FILOSOFIA FILOSOFIA Histria da filosofia. O SURGIMENTO DA FILOSOFIA NA ANTIGA GRCIA.

  • Published on
    07-Apr-2016

  • View
    234

  • Download
    11

Transcript

Os fundamentos da tica

FILOSOFIA

Histria da filosofia

O surgimento

da filosofia

na antiga Grcia

A filosofia foi uma resposta dos gregos a problemas reais, levando em conta a contribuio de outras culturas, mas assimilando e modificando seus contedos.

A palavra filosofia GREGA, composta por duas outras. PHILOsPhilo deriva-se de philia, que significa amizade, amor fraterno, respeito entre os iguais.

SophiaSophia quer dizer sabedoria e dela vem a palavra sophos, sbio.

INVENTOR DA PALAVRA Atribui-se ao filsofo grego Pitgoras de Samos (que viveu no sculo V antes deCristo) a inveno da palavra filosofia. Pitgoras teria afirmado que a sabedoriaplena e completa pertence aos deuses, mas que os homens podem desej-la ouam-la, tornando-se filsofos.

A Filosofia, entendida como aspirao ao conhecimento racional, lgico esistemtico da realidade natural e humana.

Qual seria a utilidade da Filosofia?

Se abandonar a ingenuidade e os pr-conceitos do senso comum for til;

Se no se deixar guiar pela submisso s idias dominantes e aos poderes estabelecidos for til;

Se buscar compreender a significao do mundo, da cultura, da histria for til;

Se conhecer o sentido das criaes humanas nas artes, nas cincias e na poltica for til;

Se dar a cada um de ns e nossa sociedade os meios para serem conscientes de si e de suas aes numa prtica que deseja a liberdade e a felicidade para todos for til...

... ento podemos dizer que a Filosofia o mais til de todos os saberes de que os seres humanos so capazes.

A Filosofia surge quando se descobriu que a verdade do mundo e dos humanos no era algo secreto e misterioso, que precisasse ser revelado por divindades a alguns escolhidos, mas que, ao contrrio, podia ser conhecida por todos, atravs da razo, que a mesma em todos; quando se descobriu que tal conhecimento depende do uso correto da razo ou do pensamento e que, alm da verdade poder ser conhecida por todos, podia, pelo mesmo motivo, ser ensinada ou transmitida a todos. RESUMO

O que perguntavam os primeiros filsofosPor que os seres nascem e morrem?

Por que tudo muda ?

Por que a doena invade os corpos, rouba-lhes a cor, a fora?

Por que o que parecia uno se multiplica em tantos outros?

Por que as coisas se tornam opostas ao que eram?

Por que nada permanece idntico a si mesmo?

Os historiadores da Filosofia dizem que ela possui data e local de nascimento:final do sculo VII e incio do sculo VI antes de Cristo, nas colnias gregas dasia Menor (particularmente as que formavam uma regio denominada Jnia),na cidade de Mileto.

Mito e FilosofiaUm mito uma narrativa sobre a origem de alguma coisa (origem dos astros, da Terra, dos homens, das plantas, dos animais, do fogo, da gua, dos ventos, do bem e do mal, da sade e da doena, da morte, dos instrumentos de trabalho, das raas, das guerras, do poder, etc.).

Como o mito narra a origem do mundo e de tudo o que nele existe?Encontrando o pai e a me das coisas e dos seres, isto , tudo o que existe decorre de relaes sexuais entre foras divinas pessoais.

Encontrando uma rivalidade ou uma aliana entre os deuses que faz surgir alguma coisa no mundo.

Encontrando as recompensas ou castigos que os deuses do a quem os desobedece ou a quem os obedece.

Quais so as diferenas entre Filosofia e mito? MITOSO mito pretendia narrar como as coisas eram ou tinham sido no passado imemorial, longnquo e fabuloso, voltando-se para o que era antes que tudo existisse tal como existe no presente.

O mito narrava a origem atravs de genealogias e rivalidades ou alianas entre foras divinas sobrenaturais e personalizadas.

O mito no se importava com contradies, com o fabuloso e o incompreensvel, no s porque esses eram traos prprios da narrativa mtica, como tambm porque a confiana e a crena no mito vinham da autoridade religiosa do narrador.

