Jornal do CCE - 27 Edio

  • Published on
    17-Mar-2016

  • View
    212

  • Download
    0

DESCRIPTION

Edio de n 27 do Jornal do CCE, produzido pelos alunos da disciplina de Redao II e Editorao Eletrnica, do curso de Jornalismo da Universidade Federal de Santa Catarina.

Transcript

  • Jornal do CCEAno 5 N 27 Florianpolis, Junho de 2012 jornaldocce.ufsc.br @jornaldocce

    Bloco A tem reforma previstaProjeto aguarda liberao da PROPLAN para incio das obras em dezembro

    Festival exibe filmes sobre ditaduraA primeira edio do festival

    Cinema pela Verdade promove mostra de filmes nacionais que tm como tema o perodo da di-tadura militar e suas consequ-ncias. Os filmes exibidos sero Hrcules 56, Condor e Uma Lon-ga Viagem, no auditrio Henri-que Fontes. O projeto acontece em 81 universidades federais.

    Cada universidade conta com um universitrio que ser res-ponsvel por articular a exibio. Na UFSC, a aluna do cinema Fer-nanda Viana foi selecionada para a funo.

    O projeto foi contemplado pela Comisso de Anistia, que pretende promover eventos com foco na ditadura militar.

    Filme Hrcules 56 conta a histria do sequestro de embaixador americano

    Uma das medidas prev obras em toda a parte eltrica do prdio mais antigo do campus da Trindade

    Rafael VenutoD

    ivul

    ga

    o

    Pgina 7

    O projeto que prev a rea-dequao das instalaes el-tricas, telecomunicao, segu-rana patrimonial e preveno contra incndios do bloco A est pronto desde o dia 10 de maio. O oramento entra para a fase de licitao assim que for apro-vado pela Pr-Reitoria de Plane-jamento.

    A reforma inclui obras em toda a parte eltrica do prdio e prev a instalao de um cir-cuito fechado de televiso, me-lhorias na comunicao, alm de um sistema de alarme com sensor de presena.

    FITA Floripamovimenta12 cidades

    Durante uma semana 24 companhias de diferentes pa-ses iro se apresentar na sexta edio do Festival Internacional de Teatro de Animao. Esto previstas 90 apresentaes, alm de oficinas, palestras, me-sas de conversas e exibio de documentrios.

    O Festival ocorre em 12 ci-dades catarinenses. Em Floria-npolis, dez espaos pblicos recebero o evento. Na UFSC, as apresentaes sero feitas no Centro de Cultura e Eventos e na Concha Acstica.

    Pgina 6

    Pgina 3

    Letras Libras lana revista para surdos

    Pgina 4 Pgina 3

    Cinema criaEmpresa JrPioneira

    Pgina 4

    Rdio Ponto transmite Eurocopa

    Pgina 6

    Comisso pr Centro de Artes retoma aes

  • Jornal do CCE2 Junho 2012OpiniO

    Voc tem em mos a 27 edi-o do JCCE. Nossa equipe tra-balhou para trazer as principais notcias do centro e da UFSC.

    Nessa edio destacamos o projeto de reforma do bloco A do CCE, a criao da Revista Brasi-leira de Vdeo Registros em Li-bras e a preparao do Ncleo de Radiojornalismo Esportivo para a cobertura da Eurocopa 2012.

    Na editoria de Cultura os des-

    taques so a 6 edio do FITA Floripa e o Festival Cinema pela Verdade, que promove filmes so-bre a ditadura no Brasil.

    Para saber mais sobre o que acontece no CCE, acesse o nosso blogue: jornaldocce.ufsc.br e si-ga-nos no twitter: @jornaldocce. Mande sua crtica ou sugesto para o nosso e-mail: jornaldoc-ce@cce.ufsc.br.

    Boa leitura!

    Carta ao Leitor

    Jornal do CCEO Jornal do CCE um orgo de ex-tenso do Departamento de Jornalis-mo, com textos, fotos, edio e diagra-mao dos alunos das disciplinas de

    Redao II e Editorao Eletrnica.

    Professor responsvelElias Machado DRT/RJ 16.936

    Professora de EditoraoRita Paulino SC00365 - DG

    MonitoraLuciana Bonetti

    BolsistaCarolina Franco

    EdioStefanie Damzio, Luan Martendal,

    Janine Silva, Mateus Boaventura, Po-liana Dallabrida, Guilherme Longo,

    Rassa Turci, Marina Oliveira, Isadora

    Ruschel.

    Fotografia

    Luan Martendal, Simone Feldmann,

    Rafael Venuto, Rassa Turci, Bianca

    Bertoli

    ReportagemAlice da Silva, Aline Lima, Bianca Ber-toli, Cristal Muniz, Isadora Ruschel,

    Luara Loth, Gabriela de Toni, Mateus

    Boaventura, Rafael Venuto, Simone

    Feldman, Stefanie Damzio, Thas

    Ferraz, Thales Camargo, Rassa Turci,

    Luan Martendal, Mariana Petry, Taina-ra Rosa.

