NBR 14861 - 2002 - Laje Pr-Fabricada - Painel Alveolar de Concreto Protendido - Requisitos

  • Published on
    11-Jul-2015

  • View
    873

  • Download
    9

Transcript

Licena de uso exclusivo para FITec - Fundao para Inovaes Tecnolgicas Cpia impressa pelo sistema ABNT Digital em 29/05/2002

MAIO 2002

NBR 14861

Laje pr-fabricada - Painel alveolar de concreto protendido - RequisitosABNT Associao Brasileira de Normas TcnicasSede: Rio de Janeiro Av. Treze de Maio, 13 / 28 andar CEP 20003-900 Caixa Postal 1680 Rio de Janeiro RJ Tel.: PABX (21) 3974-2300 Fax: (21) 2240-8249/220-6436 Endereo eletrnico: www.abnt.org.br

Copyright 2002, ABNTAssociao Brasileira de Normas Tcnicas Printed in Brazil/ Impresso no Brasil Todos os direitos reservados

Origem: Projeto 18:314.01-003:2001 ABNT/CB-18 - Comit Brasileiro de Cimento, Concreto e Agregados CE-18:314.01 - Comisso de Estudo de Lajes NBR 14861 - Hollowcore prestressed concrete slabs - Requirements Descriptor: Slab. Building Vlida a partir de 01.07.2002 Palavras-chave: Laje. Edificao. Obra 5 pginas

Sumrio Prefcio 1 Objetivo 2 Referncias normativas 3 Definies 4 Requisitos gerais 5 Requisitos especficos 6 Inspeo 7 Aceitao e rejeio Prefcio A ABNT - Associao Brasileira de Normas Tcnicas - o Frum Nacional de Normalizao. As Normas Brasileiras, cujo contedo de responsabilidade dos Comits Brasileiros (ABNT/CB) e dos Organismos de Normalizao Setorial (ABNT/ONS), so elaboradas por Comisses de Estudo (CE), formadas por representantes dos setores envolvidos, delas fazendo parte: produtores, consumidores e neutros (universidades, laboratrios e outros). Os Projetos de Norma Brasileira, elaborados no mbito dos ABNT/CB e ABNT/ONS, circulam para Consulta Pblica entre os associados da ABNT e demais interessados. 1 Objetivo Esta Norma fixa os requisitos para o recebimento e utilizao de lajes tipo painel alveolar de concreto protendido e demais complementos adicionados na obra, a serem empregados na execuo de estruturas laminares nervuradas unidirecionais para qualquer tipo de edificao, de acordo com as NBR 6118, NBR 7197 e NBR 9062. 2 Referncias normativas As normas relacionadas a seguir contm disposies que, ao serem citadas neste texto, constituem prescries para esta Norma. As edies indicadas estavam em vigor no momento desta publicao. Como toda norma est sujeita a reviso, recomenda-se queles que realizam acordos com base nesta que verifiquem a convenincia de se usarem as edies mais recentes das normas citadas a seguir. A ABNT possui a informao das normas em vigor em um dado momento. NBR 6118:1980 - Projeto e execuo de obras de concreto armado - Procedimento NBR 6120:1980 - Cargas para o clculo de estruturas de edificaes - Procedimento NBR 7197:1989 - Projeto de estruturas de concreto protendido - Procedimento NBR 7480:1996 - Barras e fios de ao destinados a armaduras para concreto armado - Especificao

2

Licena de uso exclusivo para FITec - Fundao para Inovaes Tecnolgicas Cpia impressa pelo sistema ABNT Digital em 29/05/2002

NBR 14861:2002

NBR 7481:1990 - Tela de ao soldada - Armadura para concreto - Especificao NBR 7482:1991 - Fios de ao para concreto protendido - Especificao NBR 7483:1991- Cordoalhas de ao para concreto protendido - Especificao NBR 8953:1992 - Concreto para fins estruturais - Classificao por grupos de resistncia - Classificao NBR 9062:2001 - Projeto e execuo de estruturas de concreto pr-moldado - Procedimento NBR 9607:1986 - Prova de carga em estruturas de concreto armado e protendido - Procedimento NBR 12654:1992 - Controle tecnolgico de materiais componentes do concreto - Procedimento NBR 12655:1996 - Concreto - Preparo, controle e recebimento - Procedimento 3 Definies Para os efeitos desta Norma, aplicam-se as seguintes definies: 3.1 laje tipo painel alveolar protendido: Conjunto formado por painis alveolares protendidos pr-fabricados, montados por justaposio lateral, eventual capa de concreto estrutural e material de rejuntamento. 3.1.1 painel alveolar de concreto protendido: Denominado PACP, so peas de concreto produzidas industrialmente, fora do local de utilizao definitiva, sob rigorosas condies de controle de qualidade, conforme a NBR 9062. So caracterizados por armadura longitudinal ativa e seo alveolar, definindo almas de concreto, conforme figura 1. Englobam totalmente a armadura inferior de trao necessria; o cobrimento da armadura deve obedecer ao prescrito na NBR 9062.

