DIVEMAG | Edio 17 | International Dive Magazine

  • Published on
    07-Mar-2016

  • View
    242

  • Download
    26

DESCRIPTION

Revista de mergulho mensal gratuita em formato PDF

Transcript

  • Turismo Fotografia Mergulho Tcnico Naufrgios Cavernas Equipamentos Meio Ambiente Novidades

    Bahamas: Tiger Beach

    diVemaginternational dive magazine

    www.divemag.org

    Feita por quem mergulha !!

    caVe diVe | ceNOTes: JaiL hOUse+Portflio:Ulisses Josei Turati

    edio 17 - 2013

    cobertura adventure sports Fair 2013 a maior feira de esportes de aventura da amrica Latina

    diVeediTOra

    paixo pelo mar

    mais um cenote maravilhoso registrado por nossa quipe em Tulum no mxico

  • We diVe !!

    divirta-se informe-se Vivencie experimente

    diVemaginternational dive magazine

    www.divemag.org

  • 20 shootout Brasil - curaao 25 maio - 01 de Junho de 2013

    Foto: Kadu Pinheiro

    WOrKshOPs:KadU PiNheirO - crisTiaN dimiTriUs - carOLiNa schraPPe - ULisses TUraTi

    Mais informaes: www.shootout.com.br

    VeNdas:COMPRE SUA VIAGEM COM UMA ESCOLA CREDENCIADA:

    Acquanauta: www.acquanauta.com.brDiving College: www.divingcollege.com.brMar a Mar: www.maramar.com.brScuba Point: www.scubapoint.com.br

    O Shootout Brasil colocou no ar um site especial para este evento, onde voce encontrar mais informaes sobre a gincana e suas regras, sobre os palestrantes, e em breve a programao completa do que vai rolar em Curaao !

    SHOTOOUT BRASIL em CURAAO

    Realizao:

    SHOOTOUT BRASILAZUL PROFUNDO

    diVemaginternational dive magazine

    realizao e apoio:

    shOOTOUTshOOTOUT.cOm.BrUnderwater shootout Brasil

    aZUL PrOFUNdOmergulhe nessa viagem !!!

    gOsTa de mergULhO e FOTOgraFia ?eNTO VOc NO POde Perder !

  • Participe, as melhores fotos sero publicadas na revista, fcil e grtis!

    TOP 05Crie uma conta no flickr.com, faa o upload de suas fotos preferidas, busque nosso grupo divemag.org e solicite participar, o grupo pblico e aberto, voc pode subir 5 fotos por dia, depois s torcer para sua foto ser selecionada, boa sorte !!!

  • foto: Kadu Pinheiro

    Venha mergulhar em Curaao. Escolha um destes hotis e experimente O melhor tratamento brasileiros em todo o Caribe !!!

    Operadora exclusiva de mergulho Ocean Encounters em todos os hotis

    Fotos: Kadu Pinheiro

  • Sweetlips on a shelfpor Luko Gecko

    diVemaginternational dive magazine

    _MG_2934por Piatel

    TOP 05 maiO de 2013

  • Scalefin anthia (13)por Paul Flandinette

    diVemaginternational dive magazine

    aBriL de 2013 TOP 05

    IMG_0018por Joaquin Gutierrez Fernandez

    Gobie nainpor Runion Underwater Photography

  • maiO de 2013

    diVemaginternational dive magazineTOP 05

    Oh for the love of dolphins...por bodiver

  • DiveMagabril2013.pdf 1 4/4/2013 9:22:58 AM

  • Calendrio-divemag-Maio-2013.pdf 1 5/20/2013 11:25:31 AM

    diVemaginternational dive magazineA DIVEMAG est disponvel para ser visua-lizada em qualquer tablet ou smartphone com capacidade de ler arquivos em PDF, iPad, Android e outros. simples e grtis: baixe a revista no seu device, entre no site da DIVEMAG selecione a edio e faa o donwload, assim que terminar, a revista ser exibida no seu navegador e voc po-der optar por grav-la em sua biblioteca de arquivos. Ex: iBooks ou similar depen-dendo da plataforma que voc utiliza.

    Agora s aproveitar a sua edio da re-vista, colecionar ou enviar para os amigos, e o melhor: sem custo e sem limites.

    Aproveite e baixe agora o seu exemplar:

    www.divemag.org

    INFO

    RME PU

    BLICIT

    RIO | D

    IVEM

    AG

    .org

    | Scub

    a Po

    int

  • diVemaginternational dive magazine

    CONTEDO

    SOCIAL

    EDITOR KADU PINHEIRO

    Feita por quem mergulha !!

    >> Nesta edio > editor > Tiger Beach 33 :: Cave diving >> Mexico - Jail House 49 :: Eventos >> Adventure Sports Fair 2013 60 :: Novidades >> Equipamentos 65 :: Medicina do mergulho 74 :: Especial Shark Finning >> Parte VI 78 :: Sea Shepherd 82 :: Fotgrafo Convidado: Ulisses Turati 95 :: Certificadoras e mercado

    33.CENOTES

  • PRESIDENTE: Flvio Laraflavio@divemag.org

    REDAO

    DIRETOR DE PRODUTO E EDITOR: Kadu Pinheiro kadu@divemag.org

    JORNALISTA RESPONSVEL:Kadu Pinheiro

    Colaboraram nesta Edio: Ulisses Turati, Raquel Rossa, Gabriel Ganme, Kadu Pinheiro, Dan Brasil, Reinaldo Alberti.

    REVISO FINAL: Reinaldo AlbertiTRADUO ESPANHOL: Hector MaonTRADUO INGLS: Jos Truda Palazzo

    PUBLICIDADEGERENTE: ReinaldoAlberti publicidade@divemag.org

    ATENDIMENTO AO LEITOR SAC :: sac@divemag.org

    DIVEMAG uma publicao on-line mensal e gratuita da Editora Dive Ltda.

    Junho de 2013. Ar ti gos as si na dos no re pre sen tam ne ces sa ri a men te a opi ni o da re vis ta.

    diVemaginternational dive magazine

    Conselho Editorial

    O conselho editorial foi formado com o intuito de manter a revista alinhada com as melhores publicaes de mergulho mundiais. Os membros do nosso conselho so referncias junto ao mercado de mergulho, figuras publicamente conhecidas que representam nossa atividade perante a mdia e o trade.

    Foto capa: Gabriel Ganme

    cristian dimitrius

    Lawrence Wahba

    carolina schrappe

    reinaldo alberti

    rodrigo Figueiredo

    EXPEDIENTE

    Junho 2013

    ed.17

    sac@divemag.org

    ATENDIMENTO

    gabriel ganme

  • LAND-BASED FREEDOMLAND-BASED FREEDOM LIVEABOARD VALUELIVEABOARD VALUE

    Oferta vlida de 11 de agosto a 02 de novembro.Idade mnima de 14 anos para o Hotel Breezes.Mergulhos includos durante o dia todo, com almoo.Restries podem ser aplicadas. Oferta sujeita a alteraes e disponibilidade.

    BREEZES ALL INCLUSIVE RESORT & STUART COVE'S!

    BREEZES ALL INCLUSIVE RESORT & STUART COVE'S!

    4 dias / 3 noites2 dias de mergulho

    U$ 699 por pessoa / quarto duploPacote especial all day diving

  • No de hoje que o territrio das Bahamas conhecido por suas guas cristalinas e pela diversida-de marinha. Todos os anos, milha-res de mergulhadores partem ao arquiplago caribenho em busca das suas riquezas subaquticas, sol e guas tropicais. Para os apai-xonados por tubares, como eu, no h melhor destino.

    Tiger Beach SHARK EXPEDITIONS, GRAND BAHAMA | Texto: Raquel Rossa | Fotos: Gabriel Ganme

    14diVemaginternational dive magazine

  • Bahamas uma verdadeira sharktown! H cerca de 40 espcies dos gran-des predadores, desde os caribenhos de recife na capital, Nassau, na ilha de New Providence, aos grandes martelos em Bimini, galha branca oceni-cos e silky em Cat Island, tigres e limes em Grand Bahama, e por a vai. Uma coisa eu garanto, no h lugar igual neste planeta azul para mergu-lhar com tubares. Foi em busca dos tigres e dos galhas que parti para a minha primeira Shark Expedition liderada por Gabriel Ganme

    15

    DESTINO | Bahamas - Tiger Beach | Texto Raquel Rossa, fotos: Gabriel GanmediVemaginternational dive magazine

  • graNd Bahama e Os TUBares TigreA maneira mais rpida e fcil de se chegar s Bahamas via Miami. De l, partem voos diretos ou conexes para as mais diversas ilhas do arquiplago. Na primeira etapa da viagem, samos de Miami em direo a Freeport, em Grand Bahama. O objetivo? Mergulhar com os personal sharks, nas palavras de Mr. Ganme opi-nio da qual compartilho em gnero e nmero , os tubares tigre, Galeocerdo cuvier. No aeroporto, Kale, o motorista responsvel pelo traslado at Old Bahama Bay, esperava pelo nosso grupo.

    16

    diVemaginternational dive magazine

    DESTINO | Bahamas - Tiger Beach | Texto Raquel Rossa, fotos: Gabriel Ganme

  • 17

    Desde setembro de 2011, Stuart Coves, a maior operadora de mergulho das Bahamas, com sede em Nassau, deu incio a operaes com os tubares tigre na ilha de Grand Bahama e com os galha branca ocenicos em Cat Island. A ideia proporcionar encontros fabulosos com os tubares, acrescidos do conforto de resorts beira mar. Grand Bahama teve o seu perodo turstico ureo h alguns anos. Aps ter sido devastada por dois furaces consecutivos na dcada passada, o turismo foi prejudicado, mas hoje est em franco crescimento devido ao mergulho com tubares.

    diVemaginternational dive magazine

    DESTINO | Bahamas - Tiger Beach | Texto Raquel Rossa, fotos: Gabriel Ganme

  • De Freeport at West End, onde est localizado o Old Bahama Bay Resort & Yatch Harbour, so cerca de 40 minutos. No ponto mais a oeste de Grand Bahama, West End o local onde o vento literalmente faz a curva, algo como um velho oeste com mar.

    18

    diVemaginternational dive magazine

    DESTINO | Bahamas - Tiger Beach | Texto Raquel Rossa, fotos: Gabriel Ganme

  • ESTA A NOSSA REPUTAO,

    FAA DELA A SUA

    Procure pelo Dive Center NAUI mais prximo

    ou acesse o site www.naui.com.br

    Escolha a NAUI.

    W O R L D W I D E

    19

    O lugar um osis em meio destruio ainda visvel na ilha. Old Bahama Bay tem 73 quartos de frente para o mar azul turqueza, todos construdos em casas estilo colonial britnico (herana da coloniza-o inglesa) e bahamiano. Algumas delas so propriedade de astros de Hoolywood, como o ator John Travolta.

