• O futurO O Nº 91 Dezembro/2014 O final de 2014 chegou com uma grande novidade. Agora o Instituto GayLussac integra um seleto grupo que reúne mais de 60 escolas espalhadas por sete países com mais de 30 mil estudantes. O anúncio da incorporação ao Grupo Cognita representa um planejamento de futuro, um olhar adiante. Com isso, a escola continua sua trajetória de inovação local e abre caminhos e perspectivas globais, possibilitadas por fazer parte de um grupo educacional cuja meta é ensinar a excelência. O GayLussac foi a primeira escola do Estado a implementar o sistema de High School em parceria com a Texas Tech. Somos os primeiros de Niterói admitidos como centro certificador do Instituto Cervantes para diplomas de proficiência em Língua Espanhola. Há anos nos mantemos como melhor escola de Niterói, entre as dez melhores do Estado do Rio e 50 melhores do Brasil no ranking do ENEM. Inovar está no nosso DNA. E depois de 60 anos com a tradição da inovação e da excelência, a incorporação ao Cognita foi uma decisão frente aos desafios apresentados por uma juventude globalizada, cujo horizonte não possui limites. A Diretora Pedagógica, Luiza Sassi, conta: “Há 20 anos eu participava de um grupo que tinha função de fazer um planejamento para as próximas duas décadas da escola. Hoje, alcançamos a meta estabelecida naquele momento. Agora é hora de traçar novos objetivos e buscar novos desafios. Esse passo cria possibilidades antes inexistentes para nossos alunos e corpo docente”. Entre as novidades que estão vindo por aí está o programa de intercâmbio acadêmico entre as escolas do Grupo Cognita para alunos do Fundamental 2 Incorporação ao Grupo Cognita marca o primeiro passo para os próximos 60 anos já começou e do Ensino Médio. Os alunos poderão conhecer o ensino, a cultura e aprimorar ainda mais a língua em países como a Inglaterra, a Espanha, o Chile, a Tailândia e o Vietnã. Essa experiência permitirá uma abertura de mundo sem precedentes para os estudantes. Além disso, a proposta é de constante aprimoramento do corpo pedagógico, com cursos e possibilidades de interação com escolas de ponta em três continentes. O mais importante de tudo. O Grupo Cognita reúne colégios de excelência da rede privada ao redor do mundo. E a ideia é promover a troca de experiências educacionais e valorizar a individualidade das escolas, reconhecendo que não existe apenas um caminho para chegar à excelência do ensino. Existem vários. O caminho que o GayLussac vai trilhar nos próximos 60 anos está traçado. Com o Cognita, damos mais um grande e ousado passo rumo a um futuro promissor.
  • 2 Ler e escrever abrem infinitas portas para a imaginação e o conhecimento. Por isso, é muito importante celebrar esse aprendizado, apresentando ao aluno o grande passo dado por ele. Assim, as turmas do 1º ano do Ensino Fundamental se apresentaram no Teatro GayLussac, mostrando aos pais o que aprenderam durante o ano. No final, foram presenteados com o livro “Nós, os Autores”, com histórias escritas e ilustradas por eles. Com o tema “Artes e Ofícios”, a apresentação foi sobre o estudo que fizeram sobre as diversas profissões. Em cena, os alunos dançaram, representaram, falaram poesias, mostrando tudo que pesquisaram sobre o assunto. Durante o trabalho de pesquisa, para concretizar ainda mais o aprendizado, as crianças tiveram a oportunidade de conhecer detalhadamente algumas profissões, fazendo, por exemplo, uma visita ao Corpo de Bombeiros e à padaria do bairro. “O Projeto Autores em Cena é um tributo aos alunos que se tornam escritores-leitores, adquirindo habilidades de compreensão e interpretação, fundamentais ao mundo letrado”, explica a Gerente da Educação Infantil, Graça Regent. Informação e Conhecimento Festa celebra entrada de alunos no mundo da leitura e da escrita Autores em cena O tema da redação do Exame Nacional do Ensino Médio (ENEM) de 2014 foi: “Publicidade infantil em questão no Brasil”. Refletir sobre o impacto da publicidade na formação das crianças e na própria construção da noção de infância é a uma tarefa Menos consumo, essencial na atual sociedade de consumo. Por isso, o assunto não pegou nossos alunos da 3ª série do Ensino Médio de surpresa. Pelo contrário, durante a 3ª etapa, a regulação da publicidade infantil no Brasil e no mundo foi trabalhada pela professora de Produção Textual, Maria Anna Gerk. Ter embasamento teórico e argumentos prévios na escrita da redação é importante e a antecipação do tema pela professora revela o trabalho de uma equipe antenada com as discussões travadas na mídia e na sociedade. Mais do que um trabalho isolado de uma equipe, os alunos do GayLussac possuem uma ampla formação crítica com relação à sociedade de consumo contemporânea. Desde 2013, a escola se envolveu na campanha “Infância Livre de Consumismo”, aliando trabalhos de professores do Ensino Fundamental e da Educação Infantil. Nessa edição o leitor pode conferir o trabalho feito na Educação Infantil, que promoveu uma Feira de Trocas de Brinquedos e incentivou a reciclagem e a reutilização de materiais em divertidos pés de lata, que animaram o recreio dos nossos pequenos. A troca de brinquedos também foi incentivada com os alunos do 2º ao 5º ano do Ensino Fundamental. Acreditamos que, assim, abre-se a possibilidade de formação de cidadãos conscientes e reflexivos no ato de consumir, preparados para lidar financeiramente com o mundo contemporâneo. mais diversão e educação Brincar sem consumir e trocar brinquedos usados e em bom estado são formas de incentivar a infância livre do consumismo
  • Informação e Conhecimento 3 Perto do final do ano letivo, em outubro, os alunos do 9º ano do Ensino Fundamental passam por um ritual acadêmico que marca a passagem entre Ensino Fundamental e Ensino Médio. Trata-se da tradicional Monografia de 9º ano, quando os estudantes apresentam em aula-pública, no Teatro GayLussac, os resultados da pesquisa desenvolvida sob orientação de um professor. Na plateia, familiares e colegas assistem à apresentação e depois à aferição de uma banca examinadora. Um palco, um tema e muita argumentação Monografia do 9º ano Desenvolver a capacidade de questionar, investigar, aprofundar e construir conhecimento são objetivos do Clube de Pesquisa, desenvolvido pelo GayLussac Jardim. A inspiração nasceu em um estudo que professores fizeram sobre o projeto de documentação pedagógica nas aulas da Educação Infantil da cidade italiana de Reggio Emília. E no ano de 2014 não faltaram temas a serem estudados pelos alunos do Jardim! Bichinhos da Fazenda, Peixes, Música e Pipoca foram alguns dos assuntos trabalhados. As pesquisas aconteceram não apenas em sala de aula, mas também por meio de visitas extraclasse e, é claro, em casa. As turmas do Maternal, por exemplo, pesquisaram sobre alguns animais da fazenda. Eles visitaram o galinheiro do sr. Eduardo e também receberam em sala o aluno Bernardo Horácio, do 6º ano, que trouxe os dois patinhos que cria em seu apartamento. Os peixes foram tema de pesquisa do Jardim 3. Para estudá-los, os pequenos pesquisadores foram à Colônia de Pescadores de Jurujuba e entrevistaram algumas das pessoas que lá trabalham. Os alunos também visitaram o Mercado de Peixe São Pedro, onde observaram os diversos tipos de peixes e crustáceos. O medo e histórias de terror que apavoram até os adultos foram assuntos abordados pelas turmas do A professora Aline Pereira, da turma J1T2, contou: “Estudamos histórias de arrepiar e trabalhamos com a questão do medo. As crianças contaram aos pais a história do ‘Homem do dedo sangrante’ e no final, todos perceberam que o medo pode não ser tão assustador assim” “Para a idade deles, é muito importante que o conhecimento seja concretizado, e foi isso que aconteceu na visita ao galinheiro e na vinda dos patinhos à sala”, disseram as professoras da turma MTT2, Gabrielle Carvalho e Camila Adélio “Despertar a curiosidade da criança é ainda a melhor forma de instigá-la para o saber; auxilia a formação do pensamento reflexivo. Essa é a proposta do Clube de Pesquisa”, disse Graça Regent, Gerente Pedagógica da Educação Infantil Pequenos Jardim 1. Os pais puderam ver o resultado de todo o aprendizado adquirido pelos pequenos alunos no sábado, dia 8 de novembro, com a culminância das pesquisas realizadas. O clima foi de integração entre todos os presentes! pesquisadores Clubes de Pesquisa da Educação Infantil incitam curiosidade dos alunos O desafio, que geralmente marca o final da vida acadêmica universitária, é adiantado e adaptado ao currículo do 9º ano para apresentar aos alunos a experiência da elaboração de uma pesquisa em profundidade. Segundo a Diretora Luiza Sassi: “Além de estimular a arte da retórica e da argumentação em público, o projeto permite o diálogo entre as áreas. Assim, em Produção Textual os alunos precisam conhecer as regras da ABNT para escrever a monografia. Precisam traduzir os resumos para o Espanhol e o Inglês. E escolhem temas de interesse nas mais variadas áreas como: Psicologia, Literatura, História, Física, Esportes, entre outras”. Nelson Moreira, professor de Química e mediador da turma 9M2, acompanhou de perto o processo e avalia sua importância: “A função do professor é despertar a curiosidade para o conhecimento. Na monografia temos a oportunidade de aprender através da curiosidade, do olhar e do interesse deles. É uma realização poder presenciar, hoje, o crescimento desses alunos”. A mãe de João Vitor Lima, Kátia, conta: “Fiquei surpresa com a escolha do tema do meu filho, que estudou anabolizantes. Fiquei feliz que ele, como atleta, leia e se aprofunde em um tema como esse”. Já a mãe do aluno Gabriel Dantas, Linuzian, nota: “Achei interessante a diversidade de temas e o aprofundamento dado pelos estudantes”.
