Ecumenismo a Luz Das Escrituras

  • Published on
    10-Nov-2015

  • View
    2

  • Download
    0

DESCRIPTION

Ecumenismo

Transcript

ECUMENISMO A LUZ DAS ESCRITURASIntroduoEcumenismo o processo de busca da unidade. No sentido mais lato, a crena que defende a unidade de todas as religies. Do ponto de vista do cristianismo, pode-se dizer que o ecumenismo um movimento entre diversas igrejas cristsna busca do dilogo e cooperao comum, buscando superar as divergncias histricas e culturais, a partir de uma reconciliao crist que aceite a diversidade entre as igrejas."O que nos uni maior do que o que nos separa". Este a base usado pelos adeptos do evangelho ecumnico. Em nome do "amor" alguns defensores do ecumenismo religioso, relativizam a palavra de Deus. Eles defendem que no existe uma verdade exclusiva, pois cada pessoa possui a sua verdade; e com base nisto, sustentam a unio entreevanglicos, catlicos, espritas, budistas, judastas, islamitas entre outros.Aqueles que defendem o ecumenismo pregam que a unidade necessria, e que toda religio e todo o caminho levam Deus.O que o ecumenismo?O ecumenismo gr. oikoumeniks, aberto para o mundo inteiro prega a tolerncia diversidade religiosa e a oposio a quem defende uma verdade exclusiva. Ele se baseia no princpio democrtico de que cada pessoa possui a sua verdade. Amesma palavra pode ter sentidos diferentes. O termo ecumenismo usado de maneiras diferentes em diversos contextos. Pode se referir aos movimentos que promovem ecumenismo cristo, fraternidade entre as religies chamadas crists. Algumas organizaes procuram relaes entre protestantes, outras entre catlicos e protestantes, etc. Um sentido mais abrangente, chamado, s vezes, de macro-ecumenismo, representa movimentos para paz, tolerncia e unio entre as diversas religies catlicos, protestantes, budistas, hindustas, judeus, muulmanos, etc.Estes movimentos envolvem vrios nveis ou aspectos. Manchetes falam de reunies entre lderes religiosos para promover a tolerncia e a compreenso. Vrias organizaes religiosas, s vezes, juntam foras para realizar obras sociais e culturais. Outras iniciativas buscam minimizar diferenas teolgicas e doutrinrias, dizendo que as diversas religies so boas e igualmente vlidas e que todas buscam os mesmos benefcios para os homens.O que o pluralismo?Opluralismo integralmente interligado ao ecumenismo. a idia de no existir verdade absoluta, assim aceitando verdades divergentes como igualmente vlidas. Cada um tem a sua prpria verdade.No ecumenismo cristo, pessoas de igrejas diferentes aplicam o pluralismo para decidir que algumas doutrinas so essenciais, enquanto outras so sujeitas interpretao, tradio e opinies prprias. Desta maneira, podem achar essencial acreditar na morte e ressurreio de Jesus, mas no importante aceitar o que ele diz sobre o batismo. Podem dizer que importante acreditar em Jesus, mas no precisa, necessariamente, acreditar nos milagres ou nos ensinamentos dele.No macro-ecumenismo, o pluralismo iguala tantas doutrinas diferentes que as nicas verdades universais so algumas noes muito generalizadas. Por exemplo, importante promover a paz, o amor e a felicidade dos seres humanos. Passando destas ideias bsicas, j entrariam em conflito. Em geral, quanto mais abrangente o ecumenismo, menor a verdade.O QUE DEUS ATRAVS DE SUAS ESCRITURAS DIZ?Quando ecumnicos procuram aprovao de Deus, sempre destacam o amor dele, que uma caracterstica importantssima da natureza divina (1 Joo 4:8). Mas, para tentar justificar a unio do sagrado com o profano, esquecem da santidade dele, um outro aspecto fundamental de seu carter (Apocalipse 4:8). O ecumenismo depende de uma teologia desequilibrada.No Antigo Testamento, Deus sempre exigia pureza, santificao e separao das outras religies. Antes de subir a Betel (casa de Deus), a famlia de Jac teve que lanar fora seus outros deuses (Gnesis 35, 2). Deus falou para Israel no ter nenhum outro Deus (xodo 20:1-3), e exigia uma intolerncia absoluta em relao aos outros (falsos) deuses (xodo 22, 20; 23, 24). Adorao de qualquer outro deus vista como desvio do Senhor (xodo 32, 8; Juzes 2, 12; 10:6). Josu insistiu na importncia de servir somente o Deus verdadeiro, rejeitando os falsos deuses dos outros povos (Josu 24, 14-15). Homens fiis recusavam servir outros deuses, mesmo quando foram ameaados de morte (Daniel 3:18).No Novo Testamento, Deus exige a mesma pureza e santificao. Servir falsos deuses voltar escravido (Glatas 4:8-9). Por isso, devemos nos guardar dos dolos (1 Joo 5:21; 1 Corntios 10:14), pois a idolatria um pecado que impede acesso ao reino de Deus e leva condenao eterna (1 Corntios 6:9-11; Apocalipse 21:7-8). Os ensinamentos da Nova Aliana no somente condenam a idolatria, mas toda e qualquer forma da impureza (2 Corntios 6:14 - 7:1). Qualquer um que nos incentiva a aceitar doutrinas que no vm de Jesus Cristo deve ser rejeitado (Glatas 1:6-11; 2 Joo 9).Como devemos agir?Podemos ser pessoas santas num mundo influenciado pelo pluralismo e o esprito ecumnico? Como viver para agradar a Deus neste ambiente de compromisso e desrespeito pela verdade nica que ele revelou? Consideremos alguns princpios bblicos que mostram o que devemos fazer:1. Procurar viver em paz com todas as pessoas, amando como Jesus amou (Romanos 12:18); 2. Seguir a doutrina revelada por Jesus e seus apstolos, como o fizeram os primeiros discpulos (Atos 2:42; Efsios 4:14-15); 3.Pregar a mensagem da salvao oferecida exclusivamente por meio de Jesus (Atos 4:12); 4. Conhecer e pregar o nico caminho salvao por meio de Jesus Cristo crucificado (1 Corntios 2:1-5; 2 Timteo 4:1-4); 5. Rejeitar aqueles que ensinam outras doutrinas (Romanos 16:17-18);6. Manter a nossa separao e santidade (1 Pedro 1:16; Hebreus 12:14).A importncia da escolha certaApesar das palavras suaves de lderes de diversas igrejas e religies, o servo de Deus precisa escolher entre o certo e o errado. Os verdadeiros lderes espirituais as pessoas escolhidas por Deus para guiar o seu povo no apiam o pluralismo e o ecumenismo.Moiss, o libertador dos israelitas, no foi ecumnico (Deuteronmio 30:15-20).Josu, o homem que guiou o povo na conquista da terra prometida, no foi ecumnico (Josu 24:14-15). O apstoloPedrono foi ecumnico (Atos 2, 36; 4:12). O apstoloPaulono foi ecumnico (Colossenses 2, 20 - 3:4).Jesus Cristo, o Filho de Deus, no ecumnico (Mateus 7, 13-14).AMOR AO PRXIMO28 Aproximou-se dele um dos escribas que os tinha ouvido disputar, e sabendo que lhes tinha respondido bem, perguntou-lhe: Qual o primeiro de todos os mandamentos? 29 E Jesus respondeu-lhe: O primeiro de todos os mandamentos : Ouve, Israel, o Senhor nosso Deus o nico Senhor. 30 Amars, pois, ao Senhor teu Deus de todo o teu corao, e de toda a tua alma, e de todo o teu entendimento, e de todas as tuas foras; este o primeiro mandamento. 31 E o segundo, semelhante a este, : Amars o teu prximo como a ti mesmo. No h outro mandamento maior do que estes. 32 E o escriba lhe disse: Muito bem, Mestre, e com verdade disseste que h um s Deus, e que no h outro alm dele; 33 E que am-lo de todo o corao, e de todo o entendimento, e de toda a alma, e de todas as foras, e amar o prximo como a si mesmo, mais do que todos os holocaustos e sacrifcios. 34 E Jesus, vendo que havia respondido sabiamente, disse-lhe: No ests longe do reino de Deus. E j ningum ousava perguntar-lhe mais nada. Marcos 12, 28-34Romanos 12, 18Se for possvel, quanto depender de vs, tende paz com todos os homens.

