Jornal dos Bairros | Edio de Junho 2015

  • Published on
    22-Jul-2016

  • View
    237

  • Download
    21

DESCRIPTION

Confira quem so os presidentes de bairros e da UAB eleitos no pleito comunitrio. Tambm encartado nessa edio os psteres dos ganhadores nos campeonatos de futbol ihterbairros, Srie Ouro e Feminino.

Transcript

  • Ano 19N 05

    dosBairros Junho 2015

    Publicao da Unio das Associaes de Bairros de Caxias do Sul - Filiada FRACAB e CONAM

    Movimento comunitrio j tem seus novos presidentes

    Foto: Karine Endres

    Eleio realizada no dia 14 de junho definiu os novos presidentes das Amobs. Flvio Fernandes, candidato pela Chapa 10, foi eleito o presidente da UAB para os dois prximos ano. Acima, escrutnio

    dos votos na UAB. Confira a lista de eleitos nos bairros |Pginas 08 e 09

    UAB realiza concurso indito e escolhe sua primeira corte de Mais Belas Comunitrias da Melhor Idade | Pg. 03 e 04

    Mais Belas

    Jornal

    Conhea os melhores dos campeonatos Interbairros Srie Ouro e Feminino. Encartada nesta edio os psteres dos campees| Pg. 05, 06 e 07

    Especial Futebol

  • Jornal dos Bairros

    Junho de 2015Opinio 02

    Editorial

    Jornal dos BairrosExpediente: Veculo da Unio das Associaes de Bairros de Caxias do Sul UAB - Rua Luiz Antunes, 80, Bairro Panazzolo Cep: 95080-000 - Caxias do SulFiliada Federao Riograndense de Associaes Comunitrias e de Moradores de Bairros (FRA-CAB) e a Confederao Nacional de Associaes de Moradores (CONAM) Presidente: Valdir Walter

    Diretor de Imprensa e Comunicao: Cludio Teixeira - claudiosteixeira@gmail.comEditora: Karine Endres - MTb. 12.764 - karine.endres@gmail.comReportagem: Karine Endres (jornaldosbairroscx@gmail.com)Estagirio de Redao: Matheus TeodoroEditorao e Design Grfico: Karine Endres

    E-mail: jornaldosbairroscx@gmail.com Telefone: 3238.5348Tiragem: 10.000 exemplares

    Conselho Editorial:Antonio Pacheco de Oliveira, Cludio Teixeira, Flvio Fernandes, Karine Endres, Paulo Saussen e Valdir WalterEmail: uabcaxias@gmail.comComercial: 3219.4281Os textos assinados so de inteira responsabilidade de seus autores.

    O dio e a guerra aos meninos pobres do Brasil

    Habitao e Regularizao Fundiria em Caxias do Sul

    Por Lcia Klipel

    Mande seu recadoEscreva para o Jornal dos Bairros. Mande seu artigo, carta, sugesto, reclamao ou co-mentrio. Entregue na sede da UAB ou pelo e-mail jornaldosbairroscx@gmail.com

    * Lcia Kilpel diretora do departamen-to de Habitao da UAB. As opinies e informaes constantes nos arti-gos assinados so de intereira responsabilidade de seus autores. Elas podem ser enviadas para jornaldosbairroscx@gmail.com

    Ainda temos uma grande demanda quanto habitao digna em Caxias do Sul, apesar de nos ltimos tempos o pro-grama federal Minha Casa Minha Vida ter atendido parte das necessidades da populao caxiense.

    Alm do loteamento Victrio Trez, que trouxe dignidade para as famlias que moravam no valo do Ftima Bai-xa, tambm podemos contar com os re-sidenciais Campos da Serra, que j con-templaram 1.140 famlias, sendo quatro pessoas por famlia, em mdia.

    Mesmo com estes programas e ini-ciativas, sabemos que falta muito para zerar a demanda habitacional em Ca-xias. A cidade conhecida como plo me-tal-mecnico e referncia para a qualida-de de vida atrai muitas famlias imigrantes diariamente. Alm da migrao interna, agora Caxias tambm recebe novos imi-grantes, de outras nacionalidades, como os senegalenses e haitianos, que tam-bm vem em busca de oportunidades e no nos cabe negar a chance da busca por uma vida melhor e a incluso social.

    Quanto regularizao fundiria, tambm temos uma grande defasagem, tendo em vista o crescente nmero de ocupaes e loteamentos irregulares. Soma-se falta de habitao a vinda de famlias e mais famlias que acabam buscando moradia nos loteamentos ir-regulares.

    Entendemos que a verdadeira regu-larizao fundiria em reas ocupadas ir-regularmente compreende a atuao do Poder Pblico nos aspectos fsicos, social e jurdico, tendo tambm como objetivos garantir a titulao s pessoas com baixa renda e a recuperao urbana e ambien-tal, e motivando o desenvolvimento so-cioeconmico e o consequente resgate da cidadania.

    necessrio que seja feita a elabo-rao do plano urbanstico, visando me-lhorias na habitabilidade, acessibilidade e sanidade das reas ocupadas, apoio auto-organizao e a participao da co-munidade no desenvolvimento das aes e decises, garantindo a permanncia dos moradores e excepcionando-se a re-moo nas situaes de riscos s pesso-as, sade e ao meio ambiente.

    Tambm necessrio permitir aces-so e instalao de equipamentos pbli-cos, priorizar a realocao de famlias removidas na mesma rea, incentivar o

    desenvolvimento de atividade econmi-ca conjuntamente com o uso residencial, caso haja compatibilidade, visando a ge-rao de emprego e renda.

    Outra ao importante titularizar somente um imvel a cada proprietrio e proibio de construes que tragam prejuzo para a salubridade das edifica-es, para acessos internos ao ncleo urbano local ou s vias e equipamentos instalados.