  • 4 Integração & CulturaCiência e Tecnologia Bons leitores se tornam bons escritores. Esse é um caminho a ser traçado desde cedo. Mas como incentivar esses valores em uma sociedade digital, em que a leitura e a escrita são cada vez mais instantâneas? Fazer frente a esse desafio – despertar em nossos alunos os escritores que neles habitam – é o objetivo do Projeto Redação, promovido pela escola em parceria com a Folha Dirigida e a Biblioteca Nacional. Os melhores textos produzidos durante o ano são selecionados pelos professores e indicados para a publicação em uma coletânea. Não existe tema específico e o livro contempla as três línguas estudadas na escola: português, inglês e espanhol. Para celebrar essa publicação, pais, alunos e “padrinhos literários” são convidados para receber o livro no Teatro GayLussac e acompanhar a leitura de textos selecionados. Para a diretora Luiza Sassi, se trata de um desafio dos educadores no contexto social contemporâneo: “Vivemos em uma sociedade da informação e estamos sempre correndo, o tempo sempre nos escapa. O Projeto Redação se inscreve nessa necessidade da educação de incentivar a leitura e a escrita, que tanto nos humanizam”. A professora de Espanhol, Susana Martinez, ficou muito satisfeita com o resultado: “Apesar de todas as dificuldades de falar e escrever em Espanhol, o evento mostra para eles que são capazes de realizar uma das destrezas mais difíceis em outra língua – escrever. E não se fala da escrita de qualquer texto, estamos falando de textos que usam o respeito que a palavra merece”. Alunos se tornam coautores de livro em cerimônia no Teatro A aluna Catherine Martins, da 2ª série do Ensino Médio, foi uma das autoras do evento e explica: “Sempre gostei de escrever. Estar aqui representa o reconhecimento do texto produzido. Escrever, para mim, é uma forma de colocar meu sentimento no papel”. Simone, mãe de Ana Clara Curty, do 6º ano, conta: “Acredito que esse evento é um estímulo à leitura e à escrita e é uma iniciativa importante. Estou orgulhosa e feliz”. Projeto Redação 2014 Dormindo na escola Passar o dia na escola é algo a que os alunos já estão mais do que acostumados, mas passar a noite no lugar em que geralmente estudam foi uma grande novidade para os pequenos estudantes do 1º ano do Ensino Fundamental! Em dezembro, já em clima de Natal, eles enfeitaram e decoraram as salas de aula para ter uma noite diferente. Depois de um dia normal de aula, os alunos voltaram para casa para se preparar e retornaram novamente à escola, prontos para uma noite especial. Na escola, sempre auxiliados e orientados pelas professoras e funcionários, brincaram e viram filmes. Antes de dormir, conversaram por vídeo com Papai Noel, falando do que desejavam nesse fim de ano para o mundo. Na manhã seguinte, os pais se uniram aos filhos para tomar um café da manhã delicioso e... surpresa! Papai Noel apareceu! O Bom Velhinho visitou nossos pequenos para passar- lhes uma bonita mensagem de solidariedade e prosperidade neste Natal. A professora Verônica Cristina, da turma 1T1, falou sobre a preparação dos alunos: “Eles ficaram muito empolgados! Escreveram cartinhas para o Papai Noel, decoraram as salas e corredores para recebê-lo... Com certeza eles entraram no clima de Natal”. A valorização da infância, da brincadeira, dos jogos, da criatividade e do lúdico em detrimento de uma infância baseada no consumo. Com essa inspiração, os alunos do 2º ao 5º ano do Ensino Fundamental foram envolvidos no Projeto “Marque Presença”, que cria e distribui bonecos de pano em espaços públicos. Agora foi a vez dos nossos alunos deixarem sua marca. O PRESENÇA – “A Criança na sua FelizCidade” está presente em 9 estados brasileiros e em outros 17 países. Essa iniciativa nasceu há 3 anos em uma reunião de educadores que compõem a RedSOLARE Ensino Fundamental I participa de projeto de valorização da infância Marcando Presença Brasil – associação sem fins lucrativos que forma uma rede na América Latina em defesa da cultura da infância e da difusão da prática educativa de Reggio Emilia – Itália. O objetivo da confecção dos bonecos e da sua distribuição em espaços públicos é apoiar a construção de uma cultura de paz e não-violência fortalecendo uma cidade com uma nova identidade, fruto de participação e reflexão da sociedade. Os pequenos estudantes desenharam e fizeram bonecas de pano nas aulas de Artes. A professora Bárbara Malaquias explica: “Nós mostramos um vídeo sobre a história das bonecas. Ele conta que as crianças nos navios negreiros não tinham com o que brincar, então as mulheres rasgavam parte da própria roupa para fazer bonecas e brinquedos. Os alunos se mostraram muito interessados e adoraram a atividade”. Com as bonecas prontas, as crianças foram à Praça Dom Orione, em São Francisco, para marcar presença. “Nós fomos à praça, colocamos as bonecas lá e também brincamos bastante. Foi muito legal!”, disseram as alunas Antônia Peçanha, Isabela Cordeiro e Sofia Scorzelli, da turma 2T2.
  • Ciência e Tecnologia 5 Integração & CulturaCiência e Tecnologia O percurso traçado por cada aluno em seu passo a passo diário rumo ao conhecimento deixa registros – impressões, poemas, redações, pinturas, sensações e ideias. Para compartilhar esse aprendizado, os alunos do 2º ao 5º ano do Ensino Fundamental convidaram os pais e colocaram a mão na massa para apresentar o que mais marcou sua trajetória. Foi o “Caminho de trabalhos” que recebeu os responsáveis com uma escola completamente decorada com pinturas e atividades que ocuparam seus filhos ao longo do ano letivo. O 2º ano veio ornado com os temas da ciranda e das canções de roda. Foi o “Cirandando”, que acolheu os pais com uma brincadeira lúdica ao som de “Escravos de Jó”. O tema perpassou o ano dos pequenos, que vivenciaram a Ciranda Literária, um troca-troca dos Alunos revisitam aprendizado do ano letivo Caminho de trabalhos livros prediletos de cada um. “A temática faz parte da faixa etária deles e ainda possibilitou o mergulho nas brincadeiras antigas. Eles fizeram jograis, dobraduras, poesias e músicas”, conta a professora Fenátia Gregório. Os alunos do 3º receberam os pais com o tema “O sentido da produção”, que teve início na visita à padaria de São Francisco. A aula-passeio foi o pontapé inicial à vivência de todo o processo – cultural e material – da produção de um produto. Cada turma inventou sua própria padaria, elegeu um produto para vender, fez jingles e pregões de propaganda, cartão de apresentação e confeccionou dinheirinhos – os “Lussacs”. Através dessas atividades lúdicas, exercitaram a criatividade, aprofundando o conhecimento em vários campos. O 4º ano encantou os pais no ritmo do “Baile Imperial”. Cartolas, coroas, vidros pintados em forma de vitrais multicoloridos, leques, tudo preparado pelos alunos para “Aprendemos que a Princesa Isabel e o Pedro II fizeram um grande baile na Ilha Fiscal com o dinheiro que tinha que ter ido para ajudar o Nordeste em uma época de seca. Vimos também que a Princesa Isabel não era tão boazinha, ela foi pressionada a assinar a Lei Áurea. Por isso os fazendeiros ficaram de mal com ela”, contaram Bruna Morgado e Isabel Monteiro, do 4º ano “O que a gente seria sem as nossas memórias? Nosso caminho de trabalho juntou todo o aprendizado do ano em um momento só, mostrando o que mais nos marcou durante o ano”, explica a aluna do 5º ano Maria Eduarda Lins receber um grande evento. Na porta, a pintura da Torre dá o tom que acompanhará a dança real dos pequenos: o minueto. No final, o lanche temático deliciou a todos com docinhos da realeza, bolinhos do rei e suco imperial. Já o 5º ano encantou pais e mães com o tema Relicário. Tudo começou com o livro Guilherme Augusto Araújo Fernandes, de Mem Fox, que conta a história de um menino que ajuda uma velhinha que não tinha memórias. A partir dessa leitura, que suscita a temática do afeto e da criança, os alunos trabalharam a questão da memória e das lembranças. O estudo focou as memórias da escola, da História, o jogo de memória. Todos