Figura 1 - Painel alveolar de concreto protendido 3.1.2 rejuntamento: Material destinado a promover a solidarizao entre os PACP justapostos, com caractersticas especificadas pelo fornecedor. 3.1.3 armadura complementar: Armadura adicionada na obra quando necessrio e que deve ser dimensionada e disposta de acordo com o projeto da laje, conforme 5.1. Pode ser: a) de distribuio (sd): armadura posicionada na capa nas direes transversal e longitudinal, quando necessrio, para a distribuio das tenses oriundas de cargas concentradas e para o controle da fissurao, observando o disposto em 5.3; b) superior de trao (sst): armadura disposta sobre os apoios nas extremidades dos PACP, no mesmo alinhamento destes e posicionada na capa. Proporcionam a continuidade dos painis entre si e com o restante da estrutura, o combate fissurao e a resistncia ao momento fletor negativo, de acordo com o projeto da laje, conforme 5.1; c) outras: armaduras especificadas caso a caso, utilizadas para atender s necessidades particulares de cada projeto, conforme 5.1. 3.1.4 capa (c): Placa superior da laje, cuja espessura medida a partir da face superior dos PACP, formada por concreto complementar. 3.1.5 concreto complementar: Concreto preparado de acordo com a NBR 12655, aplicado na obra, com a resistncia, trabalhabilidade e espessuras especificadas de acordo com o projeto da laje e as especificaes de execuo conforme 5.1, aplicado para formao da capa da laje. 3.1.6 chave de cisalhamento (chavetas): Folga entre as bordas dos elementos pr-moldados justapostos, que deve apresentar geometria adequada para garantir transmisso da fora cortante, sem levar em conta a aderncia entre o rejuntamento ou capa, com os PACP. 3.2 flecha: Maior deslocamento perpendicular ao plano da laje. Este valor deve ser calculado conforme a NBR 6118 e deve respeitar os limites prescritos pela NBR 9062. 3.3 contraflecha: Deslocamento vertical decorrente da protenso aplicada nos PACP, durante a fabricao, contrrio ao sentido da flecha. 3.4 cargas (aes): Aes especificadas por sua intensidade, natureza e localizao sobre a laje. 3.4.1 carga permanente de peso prprio: Somatria do peso dos PACP e dos materiais complementares (armaduras adicionais e concreto complementar).

NBR 14861:2002

Licena de uso exclusivo para FITec - Fundao para Inovaes Tecnolgicas Cpia impressa pelo sistema ABNT Digital em 29/05/2002

3

3.4.2 cargas permanentes adicionais: Cargas decorrentes de alvenarias, revestimentos, contrapisos e outras que sero parte integrante da carga da laje. 3.4.3 carga acidental: Carga distribuda ou concentrada sobre a laje, conforme definido na NBR 6120, ou outras normas especficas aplicveis utilizao da estrutura. 3.4.4 carga adicional total: Somatria das cargas acidentais e permanentes adicionais. No se inclui neste valor, para efeito de especificao, o peso prprio da laje. 3.4.5 carga de trabalho: Cargas incidentes sobre a laje durante a fase de montagem, at que o concreto complementar alcance a resistncia definida pelo projeto estrutural. 3.5 altura total da laje (h): Menor distncia entre o plano inferior e o plano superior da laje, j com o concreto complementar lanado, adensado e regularizado (PACP e capa). 3.5.1 altura do PACP (hp) : Distncia entre o plano inferior e o plano superior do PACP. 3.6 Vos 3.6.1 vo livre: Distncia entre faces de dois apoios consecutivos. 3.6.2 vo terico: Distncia utilizada para efeito de clculo e dimensionamento da laje, obtida a partir do vo livre, de acordo com o disposto na NBR 6118. 4 Requisitos gerais 4.1 Materiais 4.1.1 Concreto O concreto que compe os PACP e o concreto complementar devem atender s especificaes das NBR 6118, NBR 8953, NBR 12654 e NBR 12655. A resistncia caracterstica compresso deve ser a especificada pelo projeto estrutural, sendo exigidas no mnimo classes C25 para os PACP e C20 para o concreto complementar. No caso da execuo concomitante do concreto complementar e do concreto da estrutura, prevalece o de classe mais alta especificado no projeto. O concreto das classes C25 e C20 corresponde s resistncias caractersticas compresso aos 28 dias, de 25 MPa e 20 MPa, respectivamente. 4.1.2 Ao O ao para fins de utilizao em lajes pr-fabricadas deve atender ao disposto na tabela 1. Tabela 1 - Ao para utilizao em lajes tipo painel alveolar protendido Dimenses em milmetros Produto Barras/fios de ao CA50/CA60 Tela de ao eletrossoldada Fios de ao para protenso Cordoalhas de ao para protenso 4.1.3 PACP Os PACP devem apresentar cor homognea, ser livres de falhas no concreto e possuir dimenses em conformidade com as especificaes do projeto de fabricao do fornecedor. 4.1.4 Montagem A montagem dos elementos pr-fabricados deve obedecer ao disposto no projeto de execuo da laje e no manual de colocao e montagem da laje, quanto ao arranjo fsico e s especificaes dos PACP. Devem ser executados: a) o nivelamento dos apoios, dentro das tolerncias de montagem especificadas; b) a colocao das armaduras previstas no projeto; c) a instalao de passadios, quando necessrios para o trnsito de pessoal e transporte de concreto; d) lanamento, adensamento e cura do concreto complementar. Norma NBR 7480 5,0 (CA 60) NBR 7481 NBR 7482 NBR 7483 3,4 3,0 3 x 3,0 Dimetro nominal mnimo 6,3 (CA 50)

