Edio nmero 1796 - 17 de julho de 2013

  • Published on
    09-Mar-2016

  • View
    265

  • Download
    46

DESCRIPTION

tribunaindependenteediodigitaltribunahoje

Transcript

  • RUI inspecionou os novos veculos da SMTT

    DEPENDENTES tm tratamento qualificado

    MULTIDO acompanhou o sepultamento da menina morta pela me adolescente; familiares estavam inconformados

    SECOM AL

    SECOM PMM / MARCO ANTNIO

    SANDRO LIMA

    ARTE SALVADOR HENRIQUE

    POUPANA: 0,4551%

    DLAR COMERCIALR$ 2,25 R$ 2,25

    DOLAR PARALELOR$ 2,21 R$ 2,36

    OURO:R$ 96,00

    Bom a parcialmente nublado com possiblidades de chuvas

    em reas isoladas

    Mnima

    20Mxima

    29

    Mars

    FINANAS

    TEMPO

    QUARTA-FEIRAMACEI - ALAGOAS

    17 DE JULHO DE 2013 N0 1796

    R$ 1,50 tribunahoje.comTRIBUNAINDEPENDENTE

    ME QUE MATOU FILHA CUMPRIR 3 ANOS DE INTERNAO

    DESMANDOS EM ATALAIA

    GASOLINA CONSUMIDA EM PREFEITURA ASSUSTA OS TCNICOS DA CGU PGINA 3

    EMPRESAS QUE AJUDARAM REGIME MILITAR VO SER INVESTIGADASPGINA 7

    SMTT REBOCA CARROS EM VAGAS DE IDOSOS

    Veculos estacionados irregularmente nas vagas para idosos foram rebocados ontem no Shopping Macei pela SMTT, que rece-beu, do prefeito Ruii Palmeira, mais vinte

    veculos para reforar a fiscalizao.

    PGINAS 5 e10

    ACOLHE ALAGOAS DESTAQUE NACIONALO programa Acolhe Alagoas foi destacado ontem no telejornal Bom Dia Brasil como modelo para o pas no tratamento de de-

    pendentes qumicos. O governador Teotonio Vilela comemorou o reconhecimento.

    PGINA 10

    KTIA BORNEX-PREFEITA D DETALHES DO 17 DE JULHO DE 1997Em artigo, ex-prefeita lembra a mobilizao da sociedade, h 16 anos, pelo impeachment do governador Divaldo Suruagy.

    PGINAS 2 e 6

    EXEMPLAR DOASSINANTE

    04:23 0.7 10:45 1.9 17:06 0.7 23:17 1.9

    A adolescente que confessou ter mata-do a filha de um ano de idade a pedra-da, em Rio Largo, est sob a guarda

    do Ministrio Pblico e dever ser internada para cumprir medida scio-

    educativa de trs anos. O crime revoltou a populao da cidade.

    PGINA 9

  • PolticaCientista poltico explica que DivaldoSuruagy no sofreu impeachmentO cientista poltico Eduardo Magalhes alega que Suruagy no sofreu o impeachment. Segundo ele, aps o tumulto da troca de tiros uma carta do governador chegou a Assembleia Legislativa de Alagoas. Suruagy no foi tirado do poder. Uma confuso que se faz daquele perodo sobre o impeachment. Ele no sofreu esse processo, ele se licenciou por tempo indeterminado, e poderia ter retornado quando achasse conveniente, muito embora no houvesse mais espao para isso, esclareceu.

    Considerada por muitos como a ltima grande ma-nifestao popular do sculo XX - no Brasil -, a manifes-tao, que causou a queda do ex-governador Divaldo Suru-agy, diferentemente das que aconteceram recentemente em todo o pas, foi mobiliza-da pelos servidores pblicos, que ficaram quase um ano sem salrios.

    Ranulfo Paranhos, cien-tista poltico, lembra que nessa poca o governo do pre-sidente Fernando Henrique Cardoso (PSDB), comeava a

    dar uma nova cara ao servio pblico, onde o funcionalis-mo estava comeando a ser valorizado, e mesmo assim, ainda era comum ver pes-soas deixarem os empregos pblicos para tentar a vida na iniciativa privada pelas incertezas nos pagamentos do poder pblico.

    No se tratou de um le-vante popular por melhores condies dos servios pbli-cos, como as atuais. Tratou--se de uma manifestao, que chegou a ser armada, onde as pessoas protestavam pelo

    direito de receber salrios e prover o sustento familiar. Esse o entendimento do cientista poltico Ranulfo Pa-ranhos.

    O tambm cientista po-ltico Eduardo Magalhes lembra que havia outra di-ferena entre os manifestan-tes, o tipo de envolvimento.

    No movimento atual as pessoas tem nvel superior e brigam por causas coletivas. Naquela poca, apesar de grande parte da populao estar envolvida, as pessoas queriam o direito ao seu sa-

    lrio. Isso por si s alavanca uma manifestao, explicou.

    No d mais para afas-tar um poltico de qualquer forma, tantos anos passados da Constituio Federal em vigor. Com Suruagy j no dava, disse Magalhes.

    TEMPOS DIFCEISNaquele tenebroso 1997,

    at um policial militar ame-aou se matar no banheiro do Palcio Floriano Peixoto, outro PM acabou matando a famlia e se matando em se-guida, por falta de salrios. (EM)

    ARQUIVO

    Para alguns, Suruagy no teve culpa de desastre administrativo

    Passada uma dcada e meia do afastamento de Su-ruagy, hoje comum ouvir pessoas alegando que ele no comandou as aes que leva-ram a sua queda, tendo sido uma vtima das alianas de seu governo.

    Ainda assim, difcil assu-mir isso publicamente, j que o ponto alto dessa crise foi o atraso de 9 meses de salrios do funcionalismo pblico, pois politicamente essa postura poderia ser considerada uma afronta a histria recente do estado.

    Na atual legislatura, o nico parlamentar que tinha assento na Casa de Tavares Bastos, no fatdico 17 de julho de 1997, era o deputado An-tnio Albuquerque (PTdoB). Embora tenha considerado aquelas manifestaes opor-tunas e legtimas, o parla-mentar preferiu uma postura mais neutra quanto partici-pao do ex-governador.

    No sei se ele foi vtima, mas acho injusto que ele no seja reconhecido como um

    grande homem do nosso esta-do. Foi a gesto dele que mais pavimentou estradas e atuou no desenvolvimento de Alago-as, posicionou-se.

    Entretanto, h quem ache que Suruagy foi responsvel pelo que aconteceu. Esse o caso da secretria de Estado da Mulher, da Cidadania e dos Direitos Humanos, Katia Born, poca prefeita de Ma-cei. Ele tinha responsabili-dade. No h como ser o ges-tor e no ter participao no caos que foi instalado. No foi uma coisa que aconteceu de uma hora para outra, salrios chegaram a atrasar por quase um ano, recordou.

    Para o professor Eduardo Magalhes, a responsabilida-de foi do ex-governador, muito embora possa ter havido des-preparo de sua equipe. Os po-lticos administravam de uma forma antes do Plano Real, no havia a preocupao com aumentos de salrios por con-ta da inflao. Aps o plano, os gestores no sabiam como reagir, enfatizou. (EM)

    DIFERENAS

    Manifestantes hoje conhecem processos legais

    SER OU NO SER?

    Suruagy ainda divide opinies de polticos

    MACEI - QUARTA-FEIRA, 17 DE JULHO DE 2013POLTICA2

    17 de julho: polticos no caem maisNo aniversrio da deposio do governador Divaldo Suruagy, especialista no cr em repetio daquele dia fatdico

    ARQUIVO PESSOAL/KTIA BORN

    17 de julho de 1997 ficou marcado na histria poltica alagoana - manifestantes derrubam porto da ALE

    ERIK MAIAREPRTER

    Hoje, faz 16 que a histria de Alagoas mudou. Nesta mes-ma data, h mais de uma dcada e meia a populao ia as ruas exigir que o ento governador, Divaldo Suru-agy (PMDB), fosse retirado do cargo, sob acusao de ser o responsvel pelo maior caos scio-poltico-adminis-trativo que o estado j viveu.

    Este ano a data lem-brada em meio ao rescaldo dos protestos que acontece-ram por todo o pas, onde as aes pediam a eficincia do Estado, em todas as suas esferas democrticas, mas h a possibilidade de que algum gestor seja afastado do cargo pelos pedidos da populao?

    Os especialistas no acreditam que isso chegue a se concretizar, j que es-ses pedidos acontecem iso-ladamente ou atravs de manifestaes promovidas por entidades partidrias e sindicais.

    A reportagem da Tribu-na Independente conver-sou com dois cientistas po-lticos, Eduardo Magalhes

    Guerrilha de indenizaes

    O governo brasileiro foi condenado pela Organizao dos Estados Americanos (OEA) a pagar indenizao de cerca de R$ 100 mil Terezinha Souza Amorim, irm do guer-rilheiro Nunes, morto no Araguaia na dcada de 70. A deciso indita contraria a Lei de Mortos e Desaparecidos, segundo a qual somente pai, me ou filho menor do falecido que tm direito ao dinheiro. Maria Gomes dos Santos, Dona Santinha, me de Nunes, j falecida. O processo aberto em 1996 foi encerrado no final de 2012.

    Sangria no errioConselheiro da OEA e relator do processo o advogado Roberto Caldas. Deciso abre precedente e pode provocar enxurrada de aes milionrias e onerar o errio.

    In Memorian?A articulao partiu de um grupo politicamente engajado de parentes das vtimas do Araguaia, que recorreram Comisso da Anistia para receber In Memoriam das mes.

    Nunca MaisAo corre em segredo de justia e foi movida pelo Tortura Nunca Mais. Grupo contratou a ong a Cegil para o caso. SDH no se pronunciou. Deve vir mais por a.

    Pedra cantadaO deputado Henrique Fontana (PT-RS) renunciou ao Grupo de Trabalho da reforma poltica. Ele acusa o presidente Henrique Alves (PMDB-RN) de tentar rachar o PT. Presidente da Cmara agiu de forma desres-peitosa, disparou sobre manobra para escolha de Vacarezza (PT-SP). Fontana foi o relator da reforma nos ltimos dois anos.

    Dos SegurosCorretoras de seguro reforam o lobby para aprovao de normas de segurana em boates e casa de espetculos. Entidades sem fins lucra-tivos como igrejas defendem querem ser excludas de obrigatoriedade.

    US$ 60 bilhesDeputado Marcos Montes (PSD-MG) defende reabertura de Comisso Especial que discute compra de terras por estrangeiros. Esto em jogo cerca de US$ 60 bilhes em investimentos externos que deixam de ser aplicados no pas. Assunto no se esgota.

    ltimo gritoShow de comediante Alessandra Maestrini, em Braslia, teve seu mo-mento #oGiganteAcordou. Pediu um FORA Feliciano e disse: Brasil vai ficar bom.

    Veto totalDiferente do informado ontem na coluna, Movimento Provida defende veto total de Dilma Rousseff a projeto que facilita realizao do aborto. Grupo pressiona Planalto.

    PressoMovimento Provida prometeu ao ministro Gilberto Carvalho confeccionar 100 milhes de bonecos de fetos caso Dilma Rousseff no vete artigos do projeto que facilita aborto.

    O santinho caixa 2O saudoso ex-vice-presidente do Brasil Jos Alencar sempre se gabava de ter feito campan-has com lisura e sem problemas na Justia Eleitoral, em todos os pleitos que concorrera (para governador, quando perdeu em 94, e depois para senador, quando venceu).- Nunca houvera caixa 2, repetia.Mas foi lembrado por um amigo que houve sim. E ria muito com isso. Alencar explicava: quando foi candidato ao governo de Minas, um amigo de longa data de Ub, dono de um posto de gaso-lina, fez santinhos com seu nome e nmero por conta prpria, bancou e distribuiu inclusive nos dias da eleio, sem ele saber e a Justia tambm.- Foi o nico gasto no contabilizado pela campanha lembrava Alencar sorridente.

    Com Maurcio Nogueira e Adelina Vasconceloswww.colunaesplanada.com.brcontato@colunaesplanada.com.brTwitter @leandromazzini

    TRIBUNAINDEPENDENTE

    e Ranulfo Paranhos, que concordaram que o momen-to scio-poltico diferente, estando os poderes demo-crticos amadurecidos.

    O fortalecimento de al-gumas instituies, como o Poder Judicirio, tranquili-za a populao, tanto que em todo o Brasil, o pedido de afastamento dos gesto-res foi algo isolado. No pas inteiro, quando a popula-

    o pediu o afastamento de forma concentrada, ela fez a dois personagens, o pre-sidente do Senado, Renan Calheiros [PMDB] e o presi-dente da Comisso de Direi-tos Humanos da Cmara, Marco Feliciano [PSC]. Em nenhum momento pediu a cassao deles, apenas o afastamento deles desses cargos, explicou Paranhos.

    Magalhes concorda e

    lembra que os manifestan-tes so outros. As nossas instituies democrticas esto amadurecidas. A per-da de mandato hoje, no acontece de qualquer jeito. Os manifestantes de hoje conhecem os procedimentos legais para o afastamento de um poltico, por isso no militam mais sobre essa questo, esclareceu o pro-fessor.

    ESPLANADAPor VINCIUS TAVARES (interino)

  • ANDREZZA TAVARESREPRTER

    A situao em Atalaia mais sria do que se imagina. Em 2012, os gastos com combustveis supostamente utilizados no transporte escolar, ultrapas-sam a casa dos R$2 milhes, o que chamou a ateno at de tcnicos da Controladoria Geral da Unio (CGU) em Alagoas, que esto realizan-do uma fiscalizao no mu-nicpio.

    Segundo documentos en-caminhados a Tribuna In-dependente, somente no ano passado, a Prefeitura de Ata-laia gastou R$2.290.354,76 em combustveis adquiridos no Auto Posto Rodrigues. O montante foi confirmado pela CGU aps consulta feita na Secretaria de Estado da Fa-zenda.

    Os documentos apresen-tados pelo Municpio para justificar os gastos no ti-nham detalhes e foram con-siderados insuficientes para tamanha soma de dinheiro.

    Esta no a primeira vez que a Prefeitura apare-ce como protagonista de su-postas irregularidades com gastos de combustveis. No dia 22 de janeiro deste ano, a Tribuna Independente

    noticiou, em primeira mo, um suposto esquema frau-dulento conhecido como far-ra dos combustveis, onde ao Executivo, capitaneado por Chico Vigrio (PTB), te-ria usado dinheiro pblico para patrocinar os gastos de campanha do atual prefeito Manoel Oliveira, o Professor Mano (PTB).

    Na ao cautelar, inter-posta pela vereadora Marta Albuquerque (PSD), pedia que o Municpio apresentasse documentos que comprovas-sem o consumo dos 151 mil litros de combustveis com-prados pela Prefeitura entre agosto e outubro de 2012, em pleno perodo eleitoral.

    As notas fiscais emitidas pelo Auto Posto Rodrigues, somavam R$ 350 mil, quase trs vezes mais o valor que foi gasto no municpio no mesmo perodo de 2011, que foi R$120 mil. Com o combus-tvel adquirido nesse perodo, dava para ir e voltar de Ma-cei a So Paulo 551 vezes em um carro popular.

    Em fevereiro deste ano, o juiz de Atalaia, Joo Pau-lo Alexandre dos Santos, determinou que o posto e a Secretaria de Finanas apre-sentassem documentos que detalhassem os gastos com combustveis.

    DIVULGAO

    Os R$ 2 milhes foram gastos na gesto de Chico Vigrio

    ATALAIA

    Servidores municipais cruzam os braos

    ELEIES 2012/MACEI

    Julgamento das contas est prximo do fim

    Servidores da Educao de Atalaia esto em greve desde o incio da semana por causa dos salrios atrasados, entre outras reivindicaes da categoria - apenas os ser-vidores contratados esto em atividade. Ontem, represen-tantes do Sindicato de Edu-cadores de Atalaia (Seata), da Prefeitura e o Ministrio Pblico Estadual reuniram--se para tentarem chegar a uma soluo para o proble-ma que se arrasta h meses.

    Segundo o presidente

    do Seata, Fbio Cirilo, os atrasos nos pagamentos dos servidores ocorrem desde novembro do ano passado, quando o Sindicato entrou com um mandado de segu-rana para que os servido-res aposentados recebessem seus salrios atrasados.

    At novembro, os sal-rios dos ativos estavam em dia, depois disso desrregu-larizou tudo, contou Cirilo, informando que o salrio do ms de maio foi pago na se-mana passada.

    O presidente do Seata disse ainda que nesta sexta--feira, 19, ser apresentado um Termo de Ajuste e Con-duta (TAC), onde s ser as-sinado pelo Sindicato se os pleitos estiverem de acorco com os anseios da categoria.

    Alm de reivindicarem a atualizao dos salrios, que esto atrasados h um ms e 17 dias, a categoria pede a implantao do piso nacional do professor, o que deveria ter acontecido desde janeiro desse ano; o pagamento do

    restante do tero de frias, assim como o retroativo de maro de 2012, que tambm est em aberto. Outra rei-vindicao a equiparao dos salrios dos aposentados com o dos ativos.

    Tm aposentados que re-cebem abaixo do salrio dos ativos, reforou o sindicalis-ta.

    A greve da Educao por tempo indeterminado. Parte dos servidores da Sa-de tambm aderiram a para-lisao. (A.T.)

    At o final deste ms, a juza da 3 Zona Eleitoral de Macei, Maria Valria Lins Calheiros, julgar todas as prestaes de contas dos can-didatos e partidos polticos que disputaram as eleies em 2012 na capital. Para tal foi criada uma fora tarefa para dar celeridade aos julga-mentos.

    A Tribuna Indepen-dente teve acesso aos dados parciais referentes ao jul-gamento das prestaes de contas, no total, 499 j foram

    sentenciadas.Na ltima remessa das

    sentenas, enviadas ao Tribu-nal Regional Eleitoral (TRE), esto: trs contas aprovadas, 67 aprovadas com ressalvas, 46 desaprovadas e 14 no prestadas. Faltam aproxi-madamente 25 prestaes de contas a serem julgadas, es-sas pessoas foram notificadas por edital e o prazo para elas ainda est correndo, desta-cou a juza, informando que at o final deste ms todas as contas estaro julgadas.

    Pode-se dizer que o tra-balho da Justia Eleitoral, no julgamento das prestaes de contas dos gatos de cam-panha, em vo, j que no h punio para quem tenta burlar as informaes.

    Apenas aqueles que no apresentam suas contas que sofrem as penalidades: se tornaro inelegveis, no podero tirar passaporte, abrir conta corrente, assumir cargo pblico ou fazer con-curso, dentre outros. Mesmo os que tiveram suas contas

    desaprovadas podem se can-didatar novamente, lembrou a juza.

    Conta desaprovada quando os documentos apre-sentados no condizem com o que foi declarado. J as contas no prestadas, como o prprio nome j diz, no foram apre-sentadas. No caso das contas aprovadas com ressalvas quando h inconsistncia em algum documento, exemplo disso foi o candidato a prefe-ito de Macei, Ronaldo Lessa (PDT). (A.T.)

    CGU: Atalaia gastou R$ 2 mi com combustveisQuantia dispensada em apenas um ano assustou tcnicos da Controladoria

    CONCURSOPrefeitura de Limoeiro de Anadia lana edital A partir de hoje, interessados podero se inscrever no con-curso pblico da Prefeitura de Limoeiro de Anadia. O pre-feito James Marlan (PP) est oferecendo 98 vagas, nos trs nveis de ensino: Fundamental, Mdio e Superior, atravs do site: www.copeve.ufal.br. Os salrios variam de R$ 678 a R$ 2 mil. As inscries vo at o prximo dia 18 de agosto. As provas esto previstas para o dia 6 de outubro, e o resultado final dever ser divulgado no dia 20 de dezembro de 2013.

    TANQUE DARCARoney Valena espera deciso do TRF 5O prefeito de Tanque DArca, Roney Valena (PMDB), afasta-do do cargo desde 4 de junho de 2013, por desvio de verba federal, espera o trmino do inqurito da Polcia Federal para tentar retor-nar ao cargo. O pedido j foi feito ao TRF da 5 regio, porm o relator informou que iria aguardar a concluso do inqurito, o que deve ocorrer na prxima semana, para decidir ou no pelo retorno. As investigaes resultaram na Operao Cabipe que afastou tambm o prefeito de Piaabuu, Dalmo Santana.