fizeram uma caixinha relicário com momentos marcantes do 2º ao 5º ano. E os pais surpreenderam os pequenos com um presente: o livro preferido de cada um na infância. O incentivo à criatividade e a propostas que façam a diferença na sociedade continua trazendo excelentes resultados aos alunos do Instituto GayLussac! A ideia de uma casa completamente controlada pelo toque do celular foi apresentada pelos alunos do nosso Clube de Robótica e recebeu o Prêmio Jovem Cientista de Niterói, na Feira Municipal de Ciência, Tecnologia e Inovação, em outubro. No evento, outros estudantes da escola apresentaram projetos ligados a Matemática. A Feira comemorou a Semana Nacional da Ciência e Tecnologia e reuniu alunos de vários da guitarra chegou a tocar algumas músicas para os presentes”. O aluno Pedro Chediak, que apresentou o projeto da Cidade Ideal, observa: “Nossa ideia foi abordar um problema que existe – a sustentabilidade da cidade – em três aspectos: moradia, transporte e energia. Pesquisamos sobre cada um desses temas e demos soluções possíveis de serem aplicadas em qualquer lugar, fugindo do alarmismo. Foi muito bom participar da feira, conhecer outras escolas com outras realidades. Recebemos muitos elogios”. Estamos orgulhosos da equipe de Robótica por essa conquista! Parabéns aos nossos alunos e ao Cícero pelo empenho e dedicação de sempre! Robótica premiada colégios, professores e avaliadores no Museu do Cinema, na Cantareira. Os nossos veteranos de Robótica ganharam o prêmio com o projeto de uma casa inteligente. Através da internet, a pessoa poderia ligar ou desligar aparelhos eletrônicos. “Para isso, usamos o Arduíno, robô que fala em linguagem binária. Os alunos tiveram que ter conhecimento de eletricidade, pois a partir de um impulso de 5v tiveram que ligar três aparelhos de 120v: uma lâmpada, um liquidificador e um rádio. Assim, estudaram a parte de eletricidade da casa, programação e eletrônica”, explica Cícero Augusto, orientador de Robótica. Além dos alunos de Robótica, o professor de Matemática, Ricardo Viz, participou com a apresentação de dois trabalhos que nasceram nas suas aulas no Ensino Médio. Os alunos foram desafiados a utilizar os conhecimentos matemáticos para elaborar projetos inovadores. Assim nasceram duas ideias criativas: usar material reciclável para construir uma guitarra de baixo custo e pensar uma cidade ideal. O professor conta: “Eles adoraram participar e se mostraram muito desenvoltos para falar. O grupo Pódio na Feira de Inovação e Tecnologia “Achei mágico. Adoro essa parte de poesia e consegui ver o crescimento dele com as rimas. Agora ele fica o dia inteiro rimando em casa. Foi gratificante e emocionante saber que ele está no lugar certo”, conta Zula, mãe de Guilherme Cury, do 2º ano
  • Educação Financeira 6 Feira de Trocas de Brinquedos Atividade estimula valores menos materialistas entre as crianças Incentivar a reutilização ao invés do desperdício num mundo em que o consumo está por toda parte é extremamente importante. E esse incentivo deve começar logo na infância! Esse foi o objetivo da Feira de Troca de Brinquedos, que fez parte do Projeto Lugar de Criança é na Infância, e aconteceu no espaço do Jardim na semana de 6 a 10 de outubro, para os alunos do Maternal ao 1º ano do Ensino Fundamental. O assunto foi introduzido nas turmas antes que os alunos trouxessem os brinquedos. Em sala, as professores fizeram perguntas como “Vocês têm muitos brinquedos?” e “Será que existe algum que vocês já tenham se cansado de brincar?”. Então, na semana seguinte, as crianças começaram a trazer de casa um brinquedo em bom estado, que não era mais de seu interesse. No decorrer dos dias, cada um foi apresentando à turma o objeto trazido, e todos brincaram juntos. Na sexta-feira finalmente chegou o momento da troca! Alguns impasses surgiram, mas o diálogo entre os pequenos foi capaz de resolver a situação. Algumas crianças preferiram permanecer com o brinquedo que trouxeram. Mas, a maioria voltou para casa feliz e com um “novo velho” brinquedo. Dentro da ideia da Infância sem Consumismo, o Jardim 2 foi apresentado a brinquedos que já diver- tiram muitas outras gerações. Um deles despertou grande interesse. O funcionário da manutenção, Antônio Arruda, recolheu latas usadas, trazidas pelas crian- ças, e com toda sua habilidade manual reciclou esse material, transformando-o em pés de lata! De forma divertida, os pe- quenos aproveitaram o recreio com “Achei essa experiência muito válida, pois além de trabalhar na criança o desapego e o não consumo, também oportunizou a argumentação entre eles sobre seus desejos quando defenderam seu ponto de vista”, avaliou a professora Márcia Elen, da J3T3 “Atividades como essa precisam fazer parte do nosso dia a dia, tornando cada vez mais habitual a troca ao invés do consumo, que nos cerca diariamente”, disse a professora Poliana Nunes, da J2T2 O aluno Pietro Caveari conta: “A gente não queria mais o brinquedo, aí a gente trouxe para trocar”. Isabela Silva completa: “Troquei a Minie por um jogo da memória, eu já tinha o das princesas, aí eu troquei e fiquei com o dos 3 porquinhos também” “Troquei um brinquedo pelo quebra cabeças que aprende a falar espanhol e inglês. Eu prefiro mais trocar do que comprar porque assim eu não preciso ficar gastando dinheiro”, conta Mateus Gimenez esse brinquedo diferente, buscando desenvoltura para manter o equilíbrio sobre as latas. A Gerente Pedagógica Graça Re- gent explica: “Um brinquedo como esse às vezes é mais dis- putado pelas crianças do que um brinquedo comprado. Isso nos indica que é possível privi- legiar uma infância menos me- diada pelo ‘comprar’ e mais pelo construir, transformar e criar”. Pé De Lata: a sensação dos pequenos Educação financeira perpassa diversas atividades escolares na ponta do lápis Saber como dividir, nas contas do mês, a quantia determinada para a alimentação de famílias com diversas rendas. Trabalhar com o conceito de poupança e meta das economias. Apresentar a atividade de venda dos pregões, mostrando aspectos sociais, históricos e matemáticos. Foram atividades de Educação Financeira feitas por diversas séries da escola durante a terceira etapa. São formas de apresentar nossas crianças ao mundo do dinheiro, ao consumo consciente e capacitá-las financeiramente para enfrentar o mundo capitalista. A professora de Matemática, Dulcineia Maria, propôs uma atividade que inseria o 6º ano do Ensino Fundamental no planejamento de uma família. As equipes foram divididas e a cada uma foi dada um perfil de renda familiar diferente e a meta de gastar 30% da renda com alimentação e higiene. Diante disso, todos foram ao Mercado Pérola pesquisar os preços dos itens. O trabalho proporcionou que muitos conhecessem a realidade socioeconômica das famílias brasileiras. No 2º ano o desafio era apresentar aos alunos o conceito básico de moeda e cédula, respondendo a perguntas como: quantas moedas de 10 centavos precisam para chegar a um real? As professoras perceberam que seria muito mais interessante se os alunos pudessem manusear o dinheiro, daí nasceu a ideia do cofrinho. “O objetivo era possibilitar o contato direto dos alunos com o dinheiro e estimular a noção de poupança”, contou a professora Fenátia Gregório. A meta da economia era um delicioso sorvete com direito a um passeio à sorveteria. Já no 3º ano tudo começou no livro de História, que contava sobre as profissões do passado e como as pessoas anunciavam seus produtos. Os alunos perceberam que o pregão pode ser a alma do negócio e que existe até hoje. A professora Inês Carla nota: “Eles foram convidados a produzir ou trazer um produto de casa e criar um pregão para ele, anunciando para toda a turma, que poderia comprar com o dinheirinho inventado por eles – os ‘Lussacs’”. “Muitos custaram a acreditar que uma família conseguisse viver com o que ganhava. O projeto aproximou as crianças da realidade das pessoas no Brasil e estimulou a criatividade”, explica a professora Dulcineia