    Os quartos so espaosos, equipados com uma mini-cozinha, wi-fi e varanda com vista para o mar. O complexo grande, todo arboriza-do, com piscina, academia, agendamento de massagens e bicicletas gratuitas, que ficam disposio dos hspedes.

    diVemaginternational dive magazine

    DESTIN

    O | Ba

    ham

    as - Tig

    er Be

    ac

    h | Texto

    Raq

    uel Ro

    ssa, fo

    tos: G

    ab

    riel G

    anm

    e

    Foto: Raquel Rossa

  • 2120

    A marina recebe iates luxuosos vindos principalmente de Palm Beach, na Flrida, distante apenas 55 milhas nuticas do local. Para os amantes dos tubares, no h lugar me-lhor: uma shark free marina. Nenhum tubaro pode ser pescado ou desembarcado em guas bahamianas.

    DESTINO | Bahamas - Tiger Beach | Texto Raquel Rossa, fotos: Gabriel Ganme

    diVemaginternational dive magazine

  • 21

    OPeraODurante o ano todo acontecem os mergulhos com os tigres em West End. Dependendo do n-mero de mergulhadores, Stuart Cove opera com uma lancha rpida ou com um barco vindo de Nassau. Nesta viagem, foram 3 dias de mergulho com os tubares tigre. O barco deixa a marina de Old Bahama por volta das 8h30, aps o caf da manh. O retorno, no meio da tarde. O al-moo do tipo lunch-box, com sanduches preparados pela cozinha do hotel. Distante pouco mais de 18 milhas nuticas da marina, aproximadamente 1h30 de navegao, Tiger Beach um banco de areia de profundidades rasas. Dependendo da mar, de 6 a 8 metros. Em abril, a temperatura da gua est na casa dos 25C, pois o inverno caribenho.

    DESTINO | Bahamas - Tiger Beach | Texto Raquel Rossa, fotos: Gabriel Ganme

    diVemaginternational dive magazine

  • DESTINO | Bahamas - Tiger Beach | Texto Raquel Rossa, fotos: Gabriel Ganme

    20

    diVemaginternational dive magazine

  • mergULhaNdODesde 2012, a operao lide-rada por um instrutor brasileiro, Beto Barbosa, a quem chamo de shark man (vide box). Ele real-mente tem o dom com os tuba-res. Foi com ele que fiz o meu treinamento de alimentao de tubares em Nassau, alm de todos os meus mergulhos com os tigres em Tiger Beach. Junto com Beto, tambm tivemos a com-panhia do italiano Andrea Vitali e do prprio Stuart.

    23Gabriel em ao nosso verdadeiro pioneiro no mergulho com tubares | Fotos: Raquel Rossa

    DESTINO | Bahamas - Tiger Beach | Texto Raquel Rossa, fotos: Gabriel Ganme

    diVemaginternational dive magazine

  • 24

    No grupo liderado por Gabriel Ganme, apenas aficcionados por tubares. Bilogos, ad-vogados, pessoas do mercado financeiro. Alm de mim e do Gabriel, Axel, um eterno apaixonado pelos tubas, Mauro, Ana Flvia e Luiz, carinhosamente apelidado de minei-ro. Apesar dos avisos, alguns mergulhadores ainda insistem em usar nadadeiras amare-las. Embora os tubares no utilizem a viso como sentido principal na predao, a cor amarela chama a ateno dos tigres, que muitas vezes a confundem com alimento. Tivemos momentos ilrios com um mergulhador trajando nadadeiras desta cor.

    diVemaginternational dive magazineFoto: Raquel Rossa, Gabriel Ganme registrando momento de alimentao de um Tigre

    DESTINO | Bahamas - Tiger Beach | Texto Raquel Rossa, fotos: Gabriel Ganme

  • 25

    Os tubares so atrados ao ermo local atravs do engodo. Estamos no meio do oceano, e Tiger Beach no uma praia, como a traduo literal sugere. Carcaas de peixe so ento jogadas ao mar para atrair os grandes astros do dia.

    Os tubares limo (Negaprion breviros-tris) so sempre os primeiros a chegar. E chegam em dezenas. No tarda muito, porm, para os tigres aparecerem. Dife-rente dos limes, os tubares tigre movi-mentam-se lentamente, so precavidos e extremamente inquisitivos.

    diVemaginternational dive magazine

    DESTINO | Bahamas - Tiger Beach | Texto Raquel Rossa, fotos: Gabriel Ganme

  • L em Tiger, h apenas fmeas, a maio-ria grvidas e todas com personalidade e comportamento nicos. Lady Hook, as-sim batizada por mim para o meu projeto de fotoidentificao, a mais assanha-da do grupo.

    Curiosa, quer saber o que estamos fazen-do l embaixo e parece querer exclusi-vidade na caixa de engodo. Giulietta, tambm nominada por mim, uma fmea com uma falha na peitoral esquerda, nos fez companhia em todos os mergulhos.

    26DESTINO | Bahamas - Tiger Beach | Texto Raquel Rossa, fotos: Gabriel Ganme

    diVemaginternational dive magazine

  • 27

    Alm delas, Charlotte, uma fmea gigantes-ca e gravidssima, uma juvenil muito delicada que tinha o focinho em gomos que lembrava em muito um tubaro martelo, e outra big mama com a dorsal cada e enrolada. Cada imerso, de uma hora e meia a duas horas, pois, como disse o capitain Ganme, o que loucura para alguns, o paraso para ou-tros. Para ns, o paraso aqui!

    Prxima Shark Expeditions? Bahamas sharkto-wn: grande martelos (Sphyrna mokarran) e tigres. Bimini e Grand Bahama, fevereiro de 2014.

    Parte II na prxima edio: CAT ISLAND E OS GALHA BRANCA OCENICOS

    DESTINO | Bahamas - Tiger Beach | Texto Raquel Rossa, fotos: Gabriel Ganme

    Foto: Raquel Rossa Foto: Raquel Rossa Foto: Raquel Rossa

    diVemaginternational dive magazine

  • 28

    serViO:Visto americano exigido para a conexo via Miami.

    Vacina internacional contra a febre amarela.

    Temperatura da gua: de 2325C, no inverno, a 28-29C, no vero.

    www.sharkexpeditions.com.brwww.stuartcove.comwww.oldbahamabay.comwww.hawks-nest.com

    DESTINO | Bahamas - Tiger Beach | Texto Raquel Rossa, fotos: Gabriel Ganme

    Foto: Raquel Rossa

    diVemaginternational dive magazine

  • 30

    DESTINO | Bahamas - Tiger Beach | Texto Raquel Rossa, fotos: Gabriel Ganme diVemaginternational dive magazine

    29

    Raquel Rossa nossa shark lady em ao

  • DESTINO | Bahamas - Tiger Beach | Texto Raquel Rossa, fotos: Gabriel Ganme The sharK maN By Gabriel Ganme Depois de ter viajado quase o mundo todo em busca de tubares, tive momentos incrveis, e vrios insucessos. Muitas vezes, os momentos in-crveis ocorreram devido a natureza, apesar da m qualidade da ope-rao. Outras vezes, a operao era excelente, mas a natureza no colaborava.

    Escolhendo as melhores datas, com melhores probabilidades de en-contros e as melhores operadoras, podemos ter uma boa mar-

    gem de segurana, mas precisamos lembrar que no estamos num parque temtico. O tubaro X pode esquecer de com-

    parecer num dado dia, pois a carcaa de uma baleia mor-ta, ou os atuns que esto sendo pescados por perto so seguramente mais atraentes.

    J me impressionei com diversos divemasters positiva e ne-gativamente, mas Beto M. Barbosa merece uma meno

    especial. Natural de Pernambuco, Beto est, j faz alguns anos, trabalhando como shark diver para as operaes es-

    peciais da operadora de Stuart Cove, e o faz com uma destre-za incrvel, mantendo a segurana da operao e entretendo os

    mergulhadores. A calma e ateno com que Beto mantm os tuba-res tigre alimentados e interessados impressionante, e o mesmo fica colado no galo de engdo, como se fosse o maitre da cozinha. Auxi-liado por sua namorada Charlotte, uma inglsa que fugiu do frio, e tam-bm adora os tubares, e pelo capito Alvin, extremamente atento a todos os aspectos, posso dizer que tivemos 6 dias de mergulhos incrveis.

    E, acredite se quiser, o Beto conseguiu parar, com imobilidade tnica, dois tubares galha-branca ocenicos, pesadssimos. Para quem no sabe, a imobilidade tnica parece ser um reflexo de defesa de um ani-mal dominado. No caso dos tubares, costuma funcionar quando os mesmos so virados de barriga para cima, mas Stuart Cove, o prprio, criou um mtodo para os silky sharks, menores, ao dobrar a ponta do lbulo superior da nadadeira caudal.

    A shark diver fantica Raquel Rossa j havia usado o termo Shark Man para descrever o Beto, mas depois de ver a cara que ele fica cada vez que est no seu segundo habitat, com os tubares-tigre e outros amigos me fez ter a certeza que um profissional que adora o que est fazendo.

    isto a, grande Beto M. Barbosa, The Shark Man30 diVemaginternational dive magazine

  • ACQUAMAR: acquamar.com.br | BAHIA SCUBA: bahiascuba.com.br | BELLSUB: bellsub.com.br | DIVING COLLEGE: divingcollege.com.br | KEEP DIVING: keepdiving.com.br |

    LITORAL SUB: litoralsub.com.br | MAR A MAR: maramar.com.br | MARSUB: marsubsantos.com.br | OCEAN: ocean.com.br |

    POSEIDON MERGULHO: poseidonmergulho.com.br | SCAFO (So Paulo): scafo.com.br/sp/ | SCUBALAB: scubalab.com.br |

  • www.aqualung.com

    ROUPAS BALIAQUA LUNG

    ROUPAS BALIAQUA LUNG

    Roupa super confortvel, com 3 mm de espessura, possui gola de lycra

    em formato V e selo glideskinnos punhos de neoprene

    para facilitar no momento de vestir.

    Tambm possui zper nas costase costuras planas invertidas

    com agulhas duplas.Com isso a borracha torna-seimpenetrvel e evita rasgos.

    GARANTA J A SUA!IN

    FORM

    E PUBLIC

    ITRIO

    | DIV

    EMA

    G.o

    rg | A

    qua

    Lung

  • ceNOTe JaiL hOUsecaVe diViNg | mxico, Quintana roo | Por Kadu Pinheiro

    ceNOTe JaiL hOUse - sisTema OX BeL ha Seguindo com nossa srie de artigos so-bre mergulhos nos cenotes mexicanos, vamos falar um pouco de uma das ca-vernas mais eclticas em que mergulha-mos, Jail House, com caractersticas ni-cas, uma caverna muito tcnica, com diversas opes de jumps e circuitos.

