Microbiologia - Agentes fsicos qumicos

  • Published on
    26-Oct-2015

  • View
    28

  • Download
    2

Transcript

  • CONTROLE DO CRESCIMENTO MICROBIANO POR AGENTES FSICOS E QUMICOS

    Rosana F. S. Santos

  • POR QUE CONTROLAR O CRESCIMENTO MICROBIANO?

    * Prevenir a transmisso de doenas.

    * Evitar a decomposio de alimentos.

    * Evitar a contaminao da gua e do ambiente.

  • O que so agentes antimicrobianos?

    Substancias que matam osmicrorganismos ou previne o seucrescimento.Antibacterianos, antivirais, antifngicose antiprotozorios

  • Os agentes antimicrobianos que matam os microrganismos so agentes microbicidas

    Bactericida, viricida e fungicida

    SUFIXO CIDA: Nome dos tratamentos que causam a morte direta dos micrbios (MORTE).

    SUFIXO STTICO/STASE: Inibem o crescimento e multiplicao

    SEPSE: Termo grego= estragado/podre (indica contaminao) Assptico = sem contaminao

  • FUNGICIDA/BACTERICIDA: Quando umdeterminado produto exerce uma aoespecfica sobre determinado grupo demicrorganismos.

    FUNGISTTICO/BACTERIOSTTICO:devem ser usados apenas quando eles inibemas atividades vitais daquele determinadomicrorganismo sem mat-lo.

  • Condies que influenciam a Atividade Antimicrobiana

    Tamanho da populao microbiana:Quanto maior a populao, maior o temponecessrio sua eliminao.

    Intensidade ou concentrao doagente microbicida: Geralmente,quanto mais concentrado, melhor (excetolcool)

  • Tempo de exposio ao agentemicrobicida: De acordo com normas daOMS, o tempo mnimo de exposio deveser de 30 minutos.

    Temperatura em que os microrganismosso expostos ao agente microbicida

  • Mecanismos de destruio das Clulas Microbianas

    Citoplasma: DNA, ribossomos e centenas deenzimasMembrana citoplasmtica: mantm aintegridade do contedo celular, controla apassagem de substncias para dentro e fora daclulaParede celular: promove uma proteo queprevine o rompimento das clulas aps absorode gua

  • 1. MTODO FSICO:

    - CALOR (SECO OU MIDO)

    - PASTEURIZAO

    - FILTRAO

    - BAIXAS TEMPERATURAS

    - RESSECAMENTO

    - PRESSO OSMTICA

    - RADIAO

  • CALOR:

    - MATA OS MICRORGANISMO DESNATURANDO SUAS ENZIMAS

    a) CALOR SECO:

    Incinerao: processo drstico de eliminao dos microrganismos e que destroem o produto.

    Flambagem: processo onde o material levado diretamente ao fogo, seja seco ou embebido em lcool (utilizado na desinfeco de alas de vidro).

    Estufa esterilizante: amplamente utilizada para as vidrarias e outros materiais (160 C/2 h ou 180 C/1 h).

  • b) CALOR MIDO:

    -mata os microrganismos pela coagulao das protenas (ruptura das pontes de h estrutura tridimensional)

    -ESTERILIZAO POR CALOR MIDO:

    - Fervura (100 C)

    - Vapor de fluxo livre

    - Autoclave

  • FERVURA:

    Mata as formas vegetativas dos patgenos bacterianos, quase todos os vrus e os fungos e seus esporos

    VAPOR DE FLUXO LIVRE (NO PRESSURIZADO)

    Equivalente a gua fervente

    No mata os endsporos bacterianos e alguns vrus

  • AUTOCLAVE:

    Esterilizao mais confivel: temperatura acima dagua fervente (atravs do vapor sob presso)

    121C suficiente para matar todos os organismose seus endsporos por 15 a 30 min.

  • PASTEURIZAO:

    Tratamento Clssico: 63 C por 30 min

    Pasteurizao de Alta Temperatura e Curto Tempo(HTST high temperature short-time): 72C por15s

    Esterilizao submetido a altas temperaturas (UHT ultra-high temperature) para que possa ser armazenadosem refrigerao (a temperatura vai de 74 C para 140C e depois retorna para a temperatura inicial) 140 C -< 1s (UHT)

  • FILTRAO:

    Passagem de um lquido ou gs atravs deum material semelhante a uma tela, comporos pequenos o suficiente para reter osmicrorganismos.

  • BAIXAS TEMPERATURAS:

    -Depende do tipo de microrganismo e daintensidade de aplicao.