    O departamento de Habitao da UAB defende que sejam criadas comis-ses locais com atribuies participa-tivas, tendo a liberdade para opinar e elaborando a implentao e integrao domunidade.

    A regularizao fundiria deve cor-responder rea de Habitao de Inte-resse Social (AHIS), de como da forma prevista pela pela Lei Federal N 9.785, de 29 de janeiro de 1999. Esta lei estabe-lece critrios de urbanizao especfica, mas no se aplica reas de preservao ambiental, de bacias de captao, de ris-cos, das faixas de domnio das rodovias e rede de alta tenso.

    Sabemos, enquanto de departa-mento de Habitao da UAB, da grande complexidade que envolve o tema. Mas tambm temos a convicao de que com empenho e real interesse, poderemos re-solver uma grande parte destes proble-mas, que afligem sobretudo as popula-es pobres da nossa cidade, repetindo aqui um quadro que comum em todo o Brasil.

    Os meninos jovens e pobres no preocupam as elites polticas, apoiadas numa opinio pblica envenenada pela manipulao da mdia privada.

    De volta ao Brasil depois de muitos anos fora que incluram toda a dca-da de 1970, portanto grande parte da ditadura , o que mais me impactou foi uma cena que vi na televiso. No me lembro se era uma propaganda ou um fico. Uma mulher caminhava por uma rua deserta, noite, com pouca ilumi-nao, quando na direo oposta vem um menininho negro.

    reao espontnea de se debru-ar sobre o menino, perguntando onde ele mora, onde ele estava indo naquela hora, como ele se chama, etc, se con-traps um atitude nova. A mulher se apressa em cruzar a rua e se distanciar do menino, com evidente medo e pni-co mesmo de ser assaltada.

    Me dei conta ali que algo de muito profundo tinha mudado no Brasil com a ditadura. Ao invs de gerar piedade, ateno, cuidado, o menino pobre era sinal de perigo. Os meninos pobres do Brasil estavam incorporados s classes perigosas, aquelas que representam ris-co para a propriedade, para a integridade fsica dos que possuem bens e se sentem vtimas possveis de assaltos.

    A aprovao, numa comisso da Cmara, da diminuio da idade de maioridade penal, uma continuao e consolidao daquela atitude. Neste caso, a maioria dos deputados ouve fa-lar de menino pobre e no cruza a rua, mas saca o revolver.

    Assim as elites polticas, eleitas com o financiamento das grandes em-presas privadas, tratam os meninos po-bres do Brasil a grande maioria da in-fncia e da juventude, a maioria da po-pulao brasileira. Trata-se de desatar uma guerra aberta, agora com cobertu-ra legal, contra os meninos e jovens po-bres. De usar o aparelho legal, alm do policial, para condena-los s srdidas prises, pelas quais nenhum desses de-putados se interessa porque no so filhos dos seus eleitores, nem parentes dos seus financiadores.

    Os meninos e jovens pobres no suscitam ateno e preocupao da grande maioria das elites polticas, apoiadas numa opinio pblica envene-nada pela manipulao da mdia priva-da. Suscitam posturas de encerramento nas masmorras, das quais s sairo, se sarem, diplomados pelo crime organi-zado. Porque nem o Judicirio se ocupa de que a funo oficial de recuperao social seja minimamente cumprida. A condenao s prises a condenao morte social. A isso querem condenar agora tambm os jovens de entre 16 e 18 anos.

    A forma como uma sociedade tra-ta dos meninos e dos jovens a forma como pensa seu futuro. Neste caso, se est excluindo a grande maioria do fu-turo, reservado apenas aos que se dei-xam levar pela mentalidade de dio e de guerra contra os meninos e os jovens pobres do Brasil.

    Por Emir Sader*

    * Emir Sader socilogo e cientista po-ltico.

  • Jornal dos Bairros

    Junho de 2015Mais Belas 03

    As integrantes da corte Maria Marilene, 1 Princesa, Maria Olinda, Mais Bela, Dejanira Terezinha, 2 Princesa e Noeli Hoffmann, Simpatia

    Foto: Studio 7

    Eleita a primeira corte de Mais Belas da Melhor Idade

    Saiba quem so as Mais Belas da Melhor Idade Jornal dos Bairros: Por qual mo-tivo voc se inscreveu no con-curso?

    Maria Olinda: Se tenho condi-es de fazer alguma coisa, vou e fao. E com o concurso no foi diferente. Entrei sem a pre-tenso de sair vencedora e sa-

    Maria Olinda Polidoro, 72 anos, re-presentante do Petrpolis, foi eleita a Mais Bela Comunitria da Melhor Idade. Ela tem como primeira e segunda prin-cesas, respectivamente, Maria Marilene Guimares Alves, 55, do Bom Pastor, e Dejanira Teresinha Giazzon Mendes, 58, de So Pelegrino. Noeli Hoffmann Ubar-di, 65, do Cruzeiro, Simpatia da Melhor Idade, completa a corte.

    Ao todo, nove mulheres se inscre-veram no concurso, mas apenas sete seguiram at a grande final. Elas foram avaliadas pela beleza e pela desenvol-tura na passarela, mas tambm pelo co-nhecimento que demostraram ter sobre a histria do municpio e do movimento comunitrio, em entrevistas com o cor-po de jurados.

    A diretora do Departamento da Ter-ceira Idade e idealizadora do evento, Vil-ma Leite, subiu ao palco logo no inicio da escolha. Ela destacou que a ao foi criada para engajar as meninas da me-lhor idade nas atividades comunitrias e agradeceu aos apoiadores e ao em-penho de todos os departamentos da UAB no concurso.

    O entusiasmo, a disposio e a fora de vontade das meninas me deixa-ram muito feliz e fizeram com que essa primeira edio fosse muito satisfatria e surpreendente, afirmou.