    DiagramaoCristal Muniz, Gabriela De Toni, Jani-ne Silva, Mateus Boaventura, Marina

    Oliveira, Bianca Bertoli.

    RevisoCristal Muniz, Janine Silva, Marina

    Oliveira, Mateus Boaventura, Simone

    Feldman, Stefanie Damzio, Thas

    Ferraz, Rmulo Vieira, Rassa Turci,

    Aline Lima, Thales Camargo, Isadora

    Ruschel, Anderson Spessatto, Bianca

    Bertoli, Poliana Dallabrida, Renato

    Botteon, Mateus Vargas.

    Tiragem500 exemplares

    ImpressoGrfica Delta Print

    Giovanna Chinellato aluna da 5 fase de Jornalismo

    errataNa edio passada do Jornal

    do CCE cometemos dois erros. Houve uma chamada de capa so-bre a matria do Centro de Artes que no foi publicada. E na not-

    cia da pgina 4, sobre o LabPro-Jor, afirmamos que era o curso de Design que teve iniciativa, mas, na verdade, o projeto se originou no curso de Jornalismo.

    O prazo do amor um instante. Encanto integral, base e altura. Um alto p-direito a se transformar em milagre. Um postal. A arquiteta, por natureza, via-se no conjunto. Detalhe todo. Porque pequenez no tem tamanho, sempre muito.

    Abusei dos olhos algumas ve-zes e vi todas das algumas vezes -, o que jamais sonhei, ali, eviden-te. A arquiteta era uma espcie de Le Corbusier em flagrante, capaz de prever o que no cabe em matria. Porque tudo que slido, desmancha-se nos olhos.

    Ladrilho por ladrilho a arqui-teta andava como quem antecipa um sorriso. Edifcio sem planta, hora sem relgio. Gineceu da pr-pria morada, imagem num muro de bzios. Sorte do prprio des-tino no caminho s vias da alma. Porque na baguna ordenada ningum repara a desarrumao.

    Imaginava-me na sua espera como quem se arruma para ficar em casa. Desenhado nos traos curvil-neos de maquetes artesanais. B-lido de coragem, de rosto corado.

    No que no h medida, ngu-lo e nem coluna para se descan-

    sar. Porque no h medo do riso se h motivo para gargalhada.

    O amor um flagrante. No pintura, nem escultura, nem arte-sanato. completo, em flagrante: arquiteta. Na maior concepo monumental do concreto, amor armado. Porque se desmedir na medida tambm construir um peito em unidade de habitao.

    Caminhava pela calada como que observado pelos paralelep-pedos. A me embaralhar quan-do que olhado. Embarao-me quando sou visto por ningum. Ter um segredo confiado assim, desse jeito, um capitel sem pi-lastra: de nada serve. Porque s se revela um segredo quando ningum se sabe, eu j sabia.

    Mas se Deus consentisse, pe-los parnteses de uma vida, uma via, num casco urbano, assim como Benedetti imaginava, a ar-quiteta pelas pranchetas da in-snia me desenharia abboda. Alma sem corpo que sustente. Porque se Deus fosse uma mu-lher, ele seria a arquiteta que tem em sua obra o cu por moldura.

    Ricardo Pessetti aluno da 3a fase do Curso de Jornalismo.

    a arquitetapara ser alguien entre cielo y suelo

    y salvarse del odio y sus resabiosnada como el amor y su consuelo

    Mario Benedetti La vida esse parntesis

    (uma carta de amor no o amor, mas o rascunho da sua ausncia)

  • Jornal do CCE Junho 2012 3Campus

    O projeto de readequao das instalaes eltricas, telecomunica-o, segurana patrimonial e pre-veno contra incndios do bloco A est pronto desde o dia 10 de maio e aguarda aprovao oramentria pela Pr-Reitoria de Planejamento para entrar em fase de licitao. O valor estimado para os servios de R$ 1.423.258,16. O incio das obras esperado pelo vice-diretor

    Arnaldo Debatin Neto para dezem-bro de 2012.

    A reforma inclui obras em toda a parte eltrica do prdio, (cabos, interruptores, tomadas, medido-res de energia, quadros eltricos e outros equipamentos). O projeto tambm prev a instalao de um circuito fechado de televiso e me-lhorias na comunicao, alm de um sistema de alarme com sensor

    de presena. Para a preveno de incndios, sero feitas adequaes nas escadas de acesso, colocao de extintores, implantao de alar-me de incndio e portas corta-fogo.