  • música, brincadeiras e um lanche coletivo delicioso. A coordenadora da High, Teresa Kassuga, conta: “Ficou claro que o professor quis recriar a festa. Ele fez cookies de abóbora, decorou a sala, fez concurso de fantasia. Os alunos assistiram um filme de terror e conheceram a história do Halloween”. A professora da 1ª e 2ª séries do Ensino Médio, Elizabeth Moraes, já se tornou famosa por vir à escola paramentada de bruxa, com um longo nariz adunco, chapéu e vassoura. Para ela essa brincadeira é séria: “A data me dá a oportunidade de contar aos alunos as origens do Halloween. É necessário trabalhar essa data em sala de aula para se evitar uma visão reducionista que tende associá-la à morte, ao assassinato e à religião. Sinto que em função de dogmas religiosos existe uma tendência a discriminar algo que pertence a uma cultura maior. Eu, como professora, preciso abordar questões que pertencem a essa cultura”. 7 O Halloween é uma data celebrada na cultura anglo-saxônica, e por isso não poderia deixar de ser comemorada pelos nossos alunos durante as aulas de Inglês! Brincadeiras, fantasias e comidas típicas fazem parte das comemorações do 31 de outubro. Compreender essa tradição é mergulhar em uma cultura milenar que vai muito além do “trick or treat”. No Projeto Bilíngue, os alunos desenvolveram diversas atividades, como Chairs Dance, Freeze e uma special movie session, with popcorn. Além disso, no dia 31, vieram fantasiados e participaram do Halloween Ball, em que dançaram e comeram pratos feitos por eles durante a Cooking Class, como o sanduíche de múmia. Já os alunos do High School tiveram uma festa muito animada, organizada e decorada pelo professor Hank Owens! Devidamente fantasiados e maquiados, eles participaram da Halloween Party com danças, It’s Halloween! High School, Bilíngue e professores de Inglês celebram data “I liked the decoration with the witches”, disse Nicolas Paes, da turma Sydney. “The best part was the food with different desserts and also the dance”, contou Theo Devisate, também da turma Sydney A aluna da High, Marina Saffran, conta: “Adorei o biscoito de abóbora e achei impressionante o valor que o povo americano dá ao Halloween. Foi um momento de união da turma” O discurso da professora de Espanhol Susana Martinez durante a cerimônia do Projeto Redação 2014 carregava a emoção da ocasião e o orgulho de asissitir, ao longo dos anos, o crescimento pessoal de cada aluno na sua língua materna. Mais do que isso, a docente comemorava conquistas sem precedentes da Equipe de Espanhol da escola. Os frutos desse trabalho árduo, desse caminho repleto de percalços e desafios, estão sendo colhidos por todos. Hoje o GayLussac é a única escola de Niterói credenciada como Centro de exame dos Diplomas de Español como Lengua Extranjera (Dele). Os Dele são diplomas reconhecidos em diversas universidades e empresas de todo o mundo, com validade indefinida, que certificam o nível de conhecimento em Língua Espanhola para vários fins culturais e profissionais – incluindo o Programa Ciência Sem Fronteiras, nas universidades internacionais. Assim, no dia 22 de novembro, foram realizadas dentro da escola as primeiras avaliações para comprovar o grau de competência e domínio do idioma com um exame outorgado pelo Instituto Cervantes, em nome do Ministério de Educação, Cultura e Desporto da Espanha. Os nossos alunos da 2ª e 3ª série do Ensino Médio podem fazê- lo sem precisar realizar uma pré-seleção em Espanhol. Somos uma das poucas escolas que alcançaram esse nível de aprendizado da Língua. Para além dessas vultosas conquistas, Susana não deixa de se ater às sutilezas. “Lembro de alunos que disseram mais de uma vez que não conseguiriam escrever em Espanhol, que era confuso, difícil, impossível. Aceitamos as reclamações e voltamos ao trabalho, demos voltas e mais voltas para demonstrar que na verdade aprender espanhol para um falante de português pode ser difícil, mas não impossível. O caminho do aprendizado de Espanhol pode ser árduo, mas rende bons frutos. Na cerimônia do Projeto Redação vi textos hábeis, alunos atingindo o mais difícil nível de proficiência na língua: a escrita”. Parabéns à Equipe de Espanhol! orgulho em espanhol Somos o primeiro centro certificador em Língua Espanhola de Niterói Alunos do Bilíngue passeiam em carro especial a special ride Estimular a criatividade é importante para que surjam invenções grandes ou pequenas. Foi isso que Jorge Lopes, marido da professora Flávia Augusta, da turma Honolulu, mostrou aos alunos do Projeto Bilíngue Forever! Ele construiu um carro feito de madeira de reflorestamento. Os chassis são de ferro galvanizado reaproveitado. Os bancos e a capota foram feitos pela nossa professora, com espuma e courvin. Já os dois motores de 24 volts são alimentados por baterias recarregadas por energia solar. Jorge conta que a ideia surgiu para entreter os netos, além de aproveitar os motores de cadeiras de roda que estavam sem uso. As baterias são carregadas através da energia do sol e - pasmem - o carro não tem volante! Para dirigir, ele usa uma alavanca de direção, e os freios ficam em uma das rodas traseiras. A máquina chega a velocidade de 10 km/h. A professora Flávia comentou sobre a reação dos alunos: “Os pequenos acharam tudo muito mágico e fizeram desenhos lindos do carro, cheios de detalhes. Já os mais velhos, o que mais lhes impressionou foi ver que um carro, que geralmente é comprado pronto, pode ser construído em casa, com o reaproveitamento de peças de fácil acesso”. “It was very good! I think that it was very cool that he made a car by himself at his house”, disse a aluna Beatriz Carvalho, da turma Cardiff Inglês & Espanhol
  • Inglês & Espanhol Rua Maria Caldas, 35, São Francisco, Niterói - RJ - 24.365-050 - Tel. 2612-4000 • e-mail: listamaisideias@gaylussac.com.br • EDITOR: Priscila Aquino (MTB 28.761) • REDAÇÃO: Luana Oliveira e Aline Ventura (estagiária de jornalismo) • REVISÃO: Perla Faillace • FOTOS: Marco Antonio Almeida, Moisés Almeida • PROJETO GRÁFICO: SGP Comunicação • DIAGRAMAÇÃO E FINALIzAÇÃO: Geraldo Machado • Publicação Dirigida Listas de Material Atenção! As listas de material para 2015 já estão disponíveis no site da escola e na cantina Al Mare. Acesse: www.gaylussac.com.br Não deixe de acessar no site (www.gaylussac.com.br) o link Parceiros do GayLussac para conferir a listagem dos Parceiros da Escola e as vantagens oferecidas. Basta apresentar a carteira funcional, carteira de estudante ou boleto bancário. Criança.com – Vestuário Infantil Estrada Caetano Monteiro, 4550 – loja 103 – Pendotiba Tel.: 2617-9123 - 10% de desconto – exceto acessórios Poli Music – Música e Conhecimento Av. Quintino Bocaiuva, 325 – loja 207 – Shopping Lido – São Francisco – Tel.: 3492-4375 - 6% de desconto na compra de instrumentos musicais Única instituição de ensino do estado do Rio de Janeiro a contar com um programa de High School, o GayLussac teve o orgulho de organizar a formatura da primeira turma do projeto, no Teatro. Muito além de um diploma de formação internacional, o aluno que deixa a High vivenciou uma abertura de horizontes, experimentando o modelo de ensino norte-americano, com professores nativos da Língua Inglesa. Trata-se de um projeto pioneiro que nos colocou na vanguarda do bilinguismo no Rio de Janeiro. A cerimônia contou com um discurso de abertura da Co- ordenadora da High School, Teresa Kassuga, que agra- deceu a confiança dos pais na proposta e parabenizou os alunos. Os formandos entraram no Teatro GayLus- sac ao som de “We’re all in this together”, do musical da Disney High School Musical, filme que marcou a adoles- Primeira turma do Programa High School se forma Graduation cência da turma. Um a um, subiram ao palco para receber o certificado e os cumprimentos dos pro- fessores. A formanda Juliana Carrano falou sobre a formatura e a importância do High School em sua vida: “Me formar foi um misto de felicidade e sensação de dever cumprido. Fomos a primeira turma a se formar e mostramos que o High é um projeto que dá certo. Ele agregou à minha vida não só valores curriculares, mas também espirituais e culturais. Sempre digo às pessoas que se elas tiverem a oportunidade de fazer parte do Programa, que a aproveitem”. Visita à Petrópolis Aprofundar o conteúdo ministrado em sala de aula é muito importante para concretizar o conhecimento. Por isso, alguns alunos do 8º ano do Ensino Fundamental fizeram uma visita guiada à cidade de Petrópolis, na região serrana do Rio. O município é conhecido como “cidade imperial”, por ser o destino preferido da família imperial durante o reinado, no século XIX. Em Petrópolis, Dom Pedro II construiu o palácio de verão e diversos outros prédios públicos e locais que se tornaram pontos turísticos, justamente por sua relevância histórica. O Museu Imperial, a Catedral de São Pedro de Alcântara e o Palácio de Cristal foram alguns dos lugares visitados. Todos eles enriqueceram os estudantes com dados, informações e imagens da época do Brasil-Império. Tudo isso com direito a uma ida à Casa do Chocolate! Temas & Diálogos Boas férias O Instituto GayLussac deseja aos alunos e suas famílias excelentes férias! Divirtam-se e descansem para voltar com tudo em 2015! Não esqueçam que as aulas começam no dia 3 de fevereiro, terça-feira. Até lá! Uniforme do High School O ano de 2015 traz uma grande novidade para os alunos do Programa High School! A partir do ano que vem, eles terão uniforme próprio, de uso obrigatório durante as aulas do High. As camisas estarão à venda na cantina da escola a partir do dia 27 de janeiro. Fiquem atentos!
Please download to view
All materials on our website are shared by users. If you have any questions about copyright issues, please report us to resolve them. We are always happy to assist you.
...