    33DIVEMAGTechnical Dive

  • O CENOTE JAIL HOUSE agora faz parte do enorme sistema de cavernas de OX BEL HA. O caminho para se chegar a entrada desse cenote fica a dois quilmetros ao sul da cidade de Tulum, na provncia de Quintana Roo, no Mxico, no lado sudeste da Rodovia 307.

    DESTINO | CAVE DIVING | CENOTE JAIL HOUSE | Texto e fotos: Kadu Pinheiro

    34

    DIVEMAGTechnical Dive

  • 35

    Como em vrias cavernas da regio, est localizada em uma proprieda-de particular e voc deve obter uma chave para a porteira do terreno com o proprietrio em Tulum, alm de pa-gar uma taxa de entrada que atual-mente de 150 pesos por pessoa (algo como 15 dlares). A estrada para o Cenote fica na mesma entrada de Mayan Blue (ou Cenote Escondido).

    DESTINO | CAVE DIVING | CENOTE JAIL HOUSE | Texto e fotos: Kadu Pinheiro

    DIVEMAGTechnical Dive

  • Conduzindo o veculo na estrada passan-do Mayan Blue, voc vai dirigir por pelo menos mais um quilmetro e na primeira interseco,se manter a esquerda na estra-da principal. Na prxima bifurcao pegar a esquerda e vai chegar na porteira de Jail House onde vai usar a chave, abra o porto, atravesse e feche novamente.

    36

    DESTINO | CAVE DIVING | CENOTE JAIL HOUSE | Texto e fotos: Kadu Pinheiro

    DIVEMAGTechnical Dive

  • 37

    Siga adiante e passe uma casa do lado esquerdo. Siga a estrada at o fim, onde h um amplo estacionamento com um bom nmero de mesas para se equipar. Um zelador pode aparecer e pedir para ver a sua chave.

    DESTINO | CAVE DIVING | CENOTE JAIL HOUSE | Texto e fotos: Kadu Pinheiro

    DIVEMAGTechnical Dive

  • 38

    Para entrar na gua h um caminho com um conjunto de degraus de pe-dras que segue at a beira do peque-no lago. prudente ficar perto da bor-da e tentar no turvar muito a gua, pois o laguinho tem um fundo lodoso e quando movido deixa a visibilidade quase zero, dificultando o acesso ao interior do cenote.

    DESTINO | CAVE DIVING | CENOTE JAIL HOUSE | Texto e fotos: Kadu Pinheiro

    DIVEMAGTechnical Dive

  • O Cabo guia est amarrado a um tron-co a esquerda e em guas abertas, facilitando o acesso. Ele desce e de-pois amarrado em uma pedra, onde dobra em um angulo de 90 graus di-reita. O fundo cheio de musgo e de-tritos orgnicos e a entrada estreita. A dica manter suas nadadeiras bem para cima e evitar complicar a vida de quem vem logo atrs. 39

    DESTINO | CAVE DIVING | CENOTE JAIL HOUSE | Texto e fotos: Kadu Pinheiro

    DIVEMAGTechnical Dive

  • 40

    Logo na entrada podemos ver um T que nos d a opo de seguir ao lado esquerdo ou direito, sendo o lado esquerdo o mais visitado.

    DESTINO | CAVE DIVING | CENOTE JAIL HOUSE | Texto e fotos: Kadu Pinheiro

    DIVEMAGTechnical Dive

  • A caverna tem duas partes bem distintas, uma parte de gua doce, e muito, muito escura, uma caverna realmente sinistra, com formaes que lembram grades escorridas (o que remete ao nome Jail House). Seguindo a navegao pelo cabo principal a esquerda, depois de al-gum tempo a outra parte da caverna que est abaixo da haloclina (onde a gua doce se mis-tura com a gua salgada), a gua torna-se azul e suas paredes muito brancas.

    41

    DESTIN

    O | C

    AV

    E DIV

    ING

    | CEN

    OTE JA

    IL HO

    USE |

    Texto

    e fo

    tos: Ka

    du

    Pinh

    eiro

    DIVEMAGTechnical Dive

  • 42

    DESTIN

    O | C

    AV

    E DIV

    ING

    | CEN

    OTE JA

    IL HO

    USE |

    Texto

    e fo

    tos: Ka

    du

    Pinh

    eiro

    DIVEMAGTechnical Dive

  • 43

    DESTINO | CAVE DIVING | CENOTE JAIL HOUSE | Texto e fotos: Kadu Pinheiro

    DIVEMAGTechnical Dive

    Momento em que achamos os ossos da preguia gigante, o fundo de areia fina e muito delicado uma natao perfeita imprescindvel para no levantar uma nuvem de sedimentos.

  • 44

    DESTINO | CAVE DIVING | CENOTE JAIL HOUSE | Texto e fotos: Kadu Pinheiro

    DIVEMAGTechnical Dive

    J os condutos e sales se tornam mais amplos e seguindo adiante, mais ou menos quando voc estiver perto de entrar no seu tero, podemos ver logo a esquerda e abaixo fossis pr-histricos de uma preguia gigante, um dos objetivos do mergulho foi chegar nessa ossada e fazer o registro.

  • 45

    Para um segundo ou terceiro mergulho temos a opo de ainda pelo conduto principal fazer um jump a direita, logo no inicio do cabo guia. Esse jump corta caminho at o ponto onde se encontram as ossadas, mas um conduto mais tcnico e apertado do que o do cabo principal, com formaes mais bem preservadas e um pouco mais de sedimento, por no ser um con-duto muito visitado. Mas uma tima opo para chegar ao local dos ossos com uma boa reserva de ar e seguir adiante no cabo principal explorando mais um pouco da caverna.

    diVemaginternational dive magazine

    DESTIN

    O | C

    AV

    E DIV

    ING

    | CEN

    OTE JA

    IL HO

    USE |

    Texto

    e fo

    tos: Ka

    du

    Pinh

    eiro

    DIVEMAGTechnical Dive

  • A parada descompressiva, caso neces-sria, pode ser feita na sada da caverna, no cabo guia, em meio ao sedimento, mas cuidado com os grupos que esto entrando, fique a sua direita e deixe a es-querda para os eventuais mergulhadores que estiverem entrando na caverna.

    46

    DESTIN

    O | C

    AV

    E DIV

    ING

    | CEN

    OTE JA

    IL HO

    USE |

    Texto

    e fo

    tos: Ka

    du

    Pinh

    eiro

    DIVEMAGTechnical Dive

  • 47

    Leve repelente pois insetos so uma constante por aqui! Agradecimen-to especial aos modelos e assisten-tes de fotografia:

    Joo Manasss, Rodrigo Garcia e Joo Paulo Pavani Franco e toda a equipe do Diving College.

    OPeraO LOcaL:Xibalba | Dive Center e pousada:www.xibalbadivecenter.com

    DESTINO | CAVE DIVING | CENOTE JAIL HOUSE | Texto e fotos: Kadu Pinheiro

    DIVEMAGTechnical Dive

  • cOBerTUra cOmPLeTa

    2013

    49

    diVemaginternational dive magazine

  • adVeNTUre sPOrT Fair 2013A maior feira de esportes e turismo de aven-tura do Hemisfrio Sul e da Amrica Latina aconteceu em So Paulo, na Bienal do Ibi-rapuera no incio deste ms, entre 01 e 05 de maio.

    Foram 5 dias de muita ao e aventura, isso mesmo, pois uma das principais caracters-ticas desta feira so as experincias indoor que os visitantes podem participar, entre di-ferentes tipos de escaladas, tiroleza, arvoris-mo entre as colunas da Bienal, snack line, caminhes, trailers, jeeps e outros 4 x 4, snow-board e skate... ufa !

    50

    EVENTO | Adventure Sports Fair 2013 | Texto Reinaldo Alberti e fotos: Kadu Pinheiro

    diVemaginternational dive magazine

  • E na gua: caiaque e stand up numa ampla pisci-na e o tradicional TANQUE DE MERGULHO. E como se mergulhou ! Foi um recorde absoluto no pas. Em 5 dias de feira foram mais de 700 batismos ! 700 ainda no mergulhadores que sentiram o gostinho de respirar embaixo dgua... ou no, j que os recordistas brasileiro e sul americana, Ar-chimedes Garrido e Carolina Schrappe, tambm ministraram uma clnica de mergulho em apnia. E teve at casamento no tanque, e tudo isso, para promover para o GIGANTESCO PBLICO partici-pante, em torno de 70 mil visitantes (mais um re-corde), nossa atividade.

    Faziam ao menos 6 anos que o mergulho no par-ticipava de forma to forte na Adventure, apesar de sempre presente de forma modesta. Este ano, no setor chamado gua, tivemos um espao de destaque, no primeiro pavimento da Bienal, j na entrada do evento.

    51

    EVENTO | Adventure Sports Fair 2013 | Texto Reinaldo Alberti e fotos: Kadu PinheirodiVemaginternational dive magazine

    A noiva Raquel

    Archimedes Garrido e Carol Schrappe

  • Neste espao participaram dois dos destinos mais procurados pelos mergulhadores brasileiros, Bonaire e Curaao. O Bureau de Turismo de Bonaire trouxe seus representantes e 4 hotis bem conhecidos dos mergulhadores: Hotel Captain Dons Habitat Hotel Divi Flamin-go, Bonhata Hotel and Tourism Association, Hotel Buddy Dive Re-sort, Hotel Eden Beach Resort, Corporacin de Turismo de Bonaire e Ocean Eyes. Produziram materiais em portugus informando aos mergulhadores que visitaram a feira o que a ilha tem a oferecer, e aos no mergulhadores tambm, j que Bonaire vem se esforan-do e se destacando no turismo de aventura, com trekkings, bikes, wind e kitesurf. J Curaao trouxe os dois principais operadores de mergulho da ilha, a Go West Dive, que fica entre as mais boni-tas praias do Caribe, e foi responsvel por reproduzir o casamento subaqutica que j havia acontecido na ilha e simbolicamente se repetiu no tanque de mergulho, pelos noivos Raquel e Leandro (evento simples, mas que mostrou o mergulho em pelo menos 4 canais de TV aberta a Globo, SBT, Record e Gazeta). Para com-pletar o mergulho mostrado por Curaao, o hotel Lions Dive & Re-sort e a Operadora Ocean Encounter, uma das maiores do Caribe, mostraram a facilidade de se mergulhar nessa belssima ilha.

    Sem dvida o tanque de mergulho foi um dos mais concorridos es-paos da Feira, reunindo quem queria experimentar o mergulho, e claro, acumulando muita gente, entre pais babes e quem pas-sava por ali pra ver o que estava acontecendo dentro da gua.

