Fios de ao para concreto protendido - dnit.gov. ? DNER-EM 375/97 p. 03/07 Designao(A) Dimetro

  • Published on
    04-Aug-2018

  • View
    212

  • Download
    0

Transcript

MT - DEPARTAMENTO NACIONAL DE ESTRADAS DERODAGEMDIRETORIA DE DESENVOLVIMENTO TECNOLGICO - IPRDIVISO DE CAPACITAO TECNOLGICARodovia Presidente Dutra km 163 - Centro Rodovirio, Parada de LucasRio de Janeiro, RJ - CEP 21240-330Norma rodoviriaEspecificao de MaterialDNER-EM 375/97p. 01/07Fios de ao para concreto protendidoRESUMOEste documento apresenta as caractersticas exigidaspara fios de ao para concreto protendido, alm doscritrios a serem adotados para aceitao e rejeio.ABSTRACTThis document presents the required features for steelwires used for prestressed concrete framework, andthe criteria for acceptance and rejection.SUMRIO0 Prefcio1 Objetivo2 Referncias3 Definies4 Condies gerais5 Condies especficas6 Inspeo0 PREFCIOEsta Norma estabelece a sistemtica a ser empregadano recebimento e aceitao do material em epgrafe.1 OBJETIVOFixar as condies exigveis para aceitao efornecimento de fios de ao de alta resistncia, deseo circular, encruados a frio por trefilao, comsuperfcie lisa ou entalhada destinados a armadurasde protenso.2 REFERNCIASPara entendimento desta Norma devero serconsultados os documentos seguintes:a) ABNT NBR-6004/84 - Arames de ao - ensaiode dobramento alternado;b) ABNT NBR-6349/92 - Fios, barras e cordoalhasde ao para armaduras de protenso - ensaio detrao;c) ABNT NBR-7482/91 - Fios de ao paraconcreto protendido;d) ABNT NBR-7484/92 - Fios, barras e cordoalhasde ao destinados a armaduras de protenso -ensaio de relaxao isotrmica.Macrodescritores MT : ao, concretoMicrodescritores DNER : ao, concreto protendidoPalavras-chave IRRD/ IPR : ao (4542), concreto protendido (4796)Descritores SINORTEC : aos estruturais, concretosAprovado pelo Conselho Administrativo 20/03/97, Resoluo n 27/97, Sesso n CA/10/97Autor: DNER/DrDTc (IPR) Reviso e Adaptao DNER-PRO 101/97,Processo n 51100000912/97-63 Aprovada pela DrDTc em 06/11/97DNER-EM 375/97 p. 02/073 DEFINIESPara os efeitos desta Norma so adotadas as definies de 3.1 a 3.3.3.1 Valor nominal - valor numrico que caracteriza certa grandeza do produto.3.2 Rolo - certo comprimento contnuo de fio acabado, sem junta ou emenda de nenhuma natureza,apresentado em espiras concntricas formando volume compacto.3.3 Lote - determinada quantidade de fio acabado, de mesmo dimetro nominal e de mesmacaracterstica, apresentada para inspeo e ensaios de uma s vez.4 CONDIES GERAIS4.1 Classificao4.1.1 Conforme a resistncia trao, os fios classificam-se em duas categorias para cada dimetronominal (ver Tabelas 1 e 2).4.1.2 Conforme o comportamento na relaxao, os fios classificam-se em: a) relaxao normal (RN); b) relaxao baixa (RB).Tabela 1 - Caractersticas dos fios com relaxao normal - RNDesignao(A)Dime-tronominaldo fioTolerncianodimetrorea daseonominalMassanominalLimite deresistncia traomn.(A)Tenso a1% dealongamentomn.(B)Alongamentoaps ruptura(em 10d)Nmero dedobramentos(C)Relao mximaaps 1000h a 20Cpara tenso inicialde 70% e 80% dolimite deresistncia mnimaespecificado (%)(mm) (mm) (mm2) (kg/1000m) (MPa) (MPa)TotalZona deestrico(min)(%)(mn.)70% 80%CP-150 RN8 8 50,3 395 1500 1280 6CP-160 RN8 8 1600 1360 5CP-150 RN7 7 38,5 302 1500 1280 6CP-160 RN7 7 1600 1360 5CP-150 RN6 6 ! 0,05 28,3 222 1500 1280 6 2 3 5 8,5CP-160 RN6 6 1600 1360 5CP-150 RN5 5 19,6 154 1500 1280 6CP-160 RN5 5 1600 1360 5CP-160 RN4 4 12,6 98,7 1600 1360 5CP-170 RN4 4 1700 1490 5(A) Os trs dgitos constantes na designao correspondem ao limite da resistncia trao na antiga unidadekgf/mm2. Para efeitos desta Norma, considera-se 1 kgf/mm2 = 10 MPa.(B) O valor mnimo da tenso a 1% de alongamento considerado equivalente tenso a 0,2% de deformaopermanente e correspondente a 85% do limite mnimo da resistncia especificado.