Gay lussac Dezembro 2014

by gaylussac-empreendimentos-educacionais

on

Report

Category:

Documents

Download: 0

Comment: 0

212

views

Comments

Description

Gay lussac Dezembro 2014
Download Gay lussac Dezembro 2014

Transcript

  • O futurO O Nº 91 Dezembro/2014 O final de 2014 chegou com uma grande novidade. Agora o Instituto GayLussac integra um seleto grupo que reúne mais de 60 escolas espalhadas por sete países com mais de 30 mil estudantes. O anúncio da incorporação ao Grupo Cognita representa um planejamento de futuro, um olhar adiante. Com isso, a escola continua sua trajetória de inovação local e abre caminhos e perspectivas globais, possibilitadas por fazer parte de um grupo educacional cuja meta é ensinar a excelência. O GayLussac foi a primeira escola do Estado a implementar o sistema de High School em parceria com a Texas Tech. Somos os primeiros de Niterói admitidos como centro certificador do Instituto Cervantes para diplomas de proficiência em Língua Espanhola. Há anos nos mantemos como melhor escola de Niterói, entre as dez melhores do Estado do Rio e 50 melhores do Brasil no ranking do ENEM. Inovar está no nosso DNA. E depois de 60 anos com a tradição da inovação e da excelência, a incorporação ao Cognita foi uma decisão frente aos desafios apresentados por uma juventude globalizada, cujo horizonte não possui limites. A Diretora Pedagógica, Luiza Sassi, conta: “Há 20 anos eu participava de um grupo que tinha função de fazer um planejamento para as próximas duas décadas da escola. Hoje, alcançamos a meta estabelecida naquele momento. Agora é hora de traçar novos objetivos e buscar novos desafios. Esse passo cria possibilidades antes inexistentes para nossos alunos e corpo docente”. Entre as novidades que estão vindo por aí está o programa de intercâmbio acadêmico entre as escolas do Grupo Cognita para alunos do Fundamental 2 Incorporação ao Grupo Cognita marca o primeiro passo para os próximos 60 anos já começou e do Ensino Médio. Os alunos poderão conhecer o ensino, a cultura e aprimorar ainda mais a língua em países como a Inglaterra, a Espanha, o Chile, a Tailândia e o Vietnã. Essa experiência permitirá uma abertura de mundo sem precedentes para os estudantes. Além disso, a proposta é de constante aprimoramento do corpo pedagógico, com cursos e possibilidades de interação com escolas de ponta em três continentes. O mais importante de tudo. O Grupo Cognita reúne colégios de excelência da rede privada ao redor do mundo. E a ideia é promover a troca de experiências educacionais e valorizar a individualidade das escolas, reconhecendo que não existe apenas um caminho para chegar à excelência do ensino. Existem vários. O caminho que o GayLussac vai trilhar nos próximos 60 anos está traçado. Com o Cognita, damos mais um grande e ousado passo rumo a um futuro promissor.
  • 2 Ler e escrever abrem infinitas portas para a imaginação e o conhecimento. Por isso, é muito importante celebrar esse aprendizado, apresentando ao aluno o grande passo dado por ele. Assim, as turmas do 1º ano do Ensino Fundamental se apresentaram no Teatro GayLussac, mostrando aos pais o que aprenderam durante o ano. No final, foram presenteados com o livro “Nós, os Autores”, com histórias escritas e ilustradas por eles. Com o tema “Artes e Ofícios”, a apresentação foi sobre o estudo que fizeram sobre as diversas profissões. Em cena, os alunos dançaram, representaram, falaram poesias, mostrando tudo que pesquisaram sobre o assunto. Durante o trabalho de pesquisa, para concretizar ainda mais o aprendizado, as crianças tiveram a oportunidade de conhecer detalhadamente algumas profissões, fazendo, por exemplo, uma visita ao Corpo de Bombeiros e à padaria do bairro. “O Projeto Autores em Cena é um tributo aos alunos que se tornam escritores-leitores, adquirindo habilidades de compreensão e interpretação, fundamentais ao mundo letrado”, explica a Gerente da Educação Infantil, Graça Regent. Informação e Conhecimento Festa celebra entrada de alunos no mundo da leitura e da escrita Autores em cena O tema da redação do Exame Nacional do Ensino Médio (ENEM) de 2014 foi: “Publicidade infantil em questão no Brasil”. Refletir sobre o impacto da publicidade na formação das crianças e na própria construção da noção de infância é a uma tarefa Menos consumo, essencial na atual sociedade de consumo. Por isso, o assunto não pegou nossos alunos da 3ª série do Ensino Médio de surpresa. Pelo contrário, durante a 3ª etapa, a regulação da publicidade infantil no Brasil e no mundo foi trabalhada pela professora de Produção Textual, Maria Anna Gerk. Ter embasamento teórico e argumentos prévios na escrita da redação é importante e a antecipação do tema pela professora revela o trabalho de uma equipe antenada com as discussões travadas na mídia e na sociedade. Mais do que um trabalho isolado de uma equipe, os alunos do GayLussac possuem uma ampla formação crítica com relação à sociedade de consumo contemporânea. Desde 2013, a escola se envolveu na campanha “Infância Livre de Consumismo”, aliando trabalhos de professores do Ensino Fundamental e da Educação Infantil. Nessa edição o leitor pode conferir o trabalho feito na Educação Infantil, que promoveu uma Feira de Trocas de Brinquedos e incentivou a reciclagem e a reutilização de materiais em divertidos pés de lata, que animaram o recreio dos nossos pequenos. A troca de brinquedos também foi incentivada com os alunos do 2º ao 5º ano do Ensino Fundamental. Acreditamos que, assim, abre-se a possibilidade de formação de cidadãos conscientes e reflexivos no ato de consumir, preparados para lidar financeiramente com o mundo contemporâneo. mais diversão e educação Brincar sem consumir e trocar brinquedos usados e em bom estado são formas de incentivar a infância livre do consumismo
  • Informação e Conhecimento 3 Perto do final do ano letivo, em outubro, os alunos do 9º ano do Ensino Fundamental passam por um ritual acadêmico que marca a passagem entre Ensino Fundamental e Ensino Médio. Trata-se da tradicional Monografia de 9º ano, quando os estudantes apresentam em aula-pública, no Teatro GayLussac, os resultados da pesquisa desenvolvida sob orientação de um professor. Na plateia, familiares e colegas assistem à apresentação e depois à aferição de uma banca examinadora. Um palco, um tema e muita argumentação Monografia do 9º ano Desenvolver a capacidade de questionar, investigar, aprofundar e construir conhecimento são objetivos do Clube de Pesquisa, desenvolvido pelo GayLussac Jardim. A inspiração nasceu em um estudo que professores fizeram sobre o projeto de documentação pedagógica nas aulas da Educação Infantil da cidade italiana de Reggio Emília. E no ano de 2014 não faltaram temas a serem estudados pelos alunos do Jardim! Bichinhos da Fazenda, Peixes, Música e Pipoca foram alguns dos assuntos trabalhados. As pesquisas aconteceram não apenas em sala de aula, mas também por meio de visitas extraclasse e, é claro, em casa. As turmas do Maternal, por exemplo, pesquisaram sobre alguns animais da fazenda. Eles visitaram o galinheiro do sr. Eduardo e também receberam em sala o aluno Bernardo Horácio, do 6º ano, que trouxe os dois patinhos que cria em seu apartamento. Os peixes foram tema de pesquisa do Jardim 3. Para estudá-los, os pequenos pesquisadores foram à Colônia de Pescadores de Jurujuba e entrevistaram algumas das pessoas que lá trabalham. Os alunos também visitaram o Mercado de Peixe São Pedro, onde observaram os diversos tipos de peixes e crustáceos. O medo e histórias de terror que apavoram até os adultos foram assuntos abordados pelas turmas do A professora Aline Pereira, da turma J1T2, contou: “Estudamos histórias de arrepiar e trabalhamos com a questão do medo. As crianças contaram aos pais a história do ‘Homem do dedo sangrante’ e no final, todos perceberam que o medo pode não ser tão assustador assim” “Para a idade deles, é muito importante que o conhecimento seja concretizado, e foi isso que aconteceu na visita ao galinheiro e na vinda dos patinhos à sala”, disseram as professoras da turma MTT2, Gabrielle Carvalho e Camila Adélio “Despertar a curiosidade da criança é ainda a melhor forma de instigá-la para o saber; auxilia a formação do pensamento reflexivo. Essa é a proposta do Clube de Pesquisa”, disse Graça Regent, Gerente Pedagógica da Educação Infantil Pequenos Jardim 1. Os pais puderam ver o resultado de todo o aprendizado adquirido pelos pequenos alunos no sábado, dia 8 de novembro, com a culminância das pesquisas realizadas. O clima foi de integração entre todos os presentes! pesquisadores Clubes de Pesquisa da Educação Infantil incitam curiosidade dos alunos O desafio, que geralmente marca o final da vida acadêmica universitária, é adiantado e adaptado ao currículo do 9º ano para apresentar aos alunos a experiência da elaboração de uma pesquisa em profundidade. Segundo a Diretora Luiza Sassi: “Além de estimular a arte da retórica e da argumentação em público, o projeto permite o diálogo entre as áreas. Assim, em Produção Textual os alunos precisam conhecer as regras da ABNT para escrever a monografia. Precisam traduzir os resumos para o Espanhol e o Inglês. E escolhem temas de interesse nas mais variadas áreas como: Psicologia, Literatura, História, Física, Esportes, entre outras”. Nelson Moreira, professor de Química e mediador da turma 9M2, acompanhou de perto o processo e avalia sua importância: “A função do professor é despertar a curiosidade para o conhecimento. Na monografia temos a oportunidade de aprender através da curiosidade, do olhar e do interesse deles. É uma realização poder presenciar, hoje, o crescimento desses alunos”. A mãe de João Vitor Lima, Kátia, conta: “Fiquei surpresa com a escolha do tema do meu filho, que estudou anabolizantes. Fiquei feliz que ele, como atleta, leia e se aprofunde em um tema como esse”. Já a mãe do aluno Gabriel Dantas, Linuzian, nota: “Achei interessante a diversidade de temas e o aprofundamento dado pelos estudantes”.