Quais so as diferenas entre Filosofia e mito? FILOSOFIAA Filosofia, ao contrrio, se preocupa em explicar como e por que, no passado, no presente e no futuro (isto , na totalidade do tempo), as coisas so como so.

A Filosofia, ao contrrio, explica a produo natural das coisas por elementos e causas naturais e impessoais.

A Filosofia, ao contrrio, no admite contradies, fabulao e coisas incompreensveis, mas exige que a explicao seja coerente, lgica e racional; alm disso, a autoridade da explicao no vem da pessoa do filsofo, mas da razo, que a mesma em todos os seres humanos.

Condies histricas para o surgimento da Filosofia as viagens martimas,

a inveno do calendrio,

a inveno da moeda,

o surgimento da vida urbana,

a inveno da escrita alfabtica,

a inveno da poltica.

A idia da lei como expresso da vontade de uma coletividade humana que decide por si mesma o que melhor para si e como ela definir suas relaes internas.

O surgimento de um espao pblico, que faz aparecer um novo tipo de palavra ou de discurso, diferente daquele que era proferido pelo mito.

Agora, com a polis, isto , a cidade poltica, surge a palavra como direito de cada cidado de emitir em pblico sua opinio.

A poltica, valorizando o humano, o pensamento, a discusso, a persuaso e a deciso racional.Condies histricas para o surgimento da Filosofia

Tendncia racionalidade, isto , a razo e somente a razo, com seus princpios e regras, o critrio da explicao de alguma coisa;

Tendncia a oferecer respostas conclusivas para os problemas, isto , colocado um problema, sua soluo submetida anlise, crtica, discusso e demonstrao, nunca sendo aceita como uma verdade, se no for provado racionalmente que verdadeira;

Recusa de explicaes preestabelecidas e, portanto, exigncia de que, para cada problema, seja investigada e encontrada a soluo prpria exigida por ele;

Tendncia generalizao, isto , mostrar que uma explicao tem validade para muitas coisas diferentes porque, sob a variao percebida pelos rgos de nossos sentidos, o pensamento descobre semelhanas e identidades.

PRINCIPAIS CARACTERSTICAS DA FILOSOFIA

Exigncia de que o pensamento apresente suas regras de funcionamento, isto , o filsofo aquele que justifica suas idias provando que segue regras universais do pensamento. Para os gregos, uma lei universal do pensamento que a contradio indica erro ou falsidade. Uma contradio acontece quando afirmo e nego a mesma coisa sobre uma mesma coisa (por exemplo: Pedro um meninoe no um menino, A noite escura e clara, O infinito no tem limites e limitado). Assim, quando uma contradio aparecer numa exposio filosfica, ela deve ser considerada falsa.PRINCIPAIS CARACTERSTICAS DA FILOSOFIA

QUATRO GRANDES POCAS DA GrciaA da Grcia homrica, correspondente aos 400 anos narrados pelo poeta Homero, em seus dois grandes poemas, Ilada e Odissia;

A da Grcia arcaica ou dos sete sbios, do sculo VII ao sculo V antes de Cristo, quando os gregos criam cidades como Atenas, Esparta, Tebas, Megara, Samos, etc., e predomina a economia urbana, baseada no artesanato e no comrcio;

A da Grcia clssica, nos sculos V e IV antes de Cristo, quando a democracia se desenvolve, a vida intelectual e artstica entra no apogeu e Atenas domina a Grcia com seu imprio comercial e militar;

E, finalmente, a poca helenstica, a partir do final do sculo IV antes de Cristo, quando a Grcia passa para o poderio do imprio de Alexandre da Macednia, e, depois, para as mos do Imprio Romano, terminando a histria de sua existncia independente.

Perodo pr-socrtico ou cosmolgico, do final do sculo VII ao final do sculo V a.C., quando a Filosofia se ocupa fundamentalmente com a origem do mundo e as causas das transformaes na Natureza.

Perodo socrtico ou antropolgico, do final do sculo V e todo o sculo IV a.C., quando a Filosofia investiga as questes humanas, isto , a tica, a poltica e as tcnicas (em grego, ntropos quer dizer homem; por isso o perodo recebeu o nome de antropolgico).

Perodo sistemtico, do final do sculo IV ao final do sculo III a.C., quando a Filosofia busca reunir e sistematizar tudo quanto foi pensado sobre a cosmologia e a antropologia, interessando-se sobretudo em mostrar que tudo pode ser objeto do conhecimento filosfico, desde que as leis do pensamento e de suas demonstraes estejam firmemente estabelecidas para oferecer os critrios da verdade e da cincia.