    Obras em perodo de frias - A dimenso dos servios executa-dos durante a reforma vai provocar limitaes nas atividades do prdio, exigindo cuidado no cronograma de trabalhos. Tanto a quantidade de

    recursos quanto o total de obras expressivo. Precisamos conciliar o momento de execuo da reforma para no prejudicar as atividades curriculares, explica o Pr-reitor de Planejamento e Finanas, Luiz Alberton. Como a obra tem previso de 240 dias corridos, o vice-diretor Arnoldo Debatin Neto avalia que o mais indicado que a interveno ocorra nas frias de fim de ano.

    O bloco A foi a primeira constru-o no campus da Trindade e o pro-jeto original no estava concebido para abrigar cursos com laborat-rios complexos e atender s deman-das atuais de segurana, preveno de incndio e comunicao. A re-forma pretende ainda adequar a estrutura do edifcio para suportar a sobrecarga de energia devido ao uso de computadores, ar-condicio-nado de grande porte, projetores e outros equipamentos utilizados nos laboratrios de rdio, TV, Fotogra-fia, Cinema, Letras e Artes Cnicas.

    Reforma aguarda liberao da PROPLANIncio da execuo das obras do Bloco A do CCE esperado para o fim do ano

    Rafa

    el V

    enut

    o

    Todas as instalaes eltricas do bloco localizado no campus da Trindade tambm passaro por reformas

    No dia primeiro de junho, foi inaugurada no auditrio Hen-rique Fontes, a Empresa Jnior do curso de Cinema. Caf e Fita Crepe, a primeira EJ aberta nos cursos de Cinema do Brasil. Durante a cerimnia, foram apre-sentadas as diretrizes e propos-tas de trabalho da entidade.

    O objetivo dar oportunida-de para que os alunos explorem a parte cinematogrfica - rea pouco trabalhada no estado. Se-ro produzidos filmes, trabalhos de concluso de curso, eventos, alm de alguns projetos de ideia prpria dos empreendedores. uma forma de conciliarmos a teo-ria dada no curso, com a prtica. uma iniciao para o mercado de trabalho., Daniel Lopes, alu-no da primeira fase de Cinema.

    A proposta de criao uma Empresa Jnior no Cinema sem-pre existiu entre os alunos do curso. No ano de 2010, na quinta edio da Semana de Cinema, os estudantes resolveram colocar a ideia do projeto em prtica e fa-

    zer a empresa nascer. De acordo com o regimento da Caf e Fita Crepe os estudantes assumiro cargos de liderana, cumpriro prazos e realizaro projetos.

    Curso de Cinema inauguraEmpresa Jnior inovadora

    Sim

    one

    Feld

    man

    n

    Viviane Mayumi, uma das fundadoras da empresa, recebe a primeira fita

    Os alunos de Secretariado Executivo esto organizando um curso sobre Gesto e Rotinas de Secretariado, no dia 23 de junho, das 8h s 18h. Um dos objetivos trazer um profissional graduado na rea, considerando a carncia de docentes na UFSC com esta formao. Sero discu-tidos o papel de quem secretaria e assessora dirigentes e equipes multiprofissionais e a aplicao de ferramentas tcnicas para planejar, gerenciar e executar atividades secretariais e adminis-trativas. As inscries no valor de R$ 85,00 podem ser feitas at o dia 10 de junho atravs do e-mail philippifloripa@hotmail.com.

    Secretariado organiza curso de gesto

    Simone Feldmann

    Cristal Muniz

    Alice da Silva

  • Jornal do CCE4 Junho 2012Campus

    Rdio Ponto UFSC transmite Eurocopa

    A transmisso da Eurocopa comeou no dia 8 de junho e vai at 1 de julho. A rdio transmitir um total de 18 jogos. Durante os programas, ocorrer o sorteio de brindes para os ouvintes.

    O programa Grande Jornada Esportiva far a transmisso simul-tnea de todos os jogos; o Minutos Finais, sempre aps cada rodada, comentar as partidas; o Bola na Trave far um resumo dos jogos do

    dia e do anterior; o Salto Alto Fute-bol Clube trar o futebol para um lado mais feminino; e o Ponto de Encontro, toda sexta-feira, abor-dar os jogos da semana inteira e perspectivas para a prxima fase da competio.

    Acompanhe as transmisses no canal 106.1 FM no campus ou pelo endereo www.radioponto.ufsc.br.

    Gabriela De Toni

    Equipe da Rdio Ponto UFSC em uma das reunies para a Eurocopa

    Lus

    a Ta

    vare

    s

    DALi convoca eleies para chefia

    A eleio para chefia do Depar-tamento de Artes e Libras est mar-cada para o dia 20, quarta-feira, das 8h s 19h. As inscries vo at o dia 12 e podem ser candidatar todos os professores doutores que trabalham h pelo menos dois anos na UFSC.