    O destino dos votos

    De Ricardo Guedes, Ph.D. em Cincias Polti-cas pela Universidade de Chicago e Diretor--Presidente do Instituto de Pesquisa Sensus: ...O Planalto move-se equivocadamente, como se fosse parte do movimento social que o contesta, gerando diagnstico e propostas desfocadas do pro-blema da falta de servios pblicos e da inflao que corrompe o poder de compra dos brasileiros. Nos grupos de discusso, Marina hoje vista como lder segmentada, Acio como lder nacional, e Eduardo Campos como lder regional. Marina representa no momento o maior atrativo para o descontentamento manifestado nas ruas, mas vista como a de menor bagagem para o exerccio do cargo. Na Frana exis-te um ditado: o eleitor vota no primeiro turno com o corao, e no segundo turno com a razo. No Brasil, interessante observar que Helosa Helena chegou a 15% nas pesquisas no primeiro turno de 2006, terminando com 6% dos votos no total do eleitora-do.Em 2010, Marina chegou a 16% nas pesquisas, terminando com 14% do total do eleitorado, com o voto fluindo para os partidos e candidatos de maior institucionalizao. muito pouco provvel que o Planalto consiga introduzir polticas pblicas que se adequem voz das ruas no prazo dos prximos 12 meses. A probabilidade de que novas manifestaes ocorram durante a Copa do Mundo em 2014 muito grande, contrastada a falta de servios pblicos com o padro FIFA. Sem o governo atender s deman-das da sociedade, fica a cargo das oposies a apre-sentao de propostas que a seduzam. A reeleio de Dilma Rousseff vai-se complicando nas projees para 2014.

    MACEI - QUARTA-FEIRA, 17 DE JULHO DE 2013 POLTICA 3 TRIBUNAINDEPENDENTE

    FLAVIO GOMES DE BARROS - flavio.gb@ig.com.br

    Conjuntura

    InconfidnciaO presidente do Ibama, Volney Zanardi Jnior, prometera a To Vilela que em 5 de julho teria uma posio sobre a licena do Estaleiro Eisa. No dia 8, o governador ligou e ele disse que a licena sairia dia 12, mas pediu segredo. No dia 10, o senador Fernando Collor soube, pela minis-tra Izabelle Teixeira, e fez o anncio.

    Ufa...Do governador To Vilela ao anunciar que o Ibama liberou licena prvia do Estaleiro Eisa: Foram quatro anos de luta, de trabalho ininterrupto. O estaleiro um marco para o desenvolvimento de Alagoas. To se diz grato ao governo federal, bancada alagoana no Congresso e aos prefeitos de Coruripe, Marx e Joaquim Beltro.

    ReconhecimentoMensagem de Marx Beltro, ex-prefeito de Coruripe, a Luiz Otvio Gomes, secretrio estadual do Planejamento e do Desenvolvimento Econmico, logo aps o Ibama liberar a licena prvia do Estaleiro Eisa: Em nome do povo de Coruripe serei eternamente grato por tudo o que voc fez para que o sonho do estaleiro se tornasse realidade.

    VcuoAo tomar posse como prefeita de Arapiraca, Clia Rocha teve de re-nunciar ao mandato de deputada federal. O municpio, que j teve dois deputados federais ao mesmo tempo, ficou sem ningum na Cmara. Como na Assembleia Legislativa seus representantes s atuam nos bastidores, Arapiraca est sem fora poltica.

    CenrioAinda sobre Arapiraca: os comentrios por l so de que j no so to boas as relaes polticas da prefeita Clia Rocha com seu antecessor, Luciano Barbosa, a quem elegeu de fato, por duas vezes seguidas, para administrar o municpio. Isso pode, inclusive, repercutir numa eventual candidatura de Barbosa a deputado federal.

    DesumanidadeDois episdios degradantes marcaram o incio da semana em Alagoas: em Rio Largo, uma jovem de 17 anos matou a filha de um ano e meio porque ela atrapalhava a minha vida, num caso tpico de insanidade; em Macei, um cidado agrediu brutalmente um mendigo deficiente fsico, num caso tpico de irracionalidade.

    ImagemDo jornalista Ancelmo Gis: O MP denunciou a Assembleia Legislativa de Alagoas, que depositou na conta de 61 servidores mais de 40 salrios extras. Em 1989 a mesma Assembleia foi palco de escndalo semelhan-te: denncias de salrios de marajs, cujo combate projetou nacional-mente Collor. De l pra c, pouco mudou em Alagoas. pena.

    * O Plano Estratgico de Desenvolvimento do Turismo no Estado de Alagoas ser lanado, hoje, num grande evento, com presena anuncia-da do governador Teotonio Vilela Filho. s 18 horas, no auditrio Virgnio Loureiro, do Centro de Convenes.

    * A secretaria estadual da Assistncia e Desenvolvimento Social (Seades) realiza, hoje, a inscrio das famlias indgenas no Cadastro nico para programas sociais. Participaro oito municpios, visando o acesso aos programas sociais e garantindo a cidadania.

    * O projeto Teatro Deodoro o Maior Barato apresenta, hoje, o musical Memria da Flor, de Jnior Almeida. O show inclui Cor do Desejo, de Jnior Almeida e Ricardo Guima, gravado por Ney Matogrosso e da trilha sonora de Saramandaia. s 19 horas.

    * A secretaria estadual do Planejamento e do Desenvolvimento Econmico, a Federao das Indstrias de Alagoas e o Sebrae/AL firmaram dois convnios voltados para o setor de cermica, de mveis, esquadrias e marcenaria de Macei. Valor: R$ 500 mil.

    * O curso a distncia Disseminadores da Educao Fiscal, gratuito e ab-erto ao pblico, est com inscries at 23 de agosto e ter incio no dia 2 de setembro, com carga horria de 120 horas. Informaes por e-mail para silviaesaf@gmail.com.

  • Bomfim quer comisso para apurar contratosPrefeituras esto contratando bancas de advocacia e MP de Contas investiga

    Herana dos Maias

    Arquelogos do Instituto Nacional de Antropologia e Histria (Inah) localizaram, na regio de Veracruz, no Mxico, 30 sepulturas pr-hispnicas, que remontam h 2 mil anos, alm de chifres de veado, restos de tartaruga e peixes, assim como outros tipos de fsseis. No local, tambm foi encontrada uma pirmide de 12 metros de altura e 25 de largu-ra, cercada de ladrilhos com caractersticas dos Maias da regio de Comalcalco (em Tabasco). A pirmide, segundo os pesquisa-dores, toda em pedra. Uma descoberta considerada rara por estar em Veracruz a 400 quilmetros da cidade do Mxico. At ento as estruturas piramidais descobertas eram feitas de terra pisada. frente das pesquisas esto os arquelogos Alfredo Delgado, Marisol Corts Vilchis e Abigail Goms Gonzles. O grupo escavou cerca de 80 centmetros de profundidade e locali-zou ossadas acompanhadas por oferendas que continham ossos de animais, pedras como jade e espelhos, alm dos smbolos de origem teotihuacano, maia, nahua, popoluca e da cultura de Remojadas (do centro de Veracruz). Os pesquisadores avaliam que no local havia um santurio onde as pessoas sepultavam os mortos e mantinham ao redor das sepulturas uma espcie de mercado. A desconfiana dos arquelogos, que o santurio seja de 700 anos depois de Cristo. Pelas anlises das 30 sepulturas pr-hispnicas, ser possvel avaliar se pertenciam elite do grupo ou pertenciam populao comum de ento.

    Turismo planejadoSer lanado nesta quarta (Centro Cultural e de Exposies, 18h), o Plano Estratgico do Desenvolvimen-to do Turismo em Alagoas que tem como suporte legal um decreto gov-ernamental que rege a sua execuo. Para a Secretria de Estado do Turismo, Danielle Novis, o Plano Es-

    tratgico um instrumento de poltica pblica, que garantir a continuidade dos programas, com tempo de vigncia definidos e com projetos elaborados para o desenvolvimento do setor em Alagoas. Atravs dele, a sociedade ter a oportunidade de contribuir de forma participativa dos programas e projetos a serem definidos e executados entre 2013 a 2023.

    BARTOLOMEU DRESCH bartolomeu_dresch@hotmail.com.br

    MACEI - QUARTA-FEIRA, 17 DE JULHO DE 2013POLTICA4 TRIBUNAINDEPENDENTE

    SANDRO LIMA/ARQUIVO

    Thiago Bomfim esclarece que nmero de contratos de seu escritrio que leva seu nome diminuiu

    NORMA

    Instruo normativa do TCEexige licitao para contratao

    DIVISOR DE GUAS

    Caso em Rio Largo mudou entendimento sobre contrataes

    Ainda na semana passa-da, o ex-presidente da OAB/AL, Omar Coelho de Melo, assegurou que no h irre-gularidades na contratao do escritrio de Direito do presidente da entidade. Le-galmente, permitido sim. Mas quero deixar claro que durante minha gesto, e de meu pai [Marcos Bernardes de Melo], nosso escritrio se manteve apenas com o que j tinha, deixando os novos contratos para quando en-cerrssemos a gesto da or-dem, enfatizou.

    Thiago Bomfim tambm

    deixou claro que est afasta-do de suas funes frente da banca. No estou res-pondendo pelo meu escrit-rio, mas tenho certeza que todos os nossos contratos so legais e temos cpias de-les todos, alegou.

    O presidente da OAB/AL ciente de que h uma instruo normativa do Tri-bunal de Contas do Estado de Alagoas (TCE/AL) que orienta para que seja feita a licitao dos escritrios de advocacia.

    Se a norma est pos-ta, que ela seja cumprida.

    Quem no quiser, que bus-que os meios de derrub-la, salientou Bomfim. Em tem-po, o presidente nega qual-quer tipo de favorecimento ao seu escritrio.

    Antes de assumir a pre-sidncia da Ordem, segundo ele mesmo assegura, o escri-trio Bomfim, Jatob, Lins e Lobo Advogados Associados tinha 20 municpios, hoje no mais. Reduziu bas-tante, para trs ou quatro. Ento, isto mostra que no h nenhum tipo de favoreci-mento neste sentido, com-pletou.

    Uma polmica semelhan-te a que circula hoje nos meios jurdicos tambm ocu-pou o mesmo espao no pas-sado. Em 2010, a contratao do escritrio de advocacia de Adriano Soares - nome refe-rncia no Direito Eleitoral, em mbito nacional - foi que determinou a instituio da instruo normativa da Corte de Contas do Estado.

    A ento promotora de Jus-tia, de Rio Largo, Amlia Adriana Campelo, impetrou uma ao de improbidade administrativa contra Motta & Soares Advocacia. Inclusi-

    ve, a ao chegou a bloquear os bens dos scios da banca, tudo porque a contratao do escritrio no foi por meio de processo licitatrio.

    Porm, o Tribunal de Jus-tia do Estado de Alagoas (TJ/AL) julgou o mrito do agravo de instrumento ingressado pelo escritrio e reconheceu a ausncia de dolo dos scios da banca.

    O voto do desembargador Tutms Airan - advindo da OAB/AL - foi decisivo para o desfecho. Entre os argumen-tos apresentados por Tutms est a posio do Conselho

    Federal da OAB, que conside-ra legal este tipo de contrato sem licitao com as pre-feituras. S que a questo foi regulamentada em Alagoas, por deciso do Tribunal de Contas, logo aps a polmica, tornando obrigatria a insti-tuio de licitao para con-tratar bancas de advogados.

    Ainda na poca, Tutms Airan explicou que a con-tratao do escritrio jurdico pode ser enquadrada em uma das hipteses legais da ine-xigibilidade de licitao, em razo de sua especialidade e singularidade.

    EDITORIA DE POLTICACOM REDAO

    O presidente da seccio-nal alagoana, da Or-dem dos Advogados do Brasil (OAB/AL), Thiago Bomfim, no quer deixar dvidas sobre a investiga-o do Ministrio Pblico de Contas, do Tribunal de Con-tas, que apura a contratao de escritrios de advocacia por parte de prefeituras.

    curto prazo, a OAB/AL pretende criar uma co-misso que far uma inves-tigao paralela ao MPC. Conforme Thiago Bomfim, a comisso teria a atribui-o de investigar os editais caso tenha e os contra-tos firmados entre as partes. Entretanto, para que se efe-tive tal comisso, o Conselho Estadual da OAB que vai aprovar ou no a instituio do grupo.

    De acordo com a asses-soria de imprensa da OAB/AL, as reunio do Conselho acontecem sempre nas l-timas sextas-feiras de cada ms, porm, no h confir-mao de no prximo dia 26 vai ocorrer.

    O levante de Bomfim aconteceu aps contato feito pela reportagem da Tribu-na Independente, na se-mana passada, que o ques-tionou sobre a legalidade das contrataes, visto que o escritrio do presidente da Ordem um dos bene-ficirios destes contratos. O MPC confirmou que est investigando os contratos firmados entre escritrios de advocacia e prefeituras da regio Serto do Estado.

    Segundo o sub-procura-dor geral do MPC, Pedro Barbosa, a investigao par-tiu de denncias de outras bancas jurdicas que se jul-garam prejudicadas com as contrataes.

    O MPC/AL recebeu essas denncias, que po-dem contrariar a resoluo 002/2003 e a prpria lei de licitaes, j que as contra-taes estariam ilegais, dis-se Pedro Barbosa.

    O sub-procurador escla-receu ainda que o procura-dor Ricardo Schneider abriu um processo investigativo e solicitou atravs de ofcios informaes sobre os contra-tos firmados.

    A respeito do beneficia-mento do Escritrio Bomfim, Jatob, Lins e Lobo Advoga-dos Associados nos contra-tos, Pedro Barbosa enfati-zou que caso haja algum contrato do escritrio dele [Thiago Bomfim], ser ana-lisado sem ser diferenciado dos demais.

    Em sua defesa, o presi-dente da OAB/AL explicou que no foi informado for-malmente sobre a investi-gao e garantiu que tem cpias dos contratos com as prefeituras.

    Turismo planejado 2O Plano Estratgico o resultado do trabalho conjunto elaborado pela Secretaria de Turismo e pelo Institu-to de Assessoria para o Desenvolvi-mento Humano, que desde 2012 trabalham na construo do docu-mento. O trabalho envolveu ainda os municpios alagoanos, uma vez que diversas oficinas de discusso e de proposio foram realizadas, e contaram com a participao de empresrios, representantes de as-sociaes, sindicatos, atores locais e gestores das chamadas regies tursticas de Alagoas (Metropolitana, Lagoas e Mares do Sul, Quilombos, Costa dos Corais e So Francisco). Tambm o Ministrio do Turismo trabalhou na avaliao do Plano, para alinhavar a poltica nacional e estadual.

    Faltam mdicosUm levantamento feito pelo jornal Dirio do Comrcio de So Paulo revelou que nos ltimos cinco anos a infraestrutura de sade no Brasil cresceu em ritmo muito mais acel-erado que o nmero de mdicos eu atendem a populao. Neste perodo, o total de equipamentos de sade registrados pelo governo cresceu 72,3%, o nmero de leitos aumentou 17,3% e o de estabeleci-mentos de sade aumentou 44,5% em todo o pas. A oferta de mdicos, no entanto, cresceu apenas 13,4%. Os dados dizem respeito s redes pblica e privada e foram obtidos atravs do sistema DataSus, que o banco de dados oficiais do Minis-trio da Sade, e que contm as informaes de todos os estabeleci-mentos registrados na pasta.

    Faltam mdicos 2Os nmeros do DataSus demonstram que os equipamentos de sade continuam concentrados nos estados mais ricos do pas. So Paulo tem trs vezes mais equipamentos por habitante que o Maranho. O Ministrio da Sade garante ainda que a falta de mdicos permanece sendo o principal gargalo para que vrias novas unidades de sade comecem a funcionar. O Ministrio no inicio do ano fez uma chamada nacional para mdicos trabal-harem na periferia das grandes cidades e para o interior dos estados. Havia 13 mil vagas em unidades de sade j estruturadas, mas que continuavam fechadas pela falta de profissionais. Somente 4 mil responderam ao apelo do Ministrio.

    Voto dos jornalistasJornalistas de todo o Brasil esto escolhendo esta semana, a nova diretoria da Federao Nacional dos Jornalistas (Fenaj). Aqui em Alagoas a eleio acontece nesta quinta feira (18) das 8h s 18h na sede do Sindicato dos Jornalistas ou em urnas volantes que peregrinaro pelas redaes e pelos departamentos de telejornalismo. A Chapa 1 liderada por Celso Schrder que busca a reeleio. Ele gacho e tambem preside a Federao de Jornalistas da Amrica Latina e Caribe e diretor executivo da Federao Internacional dos Jornalistas. Alagoas esta representada na Chapa 1 pelos companheiros Valdice Gomes (segundo vice-presidente) e por Flvio Peixoto indicado ao Conselho Fiscal. O voto o instrumento fundamental para o fortalecimento da categoria.

    Concurso para PerciaO Centro de Seleo e Promoo de Eventos da Universidade de Braslia (Cespe/UNB) abriu edital para o concurso pblico da Percia Oficial de Alagoas. So ofertadas 37 vagas para os cargos de perito criminal, mdico legista, papiloscopista e tcnico forense. Os salrios variam de R$ 2,7 mil a R$ 6,3 mil e a carga horria de 40 horas semanais. As inscries podero ser feitas no site do Cespe/UNB a partir de sexta feira (19), e vo custar R$ 120 para os cargos de nvel superior e R$ 90 para o de nvel mdio.

    Pense no azar! Uma mulher grvida quer processar seus ex-colegas de trabalho em um escritrio de recrutamento na cidade inglesa de Kirkby, pelo fato deles terem apostado na loteria em um bolo, exatamente no dia em que ela faltou ao trabalho. Por azar ela estava com enjoo matinal. Eles acertaram o sorteio e ganharam o prmio mximo de 28,8 milhes de libras (cerca de R$ 97,2 milhes). Louisa Whitby estava doente no dia em que fizeram a aposta e acabou ficando de fora. Seu advogado disse que vai apelar a Arte Corte da Justia para participar da diviso do prmio. O site oficial que opera a loteria no Reino Unido, Camelot, disse que o prmio foi ganho por um nico bilhete e que ele havia sido reivindicado. Todos os dez funcionrios que fizeram o bolo pediram para ficar no anonimato e pediram demisso do emprego. O escritrio acabou ficando deserto. O prmio de 28,8 milhes de libras foi um dos mais altos j pagos a pela Euromilhes, loteria criada a partir de 2004 em vrios pases europeus.

  • RIO LARGOFraudou de forma grosseira, diz MPO Ministrio Pblico Estadual atribuiu a Toninho Lins as con-dutas de apropriao de bens ou rendas pblicos em proveito prprio ou alheio, com falsifi-cao de documento particular, falsidade ideolgica, uso de documentos falsos, fraude em licitao, alm de formao de quadrilha e requereu a priso cautelar do denunciado. De acordo com a acusao, a suposta organizao criminosa teria fraudado, de forma grossei-ra, os procedimentos licitatrios indicados, a fim de que seus integrantes se apropriassem do dinheiro pblico.

    CAMPESTREPrograma assistencial j existia na cidadeConforme est nos autos da ao contra o prefeito Gilvan Cabeo, de Campestre, e compreendido pelo Pleno da Corte Eleitoral, o programa social, no qual foi representado pela oposio, j era promovido antes do pe-rodo eleitoral, fato que levou os desembargadores a negarem provimento a coligao de Tor. Tendo em vista que o programa social de doao de terrenos para construo de casas possua dotao oramentria e lei es-pecfica preexistente, alm de ser promovido desde o ano anterior eleio de forma contnua pela Prefeitura.

    Rui quer qualidade no trabalho da SMTTCapital ganhou 20 novas viaturas, que vo reforar fiscalizao em ruas e avenidas

    No trem da histria

    H exatos dezesseis anos Alagoas ganhava as principais manche-tes da imprensa nacional com a Revoluo Popular de Macei que deps o ento governador Suruagy. Servidores pblicos num s coro, unidos, fizeram ecoar um grito de liberdade que ressoou do litoral ao serto, e que at hoje vive marcado alm dos livros e seus registros, principalmente na mente da sociedade alagoana que viu pais e mes desiludidos e desacreditados perderem suas vidas. Um povo guerreiro que no se intimidou com a presena das Foras Armadas, e de peito aberto quebraram as correntes, derrubou os muros, e fez valer as vozes das ruas. Por onde anda os construtores dessa pgina de nossa histria?

    De foraPara quem conhece Incio Loiola sabe de seu alto nvel de conhecimento quando o assunto Lampio. Pois bem! Loiola no foi inserido na programao da semana do cangao que acon-tecer no final do ms na cidade de Piranhas.

    Falando nisso...... O prefeito doutor Dante no tem suportado marcar presena no centro histrico de Piranhas. O bairro considerado patrimnio da humanidade devido a seu rico acervo cultural e turstico o retrato do verdadeiro abandono. Em Suma, Piranhas que j foi o terceiro destino turstico do estado de Alagoas, hoje amarga uma queda de 78%.

    Lei do retornoA mesma sociedade que emprestou ao Ministrio Pblico seu grito para es-bravejar contra a PEC 37 comea a mobilizar para sair s ruas sem bandeira partidria pedindo que o MP possa se manifestar sobre as denuncias contra a mesa diretora da casa de Tavares Bastos.