Agora se estivermos falando da tolerncia, do respeito e amor ao prximo religio em hiptese alguma pode servir para suscitar guerras e desrespeito contra o ser humano seja ele de qual religio for. Agora doutrinariamente seria me desculpe, ilgico, a princpios e doutrinas crists. A tolerncia e o respeito e o amor ao prximo tambm esta em podermos divergir sem entrar em guerras, o respeito a religio do outro no mudar de opinio para agrada-lo apenas ama-lo e respeita-lo, e a minha convico de f permanece. O grande problema hoje que existem imposies do outro lado tambm, onde existem apenas deveres para os outros e no se do direitos. E ai quando eu discordo de alguma coisa sou intolerante e fantico, porm o outro pode discordar que no intolerante e fantico, e uma questo bem clara a questo do homossexualismo, cristo no odeia o homem sexual mais a pratica do pecado. E se divergirmos, somos intolerantes, agora aqueles que defendem est tese podem nos ofender, falar que somos desprovidos de QI, por no concordaemos com eles, assim a questo do aborto e outras questes. Ama quem sabe falar sim, mas tambm sabe falar no! Hoje em dia, quem critica uma crena, doutrina ou escolha, considerada uma pessoa que no ama ou intolerante. Voc no ama seu filho quando chama sua ateno? Voc no ama seu amigo ao repreend-lo por ter feito alguma besteira? Eu no ama seu irmo em Cristo quando falo a verdade pra ele? O amor cego e inconsequente?O principal objetivo da hermenutica bblica o de descobrir a inteno original do autor bblico. No caso dos textos da Bblia, o leitor, ao menos racionalmente, no tem acesso direto ao autor original. Por isso necessrio aplicar princpios da hermenutica (a cincia da interpretao) ao texto bblico. NoCristianismo, esta interpretao estudada e obtida atravs daexegese. A hermenutica bblica abrange a relao dialtica que visa substancializar os significados dos textosbblicospara aproximar o mesmo da realidade fticas, na qual se vislumbra o esclarecimento por meio da Bblia.Dentro do principio hermenutico no se pode interpretar textos, versculos fora do seu contexto, forando o texto a falar uma coisa que no est falando.CONCLUINDOO AMOR AO PROXIMO, A TOLERANCIA E O RESPIETO AO SER HUMANO SEMPREOs cristo precisam viver uma vida orientada pelos ensinamentos e pelo exemplo de Jesus, opondo-se a orgulho, egocentrismo, violncia, injustia e desigualdade - se necessrio, com a afirmao construtiva e no-violenta. Isto cobe a intolerncia e a discriminao de costumes, crenas e prticas diferentes, pois o valor das pessoas que por eles se decidiram plenamente reconhecido.