    Caso no haja candidatos, a co-misso formada pelas professoras Audrei Gesser, Dirce Amarante e Andra Scansani solicitar a pror-rogao do mandato da professora Lcia Olmpo para organizar um segundo processo eleitoral. As trs professoras tm a funo de coor-denar e definir os regulamentos.

    At o fechamento desta edio, o nico interessado foi o professor Fbio Salvatti, que no pde se can-didatar por estar na UFSC h um ano e nove meses.

    Bianca Bertoli

    Colquio Italiano abre inscries

    Thas Ferraz

    A reforma da sala 09 E, no exte-rior do Bloco I, destinada sede da Empresa Jnior de Design, a UIPI, deve ser finalizada at metade de junho, aps trs anos de reivindica-o da equipe por um espao fixo. A obra comeou em fevereiro e o prazo para concluso era a segun-da semana de maio, mas a falta de materiais para a instalao eltrica atrasou o planejamento. Para que a equipe da UIPI possa trabalhar no local, restam a troca do piso, o tr-mino da pintura e a organizao dos mveis.

    Quando a direo do CCE defi-niu a rea a ser utilizada pela lan-chonete Assim Assado, no segundo semestre de 2011, reservou parte do antigo local para a construo de uma sala destinada exclusivamente Empresa Jnior.

    UIPI recebe sala para sede da empresa

    Rassa Turci

    O curso de Libras criou uma revista cientfica para surdos e recebe artigos para a primeira edio at o dia 15. Os docu-mentos devem ser vdeos em que o autor tem de 25 a 40 minutos para argumentar sobre um as-sunto atravs da Lngua Brasilei-ra de Sinais. O projeto do Grupo de Pesquisa Vdeo Registro em Libras pretende facilitar o acesso de pessoas surdas linguagem acadmica.

    A proposta da Revista Brasi-leira de Vdeo Registros em Li-bras rever o conceito de escrita e, atravs do vdeo, possibilitar que os surdos encaminhem seus artigos. O surdo enfrenta dificul-dades ao se adequar s normas acadmicas, geralmente neces-sitando de um intrprete para escrever seus artigos cientficos, e atravs de uma revista em v-

    deo ele teria acesso direto ao seu texto, explica o coordenador do projeto Rodrigo Rosso. A primei-ra edio ser publicada entre outubro e novembro deste ano.

    Os vdeos devem ser entre-gues em DVD na sala 137 do blo-co A em formato .avi para a se-leo dos melhores. O contedo

    deve ser relacionado aos surdos, e pode envolver desde o desen-volvimento de tecnologias edu-cao. Quem no souber libras e quiser enviar um artigo pode so-licitar um intrprete na sala 139 do bloco A.

    Publicao aceita artigosRevista de Vdeo Registros rev participao de surdos

    Segundo Rosso, os surdos tero acesso direto a seus textos com o projeto

    Thales Trench

    Ras

    sa T

    urci

    O II Colquio Internacional de Estudos Lingusticos e Aquisio/Aprendizagem do Italiano como Lngua Estrangeira recebe at o dia 15 as inscries para ouvintes. O evento acontece no CCE entre 21 e 23 de agosto.

    Nos trs dias sero debatidos 23 temas, com destaque para a histria e a didtica da lngua ita-liana, a aquisio/aprendizagem do italiano como lngua estrangei-ra e o ensino de italiano em Santa Catarina.

    A programao conta com con-ferncias, mesas redondas e ofici-nas. As inscries so gratuitas e abertas a toda a comunidade, in-clusive para alunos, professores e pesquisadores de outros estados. Mais informaes no endereo www.neiita.cce.ufsc.br.

  • Jornal do CCE Junho 2012 5Campus

    IV Seminrio de EaDAs vagas para o evento estaro abertas at o dia 20

    As inscries para o IV Semi-nrio de Pesquisa em Ensino a Distncia (IV SEPEaD), que acon-tece dias 28 e 29 de junho, vo at 20/06. Podem participar pes-quisadores, professores, tutores, alunos e pblico em geral. Para se inscrever, alm de preencher o formulrio on-line disponvel em www.ead.ufsc.br/seminario2012/inscries, deve-se fazer o dep-sito de R$ 25,00 para uma das instituies de caridade indica-das pelos organizadores. O com-provante deve ser apresentado no primeiro dia do seminrio que ocorre no Hotel Castelmar no centro de Florianpolis.

    O evento organizado pela parceria da UFSC com o IFSC e discute a consolidao da educa-o distncia no pas, a partir da contribuio da Universidade Aberta do Brasil UAB. A ideia formar os professores que esto na ativa em todo pas, mas que ainda no possuem diploma uni-

    versitrio. Por isso o foco da UAB tem sido os cursos de licenciatu-ra, declarou a coordenadora e integrante da equipe EaD-UFSC, Dulce Mrcia Cruz. Esse ano o tema discutido os Desafios para o futuro da EaD atravs de pales-tras, debates, encontro de coor-denadores de plo e de tutores, alm da apresentao de artigos e psteres.