(C) Para os fios entalhados, o nmero mnimo de dobramentos alternados de dois.Tabela 2 - Caractersticas dos fios com relaxao baixa - RBDNER-EM 375/97 p. 03/07Designao(A)Dimetronominaldo fioTolerncianodimetrorea daseonominalMassanominalLimite deresistncia traomin.(A)Tenso a1% dealongamentomn.(B)Alongamento apsruptura (em 10d) Nmero dedobramentos(C)Relao mximaaps 1000h a 20Cpara tenso inicial de70% e 80% do limitede resistnciamnima especificada(%)(mm) (mm) (mm2) (kg/1000m) (MPa) (MPa) Total Zona deestrico(mn.)70% 80%(min) (%)CP-150 RB8 8 50,3 395 1500 1350 6CP-160 RB8 8 1600 1440 5CP-150 RB7 7 38,5 302 1500 1350 6CP-160 RB7 7 1600 1440 5CP-150 RB6 6 ! 0,05 28,3 222 1500 1350 6 2 3 2 3CP-160 RB6 6 1600 1440 5CP-150 RB5 5 19,6 154 1500 1350 6CP-160 RB5 5 1600 1440 5CP-160 RB4 4 12,6 98,7 1600 1440 5CP-170 RB4 4 1700 1580 5(A) Os trs dgitos constantes na designao correspondem ao limite mnimo da resistncia a traona antiga unidade kgf/mm2. Para efeitos desta Norma, considera-se 1 kgf/mm2 = 10 MPa.(B) O valor mnimo da tenso a 1% de alongamento considerado equivalente tenso a 0,2% dedeformao permanente e correspondente a 90% do limite mnimo da resistncia especificado.(C) Para os fios entalhados, o nmero mnimo de dobramentos alternados de dois.4.1.3 Qualidade do fio acabadoDeve ser isento de defeitos na superfcie e internos, prejudiciais ao seu emprego.4.1.4 Emendas em rolosNos fios acabados no sero permitidas soldas ou quaisquer emendas. As eventuais soldas ouemendas feitas durante a fabricao, aps o patenteamento, a fim de permitir a continuidade dasoperaes de fabricao devero ser removidas pelo fabricante.4.1.5 Acondicionamento e embalagem4.1.5.1 AcondicionamentoOs fios so fornecidos em rolos, cujos dimetros internos so indicados na Tabela 3.Tabela 3 - Dimenses dos rolosDimetro nominal Dimetro internodo fio dos rolos(mm) (m)6 ; 7 ; 8 1,8 - 2,25 1,5 - 1,8 4 1,2 - 1,5Nota 1: Salvo indicado em contrrio, os fios de outras dimenses devero ser fornecidos em roloscom dimetros internos iguais aos dos fios de dimetros nominais imediatamentesuperiores.DNER-EM 375/97 p. 04/074.1.5.2 EmbalagemMediante acordo e no ato da encomenda ser estabelecido o tipo de embalagem.4.1.6 MarcaoCada rolo ser identificado por uma etiqueta suficientemente resistente, com inscrio indelvel,firmemente presa, que indicar: a) nome ou smbolo do produtor; b) nmero desta Norma; c) designao do produto: - categoria (150, 160 e 170) - relaxao (RN ou RB); d) dimetro nominal do fio, em mm; e) nmero do rolo.4.1.7 DesignaoOs fios recebero designao conforme a seguir, por exemplo: CP-150 RN 7 significa fio paraconcreto protendido (CP), categoria 150, relaxao normal (RN) e dimetro de 7 mm.4.1.8 EncomendaNa encomenda dos fios, o comprador deve indicar: a) nmero desta Norma; b) quantidade, em kg; c) dimetro nominal do fio, em mm; d) categoria e relaxao; e) acabamento da superfcie (lisa ou entalhada); f) acondicionamento e embalagem; g) local e procedimento da inspeo.5 CONDIES ESPECFICAS5.1 Dimetro e tolernciasOs dimetros nominais padronizados e as tolerncias dos fios so indicados nas Tabelas 1 e 2.5.2 Propriedades mecnicasDNER-EM 375/97 p. 05/075.2.1 Os fios fabricados e inspecionados, amostrados e ensaiados conforme a Seo 6 deveroatender aos valores mnimos especificados de: a) tenso a 1% de alongamento; b) limite de resistncia trao; c) alongamento aps ruptura; d) nmero de dobramentos alternados, sem fissuras ou rupturas.Nota 2: O fio com uma profundidade de entalhe at 3,5% do seu dimetro nominal dever suportardois dobramentos alternados sem fissuras ou rupturas. O entalhe no deve ter profundidadesuperior a 3,5% do dimetro nominal do fio.5.2.2 As propriedades mecnicas dos fios com relaxao normal so especificadas na Tabela 1.5.2.3 As propriedades mecnicas dos fios com relaxao baixa so especificadas na Tabela 2.6 INSPEO6.1 Procedimento de inspeo6.1.1 Comprador6.1.1.1 Ao comprador compete exigir do fabricante certificados de ensaios do material fornecido.Nota 3: Os resultados dos ensaios do fabricante devero estar disponveis