    A Certificadora de Mergulho NAUI (National Association of Un-derwater Instructors) foi a responsvel pela administrao do tan-que, e absolutamente ningum que esteve afim de fazer o batis-mo deixou de ser atendido, o que fazia com que muitas vezes o horrio se extendesse para depois do fechamento da feira. Em uma excelente parceria com a fabricante de roupas Pino, que ce-deu os trajes de mergulho para os batizados, fizeram j no primei-ro dia feriado em que o paulistano invadiu o Parque Ibirapuera 220 batismos, e em torno de mais 500 nos demais dias da feira. E a NAUI ainda montou um bonito stand institucional, mostrando porque a assinatura da agncia o Mergulho Seguro Atravs da Educao. Parabns a NAUI, que tem sua sede em Jundia, e mandou muito bem em toda a logstica, que envolveu dezenas de cilindros e instrutores que se revezaram para atender com simpatia e competncia quem queria descobrir o mergulho na prtica du-rante o evento. 52

    EVENTO | Adventure Sports Fair 2013 | Texto Reinaldo Alberti e fotos: Kadu Pinheiro

    diVemaginternational dive magazine

    Jornada com Giuseppe Nicoleti, e esposa da Pino

    Yasmin Peres de Bonaire em entrevista Reinaldo, Carol e Jorge da Ocean Encounter

    Equipe da West Curaao com Carol e Reinaldo

  • Outra credenciadora que marcou presena na Feira foi a IANTD (International Association of Nitrox and Technical Divers), com um stand para demonstrar os seus cursos, principalmen-te os de mergulho tcnico e de rebreathers. Trouxe atraes internacionais feira, entre eles o seu Diretor Internacional de Treinamen-to, o mergulhador da Marinha Americana, Joe Diture, que com muita simpatia atendeu aos brasileiros, nossa revista em uma entrevis-ta exclusiva (que traremos na ntegra na pr-xima edio), e ministrou o primeiro curso no Brasil de Recompresso na gua, um assunto espinhoso que foi distrinchado por ele du-rante todas as manhs do evento para 6 mer-gulhadores e instrutores IANTD no Brasil.

    So apenas 9 pessoas formadas neste treina-mento no planeta, e agora, a maioria tupini-quins. Ele tambm ministrou uma concorrida palestra nos sbado a tarde, dia 4, sobre o assunto. A IANTD inovou e realizou o seu En-contro de Instrutores no sbado e domingo (dias 4 e 5), dentro da Adventure Sports Fair, com palestras sobre tcnicas de ensino, tcni-cas fotogrficas, equipamentos como o side mount e as incrveis histrias do mergulhador Robbie Schmitter, de como ele e uma equipe de experientes mergulhadores em cavernas cabearam centenas de quilmetros, desco-brindo e mapeando dezenas de sistemas na Pennsula de Yucatn no Mxico.

    Alguns dos palestrantes IANTD: Kadu Pinheiro, nosso editor que lanou o programa de foto-grafia subaqutica da certificadora, alm dos Instructors Trainers (formadores de Instrutores) Joo Paulo Pavani Franco, Roberto Trindade e Andr Gusson, alm do Mdico e Instrutor IANTD e DAN Eduardo Vinhaes.

    53

    EVENTO | Adventure Sports Fair 2013 | Texto Reinaldo Alberti e fotos: Kadu Pinheiro

    diVemaginternational dive magazine

    Dituri com Luizo da IANTD

    Robbie em sua palestra sobre explorao de cavernas

    Kadu Pinheiro apresentando o curso de foto sub da IANTD

    Andr Gusson IANTDJoo Paulo Pavani Franco apresentando Advenced side mount IANTD

  • A defesa do meio ambiente e animais ma-rinhos tambm esteve presente, com uma funo nobre de mostrar para aventureiros que no conhecem to bem o mar, no mer-gulhadores, a importncia da preservao e quantas ameaas este ambiente vem so-frendo. Os responsveis foram os guerreiros da Sea Shepherd, com equipe liderada pelo ativista Luiz Albuquerque, que nos contou entusiasmado que a Adventure Fair foi uma importncia conquista, j que o nmero de visitantes foi incrvel, fator que ajudou muito na coleta de assinatura para importantes pe-ties de proteo de nossos oceanos.

    Alm disso, Carolina Schrappe, nossa colu-nista de mergulho livre, foi convidada e acei-tou prontamente ser Embaixadora da Sea Shepherd no pas. Agora, em todos os Dive Centers que ministra seus treinamentos levar tambm a bandeira dos Guardies dos Ma-res, sensibilizando mais gente para a causa. Tambm a convite da ONG e da Divemag, outro Embaixador, o artista plstico Erick Wil-son, passou dois dias pintando um belssimo painel em nosso stand. Muitas da obras ven-didas pelo Erick tem seu valor revertido para causas ambientais que envolvem a defesa de nossos oceanos.

    Por falar em arte, uma figurinha carimbada nestes eventos participou tambm desta edi-o. O Jaime e sua equipe comandaram o stande da Magia das Jias, com peas diver-sas em prata representando diferentes ativi-dades de aventura, com vrios lanamentos. A maior coleo como sempre, foi a da Ma-gia do Mar, com brincos, pingentes e anis com temas marinhos.

    54

    EVENTO | Adventure Sports Fair 2013 | Texto Reinaldo Alberti e fotos: Kadu Pinheiro

    diVemaginternational dive magazine

    Embaixadores da Sea Shepherd Carol e Kadu com Luiz Albuquerque

  • A empresa Atlantis, talvez a maior empresa de operao de mergulho do pas, capita-neada pelo Patrick Muller marcou sua pre-sena com um stande divulgando seus rotei-ros de mergulho em Fernando de Noronha, em Recife (com a presena do Edisio Rocha da Aquticos) e sua rota de live aboard entre Paraty e Angra dos Reis, que atende mergu-lhadores de todo o pas e tambm faz rotei-ros de fotografia de natureza com grandes nomes brasileiros da captao de imagens. Alm disso, o caminho da Atlantis, adquiri-do, adaptado e reformado para diferentes roteiros de aventura no interior do Brasil, fez sucesso e foi uma das atraes mais clica-das durante os 5 dias de feira.

    Finalizando as participaes do mergulho na ASF, os dois maiores Operadores de Turismo especializado em viagens subaquticas es-tiveram tambm com seus standes. Amilton Diniz e Karin Siegrest e sua equipe comanda-ram o stande da Adventure Travel, que alm de sua ampla grade de destinos, mostrou um pouco ao pblico o trabalho que faz com pet travel (sim, viagens para voc levar seus bichanos de estimao) e contou com o atendimento tambm do Andr Valentim, representante do Stuart Coves, o maior e mais bem estruturado operador de mergulho nas Bahamas, em diferentes ilhas do arqui-plago e com diferentes tipos de mergulhos com tubares no local. E a Azul Profundo, comandada pelo Flavio Lara e sua equipe, atendeu durante os 5 dias de feira diversos donos de Dive Centers e agncias especia-lizadas, alm de informar a muitos curiosos, mergulhadores ou no, sobre viagens ao Tahiti, colaborador no stand da operadora, e demais destinos de seu portfolio.

    55

    EVENTO | Adventure Sports Fair 2013 | Texto Reinaldo Alberti e fotos: Kadu Pinheiro

    diVemaginternational dive magazine

    Andr Valentim e Cristian DimitriusAndr Valentim e Edisio e Pablo

    Amilton (adventure), Patrick (Atlantis Noronha) e KARIN

  • Tivemos importantes visitas da indstria brasileira do mergulho. Lalo e Daniel da Scuba Point foram conferir o pri-meiro dia do evento. Paula Loque da Mar A Mar e da Aqualung Brasil, com o Walter Nunez, gerente comercial da marca tambm estiveram em nosso stand. Isso se repetiu com o Pablo Va-rela da Sea Sub e Fernando Martins da PADI. Giuseppe Nicoleti, filho do lend-rio Seu Pino e administrador da mar-ca em Santa Catarina tambm esteve presente na feira para conferir e dar apoio ao trabalho no tanque de mer-gulho. Tambm estiveram presentes o Santosha de Castro e Bernardo Cruz, gerentes comercial e de marketing da Fun Dive. Will da Scafo de So Paulo.

    E outros stands em outros setores da feira tambm mostraram um pouqui-nho mais de mergulho, como nos es-paos de Pernambuco, do Rio Grande do Norte, e a Argentina, que mostrou as belezas de sua capital de mergulho, Puerto Madrn na Pennsula de Valdez e alguns points diferentes, mais tradi-cionais por suas vincolas e estaes de ski, como Mendoza, mas que tam-bm tem mergulho (e em uma futura matria descreveremos como para nossos leitores).

    Ainda o destaque para o pblico re-corde na palestra de Cristian Dimitrius que falou sobre seu trabalho como do-cumentarista de natuerza.

    56

    EVENTO | Adventure Sports Fair 2013 | Texto Reinaldo Alberti e fotos: Kadu Pinheiro

    diVemaginternational dive magazine

    Time da Scuba Point e Sea Shepherd no stand da Divemag

    Tuca, Paulinha e Water Bahia scuba e Aqua lung marcando presena

    Palestra: Cristian Dimitrius

    Lica Notomi com equipe da Fun Dive Reinaldo e Marcio Lisa

    Carol e Nando da PADI

    Kadu com Giuseppe Nicoleti, e esposa da Pino

    Reriton, Kadu e Vitinho !!

    Robbie Schmittner

    Curaao !!!

    Stand DIVEMAG sempre cheio de amigos

    Pablo e Valentim (Sea Sub) e Flvio (Azul)

  • 57

    EVENTO | Adventure Sports Fair 2013 | Texto Reinaldo Alberti e fotos: Kadu Pinheiro

    diVemaginternational dive magazine

    NAUI E IANTD exemplo de Unio

    Turismo da Argentina com produots exclusivos de mergulho

    Futuro apresentador da rede Globo

    Clube do mergulhador e Adventure Travel prestigiando o stande da NAUI

  • E foi assim que o mergulho voltou para a Adventure Sport Fair. Espera-mos que nas prximas edies mais players do mercado nacional e inter-nacional de mergulho participem deste importante e tradicional evento, que tem o maior pblico de turistas do pas, do qual a grande maioria no conhece bem nossa atividade. Est a uma oportunidade, que so-mado com outros eventos destinados a mergulhadores, fortaleam nos-sa atividade, mostrando novidades para mergulhadores e nosso fan-tstico mundo pra quem ainda no o conhece bem.

    58

    EVENTO | Adventure Sports Fair 2013 | Texto Reinaldo Alberti e fotos: Kadu Pinheiro

    diVemaginternational dive magazine

    Os noivos !!