    CaladaA Polcia Federal em Alagoas anda capionga, longe do tempo em que a populao vibrava com as operaes que prendiam aqueles que surrupiavam o errio. Mesmo sabendo que as operaes nunca deram em nada, graas burocracia que torna lento o andamento dos processos.

    No podia faltarO ex-secretrio Adriano Soares agradeceu o apoio do senador Benedito de Lira e do deputado federal Arthur Lira, ambos do PP. Arthur foi indiciado pela Polcia Federal poca em que foi deputado estadual pelo suposto desvio de R$ 300 milhes dos cofres da ALE.

    Em tempo...... Um dos nomes cogitados e sondados para assumir o lugar de Adriano Soares foi o de Jos Thomaz Non vice-governador. Porm Non agradeceu a lembranas dos palacianos, e preferiu ficar no gabinete localizado no bairro de Mangabeiras.

    MissionrioEm Braslia apresentaram a Cristiano Matheus a ltima pesquisa de inteno de votos para o prximo ano. Olhos arregalados, Matheus analisou o cenrio, e recebeu a misso: que tal vice na chapa de governador?

    Pedido papalPapa Francisco precisa circular por Alagoas e reafirmar seu pedido para que as autoridades religiosas bispos e padres possam andar em carros mais modestos. Por aqui o que vemos so membros do clero em carros de luxos com direito a motorista e tudo mais.

    EsquecidoPoltico afamado de nosso estado esquece-se de olhar pelo retrovisor da vida, e quem um dia lhe deu a mo alis, as duas hoje vive a mendigar favores da mesma forma que em outrora o agente pblico que se serviu de suas be-nesses hoje a ignora.

    Prmio de jornalismoSer lanada no dia 5 de agosto, s 8 horas, na sede do Sincor-AL, a IV Edio do Prmio Sincor de Jornalismo Alberto Marinho, numa parceria entre o Sindicato dos Corretores de Seguros do Estado de Alagoas e o SindJornal. O evento de premiao acontecer no dia 19 de novembro.

    Plano turstico Alagoas ser o primeiro Estado do Nordeste a ter um Plano Estratgico de Desenvolvimento. O lanamento do documento acontece, hoje, 17 de julho, s 18h, no Centro Cultural e de Exposies Ruth Cardoso, no auditrio Virgnio Loureiro.

    BalanoNo primeiro semestre de 2013, a fiscalizao do Transporte Rodovirio Intermunicipal de Passageiros realizada pela Agncia Reguladora de Servios Pblicos do Estado de Alagoas (Arsal) emitiu 1.336 autos de infraes, incluindo 220 apreenses em operaes fixas e volantes realizadas em todo o Estado.

    CotidianoLININHO NOVAIS - contato@lininho.com

    MACEI - QUARTA-FEIRA, 17 DE JULHO DE 2013 POLTICA 5 TRIBUNAINDEPENDENTE

    MARCO ANTNIO/SECOM-MACEI

    Prefeito Rui Palmeira lembrou que ao assumir administrao SMTT tinha apenas nove viaturas

    16 E CONTANDO

    Toninho Lins tem mais duas aes penais para responder

    Mais duas aes penais na conta do prefeito afastado de Rio Largo, Toninho Lins (PSB). Este foi o saldo da ses-so do Pleno de ontem, do Tri-bunal de Justia do Estado de Alagoas (TJ/AL). Ao todo so 16 agora.

    No se trata de cenas do mesmo filme, mas as denn-cias propostas pelo Minist-rio Pblico Estadual (MP/AL) versam sobre fraudes em pro-cedimentos licitatrios para as supostas aquisies de ma-terial de expediente, material de limpeza, cestas bsicas e material de construo, desti-nados s secretarias munici-pais de Rio Largo.

    A defesa requereu a nu-

    lidade das investigaes por entender que o acusado tem foro por prerrogativa de fun-o. O relator, desembarga-dor Otvio Praxedes, sus-tentou, no entanto, que as investigaes no so ilegais porque a ordem de investi-gao do magistrado de pri-meiro grau no foi direciona-da ao prefeito. Dessa forma, constatada a possibilidade de envolvimento do gestor pbli-co, a documentao obtida foi encaminhada Procuradoria Geral de Justia.

    Por maioria dos votos, o pedido de decretao de pri-so preventiva do ru foi re-jeitado, conforme Praxedes, j existem medidas cautela-

    res impostas ao acusado, de-cretadas em outro processo e que a custdia cautelar desnecessria, no momento, porque ele no infringiu ne-nhuma das medidas.

    O procurador-geral de Justia, Srgio Juc, argu-mentou que a populao no merece ser enganada. Esses recursos [quase R$ 150 mi-lhes, supostamente desvia-dos por Toninho Lins] seriam destinados a educao e sa-de do povo e foram desviados para os bolsos daqueles que fraudaram essas licitaes. So essas aves de rapina que comem o errio e consomem o que direito da populao, comentou.

    O passado recente da S u p e r i n t e n d n c i a Municipal de Trans-porte e Trnsito (SMTT) contabilizava nove viaturas para realizar fiscalizaes em toda a capital alagoana. A realidade comea a mu-dar a partir do momento em que o prefeito de Mac-ei, Rui Palmeira (PSDB), entregou 20 novas viaturas na manh de ontem (16).

    De acordo com o prefeito, os novos veculos esto dispo-nveis para que o servio ga-nhe mais qualidade. Quando assumimos a pasta, a SMTT tinha somente nove viaturas, o que era muito pouco para

    realizar uma fiscalizao mais eficaz em Macei. Agora, po-demos oferecer um servio de mais qualidade no somente aos usurios das vias como tambm para os prprios agentes de trnsito, destacou Rui Palmeira.

    As novas viaturas so mo-delo 2013 e possuem rdios de transmisso, alm de uma nova plotagem que traz um designer mais moderno com as cores da bandeira de Macei.

    Os investimentos no ces-sam por parte do Municpio. Segundo o superintendente Municipal de Transporte e Trnsito, Tcio Melo, a pre-feitura est trabalhando para

    que novos fardamentos sejam adquiridos, e cursos de direo sejam efetivados.

    A SMTT vive um novo momento. Estamos viabilizan-do meios para conseguir novos fardamentos, cursos na rea de direo de veculos e com o aval do prefeito, melhorias salariais tambm, garantiu o superintendente.

    Tcio Melo falou sobre a aprovao do projeto de lei que cria mais outras 50 vagas no cargo de Agente de Fiscaliza-o de Trnsito.

    Alm dos carros, a Su-perintendncia vai adquirir motocicletas que passaro a fazer a fiscalizao do trnsito

    na Avenida Fernandes Lima, uma das mais movimentadas de Macei. Na via, vans da SMTT estaro distribudas em trs pontos para dar aux-lio aos agentes motociclistas e tambm populao.

    Com a renovao da frota, a SMTT tambm espera uma melhoria no atendimento so-ciedade nos casos de acidentes com colises.

    Para este semestre est prevista a assinatura de con-vnio com o Departamento Estadual de Trnsito (Detran/AL) para que os agentes de trnsito passem a fazer o le-vantamento de dados nos lo-cais em casos de acidentes.

    CAMPESTRE

    TRE arquiva ao contra Gilvan Cabeo

    O prefeito Amaro Gilvan de Carvalho, o Gilvan Cabe-o (PTdoB), que ganhou a disputa pela reeleio do mu-nicpio de Campestre poderia dar algumas dicas ao seu co-lega prefeito de Olho Dgua do Casado, Jos Gualberto Casado (PSDB). Gilvan Ca-beo tinha um programa assistencialista na cidade e foi representado na Justia Eleitoral por isso, porm, o campestrense teve mais sorte que Gualberto afastado por situao similar.

    O pleno do Tribunal Re-gional do Estado (TRE/AL) no deu provimento ao de investigao judicial elei-toral por uso indevido, desvio ou abuso do poder econmico ou do poder de autoridade em benefcio de candidato ou de partido poltico.

    O segundo colocado nas eleies de 2012, Debson Brasiliano da Silva, o Tor (PRTB), alegou que Gilvan Cabeo conseguiu seus 1.693 votos utilizando um progra-ma municipal assistencialista que doava terrenos. A defesa de Tor justificou a reclama-o dizendo que o programa desequilibrou o pleito eleito-ral.

    Os desembargadores elei-tores ressaltaram que no havia fora suficiente nas provas para aplicar qualquer tipo de ao contra o prefeito reeleito. No plausvel que se exija do candidato ree-leio ao cargo de prefeito a suspenso de programa social criado anteriormente ao per-odo eleitoral, sob o argumento de possibilidade de desequil-brio no pleito, uma vez que seu dever dar continuidade sua administrao, mesmo em se tratando de perodo eleitoral, desde que no incor-ra nas vedaes previstas, tra trecho do acrdo publica-do pelo TRE/AL.

  • Opinio

    Rua da Praia, 134 - sala 303 - centro - Macei AlagoasEndereo Comercial: Av. Menino Marcelo - 10.440 - Serraria

    Macei - Alagoas - CEP: 57.083.410CNPJ: 08.951.056/0001 - 33

    PRESIDENTEAntonio Pereira Filho

    DIRETOR ADMINISTRATIVOFINANCEIRO:

    Jos Paulo Gabriel dos SantosEditor geral:

    Ricardo Castroricardocastro@tribuna-al.com.br

    DIRETORA COMERCIAL:Marilene Canuto

    Nosso noticirio nacional fornecido pelas agncias: Agncia Folha e AGncia NordestePABX: 82.3311.1338

    COMERCIAL: 82.3311.1330 - 3311. 1331REDAO: 82.3311.1328 - 3311.1329

    CENTRAL DE ASSINANTE: 82.3311.1308 - 3311.1309comercial.tribunaindependente@gmail.comredao.tribunaindependente@gmail.com

    OS ARTIGOS ASSINADOS SO DE RESPONSABILIDADE DOS SEUS AUTORES. NO REPRESENTANDO, NECESSARIAMENTE, A OPNIO DESTE JORNAL.

    UM PRODUTO:

    JorgrafCooperativa dos Jornalistas

    e Grficos do estado de alagoas

    MAURCIO DIAS

    LEONARDO SAKAMOTO

    KTIA BORN

    Jornalista

    Jornalista e doutor em Cincia Poltica

    Ex-prefeita de Macei, Secretaria de Estado da Mulher, da Cidadania e dos Direitos Humanos

    MACEI - QUARTA-FEIRA, 17 DE JULHO DE 2013OPINIAO6 TRIBUNAINDEPENDENTE

    Modelos esgotadosUm artigo do socilogo Nilson Mou-ro interpreta muito bem a atual conjuntura poltica por que passa o pas, depois da srie de manifestaes juvenis que deixaram atnicos especia-listas polticos e scio-econmi co. Com muita propriedade, o cientista diz que o capitalismo e o socialismo so modelos esgotados e no respondem mais a atual sociedade que vive na era dos computa-dores.

    Na realidade, a sociedade atual e com-posta em sua maioria por jovens que hoje protestam contra o modelo poltico-social brasileiro j no necessita seguir os faze-dores de opinio e, por isso, no possui referencia ou mestres. O conhecimento surge clere por mdias instantneas como a televiso e o computador e com isso, todo jovem sente o poderoso ou dono do mundo por ele estar a seus ps.

    O ex-presidente Lula, tambm em ar-tigo publicado no New York Times refe-renda a afirmao ao citar que o modo de se fazer poltica no pas est caduco,

    dando vez ao surgimento de novos par-metros que podem produzir novas insti-tuies. Democracia no faz acordo com o silencio. Uma sociedade democrtica est sempre em fluxo, a debater e defi-nir prioridades e desafios, em constante busca de novas conquistas, declarou o ex-presidente no artigo.

    Com este novo cenrio h duas opes para o governo: tentar manter a econo-mia poltica do governar para todos ou enfrentar o foco da questo social diri-gindo as baterias polticas contra ideias, instituies, empresas e partidos que es-to no campo adversrio.

    No entanto, o retrocesso apresenta-do nos ltimos dias pelo governo e pelo Congresso Nacional em relao s pri-meiras reaes dos protestos que varre-ram o pas, passa a ser um convite para que o gigante que, novamente, voltou a dormir, volte a acordar com mais fora e, desta vez, no ser R$ ,020 que poder fazer a diferena, mas a tentativa de se preservar o perfil corrupto do Estado.

    Nos prximos dias, novas pes-quisas indicaro se Dilma Rous-seff desceu mais a ladeira da in-teno de voto e a da aprovao do governo. No primeiro caso, uma nova queda a deixar abaixo do patamar histrico do PT nas elei-es presidenciais, quase sempre em torno de 30%.

    Essa situao poderia provocar uma desavena interna difcil en-tre os petistas sobre a candidatu-ra dela em 2014.

    Dilma no acredita em inferno astral. Mas h quem creia nisso, ao levar em conta o ciclo de pro-blemas do governo conjugado crise mundial e s conjecturas da oposio projetadas pela mdia: inflao, PIB, queda na produo industrial etc.

    Juntadas as coisas forma-se a poo do diabo: Dilma seria um fracasso como gestora.

    A afirmao desconsidera que ao longo do mandato de dois anos e meio ela obteve aprovao estra-tosfrica.

    Os nmeros baixaram nesse quesito aps a onda de manifes-taes. Dilma no fracassou. As

    polticas de incluso dos governos do PT geraram uma demanda por servios pblicos inexistentes no Brasil at Lula.

    Com isso, um contingente enor-me da populao passou a ter di-reitos e a exigi-los, gerando, a um s tempo, uma sociedade de mas-sa. Uma democracia precisa de atendimento de qualidade, ana-lisa Luiz Moreira, constituciona-lista e professor de Teoria Geral do Estado.

    So necessrios padres mui-to superiores ao que se oferece na sade, educao, segurana e transportes. Essas questes de-vem ser tratadas como priorida-de das polticas pblicas, afirma Moreira.

    Ele retoma o raciocnio: O pa-radigma da administrao pbli-ca travado. Impede que o Estado seja o grande maestro do desen-volvimento e da justia social. O servio pblico regido por uma lgica que no d prioridade criatividade, pois se encontra sub-metido a amarras jurdicas que fazem com que as coisas perma-neam como esto.

    Eis o dilema: Como oferecer servio pblico de qualidade para 200 milhes? O atual marco jur-dico da gesto pblica incapaz de responder a essa questo.

    O direito administrativo segue um paradigma antigo, segundo o qual, por no serem legtimas, as polticas pblicas eram boicota-das pelos rgos de controle.

    Apostava-se que a sociedade se desenvolveria e produziria justi-a social na exata medida de au-sncia do Estado. Nessa linha, o modelo de gesto da iniciativa privada submeteria o da admi-nistrao pblica, provocando sabotagem da iniciativa estatal promotora do desenvolvimento social.

    Somente a poltica capaz de gerar essa modificao no esta-tuto da administrao pblica e no cabe ao direito impedir que os brasileiros tenham acesso a esses bens culturais, antes reservados a um tero da populao, lembra.

    Por trs dessa afirmao h um desafio: O modelo implementado por Dilma exige transformaes na gesto pblica, diz Moreira.

    O dia 17 de julho de 1997 pas-sou para a histria de Alagoas como o dia em que o povo exigiu, nas ruas de Macei, a renncia do governador Divaldo Suruagy. A crise moral, tica, econmica e ad-ministrativa tornou o nosso Esta-do ingovernvel. Os funcionrios pblicos ficaram durante dez me-ses sem receber os seus salrios e o crime organizado controlava in-tegralmente a segurana pblica.

    A administrao se achava nas mos de um secretrio da Fazen-da que conduziu calma e segura-mente o Estado ao maior abismo econmico do sculo XX. Alagoas ficou deriva. Era o fim do ciclo iniciado em 1983, quando a frau-de derrotou Jos Costa e a admi-nistrao estadual consistia num condomnio que algumas famlias e a oligarquia dominavam a ferro e fogo.

    Amanheci o dia 17 de julho no programa do Frana Moura, na Rdio Gazeta de Alagoas. Era pos-svel perceber o clima pesado. As lideranas sindicais achavam-se nas ruas de Macei j no incio do dia; policiais militares e civis ar-mados, em meio a milhares de ser-vidores e populares, marchavam em direo praa Dom Pedro II, onde fica a Assembleia Legislati-va. Tudo poderia acontecer, at mesmo um banho de sangue. Cer-tamente muitos poderiam morrer crivados de balas dos militares.

    Durante o dia 16 recebi infor-maes da assessoria militar do meu gabinete, de companheiros do movimento sindical e de outras fontes, inclusive de oficiais supe-

    riores do Exrcito brasileiro. Nada indicava que o dia 17 seria um dia em que os servidores fariam mais uma passeata denunciando o esta-do de misria e abandono.

    Ao amanhecer o dia 17 de julho, o prdio da Assembleia Legislati-va foi tomado militarmente pelo Exrcito. As tropas ocuparam-na ostensivamente e se postaram em sentido de defesa do Poder Legis-lativo. Os militares da PM, sob o comando da suas entidades de classe, tambm se postaram em posio de ataque. Estava monta-do o cenrio ideal para a guerra anunciada.

    Antes do dia 17 de julho man-tive contatos com militares das Foras Armadas, que me externa-ram preocupao com a situao catica e, sobretudo, pelo claro, para eles, descontrole na seguran-a pblica. A cadeia de comando na Polcia Militar estava comba-lida, segundo avaliao de oficiais superiores do Exrcito, o que para eles era um fato inconcebvel.

    Os militares residentes em Alagoas acompanhavam o dia a dia e, pasmem, no acreditavam que a Polcia Militar fosse capaz de manter a ordem, e muito me-nos a segurana pblica, devido insubordinao da tropa e ante a possibilidade de ocupao do Pa-lcio Floriano Peixoto ou mesmo da Assembleia Legislativa.

    O descontrole e a crescente mo-bilizao dos servidores civis e mi-litares e da populao indicavam a gravidade dos fatos. Aumentava ainda mais a crise de Poder, evi-denciando a ingovernabilidade.

    A sucesso de tragdias fami-liares vinha acontecendo dia aps dia. Funcionrios pblicos deses-perados cometiam suicdio: assas-sinavam seus familiares e em se-guida atentavam contra a prpria vida. A falncia no comrcio em Macei e nas cidades do interior crescia enormemente; um rastilho de sangue e dor se propagou por toda Alagoas.

    Terminada a entrevista com o radialista Frana Moura, fui ao encontro da multido de funcion-rios pblicos e populares na praa Dom Pedro II. Senti-me no dever de entrar no prdio do parlamento estadual, ocupado pelo Exrcito. Pelo microfone do carro de som dos manifestantes falei a todos e disse que iria como prefeita de Macei adentrar o prdio. Postei--me entre os militares da Polcia Militar de Alagoas e dos policiais civis, e juntos derrubamos as grades menos pela nossa fora fsica e muito mais pela aglomera-o da multido forando as gra-des. Desse momento em diante foi aberto fogo pelos militares do Exrcito. Felizmente, diante da multido enfurecida, os militares recuaram.

    A cena de guerra, a derrubada da grade e todo o clima de quase insurreio popular certamente abreviaram a renncia do gover-nador Divaldo Suruagy. O dia 17 de julho de 1997 mudou Alagoas. E o Partido Socialista Brasileiro (PSB) nesse contexto contribuiu enormemente para que ocorres-sem mudanas significativas em Alagoas.

    No sou saudosista. Detesto aqueles discursos de que no meu tempo, as coisas eram melhores, porque no eram. Mas, fato, pas-samos por mudanas tecnolgicas que, se por um lado, propiciaram a livre circulao de informao, que esto mudando a prpria conscin-cia da sociedade, por outro facilita-ram a picaretagem deslavada.

    Uma das coisas que mais me irrita perceber que um aluno baixou um texto pronto, trocou Jesus por Eduardo, ou nem isso, e o entregou. J peguei frases como por isso, pretendo abordar nesta pesquisa de doutorado ou em nossa participao no evento de Caxambu perdidas no meio do texto. Ou seja, o gnio nem leu o contedo que estava copiando. Ctrl+C, Ctrl+V, botou uma capa ridcula do ClipArt e mandou por e-mail.

    OK, atire a primeira pedra quem nunca fez um trabalho de escola copiando a mo no papel al-mao ou datilografando no sulfite um trecho da Barsa, Mirador ou Conhecer (#trash80s).

    Defendo que conhecimento seja livremente reproduzido e ideias e trabalhos acadmicos, artsticos, culturais, jornalsticos comparti-lhados sem restries. Os produ-tores de informao vo ter que se aprofundar nas formas de obter recursos para garanti-la (e esse talvez seja o grande desafio de nos-sa era). Limitar, portanto, o seu alcance uma vez que entra na rede risvel. O contedo vai circular, quer o seu dono queira ou no. Mas minha reclamao no essa,

    mas sim a ausncia de citao de fonte e de autor ao reproduzir in-formao.