    -Diminuio/interrupo do metabolismo celular.

  • RESSECAMENTO ou DESSECAO:

    Na ausncia de gua, os microrganismos nopodem crescer ou se reproduzir mas podempermanecer viveis por anos atravs das formasde resistncia (endsporos/esporos).

    Cocos gram negativos como N. gonorrhoeae e N.meningitidis so mais sensiveis dessecao, morrendoem questo de minutos

    Streptococcus e outros cocos Gram positivos so maisresistentes e podem sobreviver por horas

    M. tuberculosis, seco em escarro, permanece vivel porum longo perodo de tempo

  • RADIAO:

    Radiao tem vrios efeitos sobre as clulas,dependendo do seu comprimento de onda,intensidade e durao.

    Raios gama, X e UV. Essas radiaes podem matar clulas, inclusive microrganismos

    Destroem composto celulares como DNA e protenas

  • (1) ESTERILIZAO

    (2) DESINFECO

    (3) ANTI-SEPSIA

    (4) SANITIZAO

    Definies

  • 1. ESTERILIZAO:

    Destruio de todas as formas de vida microbiana, incluindo os endosporos (formas mais resistentes)

    - Mtodo mais comum: Aquecimento

    Esterilizao comercial: tratamento de calorsuficiente para matar os endosporos doClostridium botulinum nos alimentosenlatados.

  • 2. DESINFECO:

    - Processo que promove a inibio, morte ouremoo de vrios microrganismos patognicos esaprfitas, sem eliminar todas as formas de vida.(somente a destruio dos patgenosvegetativos e no dos endosporos)

    - Mtodos: - substncias qumicas

    - radiao ultravioleta

    - gua fervente

    - vapor

  • 3. ANTI-SEPSIA: quando este tratamento para um tecido vivo.

    Produto qumico = anti-sptico

    ***Anti-Spticos: menos txicos que os desinfetantes

  • 4. SANITIZAO: Processo que leva reduo dos microrganismos, a nveis seguros, de acordo com os padres de sade pblica (elimina 99,9% das formas vegetativas).

    Ex. lavagem de copos, talheres e louas com alta temperatura ou aplicando desinfetante qumico.

  • Agentes qumicos

    Os agentes qumicos so usados para controlar ocrescimento de microrganismos em ambos ostecidos: vivos e os objetos inanimados.

    Dificilmente se obtm a esterilidade (a maioria noreduz a populao microbiana e nem removem asformas vegetativas dos patgenos).

  • FENOL (cido carblico) E COMPOSTOS FENLICOS-

    Ao: lesam as clulas microbianas pela alterao dapermeabilidade seletiva da membrana citoplasmtica, inativaas enzimas e desnaturam as protenas.

    O fenol por ser txico e apresentar odor desagradvel,no muito utilizado como desinfetante ou anti-spticos

  • Compostos Fenlicos

    So solues contendo dois ou mais agentesfenlicos. So tuberculicidas e fazem adesinfeco em 10 minutos. Podem penetrar napele intacta causando dano tecidual local,devendo ser utilizado com luvas.

  • Lysol um desinfetante produzido a partir de umasoluo de sabo contendo substancia derivadas defenol, utilizado para desinfetar objetos inanimados

    Pastilhas de Garganta: apresenta fenol que tem umefeito analgsico mas baixo efeito antimicrobiano. Emconc. >1% (spray para garganta), >efeitoantibacteriano.

    Hexaclorofeno atua como bacteriosttico em bactrias Grampositivas, particularmente em estafilococos.

    Aplicaes prolongadas do hexaclorofeno so txicas eportanto, a sua utilizao prtica restrita

  • BIGUANIDAS

    -Clorexidina (freqentemente utilizada no controlemicrobiano da pele e mucosas).

    -Efetiva para a maioria das bactrias vegetativas efungos, mas no esporicida

    Efeito bactericida: est relacionado leso que este reagentecausa a membrana plasmtica.

  • HALOGNIOS

    Particularmente Iodo e Cloro (agentesantimicrobianos efetivos)

    -I2 efetivo contra todos os tipos de bactrias,muitos endsporos, vrios fungos, alguns vrus eamebicida.

    -Usado tambm sanificar utenslios dealimentao.

    -Os vapores de iodo podem ser utilizados tambmpara desinfetar o ar

    Mecanismo do I2: inibi a funo protica.