    Lanamentos do Xtrax

  • INFORME PUBLICITRIO | DIVEMAG.org | Atlantis DiversFOTOGRAFIA | EQUIPAMENTOS | Redao

    60

    diVemaginternational dive magazine

    A Sony anunciou nesta segunda-feira o lana-mento do Xperia ZR, a novssima gerao da fa-mlia Xperia. A grande novidade a capacida-de de gravar vdeos em HD e tirar fotos debaixo da gua. A fabricante diz que o celular pode permanecer submerso por at 30 minutos a uma profundidade de 1,5 metros sem ser danificado.

    O aparelho conta com processador quad-core Snapdragon S4 Pro de 1,5 GHz, 2 GB de RAM e cmera de 13 megapixels e compatvel com redes 4G (LTE). O Xperia traz tela resistente a ar-ranhes de 4,6 polegadas com resoluo de 1280720 pixels.

    O sistema operacional o Android 4.0.

    sONy LaNa smarTPhONe QUe graVa e Tira FOTOs deBaiXO d gUa

    Alm disso, possui os aplicativos Walk-man, lbum, Filmes e o OptiContrast Bravia para reduzir o brilho, mesmo sob luz solar intensa.

    O aparelho s deve chegar ao merca-do na metade do ano, e ainda no h previso de preo.

  • 32

    A maior Barreira de Corais do Caribe, praias paradisacas e um resort extico.Centro PADI 5 Estrelas, centro de fotografia, cmara hiperbrica prpria.Mergulhos com golfinhos, tubares,tartarugas, naufrgios e milhares depeixes. Passeios a cavalo, caiaque,passeios pela selva, canopy ousimplesmente relaxar embaixo daspalmeiras. No AKR, as aventurassurgem naturalmente. Roatan Bay Islands

    Honduras

    info@anthonyskey.com | anthonyskey.com/divemag | 954.929.0090

    Suas sonhadas frias viram realidadeem um lugar maravilhoso.

    UM LANAMENTO BEM CURIOSO

    O barco semisub com uma cabine subaqutica que lhe permite explorar o fundo do mar sem se molhar, a empresa sul Coreana EGO lanou um semi submarino: O EGO-SE 450, ou Pinguim tem dois cascos flutuantes de cada lado de uma cabine central que fica abaixo da borda da gua.

    A cabine debaixo dgua faz com que seja possvel explorar o fundo do mar sem se molhar por causa de trs grandes janelas na parte frontal e lateral do casco.

    O veculo chamado um semi-submarino porque ape-nas uma parte da embarcao fica sob a gua, dife-rentes dos Submarinos ficam totalmente submersos.O pinguim composta por dois cascos flutuantes em cada lado e uma cabine central.

    A cabine central fica abaixo da linha da gua.Para chegar at a cabine voc desce um pequeno lance de escadas.

    A cabine tem dois lugares, uma tela de LCD e todos os controles da embarcao

    H grandes janelas na frente, e em ambos os lados da cabine central, de modo que voc possa ver o que est acontecendo debaixo dgua,

    Voc pode pilotar a embarcao usando um joystick

    H tambm um controle remoto que lhe permite pilo-tar o pinguim quando voc est no deck superior.

    O Penguin utiliza um sistema de propulso alimentado por propulsores eltricos em ambos os lados do casco.

    O semi sUBmariNO egO-se 450LANAMENTOS | NUTICA | Redao

    62diVemaginternational dive magazine

  • Uma cmara de alta-resoluo na frente da cabine fica ligado ao ecr de LCD no interior do posto de comando.

    Isto significa que quando voc est pilotando o barco de dentro da cabine, voc ainda pode ver o que est acontecendo na su-perfcie auxiliando a navegaco e orientao externa.

    Na parte inferior da cabine conta com um sistema de sonar que pode verificar a profundidade da gua.

    O sistema ir enviar um alarme se estiver navegando muito no raso.

    De acordo com as suas especificaes, o pinguim tem autonomia mnima de cinco horas e um mximo de oito quando viajando a at quatro ns de velocidade.

    Os preos ainda no foram anunciados.

    O barco est sendo apresentado no Korea International Boat Show de 30 maio at 2 junho de 2013.

    Uma edio de luxo, ou LE, ser lanado em breve, embora os de-talhes deste modelo ainda no sejam conhecidos.

    MAIS INFORMAES:

    http://www.egosubmarine.com/01ego_se_overview.htm

    LANAMENTOS | NUTICA | Redao

    63 diVemaginternational dive magazine

  • Caro, est chegando a hora da nossa coluna da Divemag, e vamos falar sobre alcool e mergulho, e alcool e qualidade de vida e riscos.

    Sergio Viegas: Acho um bom tpico para se discutir. Existem mitos e conceitos equivo-cados bastante enraizados no nosso mercado. Concordam?

    Gabriel Ganme: Bom Sergio Viegas pelo visto ningum quer comear. Vamos l, caros mergulhadores, sabiam que o alcool pode demorar at 36 horas para ser totalmente eliminado da circulao??

    Maximiliano Longo: Concordam que se tomar uma (s uma!) taa de vinho ou lata de cerveja, acompanhado de refeio um dia antes do mergulho no tem problema e faz at bem a sade. De acordo ou.... ?

    Marcos Roberto Giorchino: Muito bom tema, lembro quando operei mergulho na Laje de Santos, mergulhadores chegavam direto da balada e iam mergulhar. No passa-vam do 1 mergulho!

    Gabriel Ganme: Maximiliano Longo concordo que pode no fazer mal, mas no con-cordo que faa bem. No h clara evidncia cientfica que uma taa de vinho seja melhor que outros alimentos que contenham os mesmos componentes, exceto o al-cool.

    mediciNa dO mergULhO e dO eXercciO O QUe se FOFOca POr a??assunto do ms: lcool e mergulho no combinam!!

    MEDICINA DO MERGULHO | POR GABRIEL GANME

    65

    diVemaginternational dive magazine

    Gabriel Ganme: Marcos Roberto Giorchino infelizmente no s passam mal, como correm srios riscos, desde mau julgamento de uma situao, vomitar, e at um risco maior de DD.

    Silvana Gabriela Lavieri: O lcool tambm um depressor do sistema nervoso central, de modo que voc vai estar menos sensvel a possveis dores de uma pancada na escada ou at mesmo menos sensvel aos sintomas da doena descompressiva como dores nas articulaes, nuseas, fadiga, dor de cabea e confuso. Alm da desidratao, fadiga e falta de julgamento

    Sergio Viegas: Uma questo bvia mas frequentemente esquecida que no existe preveno retroativa. Depois que um problema ocorreu, podemos ape-nas evitar que ele se repita. Segundo:http://www.scuba-doc.com/alch.htm

    O consumo de alcool est rela-cionado a aproximadamente 50% dos acidentes com pesso-as adultas.

    A coleta de dados aps um acidente sempre difcil.

    Muitas vezes, os relatos omitem informaes que possam cau-sar constrangimentos ou que possam causar dano moral aos envolvidos.

  • MEDICINA DO MERGULHO | POR GABRIEL GANMEdiVemaginternational dive magazine

    66

    Paula Eichler: Estou lendo agora uns artigos que esto relacionando uma dose diria (ou a cada 2 dias) com reduo no risco de ter doena coronria. Mas a quan-todade bem limtrofe pois o consumo de 3 ou mais doses dirias est associado a hipertrigliceridemia, cardiomiopatia, hipertenso e derrame. The American Hearth Association sugere que homens no bebam mais que 2 e mulheres 1 drink por dia. (Saremi e Arora, 2008) (artigo de reviso)

    Paula Eichler: Hahaha acabei de ler um sobre o Paradoxo Frances que diz que apesar de haver grande evidncia dos benefcios do consumo moderado de vinho ainda nao h sugesto clnica para quem no bebe comear a beber... (Lippi e cols2010). Agora preciso ler os artigos do meu trabalho, apesar destes estarem muito divertidos.

    Paula Eichler: Ta bom, mais um: Alcohol and UK recreational divers: consumption and attitudes. St Leger et al. 2012. S as concluses a partir de um questionrio aplica-do. Alguns mergulhadores participam de atividades de mergulho mesmo quando esto acima do limite para dirigir. Demonstram falta de conhecimento para o efeito de DESIDRATAO, consideram que a atitude de beber e mergulhar menos responsvel quando em uma viagem de mergulho e alguns mergulhadores mudaram para atitude mais responsvel em relao ao consumo de alcool aps presenciarem incidentes de mergulho que estavam relacionados ao alcool.

    Andre Luiz Woitech Hecksher: Um tema interessante, pois socialmente aceito a bebida, mas quando falamos de bebida e mergulho: Aumenta a diurese, levando a desidratao ( talvez um dos maiores riscos para DD ) hipotermia, diminuio dos reflexos e capacidade de julgamento...... Acho que nem preciso falar mais pois todos sabem dos efeitos malficos do lcool. O mais triste a segregao de quem no bebe.... Passa at por chato , mas quando se esta numa viagem e o camarada tem uma DD , acaba estragando a viagem de todos!!!! No sou radical e sei que quando se esta de frias acaba relaxando, tomando uma cerveja, wisk ou vinho.... ento se for beber procure fazer outra atividade.....

  • INFORME PUBLICITRIO | DIVEMAG.org | Curaao

    Mergulhe no fantstico mundo subaqutico de Curaao

    Curaao uma ilha formada originalmente por pedras vulcnicas onde os corais se formaram ao longo dos sculos. Isto pode ser visto imediatamente no primeiro mergulho. Na costa do lado direito da ilha os mergulhadores podero observar belos recifes de corais. Essa uma das razes que tornou Curaao um dos destinos mais populares de mergulho do mundo. Fauna e flora subaqutica de rara beleza formada ao longo de milhes de anos.

    Destino top para mergulhadores voc no achar no mundo um local de tamanha beleza e variedades para prtica de mergulho.

    Seleo de trs grandes reas para mergulho Curaao cercada por fantsticas reas para mergulho.

    Curaao tambm um fantstico destino para a prtica de snorkel at mesmo da superfcie pode-se observar as belezas do mundo subaqutico de Curao.

    Um destino para todos Alm do fantstico mundo subaqutico, Curaao oferece muita diversidade para os que preferem ficar em terra compras, lazer, esportes, praias, cultura e gastronomia.

    www.curacao.com 68

    MEDICINA DO MERGULHO | POR GABRIEL GANMEdiVemaginternational dive magazine

    Mauricio Laranjeira: , nos dias de hoje estranho quem no bebe, pa-rece que h uma certa presso social para que se consuma algum tipo de bebida alcoolica. Muitas viajens de mergulho so comparadas pescaria, onde o core competence no o peixe e sim o motivo pra sair de casa, ou seja, bebidas e baladas!!! No digo que nunca fiz isso, mas com o passar do tempo e com mais conhecimento adquirido no tenho mais o desejo de beber e precisar abortar um mergulho por conta disso, vamos deixar pra abortar mergulho por motivos que este-jam fora de nosso controle!!! O alcool no combina com nada onde necessrio responsabilidade e ateno!!! O maior antagonismo co-mercial beba com responsabilidade!!! o melhor seria, se tem respon-sabilidade no beba!!! Abraos!!!

