FOLDER - PCP - 4EDIO

  • Published on
    11-Jul-2015

  • View
    158

  • Download
    1

Transcript

Exerccio Exemplo 1. A estrutura analtica do produto ioi dada. Existe um pedido para a entrega de 1.000 iois para a semana 10. Os estoques atualmente disponveis e os tempos de atendimentos (lead times) so dados na tabela abaixo.

Logstica UFT Editores: Cristiane Holanda de Lima Nascimento Domingas Arajo dos Santos Fernando da Silva Sousa Data: 24/11/2011 Edio: 4Vigor investe no reposicionamento de suas marcasO presidente da Vigor, Gilberto Xand, traou a meta de quadruplicar o faturamento at 2016, passando dos R$ 1,2 bilho no ano passado para mais de R$ 5 bilhes. Para isso, tem a carta-branca de Wesley Batista, presidente da JBS, que o convidou. O maior frigorfico do mundo comprou a Bertin, dona da Vigor, no fim de 2009. A Bertin foi incorporada JBS e a Vigor se tornou o brao do grupo em lcteos. Por enquanto, ainda representa pouco dentro da JBS - 2,2% do faturamento mundial e 10,2% do Brasil. Mas Xand deixa claro que essa fatia ser cada vez maior. "Meu objetivo transformar a Vigor em um dos maiores fabricantes de produtos lcteos do pas", diz ele. Hoje, a empresa est entre as maiores do Estado de So Paulo, onde se concentram 60% das suas vendas. A agncia que vai capitanear a campanha da nova fase da Vigor, a ser lanada no primeiro trimestre de 2012, ser a Fischer& Friends. Embora afirme que s vai anunciar o reposicionamento das diversas marcas do seu portflio dentro de um ms, quando inaugurar oficialmente a nova sede da companhia, no Belenzinho. Segundo matria do Valor Online, alm de agregar maior valor ao nome Vigor, macarro e massas frescas devem sair do portflio da marca. J a marca Leco, vendida apenas no mercado paulista, tem potencial para expandir suas fronteiras e batizar uma linha de produtos de apelo saudvel. O foco da Danubio ser reforado em laticnios Premium.

Sabe-se que 200 laterais j foram encomendadas e sero entregues na semana 6. Quando todos componentes estiverem disponveis, gasta-se uma semana para montar os 1.000 iois. A) Determinar as necessidades liquidas para cada componente: B) Quando devero ser emitidos os pedidos de compras?

BibliografiaMARTINS, Petrnio da Silva. Administrao da produo. 2 ed. Ver. So Paulo: Saraiva, 2005. CORRA, Henrique L; CORRA, Carlos A. Administrao de Produo e Operaes. 2 ed. So Paulo: Atlas, 2007.

Ningum to sbio que nada tenha para aprender, nem to tolo que nada tenha pra ensinar.Blaise Pascal

MRP - PLANEJAMENTO DAS NECESSIDADES DE MATERIAIS muito fcil confundir-se ao tentar entender o que MRP. H duas definies diferentes, mas relacionadas de MRP; entretanto, compartilham do mesmo tema elas auxiliam as empresas a planejar e controlar suas necessidades de recursos com o apoio de sistemas informatizados. MRP tanto pode significar o planejamento das necessidades de materiais, como o planejamento dos recursos de manufatura. Com o tempo, esse conceito desenvolveu-se de um foco na gesto de operaes, que auxiliava o planejamento e controle das necessidades de materiais, para se tornar, atualmente, um sistema corporativo que apoia o planejamento de todas as necessidades de recursos do negcio. Esse mtodo usado em empresas de manufatura, embora haja alguns casos de aplicao em ambientes no manufatureiros. MRP I Material Requirement Planning Planejamento das Necessidades MateriaisQuando e quanto COMPRAR de cada produto? Quando e quanto PRODUZIR de cada produto?

Apesar da utilidade desses pacotes, inclusive reduzindo nveis de estoque e deixando mais enxutos vrios seguimentos da cadeia de suprimentos, uma das principais causas do fracasso foi a constatao de que operaes de produo estocagem aquisio dependem de recursos tanto financeiros quanto de mo-de-obra, essa descoberta levou ao desenvolvimento do MRPII Manufacturing Resource Planning ( planejamento de recursos de produo). MRP II Manufacturing Resource Planning Planejamento Recursos Produo

Quem e onde ir produzir? Tenho material para produzir? Qual ser o custo?

So softwares que foram especificamente desenvolvidos para a indstria, que visavam manter os estoques adequados e as linhas de produo em grande atividade. Utilizam-se de tcnicas matemticas ligadas ao conhecimento da engenharia de processo industrial para, atravs de uma demanda prdeterminada, fazer o planejamento futuro das matrias-primas e das etapas produtivas.

a evoluo do MRP I, onde foi agregado a esta ferramenta a alocao de recursos e o custeio baseado na estrutura do produto, onde considerado o custo da matria-prima e dos recursos utilizados para a produo. O software MRPII possui muitas frmulas matemticas e acrescenta ao MRPI recursos de trabalho e planejamento financeiro. O MRPII no integrava com demais softwares Vendas, Contbil, existindo todo um retrabalho. Com a evoluo veio a necessidade de integrao de sistemas funcionais intenso.

Fonte:http://www.rosimeireayres3.com.br/arquivos/aulas/TI/aula8%20MRPI_MRPII_ERP_CRM_S CM.pdf