  • HALOGNIOS

    - Cl2 Um dos desinfetantes mais utilizados

    .Hipoclorito de clcio: muito usado na sanificao deutenslios em restaurantes e equipamentos de laticniosHipoclorito de sdio: muito usado como alvejantesdomsticos e a uma soluo 1% usado para higienepessoal e como desinfetante domstico

    O cloro pode combinar com as protenas celulares edestruir as suas atividades biolgicas

  • Compostos Clorados

    Hipoclorito de sdio de 0,05% a 0,5%. bactericida, viruscida e tuberculicida.Por ser instvel deve ser preparadodiariamente. corrosivo para metais,irrita a pele e destri tecidos. Fazdesinfeco em 10 minutos.

  • LCOOIS

    - Matam efetivamente as bactrias e fungos, mas no os

    endsporos e os vrus no-envelopados.

    - Os mais utilizados: Etanol (70 %) e Isopropanol (90%) comoanti-spticos de pele e como desinfetantes de termmetrosclnicos de uso oral e de certos instrumentos cirrgicos.

    VANTAGENS: agem e depois evaporam sem deixar resduo.

    Mecanismos de ao: desnaturao das protenas,rompimento da membrana e dissoluo de muitoslipdios.

  • O lcool metilico ou metanol no utilizadocomo agente antimicrobiano, altamentetxico, o seu vapor pode causar seqelaspermanente nos olhos

  • METAIS PESADOS E SEUS COMPOSTOS

    - Bastante utilizados como germicidas ou anti-spticos.

    - Prata, Mercrio, Cobre e Zinco.

    - Nitrato de Prata 1%, Cloreto de Mercrio, Sulfato de Cobre, Cloreto de Zinco.

    Mecanismos de ao: quando os ons de metal se combinamcom os grupos sulfidrilas (-SH) nas protenas celulares ocorrea desnaturao.

  • Merbronim (mercurocromo), timerosal(mertiolate) e nitromersol (metafen) que soutilizados para tratamento de pequenos cortes,feridas e infeces da pele

    Antigamente usava-se soluo 1% de nitrato deprata para prevenir infeces oculares porgonococos em recm-nascidos

  • AGENTES DE SUPERFCIE

    So compostos utilizados para limpar superfcies

    - sabo: pouco valor anti-sptico (mais importante na remoo mecnica atravs da esfregao).

    - detergentes: reage com a membrana plasmtica (no sotxicos)

  • Quaternrios de amnio: so bactericidas parabactria Gram positivas e negativas

    Desnaturam as protenas das clulas e lesam amembrana citoplasmtica

  • Glutaraldedo a 2%

    Faz desinfeco em 30 minutos com atividadebactericida, viruscida e tuberculicida. Podecausar irritao tecidual grave, devendo sermanipulado com luvas.

  • Formaldedo

    Faz desinfeco em 30 minutos com atividadebactericida, viruscida e tuberculicida. Emconcentraes inferiores a 4%, independentedo tempo de contato, no faz esterilizao.

  • Agentes antimicrobianos

    Agente Antimicrobiano: qualquer compostoutilizado para tratar doenas produzidas porpatgenos. Pode eliminar ou inibir o crescimentode microrganismos, podendo ser de origemnatural ou sinttica.

  • Antibiticos: Alexander Fleming foi o primeiro autilizar o termo antibitico para designarmolculas produzidas por um determinadoorganismo capazes de inibir o crescimento deoutros.

  • Caractersticas gerais das drogas antimicrobianas

    Toxicidade Seletiva: caracterstica quetodo antimicrobiano deve apresentar, poisreflete-se na capacidade de atuarseletivamente sobre o microrganismo, semprovocar danos ao hospedeiro.

  • Espectro de ao: Refere-se diversidade de organismos afetados peloagente. Geralmente os antimicrobianosso de pequeno ou de amplo espectro.

  • Mecanismos de ao dos antimicrobianos

    Inibio da sntese da Parede Celular:Penicilinas, ampicilina e cefalosporinas

    Bacitracina e Vancomicina

  • Ligao Membrana Citoplasmtica

    polimixinas: Ligam-se membrana, entreos fosfolipdios, alterando sua permeabilidade(detergentes). So extremamente eficientescontra Gram negativos, pois afetam tanto amembrana citoplasmtica como a membranaexterna.

  • Inibio da sntese de cidos nuclicos:

    Novobiocina: se liga a DNA girase,afetando o desenovelamento do DNA,impedindo sua replicao.

    Rifampicina: Ligao RNA polimeraseDNA-dependente, bloqueando a transcrio.

Recommended

View more >