INTERESSADA: ESCOLA TCNICA SENAI DO CABO ? outros; o Mdulo Especfico I, com 252 horas, qualificando

  • Published on
    11-Aug-2018

  • View
    212

  • Download
    0

Transcript

  • INTERESSADA: ESCOLA TCNICA SENAI DO CABO DE SANTO AGOSTINHO

    FRANCISCO ADRISSISI XIMENES AGUIAR ASSUNTO: AUTORIZAO DO CURSO DE EDUCAO PROFISSIONAL

    TCNICA DE NVEL MDIO EM SOLDAGEM RELATOR: CONSELHEIRO JOAQUIM TEIXEIRA MARTINS FERREIRA PROCESSO N 119/2006 Publicado no DOE de 01/02/2007 pela Portaria SECTMA n 010, de 31/01/2007 PARECER CEE/PE N 168/2006-CEB APROVADO PELO PLENRIO EM 11/12/2006 I RELATRIO: O Servio Nacional de Aprendizagem Industrial SENAI/PE solicita, atravs do Ofcio n 107/2006-DIREG, autorizao do Curso de Educao Profissional Tcnica de Nvel Mdio em Soldagem, na rea da Indstria, para ser oferecido na Escola Francisco Adrissi Ximenes Aguiar, sediada na Rodovia PE 60 Km 01 Distrito Industrial Cabo de Santo Agostinho. O Processo apresenta a seguinte documentao:

    protocolo de registro do plano de curso no Cadastro Nacional de Cursos Tcnicos CNCT/MCE-NIC 23003210/2006-23

    cpia do Parecer CEE/PE n 69/2000-CEB, de 29/12/2000 e Portaria SE n 5.958, de 29/10/2001

    documento norteador do estgio supervisionado do SENAI/PE cpias das certides negativas de dbitos fiscais Termo de responsabilidade, s pginas 100 e 101 do processo, assinado pelo diretor regional

    do SENAI/PE, sobre a aquisio de novos livros especficos do curso, para aumentar o acervo bibliogrfico e a regularizao da acessibilidade dos deficientes fsicos biblioteca, sala de coordenao e da diretoria, que ficam no 1 pavimento, com acesso por escadas

    relao dos docentes e sua titulao.

    II ANLISE: O Processo em anlise foi protocolado no CEE/PE em 19/06/2006, dando entrada na CEB em 04/10/2006, e foi distribudo a esta relatoria em 10/10/2006, aps ter sido elaborado o relatrio de avaliao das condies de oferta do curso, por Valdelice urea de Arajo Siqueira, Francisco Jos Alves Lima e Jario Pereira Pinto, da SECTMA. A comisso de especialistas sugeriu direo da escola que fossem feitos alguns ajustes na comprovao da graduao dos docentes do curso. Os professores so devidamente habilitados e capacitados, j os trs tcnicos que atuam como docentes no tm habilitao de nvel superior, mas sim de nvel mdio, porm possuem experincia profissional comprovada, como provam as cpias anexas ao processo, funo que lhes permite exercer a docncia, de acordo com a Resoluo CEE/PE n 01/2005, Art. 18, inciso IV por tcnicos em nvel mdio na respectiva rea de atuao, com comprovada experincia profissional e formao pedaggica, que a situao em que se encontram. O plano de curso apresenta justificativa baseada nos grandes empreendimentos em instalao e a serem instalados no Complexo Industrial e Porturio de Suape, como: estaleiro naval; refinaria de petrleo; do plo de polister; de uma siderrgica e da expanso dos gasodutos que abastecem e iro abastecer as futuras indstrias que sero instaladas num futuro prximo, que devero gerar mais de 5.000 empregos diretos e de 25.000 indiretos. Na construo naval e nos gasodutos muito grande a