    No CCE existem cinco cursos com modalidade distncia: Le-tras/Libras bacharelado, Letras/Libras licenciatura, Letras/Espa-nhol, Letras/Portugus e Letras/Ingls. So 1332 alunos distribu-dos em 31 plos nas cinco regi-es do pas. A organizao estima a presena de 350 participantes.

    Bian

    ca B

    erto

    li

    Seminrio discutir a consolidao da educao distncia no Brasil.

    Mateus Boaventura

    Curso Letras/Ingls oferece oficinas

    A doutoranda do Curso de Letras-Ingls, Deise Caldart, mi-nistra at o final deste semestre oficinas de leitura instrumental Strategic Reading voltadas para os alunos de graduao e ps--graduao de Letras-Ingls. As aulas acontecem na sala 523 do bloco B. As oficinas fazem parte do projeto REUNI de Apoio Peda-ggico e so coordenadas pela professora Viviane Heberle.

    Os encontros so realizados sempre s quartas-feiras, das 18h30 s 20h e se dividem em diversos assuntos: estratgias de leitura em Lngua Inglesa, conjunes, cognatos, gneros textuais e compreenso textual. Para se inscrever basta enviar uma mensagem para o email deise.caldart@hotmail.com. Os participantes tm direito a cer-tificado de 30h para integraliza-o curricular.

    Prmio abre inscriesStima edio recebe inscries at o ms de agosto

    O Prmio Adelmo Genro Fi-lho de Pesquisa em Jornalismo (PAGF), concedido anualmente pela Associao Brasileira de Pesquisadores em Jornalismo (SBPJor), est com inscries abertas at dez de agosto. O prmio, que est na 7 edio, atribudo em quatro modalida-des: Iniciao Cientfica e TCC, Mestrado, Doutorado e categoria Snior.

    A iniciativa tem como objeti-vo premiar os pesquisadores que tenham contribudo significativa-mente para consolidar o Jornalis-mo como campo de conhecimento cientfico no Brasil. Para a edio de 2012, podero concorrer os trabalhos apresentados no ano pleno de 2011, de primeiro de ja-neiro a 31 de dezembro de 2011.

    A premiao consiste em

    diploma e placa ao ganhador e diploma ao orientador nas cate-gorias Iniciao Cientfico, TCC, Mestrado e Doutorado; diploma e placa ao agraciado na categoria Snior. As inscries sero feitas pelo prprio candidato ou repre-

    sentante legal. Aps preencher a ficha de inscrio online, dispon-vel no site www.sbpjor.org.br o documento deve ser enviado para premiosbpjor@yahoo.com.

    Stefanie Damzio

    Curso deReviso temnovas turmas

    O Curso de Reviso de Textos est com inscries abertas para duas turmas, uma sobre reviso e outra de traduo. A primeira tur-ma, do mdulo I, contribui para a formao acadmica dos estu-dantes de letras e jornalismo. A segunda, do mdulo II, indicada para os estudantes de Ps-Gra-duao em Estudos da Traduo. Cada turma possui 50 vagas e uma carga horria de 50h.

    As inscries vo at 24/07 para a turma do mdulo I e at 14/09 para o mdulo II, no ende-reo www.fapeu.org.br ou no pr-dio da FAPEU. Mais informaes: (48) 3721-4309.

    Cristal Muniz

    Stima edio do Prmio Adelmo Genro Filho organizado pela SBPJor

    Div

    ulga

    o

    Tainara Rosa

  • Jornal do CCECultura6 Junho 2012

    A 6 edio do Festival Inter-nacional de Teatro de Animao, o FITA Floripa, acontece entre 23 e 30 de junho em Santa Ca-tarina. Durante sete dias, esto previstas 90 apresentaes tea-trais de 24 companhias da Espa-nha, Itlia, Frana Portugal e do Brasil. Alm dos espetculos, a programao conta com oficinas, palestras, mesas de conversas e exibio de documentrios.

    Neste ano, nove companhias catarinenses faro parte das atra-es. A Cia Andante, de Itaja, ir expor as caixinhas lambe-lambe, apresentaes teatrais de formas animadas e cenrio em miniatura dentro de uma caixa. Os grupos que iro representar a capital so a Trupe Popular Parrua, com Era uma vez, a Cia Teatro Sim...

    Por que no?!!!, com A vida como ela , e o grupo Cl dos nobres arteiros, que encena o Misterioso sumio do boi de mamo.