    A escolha teve o apoio de Centro Esttico Luz da Lua, Fit Life Produtos Naturais, Hinode Cosmticos, Jornal dos Bairros, Prefeitura de Caxias do Sul, R-dio UAB FM, Studio 7 e Visate.

    Como foi o domingo da final

    Depois de uma manh cheia de atenes, onde receberam massagens, maquiagens e penteados especiais no Centro Esttico Luz da Lua, as sete con-correntes chegaram ao UAB Cultural por volta das 13h30.

    Elas foram foram recebidas por membros dos departamentos de Orga-nizao da Mulher e da Terceira Idade.

    As candidatas fizeram o ltimo en-saio de passarela, individual e coletiva-mente, por volta das 14h,

    Neste momento, elas foram orien-tadas pela jovens da corte de Mais Bela Comunitria 2014/2016: Nathalia Trin-dade, Luisa Paim, Tainara Dondoni e Ingrid Bonatto.

    Alm das ganhadoras, tambm par-ticiparam Eva Salete Souza, Lcia Cous-seau e Marilene Margarida Gnoatto.

    Torcidas do showO corpo de jurados tambm avaliou

    as torcidas, considerando a criativida-de, a esportividade e o visual de cada uma delas. As trs melhores torcidas fo-ram, em ordem, as de Noeli Hoffmann Ubardi, Eva Salete Souza e Marilene Margarida Gnoatto. Todas receberam um trofu, sendo que a primeira e mais animada tambm foi premiada com um fardo de cerveja.

    O Jornal dos Bairros entrevistou a corte eleita do Mais Bela Comunitria da Melhor Idade. Conheca um pouco mais dessas mulheres que

    no tiveram medo de viver a experincia e inauguraram um novo concurso da UAB.

    bia que tinha condies de ir at o fim, por isso no desisti e acabei sendo coroada a Mais Bela Comunitria da Melhor Idade de Caxias do Sul. Par-ticipei, basicamente, porque gosto de fazer coisas diferen-tes e viver novas experincias.

    Maria Marilene: Os fatores que me levaram a participar foram o convite da minha comunidade (Bom Pastor) para represent-la e a vontade que eu tinha de me sentir melhor comigo mesma.

    Dejanira: Participo do Projeto Conviver e minha instrutora co-

  • Jornal dos Bairros

    Junho de 2015Mais Belas 04

    Vilmar BoschettiPresidente da AMOB do Bairro So Jos

    mentou sobre a primeira edio do concurso. De uma turma de 50 mulheres, fui nica que de-monstrou interesse em se ins-crever. Confirmei minha parti-cipao e, como em breve irei parar de trabalhar, fiz do Mais Bela Comunitria a primeira de uma srie de atividades para que eu possa ter contato com outras pessoas, no ficando so-mente em casa.

    Noeli: Resolvi me inscrever porque sou muito simptica e gosto de fazer novas amiza-des, alm de amar meu povo e meu bairro.

    JB: Qual foi a reao da sua fa-mlia ao saber de sua participa-o no Mais Bela Comunitria?

    Maria Olinda: Foi a melhor possvel. Todos me apoiaram, em especial meu marido, que esteve ao meu lado em todos os compromissos da UAB.

    Maria Marilene: Minha fam-lia sempre me apoiou e, neste caso, no foi diferente. Todos ficaram muito felizes quando souberam da minha inscrio.

    Dejanira: A reao foi bastan-

    Segunda a Sexta6h s 8h - Bom dia 87.5 - Osmar Gasperin8h s 10h - Voz dos Bairros - Jos Peroni

    10h s 12h - Manh do Ouvinte - Luciano Behm16h s 18h - Guigo Show - Rodrigo Fontinel

    18h s 19h - Fala Tch - Slvio Souza19h s 20h - Voz do Brasil

    20h s 22h - Misturado - Cludio Renato

    Sbado8h30 s 10h30 - Atualizando Notcias - Antonio Pacheco

    10h30 s 12h30 - Sabado do Sucesso - Marclio Rodrigues14h s 16h - Show de Bandas - Marcos Oliveira

    Domingo9h s 13h - Repontando Tradies - Albery de Mattos e

    Chiquinho

    14h s 16h - Os Bons Momentos Esto de Volta - Gilberto Godoy

    |54| 3041.1273www.radiouabfm.comfacebook.com/radiouabfm87.5WhatsApp: 9683.8831

    Rua Francisco Getlio Vargas, n 1215, Bairro Petrpolis

    te positiva. Minha filha foi a pri-meira a me dizer que eu deveria ir com muita fora de vontade a este desafio.

    Noeli: O apoio da famlia e dos amigos foi essencial para que eu no desistisse do concurso em momentos de dificuldade, por exemplo. Todos estiveram comigo, do meu marido, que tem um jeito diferente de ser, at a minha filha, que me acom-panhou em todos os compro-missos, sendo uma me que eu no tive.

    JB: Quais foram os maiores aprendizados do pr-concurso?

    Maria Olinda: Aprendi a ven-cer a timidez, a falar mais e a manter o dilogo com pessoas que no conhecia. Alm disso, tomei conhecimento sobre fa-tos histricos de Caxias e do movimento comunitrio do municpio.

    Maria Marilene: Aprendi a conviver melhor com todas as pessoas, especialmente com as que tem uma idade parecida com a minha, como as senhoras que concorreram comigo. Ter convivido com todas elas du-

    rante esse perodo foi muito gra-tificante.

    Dejanira: Eu no ti-nha ideia de como era rica a histria do movimen-to comu-nitrio ca-xiense. Sa-ber da im-portncia de entida-des como a UAB foi o meu maior apren-dizado.

    Noeli: Aprendi muitas coisas novas a partir de ideias dife-rentes. Tambm soube divulgar melhor a importncia das figu-ras da Amob e da UAB.