    Quando interpelei um aluno, tempos atrs, a pea-rara ficou amuada, mas foi para o ataque que , sempre, a melhor defesa. Bradou que, em uma sociedade da informao, no mais faz sentido dizer a quem pertence determina-da produo, at porque ela no fruto do trabalho individual, mas do acmulo coletivo. Boa tentati-va ps-moderna s que no. Pois dizer de onde veio um argumento no apenas questo de hones-tidade intelectual, mas ajuda a entender a natureza do prprio pensamento em questo, posicio-nando-o no tempo e no espao. E valoriza os produtores de conheci-mento que, reconhecidos por isso, podem obter formas de continuar produzindo.

    A facilidade de conseguir infor-maes j em formato pronto para ser jogado no software de edio de textos facilitou a reproduo de contedo pelos alunos. Como devem ser poucos os professores que fazem um debate sem precon-ceitos sobre isso, o comportamento internalizado como comum e le-vado para outras esferas da vida. Por exemplo, uma das sensaes mais deprimentes receber uma reportagem produzida por alunos de jornalismo que, quando proces-sada por programas que apuram plgio, no se sustenta como coisa indita. As entrevistas foram pu-blicadas em um jornal, a anlise saiu de uma outra revista, at as fotos acabaram por serem obtidas

    no Google. Tudo bem que o traba-lho da imprensa fazer curadoria, mas isso j demais.

    Quando critiquei o caso em uma aula, um grupo de alunos retru-cou. Disse que, na prtica, isso o que eles fazem diariamente como estagirios nas redaes em que trabalham: Ctrl+C, Ctrl+V.

    Eles tm um ponto. Reescrever com classe textos de outros vecu-los ou despachos de agncias de notcias considerado arte em alta hoje no jornalismo dado os altos custos de manter reprteres para produzir contedo prprio. No li-mite, profissionais de imprensa so instados diariamente a cozi-nhar material de terceiros sem ci-tar fontes ou o responsvel pelo es-foro de reportagem. H um amigo que, inclusive, ouviu de seu chefe a ordem para que o horrio de publi-cao de uma notcia plagiada fos-se ajustada para antes do horrio da notcia original do concorrente. O horror, o horror!

    Como muitos professores nem se preocupam em ler ou corrigir um texto, desde o ensino fundamental at a faculdade, a omisso de do-centes visto como um passe-livre . Como diria o filsofo Al Bundy, de Married with Children, s cri-me se te pegam.

    Isso, aliado s necessidades e limitaes de determinadas profis-ses e empresas, produz um con-texto em que a cpia sem reflexo e citao de origem no apenas tolerada, mas incentivada. Dessa forma, a responsabilidade por er-ros tambm diluda. Se ningum os produziu, ningum culpado.

    A gestora na encruzilhada

    17 de julho de 1997

    Gerao Ctrl+C, Ctrl+V

    TRIBUNAINDEPENDENTE

  • 7 TRIBUNAINDEPENDENTE POLTICA

    Dilma lidera em todos os cenrios para 2014 Em pesquisa da CNT, presidente seria reeleita no segundo turno

    Homem tenta pagar programa sexual e o motel com o carto Bolsa Famlia

    Cmara dos Deputados deixa para agosto projeto de royalties educao

    A delegacia de Itapetinga, a 316 km de Salvador-BA, investiga um caso estranho de uso do carto Bolsa Famlia. Um homem, identificado apenas como Joo, ten-tou pagar um programa com uma protistuta e o motel com o carto do programa social do governo. A confuso comeou quando a mulher tentou cobrar adiantado os R$ 50 do programa. Sem dinheiro,Joo perguntou se ela no aceitaria o paga-mento com carto do Bolsa Famlia. A mulher se recusou e, devido discusso, uma radiopatrulha da PM foi chamada ao local.Irritado com o escndalo, Joo disse. - Itapetinga t atrasada mesmo, nem as putas aceitam carto!.

    Sem acordo na reunio do colgio de lderes, a Cmara dos Deputados deixou para concluir em agosto a votao do projeto que destina os recur-sos dos royalties do petrleo para Educao e Sade. O nico consenso entre os parlamentares o incio do recesso informal, conhecido como re-cesso branco, a partir de amanh. Mesmo sem acordo para votar a Lei de Diretrizes Oramentrias (LDO), matria necessria para o incio oficial do recesso parlamentar, os lderes dos partidos assinaram um requerimento dispensando a realizao de sesses no perodo entre 18 e 31 de julho.

    A pesquisa de inteno de voto para as eleies presidenciais de 2014 di-vulgada pela Confederao Nacional dos Transportes (CNT), ontem mostra uma queda de mais de 30 pontos percentuais no prestgio da presidenta Dilma Rousseff junto aos eleitores. No caso de uma possvel candidatu-ra reeleio, Dilma tem 14,8% da inteno espon-tnea de voto, quando no so apresentadas opes de candidatos. Na pesquisa anterior da CNT, divulgada em junho, o percentual era 52,8%, mas ela segue adian-te do ex-presidente Luiz Incio Lula da Silva, que j declarou sua inteno de no participar da corrida eleitoral, no ano que vem. Lula aparece em segundo lugar, com 10,5% das in-tenes de voto, seguido por Marina Silva (5,9%) e Acio Neves (4,9%). Na declara-o espontnea de voto, apenas 1,2% disseram vo-tar no ex-governador Jos

    VISITA PAPALSenado cancela gastos com comitiva

    SENTENA EREAJuza manda prender estuprador durante voo

    Senado cancelou a comitiva de congressistas que iria ao Rio de Janeiro, na Jornada Mundial da Juventude, para representar a Casa em encontro com o papa Francisco.Por considerar que o nmero de senadores estava excessivo, o senador Renan Calheiros (PMDB-AL) disse que os parlamentares que forem ao evento no sero custea-dos pela instituio --e tero que bancar a viagem por conta prpria.

    A juza Snia Maria Mazzeto Moroso Terres, titular da 1 Vara Criminal de Itaja (SC), encontrou no ltimo domingo em um voo de So Paulo a Navegantes (SC) um empresrio que ela condenou pelo estupro da filha dele. O suspeito, foragido h cinco anos, estava sentado a poucos as-sentos do da magistrada.Segundo o Tribunal de Justia de Santa Catarina (TJ-SC), discretamente a juza entrou em contato com a Delegacia de Polcia de Navegantes, que enviou uma equipe de policiais ao aeroporto catarinense.

    MACEI - QUARTA-FEIRA, 17 DE JULHO DE 2013

    Mesmo com a queda de popularidade devido aos protestos de rua, Dilma seria reeleita em 2014, diz pesquisa

    ROBERTO STUCKERT

    Serra (PSDB-SP). O presi-dente do Supremo Tribunal Federal, Joaquim Barbosa, foi citado por 0,7% dos elei-tores ouvidos. Entrevista-dos que no votariam em nenhum dos candidatos, vo-tariam em branco ou anula-

    riam o voto somaram 21,6% e 37,4% no souberam dizer em quem votariam ou no responderam.

    Na pesquisa espontnea, 22,1% disseram querer ver o PT no comando do Planal-to no prximo mandato. A

    preferncia dos tucanos en-tre o eleitorado de 5,6%; do PMDB, 2,1%, e do PSB, 1,1%. A maioria (43,1%) no soube ou no quis opi-nar. Do total, 20% disseram no querer nenhum partido poltico na Presidncia.

    DITADURA

    Empresas que perseguiram sindicatos sero investigadas

    EM ARTIGO

    Lula atribui manifestaes ao sucesso scio-econmico

    Um grupo de trabalho for-mado hoje em So Paulo pela Comisso Nacional da Ver-dade vai investigar o envolvi-mento de empresas privadas e estatais na perseguio pol-tica a sindicatos que sofreram interveno pela ditadura mi-litar. um novo captulo so-bre os anos de chumbo.

    Na mira da CNV esto gran-des empresas estatais como a Petrobras, Embraer, Engesa, Telebras, Telesp (hoje sob o controle da Vivo), Companhia Siderrgica Paulista (Cosipa) e Companhia Siderrgica Na-cional (CSN). Entre as priva-das esto Mafersal, Monark

    e Coral e Grupo Ultra. A lista ainda est aberta e dever ser completada depois de levan-tamento que est sendo feito pela CNV, centrais sindicais e sindicatos.

    O golpe foi contra a Re-pblica Sindical que estava em construo e no contra a Repblica Comunista, como argumentaram os militares, disse a coordenadora da CNV, Rosa Cardoso.

    Ao lado de dirigentes sin-dicais, ela anunciou a nova frente de investigaes duran-te entrevista no escritrio da Presidncia da Repblica em So Paulo.

    O ex-presidente Luiz In-cio Lula da Silva comentou, ontem, por meio de artigo distribudo pelo jornal The New York Times, as mani-festaes que tomaram o Brasil nas ltimas semanas. Em texto intitulado A men-sagem da juventude brasi-leira.

    Lula diz que as manifes-taes so em grande parte o resultado de sucessos so-ciais, econmicas e polticas e cobra profunda renova-o do PT.

    Na ltima dcada, o Bra-sil dobrou o nmero de estu-dantes universitrios, mui-tos de famlias pobres. Ns

    reduzimos drasticamente a pobreza e a desigualda-de. Estas so conquistas importantes, mas com-pletamente natural que os jovens, especialmente aque-les que esto obtendo coisas que seus pais nunca tive-ram, desejem mais, analisa Lula, que cita o governador de Pernambuco, Eduardo Campos, ao dizer que tem--se dito, e com razo, que enquanto a sociedade entrou na era digital, a poltica per-maneceu analgica. Para o ex-presidente, a boa notcia que os jovens no esto conformistas, apticos ou indiferentes vida pblica.

  • 8 TRIBUNAINDEPENDENTEPUBLICIDADE MACEI - QUARTA-FEIRA, 17 DE JULHO DE 2013

  • CIDADES 9 TRIBUNAINDEPENDENTE MACEI - QUARTA-FEIRA, 17 DE JULHO DE 2013

    Estado quer aumentar bonificao de policiais por apreenso de armasO valor da bonificao para policiais civis e militares que apreenderem armas ser reajustado em 100%, passando de R$ 200 e R$ 400 para R$ 400 e R$ 800. O projeto de lei j foi encaminhado pelo Executivo para apreciao da Assembleia Legislativa. Na mensagem do projeto, o governador Teotonio Vile-la ressalta que Alagoas reduziu significativamente a taxa de homicdios em 2012 no primeiro semestre deste ano. Mas, ainda se constata a incidncia de mortes e leses corporais por meio das armas de fogo e, para tanto, essa medida objetiva prosseguir estimulando os profissionais de segurana pblica na retirada de circulao desses armamentos, lembra a mensagem.

    CidadesMe que matou filha ser punida pelo ECAPrestes a completar 18 anos, adolescente cumprir no mximo trs anos de medida socioeducativa, conforme a lei

    Boato de que a me iria ao sepultamento gerou protestos

    ALAIN LISBOAREPRTER

    A adolescente de 17 anos, que matou a filha Karynne Dan-ielly Gouveia, de apenas um ano de idade, em Rio Largo, a golpe de pedradas entra na maioridade em no-vembro, mas ir responder pelo crime conforme de-termina o Estatuto da Criana e do Adolescente.

    Ela est sob a guarda do Ministrio Pblico, segundo o delegado Antonio Edson, que colheu a confisso da assassina.

    Tribuna Indepen-dente, o promotor Cludio Luiz Galvo Malta, infor-mou que o prximo passo colher novas informaes da menor atravs de uma audi-ncia de oitiva informal.

    A promotoria vai ob-servar o fato relatado pela adolescente e sua famlia

    e as condies em que isso ocorreu. Depois ser ofe-recida uma representao, uma pea processual para a aplicao das medidas socio-educativas, explicou o pro-motor.

    Como houve crime, e a maioridade penal no Bra-sil de 18 anos de idade, a menor dever inicialmente passar por uma internao provisria, onde vai aguar-dar o trmino do processo, que deve durar at 45 dias.

    O que ela fez no vai fi-car impune, vai receber me-dida socioeducativa, medida de socializao. Ela inicial-mente vai para internao provisria, onde vai aguar-dar o trmino do processo e uma avaliao para ver se ela permanecer interna-da, disse Malta.

    PUNIOEsse tipo de internao

    pode chegar at a trs anos. A medida definitiva tem

    prazo de provavelmente trs anos. a pena mxima, mas se for comparada pena do adulto uma pena pesada, porque o adulto tem bene-fcios que reduzem o tem-po. Por exemplo, uma pes-soa que cumpre pena de 12 anos, com trs, ela pode ter a pena reduzida, de acordo com o comportamento. um engodo pensar que a pena de trs anos uma pena curta, justificou.

    Para o irmo da acusada, Danilo Carlos, de 20 anos, o crime imperdovel. O jo-vem foi apoiado pelo primo, Warliton Alves Silvestre, 23, e outros populares que acompanharam o enterro da menor.

    Eu quero que ela mofe l. Que ela morra l. Trs anos no o suficiente pra quem vai passar a eternida-de no cemitrio. T a a me-nina morta, quem vai trazer ela de volta?, questionou.

    SANDRO LIMA

    SANDRO LIMA

    SANDRO LIMA

    Delegado Antnio Edson descobriu a autoria do crime aps ouvir depoimentos de seis pessoas

    Familiares, vizinhos e curiosos acompanharam o sepultamento

    Alguns familiares da pequena Karynne consideram pequena pena de trs anos para me da criana

    INQURITO

    Polcia aponta homicdio qualificado

    De acordo com o delegado Antnio Edson, a me de Ka-rynne Danielly Gouveia de Lima, por ser menor, foi en-caminhada para o Ministrio Pblico de Rio Largo.

    A me poder ficar apre-endida na Unidade de Inter-nao Menores e responder por homicdio qualificado. Antnio Edson ressaltou tambm que a menor come-teu o crime friamente, con-forme ele percebeu no depoi-mento da acusada. Em 15 anos de polcia, nunca vi tan-ta frieza, disse o delegado.

    Enquanto concedia expli-caes ao delegado, a me da criana no chorou e pouco demonstrou arrependimento pelo crime.

    SEQUESTROA me da pequena Ka-

    rynne, uma adolescente de 17 anos, disse, inicialmente, que a filha foi sequestrada por dois homens encapuza-dos que estavam num carro de cor escura na noite do l-timo domingo em Rio Largo. Na manh de segunda-feira, a menina foi encontrada morta na ladeira da Cachoei-ra, naquele municpio.

    At as 19 horas de ontem, o corpo de Karynne ainda no havia sequer chegado ao Instituto Mdico Legal (IML), em Macei, para ser necropsiado.

    No mesmo horrio, a me da menina era ouvida na De-legacia de Homicdios, em Macei, pelo delegado plan-tonista Antnio Edson.

    S aps interrogatrio, na presena de dois conselheiros tutelares de Rio Largo, e de seu pai, a me de Karynne Danielly confessou o crime e afirmou que sentia que des-de o nascimento de sua filha, sua vida teria mudado, o que era agravado pelo fato de a criana no ter sido regis-trada pelo pai. A autora te-ria ainda muitas discusses com o av da criana, que a impedia de frequentar fes-tas, para cuidar do beb. A polcia chegou a apreender roupas da adolescente, com manchas de sangue.

    FIM DO PROBLEMA

    Me entra em contradio e revela crueldade polciaNIGEL SANTANAREPRTER

    A morte da criana Karyn-ne Danielly Gouveia de Lima, de apenas um ano e meio, era um mistrio at a noite de segunda-feira, quando a Po-lcia Civil desvendou o crime. Os depoimentos da me da criana e de mais cinco pes-soas foram realizados ainda na segunda-feira e, ontem de manh, a polcia comunicou que a responsvel pela morte da criana foi a sua me, de 17 anos.

    O delegado Antnio Ed-son, em entrevista ontem de manh, declarou que a me da criana apresentou duas verses para o crime. Quando conseguimos o depoimento da me, ela disse que sua filha foi sequestrada por dois homens que estavam em um carro. Em um segundo momento, ela en-trou em contradio com a pri-

    meira verso, e sustentou que um homem a p teria raptado sua filha. O trabalho da polcia foi de verificar o que estava er-rado e conseguimos elucidar o caso quando a me contou que matou sua filha, explicou o delegado.

    Os fatores que culminaram com a morte de Karynne foram torpes. A me relatou que sua vida se complicou do incio da gravidez at o nascimento da criana. O namorado no as-sumiu a paternidade, o av brigava frequentemente com a filha, e o padrasto no con-cordava em conviver com uma criana recm-nascida.

    Para dar fim ao que a me considerava um problema, a menina foi levada enquanto dormia para um local prxi-mo ladeira da Cachoeira, em Rio Largo. Com uma pedra de mais de quatro quilos, a ado-lescente acertou trs pancadas no rosto da criana.

    RIO LARGO

    Centenas acompanham enterro de garotinha em clima de revolta

    Comoo e revolta mar-caram o velrio e o enterro da menina Karynne Da-nielly Gouveia, de apenas um ano de idade, em Rio Largo na tarde de ontem. A menina foi morta pela me, uma adolescente de 17 anos, que confessou o crime e est sob a guarda do Ministrio Pblico.

    Mesmo assim, um rumor de que a assassina iria ao local fez populares queima-rem pneus em trs trechos da via que d acesso ao Cen-tro de Rio Largo pelo bairro Mata do Rolo. Num deles, um continer de lixo foi ar-rastado at o meio da pista. Outras duas ruas tambm paralelas foram bloqueadas parcialmente.

    Seria bom que ela tives-se vindo mesmo para sentir

    na pele o que ser apedreja-da, gritavam algumas das cerca de quinhentas pessoas que acompanhavam o enter-ro.

    frente do tmulo onde Karinny foi enterrada, o av dela, Antnio Carlos Cor-reia de Lima, o tio, Danilo Carlos Gouveia de Lima e outros familiares demons-travam a dor pela perda da criana. Eles lamentavam com o apoio dos moradores da cidade o crime brutal.

    Uma prima da adoles-cente disse, enquanto a criana era enterrada, que chegou a pedir para criar a menina, j que havia negli-gncia no modo como a me cuidava dela, segundo in-formaram reportagem os familiares.

    A me dela vai pagar

    por tudo que fez. A justi-a da Terra no pode fazer nada, mas a de Deus vai fa-zer, disse a mulher, identi-ficada como Morgana. Era uma criana que no fazia mal a ningum. Se ela no queria, por que ela no deu? Eu pedi tanto a ela!, gritou na ocasio em que a tumba estava sendo lacrada pelos coveiros.

    A av da criana no par-ticipou do enterro. Antnio Carlos, o av, que separa-do da mulher, disse que a fa-mlia est arrasada. Estou sem voz. surpreendente esse caso, no sei se d pra perdoar, mas afinal ela a minha filha. Ela alegou que no se lembra de nada, uma pessoa dessas no est em si, disse o av de Karinne a respeito da filha.

  • MACEI - QUARTA-FEIRA, 17 DE JULHO DE 2013CIDADES10 TRIBUNAINDEPENDENTE

    Veculos so guinchados em shoppingEstacionados em vagas reservadas a idosos e deficientes, carros foram removidos ontem para o galpo da SMTT

    PETRNIO VIANARVISON BATISTAREPRTERES

    Dezenas de carros foram apreendidos ontem du-rante operao da Su-perintendncia Municipal de Transporte e Trnsito (SMTT) em shoppings e supermerca-dos de Macei. O objetivo da ao foi coibir o estacionamento irregular em vagas reserva-das a idosos e deficientes fsi-cos nesses estabelecimentos.

    De acordo com o diretor de Operaes de Trnsito da SMTT, Zenildo Calheiros, du-rante 40 dias os motoristas ma-ceioenses receberam esclare-cimentos dentro da campanha Multa Moral. Com o final do prazo, os motoristas passam a ser punidos com multa de R$ 53,21 e guincho, no que prev o Cdigo de Trnsito Brasileiro (CTB).

    O objetivo da ao garan-tir o direito dos idosos e defi-

    cientes, previsto pelo CTB. Se o motorista chegar vaga antes de o veculo ser guinchado, ele fica s com a multa. Caso con-trrio, o carro recolhido ao galpo da SMTT, no Tabuleiro do Martins, explicou.

    Calheiros destacou ainda que, para estacionar nas vagas reservadas, o motorista deve afixar no vidro dianteiro do carro um carto especfico, que deve ser retirado na prpria sede da SMTT a partir do ca-dastro do veculo no rgo.

    A assessora tcnica da SMTT e coordenadora da cam-panha Multa Moral, Zezilda Accioly, lembrou que, antes da ao efetiva, foi feita uma di-vulgao massiva das medidas restritivas em estacionamentos da capital. Segundo Zezilda, a resistncia da populao ala-goana em estacionar nas vagas reservadas a idosos e deficien-tes ainda grande. Por mais de um ms fizemos o trabalho de conscientizao com a Mul-

    ta Moral. Agora, a multa real, avisou.

    A operao de ontem co-meou pelo Macei Shopping, no bairro de Mangabeiras, e percorreu estacionamentos dos maiores supermercados e sho-ppings da capital, inclusive du-rante o perodo noturno.