para exame pelocomprador ou seu representante, durante pelo menos cinco anos.6.1.1.2 O certificado dever conter: a) data da realizao dos ensaios; b) identificao do lote, com a quantidade e a numerao respectivas dos rolos fornecidos; c) caractersticas dimensionais, mecnicas e qumicas do lote.6.1.1.3 Fica a critrio do comprador verificar se as caractersticas especificadas em 6.1.1.2-c somantidas na aceitao e executar as inspees e ensaios que julgar necessrios, em laboratriooficial ou homologado.6.1.1.4 A partir da recepo do material, o comprador torna-se responsvel pela integridade fsicado produto no decorrer de operaes de transporte, manuseio, estocagem e colocao na estrutura.6.1.2 ContratanteCabe ao contratante adotar pelo menos um dos seguintes procedimentos: a) verificar a integridade fsica das armaduras; b) fiscalizar o comprador na aceitao do material; c) analisar as caractersticas do material utilizado, atravs dos ensaios j realizados pelocomprador; d) realizar o controle de qualidade do produto ou contratar firmas especializadas para este fim.6.2 AmostragemDNER-EM 375/97 p. 06/076.2.1 Para os ensaios especificados em 6.3.1 e 6.3.2, retirar de qualquer das duas extremidades deum rolo, de cada lote de cinco unidades ou frao, uma amostra de 2,00 metros de comprimento.6.2.2 A determinao do diagrama de tenso-deformao ser feita para cada corrida ou frao.6.2.3 As amostras no sero submetidas a nenhuma forma de tensionamento ou de aquecimentoaps a fabricao. Se necessrio, o endireitamento da amostra deve ser feito a frio e todo oprocedimento obedecer ABNT NBR- 6349.6.3 Ensaios6.3.1 O ensaio de trao dos fios ser executado conforme a ABNT NBR-6349, determinando-se atenso a 1% de alongamento, o limite de resistncia trao e o alongamento aps ruptura, paratodos os corpos-de-prova.6.3.2 O ensaio de dobramento alternado ser executado conforme a ABNT NBR-6004, utilizando-se mandris cilndricos com os dimetros indicados na Tabela 4 para os correspondentes dimetrosnominais dos fios.Tabela 4 - Dimetro do mandril para ensaio de dobramento alternadoDimetro nominal do fio (mm)Dimetro domandril (mm)8 507 406 355 304 25Nota 4: Para dimetro intermedirio de fio, adota-se o dimetro do mandril imediatamente superior.6.3.3 O ensaio de relaxao dos fios ser executado conforme a ABNT NBR-7484, determinando-se os valores de relaxao para uma tenso inicial equivalente a 70% ou 80% do limite deresistncia mnimo estabelecido.6.4 Aceitao e rejeio6.4.1 O produto inspecionado, amostrado e ensaiado conforme a Seo 6 aceito, desde que todosos resultados atendam aos valores mnimos especificados na Seo 5 e nas Tabelas 1 e 2.6.4.2 Se qualquer corpo-de-prova, no ensaio de trao de dobramento alternado, no atingir osvalores mnimos especificados, devem ser retiradas e submetidas duas amostras adicionais damesma extremidade do mesmo rolo.6.4.3 O lote aceito somente se os resultados desses dois corpos-de-prova atenderem aos seusvalores especificados. Caso falhe em uma determinao, o rolo ser rejeitado e os restantes do lotedevem ser ensaiados um por um, aceitos somente os que atendam os valores especificados nasTabelas 1 e 2.DNER-EM 375/97 p. 07/076.4.4 Admitir a oxidao do produto, desde que superficial, leve e uniforme e no apresente pontosde corroso na superfcie.6.4.5 Normalmente uma oxidao superficial uniforme pode ser removida com a mo ouesfregando-se os fios com um tecido grosseiro (estopa ou juta). Em caso de dvida, o produto sersubmetido a ensaios especiais para comprovao de suas propriedades mecnicas originais.Nota 5: Salvo acordo prvio entre comprador e fornecedor, a superfcie do fio no dever conternenhum lubrificante, leo ou outra substncia capaz de prejudicar sua aplicao.6.4.6 A liberao e o emprego do produto no so condicionados ao ensaio de relaxao, em vistade sua longa durao. O comprador pode-se basear em resultados recentes e regularmente obtidoscom material da mesma categoria.

Recommended

View more >