    JB: Como voc pretende atuar no movimento comunitrio?

    Maria Olinda: Pretendo atuar com seriedade e ir a todos os compromissos que sejam pos-sveis. Sou eternamente grata pela ateno que a UAB me deu

    durante o concurso e espero, sinceramente, que eu consiga pagar isso com a minha atu-ao. Quero colaborar com o que for possvel. Quero fazer alguma coisa.

    Maria Marilene: Procurarei par-ticipar de todas as reunies da UAB com dilogo e participa-o, valorizando as opinies de todos e colocando as minhas percepes para podermos atender todas as comunidades de Caxias do Sul, incluindo a que represento.

    Dejanira: No sei como pode-rei ser til no movimento, mas estou disposta a contribuir da melhor maneira em qualquer um dos diferentes departamen-tos da entidade.

    Noeli: Junto Amob, quero ofe-recer grupos de ajuda aos ido-sos, com equipes indo at as casas e auxiliando na marca-o de consultas mdicas, por exemplo. Desejo auxiliar aque-les que muitas vezes chegam a uma idade avanada tristes e desiludidos com a vida.

    Torcida de Noeli Hoffmann, Simpatia da Melhor Idade, foi eleita a melhor

    Foto: Maria Paula Demoliner

  • Jornal dos Bairros

    Junho de 2015Esporte 05

    UAB premia melhores da Srie Ouro e Feminino em 2015

    O 21 Campeonato Interbairros de Futsal Srie Ouro Copa Sebastio Nunes e o 9 Campeonato

    Interbairros de Futsal Feminino Copa

    Gema Prada Refosco chegaram ao fim no

    dia 23 de maio.

    Das trs partidas finais que estavam marcadas para aque-le sbado, no Enxuto, apenas uma ocorreu.

    As decises de terceiro e quarto lugares das duas sries no aconteceram devido au-sncia de duas equipes. Entre as mulheres, a terceira coloca-o ficou com a equipe do So Caetano, diante do no compa-

    recimento do Tijuca. Entre os homens, o mesmo lugar ficou com o Sculo XX, j que o Belo Horizonte estava desfalcado, o que impossibilitou a disputa.

    Na Srie Feminino, nem mesmo o jogo da grande final ocorreu. Isso porque o Jardelino Ramos tambm se ausentou, fa-zendo com que o time do Ftima se tornasse bicampeo sem ao menos ter entrado em quadra.

    Serrano sobra em quadra e campeo

    da Srie OuroFinalista pela segunda vez

    consecutiva, o Serrano no decepcionou sua comunidade e desta vez ergueu o ttulo de campeo da Srie Ouro. O time vencedor derrotou o Arco Bale-no II por 3 a 1.

    A equipe da Zona Sul inves-tiu na marcao pesada, princi-palmente nos instantes iniciais

    de partida. Aps, passou a ser dominada pelo Serrano, que pressionou muito e abriu o pla-car em uma cobrana de falta.

    No segundo tempo, os campees ampliaram o mar-cador em um lance polmico, quando um de seus adversrios estava cado no cho, j na me-tade do perodo. Por sua vez, o Arco Baleno II reagiu e descon-

    Campeo - Serrano2 Lugar - Arco Baleno II3 Lugar - Sculo XXMelhor Tcnico - SerranoGoleador - Sculo XXDefesa Menos Vasada - Sculo XXDisciplina Geral - SerranoDestaque - Paula da Rosa - apoiadora do Departamento de Esportes da UAB

    21 Campeonato de Futsal Srie Ouro Copa Sebastio Nunes

    (in memoriam)

    Srie Ouro

    Campeo - Ftima Alta2 Lugar - Jardelino Ramos3 Lugar - So CaetanoMelhor Tcnico - Ftima AltaGoleador - Ftima AltaDefesa Menos Vasada - Ftima AltaDisciplina Geral - Ftima AltaDestaque - Edenilson Barbosa Gonalves - Treinador da equipe do So Caetano

    9 Campeonato de Futsal Feminino - Copa Geni Refosco

    (in memoriam)

    Feminino

    tou, mas levou o terceiro gol nos acrscimos e comemorou a conquista do vice com aplau-sos torcida.

    Os gols do Serrano foram marcados por Diego, Israel e Pa-trick, enquanto o Arco Baleno II balanou as redes com Edison.

    Campeonato mais disciplinado

    O diretor do Departamen-to de Esportes da UAB, Josmar dos Santos, estima que aproxi-madamente 300 atletas tenham passado pelas quadras do En-xuto e do Vasco durante os ltimos trs meses, perodo em que a bola rolou nos jogos das sries Feminino e Ouro. Ele des-taca tambm que os jogadores estiveram mais disciplinados em quadra.

    Os atletas foram mais se-renos para as partidas e hou-ve pouqussimos incidentes, o que contribuiu para o bom an-damento dos torneios, afirma.

    Josmar percebe tambm que o nmero de pessoas pre-sentes nas arquibancadas vm aumentando ao longo dos anos.