  • 4 Integração & CulturaCiência e Tecnologia Bons leitores se tornam bons escritores. Esse é um caminho a ser traçado desde cedo. Mas como incentivar esses valores em uma sociedade digital, em que a leitura e a escrita são cada vez mais instantâneas? Fazer frente a esse desafio – despertar em nossos alunos os escritores que neles habitam – é o objetivo do Projeto Redação, promovido pela escola em parceria com a Folha Dirigida e a Biblioteca Nacional. Os melhores textos produzidos durante o ano são selecionados pelos professores e indicados para a publicação em uma coletânea. Não existe tema específico e o livro contempla as três línguas estudadas na escola: português, inglês e espanhol. Para celebrar essa publicação, pais, alunos e “padrinhos literários” são convidados para receber o livro no Teatro GayLussac e acompanhar a leitura de textos selecionados. Para a diretora Luiza Sassi, se trata de um desafio dos educadores no contexto social contemporâneo: “Vivemos em uma sociedade da informação e estamos sempre correndo, o tempo sempre nos escapa. O Projeto Redação se inscreve nessa necessidade da educação de incentivar a leitura e a escrita, que tanto nos humanizam”. A professora de Espanhol, Susana Martinez, ficou muito satisfeita com o resultado: “Apesar de todas as dificuldades de falar e escrever em Espanhol, o evento mostra para eles que são capazes de realizar uma das destrezas mais difíceis em outra língua – escrever. E não se fala da escrita de qualquer texto, estamos falando de textos que usam o respeito que a palavra merece”. Alunos se tornam coautores de livro em cerimônia no Teatro A aluna Catherine Martins, da 2ª série do Ensino Médio, foi uma das autoras do evento e explica: “Sempre gostei de escrever. Estar aqui representa o reconhecimento do texto produzido. Escrever, para mim, é uma forma de colocar meu sentimento no papel”. Simone, mãe de Ana Clara Curty, do 6º ano, conta: “Acredito que esse evento é um estímulo à leitura e à escrita e é uma iniciativa importante. Estou orgulhosa e feliz”. Projeto Redação 2014 Dormindo na escola Passar o dia na escola é algo a que os alunos já estão mais do que acostumados, mas passar a noite no lugar em que geralmente estudam foi uma grande novidade para os pequenos estudantes do 1º ano do Ensino Fundamental! Em dezembro, já em clima de Natal, eles enfeitaram e decoraram as salas de aula para ter uma noite diferente. Depois de um dia normal de aula, os alunos voltaram para casa para se preparar e retornaram novamente à escola, prontos para uma noite especial. Na escola, sempre auxiliados e orientados pelas professoras e funcionários, brincaram e viram filmes. Antes de dormir, conversaram por vídeo com Papai Noel, falando do que desejavam nesse fim de ano para o mundo. Na manhã seguinte, os pais se uniram aos filhos para tomar um café da manhã delicioso e... surpresa! Papai Noel apareceu! O Bom Velhinho visitou nossos pequenos para passar- lhes uma bonita mensagem de solidariedade e prosperidade neste Natal. A professora Verônica Cristina, da turma 1T1, falou sobre a preparação dos alunos: “Eles ficaram muito empolgados! Escreveram cartinhas para o Papai Noel, decoraram as salas e corredores para recebê-lo... Com certeza eles entraram no clima de Natal”. A valorização da infância, da brincadeira, dos jogos, da criatividade e do lúdico em detrimento de uma infância baseada no consumo. Com essa inspiração, os alunos do 2º ao 5º ano do Ensino Fundamental foram envolvidos no Projeto “Marque Presença”, que cria e distribui bonecos de pano em espaços públicos. Agora foi a vez dos nossos alunos deixarem sua marca. O PRESENÇA – “A Criança na sua FelizCidade” está presente em 9 estados brasileiros e em outros 17 países. Essa iniciativa nasceu há 3 anos em uma reunião de educadores que compõem a RedSOLARE Ensino Fundamental I participa de projeto de valorização da infância Marcando Presença Brasil – associação sem fins lucrativos que forma uma rede na América Latina em defesa da cultura da infância e da difusão da prática educativa de Reggio Emilia – Itália. O objetivo da confecção dos bonecos e da sua distribuição em espaços públicos é apoiar a construção de uma cultura de paz e não-violência fortalecendo uma cidade com uma nova identidade, fruto de participação e reflexão da sociedade. Os pequenos estudantes desenharam e fizeram bonecas de pano nas aulas de Artes. A professora Bárbara Malaquias explica: “Nós mostramos um vídeo sobre a história das bonecas. Ele conta que as crianças nos navios negreiros não tinham com o que brincar, então as mulheres rasgavam parte da própria roupa para fazer bonecas e brinquedos. Os alunos se mostraram muito interessados e adoraram a atividade”. Com as bonecas prontas, as crianças foram à Praça Dom Orione, em São Francisco, para marcar presença. “Nós fomos à praça, colocamos as bonecas lá e também brincamos bastante. Foi muito legal!”, disseram as alunas Antônia Peçanha, Isabela Cordeiro e Sofia Scorzelli, da turma 2T2.
  • Ciência e Tecnologia 5 Integração & CulturaCiência e Tecnologia O percurso traçado por cada aluno em seu passo a passo diário rumo ao conhecimento deixa registros – impressões, poemas, redações, pinturas, sensações e ideias. Para compartilhar esse aprendizado, os alunos do 2º ao 5º ano do Ensino Fundamental convidaram os pais e colocaram a mão na massa para apresentar o que mais marcou sua trajetória. Foi o “Caminho de trabalhos” que recebeu os responsáveis com uma escola completamente decorada com pinturas e atividades que ocuparam seus filhos ao longo do ano letivo. O 2º ano veio ornado com os temas da ciranda e das canções de roda. Foi o “Cirandando”, que acolheu os pais com uma brincadeira lúdica ao som de “Escravos de Jó”. O tema perpassou o ano dos pequenos, que vivenciaram a Ciranda Literária, um troca-troca dos Alunos revisitam aprendizado do ano letivo Caminho de trabalhos livros prediletos de cada um. “A temática faz parte da faixa etária deles e ainda possibilitou o mergulho nas brincadeiras antigas. Eles fizeram jograis, dobraduras, poesias e músicas”, conta a professora Fenátia Gregório. Os alunos do 3º receberam os pais com o tema “O sentido da produção”, que teve início na visita à padaria de São Francisco. A aula-passeio foi o pontapé inicial à vivência de todo o processo – cultural e material – da produção de um produto. Cada turma inventou sua própria padaria, elegeu um produto para vender, fez jingles e pregões de propaganda, cartão de apresentação e confeccionou dinheirinhos – os “Lussacs”. Através dessas atividades lúdicas, exercitaram a criatividade, aprofundando o conhecimento em vários campos. O 4º ano encantou os pais no ritmo do “Baile Imperial”. Cartolas, coroas, vidros pintados em forma de vitrais multicoloridos, leques, tudo preparado pelos alunos para “Aprendemos que a Princesa Isabel e o Pedro II fizeram um grande baile na Ilha Fiscal com o dinheiro que tinha que ter ido para ajudar o Nordeste em uma época de seca. Vimos também que a Princesa Isabel não era tão boazinha, ela foi pressionada a assinar a Lei Áurea. Por isso os fazendeiros ficaram de mal com ela”, contaram Bruna Morgado e Isabel Monteiro, do 4º ano “O que a gente seria sem as nossas memórias? Nosso caminho de trabalho juntou todo o aprendizado do ano em um momento só, mostrando o que mais nos marcou durante o ano”, explica a aluna do 5º ano Maria Eduarda Lins receber um grande evento. Na porta, a pintura da Torre dá o tom que acompanhará a dança real dos pequenos: o minueto. No final, o lanche temático deliciou a todos com docinhos da realeza, bolinhos do rei e suco imperial. Já o 5º ano encantou pais e mães com o tema Relicário. Tudo começou com o livro Guilherme Augusto Araújo Fernandes, de Mem Fox, que conta a história de um menino que ajuda uma velhinha que não tinha