    ESTRANHEZANo acostumados com a

    cena, vrios clientes do Macei Shopping pararam para con-ferir a ao da SMTT. Paulo Kurk, de Salvador, Bahia, est em Macei a trabalho. repor-tagem, ele disse ter estranhado a operao. L em Salvador eu nunca vi isso. Achei muito ra-dical. A campanha da Multa Moral foi divulgada aqui em Alagoas, mas eu sou de fora. Eu poderia ter meu carro guincha-do sem saber da campanha, falou o turista, que no idoso, nem deficiente fsico.

    O telefone para denunciar motoristas que estacionam em locais irregulares : 3315-3590. Remoo gerou surpresa entre os frequentadores do shopping, mas SMTT realizou campanha educativa

    Trinta franceses, cinco argentinos e doze canadenses participam de visitas a instituies beneficentes

    RVISON BATISTA

    SANDRO LIMADEPENDENTES QUMICOS

    Alagoas destaque com programa de acolhimento

    A edio de ontem do tele-jornal Bom Dia Brasil exibiu o programa Acolhe Alagoas como modelo para o Pas. A matria abordou o tratamento de depen-dentes qumicos em So Paulo e Salvador, e mostrou a estratgia implantada em Macei como ini-ciativa bem-sucedida, que j foi adotada pelos estados de Rond-nia e do Esprito Santo e, atual-mente, est sendo analisada por uma equipe de profissionais do Rio de Janeiro.

    O apresentador Chico Pinhei-ro foi enftico ao chamar a ma-tria. De Alagoas vem uma boa notcia. Em Macei, o tratamen-to para dependentes qumicos considerado modelo para todo o Brasil. A reportagem mostrou o momento em que os Anjos da Paz organizam a sada da van com dependentes qumicos, acompanhados de um familiar, para as comunidades acolhedo-ras.

    No Acolhe Alagoas, as inter-

    naes so voluntrias e gra-tuitas, por um perodo de seis meses, e depois feito o acom-panhamento para reinsero so-cial no mercado de trabalho, por meio de cursos profissionalizan-tes e, se for o caso, o retorno escolarizao.

    O governador Teotonio Vilela comemora os resultados. Orgu-lhoso de ver Alagoas sendo refe-rncia em um programa que salva vidas, salva futuro. Parabns ao secretrio Jardel Aderico, a sua equipe de trabalho e aos nossos Anjos da Paz, afirmou, em seu Twitter.

    Foi gratificante ver o nosso esforo reconhecido em rede na-cional. A boa notcia mostra que nosso estado tem exemplos positi-vos, sobretudo, quando se trata de uma estratgia de preveno so-cial da violncia, disse o secret-rio de Estado de Promoo da Paz, Jardel Aderico. O Acolhe Alagoas conta atualmente com 1.200 vagas em 40 comunidades acolhedoras.

    ENCONTRO COM O PAPA

    Estrangeiros chegam a Alagoas para pr-encontro da JornadaANA PAULA OMENAREPRTER

    Dezenas de jovens peregri-nos de vrios pases desem-barcaram na capital alagoa-na para fazer o pr-encontro para a Jornada Mundial da Juventude (JMJ) 2013, reali-zada entre os dias 23 e 28 de julho, no Rio de Janeiro.

    Os 30 franceses que esto em Macei no escondiam a admirao e o entusiasmo de estarem em solo brasileiro, todos reunidos pela f. Eles no veem hora de chegar o grande dia em que vo se en-

    contrar com o papa Francisco.Alm dos franceses, cinco

    argentinos e 12 canadenses esto chegando a Macei para a preparao do encontro. Eles ficaro abrigados em ca-sas paroquiais em Marechal Deodoro, Porto de Pedras, Unio dos Palmares e Riacho Doce.

    De 16 a 20 de julho, os jo-vens estrangeiros faro visi-tas a instituies em Macei, como a Casa de Ranquines Masculina e Feminina; Fa-zenda Esperana, em Mare-chal Deodoro; Comunidade Juvenpolis, em Bebedouro;

    trabalho desenvolvido pelas irms sacramentinas no mu-nicpio do Pilar; e a Casa dos Pobres, no Vergel do Lago.

    Os peregrinos tambm tero a oportunidade de co-nhecer os pontos tursticos de Alagoas, como as famosas praias do Francs e do Gunga, bem como o artesanato feito pelas rendeiras do Pontal da Barra.

    O jovem francs Samuel Delaunay se disse encantado com o Brasil, porm lembrou que a imagem que tinha do pas era a do tradicional Car-naval.

    17 VARA

    Justia condena quadrilha de traficantes

    Os juzes da 17 Vara Criminal da Capital condenaram na segun-da-feira os rus Alusio Martins dos Santos Jnior, Leandro de Souza Andrade, Marivaldo Salus-tiano dos Santos, Jos Jonatan Soares Raimundo, Jos Gerson da Silva, Gigleane de Moraes Vander-lei, Ana Patrcia da Silva Santos, Luiz Carlos da Silva, Jos Cludio de Almeida, Itala Renata dos San-tos Costa, Slvio de Andrade Silva e Flaviane Correia da Silva, por participao em organizao cri-minosa.

    O grupo era especializado em trfico de drogas, homicdios e rou-bos, no municpio de So Miguel dos Campos.

    Outros nove rus, Anailton Mar-tins dos Santos, Marta Balbino santos, Vera Lcia Santana San-tos, Cntia Cssia Santos da Silva, Ellen de Ftima da Silva Oliveira, Elineuza Luiz da Silva, Paulo An-dr Verosa Lemos, Rawymenson da Silva Rosendo e Raul Felipe, tambm acusados por formao de quadrilha e trfico de drogas, foram absolvidos falta de provas concretas.

    PENASOs rus foram condenados s se-

    guintes penas: Alusio Martins, 12 anos e 9 meses; Leandro de Souza, 12 anos; Marivaldo Salustiano, 11 anos; Jos Jonatan, trs anos em regime de restrio de direitos para prestao de servios comunida-de; Jos Gerson, nove anos; Giglea-ne de Moraes, Slvio de Andrade e Flaviane Correia, os trs pegaram nove anos e seis meses; Ana Pa-trcia, Luiz Carlos e Jos Cludio, nove anos e trs meses, e Itala Re-nata, oito anos e nove meses.

  • CIDADES 11 TRIBUNAINDEPENDENTE

    ALTON VILLANOVA ailton.villanova@gmail.com

    MACEI - QUARTA-FEIRA, 17 DE JULHO DE 2013

    A melhor das solues

    Todas as sextas-feiras meia dzia de amigos - entre os tais a dupla Raulibaldo e Jeoflu-zio -, se reunia num determinado canto da cidade para um joguinho de cartas. Essa pa-tota gastava uma nota preta no baralho. A jogatina iniciava s sete da noite, emendava com o sbado e terminava ao raiar do sol do domingo. Um dia, o dono do local onde os caras se reuniam chegou pra eles e falou: - Vocs vo ter que procurar provisoriamente outro salo pro carteado, porque este nosso vai estar interditado por alguns dias... - O que foi que houve? quis saber Jeofluzio. - que o cano mestre que conduz gua pro prdio, estourou. Esto consertando a tubula-o toda. negcio pra uma semana de servio! - T legal. A gente se vira! Em assim sendo, ficou acertado que o joguinho da sexta-feira seguinte seria realizado na casa do Raulibaldo, em carter extraordinrio. Separado da mulher, seu filhinho Juninho passava os finais de semana com ele. Cheio de dengos, o menino no dava chance ao pai. A toda hora estava chamando por ele. Bom. Chegou a sexta-feira e turma se dirigiu pra l. Muito usque e bastante tira-gosto aguardavam os camaradas. Mal distriburam as cartas, Juninho acercou-se do pai: - Quero gua! Raulibaldo interrompeu o jogo e foi buscar a gua do menino. Ele bebeu metade, jogou o resto fora e ficou de olho na turma, que continuou mandando ver nas cartas. No demorou muito, o menino voltou a perturbar: - Panho, posso ver um filme na tev? - Pode, meu filho! respondeu o pai, de olho grudado nas cartas. Da a pouco, olha ele novamente: - Panho, vem arrumar a imagem da tev, que t ruim! E l foi o infeliz ajeitar a tela da televiso do filho querido. Depois de mais de uma dzia de interrupes, o Jeofluzio, de saco cheio, se levantou e disse: - Aguentem a mo vocs a, que eu vou l ver se sossego o filhinho do nosso amigo Rauli-baldo, que j est cansado de ficar pra l e pr c. Volto j! Depois dessa atitude tomada pelo amigo do dono da casa, a paz reinou no ambiente. O garoto no voltou mais a interromper o carteado. De manh, quando todos resolveram ir embora, Raulibaldo perguntou ao amigo: - Jo, o que, afinal, voc fez pro meu filho ficar to quieto? - Simples. Ensinei a ele se masturbar!... ele morreu de verdade! Presepeiro de marca maior e contumaz passador de trotes, Gilfredo Perrone, o Pereba, aprontou horrores. Difcil era saber quando ele agindo ou falando srio. O cara levava tudo na brincadeira. Malfadado dia, Gilfredo passou mal e morreu do corao. No foi socorrido a tempo porque pen-saram que ele estava de chacota. Seu melhor amigo, o Arqueleu Pitanga, encontrava-se em Aracaju quando lhe transmitiram a infausta notcia. Ele reagiu, na hora: - onda desse safado! O Pereba aprontou mais uma! Isso normal nele! - Mas ele est de canela esticada, dentro do caixo! - mais um trote dele! Ele o rei do trote! - Dessa vez no , no. Pode vir pro enterro! Arqueleu pegou o carro e se mandou de Aracaju puxando mil por hora. Entrou em Macei pela estrada do Pontal, equilibrando o carro na curva em duas rodas. Parou na porta do cemitrio do Prado e correu para junto do defunto, que estava sendo velado na capela. Gil Pereba repousava num esquife todo enfeitado de flores. Dele s se destacava a venta. Arqueleu reparou direitinho na cara do amigo. Era a cara mais cnica do mundo! A, bradou: - Ele t vivo! O sacana t vivo! Olhem s para a cara do filho da me! Ningum gostou daquela observao desrespeitosa, principalmente a viva, que mandou o incon-veniente puta que o pariu. O ambiente ficou pesado, mas o Arqueleu nem a. Ele s queria provar que o amigo estava mesmo vivo. Arqueleu chegou mais pra perto do finado, abaixou a cabea at o ouvido dele e disse: - cara, tu j passou do limite! Levanta da, vai! Como o de cujus no se mexeu, Arqueleu partiu para a prova definitiva no sentido de que o velho parceiro no havia morrido de verdade. O que ele fez, ento? Meteu a mo dentro do caixo, pegou naquela parte proibida do defunto, deu um aperto violentssimo, uma torcida pra l, outra pra c, puxou pra cima, puxou pra baixo e esperou o berro do Pereba. Nada. Do finado, rolou apenas uma lgrima grossa pelo canto do olho. Decepcionado, Arqueleu espiou para os quatro cantos do velrio e desabafou, desolado:

    - ... o safado morreu mesmo!O leito era outro! Bidionzio Duodnio, o popular Bolo, arriou os seis cento e tantos quilos na cadeira de uma das mesas da lanchonete do Matoso e falou pro garom: - Afrnio, manda ver a um leito, por favor! E o garom: - Caprichado? - Exato! - Pode aguardar! Demorou mais de meia hora para o pedido ser despachado. Bolo j estava impaciente, preparando-se para desistir do leito, quando pintou na sua mesa aquele aparato fenomenal: numa imensa travessa, repousava um leito grelhado, rodeado de cebolas e tomates. Alm do mais, duas outras travessas menores uma com arroz e outra entupida de farofa. O queixo do Bidionzio desabou: - Mas o que isso, meu chapa?! - o leito caprichado que o senhor pediu! respondeu o garom. - Mas o leito que eu pedi no foi esse, cara! Eu pedi foi um copo daqueles bem grandes de leite!Contar... a primeira providncia! Antigamente, os programas de rdio em Macei distribuam valiosos brindes. E tinha mais: os ouvintes no eram verbalmente agredidos pela analfabetice e grossura de animadores, como ocorre atualmente. Eram respeitados. Os programas eram feitos para eles, ouvintes, no para os apresentadores. Naquele tempo, tnhamos na rdio Gazeta, sempre lder em audincia, grandes atraes. Uma delas, por exemplo, que ia ao ar aos sbados tarde, era comandada pelo saudoso Rudy Barbosa. Intitulava-se Pea Sucessos Musicais, onde eram promovidos sorteios de prmios destinados aos sintonizadores. Um dia, Rudy resolveu inovar e passou a sortear dinheiro vivo entre os ouvintes. A grana sorteada era entregue na residncia do contemplado, de onde o reprter - que normalmente era o tambm saudoso Luiz Tojal -, fazia o registro, com mil badalaes. Uma das vezes o Tojal ficou impossibilitado de cumprir a escala, por motivos de sade, e foi substitudo pelo nefito Gildo Almeida que, logicamente, no tinha essas intimidades todas com o microfone. A sorteada havia sido uma viva residente no distrito da Coria, bairro de Ponta Grossa. No ato da entrega da bufunfa ouvinte, Gildo Almeida, todo entusiasmado, microfone em punho, sacou a pergunta: - Dona Isaura, agora que a senhora recebeu esse dinheiro todo, o que que pretende fazer? A viva no titubeou. Sapecou a resposta curta e grossa: - Contar!

    Ufal deve pedir reforo a PM aps novo assaltoRondas feitas no campus so insuficientes; ocorreu em sala de aula

    Pedido de interveno na solicitao de dados Microsoft no teve retorno

    DEBORAH FREIREEDITORA DE CIDADES

    A reitoria da Ufal deve pedir novamente De-fesa Social de Alagoas reforo do policiamento den-tro do campus de Macei.

    O roubo a estudantes da uni-versidade registrado na noite de segunda-feira pelo Batalho de Polcia de Guarda (BPGd) da PM levantou mais uma vez a discusso acerca de falta de se-gurana no local, que rodeado por conjuntos residenciais com altos ndices de criminalidade.

    Segundo o BPGd, respons-vel pelo bairro Cidade Univer-sitria, onde a Ufal est loca-lizada, um homem moreno, de estatura mediana, que estava armado, teria feito um arrasto em um bloco de salas de aula prximo ao Instituto de Qumi-ca. Mas segundo o pr-reitor de Gesto Institucional da Ufal, Valmir Pedrosa, ele apurou com o diretor do curso de Qumica que foram assaltados trs alu-nos no corredor do bloco. Todos tiveram seus celulares levados. O fato ser investigado pela Po-lcia Civil.

    PROVIDNCIASA Polcia Militar, junto

    empresa que realiza a seguran-a privada do campus, j definiu que haver um realinhamento das rondas realizadas no local desde abril pelo Batalho de Polcia Escolar (BPEsc) e tam-bm pelos vigilantes contrata-dos pela universidade. Porm a reitoria acha que o nmero de rondas pequeno.

    O sub-comandante de Poli-ciamento da Capital, tenente--coronel Neivaldo Amorim, foi

    SANDRO LIMA

    SANDRO LIMA / ARQUIVO

    Campus ter realinhamento de horrio de rondas da PM e de patrulhamento feito por empresa privada

    Procurador pediu ao governo federal para se comunicar com empresa

    CASO FBIO ACIOLI

    MP no recebe resposta de Ministrio

    ANA PAULA OMENAREPRTER

    Quase quatro meses aps uma solicitao do Minist-rio Pblico Estadual (MPE) ao Ministrio das Relaes Exteriores para que o rgo pedisse urgncia Microsoft e ao MSN para ter acesso s informaes compartilhadas na internet pelo jovem Fbio Acioli, nenhuma resposta foi dada ao procurador-geral Srgio Juc.

    Fbio Acioli foi queima-do vivo em agosto de 2009 e morreu dias depois, no hospital, mas a investigao sobre a autoria intelectual do crime segue emperrada por falta de informaes. poca, o crime ganhou re-percusso e comoveu todo o Estado de Alagoas pela per-versidade.

    Como forma de tentar acelerar o pedido, feito pela Justia alagoana, Srgio Juc alegou urgncia na res-posta e encaminhou junto solicitao todo o processo acerca do homicdio qualifi-cado contra o estudante de arquitetura. Para o procura-dor-geral, o acesso ao e-mail

    e MSN do jovem funda-mental para o esclarecimen-to da autoria intelectual do crime, que at hoje segue na obscuridade.

    Nem mesmo a possibili-dade de o juiz do caso Geral-do Amorim aplicar multa s empresas pela negativa de acesso aos dados do jovem agilizou o retorno.

    Jos Antnio Malta Mar-ques, promotor que acom-panha o caso, lamentou o posicionamento da empre-sa Microsoft, nos Estados Unidos, enfatizando que o acesso ao e-mail e bate papo do jovem possibilitaria um direcionamento para quem pudesse ser o principal inte-ressado pela morte do estu-dante.

    Em janeiro deste ano, duas pessoas foram conde-nadas pela autoria material do crime. Carlos Eduardo Souza pegou a pena de 23 anos e 22 dias em regime fechado. Wanderley Nasci-mento Ferreira foi condena-do a 23 anos, quatro meses e 18 dias, pouco mais que o primeiro ru, por ter fugido em novembro de 2011 do Presdio Cyridio Durval.

    questionado pela reportagem acerca do policiamento porque o comandante do BPEsc negou que os militares desse batalho entrem no campus, que da es-fera federal. Neivaldo Amorim confirmou que o policiamento feito, mas no com a frequncia ideal para zerar ou reduzir o re-gistro de crimes no local.

    Houve sim um reforo [desde abril], mas estamos realinhando o horrio das rondas de acordo com o registro de ocorrncias na Ufal. Uma viatura do BPEsc faz o policiamento no local, mas quando registrada uma ocor-rncia, ela tem que se dirigir Central [de Flagrantes], que an-tes era no Prado. Hoje, sendo no Farol, j melhorou, mas ainda distante, o que demanda tempo, justifica.

    Outro problema apontado

    pelo sub-comandante, que tam-bm citado pelo major Mrio Xavier, comandante do BPGd, a existncia de muitos acessos universidade, o que dificulta a preveno de assaltos ou a pri-so dos assaltantes. O campus muito aberto, tem acessos li-vres, mas, ainda assim, so pou-cos os registros desse tipo de cri-me [assalto] no local. Tem casos que no so registrados, mas os que so no passam de cinco, afirma o major Xavier.

    A vulnerabilidade citada pe-los dois comandantes o motivo por que o pr-reitor Valmir Pe-drosa defende maior ateno da PM Ufal. No s um prdio, que podemos fechar a porta. um complexo de prdios. Alm disso, a Constituio Federal afirma que a segurana um dever do Estado. No podemos

    dirigir essa responsabilidade para uma empresa privada, cobra.

    MEDIDASSegundo Pedrosa, alm de

    solicitar a presena da PM no campus com maior frequncia, a Ufal pretende solicitar que a Prefeitura de Macei reforce no local aes como iluminao, limpeza e poda de rvores. A terceira medida a ampliao do servio de segurana pri-vada. Em setembro, acaba o contrato e faremos uma nova licitao, ampliando o efetivo de vigilantes em 20%. Tambm ampliaremos o monitoramen-to por cmeras. De imediato, vamos retirar homens dos pr-dios mais vulnerveis, mais centrais, para coloc-los nos prdios que ficam nas pontas do campus, afirma o pr-reitor.

  • Governador ouve demanda de movimentos agrriosNa pauta, questes de infraestrutura como habitao, iluminao e poos artesianos

    O governador Teotonio Vile-la voltou a receber, ontem, integrantes de movimen-tos agrrios. O encontro trans-correu no Palcio Repblica dos Palmares, contou com a partici-pao de secretrios de Estado e do municpio e foi marcado, a pedido dos movimentos, que con-versaram com o chefe do Execu-tivo sobre uma pauta de reivindi-caes, algumas delas j haviam sido encaminhadas pelo Estado para a efetivao e outras em vias de serem concludas.

    Num dilogo aberto, o gover-nador disse que sempre esteve e estar disposio, no apenas para ouvir e buscar solues para os agricultores, mas para todas as categorias que procurarem no dilogo a sada para suas deman-das.

    Sua fala foi reforada pelas lideranas, ao afirmarem que a inteno dos trabalhadores no bloquear rodovias, mas conver-sar para se chegar a um enten-dimento com o Governo, disse o lder do Movimento Via do Tra-balho, Marcos Antonio da Silva, o Marrom.