    Tivemos um pblico mui-to bom. Alm dos familiares dos jogadores, percebemos uma participao maior de pessoas que no tem relao com o mo-vimento ou com os times, diz

    Confira os premiados

    Equipes e familiares prestigiam a premiao

    Fotos: Karine Endres

  • 21

    C

    am

    peo

    nato

    In

    terb

    air

    ros

    de F

    uts

    al

    Sri

    e O

    uro

    Co

    pa S

    eb

    ast

    io

    Nu

    nes

    in

    mem

    ori

    am

    SER

    RA

    NO

    CA

    MP

    E

    O

    Rea

    liza

    o

    :O

    rgan

    iza

    o:

    Ap

    oio

    :

  • 8

    Cam

    peo

    nato

    In

    terb

    air

    ros

    de F

    uts

    al

    Fem

    inin

    oC

    op

    a G

    em

    a R

    efo

    sco

    in

    mem

    ori

    an

    F

    TIM

    A C

    AM

    PE

    O

    Rea

    liza

    o

    :O

    rgan

    iza

    o:

    Ap

    oio

    :

  • Jornal dos Bairros

    Junho de 2015 08Eleies Comunitrias

    LOTEAMENTO CandidatoADAMATTI MARIA REGINA LICKS

    AEROPORTO SAMUEL JOS ABREU

    ALTOS DA MAESTRA FRANCISCO RICARDO DOS SANTOS

    ALTOS DE GALPOLIS SANDRO CSAR DAL MAGRO

    ALTOS DO SANTIAGO LENIR P. DA SILVA

    ALVORADA JOO FELISBINO PADILHA

    ARCO BALENO JURACI ANTUNES LEO

    ARCOBALENO II ODACIR PAULO MOREVSKI

    ASSUNO SALETE VALQUIRIA R. SCHNEIDER

    BELA VISTA GILDA FTIMA PONTALTI

    BELVEDERE ALAOR CORREA BARBOSA

    BINOTO ANTONIO NEREU GIL

    BOA VISTA RENEL MALCORRA BUENO

    BOM PASTOR I ERACDIO SANTANA DE OLIVEIRA

    BOM PASTOR Ii MARINES PEGORARO (CHAPA 541)

    BORTOLINE ERONI ALANO FERRAZ

    BRANDALISE NESTOR ANTUNES RANKRAPPES

    CAMPOS DA SERRA SIMONIA LOPES DIAS

    CANNYON MARCIANO CORREA DA SILVA

    CAPIVARI GELSON TELLES

    CASTELO IVETE MARIA BOFF MOREIRA

    CENTENRIO I NELSON PASQUALON

    CENTRO MARCO ANTONIO DONCATTO

    CIDADE INDUSTRIAL HUGO TRINDADE DA SILVA

    CIDADE NOVA I E II ASTRIO CHEOMENTA

    CIDADE NOVA IV ACILIO SALING

    CINQUENTENRIO I FERNANDA NUNES

    CINQUENTENRIO II LUIZ PINTO

    COHAB SANTA LCIA MANOELA N. BRITO

    COLINA DAS CASTANHEIRAS MARIZA TEREZINHA B. DE OLIVEIRA

    COLINA DO SOL VALDECIR DA SILVA

    COND. N. SRA. DO ROSRIO IARA DALLA PRETA

    COOP. ESPERANA DO VALE ELOI DE BITENCOURT

    CRUZEIRO ELEIO SUSPENSA

    DE LAZZER I ENIO PEDROTTI

    DE ZORZI II MOACIR TOSS

    DESVIO RIZZO IZABETE TOSS LIMA

    DIAMANTINO DANTE PINGUELLO

    ESPLANADA LUIZ CARLOS DE OLIVEIRA FERREIRA

    EUZEBIO BELTO DE QUEIROZ NO REALIZOU ELEIO

    EXPOSIO LUCAS THIMMIG DEIEL

    LOTEAMENTO CandidatoFADANELLI / SANTA MARTA NELSON ADRIANO PEREIRA DE MACEDO

    FATIMA BAIXA CLEUSA FARIA DE OLIVEIRA

    FLOR DA SERRA ODAIR CARLOS GUEDES DA SILVA

    FLORESTA CLAUDIO ROBERTO DE LAZZARI

    FORQUETA ALDA TEREZINHA V. FOGAA

    GALPOLIS MARIA PATRICIO PINTO

    GARBIN VANDERLEI FISTAROL

    GLRIA JOO CARLOS MARTINS

    GRUPO ASSOC. FLORESTA II LUCIMARA SALETE WOSNIAK

    GRUTA JANETE APARECIDA DE SILVA

    INTERLAGOS EDSON MORAES

    JARDELINO RAMOS SIMIO DE VARGAS

    JARDIM ADORADO ILDEFONSO IVAN B. DA FONSECA

    JARDIM AMRICA E MARGARIDA ROGRIO DSON GARCIA DA SILVA

    JARDIM AMRICA LOT. ANTENA FRANCISCA MARIA OLIVEIRA ARAUJO

    JARDIM DAS HORTNCIAS RUDIMAR ANTONIO S SILVA

    JARDIM DAS TORRES RAFAEL HENRIQUE GOMEZ BADO

    JARDIM DO LAGO ORIOL BRASIL NUNES FILHO

    JARDIM DOS REIS ALDENIR DOS S. GOMES

    JARDIM ELDORADO DALVIR DA SILVA MORAES

    JARDIM EMBAIXADOR FERNANDO DE OLIVEIRA DA SILVA

    JARDIM ESMERALDA ITACIR BORSATO

    JARDIM FILOMENA CLAUDIO ANTUNES RIBEIRO

    JARDIM IRACEMA MARCIA DENISE DA SILVA

    JARDIM ITLIA CARLOS ROBERTO MIRANDA

    JARDIN LA PALOMA EVANDRO ARI REISNER

    JARDIN ORIENTAL LEVINO RODRIGUES SILVA DAHMER

    JARDIM TERESPOLIS FLAVI ALMEIDA DE VARGAS

    JARDIN TIROL GENTIL MARIA DUTRA

    JOCKEY CLUBE / SAMUARA CARLA PACHECO

    JUVENTUDE ERCIO LUTKE MEYER

    LEON SIRLEI DE LURDES DA LUZ

    LOT. KAHLER BEATRIZ MARIA BASSO

    LOT. PINHAL CLADIMIR DIAS NUNES

    LOT. POPULAR VILA LEON ELEIES SUSPENSAS

    LOT. SO LUCAS DENISE BERNARDO DA SILVA

    LOT. SO PEDRO CELSO LUZ DA SILVA

    LOT. VALDECIR BERTOTI TATIANE NOVELLO

    LOT. VITRIA GENSIO JESUS DOS SANTOS

    LOTEAMENTO CAXIAS ADELAR WALTER

    LOTEAMENTO CONQUISTA VALDOIR VIDALECHS

    Presidentes Eleitos

    Eleitas lideranas comunitriasO dia 14 de junho foi de eleio

    nos bairros de Caxias do Sul. Ao todo, 14.676 pessoas votaram nas eleies em 199 Associaes que realizaram o pleito.