    Apresentaes no interior - O Festival ser realizado em dez es-

    paos pblicos de Florianpolis, entre eles o Centro de Cultura e Eventos e a Concha Acstica, na UFSC, CEART, na UDESC, Teatro da Ubro, Teatro lvaro de Carva-lho e a APAE. Outras 11 cidades

    catarinenses tambm recebero as atraes do FITA: Jaragu do Sul, Laguna, Tubaro, So Jos, Concrdia, Blumenau, Chapec, Cricima, Itaja, Joinville e Lages.

    No dia 23, a partir das 10h30, est previsto o cortejo de abertu-ra pelas ruas do centro da cidade. O desfile trar bonecos gigantes feitos de material reciclado pro-duzido nas oficinas do festival. Tambm no primeiro dia, o grupo brasiliense UdiGrudi Circo Tea-tro apresenta a pea O Cano no Centro de Cultura e Eventos da UFSC.

    O FITA Floripa existe desde 2007. Para mais informaes sobre a programao, acesse o endereo www.fitafloripa.com.br.

    O Congresso Internacional Fluxos Literrios: tica e Estti-ca acontece nos dias 12 e 13 de junho no auditrio Henrique Fon-tes. O evento, que contar com palestras de intelectuais brasi-leiros e do exterior, realizado pela ps-graduao em Literatu-ra, com coordenao geral dos professores Andrea Santurbano, Meritxell Hernando Marsal e Patricia Peterle. As conferncias de abertura esto a cargo dos professores Wander Melo Miran-da, da UFMG e Ral Antelo, da UFSC.

    O objetivo do congresso dis-cutir a produo literria a partir

    da relao e a contaminao da narrativa com outros discursos, alm da crtica, o histrico e o filosfico, o entrecruzamento en-tre a esfera artstica e a poltica. O maior benefcio a possibili-dade dos participantes estarem reunidos com professores de peso em suas reas pensando essas questes, explica uma das coordenadoras, Patrcia Peterle.

    As inscries para ouvinte sero somente at o dia 11, s 23h59, no endereo www.fluxos-literarios.blogspot.com.br para que os participantes possam re-ceber o certificado.

    Depois de mais de um ms de paralisao, a comisso Pr-Cen-tro de Artes retoma as atividades. O motivo da paralisao tempo-rria foi a vi-sita das duas comisses de avaliao do MEC entre o fi-nal de maio e o incio de junho nos cursos de Artes Cnicas e Cinema.

    Antes da paralisao, a professora e coordenadora do curso de Cinema, Aglair Bernando, re-digiu um docu-mento que ser entregue reito-ra Roselane Neckel. O teor deste documento ser aprimorado pelos demais membros da comisso no decorrer dos prximos dias.

    O professor Paulo Berton for-malizar um pedido Comisso de Infraestrutura e Meios do CCE para que inclua na pauta de

    reunies a discusso sobre a ne-cessidade de espao fsico e de infraestru-tura para o possvel novo cen-tro. At o fechamen-to desta edio a p r o p o s t a ainda no havia che-gado ao

    conhecimento da Comisso de Infraestrutura e Meios do CCE e PREG.

    Mariana Petry

    Congresso discute os fluxos literrios

    Rafael Venuto

    Comisso Pr- Artesretoma atividades

    FITA Floripa comea no dia 23

    Aline Lima

    No ano passado o evento recebeu cerca de 40 mil pessoas durante os sete dias

    Div

    ulga

    o

    Companhias catarinenses se preparam para as atraes em 12 cidadesD

    ivulgao

    Ra

    fael

    Ven

    uto

    Logo do evento a obra La Partenza DellArgonalta de Alberto Savinio

    Coordenadores voltam a se reunir

  • Jornal do CCE Junho 2012 Cultura 7

    O festival Cinema pela Ver-dade acontece nos dias 18, 19 e 22 de junho, no auditrio Hen-rique Fontes. A mostra promove a exibio de filmes nacionais que tm como tema o perodo da ditadura militar e suas conse-quncias. As trs sesses sero acompanhadas de debates com a presena de convidados, dire-tores e realizadores de cada obra. Os filmes exibidos sero Hrcules 56, de Silvio Da-Rin, no dia 18; Condor, de Roberto Mader, no dia 19; e Uma Longa Viagem, docu-mentrio de Lucia Murat, no dia 22, sempre s 18h30. A entrada gratuita e o auditrio tem capaci-dade para 120 pessoas sentadas. O projeto, que comeou em maio e se estende at esse ms, acon-tece nas principais universidades do pas -81 no total- e nas 27 cap-

    itais federativas. Alm da UFSC, o primeiro festival tambm passa pela UDESC e pelo CESUSC, nos dias 11, 12, 20 e 21.