    Eliane Silva, representou o Movimento Nacional de Luta pela Moradia e Marcos Antnio, o Marrom, o Via do Trabalho. Da pauta, entregue ao governador e discutida ponto a ponto entre as lideranas e os secretrios

    NENO CANUTO

    Governador Teotonio Vilela e secretrios recebem representantes de movimentos agrrios no Estado

    etjornalista@gmail.com

    MACEI - QUARTA-FEIRA, 17 DE JULHO DE 2013ECONOMIA12 TRIBUNAINDEPENDENTE

    Santa Luzia do Norte

    Ex-prefeito Deraldo Lima comemorou ontem o resultado da Justia Federal, que lhe inocentou sobre as acusaes de improbidade ad-ministrativa, ainda sobre aquele caso da chamada Operao Guabiru. Graas a Deus, ns estvamos convicto de que no devamos nada nessa histria; e que tudo no passava de um desencontro de informao; sobretudo na falta de uma apu-rao tcnica que pudesse cons-

    tatar qualquer tipo de irregularidade em minha administrao comentou. Deraldo acrescentou que esse equvoco causou um grande transtorno ao longo desse perodo em sua vida pblica. Essa bronca se refere gesto de 2005 a 2008; oportunidade em que o gestor ocupava um segundo mandato de prefeito l em Santa Luzia do Norte.

    Limoeiro de AnadiaSegunda-feira a prefeitura lanou edital para preenchimento de diversos cargos, por meio de concurso pblico. Por sua vez, o Sindicato dos Odontologistas de Alagoas, criticou o valor que est sendo oferecido para um profissional da sua rea, que de 800 reais para cumprir uma carga de 20 horas semanais. Esse valor oferecido ao profissional dentista algo injusto e que no atende as necessidades bsicas do profissional reclama o Sindicato.

    Dia do ndioCerca de 1800 famlias indgenas residentes em Feira Grande, Inhapi, Joaquim Gomes, Palmeira, Pariconha, Porto Real, So Sebastio e Traipu, vo ter a oportunidade de se recadastrar nesta quarta-feira. que hoje acontece por l, o Dia Estadual do Cadastramento. A ao consiste em inserir todas essas famlias no Cadastro nico, a fim de que elas possam usufruir dos programas sociais.

    ConsrcioAos poucos os prefeitos da regio metropolitana de Macei vm se reunindo para a concretizao da formao do Consrcio de Resduos Slidos. Na segunda-feira, eles se reuniram na sede da AMA onde l estavam Rio Largo, Messias, Barra de Santo Antnio, Coqueiro Seco, Satuba, Santa Luzia do Norte, Pilar, Paripueira e Marechal Deodoro, oportunidade em que aprovaram em assembleia geral o contrato de rateio. Segundo o presidente do Consrcio, prefeito da Barra, Rogrio Farias, essa aprovao define quanto cada municpio ir contribuir para o rgo que est sendo criado, de acordo com o estatuto, e d continuidade ao trmite de abertura do Consrcio.

    AgresteSegundo a Codevasf, rgo que ontem fez 39 anos de criao, cerca de 860 famlias de agricultores ligadas Cooperativa dos Produtores Rurais de Arapiraca (Cooperal) e Cooperativa Agropecuria e Industrial de Arapiraca (Capial), receberam por meio de seu projetos, equipamentos e materiais que fortalecero a produo de alimentos. Os equipamentos foram adquiridos pela Codevasf a partir de emenda parlamentar um investimento de R$ 143 mil. Para Maria Jos Alves, presidente da Cooperal, o apoio da Codevasf possibilitar a reativao da unidade de processamento de alimentos da cooperativa, que produz sopas e munguz e est fechada h seis anos. A reativao ir gerar trabalho e renda e aperfeioar o processo produtivo.

    PenedoPrefeito Marcius Beltro assume cargo no Nordeste. que na semana passada em Braslia, durante a XVI Marcha a Braslia em Defesa dos Municpios, ocasio em que boa parte dos prefeitos do Pas estavam presentes, gestores das cidades histricas se reuniram a fim de forma uma entidade representativa. Fundaram a Associao Brasileira das Cidades Histricas e Tursticas (ABCHT). O rgo por sinal, j conta com o apoio do Ministrio das Cidades. O alagoano Marcius Beltro, foi escolhido para ser o diretor da associao para a Regio Nordeste.

    PenedoMarcius Beltro revela que seu cargo uma garantia de que a histrica cidade dos sobrados ter voz. A aprovao da cidade de Penedo para fazer parte do Conselho Diretivo a garantia de que teremos voz no contexto nacional, ou seja, todos os investimentos e melhorias que as outras cidades histricas e tursticas receberem, teremos conhecimento e, tambm poderemos reivindicar, disse. Alm dessa misso, prefeito penedense tambm dirige a presidente do Consrcio Intermunicipal do Sul do Estado de lagoas (Conisul).

    Porto de PedrasA juventude da Igreja Catlica de Porto de Pedras iniciou ontem, a Semana Missionria que se estende at sbado. O evento integrado a iniciativas de cultura de paz, a partir de cursos e obras de ao social. Jovens argentinos que viro em preparao para a Jornada Mundial de Juventude que acontecer no Rio de Janeiro na semana posterior esto presentes. Todo o Brasil ter a presena de jovens do mundo inteiro que viro para esta pr-jornada nas parquias, tendo por objetivo possibilitar aos estrangeiros conhecerem um pouco mais das Igrejas locais, atravs da troca de experincias e intercmbio cultural, explica padre local, Rodrigo Rios.

    Porto de Pedras saiu Por falar em Porto de Pedras, o ex-prefeito Jos Moraes no mais secretrio de Assistncia Social. Entregou o cargo essa semana, que segundo comentrios aguarda um cargo na esfera estadual, que est sendo articulado pelo governador To Vilela.

    presentes, constam questes de infraestrutura nas reas de ha-bitao dos movimentos, poos artesianos, rede de iluminao pblica, cpia com a relao dos beneficirios do programa de re-construo da cidade de Rio Lar-go, atingida por enchente.

    O governador informou que o cadastramento foi feito com o mximo de rigor pela Seinfra. Esse trabalho feito com muito critrio. O que vocs querem, o que ns queremos, ou seja, colo-car as casas nas mos de quem realmente precisa, disse, ao

    apontar a funcionria da Infra-estrutura, presente ao encontro e responsvel por essa rea, n-gela Paim, como uma pessoa al-tamente responsvel e rigorosa.

    O secretrio Marco Fireman disse que a rea em Rio Largo ampla e que dar para acomo-dar muitas famlias. Segundo ele, sero em torno de 8.500 ca-sas, entre Macei e Rio Largo a serem construdas. Eliane Silva solicitou ainda a construo de uma escola de ensino fundamen-tal no Conjunto Paulo Bandeira, o que tambm ser devidamente

    analisado e lembrou das famlias acampadas no Dandara, no Con-junto Joo Sampaio II, que lutam para garantir alvar de posse da rea. O secretrio Claudionor Arajo disse que essa questo j est sendo devidamente enca-minhada, que ele se reuniu com lideranas do movimento, esteve tambm com elas em reunio com secretrios municipais do Planejamento, Messias Costa, e da Habitao, Mac Lira, e fez ainda uma visita ao assentamen-to, onde tranquilizou as famlias residentes no local.

  • Reunio do Conselho Estadual do Cooperativismo ocorreu ontem na Secretaria do Planejamento

    CONVNIO ASSINADO

    Benefcios para cermica, mveis e vesturioO secretrio de Estado do

    Planejamento e do Desenvolvi-mento Econmico, Luiz Otvio Gomes, o presidente da Fede-rao das Indstrias do Estado de Alagoas (FIEA), Jos Carlos Lyra, o superintendente do Se-brae Alagoas, Marcos Vieira, e parceiros dos segmentos de ce-

    rmica, mveis e vesturio assi-naram de dois convnios entre as trs instituies e o Sindica-to da Indstria de Marcenaria, Mveis e Esquadrias do Estado de Alagoas (Sindmarc) e o Sin-dicato da Indstria Cermica do Estado de Alagoas (Sindi-cer).

    O objetivo dos convnios melhorar a qualidade e a pro-dutividade dos micro e peque-nos negcios do setor cermico de Alagoas e promover o apoio tcnico e tecnolgico s empre-sas pertencentes ao setor de mveis, esquadrias e pequenas marcenarias de Macei. Para

    beneficiar o Sindmarc e seus associados, o valor do convnio de cerca de R$60 mil; j para o Sindicer, o valor de, em m-dia, R$150 mil.

    Os recursos devem ser apli-cados em aes de capacitao, gesto, melhoria de infraestru-tura, entre outras.

    MACEI - QUARTA-FEIRA, 17 DE JULHO DE 2013 ECONOMIA 13 TRIBUNAINDEPENDENTE

    Conselho viabiliza aes do cooperativismoConecoop beneficia cooperativa localizada em Piranhas com cesso de terreno e toma outras providncias importantes

    O Conselho Estadual do Coope-rativismo (Conecoop), criado em 2008 e composto por seis secretarias estaduais e demais membros da sociedade, tem dado o suporte necessrio para o fortaleci-mento do setor em Alagoas. Ontem (16), diversas estratgias foram definidas em mais uma reunio plenria do Conselho, alm da dis-cusso de aes e programas e ce-lebrao de convnios. O encontro foi coordenado pelo presidente do Conecoop e secretrio de Estado do Planejamento e do Desenvolvimen-to Econmico, Luiz Otavio Gomes.

    As reunies tm sido muito produtivas, j que vrias deman-das esto sendo atendidas e outras trabalhadas pelo governo e seus parceiros. O governador Teotonio Vilela Filho est bastante engajado e entende a importncia de promo-ver o setor como forma de erradicar a pobreza em Alagoas, afirmou o secretrio.

    A pauta contou com a apresen-tao dos resultados do Programa Alagoas Catador e das aes reali-

    Uma justa homenagem

    O radialista e publicitrio Arnaldo Costa Pinto vai ser agraciado com o ttulo de cidado honorrio de Macei. A indicao do vereador Eduardo Canuto (PV), por entender que tal concesso o reconhecimento, mais que justo, do povo maceioense, a esse profissional que

    tem uma histria de luta, honestidade e verdade e que fazem dele uma verdadeira referncia no cenrio da comunicao alagoana. A homenagem ser na prxima quinta-feira (18),s 9h na Cmara de Vereadores.

    robertobaiabarros@hotmail.com

    CidadesemFocoROBERTO BAIA

    Radialista Arnaldo Costa nasceu em Limoeiro - PE. Foi entre a cidade natal e Caruaru que ele se firmou como radialista. Foi locutor esportivo, noticiarista e animador de programas de auditrio.Tambm foi fundador da Rdio Liberdade FM, a 1 do gnero na capital do Agreste.Em 1970, Arnaldo mudou-se para Macei a convite do parceiro Edcio Lopes e aqui fizeram histria. Incrementaram os carnavais da cidade na Praa Moleque Namorador, nos clubes sociais e as festas juninas.

    Primeira agnciaEm parceria com o amigo Reinaldo Cavalcante fundou a PUBLICAR 1 agencia de propaganda do Estado. Arnaldo trouxe para Macei vrios nomes da MPB como Luiz Gonzaga e Roberto Carlos. Abriu o mercado alagoano para muitos publicitrios locais, tais como, Ranildo Cavalcante, Canetinha e Marcos Haiun.

    Rdio CidadeFoi diretor da rdio Gazeta, da Rdio Difusora, da AM 710 e implantou tambm, a rdio Cidade FM em Macei. Ganhou vrios prmios de colunistas e motivo de referncia em vanguarda propagandista do Estado. Formou-se na 1 turma de Direito do CESMAC, sendo orador da colao de grau das 3 turmas.

    Delmiro Gouveia 1Na ltima semana, dois crimes de grande repercusso ocorridos no municpio de Delmiro Gouveia foram elucidados. Familiares dos jovens Wesley Barros, Cleberson Arajo (Clebinho) e Jos Ccero da Silva (Cristiano), que foram assassinados brutalmente, puderam celebrar a justia devido a uma ao conjunta realizada pelas Polcias Militar e Civil, atravs da 24 rea Integrada de Segurana Pblica (Aisp).

    Delmiro Gouveia 2O trabalho em equipe permitiu o esclarecimento do caso e a identificao dos acusados, gerando na comunidade confiana e respeito pelo trabalho da Aisp. Este trabalho foi ressaltado pelo vereador Edvaldo Nascimento (PCdoB), que tem buscado debater a segurana pblica no municpio, inclusive com a realizao de audincias pblicas, reunindo o conselho estadual de segurana, a sociedade civil, governos municipal e estadual e representantes da rea de segurana.

    Jovem talentoA informao do jornalista Breno Airan: Um jovem ator de Arapiraca viajou, neste final de semana, para o Rio de Janeiro tentar se especializar nas artes cnicas. Nossa cidade tem local para apresentaes, mas quero aprender as tcnicas para poder atuar nos vrios espaos que existem, diz Guilherme Oliveira, de 19 anos.

    FundadorEle, que membro-fundador da Companhia de Teatro Descartvel, pretende estudar teatro nO Tablado, escola da atriz, diretora e professora Maria Clara Machado, que j revelou talentos como Miguel Falabella, Mallu Mader, Cludia Abreu, Wolf Maia, Bia Nunes e Sara Berditchevski.

    Fato inditoSegundo o ator arapiraquense, ele pode ser o primeiro alagoano a pisar no palco dO Tablado, que tem mais de cinco dcadas de histria de formao, com cerca de 125 espetculos j feitos. Diante de algum revs, Guylherme Oliveira pensa ainda prestar vestibular para o curso de teatro pelo Ensino Nacional de Ensino Mdio (Enem) para tentar vagar na Universidade Federal do Estado do Rio de Janeiro (Unirio) e na Universidade Federal do Rio de Janeiro (UFRJ).

    O incioConforme o fundador de uma das companhias teatrais na cidade que j foi figurante da Paixo de Cristo, prncipe em peas na escola, um marido infiel numa das esquetes de Nelson Rodrigues, a Mulher do Terceiro Milnio, do espetculo Ccegas, e um esposo violento na tragicomdia Maria Sem Vergonha , a concorrncia na capital do Rio de Janeiro ser grande.Mas vou tentar me especializar em TV e comerciais, sobretudo, conta Guylherme Oliveira, que comeou a trabalhar mais seriamente aos 16 anos na pea A Hora da Morte, do autor e diretor Sandro Leite, interpretando um capetinha, assistente do Diabo.

    Leitura DramatizadaO jovem tambm fez o curso de Leitura Dramatizada, no Servio Social do Comrcio de Arapiraca (Sesc), realizado com a atriz gacha Sabrina Lermen, e outra oficina de trs meses de Estudo Cnico, com a atriz, dramaturga, diretora, pesquisadora e produtora alagoana Daniela Benny, a qual trabalhou com teatro em espaos alternativos, tendo como tema a cidade de Arapiraca e a impiedosa seca no Serto alagoano.

    ... Essa veia artstica vem de famlia. Jos das Neves, meu av, era mgico e palhao num circo itinerante, que levava alegria e cultura para os municpios vizinhos do nosso. Ento, quero honrar essa tradio e representar Arapiraca l fora, pontua o jovem.

    ... O pblico da cidade j o conhece de algumas dezenas de apresentaes do Maria Sem Vergonha. Guylherme Oliveira faz o personagem Amadeu, um marido que recorre violncia para humilhar sua companheira Maria dos Prazeres, interpretada pela atriz Vitria Rodrigues, posto que a abordagem, recheada de humor, atenta para uma questo muito sria na vida domstica e sobre a Lei Maria da Penha. A trama foi escrita por Douglas Leite, com co-autoria de Flvia Cardoso.

    ... H seis meses em cartaz, o espetculo acontece mensalmente no municpio atraindo centenas de pessoas para o teatro. A ltima investida do grupo da Companhia de Teatro Descartvel foi no dia 7 deste ms de julho.

    zadas em comemorao ao Dia do Cooperativismo celebrado no dia 4 de julho. Em seguida, ocorreu a formalizao de convnios entre a Secretaria de Estado do Trabalho, Emprego e Qualificao Profissio-nal (Seteq) e o Ministrio do Traba-lho e Emprego (MTE), por meio da Secretaria Nacional de Economia

    Solidria (Senaes).Um dos destaques da reunio

    foi a assinatura do Termo de Per-misso de Uso para a Cooperativa Educacional de Xing (Coopex). O acordo foi firmado entre o Es-tado de Alagoas, por intermdio da Secretaria de Estado do Pla-nejamento e do Desenvolvimento

    Econmico (Seplande), e a Coopex. O Estado solicitou Companhia Hidro Eltrica do So Francisco (Chesf), at ento proprietria da rea, a doao do terreno para in-crementar e ampliar as polticas pblicas na rea de educao, as-sumidas pelo Governo para com a populao.

  • MACEI - QUARTA-FEIRA, 17 DE JULHO DE 2013ESPORTES14 TRIBUNAINDEPENDENTE

    EsportesTito planeja sucesso da dupla Messi-Neymar: O outro sempre estar livreNo h receita para fazer gols quando se tem Lionel Messi e Neymar em campo. O raciocnio do tcnico Tito Vilanova encabea uma das maiores e promissoras duplas de ataque da atualidade no futebol mundial. Para o comandante do Barcelona, o sucesso estar garantido com o argentino e brasileiro lado a lado. Azar dos adversrios. Estou muito, muito feliz de ter o Neymar conosco. Se ele se entender com Messi? So dois grandes joga-dores. Um o melhor do mundo, e da histria, e agora incorporamos algum que ser um grande jogador. No ser um problema que se entendam dentro do campo. Como os rivais estaro de olho em um deles, o outro estar livre.

    ASA quer fazer histria contra o FlamengoMesmo em fase delicada, Alvinegro acredita que pode reverter a vantagem de dois gois do rubro-negro carioca hoje

    Primeira partida da final acontece no Estdio Defensores Del Chaco

    ASA e Flamengo jogaram em Arapiraca e o time carioca levou a melhor com o placar de 2x0 levando grande vantagem para o segundo jogo

    TERRA

    UOL

    Diego tardello e Ronaldinho Gacho esto confirmados no Galo

    GALO

    CRB leva bronca do presidente e toma vacina para jogar no Acre

    LIBERTADORES

    Olmpia recebe o embalado Atltico-MG Com viagem marcada

    para o norte do pas, o de-partamento de futebol do CRB realizou na manh de ontem um mutiro de vaci-nao contra a febre ama-rela. Todo o grupo, comis-so tcnica e dirigentes que possivelmente embarquem para Rio Branco no Acre fo-ram vacinados.

    Temos que pensar em todas as situaes adversas. J costume do nosso clube praticar essa ao quando temos jogos na regio norte, onde o foco destas doenas maior. Preveno a chave. Estamos tranquilos e vamos buscar a vitria em campo, explicou o supervisor Mar-cos Lima Verde.

    A febre amarela que temos hoje no Brasil a de transmisso silvestre, transmitidas pelos vetores silvestres. Prevenir esse mosquito impossvel por-que faz parte da natureza. A vacina gratuita e est disponvel nos postos de sade em qualquer poca do ano. Ela deve ser aplicada 8 dias antes da viagem para as reas de risco de trans-misso da doena, disse a enfermeira.

    Comprometimento e raa. Estes foram os pedidos do presidente Marcos Bar-bosa ao grupo do CRB na manh de ontem, quando aconteceu a reapresentao geral. O time vem de duas derrotas na Srie C e ter a oportunidade de se reabili-tar fora de casa, contra ad-versrio prximos da tabela (Treze e Rio Branco).

    Confio muito neste gru-po que tem uma base sli-da campe estadual. Essa reunio salutar pois serve para mostrar que estamos juntos nos mesmo objetivo e ningum pode baixar a cabea diante das adversi-dades. A comisso tcnica tem meu apoio e vamos tra-zer seis pontos de Campina Grande e do Acre, disse o presidente.

    Em campo o tcnico Mr-cio Goiano apenas observou um trabalho fsico executa-do pelo preparador Eduardo Ortiz. Os atletas que atuaral domingo fizeram academia com o preparador Ronald Braga. No perodo da tarde os atletas trabalharam com bola. Hoje est programado apenas treinamentos pela manh.

    Tenso, susto e drama. O Atltico passou por isso nos duelos contra Tijua-na, do Mxico, e Newells Old Boys, da Argentina, vlidos, respectivamente, pelas quartas de final e se-mifinal da Copa Libertado-res. Mesmo assim, o Galo superou todos os percal-os e foi deciso. Contra o Olimpia, nesta quarta--feira, a meta jogar com tranquilidade, conquistar um bom resultado no Es-tdio Defensores del Chaco e decidir o trofu no Mi-neiro, em Belo Horizonte. Quem d a receita para o sucesso o atacante Diego Tardelli, goleador do tor-neio ao lado de J e Scocco, com seis gols.

    Depois de tudo que a gente passou nessas lti-mas semanas, com muita tenso, emoo e sofrimen-to com a torcida, o mais im-portante foi a classificao para a final. Acredito que no vai parar por a, mas estamos mais preparados para sofrer menos, disse Tardelli, que ainda plane-jou primeiro passo do Atl-

    tico rumo ao ttulo indito da Libertadores.

