Ergonomia I. Classificao da Ergonomia Ergonomia de concepo Ergonomia de correo Ergonomia de conscientizao Ergonomia de participao.

  • Published on
    07-Apr-2016

  • View
    240

  • Download
    16

Transcript

Introduo ao Design

Ergonomia IClassificao da ErgonomiaErgonomia de concepoErgonomia de correoErgonomia de conscientizaoErgonomia de participaoErgonomia de ConcepoOcorre quando a contribuio ergonmica se faz durante o projeto do produto, mquina, ambiente ou sistema.Contextualizao:Alternativas podero ser amplamente examinadasExige maior nvel de conhecimento tcnicoUtiliza-se modelos para testar as situaes verificadas

Ergonomia de correo aplicada em situaes reais, j existentes, para resolver problemas que se refletem na segurana, fadiga excessiva, doenas do trabalhador ou quantidade e qualidade da produoContextualizao:Geralmente exige custos elevados de implementaoMudanas de postura, dispositivos de segurana e melhoria da iluminao so feitas com mais facilidadeReduo de carga mental ou rudos so mais difceisErgonomia de conscientizaoProcura capacitar os prprios trabalhadores para a identificao e correo dos problemas do dia-a-dia ou aqueles emergenciais.Contextualizao:Conscientizar os trabalhadores atravs de cursos de treinamento e frequentemente reciclagensEle deve saber exatamente qual a providncia a ser tomada em uma situao de emergncia

Ergonomia de ParticipaoProcura envolver o prprio usurio do sistema, na soluo de problemas ergonmicos. ContextualizaoBaseia-se na crena de que eles possuem conhecimento prtico, cujos detalhes podem passar desapercebidos ao analista ou projetista

Enquanto a ergonomia de conscientizao procura apenas manter os trabalhadores informado, a de participao envolve aquele de forma mais ativa, na busca da soluo para o problema, fazendo a realimentao de informaes para as fases de conscientizao, correo e concepo.

Mtodos e tcnicas em ergonomiaAbordagem sistmica da ergonomiaSistema um conjunto de elementos (ou subsistemas) que se interagem entre si, com um objetivo comum e que evoluem no tempoExistem trs aspectos que caracterizam um sistema: os seus componentes (elementos ou subsistemas)As relaes (interaes) entre os subsistemasPermanente evoluo

Componentes do sistemaFronteira so os limites do sistema, que pode ter uma existncia fsica ou uma delimitao imaginria para efeito de estudoSubsistemas so os elementos que compem o sistema, e esto contidos dentro da fronteiraInteraes so as relaes entre os subsistemas Entradas (inputs) representam os insumos ou variveis independentes do sistema

Sadas (output) representam os produtos ou variveis dependentes do sistemaProcessamento so as atividades desenvolvidas pelos sistemas que interagem entre si para converter as entradas em sadas.Ambiente so variveis que se situam dentro ou fora da fronteira e podem fluir no desempenho do sistema

Ergonomia Projeto e Produo Itiro IidaExemplo: - entra matria prima (entrada)- Srie de transformaes (processamento)- em diversas operaes (subsistemas)- resulta no produto final (saida)- Ambiente interno - iluminao, temperatura e rudos dentro da fbrica- Ambiente externo - rudos da rua, clima seco ou chuvoso, luz solar, etcO sistema homem-mquina-ambiente a unidade bsica de estudo da ergonomia.O SHMA constitudo basicamente de um homem e uma mquina que interagem entre si para a realizao de um trabalhoMquina abrange qualquer tipo de artefato usado pelo homem para realizar um trabalho ou melhorar o seu desempenho. Desde lpis a aeronavesExistem dois tipos bsicos de mquinas: tradicionais e cognitivasO sistema homem-mquina-ambienteMquinas tradicionais nos ajudam a realizar trabalhos fsicos, como no caso de ferramentas manuais e mquinas-ferramentas. Incluem tambm os automveis

Mquinas cognitivas so aquelas que operam sobre as informaes. Um exemplo tpico o computadorO sistema homem-mquina-ambienteAlgumas mquinas simplesmente servem para amplificar ou aperfeioar as capacidades humanas, sem alterar a natureza da tarefa. Exemplo: um alto falante amplifica a voz, mas no modifica o contedo da falaOutra classe de mquinas aquela que modifica a natureza da tarefa.Exemplo: dirigir um automvel diferente de andar a p.Interaes no SHMA

Otimizao e subotimizaoA soluo tima de um problema aquela que maximiza ou minimiza a funo objetivo, dentro das restries impostas a esse problema. Isso significa que a soluo tima no existe de forma absoluta, mas para certos critrios (funo objetivo) definidos, como produo, lucros, custos, acidentes, erros, ndices de refugos e outros

Otimizao e subotimizaoAs solues que se afastam do ponto timo, tanto para cima como para baixo, so chamados de sub-timas.Ergonomia Projeto e Produo Itiro IidaAs subotimizaes ocorrem frequentemente no SHMA.Exemplo: carros esportivos podem passar de 200 km/h, mas a sua potncia subutilizada porque a velocidade mxima permitida na estrada de 110 km/h.Exemplo 2: serralheiros que cortam com serra manual, por no terem serra eltrica, o que poderia melhorar a produtividade. Nesse caso h uma subotimizao da capacidade humana, pela limitao a ferramenta utilizadaOtimizao e subotimizaoConsiderao errnea da fronteiraA subotimizao ocorre frequentemente devido considerao errnea da fronteira do sistema. Ou seja, a soluo tima procurada dentro de um espao limitado, inferior ao do sistema, ou por julgamentos errados sobre a verdadeira fronteira do sistema

Subotimizaes em grandes projetosAs subotimizaes tendem a aumentar nos grandes projetos, em que cada parte terceirizada, por se executada por diferentes equipes ou diferentes empresasPara se garantir a otimizao global em grandes projetos, necessrio haver uma organizao e coordenao eficiente dos diversos subsistemas para garantir um bom desempenho do sistema como um todo.

Ergonomia Projeto e Produo Itiro Iida

Ergonomia Projeto e Produo Itiro Iida

Ergonomia Projeto e Produo Itiro Iida

Ergonomia Projeto e Produo Itiro Iida

Ergonomia Projeto e Produo Itiro Iida

Ergonomia Projeto e Produo Itiro Iida

Recommended

View more >