    Flvio Fernandes, candidato pela Chapa 10, Renovao e Compromisso, foi eleito o novo presidente da Unio das Associaes de Bairros, dando con-tinuidade ao trabalho que vem sendo desenvolvido pela atual gesto.

    O novo presidente eleito conquis-tou 14.039 votos, representando 66,56% dos votos vlidos, contra 3.681 votos feitos pelo candidato da Chapa 20, Mu-dana e Renovao Comunitria, enca-beada por Itacir Pegoraro.

    Ao todo, 204 Associaes de Mo-radores estavam inscritas para realizar

    a eleio, mas apenas 199 retiraram a documentao e ficaram aptas para o pleito.

    Estas cinco associaes no retira-ram a documentao do pleito e ento, no puderam fazer a votao nos seus bairros, afirma Vilmar Boschetti, presi-dente da Comisso Eleitoral.

    Das Associaes que realizaram a eleio, duas tiveram o pleito suspen-so antes da abertura das urnas eletr-nicas, por problemas na listagem de votao. O problema foi registrado no bairro Cruzeiro e no Loteamento Popu-lar Vila Leon. J no Mariland, a votao foi completamente anulada.

    Alm disso, em oito Associaes a votao para a UAB foi anulada e foram

    validados apenas os votos para a cha-pa candidata Amob. Nestes oito lo-cais no havia disputa local, com chapa nica e a votao foi em urna de lona e cdulas de papel.

    Material apreendidoA Justia Eleitoral recolheu mate-

    rial das eleies da UAB, aps os inte-grantes da Chapa 20 fazerem a solici-tao afirmando que houve fraude nas eleies.

    O que ocasionou o pedido de apreenso foi o fato de algumas cdulas em determinadas Amobs no contarem com a assinatura do mesrio, e os re-presentantes da Chapa 20 defenderem que nestes casos, toda a urna deveria

    ser anulada, o que no foi acatado pela Co-misso Eleitoral, explica Vilmar.

    As urnas que apresentaram este problema foram avaliadas caso a caso antes do trmino da apurao dos votos.

    Naquelas urnas onde o nmero de votos coincidia com o nmero de assinaturas, mas as cdulas no haviam sido rubricadas pelos mesrios, consideramos como sendo um es-quecimento e os votos foram validados. J nos locais onde havia diferena entre o nmero to-tal de votantes segundo a lista e de cdulas, as votaes para a UAB foram anuladas, mas mantidas para a chapa nica, explica Bob.

    Os diretorias das Amobs e da UAB elei-tas para a gesto 2015/2017 tomam posse no sbado, 20 de junho, durante uma Assem-bleia Geral.

  • Jornal dos Bairros

    Junho de 2015Eleies Comunitrias 09

    LOTEAMENTO CandidatoMADRI JAIME GELAIM

    MADUREIRA TERESINHA MARIA SUSIN PERONI

    MARECHAL FLORIANO SOLANGE NERES

    MARIANI ANIVALDO ZANCANARO

    MARIANINHA DE QUEIRZ ROSANA SALDANHA PEREIRA

    MARILAND SELEIO ANULADA

    MATTIODA SALETE DA SILVA GARCIA

    MILENIUM CLOVIS BARBOZA

    MOINHOS DE VENTO HORAIDE FERREIRA

    MOINHOS GERMANI GERVSIO LONGHI

    MONTE CARMELO KIOG IZAC LUCIANO DIAS

    MONTE REALI SALETE ASCARI

    MONTES CLAROS CLAIR HELENA DA SILVEIRA

    MORADA DO SOL WALDEMAR A. CORREA RODRIGUES

    MORADA DOS ALPES JACIR ANTONIO

    MORADA FELIZ JOO RONI NORONHA

    N. SRA DA ROCCA SO VIRGILIO ALBINO ANDREIS

    N. SRA. CONSOLAO JOSE DE JESUS FREITAS ABREU

    N. SRA. DAS GRAAS JOS M. CORRA DUARTE

    NOSSA SENHORA DA PAZ CLAUDEMIR BIGLIA

    NOSSA SENHORA DO CARAVGIO I ARCEBIO R. A. DA SILVA

    NOSSA SRA. CARAVAGGIO II PAULO KOWALESKI

    NOSSA SRA. DE FTIMA JUCEMAR ALVES

    NOSSA SRA. DE LOURDES PAULO HIGINO FAVETTI

    NOSSA SRA. DO ROSRIO LORETE ANA BROSOTTO

    NOVA ESPERANA EDSON DE SOUZA XAVIER

    OCUPAO INDUSTRIAL JOO SILVIO DA ROSA

    OURO VERDE GILBERTO DA SILVA COELHO

    PAIQUER NERON P. MEDEIROS

    PANAZZOLO MARIA FERNANDA SEIBEL

    PARADA CRISTAL AGOSTINHO TOMIELO

    PARAISO CRISTAL VALDEVINO FENS

    PARQUE ALVORADA ANA DULCE ROSA CNICO

    PARQUE DAS ROSAS I GILMAR ANTNIO PRICO

    PARQUE DAS ROSAS II SANDRA ROBERTA FORMIGONI DA ROCHA

    PARQUE DOS VINHEDOS PAULO ROBERTO PEREIRA

    PARQUE OASIS JEFERSON PEREIRA OLIVEIRA

    PEDANCINO MARCELO BRANDALISE

    PETRPOLIS JOO CARLOS BALDASSO PASSOS

    PINHEIROS JOS BRESOLIN

    PINHO VERDE MARILENE DE ALMEIDA

    PIO X ALBERTO CAMILO

    PIONEIRO MARIDES SANTOS NERY

    PLANALTO FRENTE EOCI ROGERIO RIBEIRO

    PLANALTO I EDISON BORGES

    PLANALTO II ADEMIR SARAIVA

    PLANALTO RIO BRANCO MARLI VILLA

    POR DO SOL JOSE GONALVES DA SILVA (CHAPA 521)