    A gente vai tentar fa-zer o resultado e no tomar gols. Se fizermos gol, ser mais importante ainda. Na derrota para o Newells, o time aprendeu e tomou conscincia que difcil reverter o placar de 2 a 0, acrescentou o jogador.

    ver Hugo Almeida ain-da no confirmou o time do Olimpia para o jogo con-tra o Atltico-MG, nesta quarta-feira, pela final da Libertadores, mas no tem mais dvidas. O tcnico ter disposio o artilhei-ro Juan Manuel Salgueiro, quase totalmente recupe-rado de leso, no Estdio Defensores Del Chaco.

    Mdico do clube para-guaio, Juan Carlos Galea-no deu detalhes, durante entrevista Radio Monu-mental, sobre as condies fsicas do jogador. Fize-mos alguns exames. A le-so foi cicatrizada. Ainda tem um pouco de lquido (retido), mas ele no sente mais dores. Medicamente, est disponvel, disse.

    CLSSICOCorinthians e So Paulo decidem a Recopa

    PSGCavani o 5 jogador mais caro da histriaO que era questo de tempo se concretizou: Edinson Cavani jogador do Paris Saint-Germain. Aps duas horas de atraso, o clube francs anunciou a contratao do atacante, agora o quinto jogador mais caro da histria do futebol, atrs de Cristiano Ronaldo, Zidane, Ibrahimovic e Kak, e conse-quentemente o mais valioso da atual janela de transferncias e tambm do futebol francs. Uma longa negociao com o Napoli terminou com o pagamento de sua clusula rescisria - 63 milhes (R$ 182 milhes)

    NOVIDADESFlvio fica e Lino comea mudar esquema do CSAA direo do CSA trabalha para manter uma base. Ontem o goleiro Flvio acei-tou a reduo salarial. Outros jogadores ainda negociam com o presidente Cicero Eugenio. Ontem o tcnico Lino comeou a trabalhar. Se Beto Almeida utilizava o esquema 4-4-2 com dois volantes e dois meias, Lino comea a desenhar a equipe no 3-5-2 para o jogo contra o Juazeirense, neste domingo (21), s 16h, no interior da Bahia. No treino o sistema defensivo do CSA estava formado com: Flvio; Alves, Sinval e Clberson; Jamysson, Rbson e Paulinho. Por outro lado, Kel, Alys-son, Rony e Wilson formavam a parte ofensiva, com auxlio na marcao do jovem Pedrinho.

    A vitria por 2 a 0 sobre o ASA no jogo de ida, em Alagoas, abriu o caminho para a classificao do Flamengo para a prxi-ma fase da Copa do Brasil. Apesar disso, a tentativa de fazer o time no diminuir seu grau de concentrao nesta quarta-feira, na par-tida de volta, no Raulino de Oliveira, s 21h50m (de Braslia). Ningum quer pensar na possibilidade de uma eliminao precoce logo depois de o time ganhar moral com a vitria no cls-sico com o Vasco por 1 a 0.

    Um dos destaques do Fla, o atacante Paulinho disse que a melhor estratgia para o jogo desta quarta-feira ir para cima do ASA e atacar.

    - Conseguimos fazer um bom resultado l e sabemos da importncia desta classi-ficao. Acho que 2 a 0 um resultado perigoso, vamos ter que entrar muito con-centrados para que no haja surpresa. Temos que entrar com postura de time grande, indo para cima.

    O Rubro-Negro pode at

    perder por um gol de dife-rena que avana na Copa do Brasil.

    Para passar pelo time ca-rioca, o ASA precisa vencer por trs gols de diferena. Se devolver a derrota por 2 a 0 do primeiro jogo do mata--mata, em Arapiraca, a vaga vai ser decidida nos pnaltis. Os jogadores esperam que a partida desta quarta seja um divisor de guas.

    - Sabemos das dificulda-des de enfrentar um time grande como o Flamengo fora de casa, mas uma vi-tria nesse confronto vai dar moral ao elenco para o restante da temporada. Va-mos lutar muito em campo, disse Didira. O ASA deve formar com Gilson; Osmar, Edson Veneno, Tiago Gara e Chiquinho Baiano; Jorgi-nho, Rudiero, Reinaldo Sil-va e Didira; Thallyson e Lo Gamalho.

    OUTROS JOGOSPaysandu x Atltico-PRCricima x SalgueiroAtltico-GO x CruzeiroAmrica-MG x InterABC x Gois

    Corinthians e So Paulo se enfrentam hoje s 21h50, no Pa-caembu, pela deciso da Recopa Sul-Americana. Com a vitria por 2 a 1 no jogo de ida, o Timo tem a vantagem de jogar por um em-pate para ser campeo. Vitria do Tricolor por um gol de diferena leva a partida para os pnaltis e, por dois ou mais de diferena, ao ttulo. Em 300 jogos na histria entre os dois rivais, o Corinthians apresenta uma grande vantagem. Foram 115 vitrias do Timo, contra 91 do So Paulo, alm de 94 empates. O time alvinegro marcou 439 gols, contra 402 do time do Morumbi.

  • DIVERSO&ARTE 1 TRIBUNAINDEPENDENTE

    CONCERTO PARA UM PIANO POPDois discos recm-lanados iluminam obra de instrumentistas da virada do sculo XIX para o XX e coloca o piano como instrumento da vez

    Aps a polmica envolvendo o ttulo de seu ltimo single, Take back the night - mesmo nome de uma organizao que luta contra o estupro -, Justin Timberlake deu a sua verso num comunicado divulgado no site Radar. Quero aproveitar essa oportunidade para dizer que nem a minha msica, nem as letras tm qualquer relao com a organizao, afirma o cantor no texto. Nesta semana, a diretora-executiva da Take Back the Night, Katie Koestner, ameaou processar Timber-lake por usar sem autorizao a marca da instituio.

    A cantora norte-americana Lana Del Rey e os nacionais Clarice Falco, BNego e os Seletores e O Terno acabam de ser confirmados na lista das atraes da stima edio do Planeta Terra. O festival ser realizado no dia 9 de novembro, no Campo de Marte, em So Paulo. A empresa de mdia digital Terra e a Time for Fun, organizadoras do evento, tambm anunciaram nesta tera (16) o incio das vendas dos ingressos. No dia 22, 0h01, comea a pr-venda para clientes do carto Ourocard, do Banco do Brasil, que segue at as 23h59 do dia 24. No dia 26, novamente 0h01, comeam as vendas para pblico em geral.

    Festival Planeta Terra confirma atraes e incio da venda de ingressos

    Justin Timberlake se defende da polmica sobre ttulo de single

    MACEI - QUARTA-FEIRA, 17 DE JULHO DE 2013

    Houve um tempo em que o Rio era chama-do de Pianolndia, por conta da profu-so do instrumento e de ca-sas de partitura. So os ins-trumentistas dessa gerao, do fim do sculo XIX ao incio do XX, e seu modo prprio de tocar que so iluminados em dois lbuns recm- lanados: Joo Bittencourt apresenta Julio Reis e Os pianeiros, de Luiz Eduardo Domingues.

    Artistas como Ernesto Nazareth e Chiquinha Gon-zaga se aproximavam por compartilharem da condio de pianeiros, como eram chamados, s vezes de forma pejorativa, os instrumentistas que se dedicavam msica popular e que se apresenta-vam em festas e ambientes menos nobres do que as salas de concerto como Nazareth, que tocava em ci-nemas e lojas de partitura, ou Chiquinha, integrante de gru-pos que se exibiam em casas de ch. Mais do que isso, eles se unem por terem vivido um momento em que a msica popular brasileira estava se formando. E por terem partici-pado ativamente disso, como explica Domingues.

    O que une os pianistas dessa poca que se dedica-ram a compor peas de car-ter popular o fato de estrem todos participando da gnese do que veio a ser conheci-da como msica popular no sculo XX, explica o msi-co. Uma msica derivada dos gneros consagrados nos sales da Europa, como a polca, mas com a adio de uma sncope, um jeito de tocar brasileiro. Os pianeiros, assim, foram to influencia-dos pelos chores (msicos de choro, que tambm estava se formando na virada do s-culo) quanto os chores eram influenciados por eles.

    Bittencourt chama a aten-o para a maneira pela qual essa gerao de pianistas ex-plorava o ritmo: Existe uma forma de tocar que caracte-rstica, bem rtmica, no piano desse perodo. O suingue brasileiro estava nascendo ali.

    Os pianeiros, que teve como ponto de partida a cele-brao dos 150 anos de Naza-reth, rene obras do pianista, alm de Chiquinha Gonzaga, Joaquim Callado, Misael Do-mingues e J.J. Barata.

    Nazareth e Chiquinha so bastante famosos, re-presentativos. J Misael e,

    sobretudo, J.J. Barata so pouco conhecidos. E como cada um deles bem dife-rente do outro, isso foi bom para traar um painel e dar mais colorido ao lbum, avalia Domingues, que expli-ca como o flautista Callado entra no disco. Quis colocar no s obras de pianistas, mas peas que os pianistas tocavam. E que ajudaram a forjar o piano daquela po-ca.

    MSICO ESQUECIDOJulio Reis, que Bittencourt

    homenageia, tambm faz parte do grupo de desco-nhecidos. O curioso que,

    durante o perodo em que atuou, ele teve cerca de 200 partituras editadas ndice de popularidade importante para uma poca pr-indstria fonogrfica, na qual as m-sicas eram difundidas em execues ao vivo. Mesmo assim, h poucos registros disso lanado em 1977, o livro Panorama da msica popular brasileira na Belle poque, de Ary Vasconce-los, que cita 400 artistas de sua gerao, no menciona Julio Reis.

    O prprio Bittencourt nun-ca ouvira falar do pianista at bem recentemente.

    Fui chamado para tocar no lanamento do livro In-ventrio de Julio Reis, de Fernando Molica, uma fico baseada na vida do pianis-ta. No sabia quem era Julio Reis, mas recebi meia dzia de partituras e gostei muito do material, por suas me-lodias, seu cruzamento de erudito e popular.

    Quando foi procurar ouvir interpretaes daquelas m-sicas, Bittencourt descobriu que ningum as gravou. Foi o que o motivou a fazer seu disco:

    Conversando com o pesquisador Roberto Br-gel, soube que Julio criou muitas inimizades por sua atuao como crtico mu-sical, pois falava mal de muitos contemporneos. Talvez a pouca simpatia sua figura tenha ajudado a tornar seu nome esquecido.

  • DIVERSO&ARTE2 TRIBUNAINDEPENDENTE

    O ator paraibano Se-bastio Vasconce-los (foto), de 86 anos, morreu na noite da ltima segunda-feira no Hospital Israelita Albert Sabin. Ele estava internado desde o l-timo dia 30 com pneumonia e enfisema pulmonar.

    O ator teve uma infeco generalizada que levou parada cardiorrespiratria.

    Sebastio Vasconcelos

    destacou-se em muitos pa-peis. Os mais famosos foram o de pai de Tieta e pai das gmeas Ruth e Raquel em Mulheres de Areia. O ator tambm atuou em clssicos da TV como Saramandaia, Selva de Pedra e Vale Tudo.

    Seus ltimos trabalhos foram na Rede Record em Caminhos do Corao (2007) e Os Mutantes (2008).

    Melhor do mundoA GA Produes traz para Macei, no prximo sbado, o espetculo O Melhor Melhor Show do Mundo com o ator e comediante Eduardo Ster-blitch, Marcinho Eiras e Rodrigo de Arruda. O espetculo vai acontecer no palco do Teatro Gustavo Leite, com duas sesses: s 19 e s 21 horas. O Melhor Melhor Show do Mundo, como o nome do espetculo sugere, a estreia do Melhor do Melhor do Mundo no teatro. Como de praxe, o personagem criado por Eduardo Sterblitch para o programa Pnico quer agora provar que pode apresentar o melhor melhor show do mundo. E, para tanto, vai oferecer sua plateia uma srie de nmeros irreverentes e imprevisveis que vo dar o que falar.

    FLOR DO CARIBEA polcia chega ao porto, mas Arruda e os capangas conseguem fugir. Cassiano e os tenentes conseguem tirar Samuel do compar-timento. Isabel avisa a Ester e Lindaura que Samuel foi levado para o hospital. Arruda avisa a Hlio que Samuel morreu e exige o pagamento pelo servio. Dionsio d a vice-presidncia da empresa para Hlio e informa que a sala de Alberto passar a ser dele. Isabel pede a Manto-vani sua transferncia para outra cidade. Alberto fica surpreso ao ouvir Hlio avisar s secretrias que foi nomeado vice-presidente da empresa.

    SANGUE BOMAmora pede Maurcio em casamento. Fabinho no gosta de saber que Margot est hospedada na casa de Maurcio. Plnio consegue uma pista sobre Irene. Amora se preocupa com a sesso de fotos que Malu far com Bento. Brbara rouba a comida da casa de Odila e Nestor. Char-lene manda Wilson embora da Para Sempre. Socorro consola Amora. Vernica fica tensa ao saber que Maurcio vai trabalhar com rico. Fa-binho tenta enganar Margot. Malu mostra para a famlia suas fotos com Bento. Plnio conhece uma vizinha de Irene.

    AMOR VIDAGlauce conta o que fez para Flix e o vilo a ajuda a sair do hospital. Rebeca encontra o corpo de Elenice. Lutero flagra Csar e Aline se beijando. Flix joga o frasco com o material de Paloma em uma caamba. O investigador pede para falar com Csar ao final da percia. Patrcia foge da proposta de Michel. Ordlia pergunta a Bruno se ele abrir mo de Paulinha se o resultado do exame de DNA for positivo. O investigador avisa a Csar que Elenice pode ter sido assassinada. Pilar pede para conversar com Aline sobre Csar.

    DONA XEPAProla diz que Isabela se mudou e pede para conversar com Roslia. A senhora ignora Feliciano e pede que Alda dispense Xepa, mas a feirante decide servir a visita para se despedir da mulher do deputado. Xepa pede desculpas a Camila e garante que Roslia no lhe faria mal, enquanto a jovem recebe o dinheiro da venda do terreno e reclama por seu nome ainda con-star na escritura. A feirante conta para Dorivaldo que fez um acordo com Feliciano e surpreende o amigo. dison surpreende a feirante ao desco-brir uma soluo para a casa e provoca a irm.

    GLOBO 18h

    RESUMO DE NOVELAS

    GLOBO 19h GLOBO 21h RECORD 21h

    FALE CONOSCO - A Agenda um servio gratuito de orientao ao leitor. Os interessados em divulgar eventos, shows e exposies podem enviar material atravs do endereo: tiagenda@hotmail.com

    Jota Quest Ainda com novo Cd em fase de gravao e ps-produo a banda Jota Quest volta a Macei para novo show, na prxima sexta-feira, s 22h, na casa de shows Vox Room. A abartura fica por conta da banda alagoana $ifro. Ingressos: R$ 40,00 (pista/meia-en-trada), R$ 80,00 (front stage/meia-entrada). Pontos de vendas: Lojas HIT e WO. Mais Informaes: 3357.8007

    MACEI - QUARTA-FEIRA, 17 DE JULHO DE 2013

    LUTO

    Ator Sebastio Vasconcelos morre aos 86 anos

    Memria da florHoje, s 19h, o Teatro Deodoro recebe o show Memria da Flor, do cantor alagoano Junior Almeida. Os ingressos esto venda por R$ 10 e R$ 5 (meia-entrada) e podem ser adquiridos no stand Sue Chamusca (Macei Shopping), na rede Ao Pharmacutico e na bilheteira do prprio teatro. Mais informaes podem ser obtidas atravs dos telefones 3235-5301 e 9928-8675.

    Pinacoteca UniversitriaEm exposio conjunta, Simbioses Poss-veis, de Eva Cavalcante, e Fruio Circular, de Rosivaldo Reis, esto em cartaz na Pina-coteca Universitria. Com agendamento de visita em grupos e visitas guiadas em ingls, a mostra conjunta fica aberta ao pblico at o dia 26 de julho. As visitas podem ser feitas das 8h30 s 19h, s segundas, quartas e sextas; das 8h30 s 20h, s teras e quintas; e das 9h s 12h, em visitao especial no dia 6 de julho. A exposio ainda conta uma Conversa de Arte no dia 26 de julho, s 16h30. Mais informaes podem ser obtidas atravs do telefone 3214-1545.

    Salo de Fotografia At o dia 31 de julho, a Fundao Pierre Chalita apresenta o seu 2 Salo de Fotografia. Com curadoria de Carlos Gama Junior, a exposio conta com 184 fotos, de 66 fotgra-fos, e aborda a temtica Aspectos sociais, econmicos e culturais da realidade alagoana, considerando o passado, o presente e o futuro. As visitas podem ser realizadas de segunda-feira a sexta-feira, das 8h s 12h e das 14h s 18h, e no sbado, das 8h s 12h.

    EletrowhiteE est tudo pronto para mais uma edio da Eletrowhite, neste sbado, s 22h. A festa que faz parte do calendrio das festas eletrnicas do Nordeste. Em sua 5 edio, Eletrowhite apresenta pela pri-meira vez, o trio Life is a Loop, que ser a atrao principal da noite. O gacho Andr Sarate, um dos DJs mais respeitados do sul do Brasil. O paranaense Albuquerque, tambm est no lineup, com Sarate, Albuquer-que um DJ muito respeitado na cena brasileira e interna-cional. A noite promete e ser incrvel. O conceito da festa pede a utilizao da roupa branca durante o evento. Lo-cal: Casa de eventos Musique, Ingressos: Folia Brasil, Chilli Beans (Macei Shoppin) e Mammoth Store. Pista - R$ 50,00 - Mezanino R$ 60,00 e Front Stage R$ 80,00. Mais informaes: 3327-8700.

    Formas de amarA 9 edio do projeto Quinta no Arena, que prestigia produes alagoanas de artes cnicas e msica , traz amanh o espetculo musical Formas de Amar, com a cantora e compositora Kssia Barros. O show tem incio s 19h, com ingressos a R$ 5,00 e R$ 10,00, no palco do Teatro de Arena Srgio Cardoso, anexo ao Teatro Deodoro. Na apresentao, Kssia rene to-das as emoes para falar das diversas formas de amar, em um espetculo que vem do corao, mas exalta a razo como essncia de um amor inesquecvel.

    Duas atraesMano Walter e Xatrez s as atraes da casa de shows Maikai, que fica na jatca, neste sbado. Mano Walter conhecido por seu brega animado e xatrez por tocar o melhor do pop da msica brasileira. Mais informaes: (82) 3305.4400.

  • DIVERSO&ARTE 3 TRIBUNAINDEPENDENTE

    HORSCOPO

    O diretor Leonardo Nogueira orienta Henri Castelli, Thiago Martins e Dudu Azevedo em gravao de Flor do Caribe que ser exibida hoje. Eles resgatam Samuel (Juca de Oliveira)

    TV TUDO

    Bate-rebate

    Cest fini

    CONTINUAES

    A nova aventura do Superman pode ser o marco zero de um Universo Cinematogrfico DC. A temporada do vero de 2015 a poca provvel para a continuao de O Homem de Ao chegar aos cinemas, mas o estdio ain-da no fechou uma data. Na

    verdade, se h planos para expandir o mundo revelado no filme de Zack Snyder, ele continua um mistrio guardado pelos executivos da Warner. Enquanto isso, a Marvel j assegurou datas de seus filmes (ainda sequer apontados, o que deve acon-tecer este fim de semana na Comic-Con, em San Diego) at pelo menos 2017. Aos poucos, porm, o vu come-a a ser desvendado.

    Um dos projetos do diretor

    mexicano Guillermo Del Toro interfere diretamente no univer-so compartilhado de O Homem de Ao. Ao divulgar a aventura Crculo de Fogo, Del Toro disse que seu Dark Universe est em desenvolvimento e, certamen-te, divide o mesmo mundo do Superman. Dark Universe , na verdade, a Liga da Justia Dark,

    srie da DC que rene, de maneira orgnica e sensa-cional, seus personagens que lidam com magia e ocultismo. Rene sob a mesma tenda, entre outros, John Constan-tine (que foi interpretado por Keanu Reeves em 2005, mas aqui deve recuperar sua he-rana britnica, loiro e com a cara do Sting), o Monstro do Pntano, a ilusionista Za-tanna, o demnio Etrigan, o Homem-Animal e o Desafia-dor. Dark Universe, porm, continua sem data.

    Destino similar ao de Liga da Justia. A supere-quipe do universo DC, que rene seus maiores pesos-

    -pesados (Superman, Batman, Mulher-Maravilha, Flash, Lanter-na Verde, Aquaman, Caador de Marte, a lista longa), quase saiu do papel em 2007, mas foi vtima da crise mundial. O diretor George Miller (Mad Max) trabalhou com seu elenco por seis meses antes de o estdio desligar da tomada. Armie Hammer (em cartaz com O Cavaleiro Solitrio) seria o Bat-man; D.J. Cotrona, o Superman: um dia com certeza desenhos de produo e imagens dos uniformes surgiro nos meios online.