    Gabriel Ganme: Caros, isto ai, o Mauricio Laranjeira postou muito bem, existe presso social para se beber, especialmente vinho, pelo menos na faixa etria de 30 a 50 anos. Lamentavelmente, a indstria do vinho usa argumentos pouco embasados, e no menciona os ma-lefcios. Cara Paula, voc vai encontrar uma srie de artigos e vai ficar louca, pois esqueceram de mencionar o altssimo nvel de cirrose hep-tica, ligado ao paradoxo frans. Voc mencionou outros problemas. E quando quantificamos a dose mxima aceitvel, no caso do vinho, de um clice normal para homens, e menos de um clice para mulher. E ai, botando lenha na fogueira, desde quando cada marca de vinho tem a mesma quantidade de lcool. E o Andre Luiz Woitech Hecksher tambem deixa claro outros malefcios e riscos do lcool, num pas de extrema violncia, e diversas mortes bizarras no trnsito, seguramente ligadas ao lcool. E como ninguem vai preso, e at um ex-presidente se gabava de ser um cachaceiro nato, que beleza...

    Resumindo, a discusso continua, mas uma coisa certa:

    lcool e mergulho no combinam !!

    Boas guas

    Gabriel Ganme e amigos do Grupo Medicina do Mergulho e Exerccio Fsico

  • diVemaginternational dive magazine

    NOVIDADES | TV | Redao

    No dia 8 de junho, sbado, o Canal OFF vai exibir uma programao especial em ho-menagem ao Dia Mundial dos Oceanos. A data foi criada durante o evento de reper-cusso mundial Eco 92, realizado no Rio de Janeiro, com a finalidade de celebrar a cada ano um tributo preservao dos oceanos e aos produtos que eles fornecem. Sero mais de 8 horas de contedo especial com programas, filmes e documentrios inditos que abordam as belezas e os mistrios dos nossos oceanos.

    Entre as atraes internacionais esto os documentrios inditos The Living Sea, in-dicado ao Oscar e produzido em 70mm, com narrao da atriz Meryl Streep e trilha sonora exclusiva do msico Sting, que traz um levantamento de todos os oceanos do mundo a fim de mostrar a importncia de suas preservaes e Jack McCoy, sobre a primeira visita do renomado diretor subaqutico ao Rio de Janeiro no ano passado e tambm com imagens de grande parte de sua filmografia que conta com os maiores surfistas do mundo.

    Entre as atraes nacionais esto um episdio de Submerso com os mergulhos de So-fie Mentens, Marcela Witt e Sofia Graa Aranha no Caribe e as aventuras do surfista de ondas grandes Carlos Burle na temida praia de Jaws, no Hava, em Desejar Profundo.

    8 de JUNhO O caNaL OFF eXiBe PrOgramaO esPeciaL NO dia mUNdiaL dOs OceaNOs

    69

  • Em ROATAN, praias e mergulhos de classe mundial em um s destino !

    Mayan Princess Beach & Dive Resortreservations@mayanprincess.com Tel: (504) 2445 5050/52, 9486 0381

    www.mayanprincess.com

    Turquoise Bay Dive & Beach Resortreservations@turquoisebayresort.com

    Tel: (504) 9885 0840www.turquoisebayresort.com

    70

    Liberado o documento de consenso produzido duran-te o workshop DAN Brasil sobre Acidentes Fatais rea-lizado no dia 01 de dezembro de 2012, em Itupeva SP. O evento foi organizado para a indstria de mergulho com o objetivo de melhorar a segurana no mergulho recreativo no Brasil. Estima-se que nos ltimos 40 anos mais de 500.000 mergulhadores foram certificados no Brasil e mais de 20.000 novos mergulhadores so for-mados a cada ano pelas diferentes organizaes de treinamento que atuam no pas. Em 2012 ocorreram sete acidentes fatais com mergulhadores brasileiros que representa um aumento 700% em relao m-dia de fatalidades dos ltimos 20 anos. Durante o evento foram apresentados dados de dife-rentes regies do mundo, fornecidos pela DAN Am-rica, DAN Europa, DAN Asia-Pacifico, British Sub-Aqua

    Club e pela PADI. As causas dos acidentes fatais apresentam grandes semelhanas e mostram que a maior parte dos acidentes poderia ter sido evitada. Com o objetivo de diminuir o risco de fatalidades e conhecer eventuais peculiaridades regionais, a DAN Brasil, uma organizao no governamental, sem fins lucrativos, e as quatro maiores organizaes de treinamento de mergulhadores que atuam no Brasil (IANTD, NAUI, PADI e SSI) concordaram em usar uma ferramenta comum para coletar dados de acidentes e incidentes de atividades de mergulho recreativo ou tcnico. A ferramenta pode ser acessada pelo link www.dan.org/incident-report/portuguese Lderes experientes da rea de treinamento de mergulhadores e de outras reas do mercado e pales-trantes internacionais vindos da sede da DAN nos Estados Unidos compartilharam suas experincias e estabeleceram procedimentos e documento de consenso que devem ser adotados em todo o Brasil. Os tpicos discutidos incluram temas como os registros histricos de acidentes fatais com brasileiros, uma comparao com as estatsticas internacionais de acidentes de mergulho, os padres adotados pelo Brasil para o mergulho recreativo, questes de sade relacionadas ao mergulho e medidas es-pecficas como o uso de listas de verificao pr-mergulho (checklists) e a necessidade de enfatizar as habilidades bsicas que tm sido relacionadas maioria dos ltimos acidentes: gerenciamento do suprimento de gs respirvel, compartilhamento do ar, tcnicas de subida em emergncias, como evitar enrosco ou aprisionamentos e como evitar problemas cardacos durante o mergulho.

    NOVIDADES | DAN | Redao

    decLaraes de cONseNsO dO WOrKshOP sOBre acideNTes FaTais

  • Com 150 fotos dos experientes fotgrafos Fernando Clark e Enrico Marcovaldi , a publicao mostra a importncia do arquiplago e relata dados importantes sobre a vida dos corais e baleias Jubarte da Regio

    No livro Abrolhos, os fotgrafos Fernando Clark e Enrico Marcovaldi em parceria com o autor Afonso Capellas fazem uma verdadeira ode natureza ocenica e a preservao desse ecossistema. Atravs de um olhar de amor, encantamento e descoberta, os fotgrafos reve-lam as aves, as baleias, os corais e a cidade de Caravellas.

    Um arquiplago pouco explorado e a admirao pelo trabalho de conservao desse paraso fizeram a Editora Cultura Sub e a Conser-vation Internacional irem a fundo dessa jornada de traduzir em fotos

    e palavras a magnitude de Abrolhos.

    As baleias, os peixes, os corais, o trabalho de conservao e o futuro de Abrolhos to-mam forma e entram na imaginao e na vontade daqueles que ainda no conhe-cem o local e de outros que querem retornar.

    O livro, uma produo da Editora Cultura Sub e co edio da Conservation Internacio-nal conta com o patrocnio da CHESF.

    A editora Cultura Sub, cuja linha de atuao voltada para projetos de sustentabili-dade e preservao do meio ambiente, se sente honrada em mostrar ao leitor o que existe em Abrolhos e por que precisamos conversar este local: Sempre lutaremos pela preservao da natureza e da vida que a habita. A beleza das fotografias ajuda a despertar nas pessoas o interesse pelo meio ambiente que as cerca,

    O arQUiPLagO dOs aBrOLhOs Tema de LiVrO de arTee a ter mais cuidado com as espcies que o ha-bitam. Agradecemos sempre aos patrocinadores que acreditam, assim como ns, que a beleza da natureza s continuar viva se ns a preservar-mos, comenta Ana Carolina Xavier, da Editora Cultura Sub.

    DADOS:

    Formato 28x28 N de Pginas 240 Sobrecapa Acabamento Fine Art

    SERVIO:

    Lanamento do livro AbrolhosSo PauloData: 28 de maio de 2013 Horrio: s 18:30 Local: Livraria da Vila do Shopping Cidade Jardim

    Lanamento do livro AbrolhosRio de Janeiro Data:11 de junho de 2013Local: Livraria da Travessa 07 de Setembro Endereo Rua 07 de setembro, 54-Centro Rio de Janeiro

    venda no site www.culturasub.com, por R$90,00.

    diVemaginternational dive magazine

    LANAMENTOS | LIVROS | Redao

    72

  • sharK FiNNiNg Parte Vi Por: raQUeL rOssa

    LegisLaO BrasiLeira sobre a pesca de tubares No Brasil, o controle porturio das embarcaes pesqueiras cabe ao IBAMA (Institu-to Brasileiro do Meio Ambiente e dos Recursos Naturais Renovveis).

    A Portaria IBAMA N121-N, de 24 de Agosto de 1998, regula a pesca de tubaro em territrio nacional. Segundo a legislao, proibido o desembarque isolado de nadadeiras de tubares, sem as respectivas carcaas. Fica tambm proibido o transporte a bordo ou o desembarque de nadadeiras as quais o peso exceda a 5% do peso total das carcaas.

    Embora seja considerada eficaz em termos de legislao, a portaria n 121-N/1998 no soluciona o problema do finning. Na prtica, torna-se obsoleta por motivos quase bvios: no h controle e fiscalizao eficientes, menos ainda balanas nos portos para que sejam efetuadas as pesagens das respectivas barbatanas e suas carcaas. Alm disso, a mdia de 5% (estabelecida pelo NMFS Servio de Pesca do Centro de Administrao Nacional Ocenico e Atmosfrico dos EUA, o NOAA) controversa.

    Segundo a cientista Shelley Clarke, essa proporo varia de espcie para espcie, entre 2,3 a 5,1% quando consideradas as nadadeiras j cortadas, ou menor ainda, entre 1,3 e 2,5%, quando consideradas parte do peso total do animal. Assim, estar-amos liberando uma quantia legal maior ainda para a indstria pesqueira.

    Uma vez nos portos, as barbatanas so descarregadas em sacolas, ainda frescas, e so encaminhadas diretamente a um receptador, que as leva para as indstrias de beneficiamento, onde sero desidratadas e processadas para a exportao. Alm da exportao, parte dessas barbatanas abastece o mercado paulistano: restau-rantes chineses, onde servida a sopa de barbatanas de tubaro, e restaurantes japoneses, que servem as barbatanas na forma de sushis ou temakis exticos. Car-los Crow chama a ateno para o fato de nenhuma dessas indstrias apresentar fichas com a portaria n 121-N/1998 do IBAMA preenchidas e carimbadas.