    PORTAL DA MAESTRA SIRLEI DA CRUZ BORGES

    PORTINARI MARIA APARECIDA STECCA

    PRESIDENTE VARGAS/D PEDRO II SERGIO L. CAMPOS

    PRIMEIRO DE MAIO ILVES MARIA TEIXEIRA (CHAPA 511)

    RECANTO DOS PASSAROS CLAUDIO WALTRICK DE CARVALHO

    REOLON NORMELIO ANTNIO ZORZI

    RESIDENCIAL BONALUME ERMELINDA FERREIRA DE MACEDO

    RIO BRANCO SERGIO ROBERTO SCOLA

    ROTA DO SOL PAULO ROBERTO DE OLIVEIRA

    RUBIANO ANA MARIA CABERLON GATELI

    SAGRADA FAMILIA ANGELO VOLNEI PASQUAL

    SAGRADA FAMILIA II HENRIQUE PAIN DE ABREU

    SAINT'ETTIENE ELOI HOFFMAN DA SILVA

    SALGADO FILHO JOS GUERREIRO DOS SANTOS

    SANTA CATARINA BEATRIZ REGINA PERIN

    SANTA CORONA II JURANDYR SIMPLICIO DA SILVA JUNIOR

    SANTA F ELIO DA SILVA BRAZ (CHAPA 551)

    SANTA LCIA (9 LGUA) EVERTON LUIS MACHADO DE S

    SANTA TEREZA SEBASTIANA S. DRUN

    LOTEAMENTO CandidatoSANTO ANTONIO (SANTA F) WILSON NUNES DELFFES

    SANTO ANTONIO DE ANA RECH JOSE NARCISIO ZARDO

    SANTO ANTONIO II CELINA BERENICE MONTEIRO

    SANTOS DUMOND JAQUELINE ROSA DE OLIVEIRA

    SANVITTO / VILLAGGIO IGUATEMI GABRIELA MEIRELLES

    SO BERNARDO E FRANZI GLAUCIO AURELIO DE SOUZA

    SO CAETANO MARLI SALETE DE OLIVEIRA

    SO CIRO LUIZ LORENALDO BARBOSA

    SO CRISTOVO NEURA PINTO PEDROTTI

    SO FRANCISCO LEON DINIS B. DA SILVA

    SO GABRIEL SONIA TEREZINHA S. JESUS

    SO JOS ADO IVAN VANIN FROES

    SO LEOPOLDO WAGNER RODRIGUES MARAL

    SO LUIS CLORI BITTENCOURT

    SO LUIS DA 6 LGUA JAIR LUIZ MONTEIRO NETTO

    SO MATEUS NELSON BEISE

    SO SALVADOR EDSON STECANELLA

    SO VICENTE CLENAU SOARES DE OLIVEIRA

    SO VICTOR COHAB JULIO CELSO DA ROSA

    SCULO XX ELVERO VIEGAS DE BRITTO

    SERRANO CLOVIS DANEI ALVES DA SILVA

    SOL NASCENTE SERGIO SAVI DOS SANTOS

    SOLAR DO PRADO OSMARINA BRAGHINI

    TIJUCA LOIR JOS DA SILVA

    TREVISO JOSIMARA SILVEIRA DE JESUS

    UNIO JOSE LAERTE NUNES DE LIMA

    UNIVERSITRIO JOSE IVAN DE SOUZA MELO

    UNIVERSITRIO II MARIL LANFREDI DA SILVA BRAGA

    VALE DA ESPERANA TATIANE DUARTE DE OLIVEIRA DA SILVA

    VNETO IVONE DOS SANTOS DALPR

    VENEZA IMARIA BEATRIZ MACHADO

    VERA CRUZ II MAX MOTA RODRIGUES

    VERGUEIROS II PAULO A DE OLIVEIRA

    VILA AMLIA ZILDANE DA SILVA CORREA

    VILA AMLIA II DIRLEI SILVEIRA DA ROSA

    VILA BRASIL MARILI CONSOLADORA PEREIRA

    VILA CRISTINA CLAUDETE MARIA BORTOLUZ

    VILA DO ROSARIO I EDI MARIA BOLSAN

    VILA DO ROSARIO Ii MARIA CLAUDETE CARDOSO

    VILA FELIZ RICARDO MONTEIRO

    VILA GAUCHINHA CLEUSA MORAIS DOS SANTOS

    VILA GUILHERME DENISE JACQUES COSTA

    VILA IP EDUARDO MELO PADILHA

    VILA LIBERT NAJAIRY CABRAL DE OLIVEIRA

    VILA LOLA EDSON LUIZ CANDIDO LAGO

    VILA MARI FATIMA DA ROSA DUARTE

    VILA ROMANA ERONI JOSE CASTRO KLIPEL

    VILA SECA ANGLICA DA SILVA DE MELO

    VILA VERDE DELMA PAESE DETADI

    VILA VERDE II APARICIO FERREIRA LEAL

    VILLA LOBOS E VERGUEIROS TANIA MENEZES

    VICTRIO TRS MARLENE CARNEIRO DE JESUS

  • Jornal dos Bairros

    Junho de 2015Espao Comunitrio

    Foto: Matheus Teodoro

    Centro est diariamente aberto comunidade

    Centro ComunitrioCanyon

    Estrutura: salo de 12 m, com capacidade para 100 pessoas e equipado com 110 cadeiras e mesas colegiais, 13 mesas compridas, 30 talhares, 15 copos, 3 panelas, 1 fogo industrial, 1 geladeira e 2 banheiros. Aluguel: gratuito para scios e no-scios, com previso de cobrana a partir dos prximos meses. Endereo: Rua da Esperana, 104