    RIES - (21/3 a 19/4) Aproveite tanta disposio para realizar tarefas que precisam ser concludas rapidamente. Com entusiasmo e alegria de sobra, vai contagiar as pessoas sua volta. Atividades em grupo podem ter melhores rendi-mentos.Melhor compatibilidade com: VirgemTOURO (20/4 a 20/5) Faa novos planos, estabelea novas me-tas e objetivos: pense mais em seu futuro. Poder encontrar dificuldade para manter a concentrao e o foco, pois mil ideias passam por sua mente. Socialmente, dedique, parte do seu tempo livre, ao seu lar e sua prpria evoluo pessoal. Pra-tique a autoanlise para entender, um pouco melhor, o que se passa sua volta e, de uma maneira muito especial, dentro de si prprio. Melhor compatibilidade com: LeoGMEOS (21/5 a 21/6) Procure somar foras com os outros. Voc saber contagiar as pessoas com seus planos. Alianas, acordos e parcerias em alta. Mas, para se pre-caver, certifique-se de que promes-sas sero cumpridas.Melhor compatibilidade com: Es-corpioCNCER (22/6 a 22/7) Com-partilhe sua alegria de viver com as pessoas. hora de animar seus contatos sociais e valorizar as amizades. Participe dos interesses alheios e ajude no que estiver ao seu alcance. Hoje, tudo fluir com mais facilidade.Melhor compatibilidade com: LibraLEO (23/7 a 22/8) Hoje, volte seu foco para o que ambiciona e d seu melhor na vida profis-sional. Oua gente experiente e de destaque, mas evite contar muito com o auxlio dos outros. Para se dar bem em tudo que fizer, aposte na espontaneidade.Melhor compatibilidade com: TouroVIRGEM (23/8 a 22/9) Explore a vitalidade fsica e mental que ter, tanto para agilizar seu trabalho, quanto para cuidar de outros inter-esses. As estrelas vo deixar seu jeito mais confiante, charmoso e espontneo.Melhor compatibilidade com: riesLIBRA (23/9 a 22/10) Focalize seus projetos profissionais e pense

    com carinho em seu futuro. hora de atrair oportunidades para sua vida e ir ao encontro do que lhe proporciona satisfao e bem-estar. Bom dia para planejar viagens com amigos ou parentes.Melhor compatibilidade com: CncerESCORPIO (23/10 a 21/11) Sade firme e forte! Ter vitalidade de sobra, mas modere seu lado ansioso diante das novas possibili-dades e oportunidades. Pode se dar bem com trabalhos que requeiram detalhamento, pesquisa, oramen-tos e capacidade empreendedora.Melhor compatibilidade com: Ge-meosSAGITRIO (22/11 a 21/12) D um toque alegria em tudo o que fizer. Voc ter muito vigor e disposio para realizar tarefas mais difceis ou que exijam fora fsica. Bom dia para se exercitar e investir na boa forma.Melhor compatibilidade com: AqurioCAPRICRNIO (22/12 a 19/1) Mostre a sua capacidade para obter resultados. Qualidade seu trunfo e com esse dom que voc vai se diferenciar hoje. Canalize sua disposio para o trabalho e defina objetivos claros em sua vida.Melhor compatibilidade com: PeixesAQURIO (20/1 a 18/2) Vitali-dade em alta ao longo do dia. Com grande disposio, voc vai render em atividades que exijam maior empenho e habilidade fsica. Con-tudo, no fique na dependncia de ningum. No perodo da noite, evite dar crdito para boatos. No amor, controle o cime.Melhor compatibilidade com: Sagi-trioPEIXES (19/2 a 20/3) -Hoje, voc vai contar com muita vitalidade e confiana. Momento indicado para acreditar em seu taco, mostrar o que sabe e se destacar em suas tarefas. Saber contagiar os outros com seu pique e poder de reali-zao. No amor, viver um perodo muito prspero, vai passar momen-tos felizes com o seu parceiro e nesta hora que deve falar sobre as alteraes que gostaria de fazer para melhorar a sua relao.Melhor compatibilidade com: Ca-pricrnio

    PALAVRAS CRUZADAS DIRETAS

    Soluo

    www.coquetel.com.br Revistas COQUETEL 2013

    edioespecial

    quadrinhos

    clssicos

    anos 40 e 50

    livro 2nas bancas

    e livrarias

    Um lindoquebra-cabeaGrtis!

    BANCO 88

    DTT

    EXPRESSAR

    SO

    L

    A

    CUA

    BAUNILHAB

    BATATROA

    AOLDGEL

    ESTEOCSH

    ATILAO

    B

    I

    TO

    E

    C

    EANEE

    DISTANTES

    MORDER

    P

    A

    C

    ELOLAGAR

    NANASAGA

    TIPUTAV

    SOR

    O

    C

    ASEIRO

    Falta deprodutosno mer-

    cado

    O (?) doproble-ma: a

    incgnita

    Endure-cimentoda pele

    por atrito

    (?) School,estilo cls-

    sico detatuagem

    OswaldoCruz,

    mdicobrasileiro

    Unidade demedida de tempera-tura (pl.)

    Ocorrn-cia atesta-

    da pelolegista

    Huno queinvadiu oImprioRomano

    Partemais

    gasta dosapato

    Legado deBilbo aFrodo(Cin.)

    Editores(abrev.)

    Funo datecla Del

    no PC(Inform.)

    (?)-Man, antigo jogode video-

    gameTanque u-tilizado na fabricaode vinhos

    Desinn-cia verbal

    do in-finitivo

    Troncolingusticoindgena

    Marcha pa-ra o (?),

    movimen-to de ex-panso

    territorialdos EUA(Hist.)

    Espcie depeneira

    Narrativanrdica

    Morcego,em ingls

    Ciudaddel (?),

    cidade doParaguai

    Corridaradical

    Aparelho digital que re-gistra a entrada e sa-da de fun-cionrios

    Instru-mento mu-sical muito utilizado

    no free jazz

    Prtica aindaexistente no Brasil,

    combatidapela OIT

    CosmticocapilarTcnicapictrica

    Retumba;estronda

    Litro(smbolo)

    Orqudeacentro-

    america-na cuja

    essncia apre-

    ciada emsorvetes

    Soluoaquosa deacar esal, que

    combate a desidra-

    tao

    Conexo;unio

    (?)Caymmi,cantora

    500, emromanos

    Revelar

    Longe

    Dardentadas

    G E L

    3/bat old pac. 4/anel. 8/baunilha.

    FLVIO RICCO - colaborao: Jos Carlos Nery - www.twitter.com/flavioricco

    MACEI - QUARTA-FEIRA, 17 DE JULHO DE 2013

    Globo vai otimizar o aproveitamento do seu elenco

    Na Globo, desde muito tempo, existem reclama-es sobre a falta de um tratamento igual para os seus atores. Enquanto alguns se queixam do muito trabalho, outros raramente tm os seus no-mes lembrados nas escalaes das novelas ou sries. Sempre existiu isso. O desejo de agora, j colocado de maneira muito clara pela direo da casa, aca-bar com tal distoro e, at pelo volume de produo existente, otimizar o aproveitamento de todos. Uma lista, de acordo com algumas fontes, est sendo feita para que, daqui em diante, exista e se coloque em pr-tica esta maior igualdade no momento das escalaes. claro que isto, como pior problema, ir esbarrar nas conhecidas preferncias de alguns autores e direto-res, acostumados a invariavelmente trabalhar com o mesmo grupo de artistas. Mas todos tero que se acostumar com esta nova postura. sempre mais pro-dutivo movimentar um nmero maior de pessoas, do que priorizar as mesmas e viciadas panelinhas. Casos, como o mais recente, da Danielle Winits, que precisou morrer em Malhao para ressuscitar dias depois em Amor vida, no devem mais se repetir.

    RAPHAEL DIAS/GLOBO

    Os rumores sobre cortes na Ban-deirantes, cada vez mais intensos, esto deixando muitos funcionrios apreensivos.Algumas demisses no esporte fo-ram anunciadas ainda na segunda--feira, ampliando as preocupaes de todo pessoal do setor. Vai faltar gente para a Copa do Mundo.Ento isso. Mas amanh tem mais. Tchau!

    O Jornal da Band, como se noticiou, foi bem no sbado. Mas isto tambm no aconteceu por simples obra do acaso...... Antes dele, o Datena, com o Brasil Urgente, tambm j estava em segun-do lugar, como o futebol do Sub-20...... Na TV, a relao do antes e depois, sempre deve ser consi-derada.Ainda falta um bom texto, mas o desejo do Fbio Assuno voltar a atuar no teatro, no ano que vem.A agncia Ten Celebrities, de So Paulo, agora quem cuida da carreira de Lvia Andrade.O blog do Gugu continua no site da Record. Algum, com toda certeza, esqueceu de tirar.Est um tiroteio bravo nos bastidores dos canais esportivos...... Sempre com algum querendo pas-sar por cima do outro. A coisa pega especialmente na diviso dos jogos....... Vale lembrar que a Copa do Brasil tem transmisso do SporTV, Fox e Espn Brasil.

    Nova conversa 1Na Record, agora j se fala em mais uma temporada do dolos Kids. E com a Disney participando dos trabalhos desde o incio da sua produo.A final gravada no palco do Ame-rican Idol deu um bom embalo em tudo isso.

    Nova conversa 2A qualidade do trabalho apresenta-do veio estreitar os laos entre as empresas envolvidas Record, Fre-mantle e Disney e se cogitar uma outra edio para o ano que vem.Tudo caminha para isso, inclusive com uma audio no Rio de Janei-ro, em ano de Copa do Mundo e s vsperas da Olimpada.

    Chamadade embarqueMilton Leite vai pelo SporTV para Barcelona, transmitir o Campeonato Mundial de Natao, competio marcada entre os dias 28 deste ms e 4 de agosto.Ter ao seu lado os comentaristas Mariana Brochado e Alexandre Pussieldi, com as reportagens de Fernando Saraiva novo corres-pondente da emissora na Europa, com base em Londres.

    Diviso na FoxUma quarta-feira diferente nos ca-nais Fox. No Fox Sports, direto do Paraguai, a primeira partida entre Olmpia e Atltico Mineiro, pela final da Libertadores.No FX, tambm s 22 horas, a final da Recopa, entre Corinthians e So Paulo.

    Segundo canalEst acertado, para o comeo do ano que vem, o lanamento do segundo canal do Fox Sports.Todas as providncias, inclusive a grade em construo, caminham para isso.

    Parceria acertadaA Academia de Filmes j iniciou a pr-produo da minissrie Os Milagres de Jesus, com gravaes no RecNov e externas em cidades mineiras. A Record, ainda sem fixar data, pretende exibir no primeiro trimestre do ano que vem.

    disposioO helicptero, ex-guia Dourada, que o Gugu pegou como parte da sua resciso na Record, estar disposio do mercado de TV, cinema e agncias publicitrias a partir da semana que vem. Tudo administrado pela empresa dele. S no voou antes, devido s transferncias de

    Foi de amargar o que aconteceu naTV Aparecida, durante a apresentao do programa Bem-Vindo Romeiro. Chamada a participar pelo padre Evaldo Csar, a moa do merchandising foi bem at certo ponto. No que esqueceu o texto, soltou um palavro, b..., no ar. O reverendo, com classe e sem passar recibo, tocou em fren-te, como se nada tivesse acontecido.(http://www.youtube.com/watch?v=tj3DibGKbjw&feature=youtu.be&hd=1)

    seguro, aeronutica etc

    Bom comeoAs crticas ao comeo de Chiquititas foram altamente positivas. E merecidas. a diferena que existe em qualquer trabalho, quando executado por um especialista na rea e quando no. Deu 14 de mdia no primeiro dia. O diretor Rey-naldo Boury deve ser reconhecido por isso, j em sua terceira novela seguida no SBT.

    Outra coisa...Vai demorar um pouco, talvez s l entre os captulos 30 e 40, mas Chiquititas tambm ir apresentar os seus clipes. J existem uns 12 em fase de produo.Foi uma frmula que deu certo em Carrossel e ir se repetir na nova novela.

    O Homem de Ao abre caminho para reunio de heris da DC

  • DIVERSO&ARTE4 TRIBUNAINDEPENDENTEMACEI - QUARTA-FEIRA, 17 DE JULHO DE 2013

    Jonatas Santos, executivo de su

    cesso em nossa cidade,

    um nome de muito valor, onde ve

    m realizando um trabalho

    brilhante frente da gerncia da

    Kia Motors.

    Parabns, amigo, voc merece!

    Sempre chic e de bem com a vida

    , Ana Dria, uma mulher

    de sucesso com a sua Dry Clean

    Ponta Verde embarca

    nesse fim de semana para Florip

    a, onde participa de belo

    evento que ir acontecer. Boa viag

    em, amiga!

    O fotgrafo Andr Fon est agen

    dado fotos pelos

    fones 9661-1708/9351-4592 atend

    endo a sociedade

    arapiraquense em seu novo stud

    io montado na Rua

    Jos Alves Porto, 77 Novo Horizo

    nte, Arapiraca.

    Sucesso, amigo!

    FOTOS BY CHICO BRANDO

    Todas as correspondncias, como convites para esta coluna, e para Elenilson Gomes, devero ser enviadas para Av. Sandoval Arroxelas, 840, Edf. Calliate Ap. 204 PV. CEP: 57035-230

    | RENDIMENTO 30 UNIDADESTempo de preparo 1hINGREDIENTES140 g de chocolate meio amargo;180 g de manteiga sem sal;4 ovos grandes;2 xcaras de acar;1/3 de xcara de creme de leite fresco;1 colher (ch) de essncia de baunilha;2/3 de xcara de farinha de trigo peneirada;1/3 de xcara de chocolate em p;1 pitada de sal;7 colheres (sopa) de cappuccino em p;280 g de castanha de caju torrada e picada.

    MODO DE FAZER1 Derreta o chocolate com a manteiga em banho-maria. Misture bem, retire do banho-maria e reserve.2 Bata os ovos na batedeira, acrescente aos poucos o acar, aumente a velocidade e bata por 10 minutos.3 Num copo, misture o creme de leite com a baunilha e acrescente ao creme de ovos.4 Bata tudo em velocidade baixa e acrescente o chocolate derretido.5 Junte, peneirando, a farinha, o chocolate em p, o sal e o cappuccino e bata at misturar tudo.

    6 Acrescente a castanha de caju e despeje a massa numa assadeira forrada com papel-manteiga e untada.7 Asse em forno preaquecido a 180 C por aproximadamente 25 minutos. O bolo deve ficar mido por dentro.8 Retire do forno, deixe descansar por 5 minutos e desenforme. Prazo de validade: at trs meses no freezer. Como descongelar: deixe a embalagem em temperatura ambiente por cerca de 30 minutos a 1 hora. Quando o brownie descongelar, corte em crculos, quadrados ou retngulos, conforme preferir, e sirva com uma bola de sorvete de creme.

    Brownie de cappuccino

    FOTOBY CHICO BRANDO

    bom sonhar, mas melhor sonhar e trabalhar. A f poderosa, mas a ao com

    f mais poderosa ainda

    Manuel Marques, Isabella Bezerra e Lda Morgana, so os gestores responsveis pelo Movimento Alagoas Competitiva, que ir premiar as melhores Micro e Pequenas Empresas de Alagoas,

    com o reconhecimento MPE Brasil.

    g

    Club Lyon

    A empresria Flvia Coutinho Marroquim nos comunicando a chegada das primeiras peas da coleo primavera-vero 2014 na sua Club Lyon. Ateno, amigos, vale a pena conferir a beleza da coleo da Richards, VR, Tommy e outras grifes internacionais. Os nossos amigos e amigas vo se encantar, alm de ser uma tima sugesto para o prximo dia dos pais. Parabns, Flvia Coutinho pelo bom gosto e requinte. A Club Lyon est localizada na Avenida Amlia Rosa.

    Bal

    Depois do sucesso da estreia, a Cia. Maria Emlia Clark volta a encenar no dia 19 de julho o espetculo Torta de Maa Vidas Secas, que contextualiza a vida e a obra do escritor alagoano Graciliano Ramos, nos 60 anos da sua morte. Com repertrio prprio h 12 anos, a companhia produz espetculos que celebram a memria do Estado. O espetculo ser encenado a partir das 20h, no Teatro Deodoro. Informaes pelos telefones 3336-8292/9120-4380/9312-7172.

    Bicolor

    As passarelas decretaram, a elegncia bicolor. A dica combinar a bolsa preto e branca, sensao da temporada. Bsico e neutro, o acessrio da temporada combina com tudo, inclusive looks estampados. Escolha a sua e arrase!

    Parabns, Sebastio Costa!

    No ltimo dia 16, o amigo desembargador Sebastio Costa Filho foi o aniversariante mais comemorado e festejado. Dono de uma

    grande legio de amigos, foi alvo de homenagens por parte de familiares e amigos. Aproveitamos a oportunidade para desejar muita paz, sade, sucesso sempre em sua vida, amigo!

    Girley Rocha

    A nossa queridssima Girley Rocha, um nome de sucesso quando falamos em moda, nos comunicando que a coleo primavera/vero 2013/2014 j est chegando na Bob Store, instalada no 2 piso do Macei Shopping. Ateno, mulherada, venha conferir urgente!

    F e fora, lvaro & Ceres

    Ainda abalada, a coluna no poderia deixar de se solidarizar com o agropecuarista lvaro Vasconcelos e sua mulher, nossa querida Ceres, pela terrvel perda do seu amado filho lvaro Vasconcelos Filho, num trgico acidente registrado na ltima segunda. Jovem, inteligente e apaixonado pela vida e pelo esporte, lvaro um desses seres iluminados que vm terra para tocar a vida das pessoas e passar uma mensagem de alegria e amor vida. Esperamos que essa fora possa irradiar para os seus pais e familiares e que eles consigam superar esse momento to difcil. Estamos com vocs, amigos!

    Natura Tododia

    Quem no quer sentir a pele protegida e hidratada durante o inverno? Sabemos que os rituais de cuidados com a pele devem ser dirios, principalmente no friozinho do inverno, j que o ar mais seco e as temperaturas mais baixas ressecam a pele, diminuindo sua oleosidade natural e aumentando a chance de ocorrerem alergias e irritaes. Com alguns cuidados bsicos e uma rotina de beleza como a que indicamos aqui, possvel deixar a pele mais bonita e saudvel, mesmo no frio. Um timo aliado nessa rdua misso o hidratante corporal Natura Tododia Inverno Cereja e Avel.

    Carlos Mro

    Advogado e escritor Carlos Mero vem desenvolvendo um trabalho brilhante

    frente da Academia Alagoa de Letras. Escrito de grande valor, suas obras vm atravessando fronteiras. J est no prelo, pela Editora Viva, o livro de contos Travessias, de sua autoria em parceria com Cristina Duarte-Simes. Ela professora de Literatura Brasileira na Frana. Depois de haver atuado nas Universidades de Aix-en-Provence, Avignon e Toulouse, passa agora a exercer o magistrio na Universidade de Montpellier. O lanamento do livro dever acontecer em agosto, aqui em Macei e em Montpellier. Parabns, amigo, voc sempre merecer o nosso carinho e os nossos aplausos.

    Idear com novadata

    Dia dos Pais na Mahogany

    Ainda no decidiu qual o presente vai dar ao seu pai? Ento a coluna tem uma dica super especial para voc, conferir as novidades da Mahogany, dos empresrios Lvia e David Pereira. A loja est com fragrncias especiais, para tornar o dia dos pais ainda mais especial para o homem da sua vida. A Mahogany est localizada no 2 piso do Macei Shopping.

    Doces Finos

    Cynthia Almeida comemorando o sucesso da sua Glac Doces e Sal-gados. A bela casa est localizada na Rua Capito Marinho Falco, 226, no Conjunto Santo Eduardo, bem pertinho da Deputado Jos Lajes. Encomendas pelos telefones 3032-2473/9992-6939. A doceria linda e a querida Cynthia Almeida aceita encomendas para o seu evento ou sua festa. Essa mais uma dica da TopNews.

    Cazuza

    Novidade das boas no cenrio musical: a gravadora hype Joia Moderna, do DJ Z Pedro, est preparando para agosto o lanamento de um lbum s com msicas de Cazuza. O projeto, intitulado Agenor nome de batismo do cantor -, ter a curadoria musical de Lorena Calabria, que selecionou os cantores que iro interpretar as msicas na maioria, gente da nova gerao carioca.

    Nadeje Feitosa bateu martelo: devido a problemas tcnicos e logsticos com a transportadora, o coquetel de lanamento da marca sua Laufen que seria realizado nessa tera-feira, dia 16 de julho, ser realizado agora no dia 6 de agosto, pois os produtos que compem o showroom no chegaram integralmente. No coquetel de apresentao da Laufen - que lder europia em louas para banheiros - a marca e seus produtos sero devidamente apresentados a todos nossos Clientes, Arquitetos, Engenheiros e Designers. Anotem na agenda!

    FOTO BY LUIZ EDUARDO VAZO