    Foto: Raquel Rossa

    74 diVemaginternational dive magazine

    Como, ento, elas chegam aos restaurantes se no h barbatanas venda no principal entreposto comercial paulistano? Na prtica, as bar-batanas comercializadas so ilegais, mas o problema que a nossa lei s proibe o finning, no o consumo de barbatanas, seja da maneira que for. uma mfia que est correndo por fora do fisco, diz ele. Quem faz o intermdio das barbatanas, na maioria das vezes, o pescador. Trata--se de um ganha po extra. Esses sujeitos j foram brutalizados dentro da prpria indstria. uma caa ilegal, conclui.

  • MEIO AMBIENTE | SHARK FINNING | RAQUEL ROSSA

    75 diVemaginternational dive magazine

    LisTas de esPcies ameaadas de eXTiNO CITES Conveno para o Comrcio Internacional de Espcies Ameaadas da Fauna e da Flora O rgo das Naes Unidas estabelece trs nveis de proteo: Apndice I, espcies mais ameaadas; Apndice II, espcies ame-aadas de extino; Apndice III, espcies com o comrcio regulado inter-nacionalmente. Apenas trs espcies de tubaro aparecem listadas como ameaadas de extino no Apndice II: o tubaro baleia (Rhincondon typus), o tubaro peregrino (Cetorhinus maximus) e o tubaro branco (Carcharodon carcharias). IUCN Unio Internacional para a Conservao da Natureza Elabora a Red List (Lista Vermelha das espcies ameaadas de extino). H sete principais categorias de ameaa: baixo risco; vulnervel; em perigo; criticamente em perigo; extinta da natureza; extinta. Nessas categorias, 74 espcies de tubaro so listadas. Isso sem levarmos em conta as espcies sobre as quais os dados so deficientes (h sete espcies encontradas no litoral brasileiro).

    IBAMA Instituto Brasileiro do Meio Ambiente e dos Recursos Naturais Reno-vveis Possue duas categorias: Anexo I, espcie ameaada de extino, a qual est proibida de ser capturada; Anexo II espcie sobreexplotada ou ame-aada de sobreexplotao. Os dois anexos seguem as Instrues Normativas de n 5 (de 21/05/2004) e n 52 (de 08/11/2005). So nove espcies listadas no Anexo I e oito no anexo II.

    Das expcies ameaadas de extino, 88 ocorrem no litoral brasileiro e 38 de-las esto em uma das trs listas. Isso representa 43% de espcies ameaadas s no Brasil.Em junho de 2011, foi divulgada uma lista feita pelo ICMBio/MMA (Instituto Chi-co Mendes de Conservao da Biodiversidade e Ministrio do Meio Ambien-te), indicando as espcies conhecidas de tubaro em perigo de extino no litoral brasileiro.

    Das 169 espcies, inclundo tubares e raias, mais de 60% delas esto ameaa-das de alguma maneira. Segundo o pesquisador Otto Gadig, no Rio Grande do Sul, entre 1984 e 1994, sabe-se que algumas espcies de tubares tiveram suas populaes reduzidas a menos de 10% em um perodo de 10 anos.

  • INFO

    RME PU

    BLICIT

    RIO | D

    IVEM

    AG

    .org

    | Diving

    Co

    lleg

    e

  • sea shePherd LaNa camPaNha em deFesa dOs reciFes NO haVa

    A Sea Shepherd Conserva-tion Society tem o orgulho

    de anunciar o lanamento da Operao em Defesa dos

    Recifes, uma campanha glo-bal para acabar com a destrui-

    o dos recifes de coral e as muitas ameaas que eles enfrentam em todo o mun-do. Os recifes de coral representam alguns dos mais biologicamente diversos ecossistemas do planeta, proporcionando habitat crtico para cerca de 25% de todas as espcies ma-rinhas, mas eles esto desaparecendo em um ritmo alarmante, devido s atividades induzi-das pelo homem, como a poluio, a pesca predatria, o trfico de animais selvagens dos recifes, o desenvolvimento costeiro e o aque-cimento global. Trinta por cento dos recifes de coral do mundo j morreram nos ltimos 50 anos, e outros 30% sofreram danos graves. Dos recifes remanescentes, estima-se que 60% poderia enfrentar a extino em menos de 25 anos.

    De acordo com a Diretora da Sea Shepherd Hava e Lder da campanha em defesa dos recifes, Debo-rah Bassett, com os oceanos do mundo sob ataque desde a extrao comercial e a poluio, a nossa misso continua firme para defender o habitat marinho e a vida selvagem em toda a extenso desde as menores espcies de recife at os maiores mamferos marinhos e predadores. O tempo est se esgo-tando para estas grandes florestas tropicais sob o mar, por isso temos de agir agora.

    Embora a Sea Shepherd seja mais conhecida por seus esforos de ao direta sobre o alto mar, a Sea Shepherd continua empenhada em proteger a vida marinha em todos os habitats, incluindo a campa-nha de conscientizao costeira orquestrada para a Operao Defesa dos Recifes. A Sea Shepherd pretende colaborar com lojas de mergulho havaianas e com a comunidade de surf para trazer luz para a destruio acontecendo sob as ondas. Com a campanha em andamento no Hava, ncleos mundiais da Sea Shepherd em breve tero programas similares em suas guas locais.

    A DecoStopaumentou seu tempo

    de fundo.

    A revista DecoStop jest disponvel no AndroidMarket, e a partir de marona Apple Store.

    Esta ao faz com que o alcance da revista seja potencializado,atingindo leitores alm de nosso alcance fsico. A tecnologia digitalpermite que as edies da DecoStop sejam armazenadas, possibi-litando acesso rpido as informaes contidas na revista. A edioimpressa continuar a ser produzida normalmente.

    A melhor revista brasileira de mergulho, agora no seu tablet.

    www.clovix.co

    m.br

    Para download no Android Market acesse:

    https://market.android.com/details?id=com.magtab.DecoStop

    Para assinarwww.decostop.com.brPara anunciar

    rodrigo@decostop.com.br

    78

    Por:

    Raq

    uel S

    old

    era

    , vo

    lunt

    ria

    do

    Inst

    ituto

    Se

    a S

    hep

    herd

    Bra

    sil

    OVice-Presidente da Sea Shepherd, Robert Wintner, um militante veterano contra o comrcio de aqurios e seu impacto devastador sobre os recifes do Hava. Foto: Deb Bassett / Sea Shepherd

  • A especialista em recifes de Maui, Rene Umberger, com o Vice--Presidente da Sea Shepherd, Robert Winter, e a Diretora da Sea Shepherd Hawa e lder da campanha Operao em Defesa dos Recifes, Deborah Bassett. Foto: Deb Bassett / Sea Shepherd

    Por:

    Raq

    uel S

    old

    era

    , vo

    lunt

    ria

    do

    Inst

    ituto

    Se

    a S

    hep

    herd

    Bra

    sil

    Guiga Pir. Foto: Carlos CrowdiVemaginternational dive magazine

    79

    A degradao dos recifes uma crise global. Dos 100 pases com recifes de corais, a degradao dos recifes maior no Sudeste Asitico, onde quase 95% dos recifes da regio esto ameaados, principalmente devido sobrepesca e s prticas de pesca destrutivas. A perda de vida marinha e de habitat tam-bm esto sempre presentes em nosso prprio quintal do Hava, onde as dez espcies de peixes procuradas para aqurios diminuram 59% nos ltimos 20 anos, enquanto o peixe de aqurio mais popular diminuiu em abundncia cer-ca de 38-57%. Na Jamaica, estima-se que quase todos os recifes esto mortos ou severamente degradados pela sobrepesca e pela poluio costeira.

    O Vice-Presidente da Sea Shepherd, Robert Wintner, um veterano ativista con-tra o comrcio do aqurio e seu impacto devastador para os recifes havaia-nos declarou, a Sea Shepherd ir defender o habitat marinho e a fauna das devastaes de guas residuais urbanas e empresariais e da destruio cau-sada pelo comrcio do aqurio. A fauna macia dos recifes morre a cada ano, como ornamentao descartvel no ciclo vicioso de trfico de animais selvagens para o comrcio de animais. Sua morte gera demanda contnua, conduzindo o comrcio do aqurio para retirar recifes desprotegidos. Mais de 25 milhes de criaturas do mar esto na mira do aqurio comercial a qualquer momento e quase todos vo morrer dentro de um ano, a partir do momento da captura.

    A Sea Shepherd est muito preocupada com esta vida selvagem e precisa de apoio da populao para transformar essas preocupaes em ao. Po-demos perder o apoio de pessoas que mantm animais selvagens marinhos em cativeiro por um hobby, mas como o Capito Paul Watson afirmou, nossos clientes so as criaturas do mar. Esperamos que todas as pessoas que se preo-cupam com os oceanos reconheam a importncia de proteger os ecossiste-mas de recife em todo o mundo, e que, se qualquer um dos nossos apoiadores mantm animais selvagens marinhos em um aqurio, eles vo cuidar da vida selvagem que tm e abster-se de comprar mais, acrescentou Wintner.

    Os recifes de coral simplesmente no podem suportar o uso de recursos ilimi-tados continuado ou comrcio global no gerenciado. Tal declnio contnuo drstico dos recifes saudveis ir representar graves consequncias para os animais, tanto em terra como na gua, e para as pessoas em todo o mundo.

    O lanamento da Operao em Defesa dos Recifes incluiu uma apresentao sobre o trfi-co de animais selvagens dos recifes para o comrcio do aqurio no Deep Ecology Dive Cen-

    ter, em Haleiwa, Oahu. Foto: Deb Bassett / Sea Shepherd

    sea shePherd LaNa camPaNha em deFesa dOs reciFes NO haVa

  • ENTRE EM CONTATO:viagens@maramar.com.br

    +55 31 3225.0029www.maramar.com.br

    R. Piau, 1714 - Funcionrios - Belo Horizonte - MG

  • Experimente os melhores roteiros nos destinos certos com excelentes guias.

    AGOSTO SETEMBRO

    REVEILLON 2014

    SETEMBRO

    VIAJE COM A GENTE EM 2013!

    www.acquanauta.com.br(41) 3016-7771

    GALPAGOSDeepBlue

    O meioda Temporada

    09 a 20 de agosto

    BONAIREMergulho, m

    uito mergulho!

    13 a 21 setembro

    MAR VERMELHO

    Especial NAUFRGIOS!!