    Canyon busca reforma do centro comunitrio

    Os moradores do Cnyon, associados ou no Amob, tm sua disposio um Centro Co-munitrio que pode ser utiliza-do gratuitamente. O presidente, Marciano Correa da Silva, afir-ma que sempre optou por no cobrar um valor de locao de-vido ao fato de muitas pesso-as acreditarem que o dinheiro utilizado para o seu prprio benefcio.

    H quem ache que uso o dinheiro para mim mesmo, mas nunca cobrei nenhum centa-vo para ajudar a comunidade. Tudo o que gasto para manter o Centro vem da minha aposen-tadoria e de uma ajuda de cus-to de R$ 70, dada pela Visate, j que o terminal da L.60 em frente ao prdio, e os funcion-rios da empresa utilizam um dos banheiros do local, diz.

    Segundo Marciano, com exceo de bailes, qualquer ou-tro tipo de evento pode ocorrer no espao. Almoos, anivers-rios, jantas e cultos de diferen-tes religies podem ser feitos aqui sem nenhum custo. Todas as Igrejas que precisem de um lugar para realizarem seus en-contros, podem me contatar. Estou aberto a todos, afirma Marciano.

    O espao est aberto dia-riamente, pois alm de servir como terminal do transporte coletivo, possui dois painis dos Correios, onde cada fam-lia do bairro tem sua caixa de correspondncias.

    Os carteiros tm a cha-ve de todos os espaos, de uso pessoal de cada famlia. As cor-respondncias chegam at aqui diariamente, fazendo com que o Centro, que da comunida-de, esteja todos os dias aberto para ela, destaca.

    Construo de novo piso prioridades

    Para o futuro, Marciano planeja que uma escola de edu-

    cao infantil funcione nas ins-talaes do Centro.

    A ideia fazer com que o espao funcione como uma creche, em dias de semana, j que muitas mulheres precisam trabalhar mas no tm onde deixarem seus filhos. um pro-jeto que pode sair do papel em breve, pois o prefeito Alceu j tem conhecimento desta ne-cessidade, adianta.

    J a segunda demanda se refere estrutura do Centro. Em breve, o local passar por reforma na cozinha, financiada por uma Igreja que realiza cul-tos no prdio.

    0Porm, os investimen-tos na construo de um novo piso, na parte da frente do Cen-tro, sero feitos apenas com dinheiro em caixa. Para finan-ciar os investimentos, Marcia-no confirma que dever passar a cobrar aluguel em breve.

    A parte de baixo do pr-dio, feita em cermica e lajotas, a mais afetada pelo acmu-lo de gua da chuva na parte da frente do Centro, j na rua. Sendo assim, pretendo cons-truir um novo piso e colocar um ralo na lateral esquerda, para

    que a gua seja vazada da for-ma correta. Na parte de cima, pretendo trocar o assoalho, que j tem pontos podres por con-ta da umidade, e as paredes, alm de reformar o banheiro, pon-dera.

  • Jornal dos Bairros12Junho de 2015 Bairros

    Vila Brasil quer mais acesso ao transporteFoto: Matheus Teodoro

    Comunidade fica distante do ponto de nibus que atende a regio

    A Vila Brasil, na Zona Sul, tem como principal demanda atual a ampliao do servio de transporte coletivo. De acordo com a presidente da Amob, Ma-rili Consoladora Pereira, a co-munidade local no est satis-feita com a atuao da Secreta-

    ria Municipal de Trnsito, Trans-portes e Mobilidade (SMTTM).

    Dos dois nibus da L.77 Glria/Caravaggio, apenas um passa pela Vila Brasil durante todo o dia, o que faz com que, muitas vezes, os moradores precisem utilizar a L.28 Nos-

    sa Senhora das Graas/Orien-tal. Alm disso, os veculos de-moram aproximadamente uma hora para passarem no nosso loteamento, diz.

    Marili afirma ainda que j foram abertos protocolos so-licitando que o outro veculo

    faa seu itiner-rio via Vila Brasil, mas esses no foram atendidos pela SMTTM.

    H mais ou menos dois meses participei de uma reunio com o secret-rio Manoel Mar-rachinho, que prometeu nos dar o seu retor-no uma semana depois. Na oca-sio, tambm solicitei o trans-porte especial para trs estu-dantes da Esco-

    la Hellen Keller, o que tambm no foi atendido. Sigo aguar-dando, lamenta.

    Trnsito de contrastesPara a presidente, a maior

    conquista da Vila Brasil foi o ini-cio das obras de asfaltamento da Rua Pedro Olavo Hoffmann, entre a Rua Jlio Calegari e a BR-116, no acesso Villa Lobos. Esse investimento faz parte do pacote da Radial Sudoeste, ini-ciou h aproximadamente um ms e deve ser concludo at

    julho do ano que vem. Com esta via pavimenta-

    da, o fluxo de veculos obvia-mente melhorar, facilitando o trnsito no s na minha, mas em outras comunidades da re-gio, salienta.

    Porm, ao mesmo tem-po em que as obras so feitas pensando no futuro, problemas antigos ainda no foram resol-vidos pelo poder pblico, como o caso da Jlio Calegari, pre-ocupao de Marili e de outras Amobs da Zona Sul.