Perodo helenstico ou greco-romano, do final do sculo III a.C. at o sculo VI depois de Cristo. Nesse longo perodo, que j alcana Roma e o pensamento dos primeiros Padres da Igreja, a Filosofia se ocupa sobretudo com as questes da tica, do conhecimento humano e das relaes entre o homem e a Natureza e de ambos com Deus.

Os quatro grandes perodos da Filosofia gregaESCOLAS DA ANTIGA GRCIA (ACADEMIA)Escola Jnica: Tales de Mileto, Anaxmenes de Mileto, Anaximandro de Mileto e Herclito de feso;

Escola Itlica: Pitgoras de Samos, Filolau de Crotona e rquitas de Tarento;

Escola Eleata: Parmnides de Elia e Zeno de Elia;

Escola da Pluralidade: Empdocles de Agrigento, Anaxgoras de Clazmena, Leucipo de Abdera e Demcrito de Abdera.

Escola de Atenas, 1509, Stanza della Signatura (Sala da Assinatura), Museus Vaticanos

24

Os noeses so as personalidades em que Rafael se inspirou para pintar o rosto dos diferentes filsofos gregos. Isso claramente uma homenagem s pessoas de seu tempo: 1: Zeno de Ctio ou Zeno de Elia 2: Epicuro 3: Frederico II, duque de Mntua e Montferrat 4: Anicius Manlius Severinus Boethius ou Anaximandro ou Empdocles 5: Averroes 6: Pitgoras 7: Alcibades ou Alexandre, o Grande 8: Antstenes ou Xenofonte 9: Hiptia (Francesco Maria della Rovere or Raphael's mistress Margherita.) 10: squines ou Xenofonte 11: Parmnides 12: Scrates 13: Herclito (Miguel ngelo). 14: Plato segurando o Timeu (Leonardo da Vinci). 15: Aristteles segurando tica a Nicmaco 16: Digenes de Snope 17: Plotino 18: Euclides ou Arquimedes acompanhado de estudantes (Bramante) 19: Estrabo ou Zoroastro (Baldassare Castiglione ou Pietro Bembo). 20: Ptolomeu R: Apeles (Rafael). 21: Protogenes (Il Sodoma ou Pietro Perugino). A Escola de Atenas (Scuola di Atenas no original) uma das mais famosas pinturas do renascentista italiano Rafael e representa a Academia de Plato. Foi pintada entre 1509 e 1510 na Stanza della Segnatura sob encomenda do Vaticano. A obra um afresco em que aparecem ao centro Plato e Aristteles. Plato segura o Timeu e aponta para o alto, sendo assim identificado com o ideal, o mundo inteligvel. Aristteles segura a tica e tem a mo na horizontal, representando o terrestre, o mundo sensvel.

Principais perodos da histria da Filosofia

Pelo fato de estar na Histria e ter uma histria, a Filosofia costuma ser apresentada em grandes perodos que acompanham, s vezes de maneira mais prxima, s vezes de maneira mais distante, os perodos em que os historiadores dividem a Histria da sociedade ocidental.

Os principais perodos da Filosofia Filosofia antiga (do sculo VI a.C. ao sculo VI d.C.).

Filosofia patrstica (do sculo I ao sculo VII).

Filosofia medieval (do sculo VIII ao sculo XIV).

Filosofia da Renascena (do sculo XIV ao sculo XVI).

Filosofia moderna (do sculo XVII a meados do sculo XVIII).

Filosofia da Ilustrao ou Iluminismo (meados do sculo XVIII ao comeo do sculo XIX).

Filosofia contempornea.

Questes discutidas pela Filosofia contemporneaHistria e progresso.

As cincias e as tcnicas.

As utopias revolucionrias.

A cultura.

O fim da Filosofia.

A maioridade da razo.

Infinito e finito.

Temas, disciplinas e campos filosficosOntologia ou metafsica.

Lgica.

Epistemologia.

Teoria do conhecimento.

tica.

Filosofia poltica.

Filosofia da Histria.

Filosofia da arte ou esttica.

Filosofia da linguagem.

Histria da Filosofia.

Recommended

View more >