    16 a 29 de setembro

    BAHAMAS Exumas C

    ays AQUACAT - LIVE ABO

    ARD

    28 de dez a 04 de janeiro

    Responsabilidade operacional

    LOTADO

    INFO

    RME PU

    BLICIT

    RIO | D

    IVEM

    AG

    .org

    | Ma

    r a M

    ar

    +55 31 3225.0029www.maramar.com.br

    R. Piau, 1714 - Funcionrios - Belo Horizonte - MG

    cONsULTe NOVas daTas

  • FOTgraFO cONVidadO: ULisses JOsei TUraTi

    Morei em Santos quando adolescente e na poca fazia snorkel enquanto meu pai pescava, naquele tempo (dcada de 1960) alm de muito novo, ainda no tnhamos aparelhos Scuba como hoje em dia. O mergulho com cilindro de ar comprimido era para poucos.

    82

    diVemaginternational dive magazine

  • 8283

    Em 1994 tive a oportunidade de fazer o curso de mergulho autnomo e como j tinha a fotografia como um hobby, comear a foto-sub foi uma consequncia imediata.

    FOTGRAFO CONVIDADO | ULISSES JOSEI TURATI |

    diVemaginternational dive magazine

  • 84

    J tive a oportunidade de viajar bas-tante, mergulhei na Laje de Santos, Fernando de Noronha, Recife e v-rios outros pontos no Brasil.

    diVemaginternational dive magazine

    FOT

    GRA

    FO C

    ON

    VID

    AD

    O | U

    LISSES JOSEI TU

    RATI |

  • 85diVemaginternational dive m

    agazine

    FOT

    GRA

    FO C

    ON

    VID

    AD

    O | U

    LISSES JOSEI TU

    RATI |

  • No exterior em Bonaire, Curaao, Cozu-mel, San Andrs, Galpagos, Maldivas, Mar Vermelho, Malsia e Indonsia.

    86

    diVemaginternational dive magazine

    FOTGRAFO CONVIDADO | ULISSES JOSEI TURATI |

  • 91

    A fotografia para mim um prazer e uma descontrao, algo para mostrar as pessoas como o mundo subaquti-co bonito e por isso devemos preser-va-lo para as geraes futuras.

    87

    diVemaginternational dive magazine

    FOTGRAFO CONVIDADO | ULISSES JOSEI TURATI |

  • 88

    diVemaginternational dive magazine

    FOT

    GRA

    FO C

    ON

    VID

    AD

    O | U

    LISSES JOSEI TU

    RATI |

  • 89

    diVemaginternational dive magazine

    FOT

    GRA

    FO C

    ON

    VID

    AD

    O | U

    LISSES JOSEI TU

    RATI |

  • 90

    diVemaginternational dive magazine

    FOTGRAFO CONVIDADO | ULISSES JOSEI TURATI |

  • 91

    diVemaginternational dive m

    agazine

    FOT

    GRA

    FO C

    ON

    VID

    AD

    O | U

    LISSES JOSEI TU

    RATI |

  • 92

    diVemaginternational dive magazine

    FOTGRAFO CONVIDADO | ULISSES JOSEI TURATI |

  • 93 diVemaginternational dive magazine

    FOTGRAFO CONVIDADO | ULISSES JOSEI TURATI |

  • INFORMATIVO MENSAL | IANTD |

    www.naui.com.br

    INFORMATIVO MENSAL | NAUI |

    NaUi FOi Um sUcessO Na adVeNTUre sPOrTs Fair 2013 Aparticipao da NAUI no maior evento de esportes de aventura da amrica latina foi um su-cesso total, o tanque de mergulho foi uma das atraes mais concorridas, e quebrou o recorde de batismos j realizados em todas as edies da feira.

    A NAUI agradece a participao e apoio de todos os membros que foram visitar e prestigiar o estande e a operao do tanque.

    Veja como foi:

    www.iantd.com.br

    esseNTiaLs diVerEste nvel intermedirio de educao contnua desenhado para permitir que mergu-lhadores certificados melhorem sua performance no mergulho, revisem e coloquem em prtica o essencial aprendido em qualquer programa de mergulho da IANTD. As tcnicas e conhecimentos adquiridos neste programa preparam o mergulhador para mergulhos mais avanados. O programa de Essentials Diver recomendado para todos os mergu-lhadores que desejam melhorar a performance e competncia durante seus mergulhos. Este programa no qualificar o mergulhador a mergulhar mais fundo do que permiti-do pela sua certificao prvia.

    Quem pode lecionar este programa?

    Um Advanced EANx Instructor ou de graduao maior e certificado como IANTD Essen-tials Diver requerido um instrutor de rebreather para que um mergulhador seja certifica-do como rebreather diver neste nvel.

    Pr-requisitos:

    Certificao de Open Water (Nitrox) Diver ou equivalenteIdade mnima de 15 anos com autorizao dos pais ou responsveis legais, ou um mnimo de 12 anos para qualificao de Junior Diver, ou 18 anos sem autorizao prvia

    Limites do programa:

    Nenhum mergulho pode ser conduzido em profundidades maiores que a qualificao do aluno

    Todos os mergulhos devem enfatizar o trabalho em equipe e a interao com o dupla

  • ??VOC SABI

    A

    22 Edi

    o

    Cavalo Marinho: Um pequeno notvel.

    A natureza em especial o mar est repleto de animais fascinantes que mostram diversasformas de vida. Um dos animais que fascinam a todos desde os tempos antigos o cavalomarinho.

    Apesar do formato de sua cabea que lembra a de um cavalo (por isso o nome), ele considerado um peixe e apresenta algumas caractersticas e hbitos um tanto curiosos.

    EntEntre elas podemos citar a semelhana com os camalees quando o assunto defesa.

    Os cavalos marinhos mudam de cor para se camuflar e assim se esconder de seu predador.Outra ttica de sobrevivncia a incrvel capacidade de olhar para dois lugares diferentes aomesmo tempo.

    Em contra partida, sua locomoo um dos seus pontos fracos, eles se movimentam verticalmente o que os tornam lentos.

    J em sua alimentao, ele apresenta uma particularidade muito interessante; no vai atrs do prprio aatrs do prprio alimento. O cavalo marinho prende-se com a ponta da cauda em plantasdo fundo do mar e espera o alimento chegar at ele.

    Contudo, a curiosidade mais interessante est relacionada a reproduo.

    O ritual de acasalamento dos cavalos marinhos, que acontece durante a primavera bemdivertido, os machos do cambalhotas e mais cambalhotas junto com as fmeas. A fmea coloca diversos ovos, os quais o macho que fertiliza e posteriormente guarda em umabolsa na base da cauda. Ele responsvel por cuidar dos filhotes durante toda a gestao.

    Aps dois meses, os ovos rompem-se e o macho faz violentas contores para que os filhotespossam ser expelidos. Os filhotes assim que nascem so praticamente transparentes, medempouco mais de um centmetro.

    Lembrando que um cavalo marinho vive em mdia cinco anos.

    Porm triste informar que, esse belssimo animal atualmente est ameaado de extinodevido o alto volume de pesca descontrolada principalmente nos pases asiticos no qual ututilizam eles na culinria por seu sabor extico.

    INFO

    RMA

    TIVO

    MEN

    SAL | SSI |

    INFO

    RMA

    TIV

    O M

    ENSA

    L |

    PAD

    I |

  • INFO

    RMA

    TIVO

    MEN

    SAL | D

    AN

    |

    www.danbrasil.org.brwww.danbrasil.org.br

    Bahia

    Shark Dive

    Apecatu Expedies

    O Way

    Atlantes Guarapari Cia do Mergulho

    Acqua Sub

    County Divers DiveLife

    Mergulho Ambiental

    Aquaticos

    Acquanauta Mergulho

    Deep Trip

    GMES

    X Divers

    Caju Divers Corais de Maracajau

    Mathaaus Adventure

    Jornada Sub Mergulho CNM Dive

    Overdive Rota Sub Scubadodive Adventure

    Subaqutica

    Dive TechDiving College

    Narwhal Mergulho

    Scafo - So Paulo Scuba Point

    Viajan

    Underwater Bahia

    Mergulhadores ajudando mergulhadores Associe-se a DAN Brasil

    Distrito Federal

    Esprito Santo

    Minas Gerais

    Pernambuco

    Paran

    Rio Grande do Norte

    Santa Catarina

    So Paulo - Grande So Paulo

    So Paulo - Interior

    Paraba

    Estas Empresas so parceiras da DAN Brasil

    Horizonte AbertoBahia Scuba

    Mato Grosso do SulLagoa Misteriosa - Rio da Prata

    Atlantis Divers

    Scubasul

    Barracuda - Cabo Frio

    DiversTec

    Litoral SubMar do MundoOcanSandMar Nitrox

    Rio de Janeiro

    Amigos do JoeAqualander MergulhoAquaventuraBaritur Viagens

    Mergulhando na Estrada

    Oxigenao Turismo

    ScubalabSea Way

    Koka SubMar & Ar

    Scubapura

    Portal Maracajau

    AcquacampCaptain Dive

    Scuba Du

    Planeta MergulhoRio Grande do Sul

    Blue Shark Dive

  • A DIVEMAG e a Webventure tem o prazer de anunciar uma parceria, que vai trazer para voc leitor, contedos exclusivos, mais informaes sobre mergulho e muitas fotos exclusivas. Nosso editor Kadu Pinheiro est assumindo a coluna so-bre mergulho no site da webventure, aguardem muitas novidades em breve !

    diVemaginternational dive magazine

    98

  • gaBrieL gaNme - # 83730 carOLiNa schraPPe - # 1526322

    www.danbrasil.org.br 19-3707-1569A DAN Brasil a nica organizao sem fins lucrativos dedicadas segurana do mergulho e registrada no Ministrio da Justia como

    Organizao da Sociedade Civil de Interesse Pblico OSCIP (reconhecida em 2012).

    *Todos os benefcios de transporte areo de emergncia sero considerados somente entre instalaes mdicas ou de um aeroporto a outro, no esto inclusos salvamento martimo ou onde no haja aeroporto ou instalaes mdicas no local. O benefcio do transporte ser considerado somente caso haja necessidade mdica e com a prvia aprovao da DAN.

    Voc sabia que?O seu Plano de Sade pode no cobrir os custos de um tratamento hiperbrico,

    E a maioria dos planos no cobre transporte areo*

    Final de domingo, no final do terceiro mergulho apaguei ao chegar superfcie. A DAN foi acionada e recebemos ajuda at a minha ida a Cmara Hiperbrica. Eu me senti seguro e amparado no dia e nos tratamentos posteriores ao episdio. Recomendo fortemente a associao a DAN Brasil!

    Paulo Francisco da Silva (Big Paul)

    Benefcios para Associados da DAN Brasil:Remooareainter-hospitalar*tantoparaemergncias

    de mergulho quanto para outras emergncias; Benefciosparadespesasmdicascomtratamento

    em Cmara Hiperbrica em todo o mundo;

    DANHotline24horas,7diasporsemana;Informaessobresegurananomergulho;EMUITOMAIS!

  • diVemaginternational dive magazine

    www.divemag.orgApoio: