa.

    CORDOALHAS DE AO PARA CONCRETO PROTENDIDO REQUISITOS

  • REQUISITOS GERAIS - FABRICAO1. Fio: O fio usado na fabricao da cordoalha deve serencruado a frio por trefilao a partir de fio-mquina deaocarbono.Os teores de fsforo e enxofre no devem exceder os seguintesvalores:

    fsforo: 0,020%; enxofre: 0,025%.

    No h especificao para os outros elementos qumicos. Acomposio qumica do ao utilizado deve garantir que ascaractersticas mecnicas especificadas nesta Norma sejamatendidas pelo produto final.2. Qualidade do fio: O fio deve ser isento de defeitossuperficiais ou internos, prejudiciais ao seu emprego.

    CORDOALHAS DE AO PARA CONCRETO PROTENDIDO REQUISITOS

  • REQUISITOS GERAIS - FABRICAO3. Encordoamento

    a. Cordoalha de sete fios: A cordoalha deve ter o fio central comdimetro nominal pelo menos 2% maior do que o dos fiosexternos. Os seis fios externos devem ser firmementedispostos em torno do fio central, com um passo de 12 a 16vezes o dimetro nominal da cordoalha.

    b. Cordoalha de trs fios: A cordoalha deve ser produzida comfios do mesmo dimetro nominal, firmemente encordoadoscom um passo de 12 a 16 vezes o dimetro nominal dacordoalha.

    NOTA: O processo de fabricao da cordoalha de trs e sete fios devegarantir que os fios componentes da cordoalha, ao serem cortadoscom discos, no saiam de sua posio original ou, caso saiam, possamser reposicionados manualmente.

    CORDOALHAS DE AO PARA CONCRETO PROTENDIDO REQUISITOS

  • REQUISITOS GERAIS - FABRICAO4. Emendas: No permitida a incorporao de soldas no

    produto final, originadas durante ou aps o processo detrefilao. Os trechos de cordoalhas que receberam soldasnecessrias continuidade do processo de fabricao devemser descartados.

    5. Tratamento finala. As cordoalhas devem ser submetidas a um tratamento

    termomecnico final apropriado, a fim de atender os requisitosespecificados quanto s propriedades mecnicas e demaiscaractersticas (Tabelas 1 e 2).

    b. Ao serem desenroladas e deixadas livremente sobre umasuperfcie plana e lisa, as cordoalhas no devem ter umacurvatura permanente superior a 15 cm em extenso de 2 m.

    CORDOALHAS DE AO PARA CONCRETO PROTENDIDO REQUISITOS

  • REQUISITOS GERAIS - FABRICAOEsta curvatura, chamada de flecha, a medida da distnciamxima entre a linha que une as duas pontas da amostra e aface interna da cordoalha.

    c. Acondicionamento e embalagem

    6. Acondicionamento: A cordoalha deve ser fornecida em rolofirmemente amarrado com dimetro interno no inferior a750 mm.

    NOTA O acondicionamento deve permitir a retirada de amostra semdanificar a estrutura do rolo.

    7. Transporte e armazenamento: Os produtos de ao paraprotenso devem ser protegidos durante o transporte earmazenamento contra qualquer dano ou contaminao, emespecial contra substncias que possam provocar corroso.

    CORDOALHAS DE AO PARA CONCRETO PROTENDIDO REQUISITOS

  • REQUISITOS GERAIS MARCAO EDESIGNAO1. Marcao: Cada rolo deve ser identificado por uma etiqueta

    suficientemente resistente, com inscrio indelvel,firmemente presa, que deve indicar:a. nome ou smbolo do produtor;b. nmero desta Norma;c. designao do produto:

    nmero de fios da cordoalha, categoria (190 ou 210), relaxao (RB);

    d. dimetro nominal da cordoalha, em milmetros;e. nmero de identificao do rolo;f. massa lquida dos lances, em quilogramas.

    CORDOALHAS DE AO PARA CONCRETO PROTENDIDO REQUISITOS

  • REQUISITOS GERAIS MARCAO EDESIGNAO2. Designao: As cordoalhas devem receber a designao

    conforme segue:EXEMPLOS:v CP-190 RB 12,7 significa uma cordoalha de sete fios paraconcreto protendido (CP), categoria 190, relaxao baixa (RB) edimetro nominal de 12,7 mm (12,7);v CP 190 RB 3 x 3,0 significa uma cordoalha para concretoprotendido (CP), categoria 190, relaxao baixa (RB), cordoalhade trs fios (n) e dimetro nominal de 3 mm (d) por fio.

    CORDOALHAS DE AO PARA CONCRETO PROTENDIDO REQUISITOS

  • REQUISITOS GERAIS ENCOMENDANa encomenda das cordoalhas, o compradordeve indicar:a. nmero desta Norma;b. massa da encomenda, em quilogramas;c. designao, conforme a pgina anterior;d. opcionalmente, local e procedimento de inspeo.

    CORDOALHAS DE AO PARA CONCRETO PROTENDIDO REQUISITOS

  • REQUISITOS ESPECFICOS1. As cordoalhas fabricadas e inspecionadas, amostradas e

    ensaiadas conforme seo seguinte devem atender aosvalores especificados nesta Norma.

    2. O mdulo de elasticidade funo do material. Para o ao-carbono comum, o valor nominal do mdulo de elasticidade de 200 GPa. Ensaios individuais que resultem em desviosmaiores que 5% em relao a 200 GPa podem indicar erroscometidos no ensaio, no sendo todavia motivo de rejeiodo material ensaiado. Este mdulo deve ser fornecido porensaio do fabricante ou obtido em ensaio realizado emlaboratrio independente.

    CORDOALHAS DE AO PARA CONCRETO PROTENDIDO REQUISITOS

    VinciusHighlight

  • REQUISITOS ESPECFICOSNOTA Para valores divergentes de ensaios referentes ao mesmo lote,utilizar o valor do ensaio mais prximo de 200 Gpa.

    3. As propriedades mecnicas das cordoalhas de sete fios comrelaxao baixa so especificadas na Tabela 1.

    4. As propriedades mecnicas das cordoalhas de trs fios soespecificadas na Tabela 2.

    CORDOALHAS DE AO PARA CONCRETO PROTENDIDO REQUISITOS

  • INSPEO - PROCEDIMENTO1. Comprador

    a. Ao comprador compete exigir do fabricante certificados deensaios do material fornecido.

    NOTA Os resultados dos ensaios do fabricante devem estar disponveispara exame pelo comprador ou seu representante durante pelo menoscinco anos.

    b. O certificado deve conter: data da emisso do certificado; identificao do rolo; caractersticas dimensionais e mecnicas do material.c. Fica a critrio do comprador verificar se as caractersticas

    esto de acordo com o especificado nesta Norma, fazendoexecutar as inspees e os ensaios julgados necessrios.

    CORDOALHAS DE AO PARA CONCRETO PROTENDIDO REQUISITOS

  • INSPEO - PROCEDIMENTO1. Comprador (continuao)

    d. A partir da recepo do material, o comprador torna-seresponsvel pela integridade fsica do produto no decorrer dasoperaes de transporte, de manuseio, de estocagem e daaplicao na estrutura.

    NOTA: Caso o comprador deseje efetuar a inspeo do material nafbrica, aps este ter sido submetido aos ensaios de rotina, oseventuais ensaios adicionais, s expensas do fabricante, so limitadosno mximo de uma amostra a cada dez rolos. No requisito que umacordoalha especfica seja submetida ao ensaio de relaxao.O comprador pode, contudo, requerer do fabricante o fornecimentode registros de ensaios em cordoalhas similares produzidas em tempoprximo, evidenciando que a relaxao obedece s especificaes dasTabelas 1 e 2 a seguir.

    CORDOALHAS DE AO PARA CONCRETO PROTENDIDO REQUISITOS

  • INSPEO - PROCEDIMENTO2. ContratanteCabe ao contratante verificar a integridade fsica das cordoalhase adotar pelo menos um dos seguintes procedimentos:

    a. fiscalizar o comprador na aceitao do material;b. analisar as caractersticas do material utilizado, atravs

    dos ensaios j realizados pelo comprador ou fabricante;c. realizar o controle de qualidade do material contratando

    Laboratrios credenciados junto Rede Brasileira deLaboratrios de Ensaios, para esse fim.

    CORDOALHAS DE AO PARA CONCRETO PROTENDIDO REQUISITOS

  • INSPEO AMOSTRAGEM EFREQUENCIA DE ENSAIO1. Para os ensaios especificados logo a seguir deve-se retirar

    uma amostra da extremidade externa de um rolo de cadalote. No entanto, quando a prtica produzir um grande roloem um comprimento contnuo (lote) que ser dividido emdiversos rolos acabados, uma amostra de comprimentosuficiente ser extrada para a realizao dos ensaios. Estaamostra ser representativa de todos os rolos do lote.

    2. As amostras no devem ser submetidas a nenhuma forma detensionamento e ou de aquecimento e todo o procedimentodeve obedecer ABNT NBR 6349.

    CORDOALHAS DE AO PARA CONCRETO PROTENDIDO REQUISITOS

  • INSPEO AMOSTRAGEM EFREQUENCIA DE ENSAIO1. Ensaios

    a. O ensaio de trao das cordoalhas deve ser executadoconforme a ABNT NBR 6349, determinando-se: grfico Carga xDeformao, carga a 1% de alongamento total, carga deruptura, alongamento total aps ruptura e mdulo deelasticidade em todos os corpos-de-prova.

    b. 6.3.2 O ensaio de relaxao das cordoalhas deve ser executadoconforme a ABNT NBR 7484, determinando-se os valores darelaxao para uma carga aplicada equivalente a 80% da cargade ruptura mnima especificada.

    CORDOALHAS DE AO PARA CONCRETO PROTENDIDO REQUISITOS

  • ACEITAO E REJEIO1. O produto inspecionado, amostrado e ensaiado conforme

    seo 6 aceito, desde que todos os resultados (exceto omdulo de elasticidade) atendam aos valores especificadosnesta Norma.

    2. Se qualquer corpo-de-prova no atender aos valoresespecificados, uma nova amostra deve ser retirada domesmo rolo ensaiado e submetida a reensaio.a. Se o resultado deste reensaio atender aos valores

    especificados nesta Norma, o rolo correspondente considerado aprovado.

    b. Se o resultado deste reensaio no atender a qualquer valorespecificado nesta Norma, o rolo correspondente serconsiderado reprovado e todos os demais rolos que compemo lote devem ser ensaiados.

    CORDOALHAS DE AO PARA CONCRETO PROTENDIDO REQUISITOS

  • ACEITAO E REJEIO3. Pode-se admitir oxidao do produto, desde que esta seja

    leve e uniforme, e no apresente pontos de corrosolocalizada (cavidades) na superfcie.a. Normalmente uma oxidao superficial uniforme pode ser

    removida manualmente, esfregando-se os fios com um tecidogrosseiro (estopa ou juta) ou com uma esponja plsticaabrasiva. Em caso de dvida quanto gravidade do danoprovocado pela oxidao, o material deve ser submetido aensaios especiais para a comprovao de suas propriedadesmecnicas originais.

    CORDOALHAS DE AO PARA CONCRETO PROTENDIDO REQUISITOS

  • ACEITAO E REJEIONOTA Salvo acordo prvio entre comprador e fornecedor, a superfciedo fio no deve conter nenhum lubrificante, leo ou outra substnciacapaz de prejudicar sua aplicao.

    4. A liberao e o emprego do produto no so condicionadosao resultado do ensaio de relaxao, em vista de sua longadurao. O comprador pode se basear em resultadosrecentes e regularmente obtidos com material de mesmacategoria e mesmo fabricante.

    CORDOALHAS DE AO PARA CONCRETO PROTENDIDO REQUISITOS

  • TABELA 1

    Tabela 1 Caractersticas das cordoalhas de sete fios com relaxao baixa (RB)