    Cada universi-dade conta com um Agente Mobilizador, que um universi-trio previamente selecionado e treina-do e que ser respon-svel por articular a exibio. A escolha desses estudantes feita por meio de um questionrio com perguntas sobre um filme relacionado ditadura, o contexto histrico, questes de produo e ainda uma entrevista por telefone. Fernanda

    Viana, que cursa Cinema na 7 fase, a Agente Mobilizadora na UFSC e acredita que a exibio e debate dessas obras seja im-

    portante para abordar um tema que polmico e marcante na histria do pas. relevante dis-cutir questes que ainda esto pendentes e dialogar com pes-soas que trabalhem, pesquisem ou se interessem por cinema e questes histricas e polticas, afirma a Agente.

    A mostra Cinema pela Ver-dade realizada e idealizada pelo Instituto Cultura em Movimento (ICEM), que uma organizao da Sociedade Civil de Interesse Pblico (OSCIP), em parceria com o Ministrio da Justia. O projeto foi contemplado pelo edital Mar-cas da Memria, da Comisso de Anistia, que pretende promover eventos com foco no perodo da ditadura militar no Brasil.

    Festival exibe filmes sobre ditaduraMostra acontece em 81 universidades e realiza debates sobre o tema

    Documentrio encerra a mostra no estado

    Isadora Ruschel

    Aluna expe pesquisa na RomniaO resultado parcial da

    pesquisa Mapeamento de Distribuio e Exibio de Cinema Brasileiro In-dependente em Santa Ca-tarina das alunas do curso de Cinema, Karine Joulie e Fernanda Viana, foi apresen-tado durante o congresso in-ternacional Small Cinemas, realizado em Timisoara, na Romnia, entre os dias 1 e 3 de junho. O evento, que acontece anualmente, re-ne estudiosos e profissionais para discutir a recepo re-gional, nacional e interna-cional de produes cinema-togrficas independentes.

    Segundo o professor e atual secretrio da SINTER, Luiz Carlos Pinheiro Macha-do Filho, a antiga gesto li-berou aproximadamente R$ 3.000 para as despesas de deslocamento da aluna Kari-ne Joulie. A partir de agora as liberaes de ver bas da SINTER s ocorrero me-diante a publicao de edi-

    tais, em que alunos de toda a universidade podero con-correr. O primeiro edital ser publicado ainda em 2012, afirmou.

    Karine Joulie e o subco-ordenador do Curso de Ci-nema, Jos Cludio Siqueira Castanheira, foram as nicas representaes latino-ame-ricanas no congresso. J

    existe um dilogo de mais de um ano com o Small Cinemas para trazer a prxima edio para a UFSC e h boas chan-ces de que isso ocorra em 2013, avalia Siqueira.

    Se confirmada a deciso, ser a primeira edio do evento no hemisfrio sul.

    Fernanda Viana, graduanda de Cinema, uma das autoras da pesquisa

    Sarau realiza homenagem a Tom Jobim

    Acer

    vo p

    esso

    al

    Rafael Venuto

    Os alunos de Histria da Msica Popular Brasileira I promovem no dia 27, s 18h, no Auditrio Henri-que Fontes, o Sarau para Tom Jobim. A apresentao faz parte do encer-ramento da disciplina optativa do curso de Letras/Portugus. O even-to ocorre desde 2007 e j homena-geou outros nomes da MPB, como Vincius de Moraes e Chico Buarque.

    O professor do Departamento de Lngua e Literatura Vernculas, Cludio Cruz, que ministra a disci-plina, destaca o crescimento do pro-jeto: A resposta tem sido tima. A cada ano estamos agregando novas experincias.

    A produo e apresentao do Sarau so realizadas pelos prprios alunos. Entre as msicas seleciona-das esto: Corcovado, guas de maro, Eu sei que vou te amar e Chega de saudade. A entrada gratuita e aberta comunidade.

    Luan Martendal

    Div

    ulga

    o

  • Jornal do CCE8 Junho 2012EntrEvista

    O Professor Paulo Berton, do-cente do Curso de Artes Cnicas, foi nomeado para a Secretaria de Cultura (Secult), a antiga SeCArte. dramaturgo, diretor de teatro e professor. Possui graduao em direo teatral/UFRGS (1999), mestrado em teoria literria/PU-CRS (2007) e doutorado em teatro pela University of Colorado. Em entrevista ao JCCE, Paulo Berton fala sobre as mudanas que esto ocorrendo na Secult e sobre suas prioridades na poltica cultural uni-versitria.

    Jornal do CCE - Na gesto anterior a Secretaria de Arte in-tegrava diferentes rgos. Ha-ver desmembramentos?

    Paulo Berton - Qualquer mu-dana no organograma sempre parte de uma instncia superior. A Secretaria de Cultura no tem competncia de propor isso de uma forma autnoma. No momento, a SECULT conserva todos os rgos ligados antiga SeCArte: Museu, EDUFSC, NEA, DAC, Projeto For-talezas e Centro de Eventos. Existe uma proposta para que o Museu torne-se autnomo. Mas, por enquanto, continua na SE-CULT, podendo a mdio prazo tornar-se aut-nomo.