4

Licena de uso exclusivo para FITec - Fundao para Inovaes Tecnolgicas Cpia impressa pelo sistema ABNT Digital em 29/05/2002

NBR 14861:2002

5 Requisitos especficos 5.1 Projeto da laje O projeto da laje elaborado por profissionais habilitados composto por trs partes distintas, a saber: a) projeto estrutural da laje; b) projeto de execuo da laje; c) manual de colocao e montagem. 5.1.1 Projeto estrutural da laje O clculo e o dimensionamento das lajes (vos, cargas, dimenses, armaduras e materiais complementares) devem ser elaborados de acordo com as NBR 6118, NBR 9062, NBR 7197 e projetos da obra. Especial ateno deve respeitar os limites prescritos pela NBR 9062. O clculo e o dimensionamento das lajes, apresentados sob a forma de memorial de clculo, considerando as premissas de projeto e os resultados, devem conter: a) direo dos PACP; b) vinculao de apoios; c) vos; d) cargas consideradas, conforme 3.4; e) resistncias caractersticas dos materiais; f) classe de resistncia do concreto complementar; g) caractersticas do rejuntamento; h) momento mximo resistente; i) detalhamento de apoio e ancoragem dos PACP; j) dimenses e posicionamento das armaduras complementares; k) anlise e detalhamento das aberturas de qualquer amplitude na laje, quando couber. 5.1.2 Projeto de execuo da laje Documento que deve obrigatoriamente acompanhar a entrega do produto e contemplar o seguinte: a) quantidade, disposio, vos e direo de apoios dos PACP; b) quantidade, especificao e disposio das armaduras; c) especificao do concreto e aos complementares; d) previso de consumo de concreto e ao complementar por metro quadrado da laje; e) altura do PACP; f) altura total da laje; g) espessura e ponto de medio (meio do vo ou apoios) da capa de concreto complementar; h) cargas consideradas, conforme 3.4; i) detalhamento de apoios e ancoragem dos PACP. j) especificao de execuo do rejuntamento; k) anlise e detalhamento das aberturas de qualquer amplitude na laje, quando couber. 5.1.3 Manual de colocao e montagem Documento que deve conter as informaes que orientem a execuo do projeto da laje na obra, complementado pelo documento especificado em 5.1.2. Recomendaes especiais devem ser feitas quanto s interferncias das instalaes hidrulicas, eltricas e de utilidades em geral com a estrutura da laje.

NBR 14861:2002

Licena de uso exclusivo para FITec - Fundao para Inovaes Tecnolgicas Cpia impressa pelo sistema ABNT Digital em 29/05/2002

5

5.2 Capa Deve ser considerada como parte resistente se sua espessura for no mnimo igual a 3,0 cm. No caso da existncia de tubulaes, a espessura mnima da capa de compresso acima destas deve ser de no mnimo 2,0 cm, complementada quando necessrio, com armadura adequada perda da seo resistente. Deve atender ao prescrito na NBR 9062 quanto aos cuidados com a execuo. 5.3 Armadura de distribuio Deve haver uma armadura de distribuio em ambas as direes, colocada na capa de concreto complementar, com 2 2 seo de no mnimo 0,9 cm /m para os aos CA 25 e de 0,6 cm /m para os aos CA 50 e CA 60, contendo pelo menos trs barras por metro, conforme o descrito na tabela 2. Tabela 2- rea mnima e quantidade de armadura de distribuio Nmero de barras/m Ao CA 25 CA 50, CA 60 e tela soldada 5.4 Marcao Todos os PACP devem ter marcao que identifique o fabricante e sua correlao com o projeto. 6 Inspeo 6.1 Inspeo geral Em todas as obras, os PACP devem ser submetidos inspeo geral pelo comprador ou seu representante, para verificao de suas caractersticas, observando-se o disposto nesta Norma e a compatibilidade das caractersticas dos componentes entregues com os especificados no projeto da laje. 6.2 Inspeo por ensaios O comprador pode solicitar provas de carga que demonstrem o desempenho dos PACP na fase de montagem e da laje quando colocada em servio, de acordo com a NBR 9607. 7 Aceitao e rejeio Os PACP que no atenderem a 6.1 e 6.2 na fase de montagem devem ser substitudos pelo fornecedor. Se, quando submetido ao disposto em 6.2, a laje acabada no atender s condies mnimas estabelecidas em projeto, esta deve ser rejeitada, sendo a responsabilidade do fornecedor limitada aos componentes e especificaes por ele fornecido. rea mnima 5,0 mm 0,9 cm / m 0,6 cm / m2 2

6,3 mm 3 3

5 3

________________

Recommended

View more >