    CORDOALHAS DE AO PARA CONCRETO PROTENDIDO REQUISITOS

    Mn

    imo

    Nom

    inal

    Mx

    imo

    CP 190 RB 9,5 9,5 54,9 56,2 57,3 441,0 104,3 93,9

    CP 190 RB 12,7 12,7 98,6 100,9 102,9 792,0 187,3 168,6

    CP 190 RB 15,2 15,2 139,9 143,4 146,3 1126,0 265,8 239,2

    CP 210 RB 9,5 9,5 54,9 56,2 57,3 441,0 115,3 103,8

    CP 210 RB 12,7 12,7 98,6 100,9 102,9 792,0 207,0 186,3

    CP 210 RB 15,2 15,2 139,9 143,4 146,3 1126,0 293,8 264,4

    RB 210

    + 0,4 - 0,2

    3,5 3,5

    Mas

    sa n

    omin

    al

    kg

    /1 0

    00m

    Carg

    a de

    rupt

    ura

    mn

    ima

    kN

    Carg

    a a

    1% d

    e de

    form

    ao

    mn

    ima

    kN

    Alon

    gam

    ento

    tota

    l na

    rupt

    ura

    mn

    imo

    (%

    )

    Rela

    xa

    o m

    xim

    a ap

    s

    1

    000

    h4

    (%)

    RB 190

    Cate

    goria

    Desi

    gna

    o

    Dim

    etro

    Nom

    inal

    da

    Cord

    oalh

    a (m

    m)

    Tole

    rnc

    ia n

    o di

    met

    ro

    nom

    inal

    (mm

    )

    rea da seo de ao da cordoalha

    nominal (mm)

  • TABELA 2

    Tabela 2 Caractersticas das cordoalhas de trs fios com relaxao baixa (RB)

    CORDOALHAS DE AO PARA CONCRETO PROTENDIDO REQUISITOS

    Mn

    imo

    Nom

    inal

    Mx

    imo

    CP 190 RB 3x3,0 6,5 21,5 21,8 22,8 171,0 40,8 36,7

    CP 190 RB 3x3,5 7,6 30,0 30,3 31,8 238,0 57,0 51,3

    CP 190 RB 3x4,0 8,8 37,6 38,7 39,8 304,0 71,4 67,3

    CP 190 RB 3x4,5 9,6 46,2 46,6 48,9 366,0 87,7 78,9

    CP 190 RB 3x5,0 11,1 65,7 66,2 69,6 520,0 124,8 112,3

    CP 210 RB 3x3,0 6,5 21,5 21,8 22,8 171,0 45,1 40,6

    CP 210 RB 3x3,5 7,6 30,0 30,3 31,8 238,0 63,0 56,7

    CP 210 RB 3x4,0 8,8 37,6 38,7 39,8 304,0 78,9 74,4

    CP 210 RB 3x4,5 9,6 46,2 46,6 48,9 366,0 96,9 87,2

    CP 210 RB 3x5,0 11,1 65,7 66,2 69,6 520,0 137,9 124,1

    0,3

    3,5

    3,5

    3,5

    3,5RB 210

    Mas

    sa n

    omin

    al

    kg

    /1 0

    00m

    Car

    ga d

    e ru

    ptur

    a m

    nim

    a

    kN

    Car

    ga a

    1%

    de

    defo

    rma

    o m

    nim

    a

    kN

    Alo

    ngam

    ento

    tota

    l na

    rupt

    ura

    mn

    imo

    (%

    )

    Rel

    axa

    o m

    xim

    a ap

    S

    1 00

    0 h

    4 (%

    )

    RB 190

    Cat

    egor

    ia

    Des

    igna

    o

    Di

    met

    ro N

    omin

    al d

    a C

    ordo

    alha

    mm

    Tole

    rnc

    ia n

    o di

    met

    ro

    nom

    inal

    mm

    rea da seo de ao da cordoalha

    nominal mm

    0,3

  • TABELAS 1 E 2 - INFORMAES1) Os trs dgitos constantes na designao correspondem ao limite mnimo daresistncia trao na unidade kgf/mm. Para os efeitos desta norma,considera-se 1 kf/mm = 10 MPa.2) O valor da carga a 1% de alongamento considerado equivalente carga, a0,2% de alongamento permanente.3) Base de medida: 600 mm mnimo.4) Medida a 20C com aplicao de carga inicial correspondente a 80% da cargade ruptura conforme NBR 7484. Os resultados de relaxao aps 1 000 horaspodem ser obtidos por extrapolao de ensaios de 100 horas de durao.

    NOTA) Recomenda-se para clculo estrutural a utilizao do valor nominal darea.

    CORDOALHAS DE AO PARA CONCRETO PROTENDIDO REQUISITOS

Recommended

View more >