    JCCE- A pasta manteve a condio de secretaria, mas alterou o nome e perdeu o status de pr-reito-ria. O que motivou as trocas?

    PB - A mudana de nome re-flete vrias questes que a nova gesto gostaria de instituir. Em pri-meiro lugar, o termo cultura mais abrangente. A ideia que se tem de que o termo cultura possa abranger mais questes, mais setores do que

    uma secretaria com o nome SeCAr-te. Ficava um pouco a impresso de que estava ligada direto ao ensino, pesquisa e extenso nos cursos de artes, sobretudo Cinema e Artes Cnicas. Continuaremos este di-logo muito intenso. Mas sentimos necessidade de aumentar o escopo deste dilogo.

    JCCE O que muda com o novo status?

    PB - Daqui para frente todas as secretarias esto no mesmo n-vel hierrquico. A SeCArte estava num patamar superior s secreta-rias de Relaes Internacionais e institucionais. A SeCArte partici-pava de alguns conselhos e rgos e as outras no. Agora, todas tm o mesmo assento nos conselhos. As secretarias esto diretamente ligadas ao gabinete. Acho timo estar mais vinculado ao gabinete da reitora porque se tem um canal direto de resoluo de questes. De forma nenhuma perde o status ou a importncia. Isso uma coisa que temos que desmistificar. Uma pessoa que tenha ligao com a

    instituio, que tenha amor pelo que faz

    vai fazer sua fun-o indepen-dente do cargo comissionado ou no.

    JCCE- O fato de o Sr. vir

    do ensino de Artes vai influenciar as deci-

    ses da SECULT?PB - Naturalmente. Sendo de

    Artes Cnicas, tenho um olhar so-bre a secretaria diferente. Cada um vem de um referencial de pen-samento. Acredito que as decises tomadas quando ela (Maria de Lur-des Borges) estava na secretaria so de uma natureza. As decises agora sero de outra. At porque

    temos o adjunto, que no existia an-tes. Todos os secretrios ganharam um adjunto para reforar a ideia do trabalho em equipe. Tanto eu quanto o adjunto da viemos do Tea-tro. Creio que isso vai espelhar nas decises tomadas. No considero que a secretaria ter uma diferena qualitativa com a entrada de pesso-as da rea de Artes, mas sim que um olhar diferente sobre a cultura.

    JCCE- Uma nova gesto qua-se sempre significa mudanas. Os projetos que j existem tero continuidade?

    PB - Os projetos esto todos em discusso. H projetos que j tm certo histrico dentro da univer-sidade. Estamos em um momento de conversar para verificar quais sero mantidos. Queremos escutar principalmente o pblico atingi-do. Tambm estamos analisando a questo financeira. Pela posse ter acontecido em maio e at porque as pessoas no sabiam se iriam continuar nos cargos isso acabou, de certa forma, comprometendo al-guns projetos. Estamos verificando se h tempo hbil e se existem re-cursos para estabelecer uma tabela de prioridades. Ainda no decidi-mos quais sero mantidos.

    JCCE- O Sr. e sua equipe j pensaram em projetos novos?

    PB - Ideias de projetos novos tm vrias. Mas a entra a questo

    de poder dimensionar e prever o impacto. Estamos num momento de reestruturao da secretaria e este processo tomou muito tempo. a hora de conhecer as pessoas, verifi-car se h a necessidade de remane-jamentos e se existe necessidade de mais funcionrios para completar algum setor. Por exemplo, o Projeto Fortalezas tem 2 funcionrios, um que gerencia daqui e outro que cir-cula nas fortalezas. um setor que precisa de mais servidores. Que-remos dotar a secretaria de mais funcionrios para viabilizar o que existe antes de comear algo novo.

    JCCE- A poltica do edital ser implantada. Como funcio-nar?

    PB - uma poltica que que-remos instituir. Estamos definindo critrios para o edital contemplar professores, alunos, servidores e comunidade externa. A ideia de que uma parte desses recursos seja distribuda atravs de edital. E que exista um comit de seleo de pro-jetos com participantes de diferen-tes reas para termos um suporte financeiro transparente. Ainda no sabemos como vai ser a diviso dentro das categorias. Precisamos dimensionar os 4 segmentos, mas gostaramos de contemplar e va-lorizar todos. Isso o mais impor-tante.

    Professor Paulo Bertonnomeado para comandar Secretaria de CulturaBerton fala sobre mudanas na Secult

    Luara Loth

    Dilogo com a Reitoria e reestruturao so as prioridades iniciais da Secult

    Rafa

    el V

    enut

    o

    No considero que

    a secretaria ter uma diferena quali-

    tativa com a entrada de pessoas da rea de Artes, mas sim que um olhar

    diferente sobre a cultura.