memórias. A partir dessa leitura, que suscita a temática do afeto e da criança, os alunos trabalharam a questão da memória e das lembranças. O estudo focou as memórias da escola, da História, o jogo de memória. Todos fizeram uma caixinha relicário com momentos marcantes do 2º ao 5º ano. E os pais surpreenderam os pequenos com um presente: o livro preferido de cada um na infância. O incentivo à criatividade e a propostas que façam a diferença na sociedade continua trazendo excelentes resultados aos alunos do Instituto GayLussac! A ideia de uma casa completamente controlada pelo toque do celular foi apresentada pelos alunos do nosso Clube de Robótica e recebeu o Prêmio Jovem Cientista de Niterói, na Feira Municipal de Ciência, Tecnologia e Inovação, em outubro. No evento, outros estudantes da escola apresentaram projetos ligados a Matemática. A Feira comemorou a Semana Nacional da Ciência e Tecnologia e reuniu alunos de vários da guitarra chegou a tocar algumas músicas para os presentes”. O aluno Pedro Chediak, que apresentou o projeto da Cidade Ideal, observa: “Nossa ideia foi abordar um problema que existe – a sustentabilidade da cidade – em três aspectos: moradia, transporte e energia. Pesquisamos sobre cada um desses temas e demos soluções possíveis de serem aplicadas em qualquer lugar, fugindo do alarmismo. Foi muito bom participar da feira, conhecer outras escolas com outras realidades. Recebemos muitos elogios”. Estamos orgulhosos da equipe de Robótica por essa conquista! Parabéns aos nossos alunos e ao Cícero pelo empenho e dedicação de sempre! Robótica premiada colégios, professores e avaliadores no Museu do Cinema, na Cantareira. Os nossos veteranos de Robótica ganharam o prêmio com o projeto de uma casa inteligente. Através da internet, a pessoa poderia ligar ou desligar aparelhos eletrônicos. “Para isso, usamos o Arduíno, robô que fala em linguagem binária. Os alunos tiveram que ter conhecimento de eletricidade, pois a partir de um impulso de 5v tiveram que ligar três aparelhos de 120v: uma lâmpada, um liquidificador e um rádio. Assim, estudaram a parte de eletricidade da casa, programação e eletrônica”, explica Cícero Augusto, orientador de Robótica. Além dos alunos de Robótica, o professor de Matemática, Ricardo Viz, participou com a apresentação de dois trabalhos que nasceram nas suas aulas no Ensino Médio. Os alunos foram desafiados a utilizar os conhecimentos matemáticos para elaborar projetos inovadores. Assim nasceram duas ideias criativas: usar material reciclável para construir uma guitarra de baixo custo e pensar uma cidade ideal. O professor conta: “Eles adoraram participar e se mostraram muito desenvoltos para falar. O grupo Pódio na Feira de Inovação e Tecnologia “Achei mágico. Adoro essa parte de poesia e consegui ver o crescimento dele com as rimas. Agora ele fica o dia inteiro rimando em casa. Foi gratificante e emocionante saber que ele está no lugar certo”, conta Zula, mãe de Guilherme Cury, do 2º ano
  • Educação Financeira 6 Feira de Trocas de Brinquedos Atividade estimula valores menos materialistas entre as crianças Incentivar a reutilização ao invés do desperdício num mundo em que o consumo está por toda parte é extremamente importante. E esse incentivo deve começar logo na infância! Esse foi o objetivo da Feira de Troca de Brinquedos, que fez parte do Projeto Lugar de Criança é na Infância, e aconteceu no espaço do Jardim na semana de 6 a 10 de outubro, para os alunos do Maternal ao 1º ano do Ensino Fundamental. O assunto foi introduzido nas turmas antes que os alunos trouxessem os brinquedos. Em sala, as professores fizeram perguntas como “Vocês têm muitos brinquedos?” e “Será que existe algum que vocês já tenham se cansado de brincar?”. Então, na semana seguinte, as crianças começaram a trazer de casa um brinquedo em bom estado, que não era mais de seu interesse. No decorrer dos dias, cada um foi apresentando à turma o objeto trazido, e todos brincaram juntos. Na sexta-feira finalmente chegou o momento da troca! Alguns impasses surgiram, mas o diálogo entre os pequenos foi capaz de resolver a situação. Algumas crianças preferiram permanecer com o brinquedo que trouxeram. Mas, a maioria voltou para casa feliz e com um “novo velho” brinquedo. Dentro da ideia da Infância sem Consumismo, o Jardim 2 foi apresentado a brinquedos que já diver- tiram muitas outras gerações. Um deles despertou grande interesse. O funcionário da manutenção, Antônio Arruda, recolheu latas usadas, trazidas pelas crian- ças, e com toda sua habilidade manual reciclou esse material, transformando-o em pés de lata! De forma divertida, os pe- quenos aproveitaram o recreio com “Achei essa experiência muito válida, pois além de trabalhar na criança o desapego e o não consumo, também oportunizou a argumentação entre eles sobre seus desejos quando defenderam seu ponto de vista”, avaliou a professora Márcia Elen, da J3T3 “Atividades como essa precisam fazer parte do nosso dia a dia, tornando cada vez mais habitual a troca ao invés do consumo, que nos cerca diariamente”, disse a professora Poliana Nunes, da J2T2 O aluno Pietro Caveari conta: “A gente não queria mais o brinquedo, aí a gente trouxe para trocar”. Isabela Silva completa: “Troquei a Minie por um jogo da memória, eu já tinha o das princesas, aí eu troquei e fiquei com o dos 3 porquinhos também” “Troquei um brinquedo pelo quebra cabeças que aprende a falar espanhol e inglês. Eu prefiro mais trocar do que comprar porque assim eu não preciso ficar gastando dinheiro”, conta Mateus Gimenez esse brinquedo diferente, buscando desenvoltura para manter o equilíbrio sobre as latas. A Gerente Pedagógica Graça Re- gent explica: “Um brinquedo como esse às vezes é mais dis- putado pelas crianças do que um brinquedo comprado. Isso nos indica que é possível privi- legiar uma infância menos me- diada pelo ‘comprar’ e mais pelo construir, transformar e criar”. Pé De Lata: a sensação dos pequenos Educação financeira perpassa diversas atividades escolares na ponta do lápis Saber como dividir, nas contas do mês, a quantia determinada para a alimentação de famílias com diversas rendas. Trabalhar com o conceito de poupança e meta das economias. Apresentar a atividade de venda dos pregões, mostrando aspectos sociais, históricos e matemáticos. Foram atividades de Educação Financeira feitas por diversas séries da escola durante a terceira etapa. São formas de apresentar nossas crianças ao mundo do dinheiro, ao consumo consciente e capacitá-las financeiramente para enfrentar o mundo capitalista. A professora de Matemática, Dulcineia Maria, propôs uma atividade que inseria o 6º ano do Ensino Fundamental no planejamento de uma família. As equipes foram divididas e a cada uma foi dada um perfil de renda familiar diferente e a meta de gastar 30% da renda com alimentação e higiene. Diante disso, todos foram ao Mercado Pérola pesquisar os preços dos itens. O trabalho proporcionou que muitos conhecessem a realidade socioeconômica das famílias brasileiras. No 2º ano o desafio era apresentar aos alunos o conceito básico de moeda e cédula, respondendo a perguntas como: quantas moedas de 10 centavos precisam para chegar a um real? As professoras perceberam que seria muito mais interessante se os alunos pudessem manusear o dinheiro, daí nasceu a ideia do cofrinho. “O objetivo era possibilitar o contato direto dos alunos com o dinheiro e estimular a noção de poupança”, contou a professora Fenátia Gregório. A meta da economia era um delicioso sorvete com direito a um passeio à sorveteria. Já no 3º ano tudo começou no livro de História, que contava sobre as profissões do passado e como as pessoas anunciavam seus produtos. Os alunos perceberam que o pregão pode ser a alma do negócio e que existe até hoje. A professora Inês Carla nota: “Eles foram convidados a produzir ou trazer um produto de casa e criar um pregão para ele, anunciando para toda a turma, que poderia comprar com o dinheirinho inventado por eles – os ‘Lussacs’”. “Muitos custaram a acreditar que uma família conseguisse viver com o que ganhava. O projeto aproximou as crianças da realidade das pessoas no Brasil e estimulou a criatividade”, explica a professora Dulcineia