  • PARECER CEE/PE N 168/2006-CEB PROCESSO N 119/2006

    2

    demanda de tcnicos em soldagem acetilnico, eltrica e especial. Este projeto est voltado especificamente para atender a tal demanda. Os objetivos esto bem definidos nas Diretrizes Curriculares. Requisitos de Acesso, os candidatos sero selecionados e matriculados em duas turmas, nos turnos da tarde e da noite, com duas entradas anuais (fevereiro e agosto), com 16 vagas por turma, podendo ser ampliada consoante a demanda. Os alunos tero que comprovar, no ato da inscrio, que concluram o Ensino Mdio. O curso ter a durao de 18 meses, cinco dias/semana e aulas de 60 minutos. Os perfis profissionais atendem s exigncias educacionais que o mundo do trabalho necessita, recebendo dos tcnicos dessa rea uma formao ampla, de competncias gerais e especficas, de modo a permitir que possam acompanhar as transformaes dessa nova concepo da oferta, com os perfis de qualificao de Inspetor Visual e Dimensional de Solda; Supervisor de Soldagem, e Inspetor de Soldagem, proporcionando formao profissional ampla, contemplando competncias e bases tecnolgicas das unidades curriculares, com os contedos formativos do Tcnico em Soldagem. A Organizao Curricular pautada nos princpios da flexibilidade, da interdisciplinaridade e da contextualizao e estruturada em mdulos, sendo: um Mdulo Bsico e trs Mdulos Especficos. O Bsico com carga horria de 427 horas, sem terminalidade, servindo como mdulo preparatrio para os outros; o Mdulo Especfico I, com 252 horas, qualificando como Inspetor Visual e Dimensional de Solda; o Mdulo Especfico II com carga horria de 231 horas, que qualifica como Supervisor de Solda; o Mdulo III, com 140 horas, qualifica o Inspetor de Soldagem, e o Mdulo Complementar, que caracteriza o Tcnico em Soldagem, com carga horria de 294 horas, totalizando 1344, mais 250 do Estgio Supervisionado, integralizando 1594 horas. As competncias estabelecidas em cada uma das qualificaes so reconhecidas no mundo do trabalho. O estgio supervisionado de 250 horas realizado durante a fase escolar, podendo excepcionalmente ser feito no final da fase escolar, no entanto, o aluno dever estar vinculado ao SENAI e s pode ser iniciado quando o aluno tiver completado 16 anos de idade. A Instituio tem critrios para fazer o aproveitamento de conhecimentos e experincias anteriores como determina a legislao em vigor.

    O Sistema de Avaliao da Aprendizagem tem apoio nas funes diagnstica, contnua e cumulativa, permitindo acompanhar o desenvolvimento das competncias. A nota de aprovao de 50 pontos numa escala de zero a cem pontos, com freqncia mnima de 75% em cada Unidade Curricular. Os desempenhos insatisfatrios sero recuperados continuamente, por meio de orientao especfica e criao e novas situaes de aprendizado.

    As salas de aula so amplas, bem equipadas, com cadeiras de brao, acolchoadas, ar condicionado, atendem a 16 alunos, tendo como material de multimeios: um data show, cinco retro-projetores, trs televisores, trs vdeos e uma mquina xrox.

    A biblioteca funciona, em carter provisrio, no andar superior, espaosa, com mobilirio satisfatrio, contm duas mesas redondas com oito cadeiras cada, onze estantes com livros diversos, sendo que duas so especficas do curso, atendendo demanda dos primeiros mdulos, mas necessita adquirir mais livros, atualizados, para abranger a todos os mdulos, como j est sendo providenciado pela diretoria, de acordo com o termo de compromisso anexo ao processo. Uma bibliotecria faz o atendimento aos consulentes.

    A Instituio dispe de laboratrio de Soldagem, com 16 cabines equipadas com material apropriado para as necessidades do curso, assim como de um laboratrio de Informtica com timo espao fsico, contendo 17 cadeiras, dezesseis computadores ligados Internet, e uma impressora grande de marca.

    O SENAI tem plano de cargo e carreira em todas as suas atividades educacionais, assim como de salrios e sucesso que abrange a todos os seus funcionrios.

    A infra-estrutura geral da Instituio tem os seguintes ambientes: sala de diretoria; sala de coordenao; sala de professores (com computador ligado Internet); laboratrio de Soldagem, Informtica e Eltrica; seis sanitrios masculinos e femininos, a secretaria equipada com quatro computadores ligados Internet.

    Este o primeiro curso de nvel mdio em Soldagem, a ser oferecido em Pernambuco, e, em todo o Nordeste, sendo este tambm o primeiro parecer emitido pelo CEE/PE de autorizao do Curso de Educao Profissional Tcnica de Nvel Mdio em Soldagem.

  • PARECER CEE/PE N 168/2006-CEB PROCESSO N 119/2006

    ESCOLA TCNICA SENAI DO CABO DE SANTO AGOSTINHO FRANCISCO ADRISSI XIMENES AGUIAR Servio Nacional de Aprendizagem Industral

    MATRIZ CURRICULAR HABILITAO PROFISSIONAL: Tcnico em Soldagem QUALIFICAO INTERMEDIRIAS: Inspetor Visual e Dimensional de Solda, Supervisor de Soldagem e Inspetor de Soldagem RE: Indstria Hora-aula: 60 minutos

    MDULO BSICO MDULO

    ESPECIFCO I (Inspetor Visual e

    Dimensional de Solda)

    MDULO

    ESPECIFCO II (Supervisor de Soldagem)

    MDULO ESPECIFCO

    III (Inspetor de Soldagem)

    MDULO COMPLEMENTAR

    (Tcnico em Soldagem)