  • música, brincadeiras e um lanche coletivo delicioso. A coordenadora da High, Teresa Kassuga, conta: “Ficou claro que o professor quis recriar a festa. Ele fez cookies de abóbora, decorou a sala, fez concurso de fantasia. Os alunos assistiram um filme de terror e conheceram a história do Halloween”. A professora da 1ª e 2ª séries do Ensino Médio, Elizabeth Moraes, já se tornou famosa por vir à escola paramentada de bruxa, com um longo nariz adunco, chapéu e vassoura. Para ela essa brincadeira é séria: “A data me dá a oportunidade de contar aos alunos as origens do Halloween. É necessário trabalhar essa data em sala de aula para se evitar uma visão reducionista que tende associá-la à morte, ao assassinato e à religião. Sinto que em função de dogmas religiosos existe uma tendência a discriminar algo que pertence a uma cultura maior. Eu, como professora, preciso abordar questões que pertencem a essa cultura”. 7 O Halloween é uma data celebrada na cultura anglo-saxônica, e por isso não poderia deixar de ser comemorada pelos nossos alunos durante as aulas de Inglês! Brincadeiras, fantasias e comidas típicas fazem parte das comemorações do 31 de outubro. Compreender essa tradição é mergulhar em uma cultura milenar que vai muito além do “trick or treat”. No Projeto Bilíngue, os alunos desenvolveram diversas atividades, como Chairs Dance, Freeze e uma special movie session, with popcorn. Além disso, no dia 31, vieram fantasiados e participaram do Halloween Ball, em que dançaram e comeram pratos feitos por eles durante a Cooking Class, como o sanduíche de múmia. Já os alunos do High School tiveram uma festa muito animada, organizada e decorada pelo professor Hank Owens! Devidamente fantasiados e maquiados, eles participaram da Halloween Party com danças, It’s Halloween! High School, Bilíngue e professores de Inglês celebram data “I liked the decoration with the witches”, disse Nicolas Paes, da turma Sydney. “The best part was the food with different desserts and also the dance”, contou Theo Devisate, também da turma Sydney A aluna da High, Marina Saffran, conta: “Adorei o biscoito de abóbora e achei impressionante o valor que o povo americano dá ao Halloween. Foi um momento de união da turma” O discurso da professora de Espanhol Susana Martinez durante a cerimônia do Projeto Redação 2014 carregava a emoção da ocasião e o orgulho de asissitir, ao longo dos anos, o crescimento pessoal de cada aluno na sua língua materna. Mais do que isso, a docente comemorava conquistas sem precedentes da Equipe de Espanhol da escola. Os frutos desse trabalho árduo, desse caminho repleto de percalços e desafios, estão sendo colhidos por todos. Hoje o GayLussac é a única escola de Niterói credenciada como Centro de exame dos Diplomas de Español como Lengua Extranjera (Dele). Os Dele são diplomas reconhecidos em diversas universidades e empresas de todo o mundo, com validade indefinida, que certificam o nível de conhecimento em Língua Espanhola para vários fins culturais e profissionais – incluindo o Programa Ciência Sem Fronteiras, nas universidades internacionais. Assim, no dia 22 de novembro, foram realizadas dentro da escola as primeiras avaliações para comprovar o grau de competência e domínio do idioma com um exame outorgado pelo Instituto Cervantes, em nome do Ministério de Educação, Cultura e Desporto da Espanha. Os nossos alunos da 2ª e 3ª série do Ensino Médio podem fazê- lo sem precisar realizar uma pré-seleção em Espanhol. Somos uma das poucas escolas que alcançaram esse nível de aprendizado da Língua. Para além dessas vultosas conquistas, Susana não deixa de se ater às sutilezas. “Lembro de alunos que disseram mais de uma vez que não conseguiriam escrever em Espanhol, que era confuso, difícil, impossível. Aceitamos as reclamações e voltamos ao trabalho, demos voltas e mais voltas para demonstrar que na verdade aprender espanhol para um falante de português pode ser difícil, mas não impossível. O caminho do aprendizado de Espanhol pode ser árduo, mas rende bons frutos. Na cerimônia do Projeto Redação vi textos hábeis, alunos atingindo o mais difícil nível de proficiência na língua: a escrita”. Parabéns à Equipe de Espanhol! orgulho em espanhol Somos o primeiro centro certificador em Língua Espanhola de Niterói Alunos do Bilíngue passeiam em carro especial a special ride Estimular a criatividade é importante para que surjam invenções grandes ou pequenas. Foi isso que Jorge Lopes, marido da professora Flávia Augusta, da turma Honolulu, mostrou aos alunos do Projeto Bilíngue Forever! Ele construiu um carro feito de madeira de reflorestamento. Os chassis são de ferro galvanizado reaproveitado. Os bancos e a capota foram feitos pela nossa professora, com espuma e courvin. Já os dois motores de 24 volts são alimentados por baterias recarregadas por energia solar. Jorge conta que a ideia surgiu para entreter os netos, além de aproveitar os motores de cadeiras de roda que estavam sem uso. As baterias são carregadas através da energia do sol e - pasmem - o carro não tem volante! Para dirigir, ele usa uma alavanca de direção, e os freios ficam em uma das rodas traseiras. A máquina chega a velocidade de 10 km/h. A professora Flávia comentou sobre a reação dos alunos: “Os pequenos acharam tudo muito mágico e fizeram desenhos lindos do carro, cheios de detalhes. Já os mais velhos, o que mais lhes impressionou foi ver que um carro, que geralmente é comprado pronto, pode ser construído em casa, com o reaproveitamento de peças de fácil acesso”. “It was very good! I think that it was very cool that he made a car by himself at his house”, disse a aluna Beatriz Carvalho, da turma Cardiff Inglês & Espanhol
  • Inglês & Espanhol Rua Maria Caldas, 35, São Francisco, Niterói - RJ - 24.365-050 - Tel. 2612-4000 • e-mail: listamaisideias@gaylussac.com.br • EDITOR: Priscila Aquino (MTB 28.761) • REDAÇÃO: Luana Oliveira e Aline Ventura (estagiária de jornalismo) • REVISÃO: Perla Faillace • FOTOS: Marco Antonio Almeida, Moisés Almeida • PROJETO GRÁFICO: SGP Comunicação • DIAGRAMAÇÃO E FINALIzAÇÃO: Geraldo Machado • Publicação Dirigida Listas de Material Atenção! As listas de material para 2015 já estão disponíveis no site da escola e na cantina Al Mare. Acesse: www.gaylussac.com.br Não deixe de acessar no site (www.gaylussac.com.br) o link Parceiros do GayLussac para conferir a listagem dos Parceiros da Escola e as vantagens oferecidas. Basta apresentar a carteira funcional, carteira de estudante ou boleto bancário. Criança.com – Vestuário Infantil Estrada Caetano Monteiro, 4550 – loja 103 – Pendotiba Tel.: 2617-9123 - 10% de desconto – exceto acessórios Poli Music – Música e Conhecimento Av. Quintino Bocaiuva, 325 – loja 207 – Shopping Lido – São Francisco – Tel.: 3492-4375 - 6% de desconto na compra de instrumentos musicais Única instituição de ensino do estado do Rio de Janeiro a contar com um programa de High School, o GayLussac teve o orgulho de organizar a formatura da primeira turma do projeto, no Teatro. Muito além de um diploma de formação internacional, o aluno que deixa a High vivenciou uma abertura de horizontes, experimentando o modelo de ensino norte-americano, com professores nativos da Língua Inglesa. Trata-se de um projeto pioneiro que nos colocou na vanguarda do bilinguismo no Rio de Janeiro. A cerimônia contou com um discurso de abertura da Co- ordenadora da High School, Teresa Kassuga, que agra- deceu a confiança dos pais na proposta e parabenizou os alunos. Os formandos entraram no Teatro GayLus- sac ao som de “We’re all in this together”, do musical da Disney High School Musical, filme que marcou a adoles- Primeira turma do Programa High School se forma Graduation cência da turma. Um a um, subiram ao palco para receber o certificado e os cumprimentos dos pro- fessores. A formanda Juliana Carrano falou sobre a formatura e a importância do High School em sua vida: “Me formar foi um misto de felicidade e sensação de dever cumprido. Fomos a primeira turma a se formar e mostramos que o High é um projeto que dá certo. Ele agregou à minha vida não só valores curriculares, mas também espirituais e culturais. Sempre digo às pessoas que se elas tiverem a oportunidade de fazer parte do Programa, que a aproveitem”. Visita à Petrópolis Aprofundar o conteúdo ministrado em sala de aula é muito importante para concretizar o conhecimento. Por isso, alguns alunos do 8º ano do Ensino Fundamental fizeram uma visita guiada à cidade de Petrópolis, na região serrana do Rio. O município é conhecido como “cidade imperial”, por ser o destino preferido da família imperial durante o reinado, no século XIX. Em Petrópolis, Dom Pedro II construiu o palácio de verão e diversos outros prédios públicos e locais que se tornaram pontos turísticos, justamente por sua relevância histórica. O Museu Imperial, a Catedral de São Pedro de Alcântara e o Palácio de Cristal foram alguns dos lugares visitados. Todos eles enriqueceram os estudantes com dados, informações e imagens da época do Brasil-Império. Tudo isso com direito a uma ida à Casa do Chocolate! Temas & Diálogos Boas férias O Instituto GayLussac deseja aos alunos e suas famílias excelentes férias! Divirtam-se e descansem para voltar com tudo em 2015! Não esqueçam que as aulas começam no dia 3 de fevereiro, terça-feira. Até lá! Uniforme do High School O ano de 2015 traz uma grande novidade para os alunos do Programa High School! A partir do ano que vem, eles terão uniforme próprio, de uso obrigatório durante as aulas do High. As camisas estarão à venda na cantina da escola a partir do dia 27 de janeiro. Fiquem atentos!
Fly UP