    H

    AB

    ILIT

    A

    O

    /QU

    AL

    IFIC

    A

    O

    P

    RO

    FIS

    SIO

    NA

    L D

    EN

    VE

    L T

    C

    NIC

    O

    Comunicao e Expresso

    Tecno-logia de Base

    Competncias Sociais e de Gesto

    Ter

    min

    olog

    ia e

    Sim

    bolo

    gia

    da

    Sold

    agem

    e E

    nsai

    os n

    no

    Des

    trut

    ivos

    Ingl

    s T

    cni

    co

    Fund

    amen

    tos

    de I

    nfor

    mt

    ica

    Lei

    tura

    e I

    nter

    pret

    ao

    de

    Des

    enho

    T

    cni

    co M

    ecn

    ico

    Lei

    tura

    Int

    erpr

    eta

    o e

    Pro

    du

    o de

    T

    exto

    s

    Met

    rolo

    gia

    Intr

    odu

    o a

    os P

    roce

    ssos

    de

    Fabr

    ica

    o e

    Ins

    pe

    o

    Inic

    ia

    o ao

    Des

    envo

    lvim

    ento

    de

    Equ

    ipes

    Ene

    rgia

    e M

    eio

    Am

    bien

    te

    Cd

    igos

    e N

    orm

    as d

    e So

    ldag

    em

    Insp

    eo

    Vis

    ual e

    Dim

    ensi

    onal

    Met

    as d

    e B

    ase

    Proc

    esso

    de

    Sold

    agem

    e C

    orte

    Ens

    aios

    No

    -Des

    trut

    vos

    Met

    alr

    gica

    da

    Sold

    agem

    M

    etai

    s/Fe

    rros

    os

    Equ

    ipam

    ento

    s d

    e So

    ldag

    em

    Con

    sum

    vei

    s pa

    ra S

    olda

    gem

    Doc

    umen

    ta

    o T

    cni

    ca d

    e So

    ldag

    em

    Sist

    emas

    de

    Qua

    lidad

    e

    Ens

    aios

    Mec

    nic

    os e

    Met

    alog

    rfi

    cos

    Sold

    agem

    de

    Lig

    as N

    o-F

    erro

    sas

    Proc

    esso

    s E

    spec

    iais

    de

    Sold

    agem

    e

    EN

    D

    Aut

    oma

    o n

    a So

    ndag

    em

    Cus

    tos

    na S

    olda

    gem

    Prog

    ram

    ao

    e C

    ontr

    ole

    da P

    rodu

    o

    Proj

    eto

    de C

    onst

    ru

    o So

    ldad

    a

    Proj

    eto

    Inte

    grad

    or

    Est

    gio

    Sup

    ervi

    sion

    ado

    CARGA HORRIA

    28 56 56 84 42 25 84 21 28 56 42 28 126 91 84 28 28 56 28 56 56 42 28 28 28 56 56 250h

    Mdulo Especfico I Inspetor Visual e Dimensional de Solda

    427 + 252

    + 231

    + 140

    + 294

    Mdulo Especfico II (Supervisor de Soldagem)

    Mdulo Especfico III (Inpsetor de Soldagem)

    (Tcnico em Soldagem)

    1.344 h

    3

  • PARECER CEE/PE N 168/2006-CEB PROCESSO N 119/2006 III VOTO: Perante o exposto e analisado, somos de parecer e voto favorveis autorizao do Curso de Educao Profissional Tcnica de Nvel Mdio em Soldagem, com sadas intermedirias no Mdulo Especfico I, com qualificao de Inspetor Visual e Dimensional de Solda; no Mdulo Especfico II com qualificao de Superviso de Solda; no Mdulo Especfico III, com qualificao de Tcnico em Soldagem, a ser ministrado pela Escola Tcnica SENAI do Cabo de Santo Agostinho Francisco Adrissi Ximenes Aguiar, localizada na Rodovia PE 60 Km 01 Distrito Industrial Cabo de Santo Agostinho, pelo prazo de quatro anos, aps publicao no D.O. do Estado, da autorizao do Curso. D-se cincia SECTMA e aos demais interessados. IV CONCLUSO DA CMARA: A Cmara de Educao Bsica acompanha o Voto do Relator e encaminha o presente Parecer apreciao do Plenrio.

    Sala das Sesses, em 05 de dezembro de 2006.

    CREUZA MARIA GOMES ARAGO - Presidente JOAQUIM TEIXEIRA MARTINS FERREIRA Relator EDLA DE ARAJO LIRA SOARES EUGENILDA MARIA LINS COIMBRA JOS RICARDO DIAS DINIZ JOSIAS SILVA DE ALBUQUERQUE MARIA BEATRIZ PEREIRA LEITE

    V DECISO DO PLENRIO:

    O Plenrio do Conselho Estadual de Educao de Pernambuco decide aprovar o presente Parecer nos termos do Voto do Relator. Sala das Sesses Plenrias, em 11 de dezembro de 2006.

    JOSIAS SILVA DE ALBUQUERQUE Presidente

    Alc.

    4

Recommended

View more >